CUT-CE celebra neste sábado (30/04) o Dia do Trabalhador com ato na Praça do Ferreira

O ato político e as atrações culturais do Dia do Trabalhador e da Trabalhadora ocorrem no sábado (30/4), a partir das 15h, na Praça do Ferreira. No dia, haverá shows de Chico César, Chico Pessoa e outros artistas.

(CUT/CE)

Anúncios

Tudo pronto para a festa do dia do trabalhador, dizem centrais sindicais

As centrais sindicais informaram nesta sexta-feira que está tudo pronto para a festa em comemoração ao dia do trabalhador em São Paulo. O evento, chamado de 1º de Maio Unificado, é realizado pela CGTB (Central Geral dos Trabalhadores do Brasil), a Força Sindical, a CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), a NCST (Nova Central Sindical dos Trabalhadores) e a UGT (União Geral dos Trabalhadores).

 “É um evento grandioso que fortalece a unidade das Centrais e impulsiona a luta dos trabalhadores por um Brasil mais justo e desenvolvido, com redução da jornada de trabalho, valorização do salário mínimo, fim do fator previdenciário e redução da taxa de juros”, afirma Antonio Neto, presidente da CGTB e do Sindpd.

A comemoração será marcada por intervenções políticas e apresentações de artistas da música sertaneja e de MPB. Uma grande infraestrutura está sendo montada com a instalação de telões, banheiros químicos e agentes de segurança.

A presidente Dilma Rousseff confirmou sua participação na comemoração, que acontece na Avenida Marquês de São Vicente, em São Paulo, a partir de 7h.

(Redator: Marielly Campos – E Band)

Saiba como escolher o perfume ideal para cada ocasião

Escolher um vidrinho de perfume pode ser uma missão bastante complicada, principalmente quando se trata de perfumes femininos e quando se tem inúmeras opções de belas fragrâncias, sejam elas nacionais ou importadas. Mas, afinal, como escolher o perfume ideal para cada situação? O leque de cheiros e marcas é muito grande e o primeiro passo na escolha de um perfume é você saber o tipo de cheiro que mais lhe agrada: se mais adocicado ou cítrico. Por isso, sempre experimente a fragrância na pele antes de comprá-la, assim você tem certeza de como o perfume se adaptará à sua pela e evita possíveis desapontamentos com sua aquisição.

Mulheres tendem a preferir perfumes que duram bastante tempo e fragrâncias diferentes para cada ocasião. Por exemplo, os perfumes usados no dia a dia do trabalho são mais doces, com uma intensidade que não é exageradamente forte para quem está por perto. Já os perfumes que são utilizados em eventos sociais podem ser fragrâncias mais acentuadas e devem ser escolhidos de acordo com o tipo de evento.

Veja a seguir a classificação de fragrâncias para cada tipo de situação:

– Trabalho: há quem prefira fragrâncias noturnas (vanilla, madeira e âmbar) e outras mais diurnas (cítricos, florais e frutais). O importante é não incomodar as pessoas.

LUXO E PERSONALIDADE


FUEL FOR LIFE, DA DIESEL - FRAGRÂNCIA NOTURNA
PLAY INTENSE GIVENCHY (NOTURNO) PLAY GIVENCHY (DIURNO)


– Balada: perfumes cítricos refrescantes são uma boa pedida, mas prefira os mais marcantes. Tons suaves são indicados para quem vai para a balada com os amigos. Já se estiver acompanhada do sexo oposto, use tons fortes.

NU, DA YVES SAINT LAURENT - DIABOLICAMENTE PODEROSO
HYPNOTIC POISON, DA DIOR - ABSURDAMENTE ESPETACULAR


– Academia: revigorantes, os cítricos são os ideais para a hora do treino. Mas pedem moderação, pois a transpiração pode intensificá-los.

ELEGÂNCIA E BOM GOSTO
SOFISTICAÇÃO


– Casa: deve ser usada uma colônia splash ou lavanda conforme o estado de espírito. Se a pessoa está mais alegre, certamente usará uma fragrância mais fresca e vibrante.

BOM GOSTO E EQUILÍBRIO


– Jantar romântico: colônia com toques de frescor, vanilla (adocicados) ou oriental. Outras pessoas preferem algo mais leve como um toque de frescor ou frutal.

ELEGÂNCIA E SOFISTICAÇÃO
ORIGINALIDADE E INOVAÇÃO


– Evento social: fragrâncias florais (buquê floral ou florais mais opulentos).

SERÁ NOTADA MESMO QUE NÃO QUEIRA.


Ao usar este artigo, mantenha os links e faça referência ao autor:
Escolhendo o perfume ideal para cada ocasião publicado 21/02/2011 por Zoe Arantes em http://www.webartigos.com

Óxi: Droga mais forte que o crack se espalhar por onze Estados do país

Ainda desconhecido pela maioria da população, o óxi ou oxidado, uma droga parecida com o crack, só que mais devastadora, já se espalhou por dez Estados do país e recentemente chegou a São Paulo. Assim como o crack, o princípio ativo do óxi é a pasta base da folha de coca. Enquanto o crack é obtido a partir da mistura e queima da pasta base com bicarbonato de sódio e amoníaco, no óxi são utilizados cal virgem e algum combustível, como querosene, gasolina e até álcool de bateria –substâncias que barateiam o custo do entorpecente.

O óxi é inalado ou fumado, assim como o crack, na lata ou no cachimbo. A droga é produzida na Bolívia e no Peru e começou a entrar no Brasil em 2005 pelo interior do Acre. Em pouco tempo, chegou a Rio Branco, onde atualmente há um número elevado de usuários, e se espalhou para outras capitais da região Norte, como Manaus (Amazonas), Belém (Pará), Macapá (Amapá) e Porto Velho (Rondônia).

Nos últimos meses, houve apreensões e registros de usuários em Goiás, Distrito Federal, Pernambuco, Mato Grosso do Sul e Piauí –onde foram confirmadas 18 mortes só neste ano por conta do uso do óxi. Há rumores da circulação da droga no Mato Grosso, Maranhão e Paraná, embora não haja registros oficiais.

A Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), subordinada ao Ministério da Justiça, informou que pesquisadores do órgão registraram a circulação da droga em Santos (SP), mas não forneceu mais detalhes. Na capital, não há registros de usuários de óxi no SUS (Sistema Único de Saúde), segundo a Secretaria de Estado da Saúde. A Secretaria Municipal da Saúde da capital paulista, que faz um trabalho com usuário de drogas na Cracolândia, região central, também afirma não ter encontrado a droga.

Oficialmente, o Denarc (Departamento de Investigações sobre Narcóticos) da Polícia Civil ainda não fez apreensões da droga. Segundo o órgão, no entanto, o óxi já pode ter sido apreendido, mas não foi diferenciado em razão de sua semelhança com o crack. A maior diferença na aparência entre as duas drogas é a cor mais amarelada do óxi, enquanto a pedra do crack é mais clara.

Composição da droga

– Pasta base da folha de coca
– Cal virgem
– Combustível, como querosene, gasolina e até álcool de bateria

O delegado Reinaldo Corrêa, da Divisão de Prevenção e Educação (Dipe) do Denarc, cita um episódio ocorrido em março deste ano, em que foram apreendidos 200 kg de crack em um laboratório no Ipiranga, zona sul de São Paulo. Na ocasião, a polícia prendeu oito mulheres contratadas em Alagoas para empacotar a droga, além de seis homens que compravam a droga no atacado na Bolívia. Na época, o Denarc anunciou que a apreensão era de crack, mas segundo Corrêa, tudo indica que, na verdade, tratava-se de óxi.

“Os investigadores queimaram algumas pedras para analisar o material e a substância soltou uma espécie de óleo, que é um resíduo do querosene do óxi que o crack não solta. Só foi registrado como crack porque os investigadores não sabiam da existência do óxi. Agora, qualquer coisa que a gente apreender, vamos ficar de olho”, afirmou o delegado.

Ainda segundo Corrêa, pedras estão sendo vendidas na cracolândia por R$ 2 a R$ 5, valor inferior ao que normalmente o crack é comercializado (entre R$ 7 e R$ 10), o que pode ser um indício do comércio de óxi. Também há relatos não-oficiais de uso de óxi na região da avenida Jornalista Roberto Marinho, na zona sul da capital. “Se olharmos o percurso da droga, o próximo destino é São Paulo, que é o grande centro consumidor de crack. Nada impede que o óxi chegue aqui”, disse.

Efeitos e danos ao organismo

A pasta base é feita a partir da trituração da folha de coca, encontrada nos países andinos (Bolívia, Peru, Colômbia e Equador). Para obter a pasta base, utiliza-se ácido sulfúrico e outros componentes tóxicos. No óxi, a pasta base é misturada com combustível e cal virgem, componentes corrosivos e extremamente danosos ao organismo.

A droga inalada chega ao cérebro entre 7 e 9 segundos, apenas, e acelera o metabolismo do usuário, causando sensações de euforia, depressão, medo e paranoia. Diferente da cocaína, os efeitos duram pouco tempo, no máximo 10 minutos. Essas circunstâncias obrigam o drogado a inalar o óxi repetidamente para manter o “barato”, o que aumenta as agressões ao organismo.

De acordo com o psiquiatra Pablo Roig, diretor de uma clínica particular de recuperação de drogados, o que torna o óxi mais letal que o crack é, em primeiro lugar, os componentes adicionais –cal e combustível– e, em segundo, a quantidade do princípio ativo da cocaína, que no óxi é de 60% do composto, um pouco superior ao encontrado no crack.

“São substâncias com alta toxicidade, que causam dificuldades na respiração, fibroses e endurecimento do pulmão. Afetam o sistema cardiorrespiratório e promovem uma vasoconstrição muito intensa. Muitos usuários têm perda de consciência, o que leva a uma parada cardíaca e ao coma”, afirma o médico.

A maioria dos usuários intercala as inaladas com doses de álcool para controlar a sensação de abstinência causada pela droga, o que ataca o fígado e o sistema digestivo, fazendo com que os usuários tenham diarreia e vômito. Muitos usuários de óxi apresentam aparência amarela por conta dos efeitos da droga no fígado.

“O álcool com a substância da cocaína forma o cocaetileno, que pode provocar esteatose hepática (gordura no fígado) e cirrose”, diz Roig. O cocaetileno também é uma substância tóxica para o miocárdio, o que pode também provocar morte súbita.

Ainda não há um estudo sobre a letalidade do óxi. Nos próximos dias, a Fundação Oswaldo Cruz, em parceria com o Ministério da Justiça, divulgará um amplo estudo sobre o crack que também deve abordar o óxi. No entanto, segundo o delegado do Denarc, em média 30% dos usuários da droga não sobrevivem após um ano de uso.

(UOl)

“Thor” cruza cultura pop, mitologia nórdica e 3D

Conhecido por seus trabalhos shakespearianos, como Henrique V (1989) e Hamlet (1996), o ator e diretor irlandês Kenneth Branagh fez sua primeira investida no universo pop, dirigindo a aventura Thor.

Baseado na graphic novel lançada pela Marvel em 1962 – de autoria de Stan Lee, Jack Kirby e Larry Lieber -, o filme reinventa a lenda do famoso herói da mitologia nórdica. Circula em cópias convencionais, 3D e IMAX, nas versões dublada e legendada.

Interpretado pelo ator australiano Chris Hemsworth (Star Trek), Thor é o impulsivo herdeiro do mítico reino de Asgard, que, sob o comando do rei Odin (Anthony Hopkins), há muito ganhou a sangrenta guerra contra o mundo gelado de Jotunheim. O gênio aguerrido de Thor tem um contraponto no irmão, Loki (Tom Hiddleston), mais calmo e discreto, que vive à sua sombra.

Tanta paz no reino entedia Thor. Por isso, uma repentina invasão de Asgard por três habitantes de Jotunheim, rapidamente dominados, dá-lhe o pretexto para ir tomar satisfação do rei local, Laufey (Colm Feore). Sempre escudado por uma fiel trupe de guerreiros e pelo irmão, sem nunca abandonar seu poderoso martelo mágico, Thor faz um estrago no reino vizinho e dá pretexto para o reinício da guerra. A sequência, aliás, é a que melhor justifica o recurso do 3D, o que não acontece em boa parte da história.

Como castigo, Odin expulsa Thor de casa. Envia-o à Terra, privando-o também de seus títulos, poderes e do martelo mágico. O poderoso martelo também é jogado na Terra, ficando encravado no meio do deserto mexicano, onde atrai a atenção tanto de aventureiros como de uma unidade do serviço secreto americano, a Shield. Thor só recuperará o domínio do artefato quando tomar juízo.

A chegada de Thor à Terra é testemunhada também por uma equipe de cientistas, a dra. Jane Foster (Natalie Portman), o professor Erik Selvig (Stelan Skarsgard) e a estagiária Darcy (Kat Dennings). Como todo mundo fala inglês, não há qualquer dificuldade de compreensão entre eles. A dificuldade de relacionamento geral fica por conta da fúria de Thor, que leva um tempo para se acalmar e entender o processo de amadurecimento pretendido por seu pai.

Em Asgard, por sua vez, há problemas. Logo depois da expulsão de Thor, seu pai caiu numa espécie de coma e o reino fica sob o comando de Loki – que revela uma ambiguidade cada vez maior depois da descoberta da verdade sobre o seu nascimento.

Esse tipo de rivalidade entre irmãos, as sucessivas intrigas envolvendo os dois reinos, além do princípio de romance entre Jane e Thor, devem ter tido o seu papel para instigar Branagh a aceitar a direção de uma história, em princípio, tão diferente de suas tramas shakespearianas.

Ainda assim, não há, a rigor, uma real semelhança entre o mundo de Shakespeare e o mundo de Stan Lee e associados. Thor evolui bem mais de acordo com as regras do universo pop dos quadrinhos, enfileirando confrontos, guerras, lutas e destruições, algumas impressionantes. 

Entretanto, o visual do filme, cujo desenho de produção está a cargo do veterano Bo Welch (de Homens de Preto e Edward Mãos de Tesoura), não desperta maiores emoções.

Uma dica aos espectadores é ficar até o final dos (longos) créditos do filme. A recompensa é uma ceninha de Os vingadores, novo filme em produção com alguns destes mesmos personagens e vários outros super-herois da Marvel, e que tem a participação de Samuel L. Jackson.

(Correio do Brasil)

Falcão, na Presidência do PT, lidera ofensiva final contra a direita

Ex-presidente do PT, José Eduardo Dutra comunicou oficialmente sua renúncia ao comando do partido com um discurso no Diretório Nacional do PT, na manhã desta sexta-feira. Muito aplaudido, Dutra lembrou que alguns companheiros gostariam que ele renovasse a licença, mas acreditava que “não seria justo” nem com ele, nem com o próprio partido. A saída de Dutra e a escolha do deputado estadual Rui Falcão (SP) para o lugar dele significa na realidade, segundo alta fonte no partido,  do início da maior ofensiva do PT já realizada contra os partidos da direita em São Paulo, último reduto do PSDB, DEM e PPS.

– Tomei uma decisão sobre a qual tenho total responsabilidade: sair agora da presidência do PT. O partido define seu novo presidente e eu me cuido – disse.

Dutra deixa a Presidência do PT para um tratamento médico que feve durar cerca de 180 dias. Com isso, o vice-presidente Rui Falcão assume o cargo até 2013, época de uma nova eleição no partido, com vistas às eleições presidenciais de 2014.

– Se vocês acompanharam, a minha primeira licença foi de 15 dias. Na véspera do 15º dia, já começaram a especular: ‘volta, não volta, vai ficar três meses fora’. Não é justo com o PT, porque gera instabilidade, porque o partido tem tarefas urgentes na conjuntura política (eleições 2012), e ruim para mim porque essa indefinição gera estresse – disse Dutra sobre as especulações sobre sua continuidade no comando do PT.

