Arquivo da categoria: Arte & Cultura

Fortaleza sedia o 6° Seminário do Patrimônio Cultural promovido pelo Iphan

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e a Prefeitura Municipal de Fortaleza promovem a sexta edição do Seminário do Patrimônio Cultural, entre hoje (14) e 16 de abril, no Museu da Indústria, na capital cearense.
Haverá oficinas e mesas redondas com a participação de especialistas para debater a preservação e valorização dos bens culturais do estado.
Neste ano, em que Fortaleza completa 289 anos, o Seminário volta a integrar a programação comemorativa do aniversário da cidade, com o tema central Memórias e Desenvolvimento Sustentável. O evento busca promover ações de sustentabilidade e de percepção mais crítica sobre o patrimônio histórico da cidade.
O seminário tem como público-alvo estudantes de ensino fundamental e médio; estudantes do ensino superior das áreas de Patrimônio, Arquitetura, História, Turismo e Artes Visuais; professores das redes municipal e estadual de ensino; pesquisadores; detentores de bens registrados como patrimônio material; organizações da sociedade civil; representantes de movimentos sociais; além de profissionais de turismo e de educação.
Programação completa
14 de abril (terça-feira)
8h às 17h – Credenciamento
9h às 12h – Curso: Projetos Culturais e Gestão do Patrimônio Cultural | Ministrante: Diego Dionísio | Local: Centro Cultural do Banco do Nordeste | Vagas: 35 vagas | Serão abertas inscrições específicas no primeiro dia do evento (14/4/2015), por ordem de chegada, às 8h30. *A pessoa inscrita deverá participar de dois dias de curso para receber o certificado
13h30 – Abertura do evento
14h às 15h30 – Mesa Redonda – Patrimônio Cultural e desenvolvimento sustentável das cidades, com o Prof. Dr. Leonardo Castriota (UFMG) e Prof. Ms. Emanuel Oliveira Braga (Iphan – PB)
16h às 18h00 – Mesa redonda – Educação Integral, Territórios Educativos e Patrimônio Cultural com a Profa. Dra. Vanessa Louise Batista (UFC), Profa. Ms. Sônia Regina Rampim Florêncio (Ceduc / DAF/ Iphan) e a Ms. Beatriz Goulart.
18h – Abertura da exposição “Centros” | Curadoria: João Lucas Vieira e Eugênio Moreira
15 de abril (quarta-feira)
8h às 12h – Curso: Projetos Culturais e Gestão do Patrimônio Cultural | Ministrante: Diego Dionísio | Local: Centro Cultural do Banco do Nordeste | Ministrante: Diego Dinísio | Local: Centro Cultural do Banco do Nordeste
9h às 11h – Oficina: Um olhar brincante para a cultura brasileira | Ministrante: Rosane Almeida (Instituto Brincante) / Local: Teatro Antonieta Noronha
13h30 às 15h30 – Mesa redonda – Os inventários como metodologias para a preservação com Igor de Menezes(Iphan/CE); Ms. Adriano Paulino de Almeida (Inventário Bom Jardim); Ms. Susana Cristina Marques Caramelo (Inventário de Fortaleza); e Ms. Alênio Carlos Noronha Alencar (Inventário de Fortaleza)
16h às 18h00 – Mesa redonda – Registros e as políticas de salvaguarda com o Prof. Diego Dionisio (Instituto Abaçai – SP); Ms. Romério Zeferino (Associação Cultural de Zabelê – PB) e Ms. Mônia Silvestrin (DPI – Iphan)
18h – Lançamento do livro “Cultura, Políticas e Identidades: Ceará em perspectiva” (Vol. I) – Organizadores: Igor de Menezes Soares e Ítala Byanca Morais da Silva (Iphan).
16 de abril (quinta-feira)
9h às 12h – Mesa Redonda: Patrimônio, projetos culturais e desenvolvimento local com a Profa. Dra. Simone Scifoni (USP), Luiz Eduardo Sarmento (Paço do Frevo – Recife) e o Dr. Leandro Brusadin (UFOP)
14h às 18h – Mesa Debate – Patrimônio e Desenvolvimento Urbano com Rosane Almeida (Instituto Brincante), Dra. Nádia Somekh (Presidente do CONPRESP), André Montenegro (Sinduscon), Cristina Chaul (Sindicato dos Corretores), Lia Parente (IPLANFOR), Dra. Águeda Muniz (SEUMA) e Reinaldo Salmito (COPFOR)
18h – Lançamento: Coleção Pajeú sobre a História dos bairros de Fortaleza.
Serviço:
6° Seminário do Patrimônio Cultural
Data: 14 a 16 de abril de 2015
Local: Museu da Indústria, Rua Dr. João Moreira, nº 143 – Centro, Fortaleza/ CE
Mais informações: (85) 3105-1291
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

 

Botequim dos Bancários de abril homenageia o Dia do Trabalhador

A edição de abril do Botequim dos Bancários, projeto cultural do Sindicato dos Bancários do Ceará, acontece no próximo dia 30 de abril, véspera do feriado de 1º de Maio – Dia do Trabalhador. A festa é realizada toda última sexta-feira de cada mês, a partir das 18h30, na sede do Sindicato, mas devido ao feriado, excepcionalmente este mês, acontece numa quinta-feira.

A atração principal dessa edição será o cantor Xexeu, ex-Timbalada, que fez sucesso em todo o País cantando músicas como Beija-Flor e Tonelada de Desejos.

Durante a programação, a bancária Leonilda de Lima, do BNB, lança o livro “Lindas Histórias”. Como Talento Bancário, a Banda Conduta Positiva.

O projeto traz ainda os já tradicionais quadros “Conversa de Botequim” e “Talento da Terra”, com o cantor Carlinhos Patriolino, além de caça-talentos e o clone de bebidas (compre uma ficha de cerveja, refrigerante, wisky ou água e ganhe outra).

Teremos ainda sorteios de prêmios especiais em homenagem ao Dia do Trabalhador. Fiquem atentos, pois em breve divulgaremos mais novidades.

( Sindicato dos Bancários do Ceará)

ÁGUA DE COCO COMEMORA 30 ANOS COM UMA EMOCIONANTE HOMENAGEM AO CEARÁ

A marca cearense de moda praia Água de Coco comemora 30 anos com uma emocionante homenagem ao Ceará, no segundo dia de São Paulo Fashion Week. A grife que desenvolve estampas exclusivas e desejáveis nos mais badalados balneários do País procura a cada estação um lugar pelo mundo que inspire seus coloridos e desenhos.

Fotos: http://grifina.com.br

Desta vez a viagem com valor de volta ao mundo não saiu do Ceará. A marca encontrou em casa, em localidades como Icapuí, Mundaú, Maranguape e no Crato, nas mãos de Marias, Lourdes, Cíceras e Franciscas os sofisticados pontos de rendas e bordados que transformaram biquínis, vestidos e maiôs em peças de puro luxo.

A estilista da marca, Rebeca Thomaz, filha de Liana Thomaz que assina a direção criativa contou ao O POVO no backstage do desfile que a ideia sempre foi mostrar o que o Ceará tem de mais rico.

A partir do livro Mãos que fazem história, das jornalistas Cristina Pioner e Germana Cabral, a equipe descobriu o trabalho das artesãs de diversas comunidades do Ceará. “O que temos de mais precioso é nosso fazer manual. Essa arte está em extinção, as artesãs que trabalharam com a gente, não encontram nas filhas ou netas interesse em perpetuar a arte”, revela Rebeca.

Na passarela, as peças surgem com extrema criatividade, uma reinvenção contemporânea do tradicional artesanato cearense. A lycra se une à renascença, a trama vira estampa. Uma fotografia aproximada os fios entrelaçados vira estampa e ganha recortes de richilieu.

O bilro sobre o linho é pura ousadia. As paisagens nordestinas também colorem as lycras que servem de fio para trancar detalhes de hot pants, bustiês e maiôs. Difícil falar de qual das combinações soou mais harmonia e surpreendente.

O desfile encerra com um maiô de mangas amplas bordadas. Um luxo pronto para ser consumido pelo mundo com seu devido valor cultural.

(Paula Lima, O Povo)

Ceará Junino 2015 terá investimento de R$ 2,25 milhões

A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) realizou na manhã desta terça-feira (14) reunião com representantes de quadrilhas, festivais juninos e todos os interessados em participar do Edital Ceará Junino 2015. O edital deste ano vai destinar cerca de R$ 2,25 milhões aos festejos tradicionais e aos grupos juninos, valor 6,4% superior ao de 2014. A expectativa da Secretaria é que o edital seja lançado nesta quarta-feira (15), incorporando sugestões apresentadas pelos participantes da reunião e em sintonia com as diretrizes de democratização, acesso e afirmação da cultura cearense, estabelecidas na política cultural do Estado. 

A reunião aconteceu no auditório da Secult, que ficou lotado de proponentes e interessados no tema. Durante o encontro, que foi transmitido ao vivo no site http://www.secult.ce.gov.br e pelo Facebook da Secult, possibilitando a participação de residentes em todo o Ceará, representantes de entidades, quadrilhas e de festivais juninos tiraram dúvidas e fizeram sugestões ao próprio secretário da Cultura, Guilherme Sampaio, que coordenou e participou, junto com a equipe da Secult, de todo o encontro. 

A Secretaria pretende incorporar ao texto final algumas das propostas e considerações dos proponentes, mas o secretário esclareceu que, por estar em seu primeiro ano de gestão à frente da Pasta, realizará uma revisão mais aprofundada de todos os editais da Secult, antes de promover alterações de maior ordem. “Podemos fazer algumas alterações consensuais, mas alterações maiores precisam de mais tempo para discussão e para que sejam juridicamente e financeiramente viáveis”, explicou Guilherme Sampaio. 

    Sugestões dos participantes

Dentre os temas mais citados nas intervenções dos participantes, ganhou destaque o pedido de ampliação da verba destinada às quadrilhas infantis. Atualmente, este valor representa 10% do montante total. A proposta apresentada por muitos proponentes é de que esse valor suba para 20%, diante da importância do trabalho social que as quadrilhas exercem com as crianças da periferia das cidades e, também, pela perpetuação das tradições juninas. 

Outros pontos destacados foram a importância da isenção e do caráter técnico dos pareceristas, uma proposta de rodízio entre as sedes dos municípios que recebem os festivais e a necessidade de acompanhamento da execução dos projetos contemplados, dentre outros. Outros temas, mais específicos, seriam tratados em reunião do secretário com o Comitê Gestor do Ceará Junino 2015, que inclui diversas entidades habitualmente envolvidas com os festejos. 

    Animação e novas perspectivas

Para Márcio Martins, presidente do Conselho Gestor da Federação das Quadrilhas Juninas do Estado do Ceará (Fequajuce), a reunião revelou a importância que a Secult dá para os festejos juninos. “A presença do secretário Guilherme e de toda a sua equipe é um indicativo da atenção que esta gestão tem com o tema. Estamos confiantes de que este será um dos melhores festejos que já tivemos e só tende a melhorar”. 

Mesma opinião tem Fábio Lessa, diretor da Quadrilha Infantil Cai Cai Balão, do Pirambu, que este ano completa 35 anos de funcionamento. “Foi uma reunião muito clara, muito informativa. O secretário nos passou muita confiança. Estou saindo satisfeito e acreditando que o trabalho com as quadrilhas infantis só tende a crescer”. 

Fátima Freires, presidente da Fequajuce, destaca a importância que a Secult tem dado ao Comitê Gestor do Ceará Junino nas decisões. “O fato do secretário querer integrar o Comitê deu muita força a nós. Temos certeza que vai ser tudo muito organizado e transparente”, afirmou, após a reunião desta terça-feira. 

    Reunião online

A reunião desta terça-feira foi mais uma etapa do programa “Diálogos Culturais”, promovido de forma permanente pela Secult, em sintonia com as diretrizes de democratização e ampla participação, expressas na política cultural do Estado. Os lançamentos dos editais Carnaval do Ceará 2015 e Ceará da Paixão 2015 também foram precedidos por reuniões abertas na Secult, transmitidas ao vivo pela Internet, com incorporação de sugestões apresentadas pelos participantes. 

    Cadastro de parceiros: preparação para a inscrição

A Secult reforça que interessados em participar do Edital Ceará Junino 2015 devem realizar sua inscrição no Cadastro de Parceiros do Governo do Estado. A inscrição é necessária para todas as entidades que realizam convênios com a administração estadual, em todas as áreas, incluindo todas as secretarias.

    A inscrição no Cadastro de Parceiros está disponível no site da Controladoria Geral do Estado (CGE) (www.cge.ce.gov.br), que também traz o modelo padrão de plano de trabalho, a ser disponibilizado pelos interessados em participar do Edital.

    Terceiro edital de 2015

Após realizar o Edital Carnaval do Ceará, em fevereiro, e o Edital Ceará da Paixão, em março, a Secult lançará seu terceiro edital, em quatro meses de gestão. O secretário da Cultura, Guilherme Sampaio, destaca o esforço empreendido por toda a equipe da Secretaria para garantir os editais, mesmo com o desafio do tempo para preparação.

    “A Secretaria garantiu o Edital Carnaval do Ceará e o Edital Ceará da Paixão, mesmo com todas as questões naturais em um começo de governo, um momento de transição. Para isso, foi fundamental contar com o envolvimento de toda a equipe da Secult, com o apoio do governador Camilo Santana e da Assembleia Legislativa, que aprovou a lei autorizativa necessária aos editais, bem como com a parceria com os proponentes e articuladores desses segmentos específicos”, aponta Guilherme. 

“Para dar sequência a esse diálogo que será permanente, estamos convidando os envolvidos nos grupos, projetos e festivais relativos às festas juninas, para uma reunião prévia, na Secretaria, assim como fizemos com os editais de Carnaval e da Paixão”, complementa o gestor. 

    Mais informações

A Secult está à disposição dos interessados, para tirar dúvidas e prestar mais informações quanto à documentação para inscrição no Edital Ceará Junino 2015, pelos telefones 3101-6765 e 3101-6770 e pelo e-mailsiec@secult.ce.gov.br .

 14.04.2015

Assessoria de Comunicação da Secult

Governo do Estado do Ceará

35 edição do Festival da Moda de Fortaleza – FMF 2015

O acesso mais fácil a informações de mercado e o crescimento no poder aquisitivo das classes C e D levou o shopping atacadista Maraponga Mart Moda a reforçar na 35a edição do Festival da Moda de Fortaleza (FMF 2015) seu papel de principal indutor da moda popular na região Nordeste. O mais tradicional evento de moda do Ceará será realizado de 13 a 18 de abril e terá como tema “A Moda Nasceu para Todos”, ressaltando a pluralidade de interesses e a adequação da moda aos diferentes estilos e tipos de pessoas. A ideia está estampada na campanha publicitária do evento, criada pela agência Focus, responsável pela produção e planejamento do evento.

FMF 2015 reúne revendedoras de diversos Estados brasileiros, em especial os das regiões Norte e Nordeste, e do Interior cearense e mostra a elas o que a moda cearense tem de melhor, aproveitando para reforçar a imagem de Fortaleza como polo de criação e desenvolvimento do vestuário. Aproveitando o calendário de compras do setor, o FMF irá apresentar as tendências da moda e aquecer as vendas de lojistas e revendedoras de moda.

“Qualquer pessoa pode usar, criar, seguir, fazer e ter acesso à moda. Não importa credo, raça, cultura, sexo, classe social e tipo físico. Estamos livres para combinar, ousar e experimentar”, explica Juliana Melo, coordenador dos desfiles do FMF 2015. “Nada mais impede as pessoas de vivenciarem o fenômeno da moda. Vamos então aproveitar essa moda democrática e acessível que chegou para todos nós”, complementa.

Horários dos Desfiles

Os desfiles serão realizados de segunda (13) a quarta (15), em dois horários, às 8 horas, juntamente com um café da manhã para as revendedoras presentes, e às 18 horas, acompanhado de um café da tarde. A novidade deste ano é o fato da Arena de Desfiles do Lounge Lino Villaventura ter sido dividida em três Salas de Desfiles, que receberão, simultaneamente, o público interessado em acompanhar a produção das 300 marcas presentes no Maraponga Mart Moda. Cada uma delas apresentará três looks das suas novas coleções. Os desfiles de cada segmento de moda serão assinados por um profissional diferente. São eles:

Moda Feminina e Tamanhos Especiais: Marcos Marla

Moda Masculina: Juliana Gadelha

Jeanswear: Marina Araújo

Moda Íntima: Bárbara Holanda

Moda Praia e Fitness: Erika Guimarães

Moda Infantil e Acessórios: Juliana Melo

 

Festival da Moda de Fortaleza (FMF 2015)

Local: Shopping Maraponga Mart Moda (Rua Francisco Glicério, 590)

Data: 13 a 18 de abril

Desfiles nos dias 13 (segunda), 14 (terça) e 15 (quarta) – Às 8 horas e às 18 horas

Informações: (85) 3495.2122

* postado por Oswaldo Scaliotti

Via http://cnews.com.br/business/noticias/84031/35_edicao_do_festival_da_moda_de_fortaleza_-_fmf_2015

O caos na saúde pública de Fortaleza é sintoma neoliberal

Em uma pesquisa realizada por uma TV local ano passado indicou que a maior preocupação dos cearenses é com saúde pública. Na capital Fortaleza, isso tem sido uma constante.

Com três anos de gestão do prefeito Roberto Claudio, o que podemos constatar é a maioria dos serviços públicos entraram em colapso e o mais dramático é a saúde.

É um drama ainda maior para o povo pobre da periferia que realmente precisa do serviço e tem que enfrentar superlotação nos postos de saúde, carência de medicamento, falta de insumos, demora nos exames e estrutura inadequada das unidades de atendimento.

