Com Castelão cheio, Fortaleza bate o Brasiliense e permanece na Série B

fortalezaTime cearense faz 3 a 0, com todos os gols no primeiro tempo

A torcida fez a sua parte, e o Fortaleza retribuiu. Com o Castelão cheio, o time cearense derrotou o Brasiliense por 3 a 0 neste sábado e se salvou do rebaixamento para a Terceira Divisão. Terminou a Série B da mesma forma como havia começado esta última rodada: em 16º lugar, na primeira colocação acima da zona da degola, empatado com o Marília, que levou a pior e caiu.

Os paulistas ganharam em casa do Ceará por 2 a 1 e chegaram a 45 pontos, assim como o Fortaleza. Mas tinham menos vitórias do que o concorrente na busca pela salvação (11 contra 12). 

A festa da torcida no Castelão começou aos 12 minutos de jogo, quando o Fortaleza abriu o placar. O zagueiro Preto avançou no campo de ataque e, na entrada da área, deu passe para Zé Eduardo, que, em posição de impedimento, chutou no canto. O goleiro Guto espalmou para o lado, e Nei Paraíba, sozinho, concluiu. 

Aos 19, o time da casa fez 2 a 0: Gaúcho soltou uma bomba em cobrança de falta. O goleiro do Brasiliense caiu para fazer a defesa, mas viu a bola passar debaixo do seu corpo.  

A equipe candanga teve duas chances de dimunuir a vantagem adversária, mas parou no goleiro Thiago Ribeiro e em Nei Paraíba, que salvou em cima da linha um chute de Coquinho. Aos 43 minutos, o Fortaleza fez mais um. Osvaldo recebeu lançamento e correu metade do campo antes de tocar no cantinho de Guto. Com esse gol, o seu décimo na Série B, ele se tornou o artilheiro do time. 

Fonte: Globo Esporte

Anúncios

Câncer: Patrick Swayze começa a se despedir dos amigos

patrikInfelizmente, parece que a luta do ator Patrick Swayze contra o câncer de pâncreas não terminou.

De acordo com o site Pop Crunch, o tumor teria se espalhado e, por isso, o famoso acredita que seu fim está próximo.

Patrick recentemente recebeu a notícia de que o câncer se espalhou e isso é o que os seus doutores disseram que aconteceria quando o fim estivesse próximo, informou uma fonte National Enquirer.

A crença em uma morte breve fez com que o artista de Dirty Dancing começasse a se despedir da família e dos amigos.

Sua esposa, Lisa, e seu irmão, Donny, já sabem da notícia e, obviamente, ficaram muito abalados.

Lisa ligou para Donny em Los Angeles e disse que ele precisava vir para Chicago, onde Patrick estava gravando o programa The Beast. Ela estava chorando e assustou muito Donny. Ele ficou com a impressão de que seu irmão já estava morto, porque Lisa dizia ‘Patrick queria dizer adeus’.

Fonte: Estrelando UOl

Uma criança morre por hora no Brasil vítima de câncer

É a doença que mais mata crianças e adolescentes de 5 a 19 anos no país

A cada hora uma criança morre vítima de alguma espécie de câncer no Brasil, segundo pesquisa divulgada na quinta-feira, 27/11,  pelo Inca (Instituto Nacional do Câncer) nesta quinta-feira, Dia Nacional de Combate ao Câncer.

É a doença que mais mata crianças e adolescentes de 5 a 19 anos no país. Segundo cálculos divulgados hoje, em média, por ano, cerca de 9.890 crianças e adolescentes morrem por câncer.

Apesar de ser a primeira pesquisa do gênero no Brasil, ela mostra que ao longo dos anos uma desaceleração no número de mortes por câncer no país, o que acompanha uma tendência mundial.

Nos últimos 30 anos, as chances de crianças e jovens com câncer diagnosticado se curarem passaram de 15% para 85%, em um movimento exatamente oposto ao das taxas de mortalidade, aponta o estudo.

Feito com dados fornecidos por centros de Registro de Câncer por Base Populacional em 20 cidades brasileiras, o levantamento indica que, entre 2001 e 2005, o câncer infantil foi a segunda causa de morte entre a população de 5 a 19 anos. Ficou atrás apenas das mortes por causas externas, como a acidentes e a violência. Já nas mortes por doenças diagnosticadas nesta faixa etária, o câncer foi a causa mais comum.

No mesmo período, o índice de mortalidade por câncer infantil no Brasil foi de cerca de 40 para cada 1 milhão de crianças e adolescentes, uma incidência que se mantém estável desde a década de 1990, após um período de crescimento, conforme o estudo. Os pesquisadores disseram ainda não saber, contudo, as causas desse aumento.

‘Ninguém sabe se o que aumentou foi o diagnóstico da doença ou a incidência mesmo’, disse a pesquisadora Beatriz de Camargo, uma das autoras do estudo.

As menores taxas de câncer infantil foram registradas nas regiões Norte (36 por um milhão) e Nordeste (35), contra 42 a cada milhão de crianças e jovens no Sudeste, 44 no Sul e 46 no Centro-Oeste. Mas os autores do estudo dizem que as diferenças podem estar ligadas à falta de diagnóstico nas regiões mais pobres, cujas taxas vêm crescendo, em movimento contrário das outras regiões.

‘O Brasil é muito desigual nesse aspecto também. Temos melhores resultados no Sul e no Sudeste’, afirmou o diretor-geral do Inca, Luiz Antonio Santini.

Fonte: Portal 45 Graus

CUT não aceita idade mínima para aposentadoria

SÃO PAULO – A Central Única dos Trabalhadores (CUT) quer o fim do fator previdenciário e não aceita em troca o estabelecimento de idade mínima para a aposentadoria. Esta posição será defendida em reunião com o ministro da Previdência, José Pimentel, na próxima quinta, dia 4, em Brasília. A audiência ocorrerá um dia após a V Marcha da Classe Trabalhadora, que tem entre suas bandeiras o fim do fator previdenciário.

– Não é possível aceitar idade mínima porque precisamos considerar que no Brasil a maioria das pessoas começa a trabalhar ainda adolescente, diferente do que acontece em outros países”, disse Artur Henrique, presidente da CUT. Segundo ele, se alguém que começa a trabalhar aos 16 anos e consegue contribuir para a Previdência sem nenhuma interrupção até que complete 65 anos de idade, terá 49 anos de contribuição.

– Seria um absurdo. Se levarmos em conta a rotatividade do mercado de trabalho, e que a maioria não consegue manter-se empregado ininterruptamente, é claro que não podemos aceitar a proposta de idade mínima – completa Artur.

Fonte: O Globo

Trovadores e Repentistas se encontram em Limoeiro do Norte/CE

Povos de regiões que têm como tradição a cantoria e o trovadoresco, matrizes da poética sertaneja, nordestina e basileira, vão se encontrar durante três dias em dezembro, de 10 a 12, no Ceará. Em palco aberto na Praça da Matriz da cidade de Limoeiro do Norte – 200Km de Fortaleza – shows de violeiros, aboios, emboladas, desafios de duplas de violas e outras manifestações musicais vão marcar a programação do IV Festival Internacional de Trovadores e Repentistas, que contará ainda com seminário e oficinas de cordel e xilogravura.

No palco, nomes como Nonato Luiz, Waldonys e o uruguaio residente na Argentina, Gustavo Guichón, se juntam a artistas populares do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Piauí na valorização, fortalecimento e preservação das culturas populares regionais tradicionais.

Idealizado pelo cineasta Rosemberg Cariry, o Festival defende a “diversidade e a reciprocidade” e propõe o verdadeiro e benéfico significado da palavra universalização: o eterno reencontro dos homens e suas aldeias com as suas raízes universais. A cantoria, segundo Cariry influi em diversos gêneros da poética popular do nordeste, que tem em comum a herança multissecular dos cantadores, elementos determinantes na preservação das tradições culturais de todos os povos do mundo. Tal estilo poético influenciou de forma determinante o lirismo difundido pelos portugueses ao chegarem ao pais no
século XVI.

Esta é a primeira vez que o Festival de Trovadores e Repentistas tem como sede Limoeiro do Norte. As duas primeiras edições, em 2005 e 2006, ocorreram simultaneamente nas cidades de Quixadá e Quixeramobim. Em 2007, o evento seguiu para Senador Pompeu e Farias Brito.

Fonte: Antonio Viana On Line

ProUni oferece mais de 95 mil bolsas integrais

BRASÍLIA – O Programa Universidade para Todos (ProUni) oferece este ano 95.694 bolsas de estudos integrais para que estudantes de baixa renda possam fazer um curso superior sem custo algum. Outras 60.722 bolsas são parciais, com 50% do valor da mensalidade custeado. As inscrições devem ser feitas pela internet até 12 de dezembro, às 21h, no horário de Brasília.

Para concorrer às bolsas, o estudante deve ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2008 e obtido média de, no mínimo, 45 pontos entre as notas da prova objetiva e de redação. Segundo a coordenadora-geral de projetos especiais para a graduação da Secretaria de Educação Superior (Sesu), Paula Branco Melo, o estudante pode consultar a nota de corte (nota mínima) do curso durante todo o período de inscrição e tem a opção de mudar de curso, de instituição ou de turno. Ao monitorar a nota dos concorrentes, o estudante pode escolher a melhor opção de curso, instituição e turno para disputar a bolsa.

No momento da inscrição, o candidato precisa ter os números do Enem de 2008 e do CPF (Cadastro da Pessoa Física). Precisa também atender outros critérios. Entre eles, ter cursado todo o ensino médio em escola pública ou, na condição de bolsista integral, em escola particular.

Para concorrer às mais de 95 mil bolsas integrais do ProUni, o estudante precisa comprovar renda familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio (R$ 622,15). Para as 60.722 bolsas parciais, a renda familiar por pessoa deve ser de até três salários mínimos (R$ 1.245).

Fonte: Jornal do Brasil

Fortaleza celebra Dia Mundial da Luta contra a Aids

Em Fortaleza, além de ajudar a vencer preconceitos, a data vai refletir sobre os 25 anos de Aids na Capital, a partir dos desafios e possibilidades de viver e conviver com HIV/Aids

O Dia Mundial de Luta contra a Aids, celebrado em 1º de dezembro, é marcado pela busca da solidariedade, tolerância, compaixão e compreensão com as pessoas infectadas pelo HIV/Aids. Em Fortaleza, além de ajudar a vencer preconceitos, a data vai refletir sobre os 25 anos de Aids na Capital, a partir dos desafios e possibilidades de viver e conviver com HIV/Aids. A programação central acontece das 8h às 17h, na Praça José de Alencar (Centro). Já a solenidade de encerramento terá início às 18h30min, no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

O dia começa com um abraço solidário ao CEMJA – o Centro de Especialidades Médicas José de Alencar, às 8h. No local, funciona um dos três serviços de Atendimento Especializado em HIV/Aids (SAEs), voltado ao público de jovens e adultos. O abraço ao CEMJA será seguido da apresentação de grupos de teatro de rua. Às 9h terá inicio o seminário “25 anos de Aids em Fortaleza: Desafios e possibilidades de viver e conviver com HIV/Aids”. A primeira mesa redonda discutirá “Política de Assistência à Saúde para pessoas vivendo com HIV/Aids – desafios e possibilidades”, que se encerra às 12h. Às 13h a programação recomeça com mais apresentações de grupos de teatro de rua. O seminário terá continuidade a partir das 14h, com a mesa redonda “Inclusão social para pessoas vivendo com HIV/Aids – desafios e possibilidades”.

À noite, a partir das 18h30min, terá início a solenidade de encerramento do Dia Mundial de Luta contra a Aids, no auditório da CDL. Na ocasião, serão lançados os vídeos produzidos pela ONG Fábrica de Imagens em convênio com a Coordenação Municipal de DST/Aids, e entregue comendas alusivas ao Dia Mundial de Luta contra a Aids a ativistas, serviços, gestores, autoridades e voluntários que contribuíram na luta contra a Aids.

Fonte: Jornal O Povo

Caixa libera R$ 1,5 bi em empréstimo para população de SC

BRASÍLIA – A Caixa Econômica Federal vai disponibilizar R$ 1,5 bilhão em empréstimos para a população e empresas de Santa Catarina, que sofrem com as tempestades dos últimos 90 dias. Os recursos serão destinados à compra de material de construção (Construcard, Producard), eletrodomésticos (Crediário Caixa Fácil) e empréstimos para pessoa física e jurídica, no segmento comercial e habitacional.

