Nos meses de agosto e setembro deste ano as Varas do Trabalho dos municípios Alta Floresta e Colíder condenaram o Banco Bradesco S/A a pagar indenização por dano moral coletivo no valor total de 1 milhão de reais.

Os processos judiciais foram ajuizados pelo Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso, após investigação de denúncia de utilização de mão-de-obra de funcionários do setor administrativo do banco para o serviço de transporte de valores.

As denúncias foram comprovadas pelo MPT/MT. A prática ilegal vinha ocorrendo há vários anos. A continuidade dessa prática também vinha colocando em risco a vida dos funcionários por não ter habilidades técnicas para desenvolver o serviço de transporte de valores, cargo que exige, inclusive, curso de qualificação.

O Juiz do Trabalho Ivan José Tessaro, da Vara do Trabalho de Colíder acatou o pedido do MPT e condenou o banco a pagar a título de dano moral coletivo o valor de R$500 mil reais, além de multa de R$100 mil reais a cada transporte de valores que for feito por pessoa não habilitada.

A outra sentença foi proferida pela juíza do trabalho Tatiana de Oliveira Pitombo, do município de Alta Floresta que também condenou o banco ao pagamento do mesmo valor por dano moral coletivo mais a multa de cem mil reais se houver descumprimento da sentença. Nos dois casos, o banco ainda pode recorrer das decisões.

Fonte: Jornal Documento

Anúncios