Arquivo da categoria: Religião e Espiritualidade

Oxum e Oxóssi serão os orixás regentes de 2017

a6bab032006745-5685d4cb3b05b1

Você já ouviu a expressão “Orixá regente”? Trata-se dos orixás que vibrarão, que serão responsáveis por reger determinado tempo, período, casa, lugar, etc. Uma vez identificados os pólos vibratórios de regência, é possível investir em algumas previsões no campo amoroso, profissional, sentimental, econômico e afim. A Umbanda identifica a regência dos Orixás de forma diferente do Candomblé. No Candomblé, geralmente se recorre ao jogo de búzios e o resultado deve ser alafiado (confirmado). Já na Umbanda geralmente é trazida pela intuição de alguma casa, guia, mentor espiritual, etc. 

Cada casa tem a sua doutrina, logo, não vá achando que um ou outro site é a verdade absoluta sobre a regência. Na dúvida, consulte o pai de santo da sua casa ou de sua confiança. Este texto se baseia na doutrina de Umbanda da Tenda Caboclo Pena Verde, Pena Azul e Caboclo Flecheiro de Aruanda (SP). O texto foi intuído pelo guia Sr. Tranca Rua das Almas com quem o pai da casa (Eduardo de Oxossi) trabalha. Respeitamos a doutrina alheia e contamos com o igual respeito, afinal, Umbanda é uma banda só. 

“Previsão” não é uma batalha para ver quem é o pai ou mãe de santo mais isso ou mais aquilo. Previsões são frutos da intuição que nos são passado. Acredite na casa e nos guias que você confia e igualmente eles corresponderão a você. Boa leitura!  

ORIXÁS PRECISAM VIR DE CASALZINHO?

xire

Não. Para nossa casa, o Orixá que vai reger traduz a energia do trono que a humanidade mais necessita naquele ano, mais especificamente naquela casa. Nenhum pai de santo tem autoridade para traduzir o regente do mundo todo, aliás suas analises podem divergir ou alafiar.

Em 2014 a maioria das casas de Umbanda deu a previsão com Yansã e Xango (foi um ano de muito movimento, agitação, inicio de justiça, de plantar, de semear e ao mesmo tempo de “aprender a dançar na chuva”, para muitos um ano bem complicado). Isso significa que devido a permissão de Oxalá, para estas casas, a regência destes Orixás estavam sendo necessitadas. 

Para nossa casa 2015 foi o ano de Ogum, Exu e Yemanjá, um ano de batalha, de colher o que se plantou e embora um ano também complicado, terminou no colo e nos braços de Yemanjá, como se tivéssemos que ecoar muita coisa para voltar com força. Já 2016 regeu Oxalá, Yemanjá e Oxum onde muitas mudanças aconteceram no campo amoroso, religioso e familiar. 

É um erro achar que a regência segue o padrão de “casalzinho”, ou seja, Oxum só vem com Oxossi, Xango só com Yansã, Oxalá só com Yemanjá ou Ogum, enfim, a regência não é o casamento dos Orixás, mas a irradiação, a emanação de energia para quele determinado tempo, ano, mês, casa, jogo de buzio, médium, casa, terreiro, bairro, não, etc. 

PODE HAVER REPETIÇÃO DE REGÊNCIA?

Na opinião dos dirigentes desta casa sim, porém há de haver uma justificativa muito plausível para isso acontecer. O Orixá não vem em terra para desfile, ele vem em terra para ajudar a evoluir os seres humanos na vibração daquele trono, ou seja, problemas de amor na vibração de Oxum, problemas da justiça na vibração de Xango e assim por diante (ao menos em uma leitura de Umbanda). 

ORIXÁS REGENTES 2017: OXUM E OXOSSI

3a8170a219cd7006f1eb3b41af46d31c

No campo da astrologia 2017 sofre forte influência de Vênus (planeta do amor), o que nos dá convicção da continuidade da atuação de Oxum 2016>2017. Com isso, Oxum inicia o ano atuando nas questões amorosas: união/rompimentos, gravidez/abortos, união/separação, fidelidade/traição, etc. Dizer que o Orixá rege uma vibração não pode ser sinônimo de atribuir a ele a culpa disso ou daquilo. Os seres humanos são protagonistas da sua vida e com isso, livres para emitirem o comportamento que quiserem, porém presos às consequências de suas ações.

Oxum vem atuar na auto – estima das pessoas, bem como, perca de peso/ganho de peso, rejuvenescimento/envelhecimento, na prosperidade, na independência e beleza feminina, nos aspectos de feminilidade, fertilidade (cuidado inclusive com gravidez indesejada ou não planejada), sedução, atração, vaidade, paixão, etc. 

De paralelo, pode trazer presença de catiços como êres e pomba-giras. Os erês são linhas em evidência para atuar com a maternidade, desejo de engravidar, emprego, etc. Já as pomba giras atuarão com as paixões, fidelidade, traição, sedução, etc. 

Oxum é a guardiã das cachoeiras e águas doces vai acentuar a vontade do ser humano de cuidar de si mesmo e com isso pode elevar aspectos negativos como o egoísmo, ciúmes, baixa – estima, paixões passageiras (“de verão”, “de carnaval”, outras), paixões que deixam um sentimento de vazio, solidão, oscilação de recursos financeiros, etc.

Oxum preza pela vida em sociedade, pode trazer escândalos (negativo) e valorização, humildade e caridade (positivo). Oxum é uma Orixá adepta do misticismo, conhecida como a única Yabá autorizada a fazer o jogo de búzios, a Orixá que enganou Exu, com isso pode acentuar a força de magias, aguçar a curiosidade, elevar a intuição, um ótimo ano para fazer magias.   

Já Oxossi entra para atuar nas vibrações financeiras, na ampliação das ciências, do conhecimento, etc. Oxossi vai trazer forme de saber, fome de crescer, fome de conhecer, fome para termos energia e motivação para sair do lugar, aceitar as crises e lutar. Trará melhorias na econômica (Pib, inflação, etc), Oxossi é um Orixá totalmente racional, isso pode trazer frieza para tomada de decisões e tornar as pessoas um pouco mais materialistas e apegadas a bens materiais.

Empresas podem fazer reduções de pessoas ou investir em mais tecnologia para fazer o seu trabalho. Com esse casal junto, o lucro, a sede por dinheiro virá em primeiro lugar, a vontade de realizar, vontade de conquistar, vontade de acumular e construir virá de forma intensa. Por outro lado o mundo está separado em países desenvolvidos x países subdesenvolvidos. Dentro de cada país temos os ricos x pobres. 

Aqueles que começam o ano com mais recurso financeiro tem e sempre terão certa vantagem competitiva. Oxossi trará inteligência, sabedoria, caminhos para que essas classes se movimentem. No ano passado Oxalá movimentou as pessoas na fé (pessoas mudaram de religião, ateu virou crente, crente virou ateu, etc). Com Oxossi a movimentação é de classe. Rico fica pobre, pobre fica rico, etc.

Parentes podem brigar entre si por divisão de bens, barganhas, chantagens, partilhas, etc. Oxossi também é o patrono da agricultura, esperamos que ele traga força e crescimento aos nosso produtores e com isso, movimente o PIB (Produto Interno Bruto) do país para positivo. Muito empregado querendo virar patrão e montar seu próprio negócio, ex-´patrões de empresas quebradas ou falidas voltando a ser empregados de carteira registrada, etc.     

No campo das ciências, podemos aproveitar a energia de Oxossi para descobrir novas profissões, cura de doenças, avanços tecnológicos, mudar de emprego, reinventar a fonte de renda, etc. O Orixá da caça mantem os lares fartos de quem merece e seca aqueles que precisam ser corrigidos. 

Por coincidência ou não ainda teremos algumas escolas de carnaval como “Acadêmicos de Abolição” que dedicará uma ala inteira a Oxossi trarão esse tema a tona. Para numerologia, o ano será regido pelo número 1 (2+0+1+7), esse número traz grande renovação, vitalidade, vontade e motivação (tudo haver com Oxossi e Oxum).

CONCLUSÃO

orixc3a1s-sagrados-da-umbanda_full

Seja na astrologia sob influência de vênus (Amor), da numerologia “1” (renovo, energia e vontade), da economia, da religião (algumas casas pesquisadas), parece que Oxossi e Oxum vem nos fornecer colheita destes últimos anos complicados envolvendo brigas, cobranças, correções e justiça. 

Por outro lado, engana-se quem acha que será um ano tranquilo, pois Oxossi não dá o fruto de mão beijada, ele reconhece o esforço do agricultor que sabiamente arou a terra, plantou a semente, regou , adubou, cuidou e, portanto, merece a colheira. Já Oxum ao mesmo tempo que traz, leva.

 Pessoas que não planejarem a fartura e as condições deste ano podem ter surpresas desagradáveis em 2018. Esse é um ano de organização, de colher mas não se esquecer de continuar plantando. É um ano de cuidarmos um pouco mais de nós mesmos, dos nossos relacionamentos, dos nossos bens materiais, da nossa estabilidade financeira, etc. Ótimo ano para parcelar dívidas e eliminá-las. 

Oxossi também acentua a anergia de caboclos das matas e boiadeiros. Um bom ano para trabalhar o desenvolvimento mediúnico, estudar, desenvolver competências e habilidades. Oxossi traz coragem, iniciativa, força e vitalidade. Quem não tiver cabeça pode sofrer conseqüências negativas, pois a força pode ser para o bem e para o mau, o que conta é quem dirige o cavalo.      

REGENTES EM OUTRAS CASAS

Até a presente data pesquisamos em alguns sites quem será o regente para 2017. Muitos dirigentes ainda acham que Oxalá estará regendo, outros acreditam em outras energias. Cada casa tem a sua doutrina e cada guia o seu mistério. Nossa casa respeita as energias alheias. 

SITE ORIXÁ REGENTE 2017
http://www.aviariodoflavio.com/news/orixas-regentes-nos-proximos-10-anos/ OXALÁ
http://umbandadejesus.blogspot.com.br/2016/09/2017-orixa-regente-e-planeta-regente.html OXOSSI E OXUM
Blog Baiano Juvenal OXOSSI E OXUM
http://purytere.blogspot.com.br/2013/11/orixas-regentes-nos-proximos-10-anos.html OXALÁ
http://simplesmenteumbanda.blogspot.com.br/2016/01/85-orixas-regentes-de-2016.html  IBEJIS
http://entidadesciganasdaumbanda.blogspot.com.br/2016/08/orixa-regente-ano-de-2017.html OXALÁ
https://jackzennectoux.wordpress.com/2016/09/12/2017-o-amor-em-acao-seres-celestiais-puros-canalizada-por-natalie-glasson-090916/ OXUM
http://osepeense.com/confira-as-previsoes-dos-orixas-para-2016-por-pedro-boscaini/ OXOSSI

E na sua casa, quem vai reger? Compartilhe conosco. 

Via http://baianojuvenal.blogspot.com.br/2016/11/orixas-regentes-em-2017-na-umbanda-oxum.html

Significado dos Símbolos da Páscoa

O que são os Símbolos da Páscoa:

Os Símbolos da Páscoa são representações que fazem parte dos rituais da Semana Santa.

A Páscoa é uma festividade importante para os cristãos, pois celebra a morte e ressurreição de Jesus Cristo, um episódio bíblico interpretado como a passagem para novos tempos e novas esperanças para a humanidade.

A Páscoa é comemorada em data móvel, sempre entre os dias 22 de março e 25 de abril.

A Páscoa para os judeus – Pessach (“passar além”, na tradução do hebraico) é comemorada pela conquista da liberdade pelos hebreus, que viviam como escravos no Egito, simbolizando o retorno à vida digna.

Essa libertação coincidiu com o início da primavera, assim fundiram-se numa só festa, a renovação da natureza e o renascimento de Israel, como eram chamados os hebreus.

Os rituais que precedem a Semana Santa começam 40 dias antes da Páscoa, período conhecido por “Quaresma” – quando os cristãos se dedicam à penitencia do jejum, para lembrar os 40 dias passados por Jesus no deserto e também o sofrimento que ele suportou na crucificação.

A Semana Santa começa com o Domingo de Ramos, que lembra a entrada de Jesus em Jerusalém, onde a estrada era enfeitada com folhas da palmeira.

A Sexta Feira é o dia da celebração da morte de Jesus na Cruz. O Sábado de Aleluia é o dia da celebração da missa da meia noite, na passagem para o Domingo da Ressurreição.

No domingo é celebrada a Páscoa – o Domingo de Páscoa, o dia da Ressurreição de Jesus e sua primeira aparição para seus discípulos.

Saiba mais sobre o significado da Páscoa Cristã.

Durante a Semana Santa, vários símbolos fazem parte do ritual das comemorações, entre eles:

Folha da palmeiraOs ramos de palmeira

A Semana Santa começa com o Domingo de Ramos, que lembra a entrada de Jesus em Jerusalém, ocasião em que as pessoas cobriam a estrada com folhas de palmeira, para comemorar sua chegada.

Atualmente, as folhas de palmeiras são usadas na decoração das Igrejas durante as comemorações da Semana Santa, como um sinal de “boas-vindas a Cristo”.

Cordeiro

CordeiroEste é um dos símbolos mais antigos da Páscoa, lembrando a aliança que Deus teria feito com o povo judeu no Antigo Testamento.

Naquela época, a Páscoa era celebrada com o sacrifício de um cordeiro.

Para os cristãos, Jesus Cristo é o “cordeiro de Deus que tirou os pecados do mundo”.

Círio PascalCírio Pascal

O Círio Pascal é uma grande vela, decorada com as letras gregas alfa e ômega, que significam “início” e “fim”, respectivamente, e usada durante as missas da Semana Santa.

Durante a Vigília Pascal é inserido na vela os cinco pontos das chagas de Cristo na cruz.

É acesa no Sábado de Aleluia e sua Luz representa a Ressurreição de Cristo.

O Peixe

O peixe é um símbolo trazido dos apóstolos que eram pescadores.

Peixe PascalÉ um símbolo de vida, usado pelos primeiros cristãos, no acróstico IXTUS – peixe em grego.

As letras são as iniciais de “Iesus Xristos Theos Huios, Sopter”, que significa “Jesus Cristo, Filho de Deus, o Salvador”.

Faz parte do ritual da Semana Santa comer peixe na Sexta Feira Santa, para lembrar o ritual dos 40 dias de jejum de carne, seguidos pelos cristãos durante a Quaresma.

Descubra mais sobre o significado do Peixe na Páscoa.

Ovo de Páscoa

Por representar o nascimento e a vida, presentear com ovos era um costume antigo entre os povos do Mediterrâneo.

Ovo de PáscoaDurante as festividades para comemorar o início da primavera e a época de plantio, os ovos eram cozidos, pintados e presenteados, para representar a fertilidade e a vida.

O costume passou a ser seguido durante as festividades dos cristãos, onde eram pintados com imagens de Jesus e Maria, representando simbolicamente o nascimento do Messias.

Muitas culturas mantêm até hoje esse costume. No mundo moderno, o ovo fabricado com chocolate virou uma tradição de presente no Domingo de Páscoa.

Saiba mais sobre o significado do Ovo da Páscoa.

Coelho de Páscoa

Coelho da PáscoaO coelho de Páscoa tornou-se o símbolo da fertilidade e da vida, devido a particularidade deste animal de se reproduzir em grandes ninhadas.

Está relacionado com a Páscoa por representar a esperança de vida na Ressurreição de Jesus Cristo.

Vários povos da antiguidade já consideravam o coelho como símbolo da fertilidade, pois com a chegada da primavera, eram os primeiros animais a saírem de suas tocas.

Com o passar dos tempos, os coelhinhos de chocolate entraram para os costumes das festividades da Semana da Páscoa.

Assim como os ovos de chocolate, os coelhinhos viraram tradição de presente no Domingo de Páscoa.

Via http://www.significados.com.br/simbolos-da-pascoa/

Conheça a ‘Hijarbie’, a Barbie muçulmana

hijarbie_x

A poucos dias da transformação “histórica” da Barbie, que agora apresenta modelos fora do padrão de beleza loiro, alto, magro e branco, uma nova versão da boneca mais popular do mundo está gerando vários comentários na internet.

Trata-se da “Hijarbie”, a Barbie que usa hijabs (véu utilizado por mulheres muçulmanas que cobre a cabeça, os cabelos e os ombros) e roupas longas que deixam à mostra apenas as mãos e os pés.

A ideia, que desta vez não surgiu da Mattel, empresa que produz as bonecas, é de uma nigeriana que decidiu confeccionar e produzir as suas barbies de acordo com as vestimentas de uma típica garota muçulmana e postar as fotos das suas criações no Instagram “Hijarbie”.

“Eu nunca tinha visto uma Barbie com um hijab antes então decidi abrir uma conta no Instagram e vestir as bonecas com roupas que eu mesma fiz. Para mim, é muito importante uma boneca estar vestida da mesma maneira que eu. Eu só quis dar novas opções para garotas muçulmanas”, disse Haneefa Adam, jovem cientista médica de apenas 24 anos, à emissora de televisão “CNN”.

As reações das barbies foram incrivelmente positivas. Só a conta da rede social, por exemplo, conta com quase 20 mil seguidores. No entanto, a boneca também foi alvo de comentários negativos, já que muitos acreditam que o jeito muçulmano das mulheres se vestirem é completamente repressivo.

Segundo Haneefa, esse pensamente é “falso”. “As pessoas acreditam que nós, mulheres muçulmanas, somos obrigadas a usar o véu, mas na maior parte dos casos não é assim”, explica a jovem.

O próximo objetivo da nigeriana é colocar no Instagram produções com Barbies negras. Essa meta pode não ser tão difícil de ser realizada, já que a Mattel lançou recentemente no mercado uma linha onde as bonecas têm, além de diversas aturas e formatos de corpos, tipos de cabelo e cores de pele diferentes.

(Jornal do Brasil)

Iemanjá: conheça a origem das homenagens a “Rainha do Mar”

sreias1

No dia 2 de fevereiro acontece em Salvador, capital do estado da Bahia, a maior festa popular dedicada a Iemanjá. Neste dia, milhares de pessoas trajadas de branco fazem uma procissão até ao templo de Iemanjá, localizado na praia do Rio Vermelho, onde deixam os presentes em pequenos barcos artesanais que os levam para o mar. No mesmo dia acontece a festa católica em homengagem a Nossa Senhora dos Navegantes na Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia na Cidade Baixa.

Considerada a rainha do mar no Brasil, Iemajá é um orixá feminino – divindade africana das religiões Candomblé e Umbanda. Seu nome tem origem nos termos do idioma africano Yorubá “Yèyé omo ejá”, que significa “Mãe cujos filhoes são como peixes”. É o orixá das águas doces e salgados dos Egbá, nação Iorubá.

A figura de Iemanjá foi associada ao ambiente marítimo devido à sua penetração na região Norte do Brasil, onde é considerada a padroeira dos pescadores. Em sua origem afriacana entre os Iorubatanos no Daomé, a mãe dágua tinha origem fluvial. A divindade é conhecida por diferentes nomes no Brasil: Dandalunda, Inaé, Ísis, Janaína, Marabô, Maria, Mucunã, Princesa de Aiocá, Princesa do Mar, Rainha do Mar, Sereia do Mar, entre outros.

No sincretismo religioso – associação entre a cultura religiosa africana e os ritos católicos realizados no Brasil – Iemanjá corresponde a Nossa Senhora dos Navegantes, Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora das Candeias, Nossa Senhora da Piedade e Virgem Maria.

(Portal EBC)

Por que as religiões de matriz africana são o principal alvo de intolerância no Brasil?

Dados compilados pela Comissão de Combate à Intolerância Religiosa do Rio de Janeiro (CCIR) mostram que mais de 70% de 1.014 casos de ofensas, abusos e atos violentos registrados no Estado entre 2012 e 2015 são contra praticantes de religiões de matrizes africanas.

Divulgado nesta quinta-feira, Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, o documento reacende o debate: por que os adeptos da umbanda e do candomblé, e suas variações, ainda são os mais atacados por conta de sua religião?

O tema ganhou as páginas dos jornais recentemente, em casos como o da menina Kaylane Campos, atingida por uma pedrada na cabeça em junho do ano passado, aos 11 anos, no bairro da Penha, na Zona Norte do Rio, quando voltava para casa de um culto e trajava vestimentas religiosas candomblecistas.

Também em 2015, no mês de novembro, um terreiro de candomblé foi incendiado em Brasília, sem deixar feridos. Na época, a imprensa local já registrara 12 incêndios semelhantes desde o início daquele ano somente no Distrito Federal.

A BBC Brasil ouviu especialistas sobre as razões da hostilidade contra as religiões de origem africana e o que pode ser feito.

Para eles, há duas explicações. Por um lado o racismo e a discriminação que remontam à escravidão e que desde o Brasil colônia rotulam tais religiões pelo simples fato de serem de origem africana, e, pelo outro, a ação de alguns movimentos neo-pentecostais que nos últimos anos teriam se valido de mitos e preconceitos para “demonizar” e insuflar a perseguição a umbandistas e candomblecistas.

Relatório e dados

Os entrevistados destacam que, pela primeira vez, a CCIR, criada em 2008, aliou os dados estaduais a números nacionais, informações de outros institutos e relatos de três diferentes pesquisas acadêmicas.

Os dados do Disque 100, criado pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos, apontam 697 casos de intolerância religiosa entre 2011 e dezembro de 2015, a maioria registrada nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. No Estado do Rio, o Centro de Promoção da Liberdade Religiosa e Direitos Humanos (Ceplir), criado em 2012, registrou 1.014 casos entre julho de 2012 e agosto de 2015, sendo 71% contra adeptos de religiões de matrizes africanas, 7,7% contra evangélicos, 3,8% contra católicos, 3,8% contra judeus e sem religião e 3,8% de ataques contra a liberdade religiosa de forma geral.

Dentre as pesquisas citadas, um estudo da PUC-Rio sugere que há subnotificação no tema. Foram ouvidas lideranças de 847 terreiros, que revelaram 430 relatos de intolerância, sendo que apenas 160 foram legalizados com notificação. Do total, somente 58 levaram a algum tipo de ação judicial.

O trabalho também aponta que 70% das agressões são verbais e incluem ofensas como “macumbeiro e filho do demônio”, mas as manifestações também incluem pichações em muros, postagens na internet e redes sociais, além das mais graves que chegam a invasões de terreiros, furtos, quebra de símbolos sagrados, incêndios e agressões físicas.

Ivanir Costa, babalaô registrado há 35 anos e iniciado na Nigéria há 11 anos, está envolvido com a luta contra a intolerância há mais de duas décadas, e encabeçou a redação do relatório, como presidente da CCIR.

Ele diz que a própria ausência de dados consistentes nacionais, que dialoguem entre si, e a subnotificação dos casos, são indícios de como o tema ainda precisa ser levado mais a sério no Brasil.

“Há alguns avanços isolados em lugares como o Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia, mas estamos muito aquém do que precisa ser feito neste setor”, diz o religioso, que recebeu em 2014 o Prêmio Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República pelo trabalho na comissão.

Racismo e neo-pentecostais

Para Francisco Rivas Neto, sacerdote e fundador da Faculdade de Teologia com Ênfase em Religiões Afro-Brasileiras (FTU), baseada em São Paulo e a única reconhecida pelo Ministério da Educação como formadora de bacharéis no tema, é impossível dissociar a intolerância do preconceito contra o africano, o escravo e o negro.

“Os afro-brasileiros são discriminados, preconceituados, para não dizer demonizados, por sermos de uma tradição africana/afrodescendente. Logo, estamos afirmando que o racismo é causa fundamental do preconceito ao candomblé e demais religiões afro-brasileiras”, diz.

Image copyrightDivulgacao
Image captionA menina Kailane Campos (à dir.)r foi agredida em 2015 por estar portando vestimentas religiosas; caso teve ampla repercussão

 

Já a pesquisadora Denise Pini Fonseca, historiadora, ex-professora da PUC-Rio e co-autora do estudo que visitou os mais de 800 terreiros fluminenses, acredita que a origem da intolerância esteja muito mais conectada à crescente influência de alguns grupos neo-pentecostais no país.

“É claro que o racismo tem influência, mas acredito que é muito mais forte o discurso de alguns movimentos neo-pentecostais que são na realidade um projeto teo-político que se apropria de símbolos muito poderosos para atingir seus interesses, e que elegeram as religiões de matrizes africanas como alvo”, diz.

João Luiz Carneiro, doutor em ciências da religião pela PUC-SP, especialista em teologia afro-brasileira pela FTU e autor do livro Religiões Afro-brasileiras: Uma construção teológica (Editora Vozes), defende que os dois fatores estariam completamente conectados. “A ligação entre esses dois fatores está muito bem resolvida na academia. As razões profundas na questão racial e o discurso neo-pentecostal que reforça no imaginário popular que é o macumbeiro, o sujo, o que faz o mal”, indica.

Image copyrightdivulgacao
Image captionAdeptos praticam religião no Terreiro Templo do Oriente, na Zona norte do Rio; muitos já sofreram discriminação, diz líder Luiz Fernando Barros

 

Para ele, é nítido o processo histórico em que boa parte do que é produzido pelo negro brasileiro é desumanizado, desvalorizado ou considerado estranho, exótico, folclórico, e a ascensão do discurso de alguns neo-pentecostais que estimula a visão da religião africana como ligada ao culto ao demônio, diabo, satanás, rituais satânicos, macumba ou que fazem o mal.

Ed René Kivitz, pastor da Igreja Batista, formado em Teologia e mestre em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo e que integra o movimento Missão Integral – que congrega diferentes lideranças evangélicas -, acredita que os casos de intolerância no país são localizados e “fazem parte de um recorte de tempo muito específico que estamos vivendo”.

“Não faz parte da índole do povo brasileiro e nem da índole cristã, quer seja católica ou evangélica. E evidentemente não faz parte da índole do Evangelho”, disse ele à BBC Brasil em junho de 2015, após o ataque à menina Kaylane, no Rio.

“Acho que é algo isolado, mas preocupante também para a imagem da Igreja Evangélica, que está sofrendo muito por conta de lideranças radicais que estão construindo no imaginário da sociedade brasileira uma ideia do ser evangélico que não corresponde à grande parcela da nossa população que se identifica como evangélica.”

Casos de intolerância

Luiz Fernando Barros, de 52 anos, já experimentou diversos exemplos de intolerância ao longo dos 37 anos em que atua como religioso da umbanda.

“Já coloquei minha roupa branca religiosa no trabalho e vi que as pessoas queriam caçoar, fazer pouco dos meus valores espirituais. Temos filhos que frequentam escola pública e não podem usar as contas (colares religiosos). Já tive estátuas quebradas no meu templo, tentativas de invasão. Uma irmã nossa foi demitida de um hotel na Zona Sul do Rio quando a gerente descobriu que ela era de umbanda. Não foi o argumento oficial, mas ficou nítido para ela”, conta.

Ele foi um dos vários pais de santo que revelaram à BBC Brasil em reportagem publicada no ano passado que se viu forçado a aumentar a segurança de seus terreiro após repetidas invasões. Um deles, Pai Costa, de 63 anos e há 45 atuando como líder religioso, já tinha sofrido três invasões na época e teve de gastar R$ 4.500,00 em sistemas de vigilância.

Image copyrightdivulgacao
Image captionTradicional oferenda a deuses africanos; para especialistas, há mitos e preconceito sobre rituais de religiões de matrizes africanas

Outro exemplo é o de Pai Márcio de Jangun, babalorixá, advogado e escritor iniciado há 36 anos no candomblé e com terreiro aberto há 15 anos. Ele diz que a intolerância pode ser sutil e parte do cotidiano, o que também configura discriminação e crime, apesar de não envolver violência física.

“Já me recusaram vender flores quando perceberam que seriam usadas em terreiro de candomblé. No transporte público, a pessoa se levanta por não querer ficar sentada do seu lado, se benze. É algo que infelizmente faz parte do cotidiano e que os praticantes de religiões africanas lidam todos os dias no Brasil”, diz.

No relatório da CCIR há casos como a invasão e depredação do centro de umbanda “A Caminho da Paz”, no Cachambi, na Zona Norte do Rio, em fevereiro de 2015, assim como incêndios e destruição de estátuas no Distrito Federal. Também são documentados xingamentos contra crianças judaicas num clube de elite da Zona Sul do Rio, na Lagoa, durante as Mascabadas, olimpíadas de colégios judaicos de todo o país, e o ataque a uma professora de teatro que recebeu uma pedrada na perna aos gritos de “muçulmana maldita” uma semana após os atentados à sede da revistaCharlie Hebdo, em Paris, no início do ano passado.