Para as empresas, a Caixa vai oferecer cerca de R$ 500 milhões, sendo R$ 50 milhões com taxa a partir de 0,83% mais Taxa Referencial (TR) ao mês (para micro e pequenas empresas). Além disso, o limite de financiamento subiu de R$ 10 mil para R$ 50 mil por empresa e foram disponibilizados R$ 100 milhões com taxa a partir de 1,27% ao mês mais TR. Já paras as pessoas físicas serão R$ 400 milhões e para crédito habitacional, R$ 600 milhões.

O tempo de atendimento nas agências dos municípios atingidos pelas chuvas também será estendido, inclusive aos fins de semana, porém o novo horário só deverá ser divulgado na próxima semana. O banco irá, ainda, preparar operações itinerantes de penhor para atendimento em locais onde a Caixa não possui agências, além de contratar 106 estagiários.

As vítimas das chuvas poderão, ainda, usar o recurso do Fundo de Garantia por Tempo de Serviços (FGTS). O valor do saque está limitado a R$ 2,6 mil. Desde março de 2004, os recursos do Fundo podem ser usados por vítimas de chuva. Somente neste ano, foram liberados mais de R$ 112 milhões para ajuda de 155.565 pessoas. Segundo a assessoria de imprensa da Caixa, o banco está buscando autorização do governo para facilitar o processo.

Fonte: http://www.dci.com.br/

Santander conclui aumento de capital de 7,2 bilhões de euros

Santander conclui aumento de capital de 7,2 bilhões de euros

SÃO PAULO – O banco espanhol Santander anunciou hoje que concluiu um aumento de capital de 7,2 bilhões de euros por meio de uma oferta pública de ações que havia sido anunciada no dia 10 deste mês e tinha conclusão prevista para ontem. Segundo comunicado da instituição, a oferta de foi “subscrita integralmente”.

O presidente mundial do Santander, Emílio Botín, destacou que a emissão elevou a base de capital de nível 1 do banco – um dos índices que se usa para medir a solvência da instituição – para 7%. “Esta operação demonstra a confiança e fortaleza que dispõem a economia e o sistema financeiro espanhol”, disse o executivo por meio de comunicado.

Fonte: Valor On Line

BEP é incorporado ao BB nesta sexta-feira

O BEP foi federalizado em 2000 e há oito anos está sendo administrado pela união

Hoje acontece a incorporação do Banco do Estado do Piauí (BEP) ao Banco do Brasil. O BEP foi federalizado em 2000 e há oito anos está sendo administrado pela união. O processo de incorporação foi iniciado há um ano.

Uma assembléia de acionistas vai homologar a negociação em uma reunião que ocorrerá pela manhã no Banco do Estado e pela tarde na sede do Banco do Brasil em Brasília. Com essas duas assembléias se encerrará o processo de corporação, e a partir da próxima segunda-feira as agências do BEP reabrem com a logomarca do Banco do Brasil e então deixará de existir.

Segundo o presidente do Banco do Estado, Marcos Siqueira, “em termos de operacionalização e transações financeiras para os clientes não haverá nenhum prejuízo, e todas as empresas funcionarão normalmente”. Os clientes usarão normalmente os cartões, tendo apenas que acrescentar, além dos quatro números da senha já utilizada, dois dígitos correspondentes a data de aniversário.

Em um prazo de seis meses haverá a troca de documentos, por enquanto é válido os mesmos, e não há necessidade de recadastramento. O cliente que já obtiver conta no Banco do Brasil futuramente poderá fazer a junção e utilizar apenas uma.

Fonte: Portal 45 Graus

 

Seminário: Para entender a CRISE e Construir Alternativas Políticas

O Sindicato dos Bancários do Ceará convida os bancários e toda a sociedade para o Seminário “Para Entender a Crise e Buscar Alternativas Políticas”.

Com esta iniciativa pretendemos contribuir para que os trabalhadores e a sociedade, em geral encontrem alternativas próprias e à altura do tamanho das questões conjuntas como estão postas.

Para este primeiro momento de diálogo, contaremos com a presença do professor Francisco José Soares Teixeira (UECE/UNIFOR), do jornalista e dirigente do PCdoB, Dilermando Toni e do economista Sérgio Mendonça (DIEESE Nacional).

Data: 06 de dezembro de 2008 (sábado)                                   

Horário: 16 horas

Local: Hotel Brasil Tropical Residence (Av. Abolição, 2323 – Meireles)

 

EVENTO ABERTO AO PÚBLICO

E agora, Bradesco?, pergunta o mercado

Banco é alvo de rumores, como a compra do Citi no País

Os principais executivos do Bradesco andam incomodados por uma cobrança insistente. Desde a união entre Itaú e Unibanco, quando o Bradesco perdeu o distintivo de maior banco privado do país, a praça financeira especula qual será seu próximo passo. Vai comprar algum banco? A aposta, ontem, era que ele pretende comprar as operações do Citigroup no Brasil. Ou vai aceitar que ficou para trás e tocar a vida do jeito que está? “Não vejo o Bradesco comprando por comprar”, disse ontem Domingos Figueiredo de Abreu, diretor-executivo do banco.

O discurso na Cidade de Deus, sede do Bradesco, é de que a instituição não fará loucuras para dar o troco no Itaú – comprando outras instituições a qualquer preço.De acordo com esse raciocínio, o banco tentará crescer abrindo mais agências e captando novos clientes. “É claro que a gente gostaria de comprar e crescer rapidamente. Mas comprar o quê? Não há mais banco razoável para adquirir”, diz outro executivo, que prefere não ter seu nome citado.

A versão corrente no mercado, no entanto, é que o Bradesco negocia com o Citi. Os dois lados negam. Mas, na semana passada, um dos principais executivos do Bradesco, do time que normalmente participa das aquisições do banco, esteve na sede do Citi, em Nova York. O Bradesco nega que tenha interesse no Citi e afirma que o executivo que foi a Nova York estava lá para fazer apresentações de rotina a investidores.

Nos últimos meses, o Bradesco iniciou conversas com o banco Votorantim, da família Ermírio de Moraes, mas considerou o preço alto demais. Avaliou também a possibilidade de negociar a aquisição do banco Safra. A idéia surgiu em outubro, quando o Bradesco negociou uma carteira de crédito do Safra, de R$ 1 bilhão. Na ocasião, entendeu-se que a maior atração da instituição é seu dono, o banqueiro Joseph Safra, e sem ele seria difícil manter todos os clientes. Por meio de sua assessoria de imprensa, o Bradesco afirmou ter investido até agora R$ 6, 2 bilhões na compra de carteiras de crédito.

O principal problema do Bradesco é que a oferta de instituições que ele poderia adquirir hoje é mínima. Por isso, por mais bancos que compre, será difícil encurtar a distância em relação aos concorrentes da frente. Terceiro maior banco do País, o Bradesco tem R$ 422 bilhões de ativos. O Itaú-Únibanco tem R$ 575 bilhões e o Banco do Brasil, que comprar ou Nossa Caixa, tem R$ 512 bilhões.

Ficar atrás do BB, um banco público, nunca incomodou o Bradesco. A ameaça, além do novo Itaú-Unibanco, é a ambição dos espanhóis do Santander, que depois de comprar o Real afirmaram ter o objetivo de transformar o Santander no maior banco em operação no Brasil. Hoje ele é o quarto do ranking. “Os executivos do Bradesco são profissionais”, diz um deles. “Aqui não interessa ser líder ou ser segundo. O que interessa é ter lucro. É nisso que estamos pensando”.

Fonte: Jornal Estadao

Encontro de Dirigentes de Real e Bradesco prepara campanhas específicas

Os dirigentes dos bancos Bradesco e Real têm até o dia 28 de novembro para se inscreverem para os Encontros Nacionais de Dirigentes das duas empresas, que serão realizados nos dias 08 a 10 de dezembro. As reuniões iniciam as preparações para as campanhas especificas permanentes dos dois bancos.

O evento acontecerá no hotel Estância Atibainha, em São Paulo. O encontro dos dirigentes do Santander foi adiado e será agendado para uma nova data.

Aproveitando o encontro os integrantes da COE Bradesco deverão permanecer no dia 11/12 no mesmo local, onde será realizado seminário sobre negociação coletiva.

Estes encontros serão de grande importância para a organização das lutas dos trabalhadores de Bradesco e Real no próximo período. Por isso, é indispensável a participação do maior número possível de dirigentes de todo o país, para que tenhamos um quadro o mais claro possível das demandas dos bancários”, avalia Carlindo Abelha, secretário de Organização da Contraf/CUT.

Programação:

Dia 08/12: 19h – Abertura conjunta, com o painel “A crise financeira internacional, seus impactos nos bancos e na economia brasileira”.

Dia 09/12: 9h – Reunião, por banco, para definição das reivindicações.

Dia 10/12: 9h às 12h – Discussão e aprovação das estratégias, calendários e demais elementos da campanha de mobilização e negociação.

Só para os integrantes da COE Bradesco
Dia 10/12: Na parte da tarde e 11/12: acontecerá o curso sobre negociação coletiva.

Fonte: Contraf/CUT

Contraf/CUT: Encontro Nacional discute sistema financeiro e desenvolvimento econômico

O Encontro Nacional de Formação Sindical da Contraf/CUT foi encerrado nesta quarta-feira 26 com palestras acompanhadas de discussão sobre o sistema financeiro nacional, o desenvolvimento econômico e social e o mercado de trabalho no país. Participaram como palestrantes o secretário-geral da Contraf/CUT, Carlos Cordeiro, o economista Alexandre de Freitas Barbosa, professor da Unicamp e membro do Cebrap, e Messias Melo, diretor executivo da CUT Nacional.

O Encontro Nacional de Formação da Contraf/CUT fez uma homenagem a Celso Furtado, autor entre outras obras de Formação Econômica do Brasil e um dos mais importantes economistas e pensadores brasileiros. O encontro começou na terça-feira com o documentário O longo amanhecer – Cinebiografia de Celso Furtado e uma palestra da jornalista Rosa Freire D´Aguiar, viúva do economista e coordenadora do Centro Celso Furtado (www.centrocelsofurtado.org.br).

Carlos Cordeiro fez uma apresentação sobre a configuração do sistema financeiro nacional, a concentração que está ocorrendo no setor, o enxugamento dos postos de trabalho nas duas últimas décadas e a prática desmesurada de juros, spread e tarifas altos.

Para o dirigente da Contraf/CUT, isso em parte é resultado da ausência de participação da sociedade nos órgãos normativos e diretivos do sistema financeiro, principalmente no Conselho Monetário Nacional. “O movimento sindical bancário precisa se qualificar para fazer o debate e a disputa desse setor estratégico do Estado, responsável em grande parte pela elaboração de políticas que darão o rumo do desenvolvimento econômico e social”, cobrou Carlos Cordeiro.

Matéria completa: http://www.contrafcut.org.br/noticias.asp?CodNoticia=15273

IBGE: população brasileira vai parar de crescer em 2039

RIO – A população brasileira continua envelhecendo em ritmo acelerado e vai parar de crescer em 30 anos, enquanto a expectativa de vida prosseguirá em expansão, segundo mostra estudo divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O levantamento mostra que, enquanto no período 1950-1960 a taxa de crescimento da população era de 3,04% ao ano, em 2008 não ultrapassou 1,05% ao ano. Segundo o estudo, o País apresentará um potencial de crescimento populacional até 2039, quando a expectativa é de que a população atinja o chamado “crescimento zero”. A partir daí, de acordo com o IBGE, serão registradas taxas de crescimento negativas, ou seja, queda no número da população.

Em 2050, a taxa de crescimento da população no País será negativa (-0,291%) e a população será de 215,3 milhões de habitantes. Segundo observam os técnicos do IBGE no documento de divulgação, “vale ressaltar que se o ritmo de crescimento populacional se mantivesse no mesmo nível observado na década de 1950 (aproximadamente 3% ao ano), a população brasileira chegaria, em 2008, a 295 milhões de habitantes e não nos 189,6 milhões divulgados hoje pelo IBGE”. Em 2039, quando vai parar de crescer e iniciar uma trajetória decrescente a partir do ano seguinte, a população brasileira será de 219,12 milhões de habitantes. A expectativa de vida, por outro lado, continuará em crescimento.