Este é o resultado da precarização da saúde pública de Fortaleza, com a transferência ilegal desse serviço essencial para as mãos da iniciativa privada.

É o avanço do neoliberalismo na capital cearense, ilustrado pelo contrato questionável com o Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), uma Organização Social de Saúde (OSS) que domina a prestação de serviços em saúde.

Para completar o cenário de entrega à iniciativa privada, desde o final do ano passado é a FAGIFOR (Fundação de Apoio à Gestão Integrada em Saúde de Fortaleza) que administrará todos os recursos materiais e financeiros.

Trata-se do controle absoluto das ações de saúde no Município de Fortaleza, onde a Secretaria de Saúde passará a ser mero coadjuvante.

A transferência de recursos públicos às organizações sociais e fundações é uma prática espúria de gestores do SUS que tratam a coisa pública como um balcão de negócios entre empresários que visam somente a interesses particulares.

Tal prática é um crime e vem causando danos irreparáveis à qualidade do serviço prestado e reflete na situação caótica na capital, onde a falta de medicamentos desde anti-hipertensivos, pra diabetes, antimicrobianos, antibióticos, anti-inflamatórios, analgésicos, remédio para febre e até gaze, beira ao absurdo.

Além disso, insumos necessários como aventais descartáveis e fitas de glicemia são artigos cada vez mais raros.

Quase todos os dias, os usuários de saúde são pegos de surpresa com a suspensão de exames laboratoriais e baixa oferta de vagas.

Milhares de pedidos de consultas e exames se acumulam, em media eis meses de espera para uma consulta em áreas como cardiologia, ortopedia e neurologia, obrigando milhares de pessoas dos bairros mais pobres da cidade a se sujeitarem à filas intermináveis e, muitas vezes, se não receberem o atendimento na hora certa, poderão ter agravado o estado de saúde.

Contratos milionários com o ISGH

As OSS são entidades privadas que desempenham funções do poder público na prestação de serviços, caso há carência.

Esses contratos são alimentados por gestores que tratam a coisa publica como balcão de negócios, o que vem precarizando as relações de trabalho, desorganizando os modelos de atenção integral à saúde e principalmente destruindo a qualidade da atenção à saúde ofertada para a população.

É o caso de contratos firmados com o ISGH que, somente em 2015, é previsto despesas num valor líquido de R$30.307.872,00, o equivalente à 15 MILHÕES por mês.

O segundo contrato, firmado no valor de 281,4 milhões de reais, tem vigência até 2017.
A curiosa criação da FAGIFOR

Esta fundação constitui um sério atentado contra a população de Fortaleza e à administração publica. Um desrespeito contra o povo e com os trabalhadores em saúde, pois o Projeto de Lei Complementar que instituia FAGIFOR não foi devidamente discutido com entidades de categoria e além do mais foi votado na Câmara Municipal pela madrugada, na calada da noite. Quem faz coisa errada, faz escondido.

Assim, o projeto de lei assegura que a FAGIFOR realizará todos os serviços até então realizados pela administração municipal, “desenvolver e executar ações e serviços em todos os níveis da Saúde Pública notadamente nas áreas de gestão hospitalar ambulatorial, atenção primária, serviços dê urgência e emergência, apoio diagnóstico, ensino, pesquisa e educação continuada”.

Para assegurar estes objetivos, a lei complementar que foi aprovada repassa automaticamente para esta fundação todos os recursos financeiros e bens materiais da Secretaria de Saúde de Fortaleza.

Esse é o cenário real do que acontece na saúde publica do município de Fortaleza. Um serviço essencial para o povo em negociatas entre o poder público e privado.

A quantia astronômica desses contratos não reflete no dia-dia dos usuários de postos de saúde e hospitais. Tal sucateamento além de prejudicar ferozmente quem realmente precisa, fere de morte o Sistema Único de Saúde público, gratuito e de qualidade, servindo de mote para o favorecimento de planos de saúde.

É por tudo isso que organizações populares como o Fórum em Defesa do SUS e Pelo Concurso Público Já! que envolve profissionais de saúde, sindicatos, entidades de classe e militantes de movimentos sociais tem se tornado um pólo de luta e resistência contra os assédios do neoliberalismo em Fortaleza.

Na entrega dos serviços de saúde pra iniciativa privada, perde o trabalhador e perde também os usuários. A luta por um SUS para todos é uma tarefa de todos nós.

Via Inverta

Morre Bárbara Heliodora, a maior especialista brasileira em Shakespeare

Bárbara Heliodora

Jornal GGN – Morreu, nesta sexta-feira, a crítica de teatro Bárbara Heliodora. Ela estava com 91 anos. Bárbara era considerada a maior especialista brasileira na obra do dramaturgo William Shakespeare e sua presença em qualquer plateia era uma honra e um temor para atores e diretores.

Bárbara era filha de poetisa e de jogador de futebol e historiador. Da mãe recebeu o aprendizado da arte, e do pai o gosto pela pesquisa. Aos 12 anos ganhou as obras completas de William Shakespeare e, aos 15, assistiu seu primeiro espetáculo, no Theatro Municipal do Rio, de montagem de Romeu e Julieta.

Na década de 1940 foi para os Estados Unidos estudar literatura inglesa e o interesse pelo dramaturgo só aumentou, tornando-a a maior especialista brasileira na obra do autor.

Como crítica teatral ela começou por sugestão de amigos, pois ia aos espetáculos e gostava de comentar. Estreou como crítica em 1957, na Tribuna da Imprensa. Foi depois para o Jornal do Brasil e, nesta época, criou o Círculo Independente dos Críticos Teatrais, ao lado de Paulo Francis. Juntos desenvolveram uma nova maneira de analisar as peças, ensinando ao público os fundamentos do teatro.

Bárbara manteve por 23 anos uma coluna no jornal O Globo e só parou de escrever em 2013, pois que aos 90 anos não conseguia mais assistir a tantas peças.

Nos seus 60 anos de carreira, Bárbara Heliodora publicou seis livros, fez 46 traduções  dirigiu 15 peças.

Ela estava internada para tratar uma pneumonia desde meados de março.

Deixa três filhas, quatro netos e três bisnetos.

Com informações do G1 e por sugestão de Gilberto Cruvinel

Porto do Mucuripe, em Fortaleza, vai receber desfiles do Dragão Fashion Brasil

Desfile do Dragão Fashion Brasil 2013

O terminal de passageiros do Porto do Mucuripe, em Fortaleza, vai receber, pela primeira  vez, desfiles do Dragão Fashion Brasil, um dos maiores eventos de moda autoral do país. O evento será realizado de 4 a 10 de maio em Fortaleza e, além do terminal, terá programação em outros locais.

De acordo com a organização, as atividades do Dragão Fashion Brasil vão se concentrar de 7 a 10 de maio, no terminal de passageiros. Ao todo, serão 32 desfiles e uma programação multicultural montada na estrutura à beira-mar.

A programação do evento terá Concurso dos Novos Talentos, o projeto Comunidade Moda e o Dragão Pensando Moda, com projetos e workshops. A estrutura montada no terminal de passageiros também terá bares, champanheria, food truck e um lounge com atividades ao ar livre como aulas de yoga e ginástica.

Segundo o Anuário da Moda do Ceará de 2014, mostram que a moda movimenta no Estado 64,9 mil empregos formais; 1,7 mil empresas do setor de têxteis e confeccionados somente no Ceará; e a estimativa de crescimento para o segmento é de 8,3% para o nicho de artigos confeccionados, e 4,6% para o de têxteis. “Mais que representar um segmento industrial/comercial, o DFB compreende moda como uma legítima forma de manifestação da cultura do nosso povo”, ressalta o idealizador e organizador do DFB, Cláudio Silveira.

Serviço
DFB 2015
Data: 4 a 10 de maio
Desfiles no terminal de passageiros de Fortaleza
De 7 a 10 de maio
Local: Porto do Mucuripe
Hora: A partir de 16 horas
Censura para os desfiles: 12 anos

(G1 Ceará)

Banco de Leite da Maternidade-Escola Assis Chateaubriand pede doações de leite materno

Banco de leite humano

O Banco de Leite da Maternidade-Escola Assis Chateaubriand (BLH-MEAC) está precisando de doações de leite materno. O apelo da unidade é para abastecer o estoque que atende bebês da UTI Neonatal.

Mulheres saudáveis, que não usem nenhum tipo de medicamento, não sejam fumantes nem utilizem bebidas alcoólicas podem ser doadoras, caso apresentem excesso de leite. Para doar, basta ir diretamente ao Banco de Leite, ou entrar em contato pelo número: (85) 3366 8509.

Para aquelas mães que desejam doar, mas não podem se deslocar até a MEAC, a unidade disponibiliza um serviço de coleta domiciliar. Além do leite materno, doações de frascos de vidro com tampa de plástico, utilizados para armazenamento, também são bem-vindos.

O Banco de Leite alerta que o serviço atende uma recomendação do Ministério da Saúde (MS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), que orientam as mães a fornecerem aos bebês exclusivamente o leite materno como alimento até os seis meses de vida. De acordo com eles, a medida pode diminuir em 13% a morte de crianças menores de cinco anos.

Ainda segundo o MS, um litro de leite materno pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia.

O Banco de Leite da MEAC funciona de segunda a sexta-feira, de 7 horas às 16 horas.

Serviço:

Doações Banco de Leite

Endereço: Rua Papi Júnior, s/n, atrás da MEAC, Porangabuçu

Telefone: (85) 3366 8509

 

Redação O POVO Online

Epic Games realiza evento gratuito sobre Unreal Engine no Brasil em Fortaleza

A Epic Games realizará entre os próximos dias 4 e 9 de maio, em quatro cidades brasileiras, as primeiras edições do Brazil Gets Unreal. Compostos por seis horas de palestras cada um, os eventos girarão em torno da Unreal Engine 4, que se tornou gratuita em sua versão mais recente.

O primeiro encontro será realizado na cidade do Rio de Janeiro, já no dia 4, e um segundo será realizado em São Paulo, capital, no dia 6. Nos dias 8 e 9, por fim, as palestras acontecerão em Recife e Fortaleza, respectivamente. Todas as edições serão gratuitas.

As apresentações têm “o objetivo de oferecer uma visão geral” da Unreal Engine 4, segundo a descrição oficial do evento. Elas explicarão “os conceitos básicos de como construir o seu game” com a plataforma, abordando ferramentas e conceitos de Blueprints (e seu uso com C++), Paper 2, Unreal Motion Graphics e desenvolvimento colaborativo.

O evento no Rio de Janeiro acontece no auditório do Núcleo de Estudos em Água e Biomassa (NAB), da Universidade Federal Fluminense, enquanto o de SP ocorre no auditório da Poli-USP. Os de Recife e Fortaleza, por sua vez, serão realizados nos auditórios da Aeso (que curiosamente fica em Olinda) e da biblioteca da UNIFOR, todos das 10h às 17h.

Serviço:

O quê? Brazil Gets Unreal, série de palestras sobre Unreal Engine

Quando? Dias 4, 6, 8 e 9 de maio, das 10h às 17h

Onde? Nas cidades do Rio de Janeiro (Auditório do NAB-UFF, na Av. Gal Milton Tavares, dia 4), São Paulo (Auditório da Poli-USP, na Av. Prof. Luciano Gualberto, 380, dia 6), Recife (Auditório da biblioteca da Aeos, na Av. Transamazônica, 405, dia 8) eFortaleza (Auditório da Biblioteca da UNIFOR, na Av. Washington Soares, 1321, dia 9)

Quanto? Grátis – inscrições aqui (Rio), aqui (São Paulo), aqui (Recife) e aqui (Fortaleza)

Fonte: Geração Gamer

Concurso ‘Comida di Buteco’ começa nesta sexta em Fortaleza

O concurso “Comida di Buteco” começa nesta sexta-feira (10).  Este ano, 18 bares concorrem no título de “melhor boteco da cidade”. Os participantes de 2015 estão localizados nos bairros da Aldeota, Montese, Joaquim Távora, Centro, Praia de Iracema, Gararapes, Benfica, Bairro de Fátima e José Bonifácio. O concurso será realizado até 3 de maio.

Os concorrentes devem apresentar um tira-gosto especial para o concurso, de acordo com a temática do ano. Esta edição, foi escolhido um ingrediente obrigatório, qualquer fruta. De acordo com a organização do Comida di Buteco, a fruta não precisa ser protagonista do petisco. Pode participar até mesmo como decoração, desde que seja comestível.

Como a eleição do melhor boteco da cidade, além do petisco, o público e o corpo de jurados devem avaliar outros quesitos, como higiene, atendimento e temperatura da bebida. O voto do júri vale 50% e do público 50%. O Instituto de Pesquisas Vox Populi é o responsável pela apuração dos votos em todas as cidades.

Conheça os botecos e tira-gostos que concorrem no Comida di Buteco 2015 emFortaleza:

Alpendre: Cajumôndegas (Fruta: Caju)
Bar Chá da Égua: Carneiro Tropical (Fruta: Abacaxi)
Bar do Ciço: Croquete Especial (Fruta: Maracujá)
Bar do Helano: Filé à moda do Helano (Fruta: Maçã)
Bar do Camocim: Pernil Surpresa (Fruta: Banana)
Birosca da Farra: Camarão na farra com o kiwi (Fruta: Kiwi)
Boteco do Barão: Bolinho de pernil suíno (Fruta: Abacaxi e frutas vermelhas)
Bar do Mincharia: Espetinho Regional (Fruta: Banana passa)
Estoril: Arroz de camarão com abacaxi do Papai (Fruta: Abacaxi)
Feijão Maravilha: Frango Maravilha (Fruta: Maracujá)
Flórida Bar: Carneiro Flórida (Fruta: Abacaxi)
KIina do Feijão Verde: Tulipa ao molho do Kina (Fruta: Uva)
Noite a Fora: Sol a dentro (Fruta: Banana)
O Assis: Tomate Tentação (Fruta: Manga e melão)
Paladar: Balancê (Fruta: Manga)
Suvaco de Cobra: Filé a Carmen Miranda (Fruta: Banana, Caju e abacaxi)
Teresa & Jorge: Asinha invertida com geleia de laranja (Fruta: Laranja)
Tronco do Gaúcho: Clássico Rei da Paz (Fruta: Abacaxi)

(G1 Ceará)

66º Salão de Abril expõe trabalhos de artistas de todo o país em Fortaleza

Trabalho de Clara Tavares em exposição no 66º Salão de Abril (Foto: Divulgação/Secult)

A abertura oficial do 66º Salão de Abril será realizada nesta sexta-feira (10), às 19 horas, na Galeria Antônio Bandeira, no Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB). Foram selecionados 30 trabalhos de artistas de todo o país, sendo 13 locais, para fazer parte da mostra nacional. Na solenidade de abertura, o secretário de Cultura de Fortaleza, Magela Lima, vai anunciar os três artistas premiados, que receberão R$15 mil cada. A noite também terá a participação do múltiplo artista Uirá dos Reis como a atração musical.

A comissão de seleção dos trabalhos desta edição do Salão de Abril teve três membros: a curadora, pesquisadora e psicanalista Flavia Copas; a curadora e pesquisadora Cecília Bedê; e a curadora, documentarista e mestra em artes visuais Adriana Botelho. A seleção foi realizada de 24 a 27 de fevereiro de 2015. No total, a edição deste ano distribuirá um montante de R$ 135 mil, sendo 30 prêmios de R$ 3mil para cada uma das 30 obras selecionadas.

A visitação estará aberta até 10 de maio, de terça à sexta-feira, das 10h às 20h, e aos sábados, das 10h às 19h, com exceção dos feriados, quando o CCBNB estará fechado. O espaço conta com acessibilidade de pessoas com deficiência, com piso podotátil, tradução audiovisual por meio da audiodescrição das obras e etiquetas em braille. O local contará ainda com o serviço de um intérprete de LIBRAS para tradução simultânea durante as visitas do público surdo.

Salão de Abril
O Salão de Abril foi lançado em 1943, como iniciativa da União Estadual dos Estudantes (UEE), por artistas que atuavam na cidade. A partir da segunda edição, em 1946, a Sociedade Cearense de Artes Plásticas (SCAP) assumiu a realização do evento, tornando-se a entidade responsável por sua continuidade, até 1958.

As exposições do Salão de Abril não tiveram uma constância. Houve um hiato entre as primeiras edições. Somente em 1964, quando a administração municipal assumiu a responsabilidade e importância do evento, a mostra assumiu um papel de eixo da vida cultural da capital cearense. Nas sete décadas de existência e em 65 edições, nomes importantes participaram de mostras.

Trabalhos selecionados
Os artistas selecionados para a Mostra Nacional deste 66º Salão de Abril são: Rodrigo Moreira (São Paulo); Fernanda de Oliveira Antoun (Rio de Janeiro); Rafael Vilarouca Peixoto Correia (Ceará); Geovana Correia Nunes (Ceará); João Victor Silva Oliveira (Bahia); Cristiane Soares e Silva (Ceará); Jose Bruno Faria Neto (Pernambuco); Mônica Justo da Silva Schoenacker (São Paulo); Diego De Los Campos Orefice (Santa Catarina); Sérgio Carvalho de Santana (Ceará); Naiana Magalhães Soares de Sousa (Ceará); Leandro Alves (Ceará); Leandro Estevam Maciel de Jesus (Bahia); Roberta Hammel Tassinari (Santa Catarina); Thiago Salas Gomes (São Paulo); Narcelio Moreira Dantas (Ceará); Guilherme Martins (Goiás); Amanda de Souza Meirelles (São Paulo); Juliane Peixoto Medeiros (Ceará); Jonas Arrabal Aragutti (Rio de Janeiro); Clara Tavares Capelo Camanho (Ceará); Tiago Nogueira Ribeiro (Bahia); Gabriel Schimidt Grecco (Rio de Janeiro); Jared José Barbosa Domício (Ceará); Filipe Acácio Normando (Ceará); Carlos Eduardo Campos Serejo (São Paulo); Juliana Ferreira Pinto (Ceará); Pedro Augusto Gonçalves Ribeiro de Andrada (São Paulo); José Carlos de Mélo (Pernambuco); e Francisco Flor – Coletivo Faz Cinema (Ceará).

