Alexandre Frota denuncia: Record manipula resultado de ‘A Fazenda’ e Scheila Carvalho já é vencedora

Alexandre Frota voltou a causar esta semana, e, desta vez, não foi com as histórias contadas em sua polêmica biografia. Em entrevista por e-mail ao site ‘F5’, do jornal ‘Folha de S. Paulo’, o ator, apresentador e executivo de televisão, disse que ‘A Fazenda’ tem os resultados manipulados.

“[Existem] alguns contrato celebrados por fora e que jamais serão apresentados”, revelou o artista, que ainda completou:  “[Alguns participantes] têm dois contratos assinados: um de participação e um da vitória. Este último é assinado fora, em um banco, em duas vias. Esse contrato fica em uma gaveta de banco, uma chave com cada um dos interessados. Abre no final e é queimado na presença das partes interessadas”.

Na entrevista, ele garante que na atual edição tudo está preparado para dar a vitória a Scheila Carvalho, ex-dançarina do É o Tchan. Ainda de acordo com a publicação, Frota falou que foi por meio de um contrato como o descrito, que saiu a vitória a Dado Dolabella (“A Fazenda”), Karina Bacchi (“A Fazenda 2”), Joana Machado (“A Fazenda 4”) e Viviane Araújo (“A Fazenda 5”). À reportagem, o ator não cita Daniel Bueno, vencedor de “A Fazenda 3”, nem Angelis Borges, vencedora da “Fazenda de Verão”.

Segundo o F5, a Central Record de Comunicação disse que todas as votações de “A Fazenda”, em todas as suas edições, são auditadas por consultorias independentes e nega qualquer tipo de manipulação. “O processamento dos votos também envolve outros prestadores de serviço. São dezenas de profissionais envolvidos que nos garantem a lisura dos resultados. Temos o compromisso de fazer valer a vontade do nosso telespectador”, diz o comunicado.

Via http://www.ibahia.com/

Filhos de Dominguinhos já começaram a brigar pela herança do cantor

* Por Aline Scatolin

O cantor Dominguinhos nem esfriou direito ainda e os filhos dele já começaram a brigar pelos bens. O filho Mauro Moraes acusou a meia-irmã Liv Moraes e a madrasta Guadalupe Mendonça, de terem ficado com os R$ 190 mil arrecadados em um tributo ao sanfoneiro, realizado em Pernambuco.

“Dominguinhos tinha plano de saúde. Acredito que seja para pagar dívidas pessoais de Guadalupe”, afirmou a advogada de Mauro.

Já Gilvany Brasileiro, representante de Liv e sua mãe, garantiu que as clientes contraíram uma grande dívida com o músico:

“Há dívidas, sim, elas não morreram com ele. Foi um tratamento pesado. Se há bens, não é da noite para o dia que eles se transformam em dinheiro”,  disse.

Dominguinhos lutava há seis anos contra um câncer de pulmão e morreu no último dia 20, aos 72 anos, vítima de complicações infecciosas e cardíacas.

Sempre complicado essa história de dividir bens.. Nunca todas as partes vão ficar satisfeitas.

Via http://wp.clicrbs.com.br/napontadalingua/

Candidata aprovada consegue na justiça nomeação em concurso público para o BNB

O Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região determinou a nomeação imediata de uma candidata aprovada em concurso público para o cargo de Advogada do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Pólo Piauí. Ela foi aprovada na 14ª colocação, mas não havia sido convocada. Com isso, ela ajuizou ação contra o banco alegando que empresas terceirizadas estavam ocupando a vaga que deveria ser de profissionais concursados. A ação foi julgada improcedente na primeira instância, mas, após recurso, o pedido foi reconhecido pela 2ª Turma do TRT/PI. 

Nos autos, a candidata informou que obteve a 14ª colocação dentre 74 aprovados. Porém, ela destacou que o banco havia contratado três escritórios de advocacia de forma terceirizada. Ela frisou que esta ação constituía afronta aos princípios constitucionais da isonomia, legalidade, impessoalidade e moralidade, uma vez que os advogados terceirizados ocupavam vagas que deveriam ser dos concursados. 

juiz de primeiro grau julgou improcedente o pedido da ação, julgando extinto o processo com resolução do mérito, por entender que há dissociação entre as atividades desenvolvidas pelos advogados que fazem parte do quadro do BNB e os advogados contratados, afigurando-se lícita a contratação de Escritórios de Advocacia para o desempenho de atividades básicas em locais não servidos por sua Assessoria Jurídica, ou, mesmo quando servidos, se houver a necessidade que justifique a atuação de terceirizados em face da natureza da causa.

O banco reforçou ainda, dizendo que a aprovação em concurso público não cria para o aprovado o direito à nomeação, mas mera expectativa. Disse também que não existe ilicitude na prática concomitante da terceirização de serviços jurídicos e a manutenção de quadro próprio de advogados e ainda que os serviços jurídicos não correspondem à atividade fim do BNB, e sim à atividade-meio, o que torna lícita a terceirização.

Para o desembargador Laércio Domiciano, relator do recurso, ao promover o concurso público, mesmo que inicialmente para a formação de cadastro de reserva, a instituição se compromete a contratar os aprovados, pois o certame publico afigura-se como uma promessa de contratação, desde que haja necessidade do serviço, fato que restou incontestável, em face da contratação de sociedades de advogados, de forma terceirizada.

“Ao se inscreverem de boa fé no certame público, os candidatos arcam com os custos do processo de seleção, se dedicam à preparação com a expectativa de que, sendo aprovados, preenchidos os requisitos legais e, desde que haja necessidade do serviço, como na presente hipótese, a contratação corresponde a um direito inafastável”, argumentou o relator. 

O desembargador citou ainda jurisprudência do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça que já se manifestaram em caso semelhante. “O STF já entendeu que uma vez comprovada a existência da vaga, sendo esta preenchida, ainda que precariamente, fica caracterizada a preterição do candidato aprovado em concurso”. 

Dessa forma, o desembargador entendeu que a terceirização ocasionou a preterição na contratação dos candidatos aprovados no concurso, posto que diante da necessidade de serviço jurídico, caracterizada pela contratação de escritórios de advocacia terceirizados pelo banco recorrido, originou-se o direito à contratação dos candidatos habilitados.

Com isso, o relator determinou a imediata convocação e contratação da candidata aprovada. Seu voto foi seguido por todos os desembargadores que compõem a 2ª Turma do TRT/PI. 

Fonte: TRT-PI

HSBC desrespeita requalificação de demitidos

O Sindicato dos Bancários recebeu denúncias que demitidos sem justa causa do HSBC estão sendo desrespeitados ao solicitar reembolso de requalificação profissional, um direito previsto na Convenção Coletiva de Trabalho. 

De acordo com a CCT vigente, os empregados dispensados sem justa causa a partir de 01 de setembro de 2012, terão direito a realizar cursos de qualificação e requalificação profissional. Para isso bastar escolher uma instituição de ensino ou entidade sindical profissional e em seguida encaminhar nota fiscal ao banco para solicitar o pagamento direto à empresa ou o reembolso. 

Contudo, nas denúncias que chegaram ao Sindicato, alguns gestores estão dificultando a entrega do documento no setor Premier Internacional (HSBC Vila Hauer). 

Em um dos casos, o empregado aguardou pelo atendimento do gestor por mais de três horas e mesmo após esperar não foi atendido. “Não sabemos o real motivo da postura desses gestores. Talvez não saibam qual o encaminhamento devem dar ao documento e se negam a receber. Ou ainda, simplesmente por se tratar de um bancário demitido, acreditam poder desrespeitá-lo e discriminá-lo. O fato é que essa prática caracteriza danos morais”, esclarece Cristiane Zacarias, diretora do Sindicato e funcionária do HSBC. 

O Sindicato solicitou que o RH do HSBC tome providências, para informar aos seus gestores sobre os corretos procedimentos, e em tendo dúvidas, quais canais consultar. 