Expectativa de vida –  Segundo o estudo do IBGE, “os avanços da medicina e as melhorias nas condições gerais de vida da população repercutem no sentido de elevar a média de vida do brasileiro (expectativa de vida ao nascer) de 45,5 anos de idade, em 1940, para 72,7 anos, em 2008, ou seja, mais 27,2 anos de vida”. De acordo com a projeção do IBGE, “o País continuará galgando anos na vida média de sua população”, alcançando em 2050 o patamar de 81,29 anos, basicamente o mesmo nível atual da Islândia (81,80), Hong Kong, China (82,20) e Japão (82,60).

Em 2008, a média de vida para mulheres chega a 76,6 anos e para os homens 69,0 anos, uma diferença de 7,6 anos. Em escala mundial, segundo o instituto, a esperança de vida ao nascer foi estimada, para 2008 (período 2005-2010), em 67,2 anos e, para 2045-2050, a Organização das Nações Unidas (ONU) projeta uma vida média de 75,40 anos. O levantamento do IBGE mostra também que em 2008 o Brasil ocupa a quinta posição entre os países mais populosos, mas de acordo com as projeções da ONU, o país passará para a oitava posição em 2050.

O estudo “Uma abordagem demográfica para estimar o padrão histórico e os níveis de subnumeração de pessoas nos censos demográficos e contagens da população”, traz a projeção da população do Brasil, por sexo e idade, para o período 1980-2050. Este estudo foi divulgado anteriormente em 2004 e, agora, a Revisão 2008 incorpora nova análise da trajetória recente e futura da fecundidade, com base nas informações provenientes da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2002 a 2006. O IBGE divulga também a metodologia das estimativas anuais e mensais da população do Brasil e das Unidades da Federação: 1980 – 2030 e a metodologia das estimativas das populações municipais.

Fonte: Portal Estadao

Unibanco e AIG desfazem parceria

SÃO PAULO – A AIG e o Unibanco comunicaram ontem à noite o fim da participação acionária mútua no negócio de seguros, que já durava 11 anos, por meio de um acordo de permuta das participações societárias nas áreas de seguro e previdência.

O Unibanco sai da cadeia de controle da AIG Brasil e a AIG deixa de ter participação societária da Unibanco Seguros. O banco assume o controle integral de sua seguradora. Segundo comunicado, será mantida parceria em negócios pontuais.

Conforme fato relevante, a destroca das participações acionárias foi feita da seguinte forma: o Unibanco adquiriu por US$ 820 milhões a participação detida pelo AIG na Unibanco AIG Seguros S.A. (Unibanco Seguros), que passará a se denominar Unibanco Seguros S.A. A AIG ficou com a participação detida pelo Unibanco na AIG Brasil Companhia de Seguros por US$ 15 milhões.

Por meio de tal operação, explicou o Unibanco no fato relevante, a instituição passou a ser o único acionista controlador da Unibanco Seguros. “A Unibanco Seguros detém ainda 100% do capital social da Unibanco AIG Vida e Previdência S.A. e da Unibanco AIG Saúde Seguradora S.A., as quais continuarão sob seu controle e terão a sua denominação alterada para Unibanco Vida e Previdência S.A. e Unibanco Saúde Seguradora S.A.”, completou.

Fonte: Valor Econômico e Valor Online

Movimentos sociais aclamam Dilma candidata a presidente

BRASÍLIA (Reuters) – Chamada de “nossa sucessora” e “nossa futura presidente” por representantes de movimentos sociais em reunião no Palácio do Planalto, a ministra da casa Civil, Dilma Rousseff, considerou inadequada a referência em evento oficial.

“Achei que aqui dentro do Palácio não foi protocolar”, disse Dilma a jornalistas, após a cerimônia, ao ser perguntada sobre o apoio que recebeu.

Indagada se lhe agradava esse tipo de manifestação, Dilma desconversou. “Não vou falar sobre isso, não é essa a questão principal”, afirmou, destacando o fato de o governo chamar os movimentos sociais para ouvir suas reivindicações.

A primeira referência a Dilma como provável sucessora do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ausente à cerimônia, partiu do movimento negro.

“Nós acreditamos que esse governo tem cumprido o que veio realizar. Nós acreditamos que ele precisa dar conta de eleger em 2010 a nossa sucessora, a nossa candidata Dilma Rousseff”, disse a representante da Coordenação Nacional de Entidades Negras, Cleide Souza.

Depois, outro representante dos movimentos sociais, Saulo Manoel da Silveira, da União Nacional por Moradia Popular, chamou a ministra de “nossa futura presidente Dilma Rousseff”.

Os 58 movimentos sociais presentes ao encontro entregaram ao governo uma carta de reivindicações, na qual destacam o controle e a redução imediata da taxa de juros, o controle de capitais, o cancelamento dos leilões do petróleo e a revisão do política de manutenção do superávit primário, entre outros itens de política interna.

(Reportagem de Fernando Exman)

Frente parlamentar discute criminalização da homofobia

Brasília – A Frente Parlamentar pela Cidadania Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros (LGBT) realiza hoje (27), no Senado, o 5º seminário nacional para discutir a criminalização da homofobia no país.

A solenidade de abertura contará com a presença dos presidentes do Senado, Garibaldi Alves, e da Câmara, Arlindo Chinaglia, e do ministro da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Paulo Vannuchi.

O primeiro debate será sobre a Criminalização da Homofobia no Brasil e vai ser coordenado pela deputada Cida Diogo (PT-RJ). Em seguida, será lançada a campanha Não Homofobia.

À tarde, sob a coordenação da deputada distrital Erika Kokay (PT-DF), o debate será em torno do projeto de lei que disciplina a união civil entre pessoas do mesmo sexo (PL 1151/95).

Fonte: Agencia Brasil

Sobrevida de portadores de HIV dobra no Brasil

BRASÍLIA – A expectativa de vida das pessoas que vivem com Aids nas regiões Sul e Sudeste dobrou entre 1995 e 2007. Nesse período, o tempo médio de vida pós diagnóstico subiu de 58 meses para mais de 108 meses. A possibilidade de sobrevivência de crianças menores de 13 anos que vivem com Aids também aumentou consideravelmente desde o início da epidemia.

Em 1980, as chances de uma criança nessa faixa etária estar viva 60 meses depois de diagnosticada era de 25%, enquanto as diagnosticadas no período de 1999 e 2000 era de 86%. Os dados são de um estudo encomendado pelo Programa Nacional de DST e Aids do Ministério da Saúde. O diagnóstico precoce e o acesso aos medicamentos anti-retrovirais são os principais motivos para o aumento da sobrevida.

Apesar de a maioria dos casos de Aids ainda ser identificado na faixa etária de 25 a 49 anos, o estudo mostra, também, que dobrou a incidência da doença entre pessoas acima dos 50 anos entre 1996 e 2006. Passou dos 7,5 casos por 100 mil habitantes para 15,7. A incidência nessa faixa etária cresceu em todas as regiões do país. E, entre os casos registrados, 63% são homens e 37% são mulheres. Os preconceitos que cercam a vivência da sexualidade de pessoas acima dos 50 anos limitam a dificuldade de abordagem sobre o HIV.

Fonte: Jornal do Brasil

Mudanças climáticas podem reduzir economia do Nordeste em até 11% até 2050

As mudanças climáticas terão efeito sobre a economia brasileira, especialmente a do Nordeste, de acordo com o estudo Migrações e Saúde: Cenários para o Nordeste Brasileiro- 2000/2050. O estudo foi elaborado para a Embaixada Britânica pelo Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar) da Universidade Federal de Minas Gerais e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Esse efeito, medido ano após ano, sinaliza que o Produto Interno Bruto (PIB) do Nordeste vai cair 11,4% até 2050, como resultado das variações do clima. O PIB é a soma das riquezas produzidas no país. “Ano após ano, até 2050, o efeito das mudanças climáticas, através do choque no setor agropecuário, seria uma queda de 11,4% do PIB”, afirmou à Agência Brasil o professor Alisson Barbieri, coordenador da pesquisa pelo Cedeplar/UFMG.

De acordo com o estudo, essa perda equivaleria a dois anos de crescimento econômico da região, com base no desempenho registrado entre 2000 e 2005.

A pesquisa mostra que redução que as mudanças climáticas tendem a provocar na disponibilidade de terras agricultáveis no Nordeste será mais drástica nos estados do Ceará (-79,6%) e Piauí (-70,1%), seguidos de Paraíba (-66,6%) e Pernambuco (-64,9%). Barbieri esclareceu que no caso de Ceará e Piauí deve ocorrer limitação das chamadas “terras aptas” para os principais tipos de cultivo na região nordestina, conforme denominam os técnicos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que participaram do trabalho.

Em termos de PIB, o estudo revela que as maiores perdas serão registradas em Pernambuco (-18,6%), Paraíba (-17,7%), Piauí (-17,5%) e Ceará (-16,4%). Barbieri disse que a metodologia adotada pelos pesquisadores permitiu captar o efeito de uma variação do PIB agrícola e sua repercussão sobre todos os outros setores agrícolas.

Em razão disso, os setores que poderão ser mais afetados são os de serviços e indústria, principalmente aquela voltada para o processamento de alimentos, mais vinculada à agricultura. “Esses estados apresentam uma articulação forte com o setor agrícola. Então, haveria o que os economistas chamam de encadeamento entre os choques traçados para o setor agrícola e a economia como um todo”.

O professor da UFMG explicou que, em contrapartida, o estado de Sergipe deve ser o menos atingido pelos choques climáticos. A projeção é de que até 2050 o PIB estadual caia apenas 3,6%. “No caso de Sergipe, haveria uma variação menor em termos de terras inaptas para a agricultura em função das mudanças climáticas. Isso quer dizer que os efeitos climáticos sobre Sergipe seriam menos intensos quanto à redução da aptidão das terras”. O estudo prevê que o estado perderia apenas 5,3% de terras agricultáveis.

Fonte: Noticias Uol

Legislação: Regras para concurso público

De acordo com a Constituição, o prazo de validade do concurso público será de até dois anos, prorrogável uma vez, por igual período (art. 37, III). Durante o prazo improrrogável previsto no edital de convocação, aquele aprovado em concurso público de provas ou de provas e títulos será convocado com prioridade sobre novos concursados para assumir cargo ou emprego, na carreira (art. 37, IV). Assim, isso significa que, enquanto houver candidatos aprovados em concurso e este estiver dentro do prazo de validade fixado no edital, eles terão prioridade para a nomeação, ainda que a administração tenha feito outro concurso, também com candidatos habilitados.

Depois de expirado o prazo de validade do concurso, não há no próximo direito ao ingresso, nem ocorrência de preterição com relação aos candidatos que, embora aprovados no concurso anterior, não obtiveram classificação dentro do número de vagas previstas no edital (STF, RMS 23.787).

Está na hora de se moralizar a questão dos candidatos aprovados em concurso público, a despeito do dispositivo constitucional. Há uma série de concursos públicos em que é publicada a lista de candidatos aprovados e estes não são chamados a tomar posse por decurso do prazo constitucional, e depois abrem novo concurso.

Isso, além de ser imoral, transforma-se numa fonte injusta de arrecadação pública com as cobranças de inscrições e gera, por outro lado, uma grande decepção e frustração aos candidatos aprovados que não são chamados. A Caixa Econômica Federal, por exemplo, usa o artifício de fazer concurso visando formar cadastro de reserva para o cargo de Técnico Bancário. E publica posteriormente a relação dos candidatos aprovados.

Para fins de moralização e seriedade dos concursos públicos, e em respeito aos candidatos aprovados, os órgãos públicos só deveriam publicar a lista dos candidatos aprovados que seriam efetivamente convocados, bem como só deveriam realizar novo concurso público depois da investidura do último candidato aprovado no cargo ou emprego da carreira a que prestou concurso.

Fonte: http://www.brasilwiki.com.br/

Resultados dos concursos da Abin e STJ serão divulgados no dia 27

O concurso do STJ é para cadastro de reserva. Abin oferece 190 vagas de nível médio e superior.

O Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília
(CESPE/UnB) irá divulgar na quinta-feira (27) o resultado final do concurso público para o cargo de técnico judiciário no Superior Tribunal de Justiça (STJ) no site http://www.cespe.unb.br/concursos/stj2008.

