Ceará: Greve dos Bancários continua firme até a conquista das reivindicações

Em assembléia permanente nesta quarta-feira, dia 30/9, os bancários cearenses deliberaram pela continuidade da greve, por tempo indeterminado. Entre os informes foi destaque a negociação do Comando Nacional com o Banco do Brasil. Quinta-feira haverá nova rodada de negociação dos bancários com a Fenaban, às 10 horas, em São Paulo. Nesta quinta-feira, também haverá novas rodadas com o BB e Caixa Econômica Federal. No Banco do Nordeste do Brasil, a negociação está marcada para 15 horas, no Passaré.

Banco do Brasil mantém modelo da PLR e anunciar contratação de três mil funcionários
Na retomada das negociações das questões específicas do Banco do Brasil realizadas nesta quarta-feira, dia 30/9, no sétimo dia da greve nacional dos bancários, a empresa avançou em algumas reivindicações do funcionalismo: anunciou a contratação de três mil novos funcionários até 2010 e a criação de comitês de ética nos 27 Estados e no Distrito Federal com representação eleita pelos bancários, visando combater o assédio moral e “outros desvios comportamentais”.

O BB também propôs, na reunião realizada em São Paulo, manter o modelo de PLR em vigor e condicionou a discussão de outras reivindicações ao resultado da rodada de negociação que será realizada com a Fenaban, nesta quinta-feira 1º de outubro. Nova rodada de conversação com o BB será mantida pelo Comando Nacional dos Bancários após a reunião com a Fenaban.

“Consideramos um avanço importante o banco aceitar essa antiga reivindicação do funcionalismo de que é preciso implementar uma política efetiva de combate ao assédio moral”, afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional. “Também é positivo o BB contratar mais funcionários para melhorar as condições de trabalho, mas achamos que os três mil são um número muito baixo. E esperamos que o banco avance nas propostas sobre PCCS, na valorização dos pisos salariais, no fim da lateralidade e na PLR dos bancários da Nossa Caixa.”

Lateralidade – O Comando Nacional insistiu na mesa de negociação com o fim da prática da lateralidade, cobrando que toda substituição seja remunerada. O BB disse que está estudando a possibilidade de o primeiro gestor também passar a ser substituído conforme o definido para as agências com até sete funcionários.

Isonomia – Em relação à isonomia, o banco anunciou que está regularizando a situação dos funcionários pós-98 no que diz respeito ao acesso de recurso do Pavas (Programa de Atendimento a Vítimas de Assaltos e Sequestros), que deixa de ser de ressarcimento e passa a ser de antecipação de recurso.

Abono-assiduidade – Os negociadores do BB afirmaram ao Comando Nacional que o banco está analisando a possibilidade de os dias de abono-assiduidade serem cumulativos e passíveis de venda para todos os funcionários.

“Mesmo com a retomada da mesa de negociação ainda temos muitos pontos que precisam de respostas do Banco. Por isso precisamos continuar mobilizados e manter a paralisação enquanto o banco não der uma resposta satisfatória e final”, disse o presidente do SEEB/CE, Carlos Eduardo Bezerra, representante da Fetec/NE na Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.

Fonte: SEEB/CE

Sindicato dos Bancários do Ceará realiza manifestação no corredor financeiro da Aldeota

O corredor financeiro das Avenidas Santos Dumont e Desembargador Moreira foi o palco da reivindicação na manhã desta quarta-feira, 30/9, do Sindicato dos Bancários do Ceará em época de Campanha Salarial. Conhecidas por sua importância financeira para a cidade, as vias ficaram tomadas por manifestantes em luta pela devida valorização da categoria bancária e em defesa do direito de greve. Eles entraram nas agências, informaram clientes sobre os seus direitos, convidaram bancários a participarem das assembléias e explicaram os motivos da greve. Compondo a caravana do Sindicato, bandinhas de música, emboladores e palhaços fizeram um show dentro das unidades.

O Bradesco ficou pequeno com a visita de dirigentes e apoiadores do Sindicato. Em funcionamento normal devido ao interdito proibitório conseguido pelo banco, a agência conheceu todo o barulho que apenas trabalhadores em busca de seus direitos são capazes de fazer. O diretor do Sindicato, Marcos Saraiva, ressaltou a insegurança a que os clientes da empresa são submetidos diariamente, devido a inexistência de uma porta de segurança. Ele criticou também o descumprimento, por parte do banco, da lei estadual de filas, que determina que a população pode esperar, no máximo, 15 minutos para ser atendida.

Para Gabriel Motta, diretor do SEEB/CE e funcionário do Bradesco, o banco está prejudicando tanto clientes como trabalhadores com a sua postura arrogante. “Mesmo sendo uma das instituições financeiras que mais lucra no País, o banco não repassa essa parcela para os seus funcionários. O que cobramos não é apenas uma melhoria salarial, é respeito por parte do Bradesco”.

Posteriormente, os manifestantes se dirigiram ao segundo andar do prédio, onde é realizado o atendimento a clientes “VIP”. Lá o diretor Carlos Henrique cobrou uma PLR justa, condições dignas de trabalho e o fim do assédio moral. “Os banqueiros são verdadeiros agiotas. Eles exploram toda a população e ganham bilhões por ano a nossa custa. Mas nós não vamos descansar enquanto não tivermos nossas reivindicações atendidas”, declarou.

Outro alvo dos protestos do Sindicato dos Bancários foi a Superintendência do Banco do Brasil. No último andar do prédio, apesar da grande adesão dos bancários do BB, o funcionamento era normal. O diretor do SEEB/CE, Bosco Mota, ressaltou que as reivindicações específicas do Banco do Brasil incluem a criação de um Plano de Cargos e Salários e de um plano odontológico, além do fim da lateralidade, a qual denominou de “fraude trabalhista”.

Fonte: SEEB/CE

Tucanato cearense sofre mais duas baixas

O deputado estadual Idemar Citó deixou, hoje, o PSDB e assinou ficha de filiação ao DEM. ”Foi uma decisão que me deixou de coração partido porque eu ingressei na política pelo PSDB, construí toda a minha vida parlamentar no PSDB”, confessou Idemar a este portal, logo após assinar a ficha de filiação ao DEM e enviá-la para o Cartório Eleitoral de Tauá, onde tem domicílio eleitoral.

Idemar ingressou na vida parlamentar nas eleições de 1994, quando se elegeu, pela primeira vez, deputado estadual. Foi reeleito nas eleições de 1998 e 2002 e, em 2006, ficou como suplente, chegando a exercer o mandato. Em 2010, deverá ser candidato a deputado estadual.

DUARTE NO DEM – Outro tucano que deixou o PSDB foi o suplente de deputado estadual Paulo Duarte. Ele ingressou, também, no DEM, por onde, em 2010, concorrerá a uma vaga na Assembléia Legislativa. Duarte está hoje na condição de suplente de deputado estadual. Em 2008, Duarte foi derrotado na disputa pela Prefeitura de Limoeiro do Norte pelo atual prefeito João Dilmar (PRB). O resultado da eleição está sendo contestado na Justiça Eleitoral e Duarte ainda tem esperanças de assumir o comando político do município de Limoeiro do Norte.

Fonte: Portal Ceará Agora

TRE/CE cassa prefeitos de Santa Quitéria (Chagas Mesquita) e Jaguaruna (Antônio Roberto)

A Câmara de Vereadores de Santa Quitéria, no sertão central, aguarda uma comunicação oficial da Justiça Eleitoral para empossar o presidente da casa como novo prefeito do município.

José Francisco de Paiva vai assumir o cargo enquanto o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) não convoca novas eleições. Santa Quitéria está sem comando desde esta terça-feira (30), depois que o prefeito Chagas Mesquita foi cassado em segunda instância pelo TRE do Ceará.

Desde de então, Chagas Mesquita não aparece na cidade nem atende ao telefone celular, mas há informações de que ele vai recorrer da decisão.

Chagas Mesquita é o primeiro prefeito eleito em 2008 a ser cassado. O Ministério Público apresentou denúncia de que ele teria recorrido a compra de votos, nas vésperas das eleições municipais.

Jaguaruana – Já em Jaguaruana, nesta quarta-feira (30) o pleno do Tribunal Rerional Eleitoral também cassou o prefeito Antônio Roberto Silva, do PSDB. Beto, como é conhecido no município, é acusado de abuso do poder econômico.

Fonte: Diário do Nordeste

Greve cresce e atinge 6.449 agências. Fenaban e Comando negociam quinta

O Comando Nacional dos Bancários retomará as negociações com a Fenaban nesta quinta-feira, dia 1º de outubro, às 10h, em São Paulo. Os bancos decidiram procurar a representação dos trabalhadores no sexto dia da greve nacional da categoria, que cresceu novamente e paralisou 6.449 agências em todo o país, segundo levantamento Confederação Nacional dos Trabalhadores Financeiros (Contraf-CUT) com base nos dados dos sindicatos. O número representa um crescimento de 11% em relação às 5.786 agências fechadas na segunda-feira.

Nesta quarta-feira 30, haverá negociação com o Banco do Brasil, também em São Paulo, para prosseguir as negociações das questões específicas. Na quinta, 1º de outubro, às 15h, será a vez da Caixa Econômica Federal retomar o processo de negociações, também na capital paulista.

“A greve vem crescendo dia após dia em todo o país e foi essa pressão dos trabalhadores que fez com que os bancos nos procurassem para a retomada das negociações”, afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional. “Esperamos agora que a Fenaban traga propostas sérias e concretas que contemplem as justas reivindicações da categoria”, conclui.

Proposta rebaixada levou à greve

A última negociação aconteceu no dia 17 de setembro, quando os banqueiros apresentaram uma proposta rebaixada de 4,5% de reajuste para os trabalhadores, além de uma PLR menor do que a do ano passado. No dia 23, os bancários decidiram em assembléias em todo o país entrar em greve por tempo indeterminado.

No último sábado, o Comando Nacional, após reunião de avaliação da greve, encaminhou correspondência à Fenaban cobrando a retomada das negociações e reforçando as reivindicações da categoria. No documento, a representação dos bancários “reafirma que a proposta para atender às necessidades dos trabalhadores precisa contemplar aumento real de salário, melhoria da PLR, valorização dos pisos salariais, uma política de preservação dos empregos e mais contratações, melhores condições de saúde, segurança e trabalho, combate às metas abusivas e ao assédio moral, auxílio-educação e plano de previdência complementar para todos”.

Fonte: Contraf-CUT

Greve atinge mais de 500 agências bancárias na Bahia

A greve dos bancários continua na Bahia. Foi o que decidiu a maioria dos presentes na assembleia, realizada na terça-feira (29) no final da tarde no ginásio de esportes do sindicato da categoria. Segundo o presidente da entidade, Euclides Fagundes Neves, a paralisação atinge mais de 500 agências em todo o estado.

Nesta quarta-feira (30), representantes da Federação Nacional dos Bancários se reúnem com diretores do Banco do Brasil para discutir uma proposta . Na quinta-feira (1), o mesmo ocorre com a Caixa Econômica e com a Federação dos Bancos (Febraban). “Esperamos uma proposta melhor”, afirmou Neves. Segundo ele, uma nova assembleia está prevista para as 19h de quinta- feira, quandos os bancários decidem os rumos do movimento.