Na noite passada, em Brasília, líderes da ala majoritária do partido optaram pela permanência do deputado estadual Rui Falcão (SP) na Presidência do partido, em substituição a José Eduardo Dutra. O nome de Falcão seguiu para votação na reunião da legenda, em São Paulo, e deverá ser aprovado nas próximas horas pelo Diretório Nacional, composto por 81 membros mais os líderes do partido no Congresso. Apoiado pelo ex-ministro José Dirceu, Falcão deverá permanecer no cargo por dois anos. Sua escolha, caso se concretize, devolve o controle da sigla para São Paulo no momento em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva volta ao Estado, no momento em que os petistas lançam uma ofensiva contra o PSDB num dos últimos redutos da oposição.

Observadores políticos acreditam que o objetivo do ex-presidente Lula é fortalecer na legenda no Estado, em um momento de confusão generalizada nos partidos da direita, após o lançamento da dissidência do prefeito Gilberto Kassab na forma do novo partido, o PSD. Fontes no PT acrescentam que Falcão, que também ocupa a Primeira-secretaria da Assembleia paulista, deverá comandar o PT com um colegiado, integrado por nomes como o do secretário nacional de Organização da sigla, Paulo Frateschi, e José Dirceu, que defendeu junto aos seus pares a candidatura de Falcão desde março.

– A escolha do nome de Falcão foi acertada com a presidenta Dilma (Rousseff) e em nenhum momento houve a discordância entre ela a direção do partido. A versão de que o (ex-ministro José) Dirceu teria influenciado nessa escolha também é uma falácia, pois ele sequer participou das discussões finais sobre a escolha do Rui (Falcão) para o posto de (José Eduardo) Dutra – disse a fonte. Dirceu chegou ao país na noite passada de uma série de palestras agendada na Inglaterra.

Delúbio de volta

Junto com a renovação do Diretório Nacional, a cúpula do PT também estuda a possibilidade de refiliação do ex-secretário de Finanças, Delúbio Soares, expulso do cargo durante o escândalo do mensalão, no final do primeiro mandato de Lula. Integrantes da corrente majoritária, Construindo um Novo Brasil, discutem a possibilidade de refiliação de Delúbio Soares, que foi convidado a participar da reunião quando seu nome estiver em pauta.

Delúbio conta com o apoio explícito de parlamentares e ex-correligionários, entre eles o líder do PT na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza, que participou de jantares na residência da senadora Marta Suplicy (PT-SP) para tratar do assunto. Acompanhado da esposa, Mônica Valente, na véspera, Delúbio chegou a se emocionar durante a defesa que fez de sua volta à legenda, durante reunião na sede do partido. Apos cinco anos e meio depois da expulsão, Delúbio recebeu o apoio da corrente majoritária no PT.

– A minha identidade política é a mesma identidade do PT. Preciso da minha identidade política de volta – disse Delúbio, com a voz embargada.

O discurso emocionou os presentes e o deputado Sibá Machado (PT-AC), ao lado do dirigente Francisco Rocha, o Rochinha, seguraram as lágrimas ao ouvir o pronunciamento de Delúbio e, depois, ao defender a volta dele para o seio da legenda.

– Ele segurou o choro e ficou muito emocionado. Mas agora eu  sinto que o Delúbio está feliz e aliviado – disse o secretário de Comunicação André Vargas (PT-PR).

Processo

Em 2007, o STF aceitou denúncia contra os 40 suspeitos de envolvimento no suposto esquema. O caso veio a público quando foi denunciado em 2005 pelo então deputado federal Roberto Jefferson. Segundo Jefferson, atual presidente nacional do PTB, parlamentares da base aliada recebiam pagamentos periódicos para votar de acordo com os interesses do governo Luiz Inácio Lula da Silva.

Em janeiro de 2008, o ex-secretário-geral do PT Sílvio Pereira assinou acordo com a Procuradoria-Geral da República para não ser mais processado no inquérito sobre o caso. Com o acordo, Pereira teria que fazer 750 horas de serviço comunitário em até três anos.

No relatório, Barbosa apontou o ex-ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu; o ex-presidente do PT, deputado José Genoino (SP); o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares; e o ex-secretário-geral Silvio Pereira, como núcleo central do esquema. Todos foram denunciados por formação de quadrilha. Dirceu, Genuíno e Delúbio respondem ainda por corrupção ativa.

O voto do relator apontou ainda que o núcleo publicitário-financeiro do suposto esquema era composto por Marcos Valério e seus sócios (Ramon Cardoso, Cristiano Paz e Rogério Tolentino), além das funcionárias da agência SMP&B Simone Vasconcelos e Geiza Dias. Eles respondem por pelo menos três crimes: formação de quadrilha, corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

A então presidente do Banco Rural Kátia Rabello e os diretores José Roberto Salgado, Vinícius Samarane e Ayanna Tenório foram denunciados por formação de quadrilha, gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro. O publicitário Duda Mendonça e sua sócia, Zilmar Fernandes, respondem ações penais por lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

A denúncia inclui ainda parlamentares do PT, do PP, do PR (ex-PL), do PTB e do PMDB. Entre os acusados está o ex-deputado federal Roberto Jefferson. O ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha responde processo por peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O ex-ministro da Secretaria de Comunicação (Secom) Luiz Gushiken é processado por peculato. O ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato foi denunciado por peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Em setembro do ano passado, saiu a primeira sentença do caso, quando a Justiça Federal condenou o advogado Rogério Lanza Tolentino, apontado como sócio do publicitário Marcos Valério, a sete anos e quatro meses de prisão, mais pagamento de 3.780 salários mínimos, pelo crime de lavagem de dinheiro.

(Correio do Brasil)

Veja publica novas denúncias contra administração Luizianne Lins

Prossegue o inferno astral da prefeita Luizianne Lins. A revista Veja que chega neste final de semana nas bancas traz uma segunda reportagem com novas denúncias contra a administração municipal de Fortaleza. Com o título “A Joaninha vira um maribondo – A zangada prefeita de Fortaleza é atingida por um enxame de novas denúncias”, a Veja volta a atacar Luizianne.

(Portal Ceará Agora)

Ana Carolina faz show em Fortaleza dia 06/05, no Siará Hall

Considerada uma das maiores e mais famosas cantoras da MPB, Ana faz apresentação especial na capital cearense.

No ano de 2009, a cantora fez 10 anos de carreira, lançando o álbum N9ve, que, por sua vez, lançou, até hoje, o singles “Entreolhares (The Way You’re Looking at Me)”, que conta com a participação do cantor, compositor e pianista estadunidense John Legend.

A canção chegou no top da Billboard Hot Songs, no Rio de Janeiro, e 34° na Billboard Hot 100 Airplay. No mesmo ano, lançou a coletânea de canção, Ana Car9lina + Um, com duas canções inéditas e participação de vários cantores, entre eles, Maria Gadú, Maria Bethânia, Roberta Sá, Totonho Villeroy, entre outros.

local: Siará Hall
data: 6/5/2011
horário: Em breve
ingressos: Em breve
mais info: (85) 3278.8400
endereço: Av. Washington Soares, 3199 – Edson Queiroz
telefone: (85) 3278.4888
*Preço(s) sujeito(s) a alteração de acordo com a organização do evento.

(Portal Verdes Mares)

Salvador e Fortaleza são as metrópoles mais populosas do Nordeste, aponta CENSO 2010

Entre as cidades mais populosas do Brasil, Fortaleza permanece na quinta colocação, com 2.452.185 habitantes. Perde para São Paulo (11.253.503), Rio de Janeiro (6.320.446), Salvador (2.675.656) e Brasília (2.570.160).

O contingente populacional de Fortaleza cresceu 14% em dez anos. No Estado do Ceará não foi diferente, em 2000 eram 7.418.476 pessoas agora são 8.452.381. A estatística deixa o Ceará na oitava posição entre os estados com relação ao contingente populacional.

Nas primeiras colocações estão São Paulo (41.262.199), Minas Gerais (19.597.330), Rio de Janeiro (15.989.929), Bahia (14.016.906), Rio Grande do Sul (10.693.929), Paraná (10.444.526) e Pernambuco (8.796. 448).

(Diário do Nordeste)

Rio de Janeiro dá troco no Osasco e conquista o hepta na Superliga

Na temporada passada, depois de amargar quatro vice-campeonatos, o Osasco decidiu que seria a hora de colocar o ponto final numa escrita. A coroa da Superliga mudou de mãos e a vontade era que permanecesse por muito tempo em São Paulo. Só que as antigas rainhas não estavam nem um pouco dispostas a ver aquela cena se repetir. Empurrado pelo canto de “time de guerreiras” vindo da arquibancada, o Rio de Janeiro atropelou as rivais e retomou o trono: 3 sets a 0, parciais de 25/23, 30/28 e 25/19. Conquistou o heptacampeonato (1997/1998, 1999/2000, 2005/2006, 2006/07, 2007/08, 2008/2009 e 2010/2011).

– Foi maravilhoso. Foi um sonho jogar no Mineirinho, eu tinha certeza de que ia ser nosso, eu falei para as meninas ontem. Faltava esse título na minha carreira. Tenho que agradecer a todos… à torcida que compareceu em peso… – disse Sheilla.

E Bernardinho não poupou elogios.

– A Sheilla é uma atleta excepcional, uma estrela que brilha com o grupo… uma líder que lidera silenciosamente – disse.

Os alto-falantes do ginásio davam o tom do que estava por vir com o “Agora o bicho vai pegar”, introdução da música tema de “Tropa de Elite”. E pegou mesmo, com direito a rali no primeiro ponto, conquistado por Sheilla para o Rio de Janeiro. Não demorou muito para que a alegria tomasse o outro lado da quadra. O Osasco tirava proveito dos erros do adversário e conseguia manter o jogo equilibrado. Natália também contribuía no saque e com ataques potentes. Sheilla e Fabi se esforçavam para não deixar a bola cair e recebiam o aplauso de Bernardinho, apesar de não terem conseguido dar continuidade à jogada.

Atentas no bloqueio e na defesa, as equipes se revezavam no comando do placar. O Osasco ainda respirou um pouco mais. Liderado por Jaqueline, fez 16/14, mas permitiu a virada. Sheilla apareceu nos momentos decisivos e, juntamento com Juciely, subiu no bloqueio que colocou o Rio de Janeiro na frente: 25/23.

A resposta viria rapidamente. O Osasco abriu 2/0 e tinha em Natália sua principal pontuadora. Era o momento de tentar freá-la. O triplo formado por Valeskinha, Mari e Sheilla conseguiu por alguns momentos, o que ajudou a equipe hexacampeã a se aproximar e tomar a frente (8/7). Do outro lado, cada bloqueio bem sucedido sobre Sheilla era motivo de muita comemoração. Mais ainda quando vinha seguido de vantagem (13/11). Só que Mari ajudou a corrigir o rumo do Rio de Janeiro, que chegou ao empate. Logo em seguida, o bloqueio voltou a funcionar e foi fundamental para ganhar fôlego (20/17). Apesar do momento adverso, o Osasco não esmoreceu. Fez três pontos seguidos e se colocava na briga de novo.

E que briga. Após dois erros seguidos de Natália, foi a vez de Sassá se apresentar e manter as chances do time de fechar o set. Mas encontrava grande resistência. O adversário não queria ceder a parcial e tinha em Juciely e Sheilla suas grandes armas. E foi com um saque da oposta que o Rio de Janeiro fez 2 a 0: 30/28.

O Osasco estava pressionado. Precisava vencer de qualquer maneira. Fez 3/1, se manteve vibrante, até as rivais começarem a mostrar todo o seu poderio. Jaqueline e suas companheiras já mostravam um semblante preocupado e tinham motivos para isso. O time de Bernardinho errava pouco, defendia muito e soltava o braço no ataque. Abriu seis pontos (17/11) e tinha o título nas mãos. Adenízia ainda acreditava. Subia no meio da rede e tentava mexer com os brios de suas companheiras. Mas estava difícil mudar aquela situação. Estava difícil conter o ímpeto do Rio de Janeiro e de Juciely, responsável pelo ponto do heptacampeonato. O Osasco deixou a quadra aos choros.

(Globo Esporte)

Terremotos alteram eixo da Terra, mas não mudam clima

Pesquisadores do JPL (Laboratório de Propulsão a Jato), da agência espacial americana Nasa, calculam que o terremoto recente no Japão deslocou o eixo rotacional da Terra em mais de 16,5 centímetros, alterando levemente a distribuição de massa no planeta.

Mas, segundo Allegra N. LeGrande, do Centro de Pesquisa de Sistemas Climáticas da Universidade Columbia, “alterações naturais na massa da Terra na atmosfera e oceanos também causam mudanças de aproximadamente 99 centímetros no eixo rotacional todo ano”, diz.

“Trocando em miúdos, as mudanças ligadas a terremotos são muito menores do que as alterações imperceptíveis que acabam ocorrendo todos os anos”, diz.

De acordo com LeGrande, são as alterações maiores no eixo que provocam mudanças climáticas.

A mudança cíclica na inclinação do eixo associada a deslocamentos astronômicos, chamadas de obliquidade, tem um ciclo bastante longo, cerca de 41 mil anos, e mudam a inclinação de cerca de 22,1 graus para 24,5 graus. No presente momento, ela está ao redor de 23,4 graus.

Em latitudes mais altas, uma obliquidade maior significa maior irradiação anual total. Nas latitudes baixas, o oposto é válido e, nas médias, praticamente inexiste mudança.

Segundo LeGrande, quando a obliquidade é elevada, as diferenças entre o equador e os polos na irradiação total e, também, na temperatura, é mais ampla, resultando em estações do ano mais extremas.

“Só que as alterações que acontecem todo ano com a obliquidade são tão minúsculas que não percebemos”, explica.

(New York Times)

Carmen Steffens é processada pela francesa Christian Louboutin por plágio em sola de sapato

Linha de produção de sapato feminino com solado vermelho, da fabrica Carmen Steffens em Franca (SP) - Edson Silva/France Presse

O solado vermelho de calçados femininos de alto padrão virou motivo de disputa judicial. A indústria brasileira Carmen Steffens diz que foi notificada judicialmente pelo designer francês de calçados Christian Louboutin, sob a acusação de plágio.

A grife francesa acusa a empresa de Franca (a 400 km de SP) de copiar o solado vermelho, alegando ser sua marca registrada.

“É um absurdo alguém querer patentear uma cor”, afirma Mario Spaniol, presidente da Carmen Steffens.

Os sapatos criados por Louboutin estão nos pés das principais estrelas de Hollywood, de Angelina Jolie a Katie Holmes. Na loja virtual da empresa francesa na internet, os modelos mais simples custam quase US$ 1.000 –cerca de R$ 1.570–, mas os mais sofisticados chegam a ultrapassar os US$ 3.000 –em torno de R$ 4.700.

Já os modelos da Carmen Steffens estão na faixa dos R$ 300. Em seu site, a empresa francana cita como consumidoras a cantora Mariah Carey e a atriz Eva Longoria.

Segundo Spaniol, a disputa judicial teve início depois que a marca brasileira se fortaleceu na França. Em setembro último, a empresa abriu lojas em Marselha e Paris –já tinha uma em Provence.

O empresário se defende da acusação de plágio. Segundo ele, o vermelho usado nos solados da Carmen Steffens não é do mesmo tom usado por Louboutin. Ele também diz que o vermelho é apenas uma cor dentre várias presentes nos seus produtos.