Além disso, o Cespe/Unb divulgará no mesmo dia o resultado final da prova discursiva e a convocação para a prova de capacidade física do concurso da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), no site http://www.cespe.unb.br/concursos/abin2008.

A prova de capacidade física do concurso da Abin será realizada nos dias 6 e 7 de dezembro.

O concurso do STJ é para cadastro de reserva. No total concorreram 73.459 candidatos para os cargos de analista judiciário, com remuneração prevista é de R$ 6.067,57, e para técnico judiciário, com salário de R$ 3.711,74.

O concurso da Abin oferece 160 vagas para o cargo de oficial de inteligência e 30 vagas para agente de inteligência. Os salários são de R$ 9.713,13 para o cargo de oficial e de R$ 4.458,38 para agente.

Fonte: Portal G1

Concurso para o BNB: SEEB/CE suspende, temporariamente, curso preparatório

Em virtude de o Governo Federal ter anunciado possível adiamento dos concursos públicos em 2009, segundo matérias divulgadas na imprensa, a preparação para o concurso do BNB foi adiada temporariamente.

Os diretores do SEEB/CE ressaltam que, se houver confirmação do concurso do BNB, o Sindicato retomará, imediatamente, o processo de matrícula, obedecendo aos critérios já divulgados e preservando os direitos dos bancários sindicalizados e de seus dependentes.

Cortes no orçamento – De acordo com o senador e relator do Orçamento Geral da União, Delcídio Amaral (PT-MS), está previsto, para o ano de 2009, dinheiro para o aumento dos servidores. Entretanto, com a revisão dos parâmetros orçamentários, o governo terá que recorrer a cortes no custeio e no investimento.

Fonte: SEEB/CE

Veja ranking dos maiores bancos do país após BB comprar Nossa Caixa

Banco do Brasil ainda é 2º maior banco do país, atrás de Itaú-Unibanco. Consultoria Economatica elaborou ranking das instituições nacionais.

A compra da Nossa Caixa pelo Banco do Brasil não devolveu ao BB a posição de maior banco do país em ativos, segundo estudo da consultoria Economatica divulgado nesta sexta-feira (21). O banco fica na segunda posição no mercado brasileiro, atrás do novo conglomerado formado por Itaú e Bradesco. 

O ranking da Economatica leva em conta apenas instituições listadas em bolsa no país, não incluindo, portanto, bancos como a Caixa Econômica Federal, que tem ativos estimados em R$ 276,1 bilhões, e ficaria em quinto lugar entre os maiores bancos brasileiros. 

Posição Empresa Total (Em R$ bilhões)     
 Itaú + Unibanco  575,119
 BB + Nossa Caixa  512,304
 Bradesco  422,706
 Santander  328,131
5  Banrisul  25,506
 Nord Brasil  15,596
 Bicbanco  13,187
 Alfa Invest  12,757
 Banestes  9,263
10   Panamericano  8,452

De acordo com a consultoria, a união do Banco do Brasil com a Nossa Caixa criará uma instituição de R$ 512,304 bilhões em ativos. Antes da fusão, o Banco do Brasil tinha R$ 458,873 bilhões.

O valor ainda é menor do que os R$ 575,119 bilhões dos ativos que terá o Itaú Unibanco Holding, originada da união entre as duas instituições. Em terceiro aparece o Bradesco, com R$ 422,7 bilhões em ativos.

 Brasil + EUA – Na lista que considera também os bancos dos Estados Unidos, o BB acrescido da Nossa Caixa passa a ocupar a décima posição, perdendo para instituições como JP Morgan, Citigroup, Goldman Sachs e Merryl Lynch. Neste ranking, também está atrás do Itaú-Unibanco, que aparece na oitava posição.

Fonte: Portal G1

Santander mantém objetivos no Brasil e quer lucrar US$ 8,89 bi em 3 anos

Madri, 24 nov (EFE) – O executivo-chefe do Banco Santander, Alfredo Sáenz, assegurou hoje que o grupo mantém seus objetivos no Brasil, onde espera lucrar 7 bilhões de euros (US$ 8,89 bilhões) em três anos, apesar da economia brasileira “não ser imune” à crise internacional, segundo a instituição.

Durante discurso no Fórum de Investimentos Brasil-Espanha, organizado no IE Business School, o também vice-presidente do Santander insistiu no potencial brasileiro do negócio bancário após a integração do Banco Santander Brasil ao Banco Real, que adquiriu em 2007 como parte do pacote de ativos na operação ABN Amro.

No entanto, Sáenz reconheceu que a economia brasileira sofreu uma “clara desaceleração” e foram vistos movimentos bruscos na moeda, mas insistiu na importância de “não passar da euforia ao pânico”.

O Brasil está preparado para enfrentar a situação, disse Sáenz, e lembrou que o país tem uma dependência “muito baixa” do setor externo e uma dívida pública decrescente, o que faz pensar que sua economia está entrando em um “círculo virtuoso”.

Sáenz assegurou que o mercado brasileiro, pela estabilidade da economia, oferece ao Santander a possibilidade de seguir crescendo e destacou a importância para a instituição de ter uma carteira de negócios diversificada.

Além disso, ressaltou que o Santander se consolida como o terceiro maior banco privado no país e ressaltou que “isto é apenas o começo”, já que o Brasil tem um nível “muito baixo” de bancos.

Fonte: Portal G1

Lucro de bancos supera todos os outros setores juntos no 3º tri

Economática mostra que resultado do setor financeiro foi de R$ 6,926 bilhões, contra R$ 6 bi dos outros setores

SÃO PAULO – O lucro dos 15 bancos de capital aberto que operam no País superou, pela primeira vez no governo Lula, o resultado de todos os outros setores no terceiro trimestre, segundo levantamento da consultoria Economática. De acordo com os dados, o setor financeiro somou lucro de R$ 6,926 bilhões no período, contra R$ 6,0 bilhões de todas as 201 empresas não-financeiras – sem considerar os resultados das estatais Petrobras e Eletrobrás e da mineradora Vale.  Entre as companhias não-financeiras, o setor mais lucrativo no trimestre passado foi o de Energia Elétrica. Conforme o estudo, 29 empresas de energia com ações na Bolsa registraram lucro combinado de R$ 2,94 bilhões de julho a setembro. 

Na ponta oposta ficou o setor de Papel e Celulose, em que sete empresas tiveram juntas um prejuízo de R$ 2,66 bilhões – os resultados das empresas dessa indústria foram prejudicados por expressivas perdas com instrumentos financeiros derivativos, notadamente a Aracruz, maior produtora mundial de celulose branqueada de eucalipto.  

Outros setores que apresentaram prejuízo no terceiro trimestre foram o Químico (com perda de R$ 924 milhões) e o de Alimentos e Bebidas (com R$ 12 milhões), segundo a Economática.

 Já entre os destaques positivos ficaram, ao lado do setor elétrico, a indústria de Siderurgia e Metalurgia, com lucro de R$ 1,823 bilhão nos três meses até setembro, e o de Telecomunicações, com ganho de R$ 1,288 bilhão no período.

Fonte: Portal Estadao

Brasil é o ‘mais preparado’ para enfrentar a crise, diz Lula

“De todos os países do mundo, o Brasil é, neste momento, o país mais seguro’, disse presidente

BRASÍLIA – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira, 24, que o Brasil está preparado para enfrentar a crise internacional. “De todos os países do mundo, o Brasil é, neste momento, o país mais seguro e mais preparado para enfrentar a crise”, disse Lula durante a abertura da 1ª Conferência Nacional da Aprendizagem Profissional.

Ao final do evento, o presidente pediu um minuto de silêncio pelos mortos nas enchentes em Santa Catarina. Ele observou que o país acompanha “com tristeza” as notícias das mais de 50 pessoas que já morreram no Estado – segundo ele, foram 10 pessoas em Blumenau e a região de Itajaí está coberta de água. Lula informou que já mandou o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, para a região e que, amanhã, irão os ministros dos Transportes, Alfredo Nascimento, e o chefe do Gabinete da Segurança Institucional, Jorge Félix. 

Em seu discurso na abertura do evento, Lula observou que o jovem brasileiro é muito criativo. “É o povo mais criativo e mais esperto que a média”, afirmou Lula, ao informar que a meta é, até 2010, inserir no mercado como aprendizes 800 mil jovens. “E quando menos se esperar, vai diminuir a criminalidade, a violência e o número de jovens mortos. Vai diminuir porque eles vão poder estudar, trabalhar”, disse.

Fonte: Portal Estadao

Sobe para 59 o total de mortos pelas chuvas em Santa Catarina

FLORIANÓPOLIS – O número de mortos pelas enchentes em Santa Catarina chegou a 59, segundo informações da Defesa Civil. O Estado segue em alerta para o risco de deslizamentos, alagamentos e novas enchentes.

No Estado, 14.511 pessoas estão desabrigadas e os desalojados chegam a 28.543. Os desabrigados são pessoas que tiveram que sair de suas casas e precisam da ajuda do Estado. Já os desalojados são pessoas que foram obrigadas a sair de suas casas por conta dos danos das chuvas, mas que não precisam de ajuda do Estado pois podem ir para casas de parentes ou amigos.

Ilhota é a cidade com o maior número de mortos: são 15, segundo a Defesa Civil. Em Blumenau, uma das cidades mais atingidas, 13 pessoas morreram e 150 mil estão sem energia elétrica. O número de munícipios isolados subiu para oito. Estão sem contato com outros locais por conta de queda de barreiras ou de pontes os municípios de São Bonifácio, Luiz Alves, São João Batista, Rio dos Cedros, Garuva, Pomerode, Itapoa e Benedito Novo.  

A Defesa Civil de Santa Catarina também trabalha com o conceito de “afetados” – mais de 1,5 milhão de pessoas -, que são todos aqueles que tiveram sua vida alterada de alguma maneira, seja porque o ônibus não podia passar ou porque o telefone não funciona, por exemplo.

As chuvas também causaram a ruptura de um tubo de gás entre as cidade de Luiz Alves e Gaspar e, por isto, o abastecimento de gás está interrompindo do município de Guaramirim até Rio do Sul.

Fonte: Ultimo Segundo

Banco do Brasil fecha compra da Nossa Caixa por R$ 5,4 bilhões

O Banco do Brasil fechou nesta quinta-feira a compra da Nossa Caixa, banco estadual de São Paulo. A negociação foi concluída por R$ 5,386 bilhões e é o primeiro passo do BB no sentido de retomar a liderança de mercado perdida após a fusão entre o Unibanco e o Itaú.

O pagamento será realizado em espécie dividido em 18 parcelas de R$ 299,250 milhões a partir de março de 2009, corrigidas pela taxa Selic até o pagamento das respectivas parcelas. Pelo acordo, cada ação foi avaliada em R$ 70,63.

De acordo com o banco federal, a negociação envolve 71,25% do capital na Nossa Caixa, o que dá o controle ao Banco do Brasil. A instituição informou ainda que dará aos acionistas minoritários as mesmas condições que ofereceu ao governo do Estado.

O Banco do Brasil negocia ainda a compra do BRB (Banco Regional de Brasília) e de metade do banco Votorantim, de propriedade da família Ermírio de Moraes. Caso concretize esses negócios, poderá voltar a ser a maior instituição financeira do país. a instituição aprovou a compra do Banco do Piauí.

Na última terça-feira (18), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o governo quer que o Banco do Brasil volte a ser o maior banco do país, posto que ele perdeu com a fusão do Itaú com o Unibanco.

“O Banco do Brasil era o principal banco do Brasil e com a fusão do Itaú e do Unibanco passou a ser o segundo. Nós queremos que o Banco do Brasil seja muito maior do que qualquer outro banco no Brasil”, disse Lula na terça-feira.

Na semana passada, durante a divulgação dos resultados do BB, o presidente da instituição, Lima Neto afirmou que o banco tem interesse em crescer no mercado de São Paulo — maior do país e onde o BB ocupa a 4ª colocação em número de agências– e além da expansão orgânica (por meio dos próprios negócios) no país. Ele antecipou isso só ser possível com aquisições e que tal posição já existia antes mesmo do início da crise financeira e da fusão Itaú-Unibanco

Unibanco e Itaú anunciaram no começo do mês a fusão de suas operações financeiras, o que formará o maior banco do país e o maior grupo financeiro do Hemisfério Sul. A união é resultado de 15 meses de negociação.