Fonte: Correio 24 Horas

No 7º dia de greve, 256 agências bancárias fecham em Curitiba e região

O número de agências bancárias fechadas em Curitiba e região em razão da greve dos trabalhadores subiu para 256 nesta quarta-feira (30), o que representa 57,6% das 444 unidades existentes, de acordo com levantamento balanço feito pelo sindicato dos bancários. No sétimo dia de paralisação, 12,8 mil trabalhadores estariam de braços cruzados na região da capital.

De acordo com o diretor de finanças do Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região, Antônio Luiz Fermino, a greve pode ser encerrada ainda na quinta-feira (1º), para quando está marcada uma reunião do comando nacional de greve com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Na capital paranaense, uma assembleia será realizada a partir das 17 horas para definir os rumos da paralisação.

A reunião entre as duas partes foi marcada na terça-feira (29), depois que os grevistas encaminharam à entidade patronal um documento em que relacionaram as principais reivindicações da categoria. Em nota, a Fenaban afirma que agendou a audiência “com o objetivo de retomar as negociações com as representações dos bancários”.

Segundo dados da entidade, como nos outros dias, além das agências, dez centros administrativos estão fechados em Curitiba e região, e as instituições mais afetadas são Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Itaú, Unibanco, Santander e Banco Real. Os bairros da capital em que há o maior número de agências fechadas seriam Juvevê, Portão, Centro Cívico, Hauer, Bacacheri, Mercês, Alto da XV, Água Verde e Batel. Já na região metropolitana, os municípios mais prejudicados são São José dos Pinhais, Pinhais, Araucária, Campo Largo, Colombo e Piraquara, de acordo com os trabalhadores.

Justiça suspende liminares

Na terça-feira, o Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região obteve uma decisão no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) que derrubou um interdito proibitório do Itaú Unibanco, concedido na sexta-feira (22). Desta forma, segundo a entidade, trabalhadores das agências da empresa voltaram a cruzar os braços logo no início do expediente.

Em Apucarana, no Norte do Paraná, a Justiça do Trabalho também suspendeu uma liminar de interdito proibitório, esta obtida pelo Bradesco, permitindo assim que os trabalhadores do banco entrassem em greve. Até então, a agência era a única da cidade que continuava funcionando plenamente – os funcionários eram mantidos no trabalho por conta da liminar obtida pelo banco, que alegava riscos ao seu patrimônio. Em seu despacho, o juiz Daniel José de Almeida Pereira argumentou que “não se deve utilizar o interdito proibitório com intuito de barrar o direito à greve”.

Em Curitiba, outras decisões judiciais permitem o funcionamento de agências do HSBC e do Bradesco.

Fonte: Portal Rpc

Negociação: Banco do Brasil aceita combater assédio moral e contratar três mil novos funcionários

Na retomada das negociações das questões específicas do Banco do Brasil realizadas nesta quarta-feira 30, no sétimo dia da greve nacional dos bancários, a empresa avançou em algumas reivindicações do funcionalismo: anunciou a contratação de três mil novos funcionários até 2010 e a criação de comitês de ética nos 27 Estados e no Distrito Federal com representação eleita pelos bancários, visando combater o assédio moral e “outros desvios comportamentais”.

O BB também propôs, na reunião realizada em São Paulo, manter o modelo de PLR em vigor e condicionou a discussão de outras reivindicações ao resultado da rodada de negociação que será realizada com a Fenaban nesta quinta-feira 1º de outubro. Nova rodada de conversação com o BB será mantida pelo Comando Nacional dos Bancários após a reunião com a Fenaban.

“Consideramos um avanço importante o banco aceitar essa antiga reivindicação do funcionalismo de que é preciso implementar uma política efetiva de combate ao assédio moral”, afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional. “Também é positivo o BB contratar mais funcionários para melhorar as condições de trabalho, mas achamos que os três mil são um número muito baixo. E esperamos que o banco avance nas propostas sobre PCCS, na valorização dos pisos salariais, no fim da lateralidade e na PLR dos bancários da Nossa Caixa.”

Lateralidade – O Comando Nacional insistiu na mesa de negociação com o fim da prática da lateralidade, cobrando que toda substituição seja remunerada. O BB disse que está estudando a possibilidade de o primeiro gestor também passar a ser substituído conforme o definido para as agências com até sete funcionários.

Isonomia  – Em relação à isonomia, o banco anunciou que está regularizando a situação dos funcionários pós-98 no que diz respeito ao acesso de recurso do Pavas (Programa de Atendimento a Vítimas de Assaltos e Sequestros), que deixa de ser de ressarcimento e passa a ser de antecipação de recurso.

Abono-assiduidade  – Os negociadores do BB afirmaram ao Comando Nacional que o banco está analisando a possibilidade de os dias de abono-assiduidade serem cumulativos e passíveis de venda para todos os funcionários.

“Mesmo com os avanços na mesa de negociação ainda temos muitos pontos que precisam de respostas da empresa, por isso precisamos continuar mobilizados e manter a paralisação enquanto o banco não der a sua resposta final”, diz Ronaldo Zeni, representante da Federação dos Bancários do Rio Grande do Sul na Comissão de Empresa dos Funcionários do BB.

Fonte: Contraf-CUT

Agências do Itaú, Bradesco e Unibanco abrem por força de interdito proibitório

Agências de três bancos abriram as portas na terça-feira (29) em Londrina, por força de um interdito, concedido pela Justiça. Itaú, Bradesco e Unibanco, atenderam aos clientes normalmente porque a Justiça impediu que os grevistas fizessem algum tipo de protesto em frente a essas agências. Por causa disso, o Sindicato dos Bancários de Londrina contabilizou 50 agências fechadas e 1,2 funcionários parados em greve da categoria. “É uma decisão judicial que impede que o sindicato faça manifestação na frente da agência. Por conta disso, o funcionário recebe pressão por parte do empregador e acaba indo trabalhar”, explicou o secretário do sindicato, Marcos Neves. Segundo ele, o sindicato já entrou com um recurso contra essa decisão.

De acordo com Neves, o Itaú e o Unibanco conseguiram o interdito na 7ª Vara Cível de Londrina. Já o Bradesco obteve um mandado de segurança em Curitiba.

Por enquanto, os bancários devem continuar a greve por tempo indeterminado, já que não há nenhuma proposta. Uma negociação com a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) está agendada para a manhã de quinta-feira (1º) em São Paulo. “Ainda não há proposta, mas foi marcada uma reunião de diálogo”, disse Neves.

As principais reivindicações são reajuste salarial de 10%, que seria reposição da inflação mais aumento real, participação nos lucros e resultados (PLR) de três salários mais R$ 3.850, auxílio refeição de R$ 19,25, cesta-alimentação, auxílio creche/babá e uma garantia da manutenção dos empregos. A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) ofereceu 4,5% de reajuste, uma PLR menor que do ano passado e não deu garantias sobre segurança no emprego, segundo o sindicato.

Fonte: Portal Rpc

Banco Bradesco é condenado a pagar dano moral coletivo

Nos meses de agosto e setembro deste ano as Varas do Trabalho dos municípios Alta Floresta e Colíder condenaram o Banco Bradesco S/A a pagar indenização por dano moral coletivo no valor total de 1 milhão de reais.

Os processos judiciais foram ajuizados pelo Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso, após investigação de denúncia de utilização de mão-de-obra de funcionários do setor administrativo do banco para o serviço de transporte de valores.

As denúncias foram comprovadas pelo MPT/MT. A prática ilegal vinha ocorrendo há vários anos. A continuidade dessa prática também vinha colocando em risco a vida dos funcionários por não ter habilidades técnicas para desenvolver o serviço de transporte de valores, cargo que exige, inclusive, curso de qualificação.

O Juiz do Trabalho Ivan José Tessaro, da Vara do Trabalho de Colíder acatou o pedido do MPT e condenou o banco a pagar a título de dano moral coletivo o valor de R$500 mil reais, além de multa de R$100 mil reais a cada transporte de valores que for feito por pessoa não habilitada.

A outra sentença foi proferida pela juíza do trabalho Tatiana de Oliveira Pitombo, do município de Alta Floresta que também condenou o banco ao pagamento do mesmo valor por dano moral coletivo mais a multa de cem mil reais se houver descumprimento da sentença. Nos dois casos, o banco ainda pode recorrer das decisões.

Fonte: Jornal Documento

Concursos anunciam 8.453 vagas de emprego para o Ceará

Na área municipal, a oferta é para as prefeituras de Caucaia (2.859), Farias Brito (204) e Fortaleza (1.264)

A safra está boa para quem quer colher uma oportunidade de entrar no serviço público e garantir sua estabilidade. Nada menos que 8.453 vagas estão abertas em concursos públicos no Ceará. Na área municipal, a oferta é para as prefeituras de Caucaia (2.859), Farias Brito (204) e Fortaleza (1.264). Já na área estadual, as vagas são para a Secretaria de Educação – Seduc (4 mil) e para a Superintendência Estadual do Meio Ambiente – Semace (122). Há também quatro vagas na área federal no concurso do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), todas estas para Fortaleza.

A remuneração para essas seleções chega a R$ 5.465, valor oferecido pela Prefeitura de Farias Brito para o cargo de médico. Do total de vagas abertas, 5.707 são para o cargo de professor, ou seja, bem mais do que a metade da oferta total no Estado. São em 375 oportunidades na prefeitura de Caucaia, 68 na de Farias Brito, 1.264 na de Fortaleza e 4 mil na rede estadual de ensino. A remuneração para os educadores atinge o valor de R$ 1.693,33. Vale destacar que alguns prazos para a inscrições desses concursos estão chegando ao fim. Em Caucaia, as inscrições ocorrem até hoje (30). Já em Fortaleza as inscrições prosseguem até a próxima quinta-feira (1/10). Os interessados nas vagas para professores da rede estadual têm até o próximo dia 4 de outubro para realizar a inscrição. Em Farias Brito é possível inscrever-se até o dia 14 de outubro.
Dos concursos destinados ao Ceará, apenas o da Semace e do Iphan ainda não abriram inscrições. As da Superintendência do Meio Ambiente que começarão a partir do dia 3 de outubro. O órgão, em seu primeiro concurso público para profissionais efetivos, abriu 122 vagas. Destas, 62 são para o cargo de fiscal ambiental, 51 para gestor ambiental (vagas essas que são distribuídas em diversas especialidades) e nove para procurador autárquico. Todos os cargos são para quem possui nível superior. A remuneração para todos eles é de R$ R$ 1.641,72 por uma carga horária de 40 horas semanais.
As inscrições para o concurso do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, que tem vagas para nível médio e superior, começam no próximo dia 5. Todas as quatro vagas para o Ceará são para atuar em Fortaleza. A remuneração chega a R$ 3257,22.

Serviço

> Prefeitura de Farias Brito

Clique aqui e confira edital.

Clique aqui para realizar a inscrição.

> Prefeitura de Fortaleza

Clique aqui e confira edital.

Clique aqui para realizar a inscrição.

> Prefeitura de Caucaia

Clique aqui e confira o edital.

Clique aqui para realizar a inscrição.

> Seduc

Clique aqui e confira edital.

Clique aqui para realizar a inscrição.

> Semace

Clique aqui e confira o edital.

> Iphan

Clique aqui e confira o edital.

