Aids: 10 milhões de pessoas na lista de espera para tratamento

RIO – O Brasil foi eleito o palco do Dia Mundial de Luta Contra a Aids, celebrado nesta quarta-feira. No centro das comemorações está o secretário-geral-adjunto da ONU, o africano Michel Sidibé. Há dois anos à frente do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), ele embarca nesta terça-feira para Brasília para homenagear o presidente Luís Inácio Lula da Silva, por seus esforços na luta contra a doença. Em breve passagem no Rio, Sidibé deu a entrevista abaixo ao GLOBO e revelou que ainda há 10 milhões de pessoas esperando por tratamento no mundo. No ano passado, morreram 1,8 milhão de pessoas em decorrência da Aids e nasceram 370 mil bebês portadores do vírus HIV. A nova meta para atingir o acesso universal (todos em tratamento) é 2015.

O GLOBO: Quarta-feira é o Dia Mundial de Luta Contra a Aids. Por que comemorá-lo no Brasil?

MICHEL SIDIBÉ: Este é um momento muito importante para lembrar as milhões de pessoas que perderam suas vidas por causa do vírus HIV. É, também, uma data para avaliarmos o que faremos no futuro. E o Brasil é um país crucial para nós. É um dos países com melhor programa de combate à doença, um dos mais dedicados a pôr as pessoas em tratamento. Passar o 1º de dezembro aqui é uma oportunidade única para reconhecer a liderança do presidente Lula em construir novas parcerias, especialmente com países africanos (Lula receberá o prêmio “Unaids Award for Leadership”, em reconhecimento a seus esforços no combate a Aids).

O GLOBO: Os recursos investidos hoje no combate à doença são suficientes?

SIDIBÉ: Não, nem nunca serão. Mas houve progresso. Apenas 12 anos atrás, os investimentos eram de US$ 350 milhões. Agora, são US$ 16 bilhões. Contamos com a solidariedade global para mobilizar ainda mais recursos. Se quisermos atingir todas as pessoas com necessidade de tratamento, serviços e assistência, nós precisamos de mais US$ 10 bilhões.

O GLOBO: Como o senhor avalia o tratamento oferecido hoje no Brasil?

SIDIBÉ: O Brasil introduziu uma lei constitucional relacionada a programas de tratamento quando ninguém falava nisso. O país mostrou que a reserva de fundos para um programa de assistência era possível. E, assim, introduziu um novo debate no mundo, criou um ambiente favorável para parcerias. Foi o que ocorreu apenas algumas semanas, por exemplo, quando o presidente Lula visitou Moçambique.

Nos últimos cinco anos, não conseguimos atingir 100% de nossa meta, mas criamos uma grande situação. Quebramos uma conspiração silenciosa, que não falava em sexo entre homens, em profissionais de sexo, em viciados em drogas. Agora, todos eles estão na agenda mundial


O GLOBO: Em que países a expansão da Aids é mais preocupante?

SIDIBÉ: A epidemia está crescendo mais rapidamente no Leste Europeu e na Ásia Central, onde, nos últimos dez anos, ocorreram 25% das novas infecções por vírus HIV. Um detalhe é que, desse contingente, 90% estão concentrados em apenas dois países, Rússia e Ucrânia. Na África, conseguimos quebrar a trajetória de crescimento da epidemia. Dos 56 países do mundo que conseguiram estabilizar ou reduzir significativamente o seu registro de infecções, a maioria está naquele continente. Isso é muito encorajador. É a primeira vez que podemos dizer que jovens estão presenciando políticas de prevenção. A distribuição de preservativos melhorou. A quantidade de pessoas que recebe tratamento na África passou de 300 mil para quase 4 milhões em apenas cinco ou seis anos. É um avanço considerável, mas ainda há problemas. São 10 milhões de pessoas em todo o planeta ainda sem acesso a tratamentos, sendo que 7 milhões estão na África. Este é um desafio crucial que teremos no futuro.

O GLOBO: Quatro anos atrás, a ONU determinou que, em dezembro de 2010, haveria acesso universal ao tratamento da Aids para os portadores do vírus HIV. Mas, em setembro, segundo a própria ONU, apenas um terço dessas pessoas recebia alguma assistência. O que aconteceu para que a meta não fosse cumprida?

SIDIBÉ: O acesso universal passa pelo debate de como criar espaços para justiça social, de distribuição de oportunidades para atingir os excluídos. Nos últimos cinco anos, não conseguimos atingir 100% de nossa meta, mas criamos uma grande situação. Quebramos uma conspiração silenciosa, que não falava em sexo entre homens, em profissionais de sexo, em viciados em drogas. Agora, todos eles estão na agenda mundial. Há um movimento para rediscutir más leis, que restringiam os direitos dessas camadas da população. A China, por exemplo, mudou completamente seu projeto referente aos usuários de drogas, tendo hoje um dos maiores programas para este setor da Ásia. Países como Vietnã também mudaram sua legislação para garantir que dependentes químicos tenham acesso ao sistema de saúde. É um passo fundamental para garantir acesso universal. Antes, dizia-se que o tratamento não estaria disponível, que seria muito caro, que nunca chegaria aos mais pobres, que haveria resistência. Todo o estigma, a paranoia, a impossibilidade foram removidas. Foi assim que conseguimos mobilizar mais recursos, com a pressão social.

O GLOBO: Ainda há, no entanto, o que fazer.

SIDIBÉ: Sim. Ainda temos 10 milhões de pessoas esperando por tratamento. No ano passado, morreram 1,8 milhão de pessoas em decorrência da Aids. Nasceram 370 mil bebês portadores do vírus HIV. Nossa nova meta para atingir o acesso universal é 2015, e estou muito otimista. Mudamos a forma como eram feitas as negociações.

O GLOBO: Neste mês, o Papa afirmou que o uso de preservativo é justificado “em certos casos”, para reduzir os riscos de contaminação pelo vírus da Aids. O que o senhor achou desta declaração?

SIDIBÉ: É um progresso significativo do Vaticano, que criará uma nova oportunidade para avançarmos em nossos projetos de prevenção. Podemos criar uma nova parceria com a Igreja, algo relacionado à educação sexual, em que mostremos a inclusão da camisinha como uma ferramenta fundamental para a prevenção contra a Aids. Mas sabemos que, na realidade, isso não é o suficiente. Se não houver uma ligação entre a prevenção e as crenças religiosas, não haverá mudança social.

O GLOBO: O senhor espera novas “concessões” do Papa ao uso de preservativos?

SIDIBÉ: O que o Papa fará depois, eu não sei. Mas temos de investir no trabalho em campo, algo que nos possibilite a usar a declaração do Papa como uma oportunidade.

O GLOBO: No ano que vem, a epidemia mundial da Aids completa 30 anos. Que balanço o senhor faz do que ocorreu nestas décadas?

SIDIBÉ: Estou esperançoso. Vimos que a Aids não é apenas um problema. É uma oportunidade para mudanças sociais. Ela nos ajudou a levar luz para áreas não exploradas, ajudou-nos a falar sobre o valor do ser humano, sobre a restauração da dignidade de grupos que eram discriminados, estigmatizados. É uma doença que propiciou o debate sobre problemas de comércio, sobre medicamentos e serviços que precisam estar disponíveis para os pobres. O HIV pode ser ligado a questões diversas, dos direitos humanos ao combate à tuberculose. É, enfim, uma oportunidade quando é retirada de seu suposto isolamento, quando a usamos para promover mudanças. Vimos progresso na qualidade das drogas, na criação de novas. Pela primeira vez temos uma ferramenta, um gel, que a mulher pode usar para se proteger sem pedir qualquer autorização para os homens. Vemos o futuro com muito otimismo.

(O Globo)

Quase metade da população brasileira consome produtos piratas, aponta pesquisa

Rio de Janeiro, 30 nov (EFE).- Cerca de 70 milhões de brasileiros admitiram ter comprado produtos piratas em 2010, o que supõe que 48% da população adulta do Brasil consome produtos ilegais, de acordo com um balanço apresentado nesta terça-feira pela Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ).

O relatório Pirataria no Brasil, que analisou o comportamento dos consumidores nos últimos cinco anos, anunciou que o número cresceu de 56,4 milhões de compradores de produtos pirata, calculado em 2006, para mais de 70 milhões atuais. 

“A pirataria é uma verdadeira epidemia que se expande por todo Brasil”, lamentou o presidente da Fecomércio-RJ, Orlando Diniz. 

Diniz apontou que um dos problemas mais graves que as autoridades enfrentam é a falta de consciência dos efeitos negativos da compra dos produtos piratas para eles mesmos e para a sociedade. 

Além de contribuir para o desemprego e para o aumento do trabalho informal, o mercado de produtos falsificados prejudica o comércio legítimo em seu faturamento e contribui para o aumento dos impostos, segundo o líder empresarial. 

Por outro lado, a compra e o uso de mercadorias falsificadas como brinquedos, eletrônicos e cosméticos podem afetar a saúde dos consumidores. 

Para a grande maioria que respondeu a pesquisa (94%), o preço baixo dos produtos falsificados é a principal razão para optarem por versões piratas. 

Nesse sentido, a Fecomércio-RJ afirmou que o aumento do poder aquisitivo de milhões de pessoas que subiram de classe social está diretamente relacionado com o aumento do consumo de produtos piratas. 

De acordo com o relatório, a estimativa de consumo para este ano das classes C, D e E, é de R$ 880 bilhões, grupo que já concentra um poder aquisitivo maior que o das classes A e B, que gastaram R$ 590 bilhões. 

A venda de equipamentos eletrônicos, como DVD, continua sendo um dos negócios que mais sofre prejuízo, embora a porcentagem dos consumidores que afirmaram comprar CD falsificados tenha diminuído de 86% para 79%. 

No entanto, a venda de DVDs pirateados passou de 35% dos consumidores, em 2006, para 77%, em 2010, período no qual venderam 7,2 milhões de gravadores de DVD em todo o país. 

A sétima arte é um dos mercados mais prejudicados pelo rápido avanço das novas tecnologias. 

O cineasta Wagner de Assis, diretor do filme “Nosso Lar” (2010), um dos maiores sucessos de bilheteria do cinema brasileiro, criticou a facilidade para produzir e distribuir cópias livremente na rua, sem represália policial. 

“Não consigo passar pelo centro do Rio de Janeiro sem que alguém me ofereça meu próprio filme por R$3 ou R$4”, lamentou Assis, que acusou a falta de uma legislação severa e pediu apoio das autoridades. 

Para lutar contra o hábito dos consumidores, a Fecomércio-RJ lançará com o Conselho Nacional de Combate à Pirataria (CNCP) a campanha de conscientização “Quem compra produto pirata, paga com a vida”. 

O presidente do CNCP, Rafael Favetti, afirmou que a luta contra a pirataria só funcionará com a colaboração de todos: sociedade, comércio, Forças de segurança e o Estado, que deve aplicar leis mais duras contra o crime. 

“Aqueles que participam da produção e da distribuição de mercadorias piratas estão colaborando com o crime organizado”, advertiu Favetti.

(Agência EFE)

Operação Centro Seguro: 576 policiais e bombeiros integram operação especial

Cerca de 576 pessoas serão empregadas, entre policiais civis, militares e bombeiros na Operação Centro Seguro, que será lançada pelo Governo do Estado nesta quarta-feira, 1º, às 16 horas, no Passeio Público. De acordo com órgão responsável pela ação, o objetivo é desenvolver ações de policiamento preventivo e repressivo e reforçar a segurança para lojistas e clientes.

A operação se estenderá até o dia 3 de janeiro de 2011, segundo o gestor operacional do Gabinete de Gestão Integrada (GGI), delegado Harley Alencar. Será dada atenção especial às avenidas Duque de Caxias, Dom Manuel, Leste Oeste e Padre Ibiapina, além da Avenida Monsenhor Tabosa, no limite do prédio do Sebrae.

Nesta ação a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) conta com o apoio do Ministério Público, Juizado da Infância e da Juventude, Secretaria da Controladoria e Ouvidoria Geral, Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS), Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Perícia Forense (Pefoce). A Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) estará presente na operação atuando em atividades específicas.

(O Povo Online)

GOL amplia oferta de voos para Fortaleza e Juazeiro do Norte

A GOL aumentará a oferta de voos regulares para o a Região Nordeste. As novas operações ligarão o Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP) a João Pessoa e Recife, Brasília (DF) a São Luiz (MA) e Fortaleza (CE) a Juazeiro do Norte (CE). 

O trecho São Paulo – João Pessoa será inaugurado amanhã, dia 1º de dezembro, como a primeira opção sem escalas da companhia para a capital da Paraíba. O novo voo partirá do Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP) às 20h40 e chegará a seu destino final às 23h20. No sentido inverso, a aeronave decolará de João Pessoa à 1h20 pousando na capital paulista às 5h55. 

“Atualmente somos a empresa aérea com a maior abrangência no Estado da Paraíba. A oferta de voos diretos mantém nosso compromisso com clientes paraibanos que não precisarão mais fazer escalas para chegar a São Paulo”, afirma o diretor Comercial da GOL, Eduardo Bernardes.  

Esta quarta-feira também será marcada pelo início da segunda operação direta entre Brasília e São Luís. Os voos serão diários e partirão do Distrito Federal às 23h20, chegando ao destino à 1h00. No retorno, a aeronave sairá da Capital Maranhense às 03h50 com pouso previsto para às 7h35 no Aeroporto Juscelino Kubitschek (DF). 

Já o acréscimo na oferta de voos entre Fortaleza e Juazeiro do Norte aumentará as opções de horários aos passageiros que viajam para a região. As novas operações começarão no dia cinco de dezembro com um voo aos domingos. A aeronave partirá do Rio de Janeiro às 7h50, com escala em Fortaleza às 10 horas, pousando em seu destino final às 11h30. Na volta, a viagem é iniciada em Juazeiro do Norte às 12 horas, com uma escala na capital cearense às 13 horas e a chegada no Estado Carioca é prevista para às 18h03.

Para atender a crescente demanda entre São Paulo e Recife, a GOL iniciou este mês um novo voo diário ligando as duas cidades a partir do Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP).

(Brasil Turis)

Polícia já apreendeu 33 toneladas de drogas e 135 armas no Complexo do Alemão

Trinta e três toneladas de maconha foram apreendidas entre as 8 horas de domingo, início da operação das polícias Civil e Militar e do Exército contra o crime no Complexo do Alemão, zona norte do Rio de Janeiro, até as 10 horas de hoje. Segundo balanço oficial da Secretaria de Segurança Pública, foram apreendidos também 235 quilos de cocaína e 37 quilos de crack, 1.400 frascos de lança perfume e 208 quilos de cargas aditivas para cocaína. Também foram recuperadas 135 armas longas, entre fuzis e metralhadoras. 

Uma semana depois do primeiro ataque de traficantes que levou o terror às ruas do Rio, 2.700 homens da Polícia Civil, da Polícia Militar (PM), da Polícia Federal (PF) e das Forças Armadas entraram no Complexo do Alemão, no domingo. Não houve o combate que a polícia esperava, o que evitou uma guerra sangrenta. A polícia hasteou uma bandeira do Brasil e outra do Estado do Rio no ponto mais alto do morro.

(Agência Estado)

Foragido do Complexo do Alemão é preso em João Pessoa

A Polícia Militar da Paraíba prendeu, no inicio da tarde desta terça-feira (30), um carioca, possivelmente fugitivo da Mega Operação realizada pelas Forças Armadas, no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. O suspeito, de nome Geraldo Chaves, 34 anos, estava em um Fiat Uno, modelo 2010, quando percebeu a aproximação de viaturas policiais, parou o carro e adentrou em uma residência no bairro do Cristo, próximo a Ceasa, em João Pessoa. No local, a policia encontrou um revolver, além de alguns papelotes de droga e munições.

A documentação do acusado não mostra passagem pelo Infoseg, mas pelo nervosismo do suspeito e pela arma apreendida na residência, a policia acredita que a documentação seja falsa. Bastante apreensivo, o homem acabou confessando ser ex-presidiario do Rio de Janeiro.

O suspeito informou que morou na baixada fluminense e já estaria na Paraíba há um ano. Já a informação colhida pela polícia dá conta que o acusado está na Capital há apenas quatro dias.

No bairro, nenhum morador reconheceu o carioca, o que aumenta a possibilidade do acusado ser foragido do Rio de Janeiro.

O delegado do Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil está orientando a população a denunciar, caso presencie alguma atitude suspeita nas comunidades da Capital.

As informações foram veiculadas no programa Rádio Verdade, na Arapuan FM  

(PB Agora)

13º salário: O que é, quem tem direito e quando deve ser pago. Tire dúvidas

A primeira parcela do 13º salário deve ser paga aos trabalhadores até esta terça-feira (30). Já o prazo da segunda parte vai até o dia 20 de dezembro.

Mas quem tem direito ao benefício? A empresa pode pagar tudo de uma só vez? De que forma? E em caso de afastamento por doença, é feito o pagamento? O trabalhador pode pedir adiantamento do 13º nas férias?

Essas e outras dúvidas foram respondidas pela especialista em legislação trabalhista e previdenciária do Centro de Orientação Fiscal (Cenofisco) Andreia Antonacci, e pelo advogado trabalhista João Henrique Cardoso Marques. Veja as questões e as respostas abaixo.

