Alexandre Kalil é eleito em BH e confirma vexame de Aécio Neves

cms-image-000517795-678x381

Por Gabriela Terenzi

O ex-presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil (PHS), será o novo prefeito de Belo Horizonte. Neste domingo, ele recebeu 52,98% dos votos válidos na capital mineira. O segundo colocado, João Leite (PSDB), ficou com 47,02% dos votos.

O resultado é uma derrota para o senador Aécio Neves (PSDB), padrinho político de Leite – a terceira do senador em sua terra natal. Aécio perdeu em Minas Gerais a disputa para Presidência da República em 2014, ano em que viu seu candidato ao governo, Pimenta da Veiga, ser derrotado pelo petista Fernando Pimentel. O fiasco em mais esta campanha pode enfraquecer sua nomeação como candidato tucano à Presidência da República em 2018. Enquanto isso, seu principal oponente nessa disputa, o governador Geraldo Alckmin (PSDB), fez de seu afilhado, o empresário João Doria, o primeiro prefeito eleito em primeiro turno em São Paulo.

O “outsider político” Kalil chegou até aqui em grande medida pela fama que conquistou como cartola. Sua figura era tão conhecida na capital mineira que nem os míseros 20 segundos de que dispunha no horário eleitoral e a ausência de um padrinho político o impediram de alcançar o segundo turno.

Kalil sucederá Márcio Lacerda (PSB), que conclui seu segundo mandato com 32% de aprovação dos belo-horizontinos, segundo pesquisa IBOPE. O atual prefeito declarou apoio a João Leite no segundo turno.

A coligação de Kalil era formada por PHS, Rede (partido de seu vice, Paulo Lamac) e PV.

Trajetória

Kalil, 57, foi presidente do Clube Atlético Mineiro entre 2008 e 2014. Nesse período, viu o time passar ao “andar de cima” do futebol brasileiro, com a conquista da Libertadores, em 2013, e da Copa do Brasil, em 2014.

Mas também colecionou inimigos com declarações nada lisonjeiras a times rivais (“[Ser cruzeirense] é igual a ser aleijado. Coitado, não tem culpa, nasceu!”), juízes (chamou de “babaca” um magistrado federal que bloqueou as contas do Galo) e a TV Globo (“A Globo está fragilizada porque a audiência está indo para o c…”), entre outros.]

Antes de assumir a presidência do clube, Kalil trabalhava na Erkal Engenharia, empreiteira que herdou do pai. A empresa teve falência decretada pela Justiça a uma semana antes do primeiro turno, mas foi suspensa.

A Erkal e Kalil também são processados por questões trabalhistas e previdenciárias. Além disso, Kalil tinha dívida de 100 mil reais de IPTU em 2016 —segundo a campanha, também acertada. Esses fatos foram largamente explorados na reta final da campanha pelo adversário João Leite.

A pressão acabou levando o ex-cartola a se atrapalhar ao dar uma resposta em um debate eleitoral: “Roubo, mas não pago propina”, disse, acrescentando que Leite teria recebido dinheiro de Furnas (fato não comprovado).

Campanha

O mote da campanha de Kalil foi o fato de ele não ser um político e não contar com o apoio de nenhum cacique do Estado. Isso deixou o candidato do PHS muito à vontade para criticar todos, inclusive o atual prefeito, Marcio Lacerda, que amarga baixa popularidade no final de seu mandato. O mesmo não pôde fazer João Leite, já que tanto ele quanto Lacerda são ligados a Aécio.

O ex-cartola agregou, assim, também os votos petistas e anti-Aécio na cidade – até de alguns cruzeirenses.

O candidato esteve atrás de Leite nas pesquisas de intenção de voto por quase todo o período eleitoral. No primeiro turno, sua campanha se baseou praticamente na sua taxa de conhecimento e nas redes sociais, já que ele contava com apenas 20 segundos de propaganda em rádio e TV.

Nos debates, porém, já se evidenciava o discurso antipolítico e a tentativa de passar a imagem de “homem do povo”. Em um deles, para justificar sua dívida de IPTU, Kalil afirmou: “Eu não sou deputado, sou igual a você que está aí, que é pobre, sofre, tem que pagar conta (…) Se eu devo é porque eu tô apertado”. O patrimônio declarado à Justiça Eleitoral pelo ex-cartola é de 2,8 milhões de reais.

As ambiguidades do candidato do PHS eram inegáveis. Buscou passar a imagem de um bom gestor com uma empresa que não está bem das pernas. Durante seus mandatos, as receitas do Galo cresceram, mas as dívidas duplicaram. É um candidato antipolítico, mas financiou campanhas de políticos tradicionais no passado. Entretanto, o fato é que, em BH, a ideia, aparentemente, colou.

O jogo virou há dez dias, quando o IBOPE passou a apontar a vantagem numérica de Kalil. A partir daí, a campanha tucana partiu para o ataque e Kalil rebateu, baixando o nível do debate em Belo Horizonte a níveis jamais vistos, com gritaria e troca de acusações. A discussão sobre a cidade ficou em segundo plano.

(Veja Online)

Rio de Janeiro é maior conquista do projeto de poder da Universal

Por Kennedy Alencar, Blog do Kennedy

marcelo-crivella-prb-faz-discurs-1-800x445

A eleição de Marcelo Crivella para prefeito do Rio de Janeiro é uma vitória do projeto de poder da Igreja Universal do Reino de Deus. A Igreja Universal foi a maior força criadora do PRB, o partido de Crivella, e nunca escondeu que desejava ocupar espaços na política.

No Congresso, já existe uma influente e significativa bancada evangélica. A eleição no Rio é a mais relevante conquista do PRB em seus 13 anos de existência. Será o posto executivo mais poderoso já ocupado por um bispo da Universal e senador do PRB.

É um exemplo de que vem no crescendo no Brasil a mistura da religião com a política. No segundo turno, Crivella recorreu a discurso com forte pregação religiosa e priorizou temas morais a fim de derrotar o PSOL de Marcelo Freixo.

Após a vitória, Crivella fez um discurso contemporizador, dizendo que não cairia “na praga maldita da vingança”. Falou em “olhar pra frente”. Agradeceu o apoio de setores da Igreja Católica, de outras religiões e até de ateus.

No Rio, os votos nulos e brancos mais a abstenção atingiram um número superior aos dos votos em Crivella. Acabou fracassando a campanha do PSOL contra o voto nulo e as abstenções.

Esquerdas só voltam ao poder se construírem um projeto único

Por Eduardo Guimarães, Blog da Cidadania

esquerda2

Tive um debate meio longo por Whats App com uma importantíssima liderança do PSOL.  A conversa se deu por conta de comentário que fiz à minha lista naquela rede social. O texto curto gerou polêmica naquele grupo em virtude de conter críticas à esquerda em geral, culpando-a pela queda de Dilma e pela ressureição de uma direita que todos julgavam morta.

Porém, o que tenho a dizer sobre esse debate ficará para o fim do texto. Antes, vale fazermos algumas reflexões primordiais para o entendimento do que está acontecendo.

Partamos da premissa de que, em política, decretar morte, derrota, vitória ou até hegemonia de alguém ou algum partido é um erro fatal. Eu, como muitos da esquerda, cometi esse erro em relação ao PSDB e ao DEM. Achei que os partidos estavam acabados e, agora, vejo a direita cometer o mesmo erro decretando a morte do PT e da esquerda em geral antes da hora.

Em política, porém, tudo é conjuntural. Não há bem que sempre dure ou mal que nunca acabe. Entretanto, os operadores da política sempre sonham com a “vitória final” ou têm pesadelos com a derrota eterna.

Desde que chegou ao poder central em 1994, o PSDB elegeu quase cem deputados federais na mesma legislatura e viu esse número cair a menos de cinquenta nas legislaturas seguintes. Em 2012, o ex-governador José Serra não conseguiu se eleger prefeito da capital paulista e quase chegou em terceiro lugar no primeiro turno.

O PSDB parecia liquidado.

Quatro anos depois, o partido ressurge como a grande força política nacional. Fez barba, cabelo e bigode na eleição municipal.

Porém, o PSDB não ganhou mais eleitores, o PT é que perdeu muitos. A esquerda em geral perdeu muitos eleitores. E não perdeu para a direita ou para o centro, perdeu para o doutor voto nulo ou para a doutora abstenção.

Daí que dizer que o PT ou a esquerda estão mortos também é, no mínimo, cometer o mesmo erro de setores da esquerda ao acharem que a direitona estava inviabilizada, e que após mais de uma década de ascensão social o povão jamais iria querer de volta políticas de direita que reduzem direitos e acabam com programas sociais.

Como se vê, o povo pode mudar rápida e radicalmente de ideia.

O problema da direita é que ela acha que vai conseguir governar para sempre pisoteando o povo, e isso não rola. A crise cambial de 1999 afundou o PSDB e este passou todo o segundo mandato de FHC chafurdando nas políticas neoliberais que venderam patrimônio público a preço de banana e não cuidaram do social ou dos interesses dos trabalhadores.

E após o desastre com Fernando Collor, que afundou o país, e com FHC, que se pensou que o reergueria mas manteve a vida do povo piorando, esse mesmo povo decidiu fazer o impensável, dar uma chance ao demonizado Lula, aquele que Collor dizia que iria tomar as casas das pessoas para colocar várias famílias dentro.

O PT conseguiu um dos governos mais longos da história brasileira graças ao mal causado pelo PSDB entre 1995 e 2002. Nos mesmos oito anos, Lula fez tudo diferente. Fez a vida do povo melhorar. Dilma conseguiu manter o welfare state verde-amarelo pelo primeiro mandato inteiro, mas na metade do segundo mandato foi sabotada pela oposição de esquerda, que conseguiu fazer manifestações gigantescas aceitando ao seu lado todo o lixo da sociedade que estivesse disposto a ir à rua.

Neonazistas e toda sorte de extremistas de direita viram ali a possibilidade de darem um golpe mortal na esquerda e acabarem com aquela história de dar dinheiro público para pobre.

Em 2013, sob uma desculpa qualquer (no caso, aumento de 20 centavos nas passagens de ônibus em São Paulo), o PSOL, o PSTU, a Rede, um grupo de professores e alunos da USP e alguns movimentos sociais e setores da esquerda mais radical do PT conseguiram derrubar a popularidade de Dilma de mais de 60% para 30% em três incríveis semanas.

Com a maior cidade do país convulsionada por atos gigantescos de protesto, a ideia que sobressaiu à cabeça das pessoas era a de que se tanta gente estava na rua reclamando o país teria que estar ruim, e se o país estava ruim a culpa era de quem governava esse país, ou seja, Dilma!

No ano seguinte, Dilma já havia recuperado um pouco de popularidade, mas essa mesma esquerda teve a ideia de gênio de atacá-la de novo acusando-a de usar dinheiro da saúde e da educação para fazer a Copa do Mundo. Manifestações imensas todo dia martelavam na cabeça das pessoas que Dilma e Lula eram dois déspotas que com o povo morrendo nos corredores dos hospitais decidiram gastar dinheiro em estádios de futebol.

Claro que o dinheiro investido na Copa foi pago pela realização da Copa. Não completamente porque setores da esquerda e a direita em peso fizeram campanhas para aconselharem os turistas a não virem para o Brasil porque haveria uma guerra civil aqui.

Vídeos bem produzidos e em inglês ajudaram e diminuir o número de turistas e o lucro que o país teria com a Copa.

No fim de 2014, Dilma, após ter sido reeleita com grande dificuldade devido a ataques da direita e da esquerda na campanha e no ano anterior, nomeia Katia Abreu como ministra da Agricultura…

O mundo caiu. Katia promoveria um genocídio no campo, apesar de que o ministério da Agricultura não cuida da questão fundiária.

Ao fim, Katia Abreu não cometeu um único ato que justificasse a celeuma da esquerda e ainda foi a mais fiel aliada de Dilma até o último segundo. Isso afora o fato de que lavou a nossa alma ao atirar uma taça de champanha na cara de José Serra.

Aí chegamos a 2015. Janeiro. Dilma toma medidas básicas na economia. Uma delas foi em relação ao seguro desemprego. Como os pedidos de seguro estavam aumentando apesar de o desemprego até então vir caindo, ela baixou medida para acabar com as fraudes restringindo um pouco o acesso ao benefício.

Antes de poder explicar o ajuste fiscal, que poderia ter sido feito em seis meses e com baixo custo, a esquerda brilhante faz abaixo-assinado de “intelectuais” que ao pedir que Dilma cumprisse o programa com que ganhou a eleição, na prática a acusou de estelionato eleitoral.

Enfim, a direita jamais teria conseguido reduzir tanto a popularidade de Dilma sem ajuda da esquerda. A direita estava desacreditada, em crise, seus partidos diminuindo a cada eleição. O PFL mudou o nome para DEM e mesmo assim continuava minguando.

A esquerda que depois que a vaca tinha ido pro brejo foi à rua “contra o golpe” é a mesma esquerda que meses antes acusava Dilma de “estelionato eleitoral” e que afirmava que PT, PSDB e PMDB eram todos “a mesma coisa”, afirmação que a PEC 241, a reforma trabalhista e a terceirização que Temer está pondo em prática mostram que é uma afirmação imbecil.

Naquele debate que citei lá no primeiro parágrafo, debate que tive com uma liderança importante do PSOL, pude confirmar meu maior temor, o de que a esquerda vá demorar muito para entender o erro que cometeu. E isso porque uma parte considerável da esquerda brasileira perdeu o rumo, perdeu a relação com a realidade. Não aceita nenhuma crítica por tudo que fez de 2013 até a recente eleição municipal, quando se dividiu de forma burra e, assim, viu a direita crescer como nunca antes na história deste país.

Porém, não foram muitos argumentos para mostrar àquela pessoa que seus conceitos sobre o PT e sobre como se deve governar, quando se chega ao poder, estão fora da realidade. Após minha última resposta, a pessoa não escreveu mais nada. Porque não haveria argumentos. E se houver, que alguém por favor me dê a resposta que o psolista em questão não deu.

Ai vai o trecho do debate anunciado no primeiro parágrafo.

—–

 

[30/10 10:22] Eduardo Guimarães:

O suicídio da esquerda começou com as jornadas de junho, quando a própria esquerda tirou a ultradireita do armário e fez a popularidade de Dilma cair de 65% para 30% em 3 semanas. Depois, o “não vai ter Copa”, com a esquerda acusando Dilma de tirar dinheiro da Saúde e da Educação pra gastar com a FIFA. Depois, a esquerda fez uma celeuma em dezembro de 14 por conta da nomeação de Katia Abreu, e, em janeiro de 15, fez um manifesto de “intelectuais” acusando Dilma de estelionato eleitoral. Boulos chegou a dizer à Folha em entrevista há uns meses atrás, que o governo Dilma era “indefensável”. Exangue por autoflagelação, a esquerda se dividiu na eleição deste ano (sobretudo em Sampa e Rio) e, debilitada, foi enfrentar uma direita vitaminada. É a esquerda que a direita ama

[30/10 13:17] PSOLISTA:

Ah, Eduardo me poupe. Parece garoto de DCE. Fique aí com seu autoengano. Continue acreditando em sua narrativa particular e ressentida. Enquanto isso, os golpistas que o PT e o PC do B carregaram no ventre todos esses anos, alimentando-os com muito dinheiro, triunfam. Acorda, Alice! É muita “ingenuidade” (pra não dizer burrice nem irresponsabilidade) ceder cargos e orçamentos para direita mais caricata e achar que isso não traria nenhuma consequência em termos de melhora da capacidade de mobilização deles. Acorda, Alice! E pior do que ter escolhido aliados ruins, foi terem ficado tão parecidos com esses aliados na maioria das vezes.

[30/10 13:28] Eduardo Guimarães:

Como governa sem aliança?  Eu que sou Alice?  Ensine-me como o Freixo governaria sem aliança?

[30/10 13:32] PSOLISTA:

Aliança (em torno de um programa claro de governo; em que os mentores do programa se tornam como um maestro de uma orquestra que deve executar bem uma determinada partitura, pondo pra fora o instrumentista que desafina por incompetência ou má fé ou corrupção) é uma coisa; loteamento de funções públicas de distribuição de cargos em troca de horário de tevê nas eleições e de currais eleitorais é outra! O PT e o PC do B optaram pelo modus operandi de sempre. Nós queremos e vamos ser um maestro de uma orquestra! Entendeu a diferença? Espero que sim!

[30/10 13:35] Eduardo Guimarães:

Você então está me dizendo que se o PSOL vencer no Rio conseguirá governar com partidos impuros como o PMDB mas este não exigirá cargos para apoiar o prefeito?  O PT só precisava ter pedido aos seus aliados impuros pra não exigirem cargos pra votar matérias de interesse do governo? É isso?

[30/10 13:44] PSOLISTA:

Não governaremos com o PMDB. Governaremos com os movimentos sociais e a sociedade civil decente organizada. É assim que o PMDB na Câmara terá que fazer um aposição ao nosso governo vigiada por esse setores que nos apoiam.

[30/10 13:47] Eduardo Guimarães:

Há um projeto ou uma medida do governo para ser votados. O prefeito, governador ou presidente precisam de maioria no Legislativo. Os movimentos sociais e a sociedade civil não votam, quem vota são os vereadores, deputados e senadores. Porém,  o PSOL só terá uma minoria ínfima dos votos no Legislativo se não fizer aliança. Com quem será essa aliança?

[30/10 13:54] PSOLISTA:

Sociedade civil e movimentos sociais não votam, mas pressionam os que votam.

[30/10 13:58] Eduardo Guimarães:

PMDB, PSDB, PTB, PP, PR, PSD, DEM,  PPS,  PSB eram imensa maioria do Congresso durante os governos Lula e Dilma. Esses partidos estariam preocupados com as pressões dos atingidos por barragens ou dos sem-teto ou da CUT ou do MST? Sem ter um exército para tomar o poder e governar sem o Legislativo, sem ter maioria no Legislativo e sem ter montanhas de dinheiro para vencer campanhas eleitorais de parlamentares, só resta à esquerda fazer alianças e ceder cargos se eleger algum chefe de Executivo que, sem aliados e sem exército,  pode ser facilmente derrubado no presidencialismo à brasileira

Via http://www.blogdacidadania.com.br

A Fortaleza de desafios da segunda gestão de Roberto Cláudio

capemisa-tem-novo-enderec3a7o-em-fortaleza

Educação, transporte público, saúde, habitação, cultura, urbanismo, meio ambiente e esporte e lazer. Setores fundamentais para o desenvolvimento das cidades e o bem-estar coletivo reúnem pendências históricas em uma Fortaleza desigual. O POVO listou 54 desafios que esperam pelo prefeito reeleito Roberto Cláudio (PDT) na administração da Capital por mais quatro anos.

A possibilidade de continuar ações já iniciadas pinta um cenário mais otimista. Mas destaca também a manutenção de uma forma de gestão que precisa se dedicar mais para ver além do que já está posto.

Em transformação constante, Fortaleza vive velhos problemas. Que necessitam de novas soluções.

Na prática, a relação entre palanque e realidade administrativa coloca em posições contrárias promessas de campanha e orçamento projetado. “Para tentar minimizar isso, o prefeito deve se preocupar em saber o que o povo quer e acha sobre o que ele está fazendo. Muitas vezes, no lugar de ações grandiosas, o povo quer soluções mais simples. E isso é mais barato”, indica o coordenador do Laboratório de Gestão de Cidades da Universidade Estadual do Ceará (Uece), Hermano Carvalho.

 

Continuar uma gestão, conforme o especialista, pode exigir menos recursos do que algo novo. Mas é necessário compreender, frisa o professor da Uece, que Fortaleza é um “ser” organizável e emergente, com quase três milhões de pessoas que se movimentam, pensam, agem, inventam. Para Hermano, é preciso reconhecer que a Cidade é das pessoas, não da gestão.

“Juntas, as pessoas são capazes de fazer muito mais do que a administração pública”.

Espaços urbanos

A arquiteta e urbanista Camila Girão indica que é preciso modificar a forma como os espaços urbanos são produzidos.

Ela ressalta três pontos fundamentais para essa mudança: disponibilização de mais acesso da população às informações da Prefeitura; incentivo à preservação e ao reconhecimento do patrimônio; e concretização da perspectiva de continuidade das ações.

“Uma área é estruturada e não a outra. Ao mesmo tempo a Cidade cresce tanto… Forma-se um círculo, com avanços e depois retrocessos. Concatenar tudo isso para ter uma prioridade é o grande desafio de qualquer gestor, em qualquer tempo”, considera a arquiteta.

Educação

A educação foi uma das áreas que mais sofreram modificações na primeira gestão de Roberto Cláudio. Vagas, professores, cargos comissionados — trabalho em pontos historicamente polêmicos. “Houve melhoras nos índices de desempenho das crianças na leitura, mais escolas de tempo integral e uma gestão mais dentro dos equipamentos”, reconhece a doutora em Educação Brasileira e professora da Universidade Federal do Ceará (UFC), Ana Paula Medeiros Ribeiro.