Fonte: O Povo Online

Grande Fortaleza gera 33 mil vagas com carteira assinada

A Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) registrou, em agosto último, a abertura de 33 mil novas vagas com carteira assinada. A informação foi divulgada nesta quarta-feira pelo Sistema Nacional de Empregos/Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (Sine/IDT), conforme a Pesquisa de Emprego e Desemprego da Região Metropolitana. De julho para agosto, o número de desempregados passou de 12,3% a 11,7%

Segundo o coordenador do Sistema Nacional de Empregos (Sine) e Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), Ari Célio Mendes, o nível de emprego é positivo pelo quarto mês consecutivo em praticamente todos os segmentos.

Na Grande Fortaleza estão empregadas 1,52 milhão de pessoas, sendo que o setor que mais emprega é o de serviços, com 710 mil vagas, seguido do comércio (300 mil) e da indústria (271 mil).

Fonte: O Povo Online

Metrô do Cariri cearense será inaugurado em novembro

Foto: Internet
Foto: Internet

Enquanto as obras do Metrofor se arrastam há mais de uma década, o Metrô do Cariri já tem data para sua inauguração: dia 24 de novembro. Nessa data, o governador Cid Gomes inaugurará 13,6 quilômetros de extensão da linha e as nove estações do metrô que liga Juazeiro do Norte a Crato. A previsão é que o Metrô do Cariri tenha uma demanda inicial de cinco mil passageiros por dia.

O projeto contou com investimentos próprios do Estado, que somaram R$ 25,1 milhões. O percurso entre as duas cidades será feito em 28 minutos por veículos leves sobre trilhos (VLTs), que foram fabricados pela empresa Bom Sinal, do município de Barbalha, também no Cariri. Eles foram os primeiros trens de passageiros construídos na América Latina em 20 anos. O trem é formado por dois carros equipados com ar condicionado, com capacidade para transportar 330 passageiros e com velocidade de 60 km/h.

O Metrô do Cariri percorrerá as estações: Fátima, Juazeiro do Norte, São Pedro, Teatro, Antônio Vieira, São José, Muriti, Padre Cícero e Crato.

Novo modal – O presidente da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos, Rômulo Fortes, diz que o Metrô do Cariri tem todos os elementos para se tornar o vetor estruturante do transporte público urbano de passageiros na região do Cariri.

“O Metrô do Cariri foi concebido para ser integrado com os demais modais de transporte público de passageiros que permearão uma rede capilar nos demais bairros, principalmente nos municípios do Crato e Juazeiro”, diz.

Fonte: Diário do Nordeste

10% mais ricos detêm 43% da renda no Ceará

Apesar da melhoria de rendimento na base da pirâmide, os 10% mais ricos no Estado detinham 43,3 vezes a renda dos 10% mais pobres, em 2008. Em 2006, essa relação era de 61,5 vezes, conforme levantamento divulgado ontem pelo Laboratório de Estudos da Pobreza (LEP), do Curso de Pós-Graduação em Economia (Caen/UFC). Outro dado estarrecedor: os 10% mais ricos se apropriam de 43,90% da renda no Ceará, contra uma participação de 15,73% dos 50% mais pobres.

Flávio Ataliba, coordenador do trabalho, acrescenta que, no ano passado, os 50% mais pobres passaram a absorver 15,73% da renda familiar per capita média no Estado, contra 14,59% em 2006. “Isso é um indicativo do aumento mais que proporcional na renda das pessoas na base da pirâmide social em relação ao topo”, completa.

A melhoria na distribuição de renda, segundo ele, pode ser também constatado no fato de que os seis primeiros decis (faixas) aumentaram sua participação na renda total enquanto que os quatro últimos reduziram.

Outro ponto importante foi que os aumentos foram proporcionalmente maiores nos três primeiros decis de renda, no qual está a população que vive em situação de indigência.

A pobreza no Ceará, conforme o estudo, tem um perfil bem definido. Concentra-se no meio rural; entre mulheres; crianças de zero a 15 anos e com apenas 4,76 anos de estudo.

Cerca de 40,36% dos 10% mais pobres estão na zona rural do Estado, contra 30,89% na zona urbana e 28,75% na Região Metropolitana. “Houve aumento da população de pobres na área metropolitana em relação a 2006. Mas não se pode dizer que houve migração”.

Analisando os dados por gênero, as mulheres representam 53,38% dos 10% mais pobres, contra 46,62% dos homens. “Apesar deste dado, reduziu a participação das mulheres entre a proporção mais pobre, já que em 2006 era de 54,44%”.

Por faixa etária, a pobreza domina entre a população de zero a 15 anos, com participação de 47,64%. “Isto é uma bomba relógio porque você tem uma concentração dos 10% mais pobres entre uma camada da população que não gera renda, visto que não trabalha, ou não deveria trabalhar”, explica. O alento é que, em 2006, o contingente de crianças entre os 10% mais pobres era de 49,11%. A pesquisa mostra que os 10% mais pobres têm em média 4,76 anos de estudo. Os 10% mais ricos passaram 10,3 anos na escola.

RECUO DA DESIGUALDADE  – Programas do Governo não contribuíram

Os programas de transferência de renda do Governo Federal não contribuíram para a redução das desigualdades no Estado. De acordo com a pesquisa do LEP, entre os anos de 2006 e 2008, a renda proveniente do trabalho e da seguridade (social e privada) tiveram mais impacto na redução do Índice de Gini do que os programas sociais de transferência, como por exemplo, o Bolsa Família.

A renda do trabalho tem participação de 70,71% do rendimento familiar per capita médio no Estado (de R$ 352,55 em 2008). Nos últimos dois anos, sua contribuição para a redução da desigualdade foi de 1,23%. Já o ganho via seguridade era de 23,14%, contribuindo com 0,36% para a redução do Gini.

Já as transferências e aplicações representam 3,98% da renda familiar per capita média. Em 2008, contribuíram com apenas 0,02% para a queda da desigualdade cearense.

“O que está fazendo a desigualdade cair no Ceará é o mercado de trabalho. E a literatura econômica vem falando isso: que o Brasil está conseguindo reduzir a desigualdade não pelos programas de transferência de renda e sim pelo ganho real do salário mínimo”, resume Flávio Ataliba Barreto.

Para o economista, para reduzir as desigualdades, o investimento prioritário no Estado deve ser a educação.

Fonte: Diário do Nordeste

Ministro Celso Amorim se filia ao Partido dos Trabalhadores

SÃO PAULO – O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, se filiou ao PT. A informação foi anunciada no Twitter pelo presidente nacional do partido, deputado federal Ricardo Berzoini, na manhã desta quarta-feira, 30. O ministro era filiado ao PMDB.

Berzoini afirmou ao estadao.com.br que Amorim se filiou por ter “identidade com o partido”. “Ele já havia cogitado isso antes e decidiu fazer neste momento”, disse. “Temos grande satisfação em tê-lo como filiado.”

Segundo o deputado, Amorim disse que não se filiou em razão de um projeto eleitoral para 2010, mas “evidentemente não descarta pensar nisso no futuro”.

No PMDB, partido ao qual tinha se filiado por causa do ex-deputado Ulysses Guimarães, Amorim nunca teve militância partidária. Seu domicílio eleitoral é Teresópolis, no Rio de Janeiro.

Fonte: Agência Estado

IPI reduzido: é hoje só, amanhã não tem mais

RIO – Foram nove meses e 12 dias que mudaram o mercado. Após um período inicial de pânico e queda nas vendas de automóveis, reflexo da crise que abalou os mercados mundo afora, o governo federal mudou as regras de cobrança do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e o setor voltou a respirar. A melhor notícia foi que os preços realmente caíram e até hoje se mantêm em níveis aceitáveis – diferentemente de outros momentos em que a redução de taxas só serviu para engordar as margens de lucro dos fabricantes.

Mas quinta-feira é um novo dia e o imposto voltará de forma gradual. Carros com motor 1.0 (que estavam isentos) pagarão 1,5% de IPI em outubro, 3% em novembro e 5% em dezembro. As outras faixas de tributação seguirão o mesmo caminho, com reajustes a conta-gotas.

As alíquotas de IPI de automóveis

Enquanto a redução durou, os fabricantes aproveitaram o que puderam. A Chevrolet foi agressiva: um Vectra Expression, que com o imposto mais baixo passou a custar R$ 54.300 em janeiro, chegou a R$ 52 mil em setembro. A linha popular da marca também teve grandes descontos.

– Com a redução do IPI, a expectativa de todos os especialistas de mercado mudou. Até agora, os números apontam para um novo recorde histórico de vendas, que pode ultrapassar 300 mil unidades em setembro – diz Nilson Martinez, diretor de vendas da General Motors do Brasil.

Fiat pisou no freio e formou fila

A Fiat se apavorou com a crise e pisou no freio ao reduzir a produção entre o fim de 2008 e o começo de 2009. O resultado foram filas de espera por carros como Siena EL e Mille Economy. No fim das contas, o efeito psicológico da medida do IPI foi mais significativo do que a queda real de preços. E as vendas melhoraram ainda mais com a volta do crédito ao longo do ano.

Este ano vem sendo de recuperação, depois das perdas do último trimestre de 2008. Com a volta do crédito e a queda dos juros após uma grande elevação, as vendas no mercado interno cresceram 4% entre janeiro e agosto. É possível chegar a uma melhora de 6% no acumulado deste ano – afirma Cleodorvino Belini, presidente do Grupo Fiat na América Latina.

Outros fabricantes reduziram os preços de suas tabelas além do desconto do IPI e têm cobrado tais valores nas lojas. Antes da redução do imposto, a Peugeot pedia R$ 37.800 pelo 207 XR 1.4. Depois da mudança (a alíquota caiu de 11% para 5,5%), o modelo passou a custar R$ 35.700. Agora, o preço chegou a R$ 35 mil na linha 2009/2010. A explicação está na briga pelo mercado, e faz bem ao consumidor.

Depois da grande queda inicial dos preços em janeiro, a procura cresceu e alguns modelos tiveram uma pequena alta – mas não a ponto de superarem os valores de antes da redução de imposto.

Fonte: O Globo

Brasil se destaca em produtividade na agroindústria por 3 décadas

SÃO PAULO, 30 de setembro de 2009 – O estudo elaborado em conjunto pela Ernst & Young Brasil e FGV Projetos revela que o Brasil foi o único País, em relação aos seus principais concorrentes nos últimos anos, que viu a produtividade da agroindústria crescer na casa dos 2% ao ano nas últimas três décadas.

Para efeito de comparação, nos EUA esse índice foi de 0,8% e na China de 1,8%. Outro ponto notável é a participação que a agroindústria tem no PIB brasileiro. Em 2005 o PIB do agronegócio chegou a U$ 438 bilhões, ou seja, 23% da renda nacional. Nos EUA, por exemplo, essa fatia é de 16,7%.

Se nos países com melhor nível social a demanda por alimentos responde de forma mais moderada aos aumentos de renda, no Brasil ainda há estratos sociais que podem se beneficiar diretamente desse incremento. Estima-se que a renda média brasileira cresça 3,1% anualmente e o consumo global das famílias, 3,8% ao ano. Nesse mesmo cenário, a projeção é que o consumo de alimentos deve avançar 3,0% ao ano (2,5% para alimentos in natura e 3,1% para alimentos processados). Isso significa que, considerando o País e suas diversas faixas de renda, para cada 10% de acréscimo no PIB o consumo de alimentos deve se elevar em 7,5%.

Fonte: Jornal do Brasil

Governo propõe fim da exclusividade nos cartões de crédito, diz jornal

O governo federal deve anunciar nesta quarta-feira (30) um pacote de medidas para acabar com a exclusividade das operadores de cartão de crédito no País. Segundo informações do jornal Valor Econômico, devem ser apresentadas oito medidas, das quais cinco devem ter implantação imediata.