Consulte abaixo a CCT: 

CLÁUSULA 58ª REQUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL 

No período de vigência desta Convenção Coletiva de Trabalho, o banco arcará com despesas realizadas pelos seus empregados dispensados sem justa causa a partir de 1º.09.2012, até o limite de R$ 1.047,11 (um mil, quarenta e sete reais e onze centavos), com Cursos de Qualificação e/ou Requalificação Profissional, ministrados por empresa, entidade de ensino ou entidade sindical profissional, respeitados critérios mais vantajosos. 

Parágrafo Primeiro
O ex-empregado terá o prazo de 90 (noventa) dias, contados da data da dispensa, para requerer ao banco a vantagem estabelecida.
 

Parágrafo Segundo
O banco efetuará o pagamento, diretamente à empresa ou entidade, após receber, do ex-empregado, as seguintes informações: identificação da entidade promotora do curso, natureza, duração, valor e forma de pagamento do curso.
 

Parágrafo Terceiro
O banco poderá optar por fazer o reembolso ao ex-empregado.
 

Parágrafo Quarto
Os empregados dispensados até 31.08.2012, estão abrangidos pelas condições da Convenção Coletiva de Trabalho 2011/2012.

Por: Paula Padilha
SEEB Curitiba 

Gerente do Bradesco e sua esposa são sequestrados na Bahia

O gerente do Bradesco de Cândido Sales, no sudoeste baiano, foi sequestrado na manhã desta terça-feira (30), em sua própria residência, por volta das 6h. A esposa do bancário também foi levada como refém pelo grupo de assaltantes, que estava em dois carros. 

O Subcomandante da Cipe/Sudoeste, Vagner Ribeiro, disse que ainda não houve pagamento de resgate. “O funcionário foi obrigado a retirar o resgate na agência, mas chegando ao local sofreu um desmaio e as orientações foram repassadas ao subgerente. Nesse momento, a polícia também foi acionada e o assalto acabou sendo frustrado”, afirmou.

Ainda de acordo com a polícia, a ação dos sequestradores teve início na cidade de Vitória da Conquista. Somente por volta das 11h, a esposa do gerente foi libertada próximo ao distrito de Veredinha, de onde conseguiu uma carona de volta até Cândido Sales. O gerente continua em poder dos sequestradores.

As informações são do Brumado Noticias.

Lucro do Itaú e do Bradesco é maior que a economia de mais de 30 países

lucro de R$ 7,055 bilhões do Itaú Unibanco no primeiro semestre é maior do que toda a economia de 33 países. 

PRODUTO INTERNO BRUTO EM 2012

País PIB (em US$ milhões)
Eritréia 3.092
Guiana 2.851
Aruba 2.584
Burundi 2.472
Lesoto 2.448
Maldivas 2.222
República Centro-africana 2.139
Cabo Verde 1.897
Butão 1.780
Libéria 1.767
Belize 1.448
Timor Leste 1.293
Djibuti 1.239
Santa Lúcia 1.186
Antígua e Barbuda 1.176
Seychelles 1.032
Ilhas Salomão 1.008
Gâmbia 917
Guiné-Bissau 897
Granada 790
Vanuatu 785
São Cristóvão e Névis 748
São Vicente e Granadinas 713
Samoa 677
Ilhas Comores 596
Dominica 480
Tonga 472
Micronésia 327
São Tomé e Príncipe 264
Palau 228
Ilhas Marianas do Norte 187
Kiribati 176
Tuvalu 37
  • Fonte: Banco Mundial

De acordo com um levantamento feito peloUOL com dados do Banco Mundial, os ganhos do maior banco privado brasileiro apenas no primeiro semestre (cerca de US$ 3,11 bi) são maiores do que o PIB (Produto Interno Bruto) de Aruba, Cabo Verde e Butão, por exemplo.

Os 33 países mais pobres do mundo ficam principalmente na África, Oceania, Ásia e América Central. O ranking do Banco Mundial compara a economia de 190 países.

Em 2012, a economia brasileira foi considerada a sétima maior do mundo, atrás de Estados Unidos, China, Japão, Alemanha, França e Reino Unido.

Bradesco ‘ganha’ de 30 países; Santander, de 21

O segundo maior banco privado brasileiro teve lucro líquido de R$ 5,86 bilhões no primeiro semestre, no maior ganho de sua história.

Esse resultado é maior do que a economia de 30 países, segundo dados do Banco Mundial.

Santander, por sua vez, registrou no primeiro semestre lucro de R$ 2,929 bilhões (cerca de US$ 1,29 bilhão) apenas no Brasil. Esse resultado é maior do que o PIB de 21 países, também segundo informações do Banco Mundial.

Bancos brasileiros estão entre os que mais ganham com juros no mundo

Os juros cobrados pelos bancos brasileiros são um dos fatores que fazem os lucros serem cada vez maiores.

Segundo um levantamento do blog Achados Econômicos, o Itaú, apesar de ser só o 39º maior banco do mundo no ranking geral da revista britânica “The Banker”, é o 13º quando o assunto é cobrança de juros.

O conglomerado financeiro recebeu US$ 27,687 bilhões com empréstimos no ano passado.

Os três maiores bancos do país (Itaú, Banco do Brasil e Bradesco) ganharam, juntos, US$ 72 bilhões com juros em 2012.

Entenda como é feito o cálculo do PIB

O PIB (Produto Interno Bruto) é a soma de todos os bens e serviços produzidos em um país durante certo período. Isso inclui do pãozinho até o apartamento de luxo.

O índice só considera os bens e serviços finais, de modo a não calcular a mesma coisa duas vezes. A matéria-prima usada na fabricação não é levada em conta. No caso de um pão, a farinha de trigo usada não entra na contabilidade.

Um carro de 2011, por exemplo, não é computado no PIB de 2012, pois o valor do bem já foi incluído no cálculo daquele outro ano.

O primeiro fator que influencia diretamente a variação do PIB é o consumo da população. Quanto mais as pessoas gastam, mais o PIB cresce. Se o consumo é menor, o PIB cai.

O consumo depende dos salários e dos juros. Se as pessoas ganham mais e pagam menos juros nas prestações, o consumo é maior e o PIB cresce. Com salário baixo e juro alto, o gasto pessoal cai e o PIB também. Por isso os juros atrapalham o crescimento do país.

Os investimentos das empresas também influenciam no PIB. Se as empresas crescem, compram máquinas, expandem atividades, contratam trabalhadores, elas movimentam a economia. Os juros altos também atrapalham aqui: os empresários não gastam tanto se tiverem de pagar muito pelos empréstimos para investir.

Os gastos do governo são outro fator que impulsiona o PIB. Quando faz obras, como a construção de uma estrada, são contratados operários e é gasto material de construção, o que ele eleva a produção geral da economia.

As exportações também fazem o PIB crescer, pois mais dinheiro entra no país e é gasto em investimentos e consumo.

(Economia Uol)

Bancários pedem reajuste salarial de 11,93%, sendo 5% de aumento real

São Paulo – O Comando Nacional dos Bancários entregaram nesta terça (30) a pauta de reivindicações dos trabalhadores à Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).

As revindicações dos bancários são: reajuste salarial de 11,93%, sendo 5% de aumento real, além da inflação projetada de 6,6%; Participação nos Lucros e Resultados de três salários mais R$ 5.553,15; piso salarial de R$ 2.860,21; vales-alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá no valor de R$ 678; fim das demissões em massa; ampliação das contratações; combate às terceirizações e contra o Projeto de Lei 4330 (que libera a terceirização e precariza as condições de trabalho); além da aprovação da Convenção 158 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que inibe a dispensa imotivada.

A pauta ainda pede o fim das metas abusivas e assédio moral, que segundo o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, submete a categoria à pressão por cumprimento de metas, o que tem provocado alto índice de adoecimento dos bancários; mais segurança nas agências bancárias, com a proibição do porte de chaves de cofres e das agências por funcionários; igualdade de oportunidades, com contratação de pelo menos 20% de trabalhadores afrodescendentes.

“Também queremos mostrar aos clientes que quanto mais os bancos contratarem, mais rápido será o serviço nos bancos e os clientes enfrentarão menos filas”, disse a presidenta do sindicato, Juvandia Moreira.