Entre os desafios, ela analisa, está manter uma trajetória de investimentos. “Não basta construir as escolas, é preciso que as equipes pedagógicas sejam devidamente qualificadas”, reforça.

(O Povo Online)

 

Eleição foi decidida de virada em 14 das 57 cidades onde houve 2º turno

Por Clara Velasco e Flávia Mantovani

virada-eleicao-decidida-no-segundo-turno

Em 1/4 das cidades onde houve segundo turno, não foi o candidato mais votado no primeiro turno que ganhou a eleição. Uma análise do resultado da votação mostra que 14 dos 57 prefeitos eleitos no segundo turno venceram de virada.

Foi o caso de Anápolis (GO), Belo Horizonte (MG), Canoas (RS), Cariacica (ES), Caruaru (PE), Caxias do Sul (RS), Contagem (MG), Franca (SP), Guarujá (SP), Maringá (PR), Olinda (PE), Santa Maria (RS), Serra (ES) e Volta Redonda (RJ).

Dessas cidades, chama a atenção o caso de Contagem (MG), onde, no primeiro turno, Carlin Moura (PC do B) ficou em primeiro lugar com 27,87%, mas manteve esse patamar no segundo turno, obtendo 27,04% dos votos válidos. O vencedor, Alex de Freitas (PSDB), teve 72,96% de votação.

Na última eleição, em 2012, houve virada em 13 das 50 cidades onde se disputou o segundo turno. No caso das capitais, 6 foram decididas dessa forma – no total, 17 capitais foram para o segundo turno quatro anos atrás.

Neste ano, só Belo Horizonte decidiu a eleição de virada entre as capitais. Enquanto no primeiro turno João Leite (PSDB) foi o primeiro colocado com 33,4% dos votos, foi Kalil (PHS) que acabou vencendo a eleição por 52,98%.

(G1 Eleições 2016)

Geografia do Voto: RC teve mais votos na área nobre e Capitão Wagner na periferia

resultado-zonas-eleitorais-2-turno

Reeleito, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) recebeu apoio mais expressivo nas zonas 1 e 3, que compreendem os bairros mais ricos da Cidade, como Aldeota, Meireles e Praia de Iracema.

Do outro lado, o candidato derrotado Capitão Wagner (PR) recebeu votação mais expressiva na área periférica da Capital, nas zonas 83, 94 e 114 — que integram os bairros Henrique Jorge, Vila Velha, Quintino Cunha e João XXIII, este último berço político do policial reformado.

A diferença mais elástica entre os dois candidatos se deu na primeira zona, quando RC atingiu 67,48% dos votos válidos, contra apenas 32,52% de Wagner. Lá, votam eleitores de bairros com maior renda per capita, como De Lourdes, Varjota, Aldeota, Dionísio Torres e Papicu.

O resultado mais confortável ao candidato do PR foi computado na zona 114, onde Capitão Wagner obteve 56,19% dos votos contra 43,81% de Roberto Cláudio (PDT). Os eleitores que votam nessa localidade residem em bairros como Barra do Ceará, Padre Andrade, Jardim Iracema e Cristo Redentor.

Reeleito com diferença total de pouco mais de 90 mil votos, RC venceu em oito das 13 zonas eleitorais de Fortaleza. Embora tenha vencido com maior facilidade nos bairros mais ricos da Cidade, o prefeito também se saiu bem em zonas com bairros de menor poder financeiro.

O pedetista chegou a vencer na zona 115 com 53,92% dos votos, contra 46,08% de Wagner. A região compreende bairros como Mondubim, Serrinha, Parangaba e Itaoca. Apesar das críticas de opositores de que o atual gestor tinha prioridade de gestão na área nobre da Capital cearense, os votos da periferia foram fundamentais para a reeleição de Roberto Cláudio.

Isso fica mais evidente na maior zona eleitoral, a 118, que soma quase 200 mil eleitores. Lá, votam eleitores do Barroso, Jangurussu, Conjunto Palmeiras e José Walter. Com discurso de candidato da periferia, Wagner foi derrotado na zona mais adensada por margem apertada de votos, 51,80% contra 48,20%. Em números absolutos, a diferença foi de apenas 5 mil votos em favor de RC.

Em contrapartida, a zona 117, que possui o segundo maior número de eleitores, Capitão Wagner se saiu vencedor. O deputado atingiu 54,72% dos votos, contra 45,28% de Roberto Cláudio. Em números totais, o parlamentar abriu mais de 11 mil votos de vantagem em bairros como Conjunto Esperança, Parque Santa Rosa, Siqueira e Vila Peri.

O que determinou a vitória do prefeito foi sua versatilidade em várias camadas sociais na Capital conseguindo representar boa parcela dos fortalezenses de forma considerável.

(Wagner Mendes, O Povo Online)

Roberto Cláudio (PDT) é reeleito prefeito de Fortaleza e fortalece candidatura de Ciro em 2018

21out2016-ciro-gomes-participa-de-carreata-com-o-candidato-a-prefeito-de-fortaleza-roberto-claudio-pdt-1477793169988_615x300

FORTALEZA – O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), foi reeleito com 53,57% dos votos. Apoiado pelos irmãos Cid e Ciro Gomes, ambos do PDT, o pedetista derrotou o candidato Capitão Wagner (PR), cujos principais “cabos eleitorais” foram os senadores cearenses Eunício Oliveira, líder do PMDB no Senado, e Tasso Jereissati (PSDB). Wagner teve 46,45% dos votos.

A reeleição de Roberto Cláudio fortalece a candidatura de Ciro Gomes à Presidência da República em 2018, na medida em que o ex-ministro terá um aliado no controle da máquina da quinta maior cidade do País. Por outro lado, enfraquece os planos de Eunício de disputar o governo do Estado em 2018. O peemedebista já tentou se eleger governador em 2014, mas foi derrotado por Camilo Santana (PT), aliado dos Gomes.

O número de votos brancos e nulos poderia ter mudado o resultado das eleições. O atual prefeito foi reeleito com 678.847 votos – 90.396 votos a mais do que o adversário, que teve 588.451 votos. Brancos (26.453) e nulos (83.991) somaram 110.444 votos. As abstenções somaram 314.915 votos, equivalente a 18,6% do total.

No segundo mandato, Roberto Cláudio terá um novo vice-prefeito: o deputado federal Moroni Torgan (DEM-CE). O atual vice-prefeito de Fortaleza, o empresário Gaudêncio Lucena (PMDB), concorreu novamente a vice na chapa de Capitão Wagner, que foi derrotada. Com isso, terá de deixar o cargo a partir de janeiro de 2017, quando começa o segundo mandato do pedetista.

Roberto Cláudio governará Fortaleza por mais quatro anos tendo maioria na Câmara Municipal. Segundo o prefeito, dos 43 vereadores da Casa, 31 são de partidos que fazem parte da coligação que o elegeu (PDT, PTB, PROS, PP, PSD, PMB, DEM, PCdoB, PSDC, PV, PSC, PSL, PTC, PTN, PEN, PRTB, PPL e PPS), além de outros quatro parlamentares que anunciaram apoio à gestão do pedetista nos últimos dias.

Apoio. No segundo turno, o prefeito também contou com apoio oficial de outros partidos, como PSB, PRB, PRP, PMN e PHS. Após a candidata da sigla, a deputada federal Luzianne Lins, ficar em terceiro lugar no primeiro turno, o PT liberou seus filiados. Os principais quadros da sigla, como o governador Camilo Santana e o deputado federal José Guimarães, apoiaram Roberto Cláudio.

Na campanha para reeleição, o prefeito de Fortaleza afirmou que a saúde será o foco de sua segunda gestão. No primeiro mandato, o pedetista focou na mobilidade urbana. Em meio à crise fiscal que atinge Estados e municípios, um de seus desafios será obter recursos para viabilizar os projetos, principalmente do governo federal, ao qual é oposição.

Perfil. Roberto Cláudio Rodrigues Bezerra tem 41 anos e é medico sanitarista. Começou a carreira política em 2006, quando foi eleito deputado estadual pela primeira vez, pelo PSB. Em 2010, foi reeleito deputado e, no ano seguinte, foi escolhido presidente da Assembleia Legislativa do Ceará. Elegeu-se prefeito em 2012. Em 2013, trocou o PSB pelo PROS junto com os irmãos Gomes. Em março deste ano, eles migraram novamente juntos para o PDT.

Na campanha para reeleição, Roberto Cláudio arrecadou oficialmente R$ 8.917.284,00, segundo dados contabilizados até esta sexta-feira, 28, e divulgados no site do TSE. O teto de doações em Fortaleza era de R$ 12.408.490,10. Seus principais doadores foram o diretório municipal do PDT (R$ 684.550,00), o empresário Alexandre Grendene (R$ 600.000,00) e o PP (R$ 575.000,00).

(Estadão Online)

Rejeição à união gay cai em Fortaleza

lgbt1

Num intervalo de seis anos, a reprovação à união legal entre pessoas do mesmo sexo diminuiu 11 pontos percentuais em Fortaleza. No mesmo período, a aceitação do reconhecimento legal destas uniões aumentou seis pontos. É o que revela a mais recente pesquisa O POVO/ Datafolha, que investigou temas sociais e culturais na capital cearense.

De acordo com este levantamento, que Cena G publica com exclusividade, 41% dos entrevistados são a favor da legalização da união de pares homoafetivos e 40% se declaram contrários – uma proporção quase idêntica. Os que se dizem indiferentes à questão totalizam 17%, já aqueles que não sabem responder chegam a 2%.

Estes números atuais são expressivos, mas eles ganham nova dimensão e significado quando comparados com pesquisa anterior doO POVO / Datafolha sobre o mesmo tema. Realizado em agosto de 2010, o levantamento revelou que apenas 35% dos fortalezenses diziam ser a favor da legalização destas uniões, enquanto 51% afirmavam sem contra.

À época, menos pessoas eram indiferentes ao assunto (12%) e também era menor (somente 1%) o número de quem não sabia o que dizer a respeito.

A pesquisa anterior, não custa lembrar, foi realizada quase nove meses antes da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que reconheceu a união estável entre pessoas do mesmo sexo, e quase três anos antes da decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que obrigou todos os cartórios a registrar casamentos gays.

Voltando à pesquisa atual, ela mostra que quanto mais jovem é o entrevistado, maior é a aceitação às uniões legais homoafetivas. O índice de aprovação chega a 55% entre aqueles que têm entre 16 e 24 anos, em compensação cai a 16% entre os que têm 60 anos ou mais.

Da mesma forma, quanto maior a escolaridade e a renda familiar mensal do pesquisado, maior é o nível de aceitação. Quando o parâmetro é religioso, os católicos são favoráveis em maior número (46%), só perdendo para os que se declaram sem religião (60%).

Por fim, no quesito “Região onde mora”, os residentes da Regional IV, (Benfica, Fátima, Gentilândia etc) apresentaram o maior números de opiniões a favor do casamento gay (48%). As demais regionais ficam em torno de 40%. O menor índice de apoio às uniões legais entre pessoas do mesmo sexo registrado em Fortaleza foi o dos moradores da Regional III (Antônio Bezerra, Pici, Henrique Jorge e afins), com apenas 38%.

SOBRE A PESQUISA

Foi realizada em 20 e 21 de outubro deste ano e ouviu 864 pessoas, acima de 16 anos. O nível de confiança é de 95%. A margem de erro é de 3 pontos percentuais.

(Émerson Maranhão, O Povo)

Daniela Mercury se apresentará na primeira edição do Diversidade Music Festival, em Fortaleza

dario-zalis-5815

A cantora Daniela Mercury será a atração principal da primeira edição do Diversidade Music Festival, evento que se utiliza da música, da cultura e da alegria para celebrar a miscigenação étnica, religiosa, cultural, sexual e de origens. O festival ocorre no próximo dia 19, na Barraca Sunrise, em Fortaleza.

“Nosso principal objetivo é reunir várias tribos em um único espaço, promovendo a interação entre pessoas de diversos gostos musicais, idades e classes sociais em um ambiente livre de preconceito. Queremos mostrar, como em vários festivais espalhados pelo mundo, que o que importa é a harmonia e a convivência entre as pessoas que se encontram em um ambiente descolado tendo a Tolerância como vibe”, destaca Ricardo Gomes, um dos organizadores do festival.

A banda The Dillas, o grupo Tome Batom Vermelho, e os DJs: Leandro Becker, Renata Dib, Marcos DBR e Leo Montenegro d2b com Thiago Costta participarão do evento.

Setores e ingressos

A festa conta com quatro setores: Front Pé na Areia custa R$ 60 (meia) e R$ 120 (inteira), Camarote Red Ground no valor de R$ 120, Lounge Premium custa R$ 2.000 e Lounge Supremo no valor de R$ 3.000, que terá serviço de meet and greet.

Os ingressos podem ser adquiridos nas lojas Bransk do Shopping Aldeota, Rio Mar, Iguatemi, North Shopping e Shopping Manhattan com exclusividade da venda dos setores Lounges Premium e Supremo pelo site http://www.efolia.com.br.

Serviço

Diversidade Music Festival
Quando: próximo sábado, 19, às 22 horas
Onde: Barraca Sunrise (avenida Clóvis Arrais Maia, 4461, Antonio Diogo , Fortaleza, Ceará)
Quanto: de R$ 60 a R$ 3.000
Mais informações: http://www.diversidademusicfestival.com

Redação O POVO Online

Aulão para o Enem vai arrecadar alimentos para hospital em Fortaleza

20-09-2013_18_53_14_

Um aulão preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2016) será realizado no sábado (29), em Fortaleza, vai arrecadar alimentos para serem doados à Associação de Voluntários do Hospital São José.

A iniciativa, do ClubeAluno, tem o objetivo de ajudar os estudantes a exercitar o aprendizado em ciências exatas na reta final antes da avaliação. Para participar, basta levar 1 quilo de alimento não perecível.

O aulão ocorrerá na Mansão Dunnas Buffet, na Rua Joaquim Lima, 214, no Bairro Papicu. O evento começará às 9h e terá duração de três horas. As aulas serão ministradas pelos professores Adriano Brito (Química), Israel Guedes (Matemática) e Douglas Alcântara (Física).

“Sabemos que os momentos que antecedem o vestibular são tensos. Por isso, preparamos esse aulão para ajudar os estudantes a relembrar o conteúdo estudado durante o ano. Dessa forma, eles vão mais seguros fazer a prova, o que contribui muito para melhorar o desempenho”, explica Márlia Paiva, responsável pelo ClubeAluno em Fortaleza.

(G1 Ceará)

Azul terá mais de 3 mil voos extras para a temporada de verão

azul

São Paulo – A Azul Linhas Aéreas terá mais de três mil voos extras entre os meses de dezembro e fevereiro, envolvendo rotas tanto no Brasil quanto no exterior.

Segundo a companhia, o reforço na malha se deve ao aumento da demanda no verão, com a operação se concentrando nos aeroportos de Viracopos e Belo Horizonte, principais centros de distribuição de voos da empresa.

Em comunicado, a Azul destaca a abertura de novos mercados temporários que ligarão Viracopos a Belém e São Luís – em relação ao terminal mineiro, serão incluídas rotas que conectam Belo Horizonte a Aracaju, Fortaleza e Natal. No exterior, a companhia contará com voos extras para Miami, Montevidéu e Punta del Este.

Quanto aos destinos que terão suas frequências aumentadas, estão Florianópolis, Recife, Maceió, Fortaleza, Natal, Cabo Frio, Porto Seguro e Ilhéus. Segundo a empresa, a maioria dos voos já está aprovada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

“Chegamos com força total para as nossas operações de alta temporada, com uma malha de voos extras muito bem estruturada e conveniente para todos os clientes”, diz, em nota, o diretor de planejamento de malha da Azul, Daniel Tkacz.

Setor aéreo

A decisão de expandir a malha contrasta com o atual momento do setor aéreo brasileiro, que tem registrado quedas tanto na demanda quanto na oferta de voos.

Segundo a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), a demanda por voos domésticos (RPK) caiu 4,4% em setembro de 2016 na comparação com o mesmo mês de 2015, o 14º resultado negativo consecutivo da série, enquanto a oferta (ASK) também registrou declínio na mesma base de comparação, de 5%, a 13ª consecutiva.

De janeiro a setembro, a oferta acumulou baixa de 6,1%, acompanhando a demanda em queda de 6,3%, segundo a Abear.

(Estadão Conteúdo)

Estudantes têm até dia 31 para renovar Fies; saiba como garantir benefício

fies
Foto: reprodução

Mais de 790 mil estudantes beneficiados pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) ainda não acessaram o sistema para renovar o contrato. De acordo com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), cerca de 1,5 milhão de contratos devem ser aditados. O prazo para a renovação, que é semestral, encerra no dia 31 deste mês.

O pedido de aditamento é feito inicialmente pelas instituições de educação superior. Em seguida, os estudantes devem validar as informações no Sistema Informatizado do Fies (SisFies), fazendo renovação simples. Quando há alteração nas cláusulas do contrato, como mudança de fiador, por exemplo, o estudante precisa ainda levar a documentação comprobatória ao agente financeiro para finalizar o processo.

Os aditamentos, normalmente feitos no início do semestre, ficaram congelados devido à falta de recursos federais. No entanto, após a aprovação de crédito suplementar para o programa pelo Congresso Nacional, o sistema foi liberado para renovações. O investimento nos financiamentos é de R$ 8,6 bilhões, já garantidos no orçamento, de acordo com o Ministério da Educação.]

(Rádio Verdes Mares)

Quem já se ‘desaposentou’ pode ter que devolver dinheiro; entenda

Em um julgamento com impacto bilionário nas contas da União, Supremo Tribunal Federal (SPTF)  rejeitou, nesta quarta-feira (26), por 7 votos a 4, a desaposentação, impedindo assim que aposentados que voltaram ao mercado de trabalho peçam a correção do valor de seus benefícios por terem contribuído mais tempo com a Previdência. Para os ministros do STF, um eventual reconhecimento desse direito deve ser feito por meio de uma lei pelo Poder Legislativo.

Ministra Cármen Lúcia votou  contra a desaposentação; Já o ministro Marco Aurélio Mello votou a favor (Foto: André Dusek/Estadão Conteúdo)

O julgamento da chamada desaposentação desde 2010 estava sendo analisado pelo STF e trazia preocupação ao governo pelo impacto nos cofres públicos.  A Advocacia-Geral da União (AGU) estimava que um eventual reconhecimento ao direito de desaposentação traria um impacto anual de R$ 7,7 bilhões.

A desaposentação é o mecanismo usado por quem continuou a trabalhar depois de aposentado, mantendo contribuições à Previdência Social, e pedia à Justiça para renunciar à aposentadoria anterior e requerer uma nova, com base em cálculo atualizado da idade e tempo de contribuição do beneficiário.

A decisão do STF tem repercussão geral e trará implicações diretamente para cerca de 182 mil processos que estão em tramitação nas diferentes esferas judiciais do Brasil pedindo a desaposentação.

Ressarcimento
Segundo a advogada-geral da União, Grace Mendonça, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) fará um levantamento completo sobre a desaposentação e analisará caso a caso, recorrendo contra a concessão do benefício – e inclusive pedindo o ressarcimento aos cofres públicos daqueles que já tiveram a aposentadoria recalculada.

“O INSS vai avaliar caso a caso, se essas decisões ainda não transitaram em julgado e, portanto, os recursos ainda são cabíveis. Nesse contexto, a decisão deve ser acomodada ao que o STF agora se posicionou”, disse Grace, que considerou o resultado do julgamento uma “vitória relevante” para a União.

Hoje, o STF volta a se reunir para  definir a tese que será fixada para uso no  Brasil. Votaram contra a desaposentação os ministros Dias Toffoli, Teori Zavascki, Edson Fachin, Luiz Fux, Gilmar Mendes, Celso de Mello e a presidente da Corte, Cármen Lúcia. Votaram a favor  Marco Aurélio Mello, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Ricardo Lewandowski. “Não me parece que a permissão da majoração de benefício no caso da desaposentação esteja em linha com os princípios constitucionais e muito menos condizente com a realidade econômica que nos impõe”, disse Gilmar Mendes.

Poupança
Na avaliação de Fux, a desaposentação cria uma espécie de “pré-aposentadoria”, que funcionaria como uma poupança, levando a um desvirtuamento do sistema de aposentadoria proporcional.

“Admitir a desaposentação significa, na verdade, admitir uma aposentadoria em duas etapas. Seria ao fim e ao cabo a Previdência Social financiando a própria majoração dos proventos, com evidente dano ao equilíbrio financeiro do regime da Previdência Social”, disse o ministro Fux.