Segundo as duas instituições, o total de ativos combinado é de mais de R$ 575 bilhões –contra R$ 403,5 bilhões do Banco do Brasil, e R$ 348,4 bilhões do Bradesco, de acordo com dados de junho do Banco Central.

A compra da Nossa Caixa pelo BB também frustra os planos do Bradesco, que também se moveu em direção ao banco estadual, vista como uma das poucas possibilidade de ampliar sua presença no mercado. Com a fusão entre Itaú e Unibanco, o Bradesco deixou de ser a maior instituição financeira privada do país.

A possibilidade de compra de bancos estaduais, sem licitação, foi possível por meio de um medida provisória, que permite ao BB e à Caixa Econômica Federal adquirem outras instituições financeiras.

Fonte: Folha On Line

Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres foi lançada hoje (20/11) no Senado

Com o slogan “Há momentos em que sua atitude faz a diferença. Lei Maria da Penha. Comprometa-se!” o foco da edição 2008 continua sendo a Lei nº 11.340/2006

Foi realizado, hoje (20/11), às 10h, no Auditório da Comissão dos Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal (CDH), em Brasília, o lançamento nacional da Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. Com o slogan Há momentos em que sua atitude faz a diferença. Lei Maria da Penha. Comprometa-se! o foco da edição 2008 continua sendo a Lei nº 11.340/2006, que completou dois anos em vigor e busca conscientizar as pessoas de que, diante de um ato de violência, é indispensável tomar uma atitude: denunciar, apoiar, buscar e oferecer ajuda.

O objetivo da Campanha é convocar a sociedade ao comprometimento de atitudes que podem fazer a diferença na vida de mulheres em situação de violência. Este ano, a Campanha ressalta 16 pessoas de diferentes segmentos, que vivenciaram situações de violência ou apoiaram mulheres vitimadas e têm histórias a contar. A campanha mundial é realizada de 25 de novembro a 10 de dezembro. No Brasil, ela começa mais cedo: dia 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, como forma de destacar a mulher negra, que sofre dupla discriminação: a racial e por ser mulher.

O lançamento nacional da campanha terá a presença da ministra Nilcéa Freire, da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM); do presidente da Comissão dos Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal, senador Paulo Paim (PT/RS); da senadora e coordenadora da bancada feminina no Senado, Serys Slhessarenko (PT/MT); da senadora e presidente da Subcomissão Permanente em Defesa da Mulher, Ideli Salvatti (PT/SC), Marlene Libardoni, diretora-executiva da Agende, coordenadora nacional da Campanha; da Deputada Federal e representante da bancada feminina na Câmara dos Deputados, Sandra Rosado (PSB/RN); e as representantes do Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (UNIFEM), Ana Falu, e do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Alanna Armitage.

O ato no Senado Federal é promovido pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM/PR) e pela organização feminista não-governamental Agende Ações em Gênero Cidadania e Desenvolvimento (Agende), co-promotoras da campanha, em parceria com a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal (CDH), pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados e pela bancada feminina do Congresso Nacional.

Evento: Lançamento oficial da Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres
Data: 20 de novembro de 2008
Hora: 10h
Local: Auditório da Comissão dos Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal, em Brasília (DF).

Fonte: http://www.presidencia.gov.br/

Nossa Consciência Negra

10951_tag20dia20da20consciencia20negra20mt

O Dia da Consciência Negra, 20 de novembro, é feriado em 335 cidades, segundo levantamento da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir). A data, que será tema de diversos eventos pelo país, lembra o dia em que foi assassinado, no ano de 1695, o líder Francisco Zumbi, do Quilombo dos Palmares, herói e um dos principais símbolos da resistência negra à escravidão.

Havia em Pernambuco, Minas Gerais, Bahia e em outros estados cerca de 700 quilombos, 2.600 comunidades remanescentes e milhares de insurreições que lutaram contra o jugo dos senhores de escravos, período que o sociólogo Clovis Moura definiu como modo escravista colonial.

Em 1971, ativistas do Grupo Palmares, do Rio Grande do Sul, chegaram à conclusão de que o dia 20 de novembro tinha sido a data da execução de Zumbi e estabeleceram-na como Dia da Consciência Negra. Em 2003, a lei 10.639, sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, estabeleceu a data como parte do calendário escolar.

Mas, apesar dessa agenda de eventos para celebrar a negritude, a nossa consciência negra é fenômeno novo dentre as várias manias adotadas pelo povo. Hoje é chique ser ‘black’. É moderno cultivar os valores da cultura ‘black’, enquanto o fosso social entre brancos e negros mantém o apartheid brasileiro inalterado.

O mito da democracia racial, por aqui, foi denunciado como mentira pela realidade socialmente perversa e pelos dramáticos indicadores sociais; que compravam que negro no Brasil está associado à miséria e exclusão social. Por exemplo, somente o IBGE calcula que precisaremos de pelo menos 20 anos de políticas voltadas para as ações afirmativas para colocar brancos e negros em níveis mínimos de igualdade.

Portanto, a lembrança de datas como essas tem um viés político muito forte: a resistência venceu a escravidão. Por isso, suas atividades vêm carregadas de tempero emocional.

Dessa forma, o Dia da Consciência Negra traz consigo tantas e variadas atividades, como as marchas para aumentar a consciência do pertencimento étnico, os protestos mais raivosos e justos, e as homenagens aos homens e mulheres negros ( Zumbi e Dandara, líderes da República de Palmares; Osvaldão, líder da Guerrilha do Araguaia; Machado de Assis, escritor; André Rebouças, engenheiro especialista em engenharia hidráulica-ferroviária e de portos; Chiquinha Gonzaga, compositora, pianista e primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil, João Cândido, líder da Revolta da Chibata, entre outros) que, de alguma forma, ajudaram na construção da riqueza da nação mais negra fora do continente africano.

E o maior significado desse dia é que longe do ranço contra quem quer que seja, hoje a população negra, ou os 49,8% do povo brasileiro, luta pelo cumprimento do plano de ação assumido na Conferência da ONU Contra o Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerância Correlata, em 2001, e pelas propostas da Conferência Nacional de Promoção de Igualdade Racial, organizada em 2005 pelo governo brasileiro.

Além disso, o Movimento Negro quer justiça social aos próprios negros, aos povos de tradição indígena e aos demais grupos que durante a construção dessa nação-continente tiveram seus direitos humanos violados.

Ou seja, no século XXI o debate sobre as alternativas para o desenvolvimento sustentável, as soluções para superação dos conflitos étnicos e o combate ao preconceito e às desigualdades sócio-raciais se dão entrelaçadas pelo culto à capacidade de resistência dos povos e pelo clamor por eqüidade.

É inegável a herança africana na culinária, na dança, no ethos do nosso povo, mas é inegável também o atraso com que o Estado brasileiro trata essas questões. Às vezes, quando as assumem, o faz lentamente e de forma mais para negro ver do que para negro ter justiça e respeito de fato.

Fonte: O Globo

PIB per capita do Brasil cresceu 35,6% em 30 anos, mostra Ipea

RIO – O Produto Interno Bruto (PIB) per capita brasileiro cresceu 35,6% entre 1975 e 2005, resultado superior apenas a África do Sul e Argentina no período, dentro de um grupo de 10 países analisados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

O avanço do PIB per capita brasileiro nessas três décadas ficou bem atrás de países como China e Índia, onde o crescimento do indicador atingiu, respectivamente, 896% e 174,3%. Entre os países que superaram o Brasil estão ainda Finlândia, com 88,5%; Estados Unidos, com 88,2%; Espanha, com 85,3%; Alemanha, com 79,8%; e México, com 49%.

“Apesar do fraco crescimento, o país triplicou o consumo de energia elétrica. Já a China foi mais eficiente: cresceu quase dez vezes, mas aumentou o consumo de energia oito vezes. A Finlândia, com PIB quase dobrado, passou a consumir três vezes mais energia”, diz a nota divulgada pelo Ipea.

O Instituto analisou ainda a formação de capital fixo entre 1995 e 2004, com a inclusão da Rússia no grupo analisado. Mais uma vez, o Brasil ficou à frente apenas de Argentina e África do Sul. As conclusões fazem parte do “Comunicado da Presidência nº 15: desenvolvimento e experiências internacionais comparadas”, divulgado hoje pelo Ipea.

Entre os dados analisados nos 11 países, o Ipea frisa que as doenças cardiovasculares e os diversos tipos de câncer são as principais causas de morte em 10 países. A exceção é a África do Sul, onde a principal causa de óbitos é a AIDS. O Brasil lidera o ranking de mortes violentas.

Segundo o instituto, o estudo divulgado hoje, com a análise comparada entre diversos países, faz parte da meta do Ipea de apresentar até 2010 uma agenda de desenvolvimento de longo prazo para o Brasil.

Fonte: O Globo

Compra da Nossa Caixa pelo BB depende de ajustes técnicos, diz Mantega

BRASÍLIA – A compra da Nossa Caixa pelo Banco do Brasil (BB) ainda depende de “ajustes técnicos”, afirmou, nesta quarta-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Ao sair de reunião no Palácio do Planalto, o governador paulista, José Serra, deu a mesma indicação de continuidade das negociações, mas negou ter definido a questão com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

– Esse não é um assunto para ser resolvido no plano político – afirmou o governador.

Serra lembrou que trata-se de um negócio já anunciado, “um tema delicado” que envolve o mercado de ações e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

– Não tomamos nenhuma decisão a esse respeito – afirmou ele.

No início do mês, Serra admitiu que a Medida Provisória 443 (MP 443), que permite ao governo federal assumir o controle de bancos em dificuldades, iria facilitar a venda da Nossa Caixa ao Banco do Brasil.

Segundo Mantega, além do preço, falta definir, por exemplo, “as condições de pagamento e quais os ativos que permanecerão” na Nossa Caixa.

O ministro lembrou que BB e Nossa Caixa já divulgaram fatos relevantes sobre a operação e que a aquisição independe da aprovação da Medida Provisória 443, uma vez que o instrumento jurídico já tem efeito de lei. A MP cria condições mais favoráveis para que o BB concretize a aquisição do banco paulista, lembrou o ministro.

Na terça-feira, ao ser questionado sobre o processo de compra do banco Nossa Caixa pelo BB, o presidente Lula disse apenas que o processo continua sendo avaliado , mas que o negócio é de interesse do BB, do Estado de São Paulo – controlador da Nossa Caixa -, e do ministro da Fazenda, Guido Mantega. Na ocasião, disse querer que o Banco do Brasil seja o maior banco do país.

Fonte: O Globo

CCJ do Senado aprova licença-maternidade de 6 meses

 

BRASÍLIA – A prorrogação no País da licença-maternidade de 120 para 180 dias (6 meses), tanto para o setor público como para o privado, foi um dos itens aprovados hoje pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. Por unanimidade, os senadores apoiaram a medida prevista na proposta de emenda à Constituição da senadora Rosalba Ciarlini (DEM-RN). A tentativa de substituir e generalizar o período da licença ocorre em pouco mais de dois meses da vigência do Programa Empresa Cidadã. A diferença é que o programa limita-se a incentivar a prorrogação da licença para seis meses nos órgãos públicos ou mediante incentivo fiscal às empresas que a ele aderirem.

11_mvg_adolescentes_gravida

 

No seu parecer, a relatora Serys Slhessarenko (PT-MT) lembra que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que nos seis primeiros meses a criança receba apenas o leite materno. Diz, ainda, que “do ponto de vista do desenvolvimento da criança e da formação de um vínculo afetivo seguro com os pais, o alongamento do período da licença-maternidade é extremamente benéfico”. A senadora afirma que inúmeras prefeituras municipais e estaduais já reconheceram esse benefício. “A ponto de uma centena de municípios e cerca de dez Estados terem se antecipado e concedido licença-maternidade de seis meses para as servidoras públicas”, informa.

Fonte: Portal Estadão

MPF em Belo Horizonte denuncia Valério e mais 26 por mensalão mineiro

Esquema teria favorecido candidatura de senador tucano em 1998. Caso teria precedido o mensalão, que ocorreu em âmbito nacional.

O Ministério Público Federal em Belo Horizonte informou nesta quarta-feira (19) que denunciou o publicitário Marcos Valério e outras 26 pessoas em razão do mensalão mineiro.