Serviço
Abertura da Mostra Nacional do 66º Salão de Abril
Quando: sexta, dia 10 de abril de 2015, às 19h
Onde: Galeria Antônio Bandeira – Centro Cultural Banco do Nordeste (Rua Conde D’Eu, 560 – Centro); Visitação: terça à sexta-feira, de 10h às 20h; e sábados, das 10h às 19h
A exposição fica em cartaz de 10 de abril a 10 de maio de 2015

(G1 Ceará)

Dia 13 de abril, aniversário de Fortaleza, não será feriado

Fortaleza comemora 289 anos na segunda-feira (13). No entanto, não será feriado municipal. Apenas a Prefeitura da Capital e Governo do Estado decretaram ponto facultativo para o dia.

A determinação do ponto facultativo municipal não se aplica aos servidores municipais detentores de cargos privativos da área da saúde, que exerçam suas atribuições funcionais nos hospitais da rede municipal. Os diretores dos hospitais determinam a validade do ponto facultativo para os servidores que, embora não sejam titulares de cargos privativos da área de saúde, prestam serviço de natureza essencial.

 

O ponto facultativo não deverá afetar o funcionamento dos serviços essenciais, tais como: socorros urgentes, limpeza pública, fiscalização e orientação de trânsito, vigilância e salva vidas.

 

Na esfera do governo estadual, o governador Camilo Santana decretou ponto facultativo para todo o expediente do dia 13 de abril em todos os órgãos e entidades da administração pública estadual sediados na Capital, conforme Decreto nº 31.707, publicado no Diário Oficial de 8 de abril de 2015.

Via http://radialistadeneslima.blogspot.com.br

Prefeitura de Fortaleza inaugura Casa da Cultura Digital

Instalado em um antigo casarão restaurado na Praia de Iracema, vizinho ao Largo do Mincharia, o local é mantido pela Citinova

A Prefeitura Municipal de Fortaleza inaugura nesta sexta-feira (10/04), às 18 horas, a Casa da Cultura Digital. Instalado em um antigo casarão restaurado na Praia de Iracema, vizinho ao Largo do Mincharia, o local é mantido pela Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação de Fortaleza (Citinova) e foi projetado para oferecer um ambiente dinâmico e interativo voltado para a difusão, a formação e a criação dentro do universo de mídias digitais. É capaz de abrigar oficinas, cursos e eventos e tem como uma das funções estimular a criatividade e experiências com elementos como jogos e outras atividades da mesma natureza. Será, também, espaço permanente de incentivo à pesquisa e à divulgação de conteúdos relacionados à cultura digital. O evento de inauguração contará com a presença do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, e do presidente da Citinova, Tarcísio Pequeno.

Funcionando em fase experimental há aproximadamente um mês, a casa já recebe grupos que atuam direta ou indiretamente na cultura digital. Um dos objetivos da interação com esses grupos é permitir a aproximação da comunidade com elementos desse universo, apoiar pessoas interessadas em capacitação e dar suporte a iniciativas empreendedoras e inovadoras. “A Casa é um espaço pelo qual a Prefeitura de Fortaleza pretende prover os meios para a democratização da cultura digital na cidade. Para isso, ela torna acessíveis laboratórios nos quais grupos de criação coletiva podem trabalhar e desenvolver seus projetos”, afirma Tarcísio Pequeno, presidente da Citinova.

Além de um espaço livre para experiências com jogos eletrônicos, a Casa da Cultura Digital abriga o Hacker Space, ambiente no qual jovens pesquisadores desenvolvem projetos usando componentes eletrônicos, e uma incubadora de empresas de tecnologia, em parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece), do Governo do Estado. A incubadora é voltada principalmente para a criação de aplicativos para dispositivos móveis e soluções de software em Tecnologia da Informação.

Sobre a Citinova

A Citinova é o órgão de ciência e tecnologia da Prefeitura de Fortaleza. Tem como principais funções coordenar a energia criativa, o conhecimento científico e o desenvolvimento da tecnologia para traduzi-los em soluções para os problemas urbanos e, sobretudo, em arranjos para a geração de riqueza, trabalho e ocupações criativas que ajudem a melhorar o bem estar da população.

Serviço
Inauguração da Casa da Cultura Digital

Data: Sexta-feira (10/04)
Local: Calçadão da Praia de Iracema, ao lado do Largo do Mincharia
Horário: 18 horas

(Prefeitura de Fortaleza)

Mucuripe Music, ex-Mucuripe Club, deve abrir para público de Fortaleza no mês de maio

A casa de show Mucuripe, fechada no fim do mês de janeiro, ganhou uma nova proposta e endereço e se prepara para reestrear no mês de maio. O Mucuripe Music, e não mais “Club”, funcionará no cruzamento das avenidas Santos Dumont e Engenheiro Santana Junior, ao lado do novo túnel. Na noite desta quarta-feira (8), os sócios do empreendimento apresentaram a nova casa para a imprensa e convidados.

De acordo com os empresários, o espaço terá capacidade para 1.500 pessoas por noite. A casa possuirá camarotes e suítes individuais com visão estratégica do palco. Na programação musical, são previstos sertanejo, axé, música eletrônica.

“Será uma casa diferente, que vai mais uma vez marcar a história do entretenimento do Ceará”, afirmou Pedro Neto, um dos sócios da casa de show. As obras na casa de show devem terminar no fim do mês de abril.

Mucuripe Clube
No fim do mês de janeiro de 2015, o Mucuripe Clube fechou as portas depois de 17 anos de funcionamento. Cinco anos foram como Mucuripe Ilhas, na Avenida Beira Mar, seguido de 12 anos de Complexo Mucuripe Club, no Centro de Fortaleza.

(G1 Ceará)

Wesley Safadao em alta

O mercado de shows na Bahia vive, atualmente, uma guerra para ver quem tem o direito à venda dos espetáculos de Wesley Safadão, que, desde o último Carnaval, passou a ser disputadíssimo pelos contratantes.

Os empresários Leo Goes e Ricardo Lelis (irmão de Durval Lelis) estão brigando feio para ver quem leva a melhor.

As cifras envolvidas são milionárias e já incluem as festas de São João.

Via http://blogs.odia.ig.com.br/leodias/

 

Saiba quem foram os homens que deram nome a bairros de Fortaleza

Em 289 anos de existência, Fortaleza viu crescer filhos que marcaram a história e ajudaram a construir a cidade. O Tribuna do Ceará listou alguns bairros que homenageiam escritores, poetas, músicos, empresários, políticos, médicos e advogados. Seja nascidos na terra ou fortalezenses de coração, muitos foram os homens que hoje dão nome a bairros da capital cearense. Considerando isso, bairros como José Bonifácio, João XXIII, Planalto Ayrton Senna, Presidente Kennedy, Presidente Vargas e Vincente Pinzón, personalidades sem relação direta com o Ceará, ficaram de fora da nossa lista. Confira abaixo e faça uma viagem no tempo.

 

 

– Antônio Bezerra: O poeta, naturalista e historiógrafo de Quixeramobim nasceu em 1841 e participou ativamente do movimento abolicionista no Ceará. Morreu na capital cearense, em 1921. Suas obras até hoje são referências na compreensão da história do estado.

– Álvaro Weyne: Nascido em 1881, Álvaro Nunes Weyne foi um comerciante, espírita, maçom e prefeito de Fortaleza, em 1928. Faleceu na década de 1960.

– Joaquim Távora: O militar e engenheiro civil nasceu em Jaguaribe, em 1881. Foi considerado o líder do movimento revolucionário de 1924, no Rio de Janeiro, e até preso por isso. Morreu em combate em 1924.

– Amadeu Furtado: Médico, formado pela Faculdade de Medicina da Bahia, Amadeu Furtado nasceu em Ipu, município cearense, em 1888, e dedicou sua vida à profissão, atendendo principalmente a quem era pobre. Faleceu em 1952, em Fortaleza.

– Carlito Pamplona: Nascido em 1898, em Fortaleza, Carlito Pamplona veio de uma tradicional família de engenheiros. Tornou-se um importante empresário e se destacou como diretor do setor de compra e venda da indústria de óleo Brasil Oiticica. Faleceu em 1947.

 

– Edson Queiroz: Empresário com visão mercadológica à frente do seu tempo, Edson Queiroz nasceu no município de Cascavel, em 1925, e faleceu aos 57 anos, em 1982, em Pacatuba. Criou uma empresa de distribuição de gás, a Loteria Estadual de Fortaleza e foi dono de canais de TV e da Universidade de Fortaleza.

– Demócrito Rocha: Baiano de certidão e cearense de coração, Demócrito Rocha nasceu em 1888 e foi poeta, jornalista, dentista e deputado, tendo nascido em 1888, no município de Caravelas, na Bahia, e morrido em 1943, em Fortaleza.

– Patriolino Ribeiro: O empresário, nascido em Itapipoca, em 1911, mudou-se para Fortaleza e começou sua carreira como auxiliar de mercearia. Faleceu aos 71 anos, em 1982. O antigo bairro Guararapes recebeu o nome de Patriolino Ribeiro em 2010.

– Dias Macedo: José Dias de Macedo, nascido em 1919, formou-se em Economia pela Universidade Federal do Ceará e é empresário, em Fortaleza.

Conjunto Prefeito José Walter, em 1972 (FOTO: Arquivo Nirez)

 

– José Walter: Formado em Engenharia Civil, em São Paulo, José Walter entrou para a política na década de 1960, como prefeito de Fortaleza, indicado por membros da Ditadura Militar. Nasceu no município de Capistrano e tem 87 anos.

– Henrique Jorge: Fundador da Escola de Música Alberto Nepomuceno, Henrique Jorge foi um conceituado maestro. Nascido em Fortaleza, em 1872, casou-se com Albanisa, filha de Demócrito Rocha, e foi pai do ex-governador do Ceará Paulo Sarasate.

– José de Alencar: O antigo bairro Alagadiço Novo teve seu nome trocado para homenagear um dos maiores dramaturgos do Brasil. José de Alencar nasceu em Messejana, quando ainda era um município, em 1829. Foi jornalista, político, advogado, crítico e romancista. Mudou-se para o Rio de Janeiro com a família, quando tinha apenas 11 anos. Faleceu aos 48 anos, em 1877.

– Luciano Cavalcante: Formado em Engenharia Civil, o cearense estudou Aeronáutica nos Estados Unidos e foi o primeiro brasileiro a receber uma honraria por melhor aluno da área no país. Nasceu em 1929 e, quando adulto, recusou trabalhar até na Nasa para morar em Fortaleza e ajudar no crescimento da cidade.

 

Estância Castelo, atual Dionísio Torres, em 1960 (FOTO: Arquivo Nirez)

 

– Dionísio Torres: Descendente de portugueses e nascido no Rio Grande do Norte, Dionísio Torres nasceu em 1887 e chegou a Fortaleza aos 3 anos de idade. Filho de empresário, formou-se em Farmácia com apenas 19 anos, e suas pesquisas influenciam até hoje os trabalhos universitários da área da saúde.

– Manuel Sátiro: Baiano de Inhambupe, nascido em 1844, foi médico e político, tendo presidido as províncias do Amazonas, do Rio Grande do Norte e do Ceará. Neste último, Manuel Sátiro decretou a libertação de todos os escravos da província, a primeira a abolir a escravatura no Brasil. Faleceu em 1945.

– Olavo Oliveira: Nascido no município de Granja, em 1893, Olavo Oliveira foi advogado, jornalista, escritor e político. Morreu, em Fortaleza, em 1966.

– Quintino Cunha: Advogado, escritor e poeta, Quintino Cunha nasceu em Itapajé, em 1875, e trabalhou na área criminalista, em Fortaleza. Formou-se pela Universidade Federal do Ceará e ficou conhecido pelo jeito irreverente com que contava causos e piadas. O poeta faleceu em 1943.

– Rodolfo Teófilo: Soteropolitano, Rodolfo Teófilo foi um escritor, poeta, documentarista e contista. Órfão, nascido em 1853, foi criado por Barão de Aratanha, em Fortaleza, e deixou os estudos para trabalhar como caixeiro-viajante. Voltou aos estudos para formar-se em Farmácia, pela Faculdade de Medicina da Bahia, e faleceu em 1932.

(Tribuna do Ceará)

São João de Fortaleza acontecerá de 26/06 a 05/07, na Praia de Iracema

Ceará 247 – Nove dias de festa! De 26 de junho a 5 de julho de 2015 acontece, no Aterro da Praia de Iracema, o São João de Fortaleza. Cerca de 80 atrações, regionais e nacionais, deverão fazer parte do evento, que contará ainda com festival de quadrilhas e cidade cenográfica, com jogos, comidas típicas e uma feirinha de produtos regionais – artigos de couro e renda, doces típicos e castanhas, entre outros. Além disso, funcionará também no local um centro de arrecadação de alimentos para instituições beneficentes, como parte da campanha São João da Solidariedade.

Segundo o site do SindiEventos, que noticiou o lançamento do São João de Fortaleza, ocorrido no último dia 31 de março, a previsão é que a capital cearense receba, durante os dias de festa, grandes nomes como Aviões do Forró, Zé Ramalho, Moraes Moreira, Fagner, Luan Santana, Simone e Simaria, Zezé di Carmago e Luciano, Waldonys e Wesley Safadão, além de humoristas locais. A assessoria de imprensa da Secretaria de Cultura, no entanto, afirma que as atrações ainda estão sendo negociadas e que serão divulgadas posteriormente.

(Ceará 247)

Prefeitura de Fortaleza combate homofobia com arte na sexta de todas as cores

Ceará 247 – A Prefeitura de Fortaleza promove a Sexta de Todas as Cores, no Parque da Liberdade/Cidade da Criança, a partir das 17 horas, do próximo dia 10 de abril (sexta-feira). O evento, organizado pela Coordenadoria de Políticas para a Diversidade Sexual da Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos (SCDH), contribui para a valorização do universo cultural LGBT e pelo fim da violência contra gays, lésbicas, transexuais e travestis.

Os artistas Thiago Marques (Lorrana Layser) e Davi Alenquer (Camille Leycker) trazem a performance e brilho próprio das transformistas. O evento conta ainda com os grupos de dança Blackout e Divas, além do som da cantora Paula Paixão.

Segundo o coordenador Jorge Pinheiro, “a arte transforma o cotidiano das comunidades e explora o potencial artístico de jovens, valorizando seus talentos, retirando-os das drogas e da marginalidade, resgatando vidas e buscando uma valorização do segmento artístico da população LGBT”.

A Sexta de Todas as Cores já foi prestigiada por quase mil pessoas nos dois primeiros meses de 2015. Nessas edições, cerca de 60 profissionais participaram do evento apresentando sua arte na programação, que procura privilegiar diferentes estilos dentro do universo LGBT.

Na mesma noite, haverá a Feira Empreendedora LGBT, que dá visibilidade ao trabalho de pequenos produtores e fortalece sua sustentabilidade econômica. Entre os produtos expostos estão blusas, livros, DVDs, bottons, adesivos e artesanatos em geral.

Fique Sabendo Jovem
O Projeto Fique Sabendo Jovem estará mais uma vez na Sexta de Todas as Cores proporcionando testagem rápida para diagnóstico de HIV/Aids e sífilis. Os interessados podem se submeter à coleta de material durante o evento.

O resultado sai em 30 minutos e as pessoas são orientadas sobre prevenção e os cuidados necessários para evitar as doenças. Em caso positivo, o cidadão é encaminhado para o acompanhamento adequado com profissional de saúde.

O Projeto Fique Sabendo Jovem é uma iniciativa da Unicef e conta com a ajuda de vários parceiros, como o Grupo de Apoio à Prevenção à Aids – CE (Gapa) e a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Secretaria de Esporte e Lazer (Secel), Coordenadoria de Juventude e Rede Cuca.

Serviço
Sexta de Todas as Cores e Feira Empreendedora LGBT
Local: Anfiteatro do Parque da Liberdade / Cidade da Criança (Rua Pedro I, S/N, Centro)
Horário: 17h às 22h (shows têm início às 19h)

Companhia Edisca apresenta espetáculo ‘Sagrada’ na Caixa Cultural Fortaleza

A Caixa Cultural Fortaleza apresenta, entre 9 e 19 de abril, o espetáculo Sagrada, encenado por 30 bailarinos, com idades entre 12 e 20 anos, da companhia cearense de dança Edisca. A montagem propõe uma reflexão sobre sustentabilidade através de uma jornada que vai do surgimento da vida no planeta, passa pela evolução dos organismos simples em espécies complexas e chega à transição do meio aquático para a terra firme.

Nos cinco meses de ensaio e produção, os bailarinos tiveram que se adaptar a um elemento não tão comum no palco: a água. Presente em todo o espetáculo, a água aparece tanto em projeção de imagens quanto em estado natural.

Os figurinas de “Sagrada” foram produzidos em parceria com o estilista Lino Villaventura. A trilha sonora é assinada pelo músico Manassés de Sousa e, a cenografia, pelo artista plástico Marcelo Santiago. As imagens utilizadas na montagem foram produzidas por Helgi Thor e Gerson e a coreografia é de Dora e Gilano Andrade.