Qual é a função do 13º salário?
O 13º salário surgiu como uma gratificação espontânea das empresas paga aos empregados no final do ano. O benefício se tornou obrigatório em 1962 por meio da lei nº 4.090/62, mantida pela Constituição Federal de 1988.

Quem tem direito ao 13º?
A lei nº 4.090/62 estabelece que todos os trabalhadores, incluindo os temporários, domésticos, rurais, servidores públicos e aposentados, têm direito ao 13º salário.

Qual é o prazo para pagamento?
A primeira parcela do 13º salário deverá ser depositada entre fevereiro e novembro (até o dia 30) ou, se o empregador quiser, por ocasião de suas férias. Já a segunda metade deve ser paga ao trabalhador até o dia 20 de dezembro.

Em quantas vezes pode ser feito o pagamento?
O pagamento do 13º salário pode ser dividido em duas parcelas, sendo que a primeira deverá ser paga entre os meses de fevereiro e novembro, e a segunda, até o dia 20 de dezembro.

Posso tentar receber tudo de uma vez?
O pagamento do 13º salário é feito com base no salário de dezembro, exceto no caso de empregados que recebem salários variáveis, por meio de comissões ou percentagens, quando o 13º deve perfazer a média anual de salários. Cabe ao empregador a decisão de pagar em uma ou duas parcelas. Se a opção for por uma única vez, o pagamento deve ser feito até o dia 30 de novembro.

Empregados com menos de um ano recebem? De que forma?
Os trabalhadores que possuem menos de um ano na empresa também têm direito ao 13º salário. Nesse caso, o pagamento será proporcional aos meses em que tenham trabalhado por mais de 15 dias. Por exemplo, um empregado que trabalhou por seis meses e 15 dias deverá receber 7/12 de seu salário a título de 13º.

Posso pedir adiantamento do 13º salário nas férias?
É obrigatório o pagamento do adiantamento do 13º salário (primeira parcela) nas férias sempre que o empregado pleitear esse direito no mês de janeiro do ano correspondente. O adiantamento só será possível quando o período de gozo das férias ocorrer entre os meses de fevereiro e novembro, não sendo devido se for em janeiro ou dezembro. Se o empregado recebeu o adiantamento da primeira parcela do 13º salário por ocasião das férias, o empregador não tem obrigação de efetuar a sua complementação (diferença para atingir os 50%) já em novembro.

No caso do empregador não respeitar o prazo, o que acontece?
O empregador será autuado no momento em que houver fiscalização, o que gerará uma multa, que não será revertida para o empregado de forma direta.

Se o empregado não recebe na data estipulada, como pode buscar seus direitos?
Caso o trabalhador ainda esteja com seu contrato de trabalho em curso, a melhor forma de tratar o caso é por meio de um acordo com o empregador. Caso não cheguem a uma solução, é aconselhável que se busque o apoio do sindicato da categoria. Se ainda assim não houver um desfecho favorável, a saída é procurar um advogado para avaliar se é o caso de entrar com uma ação judicial.

Horas extras, adicional noturno, gorjetas, comissões e diárias de viagem incidem no 13º?
As horas extras e o adicional noturno geram reflexos no 13º salário e devem incidir na base de cálculo dessas verbas. Gorjetas e comissões também devem entrar na base de cálculo do 13º salário. Já as diárias de viagem só influem na base de cálculo do 13º se excederem 50% do salário recebido pelo empregado.

Como é feito o pagamento do 13º em relação às faltas?
As faltas não justificadas pelo empregado, ocorridas entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de cada ano, serão consideradas para desconto de 1/12 do 13º salário. Assim, se as faltas forem superiores a 15 dias dentro do mesmo mês, o empregado perderá o direito a 1/12 do 13º salário. Nos meses com 31, 30 e 28 dias, se o empregado faltar injustificadamente 17, 16 e 14 dias respectivamente, não fará jus ao 13º salário no referido mês. Contudo, as faltas justificadas não influenciarão no pagamento do 13º salário.

Se o empregado estiver recebendo auxílio-doença, ele tem direito ao 13º?
O empregado afastado por motivo de auxílio-doença recebe o 13º salário proporcional da empresa até os primeiros 15 dias de afastamento. Já a partir do 16º dia, a responsabilidade do pagamento fica a cargo do INSS. O 13º proporcional, relativo ao período de afastamento, é pago levando em conta a fração de 1/12 sobre o total do benefício recebido pelo empregado durante o ano. Em casos de auxílio-doença por acidente de trabalho, a jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho determina que o pagamento do 13º deve ser feito integralmente – nesse caso, o empregador complementa a parte paga pela Previdência Social.

O pagamento do 13º deve ser feito se a funcionária estiver em licença-maternidade?
O benefício do salário maternidade, no caso de empregada contratada por CLT, é efetuado pela empresa. Dessa forma, o empregador efetuará o pagamento integral e/ou proporcional (quando admitida no decorrer do ano) do 13º salário da empregada afastada por licença maternidade.

Empregados domésticos têm direito ao 13º?
Os empregados domésticos têm direito ao 13º salário, com prazo para pagamento da primeira parcela entre os meses de fevereiro e novembro de cada ano e da segunda parcela até o dia 20 de dezembro de cada ano.

Diarista tem direito ao 13º?
Diarista que trabalha em residência não é regida pela CLT e, por não ser empregada, não tem direito ao 13º salário. Por outro lado, a empregada com carteira assinada admitida com salário por dia possui direito ao 13º salário.

Temporários têm direito ao 13º?
O trabalhador temporário tem direito ao 13º salário proporcional aos meses trabalhados.

Estagiários têm direito a receber 13º?
Como estagiário não é regido pela CLT e nem é considerado empregado, a lei que regula esse tipo de trabalho – 11.788/08 – não obriga o pagamento de 13º salário.

Em caso de demissão, como é feito o pagamento do 13º?
O empregado despedido com justa causa não tem direito ao 13º salário proporcional. Se a rescisão do contrato for sem justa causa, o 13º deve ser pago de maneira proporcional, na base de 1/12 por mês, considerando-se como mês integral aquele que ultrapassar 15 dias de trabalho.

(Portal G1)

Mario Monicelli: Diretor italiano comete suicídio aos 95 anos

ROMA – O cineasta Mario Monicelli, de 95 anos, que dirigiu alguns dos filmes mais famosos no pós-guerra da Itália e lançou a carreira de alguns dos maiores atores do país, pulou para a morte de uma janela do hospital onde estava internado nesta segunda-feira. Monicelli dirigiu clássicos como “Os Companheiros”, “O Incrível Exército de Brancaleone” e a série “Meus Caros Amigos” com Ugo Tognazzi e Philippe Noiret.

Segundo informações da imprensa italiana, ele saltou do quarto andar do hospital San Giovanni, em Roma, onde estava recebendo tratamento para um câncer de próstata terminal. Monicelli, conhecido como um gênio da comédia italiana, também dirigiu alguns filmes mais sérios, como “A Grande Guerra”, que conta a história trágica de um homem que busca fazer justiça com as próprias mãos depois que seu filho é morto em um assalto.

O cineasta foi indicado ao Oscar quatro vezes, mas nunca recebeu o prêmio. Em 75 anos de carreira, produziu cerca de 70 filmes e escreveu praticamente todos os seus roteiros. Monicelli fez seu primeiro curta-metragem aos 19 anos e estreou como diretor em 1949, dirigindo o gênio da comédia italiana Totò, uma parceria que ajudaria os dois na conquista da fama.

Trabalhou com alguns dos maiores atores italianos do período pós-guerra, incluindo Marcello Mastroianni, Sophia Loren, Vittorio Gassman, Alberto Sordi, Anna Magnani, Claudia Cardinale e Monica Vitti. Monicelli recebeu diversos prêmios, incluindo o Leão de Ouro por sua carreira no Festival de Cinema de Veneza.

Nascido na Toscana, o cineasta permaneceu ativo em sua fase de mais idade, fazendo aparições breves em diversos filmes que não dirigiu. Ele teve um pequeno papel em “Sob o Sol de Toscana” em 2003, filme com Diane Lane e Raul Bova, interpretando um idoso que aparece todos os dias para colocar flores em frente a uma estátua da Virgem Maria.

(O Globo Online)

O sindicalismo no governo Dilma, por Altamiro Borges

A vitória de Dilma Rousseff nas eleições de 2010 dá continuidade ao ciclo político aberto com a histórica eleição de Lula, em 2002. Naquela ocasião, a chegada à presidência da República do carismático líder operário se deu num cenário bem mais difícil. A economia brasileira estava em frangalhos e quase foi à falência, curvando-se três vezes diante dos algozes do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Por Altamiro Borges

A destruição foi obra da política neoliberal de FHC, que entregou boa parte do patrimônio público nos leilões da privataria, bateu recordes de desemprego, retirou os direitos trabalhistas e reduziu o papel do estado como indutor do desenvolvimento da economia nacional.

Diante desta herança maldita, o presidente Lula cedeu às pressões das elites e preservou o tripé neoliberal de juros altos, superávit primário e libertinagem financeira, o que manteve os índices de baixo crescimento econômico e alto desemprego. Mais ainda: Lula enviou ao parlamento uma proposta regressiva de contra-reforma da Previdência Social.

Estas e outras medidas impopulares causaram uma justa frustração dos trabalhadores diante do novo governo, oriundo das suas lutas. O sindicalismo ficou atordoado, na defensiva, e presenciou a divisão de suas organizações.

Com a crise do chamado mensalão, desencadeada pela mídia a partir de maior de 2005, parecia que a primeira experiência de um governo presidido por um operário caminhava para o total fiasco. A direita golpista chegou até a defender o impeachment de Lula, o que gerou imediata reação das organizações populares.

A Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS) promoveu atos em vários estados e no Distrito Federal contra o golpe. Temendo a revolta popular, a direita passou a investir no “sangramento” do presidente, apostando numa vitória eleitoral em 2006.

A guinada desenvolvimentista

Mas, aos poucos, o governo Lula deu passos no sentido de pôr em prática seus compromissos de mudança. A política externa ativa e altiva rompeu o alinhamento servil aos EUA, estimulou a integração latino-americana e diversificou as relações comerciais.

Apesar da pressão das elites, o governo Lula garantiu o dialogo com os movimentos sociais e não criminalizou suas lutas. Com o tempo, ele passou também a adotar medidas de estímulo ao mercado interno e teve a ousadia de bancar os programas de transferência de renda que tiraram da miséria milhões de brasileiros – como Bolsa Família e Luz para Todos, entre outros.

No segundo mandato, bem mais fortalecido ao sair da tormenta, o presidente Lula iniciou uma reorientação da política econômica, apostando no rumo desenvolvimentista, em especial com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Houve a retomada do crescimento econômico, invertendo a curva do desemprego. A grave crise capitalista mundial, detonada no final de 2008, chegou a ameaçar esta nova fase de prosperidade. Mas, como afirma o ditado popular chinês, a crise também é uma janela de oportunidade.

Diante do risco, o governo Lula reafirmou sua linha desenvolvimentista. Cortou juros, aumentou os investimentos — inclusive no ousado programa Minha Casa, Minha Vida — e reduziu impostos no setor produtivo.

O Brasil foi um dos últimos países a entrar na crise e um dos primeiros a sair dela, ainda robusto. A projeção é que a economia cresça mais de 7% em 2010 e que a geração de emprego bata recorde histórico. O Brasil já se projeta como a quinta maior economia do mundo.

Direita é forte e vai espernear

Dilma Rousseff tomará posse em 1º de janeiro neste cenário bem mais favorável. O legado do operário Lula não é a herança maldita do neoliberal FHC. O novo governo nasce com melhores condições para impulsionar o desenvolvimento do país e para enfrentar os seus graves problemas sociais, numa das nações que ainda ostenta os piores índices de desigualdade do planeta.

Isto não pode gerar ilusão ou passividade. Afinal, a direita brasileira, que representa os interesses da elite nativa e dos impérios internacionais, ainda tem força. Ela jogou sujo e foi derrotada nas eleições, mas não entregará a rapadura facilmente. Fará de tudo para manter seus privilégios e para evitar qualquer reforma estrutural no país. Ela perdeu eleitoralmente, mas tentará vencer politicamente, enquadrando o novo governo ou investindo na sua desestabilização golpista.

A eleição de Dilma Rousseff barrou o retrocesso neoliberal, mas não garante por si só o avanço nas mudanças. Com autonomia e inteligência política, os movimentos sociais precisarão intensificar a pressão para garantir seus direitos imediatos e futuros. A luta de classes tende a se acirrar no Brasil.

Quatro fases na história recente

A primeira fase foi marcada pelo brutal retrocesso imposto pelo golpe militar de 1964. Após um período de ascensão das lutas populares, em especial no governo João Goulart, houve um corte cirúrgico e sangrento. Mais de 70% dos maiores sindicatos sofreram a intervenção dos generais golpistas; centenas de lideranças foram presas, exiladas ou assassinadas nas masmorras de tortura. A ditadura impôs a paz do cemitério, esvaziando os sindicatos, proibindo greves, cerceando a liberdade de expressão e manifestação.

A segunda fase se inicia com a retomada das lutas dos trabalhadores. A greve de maio de 1978 dos metalúrgicos da multinacional Scania, em São Bernardo do Campo, é o marco desta nova etapa. Aos poucos a ditadura perde força e o sindicalismo reocupa papel de destaque no cenário nacional. Ele, inclusive, vira uma referência internacional. O país bate recordes de greves, ganha influência política e projeta lideranças – com destaque para o líder operário do ABC, Luis Inácio Lula da Silva. Num mundo que já assistia a retirada de direitos trabalhista, o Brasil aprova a “Constituição Cidadã”, como bem definiu o democrata Ulisses Guimarães, e arranca a redução da jornada de 48 para 44 horas semanais e vários outros direitos.

A terceira fase tem início com a vingança das elites patronais. A partir da eleição de Fernando Collor de Melo, elas impõem o receituário neoliberal de desmonte do estado, da nação e do trabalho. Collor é deposto, mas com FHC esta ofensiva regressiva e destrutiva ganha impulso. O desemprego bate recorde; o Exército ocupa as refinarias de Petrobras para derrotar os petroleiros grevistas e para “quebrar a espinha dorsal” do sindicalismo; os direitos trabalhistas são suprimidos de forma acelerada. O reinado de FHC é desastroso para os sindicatos, que perdem associados, assistem ao esvaziamento das assembléias, têm dificuldades para deflagrar greves e ainda se engalfinham em lutas internas.

Passividade e voluntarismo

A quarta fase é a que foi aberta com a histórica eleição de Lula para presidência da República. Muitos estudos ainda serão produzidos para entender o seu real impacto no sindicalismo. Num primeiro momento, a vitória gerou certa confusão no sindicalismo. Afinal, o Brasil nunca teve na sua história um governo oriundo de suas lutas, um presidente operário. Ele sempre foi governado por representantes da elite e os poucos que tentaram ceder algo aos trabalhadores, como Getúlio Vargas e João Goulart, foram derrubados por golpes.

Diante dos recuos iniciais do governo Lula, uma parte do sindicalismo adotou uma postura passiva, acrítica, alegando que qualquer pressão poderia servir ao jogo da direita golpista. Outra parte optou por fazer uma oposição frontal, não levando em conta a correlação de forças e os perigos de retrocesso. Estes dois extremos geraram confusão e divisão no sindicalismo. A CUT, que poderia viver a sua fase áurea com a chegada do seu fundador ao Palácio do Planalto, teve dificuldades para entender a nova realidade, caiu numa certa paralisia e sofreu três rachas seguidos, com a fundação do Conlutas, Intersindical e CTB.

A crise do sindicalismo, deflagrada pelo desmonte neoliberal imposto por FHC, tornou-se ainda mais grave devido à difícil e complexa relação diante de um governo oriundo de suas lutas.

Os três princípios “sagrados”

Com o tempo, porém, o sindicalismo foi tirando lições deste rico processo e aprimorou as suas formas de atuação. Ele passou a combinar melhor três princípios “sagrados”: autonomia diante dos governos, pressão permanente e habilidade política, para não fazer o jogo dos inimigos. Aos poucos, ele foi colhendo vitórias.

Uma das mais expressivas foi o acordo firmado com o governo Lula de valorização do salário mínimo, com reposição da inflação e metade do índice de crescimento da economia. Também conseguiu corrigir, parcialmente, a tabela do imposto de renda e enterrou, mesmo que temporariamente, as propostas de novas contra-reformas trabalhista e previdenciária. Nas bases, muitos sindicatos reverteram processos de terceirização e anularam inúmeros acordos de precarização do trabalho – como contratos temporários, banco de horas e outros.

A legalização das centrais sindicais

Outra vitória de enorme dimensão foi a conquista da legalização das centrais sindicais. Nunca antes na história do país os trabalhadores puderam se organizar enquanto classe, de forma horizontal. Atualmente, seis já são reconhecidas formalmente. Pela última aferição do Ministério do Trabalho, de março passado, a CUT representa 38,23% dos sindicalizados; seguida da Força Sindical, com 13,71%; a jovem CTB aparece em terceiro, 7,55%; a UGT tem 7,19%; NCST (6,69%); e a CGTB (5,04%).