O esquema teria ocorrido em 1998 para beneficiar a candidatura ao governo de Minas do atual senador Eduardo Azeredo (PSDB). O senador foi denunciado em novembro do ano passado pelo Procurador-geral da República ao Supremo Tribunal Federal, em razão do foro privilegiado. 

O mensalão mineiro teria sido repetido pelo publicitário Marcos Valério em âmbito nacional no episódio que ficou conhecido como mensalão, em que parlamentares da base aliada recebiam para votar projetos de interesse do governo. Valério é réu no Supremo pelo caso do mensalão.

Os dois esquemas tinham o mesmo objetivo, segundo o MPF mineiro: obter recursos que não seriam contabilizados e superfaturar contratos de publicidade do Executivo. Em Minas, teriam sido desviados mais de R$ 3 milhões dos cofres públicos.

A denúncia, segundo a Procuradoria, foi oferecida à Justiça na segunda-feira (17).

Valério também é acusado de ter corrompido um juiz eleitoral para favorecer Azeredo durante a mesma campanha. O sócio do publicitário, Rogério Lanza Tolentino, é ex-juiz eleitoral, e também foi denunciado.

Segundo o MPF, as denúncias foram apresentadas à 4ª Vara da Justiça Federal em Belo Horizonte e os acusado, se condenados, podem pegar até 30 anos de prisão.

O advogado Marcelo Leonardo, que defende Marcos Valério, informou que ainda não tomou conhecimento da denúncia e, portanto, não poderia comentar o fato. 

O publicitário está preso desde 10 de outubro em razão da Operação Avalanche. Ele é suspeito de ter intermediado uma negociação para corromper policiais federais e favorecer uma cervejaria. A empresa negou relação com Valério. Além disso, a PF suspeita de que o publicitário teve acesso a informações privilegiadas sobre a operação.

Na terça (18), o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou habeas corpus a Valério.

Fonte: Portal G1

Dia da Consciência Negra é comemorado com feriado em mais de 300 cidades brasileiras

O Dia da Consciência Negra, na quinta-feira (20), será lembrado com feriado em 360 municípios do país. A lista das cidades pode ser conferida no site da Presidência da República.

A Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial afirma que o número de municípios é baseado em comunicações feitas pelas prefeituras. No entanto, é possível ocorram alterações. Em Florianópolis, por exemplo, não haverá feriado, apesar de a cidade constar da lista do governo federal.

No último dia 13, a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) informou que 303 cidades no país não terão atendimento bancário no dia 20, por conta do feriado.

No Estado de São Paulo, o feriado é comemorado em 97 cidades. Na cidade de São Paulo, a partir das 10h, haverá concentração da Marcha da Consciência Negra, na avenida Paulista, em frente ao Masp. A passeata irá terminar na praça Ramos, no centro.

Fonte: Folha On Line

Polícia encerra investigação sobre furto ao BC de Fortaleza; 122 são presos

Após mais de três anos, a Polícia Federal encerrou nesta quarta-feira as investigações do furto ao Banco Central de Fortaleza (CE), que ocorreu em agosto de 2005. Segundo a PF, foram presas 122 pessoas acusadas de terem ligações com o crime.

Do total, 18 já foram condenados, incluindo dois supostos chefes da quadrilha –Antônio Jussivan dos Santos, o Alemão, que está preso, e Moisés Teixeira da Silva, que está foragido. O terceiro suposto líder do assalto, Luiz Fernando Ribeiro, morreu após ter sido seqüestrado.

Foi o maior furto a banco do país –os assaltantes levaram R$ 164,8 milhões do BC. Nesse período, a polícia recuperou R$ 20 milhões em dinheiro e cerca de R$ 40 milhões em bens e imóveis.

Segundo o delegado Antonio Celso, delegado responsável pelas investigações, grande parte do dinheiro foi usada no tráfico de drogas, na compra de armas e no financiamento de novos furtos. Além disso, os principais envolvidos no crime foram extorquidos, inclusive por policiais. Dois policiais civis foram presos em São Paulo e outros quatro em Fortaleza (CE).

“Acho muito difícil que consigamos recuperar alguma coisa ainda”, disse. De acordo com Celso, a Polícia Federal dividiu a investigação em 13 células, cada uma gerando um inquérito, para facilitar o processo. Isso foi feito para evitar que a investigação se alongasse e os crimes acabassem prescrevendo.

“As grandes investigações com mais de 50 pessoas estão fadadas ao fracasso”, disse.

O último preso na Operação Toupeira foi o ex-prefeito de Boa Viagem (CE) Antônio Argeu Viena (PMDB), preso na semana passada. Ele é acusado de financiar a escavação do túnel, dando R$ 100 mil, e de receber cerca de R$ 4 milhões do dinheiro levado do BC.

Furto

À época, a quadrilha alugou um imóvel próximo ao Banco Central de Fortaleza e cavaram um túnel de 89 metros que dava acesso ao cofre do banco. Foram levados R$ 164,8 milhões, divididos entre os 36 membros da quadrilha diretamente ligados ao furto.

O assalto foi comandado por três quadrilhas, duas de São Paulo e uma do Ceará. Para chegar aos acusados, a PF manteve vigilância e grampeou telefones.

Por conta da investigação, os policiais chegaram a outro roubo a banco, no Rio Grande do Sul, quando 28 pessoas foram presas –algumas inclusive dentro do túnel cavado para o assalto.

Fonte: Folha On Line

ARTIGO – Dia Nacional da Consciência Negra: onde estão nossos Obamas?

Por César Costa de Araújo*

Veja também a pesquisa realizada pela Fundação Seade e pelo Dieese sobre o rendimento do negro em comparação ao não-negro.

Folha : renda do negro é metade da do não-negro

dia_da_consciencia_negra1A eleição de Barak Obama como primeiro presidente negro dos Estados Unidos parece não ter provocado muitas reflexões sobre a situação do negro no Brasil. É como se não tivéssemos nada a ver com a trajetória de um imenso grupo étnico que sofreu durante séculos a escravidão e o preconceito que até hoje é refletido em nossa realidade. É como se a luta de Obama por seu sonho, não fosse também a luta de muitos Obamas no Brasil. Não necessariamente o sonho de se tornar o cidadão número um do país, mas sobretudo para ascender socialmente e ocupar um espaço de destaque na sociedade, superando injustiças e desigualdades.

O Novembro de Obama também é o Novembro de Zumbi dos Palmares. No dia 20/11 celebramos sua história de luta pela liberdade e contra a exploração da sociedade escravista brasileira que nos deixou como legado uma história de exclusão e assimilação. Sociedade que não incorporou os negros libertos e cujo mercado de trabalho, substituiu em grande medida e sem parcimônia, a mão-de-obra escrava pelos imigrantes europeus, também explorados por uma elite branca predatória. A assimilação foi pensada pelas elites nacionais como “branqueamento” e desvalorização da cultura e identidade negras.

Hoje, 120 anos após o fim da escravidão, apesar da metade da população ser afro-descendente, ela não ocupa o mesmo espaço social na economia e na política brasileira. Embora uma cultura negra tenha resistido de forma heróica e quase silenciosa, a cultura nacional tentou encobrir as diferenças e esquecer o peso do passado. “Agora somos todos iguais” ou “Quem se esforçar pode chegar lá”. Estas falas ignoram as condições desiguais da população negra para disputar espaço de igual para igual com o restante da sociedade.

Como se fosse possível igualar um jogo de futebol onde os negros começam perdendo de 20 a 0 (zero) sem ter a mesma condição física e técnica do outro time, alijados que foram de direitos básicos tais como trabalho, saúde e educação.

Uma das faces mais perversas da globalização em sua origem foi a indiscriminada circulação de bens através do comércio ultramarino.

Vítimas da gana acumulativa das nações européias, milhões de negros foram arrancados de suas tribos e famílias na África, tidos como mais uma mercadoria, neste inescrupuloso comércio. A dominação de populações na África, na América e na Ásia foi fruto das disputas das nações do velho mundo por novos mercados e fontes de matérias primas. Com mais ou menos miscigenação, esses processos, no Brasil e no mundo, foram adotados da forma mais cruel que se possa imaginar, passando por extermínio, super-exploração, destruição da cultura e identidade, segregação e, essencialmente, exclusão.

Nesse sentido, Zumbi se junta a outros grandes ícones da luta pela liberdade, por justiça e igualdade. Negros e não-negros fazem parte desta história. Isso é importante, pois a história mostrou que a luta de um grupo étnico só é vitoriosa quando representa o respeito e valorização de todos os grupos tendo como foco central a dimensão humana comum a todos. No século passado, Marthin Luther King e Gandhi souberam fazer esta leitura e viveram para ecoar suas lutas em seus países e no resto do mundo.

Muito se avançou, mas ainda há muito por ser feito. Nos Estados Unidos, a luta pelos direitos civis e as políticas afirmativas não resolveram todos os problemas de desigualdade e injustiça. No entanto, é inegável o efeito de tais políticas para a população negra nos últimos 40 anos. As oportunidades foram aproveitadas e hoje, uma grande oportunidade foi gerada pela eleição de Obama para curar tais feridas e buscar uma união “mais perfeita” entre os americanos, não só brancos e negros, mas também latinos asiáticos e de outras origens.

No Brasil, iniciamos há poucos anos um conjunto de políticas afirmativas voltadas para as populações de origem negra e indígenas. Outras políticas favorecem diretamente as populações mais pobres, trabalhadores e migrantes. Apesar de toda luta e sofrimento, esses segmentos, a grande maioria da população, tem hoje na figura do presidente Lula, um exemplo que veio de baixo, plenamente identificado com estas lutas.

Há, todavia, muita hipocrisia e resistência a tais políticas, notadamente expressa pela mídia conservadora e outros setores da sociedade. Outra conquista importante é as cotas nas universidades públicas. Outro espaço que as elites se apropriaram historicamente em seu próprio benefício, e resistem agora em dividir.

Ambas as políticas são muito positivas e alguns pequenos resultados já podem ser notados. No entanto, é necessário que tais políticas amadureçam e tenham um alcance mais amplo. Certamente, assim como na experiência americana, só poderemos avaliar melhor os resultados dessas políticas em algumas décadas.

Apesar destes avanços, no mercado de trabalho, a situação continua muito desfavorável aos negros. Segundo o DIEESE, os negros ganham 50 a 70% a menos que os demais trabalhadores. Embora a diferença de renda venha caindo nos últimos anos, ela só será zerada em 2029, se o ritmo de redução da desigualdade continuar o mesmo. Em relação aos cargos de chefia, segundo o Instituto Ethos, apenas 3,5% são ocupados por negros.

Os números nos bancos são ainda mais estarrecedores. Segundo o relatório social da federação dos bancos (Febraban) de 2007, os negros representam apenas 2,4% do quadro funcional em todo o país, enquanto os brancos são 84,1%. Desde 2001, quando o DIEESE publicou uma pesquisa “O rosto dos bancários”, o movimento sindical tem denunciado a discriminação nos locais de trabalho e nas contrataões. Em 2005, o Ministério Público do Trabalho ajuizou ação contra os cinco maiores bancos por discriminação coletiva. Como resultado desta luta, a Fenaban, em conjunto com a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT), está construindo o Mapa da Diversidade da categoria bancária para conhecer detalhadamente o perfil da categoria. Este mapa será fundamental para que o movimento sindical formule políticas claras de combate à discriminação e de inclusão, cobrando ações efetivas dos bancos.

Nos Estados Unidos, há outros Obamas que venceram a luta contra a discriminação. No Brasil, já avançamos um pouco, mais precisamos ir muito além para fazermos com que apareça a verdadeira face deste país tão diverso racial, cultural e religiosamente falando. Aí então, encontraremos muitos outros Obamas, de todas as raças e de todos os credos, advindos dos extratos mais baixos e desfavorecidos da sociedade brasileira.

*César Costa de Araújo é assessor do Sindicato dos bancários de Brasília

Fonte: Seeb Brasília

Comunidade Européia: Disparidades salariais entre homens e mulheres

pict_20070313pht04107As disparidades salariais entre homens e mulheres continuam a variar entre 4% (em Malta) e mais de 25% (na Alemanha) nos estados-membros da Comunidade Européia. Nesse contexto, o Parlamento Europeu solicitou esta terça-feira formalmente à Comissão Europeia o início da revisão da legislação que incentive a igualdade da remuneração.