As vendas de ingressos para as sessões começam nesta quarta-feira (8), das 10h às 20h, para as sessões de 9 a 12 de abril. A partir do dia 15 de abril, das 10h às 20h, serão vendidos ingressos para as sessões de 16 a 19 de abril

Oficina
Além do espetáculo, a Edisca vai realizar uma oficina gratuita de dança contemporânea para bailarinos, nos dias 11 e 18 de abril. Serão 25 vagas em cada turma e os interessados devem ter acima de 14 anos. As inscrições devem ser feitas até dia 17 de abril pelo email: edisca@edisca.org.br.

Serviço:
Dança “Sagrada – Edisca”
Local: CAIXA Cultural Fortaleza
Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema
Data: 09 a 12 e 16 a 19 de abril de 2015
Horários: quinta a sábado às 20h, domingo às 19h
Duração: 40 minutos
Classificação indicativa: Livre
Ingressos: R$ 20 (inteira) R$ 10 (meia).

Oficina de Dança Contemporânea para Bailarinos
Data: 11 e 18 de abril de 2015
Horários: 14h às 16h
Classificação indicativa: 14 anos
Vagas: 25
Inscrições: edisca@edisca.org.br (até 17 de abril)
Informações: (85) 3453-2770

(G1 Ceará)

Debates, show e interação marcam aniversário de 289 anos de Fortaleza

Programação de shows, debates, entrevistas, webdoc e cobertura especial do O POVO marcam o aniversário de 289 anos de Fortaleza, comemorados na próxima segunda-feira, 13 de abril. O show da cantora Vanessa da Mata, no Aterrinho da Praia de Iracema, junto com a programação infantil no Largo dos Tremembés, marcarão a programação da Prefeitura no 13 de abril. Mas os festejos já começaram no O POVO. E a participação do leitor é o destaque.

 

O caderno DOM de ontem buscou as origens da cidade e contou mais de um século de história que antecede o aniversário oficial, em 1726. A partir de amanhã, o portal O POVO Online terá canal dedicado à data, com galeria de fotos antigas e cadernos especiais sobre os aniversários. As páginas do jornal trarão as perspectivas políticas, econômicas, culturais e cotidianas de Fortaleza.

 

O Espaço O POVO de Cultura & Arte terá o lançamento do documentário que traz as memórias que chegam do mar. E lançamento da revista com ensaios de pesquisadores, escritores e jornalistas.

 

Entre os debates, destaque para a participação do prefeito Roberto Cláudio (Pros), que será entrevistado amanhã por leitores do O POVO.

 

Serviço

Amanhã

Prefeito Roberto Cláudio será entrevistado por leitores do O POVO, às 16 horas.

 

O POVO Online lança plataforma de aniversário de Fortaleza.

 

Vertical S/A da TV O POVO, às 22 horas, discutirá o crescimento da economia fortalezense.

 

Imóveis & Cia, na TV O POVO, às 23 horas, debaterá o mercado imobiliário na Capital.

 

Quarta-feira, 8/4

Lançamento, às 19 horas, do webdoc Fortaleza das Marés, no Espaço O POVO de Cultura e Arte.

Os historiadores Régis Lopes e Antônio Luiz Macêdo participarão, também no Espaço O POVO, a partir das 19 horas, do Encontro de Ideias sobre os mecanismos sociais e coletivos que constroem o passado de uma cidade.

 

Quinta-feira, 9/4

Bate-papo sobre o livro Dicionário Amoroso de Fortaleza, da escritora Tércia Montenegro, no Espaço O POVO, às 19 horas.

Sexta-feira, 10/4

Encontro de Ideias: “Rascunhos do futuro de Fortaleza, com a escritora Natércia Pontes, o artista visual Yuri Firmeza e o cineasta Ivo Lopes, no Espaço O POVO, às 19 hs.

Lançamento, durante o debate, do especial Fortaleza e o devir, que reúne textos de pesquisadores e jornalistas que projetam o futuro da cidade a partir do passado e do presente.

 

O POVO Economia, na rádio O POVO CBN, às 14 horas, debaterá o desenvolvimento econômico de Fortaleza.

 

Sábado, 11/4

Sala de Conversa, na rádio O POVO CBN, às 10 horas, tratará do aniversário da cidade.

 

Show “Tributo à Fortaleza”, às 19 horas, com a cantora Teti (foto), no Espaço O POVO. Antes, às 17 horas, Raymundo Netto lança o livro Crônicas absurdas de segunda.

 

Domingo, 12/4

Viva Domingo, com os produtores do webdoc Fortaleza das Marés, na TV O POVO, às 20h30min.

Segunda-feira, às 13/4

Publicação do especial Fortaleza e o devir.

Debates do Povo, na Rádio O POVO CBN, às 11 horas, com participação de ensaístas que participam do especial Fortaleza e o devir.

 

Show em comemoração ao aniversário de Fortaleza no Aterrinho, às 19 horas, com apresentação dos artistas Artur Menezes, Lucinha Menezes e Waldonys. A partir das 21h30min, show de Vanessa da Mata.

 

Programação especial para crianças no Largo dos Tremembés, a partir das 16 horas.
Programa Jogo Político, às 22 horas, na TV O POVO, debaterá a política fortalezense e seus impactos da melhoria da cidade.

(Sara Oliveira, O Povo)

A história de Fortaleza antes do aniversário oficial

Fortaleza Antiga: Praça do Ferreira

Fortaleza permanece marcada pelas cicatrizes das origens. Embora o aniversário oficial seja comemorado na próxima semana, o território já era conhecido por europeus, segundo registros, desde antes da chegada de Pedro Álvares Cabral ao Brasil. E, quase 150 anos antes do 13 de abril de 1726, o local era citado em detalhadas descrições do litoral do atual Ceará.

 

A partir do século XVII, houve ao menos quatro empreitadas portuguesas e duas holandesas para tentar ocupar a área entre o rio Ceará e o Mucuripe. Quase todas fracassaram, por razões presentes ainda hoje: seca, medo, violência e até problemas ambientais.

 

Fortaleza é ponto fora da curva na história das atuais grandes cidades brasileiras que surgiram no período colonial. Foi empreitada inusitada e improvável.

 

Não há divergência quanto a ter havido várias iniciativas de ocupação do local onde hoje é Fortaleza, muito antes de 1726. O que há são interpretações conflitantes sobre qual desses empreendimentos acabou sendo o núcleo gerador da vila oficialmente instituída pelo rei de Portugal num 13 de abril 289 anos atrás. Sem pretensão de definir um marco fundador, O POVO buscou em fontes históricas registros do que existia em Fortaleza antes da fundação oficial. Um pouco da história antes do aniversário.

 

PRIMEIROS “FORTALEZENSES”

O historiador Aírton de Farias, em História da Sociedade Cearense (Livro Técnico, 2004), cita Thomaz Pompeu Sobrinho (1880-1967), segundo o qual a povoação do território onde hoje é o Ceará teria começado entre 5 mil a 4 mil a.C. Os primeiros povos teriam chegado pelo Piauí. Porém, registros arqueológicos mais recentes poderão indicar data ainda anterior. Entre os povos que habitavam as imediações de onde hoje é Fortaleza estavam os anassés, os potiguaras, paiacus e jaguaribaras.

 

EUROPEUS

O primeiro relato conhecido de europeus que teriam estado em Fortaleza remete à viagem do espanhol Vicente Yañez Pinzón, que fora companheiro de Colombo na viagem à América. Por volta de janeiro ou fevereiro de 1500, após passar pelo atual Aracati, seguiu para o atual Mucuripe. Pouco tempo depois, o também espanhol Diogo de Lepe esteve no local, que chamou de “Rostro Hermoso” (rosto bonito).

 

CONHECIMENTO DA ÁREA

Mesmo com quase nenhum interesse português, ainda no fim do século XVI há registros de que o litoral cearense era conhecido em detalhes pelos navegadores. Em 1587, Gabriel Soares publicou, em Madri, o Roteiro do Brasil, no qual descreve a “enseada de Macorive”, hoje Mucuripe. A “enseada é muito grande; e ao longo dela navegam navios da costa; mas dentro em toda tem bom surgidouro e abrigo”. O relato é registrado por Tristão de Alencar Araripe em sua História da Província do Ceará (de 1867, reeditado em 2002 pelas Edições Demócrito Rocha).

 

CRUELDADE E SECA

O lugar onde hoje fica Fortaleza entrou na história colonial brasileira por causa do Maranhão. Em 1603, Pero Coelho de Sousa recebeu o título de capitão-mor e organizou uma bandeira, com objetivo de subjugar os índios da Serra da Ibiapaba, conter o comércio de piratas e abrir caminho para o Maranhão. De quebra, buscava ouro e prata. Derrotou índios e alguns estrangeiros, mas, ao chegar ao rio Parnaíba, no Piauí, teve de recuar. À margem do rio Ceará, ergueu um pequeno forte chamado de São Tiago. A povoação que se formou foi batizada de Nova Lisboa. O São Tiago seria o posto avançado para guarnição e abastecimento das tropas. Esse seria o principal atributo enxergado pelos europeus naquele pedaço de chão: função estratégico-militar.

 

A postura de Pero Coelho é retratada por Alencar Araripe como cruel e tirânica, contra inimigos e até contra índios aliados. Enfrentou ataques de uns e revolta de outros. Isso aliado à seca de 1605 a 1607 – a primeira registrada no Ceará – obrigou-o a abandonar o São Tiago. Segundo Araripe, foi preso, remetido para Lisboa e morreu no cárcere. A memória de sua crueldade foi obstáculos para expedições posteriores.

 

MISSIONÁRIOS

Em 1607, chegaram ao que hoje é Fortaleza os padres jesuítas Francisco Pinto e Luís Figueira. Pinto fundou, com os índios potiguaras, a aldeia Paupina, considerada a origem do atual bairro de Messejana. Os missionários seguiram para a Ibiapaba, onde Francisco Pinto foi morto pelos tacarijás. Mais tarde, Figueira se retirou para o Rio Grande do Norte.

O 2º FORTE

Entre 1611 e 1612, retornou ao Ceará Martim Soares Moreno. Ele fizera parte da expedição de Pero Coelho. Agora como capitão-mor, ergueu o forte São Sebastião, no local onde antes estivera o São Tiago. E dedicou uma igrejinha a Nossa Senhora do Amparo.

HOLANDESES

Em 1637, holandeses desembarcaram no Mucuripe e tomaram o São Sebastião. Ficou sob comando de Hendrick Van Ham e, em seguida, de Gedeon Morris de Jonge, um dos grandes estrategistas da ocupação flamenga no Nordeste. Ele explorou salinas, ergueu pequenas fortificações em Jericoacoara e Camocim. Foi talvez o início da atividade econômica no Ceará. Em 1644, índios mataram todos os ocupantes do forte. Jonge foi degolado.

O 3º FORTE

Em 1649, os holandeses fizeram nova tentativa, sob comando de Matias Beck. Ele desistiu das margens do rio Ceará. Conforme expõe Antonio Luiz Macêdo e Silva e Filho, em Fortaleza: imagens da cidade (2004, Museu do Ceará), a foz do rio sofria processo de assoreamento – quase certamente por causas naturais, pois não há registro de ação humana na época a ponto de justificar tal efeito. De todo modo, era inviabilizada a ancoragem das embarcações. Beck manteve o ancoradouro no Mucuripe e, em 10 de abril de 1649, instalou o forte numa elevação próxima ao Pajeú. O local foi chamado de Schoonenborch, nome do então governador holandês no Brasil. Em 1654, com a expulsão dos holandeses do Recife, o Schoonenborch foi abandonado.

 

VOLTA DOS PORTUGUESES

Tropas sob o comando de Álvaro de Azevedo Barreto tomaram o forte em 1654, sem resistência. O nome do forte foi mudado para Nossa Senhora da Assunção, até hoje padroeira da cidade. Nas décadas seguintes, o povoado ao lado do forte teve lenta expansão. Conforme demonstra Maria Auxiliadora Lemenhe em As razões de uma cidade (1991, Stylus), Fortaleza é exceção na história colonial. As atuais grandes cidades surgidas no período, como Rio de Janeiro ou Belém, eram centro de escoamento da produção para o mercado externo e, também, sede da estrutura militar e burocrática. Fortaleza estava longe da incipiente produção econômica na capitania, ligada à pecuária. E, diante da dependência administrativa, tampouco havia relevância burocrática. Afinal, o Ceará ficou subordinado ao Maranhão entre as décadas de 1620 até a de 1660. E, depois, a Pernambuco, até 1799. A função defensiva, durante longo período, foi a única razão para existir o povoado. Em 1696, o capitão-mor Pedro Lelou estimou a população em cerca de 200 pessoas. A maioria das casas era de palha. Raras tinham telhas.

 

VILA EM DISPUTA

Em 13 de fevereiro de 1699, ordem da Coroa portuguesa criou a vila de São José de Ribamar, no Ceará. Foi o início de uma longa contenda. A ordem régia não definiu o lugar. O capitão-mor, os soldados e padres – uma incipiente burocracia local – queria mas proximidades do forte. Os proprietários de algumas terras – um arremedo de elite econômica – preferiam Aquiraz.

 

Houve ao menos quatro mudanças do local. Como aponta o livro Fortaleza: uma breve história, de Artur Bruno e Airton de Farias (2012, Edições Demócrito Rocha), passou por Aquiraz, pelo Pajeú e pela foz do rio Ceará. Até que, em 27 de junho de 1713, então, a vila de São José de Ribamar foi instalada em Aquiraz. Mas, em 18 de agosto do mesmo ano, como desenrolar da chamada “guerra dos bárbaros”, índios anassés atacaram a primeira vila do Ceará. Cerca de 200 pessoas morreram. Os sobreviventes buscaram abrigo no forte do riacho Pajeú, para onde a Câmara foi transferida, diante da insegurança constatada em sua localização original. A violência e o medo novamente atuavam na história de Fortaleza. Em 13 de abril de 1726, foi instalada uma segunda vila.
HEGEMONIA

As duas vilas reivindicavam a denominação de São José de Ribamar. E ambas queriam que a outra fosse suprimida. Em 1728, ordem régia reafirmou que as duas deveriam ser mantidas. Quanto à denominação, com o tempo prevaleceu que uma passou a se chamar Aquiraz e a outra, Fortaleza. Em 1758, foram criadas duas outras vilas no território da atual Fortaleza: Vila Nova de Arronches (Parangaba) e Messejana, atuais bairros da Capital.

 

CIDADE

Em 1799, com o desmembramento do Ceará em relação a Pernambuco, Fortaleza foi conformada como Capital. No fim da década de 1810, o forte de Nossa Senhora da Assunção, de madeira e em estado avançado de deterioração, foi reconstruído em alvenaria. Em 1823, a vila foi elevada à condição de cidade, com nome de Fortaleza de Nova Bragança. A denominação não vingou.

 

SAIBA MAIS

 

COMO FORTALEZA JÁ FOI CHAMADA ANTES

1500 – Rostro Hermoso (rosto bonito)

1603 – Nova Lisboa

1611 – Forte de São Sebastião

1649 – Forte Schoonenborch

1654 – Forte de Nossa

 

Senhora da Assunção

1699 – Vila de São José de Ribamar (status e nome reivindicado, em disputa com Aquiraz). Após a elevação definitiva a vila, em 13 de abril de 1726, seguiu-se disputa pelo nome, embora já tivesse ficado consagrada como vila do forte, do Pajeú ou vila da Fortaleza

1823 – Cidade de Fortaleza de Nova Bragança (não vingou)

(Érico Firmo, O Povo)

Fortaleza celebra 289 anos com show da Vanessa da Mata na Praia de Iracema

Vanessa da Mata é primeira atração confirmada para aniversário de Fortaleza (Foto: Laécio Lacerda/Divulgação)

Abril é um mês especial para Fortaleza. Na próxima segunda-feira, dia 13 de abril, quando nossa cidade comemora os 289 anos de sua fundação, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, preparou uma programação gratuita, que contará com diversas atrações e terá em seu encerramento a cantora Vanessa da Mata. A festa acontecerá no Aterrinho da Praia de Iracema, um de nossos principais cartões postais, e contará com Tarifa Especial, posto de vacinação contra sarampo, ação de coleta seletiva e mais.

Já pela tarde, a partir das 16 horas, no Largo Luiz Assunção, localizado ao lado do Aterrinho, mamães e papais poderão levar a criançada para brincar e se divertir muito na Arena Infantil, que contará com brinquedos como pula-pula, palhaços, além da distribuição de pipoca e algodão doce.

A partir das 19 horas, o público poderá conferir mais uma edição do show Para Cantar Fortaleza, com apresentações de Artur Menezes, Caio Castelo, Marcos Lessa, Luciana Lívia, Lucinha Menezes, Renato Mesquita, Teti e Waldonys, que interpretarão composições de artistas cearenses. O show tem direção musical de Eduardo Holanda e contará com a participação dos músicos Mimi Rocha (guitarra), Tito Freitas (teclado), Adriano Azevedo (bateria), Hoto Júnior (percussão), Miquéias dos Santos (baixo), Hugo Deleon (sopro e trompete), Tiago Rocha (sax e flauta) e Nonato (acordeon).

Encerrando as comemorações, a partir das 21h30min, Fortaleza receberá a cantora matogrossense Vanessa da Mata, que apresentará o show de seu último álbum, “Segue o som”, de 2014, que teve produção conjunta de Kassin e Liminha, além de outros sucessos de sua carreira. Vanessa esteve em Fortaleza pela última vez em 2013, quando apresentou ao público seu trabalho em homenagem ao maestro Tom Jobim.