Já para Lewandowski, o segurado tem o direito de renunciar ao benefício da aposentadoria para obter uma nova aposentadoria com a contagem de tempo que serviu de base para o primeiro benefício, mais o tempo posterior.

“É o próprio beneficiado que quer abrir mão do benefício para ter um incremento no valor que recebe, para ter condições mais dignas”, frisou Lewandowski. A Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap) chegou a pedir o  adiamento do julgamento, o que foi negado pela ministra Cármen Lúcia.

Trâmites
Iniciado em 2010, o julgamento foi interrompido em outubro de 2014 depois do pedido de vista da ministra Rosa Weber.  Após a decisão dos ministros, o porta-voz da Presidência, Alexandre Parola, afirmou  que a decisão do STF pela rejeição da desaposentação foi favorável ao governo.
“O impacto orçamentário, positivo, da decisão tomada pelo STF, está sendo tomado pelas unidades técnicas competentes do governo federal. O presidente Michel Temer  ressalta, contudo, que foi favorável ao governo”, afirmou.

(Correio 24 Horas)

Ligações interurbanas entre 24 municípios do Ceará ficarão mais baratas; entenda

telefone_2

As chamadas de telefones fixos entre 587 municípios vizinhos, incluindo 24 do Ceará, deixarão de ser cobradas como interurbanas e terão o mesmo preço das chamadas locais, a partir de domingo (30). A estimativa da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) é de que a mudança reduza em 60% o custo desse tipo de ligação.

A queda de preços beneficiará 199 municípios da Região Nordeste. Na Região Metropolitana de Fortaleza, terão preços locais as ligações entre Aquiraz, Cascavel, Caucaia, Chorozinho, Eusébio, Guaiúba, Horizonte, Itaitinga, Maracanaú, Maranguape, Pacajus, Pacatuba, Pindoretama e São Gonçalo do Amarante. Já no interior do Estado, ficam mais baratas as ligações entre Juazeiro do Norte, Barbalha, Caririaçu, Crato, Farias Brito, Jardim, Missão Velha, Nova Olinda e Santana do Cariri.

Segundo a Anatel, o benefício real da mudança vai depender do plano de serviço contratado pelo assinante, já que, além dos planos básicos, as concessionárias oferecem planos alternativos.

(Rádio Verdes Mares)

Entenda o que é desaposentação e por que é considerada ilegal pelo STF

desaposentac3a7c3a3o

Continuar na ativa no mercado de trabalho mesmo após atingir a idade para descanso é desejo de muitos profissionais. Nesses casos, aposentados que voltassem a trabalhar poderiam pedir a revisão do benefício e voltar a contribuir para a Previdência Social. Agora, essa prática, conhecida como desaposentação, é considerada ilegal pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

A legalidade do benefício estava em julgamento na Corte há dois anos, sendo decidida nessa quarta (26). Por 7 votos a 4, os ministros consideraram a desaposentação inconstitucional por não estar prevista na legislação. A validade da prática foi decidida após um aposentado pedir ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) a interrupção do pagamento da atual aposentadoria por tempo de serviço e a concessão de um novo benefício por tempo de contribuição, com base nos pagamentos que voltou a fazer quando retornou ao trabalho.

Mais de 180 mil processos estavam parados em todo o País aguardando a decisão do Supremo. Antes disso, segurados ganharam ações individuais na Justiça para obter a revisão da aposentadoria. Para o INSS, o segurado deve devolver todos os valores que foram pagos, em parcela única, para ter direito ao recálculo do benefício.

Com informações da Agência Brasil

Entidades e deputados querem impedir fechamento de usina de biodiesel no Ceará

Edwirges Nogueira – Correspondente da Agência Brasil em Fortaleza
image1
Foto: Fabiane de Paula

A notícia do encerramento das atividades da Usina de Biodiesel de Quixadá mobiliza entidades e parlamentares no sentido de evitar o fechamento da unidade, implantada em 2008 pela Petrobras no município de Quixadá, a 160 quilômetros de Fortaleza.

A empresa anunciou no último dia 7 a desmobilização da usina como parte do processo de saída da petrolífera da produção de biocombustíveis, indicada no Plano de Negócios e Gestão 2017-2021. O assunto foi debatido na tarde de hoje (26) em audiência pública na Assembleia Legislativa do Ceará, em Fortaleza.

A grande preocupação levantada no debate foi com o impacto econômico, ambiental e social para agricultores rurais, pescadores e catadores de recicláveis. Isso porque esses trabalhadores fazem parte da cadeia produtiva do biodiesel como fornecedores de óleos para a produção da usina.

“Nós fomos pegos de surpresa com essa notícia. Muitos agricultores familiares foram convencidos de que apostariam em algo para melhorar sua renda, que vem sendo solavancada nos últimos anos pela seca. Eles deram conta do recado. De repente, recebemos essa notícia. Os agricultores ficarão a ver navios. Vão fazer o quê com as áreas plantadas de mamona?” questiona o secretário de política agrícola da Federação dos Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familiares do Ceará (Fetraece), José Francisco de Almeida Carneiro.

Localizada no distrito de Juatama, a Usina de Biodiesel de Quixadá foi implantada com a premissa do envolvimento da agricultura familiar na cadeia do biodiesel: a Petrobras oferecia sementes e assistência técnica e a produção de óleos era comprada pela usina. Segundo a Fetraece, há 2,1 mil contratos ativos com agricultores familiares. Além disso, a unidade também comprava óleo extraído das vísceras de peixes por pescadores e Óleos e Gorduras Residuais (OGR) recolhidos por catadores de recicláveis.

O comunicado de fechamento da usina informa que projeções indicavam pouca rentabilidade do negócio, sem solução a curto prazo. De acordo com a Petrobras, a usina compra de 1,3 mil agricultores familiares, mas o Ceará não produz “matéria-prima em quantidades expressivas para suprir as necessidades da unidade, o que levava a companhia a buscar suprimento de outras regiões”.

No entanto, para o engenheiro químico Expedito Parente Júnior, a unidade poderia não só ser mantida como ampliada. Ele explica que, apesar de a seca no Ceará ter reduzido a produção de óleos, fazendo com que parte do produto fosse comprado em outros estados, a usina está próxima de estados nordestinos que são grandes consumidores de biodiesel.

“Se olharmos o mapa do biodiesel, a usina de Quixadá é a única que está no norte da região Nordeste. Somente Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba, juntos, têm uma demanda de 200 mil metros cúbicos de biodiesel por ano. Se ela duplicasse de tamanho, ainda assim haveria demanda para essa produção.” A unidade tem capacidade de produção anual de 108 mil metros cúbicos. Expedito Júnior é filho do engenheiro químico cearense Expedito Parente, inventor do biodiesel.

Outra solução apontada por ele é a concessão de incentivos fiscais para a unidade. Segundo o secretário de Desenvolvimento Agrário do Ceará, Dedé Teixeira, o governador do Ceará, Camilo Santana, autorizou a discussão com a Petrobras de uma proposta.

Encerramento

A Petrobras marcou para dia 1º de novembro o início da desmobilização da usina de Quixadá, que envolve, a interrupção da produção e da comercialização de biodiesel e a manutenção das instalações. Em resposta à reportagem da Agência Brasil, a empresa disse que o destino dos ativos, incluindo terreno e equipamentos, será definido no plano de ações do Plano Estratégico 2017-2021. Todo o processo levará seis meses. Quarenta e um empregados serão realocados nas usinas de biodiesel de Candeias (BA) e de Montes Claros (MG) e em outras unidades da companhia.

No dia 31, está marcado um protesto no distrito de Juatama contra o fechamento da unidade. A bancada federal do Ceará na Câmara dos Deputados também vai enviar documento e solicitar reunião com o presidente da Petrobras, Pedro Parente, para debater uma possível suspensão do fechamento da usina.

O presidente da Petrobras Biocombustível, Luiz Fernando Marinho, foi convidado para a audiência pública de hoje, mas justificou que não possuía representante da empresa no Ceará “qualificado para discutir os princípios econômicos e de alinhamento estratégico que pudesse participar do debate”. A justificativa foi enviada para a deputada estadual Rachel Marques (PT), que propôs a audiência, e leu a mensagem no início do evento.

Apesar do plano de saída da área de biocombustíveis, a Petrobras vai manter as outras duas usinas de biodiesel, embora afirme que estuda alternativas para as unidades.

Edição: Amanda Cieglinski

Festival Concreto terá 100 artistas fazendo um colorido especial em Fortaleza

festivalconcreto
Foto: Pedro Augusto Araripe/Reprodução Facebook

Colorir Fortaleza. Aquele encantar-se pelas ruas, a cidade dos encontros e dos olhares que criam e contemplam, dos artistas que se encontram e interagem, desse colorido-todo nos muros, nas paisagens e no cotidiano. Tudo isso faz do “Festival Concreto – Festival Internacional de Arte Urbana” um dos eventos mais aguardados do Ceará.

O evento será lançado nesta quinta-feira (27), a partir das 20h no espaço Multigaleria, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, com a exposição: Choque Cultural no Festival Concreto, 13 anos de produção gráfica. Uma oportunidade de conhecer obras de artistas renomados na arte urbana: Daniel Melim, Tec, Jaca, Matias Picón, Stephan Doitschinoff, Rafael Silveira, BijaRi, Zezão, Speto, Onesto, Titi Freak entre outros.

Fundada por Mariana Martins e Baixo Ribeiro em 2003, em São Paulo, a Choque, desde então, edita pôsteres e gravuras com variadas tiragens, monotipias, livros-objetos, zines, adesivos, lambe-lambes e outras peças gráficas, tendo criado uma rede de parceiros com a mesma intenção inovadora e colaborativa. É pioneira enquanto galeria especializada em arte urbana no Brasil e referência mundial.

“Trabalhamos com muitas oficinas e printshops do Brasil e do mundo inteiro, tendo criado uma rede de parceiros com a mesma intenção inovadora e colaborativa. A gravura nasce da vontade de difundir e de ampliar o acesso à arte. Mas ao invés de ser apenas um meio de reprodução de obras de arte, a gravação tornou-se um universo próprio, carismático, inventivo e pop – que angaria aficionados em todos os lugares e épocas”, explica Baixo Ribeiro.

De 4 a 12 de novembro

No dia 4 de novembro, o Festival Concreto faz a festa. O lançamento e credenciamento dos artistas acontece às 19h no Espaço Rogaciano Leite (palco sob passarela) no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. A programação conta com uma solenidade de abertura, show com bandas e performances, além de Live Painting com Rafael Highraff (SP).

A 3ª edição o Festival Concreto segue até o dia 12 de novembro, com a presença de mais de 100 artistas locais, nacionais e internacionais, serão mais de 35 projetos do Ceará, 25 propostas nacionais e 13 artistas internacionais de oito países (México, Chile, Espanha, Polônia, Argentina, Portugal, Ilhas Canárias e Itália), além de atividades de formação, residência artística, lançamento de livros e de documentários, bazar de compra de obras e as já tradicionais festas e shows que encantam deixando um legado de criatividade, rebeldia e beleza, que vai muito além das tintas.

Ao vivo

Durante os nove dias do festival, os artistas estarão espalhados pela cidade em diversos bairros pintando ao vivo e na rua, apresentando seus trabalhados em grafite, criando instalações de mobiliários urbanos, performances sonoras, além de dialogar com a população e promover palestras, seminários e vivências.

Um dos destaques das atividades é a Amplitude, Escola de Arte Urbana, responsável pelas ações formativas, que em parceria com o Centro Cultural Bom Jardim, realizarão Vivências Práticas de Formação, que através de convocatória, 10 selecionados irão receber bolsa-auxílio e serão acompanhados, num processo de aprendizado prático e dialógico, por artistas de renome nacional e internacional.

Palestras

Outro fator importante é o “Seminário Arte Urbana – Cultura Contemporânea”, um ciclo de palestras com artistas, produtores e ativistas da arte urbana mundial. Uma ação em parceria com a Escola Porto Iracema das Artes. A formação e o intercâmbio são marcas fortes dessa terceira edição. Esse ano, além das atividades em Fortaleza, haverá o Conexão Sobral, estendendo as ações do Festival Concreto ao interior do estado.

Programação em Fortaleza

As atividades, na capital, seguem durante nove dias com ações variadas: pinturas de murais e grafitti, palestra com Debora Pill (BRA), produtora dos artistas Os Gêmeos; ação de mutirão do ateliê itinerante CarRUAagem; palestra “Escultura na Arte Urbana” com Robert Panda ( POR), debate “30 anos de Stêncil” com OZI (BRA), oficina Arte Urbana e Cidade com Baixo Ribeiro e Mariana Martins além de visita guiada à exposição “13 anos de produção gráfica” – Choque Cultural no Festival CONCRETO; discussão “Arte Urbana e Tecnologia / Atelier compartilhado” com Ciryl23 (ESP) e Chylo (POL), palestra “Da arte Urbana para a Arte Contemporânea” com Stephan Doitschinoff – CALMA (BRA); bazar e expô das obras dos artistas do Festival Concreto 2016 e da Choque Cultural, oficina de Stêncil para crianças com OZI no Estoril e festa de encerramento.

Conheça mais sobre o Festival Concreto

O Festival, que nasceu com o propósito de produção e difusão, aproveitando o potencial arquitetônico de Fortaleza, objetiva promover a interação e o dialogo com as mais diferentes culturas, onde aspectos como a estética, a forma e a cor sejam discutidos, promovendo assim um verdadeiro crescimento na qualidade da produção artística como um todo, buscando estar na vanguarda da arte urbana.

Em 2015, o Festival Concreto contou com participação de 25 artistas de doze países, 30 artistas nacionais, 100 artistas locais, cinco bandas e o lançamento do projetos Cine Mara Hope, com a exibição do filme “Medo do Escuro”, do cineasta Yvo Lopes. Outra atração foi o Mobiliário Urbano, que promoveu a instalação da arquibancada para o pôr do sol na Praia de Iracema. Já a primeira edição, em 2013, reuniu 117 artistas nacionais e internacionais em exposições, intervenções, workshops, oficinas e palestras, técnicas e linguagens, como o muralismo, o grafite, a música e a dança.

Lista de artistas e coletivos:

Thelmo Cristovam /PE; Dinho Bento/MG; Pablo Malafaia/RJ; Geviana/MA; Kbça/BA; Léo Arem/PE; Natália Coehl/SP; Coletivo Zin/ES ( Jean e Renato); Vander/SP; William Mophos/SP; Zéh Palito/SP; Rimon Guimarães/PR; Stephan Doitschinoff/SP; Ozi/SP; Rafael Highgraff/SP; José Carolos Ribeiro dos Santos/Choque; Mariana Pabst Martins/Choque; Cláudio Ethos/SP; Débora Pill/SP; Amarillo Público/MEX; Came Moreno/MEX, Irene Lasiuita/ARG, Mariana Palomino/Ilhas Canárias, Alan Myers/ARG, Unonueve/CHI, Bifido (Itália), Zesar Bahamonte/ESP, Lucas Lasnier/ARG, Ciril 23/ESP, Chylo/POL, Robert Panda/POR, Armando Siba; Baião Ilustrado; Diego Maia; Erica Rodrigues; Johnny Cardoso; Jucá; Lápis de Lata; Lui Duarte; Luiza Veras Azuhli; Luks; Maíra Ortins; Neurônio ; Paulo Victor; Thiago Nery; Weyber Ferreira, Intervenções; Artur Dória; Bianca Misino; Diana Medina; Erica Rodrigues; Felipe Camilo; Juliana Mota; Lucas Cabral; Rian Fontenele; Simone Barreto; Germana Brito/Sobral; Thalita Feirtosa/Capiriaço e No Barraco da Constância.

Serviço:
Festival Concreto 2106
De 4 a 12 de novembro em Fortaleza
Mais informações, basta acessar o site ou Facebook do Festival Concreto

(Tribuna do Ceará)

Fortaleza vai receber 2,5 mil homens das Forças Armadas para o 2º turno

forc3a7a-nacional-cearc3a1-fortaleza

As Forças Armadas vão atuar com 2.500 homens na segurança da votação e apuração do 2º turno das eleições em Fortaleza. De acordo com o comandante da 10ª Região Militar, general Estevam Theófilo, todos os militares que vêm de fora do Estado estarão na capital cearense até as 17 horas desta sexta-feira (28).

“Todos os militares estarão aqui até as 17 horas de sexta-feira. Aqueles que vêm de fora. Os que já são da guarnição local naturalmente já estão se preparando para o cumprimento desta atividade. Para garantir o poder de apuração e votação no domingo. Nós vamos ter um um efetivo de 2.500 homens que estamos trazendo para Fortaleza. De mais de 19 organizações militares que vem de Pernambuco, Piauí, interior do Ceará, e distribuiremos em cada uma dessas unidades de acordo com as zonas eleitorais”, afirmou.

Segundo o general Teófilo haverá tropa militar fixa nos principais locais de votação e patrulhamento nas 645 pontos de votação.

“Teremos uma tropa de valor, uma organização militar, distribuída para duas ou três zonas eleitorais. Em cada local de votação não haverá uma tropa fixa, mas naqueles mais importantes, mais críticos, nós vamos sim ter uma tropa fixa. Mas os 645 locais de votação estarão patrulhados e com intervalo de cinco e dez minutos passará sempre alguma patrulha do exército nas proximidades do local de votação”, garantiu.

Pedido do TRE
Os juízes da Corte do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará aprovaram, por unanimidade, na sessão do dia 6 de outubro, o pedido de envio de força federal, feito ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para o 2º turno das eleições em Fortaleza.

A matéria foi levada ao Pleno do tribunal depois que o governador do Estado, Camilo Santana, em resposta ao Presidente do TRE, posicionou-se “favorável à presença das tropas federais, em Fortaleza, no próximo dia 30 de outubro”. A sessão da Corte foi presidida pelo desembargador Abelardo Benevides Moraes.

(G1 Ceará)

RioMar Kennedy impulsiona zona oeste de Fortaleza

116772840e80bd116346d58711695dc0

Na contramão do cenário de retração econômica e com o objetivo de trazer nova dinâmica para a zona oeste de Fortaleza, o shopping RioMar Kennedy, abriu ontem as portas com 146 dos 160 espaços previstos na primeira fase já comercializados. Destas, 103 lojas e 22 quiosques já estão funcionando. Quando estiver em plena operação, a estimativa é de que empreendimento – um investimento de R$ 500 milhões entre terreno e construção e mais R$ 100 milhões de investimentos de lojistas – será capaz de gerar R$ 90 milhões entre impostos federais, estaduais e municipais.

“Temos consciência da crise, mas a nossa confiança no País é maior”, afirmou o presidente do grupo JCPM, João Carlos Paes Mendonça, reiterando que o nível de ocupação do equipamento é um ponto fora da curva no cenário do varejo brasileiro. “O que está acontecendo aqui é um fenômeno porque o que está acontecendo no Brasil é inaugurar shopping com 13 lojas funcionando porque a crise veio e não foi para brincar. Mas, estamos extremamente felizes pelo nível de ocupação, pela qualidade das lojas que nós temos”.

Ele destacou que embora tenha sido construído de uma única vez, o empreendimento foi preparado para operar em duas fases. Nesta primeira etapa, dentre as lojas que já estão em funcionando estão marcas como Le Biscuit, Renner, Riachuelo, Mercadão São Luiz, Centauro, Arezzo, American News, Camisaria Colombo, Ferrovia, O Boticário, Havaianas, Cacau Show, Parente, Pague Menos, Lacqua de Fiori, Quem disse, Berenice?, IAP Cosméticos e Coisas Di Maria. Além de seis salas de cinema da Rede Cinépolis, uma academia de ginástica – a Smart Fit, serviços e espaços de entretenimento como Planet Park. A segunda fase, ainda sem data prevista para iniciar, terá mais 115 operações.

João Carlos ressalta que um dos grandes diferenciais do empreendimento é trazer um shopping moderno, com arquitetura arrojada, alto padrão de qualidade e eficiência, mas adequado à realidade da região. E que para isso foi feito um estudo no bairro que considerou os produtos e serviços já oferecidos, a quantidade de concorrentes e o perfil de compra dos clientes da região para chegar a uma equação que fosse positiva tanto para consumidores, como para os lojistas. “Não adianta pensar que vai ter Zara, que não vai ter. Não adianta pensar que só vai ter lojas de altíssimo nível porque poucas pessoas aqui têm recursos para comprar produtos de altíssima qualidade e de alto preço principalmente. E isso é normal, a gente tem que ter as lojas que o bairro pode pagar e que o lojista possa pagar”.

Confira lista completa de lojas em

http://bit.ly/2eSUewa

 

(Irna Cavalcante, O Povo Online)

 

Sindivigilantes processa Santander e Embrasil por horário de intervalo

imagens-legais-hora-do-almoc3a7o

O Sindivigilantes do Sul ingressou com ação judicial na Justiça do Trabalho, em Porto Alegre, processando o Banco Santander e a Empresa Brasileira de Segurança (Embrasil) por exigirem dos trabalhadores vigilantes, desde setembro, que desfrutem do horário de intervalo, que seria de almoço, na primeira hora da jornada, das o8h às 09h, ou ao final do trabalho, das 15h às 16h.