A mais importante delas, de acordo com o jornal, é a regra que acaba com a exclusividade da Redecard e da VisaNet, permitindo com que os lojistas trabalhem com todas as bandeiras de cartões sem ter de fechar um contrato de exclusividade com as duas companhias.

O governo também quer o fim da verticalização, acabando com a presença da VisaNet e da Redecard em todas as fases do processo. Atualmente, as companhias são responsáveis pelo cadastramento dos estabelecimentos, pelo processamento das transações, pelo aluguel dos terminais e pela compensação e liquidação das operações.

Outra proposta do governo prevê que os comerciantes aceitem todos os cartões em uma mesma “maquininha”, com a criação de uma rede compartilhada. O governo também propõe ao lojista a possibilidade de diferenciar o preço para o pagamento à vista nas transações.

Segundo o jornal, as operadoras terão o prazo de 18 meses para implantarem as mudanças.

Fonte: Ultimo Segundo

Greve é resultado da intransigência dos banqueiros, diz deputado federal

O deputado federal José Guimarães (PT-CE) pediu, nesta terça-feira (29), no plenário da Câmara dos Deputados, que os banqueiros abram um canal de diálogo com os funcionários para pôr fim à greve da categoria por melhorias nas condições de trabalho. De acordo com o parlamentar, a greve é prejudicial tanto para os bancos quanto para a sociedade, que fica sem a prestação de serviços financeiros, atividade indispensável para a vida econômica. A greve foi deflagrada em todo o País na última quinta-feira (24).

O parlamentar manifestou solidariedade aos trabalhadores e disse que é preciso que os dirigentes bancários estabeleçam o diálogo com a categoria imediatamente. “A greve, que somente no Ceará já atinge 4.600 trabalhadores, ocorre exatamente em razão da intransigência dos donos dos bancos, que não aceitam atender, no todo ou em parte, à reivindicação dos bancários. A pauta destes trabalhadores trata de questões fundamentais para toda a categoria”, defendeu Guimarães.

Guimarães lamentou que haja, entre os itens demandados pelos bancários, a busca por benefícios já assegurados em lei, como o direito à licença maternidade de seis meses.

Reivindicações – Entre as exigências contidas na pauta de reivindicações dos trabalhadores em greve está o reajuste salarial de 10%, aprovação do piso salarial de R$ 3.850, fim das metas abusivas e do assédio moral, plano de cargos, de carreira e salários (PCCS) em todos os bancos, garantia do emprego, fim das terceirizações, mais segurança nas agências e auxílio-educação para todos os funcionários.

Fonte: Contraf-CUT

HSBC abusa e usa helicópteros para furar a greve dos bancários em Curitiba

Desde o dia 24 de setembro, quando os bancários de Curitiba e região deflagraram greve nacional por tempo indeterminado, os moradores das proximidades do centro administrativo do HSBC no bairro Xaxim tiveram seu sossego extirpado.

Na tentativa de burlar a greve, o banco inglês alugou uma frota de táxi aéreo para transportar os trabalhadores de helicóptero para dentro das sedes e obrigá-los a trabalhar. O Sindicato – e até mesmo a imprensa paranaense – já recebeu diversas denúncias e reclamações de cidadãos que estão se sentindo incomodados com o barulho constante, que se inicia ainda de madrugada.

Bancários também denunciam a falta de respeito e o descaso do HSBC com seus funcionários, que faz os trabalhadores aguardarem por horas o “transporte alternativo”.

Ao contrário do que o banco tenta explicar, o Sindicato esclarece que esta não se trata de uma “boa ação” do HSBC, que está tentando ajudar os trabalhadores que não aderiram à greve. Na verdade, a contingência é uma prática antissindical, que coíbe intransigentemente o direito de greve e assedia os trabalhadores.

Os bancários, principalmente de bancos privados, sofrem coações e colocam seu emprego em risco, quando são chamados a participar desse tipo de prática e se negam. É por essa postura “sanguessuga” adotada pelas instituições financeiras que o Sindicato pede o apoio de toda a população na cobrança por mais respeito: cadê a responsabilidade social, banqueiros?

HSBC abusa e obtém interdito

O HSBC conseguiu, na 17ª Vara do Trabalho de Curitiba, um interdito proibitório coibindo a greve em suas agências e centros administrativos.

O Sindicato, que tomou conhecimento da decisão na segunda=feira (28), lamenta a postura do banco e irá, assim como em relação as demais decisões judiciais, recorrer por meio de sua Assessoria Jurídica. A determinação prevê multa diária de R$ 30 mil.

Fonte: Seeb Curitiba

Bancários no Ceará reforçam paralisação com almoço em frente ao Bradesco

A agência do Bradesco localizada no encontro das ruas Senador Alencar e Major Facundo, no centro de Fortaleza, foi ocupada na manhã de ontem 29 por manifestantes partidários da greve dos bancários apoiado pelo Sindicato dos Bancários do Ceará.

Banda de música, tambores, apitos, sistema de som, gritos de ordem, bandeiras e teatro foram recursos usados para inviabilizar o atendimento na agência que resistia à greve.

A gerência do banco já aguardava a manifestação. Os grevistas encontraram as portas abertas e a entrada giratória retirada. Os seguranças ficaram à distância e os clientes atônitos. Por volta de meio-dia, dezenas de quentinhas foram fornecidas dentro da agência para um “almoço social”, nas dependências do próprio banco, que reforçou a paralisação.

Segundo o presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo Bezerra, 32 sindicatos deram suporte à greve e o balanço do dia anterior registrava a interrupção dos trabalhos por 69 da categoria.

Com a ocupação da agência do Bradesco no Centro a greve da categoria segue em frente. Já os funcionários dos Correios, em estado de greve, farão reunião para retomar a paralisação.

Almoço social –  Por volta do meio-dia de ontem 29, quentinhas foram servidas dentro da agência do Bradesco no Centro de Fortaleza (encontro das ruas Senador Alencar e Major Facundo) para um almoço coletivo dos grevistas. O atendimento de clientes no local ficou inviável.

Fonte: O Povo

Greve dos Bancários cresce e atinge 6.449 agências. Fenaban e Comando negociam quinta

O Comando Nacional dos Bancários retomará as negociações com a Fenaban nesta quinta-feira, dia 1º de outubro, às 10h, em São Paulo. Os bancos decidiram procurar a representação dos trabalhadores no sexto dia da greve nacional da categoria, que cresceu novamente e paralisou 6.449 agências em todo o país, segundo levantamento Confederação Nacional dos Trabalhadores Financeiros (Contraf-CUT) com base nos dados dos sindicatos. O número representa um crescimento de 11% em relação às 5.786 agências fechadas na segunda-feira.

Nesta quarta-feira 30, haverá negociação com o Banco do Brasil, também em São Paulo, para prosseguir as negociações das questões específicas. Na quinta, 1º de outubro, às 15h, será a vez da Caixa Econômica Federal retomar o processo de negociações, também na capital paulista.

“A greve vem crescendo dia após dia em todo o país e foi essa pressão dos trabalhadores que fez com que os bancos nos procurassem para a retomada das negociações”, afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional. “Esperamos agora que a Fenaban traga propostas sérias e concretas que contemplem as justas reivindicações da categoria”, conclui.

Proposta rebaixada levou à greve

A última negociação aconteceu no dia 17 de setembro, quando os banqueiros apresentaram uma proposta rebaixada de 4,5% de reajuste para os trabalhadores, além de uma PLR menor do que a do ano passado. No dia 23, os bancários decidiram em assembléias em todo o país entrar em greve por tempo indeterminado.

No último sábado, o Comando Nacional, após reunião de avaliação da greve, encaminhou correspondência à Fenaban cobrando a retomada das negociações e reforçando as reivindicações da categoria. No documento, a representação dos bancários “reafirma que a proposta para atender às necessidades dos trabalhadores precisa contemplar aumento real de salário, melhoria da PLR, valorização dos pisos salariais, uma política de preservação dos empregos e mais contratações, melhores condições de saúde, segurança e trabalho, combate às metas abusivas e ao assédio moral, auxílio-educação e plano de previdência complementar para todos”.

Fonte: Contraf-CUT

Renda dos mais pobres no Ceará cresce 64,2%

A desigualdade no Ceará caiu 1,36% em 2008, na comparação com 2006, e quem contribuiu para essa queda foi a renda do trabalho. Segundo estudo do Caen, a renda dos 10% mais pobres do Estado cresceu 64,2% entre 2006 e 2008

Para 60% da população cearense a renda média familiar cresceu mais que a média do Estado – 16,9% em 2008 na comparação com 2006. A maior alta, de 64,26%, foi para os 10% mais pobres, cerca de 800 mil pessoas, cujo ganho médio passou de R$ 21,72 para R$ 35,68. No período analisado a renda média dos 10% mais ricos (R$ 1.548,27) equivalia 43,4 vezes à dos 10% mais pobres. Em 2006, a razão chegava a 61,6 vezes. Quem mais contribuiu para essa desconcentração de renda, ou redução da desigualdade, foi a renda advinda do trabalho com 90% do percentual total da queda geral da desigualdade que foi de 1,36%.

As conclusões são da pesquisa “Evidências sobre a Evolução da Renda e seus efeitos na queda da desigualdade”, baseada nos microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad 2008). Divulgado ontem pelo Laboratório de Estudos da Pobreza do Curso de Pós-graduação em Economia (Caen) da Universidade Federal do Ceará, o trabalho revela que apesar das melhorias de rendimento 50% da população, no ano passado, ainda vivia abaixo da linha da pobreza, onde estavam aqueles com renda de meio salário mínimo R$ 207,50 (considerando o salário de 2008).

A seguridade social (aposentadorias), com 26,32%, foi o segundo componente da renda familiar que mais contribuiu para a desconcentração. Os aluguéis/doações e transferências de renda e aplicações participaram negativamente com 15,6% e 1,12%, respectivamente.

Outros dados interessantes levantados na pesquisa são que 29,02% da população do Estado tem idade entre zero e 15 anos e 47,64% vivem entre os 10% mais pobres. “Esse é um dado preocupante”, comenta, o professor doutor em Economia e um dos autores da pesquisa, Flávio Ataliba. Adianta que também chama a atenção o crescimento de 93,54% das pessoas acima de 60 anos na faixa dos mais pobres. O estudo não permite dizer as razões nem se a desigualdade aumentou para esse grupo. Como correlação positiva cita o aumento da escolaridade verificado entre os que ganham mais.

Ataliba observa que a pesquisa mostra claramente que o que está permitindo o aumento de renda dos mais pobres não é o Bolsa Família mas a renda do trabalho, muito impactada pela valorização do salário mínimo. “É o mercado de trabalho que dá vigor à redução da pobreza”, comenta. Para o professor Carlos Manso, também autor do trabalho, é um resultado para ser festejado porque as pessoas estão saindo da miséria através do setor produtivo.

Os pesquisadores destacam, porém, que ainda não é possível afirmar que o aumento da renda deveu-se ao maior número de empregos. “Essa pesquisa será feita posteriormente”. Não é possível concluir também se foi motivado por uma política de governo federal ou estadual. O que se percebe é uma melhoria no mercado de trabalho nesta década por um conjunto de fatores como a universalização do ensino que gerou uma geração mais qualificada, com mais anos de estudo e que ganha mais.