Papel do Estado

Um dos objetivos de aumentar o escopo do relatório da CCIR é chamar a atenção para o problema e nacionalizar o debate, além de pressionar Estados e o governo federal para a implementação de políticas públicas mais efetivas. Outra meta é cobrar a execução da legislação já existente, que tipifica o crime de intolerância religiosa.

Image copyrightdivulgacaoImage captionLideranças e praticantes contam que apenas portar vestimenta tradicional e símbolos e adereços já é suficiente para despertar intolerância nas ruas

No Rio de Janeiro, apesar de alguns avanços pontuais, os especialistas cobram a implementação de uma delegacia especializada, aprovada por lei em 2011 mas ainda sem previsão para sair do papel. São Paulo e Distrito Federal já criaram tais espaços.

Consultado pela BBC Brasil, o governo fluminense confirmou que “não há previsão para a criação” da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância como determinou a Lei Estadual 5931, aprovada em 25/03/2011. O governo ressaltou, no entanto, papel pioneiro com a criação do Centro de Promoção da Liberdade Religiosa & Direitos Humanos, em 2012, e disse que todas as delegacias de polícia do Estado estão aptas a registrarem casos de intolerância religiosa.

Na visão dos especialistas, este é justamente um dos principais problemas. “Quando a pessoa vai a uma delegacia, o policial registra a queixa como briga de vizinho, rixa, ameaça. Falha ao não aplicar a lei de intolerância religiosa, que prevê a tipificação penal adequada”, diz o professor André Chevarese, do Instituto de História da UFRJ, que coordena o Laboratório de História das Experiências Religiosas.

“Além disso, juízes tendem a ser condescendentes, não punem da forma adequada. O Estado falha ainda ao não educar melhor, não incluir mais o ensino sobre África, sobre religiões de matrizes africanas, sobre a importância das culturas africanas para a construção do país”, diz.

Ivanir Costa, da CCIR, diz que ao longo do tempo já presenciou a entrega de documentos às mãos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de Dilma Rousseff, e que ouviu promessas, mas até agora falta vontade política para implementar medidas nacionais mais eficientes, a exemplo do que foi colocado em prática na questão da violência contra a mulher.

“Não temos órgãos que acolham denúncias e orientem vítimas em todos os Estados. Não temos uma base de dados nacional, os números são muito discrepantes ao redor do país. Há pouquíssimas delegacias. Delegados, policiais e juízes descumprem a lei. É um cenário muito incipiente ainda”, avalia.

(Jefferson Puff, da BBC Brasil Rio de Janeiro)

Link? http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/01/160120_intolerancia_religioes_africanas_jp_rm

20/01: Hoje é Dia de São Sebastião, Oxóssi na Umbanda!

oxossi

Hoje, 20 de Janeiro, é Dia de São Sebastião! Viva!

São Sebastião é bastante famoso, pois secretamente convertia pagãos ao Cristianismo. Quando ele foi descoberto pelo imperador, não negou sua fé e assim foi condenado à morte, amarrado a um tronco e varado por flechas.

Uma viúva de nome Irene retirou as flechas de seu corpo e o tratou. Após sua recuperação, ele se apresentou novamente ao Imperador Deoclécio, o que foi considerado uma ousadia. Então, novamente foi amarrado e açoitado até a morte.

Na lenda, conta-se que São Sebastião foi visto na batalha ao lado dos portugueses contra os franceses. Além disso, a batalha coincidiu com o dia do Santo.

Não deixe de orar para São Sebastião na data de hoje e peça a Ele muita fartura em sua vida, em seu lar e que nos proteja de toda a malignidade do Universo. Segue a singela oração de São Sebastião.

Oração a São Sebastião

“Glorioso mártir São Sebastião, valoroso padroeiro e defensor da cidade do Rio de Janeiro, Vós que derramastes Vosso sangue e destes Vossa vida em testemunho da fé em Nosso Senhor Jesus Cristo, alcançai-nos do mesmo Senhor a graça de sermos vencedores dos nossos verdadeiros inimigos: a ter o poder e o prazer, que fazem viver sem fé, sem esperança e sem caridade. Protegei, com Vossa poderosa intercessão, os filhos desta Terra. Livrai-nos de toda Epidemia Corporal, Moral e Espiritual. Fazei que se convertam aqueles que, por querer ou sem querer, são instrumentos de infelicidade para os outros. E que o justo persevere na sua fé e propague o amor de Deus, até o triunfo final. São Sebastião, Advogado contra a Epidemia, a Fome e a Guerra, rogai por nós. Amém”.

Reze também uma vez o “Pai Nosso”, “Ave Maria” e “Glória ao Pai”.

São Sebastião é considerado o Santo que nos traz fartura, emprego, abundância. Então, segue também este poderoso banho que você poderá fazer: um punhado de alecrim, um punhado de arruda e um punhado de guiné. Macere tudo em dois litros de água morna. Banhe-se do pescoço para baixo após seu banho higiênico. Durma com o banho. Prepare o banho em uma quinta-feira.

Na Umbanda, São Sebastião corresponde a Oxóssi que é um Orixá masculino responsável pela atividade da caça.

Oxóssi é filho de Iemanjá e Oxalá, rei do Ketu, é o Orixá da caça e da fartura. É associado ao frio, à Lua e à noite.

Ele ensina o equilíbrio ecológico parecendo um índio muito forte, caça os espíritos perdidos trazendo-os para a luz.

Agora, vamos a algumas de suas características:

– Animais: Javali e tatu.

– Bebidas: Vinho tinto, água de coco e caldo de cana.

– Comidas: Carne e frutas.

– Cores: Verde e azul.

– Comemoração: 20 de Janeiro.

– Corpo humano: Aparelho respiratório.

– Ervas: Alecrim, guiné, mangueira, essência de alecrim.

– Flor: flores-do-campo.

– Metais: Bronze e latão.

– Pedras: Amazonita, esmeralda, turquesa.

– Planeta: Vênus.

– Quizilas: Cabeça de animais, mel e ovo.

– Saudação: Oke Aro!

– Símbolos: Arco e flecha.

– Sincretismo: São Sebastião e São Jorge.

– Ponto da natureza: Mata.

– Sua lenda: em um dia de comemoração, havia um grande ninho de pássaros que havia sido enviado pelas mães ancestrais que não tinham sido convidadas para a festa. Nenhum caçador havia os matado ainda, até que Oxóssi, com um ebó feito pelas feiticeiras, conseguiu matá-los com apenas uma flechada.

Salve São Sebastião! Salve Oxóssi! Viva!

(Márcia Fernandes, via http://blog.marciafernandes.com.br/hoje-e-dia-de-sao-sebastiao-oxossi-na-umbanda/)

Igreja é proibida de publicar outdoors homofóbicos em Ribeirão Preto

20160112155614

A 4ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve sentença de primeiro grau, que proibiu uma igreja de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, de publicar mensagens com trechos bíblicos condenando a homossexualidade. A multa diária para o caso de descumprimento é de R$ 10 mil.

O motivo foi a instalação de um outdoor às vésperas da Parada Gay na cidade, em 2011. Para o tribunal, em decisão proferida nesta segunda-feira, 11, “a expressão da religiosidade pode ser exercida livremente nos templos, na presença de fiéis, mas não por intermédio de propaganda de suas crenças”.

O outdoor foi colocado pela Casa de Oração e gerou reclamações de movimentos LGBT. Uma ação da Defensoria Pública fez com que fosse retirado às vésperas da Parada Gay, sendo a posição confirmada em setembro de 2014 pela Justiça local.

A decisão é reforçada agora com o despacho do TJ-SP. Nela, o desembargador Natan Zelinschi de Arruda argumenta que “no Estado Democrático de Direito a dignidade da pessoa humana deve prevalecer”.

Disputa

O outdoor foi instalado perto do prédio da Câmara Municipal com citações bíblicas, como uma que diz que homem que se deita com outro homem pratica “coisa abominável”. Ação da Defensoria considerou, entre outras coisas, que a mensagem é “discriminatória e degradante”.

A Igreja Casa de Oração, de doutrina evangélica, informou que a finalidade foi expressar o que Deus diz sobre a homossexualidade. No ano passado, ela ingressou com recurso argumentando o direito à liberdade de crença e de expressão. Porém, seu advogado não revelou se vai recorrer da nova sentença.

 Fonte: Estadao Conteudo

Veja o que abre e fecha nos dias 24 e 25 de dezembro em Fortaleza

calendar

O feriadão de Natal vai alterar o funcionamento de lojas, bancos, repartições públicas e supermercados em Fortaleza. Nesta quinta-feira (24), véspera de Natal, as lojas do Centro funcionam até 19h. O comércio nos shoppings vai até 18h. Na sexta-feira (25), lojas e supermercados não funcionam. Confira o que abre e fecha no feriado de Natal em Fortaleza:

Supermercados
De acordo com a Associação Cearense de Supermercados (Acesu), os estabelecimentos funcionam normalmente na véspera de Natal. Na sexta-feira (25), os supermercados não funcionam.

Centro
Segundo a Câmara de Dirigentes Logistas (CDL), na quinta-feira (24), as grandes lojas funcionam até 19h e as demais, até 18h. Na sexta-feira (25), o comércio não abre.

Bancos
Na véspera do Natal, dia 24 de dezembro, os bancos estabelecerão horários especiais, seguindo a resolução nº 2.932, que garante ao público um atendimento mínimo de duas horas. Segundo a Federação Brasileira de Bancos, nos estados com diferença de uma hora em relação a Brasília, como é o caso do Ceará, o horário local de atendimento será das 8h às 10h. Os bancos não abrirão em 25 de dezembro.

Coelce
As lojas da Companhia Energética do Ceará (Coelce) funcionam até o meio-dia nesta quinta-feira (24) e fecham na sexta-feira (25).  A Coelce informou também que a central de relacionamento (0800.285.0196) vai operar normalmente durante todo o feriadão.

Cagece
A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) informou que as lojas de atendimento funcionam das 8h às 12h na quinta-feira (24). Na sexta-feira (25), a Cagece funciona em regime de plantão. A loja da Aldeota, que fuinciona aos sábados, não terá expediente no dia 26. O plantão durante todo o período funcionará nas Unidades de Negócio, responsáveis pela manutenção das redes de água e esgoto em Fortaleza e no interior do Ceará. A Cagece orienta aos clientes que necessitarem de atendimento durante esses dias que entrem em contato com a Companhia através da Central de Atendimento, no número 0800.275.0195.

Instituto Dr. José Frota (IJF)
O Instituto Dr. José Frota (IJF) terá, durante as festas de fim de ano, a emergência do hospital funcionando normalmente, com equipes de plantão 24 horas, formadas por médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, assistentes sociais, entre outros profissionais.

Hemoce
O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) vai alterar o horário de atendimento durante esta semana. Na quinta-feira (24), a sede do Hemoce, na Avenida José Bastos, e os regionais de Juazeiro do Norte, Crato, Iguatu, Quixadá e Sobral recebem os doadores das 7h30 às 12h. Na Praça do Ferreira, o posto provisório funciona das 8h às 12h na quinta-feira. O ponto de coleta do Hemoce no IJF não fecha nenhum dia e os doadores podem fazer doações das 13h às 17h30 nos dias 24 e 25. Nos demais dias, o posto funcionará no horário normal da semana.

Metrofor
A Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor) informou que o funcionamento do metrô não vai funcionar nos dias 24 e 25 de dezembro devido ao ponto facultativo estadual e ao feriado de Natal. No dia 26, os veículos também não circulam, mas por conta da implantação de tecnologias na Linha Sul e manutenção programada dos sistemas.

Shoppings
RioMar
Nesta quinta-feira (24), o shopping RioMar funciona das 10h às 18h. Na sexta-feira (25), as lojas e quiosques estarão fechados e operações de alimentação serão facultativas e entretenimento (Cinema e Game Station) funcionarão normalmente.

Iguatemi
Segundo a assessoria do shopping, o funcionamento nesta quinta-feira (24) é das 10h às 18h. No dia 25, as lojas estarão fechadas, com abertura facultativa dos estabelecimentos da Praça de Alimentação e os cinemas funcionando de 13h às 00h.

North Shopping Fortaleza 
As lojas, quiosques e praça de alimentação funcionam de 10h às 18h no dia 24 de dezembro. No dia 25, apenas a praça de alimentação abre. Os cinemas não funciona no dia 24 e retomam normalmente a programação no dia 25.

Via Sul Shopping
As lojas, quiosques e praça de alimentação funcionam de 10h às 18h no dia 24 de dezembro. Na sexta-feira (25), apenas a praça de alimentação abre de 11h às 20h30. Os cinemas não funciona no dia 24 e retomam normalmente a programação no dia 25.

North Shopping Jóquei
As lojas, quiosques e praça de alimentação funcionam de 10h às 18h no dia 24 de dezembro. Na sexta-feira (25), apenas a praça de alimentação abre de 11h às 22h. Os cinemas não funciona no dia 24 e retomam normalmente a programação no dia 25.

North Shopping Maracanaú
As lojas, quiosques e praça de alimentação funcionam de 10h às 18h no dia 24 de dezembro. Na sexta-feira (25), apenas a praça de alimentação abre de 11h às 20h. Os cinemas não funciona no dia 24 e retomam normalmente a programação no dia 25.

(G1 Ceará)

Saiba que funciona em Fortaleza durante o feriado de Natal

image1

As festas de fim de ano implicam no aumento da movimentação do comércio, mas também lembram que é momento de descanso e de aproveitar os dias de folga em família ou entre amigos e entes queridos. Aos que precisarem resolver pendências em bancos ou fazerem as compras do mês, por exemplo, O POVO lista como será o funcionamento dos principais serviços na Capital durante o feriado do Natal.

No dia 24, data que antecede à passagem do Natal, todos os shoppings abrem e boa parte das lojas de rua, também. No entanto, é preciso prestar atenção ao horário, já que os estabelecimentos devem fechar mais cedo, por volta de 18 horas, devido às comemorações. Já no dia 25, o comércio praticamente estará fechado, permanecendo abertos somente cinemas e praças de alimentação.

A programação de missas, por sua vez, não deve se restringir à Catedral Metropolitana de Fortaleza, com a tradicional celebração da Missa do Galo (ou Santa Missa), às 20 horas. Na mesma noite do dia 24 haverá celebrações, também, na Igreja de São Pedro, na Igreja da Prainha e na Igreja Nossa Senhora do Rosário. No dia 25, além da Catedral, também devem ocorrer missas nas mesmas igrejas, exceto a Nossa Senhora do Rosário, conforme programação prevista pela Arquidiocese de Fortaleza.

A respeito de serviços de água e energia, a Companhia de Água e Esgoto (Cagece) e a Companhia Energética do Ceará (Coelce) devem funcionar em regime de plantão, com equipes preparadas para atender situações de urgência.

+ 24/12 Véspera de Natal

Shoppings
– RioMar – aberto de 10h às 18 horas
– Parangaba – aberto de 10h às 18 horas
– Via Sul – aberto de 10h às 18 horas
– North Shopping – aberto de 10h às 18 horas
– North Shopping Jóquei – aberto de 10h às 18 horas
– North Shopping Maracanaú – aberto de 10h às 18 horas
– Aldeota – aberto de 8h às 18 horas
– Benfica – aberto de 10h às 18 horas
– Iguatemi – aberto de 10h às 18 horas (*Lojas Americanas e Extra até 19h)

Comércio varejista
Lojas de rua abertas até 18 horas. As maiores, como Riachuelo, C&A, Casa Pio e Lojas Americanas, por exemplo, devem permanecer abertas até 19 horas.

Supermercados
Abrem normalmente.

Bancos
Agências funcionarão das 8h às 10 horas.

Cagece
Lojas de atendimento funcionam das 8h às 12 horas.

Coelce
Lojas de atendimento funcionam até às 12 horas.

Metrofor
Sem operação.

Missas

– Igreja Nossa Senhora do Rosário – celebração da Santa Missa, presidida pelo padre Luis Aberto, às 7 horas.
– Igreja de São Pedro – celebração da Santa Missa, às 19 horas.
– Catedral Metropolitana de Fortaleza – celebração da Santa Missa, presidida pelo arcebispo dom José Antônio Aparecido Tosi Marques, às 20 horas.
– Igreja da Prainha – celebração da Santa Missa, presidida pelo padre Luis Madeira, às 20 horas.

25/12 Dia de Natal

Shoppings
– RioMar – lojas e quiosques fechados. Lojas da praça de alimentação terão funcionamento facultativo. Cinema e entretenimento estarão abertos normalmente.
– Parangaba – lojas e quiosques fechados. Lojas da praça de alimentação terão funcionamento facultativo. Cinema estará aberto normalmente e entretenimento funcionará entre 10h e 22 horas.
– Via Sul –  lojas e quiosques fechados – alimentação aberto de 10h às 18 horas
– North Shopping – lojas e quiosques fechados – alimentação aberto de 10h às 18 horas

– North Shopping Jóquei – lojas e quiosques fechados – alimentação aberto de 10h às 18 horas
– North Shopping Maracanaú – lojas e quiosques fechados – alimentação aberto de 10h às 18 horas
– Aldeota – fechado, inclusive cinema e praça de alimentação
– Benfica – lojas e quiosques fechados. Praça de alimentação e cinema abrem das 11h30min às 22 horas
– Iguatemi – lojas e quiosques fechados. Lojas da praça de alimentação e lazer terão funcionamento facultativo entre 10h e 22 horas. (*Lojas Americanas e Extra fechados)

Comércio varejista
Fechado.

Supermercados
Fechados.

Bancos
Fechados.

Cagece
Funcionará em regime de plantão. Quem precisar de atendimento neste período deve entrar em contato com a companhia pela Central de Atendimento: 0800.275.0195.
*A loja da Aldeota, que abre aos sábados, não abrirá no dia 26 de dezembro.

Coelce
Funcionará em regime de plantão. Quem precisar de atendimento neste período deve entrar em contato com a companhia pela Central de Atendimento: 0800.285.0196.

Metrofor

Sem operação.

Missas
– Igreja de São Pedro – celebração da Santa Missa às 8h e 17 horas.
– Catedral Metropolitana de Fortaleza – celebração da Santa Missa às 10h, 12h, 18h30min e 20 horas.
– Igreja da Prainha – celebração da Santa Missa às 7h e 17h30min.

(Luana Severo, O Povo)

2016: Ano de Oxalá e Iemanjá

osalc381comyemanjc3812

Ano de Oxalá – fim de ciclos

 

 

Olá pessoal, estamos prestes a adentrar mais um ano de trabalho, desafios e vivências. Deixando pra trás um 2015 de lutas, dificuldades e temores. Mas, pra alguns privilegiados, do meio artístico e do meio esportivo, muita grana no bolso e sucesso. 2015 que é um ano de Marte, não é propriamente uma regência de riqueza e glórias artísticas, mas, é de vigor, impulso e de como sempre ligado a desejos e erotismo, favorece os meios que falam disso. Assim musicas que se referem a sexo, ritmo e paixão, tiveram muitos ganhos nesse ano que entrega um projeto novo a 2016.
O ano 2015 governado por Ogum, revelou-nos um trabalho excelente da Polícia Federal e MPF, com muitas prisões importantes e desavenças no meio político, justamente por causa das investigações. Ogum, plantou um novo projeto de Brasil, tanto na política, quanto na economia e no meio social. O guerreiro comandante que veio a frente como batedor, preparar o terreno e o trono do juiz Oxalá o regente do ano 2016.
Sabemos que Xangô é que é a personificação da justiça, mas, Oxalá é que é o rei que está acima e tem de certa forma em Xangô um ministro, conselheiro e competente apoiador pra governar. Em especial no que se refere ao Brasil, pois Júpiter estará em atividade dharmicas sobre o país, ao mesmo tempo que Saturno, continua seus ajustes cármicos sobre a nação. E por falar em Saturno, ele junto com Plutão, farão mais ajustes “cirúrgicos” nos poderes nesse ano do Sol.
2016 será um ano ainda mais difícil para o governo e para o meio político, claro que os que não tem sombras nefastas em sua biografia, poderão até se fortalecer, mas, quem tem uma vida pública cheia de atos obscuros, ai podem ficar de orelha em pé. A tendência é que máscaras continuem caindo e que discursos cheios de mentiras e fanfarronices não colem pra livrar esses caras da punição.
A questão da regência do ano, que se tornou costume tanto no meio astrológico ocidental, quanto no meio dos adeptos das crenças afro-brasileiras, se baseia na regência do ano que usamos dos conhecimentos caldeus. Mas, além disso, observamos vibrações, podemos observar conceitos cabalísticos e ancestrais, como no caso dos odús de orumilá-ifá e numerologias. Apesar de quê, numerologia não faz muito meu estilo, pois, é difícil determinar em que ano ou calendário podemos inserir o astral pra analisar o ano. A verdade é que esse calendário gregoriano que usamos, certamente está desajustado com as vibrações. Mas, respeito quem usa e se liga na numerologia pitagórica.
Bem, como sabe-se, há diversas personificações de Oxalá, que a Umbanda Popular acaba resumindo de forma simplista apenas em Senhor do Bonfim, pelo sincretismo e pronto! Mas, tanto no Candomblé, quanto em matéria de odú, conhecemos diversas formas. Temos na mesma corrente ancestral, algumas definições, como por exemplo Obatalá, Odudwa e até Orumilá, que pra mim, já são outras vibrações. Pra mim, a divisão é mesmo entre Oxalufã e Oxaguiã, Oxalá Velho e Oxalá Novo. Já na Umbanda Esotérica, termos cabalísticos e astrais nos revela Orixalá.
Bem, a regência do ano 2016 é de Oxaguiã o Oxalá Novo, é o orixá na sua forma guerreira, que sucede Ogum, tem uma espada e não um cajado na mão. Então ele estará favorecendo mais aos juízes que punem do que os que absolvem. Assim, leoninos com Ascendente em Áries ou Sagitário, tendem a conquistar mais no ano 2016. Também leoninos com Marte em Leão ou na primeira casa, tendem a ter mais vigor. Oxalá estará também favorecendo escorpianos, geminianos e piscianos, em especial, nas suas buscas, estudos e viagens pra realizar grandes projetos.
Oxalá, manda seu Caboclo portentoso e sensato o senhor Ubirajara, pra trabalhar em prol da transformação em especial das crianças, visando livrá-las da pedofilia, drogas e abusos. Ubirajara visa a educação e a  transformação de uma pessoa que vem a este mundo num cidadão de bem, que defenda a família e a sociedade pacífica. Ubirajara com a ajuda de seu servidor pela Esquerda, buscará revelar as emoções das pessoas, o controle e instintos sexuais, como também ajudar as pessoas a encontrar o equilíbrio sentimental.
Oxalá será auxiliado por Iemanjá, Xangô, Ibêjis, Obaluaê e Ogum. Cada um com funções distintas. Ibêjis, por exemplo, será responsável pelo trabalho e saúde das pessoas no ano 2016. E em se tratando de Ibêjis ou Erês, como são mais conhecidos no Candomblé, nos remete a crianças. Por sinal, 2016 será um ano onde muitas crianças especiais nascerão, pra trazer a Terra, novas perspectivas, novos projetos e criatividade, com muita luz espiritual. E essa maldita fase onde vírus e doenças, provocam microcefalia nos bebês, já são ataques das sombras, pra impedir que seres de luz se revelem. Mas, a força divina é maior e muitas mulheres escolhidas engravidarão ou já estão gravidas pra trazer a vida, crianças iluminadas a vida.
Também, teremos em Iemanjá, como ministra do ano, a função de cuidar dos casamentos, das relações e das uniões. Entao, você que quer mais harmonia ou um casamento no novo ano, este será um bom momento pra pedir a Rainha do Mar. Nas oferendas de fim de ano, flores levadas as aguas, peçam a Iemanjá que ajuste e abençoe sua vida emocional e conjugal. Por sua vez, Xangô, será o conselheiro de Oxalá, o mentor mais próximo de Oxaguiã, dando a ele norte para julgar, em especial assuntos referentes a saúde mental, espiritualidade e religião. Assim, poderemos ver falsos líderes espirituais serem desmascarados em 2016 e não apenas da política.
O ano 2016, terá como planetas angulares, Plutão e  Urano, sendo que Plutão acabara de nascer no céu, enquanto o Urano tá lá no fundo do céu, fazendo suas renovações nas bases da sociedade, da família e no interior das pessoas, especialmente nos filhos de Iemanjá e Ogum. Mas, apesar das apostas serem mais para uma força maior de Plutão, por está no signo do Ascendente do ano, creio que Urano por está numa casa angular, pode fazer intervenções mais incisivas nesse ano. E o ano abre as portas, trazendo estes mesmos astros, com a ângularidade diferente, sendo que Plutão no fundo do céu e Urano no Descendente. Mas, tudo é por que fazem parte de um ciclo preparatório que é o primeiro trimestre do ano, quando o ano astrológico 2015, se encaminha para os portais de 2016 em 20 de março.
Enfim, podemos ver que esse novo ano é também o ano que fecha vários ciclos, passando do portal 9 para o portal 1 em 2017. Também, estará fechando um grande ciclo de 36 anos, que se iniciou em 1981, para dar lugar a um novo ciclo regido por uma era de Saturno, que irá de 2017 até 2053. E assim por diante. Também no Ifá, quando se atinge o décimo sexto portal, começa-se um novo ciclo, onde Ifá e Ajalá, entregam ao primeiro odú, o relatório e somatizações do portal 16 do sistema de Orumilá.
Assim teremos um ano, onde crianças tendem a se lançar com mais chances de sucesso tanto no mundo das artes, quanto dos esportes. Poderão aparecer pequenas estrelas que encantarão a todos. Então, os pais que tem filhos talentosos em casa, poderão se aplicarem mais pra dar maior oportunidade de conquistas a elas. Também nesse ano, poderemos conhecer nas estrelas no mundo dos esportes, da moda, das artes, do cinema e da TV. Pessoas protegidas por Oxalá e Ogum, como a apresentadora Xuxa, poderão ter mais brilho em 2016, ao mesmo tempo em que pessoas que tem a sombra encobrindo a luz de Oxalá, poderão cair feio nesse novo ano. Como assim? Pessoas que atingiram sucesso, mas, ao invés de cuidar da espiritualidade e agradecer a luz pelas suas conquistas, preferindo adentrar o mundo das drogas e luxuria desenfreada, poderão pagar um alto preço.
Lembremos bem que o ceifador estará atento. O Senhor Obaluaê estará responsável como “primeiro ministro”, a cuidar dos assuntos terrenos, não apenas pesando sobre as cabeças dos líderes e poderosos, mas, também de pessoas que tem dívidas com o astral. Tende a ter um grande número de suicídios, afogamentos e crimes passionais, onde serão arrebatados todos aqueles que se afastaram da luz, pra viver apenas uma vida de luxuria, ganância e desonestidades.
Muitas pessoa atingiram poder político, empresarial e sexual, com magia negra, sendo que muitos políticos poderosos, incluindo ex-presidentes e governadores, que já fizeram pactos com as sombras pra se manter com poder, terão duras cobranças nesse ano 2016. O Ifá será jogado pra essas pessoas, e quando o saldo sair negativo, algo lhe será cobrado – serão cobrados até mesmo com saúde ou a própria vida, além de perdas financeiras e amorosas. Como também poderão ter perdas dentro da família e o choro pode vir forte pra essas pessoas.
Tem muitas artistas que chegaram a um status social de riqueza, abusando da sexualidade e nesse ano, poderão ter sérias cobranças, tanto do lado psicológico e espiritual, quanto do lado físico, com problemas de saúde, também perdas financeiras. Mas, é um ano de reconstrução para muitas mulheres, tanto as que estão sozinhas poderão encontrar um amor verdadeiro, quanto as que vivem casamentos ruins, buscarão se libertar. E como citei crianças, podemos perceber que do lado sombrio, muitas crianças ainda serão molestadas, vitimas de pedofilia, como também muitas garotas inconsequentes ao perder a virgindade sem se preocupar com o corpo, estarão mais sujeitas a vírus e doenças, além disso, gravidez indesejada e precoce.
O lado positivo, dessa configuração e regência anual, é que muitos pedófilos que sempre escaparam das garras da lei, nesse ano, cairão e irão parar atrás das grades. A polícia, descobrirá redes de pedofilia e traficantes de pessoas, serventes de Asmodeu e os prenderá. E do lado prático e “normal” da sexualidade, 2016 tende a ser um ano de maior lucratividade para os profissionais do sexo, dando até um novo fôlego no mercado pornográfico, lucro de redes de motéis e aumentando o fogo das pessoas. Claro que como consequência, teremos mais adultério, sexo proibido e pessoas com relações duplas. Até porque o triângulo envolvendo Plutão na casa 12, Urano na casa 4 e Lua na casa 8, o proibido será visto como mais picante e mais gostoso. Assim as casas de swing e sociedades secretas ligadas ao prazer, tendem a bombar nesse ano 2016.
Apenas lembrando aos atiradinhos e que curtem o perigo, que isso terá consequências cármicas, pois Oxalá rege o chacra cardíaco, ou seja, emoções, sinceridade e pureza. Dessa forma, envolver-se do lado mais sombrio da sexualidade humana,  trará sempre consequências punitivas. Lembrando ainda que este é o ano de Miguel, o arcanjo combatente e que busca tudo aquilo que tá fora da ordem para julgamento.
Em termos de Brasil, vemos que o signo da casa 12 do país, será o foco no mapa do ano. Podemos dizer assim que este ano será um dos mais transformadores para os signos cardinais, em especial Capricórnio e Áries. Estes dois signos, serão forçados a rever conceitos, reajustar comportamentos e reformular sua vida em tudo que lhe for exibido pelas realidades do ano. Áries terá que fazer readaptações no seio familiar, nas suas emoções internas e no ambiente que adotou pra viver, enquanto Capricórnio terá evidencia, tendo que dar a cara a tapa por algo que defendia apenas nas sombras. Agora sua imagem ficará mais exposta e terá que lutar contra inimigos visíveis e invisíveis, mas, com grande chance também de conseguir aliados poderosos e vencer inimigos que sempre lhe atormentaram.
Uma boa cor para entrar o ano, inclusive as calcinhas das mulheres que adotam a simpatia da virada do ano é o amarelo e em especial o laranja. No entanto, o marrom clarinho e o prata serão vivificadores para quem quer mais sexo durante o ano. E seguindo os signos cardinais, podemos perceber que Libra estará mais objetivo, tendo como dever, o de realizar algum projeto, coisa que não vem fazendo a um bom tempo. Na verdade, os librianos vem muito acomodados no seu mundinho, achando que o que tem já tá bom. Então serão desafiados a sair de sua redoma e procurar fazer algo mais grandioso em sua existência. E a vida financeira, lhe chamará atenção durante todo o ano. Terá que investir pra aumentar suas economias, ser mais ousado e mais corajoso. Terá que criar projetos e vivenciar novas aventuras. Terá que ajudar pessoas, ao mesmo tempo em que elas também servirão aos seus planos de crescimento. A comunicação, a edição, a escrita e o ensino, poderão ser executados com maiores chances de sucesso, desde que não ajam com timidez, nem medo e muito menos insensatez. Ou seja, não confundir coragem com inconsequência, mas, com prudência e planejamento.
Librianos também, em especial as mulheres, estarão afim de tirar o atraso na vida sexual. Estarão mais carentes e mais dispostos a gozar mais, a ter uma atividade sexual, mais intensa e mais satisfatória. Por isso mesmo devem buscar emoção com libido e não se envolver com qualquer um. Nesses últimos tempos, desde que Urano cruzou Capricórnio e cruzou Aquário, Peixes e chegou a Áries, as mulheres se atiraram mais a dimensão da voluptuosidade. Meninas perdem a virgindade com qualquer um, mulheres lindas namoram qualquer homem, desde que ele não lhe deixe só e transem quando elas querem. O sexo, tá no nível da banalidade e a emoção distorcida. Com mulheres confundindo apego e obsessão com amor. Até o número de suicídio é grande (apesar de não divulgado) por causa de relações conturbadas e amores obsessivos, tanto no Brasil, quanto na América Latina. Essas conclusões não se referem apenas a librianas, mas, a todas as nativas, que sentiram o choque uraniano em sua sexualidade e vida sentimental. Como também, não foram só as mulheres, mas, também os homens que adentraram o mundo da voluptuosidade. Tem homens que são cornos porque dispensam amores sinceros por aventuras vazias. Tem homens que nem são bons de cama, porque pensam que ser sentimentais é coisa de fraco.
O outro cardinal focado é Câncer. Este signo vem vivendo uma fase de dureza nos últimos anos, desde que Plutão passou de Sagitário pra Capricórnio e piorando ainda mais, quando Urano adentrou Áries. Mas, de certa forma ganhou um fôlegozinho quando Júpiter passou por Câncer, depois Leão e agora em Virgem, mesmo enfraquecido, traz boas vibrações aos cancerianos. Júpiter estará junto a Cabeça do Dragão, propiciando boas expectativas pra estudantes do signo de Câncer, como também a quem trabalha com comércio, comércio exterior, turismo, serviços manuais e industriais. No entanto, exige aperfeiçoamento, qualificação, estudos de qualidade e onde a pessoa poderá se dar bem como assessor de imprensa e trabalhos de mídia em geral.
Os signos Mutáveis por sua vez, Gêmeos, Virgem e Peixes, terão favorecimento, justamente vindos das bênçãos de Júpiter. Xangô, Iansã e Iemanjá estarão olhando por estes signos durante o ano. Tendem a ter mais sexo, mais vigor sexual e também precisam cuidar da forma física. Cuidado pra não engordar além das expectativas, todos os nativos desses três signos citados. Em especial, vemos que Virgem terá uma grande chance de transformações, como por exemplo, no plano sexual, muitas pessoas que vivem se guardando, que evita sexo casual, tendem a ir a forra nesse ano. Muitas dessas pessoas, cansarão de esperar e vão decidir curtir a vida. No plano físico será um ano de mudança, emagrecer, fazer cirurgias de redução de estômago e se ajustar a novas dietas. E dos mutáveis Gêmeos tende a ser o signo mais leve, onde poderá se aventurar a novas negociações, comunicações, intercâmbios e comércios. Poderemos ver muitas novas mamães do signo de gêmeos, novos papais também desse signo. Será o signo que mais vai frequentar o motél em 2016, porém muitas geminianas, verão que estão erradas na escolha e verão que ainda não souberam escolher bem seu parceiro. E será um bom ano pra elas adaptarem melhor sua forma de amar. Assim as geminianas, estarão mais românticas e por isso, com maior chance de ser traídas, pois, sempre tendem a escolher mal os parceiros. Assim esse será um ano de readaptar-se. Quanto a piscianos, será um ano de focar a vida financeira, podendo ser um ano bem mais cheio de trabalho e negócios. Mas, tambem de muitos golpes, em especial quem se joga em diversas atividades simultaneamente. É preciso que foquem num projeto de cada vez e só façam negócio com pessoas confiáveis. Piscianos que lidam com drogas, tendem a se dar mal nesse ano. Negócio ilícito será furada. Mas, será um ano bom pra sexo e casamento.
Outro signo de água, que é Escorpião, tende a ter um ano muito bom. Especialmente nos negócios e profissão, com negócios sendo concretizados. A turbulência fica no entanto, pra vida sexual e sentimental. Já o signo de Touro, tende a ter um ano muito trabalho, mas, um alto nível de criatividade e lucro. Porém no nível social deve ter cuidado com falsos amigos, embates com pessoas de poder e mesmo sendo um ano de muito sexo, deve ter cuidado com traições. Já Aquário, continua uma fase de mudanças, inclusive bom pra mudar de emprego e de residência. Positivo para amor e sexo, mas, muito desafiador no campo financeiro e especialmente pros aquarianos que lidam com política. Devem ter cuidado com tramas e traições no campo profissional.
Sagitário, que só pelo fato de Saturno está pesando em seu mapa, já terá um ano bem desafiador, além de Júpiter seu regente está fraco, ainda terá que enfrentar crises no campo social, com amigos e nos estudos. Mas, será beneficiado mesmo assim, nesse ano de fogo, no campo espiritual, das ideias, das viagens ao exterior e das buscas elevadas. Bom para o sexo, desde que não seja com pessoas volúveis e nem por dinheiro. Além disso, bom para quem trabalha com automóveis, turismo e ensino superior.
Para o país a crise não será fácil, tende até a piorar de alguma forma. Portais cármicos se abrem, mas, alguns ajustes positivos trarão ganhos em algumas áreas. Como por exemplo, Júpiter que poderá estimular a indústria, o trabalho, setor de serviços e da área farmacêutica. No entanto, as crises no governo, na economia geral e nos embates políticos devem continuar. Há ainda chance de algum figurão da política e também do meio artístico, vir a morrer nesse ano. E quando falo figurão, me refiro a alguém de peso e que não se esperava que de repente ele se fosse!
A Pombagira atuante, a Rainha das 7 Encruzilhadas, tende a focar as mulheres ambiciosas, executivas e de poder. Mulheres que nunca se importaram com o lado espiritual e que acham que o cartão de crédito é a maior terapia. Mulheres ricas que gastam com coisas superfluas e não cuidam do lado espiritual, poderão cair em armadilhas nesse ano. 2016 é um ano de fechamento de ciclos, onde a Rainha das Encruzilhadas estará fazendo uma faxina e relatório. O livro sexual, ou melhor o capítulo que se refere a sexo no livro da vida, também estará sendo observado.
Axé a todos e bom ano. Feliz 2016
Carlinhos Lima
Créditos: http://portalesdoceu.blogspot.com.br/2015/12/2016-ano-que-luz-revela-o-que-esta.html