Serviço:
Aniversário de 289 anos de Fortaleza
Quando: Segunda-feira, dia 13 de abril de 2015, a partir das 16 horas
Onde: Aterrinho da Praia de Iracema

Programação completa
16h às 20h – Arena Infantil no Largo Luiz Assunção
19h – Show “Para cantar Fortaleza”, com artistas locais cantando canções de compositores cearenses. Atrações: Artur Menezes, Caio Castelo, Marcos Lessa, Luciana Lívia, Lucinha Menezes, Renato Mesquita, Teti e Waldonys
21h30 – Show da cantora Vanessa da Mata

(Prefeitura de Fortaleza)

 

UFC entra com ação de reintegração de posse do prédio ocupado pelo Conservatório Alberto Nepomuceno

Conservatório de Música Alberto Nepomuceno

A Universidade Federal do Ceará deu entrada, na última terça-feira (31), em uma ação na Justiça Federal solicitando a reintegração de posse do prédio onde atualmente funciona o Conservatório de Música Alberto Nepomuceno (Av. da Universidade, 2210, Benfica). O processo tramita na 2ª Vara da Justiça Federal em Fortaleza. O pedido é para desocupação imediata do imóvel. A ação ocorre após a Universidade ter empreendido várias tentativas de resolver o impasse na esfera administrativa.

A ação se baseia em várias recomendações do Tribunal de Contas da União (TCU) no sentido de regularizar a situação do imóvel de propriedade da UFC, tendo em vista o não pagamento de aluguéis e compensação referente ao uso do prédio. Atualmente, o equipamento está sob responsabilidade do Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior.

De acordo com a Procuradoria Geral da UFC, o termo de contrato administrativo foi assinado em setembro de 2007. O documento previa, na época, o pagamento mensal de R$ 10.113,31. Porém, nenhum pagamento foi efetuado. Em agosto de 2013, a dívida acumulada chegou ao montante de R$ 728.158,32.

Persistindo o impasse, a UFC viu-se obrigada a solicitar a inscrição do débito como dívida ativa da União, o que foi feito por meio da Procuradoria Federal no Estado do Ceará no dia 25 de novembro de 2013.

A UFC aguarda a desocupação para instalar seu Curso de Música no prédio e adequar o imóvel a projetos de ensino, pesquisa e extensão.

Fonte: Procuradoria Geral da UFC – fone: 85 3366 7322

Onde estavam as travestis durante a Ditadura?

Foto de Juca Martins
” (…) certas vidas não se qualificam como vidas, ou, desde o princípio não são concebidas como vida, dentro de certos marcos epistemológicos, então, tais vidas nunca se considerarão vividas ou perdidas no sentido pleno de ambas as palavras”. (BUTLER, Judith. Marcos de Guerra: las vidas lloradas. 2010, pg. 13)

A história é uma narrativa, disso não há dúvidas. Quando abrimos um livro de história, ou ouvimos uma aula, ou estudamos para o vestibular, sabemos que aquilo que nos é contado é uma narrativa, uma forma de interpretar os fatos, a partir de certa perspectiva relacionada a um sujeito específico. Uma forma de olhar, ou como nos diria Donna Haraway, em seu artigo, “Saberes Localizados“, uma tecnologia do olhar. Um saber localizado, a partir dos “corpos que importam” naquele contexto. Com a história da Ditadura ocorreu o mesmo. Nós aprendemos a lê-la e conhecê-la a partir de narrativas de heróis: Carlos Marighela, Vladimir Herzog, Frei Tito, e tantos outros nomes, que nos surgem em narrativas (merecidamente) heróicas de luta pela democracia. Aos poucos, a história começa a nos contar nomes de mulheres, um trabalho árduo de pesquisadoras e feministas que olham novamente para aquele período e se perguntam: Onde estavam as mulheres? Assim surgiram nomes de mulheres vitais na luta contra o Regime Militar de 64: Amélia Teles, Ana Maria Aratangy, Crimeia de Almeida, Nildes Alencar, Maria Aparecida Contin, entre outras. Mulheres que foram invisibilizadas pelos relatos hegemônicos (masculinos) do período, mas que têm surgido como nomes importantes na luta pela redemocratização do país.

transbordando

O saber histórico, ou seja, das narrativas, está em constante disputa. Precisa ser visto e revisto o tempo todo. No caso específico das pessoas transexuais, travestis, gays e lésbicas, é preciso um esforço na releitura do período da Ditadura civil-militar para encontrarmos nossa participação. Tanto as violações que sofremos, quanto nossa participação nas lutas, como foi o caso de Herber Daniel, do Colinas (Comando de Libertação Nacional), organização à qual também pertenceu Dilma Roussef, nossa atual Presidenta.

Herber Daniel (Herbert Eustáquio de Carvalho), como nos relata o historiador James Green, brasilianista da Brown University, que por ser um homem gay, teve de esconder sua sexualidade para poder pertencer ao coletivo de luta anti-golpe, uma vez que a figura do homossexual, era tão apagada, desprezada e temida, que nem mesmo nos meios de esquerda eles eram aceitos. O homem gay afeminado não “combinava” (cof) com a Revolução, havia, obviamente, um ideal de corpo revolucionário – este era geralmente viril, forte, másculo, heterossexual, cisgênero -, e não um corpo “degenerado”, “perverso”, “doentio” e “afeminado”.

Assim como Hebert, suponho que muitos outros homossexuais não podiam viver sua sexualidade livremente dentro de coletivos anti-golpe. Mas não foi apenas na “esquerda” que enfrentamos a intolerância e o preconceito. O governo autoritário da Ditadura Militar, tinha também, obviamente, um ideal de “povo” e de corpo são. Para isso, pôs em curso, um processo de higienização e caça à homossexuais, travestis, transexuais, e todo e qualquer desviante sexo-gênero, e “degenerados”. Amparados por uma ideologia cristã de família e moral, os governos municipais e estaduais realizaram verdadeira caça à homossexuais e travestis no Brasil, como nos conta o relatório da Comissão Nacional da Verdade – CNV , em capítulo destinado à violência contra a população LGBT.

O processo de limpeza e higienização era feito através de “rondões”, nas palavras do relatório da CNV, escrito por Renan Quinalha:

Em 1º de abril de 1980, O Estado de São Paulo publicou matéria intitulada “Polícia já tem plano conjunto contra travestis”, no qual registra a proposta das polícias civil e militar de “tirar os travestis das ruas de bairros estritamente residenciais; reforçar a Delegacia de Vadiagem do DEIC para aplicar o artigo 59 da Lei de Contravenções Penais; destinar um prédio para recolher somente homossexuais; e abrir uma parte da cidade para fixá-los são alguns pontos do plano elaborado para combater de imediato os travestis, em São Paulo”. (Relatório CNV, pg. 297)

Ainda segundo o mesmo relatório, foi estabelecido formas de  “medir” o corpo das travestis, recolher suas imagens para “averiguação” a fim de determinar o quanto perigosas elas poderiam ser. O risco que ofereciam, nas palavras da Polícia, era de perverter e incentivar a juventude, além de propagar tais “abomináveis” práticas. Foi estabelecida uma associação direta entre os desvios sexo-gênero e a ideologia comunista. De modo que, a prisão de homossexuais e travestis, deveria ser feita de forma prioritária, como uma das formas de combate à perversão perpetrada por “comunistas”.

É importante perceber a ênfase sobre a “imagem” da travesti. No período da Ditadura, conhecemos nomes de travestis que se saíram muito bem, como é o caso da travesti Rogéria. Mas que imagem ela possuía? Porque não era uma imagem perseguida? Esta não é uma reflexão que caiba neste texto, talvez em um próximo. Mas pensarmos acerca disso é importante.

No RJ, a travesti, negra e chacrete, Weluma Brum, nos relata suas experiências com a polícia. Naquele momento, Weluma nos narra, que certa vez, ao ser parada pela polícia enquanto se prostituía na Central do Brasil-RJ, fora obrigada a fazer sexo oral nos policiais para não ser presa. Isso depois de apanhar de 4 policiais, que lhe batiam e davam choques. Depois, Weluma conheceu a estratégia mais comuns entre as travestis para evitar a prisão, segundo ela “Nós nos cortávamos com gilete, para que os policias não nos prendessem, vejam aqui, tenho ainda cicatrizes. Eles tinham medo que a gente se cortasse”. Este medo, é claro, advinha do estigma de serem soropositivas, afinal, é neste período que a AIDS é considerada ” o câncer gay”, a partir de uma cruel biopolítica.

Outro importante aspecto do depoimento de Weluma, é quando ela diz: “Eu não sabia o que era uma travesti, jamais tinha ouvido falar disso”. No período da Ditadura, como nos relata o texto final da CNV, outra forma de perseguir e invisilibizar travestis e gays é a censura, que impedia que o tema fosse falado, comentado, na televisão e em jornais. O jovem homossexual, a jovem trans ou travesti, não tinha como saber de sua sexualidade ou de sua identidade de gênero. Não havia representação na mídia, revistas, ou outras formas de conhecimento. O que havia era aquilo que Hannah Arendt chama de ” profundo sentimento de não-pertencer”, o pensar estar sozinho ” Será que apenas eu sou assim? “. Havia bares e todo um sub-mundo “gay”, frequentemente invadidos pela polícia, e de difícil acesso para o jovem homossexual ou travesti pobres. Não havia parâmetro de identificação com outros sujeitos como eles. Havia, outrossim, os discursos pecaminosos. Na pesquisa para a elaboração deste texto, não tive contato com nenhuma pesquisa sobre a taxa de suicídio de jovens durante a Ditadura Militar, suponho que deva ter sido alta, sobretudo entre os jovens LGBTs (termo ausente naquele período).

Também gostaria de exemplificar, com um trecho do Relatório da Comissão Nacional da Verdade, o olhar que a Ditadura civil-militar de 64, possuía acerca de gays, lésbicas, bissexuais, transexuais, travestis e demais desviantes sexo-gênero:

A Revista Militar Brasileira, por exemplo, entusiasta do golpe, publicou artigos lamentando o declínio moral e o perigo da homossexualidade para a sociedade defendida por eles. Em 1968, no artigo “Rumos para a educação da juventude brasileira”, o general Moacir Araújo Lopes, membro do conselho editorial da revista, culpou a “infiltração comunista” feito por “pedagogos socialistas-radicais” como a causa do “desastre” cultural, religioso e sexual que a juventude vivia: “realmente, como designar a aceitação do homossexualismo, a vulgarização, entre a mocidade, do uso de entorpecentes e de anticoncepcionais, o enaltecimento do adultério, a aceitação pública da troca de esposas por uma noite, etc., etc., etc.”. Em 1969, o general Márcio Souza e Melo escreveu que “publicações de caráter licencioso (…) poder[ão] despertar variadas formas de erotismo, particularmente na mocidade, (…) contribuindo para a corrupção da moral e dos costumes, (…) sendo uma componente psicológica da Guerra Revolucionária em curso em nosso País e no Mundo”. Já em 1970, na revista Defesa Nacional, um autor, que usou um pseudônimo, argumentou que a mídia estava sob a influência da “‘menina dos olhos’ do PC” ( Partido Comunista, parênteses incluído por mim)  e que os filmes e a televisão estavam “mais ou menos apologéticos da homossexualidade”. O general Lopes também publicou, na Defesa Nacional, um artigo contra “a subversiva filosofia do profeta da juventude” Herbert Marcuse, cuja filosofia promovia “homossexualismo” junto com “exibicionismo, felatio e erotismo anal”, além de ser parte de um plano de “ações no campo moral e político que (…) conduzirão seguramente ao caos, se antes não levassem ao paraíso comunista”. (Relatório CNV, pg. 292)

Além da caça à homossexuais e travestis nas ruas, para “limpeza”, empreendeu-se forte mecanismo de censura contra jornais, revistas, ou quaisquer outros meios que dessem alguma visibilidade a essas pessoas transviadas. Notório foi o caso do jornal “O Lampião da esquina“, destinada ao público homossexual, e que foi combatida amplamente pela censura, porém resistiu.

Quero destacar aqui, que para o olhar da Ditadura e dos sujeitos naquele período, não havia a distinção entre orientação sexual e identidade de gênero, como hoje o fazemos. Éramos todos “homossexuais” para eles. De modo que os registros da Ditadura, não esclarecem com clareza quem era travesti e quem não era.

Outro aspecto importante é sabermos que durante este período a homossexualidade (então conhecida como “homossexualismo”) era entendida como uma patologia. Muitos gays, lésbicas, travestis e transexuais foram internadas em manicômios como o Manicômio do Juquery, em SP, e o Manicômio de Barbacena, em MG. Alguns dos relatos destas pessoas podem ser conhecidos nos textos da historiadora Maria Clementina, do Departamento de História da Unicamp.

Quero ressaltar ainda a participação das lésbicas na resistência à Ditadura, com destaque à Cassandra Rios, autora do livro, censurado e proibido em livrarias, “Eudemônia”. Cassandra foi diversas vezes processada e perseguida pela Ditadura, não tendo havido ninguém que a defendesse ou se mobilizasse contra a perseguição realizada contra ela. No movimento LGBT, lembramos sempre da Revolta de Stonewall, e esquecemos (ou desconhecemos) que o Brasil teve também a ” mini-revolta de Stonewall” que ocorreu em São Paulo, no Ferro’s Bar, bar em que lésbicas reagiram a tentativa de expulsão delas, tanto pelo dono do estabelecimento, quanto pela polícia. Naquele espaço, panfletos de luta e liberdade sexual eram vendidos, e o ainda incipiente ativismo era discutido.

Renan Quinalha e James Green, recentemente lançaram um livro sobre o tema intitulado: “Ditadura e homossexualidades: Repressão, Resistência e busca da verdade” (Publicado pela EdUFSCar. Conversei ontem com Renan acerca do título do livro, e perguntei: “Por que homossexualidades?”, Renan me respondeu que não queriam ser anacrônicos, pois naquele momento, não havia a sigla “LGBT” e nem tampouco, se falava em “travestis”. A justificava do autor é plausível, porém, é importante a problematização (que o livro traz já em seu primeiro capítulo) de que a travestilidade e a transexualidade não são “tipos de homossexualidade”, como sugere o título, uma vez que, já o sabemos com clareza desde Gayle Rubin e o artigo “Traffic in women: notes on the political economy of sex“, que orientação sexual e identidade de gênero são conceitos distintos. No caso específico do livro de Quinalha, é importante notar que, para o olhar da Ditadura, a travesti é apenas mais um tipo de ” gay”, e que o livro, por pretender-se fiel ao período, optou por tal nomenclatura.

O trabalho de encontrar onde estávamos ao longo da Ditadura apenas começou. Os sujeito desviantes, passam, agora, pelo momento de olhar para si, e se perguntar “Onde estávamos? “. O que sabemos hoje, é que a violência contra a comunidade LGBT, se deu em diversos âmbitos, na limitação de suas potências artísticas, na participação política, no trabalho, no exercício da liberdade, no conhecimento de si mesmo. Na patologização (ainda hoje sofrida pelas pessoas trans).

Post Scriptum: A foto ilustrativa da matéria pertence ao fotógrafo Juca Martins, que pode ser conhecido através do hiperlink associado ao nome do fotógrafo.

 

(Por Fernanda Dantas Vieira, via http://www.revistaforum.com.br/osentendidos)

Escolas públicas de Fortaleza vão incluir turismo na grade curricular

Os alunos das escolas municipais de Fortaleza vão conhecer a história e os principais pontos turísticos da capital cearense a partir desta terça-feira (7), como parte do Programa Turismo na Escola, promovido pela Prefeitura de Fortaleza. O objetivo, segundo a prefeitura, é apresentar equipamentos turísticos aos estudantes, dando a oportunidade de conhecerem a história e cultura da cidade.

O projeto vai beneficiar estudantes do I e II do Ensino Fundamental das 284 escolas da rede pública de Fortaleza. A primeira instituição contemplada será a Escola Municipal Rogaciano Leite, localizada no Bairro José Walter.

O Turismo na Escola vai acontecer às terças e quintas feiras, nos turnos manhã e tarde, quando cerca de 40 alunos serão contemplados por turno.

No roteiro sugerido pelo programa os alunos conhecerão o Forte Nossa Senhora da Assunção, Museu da Indústria, Passeio Público de Fortaleza, Praça do Ferreira, Praça dos Leões e o Museu do Ceará.

Para o titular da Setfor, Elpídio Nogueira, o Programa Turismo na escola poderá ainda influenciar na escolha das profissões desses jovens. “Com o acesso à informação sobre os equipamentos turísticos e a história deles, os estudantes podem se identificar e se tornarem futuros profissionais no ramo do turismo em nosso Estado”.

(G1 Ceará)

Sete agências bancárias são atacadas em 30 horas no Rio Grande do Sul

Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

Pelo menos sete agências bancárias foram atacadas entre a noite de quinta e a madrugada deste sábado no Rio Grande do Sul. Os arrombamentos ocorreram em Porto Alegre, Alvorada, Vista Alegre, Minas do Leão, Barra do Ribeiro, Vila Flores e Seberi.

Cinco desses casos ocorreram em um intervalo de apenas 15 horas — foi a terceira vez em sete anos que o Estado registrou essa quantidade de ataques a banco em um único dia.

Os arrombamentos mais recentes ocorreram em Porto Alegre e Alvorada. Na Capital, segundo informações da Rádio Gaúcha, dois homens foram presos no começo da madrugada de sábado após invadirem uma agência do Banco do Brasil.

Conforme a Brigada Militar (BM), um grupo de quatro a cinco criminosos entrou no banco, localizado na Avenida Salgado Filho, por um buraco no forro da sala onde fica o cofre da agência. Os bandidos chegaram até o local por um estabelecimento que fica no mesmo prédio do banco. Nenhum valor foi levado.

Em Alvorada, assaltantes invadiram uma agência do Bradesco localizada na Avenida Getúlio Vargas, por volta das 4h, mas o cofre ou os caixas eletrônicos não foram danificados.