“Nós usamos cores nas solas dos nossos sapatos desde 1996. A patente dele [Louboutin] para a sola vermelha é de 2000 nos EUA e de 2009 na França”, afirma Spaniol.

Para provar essa diferença de datas, a empresa brasileira iniciou junto a suas clientes uma coleta de sapatos de sola vermelha usados, com data anterior a 2000. Em troca, está oferecendo sapatos novos para as clientes.

Spaniol ainda promete contra-atacar. Segundo o empresário, a Carmen Steffens vai acionar Louboutin na Justiça, por danos morais.

A Folha procurou a assessoria de imprensa de Louboutin no Brasil –a marca tem loja em São Paulo–, que não quis se manifestar.

(Folha Online)

Limite para saques das 22h às 6h sobe para R$ 300 em caixas

Treze anos depois de os bancos limitarem a R$ 100 os saques das 22h às 6h, por questões de segurança, o valor foi atualizado para R$ 300. E vem sendo adotado nas últimas semanas por várias instituições.

Santander, Banco do Brasil e Bradesco confirmam que elevaram o limite, seguindo orientação dada pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos) por circular – não se trata de uma obrigatoriedade. A Caixa Econômica Federal, por exemplo, manteve o limite de R$ 100. 

Já o Itaú Unibanco não respondeu se ampliou o valor, alegando motivos de segurança. Para especialistas ouvidos pela reportagem, a alteração poderá motivar mais ações criminosas. Procurada, a Polícia Militar não se manifestou.

O saque na madrugada é feito especialmente em caixas 24 horas disponíveis em supermercados e postos de gasolina. A maioria dos caixas eletrônicos das agências fica disponível só até o início da noite. Em São Paulo, o acesso é, em geral, até as 22h.

O limite de R$ 100 surgiu em 1998. Na época, o saque tinha valores diversos, dependendo da conta do cliente. Assaltos na saída de caixas eletrônicos e sequestros relâmpagos eram comuns. Em alguns casos, a vítima era dominada de dia e, após um primeiro saque, tinha de esperar até a noite para nova retirada. Em nota, a Febraban afirmou que o aumento do limite para R$ 300 “é o primeiro desde que o procedimento foi criado e atende a solicitação de clientes bancários”.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Homem é assassinado por causa de R$ 10 em bar gay de Aquiraz

Um homem foi assassinado com uma facada nas costas na madrugada de sábado (30), em um bar em Aquiraz voltado para o público homossexual, e que segundo frequentadores, é um prostíbulo masculino.

O mossoroense Jean Carlos Pereira da Silva, de 39 anos, recebeu um golpe com uma faca cuja lâmina tinha 12 polegadas – cerca de 30 centímetros.

De acordo com testemunhas, o assassino é José Ronaldo de Almeida, que fugiu do local, conhecido como Bar da Curva, na CE 453, no distrito de Tapera.

Segundo os frequentadores que estavam no local, Jean Carlos já era conhecido por praticar furtos entre os clientes, e teria roubado R$ 10 do assassino.

(Portal CNews)

Baiano Lyoto Machida encara a lenda Randy Couture no UFC 129

Soteropolitano, mas radicado em Belém do Pará desde os três anos de vida, o ex-campeão dos meio-pesados do UFC, Lyoto Machida, está muito próximo de enfrentar um de seus maiores desafios. Não somente pelo adversário da vez, Randy Couture, uma lenda viva do MMA, mas pelo momento especial de sua carreira.

Derrotado nas últimas duas lutas – contra o brasileiro Maurício Rua, o ‘Shogun’ (quando perdeu o título), e para o americano Quinton Jackson, o ‘Rampage’, por pontos ( em resultado contestado) – Lyoto admite estar sob pressão e reconhece no UFC 129, em Toronto, neste sábado, 30, a partir das 22h, (com transmissão ao vivo do SporTV), a chance de reerguer-se e recuperar o prestígio no torneio.

Num bate-papo via e-mail (por intermédio do seu agente Ed Soares), “The Dragon” ou simplesmente o “Dragão” destacou o que espera do combate: “Será uma luta franca. Difícil, é claro, pois do outro lado estará um mito. Estou confiante”, declarou. O UFC 129 também terá mais quatro lutas no Card principal. Duas, por sinal, envolverão defesa de cinturões.

(A Tarde)

Desafio duro no UFC 129: Georges Saint-Pierre X Jake Shields

O Ultimate Fighting Championship vai viver sua maior noite até hoje, na madrugada deste domingo (horário de Brasília). Pelo menos é o que garantem os organizadores. Além do recorde de público, que chegará a 55 mil pessoas no Rogers Centre, em Toronto, no Canadá, e de venda mais rápida de ingressos, o UFC 129 terá um card com duas defesas de cinturão e nomes consagrados, como Georges St-Pierre, José Aldo, Lyoto Machida e Randy Couture. O SRZDvai informar o vencedor de cada luta do card principal no momento em que terminarem. Fique ligado!

Ídolo local e maior lutador canadense de MMA de todos os tempos, Georges St-Pierre defende o cinturão dos meio-médios contra o americano Jake Shields, invicto há 15 lutas. Pela categoria pena, o brasileiro José Aldo, eleito melhor lutador de 2010, faz sua estreia no UFC contra o americano Mark Hominick. Já Lyoto Machida volta ao octógono para enfrentar a lenda Randy Couture pelos meio-pesados.

Brasileiros encaram desafios difíceis 

Eleito pelo Oscar do MMA como melhor lutador do ano passado, José Aldo faz agora sua primeira luta no UFC, mas garante que não sentirá a pressão da estreia e do público recorde. “Quando eu entro no octógono, esqueço tudo o que acontece ao meu redor. Meu foco é todo no meu oponente. Estou me sentindo 100% e recuperado da lesão. Estou pronto para o que der e vier”, explicou confiante o brasileiro.

O “Dragão” Lyoto Machida, que vem de duas derrotas seguidas (Maurício Shogun e Quinton “Rampage” Jackson), é considerado um dos atletas mais estratégicos de todas as categorias, sendo, inclusive, um dos lutadores que menos sofre golpes dentro do octógono. Por conta disso, o baiano erradicado no Pará tem enfrentado muitas críticas por atacar pouco. Agora, Lyoto quer mostrar que pode ser mais agressivo, agradando mais aos fãs do MMA, e também voltar ao topo. “Se eu conseguir colocá-lo na distância que quero, posso controlar a luta. E, para isso, tenho várias armas ao meu lado. Estou bem preparado para vencer o Randy. Pronto para atacá-lo sem parar”, declara Lyoto.

CARD PRINCIPAL

Georges St-Pierre vs. Jake Shields
José Aldo vs. Mark Hominick
Jason Brilz vs. Vladimir Matyushenko
Randy Couture vs. Lyoto Machida
Mark Bocek vs. Ben Henderson

CARD PRELIMINAR

Nate Diaz vs. Rory MacDonald
Jake Ellenberger vs. Sean Pierson
Claude Patrick vs. Daniel Roberts
Ivan Menjivar vs. Charlie Valencia
Jason MacDonald vs. Ryan Jensen
John Makdessi vs. Kyle Watson
Pablo Garza vs. Yves Jabouin

(Sidney Rezende)

Travestis e transexuais poderão usar cortes de cabelo femininos na cadeia

RIO – Além de detentos homossexuais poderem ter direito a visitas íntimas no sistema penitenciário estadual – medida publicada no Diário Oficial em 28 de março pela Secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap) e divulgada na sexta-feira pela Secretaria estadual de Assistência Social e Direitos Humanos -, as ações do projeto Rio Sem Homofobia vão além. Haverá o fornecimento de tratamento hormonal a transexuais e travestis presos e permissão para que usem penteados femininos, em vez de terem as cabeças raspadas. Serão oferecidos ainda cursos profissionalizantes em áreas como estética, telemarketing e turismo.

A partir de maio, os agentes penitenciários terão palestras e cursos para lidar com a homossexualidade no sistema carcerário. O objetivo é preparar 1.250 agentes por ano e ter 100% dos quadros capacitados até 2014. Outra iniciativa será a distribuição de cartilhas para os funcionários dos presídios e detentos, com a finalidade de informar os direitos dos homossexuais e combater o preconceito.

Antes da visita, é necessário marcar uma data no centro de referência para comprovar a relação, por meio de um documento assinado pelo casal e por duas testemunhas. O agendamento é pelo Disque Cidadania LGBT (0800-0234567). No centro de referência, advogados, psicólogos e assistentes sociais prestam assistência ao companheiro do detento e providenciam a documentação necessária, que é encaminhada à Seap para cadastro.

O coordenador do programa Rio Sem Homofobia e Presidente do Conselho Estadual LGBT, Claudio Nascimento, elogiou as iniciativas:

– Se a ideia é ressocializar, temos que trabalhar também a autoestima dos detentos e combater o preconceito – diz Nascimento, para quem o preconceito torna difícil saber quantos presos são homossexuais. – Muitos que são assumidos aqui fora têm receio de revelar sua sexualidade no presídio.

O presidente do Grupo Arco Íris, Julio Moreira, que desde 1993 luta por direitos da comunidade LGBT, comemorou a medida, que classificou como vitória.

– Essa é uma reivindicação que o movimento LGBT já tinha no Conselho Estadual dos Direitos da População LGBT há muito tempo. Estamos super satisfeitos – disse Moreira, ressaltando que a garantia legal não é suficiente para que a medida tenha eficácia. – É necessário um trabalho de sensibilização, para não ter apenas o decreto e o direito garantido e ponto final. Precisarão ser feitas conversas com os presos, com os agentes e até diretores dos presídios.

(O Globo Online)

Morre, aos 99 anos, o escritor argentino Ernesto Sábato ‎

O escritor Ernesto Sabato, vencedor do Prêmio Cervantes de Literatura e um dos maiores autores argentinos do século XX, morreu aos 99 anos em sua residência de Santos Lugares, na província de Buenos Aires, anunciou neste sábado sua esposa Elvira González Fraga.

“Há 15 dias teve uma bronquite e na idade dele isto é terrível”, declarou Elvira à rádio Mitre, ao confirmar o falecimento.

Sábato seria homenageado no domingo na Feira do Livro pelo Instituto Cultural da província de Buenos Aires .

(Portal Terra)

Quais as razões do fanatismo religioso?

Evandro Enoshita
Agência BOM DIA

O caso da família de Diadema que, acreditando que seriam arrebatados por Jesus, deixaram tudo para trás e sumiram por 14 dias, até serem encontrados, na semana passada, no interior do estado, levanta a questão do fanatismo religioso na sociedade.
Na manhã do dia 14 de março, o vendedor José Carlos Dias, 47 anos, a mulher, a auxiliar de produção Antônia Aparecida Gomes, 49 anos, e os dois filhos do casal, Henrique e Thais, de 22 e 18 anos, respectivamente, saíram a pé de casa, no bairro Campanário.

Apenas com a roupa do corpo, sem dinheiro nem documentos – que haviam sido rasgados na noite anterior – a família partiu sem destino. Eles acreditavam que seriam arrebatados na tarde do mesmo dia. O arrebatamento não veio, e a família ficou vagando por duas semanas, até ser reconhecida por uma assistente social em Ourinhos, a 400 quilômetros da Capital, que ficou sabendo do desaparecimento pela imprensa.

Mas o que faz com que uma família aparentemente normal e estruturada, com emprego e casa própria, abandone tudo em nome da religião? Segundo a professora de psicologia da Universidade Metodista de São Paulo Angêlica Capelari, a explicação para o comportamento extremo é a necessidade do ser humano de se adequar a um grupo.

“A necessidade de ser bem visto pelo todo faz com que esse grupo seja o novo parâmetro de comportamento. Mesmo nas ocasiões em que a pessoa venha a se arrepender ou até questionar as decisões desse grupo, o medo de reações contrárias [do grupo] faz com que o indivíduo recue. Chega-se a um ponto em que a pessoa teme uma reação divina, caso descumpra às determinações do grupo”, ressaltou Angélica.

Diadema

Esse parece ter sido exatamente o caso da família de Diadema. Afilhada do casal, a dona de casa Patrícia Gomes de Carvalho, 30 anos, destaca que, há dez anos, o vendedor era espírita, mas deixou de frequentar as reuniões. Há dois anos, porém, ele teve o primeiro contato com pregadores de uma seita cristã, e começou a mudar de comportamento, chegando a converter toda a família. “Minha mãe sempre questionou as coisas que o meu pai dizia, mas não queria enfrentar a crença dele”, ressaltou.

Angélica não acredita que um evento traumático tenha levado a família a recorrer ao radicalismo. Ela crê, porém, que é importante que a família passe por um acompanhamento psicológico, para evitar o trauma causado pelo fato deles não terem sido arrebatados. “Existe a possibilidade de a família começar a procurar motivos para não terem sido arrebatados na data marcada, culpando inclusive a si mesmos e a parentes”, completou a psicóloga.

No momento, a família tenta colocar a vida novamente dentro dos eixos. “Eles estão muito envergonhados, não querem falar sobre o caso. A empresa em que a minha mãe trabalha ofereceu tratamento psicológico para a família. Mas eles ainda não sabem ainda quando que a rotina da família irá voltar ao normal”, afirmou  Patrícia.

Extremismo x Religiosidade

Líderes religiosos do ABCD comentam a questão do fanatismo religioso segundo suas crenças

Vice-presidente do Cdial (Centro de Divulgação do Islam para América Latina), Ziad Ahmad Saifi, destacou que o islamismo condena qualquer tipo de fanatismo religioso.

“A palavra fanatismo já resume tudo. Como em todas as religiões, tudo  que é em excesso é ruim e faz mal. O Alcorão [livro sagrado dos muçulmanos] define os momentos e horários em que é necessário praticar as orações para Deus. Isso é justamente para limitar a adoração excessiva”, destacou Saifi.

Diferente do que muita gente possa pensar, com os casos de homens-bomba e atentados suicidas no Oriente Médio, o vice-presidente da Centro de Divulgação do Islam ressalta que o livro sagrado dos muçulmanos não incentiva atos de extremistas.

“Os fanáticos não buscam além da sua perdição. Islam deriva da palavra árabe ‘salam’, que significa paz. Por isso, nenhum ato de fanatismo e extremismo é tolerado”, completou Saifi.

‘Existe o fanatismo bom e o ruim’, diz rabino

Líder da Associação Religiosa Israelita de Santo André, o rabino Yosef Tawil acredita que é possível dividir a devoção religiosa em dois campos distintos: o fanatismo bom e o fanatismo ruim. “Para viver em ordem, o homem precisa de alguém que o oriente a respeito das palavras de Deus. Frequentar a sinagoga e  orar podem ser definidos  como atos de fanatismo saudável”, definiu Tawil.

Já o fanatismo ruim, segundo o rabino, surge da ignorância das leis divinas. “O fanatismo ruim acontece quando a pessoa coloca as palavras de Deus de uma forma errada. Os livros sagrados têm informações que precisam ser interpretadas de uma maneira correta, e não levadas ao pé da letra”, destacou o rabino.

Ainda segundo o representante da comunidade judaica no ABCD, nas reuniões da comunidade da região existe uma preocupação no sentido de explicar essa diferença entre os dois tipos de devoção religiosa. “No judaísmo, sempre vamos para o lado da paz e temos uma preocupação de ensinar para as pessoas o lado bom das leis de Deus”, completou.

‘Não se pode ir além de Deus’, afirma padre

A opinião de que o fanatismo religioso não é  saudável também é compartilhada pelo padre José Pedro Teixeira de Jesus, das paróquias São José Operário e Nossa Senhora das Dores, ambas em Santo André. Para ele, os atos extremos pela religião são relacionados à falta de capacidade de discernir o certo do errado.