Fonte: O Povo Online

TRE do Ceará cassa Chagas Mesquita, prefeito de Santa Quitéria

Chagas Mesquita (PSDB), prefeito de Santa Quitéria (a 222 quilômetros de Fortaleza), foi o primeiro prefeito, eleito em 2008, cassado em segunda instância pelo Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE).

A sentença foi definida ontem, por quatro votos contra dois, durante a sessão do TRE. A Prefeitura de Santa Quitéria, após a publicação da decisão da Corte, ficará sob os cuidados do presidente da Câmara Municipal, José Francisco de Paiva (PSDB). O TRE terá cerca de 20 a 40 dias para convocar novas eleições no Município.

Chagas Mesquita teve seu mandato cassado, em primeira instância, em maio deste. O Ministério Público, em Santa Quitéria, apresentou denúncia de que o prefeito teria recorrido a compra de votos, nas vésperas das eleições municipais do ano passado.

Um carro particular, com documentos de Chagas Mesquita, foi apreendido por uma blitz do TRE. Uma quantia, em espécie, de R$ 13.384 foi encontrada dentro do veículo. Havia também uma lista com nomes de eleitores e benesses que, supostamente, cada eleitor deveria receber em troca do voto.

Entre os “agrados”, havia dentaduras, pneus de bicicleta e botijões de gás, além de consultas médicas e obturações dentárias. Depois da decisão em primeira instância, houve recurso ao TRE, que, ontem, decidiu pela manutenção da cassação.

De acordo com o procurador regional eleitoral, Alessander Sales, o prefeito ainda pode recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas o procurador destaca que o recurso não terá efeito suspensivo – ou seja, ele terá de recorrer fora do cargo, a não ser que consiga liminar no TSE, o que Alessander avalia como improvável.

Fonte: O Povo Online

Bancários do Ceará mantêm greve por tempo indeterminado

Em assembléia realizada na noite desta terça-feira, dia 29/9, os bancários do Ceará deliberaram pela manutenção da greve por tempo indeterminado. A paralisação chegou ao sexto dia com 4.924 funcionários de bancos públicos e privados de braços cruzados, o que representa 63,74% dos bancários do Estado.

Houve crescimento na greve dos bancários do Ceará, pois das 447 agências bancárias no estado, 282 estão fechadas, o que representa 63,09% do total paralisadas e, ainda, estão 10 agências com funcionamento parcial.

Fonte: SEEB/CE

Bancários e Fenaban retomam negociações nesta quinta-feira

A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) anunciou nesta terça-feira( 29) que retomará as negociações com os representantes dos bancários, em greve desde o dia 24. A reunião está marcada para esta quinta-feira, às 10 horas, em São Paulo.

Segundo a Contraf (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), nesta quarta, haverá negociação com o Banco do Brasil, também em São Paulo, para negociar questões específicas.

Os bancários iniciaram nesta terça-feira o sexto dia de greve nacional e, segundo a Contraf, a adesão ao movimento cresce a cada dia. A greve atingiu ontem, segundo o sindicato, 5.786 agências –o balanço de hoje ainda não foi divulgado. A adesão é o dobro das 2.881 unidades paralisadas na última quinta-feira (24), primeiro dia da greve.

O bancários reivindicam 10% de reajuste do salário da categoria e garantia de emprego em caso de fusão. Os bancos ofereceram aumento de 4,5%.

Fonte: Jornale.com

//

Greve no Rio fecha 715 agências e mantém 18 mil bancários sem trabalhar

A greve dos bancários do município do Rio de Janeiro completa seis dias hoje (29), com 715 agências sem funcionar e 18 mil trabalhadores parados, segundo levantamento do Sindicato dos Bancários. O movimento registra crescente adesão, enquanto aguarda nova rodada de negociações com o patronato.
Amanhã (30), os funcionários do Banco do Brasil manterão negociações com a direção da Federação Nacional das Associações de Bancos (Fenaban), às 14h, em São Paulo. Na quinta -feira,1º de outubro, será a vez dos empregados da Caixa Econômica Federal sentar à mesa com os dirigentes da Fenaban, às 15h. Antes, porém, às 10h, o comando nacional da greve dos bancários terá reunião com a Fenaban, também em São Paulo.

Os bancários reivindicam reajuste salarial de 10% e Participação nos Lucros e Resultados (PLR) dos bancos de três salários mais um fixo de R$ 3.850. Os trabalhadores querem também um novo piso salarial de R$ 2.047, equivalente ao salário mínimo defendido pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos SócioEconômicos (Dieese), além de um Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS) e da contratação de mais funcionários para melhorar o atendimento ao público. Até agora, a Fenaban oferece aumento de 4,5%.

No final da tarde de hoje, os bancários realizam uma caminhada e um apitaço, saindo do Buraco do Lume, no centro do Rio. A manifestação começou às 17h e, segundo o sindicato, apesar da ameaça de chuva reúne cerca de 300 bancários.

Fonte: Portal Terra

Em Porto Alegre, Justiça nega interdito e impõe nova derrota ao Bradesco

Os banqueiros sofreram mais uma derrota na Justiça, agora em Porto Alegre. O pedido de interdito proibitório feito pelo Bradesco foi negado pelo juiz Rodrigo Trindade de Souza, da 2ª Vara do Trabalho.

Enquanto o banco solicitava a sua garantia de “direito à propriedade”, o despacho de 24 de setembro entendeu que a “perspectiva de atuação de promoção social da greve e
do sindicato não significa o impedimento do exercício do direito de propriedade da instituição financeira sobre suas agências. Mas, em paralelo, também não se pode admitir que esse exercício signifique limitação impeditiva ao igualmente legítimo direito que tem o sindicato de fazer-se presente nesses ambientes, de forma sempre
pacífica, para implementação de sua missão constitucional”.

O despacho afirma ainda que “a identificação do abuso ou regularidade no exercício do direito de greve deve sempre ser visto sob a ótica de não retirar dos trabalhadores o único instrumento que possuem para pressionar por melhores condições de trabalho. Para a exigência por melhores salários e condições laborais há uma
natural importância do sindicato, com a clareza de que sua atuação não deva se limitar à institucionalidade das negociações de gabinete”.

“Quanto a isso não há a menor dúvida, pois há muito se ambiciona a superação do peleguismo e o sindicato dos bancários do Rio Grande do Sul vem demonstrando comprometimento ativo na defesa da
categoria. (…) O sindicato é órgão de liderança, de atuação positiva, de pressão e de combate. Para que tenha atuação efetiva na conscientização dos funcionários, e mesmo da população em geral, não se pode exigir que fique distante das agências.”

“Desse modo, há licitude na atuação de pressão psicológica dos colegas, aglomeração humana, utilização de carros de som, colocação de faixas ou outros instrumentos parecidos que sirvam para a livre manutenção dos motivos da paralisação”.

Desde o início da greve dos bancários, por tempo indeterminado, iniciada na quinta-feira 24, o Bradesco, o Itaú Unibanco, o Santander Brasil, o HSBC, o Banrisul e o Banpará entraram com ações de interdito proibitório em vários estados.

Entretanto, os pedidos foram negados em várias cidades, tais como São Paulo (Itaú Unibanco), Rio de Janeiro (Bradesco, duas vezes, e Itaú Unibanco), Porto Alegre (Bradesco, Santander e Itaú Unibanco), Piracicaba (todos os bancos), Campina Grande (Bradesco) e Umuarama (HSBC), entre outras.

Fonte: Seeb Porto Alegre

Bancários de Sergipe fecham 65% das agências no sexto dia de greve nacional

No sexto dia de greve nacional dos bancários foram fechadas em Sergipe 111 agências – o equivalente a 65% do total. Porém, houve mudanças no Banco do Nordeste do Brasil, que ontem (28) havia fechado 100% das agências, voltou a abrir nesta terça-feira (29) a agência de Gararu.

Na Caixa, a agência de Maruim também resiste ao fechamento – são 20 fechadas até agora. Mas no Banco do Brasil o número de agências fechadas tem crescido a cada dia. Ontem foram fechadas 42 das 48 agências existentes no Estado. Hoje foram 44.

Fonte: Contraf/CUT

Campo Grande: Justiça concede liminar assegurando o direito à greve dos bancários do Bradesco

O Tribunal Regional do Trabalho de MS – 24ª Região – garantiu o direito à greve dos bancários do Bradesco. No dia 28, o juiz do trabalho, Carlos Roberto Cunha, concedeu uma liminar ao Sindicato dos Bancários de Campo Grande, assegurando o livre acesso dos dirigentes nas agências e o direito às manifestações dos bancários, de forma pacífica, em frente aos bancos. Na manhã do dia 29, os dirigentes se mobilizaram em frente ao Bradesco da rua Cândido Mariano (com a 13 de maio) e conseguiram o apoio dos bancários daquela agência, que decidiram aderir à greve. 

O juiz ainda determinou que se o banco tentar coagir os trabalhadores ou de alguma forma tentar impedir o livre exercício de direito à greve, deverá pagar uma multa de 100.000 reais diária, que será revertida para o Hospital Santa Casa.

O presidente do Sindicato, José A. Clementino Pereira, garante que a justiça tomou a decisão adequada para o movimento. “A greve é um direito dos trabalhadores, é protegida pelo direito constitucional, principalmente quando conduzida de maneira pacifica e responsável como temos realizado. Valeu e vale a pena defender os nossos direitos através da nossa justiça”, defende o presidente.

Fonte: SEEBCGMS

Greve atinge 53% das agências bancárias de Curitiba e Região Metropolitana

No sexto dia da greve nacional dos bancários, 233 agências e 10 centros administrativos estão fechados nesta terça-feira (29) em Curitiba e região metropolitana. O número corresponde a 52,9% das 444 agências. O Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região estima que mais de 12,3 mil bancários tenham aderido ao movimento grevista.

Em Curitiba, o anel central e os bairros Juvevê, Portão, Centro Cívico, Hauer, Bacacheri, Mercês, Alto da XV, Água Verde e Batel são os mais atingidos. Já na região metropolitana, São José dos Pinhais, Pinhais, Araucária, Campo Largo, Colombo e Piraquara estão com agências fechadas.

No tarde de hoje, bancários realizam um ato em frente à Caixa Econômica Federal, na Praça Carlos Gomes, no centro de Curitiba, substituindo a caminhada, que sairia da Praça Santos Andrade e foi cancelada em razão da chuva. A mobilização cobra uma melhor proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).

Na próxima quinta-feira (1), às 10h, acontece uma nova rodada de negociação com a Fenaban. O Comando Nacional, comissão de bancários com representantes de todo o país, estará reunida nesta quarta-feira (30) para definir as estratégias para a negociação com os patrões.

Reivindicações – A Fenaban oferece 4,5% de reajuste, cesta-alimentação no valor de R$ 285,21, auxílio creche de R$ 205, e uma PLR dividida em duas parcelas. A primeira seria equivalente a um salário e meio na faixa de até R$ 10 mil, mais 4% do lucro líquido de 2009. A outra seria de 1,5% do lucro líquido, distribuído, igualmente, entre os empregados, até R$ 1.500. Não houve menção à garantia de empregos.

Já a categoria pede reajuste salarial de 10%, participação nos lucros e resultados (PLR) de R$ 3.850 e mais três vezes o valor do salário, auxílio refeição de R$ 19,25, cesta-alimentação, auxílio creche e uma garantia da manutenção dos empregos.