O ataque mais violento aconteceu em Minas do Leão, onde um grupo formado por três a quatro criminosos explodiu dois caixas eletrônicos de uma agência do Banrisul na Avenida Getúlio Vargas. O ataque ocorreu por volta das 3h40min de sexta-feira e deixou a fachada da agência totalmente destruída.

Segundo testemunhas, os bandidos chegaram e fugiram em um Focus prata depois de usar quatro bananas de dinamite para danificar terminais de autoatendimento e levar dois malotes de dinheiro.

Em Vista Alegre, no noroeste gaúcho, assaltantes arrombaram uma agência do Banrisul no começo da tarde de sexta. Um deles foi preso e um veículo foi apreendido. A polícia faz buscas aos outros foragidos. A quantia roubada não foi divulgada.

Em Barra do Ribeiro, os criminosos usaram um maçarico para arrombar uma agência do Banco do Brasil. As informações são da Rádio Gaúcha.

Outro ataque aconteceu a uma agência do Banco do Brasil em Seberi, onde pelo menos um caixa eletrônico foi aberto com maçarico. A Brigada Militar faz buscas aos criminosos na região e aguarda a chegada da perícia para saber mais detalhes sobre a ação. Ainda não se sabe o número de pessoas envolvidas no ataque nem se o grupo conseguiu levar o dinheiro da agência.

O primeiro dos cinco ataques ocorreu por volta de 22h de quinta em uma agência do Banrisul em Vila Flores. Segundo informações da Brigada Militar, um grupo de criminosos arrombou dois caixas eletrônicos com maçaricos e fugiu antes da chegada dos policiais. Ainda não há informações sobre a quantidade de dinheiro levada pelo grupo.

Além dos ataques a agências, na madrugada deste sábado cerca de 10 ladrões renderam funcionários do mercado Maxxi Atacado, em Viamão,  e usaram um maçarico para abrir um caixa eletrônico.

Via http://zh.clicrbs.com.br

Fortaleza: Escola Porto Iracema das Artes abre novos programas de formação para 2015

Escola Porto Iracema das Artes

A Escola Porto Iracema das Artes, em Fortaleza, lançou novos programas de formação. Laboratório de Dança, Criadores em Cena, Residência em Audiovisual e Curso de Dramaturgias Audiovisuais são alguns dos novos projetos previstos para 2015, que prevê cerca de 500 matrículas na primeira oferta de vagas do ano. Os cursos são divididos em nove áreas do campo cultural: dramaturgia, audiovisual (cinema, televisão, animação, jogos digitais e transmídia), artes visuais e multimídias, dança, música e artes cênicas.

O projeto pedagógico do Porto Iracema das Artes prevê quatro esferas formativas: cursos básicos, cursos técnicos, laboratórios de criação e portos do conhecimento.  “Estamos aprofundando experiências e ampliando nossas ações. Além dos novos programas que estamos lançando, estamos trabalhando num grande projeto de formação musical, reunindo um pool de parceiros para lançarmos até final de 2015”, afirma Paulo Linhares, o presidente do Centro Dragão do Mar.

As inscrições para os cursos básicos podem ser feitas até 12 de abril no site da escola. Os interessados nos laboratórios podem fazer inscrições até 30 de abril. Todos os cursos ofertados pela Porto Iracema das Artes são totalmente gratuitos.

Serviço:
Inscrições para o Ano Letivo de 2015 (Cursos Gratuitos)
De 31 de março a 12 de abril – Cursos Básicos
De 02 a 30 de Abril – Laboratórios
Inscrições no Portal da Escola Porto Iracema das Artes

Via G1 Ceará

Eduardo Cunha é malhado como Judas em Fortaleza

Ceará 247 – O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi malhado como Judas. As críticas aconteceram em cortejo que o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Ceará (Sindsaúde) e a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

“Escolhemos o Eduardo Cunha, porque ele representa o que há de mais atrasado na política brasileira”, afirmou a presidente do Sindsaúde, Marta Brandão. O grupo, formado por 300 pessoas, saiu da Praça da Lagoinha e andou por quase um quilômetro até a Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza, onde foi lido o seguinte “testamento” do boneco que simbolizava o presidente da Câmara:

“Tendo por alvo os direitos dos nossos trabalhadores, vamos fazendo os ajustes nesse planalto de dores, cercado de chantagistas, vilões e achacadores, relembrando a Via Crucis, que estremece a Nação, expondo o trabalhador à constante humilhação com restrição de direitos e à terceirização”.

Via Brasil 247

Atos contra a Rede Globo se espalham pelo país

Protestando contra o monopólio da mídia, a sonegação de impostos e o “golpismo”, manifestantes fizeram ato em frente às sedes da Globo em ao menos seis cidades. Movimentos sociais, sindicatos e coletivos já articulam grande mobilização para “descomemorar” o aniversário da emissora; confira imagens

Por Ivan Longo

Prestes a completar 50 anos de existência, a Rede Globo está sendo alvo de inúmeros “escrachos” pelo país. Aproveitando o mês de aniversário, o momento político e a forma como a empresa vem manipulando informações, manifestantes estão ocupando as sedes da emissora em diversas cidades com o intuito de reivindicar a democratização das comunicações e o fim da concessão pública ao canal de televisão.

Na noite deste 1º de abril, foram registrados atos contra a Globo em ao menos seis cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Vitória, Curitiba e Maringá.

O ato do Rio de Janeiro, onde fica a sede principal da emissora, foi o mais expressivo e contou com, ao menos, mil pessoas.

Além das reivindicações pela democratização das comunicações, os manifestantes também lembraram o fato de a Globo ter apoiado a ditadura militar e continuar articulando “golpismos” até os dias de hoje. Cartazes com a inscrição “Globo Golpista” eram os mais recorrentes.

Entre outras pautas que sustentam o protesto contra a empresa dos irmãos Marinho está a sonegação de impostos que seria praticada.

 

Ato em Belo Horizonte

Movimentos sociais entram na luta 

As manifestações deste 1º de abril contra a Rede Globo serviram mais como um “esquenta” para o que vem pela frente. Movimentos sociais e coletivos organizados, como Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST), Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Fora do Eixo, Levante Popular da Juventude, União da Juventude Socialista, Intervozes e outros organizam grandes mobilizações para o final de semana, no aniversário da emissora.

A ideia é, ao longo do mês de abril, realizar uma série de intervenções, por todo o Brasil, contra a Rede Globo para, no final de semana do dia  26 (aniversário da Globo), realizar um grande ato de “descomemoração”.

A data exata e o local do grande ato serão definidos na próxima semana e a mobilização foi dividida em três pilares: o golpismo, a sonegação de impostos e a reivindicação pela democratização da mídia.

 

(Revista Fórum)

Wesley Safadão, Gabriel Diniz e Banda Eva agitam 4ª edição do Garota Vip em Fortaleza


Abril está apenas começando! E a expectativa dos fãs de forró e festeiros do Ceará só aumenta com a relação de shows programados para o mês. Um dos mais esperados é o Garota Vip. E mais uma vez, Wesley Safadão será o responsável por agitar o público até o amanhecer, marca registrada do evento.

A apresentação está marcada para o dia 30 de abril, uma quinta-feira véspera de feriado. A novidade da edição 2015 será o local. O Centro de Eventos do Ceará será o palco da festa forrozeira.

A venda de ingressos começou na terça-feira (31), e logo o primeiro lote ficou esgotado. Os valores do 2º lote vão de R$ 60,00 até R$ 290,00. Os bilhetes podem ser adquiridos pelainternet ou através de venda física.

O projeto Garota Vip teve início em 2011. De lá para cá, já aconteceram outras duas edições (2013 e 2014), todos no antigo Mucuripe Club. Idealizado no Ceará, o projeto já roda várias capitais brasileiras. A última edição do evento ocorreu em Natal-RN.

Além de Wesley Safadão, o Garota Vip Fortaleza 2015 vai contar com apresentações de Gabriel Diniz e da Banda Eva.

Serviço Garota VIP Fortaleza 2015

Data: 30 de abril | Quinta-feira
Local: Centro de Eventos do Ceará
Horário de abertura dos portões: 22 horas

Classificação:
16 anos (Pista)
18 anos (Camarote-frontstage e Lounge Backstage Open Bar)
Obrigatória apresentação de documento oficial para verificação de idade, de acordo com ingresso

Valores:
Pista Meia – R$ 60,00 – 2º lote;
Pista Inteira – R$ 120,00 – 2º lote;
Camarote – Frontstage Meia – R$ 145,00 – 5º lote
Camarote – Frontstage Inteira – R$ 290,00 – 5º lote
Lounge Backstage – R$ 290,00 – 3º lote – (Open Bar de cerveja, whisky, vodka, refrigerante e água).
Valores sujeitos a alterações de preços sem necessidade de avisos prévios

Ponto de vendas:
Venda física – Loja Eh Loco e lojas Zefirelli (Iguatemi, Shopping Parangaba e North Shopping).
Venda online – www.ticmix.com.br
Informações: (85) 3264.8091

(Blog Puxaofole, Diário do Nordeste)

 

Aviões do Forró homenageiam 289 anos de Fortaleza

São quase três séculos de história e um ritmo que contagia o país. A capital Fortaleza completa 289 anos no próximo 13 de abril com uma homenagem especial do Ministério do Turismo. Para celebrar as belezas de Fortaleza – e a paixão pela cidade – os Aviões do Forró, uma das bandas cearenses de maior expressão musical, se declara à capital do sol. “Foi em Fortaleza que demos início a nossa carreira”, diz Solange Almeida, vocalista da banda, que ganhou o título de cidadã da cidade. Em entrevista à Agência de Notícias do Turismo, Solange disse que as praias são maravilhosas, “o povo é acolhedor e a cidade respira o ritmo do forró”.

Fortaleza é a quarta mais visitada pelos brasileiros em viagem pelo país. É também um dos destinos mais procurados por brasileiros e estrangeiros, de acordo com o Ministério do Turismo. Italianos, argentinos, portugueses e norte-americanos estão entre os visitantes internacionais mais vistos pela cidade. A maioria deles (79,5%) pretende voltar ao Brasil. “Fortaleza é um destino admirável, com opções que vão do ecoturismo à riqueza cultural, variedades que agradam a diferentes perfis de viajantes”, disse o ministro do Turismo, Vinicius Lages. O órgão já investiu mais de R$ 24 milhões em obras na cidade.

Suas praias estão entre os principais atrativos da cidade, que tem 34 km de litoral. A Praia do Futuro é uma das preferidas dos banhistas, com calçadão e grande oferta de gastronomia regional. A Praia do Meireles, com quadras esportivas, é indicada para quem procura diversão e a prática de exercícios físicos; já a tradicional Praia de Iracema, uma das mais disputadas por visitantes e moradores, atrai o público com sua feira de roupas, artesanatos, calçados e bolsas.

Fortaleza tem uma série de atrativos culturais, como o Theatro José de Alencar, de estrutura metálica, modelado por vitrais coloridos e com pinturas no teto; o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, com salas de cinema, teatro, um museu de arte contemporânea e um planetário, além do Mercado Central, com uma feira de artesanato e eventos culturais.

A cidade também agrada quem procura por boa gastronomia. Além da culinária local, que inclui baião de dois, carne de sol, moquecas, peixadas e caranguejadas, é possível encontrar restaurantes de comida italiana, francesa, entre outras. Isso se deve, em parte, pela formação da cidade, com grande presença de imigrantes, especialmente de portugueses, espanhóis italianos, ingleses, franceses e sírio-libanesas.

Via http://www.portalnovidade.com.br

Veja o que fecha e o que abre na Semana Santa em Fortaleza

Na Semana Santa, as lojas do Centro e dos shoppings de Fortaleza estarão fechadas apenas no feriado da sexta-feira santa (3). Supermercados e postos de combustíveis funcionarão na Sexta-feira da Paixão. As agências bancárias só estarão abertas até esta quinta-feira (2).

Comércio
Durante a Semana Santa, o comércio estará fechado na sexta-feira (3) e abrirá normalmente no sábado (4), de acordo com o Sindicato do Comércio Varejista e Lojista de Fortaleza (Sindilojas). O OFF Outlet Fashion Fortaleza terá funcionamento diferenciado no feriado da Semana Santa. O outlet center fecha as portas na sexta-feira (3) e reabre para o fim de semana, com funcionamento normal: sábado, das 9h às 21h, e domingo, das 11 às 19h.

Supermercados
Na Semana Santa, de 3 a 5 de abril, as lojas da rede Pão de Açúcar em Fortaleza terão funcionamento normal, bem como as lojas Extra Hipermercado e Extra Supermercado. As lojas da rede Assaí Atacadista, localizadas em Fortaleza, Caucaia, Juazeiro do Norte e Sobral funcionarão de 7h às 18h na sexta-feira (3). Já no sábado (4) e domingo (5), o funcionamento será normal.

Repartições públicas e instituições de ensino
Universidades e escolas também não funcionarão a partir desta quinta-feira. As repartições públicas estaduais terão ponto facultativo durante toda a quinta-feira (2). A Prefeitura de Fortaleza decretou ponto facultativo nas repartições da administração pública municipal a partir das 12h da quinta-feira. Os serviços essenciais, como socorros urgentes, limpeza pública, fiscalização e orientação de trânsito, vigilância e salva vidas, terão funcionamento normal.

Bancos
No feriado da Sexta-feira da Paixão, não haverá atendimento nas agências bancárias. A população poderá utilizar os canais alternativos de atendimento para realizar as demais operações bancárias, como caixas eletrônicos, internet banking,mobile banking, banco por telefone e correspondentes. As contas com vencimento marcado para o dia 3 de abril como contas de consumo e os carnês poderão ser pagos no próximo dia útil, dia 6 de abril, sem incidência de multa. Os tributos, normalmente, já estão com data ajustada pelo calendário de feriados.

Shoppings
No Shopping Iguatemi, no feriado da sexta-feira (3), só funcionará praça de alimentação, das 10h30 às 22h, cinema, das 13h às 00h, Extra, das 7h às 00h, e Lojas Americanas, 10h às 22h. No sábado e domingo, o funcionamento de todos os setores do shopping é normal. No shopping Aldeota, na sexta-feira da Paixão, só funcionará a praça de alimentação. No Sábado de Aleluia e no domingo de Páscoa, o funcionamento é normal.

O Shopping Parangaba abrirá em horário normal até quinta-feira (2). Na Sexta-Feira da Paixão, lojas e quiosques estarão fechados, com exceção da Lojas Americanas, que funcionará de 11h às 22h, e praça de alimentação e lazer de 11h às 22h. O funcionamento das lojas e quiosques voltam aos horários padrões no Sábado de Aleluia, funcionando de 10h às 22h, e no domingo de Páscoa, de 14h30 às 20h30.

No RioMar Fortaleza, lojas e quiosques ficarão fechados na sexta-feira (3). Funcionarão Game Station, das 10h às 22h, cinema, das 12h às 02h, praça de alimentação, das 10h às 22h, Lojas Americanas, das 10h às 22h, supermercados,  das 9h às 22h, e farmácia, das 10h às 22h. No sábado e domingo, o funcionamento será normal. O shopping também oferece uma programação especial, com oratório Pascal, com três solistas se apresentando na Praça de Eventos 2. As apresentações ocorrerão nos dois dias, nos horários: 13h às 14h, 16h às 17h e 19h às 20h.

No Shopping Benfica, na sexta-feira (3), cinema e praça de alimentação funcionarão de 11h30 às 22h; lojas, quiosques e boxes estarão fechados. No sábado (4) e domingo (5),  todos os setores funcionarão no horário normal, das 10h às 22h.

Cagece e Coelce
A Companhia de Água e Esgoto do Estado do Ceará (Cagece) funcionará em regime de plantão da quinta-feira (2) até domingo (5). Somente as lojas de atendimento terão o seu funcionamento normal, na quinta (2), das 8 horas às 17 horas.

De sexta (3) a domingo (5), fecharão e reabrirão na segunda-feira (6). A loja de Crateús não funcionará na quinta-feira (2). Qualquer solicitação ou reclamação relativas à Cagece, em todo o Ceará, poderão ser encaminhadas a qualquer hora para a Central de Atendimento, por meio do telefone 0800.275.0195.

A Companhia Energética do Ceará (Coelce) manterá equipes de plantão em pontos estratégicos em todo o estado para atendimento emergencial. Para comunicar ocorrências, solicitar serviços ou informações, a população pode ligar gratuitamente para o número 0800.285.0196.

Hemoce
Durante a Semana Santa, as doações podem ser feitas no hemocentro coordenador (Fortaleza), nos hemocentros regionais (Sobral, Crato, Iguatu, Quixadá), hemonúcleo de Juazeiro do Norte, no posto de coleta no IJF e no Via Sul Shopping. Homens podem doar a cada dois meses, e mulheres de três em três meses. De acordo com o Hemoce, todos os tipos sanguíneos são necessários, mas há uma maior necessidade para o A positivo, O positivo e negativo. A unidade móvel do Hemoce está na Praça do Ferreira, em frente à Caixa Econômica Federal, até o dia 2 de abril, das 8 às 16 horas.

Metrofor
– Linha Sul (Fortaleza – Pacatuba): abertura das estações das 6h30 às 19h, quinta-feira (2) e sábado (4). Sexta-feira (3) fechado.
– Linha Oeste (Fortaleza – Caucaia): quinta-feira (2) e sábado (4) em operação comercial das 5h30min às 20h25min. Sexta-feira (3) fechado.
– Metrô do Cariri (Juazeiro do Norte – Crato): quinta-feira (2) das 6h às 19h, e sábado (4) das 6h às 14h. Sexta-feira (3) fechado.
– Metrô de Sobral: Retomará atividades na segunda-feira(6), das 8h às 12h (operação assistida de segunda a sexta, sem cobrança de passagem).