Estado Islâmico: perguntas e respostas

Sabia que o atual líder do EI já esteve detido num campo de prisioneiros dos Estados Unidos? E que o território do EI equivale ao do Reino Unido? E que quem salvou milhares de yazidis de serem massacrados pelo EI foi uma organização considerada terrorista por Washington? Veja mais nas perguntas e respostas que se seguem. Artigo publicado no dossier do Esquerda.net Estado Islâmico: o que é, quem o financia, o que pretende?, de setembro de 2014.

O que é o Estado Islâmico?

É uma organização política que professa o islamismo sunita e foi fundada na Jordânia, em1999, com o nome de Jama’at al-Tawhid wal-Jihad (Grupo de Monoteísmo e Jihad) por Abu Musab al-Zarqawi. Apesar de fundado na Jordânia, o grupo desenvolveu-se no Iraque, na resistência à invasão dos Estados Unidos e aliados. Em 2004, o grupo ligou-se a Osama bin Laden e mudou de nome para Al-Qaeda no Iraque, tornando-se uma das principais forças da resistência. Os seus objetivos eram forçar a retirada das tropas ocupantes, derrubar o governo títere iraquiano, assassinar os colaboracionistas, derrotar as milícias xiitas e estabelecer um Estado puramente islâmico. Com a morte de al-Zarqawi em 2006, o grupo juntou-se a outras organizações sunitas e formou o Estado Islâmico do Iraque. Mas a sua influência diminuiu diante da criação dos conselhos de líderes tribais sunitas Sahwa (Despertar), que rejeitavam as suas táticas ultraviolentas.

Em 2010, assumiu o comando Abu Bakr Al-Baghdadi que reorganizou o grupo, e voltou a crescer à medida em que o próprio governo iraquiano, dominado pelos xiitas, marginalizava os sunitas e incentivava os conflitos sectários. A nova liderança levou a organização a envolver-se também na guerra da Síria, onde combateu o governo de Bashar al-Assad. Em 2013, Abu Bakr Al-Baghdadi anunciou a unificação das forças do Iraque e da Síria numa só organização, o Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL, ou ISIS, sigla em inglês).

Em junho de 2014, o EIIL, depois de uma imparável ofensiva que o levou a conquistar dezenas de cidades, entre elas as estratégicas Raqqa na Síria e Mossul no Iraque, proclamou a criação de um Califado, o Estado Islâmico. (Ver mais aqui eaqui).

Então, o Estado Islâmico é um estado?

Seria melhor chamar-lhe um protoestado, com uma existência ainda muito curta e futuro incerto, mas que procura organizar-se com estado, pondo de pé um sistema de cobrança de impostos e uma nova legislação baseada na interpretação mais rigorista daSharia, a lei islâmica. O território que controla atualmente não é desprezível.

Qual é o tamanho do Estado Islâmico?

Como não se trata de um estado consolidado nem reconhecido e muitas áreas estão em disputa e uma guerra está em curso, o cálculo é difícil, mas o Washington Post, baseado no Centro Nacional de Contraterrorismo dos EUA, calcula a área em cerca de 210 mil quilómetros quadrados, mais ou menos equivalente à área total da Grã-Bretanha, mas que inclui territórios desabitados.

Onde se situa?

A vermelho, território controlado pelo EI; a beje, território que o EI afirma controlar; a branco, resto do território da Síria e do Iraque. Fonte: BBC, atualizado em 22/9/2014.

O Estado islâmico controla quase metade do território da Síria e uma parte do norte do Iraque, separando o território curdo do resto do Iraque (ver mapa). A sua capital de facto é Raqqa, perto da qual se situa a barragem de Tabqa, a maior do rio Eufrates e da Síria. Controla cidades como Deir es-Zour (importante centro petrolífero da Síria), Sinjar (a maior da comunidade yazidi), Mossul, a segunda cidade do Iraque, com 1,8 milhão de habitantes. A barragem de Mossul, a maior do rio Tigre, situada a 60 km a norte da cidade, foi reconquistada pela tropas curdas com o apoio aéreo dos EUA.

Quem é Abu Bakr al-Baghdadi?

O nome de nascimento é Awwad Ibrahim Ali al-Badri al-Samarrai e nasceu na cidade iraquiana de Samarra. Tem 43 anos e acredita-se que começou a carreira como pregador salafista. Envolvido na resistência à ocupação, foi preso pelas tropas norte-americanas na prisão de Camp Bucca. Mas há versões divergentes quanto a esta detenção: al-Baghdadi terá estado preso entre fevereiro e dezembro de 2004; ou entre 2005 e 2009. Seja em que período for, parece coincidir a versão que diz que foi libertado por decisão de uma comissão de revisão dos processos dos presos.

Em maio de 2010, o EIIL anunciou que al-Baghdadi era o novo líder da organização. E em 29 de junho de 2014, o EIIL anunciou a criação do califado e a sua nomeação como califa, com o nome de Ibrahim.

De onde vem o financiamento do Estado Islâmico?

A maior fonte atual de financiamento do EI é o petróleo iraquiano. O EI não destrói as fontes energéticas que conquista militarmente; pelo contrário, põe-nas a render para financiar o Estado que quer construir.

Mossul, uma das cidades dominadas pelo grupo, produz cerca de 2 milhões de barris de petróleo por dia. O EI também controla a central de gás de Shaar, e Deir es-Zour, o maior centro petrolífero da Síria.

Theodore Karasik, do Institute for Near East and Gulf Military Analysis (INEGMA) e Robin Mills, autor do livro “The Myth of the Oil Crisis” (“O Mito da Crise do Petróleo”), calculam que o EI ganhe um milhão de dólares por dia com a exploração do petróleo iraquiano.

O EI vende o barril a 30 dólares no mercado negro, muito mais barato que os 100 ou mais dólares/barril praticados no mercado internacional e usa intermediários na Turquia e na Síria.

Além disso, o EI está a pôr de pé um sistema de impostos nas áreas conquistadas.

Mas nos tempo em que o EI ainda não tinha conquistado qualquer território ou poço de petróleo, o financiamento decisivo para o seu crescimento veio do apoio da Arábia Saudita e dos países do Golfo, segundo o jornalista Patrick Cockburn e outros analistas, que calculam que esses países já teriam canalizado centenas de milhões de dólares para insurgentes sunitas na Síria.

(Condensado de um artigo de Mariano Aguirre, do instituto Norwegian Peacebuidling Resource Centre – NOREF), publicado pelaBBC Brasil.

O uso de ultraviolência por parte do Estado Islâmico caracteriza a prática de crimes de guerra?

Imagem do vídeo divulgado pelo EI mostrando execução em massa de inimigos.Imagem do vídeo divulgado pelo EI mostrando execução em massa de inimigos.

Sem dúvida: nada justifica as execuções em massa praticadas e exibidas em vídeos, a limpeza étnica, a perseguição de minorias religiosas, o sequestro e execução pública por decapitação de jornalistas estrangeiros. Infelizmente não são exclusivas deste grupo – o uso do terror como arma de guerra já foi muito usado na história, mas não é por isso que ganha qualquer pingo de justificação.

Quer dizer que são loucos?

Não é questão de loucura e sim de opção tática de guerra. O desmoronamento do Exército iraquiano diante da avançada do EIIL deveu-se em boa parte ao pavor incutido pelos vídeos de execuções em massa. As práticas ultraviolentas, que remontam aos tempos do fundador da organização al-Zarqawi, têm como objetivo apavorar os inimigos e dar uma imagem de invencibilidade que atrai a adesão de novos recrutas entre os sunitas.

Neste aspeto, Al-Bagdhadi segue a doutrina de Bin Laden que dizia: “quando as pessoas veem m cavalo forte e um cavalo fraco, por natureza vão gostar do cavalo forte”. (Ver mais aqui)

Quem são os yazidis?

Os yazidis ficaram famosos pela perseguição que sofreram por parte do EI. Foram apresentados como cristãos perseguidos, mas na verdade dificilmente podem ser considerados cristãos. São uma comunidade étnico-religiosa curda cujos membros praticam uma antiga religião sincrética, o yazidismo, ligada ao zoroastrismo e a antigas religiões da Mesopotâmia. A maior parte dos seus membros vive ou é originária da província de Ninawa, no norte do Iraque, cuja capital é Mossul. A sua religião tem origem no antigo Irão e tem numerosas semelhanças com as antigas religiões persas. Os yazidis acreditam em Deus como criador do mundo, que colocou sob o cuidado de sete “seres sagrados” ou anjos, cujo “chefe” (arcanjo) é Melek Taus, o Anjo Pavão. Como governante do mundo, este Anjo Pavão é a causa de tudo o que sucede de bom e de mau aos humanos e este caráter ambivalente surge em mitos da sua queda em desgraça junto de Deus. Esta crença tem origem nas reflexões místicas sufistas (um ramo místico do Islão) sobre o anjo Iblis (o equivalente islâmico do Diabo), que se recusa orgulhosamente a violar o monoteísmo adorando Adão e Eva, apesar da ordem expressa de Deus para o fazer.

Quem evitou o massacre dos yazidis?

Guerrilheiros do PKK. Foto de Nora Miralles.Guerrilheiros do PKK. Foto de Nora Miralles.

Quando as tropas do Estado Islâmico chegaram a Sinjar, no início de agosto deste ano, os peshmerga, combatentes curdos, anunciaram que tinham recebido ordens de retirada e fugiram, deixando os yazidis à sua própria sorte. O massacre estava à vista, porque o EI considera os yazidis “adoradores do diabo”. Valeu aos milhares de mulheres, crianças e homens daquela comunidade o apoio do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que protegeram a sua retirada para as montanhas (de 3 a 6 mil pessoas) e os defenderam quando o exército do EI tentou capturá-los. Os EUA desfecharam ataques aéreos de proteção e atiraram mantimentos de para-quedas, em coordenação com o PKK.

O mais irónico desta situação é que o PKK, cujo principal líder, Abdullah Öcalan, está preso há 15 anos na Turquia, faz parte da lista de organizações consideradas terroristaspor Washington. O papel decisivo da guerrilha do PKK foi reconhecido pelo próprio presidente curdo Massoud Barsani, que viajou para agradecer pessoalmente o comandante do PKK envolvido na operação.

O Estado Islâmico veio trazer alterações no panorama geoestratégico da região?

Sem dúvida. Mesmo sem uma aliança formal, os Estados Unidos e o Irão estão lado a lado contra o inimigo comum, o EI; os EUA estão a bombardear o EI, para satisfação de Bashar al-Assad, inimigo declarado de Washington. E há muitos outros exemplos. Sobre isto, vale a pena ler o artigo de Immanuel Wallerstein “O califado contra o resto do mundo”.

(Luís Leiria – Esquerda.net)

Link: http://www.esquerda.net/artigo/perguntas-e-respostas-sobre-o-estado-islamico/39612

Religiões de matriz africana e cristianismo: um diálogo possível?

Do IHU On-Line:

Religiões de matriz africana e cristianismo: um diálogo possível? Entrevista especial com a Volney J. Berkenbrock

“Ao falarmos de sincretismo no Brasil muitas vezes se pensa logo nas religiões afro-brasileiras, como se fossem somente elas passíveis de serem sincretizadas; fazendo uma análise mais apurada se pode perceber que as compreensões religiosas de matriz africana também deixaram marcas em tradições cristãs”, esclarece o teólogo.

Os sistemas religiosos, ao propor formas de viver e interpretar o mundo e experienciar o divino, também revelam importantes aspectos históricos e socioculturais de um grupo social. O Brasil, um país multicultural, foi construído a partir da contribuição de muitos povos que carregam consigo sua herança cultural, a qual se expressa a partir de diversos elementos, entre esses a religião.

Atraído por “mundos diferentes do seu”, o teólogo Volney J. Berkenbrock mergulhou na tradição religiosa de matriz africana para entender, a partir do Candomblé, essa cosmovisão do sagrado e que relações são possíveis de serem estabelecidas com o catolicismo. “Qual resposta de sentido encontra quem faz a experiência dos Orixás e em que medida o cristianismo pode dialogar com isto. Este tema serviu não apenas para o doutorado, mas para nortear minhas pesquisas até hoje: a religião dos Orixás como um sistema de sentido, de compreensão da existência e, sobretudo, de respostas às questões do ser humano. É uma temática de pesquisa e curiosidade que nunca se acabaram”, explica.

Ao longo da entrevista concedida por e-mail à IHU On-line, Berkenbrock fala sobre essa investigação, que foi intitulada A experiência dos Orixás e desenvolvida durante seu curso de doutorado em Teologia, mas que, como ele menciona, tornou-se um marco que continua orientando seu olhar de pesquisador a respeito da temática das religiões.

Além das principais características da experiência religiosa do Candomblé, o teólogo aborda a situação da identidade do católico a partir do diálogo com as religiões de matriz africana, não só diante das diferenças teológicas, mas também perante o contexto social e histórico que cercam as tradições religiosas. Ainda, traz o tema do sincretismo religioso, um modo peculiar do brasileiro de se relacionar com o sagrado e transitar pelo cenário multicultural do país, onde as diferentes tradições religiosas, como o catolicismo e o Candomblé, se afetam e constroem-se reciprocamente.

“Entendo que o sincretismo é um processo permanente de diálogo, parte da dinâmica cultural. Assim, dentro dele, há elementos que são interessantes numa análise. Um deles é justamente esta mútua influência. Ao falarmos de sincretismo no Brasil muitas vezes se pensa logo nas religiões afro-brasileiras, como se fossem somente elas passíveis de serem sincretizadas; fazendo uma análise mais apurada se pode perceber que — mesmo estando em condição social muito adversa — as compreensões religiosas de matriz africana também deixaram marcas em tradições cristãs”, aponta.

Volney J. Berkenbrock é frei franciscano e doutor em Teologia pela Faculdade de Teologia Católica da Universidade Federal de Bonn, Alemanha, título que obteve com a tese A experiência dos Orixás (Petrópolis: Vozes, 1998), trabalho publicado em 1995 na Alemanha (Die Erfahrung der Orixás. Bonn: Verlag N. Borengaesser, 1995) e em 1998 no Brasil. Atualmente é professor do programa de Pós-graduação em Ciência da Religião na Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF.

Confira a entrevista.

IHU On-Line – De onde partiu seu interesse pelas religiões de matriz africana? Quais foram os objetivos de sua pesquisa? Por que a escolha do Candomblé especificamente?

Volney J. Berkenbrock – O meu interesse pelas religiões de matriz africana começou de forma um tanto casual. Quando fazia a faculdade de Teologia, o professor da disciplina chamada Sociologia da Religião nos deu uma tarefa: visitar algum ritual de uma religião que não fosse de tradição cristã e tentar descrever o que ali tínhamos visto e o que havíamos entendido. Eu, como outros colegas de curso, fui procurar alguma casa na linha do que o professor tinha pedido. Alguém do grupo sabia que não muito longe de onde morávamos havia um templo religioso que não era cristão. E tivemos a informação de que haveria ritual numa sexta-feira. Para lá nos dirigimos: Tenda Espírita de Oxóssi, assim chamava-se a casa.

Eu nunca havia entrado num templo religioso que não fosse cristão e nunca havia participado de qualquer ritual religioso onde Jesus Cristo e a Bíblia não fossem uma referência. Tudo ali naquele templo foi novidade para mim: a organização do espaço, a defumação, os símbolos, as cores, a música, a dança, as consultas, as entidades… Fiquei vendo aquele ritual, sem entender praticamente nada. Disseram-nos que Vovó Luiza é que estava presente. Um dos membros do grupo, mais corajoso um pouco, foi fazer uma consulta. Nós outros só observávamos (e certamente éramos observados). Terminado o ritual, como não havíamos entendido quase nada, perguntamos se alguém poderia nos explicar algo, pois precisávamos apresentar em aula o relato da visita. Aquela senhorinha — Vovó Luiza — dispôs-se a responder nossas perguntas. E ali ficou um bom tempo tentando nos explicar o que significava cada coisa, bem como os momentos do ritual.

Para mim abriu-se um novo mundo: uma realidade da qual nunca tinha tomado conhecimento, mas que tinha uma lógica, uma compreensão, uma organização. E muitas pessoas tinham ido ao ritual — para se consultar — dado que era uma casa relativamente grande. Tomado por uma curiosidade que sempre me foi natural para quase tudo, pensei comigo: estas pessoas todas que aqui estão não são loucas; elas devem encontrar um sentido nisto tudo; elas devem encontrar aqui respostas para o que buscam. Este foi o ponto de partida: uma curiosidade enorme por entender o que ali acontecia, qual era a lógica que regia aquele mundo, qual resposta de sentido encontravam as pessoas. Saí daquela visita com o propósito de tentar entender isto. Depois da visita, procurei os livros da biblioteca sobre o assunto. Li avidamente diversas obras. Comecei a perceber que aquele mundo era muito mais amplo e complexo do que eu inicialmente imaginara. Das leituras comecei a entender que havia, por exemplo, Umbanda e Candomblé; que macumba era uma palavra mais pejorativa que descritiva; que Vovó Luiza não era o nome da senhorinha que nos atendeu, mas sim o nome da entidade que ela recebera no dia do ritual; que a casa que visitamos era um templo da Umbanda etc.

Num primeiro momento, diria que meu interesse pelas religiões de matriz africana no Brasil foi entender como funciona aquele mundo. Como eu não tinha tido anteriormente qualquer contato com alguma religião desta tradição, quer positivo, quer negativo, confesso que não tive qualquer medo do contato. Para mim tudo era novidade. E posso dizer que muito aprendi e achei tudo muito interessante.

O doutorado

Terminada já a graduação em Teologia e estando eu alguns anos depois às voltas com uma temática para o doutorado — na Universidade de Bonn, Alemanha — participei de um seminário dirigido por meu orientador (Hans Waldenfels) com a temática: O espírito nas religiões não cristãs. Resolvi então buscar meus conhecimentos antigos sobre as religiões de matriz africana no Brasil e tentar apresentar no seminário o tema do espírito (entidades, orixás, guias) nestas religiões. Meu orientador achou a temática interessante e me incentivou a mudar a temática inicial do doutorado. Eu intentava pesquisar um tema dentro da Pneumatologia [1]. Meu orientador me disse: isto muitos já fizeram; faça algo ligado à temática do Brasil, alguma coisa que seja interessante para a Igreja do Brasil. Achei a ideia tentadora e conversei com Leonardo Boff [2], meu antigo professor de Teologia Sistemática e que me havia incentivado a continuar os estudos. Ele achou a temática muito boa e assim decidi mudar o rumo da pesquisa de doutorado que estava apenas iniciando.

Faltava ainda especificar mais a busca e, após mais leituras, a pergunta inicial me veio novamente à mente: que respostas encontram as pessoas que buscam estas religiões? Era necessário estreitar a temática e me decidi então pelo Candomblé. Esta decisão deveu-se muito mais ao fato de ter já lido muito material sobre esta religião do que — por exclusão — de outra tradição. Focando ainda mais a pesquisa, cheguei ao tema específico de meu doutorado: a experiência religiosa no Candomblé. Ou seja, qual resposta de sentido encontra quem faz a experiência dos Orixás e em que medida o cristianismo pode dialogar com isto. O tema serviu não apenas para o doutorado, mas para nortear minhas pesquisas até hoje: a religião dos Orixás como um sistema de sentido, de compreensão da existência e, sobretudo, de respostas às questões do ser humano. É uma temática de pesquisa e curiosidade que nunca se acabaram.

“O que geralmente chamamos de sincretismo é um grande diálogo inter-religioso”

IHU On-Line – De que forma a perspectiva da Teologia da Libertação se insere em sua pesquisa sobre o Candomblé? Por que a escolha desta abordagem teológica neste trabalho?