Na petição inicial, que instaura o processo, o sindicato solicita que o Judiciário determine ao banco a volta imediata do intervalo no meio da jornada de trabalho, como era antes. Também pede que seja declarado irregular o intervalo no início ou final do trabalho, com base na CLT, bem como a condenação do banco e da empresa a pagarem horas extras e indenização por dano moral aos vigilantes, pelos dias em que tiveram a hora intervalar fora do horário considerado normal.

Tal prática, diz a ação inicial, vem sendo imposta pelo Santander visando reduzir custos operacionais, com a exclusão do vigilante de rendição de almoço. O banco impôs a todas as empresas que lhe prestam serviços de segurança a adoção desta sistemática com o objetivo de diminuir seu custo com a mão de obra. Como se precisasse: o banco espanhol teve um lucro líquido no Brasil de R$ 6,6 bilhões no ano passado, 13,2% a mais que em 2014.

Isto não vem ocorrendo apenas no Rio Grande do Sul, é uma orientação nacional do Santander que já motivou, inclusive, uma denúncia da Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV) contra o banco à Polícia Federal. Porém, o Santander nem sequer respondeu a um ofício do Sindivigilantes do Sul que cobrava explicações e alertava que esta prática, além de ilegal, é prejudicial à saúde física e mental dos trabalhadores e trabalhadoras.

Inclusive, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) já se posicionou acerca do tema numa ação onde a empresa Carris Portoalegrense foi condenada a pagar horas extras a um agente administrativo que usufruía o intervalo de descanso no início da jornada. O sindicato está lutando pelo direito dos trabalhadores ao intervalo que sempre tiveram e confiante numa solução favorável da Justiça Trabalhista aos vigilantes do Santander/Embrasil.

Fonte: Sindivigilantes-SUL

Quem é quem: Veja quem votou pela PEC 241 e já começe a pressionar os senadores

Rede Brasil Atual
25/10/2016

Brasília – O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite de terça 25, em segundo turno, com 359 votos favoráveis, 116 contrários e duas abstenções, o substitutivo para a Proposta de Emenda à Constituição 241/16, que agora será apreciada pelo Senado. O texto, de autoria do deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), impõe limites para os gastos federais para os próximos 20 anos. Foram mais de sete horas de sessão.

> Veja como votaram os deputados
> Pressione os senadores a rejeitar a PEC 241

Em São Paulo, um ato na Avenida Paulista na noite desta terça-feira os efeitos nocivos da PEC à sociedade brasileira. As lideranças das frentes Brasil Popular e Povo sem Medo denunciaram a mídia tradicional e o governo Michel Temer de iludir a população. Durante todo o mês de outubro foram realizados protestos contra a medida. O balanço de terça 25 mostrou 1.108 escolas e 82 universidades estão ocupadas contra a PEC e outras medidas nocivas à educação como a Medida Provisória 746, de reforma do ensino médio, e o projeto Escola sem Partido.

Nas discussões que precederam a votação, o líder do governo, deputado André Moura (PSC-SE), disse que a limitação de gastos é fundamental para a retomada do crescimento econômico e do emprego e para o fim da recessão. Segundo Moura, a PEC não mexe nos recursos das áreas prioritárias como a saúde e a educação.

A oposição critica a medida e diz que a limitação vai retirar recursos das áreas sociais, principalmente da saúde e da educação. Os governistas rebatem os argumentos e garantem que não haverá cortes nessas áreas.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e os aliados do governo esperam concluir a apreciação da PEC na Casa em novembro. O trâmite está marcado para começar na quarta 26, com leitura da matéria no plenário. Se for aprovada, vai a sansão presidencial antes de ser anexada à Constituição Federal.

Jornada – Durante várias horas, a briga entre oposicionistas e integrantes da base aliada foi grande, em meio à variação de assuntos abordados em plena apreciação da proposta e trocas de farpas.Vários requerimentos foram rejeitados, ao longo do dia. Inclusive um que pedia a votação da proposta dividindo o texto em blocos e um segundo, que pedia a votação da PEC item por item.

Dentre as principais discussões, os destaques continuam sendo danos a serem observados com o congelamento nos setores de educação e saúde, que foi objeto de um protesto, das galerias por parte de grupo de estudantes. O deputado Paulo Pimenta (PT-RS) subiu para as galerias para tentar proteger os manifestantes de algum confronto com a polícia legislativa, ao ver a tensão instalada.

Já deputado Henrique Fontana (PT-RS) subiu ao plenário para afirmar que se a PEC já estivesse em vigor, o salário mínimo só poderia ser corrigido pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) “e hoje seria de R$ 500”. “O mesmo raciocínio vale para a saúde e para a educação, que sempre cresceram acima do IPCA”, afirmou.

O líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR), rebateu Fontana afirmando que os deputados contrários à PEC “parecem não ver o tamanho da crise do país”. A cada informação sobre as medidas apresentadas, pela base aliada, e a cada pesquisa ou estudo divulgado, mostrando os prejuízos a serem observados com a proposta, pela oposição, outros argumentos eram rebatidos de imediato num confronto sem fim.

Apelo de Chinaglia – Depois de a Casa ter proibido durante mais de três horas a presença de pessoas nas galerias para acompanhar a sessão, o que provocou protestos diversos, Maia quase proibiu a ocupação da área de vez. Ele aceitou rever sua posição depois que foi procurado pelo ex-presidente da Casa Arlindo Chinaglia (PT-SP,) que lhe fez um apelo pedindo para que ponderasse sua avaliação, diante da importância da matéria e sua repercussão junto à sociedade.

Um pouco antes, deputados entregaram caixas com aproximadamente 330 mil assinaturas contrárias ao texto da PEC e recolhidas na plataforma virtual de petições Avaaz. O diretor de relações institucionais da União Nacional dos Estudantes (UNE), Iago Montalvão, afirmou que a juventude tem se mostrado preocupada com seu futuro, já que a proposta trata diretamente dos interesses da juventude brasileira, da educação, da saúde e dos empregos que deixarão de ser criados.

“Isso que temos demonstrado com a ocupação de mais de mil escolas, 80 universidades e, a cada dia que passa, mais universidades se mobilizam, demonstra nossa insatisfação”, acrescentou.

A deputada Erika Kokay (PT-DF) ressaltou que as articulações dos partidos aliados do governo para derrubar emendas apresentadas pedindo uma votação mais detalhada da PEC são reflexo do medo que o Executivo tem, de a matéria ser rejeitada, caso o debate conseguisse ser mais aprofundado.

“Eles têm medo. Sabem que só podem votar com esse tipo de estratégia. A pressão do governo golpista para aprovar a PEC, a celeridade que querem dar à votação é para que o povo brasileiro não conheça o conteúdo de mais um golpe”, denunciou a parlamentar. A sessão continua para apreciação dos destaques.

Senado analisa quatro propostas para regularizar vaquejada

vaquejada-4
Foto: José Cruz/Agência Brasil

Em meio a protestos de vaqueiros e criadores de cavalos, que pararam o trânsito nesta terça-feira (25) na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, o Senado analisa quatro propostas para regulamentar a prática.

Os manifestantes protestam contra decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que derrubou lei estadual regulamentando a vaquejada. Os ministros acataram argumento de que a atividade impõe sofrimento aos animais. A decisão torna a prática inconstitucional, uma vez que a Constituição protege os animais contra a crueldade.

Na segunda-feira (24), líderes do movimento foram recebidos pelo presidente do Senado, Renan Calheiros. Ele se mostrou favorável à edição de norma para regulamentar a vaquejada.

“Contem comigo, nós estamos abertos, aqui no Senado, para ouvir todos os anseios da população e garantir o respeito à diversidade da cultura e das tradições brasileiras”, garantiu Renan.

Os manifestantes que vieram a Brasília pedem urgência na legalização da vaquejada e anunciam para o fim do dia uma cavalgada em frente ao Congresso Nacional.

Patrimônio cultural

Em defesa da vaquejada, três projetos (PLS 377/2016, PLS 378/2016 e PLC 24/2016) classificam a atividade como patrimônio cultural brasileiro e uma proposta de emenda à Constituição (PEC 50/2016) assegura sua continuidade, desde que regulamentada em lei específica que assegure o bem-estar dos animais envolvidos.

Autor da PEC, o senador Otto Alencar (PSD-BA) quer encerrar a controvérsia em torno da vaquejada incluindo no texto constitucional permissão para “as práticas culturais de natureza imaterial que integram o patrimônio cultural brasileiro e comprovadamente não submetam os animais à crueldade”.

Ele também é relator de um dos projetos sobre o tema (PLC 24/2016), que reconhece o rodeio e a vaquejada como manifestações culturais nacionais e patrimônios culturais imateriais.

Em voto favorável ao projeto, Otto Alencar argumenta que a atividade já segue normas estaduais que tratam da segurança dos animais, como a utilização exclusiva de bois adultos, o uso de cauda artificial, a abolição de esporas e a disposição de um mínimo de cinquenta centímetros de areia no local das provas, para amortecer a queda dos animais.

O projeto tramita na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) e chegou a entrar em pauta, mas manifestações contrárias dos senadores Antonio Anastasia (PSDB-MG) e Cristovam Buarque (PPS-DF) resultaram em pedido de vista, adiando a decisão sobre a proposta.

Na discussão da proposta na CE, Lídice da Mata (PSB-BA) e Roberto Muniz (PP-BA) apoiaram o projeto. Após passar pela comissão, o texto ainda precisa ser votado pelo Plenário do Senado.

Empregos em risco

Também tramitam na CE o PLS 377/2016, do senador Raimundo Lira (PMDB-PB), e o PLS 378/2016, de Eunício Oliveira (PMDB-CE). Ambos reconhecem a vaquejada como manifestação da cultura nacional e aguardam designação de relator.

O primeiro projeto atribui como competência do Poder Público assegurar o reconhecimento e a valorização da vaquejada como bem cultural imaterial.

Como argumento, Lira afirma que a criação de gado e a figura do vaqueiro marcaram a ocupação das terras do sertão nordestino. Ele ressalta que a vaquejada, originalmente, representava o encerramento festivo do trabalho de marcar e castrar o gado.

“Era a festa da apartação. Feita a separação, acontecia a vaquejada, com provas que mostravam a habilidade dos vaqueiros na lida com o gado”, disse.

Com o tempo, observa Raimundo Lira, a atividade se tornou uma tradição, uma prática cultural, o que justificaria sua manutenção. Além do valor cultural, ele argumenta que vaquejada e rodeio geram 600 mil empregos no país.

O reconhecimento da vaquejada como manifestação da cultura popular também é defendido no projeto de Eunício Oliveira. No texto, ele classifica a prática como atividade recreativa ou competitiva e determina que esteja submetida a normas da defesa sanitária animal.

O projeto torna obrigatório aos organizadores da vaquejada a adoção de medidas de proteção à saúde e à integridade física do público, dos vaqueiros e dos animais.

Obriga, durante a prática da vaquejada, a presença de um médico veterinário, que atuará com árbitro de bem-estar animal, impedindo maus tratos. Esse profissional poderá suspender a participação de animais que tiverem sua integridade física colocada em risco.

O projeto trata ainda do transporte dos animais, do espaço físico para realização das competições e da segurança do público e dos competidores.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Mercadinhos São Luiz terá loja de descontos no RioMar Presidente Kennedy

mercadao-800x350

Nesta quarta-feira dia 26 de outubro, será inaugurado, na zona oeste de Fortaleza, o shopping RioMar Presidente Kennedy. No mesmo dia, os Mercadinhos São Luiz inaugurarão mais uma loja no shopping. A nova loja terá um conceito diferente das outras lojas da capital, com foco em descontos e será chamada de Mercadão São Luiz. No início do ano, a empresa inaugurou um Mercadão São Luiz na cidade do Crato, no Cariri, com perfil semelhante.

Os serviços serão mais enxutos para garantir menores preços, mas os clientes serão recebidos com o mesmo jeito mercadinho de atender. Os produtos terão descontos especiais e a loja vai trabalhar com encartes diferenciados para algumas seções. Às segundas e terças, as frutas e verduras estarão com preços ainda mais vantajosos, enquanto às quartas e quintas, as ofertas serão na seção de carnes. Nas sextas, sábados e domingos, estarão com valores diferenciados produtos voltados para o fim de semana e para o abastecimento das despensas.

(Mercadinhos São Luiz)

Espetáculo ‘Não Vote em Mim’ satiriza campanhas eleitorais de Fortaleza em véspera de eleição

moises
Foto: Uirá Dantas

A disputa pela prefeitura de Fortaleza levou os candidatos ao segundo turno. Enquanto os pretendentes disputam o voto dos eleitores, o comediante Moisés Loureiro se compromete a fazer o público rir com a última apresentação da comédia “Não Vote em Mim” – uma análise bem humorada das campanhas eleitorais da capital cearense na véspera da eleição, no dia 29 de outubro, às 21H, no Teatro do Humor e Cultura e Cearense.

O espetáculo

O monólogo do ator aborda a política local, seus “coronéis”, capitães, vereadores e histórias bizarras de campanhas eleitorais da cidade. “Vai ter muito político com a orelha quente”, de acordo com Moisés.

“É rindo que se castigam os costumes”, diz a frase de origem latina que sempre permeia os trabalhos do comediante. Conhecido por fazer do humor um meio de se discutir assuntos sérios, Moisés faz críticas travestidas de piadas em seus espetáculos. “As pessoas discutem com muita formalidade, mas o humor é também uma forma de debater os males que cercam a gente. Acredito na comédia como ferramenta de transformação social”, afirma.

Os ingressos para o espetáculo podem ser adquiridos na bilheteria do teatro, na loja Nordwest do Shopping Benfica ou através do site Sympla.com e custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). Para a última apresentação do solo, Moisés dispensa o título de eleitor.

Primeiro turno

Moisés criou o monólogo especificamente para as eleições de 2016 e apresentou a comédia com casa lotada dias antes das eleições do primeiro turno. Os ingressos esgotaram em 30 minutos na bilheteria do teatro.

Serviço:
Não Vote em Mim
Data: 29 de outubro de 2016
Horário: 21H
Local: Teatro do Humor e Cultura Cearense – Rua Oswaldo Cruz, 01, Meireles
Ingressos: R$ 30 (inteira) / R$ 15 (meia)
Informações: (85) 98601.3839

(Rádio Verdes Mares)

Fortaleza ganha 550 novas lojas e quiosques em cinco meses

kennedy-600x346

Numa época em que a economia nacional não vai tão bem, o comércio varejista de Fortaleza mostra sua força e continua crescendo em meio a dificuldades. Prova disso é que os consumidores terão mais de 550 novas opções de lojas e quiosques em shopping centers da cidade, grande parte sendo inaugurada até o fim deste ano, prometendo aquecer as vendas de Natal.

Esse crescimento, iniciado em agosto, também representa mais emprego e renda para a população e se deve, principalmente, à inauguração do Grand Shopping, do RioMar Kennedy e da reinauguração do North Shopping Fortaleza. Mas há previsão para abertura de dezenas de lojas em outros centros de compras da Capital cearense.

Aberto no último dia 10 de agosto em Messejana, o Grand Shopping contará com 182 lojas até o fim do ano, incluindo cinco âncoras e seis megalojas. Renner, Americanas, Cacau Show, Zenir, BanBan Calçados, Ferrovia, Skyler, Iap Cosméticos e o Boticário estão entre as opções.

No dia 21 deste mês, foi a vez da reinauguração do North Shopping Fortaleza, que terá mais 40 opções de lojas. Entre as novas operações estão Puro Açaí, Cafeteria Três Corações, Parente, Empório Brownie, Rei do Mate, Hot’n Tender, Polo Wear e Livraria Saraiva.

Já o RioMar Kennedy, que será aberto ao meio-dia de hoje (26) no bairro Presidente Kennedy, terá 275 lojas, sendo seis âncoras, supermercados, restaurantes, praça de alimentação, etc. Os nomes dos principais estabelecimentos só serão divulgados durante o evento de inauguração, mas algumas lojas como Renner, Centauro, Le Biscuit, Pague Menos e Mercadinhos São Luiz já estão confirmadas no novo empreendimento.

Iguatemi

O Shopping Iguatemi Fortaleza ganhou, no último mês de setembro, a GrandVision, loja que faz parte da maior rede de óticas, Fototica. No mesmo mês, foi inaugurado o Engenho Dedé, restaurante especializado em pratos regionais brasileiros. Na semana passada, também foi aberta a loja Enzo Milano, de moda masculina. Nesta semana, um novo Açaí passará a operar na praça de alimentação da primeira etapa do shopping.

Até dezembro, mais cinco lojas serão inauguradas no Iguatemi, que ainda não podem ser divulgadas por questões contratuais. Uma delas é a Lez a Lez, especializada em moda sofisticada e descolada.

Parangaba e Aldeota

Neste mês, foi aberta no Shopping Parangaba a loja Pynky, que conta com artigos femininos, como roupas, sandálias e acessórios. Até o fim do ano, mais três lojas passarão a funcionar: Mega Matte, Chilli Beans e Imaginarium.

A loja Mega Matte, por exemplo, atua no segmento alimentício, com a proposta de oferecer uma alimentação saudável, com alimentos orgânicos. Já a Imaginarium oferece produtos/presentes criativos, como almofadas, porta retratos, cases, capas, e diversos produtos.

Nos meses de setembro e outubro, o Shopping Aldeota passou a contar com seis novas operações: Womans Academia, Vila da Pipa, Lavanderia Girassol, Bichomania, Off Jolie e Arte no Fazer. Em novembro e dezembro, serão inauguradas mais quatro lojas: Rose Gourmet, Tirar – Presentes e Decoração, De Bem com a Vida e L’Occitane.

Del Paseo e Via Sul

Por sua vez, o shopping Del Paseo também ganhou sete estabelecimentos nos meses de setembro e outubro deste ano: Calvin Klein Jeans (reinauguração), Maison KA, Budega Cariri, Vignoli Expresso, The Gift, Gráfica Digital e Zoo Drive. Até o fim deste ano, será aberta no centro comercial, uma loja da Brooksfield e outra da Claro.

Já o shopping Via Sul anuncia a chegada das lojas da Kiquitaluki e Afins Cosméticos, com foco, respectivamente, em produtos como roupas, acessórios e itens de maquiagem e beleza. A Livraria Ler já está em funcionamento no shopping. O espaço oferece diversidade em livros, literatura nacional, romance,técnico, infantil, e um café com opções de lanches e bebidas. A Calvin Klein Jeans também retomou suas atividades no shopping. Até o fim do ano, serão abertas ainda a Polo Wear, Mundo Verde e Rádio Infinity.

Benfica

No Shopping Benfica, de setembro a outubro, foram inauguradas as seguintes lojas e quiosques: Mundo Verde; Linda Moda; gráfica Elinks Design; BanBan Calçados; Mundo dos Mimos; Camiseta Feitas de Pet; Empório do Aço; e a sorveteria Sabores da Fruta.

Até o fim deste ano, estão previstas as seguintes inaugurações: Dolce Gelato; Café Donzelo; New Harmony; Chlorophylla (quiosque); Samsung (quiosque); Puro Açaí; Doctor Cell; e Ortobom (reinauguração).

O mix do shopping será ainda maior, com a chegada de mais seis lojas, em fase final de negociação, dos segmentos: tatuagem e barbearia, moda praia, self service, moda infantil, pet shop e games. Os nomes ainda não podem ser divulgados.

OPINIÃO

Fortaleza lidera investimentos na Região Nordeste

Nenhuma capital da região Nordeste recebeu tanto investimento no setor do varejo como Fortaleza, nos últimos três anos, de 2013 a 2016. São dois fatores que devemos reconhecer nesse processo de expansão do número de lojas na cidade, puxado pela inauguração de vários shopping centers, sendo dois empreendimentos abertos e outro reinaugurado só neste ano. O primeiro fator é o potencial de consumo de Fortaleza, que é muito grande. O segundo é a crença de grandes investidores no nosso mercado, fundamental para a qualificação do varejo e para a geração de emprego e renda. A chegada desses empreendimentos comerciais, por outro lado, também aquece o mercado imobiliário local, verticalizando as regiões onde os shoppings estão instalados. E também ajuda a melhorar a infraestrutura da cidade, à medida que atrai investimentos do poder público para a construção e alargamento de vias, por exemplo. Parabenizo, principalmente, os investidores e lojistas, que mostram sua coragem e inteligência ao investirem na nossa Capital.