Ela explicou que a categoria vai reivindicar a redução das taxas de juros e das tarifas bancárias. “Neste semestre, a receita obtida com as tarifas aumentou muito. E não pelo crescimento nem pela melhoria dos serviços, mas pelo aumento das tarifas. Esta é apenas uma das receitas dos bancos. Então, significa que o cliente está pagando mais tarifa”.

Participaram do ato no centro da capital representantes dos sindicatos. Procurada pela Agência Brasil, a Fenaban não se manifestou até o momento sobre a pauta de reivindicações. Os bancários somam 500 mil no país, dos quais 141 mil trabalham em São Paulo, Osasco e na região.

(Exame Online)

Justiça condena Bradesco a indenizar funcionário em R$ 250 mil

O Banco Bradesco S. A. terá que pagar uma indenização por danos morais de R$ 250 mil a um empregado que ficou incapacitado para o trabalho e foi aposentado por invalidez, em decorrência de uma lesão por esforço repetitivo (LER). A decisão é da Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TS), que não aceitou o pedido do banco sobre a redução do valor.

O funcionário trabalhava como caixa e registrava, em média, de 250 a 300 autenticações por dia. De acordo com a perícia, os problemas adquiridos pelo empregado (síndrome do túnel do carpo, tendinite do supraespinhoso e tendinite dos flexores do punho) estão relacionados diretamente com as atividades que desenvolvia. No entendimento da Justiça, ficou comprovado a culpa da empresa, que não proporcionou ambiente e condições de trabalho adequadas.

Em sua defesa, o banco alegou que sempre cuidou dos seus empregados, realizando exames periódicos e desenvolvendo programas de prevenção da LER, e pediu a redução do valor da indenização. A empresa interpôs embargos declaratórios, que aguardam julgamento.

Procurado, o Bradesco disse que ‘o assunto está sub judice e o banco não comenta’.

(Extra Online)

Justiça manda Banco do Brasil devolver quase R$ 3 milhões à Prefeitura de Campina Grande

Depois de várias ações e diligências realizadas pela Procuradoria Geral do Município de Campina Grande, a Justiça Federal decidiu que o Banco do Brasil devolva quase R$ 3 milhões aos cofres do poder público municipal. Os valores haviam sido sequestrados durante o processo de cobrança de dívidas relativas a contratos firmados entre a prefeitura e a instituição, por gestões anteriores, e que tinham deixado de ser pagos pela administração do ex-prefeito Veneziano Vital do Rêgo. 

A decisão final do processo foi do juiz titular da 4ª Vara Federal, Rogério Gonçalves de Abreu. O magistrado acatou os embargos de declarações impetrados pelo procurador-geral do Município. A liberação aconteceu depois que o desembargador do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, sediado em Recife (PE), Élio Siqueira, mandou reduzir o valor da parcela mensal para quitar débitos da PMCG de mais de R$ 3 milhões para R$ 120 mil. 

“Para nós da Procuradoria, é mais uma grande vitória. Durante todo o processo sustentamos a inviabilidade do poder público municipal arcar com a cobrança que era feita, por ela ser danosa ao erário público, e conseguimos fazer com que a Justiça compreendesse isso. O próximo passo será reduzir o montante da dívida, que ultrapassa os R$ 120 milhões, para que a prefeitura possa fazer novos financiamentos, a exemplo do segundo anel viário”, explicou o procurador-geral José Fernandes Mariz. 

As ações da PGM foram embasadas em uma teoria de origem alemã, da “Reserva do Possível”; uma inovação em termos jurídicos e que deverá modificar o entendimento do Judiciário em todo o Brasil. “Cabe unicamente à União (Governo Federal) a devolução dos valores antes existentes na conta do Município autor, porém transferidos indevidamente pelo Banco do Brasil para conta pertencente à União, sob o comando desta”, ressaltou o magistrado em sua sentença. 

Com a devolução do montante, os recursos deverão ser investidos em programas e projetos em áreas essenciais à administração municipal, como Educação, Saúde e em obras de infraestrutura.

Via http://www.clickpb.com.br/

Campanha Nacional 2013: Confira principais reivindicações das pautas da Fenaban, BB e Caixa Federal

Fenaban

A pauta de reivinidicações da Campanha Nacional Unificada foi definida por 630 delegados, eleitos pelos trabalhadores de todo o país, durante a 15ª Conferência Nacional dos Bancários, realizada entre 19 e 21 de julho, em São Paulo. Nela constam todos os pontos que a categoria exige dos bancos, representados pela Fenaban, para a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). Abaixo, os principais itens da pauta.

15ª  Conferência define pauta da Campanha Nacional Unificada
Video: presidenta do Sindicato comenta a pauta de reivindicações

Além da pauta geral da categoria, há também as específicas do Banco do Brasil e da Caixa, detalhadas também nesta página.
 

Pauta de Reivindicações Fenaban
Reajuste Salarial
11,93%
(5% de aumento real, além da inflação projetada de 6,6%)
PLR
3 salários + R$ 5.553,15
Verbas
Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá
R$ 678 ao mês para cada (salário mínimo nacional);
Piso
R$ 2.860,21 (salário mínimo do Dieese)
Escriturário – 
R$ 2.860,21

Caixa – R$ 3.861
1º Comissionado – 
R$ 4.862

1º Gerente – R$ 6.435
Saúde e Condições de Trabalho
Melhores condições com o fim das metas individuais
e abusivas e do assédio moral que adoece os bancários
Emprego
Fim das demissões em massa, ampliação das contratações, aumento da inclusão bancária, combate ao PL 4330, que libera a terceirização e precariza as condições de trabalho, além da aprovação da Convenção 158 da OIT (que inibe dispensa imotivada)
Carreira
Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) para todos os bancários
Auxílio-educação
Pagamento para graduação e Pós-Graduação
Segurança
Mais segurança e proibição do porte das
chaves de cofres e agências por bancários
Igualdade de oportunidades
Igualdade de oportunidades para bancários e bancárias, com a contratação de pelo menos 20% de trabalhadores afro-descendentes
Pauta geral
Fim do fator previdenciário, contra o PL 4330, pela reforma política, reforma tributária, pela democratização dos meios de comunicação, mais investimentos para a Saúde, para a Educação e transporte público de qualidade, além da regulamentação do Sistema Financeiro Nacional

Caixa Federal

Tudo o que vale na pauta geral, entregue para a Fenaban, vale também para os empregados da Caixa Federal. Porém, além dela há também uma específica só para os trabalhadores deste banco, definida durante o 29º Conecef (Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Federal) ocorrido nos dias 17, 18 e 19, em São Paulo, com a participação de 337 delegados.

> Empregados definem pauta a ser entregue à Caixa
Vídeo: matéria especial sobre o 29º Conecef

Essa pauta visa a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho Aditivo a Convenção Coletiva de Trabalho. Leva o nome “Aditivo” justamente porque acrescenta direitos aos já previstos na CCT.