Volney J. Berkenbrock – Fiz minha graduação em Teologia na década de 1980, período forte daTeologia da Libertação [3]. Um dos pontos altos desta teologia era o seu famoso método, muito bem estudado e apresentado por outro professor que tive, Clodovis Boff. Nele, a análise da realidade é o ponto de partida. Para mim, esta metodologia encaixou-se como uma luva: como analisar esta realidade religiosa do Candomblé? Eu poderia, pois, utilizar um método que já me era familiar e aplicá-lo ao meu objeto de pesquisa. Ao mesmo tempo, toda a linguagem da libertação que estivera presente na teologia e aplicada geralmente à realidade social, política, econômica, eclesial, ganhava para mim outro elemento. Era sabido que as pessoas destas tradições religiosas de matriz africana eram oprimidas e discriminadas por muitos aspectos. Mas os discursos sobre como pensar num processo de libertação para estas pessoas abrangiam quase exclusivamente a questão étnico-racial, econômica, política e eclesial. E muito pouco a questão religiosa (e teológica) destas pessoas.

IHU On-Line – De que maneira a diversidade cultural é abordada pela Teologia, sobretudo no contexto latino-americano?

Volney J. Berkenbrock – Ao avançar em meus estudos sobre o Candomblé e como a teologia cristã — inclusive a Teologia da Libertação — interpretava esta realidade, comecei a notar algo que para mim se tornou cada vez mais um problema bastante complexo. A teologia cristã, na maioria dos casos, ao abordar a diversidade cultural a entende mais como diversidade de costumes, de línguas, de expressões. Mas se pensa quase sempre numa teologia cristã subjacente a esta diversidade. Mesmo a Teologia da Libertação, considerada avançada em sua época, continuava a pensar as questões políticas, sociais, econômicas sempre a partir da matriz cristã. Aquestão cultural era ainda incipiente para a Teologia da Libertação. Passados cerca de 30 anos desde que terminei minha formação teológica básica, vejo que muito se avançou nesta questão da diversidade cultural dentro da teologia, sobretudo com a chamada teologia pluralista das religiões.

“Enfrentar a questão do papel de cristãos na história da constituição da América Latina é muito importante”

IHU On-Line – Em sua pesquisa o senhor afirma que o reconhecimento da alteridade do outro (nesse caso os fiéis das religiões de matriz africana) interpela a identidade cristã. Por quê? De que forma acontece essa interpelação e que implicações pode trazer para a identidade católica especificamente?

Volney J. Berkenbrock – Quando nos aproximamos da realidade das religiões de matriz africana no Brasil, começam a aparecer diversos aspectos para o cristianismo que interpelam a sua identidade. Há um aspecto que é a questão histórica ligada à escravidão: como pôde acontecer que cristãos escravizaram pessoas, milhões de pessoas, durante séculos? Isto é um tipo de interpelação: a distância entre o proposto e o vivido no cristianismo. Enfrentar a questão do papel de cristãos na história da constituição da América Latina é muito importante. Não se trata simplesmente de revolver o passado, mas sim de — a partir do que ocorreu no passado — pensar nesta relação entre fé cristã e forma de vida para os tempos em que vivemos. Esta interpelação pode ser vista tanto no sentido de vivência de cada fiel, como também para a instituição cristã. Trata-se aqui da necessidade da instituição de estar atenta sempre novamente à proposta do Evangelho. Especificamente, para o catolicismo como instituição, é preciso haver a constante preocupação em suas estruturas organizacionais por espelhar a identidade cristã, quer dizer, o seguimento da proposta de amor, de serviço, de misericórdia de Jesus Cristo. Este é, pois, um tipo de interpelação que o contato com as religiões de matriz africana no Brasil faz à identidade cristã. Esta interpelação aponta para um desafio aos cristãos: viver cristãmente.

Outra interpelação à identidade cristã é de natureza mais profunda e radical. O cristianismo se propõe a ser uma resposta de sentido a todo ser humano de uma forma ampla e uma proposta de caminho para se chegar à realização deste sentido. Sem aprofundar muito aqui a questão, percebo que uma compreensão mais aprofundada dos sistemas religiosos de matriz africana, que aportaram em nosso país pela escravidão e aqui se reorganizaram, mostra que eles apresentam igualmente tanto uma proposta de sentido como uma oferta de caminho para se chegar à realização. Ou seja, estes sistemas religiosos se apresentam com a mesma proposta de totalidade de sentido que tem o cristianismo. Esta constatação interpela a identidade cristã no sentido então de — minimamente — levar em consideração não ser nesta realidade a única proposta de sentido religioso. Mas a maior interpelação à identidade cristã decorrente desta constatação está no fato de terem sido as propostas religiosas de sentido destas tradições aquelas que responderam à busca pelo sentido de milhares de pessoas jogadas neste mundo de escravizados ou descendentes de escravos. Foi nestas tradições religiosas que muitas destas pessoas encontraram acolhida e caminho de sentido.

Não basta aos cristãos, frente a esta constatação, dizer que as pessoas da época, que escravizaram, não viveram o cristianismo de uma forma verdadeira. Seria uma saída pela tangente. É preciso levar em consideração o fato de haver uma proposta de sentido paralela à do cristianismo e que foi e é realidade para milhares de pessoas. Diante disto, a identidade cristã precisa novamente voltar à questão posta acima: o problema da distância entre o proposto e o vivido. Somente através do vivido é que a identidade cristã pode ser verificada. E é esta verificação (pela vida) o desafio que os outros sistemas religiosos colocam à identidade cristã.

IHU On-Line – Como o contexto sócio-histórico é abordado pela Teologia no estudo das religiões de matriz africana, sobretudo nos cenários brasileiro e latino-americano, marcados pela violência advinda dos processos de colonização e escravidão? De que forma são tratados a presença e o papel da Igreja Católica nesse âmbito? Qual era esse papel?

Volney J. Berkenbrock – Há aqui duas questões que queria distinguir: uma delas é o papel que aIgreja católica — em todos os seus níveis — desempenhou na história da escravidão. Não foi um papel dos mais gloriosos. Pelo contrário, as vozes advindas da Igreja católica contra a escravização de africanos e contra tudo o que isto envolvia foram poucas, foram fracas e foram exceções. É preciso então trabalhar esta questão histórica: por um lado entendê-la e por outro seguir o caminho da reparação, da restituição. Isto dado que o passado não pode mais ser mudado. Outra questão, advinda da análise do papel da Igreja católica na escravidão, é oaprendizado que disto se pode retirar para que a Igreja católica e todos os seus organismos estejam atentos a questões atuais, para nelas não desempenharem papéis que em um futuro não muito distante venham a ser percebidos não apenas como equívocos históricos, mas como atitudes contra a proposta do Evangelho.

Nesta linha, há uma lista enorme de questões a serem trabalhadas, como, por exemplo, o papel e a importância da mulher na Igreja, o papel da Igreja na questão ecológica, a complexa questão de gênero, a situação das regras para os sacramentos etc. Não estou apontando aqui nenhuma sugestão concreta para estas questões. Estou apenas apontando alguns temas onde é necessária uma atenção maior para que no futuro não se tenha que reconhecer que teria sido possível fazer diferente. O papa Francisco, aliás, tem sido uma voz muito corajosa nesta linha. Tem pedido constantemente uma Igreja misericordiosa, uma Igreja em saída, uma Igreja daalegria do Evangelho e não somente guardiã das estruturas antigas.

“O desafio é conviver com a diversidade, não apenas em termos religiosos. Também em termos políticos, culturais, de costumes etc.”

IHU On-Line – De que forma seu trabalho se insere em um contexto amplo da compreensão que a Igreja Católica tem sobre as outras religiões e o diálogo inter-religioso?

Volney J. Berkenbrock – Vivemos hoje numa situação cultural onde o pluralismo é cada vez mais a regra. Tudo é plural, ou quase tudo. E isto também em termos de religião: há muitas possibilidades. Consequência disto é que há propostas que podem ser escolhidas. Ter alguma religião (ou não ter) é uma questão de opção. Em princípio, qualquer pessoa pode fazer sua opção religiosa. Vemos isto como um direito. Esta é a forma de pensamento e sentimento que temos hoje. Mas isto coloca para as religiões duas questões muito importantes: A partir de qual ponto de vista as pessoas escolhem uma religião? E como estas opções religiosas (suas organizações) vão conviver?

Quanto à primeira questão, penso que cada vez menos a opção religiosa se dá pela proposta de doxa (o que tal religião apresenta como verdade) e cada vez mais a opção religiosa é feita a partir da proposta de práxis (qual proposta de vida tem esta religião). Para a Igreja católica, não vejo isto como um problema, mas como uma grande chance: apresentar-se cada vez mais como uma proposta de vida. Na segunda questão está para mim o grande desafio de nosso tempo: como conviver. Não podemos mais sonhar com um mundo unitário, onde todos vão se entender sobre uma série de questões. Vivemos num mundo plural, onde a diversidade será a regra (pelo menos nos próximos tempos). E sendo então assim, o desafio é conviver com a diversidade. Digo isto não apenas em termos religiosos. Também em termos políticos, culturais, de costumes etc. se coloca o mesmo desafio da convivência. Nesta linha, no meu contato de mais de 30 anos com as religiões de matriz africana no Brasil aprendi algo sobre a convivência. Depois deste tempo, não vejo mais estas casas como lugar de pesquisas, mas sim como casas de amigos. Aprendemos a conviver em muitos aspectos: participamos em conjunto de muitos momentos, tristes ou alegres. Assim muitas vezes sou convidado para festas de família, de aniversário, para um churrasco e também para as festas religiosas.

Marcou-me muito o que ocorreu quando do falecimento de uma filha de santo duma casa deCandomblé. A família da falecida era de tradição católica e morava no interior; a pessoa falecida morava na capital e tinha se iniciado no Candomblé. Nos momentos antes do sepultamento, de forma espontânea e em sintonia com a Mãe-de-santo, eu conduzi as orações de tradição católica e ela conduziu o cortejo com a procissão e a cantiga do Candomblé. Foi um momento de convivência: unidos pela dor da perda de uma pessoa amiga, unidos pela diversidade da fé.

IHU On-Line – Quais são as principais diferenças e semelhanças entre as concepções teológicas católicas e do Candomblé? Que contribuições essas religiões podem trazer uma à outra já que ambas são cultuadas intensamente no Brasil gerando inclusive o fenômeno da dupla militância, conforme o senhor pontua?

Volney J. Berkenbrock – Tanto o sistema religioso do cristianismo católico quanto doCandomblé são muito complexos e amplos para se poder apontar de maneira rápida semelhanças e diferenças. Queria aqui acenar apenas para um elemento: na tradição cristã existe a compreensão de bem e mal. No Candomblé não existe esta compreensão, mas sim a de equilíbrio: as coisas estão equilibradas ou desequilibradas. Na tradição católica, para o mal (o pecado), existe o perdão. No Candomblé algo estaria desequilibrado e exigiria alguma ação para recompor o equilíbrio. São concepções diferentes que geram atitudes diferentes. Enquanto se está pensando em fiéis desta ou daquela tradição, isto fica mais fácil de perceber: concepções diferentes e atitudes religiosas diferentes.

Mas temos entre nós uma particularidade chamada às vezes de dupla militância. Como fazer então? Aí a pergunta pelas diferenças já se torna mais complexa. E é especialmente mais complexa pelo fato de que a expressão dupla militância é advinda do modo de pensar cristão. Para o modo de pensar próprio do Candomblé não há aqui qualquer duplicidade, pois se tem ali uma forma de pensar inclusiva. Não há duas coisas: as duas atitudes fazem parte de uma única realidade, assim o compreendem. Levei anos para perceber que de fato um membro da tradição do Candomblé que frequenta também a tradição católica não sente isto como uma duplicidade (e muito menos como contradição), mas como uma única realidade. Esta forma de pensar inclusiva é uma característica marcante do povo Iorubano, que está na raiz do Candomblé.

“A forma de pensar inclusiva é uma característica marcante do povo Iorubano, que está na raiz do Candomblé”

IHU On-Line – De que maneira o sincretismo religioso se construiu ao longo da história do Brasil, persistindo contemporaneamente? De que modo o senhor avalia essa prática?

Volney J. Berkenbrock – A temática do sincretismo nas religiões de matriz africana no Brasil é um dos aspectos muito estudados e posto em evidência. Muito se quis fazer para entender como surgiu ou se formou o sincretismo. Hoje tendo a pensar o sincretismo num âmbito bem maior que é o do diálogo intercultural. É um fenômeno que ocorre em praticamente toda a história conhecida das religiões. Não há religião que tenha nascido pura de qualquer influência, nem que tenha se mantido pura de qualquer influência, nem que tenha chegado a um estado que não mais vai ser influenciada por outras tradições religiosas.

O próprio cristianismo é um exemplo claro de um grande sincretismo, formado de raízes judaicas (que tinham muitas influências egípcias, babilônicas, persas), por influências gregas e romanas, por influências germânicas e assim por diante. Com as divisões institucionais dentro do cristianismo em diversas igrejas, estes processos sincréticos se tornam ainda mais claros: ora esta, ora aquela influência se torna mais visível. Assim, o processo de formação das religiões afro-brasileiras também é perpassado por muitos sincretismos. Eu os vejo não como mistura ou — o que seria pior ainda — como degeneração religiosa, mas sim como o resultado de um diálogo cultural sempre presente na história das religiões. O que geralmente chamamos de sincretismo é, a meu modo de ver, um grande diálogo inter-religioso. Constituído não por vias de encontros para este fim, mas por vias da dinâmica cultural.

IHU On-Line – O que o sincretismo religioso revela sobre o modo dos brasileiros de viverem a experiência religiosa? E sobre o contexto sócio-histórico?

Volney J. Berkenbrock – Percebendo o sincretismo como um processo inerente à dinâmica cultural, é interessante perguntar-se quais mecanismos o conduziram. Como algumas coisas se formaram de uma maneira e outras de outra? Penso que um dos elementos importantes para se entender o caminho do processo dialogal do sincretismo é o que chamaria de lógica do objetivo. As coisas se juntam, se interinfluenciam mais quando há objetivos comuns que são visados. Assim, a busca da experiência religiosa pode ser entendida como um elemento impulsionador do sincretismo. Mas este é apenas um elemento na grande teia que o sincretismo vai permanentemente tecendo. Nela muitos são os coloridos que fazem o todo sempre mais belo.

“As compreensões religiosas de matriz africana também deixaram marcas em tradições cristãs”

IHU On-Line – Em sua pesquisa o senhor afirma que o processo de sincretismo não teve e não tem uma mão única, ou seja, influenciou as religiões de matriz africana e o catolicismo mutuamente. Que elementos evidenciam essa afetação mútua nos campos religiosos afrodescendente e católico? O que nos revelam os processos de “desafricanização” dos negros e mestiços e “reafricanização” da sociedade e cultura brasileira?

Volney J. Berkenbrock – Entendo que o sincretismo é um processo permanente de diálogo, parte da dinâmica cultural. Assim, dentro dele, há elementos que são interessantes numa análise. Um deles é justamente esta mútua influência. Ao falarmos de sincretismo no Brasil muitas vezes se pensa logo nas religiões afro-brasileiras, como se fossem somente elas passíveis de serem sincretizadas; fazendo uma análise mais apurada se pode perceber que — mesmo estando em condição social muito adversa — as compreensões religiosas de matriz africana também deixaram marcas em tradições cristãs.

Em termos de catolicismo, por exemplo, uma marca interessante é a importância que se dá à missa de 7º dia (e 30º). Na tradição do Candomblé, há um ritual fúnebre feito dias ou semanas depois do sepultamento, que é uma despedida do falecido da comunidade. Na tradição católica existe a missa de 7º dia (ou 30º). É uma tradição antiga. Mas em diversos lugares do Brasil ela tomou uma importância muito grande. É uma espécie de momento de despedida do grupo de amigos, uma espécie de homenagem-despedida. Nisto, penso, há influência da tradição do Candomblé.

Esta influência não está apenas no catolicismo. Se formos para o universo das igrejas pentecostais, por exemplo, há ali influências muito maiores como momentos de transe ou de expressão corporal. Outro elemento de análise interessante neste processo de diálogo intercultural é o que tem ocorrido entre o Brasil e a África negra. Este tem se intensificado nos últimos tempos e gera dentro das tradições religiosas afro-brasileiras a chamada reafricanização, ou seja, um processo de influência africana novamente sobre os descendentes destas tradições no Brasil.

IHU On-Line – Quem é você?

Volney J. Berkenbrock – Sou um franciscano que continua encantado com a pluralidade religiosa. Vejo esta não como um problema, mas como uma imensa riqueza de formas de pensar e viver. Todas tentando desvendar o mistério da vida. E isto me leva a crer cada vez mais na grandiosidade do mistério divino e pensar/sentir que somos, cada pessoa ou cada tradição religiosa, guardiães de pedaços deste imenso tesouro. E que cada qual cuide o melhor possível de sua parte, mas também admire com maravilhamento as partes cuidadas pelos outros.

Por Leslie Chaves

Notas:

[1] Pneumatologia: Pneuma é a palavra grega para “respiração”, que metaforicamente descreve um ser de espírito ou influência. NaTeologia Cristã, pneumatologia se refere ao estudo do Espírito Santo. (Nota da IHU On-Line)

[2] Leonardo Boff (1938): teólogo brasileiro, autor de mais de 60 livros nas áreas de teologia, espiritualidade, filosofia, antropologia e mística. Boff escreveu um depoimento sobre as razões que ainda lhe motivam a ser cristão, publicado na edição especial de Natal da IHU On-Line, número 209, de 18-12-2006, disponível em http://bit.ly/iBjvZq, e concedeu uma entrevista sobre a Teologia da Libertação na IHU On-Line número 214, de 02-04-2007, disponível em http://bit.ly/kaibZx. Na edição 238, de 01-10-2007, intitulada Francisco. O santo, concedeu a entrevista A ecologia exterior e a ecologia interior. Francisco, uma síntese feliz, disponível em http://bit.ly/km44R2. Sua entrevista mais recente à IHU On-Line intitula-se Ecologia integral. A grande novidade da Laudato Si’. “Nem a ONU produziu um texto desta natureza” e está disponível em http://bit.ly/1lk6J6U. (Nota da IHU On-Line)

[3] Teologia da Libertação: escola teológica desenvolvida depois do Concílio Vaticano II. Surge na América Latina, a partir da opção pelos pobres, e se espalha por todo o mundo. O teólogo peruano Gustavo Gutiérrez é um dos primeiros que propõe esta teologia. A Teologia da Libertação tem um impacto decisivo em muitos países do mundo. Sobre o tema confira a edição 214 da IHU On-Line, de 02-04-2007, intitulada Teologia da libertação, disponível para download em http://bit.ly/bsMG96.Leia, também, a edição 404 da revista IHU On-Line, de 05-10-2012, intitulada Congresso Continental de Teologia. Concílio Vaticano II e Teologia da Libertação em debate, disponível em http://bit.ly/SSYVTO. (Nota da IHU On-Line).

(Luis Nassif)

Via http://jornalggn.com.br/blog/almeida/religioes-de-matriz-africana-e-cristianismo-um-dialogo-possivel

Oxalá e Iemanjá, os orixás regentes de 2016

Olá irmãos

Que a paz de Oxalá esteja com todos.

Hoje vamos falar sobre a Regência de 2016, o orixá Comandante de 2016 o Planeta regente de 2016.

2016 Será um ano Regido pelo Planeta SOL, sim o Sol mesmo que seja uma estrela é considerado pelos esotéricos um Planeta Regente, logo sua regência será o orixá da Criação, Orixá Oxalá em todas as suas Formas; Oxalufã, Oxaguiã, Obatalá, Orixaláestarão a frente deste ano.

A Regência do Sol nos remete aos mitos da criação e Divindades criadoras, conhecidos como avatares ou messias, os Filhos de Deus como Shiva, Buda, Jesus Cristo entre outros. Com Influência de Iemanjá que a partir do mês de Julho também influenciará no Ano.

O Ano de 2016 será um ano bem importante, Será Regido pelo orixá OXALÁ, sim o Senhor do pano branco, o Criador da Humanidade, o orixá da paz. Aquele que carrega o Mundo nas mãos ao lado de Seu Cajado. E quando temos um Ano regido por esse grande Orixá temos um ano mais lento, pois Oxalá é lento porém constante, será um ano mais equilibrado, 2015 tínhamos Ogum e tivemos muitos altos e baixos pois Ogum é a Execução. Oxalá representa equilíbrio do Planeta, o começo. O Início, teremos em 2016 uma nova oportunidade de começarmos tudo de novo. Oxalá em 2016 vem montado em suas Nuvens levantando a Bandeira da Paz e da União, será um ano para repensarmos nossas atitudes e despertarmos o Amor ao próximo, pois este é o único caminho que nos conecta a Oxalá Aqueles que colheram tempestades em 2015 terão em 2016 a oportunidade de uma nova plantação. Já quem teve 2015 um ano de realizações, 2016 consolidará mais ainda todas as conquistas.

Espiritualmente estaremos muito bem guardados, pois o Orixá do branco é um grande protetor e guardião de toda Humanidade!

Climaticamente teremos um ano quente pois O Sol estará mais presente e próximo da terra! Além de Oxalá, outras formas deste Orixá também trarão suas características, Oxaguiã o Orixá do progresso estará presente e participativo então teremos muitas descobertas no campo da ciência em 2016 Já Obatalá o oxalá que criou a Terra cuidará do nosso planeta, para isso há grandes possibilidades de grandes ventos e tufões que remanejaram a terra para termos mais equilíbrio com a Natureza.

A Influência de Iemanjá a Mãe do Mundo, irá trazer um pouco de nostalgia perto do fim do ano, porém trará um pequeno ciclo de Águas, como todo ano de Oxalá terminaremos com muitas chuvas e Águas, Serão as Águas de oxalá fechando o ano de 2016!

O Ano de 2016 passará mais devagar porém será um ano com mais constância e estabilidade assim como os passos de oxalá que são lentos mas nunca param. Que Pai Oxalá traga sua bandeira branca da paz e fixe nos quatro cantos do mundo; a partir do dia 1 de Janeiro de 2016. Salve Pai OXALÁ! Salve 2016

Por Pai Léo das Pedreiras

Que Oxalá nos abençoe sempre Saravá .’.

Créditos: Umbanda: Um Reino da Paz

Link: http://umbandadejesus.blogspot.com.br/2015/09/orixa-regente-2016-planeta-regente-2016.html

Pastor Silas Malafaia é processado por homofobia

Congresso em Foco

O processo movido pelo Ministério Público Federal em São Paulo contra o pastor Silas Malafaia, a TV Bandeirantes e a União por declarações homofóbicas será retomado. Essa foi a determinação do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, que anula a sentença da primeira instância que determinava a extinção da ação civil pública.

Na ação o MPF pede a retratação do pastor por considerar homofóbicas suas declarações veiculadas em julho de 2011, durante o programa “Vitória em Cristo”, quando utilizou expressões de incitação à violência contra homossexuais ao criticar o uso de símbolos religiosos durante a Parada do Orgulho LGBT daquele ano. Na ocasião Malafaia disse: “Os caras na Parada Gay ridicularizaram símbolos da Igreja Católica e ninguém fala nada. É pra Igreja Católica entrar de pau em cima desses caras, sabe? Baixar o porrete em cima pra esses caras aprender (sic). É uma vergonha”.

Em virtude dos comentários do pastor, a Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais Travestis e Transexuais (ABGLT) acionou o MPF, que acatou a denúncia. “As gírias ‘entrar de pau’ e ‘baixar o porrete’ têm claro conteúdo homofóbico, por incitar a violência em relação aos homossexuais, desrespeitando seus direitos fundamentais baseados na dignidade da pessoa humana”, escreveu o procurador da República Jefferson Aparecido Dias, autor da ação protocolada em outubro de 2011. “Mais do que expressar uma opinião, as palavras do réu em programa veiculado em rede nacional configuram um discurso de ódio, não condizente com as funções constitucionais da Comunicação Social”.

Em maio de 2012 a decisão na primeira instância considerou as declarações de Malafaia legítimas, alegando livre exercício de manifestação. A sentença ainda minimizou os termos  ‘entrar de pau’ e ‘baixar o porrete’, tidas como meras expressões populares de crítica, sem conotação propriamente de violência física. O MPF recorreu da decisão e espera que Malafaia se retrate durante o programa. Além disso, pede que a Justiça Federal expeça uma liminar para proibir o pastor e a TV Bandeirantes de veicular novamente comentários com teor homofóbico e determinar à União que, por meio do Ministério das Comunicações, fiscalize o programa “Vitória em Cristo” para coibir a ocorrência de novos episódios de desrespeito ao direito das pessoas atingidas.

“Como líder religioso, o réu Silas Lima Malafaia é formador de opiniões e moderador de costumes. Ainda que sua crença não coadune com a prática homossexual, incitar a violência ou o desrespeito a homossexuais extrapola seus direitos de livre expressão, constituindo prática violadora dos direitos fundamentais à dignidade, à honra e mesmo à segurança desses cidadãos. Por isso a importância da retratação de seus comentários homofóbicos diante de seus telespectadores”, diz o procurador.

Com informações do MPF

Veja horários de missas e celebrações da Semana Santa na Catedral de Fortaleza

Catedral de Fortaleza

Durante esta semana, os católicos celebram o momento mais importante da Igreja Católica, a Páscoa e Ressureição de Jesus Cristo. A Catedral de Fortaleza realizará celebrações e missas voltadas para cada dia da Semana Santa, além de confissões. Nesta quinta-feira (2), às 8h, o arcebispo de Fortaleza, Dom José Antônio, preside a missa dos Santos Óleos, com a benção dos óleos dos enfermos e do Crisma. Às 18h30, o arcebispo também preside a Missa da Ceia do Senhor, também conhecida como Lava-pés.

Na sexta-feira da Paixão, às 9h, haverá a celebração das Horas. Às 15h, será a celebração da Paixão e Morte do Senhor, seguida de procissão do Senhor Morto pelas ruas do Centro. No sábado (4), às 9h, Dom José Antônio preside a celebração das Horas e, às 20h, a solene Vigília Pascal.

No domingo de Páscoa, haverá missas às 10h e 12h. Às 18h30, será realizada a missa solene da Ressurreição, presidida por Dom José Antonio e seguido de procissão do Senhor Ressuscitado.

Durante a Semana Santa, também haverá confissões na Catedral de Fortaleza. Na sexta-feira (3), o horarário é pela manhã, das 8h às 11h30, e à tarde, das 14h às 18h. No sábado (4), a confissão será das 9h às 12h e das 17h às 20h. No domingo (5), o horário é somente pela manhã, das 9h às 12h.

(G1 Ceará)

Veja o que fecha e o que abre na Semana Santa em Fortaleza

Na Semana Santa, as lojas do Centro e dos shoppings de Fortaleza estarão fechadas apenas no feriado da sexta-feira santa (3). Supermercados e postos de combustíveis funcionarão na Sexta-feira da Paixão. As agências bancárias só estarão abertas até esta quinta-feira (2).

Comércio
Durante a Semana Santa, o comércio estará fechado na sexta-feira (3) e abrirá normalmente no sábado (4), de acordo com o Sindicato do Comércio Varejista e Lojista de Fortaleza (Sindilojas). O OFF Outlet Fashion Fortaleza terá funcionamento diferenciado no feriado da Semana Santa. O outlet center fecha as portas na sexta-feira (3) e reabre para o fim de semana, com funcionamento normal: sábado, das 9h às 21h, e domingo, das 11 às 19h.

Supermercados
Na Semana Santa, de 3 a 5 de abril, as lojas da rede Pão de Açúcar em Fortaleza terão funcionamento normal, bem como as lojas Extra Hipermercado e Extra Supermercado. As lojas da rede Assaí Atacadista, localizadas em Fortaleza, Caucaia, Juazeiro do Norte e Sobral funcionarão de 7h às 18h na sexta-feira (3). Já no sábado (4) e domingo (5), o funcionamento será normal.

Repartições públicas e instituições de ensino
Universidades e escolas também não funcionarão a partir desta quinta-feira. As repartições públicas estaduais terão ponto facultativo durante toda a quinta-feira (2). A Prefeitura de Fortaleza decretou ponto facultativo nas repartições da administração pública municipal a partir das 12h da quinta-feira. Os serviços essenciais, como socorros urgentes, limpeza pública, fiscalização e orientação de trânsito, vigilância e salva vidas, terão funcionamento normal.