Severino Ramalho Neto

Presidente da CDL de Fortaleza

Fonte: diariodonordeste

Le Biscuit inaugura loja no Shopping RioMar Presidente Kennedy

le-biscuit-fachada-02

A Le Biscuit inaugura amanhã sua 6ª loja em Fortaleza (Ceará), um dos principais centros comerciais do Brasil e a terceira maior região metropolitana do Nordeste. Localizada no Shopping RioMar Presidente Kennedy, a unidade integra um projeto inovador de complexo comercial, que também é novidade na cidade.

Apostando em boas opções de compra, lazer e gastronomia, o novo shopping imprime conceitos de sustentabilidade e compromisso social. Próximo a algumas das principais referências da capital cearense, como a Universidade Federal do Ceará e seu polo industrial, o centro comercial localiza-se na Avenida Bezerra Menezes e desponta como um dos maiores investimentos em Fortaleza.

Atenta ao desenvolvimento local, a Le Biscuit possui um histórico de sucesso na capital. Em menos de três anos, a empresa inaugura sua sexta unidade em Fortaleza, sendo a 73° unidade. Especializada em oferecer aos seus clientes produtos de utilidades para o lar, brinquedos, objetos de decoração, itens de telefonia, já é adorada pelos consumidores.

Com toda a qualidade da marca, a inauguração gerou mais de 70 empregos diretos e indiretos, e teve um investimento de R$ 3,5 milhões para abertura da loja. Esta será a 14ª unidade da Le Biscuit com o Grupo JCPM, um dos maiores conglomerados empresariais do Brasil.

Sobre a Le Biscuit

A Le Biscuit é uma rede de lojas de departamento, que possui um mix variado de mais de 60 mil itens de decoração, utilidades para o lar, brinquedos, papelaria, festas, bebê, armarinho, bomboniére, eletro domésticos e portáteis, telefonia, cama, mesa e banho. Atualmente, a rede possui 73 lojas em doze estados (Bahia, Sergipe, Pernambuco, Pará, Rio Grande do Norte, Maranhão, Minas Gerais, São Paulo, Piauí, Alagoas e Ceará).

Postado por Marcellus Rocha

Via http://www.cearaenoticia.com.br

Centauro expande atuação no Nordeste com 7ª unidade em Fortaleza

A rede de lojas multimarca voltada para a moda desportiva Centauro dá continuidade à sua expansão Brasil afora mesmo em um ano de grande turbulência no cenário político-econômico. Na verdade, esta quarta-feira, 26 de outubro, marcará a abertura da sua 7ª unidade em Fortaleza, a 188ª no país, no mais novo centro comercial da capital cearense, o Shopping RioMar Kennedy.

Nova unidade contará com 1.347 m² e uma gama de mais de 1.800 produtos. – Foto: Reprodução

A aposta da rede, que reivindica um posto de liderança no varejo de moda desportiva na América Latina, não é nada modesta. Com um espaço total de 1.347 m², segundo a marca, a nova loja contará ainda com uma gama de mais de 1.800 produtos diferentes, entre calçados, vestuário, equipamentos e acessórios voltados às mais diversas atividades físicas, além de um estoque composto por 28 mil itens.

Para cobrir uma unidade desta envergadura, a empresa aponta que sua atividade será lançada com cerca de 30 colaboradores que trabalharão num ambiente descolado, onde se destaca uma pista de atletismo que convida os consumidores a uma visita por todo o ambiente – uma característica das lojas da marca –, além de mobiliário estrategicamente montado a fim de destacar de forma prática e intuitiva cada uma das práticas desportivas ao longo do trajeto.

Esta inauguração se inscreve, segundo a Centauro, em um movimento de expansão que busca a “democratização da prática de esportes”. Para tanto, o evento inaugural contará com uma noite de autógrafos com o atacante Bill e o goleiro Éverson do Ceará Sporting Club, a partir das 19h00.

Outra iniciativa voltada à promoção do novo PDV é uma parceria firmada com academias, boxes de crossfit e estúdios de pilates, que convidam os alunos à loja, oferecendo desconto em qualquer compra.

Hoje, a Centauro conta com 188 unidades espalhadas por 22 estados da Federação e emprega mais de 8 mil colaboradores, além de atuar fortemente no mundo digital com sua plataforma e-commerce. Já a sede da companhia se localiza na cidade de São Paulo.

Por 

Via http://br.fashionnetwork.com

RioMar Kennedy Fortaleza será inaugurado nesta quarta (26/10)

1416935305_large
RioMar Kennedy, em Fortaleza-CE Foto: http://www.jcpm.com.br

Com investimento estimado de R$ 500 milhões, será inaugurado hoje o segundo shopping center do Grupo JCPM no Ceará, o RioMar Kennedy. Com 275 lojas e Área Bruta Locável (ABL) de 53.797 metros quadrados (m²), o centro comercial aposta no entretenimento, no lazer e na gastronomia com novas opções de compras para os consumidores da Capital. O empreendimento contará com seis lojas âncora e 12 megalojas. O equipamento estará aberto ao público a partir do meio-dia.

Foram 18 meses de obra, concluída em maio. A expectativa é de geração de 3 mil postos de trabalho com a operação total das lojas. Localizado na Avenida Sargento Hermínio Sampaio, o centro comercial informa ter 3,2 mil vagas de estacionamento.

O RioMar Kennedy é o 13º empreendimento do Grupo JCPM no País. O shopping contará também com uma torre empresarial, com 225 salas empresariais em 6.626 m² de área privativa, em 14 pavimentos. De área construída são 15.910 m².

O investimento estimado na construção do shopping é em torno de R$ 500 milhões.

Como ocorreu no Papicu, na construção do RioMar Kennedy, o JCPM investiu R$ 12,7 milhões em ações no entorno do shopping. Desse total, R$ 11,2 em alargamento de vias (Sargento Hermínio, Olavo Bilac, abertura de via local e recuperação do canteiro central da avenida Dr. Theberge), além de R$ 1,5 milhão para implantação de estações de bicicletas que serão administradas pela Prefeitura.

O moderno empreendimento nasce comprometido com a redução de demanda de recursos naturais. Tem Sistema integrado de Automação e Segurança Predial para controle e supervisão dos sistemas de ar-condicionado, iluminação, água, esgoto, gás, combate a incêndio e segurança predial. Possibilitando economia de recursos naturais e custos operacionais.

A shopping conta ainda com integração da iluminação natural com a iluminação artificial nas áreas das aberturas envidraçadas. Além de captação da água da chuva na cobertura do edifício, esgoto a vácuo que usará 70% menos de água e redução de 32,5% de demanda energética. Conta com uma subestação em alta tensão (69Kv), que garante maior confiabilidade e menores tarifas. Além de não sobrecarregar a rede de média tensão (13,8Kv) que atende aos empreendimentos vizinhos.

As lojas que já anunciaram abrir as portas no RioMar Kennedy são a âncora Renner, além de Arezzo, Centauro, Le Biscuit, Mercadinhos São Luiz, Gamestation, Óticas Visão, C.Rolim, Casa Pio e Picanha do Cowboy.

(Artumira Dutra, O Povo Online)

Valentina Sampaio: a modelo trans cearense que é aposta nacional nas passarelas

valentina-sampaio-modelo-transexual21

Valentina Sampaio (Foto: Reprodução/Instagram)

Ela é linda, é rosto de uma marca de cosméticos e sonha ser uma Angel da Victoria Secret’s. Conheça mais sobre Valentina Sampaio

Primeira porta-voz transgênera de uma renomada marca internacional de cosméticos, Valentina Sampaio nasceu em Fortaleza, Ceará, é grande aposta nas passarelas. E a modelo certamente não irá parar por aqui.

A modelo, que sonha virar uma Angel, da Victoria Secret’s, tem 20 anos e muita ambição. Também deseja ser a próxima Gisele Bündchen e desfilar para a marca francesa Givenchy. Se depender dela, Valentina Sampaio será um nome que ainda veremos muito por aí, mesmo com as lutas que ela ainda tem de travar.

Valentina ainda está na batalha para conquistar seu nome social registrado na identidade, mas não permite que sua carreira como modelo seja afetada por isso. A modelo também não fez a cirurgia de redesignação sexual e planeja fazê-la na Tailândia, onde o procedimento conta com avanço tecnológico maior que no Brasil. Mas já faz tratamento hormonal com endocrinologista.

valentina-grazi
Valentina foi anunciada recentemente como uma das nova porta-vozes da L’Oréal, se juntando a nomes como Grazi Massafera (Foto: Reprodução/Instagram)

Valentina Sampaio faz parte de grupo de embaixadoras da marca de cosmésticos que conta com grandes celebridades nacionais como Grazi Massafera, Taís Araújo, Juliana Paes, Isabeli Fontana e Sophia Abrahão. A modelo trans se mostrou muito grata pela oportunidade e pelo reconhecimento que a marca concedeu a ela com a escolha.

A cearense afirma que sofreu maior transfobia conforme ganhou visibilidade. Quando vivia em Fortaleza, com seus pais, a aceitação era maior, até mesmo na escola. A mãe professora e o pai pescador sempre viram Valentina como ela é: uma menina. E também a apoiam na carreira.

Após conquistar fama, o preconceito começou a surgir: “as pessoas podem ser más”. Mas a modelo aprendeu a não baixar a cabeça e manter-se firme para enfrentar toda sorte de adversidades que encontra na carreira.

Com toda essa história de vida, Valentina Sampaio prova que nada vai derrubá-la: vai continuar focada em seus objetivos até alcançá-los. Ela afirma: “eu vim para ficar”, e quem a vê desfilar sabe que veio mesmo.

(Via IG São Paulo)

Em mutirão, 50 mulheres passam por reconstrução mamária

Por Ana Rute Ramires, O Povo Online

opovo
Nereide Moreno é uma das mulheres beneficiadas no mutirão – AURÉLIO ALVES/ESPECIAL PARA O POVO

“Olhar pro espelho e não ver uma parte do seu corpo é algo que não dá pra explicar”. A emoção em forma de frase é de Nereide Moreno, 43. Após a descoberta do câncer de mama, ela conta, cada fase da luta contra a doença é uma vitória. Quimioterapia, mastectomia, radioterapia, e, agora, a resconstrução mamária. É uma reconstrução de si mesma. “O que tava faltando vai voltar”, resumiu, confiante, ontem, poucas horas antes de se submeter ao procedimento.

Nereide e outras 49 mulheres serão beneficiadas pelo 2º Mutirão Nacional de Reconstrução Mamária em Fortaleza. As cirurgias tiveram início ontem e seguem até sábado. A ação é realizada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) em parceria com cirurgiões plásticos, regionais, serviços credenciados da SBCP, hospitais públicos e privados.

Trinta cirurgiões plásticos especializados em reconstrução mamária atenderão às mulheres que estavam na lista de espera de cada hospital participante da ação. “O objetivo da reconstrução é ter de volta o tecido que dá o volume mamário retirado na mastectomia”, diz Cido Carvalho, presidente da SBCP no Ceará. Ele explica que são utilizados tecidos de algumas regiões do corpo e prótese de silicone para o preenchimento.

“O foco do mutirão é a reconstrução tardia. Aqui no hospital serão 19 cirurgias”, esclarece Vitor Muniz, cirurgião plástico do Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC). A reconstrução tardia ocorre quando a condição clínica da paciente não permite que a cirurgia seja logo após a mastectomia, ele diz.

Ontem foi o último dia em que Nereide teve de evitar olhar o próprio reflexo no espelho. Ainda pela manhã, sentada na cama de uma das enfermarias do HUWC, a ansiedade pela cirurgia era grande. “Com certeza minha autoestima vai aumentar. Perder o cabelo não foi tão ruim. Mas a sobrancelha e o seio foi difícil. Foi como perder a identidade”, reflete.

Além do HUWC, as cirurgias serão realizadas no Instituto do Câncer (ICC), Instituto Doutor José Frota (IJF), Hospital Geral de Fortaleza (HGF), Cura D’Ars, Fernandes Távora, Hospital da Mulher e Hospital de Juazeiro do Norte.

Fortaleza recebe I Jornada de Psicanálise

mind2-300x300

A recém formada Sociedade Psicanalítica de Fortaleza (SPFOR) realiza nos dias 28 e 29 de outubro, no Ponta Mar Hotel, a I Jornada de Psicanálise do grupo enquanto sociedade. O evento será uma preparação para o XXVI Congresso Brasileiro de Psicanálise, que em 2017 será realizado em Fortaleza.

Com o tema “Morrer, Viver… Talvez Sonhar”, a jornada promete estimular a discussão e a reflexão sobre problemas que são encontrados na prática clínica com os pacientes e também na vida em sociedade, pois um dos temas de conferência propõe discutir e entender psicanaliticamente o problema do suicídio, a violência contra si mesmo, e a tortura, uma violência que pode se tornar até institucionalizada.

Programação

As atividades contemplam problemas da clínica psicanalítica, como discussão de casos clínicos e alguns trabalhos, diálogos com outras áreas do conhecimento, como Medicina e Neurociências (na mesa Sexualidade e Tempo serão discutidos feminilidade, fibromialgia e perdas cognitivas do envelhecimento) e Cultura na mesa Vida, Morte e Cultura.

O atendimento às crianças e problemas da infância terão lugar na atividade do Núcleo de Psicanálise da Infância e Adolescência (NUPIA). O grupo irá se apresentar oficialmente como Sociedade, na mesa Transformações.

Na ocasião, será realizada uma homenagem à Sociedade Psicanalítica do Recife, que foi mentora até o momento da autonomia do grupo. É possível perceber, com a programação, que as pulsões de Vida e de Morte serão discutidas em todas as atividades. Dessa forma, toda a jornada nos estimula e convida para o Congresso Brasileiro de Psicanálise de 2017.

Serviço
I Jornada de Psicanálise SPFOR: “Morrer, viver… talvez sonhar”
28 e 29 de outubro
Ponta Mar Hotel

(Tribuna do Ceará)

Fortaleza recebe VI etapa do Circuito Brasileiro de Frescobol

dsc_0192
(Foto: Lucas Barros / Globoesporte.com/pb)

Fortaleza recebe pela primeira vez o Brasileiro de Frescobol (Foto: Divulgação)

O litoral de Fortaleza é point dos esportes ao ar livre. Entre eles, o frescobol. Assim, a capital cearense foi escolhida para sediar pela primeira vez o Circuito Brasileiro de Frescobol. O evento será realizado entre os dias 19 e 20 de novembro, na Praia do Futuro. A competição vai trazer atletas renomados de todo o Brasil e tem o apoio da Associação Brasileira de Frescobol (ABRAF).

A Barraca Praia Brasil, na Praia do Futuro, será a sede do Brasileiro de Frescobol. Fortaleza recebe a penúltima, após o evento ter passado por cidades do Rio de Janeiro, Pernambuco, Espírto Santo e Rio Grande do Norte. A competição tem sete etapas e seis categorias. No Profissional, duplas masculina, feminina e mista. Na Master +50, duplamasculina. Na categoria Amador, dupla mista e dupla masculina.

Com o Brasileiro na reta final, a etapa realizada em Fortaleza também será determinante para o ranking nacional. Se você quiser saber mais do esporte e ver grandes nomes da modalidade mais de perto, é só aparecer na Barraca Praia Brasil, na Praia do Futuro. O evento será aberto ao público.

(Agências BR)

7 coisas que é melhor não revelar sobre si mesmo no trabalho

livro-direito-silencio

Por Claudia Gasparini

São Paulo — Falar sobre si mesmo no trabalho é importante — e muitas vezes indispensável — para o sucesso. Afinal, não dá para construir vínculos e alimentar o seu networking de você não se abre minimamente para colegas, clientes, chefes e subordinados.

“Revelar as coisas erradas pode ter um efeito devastador sobre a sua carreira”, diz o psicólogo norte-americano Travis Bradberry em artigo no LinkedIn. “Você precisa ter um limite e tomar cuidado para não atravessá-lo, porque, uma vez feito isso, não tem como voltar atrás”.

O segredo para se expor de forma segura e equilibrada é a inteligência emocional. Quem tem essa competência é capaz de ler as dinâmicas mais sutis de cada ambiente e analisar o comportamento alheio.

Essas habilidades são fundamentais para determinar o que pode ser compartilhado socialmente e o que é melhor guardar para si.

Via de regra, diz Bradberry, estas são 7 informações que ninguém deveria revelar sobre si mesmo no trabalho:

1. Suas crenças políticas

Diante da polarização ideológica instalada no Brasil e no mundo, as opiniões políticas formam uma parte quase indissociável da identidade de cada um. “Discordar com as visões de alguém no trabalho pode rapidamente prejudicar a imagem positiva que aquela pessoa tinha de você”, escreve o psicólogo no LinkedIn. “Confrontar os valores de alguém é uma das coisas mais ofensivas que você pode fazer”, diz ele.

É mais estratégico escutar o que os seus colegas e chefes têm a dizer, da forma mais neutra e respeitosa possível. Hoje os ânimos andam tão aflorados que até um olhar de reprovação pode desencadear um conflito. Para Bradberry, contestar a opinião política de uma pessoa tem mais chances de irritá-la do que de fazer com que ela repense suas ideias.

2. Quem você acha incompetente na equipe
Em qualquer ambiente de trabalho, é comum haver uma figura que todos identificam como a menos comprometida ou eficiente do grupo. Mas esse consenso silencioso não dá aval para a maledicência. Segundo Bradberry, revelar a sua opinião sobre a incompetência de um colega pode parecer uma tentativa insegura de valorizar o seu próprio desempenho.

Se você não tem o poder de demitir aquela pessoa, ou fazer com que ela melhore a sua entrega, é melhor se calar. O hábito de falar mal dos outros no trabalho sempre se vira contra o agressor: se você não controla o seu próprio veneno, mais cedo ou mais tarde se tornará o alvo da vez.

3. Seu salário

Nem todas as empresas têm uma política estruturada de remuneração, e eventuais incongruências podem gerar um forte sentimento de injustiça. Assim, por mais que seja tentador revelar os números do seu holerite, é melhor se calar a respeito disso. Até boas notícias como aumentos salariais merecem discrição.

A partir do momento em que você e seu colega souberem quanto cada um ganha, vocês nunca mais se verão da mesma forma. “Uma vez revelada essa informação, tudo que você fizer no trabalho será visto como algo inadequado para a sua faixa salarial”, escreve Bradberry.

4. O fato de que você odeia o seu emprego

Pessoas negativas ou queixosas são muito mal vistas em qualquer ambiente de trabalho. Por isso, por mais que você realmente esteja sofrendo no seu emprego atual, é melhor pensar duas vezes antes de abrir o seu coração para os demais.

De acordo com Bradberry, os chefes são rápidos em perceber quem são as pessoas que estão deprimindo o ânimo da equipe com as suas reclamações. Se você não quer ser substituído por alguém mais “bem-humorado”, é melhor conter as suas queixas e discretamente buscar emprego em outro lugar.

5. Sua vida sexual
Segundo Bradberry, compartilhar com colegas o que você faz entre quatro paredes é sempre uma má ideia. “Comentários do tipo podem provocar algumas risadas, mas muita gente vai se sentir desconfortável ou até ofendida”, escreve o psicólogo. “Cruzar essa linha vai ferir instantaneamente a sua reputação”.

O mesmo vale para o que você imagina sobre a vida sexual alheia. De acordo com o especialista em inteligência emocional, quem faz perguntas ou comentários sobre a intimidade dos outros no trabalho pode ser visto como alguém invasivo, pouco confiável ou até assustador.

6. Histórias malucas sobre a sua juventude
Tem uma história muito engraçada sobre uma festa em que bebeu até cair aos 19 anos? Adora falar sobre o seu hábito de roubar pequenos objetos quando era mais novo? Muitos anos podem ter transcorrido desde então, mas nem por isso as pessoas vão necessariamente acreditar que você amadureceu. O seu passado diz muito sobre você, diz Bradberry.

Basta ver os políticos: muitos já foram e continuam sendo eleitos apesar de histórias pouco abonadoras sobre o seu passado — mas só depois de um árduo trabalho de convencimento feito pela sua equipe de relações públicas. Como você não conta com essa “infraestrutura” para limpar o seu nome, é melhor guardar as suas anedotas para si mesmo.

7. Seus planos de mudar de emprego
Bradberry conta que, quando era criança, cometeu o equívoco de contar ao seu treinador de beisebol que ia abandonar o time dentro de duas semanas. Durante todo aquele período, ele foi rotulado como “o menino que não quer estar aqui” e amargou o banco de reservas enquanto os demais jogavam e se divertiam.

O mesmo vale para a vida profissional, conclui ele. “Ao revelar que pretende ir embora, você de repente se transforma numa perda de tempo para todo mundo”, escreve o psicólogo. “Também existe a possibilidade de que a sua busca por um novo emprego não dê certo, então é melhor esperar algo mais concreto antes de espalhar a informação para todo mundo”.