Pauta de Reivindicações Específicas Caixa Federal
Saúde do trabalhador, condições de trabalho e Saúde Caixa
Fim do  assédio moral;

Medição e adequação obrigatória dos índices de ruído, luminosidade e temperatura no ambiente de trabalho, a cada seis meses;

Cobertura pelo Saúde Caixa de fisioterapia, RPG,
acupuntura e psicoterapia, sem limite de sessões e sem
exigência de autorização da auditoria ou da Gipes;

Eliminação da carência de 15 dias entre um atendimento
e outro quando se tratar de pronto-socorro, entre outras;

Adicional de periculosidade aos empregados que trabalhem
em locais considerados áreas de risco de assaltos e sequestros

Funcef e aposentados
Fim do voto de Minerva nas instancias da Funcef;

Reconhecimento, por parte da Caixa, do CTVA como
verba salarial para fins de aporte à Funcef, aos que permaneceram
no REG/Replan não saldado, bem como aos que saldaram;

Manutenção do Fundo para Revisão de Benefícios,
art. 115 do regulamento do REG/Replan saldado e
art. 91 do Novo Plano, como instrumento permanente
da política de aumentos reais para os benefícios;

Fim da discriminação e direito do pessoal do REG/Replan
migrar para o Plano de Cargos e Salários (PCS) 2008
e Plano de Funções Gratificadas (PFG) 2010;

Recuperação e utilização do superávit para melhorar
os benefícios REG/Replan a exemplo do saldamento

Segurança bancária, carreira e condições de funcionamento
das agências e representação dos trabalhadores
Fim do descomissionamento arbitrário;

Revogacão imediata das restrições impostas como pré-requisitos para a candidatura de empregados/as ao cargo de representante eleito pelos empregados/as no Conselho de Administração da Caixa, permitindo que qualquer empregado possa concorrer, independentemente de ter ou não ocupado função gratificada;

Elevação do valor da indenização por assalto/sinistro para o
equivalente a 100 salários mínimos calculados pelo Dieese;

Retomada da implantação do modelo “Agência Segura”;
– Abertura de agências somente com o total cumprimento
do plano de segurança homologado pela Polícia Federal;

Criação da função gratificada de assistente no atendimento social;

Valorização da função de avaliador de penhor
com revisão do piso de mercado;

Realização de atendimento expresso obrigatoriamente
por empregado com função de caixa;

Abertura de novas unidades somente com a estrutura
física, de segurança e ergonomia necessárias
ao atendimento adequado à população;

Aperfeiçoamento do modelo do PFG, incluindo progressão
horizontal em cada cargo/função, por tempo de exercício

Papel social, contratação, isonomia, Sipon e jornada de trabalho
Jornada de seis horas para todos;

Fim das horas extras sistemáticas;

Extinção do registro de horas negativas do Sipon e do
bloqueio de acesso motivado por falta de homologação
do gestor ou decorrente de hora extra não acordada;

Isonomia: extensão do ATS e licença-prêmio para
todos os empregados admitidos a partir de 1998;

Revisão da Estrutura Salarial Unificada (ESU) e do Plano de Cargos
e Salários da carreira administrativa, com valorização salarial;

Fim da responsabilizacão do empregado no caso
de irregularidades no registro do Sipon


Banco do Brasil

Assim como os empregados da Caixa, os funcionários do Banco do Brasil também têm um acordo aditivo que funciona nos mesmos moldes, ou seja, acrescenta direitos específicos à Convenção Coletiva de Trabalho. Importante reforçar que tudo o que vale na pauta geral, entregue para a Fenaban, vale também para os bancários do BB.

> Definidas prioridades dos bancários do BB

Também essa pauta visa a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho Aditivo a Convenção Coletiva de Trabalho. Leva o nome “Aditivo” justamente porque acrescenta direitos aos já previstos na CCT. Ela foi aprovada pelo 24º Congresso Nacional dos Funcionários do BB nos dias 17, 18 e 19 de maio, em São Paulo, com a participação de 318 delegados.

 

Pauta de Reivindicações Específicas Banco do Brasil
Plano de Carreira
Valores maiores e prazos menores nas promoções por mérito e percentual de 6% nas promoções por tempo, aumentando a
amplitude de remuneração entre o piso e o último nível salarial;

Piso do Dieese;

PCR para os caixas desde o primeiro dia na função

Ascenção Profissional e Comissionamentos
VR para caixas;

Jornada de 6 horas sem a redução salarial;

Todos os comissionamentos através de provas e títulos;

Recomposição das verbas das funções que
foram reduzidas pelo Plano de Funções;

Garantia da aplicação de todos os reajustes sobre
todas as verbas salariais do Plano de Funções

Condições de Trabalho
Fim do monitoramento individual do GAT;

Mais contratações;

Cumprimento da NR-17 nas CABB;

Fim das metas intradia;

Fim dos rankings;

Fim da cobrança individual de metas;

Retirada das metas individuais da GDP;

Previdência
Previ e Cassi para todos;

Fim do voto de minerva;

Direito de aposentadoria antecipada para mulheres aos 45 anos;

Contribuição do BB à Previ sobre a PLR;

Volta da eleição do diretor de participações;

Redução da parcela Previ;

Direito de resgate de contribuições
patronais aos associados do Previ Futuro;

Aumento dos benefícios de risco;

Criação de teto remuneratório no benefício pago pela Previ;

Manutenção do pagamento do BET, suspensão das
contribuições e teto de benefícios para 100%

Saúde e Cassi
Previ e Cassi para todos;

Fortalecimento dos conselhos de usuários e Cipas;

Plano odontológico administrado pela Cassi com custeio pelo banco;

Ampliação das Clinicassi;

Promoção do Programa de Estratégia de Saúde do Trabalhador;

Redenciamentos de qualidade e ampliação
de unidades próprias e melhor aparelhadas;

Cumprimento de legislação trabalhista através
da ação conjunta de ESMT, Cipas e Sindicatos;

Defesa do modelo de prevenção da Equipe de Saúde
da Família; aumentar e melhorar os credenciamentos

 (SEEB-SP)

Bancários entregam pautas específicas do BB e da Caixa

São Paulo – As propostas dos trabalhadores para iniciar as negociações para a renovação dos acordos coletivos aditivos à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) já estão com as direções do Banco do Brasil e da Caixa. A entrega das reivindicações dos empregados desses bancos públicos ocorreu logo após à da pauta geral da categoria pelo Comando Nacional dos Bancários à federação dos bancos (Fenaban), nesta terça 30.

“Tanto os trabalhadores do Banco do Brasil quanto da Caixa Federal estão sobrecarregados. Não suportam mais o assédio moral e a pressão para a venda de produtos. Estamos reivindicando mudanças na política desses bancos, para que passem a valorizar mais os bancários e a propiciar melhores condições de trabalho, além de colocarem ponto final à cobrança de metas diárias e inatingíveis”, afirma a presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira.

Banco do Brasil – As reivindicações do funcionalismo foram aprovadas por 318 delegados, representando bancários de agências e concentrações em todo o país, durante o 24º Congresso Nacional dos Funcionários do BB realizado de 17 a 19 de maio, em São Paulo.

Para Cláudio Luis de Souza, integrante da Comissão de Organização dos Funcionários do BB, a expectativa é que a empresa tenha mais agilidade para debater as reivindicações. “Queremos que o banco mude a lógica de só debater as propostas dos trabalhadores a partir do momento em que se apresenta índice de reajuste na mesa geral com a federação dos bancos. Há temas de saúde, segurança e condições de trabalho, por exemplo, que podem ser resolvidos ao longo do processo negocial”, afirma.

Caixa Federal – Para o dirigente sindical Dionísio Reis, que integra a Comissão Executiva dos Empregados da Caixa, uma das principais reivindicações é que a abertura de novas agências ocorra com o número adequado de trabalhadores. “Temos insistido na tecla de que tem de haver a agilidade nas contratações. A Caixa já foi, inclusive, autorizada pelo governo para fazer isso. Reivindicamos também que a empresa respeite o que é acordado na mesa de negociação.”  

As propostas dos empregados foram aprovadas por 337 delegados de todo o país durante o 29º Conecef (Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Federal) que também foi realizado em São Paulo de 17 a 19 de maio. O evento teve como lema Sou da Caixa, faço um Brasil melhor – Sobra trabalho, faltam estrutura e reconhecimento.

(Jair Rosa – SEEB-SP)

Lucro do Banco Itaú no 1º semestre é maior do que a economia de 33 países

O lucro de R$ 7,055 bilhões do Itaú Unibanco, no 1º semestre, é maior do que toda a economia de 33 países do mundo. Nos últimos quatro anos, o Itaú registrou os maiores lucros da história dos bancos brasileiros no 1º semestre.

Comparando
De acordo com um levantamento feito pelo UOL, com dados do Banco Mundial, os ganhos do maior banco privado brasileiro apenas nos seis primeiros meses do ano (cerca de US$ 3,11 bi) são maiores do que o PIB (Produto Interno Bruto) de Aruba, Cabo Verde e Butão, por exemplo. Os 33 países mais pobres do mundo ficam principalmente na África, Oceania, Ásia e Caribe.