Pela Lei 11.648, uma conquista histórica aprovada em 2008, as centrais representam o conjunto dos trabalhadores em fóruns de negociação e contam com recursos da Contribuição Sindical para investir nas suas ações – em 2009, as seis centrais reconhecidas receberam os R$ 80,9 milhões.

Mais maduras, elas também procuraram encontrar pontos de unidade na diversidade, superando divergências e disputas. Elas agiram unitariamente na conquista do acordo do salário mínimo e em outras batalhas. O ponto alto desta unidade se deu neste ano com a realização da Conferência Nacional das Classes Trabalhadores (Conclat), que reuniu mais de 30 mil ativistas sindicais no Estádio do Pacaembu, e aprovou uma plataforma unitária para a sucessão presidencial.

Fonte: Blog Vi o mundo

 

Umbanda: religião genuinamente brasileira

A umbanda é considerada a religião genuinamente brasileira por causa da mistura religiosa, a exemplo da mistura racial nos trópicos. A umbanda tem matriz africana (o candomblé), cristã (o sincretismo católico) e hindu (o espiritismo).

A marca registrada da umbanda são os fenômenos possessórios, pelos quais entidades sobrenaturais “baixam” num pai ou mãe-de-santo.

Essas entidades são seres intermediários entre os orixás e os pais-de-santo e mães-de-santo, equivalentes aos médiuns espíritas.Elas podem ser pretos velhos, caboclos (índios) e crianças. Os pretos velhos e as crianças representam o mundo civilizado. Os caboclos, ou entidades indígenas, estão relacionados à natureza. Já exus e pombas-giras são consideradas entidades marginais.

As entidades, a exemplos dos espíritos das mesas brancas, promovem a ajuda ao próximo mediante a aplicação de passes, descarregos e outros tipos de trabalhos espirituais.

A umbanda visa a prática do bem, embora muitas pessoas a confundam com a quimbanda, esta sim, associada a trabalhos mágicos que visam provocar males.

A umbanda foi uma religião perseguida pela igreja católica, que a associou a bruxarias e a forças demoníacas. A psicanálise, que tem raízes no judaísmo, também interpreta os fenômenos possessórios como “neuroses”.

A umbanda e o candomblé, embora distintas entre si, são a quarta religião em número de adeptos em Ribeirão Preto, segundo pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

(Ribeirão Preto Online)

Campanha de José Serra à Presidência tem dívida de R$ 9,6 milhões

A campanha de José Serra (PSDB) à Presidência deixou um rombo de R$ 9,65 milhões para o PSDB quitar. O PT, que não havia divulgado até as 18h de ontem o balanço de receitas e despesas, há uma semana tentava reduzir à metade a dívida de cerca de R$ 20 milhões da campanha de Dilma Rousseff.

O custo total desta eleição já é 42% maior se comparado ao de 2006, mesmo sem as contas finais de Dilma, Serra e dos 18 candidatos a governador –que têm até hoje para entregar o balanço ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Sem a contabilização de dados do segundo turno, as eleições proporcionais mais caras ocorreram em Roraima onde os candidatos investiram em média R$ 96,30 por eleitor.

São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro foram os Estados que mais gastaram, em valores absolutos, para eleger seus representantes.

Os três maiores colégios eleitorais do país também foram os que tiveram maior número de candidatos. O custo do voto em São Paulo foi de R$ 15,91; em Minas de R$ 23,18 e, no Rio, R$ 18,26.

Os 16.683 políticos que prestaram contas ao TSE declararam uma despesa total de R$ 2,7 bilhões, média de R$ 20,41 por voto. O levantamento excluiu despesas de quem disputou o segundo turno e dos comitês financeiros de campanhas e partidos.

Neste ano, o gasto total das campanhas para presidente, governador, senador, deputado federal e estadual ultrapassará os R$ 3 bilhões.

Em 2006, os candidatos gastaram cerca de R$ 1,9 bilhão e, em 2002, as despesas ficaram em R$ 1,1 bilhão, valores corrigidos pelo IPCA.

Os gastos de Serra, orçados inicialmente em R$ 180 milhões, se aproximaram dos R$ 120 milhões, de acordo com Márcio Fortes, um dos responsáveis pela contabilidade do tucano. O maior volume de despesas foi relacionado à comunicação da campanha.

A dívida de R$ 9,65 milhões é bem menor do que a herdada da campanha de Geraldo Alckmin à Presidência em 2006, que terminou com deficit R$ 19,5 milhões –valor já quitado.

A estimativa de gastos da campanha de Dilma era, na semana passada, de R$ 170 milhões. O teto era de R$ 191 milhões.

(Folha Online)

Ceará: Novos bancários tomam posse na Caixa e Banco do Brasil

No BANCO DO BRASIL – Tomaram posse na última segunda-feira, 22/11, na Gepes/Fortaleza, os 23 novos funcionários do Banco do Brasil. No Ceará, serão lotados 15 bancários. No Piauí serão lotados 5 e no Maranhão, 3. O presidente do SEEB/CE, Carlos Eduardo Bezerra falou da importância da filiação ao Sindicato, dando também várias orientações sobre o trabalho bancário. Também estiveram presentes os diretores Bosco Mota, Gustavo Tabatinga e Plauto Macedo.

 

Na Caixa Econômica Federal – No último dia 23/11, tomaram posse 35 novos empregados da Caixa, sendo destes 16 para o Ceará e os demais distribuídos entre os Estados do Piauí, Maranhão, Pará e Amapá. Durante duas semanas, os novos bancários da Caixa participaram de um curso de integração, no Hotel Praiano, em Fortaleza. Falando da importância do Sindicato e da Apcef na vida dos bancários, estiveram presentes ao curso os diretores do SEEB/CE, Bosco Mota e Áureo Junior.

(SEEB/CE)

SEEB/CE promove Fórum Sindical com Super/BB, Gepes e Cassi

No último dia 24/11, os diretores do Sindicato dos Bancários do Ceará promoveram a 3ª Reunião do Fórum Sindical com o Banco do Brasil (GEPES e SUPER/BB), para discutir questões de interesse dos funcionários do BB. O Fórum Sindical é uma mesa de negociação específica e permanente entre Sindicato, GEPES e SUPER estabelecido para tratar as demandas de âmbito local. Na pauta estiveram também incluídas demandas com a caixa de assistência CASSI.

Estiveram presentes ao terceiro encontro, na sede do Sindicato, o superintendente estadual do Banco do Brasil, Luís Carlos Moscardi; representando a Gepes, Clebernardo Rodrigues Bezerra; gerente regional da Cassi, Paulo Felix de Almeida Pena; e dois representantes da Diretoria de Relacionamento com os Funcionários, em Brasília, Sérgio Braga e Jorge Luís, ambos assessores do BB nas negociações com o funcionalismo. Pelo Sindicato, coordenando os trabalhos da mesa do Fórum Sindical esteve o presidente Carlos Eduardo Bezerra, que dividiu a coordenação com os diretores do SEEB/CE, José Eduardo e Plauto Macedo, além de bancários de várias unidades, inclusive do Interior.

O Fórum Sindical foi organizado a partir do processo de negociação local, entre o Sindicato dos Bancários do Ceará e a diretoria estadual do Banco do Brasil, sendo criado especialmente para abrir o debate sobre as questões que estão na alçada do BB local e envolvem os funcionários do banco. A idéia é debater as questões visando solucioná-las. São questões negociáveis com o banco.

O QUE É BB 2.0 – Na pauta da terceira reunião do Fórum Sindical envolveu principalmente o tema BB 2.0, cujo sistema está sendo implantado em todo o País, visando otimizar o atendimento nas unidades, buscando levar bom atendimento à clientela e satisfação aos funcionários. O encontro teve início às 8 horas, no auditório do SEEB/CE, com um café da manhã para os convidados. Em seguida foram abertos os trabalhos com o superintendente do BB, Luis Carlos Moscardi, que falou sobre o BB 2.0.

O projeto BB 2.0 está iniciando o processo de mudança este mês indo até março/2010, transformando o modelo de gerenciamento de atendimento, envolvendo pessoas e clientes; canais; conhecimento do cliente; dinâmica de redes; e planejamento, orçamentação e gestão. No Ceará, o BB 2.0 fará acréscimo de 30% a mais na dotação do BB estadual (pessoas e cargos).

“A estratégia do Banco do Brasil 2.0 está sendo implantada a partir deste mês e que deve perdurar por mais seis meses, com contratação de funcionários, qualificação, ajustes na estrutura física de agências, isso já é uma realidade. Até março esperam-se benefícios desse grande projeto que trará melhores condições de trabalho para todos funcionários que estavam ávidos por um projeto que trouxesse o aumento dos funcionários na rede. Vamos ter concurso, ainda sem data, mas até janeiro deve sair, com vagas para todo o Nordeste”, disse Moscardi.

O aumento de 10.000 novos postos de trabalho no BB são frutos da campanha nacional dos bancários de 2009. No Ceará a dotação aumentará em 509 funcionários e reordenamento de comissionamentos.

NEGOCIAÇÃO COLETIVAOs assessores do Banco do Brasil, da Diretoria de Relacionamento com os funcionários, Sérgio Braga e Jorge Luiz deram informes sobre as negociações coletivas, como funcionam as relações na mesa de negociação permanente, e qual a importância dessa mesa para a empresa e para os trabalhadores. Para Sergio Braga, esse Fórum Sindical como mesa de negociação local é um avanço nas relações entre trabalhadores e empresa, cujos frutos devem certamente beneficiar as partes, com soluções para questões que incomodam a categoria, e que necessitam de respostas mais urgentes.

Outro ponto de destaque do Fórum foi a CASSI, sendo coordenada a mesa dos trabalhos pelo diretor Plauto Macedo, representante do Sindicato no Conselho de Usuários, tendo como convidado o gerente regional Paulo Felix de Almeida Pena. Na ocasião foram discutidas como serão processadas as liberações dos funcionários para reunião mensal do Conselho. O gerente ressaltou, na ocasião, a importância da CASSI na garantia da qualidade de vida dos funcionários e seus familiares.

Outro convidado do Sindicato, Heider Vasconcelos deu informes de como estão os andamentos dos projetos de Isonomia dos Bancos Públicos e o de Reintegração dos demitidos do Banco do Brasil. Segundo Heider, todos os projetos estão atualmente na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara Federal, sendo acompanhados de perto pela bancada cearense e pelo Sindicato. Sobre o projeto de Isonomia, ele informou que, por acordo de liderança, entrará na pauta desta semana na CFT, com boas perspectivas de também ser aprovado, a exemplo do que aconteceu na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público, que aprovou o projeto por unanimidade.

Qual a importância do Fórum Sindical, promovido pelo SEEB/CE, que abriu uma plenária para discutir temas importantes para os trabalhadores do Banco do Brasil?

“Primeiro reconhecer o excelente espaço que o Sindicato abriu, numa busca permanente de levar informação e procurar construir juntos soluções para muitas das demandas dos bancários. Louvo a atitude do Sindicato nessa busca de abrir canal de comunicação, pois muitas dúvidas e anseios nascem pela falta de informação. Como superintendente estadual do Banco do Brasil, toda vez que for chamado estarei pronto para atender o chamamento”. Luis Moscardi (Super)

 
“A importância do fórum é o diálogo. A partir do diálogo, o homem pode compreender o outro e essa compreensão é que nos faz caminhar juntos e buscar soluções conjuntas. A partir daí podemos compreender o outro e construir soluções que muitas vezes pareciam impossíveis. Acho essa opção que o Sindicato escolheu, uma opção viável, fantástica para que possamos apresentar soluções para os problemas do trabalhadores, que são também dos bancos, neste caso do Banco do Brasil, e a construção pode ser feita por todos”. Clebernardo Rodrigues (Gepes)

“O fórum é um espaço de negociação local entre o Sindicato e órgãos do BB que interferem no contrato de trabalho (Super e Gepes). Dentro da alçada desses órgãos podemos esclarecer o funcionalismo e procurar solução para as suas demandas. O que não é abrangido por isso é garantido através da estrutura sindical da negociação coletiva, dos acordos de trabalho. Nessa reunião ampliada colocamos esse formato de formação e informação, que a partir dele ter um processo organizativo mobilizador. A partir daí fortalecer o processo de negociação efetiva e a solução de demandas”. Carlos Eduardo Bezerra (SEEB/CE)

“Esse tipo de fórum é necessário, inclusive temos essa experiência em outras regiões do País, de forma semelhante. É um espaço onde a gente conversa, debate, é construtivo, educado, é salutar. Essa experiência vem dando certo em outros estados e espero que a iniciativa do Sindicato do Ceará se repita e se espalhe pelo Brasil inteiro. É muito bom conversar, esmiuçar algumas informações e buscar soluções para os problemas. É um espaço democrático de conversa, sem melindres e com muito respeito. É muito importante”.
Sergio Braga (Direção Geral BB)

Ação de Equiparação: SEEB/CE convoca beneficiários para protestar contra morosidade do BNB

O Sindicato dos Bancários do Ceará está programando para o mês de dezembro um grande ato de protesto contra a morosidade da direção do BNB na negociação da Ação de Equiparação. A data do evento ainda será definida, mas a divulgação e os preparativos acontecerão com antecedência necessária para que a manifestação alcance grande êxito.

O objetivo é denunciar uma ação trabalhista que tramitou por mais de 15 anos na justiça e não tem mais qualquer recurso na esfera judicial, esteja, há 4 anos na mesa de negociação com a administração do Banco, sem qualquer proposta concreta decente para apresentação aos beneficiários ativos e aposentados.

As reuniões de negociação com o Banco ocorridas ultimamente, apesar de formais e de contarem com a presença do Diretor Administrativo, Stelio Gama Lyra Jr, não têm prosperado, pois a Direção do Banco não apresenta proposta oficial por escrito. O protesto visa quebrar esse ciclo de conversações infrutíferas e obter uma posição formal da empresa sobre a questão.

Novas informações através dos veículos de comunicação do SEEB-CE: Tribuna Bancária, Radio Bancários, site, Informe Bancário online.

(SEEB/CE)

”O Brasil pode virar um centro financeiro mundial em 20 anos”

Ricardo Marino Villela, acionista e executivo do Itaú Unibanco, acaba de deixar a presidência da Federação Latino-Americana de Bancos (Felaban). Em 2008, no auge da crise global, ele assumiu o cargo indicado pelos banqueiros brasileiros para conduzir as discussões do sistema financeiro da região. Além de checar a segurança dos bancos, a Felaban preparou estudos de bancarização e manuais de melhores práticas de crédito e de segurança jurídica. Villela, 36 anos, deixou o cargo com um plano ambicioso encaminhado: transformar o Brasil num centro financeiro de porte mundial, atraindo as operações financeiras da América Latina. “A energia de pensar grande é a mesma de pensar pequeno”, diz Villela. Na entrevista a seguir, ele falou sobre a internacionalização do Itaú, que está sob seu comando, sobre sua carreira e sobre as especulações de que pode ser o sucessor de Roberto Setubal na direção do banco.

Outros países da América Latina não têm um sistema financeiro forte como o do Brasil. Vocês tiveram de atuar em algum durante a crise?

Não. E a gente vê que supervisores em geral tiveram grande amadurecimento nos últimos 15/20 anos na região e foram bastante prudentes e conservadores. Apesar de não ser uma região homogênea, todos os países passaram pela crise com razoável tranquilidade.

Depois dessa experiência, como o sr. enxerga os bancos do Brasil?

Eu diria que o Brasil está no primeiro time. Pelo desenvolvimento da economia e pelas dificuldades que passou, precisou se adaptar para sobreviver. E fizemos coisas hoje que são referência no setor, que estão sendo copiadas inclusive pelos EUA. O sistema financeiro tem noções sólidas, com balanços bem capitalizados, pouco alavancados. A banca tradicional tem muita inventividade, há boa regulação e boa supervisão. Isso foram fatores muito importantes, mas não suficientes. Você precisa de uma boa governança – e a maioria dos bancos brasileiros tem – e um bom modelo de gestão de riscos, que a gente aprendeu a desenvolver com as dificuldades e volatilidade que passamos.

Que tipo de projeto o sr. propôs durante a sua gestão na Felaban?

Um dos projetos foi alavancar esse momento positivamente e buscar um protagonismo maior da região. A energia da gente pensar grande é a mesma de pensar pequeno. A gente deveria aumentar o volume de transações entre os países do sistema financeiro da América Latina, para não ter de fazer isso triangulado pelos grandes centros financeiros do mundo, por Nova York, Londres, Cingapura e Xangai, e que essa massa crítica pudesse criar um hub (centro) financeiro na região, aproveitando essas competências, esse aprendizado. E o Brasil, dada a sua liderança, poderia ser um candidato muito forte. Esse projeto, batizado de Brain, é para acontecer em 20 anos.

Na prática, o que seria isso?

Aumentar os fluxos de investimentos e capitais, de derivativos regionais, de processamento de informações, estimular o lançamento de BDRs (ações de empresas estrangeiras negociadas no Brasil) no mercado de capitais.

Como está o projeto hoje?