Para Portugal são citados valores de 2005, dando conta que os homens ganham em média quase 20% mais do que as mulheres.

Um relatório, da autoria da eurodeputada eslovena do Partido Popular, Edit Bauer, aprovado pelos deputados do PE refere que a persistência das disparidades “indicam progressos assaz lentos” (de 17%, em 1995, para 15%, em 2005), “apesar do significativo acervo legislativo em vigor há mais de 30 anos, das medidas adoptadas e dos recursos gastos para as reduzir”.

A eurodeputada diz ainda que, “contas feitas, uma mulher tem de trabalhar até 22 de Fevereiro do ano seguinte (ou seja, 418 dias de calendário) para ganhar o mesmo que um homem num ano”.

Fonte: http://jn.sapo.pt/

Maior parque automotivo do mundo está falido

 fawfabricayu3O governo injetou crédito nos bancos das montadoras para evitar que sua falta derrube muito as vendas de carros. Em outubro, elas declinaram 11%, mas o mês foi atípico para a economia como um todo, com o agravamento da crise financeira internacional. A ajuda dos governos federal e estaduais, porém, não indica nem de longe que as montadoras estejam em apuros. Suas vendas serão recordes já com os resultados de apenas dez meses do ano: 2,44 milhões de carros. Com a desaceleração econômica, seu desempenho não será tão brilhante quanto os 30% de expansão anual dos últimos dois anos, mas ainda assim não serão desapontadores.

Mercados emergentes, como o Brasil, Índia, China e Rússia, sustentaram as grandes montadoras mundiais em tempos difíceis. Algumas delas estão em franco declínio, especialmente na terra do automóvel, os Estados Unidos – General Motors, Ford e Chrysler não escaparão da bancarrota sem um auxílio do governo.

Desde o início de 2007, quando a DaimlerBenz desfez sua fracassada aliança com a Chrysler, a situação das montadoras americanas é pré-falimentar. De lá para cá elas sofreram pancadas que podem ser fatais. Até antes do agravamento da crise financeira, elas perderam receitas e posições de mercado por uma série de decisões erradas. Planos de aposentadoria ultragenerosos trouxeram uma conta demasiadamente pesada para a GM e a Ford em um momento em que a concorrência com os japoneses se acirrou. As “big three” de Detroit perderam fatias para os japoneses da Toyota em seu próprio mercado e sofreram cerrado ataque a suas posições nos demais mercados no mundo. Bem defendidas por um forte lobby em Washington, elas adiaram o quanto possível o desenvolvimento de novos modelos menos poluentes e, o pior de tudo, quando os altos preços do petróleo mostraram que haviam chegado para ficar, elas dependiam muito das receitas provenientes de veículos grandes e consumidores vorazes de combustível.

Enquanto os agressivos concorrentes japoneses e europeus, como a Renault, buscavam carros econômicos e baratos, para atuar também nos mercados em ebulição dos países emergentes, as montadoras americanas continuavam enredadas com seu modelo caro de produzir carrões que os clientes passaram a rejeitar cada vez mais

A crise financeira tornou insustentável uma situação financeira já crítica. GM, Ford e Chrysler foram abalroadas por um rápido declínio do mercado – queda de 15% nas vendas, que voltaram aos níveis dos anos 1980. Seus balanços não param de sangrar. No último trimestre, a GM perdeu US$ 4,2 bilhões e queimou US$ 6,9 bilhões de seu caixa para manter suas operações. O desempenho da Chrysler foi desesperador, com queda de 26% nas vendas. O Cerberus Capital Management, que a arrebatou da Daimler, procura vender a montadora e não encontra comprador. A negociação para fusão com a GM não prosperou por motivos óbvios – nenhuma delas tem mais recursos para investir e estão perdendo dinheiro como nunca.

Fonte: Blog do Favre

Caixa e BB lançam linha para servidor federal

SÃO PAULO, 18 de novembro de 2008 – A Caixa Econômica Federal (CEF) e o Banco do Brasil (BB) anunciaram ontem uma linha de crédito para os funcionários públicos federais adquirirem a casa própria, em uma tentativa de manter o crédito em alta, mesmo diante da crise financeira internacional. Cada banco prevê liberar R$ 4 bilhões, o que faz com que a linha de crédito tenha potencial de chegar a R$ 8 bilhões, com os recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE).

A medida faz parte de um acordo assinado ontem entre as duas instituições financeiras e os Ministérios do Planejamento e da Previdência Social. O objetivo é beneficiar inicialmente 1,3 milhão de servidores públicos federais, entre ativos, aposentados e pensionistas, com taxas de juros especiais e condições facilitadas. Serão contempladas as compras de imóveis em construção ou na planta.

Algumas regras valem para os dois bancos. Neste caso, serão dispensados os pagamentos das tarifas de avaliação jurídica (parte contratual) e da abertura de crédito, valores que podem chegar a R$ 900. O servidor terá a possibilidade de adiar o pagamento da prestação em um mês a cada ano, podendo escolher o mês, para poder conciliar seus gastos com o pagamento das prestações. As prestações serão consignadas, ou seja, podem ser abatidas nos holerites.

Outras regras são individuais. No caso das operações da CEF, as taxas de juros podem variar de 8,4% anuais a 11,5% ao ano, mais Taxa Referencial (TR). O valor do imóvel pode ser financiado em até 100%. Com carência de até seis meses, o mutuário pode levar até 30 anos (360 meses) para pagar o imóvel, com valor limitado a R$ 350 mil.

Além disso, o Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) no valor de até R$ 7 mil poderá ser incluído no financiamento do empreendimento. O limite do financiamento do imóvel dependerá do salário do servidor, disse a presidente da CEF, Maria Fernanda Ramos Coelho, em entrevista na sede do Ministério do Planejamento. Caso esteja inadimplente, com o nome inscrito na lista do Sistema de Proteção ao Crédito (SPC), o servidor terá que regularizar sua situação financeira para poder obter o empréstimo.

O convênio com a CEF beneficia ainda o servidor público que optar em usar a linha Construcard Caixa, consórcios imobiliários, de automóveis e de materiais de construção. Para o financiamento de material de construção, o mutuário terá prazo de até 60 dias para quitar suas dívidas. Já nos consórcios, ele terá desconto de até 100% na taxa de administração antecipada.

Fonte: http://jbonline.terra.com.br/

Martifer inaugura dois parques eólicos no Ceará

A empresa Rosa dos Ventos, controlada pela Martifer, inaugurou dois parques eólicos no Brasil (Ceará) com uma potência total de 14,7 megawatts (MW).

A empresa portuguesa calcula que a produção anual combinada dos parques eólicos de Canoa Quebrada e Lagoa do Mato, no Ceará, chegue a 61 mil megawatts por hora (MWh), o suficiente para abastecer uma cidade de 50 mil habitantes e evitar a emissão de cerca de 25.800 toneladas de dióxido de carbono.

As turbinas destes parques, segundo a Martifer, são as maiores já instaladas no Brasil, tanto em termos da potência unitária – 2,1 MW – como na altura das torres instaladas – 88 metros.

A Martifer Renewables tem actualmente 110 MW em construção, aos quais se juntam aos 53 MW em funcionamento que o grupo tem na Alemanha.

Além do Brasil, a empresa está presente na Alemanha, Espanha, Polónia, Roménia, Eslováquia, Ucrânia, Estados Unidos da América, Bulgária, Austrália, Grécia e Itália.

Fonte: Diário Digital /Lusa

Bancos do Brasil avançam entre os mais lucrativos

SÃO PAULO – Cinco bancos brasileiros – Bradesco, Banco do Brasil, Itaú, Unibanco e Santander – estão no ranking das 20 instituições financeiras de capital aberto da América Latina e Estados Unidos que registraram os maiores lucros no terceiro trimestre deste ano, aponta um estudo Economática. Em igual período de 2007, quatro instituições brasileiras constavam nessa lista (Itaú, Bradesco, Banco do Brasil e Unibanco).

De acordo com o estudo, o banco americano Wells Fargo encabeça o ranking, com um lucro de US$ 1,637 bilhão, seguido pelo BankAmerica, também dos EUA, com resultado de US$ 1,177 bilhão. O Bradesco ocupa neste ano a terceira posição no rol dos maiores lucros e o primeiro lugar entre os bancos brasileiros, com resultado líquido de US$ 997,9 milhões, seguido pelo Banco do Brasil, com US$ 975,3 milhões, e o Itaú (US$ 965,2 milhões). A operação do Santander no Brasil, que não aparecia no ranking dos vinte maiores lucros no ano passado, ocupa hoje a 16ª posição.

O gerente de Relações Institucionais da Economática, Einar Rivero, observa que os quatro bancos brasileiros que constavam no ranking do terceiro trimestre de 2007 tiveram uma significativa ascensão na lista deste ano. O Bradesco e o Banco do Brasil, por exemplo, estavam na 10ª e na 12ª posição em 2007, respectivamente. “O avanço dos bancos brasileiros no ranking dos maiores lucros entre as instituições da América Latina e dos EUA se deve ao grande buraco registrado pelos bancos americanos no terceiro trimestre.”

Fonte: Jornal Estadão

Cinco bancos brasileiros estão entre os 20 mais lucrativos do mundo

RIO – Cinco bancos brasileiros estão entre os vinte mais lucrativos do mundo, segundo estudo realizado pela consultoria Economatica, levando em consideração os resultados do terceiro trimestre de 2008 de instituições de capital aberto dos Estados Unidos e América Latina. São eles, Bradesco, Banco do Brasil, Itaú, Unibanco e Santander Br.

De acordo com o estudo, o maior lucro do terceiro trimestre de 2008 do setor pertence ao Wells Fargo: US$ 1,63 bilhão, valor 28,3% menor que o de 2007. Em terceiro lugar está o lucro do Bradesco, de US$ 997,9 milhões, 1,4% superior ao de 2007.

Entre os 20 bancos mais lucrativos da amostra estão esse ano nove bancos latinos. Entre eles, apenas Itaú e Unibanco tiveram queda de lucratividade no terceiro trimestre de 2008 contra 2007. Entre os americanos, apenas um teve crescimento no período, o State Street Corp.

A maior queda de lucratividade no terceiro trimestre de 2008 entre os latinos foi a do Unibanco, que teve redução de 43,6% em relação a 2007. O Santander Brasil foi o banco que apresentou o maior crescimento de lucros na comparação anual do período.

Considerando a união do Itaú com o Unibanco, o novo banco teria o segundo maior lucro da amostra ficando atrás somente do Wells Fargo. O lucro consolidado dos bancos no terceiro trimestre de 2008 seria de US$ 1,33 bilhão contra US$ 1,97 bilhão no mesmo período de 2007, queda de 32,4%.

Fonte: O Globo

Representantes de Itaú e Unibanco falam sobre fusão no Encontro de Dirigentes

Está confirmada a presença de representantes dos bancos Itaú e Unibanco no Encontro Nacional de Dirigentes de Itaú, Unibanco e HSBC. No dia 18, às 10h, eles farão uma apresentação sobre o processo de fusão entre as duas empresas.

O encontro acontecerá nos dias 17, 18 e 19 de novembro, em São Paulo, e visa definir as pautas específicas para a retomada das negociações permanentes junto aos bancos privados. Em dezembro, será a vez dos dirigentes de Santander, Real e Bradesco, que se encontrarão nos dias 8, 9 e 10 daquele mês.

“A intenção é reunir o maior número possível de dirigentes de cada banco de todas as partes do país para que possamos definir a estratégia e fortalecer o processo de negociação nas mesas permanentes, para que na campanha salarial do ano que vem a pauta fique livre para as negociações das questões gerais da cateogria”, exorta Miguel Pereira, secretário de Finanças da Contraf/CUT.

“Por isso conclamamos todos os dirigentes destes bancos a participarem, porque é importante que estejam informados e preparados para discutir os temas das mesas permanentes e assim preparar a mobilização”, acrescenta Carlindo Abelha, secretário de Organização da Contraf/CUT.

A Programação

Dia 17/11:
19h – Abertura, com o painel “A crise financeira internacional, seus impactos nos bancos e na economia brasileira”.

Dia 18/11:
10h – Apresentação dos representantes de Itaú e Unibanco sobre o processo de fusão.

– Reunião, por banco, para definição das reivindicações.

Dia 19/11:
9h às 12h – Discussão e aprovação das estratégias, calendários e demais elementos da campanha de mobilização e negociação.