Brasil
Em 2012, a economia brasileira foi considerada a 7ª maior do mundo (atrás de Estados Unidos, China, Japão, Alemanha, França e Reino Unido).

Bradesco ganha de 30 países
O lucro líquido do Bradesco de R$ 5,86 bilhões, no 1º semestre, foi o maior da história do banco para o período. O resultado do segundo maior banco privado brasileiro é maior do que a economia de 30 países do mundo.

Juros
Bancos brasileiros estão entre os que mais ganham com juros no mundo. Os juros cobrados pelos bancos brasileiros são um dos fatores que fazem os lucros serem cada vez maiores. Segundo um levantamento do blog Achados Econômicos, o Itaú, apesar de ser só o 39º maior banco do mundo no ranking geral da revista britânica “The Banker”, é o 13º quando o assunto é cobrança de juros. O conglomerado financeiro recebeu US$ 27,687 bilhões com empréstimos no ano passado.

Os três maiores bancos do país (Itaú, BB e Bradesco) ganharam juntos US$ 72 bilhões com juros em 2012.

Entenda como é feito o cálculo do PIB
O PIB (Produto Interno Bruto) é a soma de todos os bens e serviços produzidos em um país durante certo período. Isso inclui do pãozinho até o apartamento de luxo. O índice só considera os bens e serviços finais, de modo a não calcular a mesma coisa duas vezes. A matéria-prima usada na fabricação não é levada em conta. No caso de um pão, a farinha de trigo usada não entra na contabilidade.

Um carro de 2011, por exemplo, não é computado no PIB de 2012, pois o valor do bem já foi incluído no cálculo daquele outro ano. O primeiro fator que influencia diretamente a variação do PIB é o consumo da população. Quanto mais as pessoas gastam, mais o PIB cresce. Se o consumo é menor, o PIB cai.

Sobe e desce
O consumo depende dos salários e dos juros. Se as pessoas ganham mais e pagam menos juros nas prestações, o consumo é maior e o PIB cresce. Com salário baixo e juro alto, o gasto pessoal cai e o PIB também. Por isso os juros atrapalham o crescimento do país. Os investimentos das empresas também influenciam no PIB. Se as empresas crescem, compram máquinas, expandem atividades, contratam trabalhadores, elas movimentam a economia. Os juros altos também atrapalham aqui: os empresários não gastam tanto se tiverem de pagar muito pelos empréstimos para investir.

E ainda
Os gastos do governo são outro fator que impulsiona o PIB. Quando faz obras, como a construção de uma estrada, são contratados operários e é gasto material de construção, o que ele eleva a produção geral da economia. As exportações também fazem o PIB crescer, pois mais dinheiro entra no país e é gasto em investimentos e consumo.

Com informações do Uol

Acordo Coletivo prevê piso de R$ 1,2 mil para doméstico que dorme no trabalho

O primeiro acordo coletivo para empregados domésticos no País garante piso de R$ 755 para a categoria em São Paulo. O documento, assinado na última sexta-feira entre a Federação das Empregadas e Trabalhadores Domésticos do Estado de São Paulo e o Sindicato dos Empregadores Domésticos do Estado de São Paulo, passa a valer no dia 26 de agosto. É o primeiro após a entrada em vigor da Emenda à Constituição 72, que assegurou aos doméstimos direitos trabalhistas semelhantes aos empregados em outros setores. Para os domésticos que moram no serviço, o vencimento-base chega a R$ 1,2 mil. 

Os maiores salários serão pagos aos trabalhadores que pernoitam no local e o piso aumenta de acordo com o tipo de trabalho. O salário das babás varia entre R$ 1,6 mil (para cuidar de uma criança) e R$ 2 mil (duas ou mais crianças). Copeiras e cozinheiras receberão R$ 2 mil, enquanto cuidadores de idosos terão piso salarial de R$ 2,3 mil. O maior vencimento será o de governanta, que alcança R$ 5 mil. 

A assistente jurídica da federação, Camila Ferrari, explica que o acordo só não é válido para diaristas, tendo em vista que elas trabalham menos do que três dias por semana em uma mesma residência. Ao todo, 26 municípios paulistas, que compõem a área de atuação da federação, foram contemplados pela negociação. Segundo a advogada Margareth Galvão, que representa os patrões, outros sindicatos manifestaram interesse em participar da convenção. 

Camila Ferrari calcula que existam cerca de 700 mil trabalhadores domésticos na Grande São Paulo. Ela acredita que o acordo minimiza o risco de demissões no setor, pois é resultado de um diálogo entre empregadores e funcionários. A advogada do sindicato dos empregadores reforçou que o “objetivo não foi onerar o patrão. Não foi criar mais e mais atritos. O objetivo dessa convenção coletiva foi harmonizar a relação”, disse. 

PEC das empregadas
A emenda promulgada garante aos empregados doméstico 16 direitos que hoje são assegurados a trabalhadores rurais e urbanos, entre eles 13º salário com base na remuneração integral, jornada máxima de trabalho de 44 horas semanais, pagamento de horas extras e adicional noturno, férias remuneradas, aviso prévio e seguro contra acidente de trabalho, além de recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), entre outros. 

A medida beneficia todos os trabalhadores domésticos, como babás, cozinheiras, jardineiros, caseiros e arrumadeiras. A categoria reúne 6,6 milhões de brasileiros, sendo a maioria formada por mulheres (6,2 milhões). As regras que dão mais benefícios aos trabalhadores domésticos não devem abranger aqueles que prestam serviços esporádicos, os chamados diaristas. De acordo com o advogado Oscar Alves de Azevedo, conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e vice-presidente da Associação dos Advogados Trabalhistas do Estado de São Paulo, “as diaristas, assim consideradas aquelas que fazem limpeza algumas vezes na semana, mas sem horários específicos ou salários fixos, são consideradas trabalhadoras autônomas, por isso elas não têm os mesmo direitos de um empregado com vínculo.” 

Com as novas regras, na prática o empregador terá dois gastos fiscais com as domésticas: a contribuição de 12% com o INSS e o recolhimento de 8% do FGTS – duas alíquotas pagas exclusivamente pelo empregador. Já a doméstica terá o desconto de 8% no salário relativo à contribuição com o INSS. Uma doméstica que ganhe, por exemplo, um salário mínimo (R$ 678), terá descontado de sua remuneração o valor de R$ 54,24, recebendo R$ R$ 623,76. 

Saiba quais os direitos que os empregados domésticos passarão a ter
– Jornada máxima de trabalho de 44 horas semanais
– Seguro-desemprego
– Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS)
– Garantia de salário mínimo
– 13º salário
– Hora extra
– Férias remuneradas
– Redução aos riscos de saúde por meio de normas de higiene e segurança
– Reconhecimento de acordos coletivos de trabalho
– Proibição de diferença de salários por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil
– Proibição de discriminação do trabalhador portador de deficiência
– Proibição do trabalho noturno a menores de 18 anos
– Indenização por demissão sem justa causa
– Benefício salário família para trabalhadores com ganhos até R$ 971,78
– Auxílio escola e creche para filhos com até cinco anos 

Saiba quais os deveres que os empregadores passarão a ter
– Registrar o trabalhador na carteira de trabalho
– Remunerar período de férias
– Recolher FGTS junto à Caixa todos os meses
– Determinar jornada fixa de trabalho semanal
– Pagar 13º salário
– Pagar hora extra
– Reconhecer acordos coletivos
– Pagar salário família em razão do dependente do trabalhador de baixa renda
– Pagar adicional noturno
– Indenizar o trabalhador em caso de demissão sem justa causa
– Pagar auxílio creche

(Portal Terra)

Governo Cid Gomes torrou R$ 22 milhões com voos em aviões e jatos particulares

Em meio à polêmica provocada pelo uso de aeronaves por autoridades públicas, um levantamento feito pelo jornal O Povo aponta que o governo do Ceará, administrado por Cid Gomes (PSB), gastou R$ 22,8 milhões em voos de helicópteros e jatos particulares desde 2012; a pesquisa não computa os gastos feitos com voos comerciais; os valores pagos pela administração cearense foram destinados a quatro empresas de táxi aéreo; o governo do Estado também não informou quanto deste valor foi empregado para atender diretamente o gabinete do governador

 29 DE JULHO DE 2013  

PE247 – Em meio à polêmica provocada pelo uso de aeronaves por autoridades públicas, um levantamento feito pelo jornal O Povo, aponta que o Governo do Ceará, administrado por Cid Gomes (PSB), gastou R$ 22,8 milhões em voos de helicópteros e jatos particulares desde 2012. O levantamento não computa os gastos feitos com voos comerciais. Os valores pagos pela administração cearense foram destinados a quatro empresas de táxi aéreo, contratadas desde 2007, através da modalidade de pregão, onde vence quem oferece o menor preço pelo serviço requisitado. Desde então, foram efetuados diversos ajustes contratuais, como prorrogação de prazos e reajustes.