“Quero creer que quando as pessoas cometem atos de fanatismo estão achando que fazem o melhor possível para elas. Mas acho isso diícil. É complicado você respeitar algo que não é saudável”, ressaltou Jesus. Para o padre, o fanatismo surge do fato de muitas pessoas terem a intenção de interpretar as palavras de Deus em benefício de ideias próprias.

“Desde o início da caminhada da humanidade, muita gente tentou usar a palavra de Deus em vão. Isso é errado. Não se pode usar os conhecimentos dessa forma. A igreja sempre viu os atos de fanatismo de forma muito reticente. Orientar os fieis a respeito disso é uma de nossas principais preocupações”, completou o padre.

O arrebatamento

A teoria surgiu a partir de interpretações do Livro do Apocalipse, da Bíblia, criadas no século XIX, na Inglaterra.  Este momento e definido como o primeiro evento do fim do mundo, no qual  Jesus Cristo iria resgatar as pessoas escolhidas para povoar o reino dos céus, deixando na Terra apenas aqueles que não o aceitaram como o salvador.

Profecia na internet

No site de busca Google, o termo ‘arrebatamento’ aponta 429 mil resultados. Em uma das páginas, inclusive, há um manual para aqueles que não forem arrebatados.

(Rede Bom Dia)

Você sabe o que significa “fanboyismo”?

Sejamos sinceros: sempre que postamos alguma matéria sobre a Sony, são travadas pequenas batalhas entre amantes de consoles comercialmente “opostos”. Uma leva de Nintendistas batem o pé para defender a companhia das espetadas da gigante eletrônica Sony. Não digo que eu não o faria também, mas é claro que num padrão justo de diálogo — ou seja, sem xingar a companhia adversária sem ter argumentos o bastante ou olhando somente para um lado da situação. A essa lealdade irracional, fanatismo excessivo por determinada franquia, empresa ou marca, é dada a denominação “fanboyismo” — palavra derivada do inglês fanboy, que define um fã apaixonado por vários elementos da cultura nerd que, cego, acaba deixando seu fanatismo ultrapassar os limites do senso de julgamento, criando para si um sentimento de perfeição indiscutível sobre sua franquia favorita.

O Reino do Cogumelo espalha informações sobre a série Mario de forma enciclopédica, filosófica, mas preferimos manter o lado fanboy dentro da gaveta. É algo que deve ser sempre evitado e, quando for tarde demais, remediado. É baseado nesse tema que Eugene Kim, editor do Modojo, discute se os fanboys já nasceram assim ou se assumem esse status por meio de uma escolha consciente.

É de se ficar perplexo o modo como as pessoas ficam furiosas com relação a um sistema de video game. Como apontado por Kim, o DS nunca salvou a sua vida, e o PSP nunca assou biscoitos para você. E acredite, o fanboyismo já existe há tempos. Em 1968, dois pesquisadores, Knox e Inkster, recolheram dados de vários apostadores numa corrida de cavalos. Todos eles já haviam apostado 2 dólares em seus respectivos cavalos ou estavam prestes a apostar a quantia. Então, numa escala de 1 a 7, foi requisitado aos grupos de aposta que qualificassem a confiança que tinham na vitória dos cavalos escolhidos; a estimativa geral foi de 4.81. Muitos estudos subsequentes confirmaram este fenômeno, e os resultados são assustadores: algo acontece na mente das pessoas fazendo com que elas fiquem mais confiantes sobre suas escolhas após terem feito essas escolhas.

As pessoas sempre querem ter várias opções, mas fazer escolhas costuma ser um bicho de sete cabeças. Você pode ter muitas alternativas, mas todos sabem que, a partir do ponto em que você toma uma decisão particularmente difícil, a agonia ainda não acabou. E se eu escolher estudar num outro colégio? E se eu quisesse comprar aquele carro ao invés deste? Estes sentimentos de “o que aconteceria se…?” são chamados de dissonância pós-decisional, e a forma como seu cérebro lida com essa angústia é mudando o modo como você se sente sobre a escolha que você fez. Em outras palavras, você começa a gostar muito mais da escolha que você fez.

Digamos que você tenha juntado dinheiro para comprar um console portátil. Você fica entre o DS e o PSP, e digamos que você tenha escolhido o DS. Você o leva ansiosamente para casa, e em pouco tempo, vai ouvir sobre o leitor de vídeo do PSP e sobre sua tela widescreen de alta luminosidade e definição. Ao invés de se martirizar por ter feito uma escolha que não lhe agradou, é mais provável que você lide com isso pensando algo como “olhe para aquele maluco que pagou uma fortuna por um UMD” e postar isso na internet. É importante notar que ninguém decide ampliar o mérito de suas próprias escolhas; é o seu cérebro que faz você se sentir mais confiante com elas. Quanto mais difícil for a escolha, mais isso se faz necessário.

No fim das contas, até mesmo os defensores mais fiéis de suas marcas favoritas relutantemente concordam que todos os sistemas principais de video game na indústria são ótimos. É um momento maravilhoso para a indústria de jogos eletrônicos, e toda essa concorrência acaba dando vida a coisas inovadoras e atraentes. No entanto, enquanto existirem escolhas, vamos encarar decisões difíceis em vários momentos da vida, e para debater essas decisões, fanboys vão aparecer na internet como formigas em cima de uma jujuba. O jeito é esperar que todos tomem mais consciência e respeito sobre as decisões do próximo.

(Por Eduardo Jardim – Reino do Cogumelo)

Exército tem projeto de segurança para Copa com custo de R$ 2 bilhões

O Exército possui um projeto de R$ 2 bilhões para equipar até 2014 os sistemas de inteligência e de prevenção e combate ao terrorismo do país. O objetivo é garantir que os militares estejam preparados para atuar na segurança da Copa do Mundo e das Olimpíadas de 2016, que serão realizadas no Brasil.

O planejamento, denominado “Brigada Braço Forte”, ao qual o G1 teve acesso, estima que a aquisição de novos equipamentos é necessária porque “atualmente, o índice de obsolescência dos meios de comunicações (do Exército) ultrapassa 92%”, sendo que isso tem “afetado a capacidade de coordenação e controle até de simples emprego de tropa para ações emergenciais”.

Segundo o general Antonio Santos Guerra Neto, comandante do Centro de Guerra Eletrônica do Exército, o plano quer deixar os militares “aptos para contribuir para a segurança pública com informações e dissuasão” e deverá ser finalizado e apresentado à presidente Dilma Rousseff até 2012.

“A segurança na Copa é compartilhada e o Exército terá a sua parte, principalmente para garantir a questão logística do evento e a rápida difusão de dados sobre suspeitos ou alvos em potencial com a Polícia Federal e os outros órgãos de segurança pública. Teremos jogos em 12 capitais, equipes de todo o mundo estarão aqui e haverá chefes de Estado internacionais que teremos que fazer a proteção. Como o Exército está presente em todo o país, pode ajudar muito”, diz o general.

“Ainda estamos na fase de buscarmos as necessidades e contatar empresas para adquirir os equipamentos e a tecnologia necessária. Grandes companhias como Odebrecht, Embraer Defesa, Avibrás e Camargo Corrêa já demonstraram interesse em participar”, aponta o oficial.

Prevenção contra ataques
Dentre os pontos previstos no plano estão o monitoramento do espaço aéreo do país e investimentos em artilharia antiaérea (com a aquisição de radares e novas armas, capazes de abater caças invasores), monitoramento de suspeitos por meio de rádio e telefonia e também compra de equipamentos para detecção e destruição de bombas nucleares, químicas e bacteriológicas.

“Vamos comprar também armas não letais, para a tropa ficar preparada para atuar em controle de distúrbios civis (como protestos). Não é para dar poder de combate, mas para prevenção e cooperação. Só a presença de um militar com um tanque nas ruas já demonstra poder”, diz Santos Guerra.

O projeto também prevê o aumento de número de militares em algumas capitais, principalmente São Paulo e Rio de Janeiro, “onde o contingente deve dobrar”, segundo o general. Haverá ainda compra de material para ações de defesa civil e calamidades que eventualmente venham a ocorrer no país, como enchentes e secas. “Cada vez mais, somos chamados a atuar nestes momentos de tragédia”, acrescenta o comandante.

O projeto “Brigada Braço Forte” está ainda na primeira fase, em que foi contratada uma empresa para assessorar o Exército na elaboração de um projeto básico para definir quais são as tecnologias, armas e equipamentos que deveriam ser adquiridos. Em seguida, haverá contato com empresas interessadas em vendas, aprovação do orçamento pelo governo e a abertura de licitações ou contratos.

Monitoramento de fronteiras
Além deste projeto, o Centro de Guerra Eletrônica possui em andamento o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras, o Sisfron, orçado em US$ 6 bilhões (R$ 10 bilhões) e que deve estar concluído em 2019, segundo o general Santos Guerra. Deverão ser instalados novos 29 pelotões de fronteira, principalmente nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Amazônia (hoje são 22 unidades, nenhuma no Centro-Oeste).

Serão comprados também novos equipamentos que permitirão rastrear, monitorar e impedir a entrada de armas e drogas pelas fronteiras do país.

“Temos 16 mil quilômetros de fronteira seca por onde se entra tudo no Brasil. Com radares de baixa altitude, lanchas, equipamentos de visão noturna, aeronaves não-tripuladas e maior número de homens vamos aumentar nosso poder de vigilância e fazer nossa parte contra a criminalidade”, diz o general.

A Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) iniciou em outubro de 2010 um planejamento junto com o Comitê Organizador da Copa do Mundo da Federação Internacional de Futebol (Fifa) para garantir a segurança dentro e fora dos estádios durante os jogos, com orçamento inicial de R$ 4 bilhões.

Serão feitos investimentos nas polícias de todos os estados e formações no exterior. Desde o começo de 2011, o ministro da José Eduardo Cardoso, está visitando governadores e prefeitos das capitais do país buscando melhorar a troca de informações entre os órgãos de segurança pública até a Copa.

(Portal G1)

Morre o delegado Fábio Facó, da Polícia Civil; enterro será feito em Beberibe

Foto: Kid Júnior

Morreu na manhã deste sábado (30) o delegado Fábio Facó, da Polícia Civil. O policial faleceu no início da manhã, no hospital São Mateus, em Fortaleza. A informação foi confirmada pelo delegado-geral da Polícia Civil, Luiz Carlos de Araújo Dantas.

Fábio Facó estava trabalhando como delegado titular no 9º Distrito Policial (Praia do Futuro). O corpo deve ser enterrado em Beberibe, na Região Metropolitana de Fortaleza, na tarde deste sábado.

De acordo com Dantas, Fábio Facó foi vítima de uma pancreatitite. “Ele foi internado às pressas nesta terça-feira (26) com dores abdominais muito fortes. E era um problema muito sério no pâncreas, uma pancreatite aguda”, disse o delegado-geral.

Dantas afirmou ainda que vários tratamentos foram feitos, mas não evitaram a morte.

Na manhã deste sábado vários familiares, amigos e policiais civis foram ao hospital São Mateus.

Enterro

A previsão é que o corpo fique na funerária Paz Eterna e, por volta de 13 horas, seja levado para Beberibe, onde deve ser enterrado, conforme ainda o delegado-geral da Polícia Civil.

(Diário do Nordeste)

Kate Middleton: A ‘queen’ de McQueen

E lá veio a noiva… E entre todas as hipóteses cogitadas, a escolha do vestido não poderia ser mais acertada. Kate Middleton, agora princesa e duquesa de Cambridge, mostrou que está de olho no futuro sem abrir mão de seu status de princesa. Escolheu uma jovem estilista inglesa de uma marca consagrada pela criatividade e pelo rigor da alfaiataria: Sarah Burton para Alexander McQueen. Sarah assumiu o comando da marca há apenas um ano, depois do triste suicídio de McQueen que, ironia, tem até rainha no nome. Nas duas coleções criadas sob sua batuta, ela soube suavizar o estilo de McQueen sem perder sua força.


Juntas, Kate e Sarah chegaram a um modelo que remete à feminilidade resgatada após a 2.ª Guerra, época em que a rainha Elizabeth II e Grace Kelly, a princesa de Mônaco, casaram-se – e época também do famoso new look criado por Christian Dior. Sim, há alguma semelhança entre eles, como a cintura marcada, o uso da renda, a manga comprida ou a ampla saia, com anquinha arrematada por volumes construídos como pétalas de uma flor.

O vestido de gazar de cetim de Kate tinha delicados inserts de renda Chantilly francesa e de renda feita à mão pela Escola Real de Bordado do Palácio de Hampton Court – uma técnica irlandesa de 1820. Os artesãos que trabalharam com a renda lavavam as mãos a cada meia hora e trocavam as agulhas a cada três horas a fim de mantê-la absolutamente alva. A cauda de 2,70 metros merecia um pouco mais de comprimento – mas nada que chegasse perto dos 7,5 metros da cauda do vestido da princesa Diana, mãe do noivo William que morreu num acidente de carro em 1997.

A tiara veio dos anos 30: a Halo ou Scroll, de diamantes Cartier. Três semanas antes de assumir o trono, em 1936, o rei George VI (personagem do filme Discurso do Rei) deu a tiara à mulher dele, Elizabeth, a rainha-mãe. A bisavó de William, por sua vez, deu a tiara para filha Elizabeth em seu aniversário de 18 anos, que a emprestou agora à nova “neta”. O brinco, presente dos pais de Kate, era de pérola e diamante e foi criado especialmente por Robinson Pelhamm para compor com a tiara.

O buquê era singelo, mantendo a tradição real de reunir flores que simbolizam os países da coroa britânica, incluindo a murta que é retirada da mesma árvore plantada na Ilha de Wight pela própria rainha Victoria em 1845. Com um toque pessoal: a flor Sweet William. De fato, William estava “very sweet” com o imponente uniforme de Guarda da Irlanda, nitidamente mais nervoso do que a noiva. E não estranhe a não troca de alianças. O tradicional modelo de ouro vermelho de Gales só será usado por Kate. William não a usará, assim como seu pai, príncipe Charles, e seu avô, príncipe Philip.

Sem a frieza de grandes eventos e como manda o protocolo, a cerimônia foi tão impecável quanto comovente. Exceto na hora do beijo do casal na sacada do Palácio de Buckingham. Se Charles e Diana foram os primeiros a se beijar ali, William e Kate avançaram mais um pouquinho e se beijaram duas vezes, alegrando ainda mais a plateia global de 2,5 bilhões.

(Estadão)

Ao contrário do que diz o Governo do Estado, latrocínios cresceram 16% em SP

Os latrocínios na cidade de São Paulo subiram ao menos 16%, informa reportagem de André Caramante publicada na edição da Folha deste sábado (íntegradisponível para assinantes do jornal e do UOL). A estatística oficial do governo do Estado apontava para queda de 12%, mas ao menos sete casos ficaram de fora da contabilidade.

O chefe da Polícia Civil, delegado Marcos Carneiro Lima, admitiu ontem que há uma falha nos registros de boletins de ocorrências que precisa ser corrigida para evitar distorções.

(Folha Online)

Receita Federal recebeu 24 mi de declarações; prazo terminou à 0h de hoje

O prazo para a entrega do Imposto de Renda da Pessoa Física 2011 (ano-base 2010) terminou à 0h de hoje, e a Receita Federal informou ter recebido 24.370.072 declarações. Apesar de o valor ter superado a estimativa da Receita, ele ficou abaixo de 2010, quando foram recebidas 24,67 milhões de declarações, e de 2009, com 25,56 milhões.

Até as 19h desta sexta-feira a Receita Federal havia recebido 23,7 milhões de declarações.