(G1 Ceará)

Trajetória do líder sindical José Souza é retratada em documentário

José de Souza

O líder sindical e ex-presidente do Sindicato dos Bancários de Sergipe (Seeb/SE), José Souza, foi homenageado com o lançamento do documentário “José Souza de Jesus, presente!”. O vídeo traz a trajetória social, sindical e da militância comunista do sindicalista falecido em outubro de 2014. A produção foi lançada na noite desta terça-feira, 31, data em que Souza faria 57 anos.

O documentário traz diversos depoimentos de familiares e amigos de Souza, além de sindicalistas de Sergipe de outros estados. “O documentário traz a trajetória dele no sertão sergipano, o sofrimento de qualquer criança pobre e sertaneja para estudar e construir sua vida, seu primeiro emprego e o momento em que ele ingressou na categoria bancária. Vamos eternizar não só o homem físico, mas o que ele representou, suas ideias, sua liderança e sua obras. Precisávamos eternizar isso de alguma forma para que essa história ajude a construir novas militâncias no movimento sindical”, explica Ivânia Pereira, presidente do Seeb/SE.

Ivânia conta ainda que após o lançamento, o documentário será disponibilizado nas bibliotecas das instituições de ensino superior de Aracaju. “Nossa intenção é encaminhar cópias para as bibliotecas das faculdades e disponibilizar para a juventude. Homens e mulheres com a trajetória de Souza não podem ficar guardados entre os seus pares, precisamos levar isso para a sociedade”, destaca. Esse momento vai eternizar a militância de um camarada cuja atuação no mundo do trabalho nunca teve momento que denegrisse sua imagem. Foi uma trajetória de muitas contribuições, uma liderança ímpar. Vamos nos esforçar para dar continuidade à trajetória dele”, completa.

A viúva de Souza, a jornalista Niura Belfort, participou diretamente da produção do documentário. De acordo com ela, desde que ingressou no movimento sindical na década de 80, Souza abraçou e não largou mais a causa. “Ele era um comunista por convicção. Passou a estudar, lia tudo, participava de todos os cursos e foi se qualificando. Ele abraçou essa causa e foi crescendo e sendo reconhecido pelo seu papel no movimento sindical. Souza não defendia apenas os bancários, mas todas as categorias, pois para ele, a classe trabalhadora era um só. Ele desenvolveu tudo isso de forma ética, honesta e coerente, sem fazer disso um trampolim para ter status. Ele fazia por amor”, conta.

Perda

Souza foi vítima de um infarto fulminante quando estava em um hotel de Fortaleza no dia 21 de outubro de 2014. Ele estava participando das negociações dos dias parados da greve da categoria de 2014 e da assinatura do aditivo da Convenção Coletiva do Banco do Nordeste (BNB). Souza era membro titular do Comando Nacional dos Bancários.

Via http://www.infonet.com.br/cidade//ler.asp?id=170945

Barragem do Cedro e mais cinco bens brasileiros são indicados a Patrimônio Mundial

A Barragem do Cedro nos Monólitos de Quixadá e mais cinco bens culturais foram incluídos na indicação brasileira para a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) como Patrimônio Cultural Mundial.
A Barragem do Cedro foi a primeira grande obra hidráulica moderna da América do Sul e uma das pioneiras obras do seu tipo no mundo. Além de sua funcionalidade de represamento, a estrutura chama atenção pelo seu desenho e sua paisagem, formada por monólitos.
Poderão ainda ser incluídos como Patrimônio Mundial os Geoglifos do Acre (AC), os Teatros da Amazônia (AM, PA), as Itacoatiaras do Rio Ingá (PB), o Sítio Roberto Burle Marx (RJ) e o Conjunto de Fortificações do Brasil (AP, AM, RO, MS, SP, SC, RJ, BA, PE, RN).
A lista indicativa brasileira tem 24 bens. Além dos seis últimos adicionados, ainda constam outros 18, como o Cais do Valongo (RJ), a Vila Ferroviária de Paranapiacaba (SP) e o Ver-o-Peso (PA).
A iniciativa inclui bens culturais, naturais e mistos. O objetivo é incentivar a preservação do patrimônio cultural e natural mundial.
Redação O POVO Online

Fortaleza entre os cinco destinos mais procurados na Semana Santa

Fortaleza está entre as cinco cidades mais procuradas para se aproveitar o feriado da Semana Santa. O dado é da agência online ViajaNet, que listou os cinco destinos nacionais mais procurados pelo consumidor.

Além de Fortaleza, as cidades de São Paulo,Rio de Janeiro, Recife e Salvador compõem o ranking. Ainda de acordo com a agência online, o fluxo de vendas nesse ano cresceu bastante em comparação aos meses anteriores, inclusive no período do Natal eAno Novo. Entre fevereiro e março a variação foi de 170% na procura por passagens relacionadas ao período da Páscoa.

Hotelaria

No último feriado prolongado, durante o Carnaval, a rede hoteleira cearense obteve bons resultados, quando teve quase que toda a capacidade preenchida com 91,54% de ocupação. A expectativa para os próximos dias é que a taxa de ocupação ultrapasse o ano anterior.

(Diário do Nordeste)

IV Edição do festival “Curta o Gênero” discute diversidade na Casa Amarela Eusélio Oliveira

Com a missão de celebrar a diversidade de gêneros, a quarta edição do festival“Curta o Gênero” leva uma programação mega especial ao Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e à Casa Amarela Eusélio Oliveira, entre os dias 7 e 18 de abril. A entrada é Catraca Livre.

Os interessados em participar do evento como ouvintes precisam se inscrever na Casa Amarela, na segunda-feira, dia 13, das 14h às 18h. Os visitantes devem levar um quilo de alimento não perecível, que será doado para a Central de Segurança Alimentar do Fórum do Movimento Social de Luta contra a Aids do Ceará.

BR Trans - divulgação

A programação do evento tem mostra de teatro, shows, feira de livro, exposição, sessões de cinema, bate-papos e oficinas.

Um dos destaques é a quarta edição do “Seminário Internacional Gênero, Cultura e Mudança”, que reúne uma série de pesquisadores de universidades nacionais e internacionais para discutir questões relacionadas a esses temas.

Outra atração é a “IV Mostra Internacional Audiovisual Curta o Gênero”, que projeta curtas-metragens de cineastas que já se inscreveram no festival.

Gênero em Cena no Teatro do Dragão do Mar

Terça-feira, dia 7 de abril
19h
“BR Trans”, de Silvero Pereira (CE)Quarta-feira, dia 8 de abril
19h
“Maieutica”, de Parafernália Poética (CE)

Quinta-feira, dia 9 de abril
19h
“Borboletas de Sol de Asas Magoadas”, de. Evelyn Ligocki (RS)

Sexta-feira, dia 10 de abril
19h
“Sete Ventos”, de Débora Almeida (RJ)

Cine Freud especial Curta o Gênero no Cinema do Dragão
Sábado, dia 11 de abril
19h
Sessão de “Eu, mamãe e os meninos” (2013), de Guillaume Gallienne, e debate com Magaly Mendes, diretora técnica do Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto

Sábado, dia 18 de abril
14h30 às 16h
IV Mostra Internacional Audiovisual Curta o Gênero
Filmes:
“Fragrância” (Brasil, 2013), de Clarissa Rebouças
“Guida”, (Brasil, 2014), de Rosana Urbes
“La Clase de Baile” (Colômbia, 2013), de Camilo Cogua
“Enbaraçadas” (Brasil, 2014), de Paulo Sena
“Always On My Mind” (Mexico, 2013) Ana Laura Calderón
“Pepper” (EUA, 2014), de Craig Young e Marc Cleary

Camilo Santana indica professora Zelma Madeira para Coordenadoria da Igualdade Racial

Foto: Facebook/Zelma Madeira

O governador do Ceará, CAMILO SANTANA, nomeou a Professora Doutora Zelma Madeira para coordenar a Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial do Estado Ceará, órgão diretamente ligado ao Gabinete do Governador.

A Profa. Zelma Madeira possui graduação em Serviço Social pela Universidade Federal do Piauí-UFPI (1991), especialização em Ciências Políticas pela Universidade Federal do Ceará – UFC (1993), mestrado em Sociologia do Desenvolvimento (1998) e doutorado em Sociologia (2009), ambos pela UFC.

É professora do curso de graduação de Serviço Social da Universidade Estadual do Ceará-UECE, desde 1997, e do curso de mestrado em Serviço Social, Trabalho e Questão Social da UECE, desde 2012.
É coordenadora do NUAFRO-Laboratório de Afro-brasilidade, Gênero e Família da UECE, desde 2010, e Líder do Grupo de Pesquisa Relações Étnico-Raciais, Cultura e Sociedade da UECE, desde 2010.

Coordenou o Fórum Estadual Permanente de Educação de Diversidade Étnico-Racial do Ceará, entre 2009/2011. Integrou a Comissão Técnica de elaboração da Proposta ENEM, SISU e COTAS da UECE, no período de 2013/2014. Elaborou o Plano Municipal de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (“Igualdade é pra Valer”), do município de Fortaleza, apresentado pela COPPIR – Coordenadoria de Política de Promoção da Igualdade Racial do Município de Fortaleza (2011).

Tem experiência nas áreas de sociologia e de serviço social, com ênfase em relações de gênero, étnico-raciais e família, atuando principalmente nos seguintes temas: família, gênero, políticas sociais, política de ação afirmativa, política de assistência social, sociologia, relações étnico-raciais, cultura e religião de matriz africana.

 

(Brasil 247)

Saiba o que funciona durante o feriado de Semana Santa em Fortaleza; postos abrirão

A sexta-feira da Paixão (3), feriado religioso estabelecido por Lei federal, modificará o horário de funcionamento do comércio e de serviços na Capital. Bancos e  lojas de rua estarão fechados. Os supermercados funcionarão normalmente, segundo a Associação Cearense de Supermercados (Acesu).

No sábado (4) e no domingo (5), o funcionamento do comércio é normal.

Confira o que abre nos shoppings:

North Shopping
Alimentação e Lazer: 11h às 22h
Super Lagoa: 7h às 22h
Americanas: 11h às 22h

Shopping Rio Mar
Alimentação e lazer: das 10h às 22h
Cinema: das 12h às 02h
Lojas Americanas: das 10h às 22h
Supermercados: 9h ás 22h
Extrafarma: das 10h às 22h

Shopping Benfica:
Alimentação e entretenimento: das 11h 30 até às 22h
Cinema: a partir das 13h
São Luiz: 08h às 22h
Lojas Americanas: 11h30 às 22h

North Shopping Jóquei
Alimentação e lazer: 11h às 20:30h
Todas as lojas e quiosques estarão fechados.

Shopping Iguatemi
Alimentação e Lazer: 11h às 22h

Shopping Del Paseo
Praça de Alimentação: 10h às 22h
Cinema: a partir das 13h

Shopping Parangaba
Alimentação e lazer: 11h às 22h
Lojas Americanas: 11h às 22h

Bancos:
Todas as agências bancárias estarão fechados na sexta-feira(3), de acordo com o Sindicato dos Bancários do Ceará. As contas que vencem nesta data poderão ser pagas na segunda-feira (6) sem acréscimo de multa e juros.

Centro:
Lojas e Mercado Central estarão fechados na sexta-feira da Paixão.

Postos de combustíveis
De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de derivados de Petróleo do Estado do Ceará (Sindipostos), os postos de gasolina operam normalmente no feriado.

(Rádio Verdes Mares)

 

6° Seminário do Patrimônio Cultural de Fortaleza recebe inscrições

Durante os dias 14 a 16 de abril de 2015, no Museu da Indústria, acontece a sexta edição do Seminário do Patrimônio. A atividade busca reunir experiências no intuito de debater sobre a preservação e valorização dos bens culturais de Fortaleza. Os interessados em participar da programação podem se inscrever online, até o dia 10 de abril, por meio do formulário disponível em online (veja abaixo). Serão ofertadas 150 vagas e os participantes inscritos terão direito a certificado (cumprindo 75% da frequência). As inscrições para as oficinas e cursos serão realizadas posteriormente.

Clique aqui para acessar o formulário online.

Em 2015, ano em que Fortaleza completa 289 anos, o Seminário volta a integrar parte da programação em comemoração do aniversário da cidade e terá como tema central “Memórias e Desenvolvimento Sustentável”. Este ano o Seminário do Patrimônio volta seu olhar para o patrimônio histórico e cultural de Fortaleza em busca de promover ações de sustentabilidade e de percepção mais crítica para nossos bens culturais. Sua programação será composta por cursos, oficinas e mesas-redondas e terá a participação de especialistas no assunto em âmbito local e nacional.

Entre o público-alvo esperado estão: estudantes de ensino fundamental e médio; estudantes do ensino superior das áreas de Patrimônio, Arquitetura, História, Turismo, Artes Visuais, dentre outras; professores da rede municipal e estadual de ensino; pesquisadores interessados; detentores e detentoras de bens registrados como patrimônio material; organizações da sociedade civil; representantes de movimentos sociais; profissionais de turismo; profissionais da educação da cidade e demais interessados.

O 6° Seminário do Patrimônio Cultural é uma realização da Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, numa promoção do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB), Câmara dos Dirigentes Logistas (CDL), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Ceará (Sebrae-CE) e apoio da Universidade Estadual do Ceará (UECE), Serviço Social do Comércio (SESC) e Museu da Indústria.

Serviço:
Inscrições para o 6° Seminário do Patrimônio Cultural
Prazo: Até o dia 10 de abril de 2015
Formulário disponível online: Clique aqui
Mais informações: 3105.1291

Programação completa

14 de abril (terça-feira)
8h às 17h – Credenciamento
9h às 12h – Curso: Projetos Culturais e Gestão do Patrimônio Cultural | Ministrante: Diego Dionísio | Local: Centro Cultural do Banco do Nordeste | Vagas: 35 vagas | Serão abertas inscrições específicas no primeiro dia do evento (14/4/2015), por ordem de chegada, às 8h30. *A pessoa inscrita deverá participar de dois dias de curso para receber o certificado.
13h30 – Abertura do evento
14h às 15h30 – Mesa Redonda – Patrimônio Cultural e desenvolvimento sustentável das cidades, com o Prof. Dr. Leonardo Castriota (UFMG) e Prof. Ms. Emanuel Oliveira Braga (Iphan – PB).
16h às 18h00 – Mesa redonda – Educação Integral, Territórios Educativos e Patrimônio Cultural com a Profa. Dra. Vanessa Louise Batista (UFC), Profa. Ms. Sônia Regina Rampim Florêncio (Ceduc / DAF/ Iphan) e a Ms. Beatriz Goulart.
18h – Abertura da exposição “Centros” | Curadoria: João Lucas Vieira e Eugênio Moreira

15 de abril (quarta-feira)
8h às 12h – Curso: Projetos Culturais e Gestão do Patrimônio Cultural | Ministrante: Diego Dionísio | Local:Centro Cultural do Banco do Nordeste | Ministrante: Diego Dinísio | Local: Centro Cultural do Banco do Nordeste.
9h às 11h – Oficina: Um olhar brincante para a cultura brasileira | Ministrante: Rosane Almeida (Instituto Brincante) / Local: Teatro Antonieta Noronha
13h30 às 15h30 – Mesa redonda – Os inventários como metodologias para a preservação com Igor de Menezes (Iphan/CE); Ms. Adriano Paulino de Almeida (Inventário Bom Jardim); Ms. Susana Cristina Marques Caramelo (Inventário de Fortaleza); e Ms. Alênio Carlos Noronha Alencar (Inventário de Fortaleza).
16h às 18h00 – Mesa redonda – Registros e as políticas de salvaguarda com o Prof. Diego Dionisio (Instituto Abaçai – SP); Ms. Romério Zeferino (Associação Cultural de Zabelê – PB) e Ms. Mônia Silvestrin (DPI – Iphan).
18h – Lançamento do livro “Cultura, Políticas e Identidades: Ceará em perspectiva” (Vol. I) – Organizadores: Igor de Menezes Soares e Ítala Byanca Morais da Silva (Iphan).

16 de abril (quinta-feira)
9h às 12h – Mesa Redonda: Patrimônio, projetos culturais e desenvolvimento local com a Profa. Dra. Simone Scifoni (USP), Luiz Eduardo Sarmento (Paço do Frevo – Recife) e o Dr. Leandro Brusadin (UFOP).
14h- 18h Mesa Debate – Patrimônio e Desenvolvimento Urbano com Rosane Almeida (Instituto Brincante), Dra. Nádia Somekh (Presidente do CONPRESP), André Montenegro (Sinduscon), Cristina Chaul (Sindicato dos Corretores), Lia Parente (IPLANFOR), Dra. Águeda Muniz (SEUMA) e Reinaldo Salmito (COPFOR).
18h – Lançamento: Coleção Pajeú sobre a História dos bairros de Fortaleza.

(Prefeitura de Fortaleza)

Como ficarão as políticas de diversidade e igualdade no Ministério da Educação?

Eugenia Gonzaga, pelo Facebook

Como ficarão as políticas de diversidade e igualdade no Ministério da Educação?

A SECADI está sem secretário(a) há meses. E é um setor crucial para uma educação de qualidade e com respeito aos direitos humanos. Trata-se do órgão responsável pelas políticas de inclusão escolar, que têm como seu ponto de partida a inserção de alunos com deficiência no ensino escolar. Essa população exige uma série de avanços nas práticas pedagógicas, sem as quais não se promove sua participação em igualdade de condições com os demais alunos.