Segundo a matéria, o Portal da Transparência não detalha os destinos e nem a quantidade de voos realizadas. Os passageiros que fizeram uso das aeronaves também não são identificados e a administração estadual não informou quanto dos gastos computados foram empregados para atender especificamente ao governador Cid Gomes.

Apesar disto, segundo o Portal da Transparência, a maioria dos contratos aparece com a justificativa de atender “ao governador e demais autoridades do Governo com transporte rápido e seguro”. Uma das empresas, contudo, teria sido contratada para atender especificamente às necessidades do Gabinete do Governador e da Casa Civil. O contrato firmado entre o Governo do Ceará e a Terral Táxi Aéreo resultou, nos últimos 18 meses, em um desembolso da ordem de R$ 1,4 milhão.

Além desta empresa, a companhias Táxi Aéreo Fortaleza (TAF), Nordeste Táxi Aéreo e a Easy Táxi Aéreo também prestam serviços ao Executivo cearense. Somente a Easy Táxi Aéreo, teria recebido R$ 11,8 milhões desde 2012, o maior montante dentre as empresas contratadas.

De acordo com jornal O Povo, o Governo do Estado informou que os voos não são utilizados apenas pelo governador, mas também para atender às necessidades de secretarias estaduais, servidores, colaboradores e pessoas físicas e jurídicas que prestam serviços ao Governo. As solicitações são encaminhadas à administração estadual que verifica a necessidade ou não do uso das aeronaves solicitadas.

Entre os exemplos citados pela reportagem para o uso dos voos fretados estão a realização de fiscalizações ambientais, monitoramento de obras no interior do Estado, apoio a representantes do Governo Federal, transporte de investidores e apoio para outros órgãos como o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e até mesmo o transporte de detentos quando necessário.

Ainda segundo a matéria, as quatro empresas que prestam este tipo de serviço ao Governo do Estado foram procuradas, mas apenas a Terral se pronunciou sobre o assunto. A companhia informou que mantém contrato com o Governo Estadual desde maio de 2009 para a locação de 1.000 horas de voo em um helicóptero modelo EC130 B4, da marca Helibrás. A empresa confirma o recebimento de R$ 4,46 milhões desde 2009 até hoje e que os valores correspondem a 894 horas de voo. A empresa disse, ainda, que não tem controle sobre os passageiros que fazem uso dos aviões solicitados.

Delegado prende o próprio irmão com maconha e drogas sintéticas em Florianópolis

Delegado Cláudio Monteiro – Foto: Julio Cavalheiro / Agencia RBS

O delegado Cláudio Monteiro prendeu o próprio irmão, Guilherme de Melo, por tráfico de drogas nesta sexta-feira em São José. Melo estava acompanhado do parceiro, Bernardo Lopes Cobra, quando foi flagrado com drogas e dinheiro

Guilherme e Bernardo dirigiam um Fiat Stilo preto em São José, próximo ao Mundo Car, quando foram vistos por policiais militares que conduziam uma motocicleta. Os PMs consideraram a dupla suspeita, e começaram a seguí-los. Guilherme e Bernardo, com passagem pela polícia por tráfico, conseguiram fugir e foram em direção à BR-101. 

Sem conseguir alcançar o Fiat Stilo, os PMs acionaram o cabo Adilio da Silva Filho, que encontrou o veículo no Km 200 da rodovia. A viatura da polícia cortou a frente do carro, que capotou em sequência. 

Dois torrões de maconha e R$ 28 mil foram encontrados dentro do carro de Guilherme de Melo. Como o homem relatou que era irmão do delegado, o cabo Adilio da Silva Filho ligou para a delegacia. Monteiro enviou uma equipe para o local e disse que já investigava o irmão por tráfico de drogas e furto havia um mês. 

Filho de pais diferentes, Guilherme foi interrogado por Monteiro e revelou onde ficava a quitinete com mais drogas: foram encontrados mais R$7 mil, 800 micropontos de LSD, 4kg de maconha, dois mil comprimidos de ecstasy, sete relógios, uma televisão, um notebook e um óculos. Parte dos objetos seriam fruto do tráfico, e parte de furto. 

— Ele é um traficante como outro qualquer e não vou passar a mão na cabeça — disse o delegado. 

Monteiro disse que não falava com o irmão havia pelo menos oito anos e que tem por obrigação não “ceder qualquer exceção”.

 

Fonte: Diário Catarinense

Prefeito Roberto Cláudio retira direitos dos servidores públicos

Impressionante!

Espera-se dos gestores que assumem a Administração que eles concedam mais direitos à população e aos servidores públicos. O Prefeito de Fortaleza é diferente. Ele os diminui. Foi o que ocorreu com o direito que os servidores tinham de folgar três dias, segundo a Lei Nº 6.788 de 19/12/1990 quando doassem sangue; no entanto,  Roberto Cláudio deve ter achado que era muito tempo e decidiu revogá-la em 28 de junho, através da lei de nº 0150, estabelecendo UM (1) DIA de FALTA A CADA DOZE (12) MESES de trabalho, por motivo de doação de sangue devidamente comprovada.

Conseguem visualizar o golpe desferido pelo Prefeito de Fortaleza nos servidores?

Vou deixar mais clara a situação para que vocês possam enxergar o tamanho do problema. A Lei Federal Nº 1075 de 27 de março de 1970 estabelece que o funcionário público civil da autarquia ou militar que comprovar sua contribuição será DISPENSADO do ponto NO DIA da doação e ainda ‘será consignada com louvor na folha de serviço de militar, de funcionário público civil ou de servidor de autarquia, a doação voluntária de sangue, feita a Banco mantido por organismo de serviço estatal ou para-estatal, devidamente comprovada por atestado oficial da instituição’.  A situação dos servidores municipais se assemelha agora aos funcionários celetistas (regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho, CLT) que no Decreto-Lei nº 229 de 28 de fevereiro de 1967 – que altera a CLT – os funcionários de empresas particulares ficam isentos de trabalhar no dia da doação e somente uma vez ao ano. 

Outro ponto que deve ser observado é que o Prefeito se preocupou em deixar bem escondida a revogação da Lei Nº 6.788 de 19/12/1990. Ele fez isso na criação de uma Lei que cria na estrutura administrativa da Secretaria Municipal da Educação cargos de provimento efetivo de assistente da educação infantil. Perceberam agora o golpe?

 

 

E é porque o Prefeito de Fortaleza é de um Partido Socialista (PSB). Nem quero imaginar como seria para o servidor se ele fosse neoliberal!

 

Links:

 

http://www.hemoce.ce.gov.br/index.php/component/content/article/1199/1199

 

_ http://www.fortaleza.ce.gov.br/sites/default/files/arquivos/diariosoficiais/13/07/28062013_-_15064_0.pdf

Via http://blogdocavaleirotemplario.blogspot.com.br/

Telexfree expõe dados de divulgadores na internet

Telexfree expôs dados de seus divulgadores na internet. Boletos de pagamento com nome, endereço, valor pago e serviços adquiridos da empresa ficaram disponíveis em mecanismos de buscas na internet.  