Segundo a secretária-adjunta da Receita Federal do Brasil, Zayda Manatta, a expectativa era de que o órgão recebesse até as 23h59min59s –quando terminou o prazo para o envio do documento–, entre 24 milhões e 300 mil e 24 milhões e 400 mil.

Como acontece desde 1996, o prazo de entrega não será prorrogado pela Receita Federal. Para os contribuintes que perderem o prazo, haverá pagamento de multa mínima de R$ 165,74 ou, no máximo, de 20% do imposto devido.

O horário em que a Receita Federal recebeu o maior número de declarações foi entre 13h e 15h de sexta-feira (29). Foram cerca de 300 mil.

Durante uma hora, o site da Receita Federal apresentou problemas. A página para acesso ao preenchimento e envio de declarações ficou intermitente.

O órgão detectou um problema técnico das 11h10 às 12h15. Segundo o órgão, o serviço já foi normalizado e a causa da falha será apurada pela Receita e pelo Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados).

De acordo com a secretária-adjunta, a instabilidade no site não afetou a entrega das declarações. “A entrega correu normamelmente durante todo o dia. A instabilidade durou cerca de uma hora”, afirmou.

(Folha Online)

Crise no PSDB paulistano atinge comando estadual

A exemplo dos vereadores paulistanos, a bancada de deputados federais do PSDB de São Paulo resolveu pleitear maior espaço na formação da nova executiva estadual, que será eleita daqui a uma semana. Inspirados pelas demandas dos vereadores, que conseguiram ampliar a influência na cúpula partidária municipal após racha que resultou na saída de seis parlamentares, os deputados decidiram pedir, na formação da executiva estadual, o mesmo espaço obtido pelos colegas tucanos da Câmara Municipal. A palavra de ordem é “isonomia”.

Em almoço na terça-feira, no Senado, os deputados Luiz Fernando Machado, coordenador da bancada paulista, Vaz de Lima e o senador Aloysio Nunes Ferreira avaliaram que os parlamentares devem ter mais representatividade na cúpula partidária, já que a presidência do partido ficará com um deputado estadual, Pedro Tobias, que conta com o apoio do governador Geraldo Alckmin.

A bancada federal quer na Executiva estadual pelo menos os cinco postos que os vereadores obtiveram na cúpula municipal. Entre eles, a vice-presidência, a primeira-tesouraria e a secretaria-geral, para a qual não há nome de consenso. O ex-governador José Serra chegou a ser procurado por deputados federais para tratar do assunto.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Brasil será 1º mundo em uma década, afirma presidente do BID

O Brasil pode se tornar um País de primeiro mundo em cerca de dez anos, se mantiver a atual trajetória de crescimento sustentado, segundo projeção feita nesta sexta-feira pelo presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o colombiano Luis Alberto Moreno.

Em entrevista exclusiva ao iG durante o World Economic Forum on Latin America, no Rio de Janeiro, Moreno disse não haver dúvida que este é um grande momento para o Brasil aos olhos do mundo. O grande desafio, segundo o presidente do BID, é melhorar a qualidade da educação para que os jovens possam ter uma melhor inserção no mercado de trabalho e investir em desenvolvimento tecnológico.

“Com mais investimentos em educação será possível elevar de forma substancial a renda per capita para algo acima de US$ 12 mil em até dez anos e isso colocará o país em outro patamar no mundo, com perfil de um país de primeiro mundo”, disse o executivo.

“Temos no Brasil um bônus demográfico, classe média ascendente, um mercado doméstico aquecido e em expansão. Temos aqui todas as coisas de que o mundo necessita, mas é necessário qualificar melhor a mão de obra para aproveitar as oportunidades que estão surgindo e que devem impulsionar mais o crescimento”, acrescentou Moreno.

Pensamento econômico

Na avaliação do presidente do BID, O Brasil tem muito a contribuir para um novo pensamento econômico em âmbito mundial. De acordo com Moreno, os países desenvolvidos, que durante muitos anos deram lições dizendo ao Brasil o que deveria ser feito, agora têm de recorrer à experiência do País.

“O Brasil adotou medidas no passado que garantiram a solidez do sistema financeiro durante a crise”, disse Moreno. “Em 25 anos a América Latina teve 31 crises financeiras. Aqui estão todas as lições. Portanto não há dúvida de que o Brasil, como a maior economia da região, tem muito a contribuir com um novo pensamento econômico como a voz da América Latina”, afirmou.

Moreno ressaltou que o atual momento vivido pelo Brasil foi gerado pelo que classificou de “uma revolução silenciosa” que passa por eleições diretas, fortalecimento da democracia e políticas de desenvolvimento inovadoras como o Bolsa Família. “Esses fatores, somados ao aprendizado que se obteve com as crises financeiras, as boas e as más lições, possibilitou esse ambiente positivo”, disse.

Infraestrutura

Outro desafio, segundo o presidente do BID, são os investimentos em infraestrutura para poder suportar os eventos esportivos como a Copa do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016. “Esses investimentos vão gerar muitos empregos e elevar a renda da população, mas isso depende dos investimentos agora. E o Brasil vencendo esses desafios poderá encarar novas demandas com muito mais preparo”, destacou.

A previsão do BID é investir cerca de US$ 12 bilhões nos próximos quatro anos em projetos em parceria com o governo federal e em âmbito estadual, principalmente na região Nordeste. “Temos muitas prioridades no Rio de Janeiro devido à Copa do Mundo e Olimpíadas com projetos de despoluição da Baía de Guanabara, na área de transportes como melhoria da estrutura viária e expansão de linhas do metrô, projetos sociais nas favelas para melhorar as condições de vida da população, principalmente na área de saneamento”, afirmou o executivo da instituição internancional.

Inflação

Para Moreno, o avanço da inflação não deverá comprometer a trajetória de crescimento do Brasil no longo prazo. “Tenho grande respeito pelo governo Dilma, que tem um perfil muito técnico e demonstra muita solidez para que o País possa avançar com muito êxito”, disse.

De acordo com o presidente do BID, as demandas sociais exigem inflação baixa e a luta para combater a forte elevação de preços será durante muito tempo um tema central. “A economia tem muitas variáveis que tornam difícil a tarefa de receitar um remédio correto para controlar a inflação. Não há uma fórmula pronta”, avaliou Moreno. “O que é necessário fazer é um ajuste fino definido ao longo do caminho. Tenho certeza de que o governo do Brasil tem consciência disso e de que as medidas adotadas até aqui são as mais corretas para o atual momento”, acrescentou o presidente do BID.

(Ultimo Segundo)

Caixão de João Paulo 2° é retirado de túmulo para ser venerado em beatificação

Os restos do papa João Paulo 2° foram retirados do túmulo em que estavam sepultados nas Grutas Vaticanas para ser levados à Basílica de São Pedro, durante a cerimônia de beatificação do próximo domingo.

Foto: AP

O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, informou que o túmulo de João Paulo 2° foi aberto na manhã desta sexta feira. O caixão onde estão os restos do futuro beato foi retirado da antiga sepultura, durante uma breve cerimônia presidida pelo secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcísio Bertone.

“A urna foi depositada diante do túmulo de São Pedro, sempre nas Grutas vaticanas, e coberta com um pano bordado com fios de ouro”, disse padre Lombardi durante um encontro com os jornalistas.

O caixão de madeira será levado para dentro da Basílica de São Pedro no domingo pela manhã e será colocado no altar principal da catedral, onde receberá as homenagens dos fiéis após a cerimônia de beatificação.

Na segunda-feira os restos de João Paulo 2° serão colocados definitivamente ao lado da Pietá de Michelangelo, do lado direito da Basílica. Milhares de peregrinos tem lotado a praça de São Pedro e os arredores do Vaticano nos últimos dias, à espera da beatificação de João Paulo 2°, que também poderá ser vista pelo YouTube.

Muitos são da Polônia, terra do papa, como o pedreiro Pawel Kurylo, de 39 anos, que foi a pé de sua cidade até Roma percorrendo 2.300 quilômetros. 

Durante a cerimônia deste domingo, o cardeal-vigário de Roma, Agostino Vallini, pedirá oficialmente ao papa Bento 16 para inscrever o nome de João Paulo 2º no elenco dos beatos. Após a leitura de uma breve biografia de João Paulo 2°, o papa lerá a fórmula da beatificação anunciando que o novo beato será comemorado no dia 22 de outubro, data em que teve início seu pontificado, em 1978. Um grande retrato de João Paulo 2° será mostrado aos fiéis do balcão central da Basílica de São Pedro.

Segundo a prefeitura da capital italiana, 1 milhão de pessoas deve assistir à cerimônia durante a qual será exposta uma relíquia de João Paulo 2°, composta de uma ampola com sangue de Karol Wojyla, para a veneração dos fieis. Cerca de 62 delegações oficiais devem participar da cerimônia de domingo.

O Brasil será representado pelo vice-presidente, Michel Temer. Um esquema especial foi montado para organizar o fluxo de peregrinos e garantir a segurança na área em torno do Vaticano.

(Ultimo Segundo)

Governo regulamenta visita íntima para homossexuais em presídios do Rio de Janeiro

A Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio de Janeiro anunciou nesta sexta-feira (29) que os homossexuais reclusos em presídios fluminenses terão direito a visita íntima, com base em uma ação da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária.

A resolução, que fora publicada no Diário Oficial no dia 28 de março, faz parte de um conjunto de iniciativas do programa “Rio Sem Homofobia”. O órgão estadual vai elaborar até maio uma cartilha informativa destinada a policiais e agentes penitenciários, que passarão por treinamento específico. A secretaria também quer organizar seminários e encontros de capacitação para orientar a recepção e abordagem dos detentos e companheiros.

Antes da permissão para visitas íntimas, lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais vão ter que agendar uma entrevista no Centro de Referência LGBT. Depois de um encontro com assistentes sociais, psicólogos e advogados, a entidade enviará um ofício para a direção do presídio. O documento deverá conter uma declaração de homoafetividade assinada pelo casal e por duas testemunhas.

Segundo o secretário de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Cesar Rubens Monteiro de Carvalho, a medida não é um favor para os homossexuais e sim uma forma de garantir isonomia, já que a lei prevê “direitos iguais para todos”.

“A secretaria tem que se adequar às normas comportamentais de direitos hoje estabelecidas. Conforme preconiza o artigo 5º da Constituição Federal, direitos iguais para todos, e há que se fazer sem restrição, dentro do princípio de que todos são iguais perante a Lei, no gozo de seus direitos e cumprimento de seus deveres como cidadãos”, disse.

Para obter informações e consultas a respeito da nova resolução, os interessado devem entrar em contato com o Disque Cidadania LGBT (0800 0234567).

(Portal Uol)

Entenda o motivo pelo qual Kate Middleton não recebeu o título de princesa

O principal questionamento que surgiu após o casamento do príncipe William com Kate Middleton, realizado nesta sexta-feira (29), foi o porquê ela não recebeu o título de princesa e sim o de duquesa.

Nesta manhã, a rainha Elizabeth 2ª nomeou William como duque de Cambridge e automaticamente sua mulher ganhou o título de duquesa de Cambrigde. Kate não ganhou o título de princesa, como “Lady Di” (mãe de William), por exemplo, porque ela não é de nenhuma família real. Agora, William acumula dois títulos: o de príncipe e o de duque, assim como seu pai, Charles, que tem dois títulos: o de príncipe de Gales e duque de Rothesay.

Oficialmente, William não é o ‘príncipe reinante’, pois é o segundo na sucessão ao trono britânico. Se a rainha Elizabeth 2° falecer, seu filho Charles, irá se tornar rei, pois é o primeiro herdeiro do trono, conforme explica o historiador Paulo de Assunção.

Ainda de acordo com o especialista –  “Os cargos mudam conforme a linha sucessória. Caso William vire rei, Kate será considerada rainha consorte (nome dado à mulher de um monarca reinante), assim como acontece com Philippos (rei consorte da rainha Elizabeth 2ª), que tem o título de duque de Edimburgo e não o de rei”.

(Portal Uol)

ANS amplia possibilidade de trocar plano de saúde sem nova carência

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) publicou uma resolução nesta sexta-feira, no “Diário Oficial da União”, ampliando as regras de portabilidade de carências de planos de saúde –a carência é o período no qual o usuário paga as mensalidades, mas ainda não tem acesso a coberturas previstas no contrato.

Com a norma, os beneficiários têm o direito de mudar de plano de saúde sem cumprir novos prazos de carência.

Desde de abril de 2009 isso já era permitido para planos contratados a partir de 2 de janeiro de 1999. A nova resolução amplia esse direito. A agência estima que cerca de 12 milhões de pessoas sejam beneficiadas com a medida.

Um dos critérios que deixam de ser exigidos para a portabilidade é a abrangência geográfica do plano –ou seja, não faz mais diferença para pedir a portabilidade se o plano é estadual, municipal ou nacional.

A permanência mínima no plano é reduzida de 2 anos para 1 ano a partir da segunda portabilidade. A operadora do plano de origem também deve comunicar aos beneficiários o prazo exato estabelecido para solicitar portabilidade de carências.

Com a norma, o direito à portabilidade também é estendido aos planos de saúde coletivos por adesão (contratados por pessoa jurídica de caráter profissional) e aos clientes de planos que foram extintos pela morte do titular.

(Folha Online)

Artur Bruno confirma pré-candidatura a Prefeitura de Fortaleza

O deputado federal Artur Bruno (PT) se declarou pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza, para as eleições do próximo ano. Mais do que isso, afirmou que independentemente de quem seja o candidato que o seu partido lance ao Paço Municipal, caberá a este defender a gestão da prefeita Luizianne Lins (PT), sobre quem recairá todo o trabalho de condução do processo de candidatura.

De acordo com o deputado, a executiva estadual do PT montou uma comissão especial para as eleições de 2012, que será comandada por Joaquim Cartaxo. A legenda pretende anunciar o nome definitivo até o fim deste ano.

Bruno disse que o PT pretende chegar a um consenso, sem a realização de prévias. Segundo ele, este mecanismo, embora democrático, em alguns momentos “divide” o partido que busca a unidade neste momento.

Dentre os argumentos apresentados para justificar sua candidatura, Bruno destacou sua densidade eleitoral, tendo sido o deputado federal mais votado em Fortaleza, nas últimas eleições. Além disso, afirmou ter facilidade de relacionamento com as forças políticas internas do PT, e também fora dele, o que inclui o governador Cid Gomes (PSB) e os partidos da base aliada, com quem pretende negociar alianças.

(Thiago Paiva, especial para O POVO)

Prazo de validade da carteira estudantil é prorrogado até 14 de maio

O prazo de validade das carteiras estudantis será prorrogado até 14 de maio. A  decisão foi tomada pela Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) nesta sexta-feira, 29, em consenso com as entidades estudantis.

A nova carteira de estudante começa a valer no dia 15 de maio deste ano para alunos veteranos, que terão o documento desbloqueado automaticamente no próprio validador do ônibus ou van. Já os novatos, que não possuíam o documento antigo, poderão utilizá-lo assim que receber.

Solicitação

De acordo com a Etufor, os estudantes que fizeram a solicitação previamente e tiveram suas matrículas confirmadas pelas escolas e universidades devem aguardar o recebimento da carteira na própria instituição de ensino.

Em casos de dúvida e para maiores esclarecimentos, os alunos podem entrar em contato com a entidade estudantil responsável, secretaria da sua instituição de ensino e Unidade de Atendimento ao Estudante (Unae) da Etufor.