Fonte: Paraná Online

Vigilantes manifestam solidariedade e apoio a greve nacional dos bancários

A Confederação Nacional dos Trabalhadores Vigilantes (CNTV) divulgou nota manifestando apoio integral à greve nacional dos bancários. O texto afirma que os vigilantes têm um “compromisso de solidariedade com a luta dos bancários”.

“Os vigilantes brasileiros, especialmente aqueles que atuam nas agências bancárias, também vitimas da violência que atinge a todos que convivem no ambientes de bancos e das condições de trabalho precárias, têm um compromisso de solidariedade com a luta dos bancários e, em todo país, estarão construindo todas as formas de apoio e colaboração para que esta luta seja vitoriosa como foram as nossas campanhas salariais do primeiro semestre deste ano, em sua grande maioria com o apoio, participação e solidariedade dos sindicatos e da categoria bancária”, afirma o presidente da CNTV, José Boaventura dos Santos.

Parceria  – Bancários e vigilantes vêm intensificando, desde o ano passado, ações de parceria para fortalecer as lutas das duas categorias. Entre estas ações, destaca-se a publicação conjunta, em julho, da primeira edição do Jornal dos Bancários e Vigilantes do Brasil, a respeito do tema segurança bancária (clique aqui para acessar).

Reivindicações de segurança – A demanda também está na pauta de reivindicações dos bancários e na mesa de negociações com a Fenaban. Veja os principais pontos:

– Manutenção da Comissão de Segurança Bancária entre bancários e Fenaban, com objetivo de elaborar de um plano com medidas específicas, objetivando prevenir assaltos e que visem a segurança e a integridade física e psicológica dos trabalhadores.

– Instalação nos estabelecimentos bancários de, pelo menos, os seguintes equipamentos de segurança:

a) porta de segurança com detector de metais, em todos os acessos, devendo estar fixadas antes do autoatendimento. Devem também ter vidros à prova de balas e recipientes para guarda de objetos em todas as unidades bancárias.

b) equipamentos de filmagem camuflados, com monitoramento fora das agências e postos, que possibilitem a identificação dos criminosos.
c) vidros laminados resistentes a impactos e a disparos de armas de fogo nas fachadas externas no nível térreo e nas divisórias internas das agências e nos postos no mesmo piso

– Proibição do transporte e guarda de quaisquer numerários, malotes e de chaves de acesso aos cofres, bem como a guarda de acionadores de alarme, por parte dos bancários, ficando esses serviços sob responsabilidade de empresas especializadas em segurança.

– As Agências serão abertas por empresas especializadas em segurança e aos empregados pelos vigilantes que estiverem em serviço.

– Nenhuma unidade bancária será inaugurada ou aberta para expediente ao público sem a implementação do plano de segurança aprovado pela Policia Federal.

– É vedada a utilização dos vigilantes em qualquer função que não seja a de garantir a segurança da unidade dos trabalhadores e de seus usuários.

– É obrigatória a manutenção de vigilante nas salas de autoatendimento, garantindo-lhe condições adequadas de segurança.

– O Banco emitirá Comunicado de Acidente de Trabalho (CAT) a todos os funcionários que presenciarem um assalto, consumado ou não, bem como aos vitimados por seqüestro, ainda que não consumado.

– Em caso de morte ou incapacidade permanente decorrente de assalto ou seqüestro, o banco deverá pagar ao bancário ou aos seus dependentes legais indenização de 100 salários mínimos do Dieese.

– Adicional de risco de vida no valor de 40% sobre o salário para todos os bancários que trabalhem em agências ou postos de atendimento.

Fonte: Contraf-CUT

Após pressão dos bancários, Caixa marca negociação para quinta, às 15h

A Caixa Econômica Federal procurou o Comando Nacional dos Bancários e agendou nova rodada da negociação específica para esta quinta-feira, dia 1º de outubro, às 15h, em São Paulo. O encontro acontece após a reunião entre bancários e Fenaban para discussão da pauta geral da categoria, que será também na quinta, às 10h.

A marcação da negciação ocorreu no sexto dia da greve nacional da categoria, que nesta segunda-feira paralisou 5.786 agências em todo o país. Até o momento, o processo de negociação entre a Caixa e os trabalhadores não apresentou avanços.

Fonte: Contraf-CUT

Greve dos Bancários força Fenaban a retomar negociação com Comando Nacional nesta quinta

A Fenaban entrou em contato com a Contraf-CUT nesta terça-feira, 29, e agendou uma nova rodada de negociação com o Comando Nacional dos Bancários para esta quinta-feira, dia 1º de outubro, às 10h, em São Paulo. A retomada do processo de negociação acontece no sexto dia da greve nacional dos bancários, que nesta segunda-feira atingiu 5.786 agências em todo o país, segundo levantamento da confederação com base nos dados dos sindicatos.

A última reunião aconteceu no dia 17 de setembro, quando os banqueiros apresentaram uma proposta rebaixada de 4,5% de reajuste para os trabalhadores, além de uma PLR menor do que a do ano passado.

No último sábado, o Comando Nacional, após reunião de avaliação da greve, encaminhou correspondência à Fenaban cobrando a retomada das negociações e reforçando as reivindicações da categoria. No documento enviado no sábado, a representação dos bancários “reafirma que a proposta para atender às necessidades dos trabalhadores precisa contemplar aumento real de salário, melhoria da PLR, valorização dos pisos salariais, uma política de preservação dos empregos e mais contratações, melhores condições de saúde, segurança e trabalho, combate às metas abusivas e ao assédio moral, auxílio-educação e plano de previdência complementar para todos”.

Fonte: FETEC/SP

Bradesco: banco completo de ameaças, pressões e concorrência desleal

Em sua publicidade, o Bradesco se autodenomina como o banco completo. Mas é no dia a dia que ele revela a sua real completude. A exemplo dos últimos anos, nesta Campanha Nacional dos Bancários, o banco volta a liderar o ranking de truculência e desrespeitos aos trabalhadores.

Práticas de uso indevido de interditos, de força policial, contingenciamentos e pressões das chefias, inclusive com assédio moral, têm se multiplicado nos diversos locais de trabalho do Bradesco de forma a coibir o direito legítimo dos trabalhadores, de irem à greve como forma de pressionar por avanços nas negociações.

Um exemplo da truculência ocorreu no início da manhã desta terça-feira (29), na agência Centro de Catanduva (SP), sob o comando dos gerentes Dario Gonzaga de Souza (administrativo), Valnei Sérgio Sachi (geral) e Charles Alves de Queiróz (Prime). “Os gerentes armaram um verdadeiro palco de pressões, impedindo os funcionários de sequer participarem da reunião matinal que, desde o início da greve, vem sendo realizada pelo sindicato. Em voz alta, ordenaram aos trabalhadores que entrassem, afirmando que a agência seria aberta de todo jeito. E, como se não bastasse, acionaram a Polícia Militar provocando um verdadeiro tumulto”, relata Roberto Carlos Vicentim, dirigente do Seeb/Catanduva.

Ao classificar a postura de terrorista, Vicentim também denuncia a concorrência desleal que o Bradesco adota para ganhar clientes de outros bancos. “Os gerentes estão convidando clientes de outras instituições a abrirem conta no Bradesco, com a alegação de que neste banco não acontece greve nem baderna, conforme termo usado por eles”.

Para o secretário geral da FETEC/CUT-SP, Pedro Sardi, essa forma de prospecção de clientes é uma concorrência duplamente desleal. “Trata-se de um verdadeiro abuso de poder com vistas ao domínio de mercado, o que fere os bons costumes e direitos econômicos dos concorrentes. Isso, sem contar a traição para com os trabalhadores que, em greve, só buscam melhores condições de salário e de trabalho”, denuncia Sardi.

Fonte: Fetec/SP

BB e Comando Nacional retomam negociação nesta quarta-feira (30)

Conforme deliberação tomada na reunião do último sábado 26, o Comando Nacional dos Bancários tem procurado a Fenaban, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal para retomar as negociações tanto da pauta nacional de reivindicações quanto das questões específicas. Em resposta à iniciativa do Comando, o Banco do Brasil confirmou para esta quarta-feira, dia 30, às 14h, uma nova rodada de negociações, em São Paulo, sobre os temas específicos.

Antes da negociação com o Banco do Brasil, a coordenação do Comando Nacional dos Bancários se reunirá, às 10h, na sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), em São Paulo.

A Fenaban, apesar de informar que está disposta a retomar as negociações, não marcou reunião e tampouco apresentou nova proposta. A greve continua forte em todo Brasil.

Fonte: Fetec/SP

Justiça barra abuso dos bancos e nega interdito proibitório em vários Estados

Muitos juízes estão negando a concessão do interdito por entenderem que esse instrumento jurídico é inadequado para os conflitos trabalhistas

Ao invés de negociar, a exemplo dos últimos anos os bancos estão abusando na utilização do interdito proibitório para impedir o direito legítimo de greve assegurado pela Constituição. Este ano, no entanto, muitos juízes estão negando a concessão do interdito por entenderem que esse instrumento jurídico é inadequado para os conflitos trabalhistas – tese defendida pela CUT e demais entidades sindicais.

“A doutrina se debruça muito com relação a isso, mas o fato é que o direito de greve implica na possibilidade legítima de impor prejuízos como forma de pressão. O interdito possessório, para se justificar, só teria sentido pela ameaça do direito de propriedade do banco autor. Contudo, o direito dos empregados de entrarem, aderirem à greve, ou não, não pode se tratado como um direito de propriedade”.

O despacho acima, assinado na sexta-feira 25 pelo juiz Marcel da Costa Roman Bispo, da 20ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, é uma das inúmeras decisões concedidas pela Justiça em vários Estados, negando pedido de interdito proibitório apresentado pelos bancos. Isso demonstra que uma parte considerável do Judiciário começa a perceber os abusos dos bancos e a questionar suas manobras jurídicas para impedir o direito constitucional de greve.

Entre as várias iniciativas que a Contraf-CUT vem adotando nos últimos anos para fazer frente à verdadeira indústria do interdito proibitório e ao abuso dos bancos, a entidade realizou no dia 24 de agosto, em parceira com o Sindicato de São Paulo e a Fetec SP, o Seminário “Interdito Proibitório x Direito de Greve”, que reuniu dirigentes sindicais de várias categorias, o presidente da OAB nacional e representantes do Tribunal Superior do Trabalho, Ministério Público do Trabalho e Anamatra, além de parlamentares. Eles foram unânimes em condenar o uso desse mecanismo jurídico contra as mobilizações dos trabalhadores, que é uma afronta ao direito de greve.

Desde o início da greve por tempo indeterminado deflagrada pelos bancários na quinta-feira 24, o Bradesco, o Itaú Unibanco, o Santander Brasil, o HSBC, o Banrisul e o Banpará entraram com ações de interdito proibitório em vários Estados. Entretanto, os pedidos foram negados em várias cidades, tais como São Paulo (Itaú Unibanco), Rio de Janeiro (Bradesco, duas vezes, e Itaú Unibanco), Porto Alegre (Bradesco, Santander e Itaú Unibanco), Piracicaba (todos os bancos), Campina Grande (Bradesco) e Umuarama (HSBC), entre outras.

Fonte: Contraf/CUT

Saiba porque a proposta feita pelos banqueiros é ruim

Aumento real de salários – 10% e os bancos oferecem 4,5%, que repõe apenas a inflação.