(Exame Online)

Ceará: Botequim dos Bancários faz tributo a Belchior, nesta sexta (28/10)

b44ef025585d908e04769a8886c59023

O cantor cearense Belchior – que comemora 70 anos de idade no dia 26 deste mês, e por isso está sendo alvo de uma série de homenagens no estado do Ceará, em São Paulo e Rio de Janeiro, centros culturais onde atuou – será o grande homenageado do Botequim dos Bancários no próximo dia 28 deste mês (sexta-feira). O evento, intitulado “Tributo a Belchior – Abraços e Canções”, terá início às 18h30, na sede do Sindicato dos Bancários do Ceará (Rua 24 de Maio, 1289 – Centro), com entrada gratuita, sendo um justo reconhecimento aquele que foi um dos cantores e compositores cearenses de maior sucesso no cenário nacional a partir da década de 70.

A abertura da programação será com o jornalista Nelson Augusto, seguido de apresentação de vídeo com Show de Belchior e lançamento do livro “Para Belchior com Amor”. Em seguida, apresentação de voz e violão com músicas de Belchior. Paralelamente, estarão em exposição as capas dos discos do cantor cearense no auditório do Sindicato e serão vendidas camisetas e discos do Belchior.

Como atração principal do Botequim, teremos o cantor Edinho Vilas Boas e Grupo interpretando o melhor de Belchior, que é um dos mais conceituados da cena musical independente do Ceará, tendo levado a musica cearense para além das fronteiras realizando shows em outros Estados e participando de importantes eventos do País.

SORTEIO: O tradicional sorteio de vales-contas no valor de R$ 100,00 cada está garantido mediante sorteio entre os bancários sindicalizados, que assinarem lista de presença na entrada do evento.

O Botequim dos Bancários já faz parte da programação de eventos do Sindicato,sendo um espaço cultural destinado aos trabalhadores bancários, seus familiares e amigos, sob a coordenação da Secretaria de Cultura do Sindicato.

Clique aqui para ver o vídeo promocional.

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

Problemas na migração do HSBC para o Bradesco? Veja seus direitos

bradesco-hsbc
(Foto: Pilar Olivares/Reuters; Pierre Albouy/AFP)

Por Marília Almeida, Exame Online

São Paulo – A migração dos clientes do HSBC para o Bradesco, iniciada no dia 8 de outubro, está dando dor de cabeça para alguns clientes do HSBC, conforme reclamações postadas no site Reclame Aqui.

As reclamações mais recorrentes apontam falha na transição de conta salário para o Bradesco, bloqueio do cartão do HSBC e demora na entrega do cartão de débito do Bradesco. Há também relatos de débito do valor integral de dívidas que estavam em negociação no HSBC.

Desde o início da migração, foram postadas mais de mil queixas relacionadas ao Bradesco no Reclame Aqui, uma média de 114 por dia.

Apesar dos problemas, o vice-presidente de tecnologia do banco, Maurício Minas, considera que a migração de 5 milhões de clientes do HSBC, feita durante um final de semana, foi bem-sucedida. “Pelo porte da operação, imaginar que não haveria ocorrência era uma utopia”, diz.

Já prevendo essas ocorrências, o banco diz ter ampliado sua central de atendimento para dar suporte aos clientes.

Veja abaixo como cada problema está sendo solucionado e o que fazer em cada caso:

Salários atrasados

Sobre os problemas relacionados à abertura de contas-salários, que provocaram atraso do pagamento das empresas aos clientes do banco, Minas explica que as falhas foram causadas por conta da diversidade de arquivos com a folha de pagamento que as empresas mandaram para o Bradesco.

“Em situações, pontuais, que envolveram algumas grandes empresas, tivemos problemas no reconhecimento do formato desses arquivos pelo banco. Essas inconsistências tiveram de ser tratadas manualmente, o que causou atrasos no salário de alguns funcionários”, explica o executivo.

Nesse caso, o banco irá assumir a responsabilidade se houver qualquer prejuízo tanto para a empresa como para o cliente, afirma Minas. “Se o cliente ficar com a conta negativa até receber o salário, o banco não poderá cobrar juros”, diz Ione Amorim, advogada do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec).

Identificados na semana passada, Minas aponta que desde então o banco avançou na solução dos problemas. “Não posso dizer que está tudo resolvido, mas não registramos novas ocorrências nas últimas 24 horas”.

Caso o problema não seja solucionado, Ione, do Idec, diz que o consumidor pode até mesmo entrar com uma ação na justiça por dano moral.

Demora no recebimento de cartões

Sobre problemas relacionados à demora em receber cartões de débito do Bradesco e bloqueio do cartão do HSBC, Minas garante que todos os cartões do HSBC somente serão bloqueados após 31 de outubro. “Até lá, todo cliente do HSBC poderá continuar usando o cartão, a não ser que já tenha ativado o novo cartão do Bradesco. Nesse caso, o cartão do HSBC é automaticamente bloqueado”.

Minas recomenda a clientes que ainda não receberam o cartão do Bradesco para que verifiquem no banco se é necessário atualizar seu endereço. “Se ele não recebeu certamente há algum problema com o seu cadastro no banco. Enviamos 100% dos kits de boas-vindas há algum tempo”.

Caso o Bradesco verifique que diversos clientes ainda não ativaram o cartão Bradesco o prazo para o bloqueio do cartão HSBC pode se estender por mais 30 dias.

Ione, do Idec, aponta que o cartão do HSBC não pode ser bloqueado antes do prazo estabelecido ou até que o novo cartão seja entregue ao cliente. “Nesse caso, o banco tem de estornar qualquer prejuízo que o cliente teve durante o tempo que ficou sem o cartão. Alguns serviços, como transferências, são mais caros se realizados em agências. O banco deve devolver essa despesa extra ao cliente”.

Débito de dívidas negociadas

Clientes que verificaram cobranças indevidas na migração, como débito de dívidas que estavam sendo negociadas, devem entrar em contato com o banco e apontar evidências sobre a negociação, como o e-mail de um gerente, por exemplo.

Minas afirma que todas as condições das dívidas de clientes do HSBC serão preservadas no novo banco. “Se algum desconto foi combinado no HSBC e por alguma razão se perdeu antes de ser efetivamente aplicado, ele será cumprido no Bradesco”.

TRF5 e TRT6 entre os mais produtivos do País, aponta CNJ

c88bc1fb45e4adc8e51fd489a4e80a6f
TRT6 atinge índice de produtividade de 100% pelo terceiro ano seguido. TRF5 também está entre os melhores Foto: reprodução/Rádio Jornal

Por Paulo Veras

Terra de um dos primeiros cursos de Direito do Brasil, Pernambuco é também um dos principais polos jurídico do País. O relatório Justiça em Números, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), mostra um raio-x do Judiciário pernambucano com duas faces bem distintas: uma bastante animadora e outra cercada de expressivos gargalos. O documento mostra que o Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) e o Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT6) estão entre os mais produtivos do País em suas áreas de atuação. Com números no geral menos positivos, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) tem desafios pela frente para galgar melhores posições.

Pelo terceiro ano seguido, o TRT6 atingiu 100% no Índice de Produtividade Comparada (IPC-Jus), um indicador que analisa os principais dados de produtividade de cada tribunal do País. Já o TRF5, pelo segundo ano consegue um indicador acima de 93%, obtendo alguns dos melhores resultados do País. Sob a sua jurisdição, as Justiças Federais de Alagoas e Rio Grande do Norte conseguiram nota máxima no IPC-Jus; enquanto Ceará e Paraíba mantiveram níveis elevados.

Justica em Numeros

Embora longe de ser ruim, a Justiça Federal de Pernambuco é a menos produtiva do grupo, com IPC-Jus de 84%. Para o desembargador federal Rogério Fialho Moreira, presidente do TRF5, o índice da JFPE é excelente por estar acima da média da Justiça Federal, que é de 75%. “Há sempre espaço para melhorias. Uma delas consiste em ampliar o uso do processo eletrônico, inclusive para as ações penais e de execução fiscal. Isso certamente dará maior rapidez aos julgamentos e reduzirá custos, fatores que são considerados no IPC-Jus”, explica.

Embora a produtividade seja elevada, o TRF5 apresenta também a segunda maior carga de trabalho por magistrados no primeiro grau. Atualmente com mais 100 cargos vagos de juízes federais, a Corte só vai nomear os 16 magistrados aprovados no último concurso em dezembro por conta da restrição orçamentária. “Há ainda vários cargos de servidores que, por falta de recursos, não podem ser preenchidos. A situação em 2017 permanecerá preocupante. Apesar disso, nossos servidores e magistrados, os mais produtivos do País segundo o CNJ, têm se empenhado ao máximo para manter a excelência do serviço realizado”, assinala o desembargador.

TRT6

Com um das menores taxa de congestionamento de causas na Justiça do Trabalho (40,3%) e bons números de produtividade por servidor, o TRT6 luta para manter o desempenho conquistado nos últimos anos. Em 2016, em função da restrição de receitas, a Corte tem adotado um racionamento de energia e o expediente dura apenas até as 15h30. “A gente não está no momento com nenhuma perspectiva de concurso. Embora haja uma necessidade muito clara da parte dos servidores. Muitos se aposentaram, pela idade ou tempo de serviço. Eagente não conseguiu cumprir essas vagas”, exemplifica ainda a desembargadora Eneida Melo Correia de Araújo, presidente em exercício do TRT6.

Para a magistrada, dois fatores ajudam a explicar o desempenho do tribunal. O primeiro é a implantação do processo eletrônico, que agiliza a tramitação das causas. Hoje, o índice de processos eletrônicos da Corte é de 94%. O outro é um maior estímulo de juízes e servidores diante da necessidade da sociedade. “A sociedade precisa mais e mais de nós. É interessante que quando há uma grave crise econômica, o trabalhador, aquele pai de família, vê na Justiça o seu último bastião, sua última fortaleza, para a possíveis reparações contra a injustiça”, lembra.

 Via http://jconline.ne10.uol.com.br

Pesquisa aponta que uso do crack é consequência, e não causa de exclusão social

201212270107410000006365

Ao contrário do que o senso comum acredita, o crack não causa exclusão social. Pelo contrário, segundo especialistas, o uso da droga é consequência de uma vida precária que leva à dependência e faz com que muitos sejam encontrados em situação de pobreza extrema, usando a droga nas ruas de cidades brasileiras, vulneráveis a riscos, como homicídios. A constatação é de Pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgada hoje (21), no Rio de Janeiro.

Depois de analisar cerca de 200 entrevistas com usuários e profissionais de saúde mental, o levantamento mostra que o uso da droga apenas piora a situação de pessoas que não tem laços familiares, moradia, trabalho e estudo – problemas que chegaram antes da dependência.

O crack não é a causa da exclusão, é um elemento a mais, que reforça a exclusão social, processo que é anterior [à droga], no entanto, é reversível”, afirmou um dos autores da pesquisa, Roberto Dutra Torres, professor da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), ao divulgar os resultados, na Fiocruz. “Ninguém vira zumbi pelo crack”, reforçou.

Segundo ele, reverter a dependência é possível por meio de políticas públicas sociais, de saúde e de reintegração na comunidade e nas próprias famílias. Como exemplo, citou o programa da prefeitura de São Paulo, De Braços Abertos, que tirou usuários das ruas do centro, oferecendo moradia em hotéis próximos e empregos como gari, pagando salário e oferecendo tratamento.

As análises divulgadas hoje são um desdobramento da Pesquisa Nacional sobre o Crack, encomendada em 2014 pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), que traçou um perfil dos usuários da droga. O estudo identificou que compõem menos de 1% da população –bem menos do que dependentes de álcool– chamando atenção para o “pânico social” criado em torno do crack. A situação gerou estigma e afastou usuários da cidadania, diz o texto.

Apoio aos usuários

O psiquiatra Leon Garcia, ex-diretor de Articulação e Projetos da Senad, lembrou que, nos questionários, quando perguntados sobre o que precisavam para largar a droga, as respostas dos usuários eram claras: um local para morar, para tomar banho, para comer, trabalho e tratamento. “A gente precisa atender a essas necessidades. Não podemos achar que a internação é uma solução para todos”, afirmou. Na psiquiatria, lembrou, a necessidade de internação é uma exceção e o desafio é manter pessoas longe das drogas no cotidiano de cada uma.

“Para conseguir isso [que pessoas se afastem do crack], se eu estou morando em um lugar onde eu consigo dormir à noite, em vez de estar na calçada, talvez, isso me faça usar menos drogas, como mostram análises sobre o programa de São Paulo, no qual o consumo individual caiu 60%””, acrescentou o especialista, que participou da divulgação do estudo hoje no Rio.

Antes, na capital paulista, usuários moravam em barracas, fumando pedras nas ruas, como ocorre bem perto da Fiocruz, com dependentes morando às margens da Avenida Brasil.

Dados já divulgados mostram ainda que a maioria dos usuários de crack são homens negros, de até 30 anos, sendo que 40% vive nas ruas e são mais suscetíveis a homicídios do que o restante da população. Eles também são mais vítimas de violência sexual do que a média.

As entrevistas da Fiocruz foram realizadas na região metropolitana de Porto Alegre, Rio de Janeiro, Fortaleza, Recife, Salvador e Campos Goytacazes, no norte-fluminense.

(Agência Brasil)

Pesquisa traça perfil da violência contra a mulher na região Nordeste

maxresdefault

A Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, do Ministério da Justiça e Cidadania, está investindo cerca de R$ 2 milhões na maior pesquisa da América Latina sobre violência doméstica e familiar contra as mulheres.

A consulta vem sendo desenvolvida em nove capitais da região Nordeste, pelo Instituto Maria da Penha, em parceria com a Universidade Federal do Ceará e o Instituto para Estudos Avançados de Toulouse. Além da SPM, a iniciativa tem também o financiamento do Banco Mundial e da Universidade de Toulouse, da França.

Os resultados vão balizar as políticas, ações e atividades de enfrentamento aos crimes e abusos cometidos contra as brasileiras. A “Pesquisa de Condições Sócio Econômicas, Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher” quer traçar a forma como a violência doméstica se apresenta nestes locais.

A partir dos dados coletados, será possível estabelecer políticas públicas para a redução desses crimes.

Os trabalhos, já iniciados em 2016, se estendem até o próximo ano. Os resultados parciais, no entanto, serão apresentados no próximo dia 8 de dezembro, em Fortaleza – CE.

Para a secretária Fátima Pelaes, o estudo está sendo bastante aguardado pelas instituições governamentais e organizações que trabalham com o tema.

“A espera se dá tanto devido à amplitude da pesquisa, pois serão mais de 10 mil famílias visitadas, quanto pela qualidade técnica dos especialistas de instituições como a Escola de Economia de Toulouse (TSE/França), Universidade Federal do Ceará, Universidade de Oxford (Reino Unido) e Banco Mundial (USA), envolvidos o projeto”.

por Portal Brasil, com informações da Secretaria de Políticas para as Mulheres

Seca avança e assume contornos severos no Nordeste

seca

Por Edwirges Nogueira

Os cenários de seca extrema e seca excepcional cresceram no Nordeste e abrangem partes de todos os nove estados. É o que mostra o mapa de setembro do Monitor de Secas do Nordeste do Brasil.

O Ceará é um dos que apresentam maior avanço da estiagem. Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), 75% do território do estado apresenta seca extrema ou seca excepcional.

O meteorologista da fundação, Raul Fritz, explica as condições que levam a esse avanço da seca.

Sonora: “Já era esperado. Porque de agosto para setembro as médias das chuvas mensais são muito baixas. Quase insignificante. A gente tem, no máximo, um chuvisco ao longo litoral, esporadicamente. Sem chuva, as condições de seca tendem a se agravar. As condições já vinham secas, daí pioraram ainda mais.”

Em Quixadá, a cerca de 200 km de Fortaleza, não se vê chuva desde o fim da quadra invernosa deste ano, período que vai de fevereiro a maio, que concentra a maior parte da chuva no estado. O presidente da Associação dos Agricultores do Distrito de Riacho Verde, Francisco Rodrigues, fala sobre as dificuldades no local.

Sonora: “A maioria dos produtores já não se encontra mais com rebanho. Do gado, teve que se desfazer. Pra não ver morrer. E alguns que têm ainda é um desespero né. Tá difícil.”

O Ceará enfrenta em 2016 o quinto ano de seca seguida. A Funceme deve se pronunciar sobre a estação chuvosa de 2017 somente em janeiro. De acordo com a fundação, ainda não há definições sobre as condições dos oceanos Atlântico e Pacífico, que influenciam as chuvas no estado.

(Agência Brasil)

Ceará Caçadores goleia América Bulls e está na final da Conferência Nordeste de Futebol Americano

caadores
Foto: divulgação

Pela primeira vez na história o Ceará Caçadores irá disputar o título da Conferência Nordeste de Futebol Americano. Na tarde deste domingo, 23, a equipe cearense goleou o América Bulls por 57 a 0 no PV e garantiu vaga na decisão.

A partida que definirá o melhor time do Nordeste será contra o João Pessoa Espectros, dia 13 de novembro (domingo), às 15h30min, no estádio Presidente Vargas, em Fortaleza.

“Não estamos na final à toa. Trabalhamos muito para isso. Nossos jogadores estão se doando muito em campo. Foi um jogo onde cada jogada foi muito bem estudada e o resultado veio com naturalidade. Apesar da larga vantagem, batemos o time de melhor defesa do Nordeste, que é o América Bulls. Respeitamos muito os Espectros, mas vamos entrar em campo na final para levar o título”, diz Mike Lima, headcoach dos Caçadores.

O JOGO
Em uma partida onde o time cearense demonstrou supremacia desde o 1º minuto de jogo, os Caçadores não tomaram conhecimento do time de Natal. Com uma defesa muito bem postada, os Caçadores impediram as jogadas aéreas dos Bulls, que apesar de alguns desfalques, usou da força física como uma das principais jogadas.

Nos quatro tempos da partida, os Caçadores foram pra cima dos Bulls, com jogadas muito ensaiadas durante os treinos, os cearenses liderados pelo quarteback Romário Reis abriram logo o placar com o americano Tallon Rogasch. Pressionado, o time potiguar não conseguia passar a linha das 50 jardas e ponto a ponto os Caçadores foram abrindo a vantagem. O kicker Danilo Arrais converteu dois pontos extras e um fieldgoal. Com um touchdown de passe de Romário para Marlos, o 1º quarto terminou 17 a 0.

No 2º quarto, com um fumble retornado de 50 jardas de Lucas Alemão, a vantagem foi ampliada para 23 a 0. Com mais um ponto extra de Danilo Arrais e um touchdown de passe de 46 jardas do Romario Reis para o americano TBattle, os Caçadores fecharam a metade da partida em 30 a 0.

Com o domínio total da partida, a diferença foi ficando mais elástica e com um touchdown de retorno de kickoff de TBattle de 90 jardas, um touchdown de passe de 11 jardas de Romario Reis para Jefferson Silva e um touchdown de retorno de interceptação de Paulo Alberto com mais três pontos extras de Danilo Arrais, os Caçadores fecharam o 3º quarto em 51 a 0. Para fechar e carimbar a vaga na final, Romário fez um belo passe para Marlos Reis, 57 a 0 no placar e os Caçadores na final.

(O Povo Online)

Dia do Comerciário: Comércio de Fortaleza não funcionará nesta segunda-feira, dia 24

sindecom-f25150a4a551082daee89bf286c1d535

Nesta segunda-feira será comemorado o Dia dos Comerciários e o Dia do Servidor Público. Por conta disso, será feriado para o comércio e ponto facultativo para repartições públicas estaduais e municipais.

Em Fortaleza, lojas de shopping e de rua fecharão nesta segunda-feira, conforme estabelecido na Convenção Coletiva de Trabalho da categoria.

O feriado do Dia do Servidor Público, celebrado no dia 28 deste mês, foi antecipado pelo Governo do Ceará para esta segunda-feira, 24, em razão das eleições do segundo turno deste ano. A decisão de antecipar a celebração é comum em anos de eleição. O motivo é evitar que servidores deixem as cidades onde moram para viagens prolongadas e percam o dia de votação.

De acordo com decreto do governador Camilo Santana (PT), os serviços de fornecimento de água da Cagece e das Polícias Militar e Civil do Ceará serão mantidos. Os serviços do Corpo de Bombeiros, de atendimento médico-hospitalar, do Samu, do Hemoce, sistema de licitações do Estado funcionarão normalmente.

Redação O POVO Online

4ª edição do Oktoberfest Ceará acontece neste final de semana

capa-alt-2-624x230

Com o slogan “Uma festa alemão com sotaque nordestino”, acontece nesta sexta-feira (21) e sábado (22), a 4ª edição do Oktoberfest Ceará. O Salinas Casa Shopping recebe o melhor das culinárias cearense e alemã, além do tradicional festival de chopes, brincadeiras, concursos, feirinha e atrações musicais para todos os gostos.