Essa deve ser uma parceria, que deve envolver todo o sistema.

Com quem vocês já negociaram?

Anbima, BMF&Bovespa, governo, Banco Central, Febraban. Estivemos com Henrique Meirelles, Guido Mantega. Falando em pensar e agir como gigante, uma das preocupações que eu tive foi de aproximar a América Latina da China. A gente estava muito ensimesmado na nossa microrregião. Na assembleia de Miami, no ano passado, pela primeira vez na história da Felaban, convidamos os principais bancos chineses para fazer parte dos painéis. Eles adoraram, começaram a fazer negócios, foram os mais requisitados. Alguns bancos chineses já pediram carta-patente para começar a operar no Brasil, dada a importância que eles dão para o nosso mercado. A gente começa a criar os primeiros vínculos para fazer a região ganhar mais importância.

O sr. agora vai assumir outro posto em alguma instituição?

Creio que minha contribuição foi dada. Tenho muito orgulho de ter participado dessa etapa num período tão crítico. Mas o banco está vivendo um momento muito importante na área de pessoas e na área externa, que vai requerer muito tempo, muita dedicação.

Quais são os planos do Itaú na área internacional?

Temos dois deveres. O primeiro é melhorar a rentabilidade, a eficiência e sedimentar a cultura nos quatro países onde estamos (Chile, Uruguai, Argentina, Paraguai) para conquistar o direito de eventualmente crescer para fora. Na parte não orgânica, o comitê de estratégia do conselho e o comitê internacional consultivo, dirigido pelo Pedro Malan, estão analisando as possibilidades. Posso dizer que nosso pipeline de análise está cheio, os bancos de investimentos batem na nossa porta toda semana. Mas tem uma disciplina para seguir, precisa ter o timing certo.

Que países estão no radar?

Países da América Latina precisam ganhar escala. Mas, sem dúvida, México, Colômbia e Peru são os países que chamam mais atenção – pelo tamanho da economia, pela estabilidade política e de regulação. A aspiração é ser um player global. Mas não se vira um banco global da noite para o dia. Apesar de estarmos entre os dez bancos mais valiosos do mundo, ainda não somos globais. E essa jornada é longa, demora 15 a 20 anos. Tem de ir com muita cautela, muita disciplina, para que não se destrua valor para o acionista e para que a gente não caia em nenhuma soberba, dado o momento em que o Brasil se encontra, que a moeda do Brasil se encontra, que o valor da ação do Itaú Unibanco se encontra. Os analistas de mercado nos cobram muito cuidado. E não adianta você querer comprar um banco. O banco precisa estar à venda.

Mas banco à venda tem, não?

Na América Latina é muito difícil. Tem mais banco à venda onde você não quer, como nos EUA, Europa.

E o que está à venda não é bom.

Comprar banco por um dólar você pode até conseguir. Mas o passivo que você compra é muito grande.

O sr acredita que vai haver concentração bancária na América Latina?

É uma tendência irreversível, ainda mais com esse entorno regulatório. Para os bancos permanecerem rentáveis e ganharem uma certa eficiência, eles vão precisar de escala, de balanços mais fortes.

Falando sobre a sua carreira, quando o sr. fez engenharia, já estava pensando em vir para o banco ou estava seguindo o caminho do Olavo, do Roberto (Setubal)?

Eu nunca tive intenção de trabalhar no Itaú, mas sempre tive vocação para trabalhar no sistema financeiro. Como todo ser humano, tinha pontos fortes e pontos fracos. Os fortes eram a parte de humanas. E tinha alguns gaps na parte de exatas. Quando eu fiz vestibular, meu objetivo foi desenvolver os pontos fracos e alavancar os fortes. Seria muito conveniente fazer administração, arquitetura ou direito. Mas escolhi pegar logo a estrada mais difícil. Porque eu sabia que, quando viesse a trabalhar no sistema financeiro, saberia resolver problemas. Meu sonho era trabalhar no Banco Garantia. Na época, nos anos 90, era o melhor banco de investimentos. E eu não fui aceito na primeira tentativa, fui rechaçado depois de 13 entrevistas.

Quem te rejeitou no Garantia?

Os sócios.

Quem te entrevistou nessa primeira rodada?

Marcelo Barbará, Marcelo Medeiros, José Olympio…

E eles sabiam quem você era?

Sabiam. E eles tinham dúvidas sobre a minha carreira no banco. E eu disse: eu quero ser conhecido pelo meu primeiro nome e não pelo meu sobrenome. Quero construir a carreira pelos meus méritos.

O que eles alegaram?

Que eu não tinha experiência. Posso ter vários defeitos, mas uma das minhas qualidades é a perseverança. Fui buscar um emprego para ganhar a tal experiência, coincidentemente no mesmo prédio do Garantia. Um ano depois, subi na vida (risos), e entrei para o Garantia. Comecei como office boy, na custódia, liquidando cheque, para conhecer o arcabouço todo. Foi uma escola fantástica. Fiquei dois anos, passei por várias áreas. Quando vi que o mercado financeiro mundial estava entrando em crise, decidi fazer um MBA fora. Nesse período, trabalhei no Goldman Sachs em Nova York e Londres.

Por que o sr. não queria o Itaú?

O Itaú, lá atrás, era muito burocrático, tudo muito lento, muito hierárquico, muito militar. O Itaú tinha uma carreira muito fechada, como o Bradesco.

Quando o sr. entrou no banco, deveria ter em mente que poderia fazer carreira até eventualmente assumir o banco. No mercado, o sr. é tido como sucessor natural do Roberto…

Essa especulação com relação a esse assunto de sucessão deve ser tratada com ele, pelo comitê de sucessão e de governança do banco. Cada dia é um dia. O que eu quero é fazer com excelência a minha missão de hoje. A gente não pode prever o futuro. O que me anima muito é estar à frente desse processo de internacionalização do banco.

(Estadão Online)

Salvador e Fortaleza são as cidades mais populosas do Nordeste, aponta IBGE

Salvador e Fortaleza continuam ocupando o  terceiro e quinto lugar entre as cidades mais populosas do Brasil. Segundo dados do Censo 2010, promovido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados nesta segunda-feira, 29, a capital baiana possui 2.676.606 habitantes e segue atrás apenas de São Paulo (11.244.369) e Rio de Janeiro (6.323.037). Brasília está em quarto lugar, com 2.562.963 habitantes. No Censo de 2000, Salvador tinha 2.443.107 habitantes.

Salvador
Fortaleza

Além de Salvador, outras duas capitais nordestinas figuram no “top 10”. Fortaleza, na quinta colocação, com 2.447.409, e Recife, na nona posição, com 1.536.934 moradores. Completam a lista Belo Horizonte, em sexto lugar (2.375.444), Manaus, em sétimo (1.802.525), Curitiba, em oitvavo (1.746.896), e Porto Alegre, em décimo lugar (1.409.939).

Brasil – A população brasileira diminuiu ritmo de crescimento nesta década. Segundo os dados do IBGE, a população do País em 2010 é de 190.732.694 pessoas, o que mostra um aumento de 12,3% em relação ao censo realizado em 2000. De lá para cá houve acréscimo de 20.933.524 pessoas na população brasileira. Na década anterior, entre 1991 e 2000, o crescimento havia sido de 15,6%.

O censo mostra também que 84,35% da população do País, ou 160,9 milhões de pessoas, vivem atualmente em áreas urbanas, enquanto que, em 2000, o porcentual era 81,25%.

O destaque de crescimento populacional nesta década ficou com Amapá, cuja população aumentou 40,18% na década até 2010, para 668,7 mil pessoas, em relação a 2000. E também com Roraima, cuja população, de 451,2 mil pessoas em 2010 representou aumento de 39,1% em relação a 2000.

(Por Erismar Carvalho, com adaptações)

Banco do Brasil terá primeira agência em favela

O Banco do Brasil inaugura nesta terça-feira (30) a primeira agência da instituição dentro de uma favela. A comunidade escolhida foi Paraísopolis – a segunda maior comunidade de São Paulo, com 100 mil habitantes.

Os moradores de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo, já contam com cerca de 8.000 estabelecimentos comerciais de pequeno e médio porte, além de uma filial das Casas Bahia.

Segundo Gilson Rodrigues, presidente da UMCP (União de Moradores e do Comércio de Paraisópolis), a inauguração ajuda na transformação da comunidade.

– Esta agência bancária vem consolidar o momento de evolução da comunidade, que passa a se consolidar como um bairro. A favela está sendo transformada na Nova Paraisópolis. O BB cumpre o seu papel de banco público, servindo ao povo em qualquer lugar que ele esteja.

De acordo com o Banco do Brasil, operar dentro de Paraisópolis representa “avanço significativo nas estratégias de crescimento em São Paulo”.

(Portal R7)

IPTU 2011 de Fortaleza será corrigido entre 4% e 5%

A partir de 1º de janeiro próximo, o IPTU será corrigido entre 4% e 5%, sobre o valor recolhido neste ano, em Fortaleza

O contribuinte de Fortaleza deve poupar parte do 13º salário para ajudar no pagamento das obrigações tributárias, que chegam junto com o ano novo, como o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). A partir de 1º de janeiro de 2011, o IPTU será corrigido entre 4% e 5%, percentual equivalente à atualização monetária pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E).

Apesar de representar praticamente apenas o repasse da inflação do período de janeiro a dezembro de 2010, os novos valores do IPTU tendem a pesar mais no bolso do fortalezense, tendo em conta que trarão embutidos no corpo do tributo, os reajustes de 25% a 30%, aprovados e já aplicados em 2010.

A informação foi confirmada ontem, pelo gerente da Célula de Gestão do IPTU, da Secretaria Municipal de Finanças (Sefin), Carlos Cristiano Cabral.

Alíquotas não mudam

Segundo ele, o IPTU de 2011 se limitará à correção dos valores atuais pelo IPCA-E e não haverá alterações nas alíquotas, nem aumento do valor venal dos imóveis, sejam residenciais ou não residenciais (comerciais, industriais etc).

“Um reajuste agora não se justificaria devido ao ajuste do ano passado. Não há matéria alguma tramitando na Câmara sobre o reajuste do IPTU e não há vontade do governo (Prefeitura) nesse sentido. Vai valer o que consta no desenho institucional votado ao fim de 2009”, garante o líder da Prefeitura na Câmara Municipal de Fortaleza (CMF), Ronivaldo Maia.

Mudança de faixa

Cristiano Cabral confirma, no entanto, que com a correção, alguns contribuintes poderão migrar de uma alíquota para outra, o que poderá onerar um pouco mais o valor do imposto a ser recolhido. A Sefin divide as alíquotas em 0,6%, 0,8% e 1,4%, respectivamente, sobre imóveis residenciais com valores venais de zero a R$ 58,5 mil; de R$ 58.501,00 a R$ 210.600,00 e acima desse valor.

Já os imóveis não residenciais com preços até R$ 210,6 mil são tributados em 1,6% e acima disso valor, em 2%. As residências com valor venal de até R$ 26.383,85, são isentas do IPTU. Dessa forma, ele esclarece que, se o imóvel de um contribuinte residencial, por exemplo, migrar da alíquota de 0,6% para a de 0,8%, ele pagará 0,6% sobre o valor de R$ 58,5 mil e a diferença, recolherá sobre a alíquota superior, no caso a de 0,8%.

“Essa alteração será mínima”, avalia o gerente do IPTU, ressaltando que essa forma de cálculo é possível devido ao modelo de cobrança escalonado, que é aplicado pela Sefin. Até o dia dez de janeiro próximo o índice exato de correção já estarão definidos e as correções devidamente aplicadas e corrigidas.

“A impressão dos boletos deve ocorrer entre os dias 10 e 15 de janeiro e a entrega (pelos Correios), até o dia 20 de janeiro”, planeja Cabral. “Vamos iniciar o envio dos boletos mais cedo, em 2011”, garante.

Desconto

Igual a este ano apenas o desconto de 10%, que será concedido para quem pagar em cota única, até o dia sete de fevereiro de 2011 e estiver adimplente com o fisco municipal. “O contribuinte ainda tem até o dia 31 de dezembro (próximo) para por em dia o IPTU”, lembrou. Cabral explica ainda, que, àqueles que não optarem pelo pagamento da cota única, poderão parcelar do imposto em até 11 meses, desde que o valor mínimo não seja inferior a R$ 30 por mês.

Em 2011, o número de contribuintes do IPTU deve passar dos 500 mil cadastrados este ano, o que sugere aumento na arrecadação. “Este ano, nós realizamos o cadastramento de novos imóveis, em áreas que crescerem em Fortaleza e de outros que realizaram reformas, com alteração do imóvel e que ainda não haviam se recadastrado”, informa o gerente, sem fazer prognósticos de elevação no valor a ser arrecadado.

IPVA

Para o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2011, a expectativa é de que, a exemplo de 2010, haja queda de valores, ou pelo menos não deverá alta além da correção monetária. A Secretaria da Fazenda não revela, mas a nova tabela do IPVA deve ser concluída nos próximos dias.

Tributação

500 mil é o número mínimo de imóveis que serão tributados em 2011, em Fortaleza, entre residenciais, não residenciais e terrenos.

Cobrança

“A entrega dos boletos pelos Correios será feita entre os dias 15 e 20 de janeiro”

Cristiano Cabral
Gerente da Célula de Gestão do IPTU da Sefin

(Portal Verdes Mares)

Forças Armadas e polícias seguem no Complexo do Alemão até 2011

As Forças Armadas e as polícias do Rio vão continuar ocupando o Conjunto de Favelas do Alemão até a instalação de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) na comunidade. Segundo o governador Sérgio Cabral, isso deve acontecer no primeiro semestre de 2011.

A afirmação foi feita na manhã desta segunda-feira (29) durante a abertura do Fórum sobre Infraestrutura da Olimpíada Rio 2016, em Copacabana. Para o governador, tanto o Alemão quanto a Vila Cruzeiro devem ter UPPs “nos primeiros seis ou sete meses” do próximo ano.

De acordo com o governador, no entanto, essas não vão ser as próximas unidades a serem instaladas. “Como sempre, desde começamos, não podemos antecipar. O que eu posso falar é que instalamos amanhã a UPP Morro dos Macacos. Iremos, em seguida, para as comunidaes da região do Lins de Vasconcelos, como Morro São João, Morro Quieto e outros próximos. Todos eles serão as próximas a serem ocupadas pelo Bope e, em seguida, instaslando a UPP. A cronologia e estratégia permanecem as mesmas”, disse Cabral.

egundo Cabral, a permanência de homens do Exército já está combinada com as Forças Armadas. “Estamos na fase de preparação da estratégia técnica, o que não passa por mim, passa pelo secretário Mariano Beltrame e pelos oficiais militares do Ministério da Defesa. Isso está sendo feito desde de ontem para que [a comunidade] tenha paz, tranquilidade e a garantia dessa transição para a UPP”.

“As reconquistas dos territórios tanto da Vila Cruzeiro quanto do Alemão já foram efetivadas e agora são os próximos passos. Esse é um processo e nós não vamos dormir nos louros daconquista de ontem [domingo, 28]”, afirmou o governador.

(Portal udo Agora)

Fundo de Participação dos Municípios: 13 cidades do Ceará com mais dinheiro

O IBGE também avaliou o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para as prefeituras. E constatou que a verba diminuiu em oito cidades. Alto Santo, Camocim, Catunda, Milhã, Mombaça, Monsenhor Tabosa, Santa Quitéria e Uruoca perderam 0,2% em recursos entre 2009 e 2010.

Em contrapartida, 13 localidades tiveram mais dinheiro. Acopiara, Brejo Santo, Eusébio, Groaíras, Itapipoca, Itarema, Jijoca de Jericoacoara, Jucás, Lavras da Mangabeira, Meruoca, Pacajus, Pires Ferreira e Potengi contaram com 0,2% a mais de verba do Governo Federal neste ano. “Isto já era uma reivindicação antiga, porque sofremos muito por termos pouco aporte. Se continuar assim, vamos poder investir em infraestrutura”, avalia o prefeito de Brejo Santo, Guilherme Landim.

A previsão é contrária para quem registrou queda. É o caso de Santa Quitéria. O prefeito José Francisco se queixa de que moradores de distritos afastados foram contabilizados como sendo de outras cidades.

(O Povo Online)

População do Ceará é de 8.448.055 habitantes, aponta o IBGE

O município de Horizonte, na Região Metropolitana de Fortaleza, foi o que mais cresceu em população nos últimos 10 anos (63,3%), enquanto Guaramiranga apresentou o menor crescimento em número de habitantes (27,11%). A cidade, que fica no Maciço de Baturité, também é a que apresenta a menor população do Ceará – 4.165 habitantes. O maior número de moradores continua sendo na Capital que ultrapassa os 2,4 milhões de moradores. Em todo o Estado, vivem atualmente 8.448.055 pessoas (crescimento de 13,69% com relação à população de 2000 que era de 7.430.661 habitantes).

Os dados são do Censo 2010 que foi divulgado oficialmente, ontem, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O chefe da Unidade estadual do órgão, Francisco José Moreira Lopes, explica que o crescimento populacional de Horizonte e outras cidades da Região Metropolitana, como Eusébio, Pacajus e Caucaia, deve-se à maior oferta de empregos em indústrias que se instalaram nesses municípios. Em Jijoca de Jericoacoara, que também apresentou crescimento de 40% em 10 anos, a causa principal foi o turismo.