PLROs banqueiros querem reduzir o teto da PLR de 15% para 4% do lucro líquido, enquanto poucos executivos recebem bônus de milhões de reais. Exigimos três salários mais R$ 3.850 por bancário.

Garantia de empregoas fusões estão gerando insegurança nos bancários. Os altos lucros dos bancos brasileiros não dão espaço para demissões.

Fim das metas abusivas e do assédio moral – a pressão tem adoecido bancários e tornado o clima nos locais de trabalho insuportável.

Manutenção de todas as conquistas – Bancos tentam reduzir o período de pagamento do auxílio-creche/babá.

Auxílio-educação para todos os bancários – Bancos como o Bradesco ainda não atenderam à reivindicação, apesar de exigirem formação superior.

Fonte: SEEB/SP

Banco do Brasil marca negociação para esta quarta-feira, dia 30

Matéria do SEEB/SP

São Paulo – Desde o fim de semana, o Sindicato e o Comando Nacional dos Bancários vêm solicitando à federação dos bancos (Fenaban), ao Banco do Brasil e à Caixa Federal a retomada das negociações. A direção do BB foi a primeira a atender e marcou para quarta-feira 30, às 14h, uma nova rodada para tratar das questões específicas.

“Além das cláusulas econômicas que estão sob responsabilidade da Fenaban, os funcionários do BB têm uma série de problemas próprios que querem ver resolvidos e vamos tentar encontrar essas soluções nessa rodada de quarta-feira”, afirma o presidente do Sindicato, Luiz Cláudio Marcolino, ressaltando a questão da lateralidade e a necessidade de novas contratações para melhorar as condições de trabalho.

Principais reivindicações específicas do Banco do Brasil
Novo Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS),
com valorização dos pisos
Fim da lateralidade e volta do pagamento de substituições
Isonomia entre funcionários novos, antigos e adquiridos,
com a manutenção do maior benefício
Fim dos caixas flutuantes/itinerantes. Os caixas executivos devem
ser todos efetivos e devem pertencer ao quadro das agências
Fim do voto de Minerva na Previ
Fim do assédio moral

Luiza Erundina debaterá Democratização da Comunicação em Fortaleza

A deputada federal Luiza Erundina (PSB/SP) estará em Fortaleza no próximo dia 2. Aqui, ela participará do Seminário “Uma nova revolução: comunicação para todos”. Será a palestrante principal do evento, que abordará as políticas públicas para a democratização da comunicação e os preparativos para a Conferência Nacional de Comunicação, prevista para a acontecer nos dias 1º, 2 e 3 de dezembro deste ano, em Brasília.

Erundina é também membro da comissão oficial organizadora da Conferência Nacional e o seminário é uma parceria entre o PSB, a Universidade Federal do Ceará (UFC), a Rádio Universitária e a Comissão Estadual Pró-Conferência (CPC-CE), articulação que reúne diversos segmentos da sociedade civil.

Sergio Novais e Daniel Fonseca, integrante do coletivo Intervozes e da CPC-CE, serão debatedores do evento programado para as 15 horas, no auditório da Reitoria da UFC.

Luiza Erundina também participará da posse do novo diretório municipal do PSB, que será realizada no dia 3, às 9 horas, na Casa José de Alencar. O evento contará com a presença do governador Cid Gomes, que comanda o partido no Estado, e do presidente da Fundação João Mangabeira, Carlos Siqueira, além de militantes e lideranças partidárias.

Fonte: Blog do Eliomar de Lima

BNB empossa novo diretor nesta quarta-feira

O economista José Sydrião Alencar tomará posse nesta quarta-feira, durante solenidade marcada para as 17 horas, no gabinete da presidência do Banco do Nordeste do Brasil, no cargo de direitor de Desenvolvimento dessa Instituição. Sydrião foi nomeado para o lugar de Pedro Lapa, que acaba de ser requistado de volta para o Banco Central, onde é funcionário de carreira.

José Sydrião, funcionário de carreira do BNB, estava como superintendente do Escritório Técnico de Estudos Eonômicos do Nordeste (Etene) e agora parte para nova missão levando na bagagem o fato de conhecer bem os problemas da região.

Fonte: Blog do Eliomar de Lima

Fortaleza: portão internacional aéreo e marítimo da América do Sul

Ceará – Fortaleza está localizada estrategicamente logo abaixo da linha do Equador. É a rota mais curta do Brasil para Europa, Estados Unidos, Cone Sul e África, a apenas 6 horas e meia de voo, além de estar a meio caminho para se chegar a outros Estados brasileiros. Por tudo isso e muito mais, Fortaleza se credencia como portão internacional aéreo e marítimo da América do Sul para turismo, negócios e eventos.

O município de Fortaleza possui área de 336 Km2. Limita-se ao Norte com o oceano Atlântico, ao sul com os municípios de Pacatuba, Euzébio, Maracanaú e Itaitinga. Ao leste com o munícipio de Aquiraz e o Oceano Atlântico e a Oeste com o município de Caucaia . A altitude da sede de Fortaleza é de 15,49m em relação ao nível do mar.

Fonte: Diário de Canoas

PSB define hoje domicílio eleitoral de Ciro Gomes

BRASÍLIA – A cúpula do PSB reúne-se hoje em São Paulo para a filiação do vereador Gabriel Chalita (ex-PSDB) ao partido e deve tomar a decisão final sobre a permanência do domicílio eleitoral do deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) no Ceará ou transferência para São Paulo.

Esta é a última semana para a troca partidária do político que quiser disputar as eleições de 2010 por outra legenda. O PMDB de Goiás está na expectativa de receber o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles (atualmente sem filiação partidária). É também o prazo final para eventuais mudanças de domicílio eleitoral. Decidido a concorrer à Presidência da República, Ciro não pretende fazer a transferência, mas deixou a decisão para o PSB.

A mudança do domicílio para São Paulo daria a ele a possibilidade de disputar o governo do Estado – hipótese ainda não descartada por setores do PT, que não tem candidato competitivo ao cargo. ” Em princípio, ele fica no Ceará, mas discutiremos isso amanhã (hoje) em São Paulo ” , diz o secretário-geral do PSB, senador Renato Casagrande (ES).

Fonte: Agência Estado

Tribunal de Justiça de Alagoas manda prender oito deputados

MACEIÓ – Oito deputados integrantes da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Alagoas estão com prisão decretada pela Justiça, acusados de descumprimento de ordem judicial. As prisões foram determinadas na manhã desta terça-feira (29), pelo desembargador Orlando Manso, do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL).

Desde o início da manhã, equipes coordenadas pela Secretaria de Defesa Social realizam as buscas no Estado, mas até o momento, nenhum deputado foi encontrado.Os integrantes da Mesa Diretora são acusados em manter no cargo o deputado estadual Cícero Ferro (PMN), apesar de a Justiça Estadual ter determinado o afastamento do parlamentar. Ferro é acusado de mandar matar o vereador Fernando Aldo, mas nega qualquer envolvimento com o crime, ocorrido em outubro de 2006. O deputado é acusado também de porte ilegal de arma e de participação no golpe que desvio mais de R$ 300 milhões dos cofres do legislativo alagoanos.

No caso Fernando Aldo, os deputados lançaram a prerrogativa para arquivar o processo e descumpriram a ordem alegando que o desembargador “não escutou as contra-razões do Legislativo”. Já com relação à prisão por porte ilegal de arma, os parlamentares denunciaram Ferro na Comissão de Ética da Casa por ter lançado palavras ofensivas a presidente do TJ, desembargadora Elisabeth Carvalho. O paliativo foi uma estratégia usada pela Mesa para não afastar Ferro.

De acordo com a decisão de Manso, foram determinadas a prisão do presidente da Mesa Diretora da Assembleia, Fernando Toledo (PSDB); do vice-presidente, Alberto Sextafeira (PSB); do 2º vice-presidente, Sérgio Toledo (PMN); do 3º vice-presidente, José Pedro (PMN); do 1º secretário, Jota Cavalcante (PDT); do 2º secretário, Marcelo Victor (PTB); do 3º secretário, Carlos Cavalcante (PT do B); e do 4º secretário, Ricardo Nezinho (PTdoB).

A assessoria do deputado Sérgio Toledo informou à imprensa que o parlamentar já foi comunicado da ordem de prisão, mas só iria se pronunciar a respeito da sua prisão após retornar de uma viagem a Bahia. Os demais integrantes da Mesa também não foram localizados para comentar a decisão do desembargador Orlando Manso. A questão deve ser o principal assunto da sessão do legislativo, marcado para começar às 15 horas desta terça-feira.

Fonte: Agência Estado

Advogado do Banco Real tenta abrir agência com interdito de 2008 em Porto Alegre

Os bancários em greve viveram na tarde de segunda-feira, dia 28, uma situação insólita em Porto Alegre. Um advogado contratado pelo Banco Real esteve na agência localizada na rua 24 de Outubro nº 382, no bairro Moinhos de Vento, fechada em razão da paralisação, e tentou reabrir o local apresentando, na maior “cara de pau”, um interdito proibitório expedido em 23 de setembro de 2008.

O advogado do banco chegou aos diretores do SindBancários presentes no local, Natalina Gué, Marcelo Paladin e José Orlando Ribeiro, reivindicando o direito de ir e vir. Logo em seguida chamou policiais militares para interceder em seu desejo de abrir o banco.

Ao chegarem ao Real, os policiais verificaram o documento e afirmaram que em nenhum momento os dirigentes sindicais estavam ferindo o direito de ir e vir dos clientes. “A argumentação do advogado não foi suficiente para convencer os policiais a abrirem a agência”, afirmou Orlando.

“O advogado tentou aplicar um golpe. O Real é o único banco que iniciou nesta segunda a venda de ações do Santander. Como único credenciado para tal serviço no Estado, o advogado buscou um instrumento jurídico do passado”, acrescentou o dirigente.

Os policiais foram embora e agência permaneceu fechada.

Fonte: Seeb Porto Alegre

PEC dos Cartórios: Trem da alegria ou justiça social?

A Câmara dos Deputados deve votar hoje à tarde a proposta de emenda constitucional (PEC) que efetiva titulares de cartórios sem concurso público. Polêmica, a PEC 471 tramita desde 2005 e está sendo chamada de “o novo trem da alegria”.

A exigência de concurso público para o preenchimento dos cargos de cartorários veio com a Constituição Federal de 1988, mas só foi regulamentada seis anos depois, em 1994. A PEC 471 permite que aquelas pessoas que eram titulares de cartórios durante esses seis anos e que ainda hoje estejam na função possam ser efetivadas sem passar por concurso.

Em Santa Catarina, dos 574 cartórios metade ainda é administrada pelos chamados designados ou interinos, pessoas que receberam o cargo pelas mãos de familiares ou de padrinhos políticos. Se a PEC for aprovada, cerca de 100 cartórios que foram declarados “vagos” devem ser retirados da lista do concurso que está em andamento no Tribunal de Justiça.

O Supremo Tribunal Federal, o Conselho Nacional de Justiça, a Ordem dos Advogados do Brasil e o Ministério Público já se manifestaram contra a aprovação da PEC.

A Associação dos Titulares de Cartórios de SC publicou, no final de semana, nota de repúdio à emenda constitucional.