Bancos
No feriado da Sexta-feira da Paixão, não haverá atendimento nas agências bancárias. A população poderá utilizar os canais alternativos de atendimento para realizar as demais operações bancárias, como caixas eletrônicos, internet banking,mobile banking, banco por telefone e correspondentes. As contas com vencimento marcado para o dia 3 de abril como contas de consumo e os carnês poderão ser pagos no próximo dia útil, dia 6 de abril, sem incidência de multa. Os tributos, normalmente, já estão com data ajustada pelo calendário de feriados.

Shoppings
No Shopping Iguatemi, no feriado da sexta-feira (3), só funcionará praça de alimentação, das 10h30 às 22h, cinema, das 13h às 00h, Extra, das 7h às 00h, e Lojas Americanas, 10h às 22h. No sábado e domingo, o funcionamento de todos os setores do shopping é normal. No shopping Aldeota, na sexta-feira da Paixão, só funcionará a praça de alimentação. No Sábado de Aleluia e no domingo de Páscoa, o funcionamento é normal.

O Shopping Parangaba abrirá em horário normal até quinta-feira (2). Na Sexta-Feira da Paixão, lojas e quiosques estarão fechados, com exceção da Lojas Americanas, que funcionará de 11h às 22h, e praça de alimentação e lazer de 11h às 22h. O funcionamento das lojas e quiosques voltam aos horários padrões no Sábado de Aleluia, funcionando de 10h às 22h, e no domingo de Páscoa, de 14h30 às 20h30.

No RioMar Fortaleza, lojas e quiosques ficarão fechados na sexta-feira (3). Funcionarão Game Station, das 10h às 22h, cinema, das 12h às 02h, praça de alimentação, das 10h às 22h, Lojas Americanas, das 10h às 22h, supermercados,  das 9h às 22h, e farmácia, das 10h às 22h. No sábado e domingo, o funcionamento será normal. O shopping também oferece uma programação especial, com oratório Pascal, com três solistas se apresentando na Praça de Eventos 2. As apresentações ocorrerão nos dois dias, nos horários: 13h às 14h, 16h às 17h e 19h às 20h.

No Shopping Benfica, na sexta-feira (3), cinema e praça de alimentação funcionarão de 11h30 às 22h; lojas, quiosques e boxes estarão fechados. No sábado (4) e domingo (5),  todos os setores funcionarão no horário normal, das 10h às 22h.

Cagece e Coelce
A Companhia de Água e Esgoto do Estado do Ceará (Cagece) funcionará em regime de plantão da quinta-feira (2) até domingo (5). Somente as lojas de atendimento terão o seu funcionamento normal, na quinta (2), das 8 horas às 17 horas.

De sexta (3) a domingo (5), fecharão e reabrirão na segunda-feira (6). A loja de Crateús não funcionará na quinta-feira (2). Qualquer solicitação ou reclamação relativas à Cagece, em todo o Ceará, poderão ser encaminhadas a qualquer hora para a Central de Atendimento, por meio do telefone 0800.275.0195.

A Companhia Energética do Ceará (Coelce) manterá equipes de plantão em pontos estratégicos em todo o estado para atendimento emergencial. Para comunicar ocorrências, solicitar serviços ou informações, a população pode ligar gratuitamente para o número 0800.285.0196.

Hemoce
Durante a Semana Santa, as doações podem ser feitas no hemocentro coordenador (Fortaleza), nos hemocentros regionais (Sobral, Crato, Iguatu, Quixadá), hemonúcleo de Juazeiro do Norte, no posto de coleta no IJF e no Via Sul Shopping. Homens podem doar a cada dois meses, e mulheres de três em três meses. De acordo com o Hemoce, todos os tipos sanguíneos são necessários, mas há uma maior necessidade para o A positivo, O positivo e negativo. A unidade móvel do Hemoce está na Praça do Ferreira, em frente à Caixa Econômica Federal, até o dia 2 de abril, das 8 às 16 horas.

Metrofor
– Linha Sul (Fortaleza – Pacatuba): abertura das estações das 6h30 às 19h, quinta-feira (2) e sábado (4). Sexta-feira (3) fechado.
– Linha Oeste (Fortaleza – Caucaia): quinta-feira (2) e sábado (4) em operação comercial das 5h30min às 20h25min. Sexta-feira (3) fechado.
– Metrô do Cariri (Juazeiro do Norte – Crato): quinta-feira (2) das 6h às 19h, e sábado (4) das 6h às 14h. Sexta-feira (3) fechado.
– Metrô de Sobral: Retomará atividades na segunda-feira(6), das 8h às 12h (operação assistida de segunda a sexta, sem cobrança de passagem).

(G1 Ceará)

Saiba o que funciona durante o feriado de Semana Santa em Fortaleza; postos abrirão

A sexta-feira da Paixão (3), feriado religioso estabelecido por Lei federal, modificará o horário de funcionamento do comércio e de serviços na Capital. Bancos e  lojas de rua estarão fechados. Os supermercados funcionarão normalmente, segundo a Associação Cearense de Supermercados (Acesu).

No sábado (4) e no domingo (5), o funcionamento do comércio é normal.

Confira o que abre nos shoppings:

North Shopping
Alimentação e Lazer: 11h às 22h
Super Lagoa: 7h às 22h
Americanas: 11h às 22h

Shopping Rio Mar
Alimentação e lazer: das 10h às 22h
Cinema: das 12h às 02h
Lojas Americanas: das 10h às 22h
Supermercados: 9h ás 22h
Extrafarma: das 10h às 22h

Shopping Benfica:
Alimentação e entretenimento: das 11h 30 até às 22h
Cinema: a partir das 13h
São Luiz: 08h às 22h
Lojas Americanas: 11h30 às 22h

North Shopping Jóquei
Alimentação e lazer: 11h às 20:30h
Todas as lojas e quiosques estarão fechados.

Shopping Iguatemi
Alimentação e Lazer: 11h às 22h

Shopping Del Paseo
Praça de Alimentação: 10h às 22h
Cinema: a partir das 13h

Shopping Parangaba
Alimentação e lazer: 11h às 22h
Lojas Americanas: 11h às 22h

Bancos:
Todas as agências bancárias estarão fechados na sexta-feira(3), de acordo com o Sindicato dos Bancários do Ceará. As contas que vencem nesta data poderão ser pagas na segunda-feira (6) sem acréscimo de multa e juros.

Centro:
Lojas e Mercado Central estarão fechados na sexta-feira da Paixão.

Postos de combustíveis
De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de derivados de Petróleo do Estado do Ceará (Sindipostos), os postos de gasolina operam normalmente no feriado.

(Rádio Verdes Mares)

 

Estado americano aprova lei que permite proibição de gays em estabelecimentos

Washington, 26 mar (EFE).- O governador de Indiana, nos Estados Unidos, o republicano Mike Pence, aprovou nesta quinta-feira uma lei que dá carta branca aos comércios desse estado para proibir a entrada de casais de homossexuais em nome da “liberdade religiosa”.

“Este projeto de lei não é discriminatório, e se eu pensasse que legaliza a discriminação de alguma maneira, o teria vetado”, defendeu Pence, que disse que a lei garante que “a liberdade religiosa esteja totalmente protegida sob a legislação de Indiana”.

“A Constituição dos Estados Unidos e a Constituição de Indiana proporcionam um forte reconhecimento da liberdade de religião mas, hoje em dia, muitas pessoas de fé sentem que sua liberdade religiosa está sendo atacada pela ação do governo”, argumentou.

Esta nova legislação anularia as leis estaduais e locais que “impedem” a habilidade das pessoas, incluídos negócios e associações, de seguirem suas crenças religiosas.

A controvertida iniciativa despertou a oposição de associações defensoras dos direitos dos homossexuais e da Associação Nacional Atlética Colegial (NCAA), que deve jogar a final de basquete masculino daqui a duas semanas em Indianápolis, a capital de Indiana.

“Estamos examinando os detalhes desta lei. No entanto, a NCAA está comprometida com um ambiente inclusivo, onde todos os indivíduos podem desfrutar do mesmo acesso aos eventos”, disse em comunicado o grupo da NCAA de Indianápolis.

A Indiana é o primeiro estado a aprovar uma mudança legislativa deste tipo, e no estado da Califórnia uma iniciativa popular também provocou nesta semana a firme rejeição de organizações defensoras dos direitos dos homossexuais.

(EFE)

Fortaleza é a 3ª cidade mais procurada entre destinos para a Semana Santa

O site Trivago, que compara preço de hotéis da atualidade, revelou quais são os destinos preferidos dos interessados em viajar pelo mundo na Semana Santa em 2015. Rio de Janeiro está em primeiro lugar, seguido de Natal, no Rio Grande do Norte.

Fortaleza está em terceiro lugar dos mais procurados, ficando na frente de vários destinos, como Porto Seguro,Gramado e Nova Iorque. Além dos destinos nacionais, há mais quatro cidades internacionais que integram a lista: Orlando, Miami, Paris e Buenos Aires.

Confira o ranking:

1 – Rio de Janeiro (Brasil)
2 – Natal (Brasil)
3 – Fortaleza (Brasil)
4 – Armação dos Búzios (Brasil)
5 – Porto Seguro (Brasil)
6 – Orlando (Estados Unidos)
7 – Nova York (Estados Unidos)
8 – Gramado (Brasil)
9 – Porto de Galinhas (Brasil)
10 – Florianópolis (Brasil)
11 – Maceió (Brasil)
12 – Buenos Aires (Argentina)
13 – Foz do Iguaçu (Brasil)
14 – Paris (França)
15 – São Paulo (Brasil)
16 – Paraty (Brasil)
17 – Balneário Camboriú (Brasil)
18 – Miami Beach (Estados Unidos)
19 – Cabo Frio (Brasil)
20 – Salvador (Brasil)

(Rádio Verdes Mares)

Igreja presbiteriana dos EUA aprova casamento entre pessoas do mesmo sexo

A Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos, com pouco menos de 2 milhões de fiéis, votou na terça-feira (17) uma reforma que amplia sua definição de casamento para incluir os casais homossexuais.

A igreja, a maior denominação presbiteriana, fez o anúncio depois que a maioria de seus 171 órgãos de governo regionais aprovaram as mudanças.

A Constituição revisada desta igreja sustenta agora que o casamento é “um compromisso entre duas pessoas, tradicionalmente um homem e uma mulher”.

Este texto substitui um anterior que mencionava que o casamento era a união “apenas de um homem e uma mulher”.

Em 2011 a mesma igreja aprovou a ordenação de sacerdotes abertamente gays ou lésbicas.

(France Presse)

Confira o que funciona e não funciona no feriado de São José em Fortaleza

Nesta quinta-feira, 19, será o dia de São José, festa religiosa católica do santo padroeiro do Estado. Em Fortaleza, o dia de São José é oficializado como feriado pela lei 8.796, de 9 de dezembro de 2003, sancionada pelo então prefeito Juraci Magalhães.

O dia de São José é um marco para o sertanejo que, pela crença popular, acredita que a chuva ou a ausência dela neste dia indica se haverá ou não quadra chuvosa favorável ao plantio. Confira o funcionamento na Grande Fortaleza:

Instituto Doutor José Frota (IJF)
Nesta quinta-feira, 19, a emergência e o atendimento hospitalar funcionará normalmente com equipes de plantão 24 horas.

Cagece
Funcionará em regime de plantão, pelo telefone 0800 2750 195 e site http://www.cagece.com.br.

Coelce
O atendimento ao cliente funcionará com a Central de Relacionamento (0800.2850196) normalmente, 24 horas por dia, oferecendo todos os serviços da companhia. As lojas de atendimento estarão fechadas durante o feriado e abrirão normalmente na sexta-feira, 20.

Hemoce
O hemocentro coordenador funciona de 8h às 13h na quinta-feira, 19, e o Posto de Coleta no IJF, das 13h às 17h30min.

Supermercados
Funcionamento normal, conforme a Associação Cearense de Supermercados (Acesu).

Bancos
Os bancos fecham na quinta-feira, 19, e o atendimento volta a partir das 10 horas de sexta-feira, 18.

Postos de Gasolina
O funcionamento é facultativo, dependendo do posto, segundo o Sindipostos-CE.

Lojas
O feriado desta quinta-feira, 19, é facultativo, conforme o Sindlojas.

OFF Outlet Fashion Fortaleza
Funcionamento normal, das 9h às 21h.

(O Povo)

Professor britânico é preso ao tentar ingressar no Estado Islâmico

Homem de 30 anos, que dava aula em uma escola de ensino médio em Bolton, foi condenado no ano passado por crimes ligados ao terrorismo Foto: Daily Mail / Reprodução

LONDRES (Reuters) – Um professor de ciências do norte da Inglaterra que apoiou combatentes do Estado Islâmico na Síria e tentou viajar ao país foi sentenciado a seis anos de prisão.

Jamshed Javeed, cuja família escondeu o passaporte dele na tentativa de impedi-lo de viajar para a Síria, estava “determinado a seguir em frente com seus planos”, disse a polícia de Manchester em comunicado nesta quinta-feira.

O homem de 30 anos, que dava aula em uma escola de ensino médio em Bolton, foi condenado no ano passado por crimes ligados ao terrorismo, após declarar-se culpado em um tribunal de Londres de ajudar outras pessoas a cometerem atos de terrorismo e de preparar uma viagem para a Síria.

De acordo com autoridades de segurança, cerca de 500 britânicos, a maioria com histórico de ascendência muçulmana, estariam combatendo no Iraque e na Síria, mas o número verdadeiro pode ser muito maior.

As autoridades temem que esses combatentes representem um risco à segurança nacional quando voltam ao país.

(Reportagem de Sarah Young – Reuters)

 

 

Arquidiocese de Fortaleza realiza VII edição da Caminhada Penitencial

Caminhada Penitencial em 2014

O terceiro domingo da Quaresma, 8 de março, foi escolhido pelo arcebispo de Fortaleza, dom José Antonio, para a realização da VII Caminhada Penitencial, procissão que terá início às 7h, saindo da Igreja Nossa Senhora da Saúde, no Mucuripe, até a Catedral Metropolitana.

O itinerário compreende as avenidas da Abolição, Historiador Raimundo Girão, Almirante Barroso e Alberto Nepomuceno, perfazendo quase 6 km. À frente do cortejo, estará uma cruz de mais de 300 kg conduzida pelos participantes do ato de fé e penitência.

Para favorecer a participação dos fiéis, o arcebispo orientou em carta circular às 145 paróquias e áreas pastorais da Arquidiocese que todas as celebrações sejam realizadas nas igrejas nas primeiras vésperas no dia 7 e na parte da tarde do dia 8. Dessa forma, fica reservada a manhã do dia 8 de março para esta grande manifestação comum de conversão da Igreja de Fortaleza.

CaminhadaPenitencial2014_divulgacao02

Os fiéis também terão oportunidade de receber o sacramento da reconciliação (confissão) durante o trajeto. “Celebração Penitencial dará oportunidade de Confissão Sacramental para os fieis que assim desejarem: gesto concreto de conversão, mudança de vida, com a confissão dos próprios pecados e busca do perdão de Deus no Sacramento da Reconciliação”, explica dom José Antonio.

Serviço
VII Caminhada Penitencial da Arquidiocese de Fortaleza
Data: 8 de março de 2015
Horário: saída às 7h da Igreja do Mucuripe
Mais informações ao público em geral: 85 3308.8703

Via http://www.comshalom.org

Preso vândalo que depredou Igreja Matriz de Viçosa do Ceará

Evaldo Tavares de Araújo, de 31 anos, responde a dois processos e, segundo o delegado, parece sofrer de transtorno psicológico, o que não foi comprovado

Um homem identificado como Evaldo Tavares de Araújo, 31, conhecido como ‘Irmão Evaldo’, foi preso na noite do último domingo (22), depois de pichar a Igreja Matriz de Viçosa do Ceará (348Km de Fortaleza) e destruir as imagens e o altar da Igreja do Céu, considerada um dos pontos turísticos da Cidade. De acordo com a Polícia, Araújo já responde a dois procedimentos criminais por ter pichado a Igreja de São Francisco e invadido o cemitério de Viçosa para violar e destruir túmulos e imagens sacras, no ano passado.

O delegado Gilker Santos disse que ‘Irmão Evaldo’ foi detido por agentes da Guarda Municipal de Viçosa, quando depredava a Igreja do Céu. “Ele quebrou imagens que tinham mais de cem anos. Destruiu um patrimônio histórico, que tem um valor inestimável para a população”.

As imagens e o altar da Igreja do Céu foram destruídos pelo suspeito. Parte das obras tinham mais de cem anos e eram consideradas patrimônio do município

Conforme a Polícia, Evaldo Araújo escreveu nas paredes do ponto turístico mensagens com apelo satânico e de violência, como “quero sangue”, “666” e “vou derramar sangue”. O delegado disse que os moradores de Viçosa ficaram indignados com a ação e cobraram reações enérgicas da Polícia. “Conseguimos dar a resposta imediatamente e ele está preso. As pessoas já estão mais calmas, mas infelizmente nada pode minimizar o sentimento de tristeza que ele causou na população, principalmente nas pessoas idosas, que têm toda uma ligação afetiva com a igreja”, declarou Gilker Santos.

Depoimento

Em depoimento à Polícia, o homem permaneceu calado. “Ele usufruiu de seu direito constitucional de permanecer em silêncio. Extraoficialmente, disse que todo tipo de imagem sacra precisa ser destruída, porque a Bíblia diz isto. Segundo ele, é esta interpretação própria do texto da Bíblia que o move a praticar estas ações danosas ao patrimônio”, explicou Santos.

O delegado afirmou que Araújo foi autuado por dano qualificado ao patrimônio público e pichação. O crime de pichação é de menor potencial ofensivo e gera apenas o registro de um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO); já o dano qualificado garantiu que o suspeito fosse autuado em flagrante e preso. Como o delito é afiançável, ficou estabelecido que deve haver o pagamento de cinco salários mínimos para que o pichador consiga ser liberado.

Em 2014, Evaldo Tavares se envolveu em outros dois episódios contra uma igreja e um cemitério, mas não foi preso. “No ano passado, ele já tinha pichado outra igreja, mas o crime foi registrado como um dano simples, que não é passível de prisão. No caso do cemitério, ele destruiu, violou túmulos e quebrou imagens de santos. Como não foi pego em flagrante, respondeu por portaria os inquéritos por dano ao patrimônio e vilipêndio de cadáver”, disse o delegado.

As cenas, que se repetem sempre que o pichador tem chances, sugerem para o titular da Delegacia de Viçosa que, além de serem criminosas, as atitudes revelam intolerância extrema. “Uma pessoa que não concorda com uma doutrina não tem o direito de destruir seus símbolos, por causa disto. Imagine se toda a sociedade pensasse como ele, estaríamos em uma situação de barbárie. O princípio da civilização é exatamente saber respeitar o que é diferente do que eu gosto”, disse Gilker Santos.

O suspeito não citou se é adepto de outra religião, nem professou nenhuma fé. Disse apenas que não concorda com o culto às imagens, como é feito nas igrejas católicas. Ele continuará preso na Cadeia Pública de Viçosa até que seja feito o pagamento da fiança arbitrada pela autoridade policial.

O delegado Gilker Santos declarou também que o rapaz aparenta sofrer de algum transtorno psicológico. A informação, porém, não parte de comprovações mediante exames, nem é alegada pelo próprio suspeito.

Ponto Turístico

A Igreja do Céu é um dos pontos mais visitados de Viçosa do Ceará, uma cidade tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Inaugurada no dia 14 de agosto de 1938, a construção está localizada em um ponto alto do município, por isso foi feita a alusão aos céus.

A construção do prédio foi dedicada à Nossa Senhora das Vitórias, que ainda é padroeira do local. No ano de 1939, uma imagem do Cristo Redentor foi esculpida pelo italiano Agostinho Ódisio Baomés, ao lado da igreja. O acesso à Igreja do Céu pode ser feito pelos 334 degraus feitos na serra.

A outra igreja atacada por ‘Irmão Evaldo foi a de Nossa Senhora da Assunção, localizada no Centro da Cidade.

Márcia Feitosa, Repórter – Diário do Nordeste

Mais sobre Viçosa do Ceará (Fonte: IBGE)

História Religiosa:

A história religiosa de Viçosa do Ceará inicia com a chegada dos jesuítas Luís Figueira e Francisco Pinto, Provindos de Pernambuco no ano de 1607. Anos depois em 1656, Pe. Antônio Ribeiro e Pedro Pedrosa Fundam a missão jesuítica, missão fortalecida, em 1660, com a visita de Pe. Antônio Vieira.

Em 1700 os jesuítas, em pleno trabalho de catequese com os indígenas, construíram a magnífica igreja de N. S. da Assunção. Em 18 de maio de 1759, a missão foi encerrada com a expulsão dos jesuítas pelo marquês de Pompal.

Pontos Turísticos:

Igreja do Céu.
Igreja do Céu.

Igreja do Céu: Ponto mais alto da cidade com uma capela dedicada a Nossa Senhora das Vitórias. No alto do templo surge a imagem do Cristo Redentor. O Pólo Turístico dispõe de restaurante, telefone público, centro de convenções, biblioteca, banheiros, área de estacionamento, palco para shows, calçadão e boxes para venda de artesanato e as delícias da culinária local. Para chegar ao local a escolha fica a critério do turista, de carro ou a pé pelos 334 degraus que dão acesso ao santuário.

Loja Maçônica de Fortaleza completa 87 anos

Foto: Edimar Soares

Fundada em 1928, a Loja Maçônica de Fortaleza completou 87 anos no último dia 7. Ontem, em evento solene no prédio da loja, no Centro de Fortaleza, a instituição reuniu membros da maçonaria cearense, comemorando o aniversário da instituição e inaugurando dois salões que passaram por reformas recentemente.  

A palavra maçonaria tem origem francesa, e significa “construção”. É uma instituição que se denomina como sendo filosófica, filantrópica, educativa e progressista. Um de seus princípios é educar quanto à espiritualidade do homem, partindo de valores como imortalidade e crença em Deus como o Grande Arquiteto do Universo.

De acordo com seus membros, a maçonaria não é uma religião, pois aceita em seus encontros pessoas de todas as crenças. Para fazer parte da sociedade maçônica, a pessoa deve ser convidada por um integrante que já tenha se iniciado na maçonaria e, segundo o presidente da Loja Maçônica de Fortaleza, Antônio Augusto, este convidado “deve ter boa índole, crer em Deus e respeitar a família”.

Somente homens com 21 anos ou mais podem ser convidados a participar. Há iniciações para crianças e adolescentes. As filhas e esposas dos maçons também podem participar, nas ordens “filhas de Jó” e “estrelas do oriente”.

Nas reuniões fechadas, são feitas orações e leituras com ensinamentos que só quem fez juramento para ser maçom pode aprender. As reuniões denominadas brancas são encontros em que os convidados podem participar, como a solenidade da noite de ontem.

Segundo Ivelise Maia, filha de maçom e integrante da ordem “filhas de Jó”, a maçonaria é muito presente na sociedade e nas famílias cearenses. “A instituição acolhe todas as pessoas, sem distinção de idade, gênero, crença ou etnia”, afirma Ivelise. De acordo com ela, existem padres, advogados, médicos e vários outros profissionais que são ligados à maçonaria em todo o mundo. (Lérida Freire/Especial para O POVO) 

Saiba mais

Origem

Uma das teorias sobre a origem da maçonaria diz que ela surgiu há cerca de três mil anos, durante a construção do Templo de Salomão, em Jerusalém. Por isso a estrutura externa das lojas maçônicas e dos templos são tão parecidas.  

Membros

Nomes conhecidos já fizeram parte da maçonaria no mundo todo. São eles: Dom Pedro I, primeiro imperador do Brasil; George Washington, primeiro presidente dos Estados Unidos; Neil Armstrong, primeiro homem a pisar na Lua.

(O Povo)

Beija-Flor é a grande campeã do carnaval do Rio pela 13ª vez

A Beija-Flor de Nilópolis, com seu enredo de exaltação da cultura e da alma africana, venceu o carnaval carioca, superando a polêmica do apoio recebido da Guiné Equatorial – país que vive sob ditadura e que foi homenageado no desfile. Terceira escola a entrar na Sapucaí na segunda-feira (16), segunda noite do Grupo Especial do Rio, a azul-e-branca da Baixada Fluminense conquistou nesta quarta-feira (18) seu 13º título, com apenas um décimo perdido na apuração.

“Sentimento é de dever cumprido”, comemorou o intérprete Neguinho da Beija-Flor, chorando muito.

Na quadra lotada, com gritos de “A campeã voltou” (veja no vídeo abaixo), a torcida comemorou o título que não era conquistado desde 2011. Os outros campeonatos vencidos foram em 1763 ,1977, 1978, 1980, 1983, 1998, 2003, 2004 , 2005, 2007 e 2008.

Laíla, diretor da comissão de carnaval a Beija-Flor, desabafou, aos prantos: “ A gente está sempre buscando fazer o melhor para a escola de samba. Eu amo a minha escola, mas o enredo foi tão questionado, até mesmo dentro da escola. Me questionaram muito”.

 Seis escolas voltam à Sapucaí neste sábado, a partir das 21h30, para o Desfile das Campeãs. A ordem é inversa à da colocação. A sexta colocada, Imperatriz, abre a festa, seguida de Portela (5ª), Unidos da Tijuca (4ª), Grande Rio (3ª) e Salgueiro (2ª), fechando com a campeã Beija-Flor.

O desfile
A escola mostrou o enredo: “Um Griô conta a história: um olhar sobre a África e o despontar da Guiné Equatorial. Caminhemos sobre a trilha de nossa felicidade”. A exaltação da cultura e da alma africana já havia dado à escola azul e branca da Baixada Fluminense vários campeonatos, que no total faturou 12 títulos no carnaval carioca.

Em 2015, a Beija-Flor voltou a abusar do  luxo e da tradição. Foram poucas as inovações ou os recursos tecnológicos. A aposta maior foi na perfeição técnica e na empolgação dos integrantes, que na avenida esqueceram o sétimo lugar de 2014 para voltar a sonhar com um posto mais alto.

A voz única e marcante de Neguinho da Beija-Flor, que completa 40 anos de escola, fez do samba-enredo o ponto alto e manteve a empolgação dos 3.700 componentes, distribuídos em 42 alas, sete carros e um tripé.
Homenagem polêmica
A Beija-Flor recebeu patrocínio da Guiné Equatorial, o país africano homenageado no enredo, que é uma ditadura comandada há 35 anos por Teodoro Obiang Nguema Mbasogo e tem como base da economia a exploração do petróleo. O patrocínio gerou muita polêmica.

 O presidente da Beija-Flor, Farid Abraão, negou que o governo da Guiné Equatorial tivesse investido R$ 10 milhões no carnaval da escola, mas admitiu ter recebido contribuição, sem, no entanto, informar o valor.

“A gente pegou um enredo para falar de um país africano, um país que até então muita gente não conhecia. Nossa questão aqui é carnaval. O regime não nos compete. Cuba era odiado pelo mundo democrático e hoje está sendo abraçado”, disse Farid, em entrevista ao G1.

Representantes da Guiné Equatorial acompanharam o desfile de um dos camarotes.
Desfile afro colorido
Mas na hora do desfile da Beija-Flor, a política foi deixada de lado e o foco foi dirigido para as belezas e a cultura do país. O desfile teve alegorias e fantasias impactantes e rebuscadas, com uma profusão de máscaras, carrancas, búzios, plumas, palha e sisal.

A comissão de frente veio sem elementos cenográficos. Munidos de lanças e escudos, os bailarinos fantasiados de guerreiros formavam uma árvore na avenida. Em formato de máscaras, os escudos causaram impacto ao trazer movimentos de expressões faciais, comandados por controle remoto.

À frente do abre-alas, um tripé trouxe uma escultura da imagem do diretor de carnaval na figura de um griô, velho sábio que conta as histórias antigas aos mais jovens.

O azul e o branco, cores da escola, apareceram somente o início do desfile. Para mostrar a Guiné Equatorial ao público, predominou o verde das florestas e da ceiba, conhecida como a “árvore da vida”, um dos símbolos da África Ocidental.

O Sambódromo então foi tomado por uma explosão de cores para retratar ritos, costumes e roupas usadas pelos habitantes do pequeno país africano ainda hoje.

As investidas dos explodores europeus também foram lembradas, assim como o tráfico de escravos. Um carro com cacau, diamante e petróleo exaltou as riquezas do país.

Encerrando o desfile, a mistura dos povos e a celebração da formação da nação brasileira e o enlace entre o Brasil e a Guiné Equatorial.