Informações

Unidade de Atendimento ao Estudante (UNAE)
Tel: (85) 3452 – 9310 / 9301 / 9324 / 9222 /9202 ou 9200
Endereço: Av. dos Expedicionários, 5677 – Vila União

Mundo tem 102 homens para cada 100 mulheres

Rio – O mundo tem 102 homens para cada 100 mulheres. O número é resultado de um estudo apresentado nesta quarta-feira pela Organização das Nações Unidas, que mostra que o planeta tem 57 milhões de homens a mais que mulheres.

Segundo o estudo, a maioria dos países do mundo tem mais mulheres do que homens. No entanto, as pátrias mais populosas contam com muito mais pessoas do sexo masculino do que feminino, o que explica o resultado da contagem.

O Brasil tem 97 homens para cada 100 mulheres, mas os países mais populosos do mundo, como a China e a Índia contam respectivamente com 108 e 107 homens para cada 100 mulheres.

A pesquisa mostra ainda que a maioria das pessoas do sexo masculino estão entre os mais jovens. enquanto as do sexo feminino estão entre as mais velhas.

(O Dia Online)

Consulte a população de sua cidade de acordo com o Censo 2010

A população brasileira cresceu, em 138 anos, quase 20 vezes, segundo apontam os resultados do Censo Demográfico 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2010, atingimos a marca de 190.755.799 habitantes. Dados preliminares divulgados pelo IBGE em novembro do ano passado apontavam 190.732.694. Em 1872, quando foi realizado o primeiro recenseamento, éramos 9.930.478.

Os dados fazem parte da Sinopse do Censo Demográfico 2010, divulgada nesta sexta-feira (29) pelo IBGE. O documento, segundo o instituto, apresenta os primeiros resultados definitivos do último recenseamento. Alguns números divulgados preliminarmente em novembro de 2010 foram ajustados, a exemplo do total da população, com a inclusão de estimativas sobre a população dos domicílios considerados fechados durante a coleta de dados.

Os censos demográficos são realizados no Brasil a cada dez anos. Participaram desta edição, segundo o IBGE, cerca de 230 mil recenseadores, supervisores, agentes censitários e analistas censitários. A coleta do Censo 2010 foi realizada entre 1º de agosto e 30 de outubro de 2010.

Desde 1872, o maior índice de crescimento da população brasileira foi registrado na década de 50, quando o Brasil crescia 2,99% ao ano. Isso, de acordo com Fernando Albuquerque, gerente da Coordenação de População e Indicadores Sociais, porque o Brasil registrou o declínio de mortalidade após a Segunda Guerra Mundial, em 1945 e manteve altos os níveis de fecundidade.

Albuquerque explica ainda que a fecundidade só começa a declinar no início dos anos 60. “Com isso, há diminuição da taxa de crescimento. Já o declínio de fecundidade se acentua no início dos anos 80”, afirma.

Matéria completa aqui:

http://g1.globo.com/brasil/noticia/2011/04/ibge-atualiza-dados-do-censo-e-diz-que-brasil-tem-190755799-habitantes.html

Clique aqui para ver os dados em formato .xls

(Portal G1)

Rui Falcão é eleito presidente do PT e vai comandar o partido até 2013

Depois de o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, ter oficializado a renúncia ao cargo por problemas de saúde, o Diretório Nacional da sigla aprovou, por unanimidade, nesta sexta-feira (29) a efetivação no cargo do vice-presidente Rui Falcão. Ele vai comandar o partido até 2013, quando deve ocorrer novo processo de eleições diretas para o comando da sigla.

Ligado ao PT paulista, Falcão já comandava o PT durante o período em que Dutra permaneceu licenciado das atividades para se tratar de um quadro de hipertensão crônica.

O novo presidente petista foi nome de consenso durante a reunião da chapa Partido que Muda o Brasil (PMB), composta pelas correntes Construindo um Novo Brasil, Novos Rumos e PT de Luta e de Massa.

Durante a reunião do Diretório Nacional, que começou na manhã desta sexta e só deve terminar no final da tarde de sábado, coube ao ex-deputado José Genoino a missão de apresentar o nome de Falcão à cúpula petista. “É um militante de larga experiência na militância de esquerda, que tem o compromisso do fortalecimento do PT”, afirmou Genoino.

A eleição de Falcão tornou-se praticamente certa desde que o atual líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), recusou a possibilidade de ocupar o cargo. Costa afirmou que tinha um compromisso com seu estado e que iria continuar senador para reestruturar a liderança petista na Casa.

Delúbio Soares
Eleito durante reunião de pouco mais de uma hora nesta sexta, Falcão terá como primeira missão conduzir os debates em torno do possível retorno do ex-tesoureiro Delúbio Soares ao PT.

Expulso em 2005 após acusação de envolvimento no escândalo do mensalão, Delúbio apresentou carta pedindo a refiliação na manhã desta quinta-feira (28). Na parte da tarde, o ex-tesoureiro foi ao Diretório Nacional do PT em Brasília e chegou a fazer um depoimento emocionado aos petistas solicitando a aprovação de sua volta.

Em três parágrafos, o ex-tesoureiro argumenta na carta que nunca procurou outra legenda e que se manteve fiel ao PT durante todo o tempo em que permaneceu fora do partido. Redigida pelo próprio Delúbio, a carta chegou a ser discutida nesta quinta, mas nenhuma decisão foi tomada. A expectativa entre os petistas é que o pedido de Delúbio só seja analisado pelo Diretório Nacional na reunião deste sábado (30).

(O Povo Online)

Primeiro shopping de Sobral será entregue em 2012

Com obras já iniciadas, a cidade de Sobral terá um complexo construído pela empresa Cameron, sendo a inauguração prevista para novembro de 2012 no bairro Dom Expedito.
Toda a área construída é de 61.535 metros quadrados (m²), com 150 lojas, 13 quiosques, mais quatro lojas âncoras (Americanas, Esplanada, Supermercado Lagoa e outra loja ainda em negociação) e um estacionamento de 915 vagas numa área de 20 mil m².

O projeto engloba o shopping, um hotel e uma torre empresarial, com investimento estimado em R$ 60 milhões e 800 empregos diretos durante as obras. De acordo com o diretor da construtora Cameron, Antônio Câmara, após o funcionamento das lojas serão cerca de 1.200 empregos.

Ele comenta que para adquirir o terreno do shopping, houve licitação pública da Prefeitura de Sobral. Conforme o diretor, uma pesquisa realizada em dezembro de 2010 revelou que a renda per capita da cidade é de R$ 1.800.

O shopping tem foco no lazer. A afirmação é da direção da empresa I Malls, encarregada pela administração do Sobral Shopping. “É o primeiro shopping do interior do Estado que tem cinco salas de cinema e boliche. Hoje é o maior projeto do interior do Ceará. Na administração vamos trabalhar com reaproveitamento da água do ar condicionado e gerenciamento de resíduos sólidos”, explica João Graciliano, diretor da I Malls.

Com obras já iniciadas, a cidade de Sobral terá um complexo construído pela empresa Cameron, sendo a inauguração prevista para novembro de 2012 no bairro Dom Expedito. Toda a área construída é de 61.535 metros quadrados (m²), com 150 lojas, 13 quiosques, mais quatro lojas âncoras (Americanas, Esplanada, Supermercado Lagoa e outra loja ainda em negociação) e um estacionamento de 915 vagas numa área de 20 mil m².

O projeto engloba o shopping, um hotel e uma torre empresarial, com investimento estimado em R$ 60 milhões e 800 empregos diretos durante as obras. De acordo com o diretor da construtora Cameron, Antônio Câmara, após o funcionamento das lojas serão cerca de 1.200 empregos.

Ele comenta que para adquirir o terreno do shopping, houve licitação pública da Prefeitura de Sobral. Conforme o diretor, uma pesquisa realizada em dezembro de 2010 revelou que a renda per capita da cidade é de R$ 1.800.

O shopping tem foco no lazer. A afirmação é da direção da empresa I Malls, encarregada pela administração do Sobral Shopping. “É o primeiro shopping do interior do Estado que tem cinco salas de cinema e boliche. Hoje é o maior projeto do interior do Ceará. Na administração vamos trabalhar com reaproveitamento da água do ar condicionado e gerenciamento de resíduos sólidos”, explica João Graciliano, diretor da I Malls.

Sobralenses

A expectativa quanto à construção do primeiro shopping de Sobral está gerando muitos comentários por parte da população sobralense. A secretária Maria Helena opina que o centro será favorável à economia local. “Já era algo esperado, porque a cidade vem crescendo muito”. Para ela, a localização foi bem planejada.

O empresário João Sales Filho diz que a instalação do empreendimento vem na hora certa. “Nós já tínhamos isso na cabeça há muito tempo, mas agora que a cidade está mais desenvolvida, é um bom momento”, comenta.

Dono de um bufê de festa, Sales é um dos que já compraram uma “luva” (montante pago com antecedência para adquirir a locação de um espaço) para montar uma loja no Sobral Shopping.

Fonte: O POVO

Magazine Luiza volta seus investimentos para o Nordeste

Emanoela Moreira, 31, é trabalhadora autônoma. “Sacoleira”, ela explica. Revende roupas que compra no Centro dentro da sua casa e consegue tirar uma renda mensal de R$ 1200. Ontem, por volta das 11 horas, resolveu interromper o trabalho na sua casa, no bairro Sapiranga, para conferir de perto a inauguração da primeira loja Magazine Luiza do Nordeste, ali mesmo, na Avenida Washington Soares. “Fiquei sabendo pelo anúncio no carro de som que está passando direto aqui”.

 A vendedora autônoma foi uma das primeiras a fechar a compra na nova loja, resultado da transformação que a rede quer implantar no Nordeste desde que comprou as Lojas Maia em julho do ano passado. A aquisição de Emanoela foi uma câmera digital Sony de R$ 300, “para bater muitas fotos no dia das mães”. A compra foi parcelada em oito vezes no cartão da loja, feito minutos antes. A sacoleira estava consciente da fusão, e que agora estava comprando na Magazine Luiza, e não mais nas Lojas Maia. “Eu vi no Faustão”, explica.

A nova loja vai aos poucos ganhando o modelo que a rede Magazine Luiza quer implantar no Nordeste. Mais funcionários (pelo menos o dobro dos que trabalhavam nas unidades das Lojas Maia), produtos à disposição para o consumidor tocar e mexer, ar condicionado, uma nova seção com brinquedos e utensílios do lar. Por enquanto, a logomarca das Lojas Maia será mantida, junto com o nome Magazine Luiza, mas dentro de pouco mais de um ano deverá eliminar o nome por completo e cerca de 40 lojas no Nordeste terão que ser remodeladas e entrar no padrão da Magazine.

O gerente regional de vendas da Magazine Luiza, Elton Soares, classifica o Nordeste como o lugar que é “a bola da vez”. “Vamos expandir e investir aqui. O Nordeste é a menina dos olhos”, diz. Marcelo Maia, diretor regional do Magazine Luiza na Região, complementa: “As maiores taxas de crescimento estão aqui, mais do que no Sul e Sudeste. Ainda há muito mercado para expandir”. Maia diz que a rede não sentiu o impacto das medidas tomadas recentemente pelo Banco Central para conter o crédito e que isso não tem prejudicado os negócios. “O impacto em um bem de R$ 500, R$ 600 não é muito e as pessoas não deixaram de comprar. Não há retração do consumo”, afirma.

ENTENDA A NOTÍCIA

 A disputa pela vice-liderança no varejo é acirrada. As redes Máquina de Vendas (fusão da Ricardo Eletro, Insinuante e City Lar) e Magazine Luiza (que comprou a Lojas Maia no ano passado) lutam pelo posto e têm um “empate técnico”.

NÚMEROS

143

LOJAS

é o número de unidades que o Magazine Luiza tem agora no Nordeste

611

É O NÚMERO TOTAL

de lojas da rede no Brasil, sendo 476 delas no Sudeste.

24

PARCELAS

é o máximo de vezes que o consumidor pode dividir uma compra na loja

 (Mariana Penaforte – O Povo Online)

Doenças não transmissíveis, as mais perigosas no mundo

O câncer, a diabetes ou as doenças cardiovasculares matam 36 milhões de pessoas no mundo e sua incidência cresce, revelou hoje a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Estas doenças crônicas representam uma ameaça maior que as infecções como a malária, o Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) ou a tuberculoses, segundo o Primeiro Relatório Global das Doenças Não Transmissíveis da OMS.

As enfermidades não transmissíveis causaram a morte de 36,1 milhões de pessoas e 80 por cento dessas perdas humanas se produziram em países de médios e baixos ganhos, revelou o texto que recolheu as estatísticas de mortalidade em 2008.

Conforme a diretora da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, esta situação representa um grande desafio porque em alguns países não exageramos ao descrever a situação como um desastre iminente, para a saúde, a sociedade e principalmente para as economias nacionais .

Entre as doenças não transmissíveis, as cardiovasculares- que incluem enfartes, cardiopatias e derrames cerebrais- são as mais letais com 17 milhões de óbitos (48 por cento) no mundo.

A segunda posição é ocupada pelo câncer que provocou 7,6 milhões de mortes, as doenças respiratórias como asma e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (EPOC) com 4,2 milhões de mortes e a diabetes com 1,3 milhões.

A maior parte destes falecimentos, produziram-se em nações de baixos e médios ganhos, segundo o relatório.

As Américas e a Europa são as regiões do mundo com maior incidência de mortes por todos os tipos de câncer, principalmente os de pulmão entre os homens e de mama entre as mulheres.

A diabetes também constitui um problema importante, nomeadamente nas Américas pelas complicações associadas como amputações, cegueira e enfermidades cardiovasculares.

Muitas das pessoas que falecem por causa destas doenças são menores de 60 anos, demarcou o relatório, o que não só afeta à família, senão à força trabalhista de um país.

(Correio do Estado)

PMDB perde Funasa para petistas, mas ganha Dnocs

Brasília (AE) – Depois de quatro meses de uma intensa disputa com o PMDB, o PT tomou do aliado a presidência da Fundação Nacional da Saúde (Funasa). A presidente Dilma Rousseff nomeou para o cargo o engenheiro Gilson Queiroz Filho, ligado ao ex-ministro Patrus Ananias (Desenvolvimento Social). A Funasa administra um orçamento de R$ 4,7 bilhões e desde 2005 era controlada pelos peemedebistas.

Em compensação, o PMDB assegurou lugar na diretoria da fundação para dois de seus afilhados: Ruy Gomide, indicado pela bancada goiana, e Marcos Mofarrej, pela do Rio de Janeiro. Os dois chegaram a ser lembrados pelos dirigentes peemedebistas para ocupar a presidência da Funasa, mas a presidente Dilma decidiu fazer um agrado a Patrus, a quem ainda não contemplou com nenhum cargo.

Maior defensor do PMDB na presidência da Funasa, o líder do partido na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), desistiu da disputa com o PT, embora tenha retardado as mudanças por quatro meses. Admitiu que se envolveu numa luta desigual. Alves pensou também no futuro. Ele deverá ser candidato a presidente da Câmara para o biênio 2013/2015. Nesse caso, é importante não desagradar nem a presidente da República nem os petistas.

Com o recuo na briga pela presidência da Funasa, Henrique Alves garantiu de vez a manutenção de Elias Fernandes na diretoria-geral do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs). Fernandes está no posto desde o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, por indicação de Henrique Alves. O cargo dele, como o do presidente da Funasa, era um dos mais cobiçados. O PSB o reivindicou para o partido; o PT também. Mas, nesse caso, Dilma manteve o PMDB à frente da autarquia.

Outro agrado da presidente Dilma Rousseff foi feito ao PMDB do Paraná. Ela nomeou o advogado Nildo José Lubke para o cargo de diretor jurídico de Itaipu Binacional. Lubke é ligado ao ex-governador Orlando Pessuti (Paraná), adversário do senador Roberto Requião (PMDB-PR).