Os ingressos custam R$ 30 cada dia e R$ 40 o passaporte para os dois dias de evento. Os acessos já se encontram à venda no Hey Ho Beer Pub, Buoni Amici´s, nas lojas Chilli Beans dos shoppings Central, Aldeota, Iguatemi e Benfica e no site Ingressando.com.

A expectativa de público da organização é que pelo menos quatro mil pessoas passem pelo festival a cada dia. De acordo com Caíque Oliveira, um dos sócios do 4º Oktoberfest Ceará, a segurança e o conforto dos visitantes é uma das prerrogativas desta edição. “As experiências com o festival cearense em outros locais foi muito bacana, mas entendemos que era preciso facilitar o deslocamento do público, já que a festa tomou grandes proporções e as cidades já não tinham mais capacidade para receber o público do Oktobertfest”, esclare Caíque.

Ele ainda afirma que o mercado cervejeiro de Fortaleza está amadurecendo, em franca expansão. “A nossa expectativa é que esse tipo de evento contribua para estimular um turismo cervejeiro em Fortaleza, já consolidado em cidades como Curitiba e Blumenau”, justifica.

A quarta edição do festival é marcada por uma megaestrutura. Para reduzir o tempo de espera dos cervejeiros, quatro bares e dois contêineres serão distribuídos onde acontece o evento, na área do estacionamento do shopping.

Caíque assegura que o grande diferencial deste ano será a variedade de cervejas. O festival é uma ótima opção para os apaixonados por cervejas artesanais, pois um bar de cervejas especiais engarrafadas, com variedade grande de rótulos, entre nacionais e importados, vai marcar presença. As bebidas serão servidas em copo de plástico, em virtude da proibição de garrafas no local.

Nesta sexta-feira (21), a programação terá início às 18h, com duas bandas e DJ, que vai até 00h. Já no sábado (22), a festa começa mais cedo, às 15h e segue por toda a noite. Três bandas, DJ, corrida de cervejeiros fantasiados, concurso de chope de metro e escolha da rainha cearense do Oktoberfest 2016.

Para acompanhar os chopes, os visitantes terão a oportunidade de saborear as iguarias de restaurantes e docerias da capital cearense.E quem quiser guardar lembranças do 4º Oktoberfest no Ceará poderá adquirir souvenirs na lojinha do evento. Para que os pais curtam o festival com tranquilidade, o evento conta também com espaço infantil animado por monitores.

Oktoberfest

Oktoberfest é um festival de cerveja que teve início em Munique, na região da Baviera, no sul da Alemanha, criado pelo rei bávaro Ludwig I para celebrar o seu casamento, em 1810. O Festival também foi adotado pelo Brasil e já é tradicional em Blumenau, que este ano realiza a sua 33ª edição. No Ceará, foi realizado pela primeira vez em 2009, em Guaramiranga, onde também foi sediada a segunda edição, em 2010. Em 2011, foi a vez do Porto D´Aldeia receber a festa.

O Oktoberfest Ceará cresceu e agora chega a Fortaleza, misturando a tradição alemã com a irreverência cearense. O 4º Oktoberfest Ceará é uma iniciativa dos empresários Caique Oliveira, Célio Campello, Célio Paiva e BebecoBaltaduonis, a fim de fortalecer a cadeia produtiva do mercado de cervejas da cidade.

Confira a programação completa:

Sexta-feira (21)
18h Dj Doido
19h Oktoberband
21h15 Dj Doido + Brincadeiras e concursos
21h45 Os Transacionais

Sábado (22)
15h DJ Doido
17h Oktoberband
20h Dj Doido + Brincadeiras e concursos
20h30 Bons Amigos
21h30 Dj Doido + Brincadeiras e concursos
22h Os Muringa

Serviço: Oktoberfest Ceará 2016

Dias 21 e 22 de outubro
Local: Salinas Casa Shopping (Av. Washington Soares, 909 – Edson Queiroz)
1º lote: Ingresso para um único dia (21 ou 22/10) – R$ 30
Combo para os dois dias (21 e 22/10) – R$ 40

Corregedoria do CNJ faz correição no Ceará para apurar venda de sentenças

investigac3a7c3a3o

A Corregedoria Nacional de Justiça fará nesta quinta (20/10) e sexta-feira (21/10) correição nos gabinetes dos desembargadores Francisco Pedrosa Teixeira, Carlos Rodrigues Feitosa e Sérgia Maria Mendonça Miranda, do Tribunal de Justiça do Ceará.

Na Portaria 37/2016, o corregedor nacional de Justiça, ministro João Otávio de Noronha, destaca que a correição pretende apurar fatos veiculados pela imprensa de suposta venda de sentenças da corte.

A correição acontecerá das 9h às 19h e, durante o período da atividade, os trabalhos forenses e os prazos processuais não serão suspensos. Cada gabinete de desembargador deverá ter sempre a presença de um servidor para prestar eventuais esclarecimentos.

Os trabalhos serão coordenados pelos juízes auxiliares da Corregedoria Nacional Carlos Vieira von Adamek, Márcio Evangelista Ferreira da Silva e Rui de Almeida Magalhães e pelo juiz federal Jorge Gustavo Serra Macêdo Costa, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

Venda de sentenças
No fim de setembro, a Polícia Federal, com autorização do Superior Tribunal de Justiça, deflagrou a segunda fase de uma operação que investiga a venda de sentenças. Ao todo, cinco magistrados são investigados, sendo dois deles aposentados: Paulo Camelo Timbó (aposentado) e Váldsen da Silva Alves Pereira (aposentado). O inquérito que investiga o esquema de venda de liminares no TJ-CE está sob a responsabilidade do ministro do STJ, Herman Benjamin.

As investigações da Polícia Federal começaram em 2013 quando um homem preso em flagrante com 107 quilos de cocaína teve um Habeas Corpus concedido durante um plantão judiciário. O fato foi verificado durante uma operação que prendeu 26 pessoas envolvidas em tráfico internacional de drogas. Seis pessoas ligadas à organização do tráfico foram beneficiadas com alvarás de soltura pagos pelos chefes do grupo, cada um a R$ 150 mil.

Denúncia da PGR
No dia 30 de setembro a Procuradoria-Geral da República denunciou ao STJ dez suspeitos de envolvimento no suposto esquema de venda de sentenças. Entre os denunciados está o desembargador afastado Carlos Rodrigues Feitosa, que já responde a uma outra ação penal na corte. Ele acusa os denunciados por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Além do desembargador afastado, a PGR também denunciou os advogados Fernando Feitosa (que é filho de Carlos Rodrigues Feitosa), Éverton Barbosa, Fábio Coutinho, Sérgio Felício, João Paulo Albuquerque, Marcos Sá, Michel Coutinho e Mauro Rios e o comerciante Paulo Araújo.

Na denúncia, o vice-procurador sustenta que o advogado Fernando Feitosa comandava o esquema, recebendo e distribuindo o dinheiro pago pelos beneficiários de ao menos cinco sentenças. Segundo as investigações, os valores cobrados pelas sentenças variavam entre R$ 70 mil e R$ 150 mil.

Parte da atividade era organizada por meio de um grupo de WhatsApp. Mensagens e conversas telefônicas interceptadas com autorização da Justiça revelam que a intermediação das decisões judiciais era livremente tratada. No fim de 2012, o desembargador teria concedido duas liminares em Habeas Corpus, cada uma por pelo menos R$ 70 mil. Já em julho de 2013, Carlos Rodrigues Feitosa concedeu dez liminares em HC, obtendo R$ 150 mil no total.

A PGR também pede ao STJ que instaure um novo inquérito para apurar as suspeitas de participação de outros dois desembargadores, Francisco Pedrosa Teixeira e Sérgia Maria Miranda, em atos de corrupção ativa e passiva. Em entrevista à Agência Brasil, o desembargador Francisco Pedrosa Teixeira negou que tenha concedido qualquer decisão judicial mediante pagamento. Com informações da Assessoria de Imprensa do CNJ e da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 20 de outubro de 2016, 13h41

Alice Caymmi e Bia Bedran fazem show neste domingo, 23/10, no Cineteatro São Luiz

alice-caymmi

Em seguida, às 17h, Bia Bedran sobe ao palco do São Luiz com o seu show “Fazer um Bem”. Os ingressos para o espetáculo custam R$20,00 e R$10,00 (meia), à venda na bilheteria do cineteatro e no site Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br).

Já no domingo, 23/10, às 18h, Alice Caymmi apresenta o show “Rainha dos Raios”. Os ingressos para a apresentação já estão à venda no São Luiz e no site Ingresso Rápido, ao preço de R$40,00 e R$20,00 (meia).

Programação Infantil com Bia Bedran

Dando continuidade à programação do Mês da Criança, o Cineteatro São Luiz tem uma programação especial no sábado, 22/10, com o espetáculo gratuito “Mais Uma Grande Besteira”, do Grupo As 10 Graças de Palhaçaria, às 16h, e show de Bia Bedran, às 17h, com ingressos à venda ao preço de R$20,00 e R$10,00 (meia).

“Fazer um Bem” é o nome do espetáculo musical apresentado por Bia Bedran, que tem homônimos um CD e também livro lançado em 2014 pela Editora Nova Fronteira. O repertório passeia por conteúdos ligados a valores humanos, conceitos de cidadania, solidariedade, esperança e paz. Sem abandonar seu jeito singular e lúdico de compor e de se apresentar para seu público, que há mais de três décadas a acompanha pelo Brasil afora, Bia investe cada vez mais na extrema profundidade dos temas propostos tanto no CD quanto no show. A música título “Fazer um Bem” abre o CD e o espetáculo. Diz o refrão: “Ocupar todos os espaços do mal fazendo um bem, um qualquer bem…”

Já o “Mais Uma Grande Besteira”, do Grupo As 10 Graças de Palhaçaria, é fruto de pesquisas sobre as formas clássicas e contemporâneas de se fazer palhaçaria. Nada melhor para parar uma pessoa apressada no meio da rua do que besteira pura. É a partir deste pensamento que surge, de repente, como se brotasse do chão, uma dupla de palhaços capazes de convencer uma multidão de que é melhor ser besta junto. Eles estendem seu picadeiro e anunciam que algo grandioso vai acontecer; sim, é só “Mais uma Grande Besteira”.

Alice Caymmi, a rainha dos raios

No dia 23/10, às 18h, a cantora Alice Caymmi apresenta o show “Rainha dos Raios”. Com as músicas do segundo álbum de Alice – expoente da terceira geração da emblemática família Caymmi –, a apresentação reúne grande criatividade do universo pop. “Rainha dos Raios” começa com o encontro da artista com Strausz, músico carioca ligado ao universo dos beats eletrônicos. Com Strausz, Alice apresentou em junho de 2013 uma demolidora releitura de Iansã, repaginando a parceria de Caetano Veloso e Gilberto Gil lançada em 1972 na voz de Maria Bethânia. Foi o ponto de partida para este trabalho que diz a que veio Alice Caymmi. Ingressos para o show custam R$40,00 e R$20,00 (meia), à venda na bilheteria do São Luiz e no site Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br).

Desde que surgiu em 2012, primeiro como participação especial de show da tia Nana e posteriormente como cantora e compositora de um disco autoral (Alice Caymmi, editado através de parceria da Kuarup com a Sony Music), Alice Caymmi vem se movimentado com segurança em cena. E não parou mais. Filmou clipes, lançou gravações na web e foi marcando seus passos em terra firme, sem tirar onda por ser Caymmi, mas também sem renegar a frondosa árvore genealógica. Aliás, enquanto gestava o segundo álbum, Alice Caymmi carnavalizou o repertório do avô centenário no show tropicalista Dorivália, sucesso cult da temporada verão-outono de 2014.

Com o mago Strausz, músico de mil e um sons e instrumentos, Alice Caymmi apresenta em Rainha dos Raios nove gravações de arranjos inventivos que não deixam nada no lugar convencional. Sempre pegando a onda certa, Alice sabe que ‘nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia’. E mergulha fundo na recriação da criação alheia. Além dos arranjos, a voz grave, quente, joga no caldeirão uma intérprete em ponto de fervura. Uma personalidade incandescente que já chamou a atenção até da islandesa glacial Björk, que manifestou publicamente em rede social o encantamento pela abordagem de sua Unravel (Björk e Guy Sigsworth) no primeiro álbum de Alice Caymmi.

Via http://culturadigital.br/mincnordeste

Céu é a atração da inauguração do Espaço Órbita Blue, neste domingo (23/10)

cu-faz-show-em-fortaleza
Cantora se apresenta na Praia do Futuro, durante o por do sol, em um show à beira mar – REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Um pôr do sol à beira mar será o plano de fundo da apresentação de Céu, em Fortaleza, no próximo domingo, 23. A cantora paulistana vem a Fortaleza para divulgar seu mais novo disco de trabalho, Tropix, em um show que marca a inauguração do Órbita Blue, novo espaço de festas da Praia do Futuro.

Nesse novo trabalho, Céu entra em um universo de texturas artificiais que utilizam diferentes experimentos sônicos da segunda metade do século passado, como o trip hop dos anos 90, a discoteca do final dos anos 70, o R&B dos anos 80, o casamento do hip hop com a música eletrônica.

O Órbita Blue é inspirado no conceito dos Beach Points de Ibiza e Punta Del Leste, e foi construído com a proposta de minimizar o impacto causado por qualquer construção à beira mar.

A festa deve começar com as bandas Astronauta Marinho e Cid e o Asteroide. Após o show da Céu, a música fica por conta do projeto Duro Bass Máfia dos DJs Bubu (Trap Lion) e Adler, que farão uma apresentação à base de estilos musicais como o trap, black e afins.

Serviço

Céu no Órbita Blue

Atrações: Céu, Astronauta Marinho, Cid e o Asteroide, Duro Bass Máfia project.
Endereço: Av. Clóvis Arrais Maia, 3879 (antiga Av. Zezé Diogo) – Praia do Futuro
Dia: 23 de outubro.
Horário: abertura da casa às 15h. Início da Programação: a partir das 16h.
Informações: (85) 3453-1421 (de segunda a sexta, das 09 às 17h).
Ingressos à venda no site Sympla e no Órbita Bar.

Redação O POVO Online

Temporada do Ballet Bolshoi ganha exibição em cinema de Fortaleza

 

bright_stream
“The Bright Stream” é o balé que abre a temporada do Bolshoi 2016-2017 (FOTO: Divulgação)

A temporada 2016-2017 do Ballet Bolshoi será exibida no cinema do shopping Iguatemi, em Fortaleza. Serão sete espetáculos em 15 salas distribuídas em todo o Brasil.

O primeiro balé é “The Bright Stream”, e o público poderá assistir no sábado (22), às 13h30, e domingo (23), às 13h. Também estão confirmados “A Era Dourada” (19 e 20/11), “O Quebra-Nozes” (10 e 11/12), “O Lago dos Cisnes” (11 e 12/02), “A Bela Adormecida” (11 e 12/03), “Uma Noite Contemporânea” (29 e 30/04) e “Um Herói do Nosso Tempo” (27 e 28/05).

Esse é o quarto ano consecutivo que a UCI Cinemas exibe as temporadas do Ballet Bolshoi. Os valores dos ingressos variam de R$ 50 a R$ 60.

The Bright Stream

“The Bright Stream” é o balé que abre a temporada do Bolshoi 2016-2017. Dirigido por Alexei Ratmansky e gravado em abril de 2012, a apresentação conta a história de duas amigas de infância. Durante as festas da colheita um grupo de dança visitante reaproxima uma de suas dançarinas e Zine, bailarina local que sofre com as traições do marido. Para dar um basta na essa situação, a amiga e seu companheiro decidem trocar de lugar com Zine na apresentação daquela noite.

A Era Dourada

Em novembro, o público poderá conferir “A Era Dourada”, uma sátira da Europa dos anos 20. A história se passa em uma cidade litorânea, onde comércio e máfia estão ganhando espaço cada vez maior. O jovem Boris se apaixona por Rita, dançarina de um cabaré local e namorada de um gangster conhecido na região. Criado por Yuri Grigorovich, o público vai poder acompanhar, com muito ritmo e variações de estilo de dança, o caminho que a paixão proibida de Boris vai seguir.

O Quebra-Nozes

Baseado na história de E.T.A. Hoffmann, “O Quebra-Nozes” é um dos maiores clássicos do mundo. Com a música icônica de Tchaikovsky e cenários e figurinos encantadores, este belo conto explora os temas universais do amor, do poder e do mal. Esta versão coreográfica, criada para o Bolshoi por Yuri Grigorovich, está cheio de romantismo e reflexões filosóficas sobre o amor ideal. Magistralmente interpretada pelos bailarinos do Bolshoi, vai encantar toda a família para a época festivo, provando que nunca se é muito jovem ou muito velho para se encantar por O Quebra-Nozes.

O Lago dos Cisnes

Na seqüência, nos dias 11 e 12/02, “O Lago dos Cisnes” é o balé em cartaz. O espetáculo conta a história do jovem Príncipe Siegfried, que se apaixona por Odette. Em uma tarde ensolarada, às vésperas de completar 21 anos, ele foi se divertir com os amigos às margens do lago dos cisnes.

Ao entardecer, o lugar ficou rodeado de moças vestidas de branco, mas uma em especial chamou sua atenção. Enquanto conversava com ela, o príncipe se viu perdidamente apaixonado e não perdeu tempo, convidou Odette para sua festa de aniversário no dia seguinte. Ao saber da decisão de Siegfried, um feiticeiro local transformou sua filha Odile em uma cópia fiel de Odette.

Ao chegar à festa, a bela se decepciona ao ver as declarações de amor entre o príncipe e Odile. Siegfried vê que algo está errado, mas o feiticeiro logo percebe que seu plano está indo por água abaixo e faz Odette voar pela janela. Siegfried se joga com a amada e os dois acabam no lago. Certo de sua decisão, ele jura amor eterno a Odette, mas a jovem agora está condenada a ser cisne para sempre por causa do encantamento.

A Bela Adormecida

Baseado no conto de fadas do escritor francês Charles Perrault, o balé “A Bela Adormecida” foi composto pelo russo  Tchaikovsky. O espetáculo apresenta o rei e rainha Florestan. Eles acabaram de ter uma filha e convidam as fadas para serem suas madrinhas. Mas, durante a cerimônia, a terrível fada Carabosse aparece revelando que não havia sido chamada.

Como vingança, seu presente é um feitiço: quando a princesa Aurora completar 16 anos, irá se picar com uma agulha e cairá em um sono eterno. Por sorte, outra fada ainda não tinha oferecido seu presente, e contraria Carabosse prometendo que Aurora não dormirá para sempre, mas que precisará de um príncipe para despertá-la com um beijo. A partir de então, o rei e a rainha vão fazer de tudo para que a pequena Aurora não tenha contato com objetos pontiagudos.

Uma Noite Contemporânea

Nos dias 29 e 30/04 é a vez de “Uma Noite Contemporânea” ser exibido. Por uma noite, o Bolshoi assume um novo desafio com audácia em The Cage, por Jerome Robbins, os estudos de Harald Lander e as Estações Russas de Alexei Ratmansky. Esse encontro entre alguns dos melhores dançarinos do mundo e mestres da coreografia contemporânea resulta em uma notável síntese, levando a energia de Robbin, o virtuosismo de Lander e o brilho gracioso de Ratmansky para outro nível.

Um Herói do Nosso Tempo

“Um Herói do Nosso Tempo” é o balé que fecha a temporada 2016/2017 com a história de Pechorin, um jovem trabalhador. Ele embarca em uma jornada através das montanhas majestosas do Caucasus, num caminho definido por seus encontros apaixonados. Desiludido e descuidado ele causa dor sobre si e as mulheres ao seu redor.
Confira abaixo a programação completa com sinopses e horários.

SERVIÇO:

Exibição temporada Bolshoi
Datas:
The Bright Stream: 22 e 23/10
A Era Dourada: 19 e 20/11
O Quebra-Nozes: 10 e 11/12
O Lago dos Cisnes: 11 e 12/02
A Bela Adormecida: 11 e 12/03
Uma Noite Contemporânea: 29 e 30/04
Um Herói do Nosso Tempo: 27 e 28/05

Valor:
R$: 50 (salas convencionais) e R$ 60 (salas DELUX)

Horário:
Sábado, às 13h30, e domingo, às 13h

(Tribuna do Ceará)

“Gugu do Nordeste”, apresentador Ênio Carlos morre aos 51 anos

 

enio-carlos-1
Foto: reprodução

Faleceu na noite desta quinta-feira (20), em Fortaleza, capital do Ceará, o apresentador Ênio Carlos, aos 51 anos. Conhecido em todo o Brasil, ele era chamado de “Gugu do Nordeste”.

Ênio estava com a saúde debilitada e morreu por conta de um câncer no cérebro, diagnosticado em fevereiro deste ano, quando também saiu da televisão e do rádio, por recomendação médica.