Claudinho e Selmynha: 20 anos
Claudinho e Selmynha, casal de mestre-sala e porta-bandeira símbolo da escola, comemoraram 20 anos de Beija-Flor.

A rainha Raíssa Oliveira veio mais uma vez absoluta à frente dos 270 ritmistas da bateria dos mestres Plínio e Rodney.

Cláudia Raia, que desfila há anos pela Beija-Flor, veio com uma fantasia de “Deusa Soberana”.

José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, ex-diretor geral da TV Globo, homenageado no último carnaval da escola, também voltou a desfilar.

(G1 Carnaval)

Católicos e umbandistas celebram Dia de São Sebastião e Oxossi nesta terça (20/01)

Católicos e umbandistas celebraram neste feriado o Dia de São Sebastião, padroeiro da cidade, e Oxossi – que corresponde ao santo na umbanda, pelo sincretismo religioso . Na Igreja dos Capuchinhos, o cardeal arcebispo do Rio, dom Orani João Tempesta celebrou missa e convocou os fiéis a participar do movimento de solidariedade às vítimas das chuvas na Região Serrana. A vice-presidente do Movimento Umbanda do Amanhã (MUDA), Marilena Mattos, também lembrou da tragédia das chuvas.

– Temos que seguir o exemplo de São Sebastião, que foi um guerreiro e não abandonou sua fé em Deus. Por isso, temos de ir ao encontro dos sofredores, para levar alento, paz e ânimo – disse dom Orani.

– É uma data muito importante para nós umbandistas e moradores do Rio de Janeiro. Vamos pedir a Oxossi que abençoe todas as vítimas das chuvas da Região Serrana – pediu Marilena Mattos.

Gira para Oxossi

Na Zona Oeste e na Baixada Fluminense, houve giras para Oxossi. À tarde, a festa aconteceu na Tenda Espírita Caboclo Flecheiro, em Santíssimo. No início da noite, no centro espírita Casa de Cláudia, em São João de Meriti.

– Vamos louvar nosso pai Oxossi, lembrando sempre que o orixá nos oferece sua energia através da natureza. Vamos agradecer a força desse orixá em nossas vidas com coerência, não poluindo as matas e cachoeiras. É com respeito e muita harmonia com o mundo em que vivemos que pedimos a força e o axé deste nosso Grande Pai – afirma Marco Xavier, presidente do MUDA.

(Extra Online)

Marco Archer Cardoso: Brasileiro condenado a pena de morte será executado na Indonésia

O brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, 53, condenado à pena de morte na Indonésia, por tráfico de drogas, será executado “muito em breve”, segundo o governo no país asiático, que negou definitivamente clemência ao brasileiro.

O pedido foi negado em 31 de dezembro pelo presidente Joko Widodo. Foi a segunda vez que

Marco solicitou perdão presidencial – a primeira negativa foi em 2006. Pelas leis indonésias, sentenciados à morte só podem fazer dois pedidos de clemência, depois de esgotadas as chances de recurso à Justiça. Assim, do ponto de vista legal, não há mais o que fazer para evitar a execução.

A execução deverá acontecer até o final de janeiro. O Itamaraty afirma não ter recebido comunicação “oficial” a respeito. Em dezembro, antes da rejeição da clemência, a presidente Dilma Rousseff mandou carta a Widodo pedindo a não execução. O gabinete de Dilma avalia se há algo mais que possa ser feito para interceder pelo brasileiro. Se a pena for cumprida, Marco será o primeiro ocidental executado na Indonésia. De 2000 a 2014, 27 pessoas foram fuziladas, a maioria cidadãos indonésios.

(Marcelo Raulino, Ceará Agora)

França: Polícia mata suspeitos de ataque terroristas

BBC Brasil Os irmãos Said Kouachi e Cherif Kouachi: franceses de origem argelina treinados pela Al-Qaeda

IG São Paulo

Oficiais de polícia anunciaram que os dois suspeitos do ataque à revista francesa Charlie Hebdo foram mortos por agentes nesta sexta-feira (9). A confirmação veio feito pouco depois de Thierry Chevalier, prefeito da comuna Dammartin-en-Goele, localizada a 30 quilômetros de Paris, ter feito o mesmo anúncio.

Estrondos de explosões e tiros foram ouvidos nas proximidades da empresa gráfica onde os irmãos Kouachi, caçados pelas autoridades desde que passaram a ser suspeitos do ato terrorista de dois dias atrás, se refugiaram. Eles fizeram uma pessoa refém, que foi libertada pela polícia.

Sob condição de anonimato por não ter autorização para falar sobre o assunto, um oficial da polícia afirmou os suspeitos saíram do prédio atirando contra os agentes de segurança, que acabaram baleando-os.

Christophe Crepin, porta-voz da polícia, ainda afirmou que o atirador responsável pelo sequestro de reféns em um mercado judaico também morreu, praticamente simultaneamente, perto dali.

* Com agências de notícias

Ataque terrorista a sede de revista Charlie Hebdo, em Paris, deixa 12 mortos

Vítima do ataque é retirada da redação da Charlie Hebdo, em Paris, nesta quarta-feira 7 – Philippe Dupeyrat / AFP

Ao menos dois homens armados atacaram o escritório da revista satírica francesa Charlie Hebdo provocando 12 mortes nesta quarta-feira (7).

Xavier Castaing, chefe de comunicações da prefeitura para a polícia de Paris, confirmou as mortes. O presidente da França, François Hollande, disse que o ataque foi um ato terrorista e que outros desse tipo haviam sido frustrados “nas últimas semanas”.

Ruas foram fechadas ao redor do prédio no rescaldo do tiroteio e a algumas centenas de metros de distância. No Boulevard Richard-Lenoir, um carro da polícia foi crivado de buracos de bala no pára-brisa, segundo o The Guardian.

Testemunhas disseram que os homens abriram fogo com fuzis Kalashnikov e depois fugiram do local. Luc Comovente, um funcionário do sindicato da polícia SBP, disse que eles fizeram vários disparos antes de deixar a área.

Ruas foram fechadas ao redor do prédio no rescaldo do tiroteio e a algumas centenas de metros de distância. No Boulevard Richard-Lenoir, um carro da polícia foi crivado de buracos de bala no pára-brisa, segundo o The Guardian.

O veículo francês gerou polêmica no passado com sua descrição irônica de notícias e assuntos atuais. Seu Tweet mais recente foi o desenho animado do líder do grupo Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi.

Testemunhas

Uma testemunha do ataque, Benoit Bringer disse à rede iTele ter visto vários homens mascarados armados com pistolas automáticas chegarem à sede do Charlie Hebdo, no centro de Paris.

Antes de deixarem o local, os homens teriam gritado “Vingamos o profeta!”, de acordo com policiais franceses. Há ainda três feridos internados em estado grave.

Rocco Contento, porta-voz do sindicato dos policiais local, disse aos jornalistas que três suspeitos fugiram em um carro dirigido por um quarto homem. O veículo seguiu no sentido de Port de Pantin, onde o grupo teria roubado outro carro e fugido, de acordo com o The Guardian.

*Com AP e BBC

 

Wolinski, cartunista erótico e político, é uma das vítimas de ataque em Paris

O cartunista francês Georges Wolinski em foto de 2 de novembro de 2011, em Paris (Foto: Alexander Klein/AFP )

O cartunista francês de origem tunisiana Geroges Wolinski, conhecido por seu trabalho de forte teor erótico e político, considerado um dos símbolos de maio de 68, está entre os mortos no ataque contra o escritório da revista satírica “Charlie Hebdo”, em Paris, nesta quarta-feira (7).

A informação é da agência de notícias France Presse. Além dele, outros três cartunistas estão entre as vítimas: o editor da publicação, Stephane Charbonnier, o “Charb”; Jean Cabut, o “Cabu”; e Tignous.

“Wolinski influenciou todo mundo que vocês conhecem: Ziraldo, Jaguar, Nani, Henfil, Fortuna… O cara era uma ESCOLA. Que dia tenebroso!”, escreveu o cartunista brasileiro André Dahmer em seu perfil no Twitter.

Ao G1, Dahmer comentou por e-mail: “É uma perda irreparável. Assassinaram o maior cartunista em atividade no mundo. Um homem que influenciou três gerações de desenhistas”.

Já Arnaldo Branco completou: “Wolinski era meu favorito – até por aproximação, por conta do seu desenho tosco (opcional, no caso do francês, que na verdade desenhava muito bem). É difícil até comentar, dada a imbecilidade da morte desse grande mestre – que causa é essa que precisa retaliar um cartum?”.

Segundo fontes policiais, os autores do ataque desta quarta gritaram “Vingamos o Profeta!”, em referência a Maomé, alvo de uma charge publicada há alguns anos pela revista, o que provocou revolta no mundo muçulmano.

Erotismo
Nascido na Tunísia em 1934, Georges Wolinski se mudou com a família para a França em 1946. Começou a publicar suas tiras nos anos 1960, em trabalhos satíricos que envolviam política e sexualidade.

Durante o maio de 1968 francês – série de manifestações e protestos estudantis por reformas na educação que logo teve adesão de trabalhadores e resultou em uma greve geral –, Wolinski foi confundador da revista “L’Enragé”.

Na década seguinte, passou a fazer parte de jornal comunista “L’Humanité”. Outros veículos com os quais colaborou foram “Liberácion”, “Paris-Match” e “L’Écho des Savanes”, além de “Charlie-Hebdo”.

Uma das personagens mais marcantes de Wolinski foi a polêmica Paulette, criada junto do artista Georges Pichard (1920-2003) também o início dos anos 1970. Ela foi uma espécie de musa dos quadrinhos da época e apareceu pela primeira vez nas páginas da revista de humor “Charlie Mensuel” .

Em seu perfil no Facebook, o cartunista brasileiro Rafael Campos Rocha lembrou o lado “libertário” do francês: “WOLINSKI foi acusado de falocrata, masculi e todas essas merdas, porque era um LIBERTÁRIO. quem matou foi mais um desses patrulheiros filhos da p**a, para o qual a causa (seja religiosa, política ou de gênero) não serve para LIBERTAR, mas sim para COIBIR, CASTRAR e DESTRUIR, além de, é claro, de manter a sociedade de exploração, que vocês, moralistas de merda, precisam para continuar transformando a vida dos outros em um inferno”.

Fotos de arquivo mostram cartunistas da equipe da revista 'Charlie Hebdo' mortos no ataque. Da esquerda para a direita: Georges Wolinski (em 2006), Jean Cabut - o Cabu (em 2012), Stephane Charbonnier - o Charb (em 2012) e Tignous (em 2008) (Foto: Bertrand Guay, François Guillot, Guillaume Baptiste/AFP)Os cartunistas da ‘Charlie Hebdo’ a partir da esq.: Wolinski (em 2006), Cabu (em 2012), Charb (em 2012) e Tignous (em 2008) (Foto: Bertrand Guay, François Guillot, Guillaume Baptiste/AFP)

O ataque
Pelo menos 12 pessoas morreram no tiroteio em Paris nesta quarta. Entre os mortos estão dois policiais e 10 funcionários da revista, segundo a France Presse. A agência Reuters, citando a polícia, diz que outras dez pessoas ficaram feridas, cinco em estado crítico.

Segundo o jornal britânico “The Guardian”, Rocco Contento, porta-voz do sindicato dos policiais local, disse aos jornalistas que três suspeitos fugiram em um carro dirigido por um quarto homem. O veículo seguiu no sentido de Port de Pantin, onde o veículo foi abandonado e os suspeitos roubaram um segundo carro, no qual continuaram fugindo.

O número de suspeitos envolvidos no crime ainda é incerto e não foi confirmado pela polícia. Eles ainda são procurados e são perigosos, segundo as autoridades.

O romancista Michel Houellebecq (Foto: Divulgação)O romancista Michel Houellebecq
(Foto: Divulgação)

Michel Houellebecq
A sede da “Charlie Hedbo” foi alvo de um ataque a bomba em novembro de 2011 após colocar uma imagem satírica do profeta Maomé em sua capa.

Coincidência ou não, a “Charlie Hebdo” fez a divulgação em sua edição desta quarta-feira do novo romance do controvertido escritor Michel Houellebecq, um dos mais famosos autores franceses no exterior.

A obra de ficção política fala de uma França islamizada em 2022, depois da eleição de um presidente da República muçulmano. “As previsões do mago Houellebecq: em 2015, perco meus dentes… Em 2022, faço o Ramadã!”, ironiza a publicação junto a uma charge de Houellebecq.

A revista de humor tem sido ameaçada desde que publicou charges do profeta Maomé em 2006.

Em novembro de 2011, a sede da publicação foi destruída por um ataque criminoso, já definido como atentado pelo governo na época.

Em 2013, um homem de 24 anos foi condenado à prisão com sursis por ter pedido na internet que o diretor da revista fosse decapitado por causa da publicação das caricaturas do profeta muçulmano.

(Pop e Arte, G1)

Ogum, Oxóssi e Yemanjá, os orixás regentes de 2015

Salve os santos orixás regentes de 2015. Axé e proteção no ano que se aproxima. Adupé e graças aos orixás que regeram o ano de 2014 e que nos ensinaram a enxergar o mundo com olhares mais críticos em busca da justiça, da valorização humana e de mais solidariedade entre os povos do planeta. Xangô e Yansã governaram 2014 com firmeza e fizeram dele um ano maravilhoso.

No passar da meia-noite de 31 de Dezembro esses orixás entregarão a regência do novo ano de 2015 a Oxossi e Ogum, com as bênçãos de Yemanjá, e muita interferência de Exu. A combinação desses dois orixás favorecerá o transcorrer de um ano dinâmico e cheio de realizações, onde tudo o que se tem e se precisa ser feito não pode ser deixado para depois. Ou seja, quem sabe faz a hora e não espera acontecer. Será o ano do sim ou do não, sem meios termos.

Será um ciclo de progressos e conquistas, onde os projetos já iniciados em 2014 terão ampla oportunidade de terem êxito. O destino do ano é extremamente positivo, embora tenhamos que compreendê-lo para tirarmos proveitos de um ano abençoado por Yemanjá e regido por Oxossi e Ogum, já que Exu interferirá pondo à prova nosso carma, onde até pessoas críveis e honestas cairão na tentação da mentira e da embromação. Para melhor nos conduzirmos no ano deveremos levar em consideração a astúcia de um caçador, a paciência de um pescador e a bravura de um guerreiro.

Será um ano em que a disciplina voltará a desempenhar o seu papel na condução de nossas vidas e de nossa nação, já que esses orixás são os regentes do nosso país. Entretanto, para compreendermos o ano nada melhor do que um pouco de história sobre esses orixás.

Segundo o Gênesis ioruba, no principio dos tempos só existia o céu e os oceanos. O universo de Olorum permitiu o surgimento da lama e o planeta se dividiu em terras e águas, formando-se, assim, o triângulo céu, terra e mares. No céu, Oxalá e na lama, Nanã. Do amor de Oxalá e Nanã nasceram todos os orixás. Exu, o primogênito, com o seu comportamento conturbado, violento e sexualmente libidinoso, fez com que Nanã abandonasse a lama dos mangues e fosse, com os demais filhos-orixás, viver nas águas bravias e misteriosas dos oceanos, deixando Exu na terra, não permitindo que ele lhes acompanhasse, mas passando a olhá-lo de longe, já na sua condição e de Yemanjá-nanã, no movimento do vaivém das marés até às areias da praia.

Oxossi, atento e curioso, resolveu ir ao encontro do seu irmão Exu. Yemanjá o proibiu, mas ele a desobedeceu e foi pras terras de Exu (Verger, 1981)1.Contrariada, Yemanjá deu ordens a Ogum para que trouxesse Oxossi de volta pra casa. Obediente e valente, Ogum saiu em busca de Oxossi e o encontrou encantado pelas matas das terras de Exu. Oxossi, feliz com a vida na floresta, convidou Ogum pra ficar e voltar a viver na terra. Ogum voltou pra casa e, influenciado por Exu, contou pra Yemanjá que não havia encontrado Oxossi, ocultando a verdade, mentindo e passando a viver ora com a mãe nos mares ora com o irmão nas matas. Assim se deu assim eu conto, e serve para ilustrar o entendimento sobre a regência de 2015.

Amigos e irmãos na fé, essa lenda serve para mostrar que no ano de 2015 serão muitos os caminhos a serem seguidos com inúmeros espaços e lares a serem desfrutados. No entanto, deveremos valorizar o espaço e o lar que temos. A curiosidade e a mudança de lar de forma inconsequente acarretarão rompimentos sem possibilidade de volta, restando tristeza e mágoas. A relação fraterna entre mães e filhos deverá ser passada a limpo, exigindo paciência, tolerância e compreensão. Não só entre mães e filhos como também entre todos aqueles que lidam com a educação, com crianças ou com aqueles que tenham pessoas sob seu comando. Aliás, o ano requer mais cuidado com a infância, pois muitas crianças sofrerão abusos, maus tratos, abandonos e assassinatos.


* Autoria de Cacau da Oxum Omin Taladê Omã – Designação do Chefe da “Cabana de Oxossi” de Olinda, Pernambuco – médium J. Carlos Macêdo.
** Pierre Fatumbi Verger, fotógrafo francês e pesquisador, em sua obra: Orixás, deuses iorubas na África e no Novo Mundo – Salvador Bahia, 1981.

 

Obviamente, Exu se fará presente em todos os ambientes buscando espaços para induzir as pessoas a desobedecerem, mentirem e exercerem seu terrorismo de má-língua. No seu modo conturbado, brincalhão e irresponsável, Exu favorecerá a disseminação de mentiras, intrigas e discórdias. A mídia será o principal instrumento a ser utilizada por ele e, apesar dos esforços do papa, a igreja continuará a ser alvo de escândalos e especulações. Exu conturbará, sobremaneira, as relações afetivas e políticas, causando transtornos e decepções. A mentira e o leva e traz serão uma tônica no ano. Assim, controlar ímpetos e emoções, agindo com prudência e moderação serão maneiras de se livrar dessa energia negativa.

Entretanto, deveremos canalizar positivamente a energia dos guerreiros Oxossi e Ogum, através de banhos e afirmações, para que possamos controlar nossas ações impetuosas e, assim, livrar-nos de conflitos e mal entendidos. Ogum propiciará a ordem e a disciplina favorecendo a diminuição da violência urbana. Exceto no campo, onde esse orixá e Oxossi influenciarão nos conflitos de terras entre posseiros, indígenas e latifundiários favorecendo demandas em prol do bem comum e da natureza. A energia condensada desses orixás influenciará a população indígena mundial que, após grandes perseguições e maus tratos, mostrarão sua força e justiça reivindicando direitos legítimos junto à sociedade civilizada.
Como se vê, o ano 2015 será extremamente masculino. Embora Yemanjá dê um toque de sedução ao ano, ele não será alvissareiro para o campo amoroso. Yemanjá em 2015 virá representando a justiça materna e, apesar da sua doçura de mãe, exigirá das pessoas maior equilíbrio, lucidez e racionalidade nos relacionamentos amorosos. Nada de choramingar ou reclamar por amores desfeitos ou impossíveis. Nada de ilusão. Pés no chão.

Para Yemanjá ou gosta ou não se gosta e fim. Deve-se encarar a realidade e se cuidar mais. Tudo tem um tempo e o de agora não é propício para romances duradouros. A inconstância de Oxossi favorecerá os rompantes das paixões passageiras. Por isso Yemanjá aconselha juízo e equilíbrio. É tempo de se renovar deixando para trás sentimentos de mágoas ou culpas. O ano permitirá reflexões sobre os relacionamentos amorosos kármicos, aqueles que só causam dor e sofrimentos. Enfim, em 2015 o conselho é para que os casados se cuidem, os solteiros se amem, os indecisos se decidam e os amigados se curtam. Atitudes positivas, amor próprio e bom senso não fazem mal a ninguém.

A vida segue. Oxossi e Yemanjá favorecerão encontros e namoros, mas nada de cobranças ou ciúmes para não estragar o astral do ano. Oxossi transmitirá sua característica de liberdade e inconstância aos seus protegidos, e as pessoas se sentirão mais livres, independentes e autônomas na condução de suas vidas reconhecendo que a felicidade não depende de outra pessoa, mas sim da capacidade que cada um terá em aceitar e compreender o outro e a si mesmo. Oxossi ama a liberdade e facilmente se deixa seduzir pelo novo (leia p.1). Esta característica exigirá das pessoas um maior cuidado com as novas amizades e oportunidades que surgirem. Cautela antes de tomar qualquer decisão ou iniciar algum relacionamento será boa atitude para não se ver envolvido em situações constrangedoras ou de desgastes. Além do mais se deverá redobrar a vigilância ao se lidar com assinaturas de papéis e documentos, pois Exu estará armando suas tramoias para pegar os desprevenidos e desatentos.

Entretanto, em 2015, nosso pai Oxossi anuncia fartura, boas colheitas e recuperação no crescimento do Brasil. Os ciclos climáticos se estabilizarão e a seca será amenizada com chuvas mais regulares. Mas nada de abusar das bênçãos do orixá. Cuidar e zelar pela sustentabilidade do planeta deixará este orixá muito feliz e garantirá o equilíbrio dos recursos hídricos. Entender os ciclos da natureza favorecerá uma melhor qualidade de vida. Pelas características dos orixás regentes, as pessoas deverão estar mais solidárias, tolerantes e responsáveis nesse ano, e isso contribuirá em muito para que cada um consiga superar os seus desafios e isso contribuirá para a melhoria do status da própria nação brasileira.

O espírito de liberdade de Oxossi e o de justiça de Ogum favorecerão manifestações pelos direitos humanos e pela liberdade de expressão em todo o mundo. Naturalmente que isso se refletirá nas relações pessoais, afetivas e profissionais exigindo de cada um de nós paciência e tolerância. Em 2015, o orixá Ogum virá em defesa da lei e da ordem em todos os aspectos de nossas vidas e isso provocará conflitos, rupturas, separações. O temperamento belicoso e impetuoso desse orixá influirá em nosso sistema nervoso provocando comportamentos de mau humor e intolerância bastante prejudiciais nas relações humanas. No campo político e econômico o nervosismo levará a uma instabilidade sem motivos maiores que não sejam as atitudes intempestivas, impetuosas e incongruentes.

A disseminação de notícias tendenciosas aumentará o pânico e o terrorismo da má língua provocando descrédito ao governo e à economia, satisfazendo aos interesses daqueles que se beneficiam do caos e das manifestações públicas que, com certeza, gerarão insatisfação e revolta no povo brasileiro. Ogum interferirá colocando ordem no país que seguirá seu rumo destinado ao progresso. Essa energia belicosa e impetuosa exigirá uma maior atenção em viagens rodoviárias e na condução de veículos em áreas urbanas, pois haverá possibilidade de grandes desastres terrestres.

E isso também vale para quem anda a pé ou utiliza quaisquer outros meios de transportes terrestres. Em 2015, as calamidades, catástrofes naturais, mortandades, conflitos, guerrilhas, doenças, pestes, consumo de drogas e a promiscuidade sexual deixarão as pessoas e as autoridades atônitas. Em consequência, as pessoas buscarão refúgio na religião quando deveriam fortalecer sua fé e praticar mais o amor a Deus através do amor ao próximo. O grande guerreiro Ogum estará à frente dessa faxina espiritual para assegurar à humanidade a passagem para um novo ciclo espiritual.

 

ORIENTAÇÕES SOBRE OS ORIXÁS DO ANO

OXOSSI – Orixá caçador e pescador, protetor de tudo que há nas florestas e matas.
Saudação: Okê bambi ô krin! Okê arô odé! – Sincretismo: São Sebastião e São Jorge
Dia da semana: 5ª Feira – Número: 5 – Regente: Mercúrio
Influencia: Braços, articulações, Audição, visão, circulação e funções hepáticas.
Atua: Comércio, finanças, agricultura, piscicultura, apicultura, pecuária e ind. Farmacêutica.
Representa: Polícias, caçadores, pescadores, mensageiros, desportistas e segurança civil.
Cores: Azul claro, verde, verde com branco, verde com vermelho.
Banhos: Alfavaca de caboclo, manjericão e guiné.

 

OGUM – Orixá guerreiro, senhor do ferro, fogo e aço.
Saudação: Ogum Kapi damigi! Patacori! Ogum yê! – Sincretismo: São Jorge e Santo Antônio
Dia da Semana: 3ª Feira – Número: 3 – Regente: Marte
Influencia: pernas, antebraços, abdômen e estômago.
Atua: Siderurgia, Indústria naval, automobilística, informática equipamentos, toda a área de ferro e aço, esportes, artes marciais e artes plásticas.
Representa: Militares das forças armadas, soldados, operários, investidores e empresários.
Cores: Azul-marinho, vermelho com branco, vermelho com azul e verde.
Banhos: Abre-caminhos, vassourinha e arruda.

 

YEMANJÁ – Orixá Mãe, senhora das águas oceânicas.
Saudação: Odó yá! Odó mi Yao yaba Yemanjá!
Sincretismo: Nossa Senhora da Conceição, Nossa Senhora dos navegantes e Conceição da Praia. – Dia da Semana: Sábado – Número: 7 – Regente: Lua
Influencia: pulmões, sistema respiratório, pés, seios e sistema reprodutor.
Atua: Comércio e indústria de cosméticos, alimentação, enfermagem, pediatria e relações humanas.
Cores: azul claro, verde claro, branco, azul claro com branco.
Banhos: Alecrim, malva-rosa ou branca e manjerona.

 

RECOMENDAÇÕES PARA O ANO

DINHEIRO
Recomenda-se cautela nos investimentos e aplicações financeiras. A pressa e impetuosidade trará cegueira e aplicações inadequadas com retornos pífios ou prejuízos. Na vida pessoal se deverá aprender a poupar sem deixar de fazer o dinheiro circular. Exu gosta de dinheiro e estará atento para nos passar a perna.

AMOR
Amar e não ter a vergonha de ser feliz. Curtir os relacionamentos sem amarras, cobranças, ciúmes ou cenas dramáticas de “eu não sei viver sem você”.

SAÚDE
Problemas pulmonares e respiratórios; Disfunções hepáticas e estomacais, dores nos pés e pernas.

TRABALHO e ESTUDO
Boas oportunidades de ascensão e colocação no mercado. Sucesso em concursos

 

SIMPATIAS PARA RECEBER O ANO

1 – AGRADAR AOS ORIXÁS E TRAZER SORTE PARA A FAMÍLIA
Na noite de ano enfeite a mesa com diversas frutas, mel, milho verde, flores de milho (pipocas de milho) e prato com peixe do mar ou rio. Decore tudo com avencas, flores, palmeiras e espada de São Jorge. Agrade a Exu acrescentando uma rosa vermelha, três limões e cinco ou sete moedas de um mesmo valor, das quais uma ficará com você que dará as demais a quem estiver próximo na passagem do ano.

2 – LIVRAR-SE DO NEGATIVISMO DO ANO QUE SE VAI
Depois que arrumar e decorar a mesa da ceia de ano, escreva num papel todos os desenganos de 2014 e coloque-o num copo d’água cheio até à borda, guardando num cantinho do seu quarto. Quinze minutos antes da virada do ano, despeje a água do copo com os papéis em água corrente (pode ser no lavabo ou pia).

3 – OBTER PROTEÇÃO DE UM DOS ORIXÁS REGENTES
Escolha o banho de qualquer um dos orixás e tome-o meia hora antes da passagem do ano, do pescoço pra baixo, imaginando as energias positivas para 2015 e agradecendo tudo o que você viveu em 2014. Tudo, mas tudo mesmo. Em seguida, vista a roupa da cor de um dos orixás regentes e festeje o Ano Novo com muito axé!

4 – RECEBER OS AXÉS DE 2015
Prepare um banho com as ervas dos orixás do ano. Coloque manjericão, guiné, alfavaca de caboclo, abre-caminhos, arruda, vassourinha, alecrim, malva-rosa e manjerona em infusão numa caçarola de água quente por 45 minutos. Coe em uma peneira, deixe esfriar e tome o banho de cabeça no horário exato das 2l horas, deixando pra trás as energias negativas. Peça proteção e axé a Ogum, Oxossi e Yemanjá. Deixe o corpo secar naturalmente. Não use toalhas nem para a cabeça.

5 – PROTEÇÃO DO NEGÓCIO, EMPRESA OU RESIDÊNCIA.
Faça uma faxina geral e se livre do que você não quer mais. Jogue fora roupas e objetos desgastados, e faça doação aos que estiverem em boas condições de uso. Limpe gavetas e todo o ambiente físico de entulhos e coisas desnecessárias. Lave o espaço de dentro para fora e borrife paredes e piso com água do mar ou com sal em pedra. Deixe secar naturalmente. Enquanto isso prepare um defumador em fogareiro de barro, ou em uma telha também de barro, com canela em pau, açúcar e café. Defume o espaço de fora para dentro, deixando o fogareiro na entrada espalhando o incenso no ambiente. Distribua sete folhas de louro com sete moedas do mesmo valor em cada canto do ambiente e as renove em caso de sumiço. Jogue o carvão do defumador em local de terra.