Nos bastidores da Câmara Federal, as informações são de que deputados da bancada catarinense demonstram interesse na aprovação da proposta. Só no ano passado, três deputados – Celso Maldaner (PMDB), Mauro Mariani (PMDB) e Djalma Berger (PSB) – pediram que a proposta fosse votada.

Parlamentares catarinenses pedem pela apreciação

Este ano, o mesmo procedimento foi feito pelo deputado Décio Lima (PT) e Acélio Casagrande (PMDB). Para ser aprovada, a proposta precisa de 308 votos favoráveis. O relator na comissão especial, deputado João Matos (PMDB), em entrevista por telefone, defendeu seu parecer favorável à PEC.

– Eu não embarcaria em um trem da alegria. Tenho convicção de que estou dando um parecer que pratica justiça. Isso foi uma baita omissão do Estado brasileiro. O Estado é que falhou em cima de 2 mil pessoas, deixou essa brecha entre 1988 e 1994 – afirmou o peemedebista.

O presidente da entidade que defende que a Câmara dos Deputados decida pela aprovação da PEC 471, a Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg), Rogério Portugal Bacellar Filho, disse que a medida não trata da efetivação de oportunistas.

– É preciso olhar com carinho a situação das pessoas que estão há 20, 30 anos na interinidade por culpa do poder público, que foi omisso e não realizou os concursos nos prazos determinados – disse Rogério Bacelar.

Fonte: Clic Rbs

Shoppings do Ceará abrem 4 mil vagas para empregos temporários

Fortaleza/São Paulo –  Com o tradicional aumento no fluxo de pessoas e nas vendas de fim de ano, os shoppings do Ceará, já prevêem a abertura de 3 mil a 4 mil vagas temporárias para diversas funções. Dentre as funções a serem ofertadas estão as de vendedor, empacotador, estoquista, operador de caixa, atendente de crédito, segurança, encarregado de limpeza e, logicamente, pessoas dispostas a se vestirem de Papai Noel.

“As grandes lojas-âncora e a administração dos shoppings já estão começando a receber currículos dos interessados”, informa o presidente da Associação Cearense de Lojistas de Shopping Centers (Alshop/CE), Abílio do Carmo, lembrando que a estimativa é que cerca de 10% desses empregados temporários devem ser efetivados no corpo de funcionários ao fim do período de festas.

Atualmente, existem 22 shoppings em atividade no Estado, gerando em torno de 10 mil empregos diretos.

No Brasil –  No País, a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) estima a abertura de aproximadamente 130 mil postos de trabalho para reforçar o quadro de funcionários devido ao aumento na demanda no Natal e Ano Novo. Se a projeção se confirmar, haverá um crescimento de 30% na comparação com igual período do ano anterior.

A expectativa divulgada ontem pela Alshop abrange lojistas associados à entidade, o que inclui aqueles que atuam também fora dos shoppings.

Além do otimismo dos lojistas, em parte pela melhoria nas condições de crédito, 26 shoppings devem ser inaugurados até o fim deste ano no País e pelo menos outros 29 centros comerciais, segundo a entidade, passaram por expansões e cresceram, em média, 30% em área e número de lojas. Os candidatos às vagas devem seguir a orientação das lojas para levar o currículo pessoalmente, enviar por e-mail ou fazer o cadastramento na página da empresa na internet. Alguns shoppings mantêm sites com vagas de emprego. Vale ir ao Sine/IDT.

Fonte: Diário do Nordeste

Brasil lidera retomada econômica da América Latina, diz Bird

A América Latina deve ver um crescimento de 3 por cento em 2010, avaliou uma autoridade do Banco Mundial (Bird), segundo informou a agência de notícias Reuters. O líder deve crescimento é o Brasil.

Augusto de la Torre, economista-chefe da entidade para a América Latina e o Caribe, afirmou na segunda-feira, 28, que neste ano a economia da região deve encolher cerca de 2 por cento.

“(Mas) há uma crescente visão de que o pior da crise acabou”, disse. Ele acrescentou estar claro que o Brasil e outros países com fortes laços com os mercados chinês e outros asiáticos já saíram da recessão.

Já o México e outros países da América Central que dependem mais dos Estados Unidos demorarão mais para se recuperar, acrescentou de la Torre.

Embora a região tenha se saído relativamente bem durante a crise do último ano, de la Torre ressaltou que a forte queda da atividade econômica ainda está mostrando seus efeitos. Entre eles, o aumento de em torno de 10 milhões de pessoas entre os pobres da América Latina.

Fonte: O Povo Online

Bancários e Fenaban reabrem diálogo

Através de ofícios enviados entre si, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e o Comando Nacional dos Bancários concordaram em retomar as negociações para chegarem a um acordo que ponha fim à greve da categoria, movimento que chega hoje ao sexto dia. No último sábado, a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) enviou ofício à Fenaban pedindo a reabertura do diálogo.

Ontem, o diretor geral da federação, Wilson Roberto Levorato, e o superintendente de relações do trabalho, Magnus Ribas Apostólico, entregaram documento afirmando que a entidade cuidará de marcar data, hora e local “para que as representações de bancos e bancários trabalhem no sentido de firmar novo instrumento normativo que regule as relações de trabalho neste importante setor da economia brasileira”.

Segundo Marcos Lenharo, diretor do Sindicato dos Bancários em Bauru (filiado à Conlutas), a categoria aguarda a nova rodada de negociação com ansiedade. “Ainda não sabemos qual será o conteúdo dessa nova proposta que nos será apresentada, mas esperamos que seja suficiente para satisfazer os anseios dos trabalhadores”, comenta.

Na pauta de reivindicações, os bancários reafirmaram a exigência de 30% de reajuste salarial (referente à inflação do último ano, mais reposição das perdas salariais desde 1994) e participação nos lucros e resultados (PLR) de 25% do lucro líquido dos bancos, distribuída de forma linear a todos os trabalhadores, além de parcela adicional. Além disso, a categoria também solicita contratação de mais funcionários e preservação dos empregos em casos de fusões, melhores condições de trabalho e combate a metas abusivas, entre outros itens.

“Oferta medíocre”

Até o momento, os bancos ofereceram reajuste de 4,5% nos vencimentos e participação nos lucros de 4%, acrescida de um valor fixo de R$ 1.500,00. Após cinco rodadas de negociação, a proposta foi apresentada no último dia 17 pela Fenaban na tentativa de firmar a Convenção Coletiva de Trabalho 2009/2010, mas foi rejeitada pelos trabalhadores.

Para Lenharo, a oferta é considerada “medíocre”. “Há um descontentamento muito grande por parte dos trabalhadores. É inconcebível os banqueiros e um governo que administra bancos federais, que tiveram enorme crescimento patrimonial nos últimos anos, manterem essa postura intransigente”, critica.

Enquanto as partes não chegam a um consenso, o movimento grevista continua se fortalecendo na região e em todo o País. De acordo com informações do sindicato em Bauru, 940 dos 1.030 funcionários continuam com os braços cruzados na cidade e 33 das 48 agências bancárias estão fechadas.

Na região abrangida pela base sindical de Bauru, a paralisação se estende aos municípios de Santa Cruz do Rio Pardo, Avaré, Lençóis Paulista, Agudos, Fartura e Piraju, onde as instituições bancárias funcionam parcialmente. “O movimento aumentou muito nos últimos dias e não há como encerrar a greve sem que uma proposta decente seja apresentada”, observa o diretor do sindicato. No Brasil, estima-se que 5 mil bancos estejam com o funcionamento suspenso.

Antes da retomada das negociações com os bancos, no entanto, os bancários de Bauru se reúnem novamente hoje, a partir das 17h, na sede do sindicato, para avaliar a mobilização da categoria e discutir as ações de continuidade do movimento.

Fonte: Jornal da Cidade de Bauru

Os bancos, esses sim, abusam!

Os bancos representam o setor que mais lucra no país. Apenas no primeiro semestre deste ano, os banqueiros levaram dos bolsos do cidadão cerca de R$ 20 bilhões. Este mesmo setor, que tem altos lucros, abusa tanto de seus funcionários quanto de seus clientes, impondo juros abusivos. E o senhor Sérgio Peixoto Mendes, em seu artigo publicado neste mesmo jornal ontem, ainda pergunta: “O que nós, como cidadãos e correntistas, temos a ver com a briga entre os banqueiros e os bancários? Por que toda a sociedade tem que pagar o preço de uma briga particular, muitas vezes restrita aos interesses abusivos de algumas classes minoritárias?”

Em primeiro lugar, esta briga está longe de ser “particular”. Ela é uma briga de uma classe que representa 420 mil trabalhadores em todo o país. Os bancos abusam dos bancários impondo uma rotina de trabalho extenuante, baseada no cumprimento de metas inatingíveis. Os trabalhadores são obrigados a empurrar produtos nos clientes e em sua própria família, e quando não atingem as metas sofrem assédio moral ou são demitidos. Além disso, os bancários sofrem com a rotina de insegurança nas agências. São vítimas de assaltos, sequestros e outros tipos de violência. Além disso, as fusões entre os bancos contribuíram para aumentar ainda mais as fileiras de desempregados do país. Só este ano, foram 15.500 demissões e apenas 13 mil novas contratações. Repetimos: os bancos, esses sim, abusam!

E mais: muito mais do que uma briga particular e de uma briga entre trabalhadores e patrões, é uma briga que diz respeito a toda a sociedade. Afinal, quem mais sofre com o abuso dos bancos são os clientes, que enfrentam filas intermináveis e pagam juros altíssimos. Os bancários não reivindicam apenas aumento salarial. A campanha nacional exige mais contratação de bancários, mais segurança para trabalhadores e clientes e diminuição das tarifas. Os bancos abusam não só dos seus funcionários, mas também de seus clientes. Portanto, o que tem de particular nessa briga?

Além disso, é bom esclarecer que este ano os grevistas optaram por não fechar o autoatendimento. Ou seja, os trabalhadores estão em greve, mas os caixas eletrônicos funcionam. Para retirar dinheiro, é só ir lá. E para pagar as contas através de boleto, também. Além disso, existem as lotéricas que também prestam este serviço. Portanto, mais um infeliz equívoco do senhor Sérgio.

O que os bancários menos querem é prejudicar a população. O senhor Sérgio acertou quando disse que a greve é um direito constitucional. Os bancários iniciaram uma greve nacional na quinta-feira, 24 de setembro, porque não tiveram avanços nas negociações com os banqueiros.  Após cinco rodadas de negociação. A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) apresentou uma proposta de reajuste de 4,5%; o que representa apenas a inflação acumulada até a data-base da categoria. Além disso, a proposta de PLR (Participação nos Lucros e Resultados), este ano, é pior que a do ano passado. Isso, sim, é um abuso!

Por isso, a única maneira de se garantir direitos é a mobilização. É cruzar os braços e pressionar. Não se trata de chantagem, como mencionou o filósofo em seu artigo, e sim de pressão, de luta. Historicamente, os trabalhadores só conquistaram direitos com muita luta. E uma luta que diz respeito a toda a sociedade brasileira. Os bancos abusam dos bancários e dos clientes. E a solução para o impasse está nas mãos dos banqueiros, daqueles que sugam os trabalhadores e os clientes. Assim que apresentarem uma proposta decente aos bancários, a greve termina. É contra estes “abusos” que devemos nos revoltar, e não contra os trabalhadores que querem apenas garantir uma vida melhor a toda a sociedade.

Coordenação do Sind. dos Bancários de Santa Cruz do Sul e Região

Fonte: Gazeta do Sul