Francisco José Moreira Lopes, chefe da unidade do IBGE no Ceará, explicou que a população brasileira cresce em ritmo cada vez mais lento, o que não foi surpresa para o órgão. “Houve uma mudança muito forte na taxa de fecundidade entre as mulheres com idade de 15 a 49 anos. Em 1960, por exemplo, as mulheres tinham em média, seis filhos, atualmente, chega a 1,9”. Os fatores, segundo ele, são principalmente, a inserção da mulher no mercado de trabalho, o aumento de mulheres frequentando universidades e o planejamento familiar.

Mas as mulheres continuam sendo, no Ceará, em menor quantidade com relação aos homens. Dos 8.448.05 habitantes do Estado, 51,25% são mulheres e 48,75% são homens. A maior população feminina está na Capital – dos 2.447.409 moradores, 53,18% são do sexo feminino.

Na Região Metropolitana de Fortaleza, o crescimento populacional em uma década foi de 18,11%. Em 2000, viviam nos 15 municípios, 3.056.769 pessoas, e em 2010, vivem 3.610.379 habitantes. Compõem a Região Metropolitana, os municípios de Aquiraz, Cascavel, Caucaia, Chorozinho, Eusébio, Fortaleza, Guaiúba, Horizonte, Itaitinga, Maracanaú, Maranguape, Pacajus, Pacatuba, Pindoretama e São Gonçalo do Amarante.

Quando foram divulgados os dados preliminares do Ceará, em outubro, a unidade estadual do IBGE recebeu 44 pedidos de revisão dos dados encaminhados pelas cidades.


ENTENDA A NOTÍCIA
Para a realização do Censo no Ceará, trabalharam 7.764 recensoares nos 184 municípios. No Estado, os recenseadores encontraram 24.550 domicílios fechados, sendo 14.269 em Fortaleza.

(O Povo Online)

População do Ceará cresce 13,69% em 10 anos, diz IBGE

A população cearense é de 8.448.055 habitantes, segundo o resultado do Censo 2010, que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta segunda-feira, 29. Em relação ao Censo 2000, a população do Ceará cresceu 13,69% em uma década, o equivalente a 1.017.394 moradores.

De acordo com os números do IBGE, Fortaleza tem hoje 2.447.409 habitantes, sendo a quinta capital mais populosa do País, atrás somente de São Paulo (11.244.369), Rio de Janeiro (6.323.037), Salvador (2.676.606) e Brasília (2.562.963).

No Brasil, a população total é de 190.732.694 pessoas, segundo o resultado do Censo 2010. Comparando-se o resultado com o do último Censo, a população brasileira cresceu 12,3% em uma década, o equivalente a 20,9 milhões de brasileiros. Mas ritmo de crescimento, porém, foi inferior aos 15,6% verificado na década anterior (1991 a 2000).

A população, hoje, é ainda mais urbana do que há 10 anos. Em 2000, o IBGE apurou que 81% dos brasileiros viviam em cidades, contra 84% em 2010. A Região Sudeste continua sendo a mais populosa do Brasil, com 80.353.724 pessoas, embora tenha perdido participação na última década, de 42,8% para 42,1% da população brasileira.

(O Povo Online)

Polícia do Ceará deve coibir entrada de traficantes do Rio de Janeiro

O superintendente da Polícia Civil do Ceará, delegado Luiz Carlos Dantas, disse na manhã desta segunda-feir, 29, que o serviço de inteligência da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) está atento à movimentação dos líderes do tráfico carioca nas principais cidades nordestinas.

”Desde que a Polícia carioca passou a ocupar os morros do Rio de Janeiro, que a Polícia dos estados nordestinos começou a trocar informações para coibir a fuga dos líderes do tráfico para as principais cidades da Região. Estou em contato constante com colegas (policiais) de outros estados do Nordeste”, disse ao Blog o superintendente da Polícia Civil.

O delegado acredita que traficantes cariocas já iniciaram uma manobra de fuga para o Ceará. ”Acredito nisso, sim. Mas o nosso serviço de inteligência está focado para esse problema”, comentou.

 Nota da SSPDS

 Em nota divulgada nesta tarde, a SSPDS informou que não recebeu nenhuma informação oficial sobre a vinda de traficantes do Rio de Janeiro para o Ceará.

Segundo o documento, qualquer operação de localização e prisão de traficantes oriundos do Rio de Janeiro depende de prévio conhecimento de nomes e conhecimentos de mandados de prisão. “As autoridades policiais do Rio de Janeiro não enviaram, até o momento, nenhuma relação de pessoas foragidas em operações desencadeadas naquele estado”, ressalta a SSPDS.

Ainda de acordo com a nota, a Coordenadoria de Inteligência (Coin) da SSPDS trabalha checando qualquer informação sobre atividades de traficantes do Rio de Janeiro no Estado. “Quem conhecer alguma ação suspeita no Estado relacionada às ações no Rio pode ligar anonimamente para o tele-denúncia pelo telefone 181”, sugere a nota da SSPDS.

O titular da SSPDS, Roberto Monteiro, foi convidado, junto com os demais secretários de segurança pública do País, a participar de uma reunião na próxima quarta-feira, 1º, que acontece em Brasília, para tratar da situação no Rio de Janeiro.
 

(Blog do Eliomar)
 

Caso Bruce: Soldado Yuri é expulso da corporação e solto do presídio militar

O policial militar Yuri da Silveira foi solto do Presídio Militar do 5º Batalhão, no Centro da capital, nesta segunda-feira, 29. As informações foram confirmadas pelo relações públicas da PM, major Marcos Costa. Ele explicou que Yuri foi expulso da corporação na última sexta-feira, 26. O anúncio da expulsão foi publicado no diário oficial.

O ex-soldado não poderia ficar no presídio militar e poderia ser remanejado para outra unidade prisional. Ainda na sexta-feira, ele recebeu alvará de soltura e, na manhã desta segunda-feira, a ordem judicial da 5ª Vara do Júri foi cumprida.

Yuri da Silveira responderá ao processo criminal na Justiça comum.

(O Povo)

Brasil tem 190.732.694 habitantes, revela resultado definitivo do Censo

A população brasileira diminuiu ritmo de crescimento nesta década. Dados do censo 2010, divulgados há pouco pelo IBGE, mostram que a população do País, em 2010, é de 190.732.694 pessoas, o que mostra um aumento de 12,3% em relação à população que havia no País no censo 2000.

De lá para cá, houve acréscimo de 20.933.524 pessoas na população brasileira. Na década anterior, entre 1991 e 2000, o crescimento havia sido de 15,6%.

O censo mostra também que 84,35% da população brasileira, ou 160,9 milhões de pessoas, vivem atualmente em áreas urbanas. Enquanto que, em 2000, o porcentual era 81,25%.

Ainda de acordo com o IBGE, o destaque de crescimento populacional nesta década ficou com Amapá, cuja população aumentou 40,18% na década até 2010, para 668,7 mil pessoas, em relação a 2000. E também com Roraima, cuja população, de 451,2 mil pessoas em 2010, representou uma alta de 39,1% em relação a 2000.

(Agência Estado)

Traficantes fugiram do Complexo do Alemão pelo esgoto e com uniformes do PAC, diz delegado

RIO – O delegado titular da 14ª Delegacia de Polícia (Leblon), Fernando Veloso, que participa nesta segunda-feira, 29, das operações de busca a traficantes, drogas e armas no Complexo do Alemão, zona norte do Rio, afirmou que criminosos utilizaram a rede de esgoto e as galerias de águas pluviais como rotas de fuga. “A prova disso é que, após uma informação de um morador, prendemos oito criminosos em uma tubulação de esgoto na noite de ontem”, disse.

O delegado também contou que criminosos roubaram uniformes de funcionários das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal, e de concessionárias que atuam no conjunto de favelas, na Penha. A polícia ainda apreendeu, no início da tarde, três pistolas automáticas na Favela da Grota. Em outra localidade, um homem ainda não identificado foi preso.

Ontem, sete dias após o primeiro ataque da semana de terror no Rio, 2.700 homens das Polícias Civil, Militar e Federal e das Forças Armadas entraram no Complexo do Alemão. Não houve o combate que se esperava. Tampouco foram presos os chefes do tráfico da Vila Cruzeiro, Fabiano Atanazio, o FB, e do Alemão, Luciano Martiniano da Silva, o Pezão.

Rotina. Nesta segunda, os agentes do Exército continuam a revistar todos os moradores que entram e saem do complexo de favelas. Com clima calmo, o comércio reabriu e funciona normalmente. Os agentes encontram dificuldades em alguns pontos por causa de barricadas colocadas por traficantes em ruas e acessos. Ja Rua Joaquim Queiroz, na Favela da Grota, por exemplo, o asfalto foi danificado e há um vazamento de água, por onde carros não conseguem passar.

Funcionários de algumas obras do PAC também já voltaram ao trabalho, inclusive na contenção do vazamento no acesso ao Morro da Fazendinha. Em contraste com o clima de guerra, a Estrada de Itararé, antes tomada apenas por policiais, hoje tinha até congestionamento.

Em busca de drogas, policiais também estão vasculhando casas em busca de drogas e armamentos. Uma equipe de policiais do 1º BPM (Estácio) apreendeu em uma localidade conhecida como Zona do Medo, no alto do Morro da Fazendinha, seis fuzis, cinco granadas, quatro bombas de fabricação caseira e uma pistola. O armamento estava escondido sob folhas de bananeira.

Homens da Polícia Civil também apreenderam, na Rua Canitar, na Favela da Grota, 3 mil papelotes de cocaína e coletes a prova de balas. De acordo com os agentes, a droga estava próxima ao local onde eram realizados bailes funk patrocinados por traficantes de drogas.

Mas moradores reclamam da forma como os agentes trabalham e alguns, inclusive, falam de arrombamentos e saques. Um pedreiro de 47 anos saiu sábado às 17h de casa porque viu que a polícia ia invadir o morro, não queria ficar no meio do tiroteio e foi dormir na casa de um amigo.

Após a tomada do local pela polícia, ele resolveu voltar. Quando chegou em casa, viu que o local já tinha sido arrombada pela polícia e havia sumido seu computador. “Eles tinham que esperar o morador chegar antes de arrombar. Ainda estragaram minha porta de madeira novinha que eu tinha acabado de colocar”, reclama.

Hospitais. Todas as unidades de saúde estão funcionando regularmente na cidade nesta segunda-feira, inclusive nas regiões da Penha e Complexo do Alemão. Nestas locais e em alguns bairros da zona oeste, unidades chegaram a ser fechadas nos últimos dias por questões de segurança. No Alemão, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), na Estrada do Itararé, atende normalmente os casos de urgência e emergência dos moradores desde domingo, 28.

Entre quinta-feira, 25, e domingo, 28, a Central de Regulação municipal transferiu 31 pacientes do Hospital Estadual Getúlio Vargas para outras unidades com o objetivo de liberar leitos para possíveis feridos nos confrontos no Complexo do Alemão. No fim de semana, a Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil do Rio (SMSDC) disponibilizou um helicóptero para fazer transferências para hospitais especializados.

(Agência Estado)

Traficante Olho de Vidro morre no Complexo do Alemão no Rio

As Polícias Civil e Militar do Rio de Janeiro confirmaram, nesta segunda-feira, a morte do traficante Luis Carlos Nesse José, o Olho de Vidro, como era conhecido, chefe do comércio de entorpecentes da Favela da Mangueirinha e um dos bandidos mais procurados do Rio, foi morto neste domingo durante a incursão das forças de segurança no Complexo do Alemão.

A morte de Olho de Vidro, aconteceu na noite de domingo, durante confronto com policiais no Alemão. Policiais militares do 15º Batalhão e civis da 59ª DP, ambos em Duque de Caxias, na baixada fluminense, confirmaram a informação.

Violência
Os ataques tiveram início na tarde de domingo, dia 21, quando seis homens armados com fuzis abordaram três veículos por volta das 13h na Linha Vermelha, na altura da rodovia Washington Luis. Eles assaltaram os donos dos veículos e incendiaram dois destes carros, abandonando o terceiro. Enquanto fugia, o grupo atacou um carro oficial do Comando da Aeronáutica (Comaer).

Cartas divulgadas pela imprensa na segunda-feira levantaram a hipótese de que o ataque teria sido orquestrado por líderes de facções criminosas que estão no presídio federal de Catanduvas, no Paraná. O governo do Rio afirmou que há informações dos serviços de inteligência que levam a crer no plano de ataque, mas que não há nada confirmado.

Na terça, todo efetivo policial do Rio foi colocado nas ruas para combater os ataques e foi pedido o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para fiscalizar as estradas. Ao longo da semana, Marinha, Exército e Polícia Federal passaram a integrar as forças de segurança para combater a onda de violência.

Desde o início dos ataques, o governo do Estado transferiu 18 presidiários acusados de liderar a onda de ataques para o Presídio Federal de Catanduvas, no Paraná. Os traficantes Marcinho VP, Elias Maluco e mais onze presidiários que estavam na penitenciária de Catanduvas foram transferidos para o Presídio Federal de Porto Velho, em Rondônia.

Na quinta-feira, 200 policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) entraram na vila Cruzeiro, no Complexo da Penha. Muitos traficantes fugiram para o Complexo do Alemão. O sábado foi marcado pelo cerco ao Complexo do Alemão. À tarde, venceu o prazo dado pela Polícia Militar para os traficantes se entregarem. Dentre os poucos que se apresentaram, está Diego Raimundo da Silva dos Santos, conhecido como Mister M, que foi convencido pela mãe e por pastores a se entregar. Na manhã de domingo, as forças efetuaram a ocupação do complexo.

Desde o início dos ataques, até a incursão no Complexo do Alemão, no domingo, 28, pelo menos 38 pessoas morreram em confrontos no Rio de Janeiro e 181 veículos foram incendiados.

(Portal Terra)

Polícia carioca alerta Fortaleza, Natal e Salvador para fuga de traficantes

As polícias dos estados da Bahia, do Ceará e do Rio Grande do Norte devem redobrar as atenções para uma provável fuga dos chefes do tráfico de drogas para as capitais nordestinas. O alerta foi dado pela Polícia do Rio do Janeiro, depois que grande parte dos líderes de facções criminosas não foi localizada, após a ocupação do Complexo do Alemão, na manhã do domingo, 28.

”A tendência é estes criminosos virem para o Nordeste, porque eles não vão ter condição de enfrentar o poderio do Exército. Salvador, Fortaleza e Natal são as cidades preferidas pelos chefes do tráfico do Rio de Janeiro, que chegam e investem muito dinheiro”, alertou o advogado baiano e especialista em segurança pública, João Novais.

O delegado geral da Polícia Civil da Bahia, Joselito Bispo, assegurou, no entanto, que ”a Polícia baiana está preparada para adotar todas as medidas necessárias”.

(Blog do Eliomar)

Em 8 anos, programas de apoio ao trabalhador receberam mais de R$ 214 bi

De acordo com os dados, o valor foi direcionado aos programas de seguro-desemprego, abono salarial, intermediação de mão de obra, capacitação profissional e geração de renda.  

Valores encaminhados –  Para o abono salarial, foram disponibilizados R$ 36,5 bilhões, com mais de 97 milhões de trabalhadores beneficiados no período. Quanto ao seguro-desemprego, foram R$ 95,4 bilhões em recursos, com 48,5 milhões de beneficiários. 

“Isso dá uma média de 6 milhões de beneficiários por ano, justo no momento em que mais o trabalhador precisa: na hora da demissão. É o seguro-desemprego, que faz a manutenção do trabalhador no período em que ele está parado”, avaliou o secretário de Políticas Públicas de Emprego do MTE, Carlo Simi. 

Quanto à qualificação profissional, foi disponibilizado R$ 1,8 bilhão, atendendo a mais de 1,8 milhão de beneficiários. Para a intermediação de mão de obra, foram repassados R$ 1 bilhão, atendendo a 7,3 milhões de trabalhadores. 

Crise financeira – Simi disse ainda que as políticas de emprego, entre outros fatores, foram responsáveis por fazer com que o País gerasse postos de trabalho no momento em que o mundo passava por uma crise financeira. 

“No momento em que o mundo financeiro ficou sem saber o que fazer, o ministro [Carlos] Lupi colocou a proteção ao trabalhador como foco, a geração de empregos como prioridade e a defesa do salário como algo importante”, afirmou o secretário de Políticas Públicas de Emprego do MTE, Carlo Simi. 

Segundo o MTE, em 2009, o FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) foi um dos instrumentos do governo para conter a crise financeira internacional. Várias ações com recursos do FAT foram colocadas no mercado de trabalho para que se mantivessem e gerassem novos empregos. 

“Dizem por aí que o FAT é deficitário, mas o patrimônio do fundo aumentou significativamente nos últimos 8 anos, passando de R$ 108,2 bilhões em 2002 para R$ 167,5 bilhões em 2010”, finalizou. 