Via http://www.soulbrasil.com/home/?p=4071

Catedral Metropolitana de Fortaleza comemora 36 anos

Construída em estilo neo-gótico e de beleza ímpar, a Catedral Metropolitana de Fortaleza comemorou na noite de ontem, 22, aniversário de 36 anos de inauguração, com missa, presidida pelo arcebispo de Fortaleza Dom José Antônio Tosi, e com participação de padres da Arquidiocese da Capital. Na ocasião, 11 seminaristas foram ordenados padres.
Para o pároco da Catedral há 15 anos, padre Clairton Alexandrino, a Catedral passou por muitas mudanças estruturais com as reformas empreendidas, tanto na parte externa quanto na interna. “Mas tudo que foi feito foi pensado para assegurar e aperfeiçoar as formas góticas da Catedral e também propiciar maior conforto para o povo de Deus”, pontua o pároco, destacando a acústica, os vitrais, a nova iluminação, a capacidade para 5 mil pessoas, a Capela do Santíssimo Sacramento e a pia batismal – que permite o batismo por imersão.
“É uma alegria imensa completar esses 36 anos de Catedral com ela sendo referência para a Arquidiocese de Fortaleza e sendo elogiada em festivais de arte sacra pelo mundo. E ainda oferecendo boas condições para o louvor a Deus”, comentou o pároco, que compartilhou da celebração da missa em comemoração à efeméride.
Conhecida também como Igreja da Sé, a Catedral foi inaugurada por Dom Aloísio Lorscheider no dia 22 de dezembro de 1978, após 40 anos de construção. O templo tem particularidades pouco conhecidas pelo povo cearense, como a medida das torres que chega a 75 metros de altura e a existência de um subsolo em que estão a Capela dos adolescentes, a Capela do Cristo Ressuscitado – onde estão sepultados alguns Bispos – e a Secretaria da Paróquia.

 

(Camila de Almeida, O Povo)

Campanha Papai Noel dos Correios em Fortaleza é prorrogada

O fim da Campanha Papai Noel dos Correios em Fortaleza foi adiada para 10 de dezembro. O objetivo é que as pessoas “adotem” uma das 6.500 cartas de crianças carentes com pedido de presente. Em alguns casos, a instituição também busca, por meio de padrinhos, atender aos pedidos de presentes de crianças carentes.

Nos últimos três anos, segundo os Correios, foram recebidos 3,1 milhões de cartas destinadas ao Papai Noel em todo o Brasil. Desse total, 1,9 milhão atendia aos critérios da campanha e quase 74% foram adotadas, o que equivale a 1,4 milhão de cartas.

Para participar, os interessados devem se dirigir a uma das seguintes agências dos Correios em Fortaleza: Avenida Barão de Studart, Centro, Iguatemi e Parangaba. No local, é preciso informar os dados para contato. Os presentes devem ser entregues nos locais e datas definidos pelos Correios.

A campanha contempla também cartas de estudantes das escolas da rede pública (até o 5º ano do ensino fundamental) e de instituições parceiras, como creches, abrigos e orfanatos. É priorizado o atendimento de cartas que indiquem condição socioeconômica da criança.

Agência Aldeota
Rua Maria Tomázia, 682 – Aldeota
Horário: 2ª à 6ª das 8h às 17h e sábados das 8h às 12h

Agência Alencarina
Av. Oliveira Paiva, 2800 – Cidade dos Funcionários
Horário: 2ª à 6ª das 9h às 17h e sábados das 8h às 12h

Agência Barão De Studart
Av. Barão de Studart, 1864 – Aldeota
Horário: 2ª à 6ª das 8h às 17h

Agência Central
Rua Senador Alencar, 38 – Centro
Horário: 2ª à 6ª das 8h às 17h e sábados das 8h às 12h

Agência Iguatemi
Av. Washington Soares, 85 – Shopping Iguatemi
Horário: 2ª à 6ª das 10h às 21h e sábados das 10h às 14h

Agência Parangaba
Av. João Pessoa, 7189 – Parangaba
Horário: 2ª à 6ª das 8h às 16h e sábados das 8h às 12h

Agência Juazeiro do Norte
Rua da Conceição, 354 – Juazeiro do Norte
Horário: 2ª à 6ª das 8h às 17h

(G1 Ceará)

Fortaleza recebe espetáculo sobre a criminalização e morte da juventude negra

A Associação Artística Nóis de Teatro faz a pré-estreia do seu novo espetáculo, Todo Camburão Tem Um Pouco De Navio Negreiro, no próximo dia 20 de novembro (quinta-feira), no Centro Cultural Banco do Nordeste em Fortaleza (CE), às 19h.

Contemplado no Prêmio Funarte de Arte Negra, a peça traz intensa discussão dialética sobre a criminalização e morte da juventude negra das periferias, debatendo também a desmilitarização da polícia brasileira. Com direção de Murillo Ramos e dramaturgia de Altemar Di Monteiro, ela é dividida em três atos e conta a história de Natanael, um “anti-herói” que nasce na periferia, vive inserido num sistema de opressão e violência e, aos 18 anos, resolve entrar pra polícia militar.

Trata-se de uma dramaturgia épica, onde o ator-narrador é o grande foco, numa espécie de “tragédia afro”, com elementos alegóricos e representativos do universo do movimento negro no Brasil e no mundo, além de múltiplas referências à mitologia dos Orixás.

Para a montagem do espetáculo, o Nóis de Teatro visitou várias comunidades quilombolas do Ceará e do Maranhão, dialogando também com movimentos sociais que pautam as questões da população negra.

Desse modo, a data da pré-estreia foi escolhida pela importância que o dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, tem para o movimento negro no Brasil. Após a pré-estreia, o grupo vai realizar a temporada de estreia na Praça da Gentilândia, no Benfica, nos dias 4, 5 e 6 de dezembro, sempre às 19h.

O Nóis de Teatro está localizado na periferia de Fortaleza, na Comunidade de Granja Lisboa, no Território de Paz do Grande Bom Jardim.

Ao longo dos últimos 12 anos, o grupo tem construído uma ação continuada no que diz respeito à circulação de espetáculos, oferta de cursos, intercâmbios e oficinas (teatro e percussão) para a comunidade, contribuindo de forma significativa para a formação de plateia, incentivando crianças e jovens como sujeitos sensíveis, protagonistas de um novo mundo, uma comunidade mais justa e menos violenta.

Fonte: Fundação Nacional de Artes

Divaldo Franco ministra seminário “Imortalidade e Vida”, em Fortaleza

Assim como Chico Xavier, Divaldo Franco é reconhecido como missionário da Doutrina difundida por Allan Kardec, e é visto como o sucessor do médium mineiro

Fortaleza receberá o seminário, “Imortalidade e Vida”, que será ministrado pelo médium e conferencista Divaldo Franco, articulista fixo da página Espiritualidade do Jornal O POVO e que traz um dos momentos mais esperados para a promoção da Cultura e Paz no Ceará. O evento acontece no próximo dia 20, às 19h, no Vianna’s Buffet, em Fortaleza. Divaldo Franco é considerado o maior divulgador da Doutrina Espírita em nível mundial.

Durante o evento será apresentado a pré- estreia do documentário “O Sobrevivente do Mundo- A história de Jorge Damasceno”. O filme, com roteiro e produção do cineasta Glauber Filho, narra a história do ex-empresário cearense da década de 90, que perdeu tudo por causa do vício das drogas, mas deu a volta por cima e atualmente ministra palestras em escolas, contra a dependência química.

Trajetória de Divaldo

Assim como Chico Xavier, Divaldo Franco é reconhecido como missionário da Doutrina difundida por Allan Kardec, e é visto como o sucessor do médium mineiro. Em suas conferências são apresentados os temas de estudo do Espiritismo (Ciência, Filosofia e Religião).

Divaldo já psicografou mais de 250 obras e os livros vendidos já alcançaram mais de 8 milhões de exemplares, dos quais 104 títulos já foram traduzidos para 16 idiomas (albanês, alemão, espanhol, norueguês, esperanto, francês, holandês, italiano, inglês, sueco, tcheco, turco, catalão, húngaro, polonês, russo e com 20 livros transcritos no sistema braile). A renda proveniente da venda dessas obras, bem como os direitos autorais, foi doada, em cartório, à Mansão do Caminho e outras entidades filantrópicas.

Divaldo participa de conferências no Brasil e no Exterior, e já esteve em mais de 60 países dos cinco continentes. Já realizou ainda mais de 12 mil palestras e seminários, sempre com ampla publicidade e presença de público, desde 1947.

Serviço

Seminário ‘Imortalidade e Vida’ – com Divaldo Franco
Data e horário: 20 de novembro (quinta-feira), às 19h
Local: Vianna’s Buffet – Rua Hermínia Bonavides, nº 457 – Praia de Futuro –   Fortaleza-CE
Investimento: R$ 35,00
Inscrições: Livraria Sinal Verde – Rua Princesa Isabel, nº 255 – Centro – Fortaleza-CE; Grupo Espírita Paulo Estevão (GEPE) – Rua Luiza Miranda Coelho, nº 743 – Água Fria – Fortaleza – CE / Rua Padre Antonino, nº 451 – Piedade – Fortaleza – CE
Informações: (85) 3212.1092 e 3212.4268

Redação O POVO Online

Divaldo Franco ministra Seminário “Imortalidade e Vida” em Fortaleza

Um dos momentos mais esperados para a promoção da Cultura de PAZ no Ceará acontece no próximo dia 20, às 19 horas, no Vianna’s Buffet, em Fortaleza. Trata-se de Seminário ministrado pelo médium e conferencista Divaldo Franco, considerado o maior divulgador da Doutrina Espírita em nível mundial. Ele retorna à Capital cearense para falar sobre o tema “Imortalidade e Vida”.

O evento contará com segurança reforçada no local, inclusive no estacionamento, e as inscrições podem ser feitas na Livraria Sinal Verde, situada à Rua Princesa Isabel, nº 255, no Centro, em Fortaleza, bem como no Grupo Espírita Paulo Estevão (GEPE). O valor do investimento é de apenas R$ 35,00.

Na oportunidade, os presentes também conferirão a pré-estreia nacional do documentário “O Sobrevivente do Mundo – A história de Jorge Damasceno”. O filme, com roteiro e produção do renomado cineasta Glauber Filho, narra a história do ex-mega empresário cearense da década de 90, que perdeu tudo por causa do vício das drogas, mas deu a volta por cima e atualmente ministra palestras, em escolas, contra a dependência química.

Sinopse – No estilo cinema direto, os depoimentos de Jorge, parentes e amigos montam a trajetória de superação do personagem. Filho de comerciantes ricos de Fortaleza, com um patrimônio avaliado em aproximadamente R$ 70 milhões, Jorge viu tudo ser consumido por sua dependência química. A partir dos 12 anos de idade inicia-se no vício com o álcool. Depois, outras drogas passaram a se tornar rotina, que lhe tiram a alegria de viver. Sobreviveu nas ruas e em terrenos baldios na companhia de outros dependentes, marginais e amigos. Perdeu familiares e o respeito a si. Após quatro décadas de sofrimento, Jorge Damasceno se recupera do passado e é hoje um exímio contador de histórias, de sua própria vida.

Divaldo, produção best-seller

Assim como Chico Xavier, Divaldo Franco é reconhecido como missionário da Doutrina difundida por Allan Kardec sendo, inclusive, visto como o sucessor do médium mineiro. Expõe os temas de estudo do Espiritismo – enquanto Ciência, Filosofia e Religião –, com a didática e a propriedade de quem intermediou uma produção best-seller.

Divaldo já psicografou mais de 250 obras e os livros vendidos já alcançaram a alta cifra de mais de 8 milhões de exemplares, dos quais 104 títulos já foram traduzidos para 16 idiomas (albanês, alemão, espanhol, norueguês, esperanto, francês, holandês, italiano, inglês, sueco, tcheco, turco, catalão, húngaro, polonês, russo e com 20 livros transcritos no sistema braile). A renda proveniente da venda dessas obras, bem como os direitos autorais, foram doados, em cartório, à Mansão do Caminho e outras entidades filantrópicas.

Homenagem – Na quinta-feira (6), o Plenário da Câmara dos Deputados ficou lotado para homenageá-lo em reconhecimento aos seus mais de 60 anos de dedicação às causas sociais, principalmente com crianças e adolescentes, através da Mansão do Caminho, obra assistencial que já beneficiou cerca de 30 mil famílias em situação de risco social em Salvador (BA).

Durante a sessão solene, também destacou-se a atuação do médium baiano pelo mundo, levando a mensagem da transformação interior. Apresentado como peregrino ou o “Paulo de Tarso do Espiritismo”, Divaldo vem proferindo conferências no Brasil e no Exterior, onde já esteve em mais de 60 países dos cinco continentes, realizando até agora mais de 12 mil palestras e seminários, sempre com ampla publicidade e presença de público, desde 1947.

SERVIÇO:

Seminário ‘Imortalidade e Vida’ – com Divaldo Franco

Data e horário: 20 de novembro (quinta-feira), às 19h

Local: Vianna’s Buffet – Rua Hermínia Bonavides, nº 457 – Praia de Futuro –   Fortaleza-CE

Investimento: R$ 35,00

Inscrições: Livraria Sinal Verde – Rua Princesa Isabel, nº 255 – Centro – Fortaleza-CE; Grupo Espírita Paulo Estevão (GEPE) – Rua Luiza Miranda Coelho, nº 743 – Água Fria – Fortaleza – CE / Rua Padre Antonino, nº 451 – Piedade – Fortaleza – CE

Informações: (85) 3212.1092 e 3212.4268

Email: fe_espirita@yahoo.com.br

(Ceará Agora)

A impiedosa Justiça da Arábia Saudita

A pena foi dura. Mas, para alguns, branda demais. Em seu site Liberais sauditas, Raif Badawi criticou líderes religiosos da Arábia Saudita e o papel do islã na sociedade. Por seus textos, foi acusado de “insulto à fé”, ultrapassar “os limites da obediência” e de “apostasia” – ou seja, o abandono da fé. No país, isso pode ser punido com a pena de morte.

Em julho de 2013, a pena foi anunciada: 600 chibatadas e sete anos de prisão. Badawi entrou com recurso. Em maio deste ano, o juiz proferiu nova sentença: mil chibatadas, uma década de reclusão e uma multa de 195 mil euros.

O destino de Badawi não é um caso isolado. Regularmente, ativistas de direitos humanos e críticos do regime são condenados a penas draconianas na Arábia Saudita. Em julho de 2014, um tribunal condenou o ativista Waleed Abu al-Khair a 15 anos de prisão.

Seus crimes: “desobediência ao governante”; “tentativa de questionar a legitimidade do rei”; “danos à reputação do Estado por meio da comunicação com organizações internacionais”; “processamento, armazenamento e transmissão de informações que põem em risco a ordem pública”.

Khair é ativista de direitos humanos e ganha a vida como advogado. Um dos seus clientes mais conhecidos é Raif Badawi.

Lei vaga

O juiz designado para o caso de Khair baseou o seu veredicto também na nova lei de combate ao terrorismo. Ela, porém, não estava em vigor no momento em que foi feita a acusação contra o ativista.

A lei que passou a vigorar em fevereiro de 2014 proporciona ao Estado instrumentos para atuar contra “crimes terroristas”. Para a Justiça saudita, isso inclui: “perturbar a ordem pública do Estado”, “desestabilizar a segurança da população ou do Estado”, “ameaçar a unidade nacional” ou “prejudicar a reputação ou renome do Estado”.

Sobretudo nos últimos dois anos, ativistas de direitos humanos e blogueiros sauditas foram condenados a duras penas de reclusão. Dessa forma, o Estado saudita também restringe a liberdade de imprensa no país.

No atual Índice de Liberdade de Imprensa da organização Repórteres Sem Fronteiras, a Arábia Saudita ocupa a 164ª posição entre 180 países listados.

A Arábia Saudita também está à frente no quesito pena de morte. De acordo com a Anistia Internacional, em 2013, foram executadas ao menos 79 sentenças no país. Até agora em 2014, foram mortas 60 pessoas.

Insulto à religião

A pena de morte é aplicada principalmente contra assassinos e traficantes de drogas. No entanto, ela também pode ser usada no caso dos chamados “crimes religiosos”. Em outubro de 2014, o religioso xiita Nemr Baqir al-Nemr foi condenado à pena capital, acusado de ter incitado a violência entre as confissões religiosas e de ter organizado protestos.

Para o estudioso do islamismo Breno Preuschaft, que leciona atualmente na Universidade de Münster, a sentença tem um efeito simbólico: “Isso demonstra que eles não estão dispostos a tolerar qualquer forma de agitação e tendências revolucionárias.”

Muitos julgamentos são baseados no crime religioso. Segundo Preuschaft, isso não é de surpreender. Para a Casa Real saudita, a sua legitimidade política provém de seu papel de protetora do islã e guardiã dos lugares sagrados.

É assim que a Arábia Saudita justifica, dentro do islamismo sunita, a sua liderança teológica, afirma o especialista. “Para a família real, qualquer crítica à religião é também uma crítica ao seu estilo de liderança. Isso também é uma forma de promover o seu monopólio de poder”, diz Preuschaft.

Via

Casal de cristãos é espancado até à morte e queimado no Paquistão

São frequentes os protestos violentos contra comportamentosconsiderados anti-islâmicos, como este em Kot Radha Kishan BANARAS KHAN/AFP

Um casal cristão paquistanês, acusado de blasfémia, foi espancado até à morte e os seus corpos queimados na fábrica de tijolos onde ambos trabalhavam, na província do Punjab, revelou a polícia local. 

É o último exemplo das atrocidades cometidas em nome de “um crime” que no Paquistão é punido com a pena de morte, ao abrigo da mais severa lei antiblasfémia de que há registo e que os islamistas defendem com punhais e dentes. Desta vez não foram os tribunais, mas uma turba a fazer justiça pelas próprias mãos. “Uma multidão atacou e espancou até à morte o casal, a quem acusava de ter profanado o Corão”, disse à AFP Ben Yameen, oficial da polícia, identificando as duas vítimas apenas pelos nomes próprios, Shehzad e Shama.

Homem e mulher trabalhavam numa fábrica de tijolos – um sector que emprega cinco milhões de pessoas na Índia, muitas em condições de quase escravatura, nota a agência francesa – situada na aldeia de Kot Radha Kishan, a uns 60 quilómetros de Lahore, e foi nos fornos onde o barro é cozido que os seus corpos foram lançados.

Os detalhes do caso são escassos, mas Yameen disse que o casal foi responsabilizado (não se sabe por quem) por um incidente registado no dia anterior, supostamente ligado à profanação do livro sagrado do islão. Um outro responsável da segurança contou à BBC que a polícia ainda tentou intervir para salvar o casal, mas terá sido atacada pela multidão, em muito maior número. As autoridades do Punjab anunciaram entretanto a abertura de um inquérito ao ataque e o reforço da segurança dos bairros cristãos.

Há cerca de três milhões de cristãos no Paquistão, país de mais de 180 milhões de pessoas onde os muçulmanos sunitas são maioritários e as tensões religiosas são tão antigas como a própria nação. São sobretudo pobres, que vivem acantonados e conseguem empregos subalternos. Nas últimas décadas, muitos foram condenados em tribunal ao abrigo das leis da blasfémia, incluindo por profanação do Corão, mas foram poucas as vezes em que a pena de morte acabou por ser aplicada.

Entre eles está Asia Bibi, uma mãe de cinco filhos condenada em 2010 à pena capital, depois de ter sido acusada de blasfémia por vizinhas muçulmanas com quem se tinha desentendido. O seu caso gerou protestos internacionais, mas ainda no mês passado um tribunal de recurso decidiu manter a pena.

Mas as leis da blasfémia não poupam ninguém – os muçulmanos são, aliás, a maioria das pessoas condenadas – e são muitas as vezes em que são invocadas para acertar rivalidades entre vizinhos, ajustes de contas ou apenas por vingança. As organizações de defesa dos direitos humanos há muito que pedem a sua abolição, mas políticos e activistas que fazem campanha pela alteração do Código Penal são muitas vezes acusados eles próprios do crime ou, pior ainda, atacados por extremistas – em Maio, recorda a BBC, o advogado Rashid Rehma, que defendia em tribunal um professor acusado de blasfémia, foi morto a tiro na cidade de Multan.

Via http://www.publico.pt – Portugal

Ogum e Iemanjá, os orixás regentes de 2015

No link abaixo, segue uma outra previsão para o ano de 2015.
OGUM, OXÓSSI E YEMANJÁ, OS ORIXÁS REGENTES DE 2015
2015 – UM ANO DE MOVIMENTO, LUTAS, CONSCIÊNCIA E  VITÓRIAS.
Mas nem tudo serão flores. Todos, sem exceção deverão se preparar: Ogum e Iemanjá passarão a influenciar e interferir no destino das pessoas. 

Elementos do ano Terra e a Água (Ogum e Iemanjá, respectivamente) são elementos passivos e femininos.

Ogum representa a luta, a batalha, a guerra, nossa necessidade de lutar e ser perseverante perante os problemas e dificuldades que se apresentarem, pois somente o perseverante o insistente, o lutador, o trabalhador que arregaçar as mangas terá vitória neste ano.

Como estes dois orixás são materializadores; devemos lutar  perante os problemas e dificuldades que se apresentarem, pois somente o perseverante o insistente, o lutador, o trabalhador que arregaçar as mangas terá vitória neste ano.

Prevejo momentos de instabilidade e dificuldades até abril, momento onde teremos demissões, aumento de preços, aumento de tarifas etc. 

Iemanjá representa as oportunidades, abertura de negócios, trabalhos, realização pessoal, a necessidade de Paz, mas acima de tudo o dedinho da consciência em nossas mentes. 

O momento será de pensar e refletir atos e ações de tomarmos novos caminhos focados na razão e no entendimento, ela vem para conter os excessos de
o que poderia ser simples e objetivo, ganhará contornos mais expressivos e conflitantes em 2015. Nada será fácil. 
Se algumas correntes admitem o fim de um Ciclo e pensarem duas vezes antes de partirem para o ataque, é de bom alvitre reavaliar o que significa um novo começo, se vale a pena brigar em determinados momentos.

2015 pede entendimento, diálogo, conversa, mas as pessoas querem a guerra.

O ano de 2015 terá como regência o plante Marte. A visão astrológica para alcançar o sucesso ao longo do ano deverá ser centralizada na expressão da criatividade, liderança pessoal, iniciativa, capacidade de competitividade e no planejamento estratégico pessoal para vencer as crises e superar os obstáculos.

  

Por isso vejamos as previsões:
    • As energias desses dois orixás refletirão durante todo o ano em diversos setores da dentre eles o econômico apresentando um crescimento na economia Brasileira, o campo político reserva uma série de conflitos e mudanças do ponto de vista social apresentará uma melhoria geral nas condições econômicas dos Brasileiros.
    • Os dois orixás anunciam que os momentos de crise de relacionamento renderão momentos de litígios, confrontando de ideias, de interesses e de desejos.
    • Personificando a maternidade, Iemanjá influenciará os relacionamentos familiares, favorecendo a casa as empresas e os núcleos sociais. 
    • Poderão acontecer separações, casamentos desfeitos ou relações amigáveis estremecidas. Será preciso muita paciência para manter a harmonia familiar.
    • Haverão viradas de mesa e muitas decisões poderão ser revistas, pois algumas delas poderão acarretar prejuízos financeiros.
    • Para os que sonham iniciar projetos ou empreender novos negócios, a sugestão é fazê-lo no primeiro e ultimo trimestre de 2015, levando em consideração os cuidados com os investimentos ou com a falta de planejamentos.
    • Os mais fracos sucumbirão por não saber agir com rapidez. Apesar de parecer um ano tranquilo algumas “ondas” poderão surgir repentinamente afogando os incautos.
    • Não custa nada ouvir os mais experientes: os mais velhos tem sempre razão.
    • Aqueles que possuem cargos de comando serão alvo de concorrência direta e/ou indireta – principalmente os que trabalham com o intelecto e a capacidade de observação. Os líderes poderão destituídos do poder, derrubados pela inveja ou divergências pessoais.
    • A descoberta da hipocrisia será o principal fator de desarmonia nas relações.
    • Quanto a saúde, cuidado com problemas de coluna, ossos e articulações. Os problemas de falta de memória, dor de cabeça, tontura e de ordem nervosa como a depressão  trarão muitos problemas para as pessoas em 2015. Procure ajuda médica especializada.
    • O mercado de trabalho estará mais competitivo e seletivo, sobressairão as crises, de pessoas e de empresas que apostarem na criatividade, inovação, iniciativa, liderança, capacidade de aceitar os novos desafios e ter uma visão mais estratégica e competitiva frente ao mercado globalizado e cada vez mais sufocante. 
    • Ano de 2015 podemos prever um ano de muita ação, iniciativas, impulsos.
      Ano de Marte é ano de agir, que fazer projetos e ir atrás daquilo que estávamos planejando e agora devemos implementar.
    • É um ano que pede pressa, que se executem as coisas e não se deixe para amanhã o que se pode fazer hoje. É para fazer, agir e não ficar esperando.
    • O ano pode trazer vigor, coragem, audácia, realça a competitividade, o desejo de comandar. Marte é o guerreiro, aquele que cumpre as ordens sem pensar. Pode ser um ano que talvez façamos muitas coisas sem pensar e neste aspecto devemos tomar cuidado.
    • Pode dar mais agitação, impulsividade, impaciência, agressividade e vontade de revide. Também podemos assumir mais riscos. As decisões serão ousadas, provocativas. Não é um ano de calmaria e descanso, muito pelo contrário. Ano em que acidentes podem acontecer, assim como ações agressivas e violentas.
    • Profissionalmente é um ano que se estimulará a liderança, a competitividade, o nosso lado mais heroico, no qual fazemos as coisas com por um ideal maior. Bom para os serviços braçais, físicos, perigosos, audaciosos e de risco.
    • As mulheres podem pegar esta força e usar para se destacarem. Podem ficar mais masculinas e usar mais a energia do ano. Assim, podem assumir com mais facilidade cargos de comando ou liderança.
    • Áreas como a cirurgia, mineração, serviço militar, sexologia, couro, instrumentos bélicos são favorecidos.
    • A atenção também estará voltada paro o sexo e para o impulso para atingir nossos desejos. Os instintos também estarão a mil. É preciso saber aproveitar com sabedoria e não de forma impulsiva.
    • É um ano bom para realizar novos empreendimentos porque se estará mais ousado; favorece os trabalhos autônomos. Criar projetos, tirar planos que estavam na gaveta. Se ficar parado será literalmente “atropelado”.
    • O aquecimento global será a tônica da vez e poderão ocorrer períodos de seca.
    • Suas pedras preciosas são o rubi e a hematita e a sua cor é o vermelho. O cravo vermelho é sua flor principal. 
  • Cores do ano Azul e o vermelho.

Pai Sandro

Via http://terreiromiguelarcanjo.blogspot.com.br/

VII Evangelizar é Preciso, 18 de outubro 2014, na Praia de Iracema, em Fortaleza

A Polícia Militar e a Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania de Fortaleza (AMC) preparam esquema especial para a 7ª edição do Evangelizar é Preciso, que acontece no aterro da Praia de Iracema no dia 18. O encontro, que contará com a presença do padre Reginaldo Manzotti, deve receber, segundo os organizadores, cerca de um milhão de pessoas para os shows, eventos culturais, missas e orações.

A primeira atividade desta edição acontece na sexta-feira, 17, a partir das 19 horas, quando o padre Antônio Furtado presidirá a missa para os três mil voluntários. No dia 18, durante a manhã, acontecerão atividades culturais e shows. O padre Antônio Furtado, da Comunidade Shalom e organizador do encontro, também conduzirá o Terço da Misericórdia às 15 horas.

Dom José Antônio Tosi, arcebispo de Fortaleza, presidirá a celebração eucarística do evento às 17 horas. Em seguida, Reginaldo Manzotti conduzirá momento de bênção com o santíssimo sacramento. Logo após, o sacerdote apresentará o seu show “Faça-me Crer”.