(Tribuna do Norte)

Ceará subiu para 5° lugar no ranking dos estados mais populosos, segundo IBGE

O Ceará subiu para o 5° lugar no ranking dos estados mais populosos em 2010, com 8.452.381 de pessoas. À frente estão São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Pará, respectivamente. Em 2000, o Ceará estava no 8° lugar do ranking. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira, 29, pelo Censo Demográfico 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Fortaleza é o quinto município mais populoso do País, com 2.452.185. Entre os municípios mais populosos, 15 apresentaram população superior a 1 milhão de habitantes, contra 13 em 2000. Somente este grupo reunia 40,2 milhões de pessoas em 2010, o que corresponde a 21,1% da população total do País. Os três municípios mais populosos continuaram sendo São Paulo (11.253.503 habitantes), Rio de Janeiro (6.320.446) e Salvador (2.675.656). Belo Horizonte (2.375.151) passou a ser o sexto mais populoso em 2010, sendo superado por Brasília (2.570.160) e Fortaleza.

Os dados mostram uma explosão de crescimento da população das Regiões Norte e Centro-Oeste, onde ficam biomas importantes, como a Amazônia e o Cerrado. Segundo o instituto, os 10 Estados que mais cresceram de 2000 a 2010 estão nas duas regiões, que ainda têm, porém, a menor proporção de moradores do País. O levantamento também aponta redução no número de moradores em 25% das cidades brasileiras e o crescimento mais acentuado dos municípios médios.

O Estado que mais cresceu no País em população de 2000 a 2010 foi o Amapá, com quase 3,45% ao ano, em média. Em termos absolutos, porém, o Sudeste teve o maior aumento de população – absorveu 37,9% do crescimento, menos que na década anterior (42,1%). Somadas, as regiões Sudeste e Nordeste, de ocupação mais antiga do Brasil, ficaram com 63,4% do aumento da população brasileira na última década – 13,3 milhões de pessoas.

Mesmo assim, é uma queda em relação ao censo anterior, quando as duas regiões somaram 64,9% do incremento (14,9 milhões de habitantes). O Brasil atingiu, no período pesquisado, o menor crescimento populacional da sua história: 1,17% em média por ano, contra 1,64% na década anterior. Somente Norte e Centro-Oeste permaneceram com taxas acima da nacional, mesmo assim mais baixas que no Censo 2000: respectivamente, 2,09% (antes, 2,86%) e 1,91% (antes, 2,39%). A Região Sul atingiu a menor taxa regional (0,97%, contra 1,43% anterior), sendo o Rio Grande do Sul o Estado que menos cresceu (0,49%, contra 1,23% anterior).

A população de autodeclarados pretos (14.517.961) e pardos (82.277.333) já representa 50,7% dos 190,7 milhões de brasileiros, segundo resultados preliminares do universo do Censo 2010. A maior concentração de pardos foi verificada no Nordeste, e o maior número absoluto de autodeclarados pretos estava na região Sudeste.


Municípios

O País vive uma espécie de gangorra populacional. As cidades menores, sobretudo até 10 mil habitantes, registraram a maior parte do crescimento negativo (redução de população) no período. Do total, 1.372 cidades perderam gente, o que corresponde a 25% dos municípios. Na faixa até 2.000 habitantes, 61% das cidades perderam população. As cidades que mais tiveram perda populacional tinham de 5.001 a 10.000 habitantes (perda média anual de 0,97%).

Há acentuado crescimento das cidades médias, de 100.001 a 500 mil habitantes (mais de 2% anuais). Das 15 cidades que mais cresceram em população, 13 ficam no Norte e no Centro-Oeste. Nas 15 que mais perderam gente, só três são do Norte e Centro-Oeste. Dentre as capitais com mais de 1 milhão de moradores, a que mais cresceu foi Manaus. Se forem incluídas todas as capitais, a dianteira é de Palmas, com 5,21% anuais.

Em vários Estados, a população do interior cresceu mais que a da capital. Os dez Estados que mais cresceram são do Norte e Centro Oeste: pela ordem, Amapá, Roraima, Acre, Distrito Federal, Amazonas, Pará, Mato Grosso, Goiás , Tocantins e Mato Grosso do Sul. No mesmo período, a população das 27 capitais apresentou crescimento médio anual idêntico ao nacional: 1,17%. A população das capitais subiu de 40.464.098 (no Censo 2000) para 45.466.045 (em 2010); a dos demais municípios, de 129.335.072 para 145.289.754. Ou seja, a população fora das capitais cresceu três vezes mais. Em termos proporcionais, porém, a participação das capitais no total da população do Brasil ficou em 23,8%.

Campo x Cidade

A população rural brasileira diminuiu em 2 milhões de pessoas no período pesquisado. O Sudeste foi a região que mais perdeu gente no campo, passando de 6,9 milhões para 5,7 milhões. O Sul perdeu 600 mil pessoas, chegando a 4,1 milhões. O Nordeste perdeu 500 mil, no entanto, continuou com quase metade da população rural do Brasil, ou seja, 14,3 milhões de pessoas. Na contramão dessa tendência, que se acentua no Brasil inteiro desde os anos 70, Norte e Centro-Oeste aumentaram suas populações rurais respectivamente em 313.606 e 31.379 habitantes.

A taxa de urbanização do Brasil continuou a subir: de 75,6 em 91 para 81,2% em 2000 e para 84,4% em 2010. A região mais urbana é a Sudeste (92,9%), e a menos é o Nordeste (73,1%). Rio de Janeiro, Distrito Federal e São Paulo são as três unidades mais urbanizadas da Federação, com 96,7%, 96,6% e 95,9% das suas populações nas cidades, respectivamente.

Homem x Mulher

A proporção homens/mulheres no País passou de 96,9/100 para 96/100. O motivo para isto é a grande mortalidade dos homens, em parte em decorrência de causas externas, como a violência urbana. O censo encontrou 3.941.819 mulheres a mais que homens no País.

A Região Norte é a única que tem mais homens que mulheres, mas isso não é homogêneo, embora em todos os Estados da região a razão de sexo seja de mais de 100. No Centro Oeste, a razão de sexo é acima da nacional, sendo 98,6 homens para 100 mulheres. Em Mato Grosso são 104 homens para 100 mulheres, enquanto no Distrito Federal o dado se inverte, sendo 91,6 homens para 100 mulheres. A unidade com menor razão de sexo é o Rio de Janeiro: 91,2 homens para 100 mulheres.

Observou-se ainda a mudança, já apontada nas Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios (PNADs), da pirâmide etária brasileira. A base, formada pelos mais jovens, foi reduzida, enquanto e o meio aumentara. Em 1991, 34,7% dos brasileiros tinham menos de 15 anos; em 2010, eles eram 24,1% da população. Já a faixa de 65 anos ou mais foi de 4,8% para 7,4%.

Redação O POVO Online

No Ceará a população feminina supera a masculina em 200 mil

O Ceará tem 212.205 mulheres a mais que homens. É o que mostra os dados divulgados pelo Censo Demográfico 2010 nesta sexta-feira, 29, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dentre as cidades com maior número de mulheres estão Fortaleza (156.349 a mais que homens), seguido por Juazeiro do Norte (13.233), Caucaia (6.245), Crato (6.196) e Sobral (5.309).

O Brasil passou a ter quase 4 milhões de mulheres a mais do que homens em dez anos. A relação entre os gêneros, segundo o estudo, é de 96 homens para cada 100 mulheres.

“Isso já vem ao longo dos censos e é em função da mortalidade. Apesar de nascer mais homens, como a mortalidade dos homens é superior a das mulheres ao longo da vida, no final, você tem um contingente maior de mulheres”, explicou Fernando Albuquerque, gerente de projetos da Coordenação de População e Indicadores Sociais do IBGE.

De acordo com Albuquerque, nascem 105 homens a cada 100 mulheres, mas como eles estão mais vulneráveis a situações de violência, por exemplo, o número de mortes é maior.

 Norte/Nordeste

No cenário brasileiro, apenas no Norte e no Nordeste ainda mantêm uma base mais larga, ou seja, um contingente de jovens ainda maior do que em outras regiões. De acordo com o gerente de projetos do IBGE, a justificativa é que estados da região norte e nordeste iniciaram o processo de transição demográfica mais tarde do que no Sudeste, Sul e Centro-Oeste. “O declínio da fecundidade foi posterior ao das outras regiões isso faz com que o número de filhos ainda seja mais alto do que em outras regiões.”

Segundo Fernando Alburquerque, a tendência é de uma convergência no País, “com redução da diferença entre fecundidade e mortalidade entre as grandes regiões brasileiras”.

A Região Norte é a única do País onde o contingente masculino é superior ao feminino. Segundo Fernando Albuquerque, esse fenômeno ocorre “em função dos movimentos migratórios e também do tipo de atividade – extrativa e de mineração –, em que os homens são a grande maioria”.

Outra constatação do levantamento que verificou a situação demográfica do País e as mudanças ocorridas entre 2000 e 2010 foi o envelhecimento da população brasileira que somou cerca de 190 milhões de habitantes (190.755.799) no ano passado. De acordo com o IBGE, o crescimento absoluto da população adulta e o aumento da participação da população idosa no país foram os fatores que mais contribuíram para o aumento da população brasileira.

A capital carioca foi apontada no levantamento como a unidade da Federação com a menor proporção entre pessoas do sexo masculino e feminino, ao concentrar 91,2 homens para cada 100 mulheres.

O Censo Demográfico mostra que os grupos etários de menos de 20 anos vêm diminuindo no contingente populacional. “Em cada censo, a base (do gráfico demonstrativo onde a base representa a população mais jovem) se estreita mais em função da queda da fecundidade e o topo se alarga mais, com indicativo de maior longevidade”, explicou Albuquerque.

 Agência Brasil

Censo revela os extremos do Brasil

Os primeiros resultados definitivos do Censo 2010 divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram os grandes extremos do Brasil, um país de 8.502.729 km2 e 190.755.799 habitantes.

A cidade de São Paulo segue como a mais populosa do Brasil, com 11.253.503 habitantes. Em 2000, no último Censo, a capital paulista contava com 10.434.252 moradores. No mesmo Estado também está o menor município do País. A pequena Borá ganhou 10 habitantes desde o último levantamento e tem atualmente uma população de 805 pessoas.

Em São Paulo também estão os extremos em relação à concentração de sexo na população. Enquanto em Santos, no litoral sul, 54,24% da população é do sexo feminino, com 191.912 homens e 227.488 mulheres, a pequena cidade de Balbinos tem um número muito maior de homens. Dos 3.702 habitantes, 3.002 são do sexo masculino e 700 são mulheres. A explicação para essa discrepância está no fato da cidade contar com duas penitenciárias que somam mais de 2 mil detentos.

Outro Estado que abriga extremos do Brasil é a Bahia. Nele estão os municípios que apresentaram o maior salto populacional e o que mais perdeu habitantes. Luís Eduardo Magalhães conta com a taxa anual de crescimento da 12,44%. Antigo Mimoso do Oeste, na época distrito Barreiras, o município passou de aproximadamente 18 mil habitantes, em 2000, para mais de 60 mil em 2010. Já o município de Maetinga diminui 6,43% ao ano desde 2000, passando de 13.686 para 7.038 habitantes.

O processo de urbanização no País faz com que 68 cidades do País tenham 100% da sua população morando na zona urbana, não apresentando nenhuma área rural. Mesmo assim, ainda há muitos municípios com a zona rural mais forte que a cidade. É o caso de Careiro da Várzea, no Amazonas, que tem apenas 4,18% da população em área urbana.

No Amazonas também está a cidade com a menor densidade demográfica do Brasil. Em Japurá, a média de habitantes por quilômetro quadrado é de apenas 0,13. Os 7.326 habitantes moram em 55.791,9 quilômetros quadrados. Já em São João de Meriti, no Rio de Janeiro, os 458.673 habitantes dividem os 35,2 quilômetros quadrados da área da cidade, que resulta na maior densidade demográfica do Brasil, com 13.024,56 habitantes por quilômetro quadrado.

Por fim, nos Pará e em Minas Gerais estão a maior e menor cidades do Brasil em extensão. A cidade paraense de Altamira tem 159.533,4 quilômetros quadrados de área, enquanto a pequena Santa Cruz de Minas possui uma área de apenas 3,6 quilômetros quadrados, onde moram mais de 7 mil pessoas.

(Ultimo Segundo)

Brasil chega ao século XXI com padrão de país desenvolvido

O Brasil teve, na primeira década do século XXI, a menor taxa de crescimento populacional desde 1872, quando foi realizado o primeiro censo nacional. Entre 2.000 e 2010, a população brasileira cresceu 1,17% ao ano – taxa que equivale a praticamente um terço da registrada na década de 1950. A redução no crescimento, que se acentuou a partir dos anos 1980, confirmou-se de forma inequívoca no Censo de 2010, cujos resultados foram divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Trata-se de uma boa notícia. O menor crescimento demográfico é resultado de uma drástica queda na taxa de fecundidade – de 5,8 filhos por mulher em 1970 para 1,8 atualmente – o que significa população mais educada, com mais acesso a informação e serviços de saúde, e mulheres participantes da força de trabalho. Um conjunto de indicadores que aproxima o Brasil dos países desenvolvidos.

Outro aspecto positivo do grande retrato produzido pelo IBGE entre julho e outubro de 2010 é o crescimento das cidades médias, aquelas que têm entre 100.000 e 500.000 habitantes. Esses municípios já abrigam 48.565.171, ou 25,4% dos 190.755.799 habitantes do país, e são os que mais crescem. Ao contrário do que aconteceu ao longo da maior parte do século XX, quando a migração interna fez explodir a população das capitais e suas periferias, com todos os mais que conhecidos problemas daí decorrentes, agora o crescimento se dá principalmente nas cidades médias. Elas cresceram à taxa de 2,05% ao ano, contra 1,79% ao ano nas 38 cidades com mais de 500.000 habitantes. Enquanto isso, o número de residentes nas duas maiores cidades do país, São Paulo e Rio de Janeiro, ficou praticamente estável: 0,76% ao ano, em ambas.

Um exemplo do fenômeno das cidades médias é Rio das Ostras, município da Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Em 10 anos, a população local saltou de 36.419 para 105.757 pessoas, um avanço surpreendente de 190,39%. Situada na região da Bacia de Campos, a cidade foi fundada em 1992, ao se emancipar da vizinha Casemiro de Abreu. De lá para cá, os royalties do petróleo viabilizaram uma série de investimentos em infraestrutura que transformou o lugar. O caso de Sumaré (SP), segundo maior município da região metropolitana de Campinas, também impressiona. Na última década, a população da cidade cresceu 22,67%, passando de 196.723 para 241.311 habitantes. O aumento é reflexo direto dos investimentos de uma única empresa. Entre 2002 e 2007, uma montadora de automóveis, já instalada, quintuplicou sua produção, alavancando toda a economia da região.

Rio das Ostras e Sumaré são parte de uma mudança histórica no padrão de desenvolvimento brasileiro, tradicionalmente concentrado nas capitais. O crescimento das cidades médias significa a chance de desinchar as regiões metropolitanas e, também, de melhorar a distribuição de riqueza pelo território nacional: a profusão de cidades médias se dá em todas as regiões do país. O Sudeste lidera o ranking com 122 cidades médias, sendo que 24 delas surgiram nos últimos 10 anos. Em seguida, aparece o Nordeste, onde esse número subiu de 37 para 47. No Sul, já são 44 cidades médias contra 37 em 2000. Por fim, o Norte passou de 12 para 18 municípios nessa condição, enquanto no Centro-Oeste o aumento foi de nove para 14.