(Info Money)

Saiba quais são os 8 erros ao planejar a aposentadoria

Planos de previdência privada são uma alternativa para quem quer aplicar o dinheiro e ainda obter vantagens fiscais que outros investimentos não oferecem. É preciso tomar cuidado, no entanto, para que o benefício não se torne prejuízo na comparação com outras opções.

A vantagem tributária é um exemplo. Embora os bancos insistam em citá-la como “dedução” do Imposto de Renda, o que os planos com características de PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) possibilitam, na verdade, é o “diferimento” do IR — ou seja, o adiamento do imposto para o momento do saque/resgate das aplicações.

Seria como dizer: “Não pague agora, pague no futuro”. Ao adquirir um PGBL, o participante pode abater até 12% de sua renda anual tributável na declaração do IR, desde que contribua também para o INSS e faça a declaração optando pelas deduções legais (modelo completo).

Para usar o benefício já em 2011, a aplicação tem de ser feita até 30 de dezembro.

Dessa maneira, deixa de pagar parte do imposto devido num ano para pagá-lo em um futuro distante, ao sacar/resgatar a aplicação.

PGBL x VGBL

Se o participante aplicar via PGBL mais do que o equivalente a 12% de sua renda tributável, acabará pagando imposto duas vezes: uma na declaração (referente ao que exceder os 12%) e outra no momento do saque/resgate.

Nesses casos, o ideal é aplicar o que ultrapassar os 12% em um plano VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre), no qual o IR só incide sobre os rendimentos obtidos.

O mesmo vale para quem não tem renda tributável ou tenha vantagem ao declarar pelo modelo simplificado.

O adiamento do pagamento do IR com os planos PGBL traz duas vantagens. A primeira é que, no período de acumulação, o cliente ganha com o rendimento do valor referente aos 12% que, sem o PGBL, estaria com o fisco.

A outra é a possibilidade de reduzir o IR sobre a aplicação, dependendo do regime tributário escolhido: progressivo ou regressivo.

Essa redução pode ser extremamente vantajosa. Na tabela regressiva, por exemplo, pode-se trocar o IR de 27,5% pela alíquota de 10%.

“O PGBL pode se tornar um veículo de isenção total”, disse Renato Russo, vice-presidente da SulAmérica.

Para conseguir esse benefício, o cliente deve possuir algo com o qual nem sempre se pode contar: tempo.

Criada em 2005 com o objetivo de estimular a poupança de longo prazo, a tabela regressiva (veja à direita) reduz o IR proporcionalmente ao prazo de acumulação.

“Temos aqui um benefício fiscal notável, a alíquota de 10% do IR”, diz Aura Rebelo, diretora da Icatu Seguros.

Já no modelo progressivo, o cliente invariavelmente pagará 15% de IR ao resgatar os recursos, seja ele detentor de um PGBL ou de um VGBL.

O imposto é recolhido automaticamente no momento do resgate e, depois, na hora de acertar as contas com o leão, na Declaração de Ajuste Anual, é que o cliente saberá se vai pagar mais (por estar em uma faixa de tributação superior aos 15%) ou se vai receber alguma restituição (por estar abaixo de 15%).

QUAL É MELHOR?

Como a escolha do modelo tributário cabe ao cliente, é óbvio, portanto, que as pessoas optem sempre pela tabela regressiva? A resposta é “não”. Muitas vezes, dependendo da aplicação, a melhor opção é a progressiva.

“Alguém que tirou um período sabático ou mesmo esteja desempregado em determinado ano e precise resgatar uma parte ou a totalidade de seus recursos em previdência pode até receber de volta parte do IR pago, dependendo das demais fontes de renda”, diz o superintendente comercial da Brasilprev, João Batista Angelo.

Além disso, nem sempre as pessoas podem contar com o tempo a seu favor.

O designer gráfico Jorge Amaral se encaixa no segundo exemplo. Diante de uma oferta irrecusável para quitar a dívida de um apartamento, não viu outra alternativa que não o resgate da previdência.

“Como o modelo era o regressivo, acabei pagando uma fortuna de IR, pois o dinheiro estava aplicado no plano havia pouco tempo.”

(Folha Online)

Pablo Picasso: Coleção com 271 quadros do pintor é descoberta na França

Pablo Picasso

Uma coleção de 271 obras do pintor espanhol Pablo Picasso, até então desconhecidas, foram descobertas quando um eletricista francês aposentado tentou obter os certificados de autenticidade dos herdeiros do artista, segundo revela nesta segunda-feira o jornal “Libération”.

As obras são do início do século passado e estão estimadas em cerca de 60 milhões de euros (R$ 137,2 milhões), acrescenta o jornal.

Entre as obras descobertas estão algumas pouco comuns, como nove “collages cubistas” pintadas no início dos anos 1920, um período no qual muitas das obras do artista acabaram se perdendo.

Há também uma aquarela da fase azul, estudos pintados sobre tela e cerca de 200 desenhos.

A extraordinária descoberta aconteceu depois que o eletricista aposentado Pierre Le Guennec entrou em contato com Claude Picasso, filho do pintor espanhol e encarregado de administrar sua obra.

Segundo o “Libération”, em janeiro Le Guennec enviou fotos dos quadros para que fossem autenticadas como obras de Picasso, mas diante da recusa do herdeiro de dar seu aval sem ver os originais, o eletricista foi ao escritório de Claude em setembro.

Acompanhado por sua mulher, o homem, que vive em Côte d’Azur, mostrou as 175 obras inéditas, entre elas dois cadernos que contêm um total de 97 desenhos.

Após comprovar que não se tratava de falsificações, o herdeiro se perguntou como haviam chegado nas mãos de Le Guennec e dias depois apresentou uma denúncia à brigada especializada em obras de arte para evitar perder a coleção.

Os agentes atuaram com rapidez, abriram uma investigação e confiscaram as obras, que estão guardadas nos arredores de Paris.

Segundo o jornal, Le Guennec declarou à Polícia ter trabalhado como eletricista de Picasso nas diferentes residências que o pintor teve em Côte d’Azur, e afirmou que foi o artista e sua esposa Jacqueline que lhe deram as obras.

No entanto, em declarações ao “Libération”, Claude disse considerar a versão do aposentado sem fundamento, visto que seu pai não tinha o costume de dar presentes em bloco e, quando o fazia, sempre buscava registrar a doação.

“É certo que Pablo Picasso era bastante generoso. Mas datava, assinava e dedicava sempre suas doações, porque sabia que poderiam ser vendidas em momentos de dificuldades”, assegurou.

Além disso, o advogado de Claude acrescentou que nunca ninguém recebeu das mãos de Picasso um presente tão importante.

Por fim, o “Libération” questiona se o eletricista não esperou tantos anos para trazer as obras à tona como forma de se beneficiar da prescrição de um suposto crime de roubo.

//

Uece realiza vestibular 2011.1 no próximo domingo, dia 05

A Universidade Estadual do Ceará (Uece) realiza no próximo domingo, dia 5, a primeira fase do vestibular 2011.1. A prova será de conhecimentos gerais de múltipla escolha, com duração de quatro horas, com início às 9h.

 Neste Vestibular foram oferecidas 2.225 vagas, sendo 1.390 para os cursos da Capital e 835 vagas para as seis unidades no interior do Estado.

A segunda fase será nos dias 19 e 20 de dezembro.

(O Povo Online)

Zeu: Traficante condenado por morte do jornalista Tim Lopes se entrega a polícia

Rio – Foi preso na tarde deste domingo no complexo do Alemão o traficante Elizeu Felício de Souza, o Zeu, condenado pela morte do jornalista Tim Lopes, em 2002. Segundo a polícia, ele se rendeu em sua casa às forças de segurança que ocupam o conjunto de favelas. Zeu estava foragido desde 2007, quando recebeu o benefício do regime semiaberto.

Zeu, que não estava armado no momento da prisão, era um dos criminosos mais procurados pela polícia do Rio, com recompensa de R$ 10 mil para informações que levassem à sua recaptura.

Foi preso na operação no Alemão o traficante Elizeu Felício de Souza, o Zeu. Foto: Reinaldo Marques/Terra

Os ataques tiveram início na tarde de domingo, dia 21, quando seis homens armados com fuzis abordaram três veículos por volta das 13h na Linha Vermelha, na altura da rodovia Washington Luis. Eles assaltaram os donos dos veículos e incendiaram dois destes carros, abandonando o terceiro. Enquanto fugia, o grupo atacou um carro oficial do Comando da Aeronáutica (Comaer).

Cartas divulgadas pela imprensa na segunda-feira levantaram a hipótese de que o ataque teria sido orquestrado por líderes de facções criminosas que estão no presídio federal de Catanduvas, no Paraná. O governo do Rio afirmou que há informações dos serviços de inteligência que levam a crer no plano de ataque, mas que não há nada confirmado.

Na terça, todo efetivo policial do Rio foi colocado nas ruas para combater os ataques e foi pedido o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para fiscalizar as estradas. Ao longo da semana, Marinha, Exército e Polícia Federal passaram a integrar as forças de segurança para combater a onda de violência.

Desde o início dos ataques, o governo do Estado transferiu 18 presidiários acusados de liderar a onda de ataques para o Presídio Federal de Catanduvas, no Paraná. Os traficantes Marcinho VP, Elias Maluco e mais onze presidiários que estavam na penitenciária de Catanduvas foram transferidos para o Presídio Federal de Porto Velho, em Rondônia.

Na quinta-feira, 200 policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) entraram na vila Cruzeiro, no Complexo da Penha. Muitos traficantes fugiram para o Complexo do Alemão. O sábado foi marcado pelo cerco ao Complexo do Alemão. À tarde, venceu o prazo dado pela Polícia Militar para os traficantes se entregarem. Dentre os poucos que se apresentaram, está Diego Raimundo da Silva dos Santos, conhecido como Mister M, que foi convencido pela mãe e por pastores a se entregar. Na manhã de domingo, as forças efetuaram a ocupação do complexo.

Desde o início dos ataques, pelo menos 38 pessoas morreram em confrontos no Rio de Janeiro e 181 veículos foram incendiados.

(JB Online)

Ceará empata com Atlético-PR e garante vaga na Copa Sul-Americana

O Vozão encarou a equipe do Atlético-PR na tarde deste domingão no Estádio Castelão, em Fortaleza, num jogo válido pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro de 2010. O time cearense queria a vitória para garantir sua vaga na Sul-Americana do ano que vem, já o Atlético-PR lutava pela vitória visando uma vaga na Libertadores.

O JOGO

O primeiro tempo no Castelão foi praticamente todo dominado pelo Atlético-PR, que tentava se manter vivo na disputa pela última vaga na Libertadores. O Furacão foi com tudo ao campo de ataque, mas deixou espaços para o Vozão encaixar o contra-ataque, e o time cearense quase abriu o placar aos 17 minutos, quando Magno Alves chutou de fora da área e a bola passou muito perto da meta de Neto e foi pela linha de fundo.

O placar foi aberto aos 36 minutos da primeira etapa. Paulinho cobrou falta da direita para dentro da área e zagueiro Rafael Santos, de cabeça, emendou para as redes. 1 a 0 Furacão. O empate cearense também saiu no primeiro tempo. Aos 44 minutos, o atacante Magno Alves tabelou com seu companheiro Marcelo Nicácio e chutou. A redonda ainda desviou no zagueiro Manoel e enganou o goleirão Neto. 1 a 1 no Castelão.

Logo no início do segundo tempo, o Atlético-PR voltou à ficar em vantagem. Mas era no número de jogadores em campo. O motivo da expulsão é que Diego Sacoman cometeu falta em Guerrón e, como já tinha um cartão, recebeu o segundo e foi para o chuveiro mais cedo. O Atlético mantinha o ritmo do primeiro tempo e continuava atacando o Ceará. Aos 11, Branquinho chutou e o goleiro do time cearense evitou o gol. Três minutos depois, foi a vez de Guerrón parar no arqueiro do Vozão.

Antes do término da partida, o Ceará ainda teve mais duas chances. Aos 23, quando o zagueiro Erivelton aproveitou cobrança de escanteio e cabeceou para excelente defesa de Neto. Dois minutos depois, Magno Alves chutou forte e carimbou o travessão do goleiro paranaense. Após isso, fim de jogo. Ceará 1×1 Atlético.

FICHA TÉCNICA
CEARÁ 1×1 ATLÉTICO-PR

Competição: Campeonato Brasileiro – Série A
Local: Estádio do Castelão, em Fortaleza-CE
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira-SP
Auxiliares: Ednílson Corona (FIFA/SP) e João Bourgalber Nobre Chaves-SP
Cartões amarelos: Geraldo (Ceará); Guerrón, Deivid (Atlético-PR)
Cartão vermelho: Diego Sacoman (Ceará)
Gols: Magno Alves 44’/1T (Ceará); Rafael Santos 36’/1T (Atlético-PR)

Ceará
Michel Alves; Fabrício, Erivélton e Diego Sacoman; Boiadeiro (Luizinho), Michel, Careca, Geraldo e Eusébio (Reina); Magno Alves e Marcelo Nicácio (Camilo).
Técnico: Dimas Filgueiras.

Atlético-PR
Neto; Wágner Diniz (Marcelo), Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Vítor (Netinho), Deivid (Clayton)e Branquinho; Maikon Leite, Guerrón e Bruno Mineiro.
Técnico: Sérgio Soares

(Futnet)

Fluminense vira sobre o Palmeiras e fica perto do título do Brasileirão 2010

Barueri (SP) – O Fluminense conquistou uma vitória de virada, neste domingo, para garantir sua permanência na liderança do Campeonato Brasileiro. Diante de um Palmeiras bastante pressionado e pouco criativo, o Tricolor carioca venceu por 2 a 1, com o apoio da torcida alviverde, que compareceu em minoria na Arena Barueri e pressionou bastante o time de Luiz Felipe Scolari.

Em um jogo atípico pelo comportamento das arquibancadas, Dinei abriu o placar para o Verdão e foi bastante vaiado pelos palmeirenses, que não queriam a vitória do time, já que seria benéfica para o rival Corinthians. Ainda no primeiro tempo, Carlinhos empatou o jogo e viu a comemoração do estádio inteiro. Deola, autor de várias defesas difíceis na partida, virou o alvo de xingamentos e até de copo de água da torcida alviverde.

No segundo tempo, diante de um adversário desorganizado, o Fluminense virou o placar. Tartá pegou um rebote de Deola e, sem ser incomodado pela zaga, mandou para as redes.

Com o placar, o Fluminense se manteve na liderança, com 68 pontos, seguido de perto pelo Corinthians, com 67. Na última rodada do Brasileirão, o time de Muricy Ramalho enfrentará o Guarani, no Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ) domingo. Já o Palmeiras se despede do campeonato diante do Cruzeiro, em Minas Gerais. Para ser campeão os tricolores dependem de um simples triunfo sobre o Bugre.

A hostilidade da torcida do Palmeiras não impediu o time alviverde de abrir o placar logo no primeiro lance do jogo, aos três minutos. Leandro Euzébio errou na saída de bola e deu um presente para Dinei, que apareceu em diagonal pela meia-direita e soltou um belo chute para abrir o placar, sem dar qualquer chance de defesa a Ricardo Berna.

Depois do gol, a própria torcida alviverde xingou o autor do gol e entoou gritos de “vergonha, vergonha”. O Fluminense, por sua vez, precisou de alguns minutos ainda para diminuir o nervosismo e conseguir trocar passes na frente. Aos poucos, o time carioca passou a aproveitar os espaços da defesa palmeirense.

Deola, então, se destacou com defesas importantes, virando o novo alvo da torcida. O arqueiro interceptou chute de Conca e foi bastante xingado pelos palmeirenses. Em cobrança de falta do argentino, Emerson cabeceou no travessão. Pouco depois, Deco desperdiçou boa chance na área Acuado na defesa, o Verdão pouco criava na frente, com seus atacantes apagados e o meio-campo improdutivo. A torcida da casa, por sua vez, chegou a arremessar um copo de água em direção ao gol de Deola.

Melhor em campo, o Fluminense abriu o placar, aos 18 minutos. Carlinhos encarou a marcação pela direita e bateu com classe, no ângulo para balançar as redes. A torcida do Palmeiras vibrou bastante com o gol, e a do Fluminense fez festa na arquibancada.

E o time visitante quase virou logo em seguida. Em cobrança de falta ensaiada, Fred chutou forte e viu a bola parar no peito de Deola, que, no lance seguinte, espalmou de forma impressionante batida de Emerson. Com a zaga palmeirense em dificuldades, Conca também só parou no goleiro.

Aos 31 minutos, o tão esperado ‘quadrado mágico’ do Fluminense foi desfeito, em função das dores na coxa de Deco, substituído por Tartá. O time visitante seguiu com o domínio da partida, mas não voltou a balançar as redes até o fim do primeiro tempo. Já o Palmeiras, que só deu mais um chute no gol, com Gabriel Silva, saiu bastante xingado de campo. Torcedores próximos à saída para os vestiários protestaram bastante, principalmente contra Deola.

No segundo tempo, o Palmeiras voltou com Fernando na vaga de Marcos Assunção, mas o panorama do jogo não mudou, com o Tricolor pressionando. Fred, inclusive, recebeu completamente livre na área e chutou por cima do gol, desperdiçando chance incrível.