O Comando de Policiamento Metropolitano atuará com 326 policiais durante o dia do evento religioso. A ação do efetivo, porém, se estenderá ainda ao dia 17. Além do aterro, o policiamento será distribuído nas ruas que dão acesso ao local, contando com o apoio de um helicóptero e da cavalaria. O Corpo de Bombeiros fornecerá viaturas de combate a incêndio, ambulância, bote de salvamento e homens de prontidão para emergências. A AMC terá 70 agentes orientando o trânsito na região. Será proibido estacionar nas proximidades do aterro e o trânsito na Avenida Historiador Raimundo Girão será bloqueado entre a Rua Ildefonso Albano e a Avenida Barão de Studart.

Evento

Para o evento, a novidade este ano é que as atividades começarão a partir das 8 horas, com alvorada de fogos. Além do padre Manzotti, as atrações são a Irmã Kelly Patrícia e a cantora Suely Façanha. Katielly Carneiro, freelancer de Publicidade e Propaganda, já foi a duas edições do encontro. Segundo ela, “o evento é muito rico em espiritualidade. O fato de ter um sacerdote à frente faz toda a diferença. Não é só um show católico, mas um momento de oração e evangelização, tanto para crianças, quanto para jovens e adultos”. 

Para quem está na organização do evento, a alegria de receber os milhares de fiéis é um dos momentos mais marcantes, segundo o padre Antônio Furtado. “Nesta edição trazemos a experiência de sete outras. A cada ano a estrutura cresce, amenizamos os problemas e superamos as dificuldades”. 

Serviço

VII Evangelizar é Preciso, com padre Reginaldo Manzotti

Quando: 18 de outubro

Onde: aterro da Praia de Iracema (aberto ao público)

Mais informações: (85) 3261 4444

 

Programação

8h – Alvorada de fogos

8h10min – Abertura oficial

8h15min – Apresentação cultural

12h – Terço Mariano – Obra Evangelizar é Preciso

12h30min – Show musical – Ana Gabriela

13h10min – Show musical – Suely Façanha

13h40min – Pregação

14h30min – Show musical – Irmã Kelly Patrícia

15h10min – Hora da Misericórdia com o padre Antonio Furtado

16h30min -Ministério Evangelizar é Preciso

17h – Missa presidida por dom José Antônio Tosi, arcebispo de Fortaleza

19h – Adoração ao Santíssimo Sacramento – padre Reginaldo Manzotti

20h – Show “Faça-me Crer”, do padre Reginaldo Manzotti

21h30min – Encerramento

(Igor Cavalcante, O Povo)

O que os candidatos à presidência propõem à população LGBT

Da Agência Brasil
Por Carolina Gonçalves
As reivindicações, os protestos e as denúncias sobre a violação de direitos e os crimes cometidos contra a população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros (LGBT) ganharam destaque maior no cenário eleitoral nas últimas semanas.
A polêmica sobre o posicionamento de candidatos à Presidência da República a respeito do tema foi aquecida no último fim de semana, quando Levy Fidelix (PRTB) classificou, em um debate na televisão, a homossexualidade como distúrbio psicológico, comparou homossexuais a pedófilos e chegou a conclamar a sociedade a “enfrentar” esse segmento da população.
Os direitos dessa população e os desafios enfrentados pela discriminação já compunham os programas de governo de grande parte dos candidatos. Veja, abaixo, o que os 11 presidenciáveis propõe sobre o tema.
Nas propostas apresentadas pelo candidato Aécio Neves (PSDB) à Justiça Eleitoral, o tucano se compromete a buscar uma renovação dos princípios de igualdade, segurança e paz e garante que irá priorizar as políticas afirmativas voltadas para as populações mais vulneráveis, entre elas, a população LGBT, assim como mulheres, idosos, crianças e afrodescendentes. Além de criar uma rede que concentre informações de assassinatos no país, Aécio afirma que vai implementar políticas contra qualquer tipo de intolerância e estimular pesquisas acadêmicas sobre a questão étnico-racial e de diversidade sexual. Para o candidato, é preciso estimular os movimentos, como o LGBT, e organizar protocolos de prevenção da discriminação dessa população. O tucano ainda promete ampliar a participação dessa população nos debates do Programa Brasil sem Homofobia, articular o programa com as iniciativas estaduais e municipais e criar debates permanentes com seus representantes para organizar as reivindicações no Fórum Nacional de Diálogo.
Dilma Rousseff (PT) afirma que a luta pelos direitos humanos esteve presente nos quatro anos de seu governo e será mantida como prioridade, caso seja reeleita. Segundo ela, essa meta só cessará quando não existir mais brasileiros “tratados de forma vil ou degradante, ou discriminados por raça, cor, credo, sexo ou opção sexual”. Dilma promete políticas que garantam mais empoderamento, autonomia e violência zero para as mulheres, com a implementação da Casa da Mulher Brasileira, apoio à luta contra a discriminação e a promoção da igualdade racial e da política de cotas e a continuidade da implementação do Viver sem Limite, que garante igualdade de oportunidades aos portadores de deficiência. Não há medidas específicas voltadas para a população LGBT.
Com uma seção dedicada ao tema “Cultura de paz”, Eduardo Jorge (PV) trata dos direitos de indígenas e afrodescendentes e reafirma o apoio à liberdade de orientação sexual, aos direitos ao casamento de pessoas do mesmo sexo e à adoção de crianças por casais do mesmo sexo. Ele defende a criminalização da homofobia, nos mesmos moldes em que hoje são punidos os crimes de racismo. Segundo o ambientalista, o PV está tradicionalmente na vanguarda das questões que fazem parte da defesa dos direitos humanos no país.
Eymael (PSDC) não apresenta proposta específica para a população LGBT. O candidato defende igualdade de oportunidades entre os brasileiros, de forma geral. No que diz respeito a promessas relacionadas aos direitos humanos, ele se compromete com “imediatas e necessárias providências para assegurar ao deficiente físico o pleno exercício de seus direitos de cidadão”, além de defender políticas voltadas para a infância e juventude.
Autor da declaração que aqueceu a polêmica em torno do posicionamento de candidatos à Presidência da República sobre o tema, Levy Fidelix (PRTB) não faz qualquer referência, em suas propostas de governo, à população LGBT e não cita promessas relacionadas aos direitos humanos.
Luciana Genro (PSOL) define como um dos três eixos de seu governo, caso eleita, a ampliação “radical” dos direitos e das liberdades de trabalhadores e dos setores “socialmente mais vulneráveis e oprimidos”. Ao lado das questões relacionadas ao combate ao racismo e à violência contra as mulheres, Luciana afirma que também destacará o combate à homofobia. “Os ataques homofóbicos têm sido cada vez mais frequentes e a luta por direitos, como o casamento civil igualitário, ganha força principalmente junto à juventude”, afirmou.
Marina Silva (PSB) destaca, em seu programa de governo, que o país não pode mais permitir que “os direitos humanos e a dignidade das minorias sexuais continuem sendo violados em nome do preconceito. Para ela, o direito de “vivenciar a sexualidade e o direito às oportunidades devem ser garantidos a todos, indistintamente”. Entre as promessas de governo, a ex-senadora afirma que vai garantir os direitos da união civil entre pessoas do mesmo sexo e o direito de adoção, e vai apoiar o Projeto de Lei da Identidade de Gênero Brasileira, conhecida como a Lei João W. Nery, que regulamenta o direito ao reconhecimento da identidade de gênero das “pessoas trans”. Marina Silva também pretende normatizar e especificar o conceito de homofobia na administração pública, criar mecanismos para identificar os crimes homofóbicos no país e incluir o combate ao bullying, à homofobia e ao preconceito no Plano Nacional de Educação.
Mauro Iasi (PCB) elenca, entre suas prioridades, a apuração e punição de todos os crimes contra os direitos humanos. O candidato declarou ser contrário à homofobia, assim como ao racismo, ao machismo e à xenofobia. Com a promessa de garantir direitos e políticas específicas para as mulheres e a população indígenas, Iasi lamenta que o país viva hoje “uma profunda individualização da vida, o reaparecimento e fortalecimento de estigmas e preconceitos, como o recrudescimento do machismo, da homofobia, da xenofobia e do racismo e da intolerância religiosa”.
Com um tópico específico sobre os direitos das famílias, Pastor Everaldo (PSC) se compromete a acabar com o uso do aparelho estatal para o que define como “promoção de atos que não coadunam com a tradição da sociedade brasileira” e a criar políticas inovadoras que “estimulem a recriação dos laços afetivos, morais e econômicos das famílias”. Ao tratar das liberdades civis, o candidato evangélico defende os direitos individuais e a liberdade irrestrita de expressão. Segundo ele, o Estado deve garantir tratamento isonômico para toda a sociedade a partir de políticas “que garantam que os menos afortunados possuam condições para o exercício do autodesenvolvimento, sem distinção de cor, credo ou de qualquer outra forma de discriminação”.
Rui Costa Pimenta (PCO) elenca compromissos com os direitos das mulheres, defendendo a descriminalização do aborto, os direitos da população negra, dos sem-terra e dos trabalhadores, mas não trata especificamente da população LGBT em seu programa de governo.
Zé Maria (PSTU) limita suas propostas relacionadas a direitos humanos ao fim do racismo e à equiparação salarial entre homens e mulheres.

Vaticano anuncia prisão de ex-arcebispo por pedofilia

Jornal GGN – O Vaticano, pela primeira vez, anuncia a prisão de acusado de pedofilia. O anúncio foi feito nesta terça-feira e o acusado é o ex-arcebispo Jozef Wesolowoski. A acusação é que, quando servia como embaixador papal na República Dominicana, teria pago para fazer sexo com crianças.

No comunicado feito, o Vaticano diz que o polonês foi deposto por um tribunal em junho e está em prisão domiciliar à espera de um julgamento criminal. O ex-arcebispo, de 66 anos, é a mais importante figura da Igreja a ser preso desde que Paolo Gabriele, o mordomo papal, foi condenado em 2012 por roubo e vazamento de documentos privados do papa emérito Bento XVI.

Wesolowaski, no entanto, não está detido na prisão do Vaticano, um conjunto de quartos anexos ao tribunal local, mas sim em prisão domiciliar em um apartamento, por motivos médicos.

Ele retornou ao Vaticano ano passado, ainda como diplomata em Santo Domingo. Foi dispensado de suas funções após a imprensa dominicana divulgar casos de pedofilia. Wesolowski vivia livremente em Roma, até que as vítimas de abuso pediram por sua prisão, com medo que fugisse.

O ex-arcebispo pode ser condenado a até 12 anos de prisão no primeiro julgamento a ser realizado dentro da Cidade do Vaticano, por abuso sexual. Ele também está sendo investigado na República Dominicana pelas acusações de pagamento a meninos para realizar atos sexuais.

Segundo o Vaticano, a prisão refletiu os desejos do Papa Francisco “que um caso grave e delicado como tal deve ser tratado sem demora, com justiça e o rigor necessários”. O Papa prometeu tolerância zero contra clérigos católicos que abusam sexualmente de crianças, tratando tais crimes como “horríveis” e os comparou a “uma missa satânica”. Francisco disse, em julho, às vítimas, que a Igreja “deve chorar e fazer reparação” pelos crimes.

Com informações do jornal O Globo.

Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil vai decidir entre Marina Silva e pastor Everaldo

A Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) está para se decidir entre dar apoio para à candidata Marina Silva (PSB) ou ao Pastor Everaldo (PSC), ambos são membros da Assembleia de Deus.

Em entrevista à Agência Estado, o pastor Lelis Washington Marinhos, presidente da comissão política da CGADB, afirmou que a denominação ainda não decidiu o candidato e que irá conversar com a ex-senadora para poder se posicionar.

“O apoio vai ficar entre esses dois, entre Marina e o Pastor Everaldo, já há esse consenso”, garante. A decisão só não foi tomada porque a liderança da CGADB ainda não conseguiu conversar com Marina Silva depois que ela se tornou a candidata do PSB, com a trágica morte de Eduardo Campos no dia 13 de agosto.

“Alguns posicionamentos dela, a gente gostaria que fossem mais objetivos, mas temos que respeitar a tudo e a todos”, disse o pastor se referindo a temas como casamento gay, aborto e outros.

Antes da morte de Eduardo Campos a CGADB cogitava até mesmo apoiar o candidato Aécio Neves (PSDB), já que em 2010 a convenção apoiou José Serra. Mas diante de dois candidatos evangélicos, algo inédito na política nacional, eles escolherão entre estes.

“Como a igreja tem um projeto que contempla e que dá preferência a evangélicos, não faria sentido apoiar um candidato que não é da igreja”, afirmou o pastor Lelis.

Marina Silva e Everaldo visitam AD Belém em SP

Em 4 de agosto Marina e Eduardo Campos estiveram na sede da Assembleia de Deus Belém em São Paulo para participarem de um encontro com os obreiros e líderes da igreja. Marina Silva – que era vice na chapa do PSB – teve também a oportunidade de falar, mas fez apenas uma ministração deixando que o então candidato à presidência falasse sobre a parte política.

pastor everaldo na ad CGADB vai decidir entre Marina Silva e pastor Everaldo

Com sua Bíblia nas mãos, ela recebeu a oportunidade de falar com os presentes do pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da CGADB. Na ocasião ela falou sobre sua conversão aos 37 anos de idade e pregou sobre o texto de Mateus 27:11.

O pastor Everaldo Pereira também esteve na AD Belém no evento e falou aos presentes minutos antes da chegada de Marina e Eduardo Campos.

No dia 3 de setembro o candidato do PSC participou de um encontro da CGADB, dessa vez na cidade de Uberlândia, Minas Gerais, durante a 4ª Escola Bíblica Nacional (EBN) de Obreiros. Apesar de ter a oportunidade de falar, o blog do pastor José Wellington deixou claro que a presença de Everaldo não significa que a igreja já definiu seu candidato.

Via http://noticias.gospelprime.com.br/cgadb-marina-silva-pastor-everaldo/

Pela terceira vez em cinco anos, África do Sul nega visto ao Dalai Lama

Do Diário de Notícias de Lisboa

África do Sul volta a negar visto ao Dalai Lama

Dalai Lama
Dalai LamaFotografia © EPA

O Dalai Lama cancelou uma viagem prevista para outubro à África do Sul, para assistir à gala anual de prémios Nobel da Paz, depois de o Governo sul-africano lhe ter negado um visto, informou hoje o diário Cape Times.

Trata-se da terceira visita em cinco anos que o líder religioso tibetano cancela devido à não-concessão de visto para entrada no país africano, que mantém estreitas relações com a China.

“Para já, o Dalai Lama decidiu cancelar a sua viagem à África do Sul”, disse ao jornal Nangsa Choedon, representante do líder religioso no país africano.

Nangsa Choedon indicou que representantes do Ministério dos Negócios Estrangeiros sul-africano lhe comunicaram na semana passada que não seria concedido visto ao Nobel da Paz em 1989, embora ainda não tenha recebido uma confirmação escrita da decisão.

Porta-vozes do ex-presidente sul-africano Frederik de Klerk e do arcebispo Desmond Tutu, ambos Nobel da Paz, protestaram contra a negação do visto.

A XIV edição da Conferência Mundial de Prémios Nobel da Paz realiza-se de 13 a 15 de outubro na Cidade do Cabo.

 

Dilma defende a criminalização da homofobia

Roberto Stuckert Filho/PR

RIO – No encerramento do segundo debate entre os candidatos na TV, a presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, defendeu a criminalização da homofobia – proposta no Projeto de Lei nº 122/2006, que desde dezembro do ano passado tramita juntamente com a reforma do Código Penal.

— Eu sou contra qualquer forma de violência contra pessoas. No caso especifico da homofobia, eu acho que é um ofensa ao Brasil. Então, fico triste de ver que temos grandes índices atingindo essa população. Acho que a gente tem que criminalizar a homofobia, que não é algo com o que a gente pode conviver — disse a presidente, segundo comunicado do partido.

O assunto foi discutido intensamente nas redes sociais no último fim de semana, quando a candidata do PSB, Marina Silva, anunciou uma “errata” em suas propostas de campanha, retirando o apoio à legalização do casamento de homossexuais e ao aumento das punições aos crimes motivados por preconceito de orientação sexual.

(O Globo)

Marina Silva apresenta projetos frágeis e recua em relação aos direitos gays

É como se um terremoto de grande magnitude tivesse abalado a cabeça de parte do eleitorado brasileiro. De uma hora para outra, Marina Silva, que substituiu o ex-governador pernambucano Eduardo Campos, morto em acidente aéreo, como candidata à presidenta pelo PSB, virou favorita na sucessão presidencial.

Após a morte de Eduardo Campos, dia 13 de agosto, Marina subiu como um foguete nas pesquisas eleitorais. Em levantamento mais recente, feito pelo “Datafolha”, Marina empata com Dilma no primeiro turno, ambas com 34%. Se houver segundo turno, segundo a mesma pesquisa, ela venceria a atual presidenta por 50% a 40%.

Ao mesmo tempo em que Marina (foto) se torna favorita, vai deixando atrás dela um rastro de um dos maiores oportunismos eleitorais que já se viu nas últimas eleições presidenciais no Brasil. Marina tem feito de tudo para agradar determinados setores da sociedade, mesmo que suas propostas sejam falsas.

O último sinal do “carreirismo” eleitoral de Marina ocorreu neste sábado (30/8). Em menos de 24 horas, mudou radicalmente a proposta apresentada na véspera sobre direitos gays. Em seu programa de governo, defendeu casamento gay, adoção de crianças por homossexuais e lei para criminalizar a homofobia.

Mas bastaram declarações contrárias do influente e conservador pastor evangélico Silas Malafaia, contra leis que criminalizem a homofobia, para que a candidata voltasse atrás. Diante da ameaça de Malafaia, retirou quase tudo o que estava antes no seu programa de governo referente aos direitos dos gays.

O recuo de Marina em relação aos gays demonstra, acima de qualquer peso do tema junto à sociedade brasileira, que é falso e puramente oportunista o discurso da candidata quando quer o apoio de determinados segmentos sociais. Para conquistar o apoio dos gays, ela abraçou suas propostas. Diante da reação evangélica, mudou rapidamente de opinião. Afinal, de que lado está Marina?

Apoio do agronegócio

Outros sinais de ambiguidade no discurso de Marina já haviam sido percebidos em sua tentativa de apoio do agronegócio. Na entrevista que deu ao Jornal Nacional, da Rede Globo, durante a semana, Marina havia atribuído a uma “lenda” a versão de que ela tinha posição contrária à agricultura transgênica.

O Brasil está caindo de saber que Marina sempre foi contra a agricultura transgênica – usada em larga escala em todo o mundo, mas sempre contestada por ambientalistas. Pois na mesma semana da entrevista à Globo, Marina se encontrou com o agronegócio como se sempre defendesse os transgênicos.

Mais do que fazer fortes afagos com os milionários empresários do setor do agronegócio, Marina foi mais longe ao dizer que não priorizaria, caso seja eleita, a política do atual governo de investimento no pré-sal, que pode fazer com que o país se torne um dos maiores produtores de petróleo do mundo.

Ao se manifestar contra o pré-sal, Marina quis agradar o agronegócio com a promessa de investir mais na produção do álcool combustível e de ter uma política de melhores preços para o setor. Ocorre que, com esta sua proposta, Marina, caso seja eleita, pode matar um dos negócios que mais podem trazer dinheiro para o Brasil. E o Brasil não pode jogar esta riqueza fora.

Somente em 2014, a exploração do pré-sal – petróleo extraído em águas profundas do mar, abaixo da camada do pré-sal – já levou a Petrobrás a extrair em média mais de 500 mil barris diários de petróleo. Esta produção de petróleo, que vai trazer extraordinária riqueza para o Brasil, promete agora ser deixada de lado por Marina. É como se ela enterrasse um grande tesouro.

Marina é assim mesmo. Ao mesmo tempo em que ganha votos e aparece como favorita, ela deixa muito a desejar na autenticidade do que fala e prega. Em outras propostas para o setor econômico e financeiro, ela abriu outro foco de atritos com o candidato Aécio Neves (PSDB), que acusa de plagiar seu programa de governo, em especial os temas econômicos e financeiros.

Texto publicado originalmente no blog noBalacobaco.

Projeto na Câmara debate o conceito de família

Do Brasil de Fato

Enquete sobre Estatuto da Família bate recorde de votos e amplia debate na sociedade

Pergunta no site da Câmara mostra que maioria concorda com conceito do texto que considera família como “união entre homem e mulher”; na prática, PL pode restringir direitos de casais homossexuais

Desde o dia 11 de fevereiro, o site da Câmara dos Deputados levou ao ar uma enquete que traz à tona uma reflexão sobre a sociedade brasileira: o conceito de família. A pergunta “Você concorda com a definição de família como núcleo formado a partir da união entre homem e mulher, prevista no projeto que cria o Estatuto da Família?”, tem sido a mais acessada na história do site e, até ontem (30), foi respondida por mais de um milhão e meio de pessoas. Mais da metade dos internautas responderam “sim”, enquanto pouco mais de 43% responderam “não”.

A questão levantada é baseada no texto do PL nº 6583 de 2013, o chamado Estatuto da Família, de autoria do deputado Anderson Ferreira (PR-PE), que define o conceito de família como um “núcleo social formado a partir de uma união entre homem e mulher”. O deputado, que também foi relator do projeto de lei da “cura gay” na Comissão de Direitos Humanos e que deu parecer favorável ao mesmo, argumenta que “a família vem ‘sofrendo’ com as rápidas mudanças ocorridas em sociedade”.

Em debate realizado junto ao relator do PL, deputado Ronaldo Fonseca (Pros-DF), na TV Brasil, em maio, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) rebateu o texto questionando a exclusão das famílias homoafetivas do Estatuto. “Não é por vontade do deputado Ronaldo Fonseca e nem pela bancada de fundamentalistas religiosos da Câmara dos Deputados que os casais homoafetivos (…) vão desaparecer. Eles existem e precisam ser protegidas pelo Estado. Não é por uma visão de mundo estreita e preconceituosa que concebe a família só como aquela do comercial de margarina que as famílias reais, e na sua diversidade, vão desaparecer”, rebateu.

Em 2011 o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu, por unanimidade, a união estável homoafetiva. Mas, caso aprovado, o Estatuto da Família pode restringir os direitos jurídicos dos casais homoafetivos como, por exemplo, proibi-los de adotar crianças.

Atualmente, o projeto está sendo apreciado por uma Comissão Especial da Câmara que tem até o final do ano para discutir e aprovar um parecer sobre o mesmo.

A enquete pode ser acessada no site da Câmara.

Pouca Palestina resta, pouco a pouco, Israel está apagando-a do mapa

Por Eduardo Galeano – de Montevidéu

As vítimas civis chamam-se danos colaterais, segundo o dicionário de outras guerras imperiais

Desde 1948, os palestinos vivem condenados à humilhação perpétua. Não podem sequer respirar sem autorização. Têm perdido a sua pátria e as suas terras. Para justificar-se, o terrorismo de Estado fabrica terroristas: semeia ódio e colhe álibis. Tudo indica que esta carnificina de Gaza, que segundo os seus autores quer acabar com os terroristas, conseguirá multiplicá-los.

Desde 1948, os palestinos vivem condenados à humilhação perpétua. Não podem nem sequer respirar sem autorização. Têm perdido a sua pátria, as suas terras, a sua água, a sua liberdade, tudo. Nem sequer têm direito a eleger os seus governantes. Quando votam em quem não devem votar, são castigados. Gaza está sendo castigada. Converteu-se numa ratoeira sem saída, desde que o Hamas ganhou legitimamente as eleições em 2006. Algo parecido tinha ocorrido em 1932, quando o Partido Comunista triunfou nas eleições de El Salvador.

Banhados em sangue, os habitantes de El Salvador expiaram a sua má conduta e desde então viveram submetidos a ditaduras militares. A democracia é um luxo que nem todos merecem. São filhos da impotência os rockets caseiros que os militantes do Hamas, encurralados em Gaza, disparam com desleixada pontaria sobre as terras que tinham sido palestinas e que a ocupação israelense usurpou. E o desespero, à orla da loucura suicida, é a mãe das ameaças que negam o direito à existência de Israel, gritos sem nenhuma eficácia, enquanto a muito eficaz guerra de extermínio está a negar, desde há muitos anos, o direito à existência da Palestina. Já poucaPalestina resta. Pouco a pouco, Israel está a apagá-la do mapa.

Os colonos invadem, e, depois deles, os soldados vão corrigindo a fronteira. As balas sacralizam o despojo, em legítima defesa. Não há guerra agressiva que não diga ser guerra defensiva. Hitler invadiu a Polônia para evitar que a Polônia invadisse a Alemanha. Bush invadiu o Iraque para evitar que o Iraque invadisse o mundo. Em cada uma das suas guerras defensivas, Israel engoliu outro pedaço da Palestina, e os almoços continuam. O repasto justifica-se pelos títulos de propriedade que a Bíblia outorgou, pelos dois mil anos de perseguição que o povo judeu sofreu, e pelo pânico que geram os palestinos à espreita. Israel é o país que jamais cumpre as recomendações nem as resoluções das Nações Unidas, o que nunca acata as sentenças dos tribunais internacionais, o que escarnece das leis internacionais, e é também o único país que tem legalizado a tortura de prisioneiros.

Quem lhe presenteou o direito de negar todos os direitos? De onde vem a impunidade com que Israel está a executar a matança em Gaza? O governo espanhol não pôde bombardear impunemente o País Basco para acabar com a ETA, nem o governo britânico pôde arrasar Irlanda para liquidar a IRA. Talvez a tragédia do Holocausto implique uma apólice de eterna impunidade? Ou essa luz verde vem da potência ‘manda chuva’ que tem em Israel o mais incondicional dos seus vassalos? O exército israelense, o mais moderno e sofisticado do mundo, sabe quem mata. Não mata por erro. Mata por horror. As vítimas civis chamam-se danos colaterais, segundo o dicionário de outras guerras imperiais.

Em Gaza, de cada dez danos colaterais, três são meninos. E somam milhares os mutilados, vítimas da tecnologia do esquartejamento humano, que a indústria militar está a ensaiar com êxito nesta operação de limpeza étnica. E como sempre, sempre o mesmo: em Gaza, cem a um. Por cada cem palestinos mortos, um israelita. Gente perigosa, adverte o outro bombardeamento, a cargo dos meios massivos de manipulação, que nos convidam a achar que uma vida israelense vale tanto como cem vidas palestinianas. E esses meios também nos convidam a achar que são humanitárias as duzentas bombas atômicas de Israel, e que uma potência nuclear chamada Irã foi a que aniquilou Hiroshima e Nagasaki.

A chamada comunidade internacional, existe? É algo mais que um clube de mercadores, banqueiros e guerreiros? É algo mais que o nome artístico que os Estados Unidos assumem quando fazem teatro? Ante a tragédia de Gaza, a hipocrisia mundial destaca-se uma vez mais. Como sempre, a indiferença, os discursos vazios, as declarações ocas, as declamações altissonantes, as posturas ambíguas, rendem tributo à sagrada impunidade. Ante a tragédia de Gaza, os países árabes lavam as mãos. Como sempre. E como sempre, os países europeus esfregam as mãos.

A velha Europa, tão capaz de beleza e de perversidade, derrama uma ou outra lágrima enquanto secretamente celebra esta jogada de mestre. Porque a caça aos judeus foi sempre um costume europeu, mas desde há meio século essa dívida histórica está a ser cobrada dos palestinos, que também são semitas e que nunca foram, nem são, antissemitas. Eles estão a pagar, em sangue, na pele, uma conta alheia.

Eduardo Galeano, é escritor e jornalista uruguaio.

Assembleia de Deus celebra 100 anos no Ceará com batizado de 3 mil fiéis no mar

No próximo domingo, 3, acontecerá a celebração dos 100 anos das Assembleias de Deus no Ceará. O evento, que começa às 7h30, no aterro da Praia de Iracema, próximo ao Ideal Clube, é gratuito e espera-se um público de mais de 15 mil religiosos.

A cerimônia, que conta com o batizado de cerca de 3 mil pessoas no mar, será ministrada pelo pastor e presidente da Igreja Assembleia de Deus Templo Central em Fortaleza, Pastor Antonio José Azevedo Pereira.

O evento ainda terá a presença dos 240 líderes que dirigem as igrejas da Capital.

O batizado em massa será o momento mais esperado da celebração. Além disso, louvores e mensagens sobre o batismo farão parte da ação.

Os batizados das Assembleias acontecem mensalmente. Para comemorar o aniversário, todos os batizados, desde janeiro deste ano, foram deixados para serem feitos no dia 3 de agosto.

A festa final de celebração será realizada no dia 6 de setembro, na Arena Castelão, em Fortaleza.

Redação O POVO Online