Tendências – Desde o último censo, o número de residentes no Brasil aumentou em cerca de 21 milhões de pessoas, saltando de 169.799.170 para 190.755.799. O arrefecimento do ritmo de crescimento da população é fruto de uma tendência que teve início ainda em meados do século passado, e está diretamente ligado ao comportamento das taxas de fecundidade e mortalidade ao longo das décadas. Os baixos níveis dessas duas variáveis estabeleceu um novo padrão de taxa de crescimento da população, com níveis cada vez menores.

Os dados do Censo 2010 também reforçam mudanças importantes na participação relativa das regiões na população geral. Apesar de ainda serem as duas regiões as menores fatias da população brasileira, o Centro-Oeste e o Norte continuam ganhando espaço. O Centro-Oeste agora responde por 7,4% dos habitantes do país, contra 6,9% em 2000. Já o Norte aumentou sua participação de 7,6% para 8,3%.

Enquanto isso, as outras regiões mantêm a tendência de queda verificada nos últimos censos. A participação do Sudeste caiu de 42,6% (2000) para 42,1% (2010). O Nordeste registrou situação semelhante, com redução de 28,1% para 27,8%. Já o Sul diminuiu sua participação de 14,8% para 14,4%.

(Rafael Lemos – Veja Online)

Brasil tem quase 4 milhões de mulheres a mais que homens

A diferença entre o número de mulheres e homens na população aumentou nos últimos 10 anos, informou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou os primeiros resultados definitivos do Censo 2010, realizado entre agosto e outubro de 2010, em 5.565 municípios brasileiros.

Veja aqui a lista das populações de todas as cidades brasileiras

Atualmente, há 96 homens para cada 100 mulheres. Em 2000, eram 96,9 para casa 100 mulheres. No total, o Censo contabilizou 97.348.809 mulheres e 93.406.990 homens no País. Em 2010, a população feminina brasileira ultrapassou em 3,9 milhões a masculina.

A região Norte é a única que apresenta em sua composição populacional o número de homens superior ao de mulheres. A região Centro-Oeste revelou uma quantidade de 98,6 homens para cada grupo de 100 mulheres, o que não ocorre de forma homogênea, já que essa região contém o Estado com a maior razão de sexo do País, Mato Grosso (com 104,3 homens para cada 100 mulheres), e a segunda menor, que é o Distrito Federal, com apenas 91,6 homens para cada 100 mulheres. O Estado que apresenta a menor razão de sexo é o Rio de Janeiro (91,2 homens para cada 100 mulheres), o que de certa forma influencia na razão de sexo da região Sudeste, que é de 94,6 homens para cada 100 mulheres. As regiões Sul e Nordeste têm razão de sexo de 96,3 homens para cada 100 mulheres, e 95,3 homens para cada 100 mulheres, respectivamente.

O Censo também apontou que cerca de 80% dos municípios com menos de 5 mil habitantes têm mais homens do que mulheres em suas populações. Em compensação, todos os municípios com mais de 500 mil habitantes tem mais mulheres do que homens.

O Estado de São Paulo apresenta os extremos quando o assunto é razão de sexo. Enquanto em Santos, no litoral sul, 54,24% da população é do sexo feminino, a pequena cidade de Balbinos, de 3.702 habitantes, tem 3.002 homens e 700 mulheres. A explicação para essa discrepância está no fato da cidade contar com duas penitenciárias que somam mais de 2 mil detentos.

(Ultimo Segundo)

Brancos são menos da metade da população pela primeira vez no Brasil

No total, 91.051.646 habitantes se declararam brancos no Censo, enquanto outros 99.697.545 disseram ser pretos, pardos, amarelos ou indígenas.

Os brancos ainda são a maioria (47,33%) da população, mas a quantidade de pessoas que se declaram assim caiu em relação ao Censo 2000, quando foi de 53,74%. Em números absolutos, foi também a única raça que diminuiu de tamanho. No Censo 2000, 91.298.042 habitantes se consideravam brancos.

O número de pessoas que se declaram pretas, pardas, amarelas ou indígenas superou o de brancos no Brasil, de acordo com os resultados preliminares do Censo 2010, divulgados nesta sexta-feira (29), pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). É a primeira vez que isso acontece desde que o Censo passou a ser organizado pelo IBGE, em 1940.

Por outro lado, em dez anos, a porcentagem de habitantes que se classificam como pardos cresceu de 38,45% (65,3 milhões) para 43,13% (82,2 milhões). Já os pretos subiram de 6,21 % (10,5 milhões) para 7,61% (14,5 milhões) da população brasileira.

O Brasil também tem mais moradores que se consideram amarelos (1,09% ou 2,1 milhões). No Censo 2000, apenas 0,45% (761,5 mil) se classificavam assim. Em dez anos, o número de amarelos superou o de indígenas, que subiu de 734,1 mil para 817,9 mil.

A região Norte é a que tem, proporcionalmente, o maior número de pardos no país, com 66,88% de habitantes que se consideram assim. Nas regiões Nordeste e Centro- Oeste o número de pardos supera o de brancos.

Já a região Sul é a com a maior porcentagem de brancos do Brasil, com 78,47% que se classificam como sendo desta raça. No Sudeste, o número de brancos também supera o de pardos.

A Bahia é o Estado que tem a maior população que se declara como preta no Brasil, com 3,11 milhões de pessoas. Já o Amazonas tem o maior número de habitantes que se classificam como indígena (168,6 mil). Proporcionalmente, Roraima tem a maior população indígena do Brasil (11%).

São Paulo, que tem a maior população do Brasil, tem o maior número de brancos (26,3 milhões) e de pardos (12 milhões). No entanto, proporcionalmente Santa Catarina (83,97% da população) tem mais brancos e o Pará (69,51%) tem mais pardos dos que os outros Estados do país.

No Censo 2000, 1,2 milhão de pessoas não declararam raça. Já no Censo do ano passado, o número foi de 315,1 mil. Pela primeira vez, perguntas sobre cor e raça fizeram parte do questionário básico, respondido por todos os habitantes do país.

(Portal Uol)

População do Rio Grande do Sul cresce a “ritmo suíço”, aponta IBGE

A população do Estado do Rio Grande do Sul foi a que menos cresceu nos últimos dez anos no país, de acordo com dados do Censo 2010 divulgados nesta sexta-feira (29) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

De 2000 a 2010, o crescimento populacional médio do Estado ficou em 0,49% ao ano. Na década anterior, a velocidade de crescimento era quase três vezes maior: 1,23%. A média brasileira anual foi de 1,17% na última década.

No mesmo período, o crescimento populacional no Estado foi de 5,03% – o que significa um acréscimo de pouco mais de 512 mil habitantes. A taxa é similar à de países europeus, como Suíça – o país tem a menor taxa do continente, com 0,54% ao ano.

Os números do Rio Grande do Sul

População total (ano 2000) População total (ano 2010) Variação
10.181.749 10.693.929 5,02%

Dados preliminares divulgados no final de 2010 já haviam apontado que o Rio Grande do Sul vivia uma situação de estabilidade populacional. Em muitos casos, segundo o levantamento, houve diminuição: 275 municípios (dos 496 do Estado) registraram menos moradores do que dez anos atrás.

A queda populacional na maior parte dos municípios decorre, de acordo com especialistas, de uma combinação de natalidade mais baixa – influenciada pelos indicadores educacionais e de desenvolvimento humano – com maciças ondas migratórias para novos polos de crescimento, no Estado e fora dele.

Esse elemento pode ser evidenciado pelos casos de Porto Alegre e Caxias do Sul: a capital, que continua sendo o município mais populoso do Estado, passou de 1.360.033 pessoas em 2001 para 1.409.351 no levantamento atual. A taxa de crescimento em dez anos foi de apenas 3,63%.

Já Caxias do Sul, que é um importante polo metal-mecânico da serra gaúcha, teve expansão populacional de 20,8% no mesmo período, passando de 360.419 habitantes para 435.482.

A competitividade econômica está mudando o mapa gaúcho. Em algumas cidades, principalmente nas pequenas, só ficam idosos e crianças. O resto, de acordo com especialistas, está migrando com mais intensidade para polos regionais em busca de renda e segurança econômica.

A queda da natalidade impede muitos municípios de repor a população que migra, como ocorria em décadas passadas. Antes, a alta natalidade compensava. Mas agora, com fecundidade mais baixa e aumento da migração por questões econômicas, o problema tem ficado mais evidente.

Capital

Porto Alegre foi a capital que menos aumentou sua população na década no país, segundo o IBGE – e não se trata de percentual. Em 11 anos, entre os dois últimos grandes censos realizados no país, a capital gaúcha recebeu apenas mais 49 mil moradores.

Os números da capital gaúcha

População total (ano 2000) População total (ano 2010) Variação
1.360.033 1.409.351 3,63%

Só Vitória, capital do Espírito Santo, cresceu menos em termos populacionais: 35,8 mil pessoas. Em termos relativos, porém, a cidade ampliou sua população em 12,3% entre 2000 e 2010. A capital gaúcha avançou apenas 3,63% nesse período.

A estagnação se explica pelo rumo que a cidade tomou e pelo desenvolvimento de polos no interior. No passado, a cidade crescia movida pelos migrantes que chegavam de todos os cantos à procura de emprego na indústria ou de escolas e faculdades.

De lá para cá, as fábricas foram embora e o ensino superior, que também servia como um atrativo, espalhou-se pelo Estado. O fluxo migratório se inverteu. Milhares de moradores de Porto Alegre foram morar em municípios vizinhos, onde estão os empregos industriais.

A capital virou uma espécie de cidade-dormitório para parte de sua população: todos os dias, segundo estudos de especialistas, cerca de 90 mil pessoas viajam a municípios da região metropolitana para trabalhar. A Grande Porto Alegre concentra cerca de 4,5 milhões de habitantes.

Outro fator foi a debandada de pessoas cansadas da violência. Municípios menores da região metropolitana, como Nova Santa Rita, receberam uma avalanche de ex-moradores de Porto Alegre à procura de qualidade de vida.

Caso de Jonas Oliveira dos Santos, 37. Ele saiu com a esposa Michele da Silva e Silva e o filho, Mateus, da periferia de Porto Alegre para viver no município. Sem casa, recebeu ajuda da assistência social da prefeitura para construir um sobradinho de madeira num dos bairros da cidade, de 20 mil habitantes e a 25 quilômetros da capital.

“Vim fugindo da violência e das drogas e encontrei apoio aqui em Nova Santa Rita. É um bom recomeço de vida para toda a família”, diz Jonas, que vive como catador. Ele pretende voltar a trabalhar com pecuária, atividade que mantinha antes de desembarcar em Porto Alegre há 15 anos.

(Portal Uol)

Palmas, no Tocantins, registra o maior crescimento populacional na década

Rio de Janeiro – Oportunidades de trabalho e emprego fizeram com que Palmas fosse apontada como a capital cuja população mais cresceu no Brasil na última década, de acordo com o Censo Demográfico 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O levantamento mostrou que a população da capital de Tocantins apresentou uma taxa de crescimento de 5,21%, enquanto que a média em todo o país foi de 1,17% ao ano, de 2000 a 2010, – a menor taxa registrada desde que o estudo começou a ser realizado.

“O crescimento de Palmas é basicamente em função dos movimentos migratórios. Tocantins é um estado criado mais recentemente, então está se construindo, por isso tem muito movimento migratório em direção a Palmas”, explicou o gerente de projetos da Coordenação de População e Indicadores Sociais do IBGE, Fernando Albuquerque.

O mesmo motivo explica o fato de o Norte e o Centro-Oeste do país terem apresentado maior aumento populacional em relação às demais regiões, no período entre 2000 e 2010.

Além do caso de Palmas, os municípios mais populosos, ou seja, com mais de 100 mil habitantes, foram os que mais cresceram. Nesses casos, a taxa média anual foi de mais de 2%. E de 2000 para 2010, o número de municípios que integram esse grupo, que responde por mais de 21% de toda a população brasileira, passou de 13 para 15. Entre eles, destacam-se “Manaus, que cresceu 2,51% ao ano, passando de nono para sétimo mais populoso, e Brasília que passou de sexto para quarto, tendo apresentando um crescimento médio anual de 2,28%”.

Os três municípios mais populosos continuam sendo São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador. No caso das capitais paulista e carioca, tradicionalmente conhecidas como áreas de atração migratória, a pesquisa do IBGE revelou uma redução lenta na participação populacional ao longo das últimas décadas.

“São Paulo vem diminuindo esse número de entradas em função de migração. Desde o Censo 2000 observamos essa diminuição no ritmo porque é um mercado que exige maior escolaridade então o migrante tem dificuldade de se inserir e volta para terra natal ou vai para novas etapas migratórias”, afirmou Fernando Albuquerque.

Ainda assim, o Sudeste mantém-se com o maior contingente e, por isso, “responsável pela maior parcela do incremento populacional, tendo absorvido 37,9% do crescimento total do país”.

No total, a taxa média de crescimento da população brasileira nos últimos dez anos, foi de 12,3%, atingindo a marca de 190.755.799 habitantes no país. Segundo o levantamento, a redução do crescimento da população vem acontecendo desde os anos de 1960 quando os níveis de fecundidade começaram a apresentar queda.

(Portal Exame)

Brasil tem hoje 60 mil casais gays com união estável

RIO – O Brasil possui hoje 60.002 casais homossexuais com união estável. É o que revela o resultado preliminar do Censo 2010 divulgado pelo IBGE na manhã desta sexta-feira. Pela primeira vez, a pesquisa incluiu uma amostra referente à relação de pessoas do mesmo sexo no país. Segundo o Censo, o número de relacionamentos gays representa 0,16% da população brasileira se for comparado aos 37.487.115 casamentos entre os heterossexuais.

A região Sudeste concentra mais da metade dos registros de casais homossexuais. Ao todo, o IBGE contabilizou 32.202 relacionamentos de pessoas do mesmo sexo. A maior parte está no estado de São Paulo, que registrou 16.872. Em seguida, aparece o Rio de Janeiro, com 10.170. Minas Gerais possui 4.098 e, o Espírito Santo, 1.062 relações.

Dos 60.002 casais declarados gays, os estados do Nordeste agrupam 12.196. A Bahia lidera o ranking na região, com 3.029. Ceará e Pernambuco têm 2.620 e 2.571, consecutivamente. Depois, a lista segue com os estados do Rio Grande do Norte (982), Paraíba (885), Maranhão (717), Sergipe (440) e Piauí (312).

– Essa pesquisa revela apenas a ponta de um iceberg que diz respeito à presença homossexual no país. Certamente, um grande número de casais do mesmo sexo não se assumem perante à sociedade. Os números são bem maiores. Mas, por outro lado, os dados destroem o estereótipo do gay promíscuo, instável sexualmente, o que mostra uma realidade muito semelhante à união entre os heterossexuais – afirma o antropólogo Luiz Motti, fundador do Grupo Gay da Bahia.

Região Norte tem o menor número de casais identificados

De acordo com o Censo 2010, a região Sul do Brasil já conta com 8.034 casais gays com união estável. O Rio Grande do Sul possui 3.661, seguido por Paraná (2.363) e Santa Catarina (2.010). O resultado no Centro-Oeste foi de 4.141 relações homossexuais. Goiás lidera com 1.593. Aparecem ainda o Distrito Federal (1.239), o Mato Grosso do Sul (742) e o Mato Grosso (567).

Em último, está a região Norte, com um total de 3.429 casais gays identificados pela pesquisa. O estado do Pará tem 1.779. A lista segue com Amazonas (811), Rondônia (250), Amapá (188), Acre (154), Tocantins (151) e Roraima (96).

(O Globo Online)