Reprodução Boleto da Telexfree com cobrança de R$ 3.052,50 por ‘assinatura de adesão’ e ‘kit central de anunciante’

O vazamento também sugere que a empresa, que está impedida de cadastrar novos divulgadores desde junho , continuou a cobrar por adesões.

Procurada na noite desta terça-feira (30), a empresa não comentou a informação. Logo em seguida ao contato da reportagem, entretanto, as consultas já não estavam mais disponíveis. 

A consulta dos boletos era possível por meio do endereço “www.telexfree.com/plugins/boleto/boleto_bb.php?codigo=”, ao que era possível chegar por meio de uma busca pelas palavras “boleto cobrança e ympactus” . Ao digitar o endereço, em conjunto com códigos de seis números aleatoriamente escolhidos, o iG teve acesso a dez boletos de cobrança.

Por meio do serviço de internet banking de uma instituição financeira, a reportagem conseguiu checar que os boletos efetivamente poderiam ser pagos.

A falha foi identificada por Manoel Netto, do blog Tecnomundo. Segundo ele, o sistema permitia que qualquer interessado facilmente capturasse dados dos divulgadores da empresa.

A Telexfree informa comercializar pacotes de telefonia via internet (VoIP, na sigla em inglês) por meio de uma rede de revendedores autônomos, chamados de divulgadores. No Brasil, eles são 1 milhão .

Para o Ministério Público do Acre (MP-AC), porém, o negócio é, possivelmente, a maior pirâmide financeira da História do País, pois dependeria das taxas de adesão pagas por esses divulgadores. 

Cobrança de adesão

Em cinco dos dez boletos consultados, há a informação expressa de que os pagamentos se referem a “assinatura de adesão” e a compra de “kit central de anunciante”. Os valores cobrados nesses documentos são muito próximos aos dos kits Ad Central Family e Ad Central . Era por meio da aquisição deles que os divulgadores entravam na rede da Telexfree.

Todos os documentos – inclusive esses cinco – têm como data de vencimento o dia 30 de julho de 2013. Desde 18 de junho, a Telexfree está proibida pela Justiça de cadastrar novos divulgadores e de fazer pagamentos.

Os boletos não permitem saber, entretanto, se esses divulgadores entraram para a empresa antes ou depois de18 de junho.

O Ministério Público do Acre não comentou a informação na noite desta terça-feira (30).

(Vitor Sorano – IG SP)

Acompanhe o Calendário de Luta da Campanha Nacional dos Bancários 2013

A 15ª Conferência aprovou ainda um calendário de luta que mescla o engajamento da categoria tanto na Campanha Nacional dos Bancários quanto na pauta de reivindicações da CUT e demais centrais sindicais. Confira:

Até 29/7 – Realização de assembleias para aprovar a pauta definida na 15ª Conferência.

30/7 – Entrega da pauta de reivindicações à Fenaban.

6/8 – Dia Nacional de Luta contra o PL 4330.

12 e 13/8 – Mobilizações em Brasília para convencer os parlamentares a rejeitarem o PL 4330.

22/8 – Dia Nacional de Luta dos Bancários, com passeatas no final do dia.

28/8 – Dia do Bancário, com atos de comemoração e de mobilização.

30/8 – Greve de 24 horas, em defesa da pauta geral dos trabalhadores apresentada ao governo e ao Congresso Nacional apresentada pela CUT e demais centrais sindicais.

Fonte: Contraf-CUT

SEEB-CE e Contraf-CUT cobram soluções para descomissionados e concursados do BNB

Trabalhadores buscam avanços na mesa de negociação permanente – Crédito: Seeb Ceará

Em reunião da mesa permanente de negociação com o Banco do Nordeste do Brasil (BNB),realizada na última quarta-feira (24), em Fortaleza, a Contraf-CUT, federações e sindicatos cobraram novamente a relação dos funcionários afetados por descomissionamentos resultantes do processo de reestruturação em curso no BNB, conforme havia sido definido com a Diretoria Administrativa do Banco em reunião ocorrida no dia 12 de junho.

Os representantes do banco, entretanto, foram categóricos em afirmar que a instituição não iria fornecer à relação, apesar da promessa feita. Diante da negativa, as entidades sindicais orientam que aqueles que se sentirem prejudicados entrem em contato com o departamento jurídico do seu sindicato para tirarem suas dúvidas.

“Nós solicitamos várias vezes essa relação e sempre nos era pedido um prazo maior para que fossem conseguidas todas as informações por parte do banco. Agora, vem essa negativa. Nós queremos apenas acompanhar o processo, o que é nosso dever como representantes dos trabalhadores.

Entretanto, se esse direito nos é negado, vamos proceder de outras formas para que os funcionários não sejam prejudicados”, explica Tomaz de Aquino, coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB), que assessora a Contraf-CUT nas negociações com o banco.

Os funcionários do BNB prejudicados com a reestruturação devem ingressar com ações na justiça trabalhista para garantir a incorporação de funções comissionadas exercidas ininterruptamente por dez anos ou mais. 

Concursados 

O superintendente de Desenvolvimento Humano, Alan Teixeira, informou que o BNB está autorizado pelo DEST a ter, até 31/12/13, um total de 6.502 funcionários. Ele ressaltou que acabam de ser convocados 181 concursados dos 199 previstos para serem chamados até o final deste ano. 

“Isso é um exemplo concreto de que a mesa permanente de negociação funciona, pois uma das nossas principais reivindicações é a contratação de mais funcionários e, por consequência, a convocação dos aprovados no último concurso. Isso demonstra ainda que o diálogo estabelecido na mesa de negociação possibilita ainda a disponibilidade do BNB em atender as justas reivindicações dos trabalhadores”, avalia o vice-presidente da Contraf-CUT, Carlos Souza.

O banco informou ainda que o atual concurso vigente, feito para cadastro de reserva, valerá apenas até junho de 2014. A partir daí, será realizado um novo concurso. 

Diante disso, as entidades sindicais reivindicaram que um novo concurso só seja realizado após a convocação dos aprovados no concurso vigente. “Queremos solicitar também que o BNB reivindique junto ao Governo Federal o direito, inclusive, de ampliar o número de contratações, como aconteceu com a Caixa Econômica Federal recentemente”, enfatizou Tomaz de Aquino.

O banco revelou estar autorizado a ter uma dotação de 7.150 funcionários até 2016. Como já conta com 6.487 admitidos do último concurso, restam serem chamados apenas 663 em três anos. “É muito pouco”, ressalta Tomaz. Daí a reivindicação para que o banco amplie essa dotação e diminua o período de convocação para até o final da vigência do último concurso.

Demandas por estado 

Os representantes da Comissão Nacional apresentaram ao superintendente de Logística do BNB, Jeferson Cavalcante, uma série de demandas logísticas em vários estados que vão desde a problemas com ar condicionado até a casos de unidades funcionando em prédios sem condições de atender a demanda.

O Sindicato dos Bancários do Ceará ressaltou problemas na reforma da agência da Av. Bezerra de Menezes e o superintendente informou que a conclusão da obra está prevista ainda para este ano. Além disso, ele informou que o banco está procurando agilizar a inauguração da agência de Caucaia, como forma de desafogar o movimento da Bezerra de Menezes.

Além disso, o banco informou que cobrará dos gestores o uso da verba mensal para pequenas reformas, com o objetivo de minimizar problemas estruturais nas unidades. “Essa postura é importante porque se, em decorrência de uma infiltração, por exemplo, um funcionário fica doente, isso prejudica todo o bom andamento da agência, prejudicando o atendimento à população e o próprio Banco”, analisa Carlos Souza. 
O vice-presidente da Contraf-CUT cobrou ainda informações sobre as mudanças no sistema de informática do BNB, que também tem prejudicado o bom funcionamento das unidades. O Banco deve trazer respostas na próxima reunião.

A Contraf-CUT condenou ainda a postura do BNB em criar em alguns estados, como Maranhão e Bahia, agências voltadas para grandes correntistas, criando assim uma segmentação do atendimento. “O banco deve lutar para crescer mais em todos os lugares e não segmentar o atendimento. Nós condenamos essa postura de um banco de desenvolvimento que deveria ter perfil de proximidade com a população”, avalia Tomaz de Aquino.