Fonte: Contraf/CUT

Ocorre nos dias 20 e 21 a 4ª Reunião de Redes Sindicais de Bancos Internacionais

Nos dias 20 e 21 de novembro, a Contraf/CUT receberá dirigentes sindicais de toda a América Latina para a 4ª Reunião Conjunta das Redes Sindicais de Bancos Internacionais. O encontro visa promover a integração das ações sindicais internacionais entre Américas e Europa, organizando os bancários dos bancos estrangeiros e Multi Latino.

Os bancários de Itaú, Santander-Real, HSBC, Unibanco, BBVA e Banco do Brasil se reunirão para debater as situação específicas de cada país e buscar soluções conjuntas para os problemas comuns. “Trata-se de um evento da maior importância para os bancários de todo o continente e a participação dos dirigentes brasileiros é muito importante”, avalia Neemias Rodrigues, Secretario de Relações Internacionais da Contraf/CUT.

Os temas em discussão serão a crise financeira mundial, os bancos e os impactos nas Américas. Também serão debatidos os diagnósticos, planos de lutas, ações sindicais conjuntas e os resultados em cada rede, entre outros. “São todos temas atuais e que afetam a vida dos bancários de todos os países. Será um bom momento para trocar experiências”, avalia Ricardo Jacques, Coordenador do Comitê de Finanças da CCSCS e diretor da Contraf/CUT.

O evento acontecerá no Auditório da Contraf/CUT, na Rua Libero Badaró, 158, 1º andar, Centro, São Paulo – SP. A hospedagem será no Boulevard São Luís Hotel, na Av. São Luís, 234 – Centro – São Paulo. Telefone (5511) 3638-8500. Site: http://www.hotelboulevard.com.br/entrada-port.htm

As inscrições devem ser feitas até 31 de outubro de 2008. As entidades devem encaminhar a lista de participantes pelos e-mails: contrafcut@contrafcut.org.br e ricardojacques@contrafcut.org

Veja abaixo a programação do evento:

Dia 20 de Novembro – 4º Reunião Conjunta das Redes Sindicais de Bancos Internacionais. Neste dia teremos uma programação conjunta de debate para todos os participantes de todos os bancos.

08:00hs – Credenciamento

09:00hs – Abertura Internacional
A mesa será composta com representantes da UNI Américas Finanças, Comitê de Finanças da CCSCS, Projeto CUT/FNV – Ação Frente às Multinacionais e entidades brasileiras anfitriãs do evento.

10:00hs – Mesa I: Conjuntura Internacional e o Sistema Financeiro
Tema: A Crise Financeira Mundial, os bancos e os impactos nas Américas.
Expositor: Profº Ladislau Dowbor – Pós-Graduação em Economia e Administração da PUC SP

11:00hs – Debate

13:00hs – Almoço

14:30hs – Mesa II: Quadro organizativo das Redes 2001- 2008
Tema: os diagnósticos, os planos de lutas, as ações sindicais conjuntas, e os resultados em cada Rede.
Expositor: a definir (30 minutos)
Comentário: entidades nacionais de cada país (uma hora).

16:00hs – Debate

17:00hs – Cooffe break

17:15hs – Deliberação Conjunta 2008/2009
a) Ação Sindical Conjunta – Jornada Internacional de Luta 2008 – Proposta Semana de 08 a 12 de dezembro.
b) Agenda 2009 – Prioridades
c) Mapa da Diversidade
d) Homenagem a Leônidas Gómez

19:00hs – Encerramento das atividades do dia

Dia 21 de Novembro – Neste dia teremos reuniões conjuntas da CCSCS com a UNI por banco, com a participação do Projeto CUT/FNV: Santander, Real (ex-ABN Amro) BBVA, HSBC, Itaú, UNIBANCO e Banco do Brasil. Neste dia atualiza-se o diagnóstico e a estratégia de ação sindical em cada banco para o período 2008/2009, com a organização do Dia Internacional de Luta (unificado).

08:00hs – Inicio das reuniões:
Reunião Conjunta do Grupo Santander e Grupo ABN Amro
Reunião Conjunta do Grupo BBVA
Reunião Conjunta do Grupo HSBC
Reunião Conjunta do Grupo Itaú
Reunião Conjunta do Grupo UNIBANCO
Reunião Conjunta do Banco do Brasil

14:00hs – Encerramento das reuniões conjuntas

14:00hs – Almoço

15:00hs – Apresentação das deliberações das Reuniões Conjuntas de cada banco e ato de conclusão dos trabalhos.

17:00hs – Comissão de Relatoria das Reuniões Conjuntas.
a) Elaboração das Atas de cada Reunião
b) Ajustes de conteúdo e aprovação do boletim da Rede Global Bancária

19:00hs – Assinatura das Atas e Encerramento das atividades.

Fonte: Contraf/CUT

Prazo para inscrições no Encontro Nacional de Formação se encerra dia 17/11

As inscrições para o Encontro Nacional de Formação da Contraf/CUT – Homenagem a Celso Furtado, se encerram na próxima segunda-feira, dia 17. O evento acontecerá nos dias 25 e 26 de novembro, na sede da confederação, e contará com a participação da ministra da Casa Civil Dilma Roussef e do presidente nacional da CUT Arthur Henrique, além de outras personalidades.

O encontro contará ainda com a participação de Fernando Anitelli, líder do grupo O Teatro Mágico, que falará sobre mídia alternativa e produção independente. Anitelli também fará uma apresentação com músicas do grupo, acompanhado do violinista Galdino Octopus.

O objetivo do coletivo nacional de formação com a realização do evento é debater temas que vão além da própria área, tratando de problemas e questões atuais e para as quais os sindicalistas precisam estar preparados. “Por isso, optamos por homenagear o economista Celso Furtado, pois sua obra dialoga diretamente com a questão do desenvolvimento, que é central no país hoje”, explica Deise Recoaro, secretária de Formação da Contraf/CUT.

Serviço:
Encontro Nacional de Formação
Local: Sede da Contraf/CUT (Rua Líbero Badaró, 158 – 1º andar – São Pauilo)
Data: 25 e 26 de novembro
Público Alvo: dirigentes, militantes e assessores sindicais de todo país.
Limite de vagas: 150 pessoas, devido ao espaço físico.
Taxa de inscrição: R$ 50,00 por participante, depositar: BB agência 3324-3, c/c 18.185-4 em nome de Eventos Contraf
Inscrição: contrafcut@contrafcut.org.br
Prazo para inscrição: 17/11/2008
OBS.: As despesas com transporte, hospedagem e refeição, são por contas das entidades

Veja a programação completa do encontro:

Primeiro Dia
09:00 Abertura
10:00
Exibição do documentário:
O Longo Amanhecer – Cinebiografia de Celso Furtado.(73min.)

11:30
Depoimento de Rosa Freire d’Aguiar Furtado – Centro Celso Furtado.

13:00 Almoço

14:30
Desenvolvimento sustentável – Arilson Favareto UFABC.
Desenvolvimento sob a perspectiva da mulher – Nalu Faria SOF.
Economia solidária e desenvolvimento – Gilmar Carneiro ECOSOL

19:00
Cultural: Debate e apresentação de Fernando Anitelli acompanhado do violinista Galdino Octopus, do grupo O Teatro Mágico

Segundo Dia
09:00
Desenvolvimento Econômico e o papel do Estado – Ministra Dilma Rousseff (a confirmar)
Estratégia da CUT para o desenvolvimento e soberania – Artur Henrique
O papel dos Bancos para o desenvolvimento: a visão da Contraf – Carlos Cordeiro

12:30 Encerramento

Fonte: Contraf/CUT

CUT: Lula convocará centrais para debater medidas de combate à crise

“Vagner, chegando ao Brasil vou conversar com as centrais sindicais, porque, neste momento, acima das pautas corporativas, precisamos ouvir todos os atores sociais e encontrar formas para enfrentar a crise”. Com estas palavras, dirigidas ao secretário de Política Sindical da CUT Nacional e presidente da Contraf/CUT, Vagner Freitas, o presidente Luís Inácio Lula da Silva convocou os sindicalistas brasileiros na tarde da última sexta-feira (14). Na oportunidade, dirigentes da Central Sindical Internacional (CSI) entregaram aos líderes mundiais do G20 propostas que priorizam a produção e defendem mecanismos de controle dos mercados financeiros, com ênfase na geração de emprego e renda, proteção social dos trabalhadores e diálogo social.

O representante cutista, ao lado do secretário geral da CSI, Guy Ryder, apresentou, em nome da delegação internacional, o documento com as propostas de saída para a crise aos chefes de governo. Como coordenador do G20, o presidente Lula comprometeu-se a encaminhar as contribuições a todas as lideranças.

Conforme Vagner, “o presidente Lula nos disse que precisamos de alternativas para a saída, contemplando em primeiro lugar a questão do emprego”. “O presidente declarou que, neste momento, o G20 tem que ser mais do que um agrupamento econômico, ser político. E mais, que as lideranças dos países emergentes precisam de alternativas sociais, distanciadas das velhas fórmulas fiscais”, relatou.

Segundo o representante cutista, “o presidente Lula também fez críticas à atuação do FMI e do Banco Mundial, defendendo que os organismos internacionais devem passar a cumprir outro papel, pois condicionando e interferindo nas políticas internas dos países pobres se esqueceram de controlar os abusos dos países mais ricos”.

Fonte: CUT

Diabetes afeta 246 milhões de pessoas no mundo

BRASÍLIA – Você passa horas assistindo televisão e comendo guloseimas? Tem vida sedentária e vive brigando com a balança? Se respondeu sim a uma dessas perguntas você é um forte candidato a desenvolver o diabetes. A doença afeta cerca de 246 milhões de pessoas no planeta e foi lembrada na última sexta-feira, 14/11, Dia Mundial do Diabetes.

O tema da campanha de prevenção a doença é o mesmo adotado no ano passado: diabetes em crianças e adolescentes, como explica a presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes, Marília de Brito Gomes.

– É um dia mundial pra gente alertar a população sobre a doença. Ou seja, que nós devemos tomar medidas preventivas para evitar que ocorram novos casos de diabetes.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o diabetes causa 5% de todas as mortes por ano, e 80% das pessoas que têm a doença vivem em países de baixa ou média renda. A estimativa é de que, até 2025, esse número aumente para 380 milhões de pessoas.

Dados do Ministério da Saúde apontam que a ocorrência do diabetes no Brasil é de 5,2% na população acima de 18 anos, o que representa cerca de 7 milhões de pessoas.

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão afirma que 40% da população está acima do peso e entre eles estão os jovens e adolescentes.

– A garotada cada vez mais está ligada na internet, na televisão e no video game e às vezes sem lugar pra brincar fica muito dentro de casa sem fazer atividade física. E Isso está criando no mundo, não só no Brasil, uma epidemia de obesidade e de diabetes.

Temporão defende que a solução para enfrentar o problema é educação e informação, mudança de padrão alimentar e prática reguçar de atividade física.

Fonte: Jornal do Brasil

Portabilidade numérica chega a Santa Catarina, Ceará e Maranhão

São Paulo – Com nova fase, 39,7 milhões de usuários em nove capitais poderão optar por mudança de operadora mantendo mesmo número de telefone.

Na próxima segunda-feira (17/11), a portabilidade numérica chega aos DDDs 48, em Santa Catarina; 85 e 88 no Ceará e 98 e 99 no Maranhão permitindo que mais 10,5 milhões de brasileiros tenham a opção de trocar de operadora mantendo o mesmo número de telefone fixo ou móvel.

Conforme informa a ABR Telecom, entidade administradora da portabilidade numérica, com esta quarta fase de implantação, na segunda-feira, 39,7 milhões de usuários em nove capitais brasileiras serão beneficiados pela portabilidade.

Até o final deste mês de novembro, a Portabilidade estará disponível para 50,5 milhões de usuários que vivem nas áreas programadas para implantação do serviço. O cronograma de implantação prevê que os mais de 180 milhões de usuários de telefonia no País estarão atendidos pelo novo serviço até o dia 2 de março de 2009.

Desde o início da portabilidade no País, 41.835 usuários foram transferidos de operadora – de um total de 71.276 solicitações de migração – sendo 58% (24.262) em telefonia móvel e 42% (17.573) em serviços de telefonia fixa.

Fonte: http://idgnow.uol.com.br/