Esses avanços vêm em benefício de todos(as) os(as) alunos(as), que são favorecidos por um ambiente plural, mais acolhedor e respeitador das diferenças. Nesse sentido, ainda na gestão de Fernando Haddad, essa secretaria foi criada de modo a ampliar o foco da inclusão escolar de pessoas com deficiência para também promover a valorização da cultura afro-brasileira, africana, dos povos indígenas e das práticas pedagógicas emancipatórias que englobam todos aqueles que historicamente foram excluídos do processo educacional, seja por questões de orientação sexual, religiosa, origem social e tantas outras.

A sua primeira secretária foi Cláudia Pereira Dutra, então responsável pelas políticas de educação especial para os alunos com deficiência. Tratou-se de uma escolha natural, pois, como já afirmado, a inclusão escolar de alunos com deficiência compreende uma mudança complexa na cultura escolar. Em sua gestão teve como secretária adjunta Martinha Clarete dos Santos, uma das grandes lideranças na construção de uma cultura da pluralidade no sistema educacional brasileiro. Desse modo, a SECADI foi responsável por políticas e projetos importantíssimos como o Pronacampo, o financiamento específico para EJA, a implantação das diretrizes para educação quilombola, a educação ambiental e a educação em direitos humanos.

O novo Ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, que está representando uma nova inspiração para a educação brasileira, precisa olhar para esse setor e fazer com que ele volte a ser o principal instrumento para enfrentar o desafio de assegurar o direito de todos e de todas à educação.

O nome que surge, neste momento, é o da professora Martinha Clarete dos Santos, gestora do MEC, responsável pela Diretoria de Educação Especial, membro do Fórum nacional de Educação – FNE e atuante na formulação e defesa das resoluções da CONAE.

Esperamos que o novo Ministro não deixe a SECADI sem um(a) gestor(a) por mais tempo e que opte por quem já demonstrou experiência e comprometimento absoluto com as políticas de diversidade e igualdade.

Via http://jornalggn.com.br/noticia/como-ficarao-as-politicas-de-diversidade-e-igualdade-no-ministerio-da-educacao

Fortaleza é a 3ª cidade mais procurada entre destinos para a Semana Santa

O site Trivago, que compara preço de hotéis da atualidade, revelou quais são os destinos preferidos dos interessados em viajar pelo mundo na Semana Santa em 2015. Rio de Janeiro está em primeiro lugar, seguido de Natal, no Rio Grande do Norte.

Fortaleza está em terceiro lugar dos mais procurados, ficando na frente de vários destinos, como Porto Seguro,Gramado e Nova Iorque. Além dos destinos nacionais, há mais quatro cidades internacionais que integram a lista: Orlando, Miami, Paris e Buenos Aires.

Confira o ranking:

1 – Rio de Janeiro (Brasil)
2 – Natal (Brasil)
3 – Fortaleza (Brasil)
4 – Armação dos Búzios (Brasil)
5 – Porto Seguro (Brasil)
6 – Orlando (Estados Unidos)
7 – Nova York (Estados Unidos)
8 – Gramado (Brasil)
9 – Porto de Galinhas (Brasil)
10 – Florianópolis (Brasil)
11 – Maceió (Brasil)
12 – Buenos Aires (Argentina)
13 – Foz do Iguaçu (Brasil)
14 – Paris (França)
15 – São Paulo (Brasil)
16 – Paraty (Brasil)
17 – Balneário Camboriú (Brasil)
18 – Miami Beach (Estados Unidos)
19 – Cabo Frio (Brasil)
20 – Salvador (Brasil)

(Rádio Verdes Mares)

Dezoito bares concorrem ao título de melhor boteco de Fortaleza

Na Kina do Feijão Verde, cliente pode experimentar a Tulipa ao molho do Kina (Foto: Comida di Buteco/Divulgação)

Pelo quinto ano, estabelecimentos de Fortaleza participam do concurso “Comida di Buteco”. Este ano, 18 bares concorrem no título de “melhor boteco da cidade”. Os participantes de 2015 estão localizados nos bairros da Aldeota, Montese, Joaquim Távora, Centro, Praia de Iracema, Gararapes, Benfica, Bairro de Fátima e José Bonifácio. O concurso será realizado de 10 de abril a 3 de maio.

Os concorrentes devem apresentar um tira-gosto especial para o concurso, de acordo com a temática do ano. Esta edição, foi escolhido um ingrediente obrigatório, qualquer fruta. De acordo com a organização do Comida di Buteco, a fruta não precisa ser protagonista do petisco. Pode participar até mesmo como decoração, desde que seja comestível.

Como a eleição do melhor boteco da cidade, além do petisco, o público e o corpo de jurados devem avaliar outros quesitos, como higiene, atendimento e temperatura da bebida. O voto do júri vale 50% e do público 50%. O Instituto de Pesquisas Vox Populi é o responsável pela apuração dos votos em todas as cidades.

Conheça os botecos e tira-gostos que concorrem no Comida di Buteco 2015 em Fortaleza:

Alpendre: Cajumôndegas (Fruta: Caju)
Bar Chá da Égua: Carneiro Tropical (Fruta: Abacaxi)
Bar do Ciço: Croquete Especial (Fruta: Maracujá)
Bar do Helano: Filé à moda do Helano (Fruta: Maçã)
Bar do Camocim: Pernil Surpresa (Fruta: Banana)
Birosca da Farra: Camarão na farra com o kiwi (Fruta: Kiwi)
Boteco do Barão: Bolinho de pernil suíno (Fruta: Abacaxi e frutas vermelhas)
Bar do Mincharia: Espetinho Regional (Fruta: Banana passa)
Estoril: Arroz de camarão com abacaxi do Papai (Fruta: Abacaxi)
Feijão Maravilha: Frango Maravilha (Fruta: Maracujá)
Flórida Bar: Carneiro Flórida (Fruta: Abacaxi)
KIina do Feijão Verde: Tulipa ao molho do Kina (Fruta: Uva)
Noite a Fora: Sol a dentro (Fruta: Banana)
O Assis: Tomate Tentação (Fruta: Manga e melão)
Paladar: Balancê (Fruta: Manga)
Suvaco de Cobra: Filé a Carmen Miranda (Fruta: Banana, Caju e abacaxi)
Teresa & Jorge: Asinha invertida com geleia de laranja (Fruta: Laranja)
Tronco do Gaúcho: Clássico Rei da Paz (Fruta: Abacaxi)

(G1 Ceará)

Gentil Barreira lança livro e exposição ‘Coração Sertão’ em Fortaleza

O sertão de Quixadá; retratado por Gentil Barreira (Foto: Gentil Barreira/Divulgação)

As viagens realizadas pelo fotógrafo Gentil Barreira nos últimos três anos pelo interior do Ceará resultaram no livro “Coração Sertão”, que será lançado nesta quinta-feira (26), em Fortaleza. Na ocasião, também será uma exposição de fotografias, que mostram o contraste do sertão de chuva e estiagem, que compõem a publicação. O evento será às 19h30 na Imagem Brasil Galeria.

,em umaimersão no contraste do sertão de chuva e estiagem, resultaram no livro “Coração Sertão”, com lançamento nesta quinta-feira, 26 de março, às 19h30, na IMAGEM BRASIL Galeria. Na ocasião, será aberta a exposiçãode uma série especial de fotografias que compõem a publicação.

O cenário percorrido no atual trabalho de Gentil Barreira é o mesmo das memórias da infância vivida na fazenda dos avós, mas também toma outro rumo quando, entre os anos de 2012 a 2014,  a estiagem foi a mais intensa das últimas décadas. A dor e lamento da escassez dialoga com a esperança de uma salvação vinda dos céus, com as chuvas.

O ensaio fotográfico traz trechos de obras de autores da literatura cearense, que revelaram em palavras as duas faces do sertão. Os textos criam uma narrativa imaginária, como se o sertão fosse revivido por vários autores. São trechos de obras de José de Alencar, Domingos Olímpio, Rodolfo Teófilo, Manuel de Oliveira Paiva, Adolfo Caminha, Antônio Sales, Demócrito Rocha, Gustavo Barroso, Leonardo Mota, Herman Lima, Jáder de Carvalho, Patativa do Assaré, Rachel de Queiroz, João Climaco Bezerra, Francisco Carvalho e Natércia Campos.

A coordenação literária da publicação é do escritor Gylmar Chaves e de Patricia Veloso, que assina também a coordenação editorial. A exposição “Coração Sertão” fica em cartaz até 27 de abril. A visitação pode ser feita de segunda a sexta, das 9h às 19h.

Gentil Barreira 
Autodidata, Gentil Barreira iniciou as primeiras experiências com fotografia aos 11 anos, montando um pequeno laboratório para revelar seus filmes. Cursou Arquitetura e Urbanismo em São Paulo, mas antes de concluir os estudos resolveu voltar a Fortaleza, onde vive até hoje. Ingressou e frequentou por dois anos a faculdade de Comunicação na Universidade Federal do Ceará, período em que profissionalizou-se como fotógrafo.

Serviço
CORAÇÃO SERTÃO – Lançamento do livro e abertura de exposição – Dia 26 de março de 2015, às 19:30h, na Imagem Brasil Galeria (Rua Rocha Lima 1707 – Aldeota). O livro será vendido no lançamento por R$ 70. Já à venda também nas livrarias Cultura, Saraiva, Ler, Nobel e Leitura.  “Coração Sertão” permanece em exposição até 27 de abril de 2015. Visitação: De segunda a sexta, das 9h às 19h.

Via http://www.centralizado.com.br

Alô, Camilo Santana! É hora de tirar do papel a Coordenadoria LGBT do Ceará

O Núcleo LGBT do Partido Verde está cobrando do governador Camilo Santana o funcionamento da Coordenadoria Especial de Políticas Públicos para LGBT. De acordo com o organismo, Camilo tomou posse, mas ainda não fez essa coordenadoria sair do papel. Em nota, o PV Diversidade externa sua preocupação, que chegou também a todos os deputados estaduais.

O Núcleo quer que a bancada estadual intervenha junto ao Governo do Estado cobrando a nomeação de um profissional para ser o titular dessa pasta, além da retomada dos trabalhos desse organismo. Em nota, Thiago Costa, ativista Núcleo PV Diversidade acentua:

“Precisamos urgentemente que sejam retomados os trabalhos da Coordenadoria Especial de Políticas Públicas LGBT do Governo do Estado do Ceará, pois é inadmissível esse retrocesso. As denúncias não estão sendo devidamente apuradas e, mais que isso, muitas das conquistas estão sendo violadas”.

Via http://blog.opovo.com.br/blogdoeliomar/alo-governador-e-hora-de-tirar-papel-coordenadoria-lgbt-ceara/

Fortaleza e Jericoacoara estão os 10 melhores destinos de viagem do Brasil

Jericoacoara

Fortaleza e Jericoacoara ficaram entre os dez melhores destinos de viagem do Brasil, no prêmio Traveler’s Choice 2015, promovido pelo site TripAdvisor. A Capital conquistou a décima colocação, enquanto Jeri ficou em sétimo lugar.

Gramado, no Rio Grande do Sul, ficou em primeiro lugar. A cidade obteve ainda a terceira colocação no ranking que considera as cidades preferidas da América do Sul, de acordo com votação dos usuários do site.

A lista inclui, ainda, Rio de Janeiro e São Paulo entre os três destinos mais desejados do País. O Rio de Janeiro aparece também como quinto melhor destino da América do Sul.

O ranking mundial é liderado pela cidade de Marrakech, no Marrocos. O resultado levou em consideração a quantidade e a qualidade das avaliações de hotéis, atrações e restaurantes localizadas em cada destino.

Veja a lista completa dos destinos mais procurados:

Brasil

1) Gramado (RS)

2) Rio de Janeiro (RJ)

3) São Paulo (SP)

4) Florianópolis (SC)

5) Foz do Iguaçu (PR)

6) Salvador (BA)

7) Jericoacoara (CE)

8) Ipojuca (PE)

9) Curitiba (PR)

10) Fortaleza (CE)

América do Sul

1) Buenos Aires (Argentina)

2) Cusco (Peru)

3) Gramado (Brasil)

4) San Carlos de Bariloche (Argentina)

5) Rio de Janeiro (Brasil)

6) Cartagena (Colômbia)

7) Mendoza (Argentina)

8) Santiago (Chile)

9) Lima (Peru)

10) Bogotá (Colômbia)

(Diário do Nordeste)

Senac oferta 20 vagas em curso de fotografia gratuito em Fortaleza

Estão abertas 20 vagas para curso de fotografia básica na unidade do Sesc Iracema. As inscrições podem ser realizadas até o dia 30 de março, das 8h às 20h na unidade. O curso possui uma carga horária de 190 horas/aulas e é dividido nos seguintes módulos: Módulo Integrador (30h); Básico em Fotografia (50h);Iluminação (65h) e Tratamento de Imagem (45h).

As aulas acontecem de 6 de abril a 21 de junho, todas às terças, quintas e sextas-feiras. Apenas o módulo inicial será ministrado de segunda à sexta-feira. A capacitação é ofertada gratuitamente pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza de Fortaleza (Secultfor).

Serviço:

Inscrições: De 18 a 30 de março, de 8h às 20h
Local: Unidade Sesc Iracema (Rua Boris, 90 C – Praia de Iracema)
Documentação necessária: RG, CPF, comprovante de residência e de escolaridade.
Mais informações: 3452.7065 / 3105.1358/ 34527065

(Rádio Verdes Mares)

 

Orgulho e Preconceito vai virar musical brasileiro fora do comum

Por Vitória Pratini

Orgulho e Preconceito é um clássico, concorda? Depois de ganhar uma versão em série, diversas versões cinematográficas, sendo uma delas em 2006 com Keira Knightley, agora vai ganhar mais uma: Orgulho e Preconceito e Zumbis, uma adaptação trash do livro de Jane Austen. Mas a história do amor entre Elizabeth Bennet e Fitzwilliam Darcy não para por aí!


Nenhuma das versões anteriores são musicais, certo? (Já pensou a Keira cantando que lindo que seria? – a gente sabe que ela consegue, já vimos em Mesmo Se Nada Der Certo). Agora, a história vai ganhar sim uma versão cantada. Nos teatros. No Brasil.

Você leu certo: Brasil! E põe versão brasileira nisso, já que as canções do musical serão da dupla Chitãozinho e Xororó (!!!!), com arranjos um pouco diferentes, mas sem perder suas características.

Os personagens não serão os mesmos de Austen – apesar dos nomes serem parecidos. A trama, inspirada no livro, contará a história de amor entre Bete Borba e Darcy: uma filha de caminhoneiro e um advogado arrogante de origem humilde. Os dois têm o desejo de se envolverem no mundo da música.

Atualmente em audição, o musical chamado “Nuvem de Lágrimas” será digirido por Tania Nardini e Luciano Andrey e escrito por Anna Toledo, e está previsto para estrear em setembro deste ano no Teatro Villa Lobos, em São Paulo.

Sem Keira Knightley mas com música sertaneja! Dá para imaginar? Falando na atriz, um de seus últimos filmes, Encalhados, foi exibido no Festival de Toronto e está sendo lançado hoje em dvd.

Via http://www.adorocinema.com

Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial é comemorado neste sábado

Portal EBC

Neste sábado, 21 de março, comemora-se o Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), em memória à tragédia que ficou conhecida como “Massacre de Shaperville”, em 1960, na cidade de Joanesburgo, na África do Sul.

Na ocasião, vinte mil negros protestavam contra a lei do posse — que os obrigava a portar cartões de identificação, especificando os locais por onde eles poderiam transitar na cidade — quando se depararam com tropas do exército, que abriram fogo sobre a multidão, matando 69 pessoas e ferindo outras 186.

No Brasil, esta data marca também a criação da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), criada pela Medida Provisória n° 111, de 2003, a partir do reconhecimento das lutas históricas do Movimento Negro brasileiro. 

Tema

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura – UNESCO, neste ano, adotou como tema para a data “Aprender com tragédias históricas para combater a discriminação racial hoje”.

Em mensagem,a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, afirmou que “as tragédias do passado  lançaram luz sobre a coragem e a determinação daqueles que proporcionaram avanços da dignidade humana, lutando contra a opressão até a abolição da escravidão”.  Ainda segundo Bokova, “essa determinação deve nortear a luta contra as formas modernas de escravidão, opressão e discriminação”.

Afrodecada

A ONU lançou no dia 10 de dezembro de 2014, em Nova York, a “Década Internacional de Afrodescendentes”, criada pela resolução da Assembleia Geral da ONU. Com o tema “Afrodescendentes: reconhecimento, justiça e desenvolvimento”, a década será celebrada de 2015 a 2024. A iniciativa tem como objetivo reforçar o combate ao preconceito, à intolerância, à xenofobia e ao racismo.

*Colaborou Carol Lira

James Franco sobre sexualidade: “Sou gay na minha arte e hétero na vida”

Alvo de constantes boatos com relação à sua sexualidade, James Franco se pronunciou sobre o assunto em entrevista à revista Four Two Nine e contou que se considera gay… até certo ponto.

“Bem, eu gosto de pensar que eu sou gay na minha arte e hétero na minha vida. Embora, eu também seja gay na minha vida, mas só até o ponto da relação sexual, a partir daí você poderia dizer que eu sou hétero. Então, eu acho que depende de como você define gay. Se isso significa com quem você faz sexo, eu acho que eu sou hétero”, declarou.

“Mas nos anos 20 e 30, eles costumavam definir homossexualidade pela forma como você age e não por quem você dormiu. Marinheiros f* caras o tempo todo, mas por se comportarem de maneira masculina, eles não eram considerados gays”, continuou.

Em 2014, a vida pessoal do ator virou notícia no Brasil em razão do suposto affair comThaila Ayala. No seu novo longa, I Am Michael, James interpretará Michael Glatze, um ativista dos direitos homossexuais que passa a condenar sua própria condição, arranja uma namorada e transforma-se em pastor ferrenho na luta contra os gays.

(Revista Quem)