Desta forma, aos 12 minutos, o Fluminense virou o placar. Emerson fez jogada pela esquerda e bateu, exigindo defesa de Deola. No rebote, Tartá dominou com tranquilidade na área e, livre, bateu no canto para balançar as redes.

Depois do gol, o Fluminense ainda fez novo avanço, mas passou a administrar o resultado, enquanto o Palmeiras pouco avançava. Nos minutos finais, o jogo ficou concentrado no meio-campo, sem avanços dos dois lados.

As duas equipes voltam a campo no próximo domingo, às 17h(de Brasília). O Fluminense recebe o Guarani no Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ). Já o Palmeiras visita o Cruzeiro na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG).

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS-SP 1 X 2 FLUMINENSE-RJ

Local: Arena Barueri, em Barueri (SP)
Data: 28 de junho de 2010 (Domingo)
Horário: 17h(de Brasília)
Árbitro: Wilton Sampaio (DF)
Assistentes: Marrubson Freitas (DF) e Cesar Vaz (DF)
Renda: R$ 393.596,00
Público: 11.291 pagantes
Cartões amarelos: Pierre e Luan (Palmeiras) e Tartá (Fluminense)
Gols:
PALMEIRAS: Dinei aos 3 minutos do 1º Tempo
FLUMINENSE: Carlinhos aos 18 minutos do 1º Tempo e Tartá aos 12 minutos do 2º Tempo

PALMEIRAS: Deola, Márcio Araújo, Maurício Ramos, Leandro Amaro e Gabriel Silva; Pierre, Marcos Assunção (Fernando) e Tinga; Luan (Lenny), Dinei (Vinícius) e Kleber
Técnico: Luiz Felipe Scolari
FLUMINENSE: Ricardo Berna, Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Valencia, Diguinho, Deco (Tartá) e Darío Conca; Emerson (Rodriguinho) e Fred
Técnico: Muricy Ramalho

(Superesportes)

Veja os números da Megaoperação Policial no Conjunto de Favelas do Alemão

A Polícia Militar informou, por volta das 18h30 deste domingo (28), que doze pessoas foram presas por envolvimento com o tráfico de drogas no Rio. Nove criminosos foram detidos no Conjunto de Favelas do Alemão, na Zona Norte, e outros três – conhecidos como Lambari, Tomate e Sandra Sapatão – no Jacarezinho, no subúrbio. Esses três seriam, respectivamente, pela ordem, as três pessoas mais importantes na hierarquia do tráfico do Jacarezinho. Os presos ficarão no 16º BPM (Olaria). Para lá, também foi levada grande quantidade de drogas, armas e motos apreendidas.

150 kg de cocaína
Parte das drogas e armas apreendidas no Alemão foi levada para a Coordendoria de Recursos Especiais (Core), a tropa de elite da Polícia Civil, nesta noite. Entre o material, há 150 kg de cocaína, três toneladas de maconha, 500 frascos de lança-perfume e de 8 a 10kg de crack. Outras seis toneladas também vão ser levadas para a Core ainda neste domingo.

Segundo a Core, a cocaína foi avaliada em R$ 500 mil.

O material recolhido pela Polícia Militar durante as incursões deste domingo no conjunto de favelas do Alemão, foi levado para o 16º BPM (Olaria), responsável pela área. Entre o armamento encontrado há pelo menos 20 fuzis, 6 submetralhadoras, 4 espingardas, 4 metralhadoras calibre ponto 30, 4 carabinas calibre 12, 9 pistolas, um revólver, 8 granadas de mão e 13 granadas de bocal, que podem ser acopladas ao fuzil para o lançamento.

Além disso, os policiais militares de diferentes batalhões disseram ter apreendido cinco prensas para prensar maconha, uma máquina de corte para cortar a maconha em tablete, uma máquina para embalar a droga a vácuo, dois liquidificadores industriais, usados na mistura da cocaína, 20 coletes à prova de bala e rádios. Havia também maconha, cocaína e crack e munições de diversos calibres.

A Companhia de Cães da Polícia Militar participou de algumas ações no morro e, dentro de um bueiro, os cachorros acharam 4.200 munições, dois fuzis calibre 762, 9 pistolas e 1 granada de bocal. Ali perto, também acharam uma submetralhadora, 970 sacolés de cocaína, material de embalo de droga, 100 carregadores de fuzil e 20 de pistola. 

Motos
Aproximadamente 50 motos apreendidas na operação já foram transportadas ao 16º BPM (Olaria) na tarde deste domingo. Os veículos foram encontrados em diversos pontos da região. Um reboque do Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi acionado para levar as motos ao Batalhão.

Mortos
Três pessoas chegaram mortas no Hospital Getúlio Vargas, na Penha, na Zona Norte do Rio, após os conflitos no Alemão. Um dos mortos foi ferido durante uma troca de tiros com a polícia por volta das 11h40. Os outros dois chegaram ao hospital durante a tarde. A informação é da Secretaria Estadual de Saúde.

(Portal G1)

Vitinho: Polícia prende o gerente do tráfico do Complexo do Alemão

A polícia prendeu, na tarde deste domingo, o gerente do tráfico do Complexo de favelas do Alemão. Vitor Roberto da Silva Leite, de 27 anos, conhecido como Vitinho, teria fugido do Alemão no sábado, vestindo um uniforme de agente de endemias da Prefeitura.

A polícia prendeu também outros dois traficantes, Emerson Ventrapane da Silva, o Mão, e um outro conhecido como Filé.

Mais cedo o traficante Elizeu Felício de Souza, o Zeu, um dos criminosos condenados pelo assassinato do jornalista Tim Lopes, da TV Globo, em 2002, também foi preso. Segundo o tenente-coronel Marcos Neto, comandante do 17.º Batalhão de Polícia Militar (Ilha do Governador), Zeu foi detido em sua casa desarmado. Ele havia fugido da prisão depois de receber um indulto para visitar familiares.

Do Estado de Minas

Gurpo Accor quer construir 30 hotéis no Nordeste em cinco anos

A rede mundial de hotéis Accor anunciou ontem, em Fortaleza, a intenção de instalar 100 hotéis em todo o Brasil, nos próximos cinco anos, com foco em cidades interioranas de 100 a 500 mil habitantes. Somente no Nordeste existe a meta de construir 30 unidades. O Ceará está incluído na proposta.

De acordo com a Accor, os hotéis são da marca Formule 1. Os investimentos devem chegar a R$ 500 milhões.

Cada unidade custa entre R$ 4 e 6 milhões, conforme a rede, e teriam de 66 a 100 quartos.

No Ceará estariam dentro do pacote de hotéis os municípios de Sobral, Crato e Maracanaú. Também faz parte dos planos, ainda, a praia do Pecém, em São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana de Fortaleza.

A Accor quer trabalhar com o sistema de franquias. Cada franquiado assumiria um pacote com cinco hotéis. A rede assegura que é possível construir e implementar cada unidade em sete meses – ou até menos tempo, já que parte da edificação é feita com material pré-fabricado.

O público-alvo é o usuário que viaja a trabalho e procura um bom hotel, mas com baixo custo. As unidades seriam de duas estrelas – cada um com 12 metros quadrados. Cada quarto tem ar-condicionado e TV a cabo, por exemplo, mas os hotéis não possuem serviços como restaurante ou mensageiro, embora haja a opção de café da manhã.

Além da rede de novos hotéis Formule 1, no Interior do Ceará, a Accor também tem planos para Fortaleza. Hoje a empresa tem somente dois hotéis na Capital – o Ibis e o Mercure. A rede quer instalar em Fortaleza um Formule 1 próximo à avenida Monsenhor Tabosa, em fase avançada de negociações, e ainda outros projetos na área nobre.

7 MESES

é o prazo em que a rede mundial de hotéis Accor prevê construir uma unidade.

(O Povo Online)

Ocupação no Complexo do Alemão põe fim a décadas de domínio do tráfico de drogas

Agência EFE

Rio de Janeiro, 28 nov (EFE).- Uma operação das polícias militar, civil e federal e de homens das Forças Armadas pôs fim neste domingo ao domínio de traficantes no Complexo do Alemão, que quase não ofereceram resistência à ocupação.

A operação contou com blindados e helicópteros e começou por volta das 8h da manhã. Menos de duas horas depois, o comandante-geral da Polícia Militar (PM), coronel Mário Sérgio Duarte, já comemorava o sucesso da ação policial.

“Vencemos. Trouxemos a liberdade à população do Alemão”, disse o comandante, quem ressaltou que, apesar de uma troca de tiros, os traficantes não ofereceram a resistência que eles esperavam.

As operações da Polícia e das Forças Armadas tiveram início na última quinta-feira, com a ocupação da Vila Cruzeiro, na Penha. Com o domínio da favela por policiais e militares, os criminosos abrigaram-se no vizinho Complexo do Alemão.

Blindados Mowag Piranha, da Marinha, e tanques Urutu, do Exército, encarregaram-se de abrir caminho para policiais e militares que tomaram o enorme complexo formado por 15 favelas.

Durante a troca de tiros, um homem que atirou contra os policiais morreu. Com isso, sobe para 36 o número de vítimas fatais das operações policiais no Rio, em sua maioria traficantes.

Após a tomada do Complexo do Alemão, os policiais e militares, apoiados por helicópteros de artilharia, iniciaram uma operação de busca pelos criminosos e por armas e drogas.

Vários criminosos já foram presos e a Polícia apreendeu grandes quantidades de drogas, armas e munição.

Entre os detidos neste domingo está Eliseu Felício de Souza, o “Zeu”, condenado a 23 anos de prisão por ser um dos assassinos do jornalista Tim Lopes, que foi torturado e morto por traficantes em junho de 2002.

Os policiais também descobriram uma mansão construída pelo chefe do tráfico no Alemão, Luciano Martiniano da Silva, conhecido como “Pezão”.

A luxuosa casa, que tem três andares, ar-condicionado central, piscina, banheira de hidromassagem, sauna e uma discoteca privada, estava vazia no momento em que foi ocupada por agentes da Polícia.

Cinco horas após o início da operação, quando o controle da área já estava assegurado, os policiais içaram as bandeiras do Brasil e do Rio de Janeiro sobre a torre de um teleférico em construção para simbolizar a chegada do poder do Estado ao local.

“É um ato simbólico, um primeiro passo”, disse a jornalistas o delegado Rodrigo Oliveira, subchefe da Polícia Civil.

O coronel Duarte ressaltou que apesar de as autoridades terem tomado rapidamente o controle do conjunto de favelas, a operação no Alemão pode durar meses.

Daniel Maia: Piloto da Fórmula V morre em colisão no autódromo do Eusébio

Piloto Daniel Maia

O piloto Daniel Maia, 38 anos, da Fórmula V, morreu após o carro em que estava colidir contra o muro do autódromo Virgílio Távora, no Eusébio (Região Metropolitana de Fortaleza), no fim da manhã da manhã deste domingo, 28.

Daniel fazia uma curva quando perdeu o controledo veículo e bateu na mureta de proteção. O piloto ainda foi socorrido para o Hospital de Messejana, mas não resistiu. A causa do acidente será investigada.

 O corpo do piloto será sepultado na manhã desta segunda-feira, 29, às 11 horas, no cemitério Parque da Paz.

(O Povo Online)

A partir deste domingo, antibióticos só serão vendidos com receita médica

 A venda sem controle de antibióticos está chegando ao fim. Pelo menos é isso que pretende a resolução n° 44 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O texto determina que amanhã as farmácias só poderão vender qualquer uma das 93 substâncias antimicrobianas registradas no Brasil mediante apresentação de receita. A medida pretende ampliar o controle sobre a venda e contribuir para a redução da resistência bacteriana. 

“Quando se usa muito um antimicrobiano, ele elimina as bactérias sensíveis e as deixaresistentes, que eram minoria e passam a ser majoritárias. Quanto mais uso, mais rápido o fenômeno de resistência, o que deixa medicação sem utilidade”, explica o infectologista e presidente da Sociedade Cearense de Infectologia, Roberto da Justa Pires Neto. Assim, surgem bactérias multirresistentes, como a chamada superbactéria, a Klebsiella pneumoniae carbapenemase, que se desenvolve em ambientes hospitalares.

Além do desenvolvimento de resistência, o uso sem controle de antibióticos pode provocar efeitos colaterais. “Essa é uma resolução necessária e muito bem-vinda. Os antibióticos trouxeram benefícios enormes para a humanidade, entretanto, o uso incorreto pode trazer mais prejuízos do que benefícios”, frisa o médico, que lembra que muitas pessoas usam antibióticos quando estão gripadas, sendo que gripes são processos virais.

A preocupação de farmacêuticos ouvidos pelo O POVO é com o acesso dos pacientes ao atendimento médico, já que apenas médicos e odontólogos podem prescrever antibióticos. “Às vezes, as pessoas têm dificuldade de marcar consulta, principalmente os mais carentes”, diz Aline Leal de Magalhães, que trabalha em uma farmácia na avenida Duque de Caxias. Apesar disso, a farmacêutica apoia a resolução. “É necessária porque as pessoas usam antibióticos sem saber”, lembra.

Para a presidente do Conselho Regional de Farmácia (CRF-CE), Lúcia Sales, a aplicabilidade da norma se complica quando o assunto é o atendimento médico. “A resolução é uma medida sanitária correta, só teria que ter sido antecipada pela implementação de serviço de saúde à população”, afirma. Além de haver dificuldade de acesso ao atendimento médico, Fernando Alves de Souza, farmacêutico de um estabelecimento na avenida Tristão Gonçalves, lembra que deverá ser feito um “trabalho educativo” com a população, já que a compra sem receita se tornou um hábito.

Por quê

ENTENDA A NOTÍCIA
Como apenas médicos e odontólogos podem prescrever o uso, a demanda por consultas médicas deve aumentar. A Anvisa quer reduzir a automedicação e retardar o processo de resistência das bactérias.

SAIBA MAIS

O consumidor só poderá adquirir antibiótico apresentando duas vias de receita de controle especial. Uma ficará com a farmácia e a outra será devolvida com comprovante da compra.

As receitas passarão a ter 10 dias de validade.

A resolução da Anvisa determina ainda que, na tarja vermelha dos antibióticos deverá constar o texto; “Venda Sob Prescrição Médica – Só Pode ser Vendido com Retenção da Receita”.

Desde a publicação da norma, as empresas têm 180 dias para fazer as adequações.  

Mariana Lazari – O Povo Online

Polícia acha objetos de luxo em casa de mulher do traficante Polehar que foi presa na Barra

Policiais encontraram uma série de objetos de luxo na casa da mulher do traficante Alexander Mendes da Silva, o Polegar, apontado como chefe do tráfico de drogas no Morro da Mangueira. Ela  foi presa na manhã deste sábado (27) na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Entre os objetos havia uma geladeira avaliada em cerca de R$ 10 mil, vários computadores, laptops, TVs de plasma e outros eletrodomésticos caros.

De acordo com o chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Allan Turnowski, ela é a sexta mulher de traficante a ser presa em operação que visa “sufocar” o tráfico.

“Já prendemos a mulher do Marcinho VP, do Elias Maluco, do Isaías do Borel e a do Polegar”, enumerou Turnowski. “A mulher do Dinho Porquinho já é considerada foragida da Justiça”, acrescentou.

“Estamos fazendo a busca do dinheiro do tráfico para enfraquecer o tráfico. Sem arma e sem dinheiro é a falência do tráfico”, avaliou o Chefe da Polícia Civil.

Segundo Turnowski, a lavagem do dinheiro do tráfico é feita geralmente por parentes de traficantes. “Esse dinheiro ilícito é repassado para família. Geralmente, em visitas íntimas essas mulheres são usadas como pombo-correio do tráfico”, afirmou.

De acordo com o delegado titular da 9ª DP (Catete), Alan Luxardo, o pai da mulher de Polegar – sogro do traficante – e a tia dela também foram presos durante a ação deste sábado, que visa desarticular o tráfico.

“Foi encontrado farto material de associação ao tráfico”, disse o delegado, acrescentando que ela é suspeita de lavagem de dinheiro e tráfico de drogas e foi presa nesta manhã em um condomínio do bairro.

Condenado a 22 anos por tráfico e associação para o tráfico, Polegar obteve o benefício para o regime aberto após cumprir um sexto da pena. Saiu em setembro de 2009 da cadeia pela porta da frente e não voltou mais.

Na noite de sexta-feira (26), a Polícia Civil prendeu Márcia Gama Nepomuceno, mulher do traficante Márcio Nepomuceno, o Marcinho VP. O criminoso é chefe da facção criminosa que, segundo a polícia, deu ordens para os ataques orquestrados no Rio de Janeiro.

(Portal  G1)

Polícia dá ultimato a traficantes no conjunto de favelas do Rio. Criminosos são presos ao tentar fugir

Cerca de dez veículos blindados entraram em alta velocidade no Conjunto de Favelas do Alemão, na Penha, na Zona Norte do Rio, no fim da tarde deste sábado (27). A Estrada do Itararé, um dos acessos à comunidade, foi fechada pela Polícia Militar por volta das 18h15, de forma que somente policiais têm autorização para circular na área.