Na época, a família de Ênio soltou um comunicado nas redes sociais do apresentador, afirmando o que ele tinha e dizendo que sua saúde estava debilitada. Depois disso, não falou mais nada.

“Desde o final de fevereiro, ele foi diagnosticado com uma grave condição médica, tumor cerebral, caracterizando um tipo de CA. A equipe de médicos que o acompanha recomendou o seu afastamento para que o tratamento tivesse a eficácia necessária e, desde então, ele vem se tratando para que em breve retorne aos programas de rádio e TV. Agradecemos de coração a todos os fãs que manifestaram carinho e preocupação com o Ênio. Pedimos que todos orem pela restauração de sua saúde, pois nesse momento, a fé é o nosso alicerce”, dizia a nota na época.

O apresentador fez história na TV Diário, emissora local do Ceará que por muito tempo teve transmissão através de antenas parabólicas e em televisões pagas de todo o Brasil. O canal, que é do Sistema Verdes Mares, dona da afiliada da Globo no estado, divulgou nota lamentando o fato profundamente.

Na TV Diário, Ênio comandou o “Programa Ênio Carlos”, um dos mais famosos em todo o Nordeste.

Em sua época áurea, na metade dos anos 2000, chegou a incomodar grandes redes de TV no Ceará. Ganhava, até com certa facilidade, dos consagrados “Domingão do Faustão”, da Globo, e “Domingo Legal”, do SBT.

Ajudou a TV Diário a ficar famosa em todo o país, e no fim de 2006, chegou a receber uma proposta da TV Gazeta, para levar seu famoso programa para São Paulo – mas decidiu ficar em Fortaleza.

Recentemente, um de seus quadros mais famosos foi o “Glitter – Em Busca de Um Sonho”, onde reunia drag queens para realizar o sonho da vencedora de se tornar conhecida. O quadro garantiu inúmeros memes na internet e vídeos virais.

Ênio será enterrado nesta sexta-feira (21), num cemitério particular de Fortaleza, às 16h.

Está marcado um desfile em carro aberto pela capital cearense para que o povo do estado dê seu último adeus ao apresentador.

(Na Telinha)

Espetáculo “Esta Criança”, com Renata Sorrah, faz temporada na Caixa Cultural Fortaleza

Criação da Companhia Brasileira de Teatro, com texto do francês Joël Pommerat e direção de Marcio Abreu, a peça traz no elenco os atores Renata Sorrah, Giovana Soar, Ranieri Gonzalez e Edson Rocha

 unnamed-3renat

Renata Sorrah na peça Esta Criança / Foto: Sandra Delgado

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 3 a 5 e de 10 a 13 de novembro de 2016, o espetáculo teatralEsta Criança. A montagem é criação da Companhia Brasileira de Teatro, em parceria com Renata Sorrah, que também atua na peça, junto com os atores Giovana Soar, Ranieri Gonzales e Edson Rocha. O texto é do diretor e dramaturgo francês Joël Pommerat.

A peça é composta por 10 cenas curtas e tem como tema único, ao mesmo tempo fragmentado em diferentes aspectos de abordagem, a relação entre pais e filhos. Constrangedoras, engraçadas, tristes e estranhas, as situações de morte, nascimento, adoção, abandono, agressão e desabafo ilustram pontos cruciais e eternos na vida dos personagens sem nome, reconhecidos apenas pelas relações de parentesco que se tornam aparentes no desenvolvimento dos diálogos.

Em 2010, Renata e Marcio buscaram sintonizar um projeto que os levaria juntos, pela primeira vez, ao palco. Não necessariamente procuravam um autor, mas definir uma ideia. Depois de vários encontros e leituras, se descobriram em uma feliz coincidência: Joël Pommerat, ao qual, ironicamente, já haviam sido apresentados anos antes, e o texto Esta Criança (Cet Enfant), que deu a largada para este encontro inédito.

Escrita sob encomenda, em 2003, para o Instituto de Previdência Familiar da França (CAF), o texto teve sua primeira montagem realizada em Paris, em 2006, e no ano seguinte estreou em Moscou, nas duas ocasiões sob direção do autor. Prêmio de Melhor Texto Teatral em língua francesa, Esta Criança estreou no Brasil em outubro de 2012, no Rio de Janeiro, com direção de Marcio Abreu, onde os quatro atores se distribuem, sem protagonismos, entre 22 personagens.

Parceria

A estreia do autor francês no Brasil foi uma iniciativa da atriz Renata Sorrah e da Companhia Brasileira de Teatro. Em mais de 40 anos de carreira, impactantes atuações em espetáculos, no cinema e na televisão, fizeram de Renata, indiscutivelmente, um dos grandes nomes do teatro brasileiro. Ao lado dela, neste projeto, está a premiada Companhia, fundada há 16 anos, em Curitiba, pelo ator, dramaturgo e diretor Marcio Abreu. Considerada pela crítica especializada como uma das mais consistentes do país, ela é responsável por montagens marcantes para a história recente da dramaturgia e da encenação teatral brasileiras.

Curiosamente, Renata e a companhia têm em comum, entre outras investigações artísticas, a descoberta de dramaturgos contemporâneos inéditos no Brasil, a exemplos do alemão Botho Strauss (Grande e Pequeno, 1985) e do norueguês Jon Fosse (Um dia, no verão, 2007), trazidos em espetáculos produzidos por Renata Sorrah – que também atuou nas antológicas montagens do alemão Rainer Werner Fassbinder (Afinal… Uma Mulher de Negócios, 1977, e As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant, 1982) – do francês Jean-Luc Lagarce (Apenas o fim do mundo) e do siberiano Ivan Viripaev (Oxigênio), espetáculos dirigidos por Marcio, na Companhia. Recentemente, a Companhia e Renata foram responsáveis por mais um projeto: Krum, do israelense Hanoch Levin, texto também inédito no Brasil estreou em 2015 e foi ganhador de diversos prêmios importantes do teatro nacional.

O autor

“Nada é mais bonito, eu acho, do que o equilíbrio precário”. Esta frase do dramaturgo e diretor francês Joël Pommerat representa o vigor e a delicadeza que se evidenciam em sua escritura improvável e em suas encenações. Com textos montados em vários países, aos 49 anos, Pommerat representa uma referência não somente para a dramaturgia francesa, como também para o teatro mundial. “O teatro é a minha possibilidade de captar o real e de dar ao real um alto grau de intensidade e força. Eu busco o real”, frisa o diretor.

Serviço:

Teatro: Esta Criança

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

Data: 4 a 6 e 11 a 13 de novembro de 2016

Horário: sextas, às 20h | sábados, às 18h e 20h30 | domingos, às 19h

Duração: 70 minutos

Classificação indicativa: 16 anos

Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

Vendas a partir do dia 3/11, para sessões de 4 a 6/11, e a partir do dia 10, para sessões de 11 a 13/11. Sempre das 10h às 20h, na bilheteria da CAIXA Cultural

Serviço de manobrista gratuito no local

Site oficial:
www.companhiabrasileira.art.br/esta-crianca

Informações gerais | Bilheteria CAIXA Cultural Fortaleza:

(85) 3453-2770

Via http://www.nordestevip.com

Villa Mix Fortaleza tem atrações divulgadas; confira lista

villa-mix-safadao
Foto: reprodução

O Villa Mix Fortaleza teve suas atrações divulgadas na tarde desta quinta-feira, 20, em coletiva à imprensa. Wesley Safadão, Jorge e Mateus, Luan Santana, Simone e Simaria, Matheus e Kauan, e Israel Novaes estão escalado para o 5º ano do evento, que contará ainda com os estreantes Pedro e Benício, e Jonas Esticado. O show ocorre no estacionamento da Arena Castelão.

O palco do Villa Mix terá 600 metros quadrados de LED de alta definição, além de uma visão privilegiada de todos os três setores da festa (Arena, Camarote Frontstage e Backstage Golden Mix). A venda de ingressos terá icício no próximo dia 25, nos seguintes pontos: Bilheteria da Arena Castelão, Mucuripe Music e Shopping Parangaba.

A loja Social Tickets, no RioMar Shopping, será ponto de vendas exclusivo dos setores Camarote Frontsage e Backstage Golden Mix. Na internet, os ingressos podem ser comprados pelo sitewww.ticmix.com.br. O primeiro lote custa de R$ 60 a R$ 290 (confira a baixo). De acordo com a organização, os valores estão sujeitos à alteração.

Serviço

Quando: sábado, 10 de dezembro. Abertura dos portões às 17 horas.
Onde: estacionamento da Arena Castelão.
Mais informações: (085) 3264.8091

Ingressos

Arena: R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia)
Camarote Frontstage: R$ 150 (unissex)
Backstage Golden Mix: R$ 200 (feminino) e R$ 290 (masculino)

(Vai Forrozão, O Povo Online)

Contra a PEC 241/16: 10 considerações e 10 links

ped-241

A aprovação da PEC 241/16 deverá ter impacto direto no poder aquisitivo dos salários dos trabalhadores já que, atualmente, no caso dos servidores públicos, a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) determina que os critérios de aumento dos gastos com pessoal se deem com base na Receita Corrente Líquida (RCL). Já no caso dos trabalhadores da iniciativa privada, além do impacto com a possível alteração na metodologia do reajuste do SM, os trabalhadores para quem ele é referência podem vir a ter seus ganhos reais comprometidos. Toda a população brasileira irá ser penalizada com a muito provável redução, em quantidade e qualidade, dos serviços públicos de saúde e educação.

Aldemário Araujo Castro*

10 considerações
1. A PEC 241/16 veicula, do ponto de vista da propaganda, uma ideia muito sedutora. Ela propõe que a despesa (pública) não seja superior à receita (pública) e pretende, na voz de seus defensores, afastar gastanças, desperdícios e descontroles. Aproveita-se, inclusive, no plano do convencimento popular, de graves erros econômicos cometidos recentemente nas administrações petistas. Tudo isso dialoga muito bem com a gestão dos recursos domésticos, usados à exaustão como exemplo. Afinal, em casa, nas finanças pessoais ou domésticas, não devemos gastar mais do que recebemos, sob pena do enfrentamento de profundas dificuldades.

2. A política econômica de um País não pode ser comparada, em sua totalidade, com as finanças pessoais ou domésticas. São realidades muito diferentes em termos de complexidade. Em linhas gerais, a política econômica formulada e conduzida por um Governo possui três grandes linhas de ações: a) fiscal; b) monetária e c) cambial. A economia não se limita a arrecadação de tributos, gastos sociais (educação, saúde, previdência e assistência social), pagamento de remunerações e manutenção da máquina administrativa. Temos outros elementos de enorme importância que movimentam cifras bilionárias ou trilionárias, a exemplo (meramente ilustrativo) da dívida pública e seu serviço, taxa básica de juros, nível e administração das reservas internacionais, tamanho da base monetária, operações compromissadas e outras formas de “ajuste de liquidez”, câmbio, fluxos de capitais e operações de swap cambial.

3. A PEC 241/16 e sua exposição de motivos possuem um foco estritamente fiscal e desconsideram as vertentes monetária e cambial de uma política econômica abrangente e consistente. Não se trata de um erro elementar (esquecer os aspectos destacados). Trata-se de uma opção consciente no sentido restringir despesas primárias (não financeiras), notadamente com remunerações, benefícios previdenciários e dispêndios relacionados com educação e saúde, e manter relativamente livres e fora das atenções da sociedade os vários instrumentos viabilizadores de privilégios nos campos monetário e cambial.

A Exposição de Motivos da PEC 241/16 afirma expressamente: “A raiz do problema fiscal do Governo Federal está no crescimento acelerado da despesa pública primária. (…) Torna-se, portanto, necessário estabilizar o crescimento da despesa primária, como instrumento para conter a expansão da dívida pública. Esse é o objetivo desta Proposta de Emenda à Constituição. (…) Com vistas a aprimorar as instituições fiscais brasileiras, propomos a criação de um limite para o crescimento das despesas primária total do governo central”.

Conforme denuncia a Auditoria Cidadã da Dívida, em 2015, o estoque de títulos da dívida interna cresceu R$ 732 bilhões em 11 meses (31/01 a 31/12), em função: do pagamento de juros, remuneração da sobra de caixa dos bancos (operações compromissadas que chegaram a ultrapassar R$ 1 trilhão em 2015, quase 20% do PIB) e prejuízos do Banco Central com operações de swap cambial. O problema não está nas despesas primárias (como vários estudos econômicos apontam). Nada disso aparece no discurso oficial !!!

4. Segundo o “Novo Regime Fiscal”, que vigorará por vinte anos, será fixado, para cada exercício, limite para a despesa primária (não financeira) total do Poder Público Federal, individualizado por seus ramos com autonomia financeira. Em linhas gerais, o limite referido equivalerá à despesa primária (não financeira) realizada no exercício anterior corrigida pela variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA, publicado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, ou de outro índice que vier a substituí-lo.

Assim, os gastos sociais diretos e indiretos (despesas primárias), que não são responsáveis pelo desajuste nas contas públicas, serão praticamente congelados por 20 anos. Ficam de fora do congelamento, como grandes beneficiários dele, as despesas financeiras (pagamento de juros e amortização da dívida pública). Não há, portanto, um limite global ou geral de despesas segundo a PEC 241/16. Dentro desse limite parcial, definido pela proposta, gastos com pessoal ativo, previdência social e demais gastos sociais estarão lançados numa disputa fratricida de alocação ano após ano.

5. As políticas de austeridade ou arrocho fiscal, conhecidas como “austericídio” na Europa, não se mostram soluções adequadas para retomada e manutenção do crescimento econômico em cenários de crise. Até mesmo o FMI já questiona a eficiência dessas políticas. Tudo indica que o gasto público responsável/inteligente (notadamente como investimento), sem o recurso a desonerações descabidas e fomento a políticas creditícias sem sustentabilidade socioconômica, pode obter sucesso nesse campo.

6. A lógica subjacente à PEC 241/16 abandona uma reformulação socialmente solidária no “lado” das receitas públicas. Não se apresenta nada na linha de: a) uma reforma tributária justa com a devida oneração do capital, da propriedade, dos ganhos financeiros, supressão de benefícios fiscais inaceitáveis (segundo notícia da Folha de S. Paulo, “as desonerações de tributos concedida pelo governo da presidente Dilma desde 2011 somarão cerca de R$ 458 bilhões em 2018″), combate à sonegação tributária (estimada em R$ 500 bilhões anuais) e recuperação progressiva da Dívida Ativa da União e de suas autarquias (calculada em mais de R$ 1,5 trilhão, por intermédio do adequado aparelhamento dos órgãos públicos envolvidos, notadamente a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional e a Procuradoria-Geral Federal).

7. Segundo a Auditoria Cidadã da Dívida, o art. 102, parágrafo sexto, inciso IV, do ADCT, a ser inserido pela PEC 241/16, contempla o privilégio de recursos, à vontade, sem teto e sem limite, para “empresas estatais não dependentes”. Essas são pessoas jurídicas de direito privado que executam um mecanismo de transferência de recursos públicos para o setor financeiro privado ao venderem, a investidores privilegiados, com desconto que pode chegar a 60%, debêntures com garantia real (oferecida pelos entes federados), pagando juros que podem superar 20% ao ano.

8. Destaca o DIEESE, “a fixação de um limite de aumento das despesas primárias do setor público baseado na inflação passada por 20 anos (com possível revisão a partir do 10º ano de vigência) congela os atuais patamares reais de gastos correntes e investimentos por um período bastante longo. Tais gastos não poderão acompanhar a expansão da demanda por serviços públicos advinda do crescimento econômico e do simples aumento populacional. Além disso, como algumas despesas obrigatórias – como a Previdência Social e o regime de previdência do setor público- estarão sendo pressionadas pelo aumento do número de beneficiários, pode-se prever que a expansão de gastos em algumas funções irá implicar em redução de outras, para que o montante total se acomode dentro do limite. Enquanto isso, não há medidas concretas que apontem para a redução dos gastos com juros sobre a dívida pública, que continuam em níveis incomparáveis internacionalmente e incompatíveis com a situação de endividamento do Estado.

A aprovação da PEC 241/16 deverá ter impacto direto no poder aquisitivo dos salários dos trabalhadores já que, atualmente, no caso dos servidores públicos, a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) determina que os critérios de aumento dos gastos com pessoal se deem com base na Receita Corrente Líquida (RCL). Já no caso dos trabalhadores da iniciativa privada, além do impacto com a possível alteração na metodologia do reajuste do SM, os trabalhadores para quem ele é referência podem vir a ter seus ganhos reais comprometidos. Toda a população brasileira irá ser penalizada com a muito provável redução, em quantidade e qualidade, dos serviços públicos de saúde e educação.

Outro ponto importante da proposta diz respeito aos limites com gastos em Educação e Saúde. Com a nova regra apresentada na PEC, fica notória a possibilidade de redução da destinação de recursos públicos para estas áreas. Nestes casos é de se esperar que os recursos mínimos garantidos na Constituição Federal acabem se efetivando como um limite máximo, já que ficará a critério do Congresso Nacional definir valores superiores para essas áreas, respeitando o limite total de gastos. Ou seja, poderá provocar ainda o comprometimento da execução de outras políticas públicas, cuja finalidade principal é atender às demandas da sociedade.

A proposta de fixação do valor real das despesas ao patamar de 2016 incita uma questão importante não explicitada pelo governo: em caso de recuperação da arrecadação, com possível retorno de aumentos reais da receita como se verificou ao longo de vários anos na última década, qual deverá ser o destino do superávit? Seria utilizado na amortização da dívida pública ou na redução de impostos?”

Parece fora de qualquer dúvida razoável que a PEC 241/16 significa um engenhoso instrumento de ajuste fiscal seletivo. Os gastos sociais do Poder Público comprometidos com melhores condições de vida para a grande maioria da população serão meticulosamente congelados ou reduzidos. Entretanto, no “lado” do mercado financeiro, notadamente aquele vinculado ao recebimento do serviço da dívida pública, restrições ou ajustes não serão palavras pertencentes ao vocabulário.

9. A PEC 241/16 foi concebida e será administrada, se e quando aprovada, por um banqueiro amplamente festejado pelo mercado financeiro nacional e internacional. Defendem a medida: a) o mercado financeiro; b) o grande empresariado; c) a grande imprensa e d) a maior parte, profundamente conservadora, do Parlamento.

10. São contrários à PEC 241/16: a) os movimentos sociais organizados e b) instituições diretamente ligadas à luta pela melhor prestação de serviços públicos e distribuição mais igualitária da riqueza no Brasil (DIAP, Dieese, Auditoria Cidadã da Dívida, Plataforma Social, etc).

10 links
AUSTERIDADE E RETROCESSO
Plataforma Social
http://plataformapoliticasocial.com.br/austeridade-e-retrocesso/

NÃO À PEC 241/16
Auditoria Cidadã da Dívida
http://www.auditoriacidada.org.br/blog/2016/10/06/nao-pec-2412016-2/

NOVO REGIME FISCAL (PEC 241/16): MAIS UM INSTRUMENTO DE ARROCHO SELETIVO
Aldemario Araujo Castro
http://www.aldemario.adv.br/novoregimefiscal.pdf

PEC 241/16: o novo regime fiscal e seus possíveis impactos
DIEESE
http://www.dieese.org.br/notatecnica/2016/notaTec161novoRegimeFiscal.pdf

REJEITAR A PEC 241/16 PARA SALVAR O SUS E A SEGURIDADE SOCIAL
Conselho Nacional de Saúde
http://conselho.saude.gov.br/ultimas_noticias/2016/docs/06jun27_REJEITAR_A_PEC_241.pdf

PEC 241/16. BASTA DE CORTES NOS DIREITOS SOCIAIS E DOS SERVIDORES
ANFIP
http://www.anfip.org.br/publicacoes/20160824102911_Panfleto-PEC-24116_24-08-2016_Panfleto-PEC-241-1.pdf

PEC 241/16: substitutivo aprovado na comissão especial
http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=B7F676A31E63828E3429FBC693057BC5.proposicoesWeb2?codteor=1496778&filename=Tramitacao-PEC+241/2016

A PEC do teto de gastos e a soberania do Brasil
José Álvaro de Lima Cardoso
http://www.diap.org.br/index.php/noticias/artigos/26110-a-pec-do-teto-de-gastos-e-a-soberania-do-brasil

A PEC 241 e o papel do Estado brasileiro
Antônio Augusto de Queiroz
http://www.diap.org.br/index.php/noticias/artigos/26284-a-pec-241-e-o-papel-do-estado-brasileiro

PEC 241 é gatilho para reforma da previdência
Antônio Augusto de Queiroz
http://www.diap.org.br/index.php/noticias/artigos/26365-pec-2421-e-gatilho-para-reforma-da-previdencia

(*) Advogado, procurador da Fazenda Nacional, professor da Universidade Católica de Brasília (UCB), mestre em Direito pela UCB.

(Agência DIAP)