Segundo o coronel Lima Castro, relações públicas da PM, o prazo para que os criminosos se entreguem termina no fim do dia, “assim que o sol se pôr”.

A entrada acontece um dia depois do cerco ao local por mais de 800 homens da polícia e do Exército. Foi para lá que mais de cem criminosos fugiram após a ocupação da Vila Cruzeiro, na quinta-feira (25).

No começo da noite, homens da PM em moto entraram em alta velocidade na favela. O clima de tensão aumentava conforme a noite se aproximava.

Por volta das 17h25, recomeçou o tiroteio na comunidade e, um pouco antes, um helicóptero da Polícia CIvil foi alvo de tiros dos criminosos. No entorno, a movimentação de carros da polícia é grande.

No fim da tarde, um incêndio atingiu uma lanchonete num dos acessos ao morro. Um homem foi retirado da lanchonete inconsciente pelo Corpo de Bombeiros. O clima no fim da tarde era de tensão, com moradores correndo pela favela.

(Portal G1)

Mãe conta como convenceu o traficante Mister M a se entregar

Foi com  frases doces e preocupação de uma mãe zelosa que Nilsa Maria dos Santos, de 53 anos, conseguiu convencer o filho Diego Raimundo Silva Santos, o Mister M, de 25 anos, a se entregar à polícia, na tarde deste sábado (27), no Rio. O traficante, também conhecido como 50 – por ser fã do cantor americando  Fifty Cent – era o segurança e braço direito de Pezão,  o chefe do tráfico do conjunto de favelas do Alemão, na Zona Norte do Rio.

Mister M se entrega na 6ª DP (Foto: Alba Valéria Mendonça/ G1)

“Disse pra ele: Diego vamos para casa com a mamãe. E ele respondeu: ‘Não, mãe. Se ficar em casa, eles vão me  prender’. E eu disse: então vai comigo e seu irmão que é cristão que eu vou te apresentar na delegacia. Ele aceitou”, contou dona Nilsa,  mãe de dez filhos e que trabalha num trailer vendendo comida na Vila da Penha, no subúrbio do Rio.

Ela contou que nunca aceitou a entrada do filho no crime e que vivia tentando convencê-lo a mudar de vida. Disse que foi até a casa do filho, na favela da Grota, no Alemão, e desceu com ele pela Rua Joaquim de Queiróz, onde a polícia montou uma base para que traficantes se entreguem. Mas ela não parou lá.

Anos atrás, Diego e alguns dos irmãos integraram o programa social Pró-Jovem, que tinha o delegado Luiz Fernando como um dos coordenadores. Ela procurou o delegado, que é adjunto na  6ª DP (Cidade Nova), mas que estava baseado na 22ª DP (Penha) e combinou a rendição do filho. Diego se apresentou na 6ª DP.

‘Nunca aceitei isso’
“Nenhum dos meus filhos seguiu esse caminho. Nunca aceitei isso”, disse ela, acrescentando que tem filho pastor evangélico, estudante, motorista e o mais novo é jogador de futebol do juniores do Vasco da Gama.

Como cristã, ela disse que agradece a Deus a oportunidade de ter conseguido entregar o filho com vida à polícia e que tem certeza que de agora em diante, tanto ela quanto os irmãos e até mesmo Diego estão começando uma vida nova.

Para as mães de outros traficantes, ela deixa uma mensagem: “Agora estou feliz. Para os outros, aconselho que se convertam, que larguem isso porque contra a força de Deus não há resistência. Agradeço a Deus, em nome de Jesus,  eu consegui. Orei muito. Prefiro vê-lo agora preso. Sei que ele vai sair convertido”, disse dona Nilsa, acrescentando que Diego estava dentro da casa dele, na favela da Grota, no Alemão, dormindo quando ela foi até lá convencê-lo a se entregar.

(Portal G1)

Mister M é primeiro traficante do alto escalão a se entregar para polícia

O suposto traficante Diego Raimundo da Silva dos Santos, conhecido como Mister M, foi o primeiro integrante do alto escalão do tráfico de drogas a se entregar à polícia durante a tarde deste sábado (27), no complexo do Alemão, na zona norte do Rio. Segundo a Polícia Civil, ele é auxiliar direto de Luciano Martiniano da Silva, o Pezão, um dos líderes do tráfico de drogas na comunidade.

Santos se entregou aos policiais que cercam o complexo do Alemão, segundo a polícia. Embora tenha se entregado, Mister M não seguiu a conduta orientada pelo comando da PM de se apresentar ao posto instalado pela polícia em um dos acessos ao complexo, com a arma erguida acima da cabeça, diz a corporação.

“Por enquanto, nenhum criminoso se entregou dessa forma”, afirmou o comandandante do Batalhão de Choque da PM, Waldir Soares Filho. “Se eles não se entragarem, vai haver enfrentamento”, completou.

Segundo a PM, outras oito pessoas já foram detidas quando tentavam passar pelo cerco do complexo. Os policiais suspeitaram delas e as levaram à delegacia para averiguação.

A polícia aguarda negociação feita pelo coordenador da ONG Afroreggae, José Júnior, para que os traficantes se rendam. Segundo a PM, se não houver rendição, o complexo será invadido e poderá haver confronto com os criminosos.

 (Portal Ultimo Segundo – IG)

Fome ainda atinge 11,2 milhões de pessoas no Brasil

Pelo menos 11,2 milhões de brasileiros passavam fome ou estavam sob risco iminente de não poder comer por falta de dinheiro, aponta o IBGE no estudo Segurança Alimentar, com dados de 2009. Na primeira edição da pesquisa, em 2004, o número era de 14,9 milhões. São 3,7 milhões de pessoas a menos em “situação de insegurança alimentar grave”, uma queda de 24,8% em cinco anos. No período, a população do País aumentou 5,5%. 

O estudo divulgado ontem foi feito em convênio com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Para o IBGE, o impacto do Bolsa-Família foi o principal fator para a redução do número de brasileiros que passam fome. O aumento do salário mínimo seria o segundo motivo. 

“A queda foi muito importante, mas ainda há 11,2 milhões de pessoas que precisam ser vistas e cuidadas”, diz a gerente da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE, Maria Lucia Vieira. “O objetivo é eliminar essa preocupação.” 

O secretário executivo do ministério, Rômulo Paes de Sousa, avalia que “o ganho foi excepcional para um período tão curto”. Segundo ele, o objetivo do governo é acabar com a fome no País, mas a “supressão completa desse temor leva tempo”. Para Sousa, a permanência de mais de 11 milhões de pessoas na situação grave deve ser relativizada. “A questão da insegurança alimentar aparece inclusive no país mais rico do mundo, os Estados Unidos”, afirma. “Quando comparamos o Brasil com países que têm economia semelhante e investimento também em política social, como o México, a nossa situação é muito mais favorável”, argumenta. 

Segundo a pesquisa, apenas 65,8% dos brasileiros estavam em condição de segurança alimentar em 2009, ante 60,1% em 2004. Ou seja, no ano passado mais de um terço da população (34,2%) estava em situação de insegurança. São pessoas que apresentavam alguma restrição alimentar ou, pelo menos, preocupação com a possibilidade de ocorrer restrição por falta de dinheiro para comprar comida. Esse grupo se dividia em três categorias: 20,9% com insegurança leve, 7,4% com moderada e 5,8% na situação grave (11,2 milhões de pessoas). Do total na última classificação, 1 milhão eram crianças de 0 a 4 anos. Em 2004, a situação grave atingia 8,2% da população. 

O representante do ministério citou dados do México para afirmar que, lá, 62% encontram-se em situação de insegurança alimentar (leve, moderada e grave). “Nos EUA, a insegurança alimentar moderada e grave era de 5,7% em 2008, antes da crise”, afirma Rômulo. “A informação que temos é que a situação piorou em função da crise, por causa do aumento do desemprego.” 

O IBGE aponta forte associação entre condição alimentar e rendimento das famílias: 58,3% dos domicílios do País na situação de insegurança moderada ou grave tinham até meio salário mínimo per capita ou nenhum rendimento. O estudo também mostra que os porcentuais de insegurança alimentar são mais altos nos domicílios com maior densidade por dormitório. 

A gerente da pesquisa ressalta que a redução ocorreu principalmente nos domicílios onde havia crianças, na região Nordeste e na área rural. “O foco do Bolsa Família são domicílios com limitação de renda e com crianças”, explica ela. “Se o programa social estiver sendo encaminhado adequadamente, o impacto deve ter sido até mais importante do que o do salário mínimo”, diz Maria Lucia.

(Por Felipe Werneck  – O Estado de SP)

Projeto do trem-bala é adiado para abril de 2011

O governo decidiu adiar para o dia 11 de abril a entrega das propostas do leilão do trem-bala, que ligará as cidades de São Paulo, Campinas e Rio de Janeiro. O leilão foi marcado para o dia 29 de abril. A decisão foi anunciada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O adiamento atende a inúmeros pedidos de investidores.

A entrega das propostas estava prevista para próxima segunda-feira, com o leilão marcado para o dia 16 de dezembro. Com a mudança, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) terá de reconhecer em seu balanço de quatro anos, a ser divulgado em dezembro, que sua obra de maior valor terá de sofrer um novo adiamento.

O projeto do trem-bala recebeu críticas de representantes de consórcios formados por empresas estrangeiras e grandes empreiteiras. A decisão dada pela ANTT aconteceu depois de encontro do diretor-geral, Bernardo Figueiredo, com investidores na sede do órgão em Brasília. Estiveram presentes na reunião representantes de seis tecnologias distintas para operação do TAV, o trem de alta velocidade – fabricantes da Espanha, França, Alemão, Japão, China e Coreia do Sul. Compareceu também o consórcio Invepar, que reúne os fundos de pensão da Previ, Petros, Funcef e a empreiteira OAS.

O consórcio liderado por empresas coreanas foi o único que se manifestou publicamente a favor das regras do edital. O grupo reunia 22 empresas. “Há uma certa decepção”, diz o representante do TAV Brasil, Paulo Benites. “Trabalhamos duro para cumprir o prazo anterior, mas continuamos interessados no projeto”. Com mais tempo, a formação do consórcio divulgada hoje poderá ser alterada com a entrada de mais empresas. Benites evitou comentar a desistência da construtora Contern, do grupo Bertin.

Os consórcios japonês, chinês, alemão, entre outros, desistiram do projeto dadas as alterações recentes das regras. Segundo afirmaram fontes ligadas a essas empresas, o projeto, orçado em R$ 33,1 bilhões, subestimou os custos e superavaliou as projeções de demandas por passageiros. Recentemente, o governo permitiu a entrada dos fundos de pensão e o subsídio de R$ 5 bilhões por parte do BNDES para cobrir eventuais projeções de queda de demanda.

(Correio do Estado)

Luís Carlos Romazzini: vereador do PT é assassinado a tiros no Guarujá

O vereador de Guarujá Luís Carlos Romazzini (PT), de 45 anos, foi morto na madrugada de ontem, após ter sua casa invadida, no distrito de Vicente de Carvalho. O crime ocorreu por volta das 2 horas, quando três homens armados e não identificados já chegaram atirando. 

Alvejado com seis tiros, Romazzini ainda chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. A esposa do vereador presenciou o crime, quando o casal dormia, tendo a sua atenção despertada pela invasão do imóvel. Ao deixar o quarto, para ver o que estava acontecendo, o vereador já foi recebido a tiros, que atingiram cabeça, abdômen, ombros e pernas.

Treze horas antes da ocorrência, o vereador petista havia comparecido à delegacia para denunciar a invasão de sua residência no dia anterior, mas não chegou a falar em ameaças.

Romazzini era muito atuante e, por esta razão, a polícia não descarta a hipótese de que o homicídio tenha cunho político.

“Apenas uma motocicleta foi levada da residência do vereador, que pode ter sido utilizada para a fuga dos marginais”, disse o delegado Sérgio Lemos Nassur, que investiga o caso.

Romazzini era vereador e também atuava como advogado na cidade. Ele teve participação ativa nas investigações do ”Mensalinho do Guarujá”, ocasião em que oito vereadores foram filmados recebendo propinas num suposto esquema de corrupção, com dinheiro que teria sido pago pelo então prefeito Farid Madi, para que aprovassem seus projetos no Legislativo, em 2006. Naquela oportunidade, comentava-se até que a morte de três vereadores vinha sendo tramada.

(Agência Estado)

Branquinho e Faustão, dois importantes integrantes do tráfico no Rio são presos

Dois importantes traficantes foram presos na tarde deste sábado no Complexo do Alemão à Polícia Militar. Ricardo Severo, de 31 anos, o Faustão, e Tássio Fernandes Faustinho, o Branquinho, de 26 anos, tentavam fugir do conjunto de favelas horas depois do recado do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Mário Sérgio Duarte, ter dado um ultimato para os criminosos, ou os militares iriam invadir. Com as comunidades cercadas por policiais e soldados das Forças Armadas, eles não conseguiram escapar e foram detidos. 

(Portal do Sidney Rezende)

Mister M: Braço direito do chefe do tráfico no Complexo do Alemão se entrega à polícia

RIO – O traficante Diego Raimundo da Silva dos Santos, conhecido como Mister M, braço direito do chefe do tráfico no Complexo do Alemão, se entregou na tarde deste sábado à Polícia Militar. Ele já foi levado para a 6ª DP (Cidade Nova).

Mister M era o braço direito de Luciano Martiniano da Silva, o Pezão. Mister M é acusado de, em 2008, ter participado da morte de Antônio Ferreira, o Tota, que até então controlava o tráfico na favela.

Essa foi a segunda baixa importante entre os chefes do tráfico no local. No meio da tarde, a Polícia Civil já havia prendido Edson Souza Barreto, conhecido como Piloto, segurança do traficante Fabiano Atanázio da Silva, o FB, um dos chefes do Complexo do Alemão. No momento da prisão, o traficante segurava uma bandeira com a palavra Paz escrita.

Ainda durante a tarde, o tenente-coronel Waldir Soares Filho, comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar, disse que cerca de 15 pessoas foram detidas na Rua Joaquim de Queiroz, entrando ou saindo do Complexo do Alemão. Segundo ele, as pessoas foram revistadas por policiais militares ou agentes do Exército e foram consideradas suspeitas. Elas serão levadas para a 21ª DP (Bonsucesso) para averiguação.

Por volta das 15h50m, o coordenador do AfroReggae, José Junior, anunciou pelo Twitter que começava a acontecer as primeiras rendições de traficantes no Complexo do Alemão. O comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar, tenente-coronel Waldir Soares Filho, que também está no Alemão, no entanto, não confirma a informação de rendição, publicada por José Júnior.

No início da tarde, o comandante da Polícia Militar, coronel Mário Sérgio Duarte, deu o ultimato aos traficantes do Complexo do Alemão para que se entreguem e baixem as armas. O relações-públicas da Polícia Militar, coronel Lima Castro, informou em entrevista ao RJTV neste sábado que a PM criou uma estrutura na Rua Joaquim Queiroz, esquina com a Estrada do Itararé, no Complexo do Alemão, para que os traficantes se entreguem. (Veja mais fotos da movimentação no Alemão neste sábado)

O comandante do Batalhão de Choque da PM, no entanto, não confirma a informação de rendição, publicada por José Júnior.

– Já existe um esquema para que essas pessoas se entreguem. É uma oportunidade que a gente está dando – disse Lima Castro. Não vamos recuar da decisão de pacificar o Rio. – Estamos chegando aos momentos finais para alcançar os traficantes que estão no Alemão – acrescentou.

De acordo com ele, a rendição será feita da maneira como foi determinada pelo comandante-geral da PM, Mário Sérgio Duarte. Em caso de rendição, os traficantes chegarão com os fuzis sobre a cabeça, entregarão as armas e serão revistados. A Rua Joaquim Queiroz fica próximo à Estrada do Itararé.

Por volta do meio-dia deste sábado, o coordenador da ONG AfroReggae, José Júnior, chegou ao Complexo do Alemão com mais cinco pessoas, para conversar com traficantes. Momentos após Júnior subir o Alemão pela Rua Joaquim Queiroz, sem o acompanhamento de policiais, traficantes efetuaram vários disparos do alto do morro. Houve correria e pessoas que passavam pela Avenida Itararé procuraram abrigo.

De acordo com o comandante da PM, coronel Mário Sérgio Duarte, a polícia não voltará atrás na operação e tem equipamentos suficientes para entrar no Complexo do Alemão para tomar o território. Mário Sérgio alertou os moradores da área para que não saiam de casa e procurem se abrigar no momento em que a polícia entrar na comunidade.

– A população de bem, nós queremos protegê-los, sem causar danos. Pedimos para a população se manter abrigada e não sair nas ruas. Quem transitar nas ruas e vielas vai ficar sob o risco de fogo – disse o comandante.

Após o pedido do comandante, cerca de 50 famílias deixaram o morro. São famílias inteiras, que levaram bolsas, travesseiros, ventiladores e até cachorro. Sem se identificar, eles dizem que estão saindo do morro por causa da guerra.

Desde segunda-feira, 74 pessoas foram presas, 123 detidas e 35 mortas em todo o Estado do Rio. Foram apreendidos 46 revólveres e 11 fuzis.

(O Globo)