CAMED 

As entidades sindicais reivindicaram a reativação da comissão paritária instalada em 2010 e que concluiu projeto de revitalização da Camed. De acordo com os representantes dos trabalhadores, o projeto traz várias sugestões para o revigoramento da caixa e que podem sanar várias pendências da Camed, mas que até hoje não se tem notícia se essas medidas foram ou não implementadas.

Além disso, foi cobrado do bancou a eleição de um representante dos funcionários na direção da Camed. “Os trabalhadores querem participar dos debates da Camed, pois só queremos o bem do plano, de forma a contribuir com a subsistência da nossa Camed. Essas demandas já foram apresentadas várias vezes na mesa de negociação e até hoje não tivemos respostas”, concluiu Tomaz de Aquino. 

Os representantes do banco ficaram de levar as solicitações dos trabalhadores à direção da empresa o mais breve possível.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb Ceará

Diferença salarial entre quem entra e quem sai é 5 vezes maior nos bancos

A diferença entre o salário médio inicial dos trabalhadores admitidos em relação aos desligados é cinco vezes maior nos bancos do que na economia brasileira como um todo. No país, segundo cálculos da LCA Consultores divulgados nesta segunda-feira 29 pelo jornal Valor Econômico, o salário médio de ingresso nas empresas foi em junho 7,3% menor que a remuneração média dos que saíram. No setor financeiro, essa diferença é de 36% no mesmo período. 

“Não bastassem os bancos terem os maiores lucros e a maior rentabilidade da economia, cobrando as maiores taxas de juros, de spread e tarifas do mundo, e de também serem os campeões de demissões, agora fica comprovado que o sistema financeiro usa a rotatividade para reduzir custos muito mais do que qualquer outro setor da economia”, critica Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários.

De acordo com o estudo da LCA Consultores feito com base nos dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, a diferença da remuneração média dos trabalhadores que entram e que saem das empresas era em maio último 10,1% na indústria, 5,1% na construção, 5,9% no comércio e 4,8% no setor de serviços.

Confira aqui a reportagem do Valor Econômico publicada nesta segunda-feira 29.

Bancos cortam empregos e concentram renda

Já a 18ª Pesquisa de Emprego Bancário que a Contraf-CUT e o Dieese divulgaram na quinta-feira 25, revelando que os bancos privados fecharam quase cinco mil postos de trabalho no primeiro semestre de 2013, mostra também que os trabalhadores que entram no sistema financeiro recebem remuneração 36% inferior à dos que saem. O salário médio dos admitidos pelos bancos foi de R$ 2.896,07, contra salário médio de R$ 4.523,65 dos desligados. 

Veja aqui a matéria sobre as demissões e achatamento salarial provocado pela rotatividade nos bancos.

“Isso explica por que, embora com muita mobilização os bancários tenham conquistado 16,2% de aumento real no salário e 35,6% de ganho real no piso salarial desde 2004, a média salarial da categoria diminuiu neste período. Esse é o mais perverso mecanismo de concentração de renda, num país que faz um grande esforço para se tornar menos injusto”, denuncia Carlos Cordeiro.

Defesa do emprego e contra a rotavidade

O fim das demissões, mais contratações e o combate à rotatividade estão entre os principais eixos da pauta de reivindicações da Campanha Nacional dos Bancários deste ano, que será entregue pelo Comando Nacional à Fenaban nesta terça-feira 30.

Leia mais aqui sobre as reivindicações dos bancários para a Campanha Nacional 2013. 

E ao mesmo tempo que enxuga a folha de pagamentos empregando o mecanismo da rotatividade, os bancos engordam a remuneração de seus diretores executivos. 

Segundo levantamento do Dieese com base em dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), cada diretor do Itaú ganhou, em média, R$ 9,05 milhões em 2012, ou 234,27 vezes mais que um funcionário recebe com o piso de R$ 38,64 mil no ano. Os diretores do Santander receberam R$ 5,63 milhões (145,67 vezes o piso) e os do Bradesco embolsaram R$ 5,01 bilhões cada um (129,57 vezes o piso). 

“Trata-se de um modelo perverso, que escancara a falta de distribuição de renda no setor financeiro e que não pode continuar. Não é à toa que o Brasil é o 12º país com a maior concentração de renda do mundo”, denuncia Carlos Cordeiro.

Fonte: Contraf-CUT

A morte de José Ribamar dos Santos, um dos fundadores do PT

Por Flávio Furtado de Farias

Morreu neste domingo, 28 de julho de 2013, Ribamar dos Santos, um dos fundadores do PT. Foi o primeiro candidato do PT ao Governo do Estado do Piauí, na década de 1980, concorrendo contra Alberto Silva e Hugo Napoleão. O Piauí só veio a ter um governador em 2003 com a eleição de Wellington Dias vencendo o candidato Hugo Napoleão.

A causa foi falência múltipla de órgãos após 21 dias internados com complicações de problemas pulmonares. Estava com 87 anos.

“Conheci Lula em 1975, era metalúrgico, na época participei de um encontro na Vila Euclides, em São Paulo. Era o surgimento do novo sindicalismo, inclusive, fui hóspede de Lula e participei de um almoço com a sua família. Ali começou a nossa amizade que resultou em muitos encontros do PT, sindicatos, da Igreja. Depois foi quando ele veio aqui em 1979 para uma caminhada pelo Piauí.”

Desta forma, Ribamar Santos relatou como conheceu Lula.

Em 2009, ele se definia assim “Tenho um pouco do espírito folclórico, estou ficando velho, mouco, mais tenho consciência que não estou ficando louco”.

Via Luis Nassif

O exemplo das políticas de agricultura familiar

Da Deutsche Welle

Políticas de agricultura familiar brasileiras são exemplo mundial

Cultivo da terra realizado por pequenos proprietários rurais produz 70% dos alimentos consumidos no país, que é considerado pela ONU exemplo no setor. Trabalhadores do campo, no entanto, cobram mais investimentos.

As mudanças climáticas e o aumento da população impõem desafios aos atuais modelos de agricultura. E, nesse contexto, a agricultura familiar ganha força – sobretudo como um importante meio para reduzir a pobreza e garantir a segurança alimentar. As políticas brasileiras no setor são tidas como exemplo pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO). Mas, para os trabalhadores do campo, ainda há muito a ser feito.

No país, 84,4% dos estabelecimentos rurais pertencem à agricultura familiar, que emprega quase 75% da mão de obra do setor agropecuário. Em contrapartida, somente 24,3% das áreas ocupadas por estabelecimentos agrícolas são administradas por pequenos proprietários.

Sua produção é voltada principalmente ao mercado interno. Ela é responsável pela plantação de 70% dos alimentos consumidos no país – como 70% do feijão, 87% da mandioca, 58% do leite e 46% do milho.

Agricultores familiares plantam 70% do feijão consumido no Brasil

Esses números revelam o tamanho de sua importância. Nos últimos anos, a agricultura familiar passou a ser um setor prioritário para o governo federal. As políticas públicas brasileiras de incentivo ao pequeno produtor são consideradas um exemplo pela FAO.

“O incentivo à agricultura familiar contribui para reduzir a pobreza extrema, dinamizar os mercados locais, incentivar a permanência de agricultores na sua comunidade e também, em nível nacional, para aumentar a segurança alimentar, reduzindo a vulnerabilidade do país ao mercado global e ao choque de preços”, diz em entrevista à DW Brasil Salomón Salcedo, oficial de políticas da FAO.

Mas para a coordenadora geral da Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Fetraf), Elisângela Araújo, apesar do reconhecimento nos últimos anos, ainda faltam investimentos no setor, tanto em incentivos financeiros, pois muitos agricultores estão endividados, quanto em tecnologias e pesquisas para aumentar a produção.

“Se essa perspectiva de desenvolvimento não tiver uma mudança rápida nos próximos anos, tende a ter uma redução da agricultura familiar, inviabilizando esse potencial”, diz.

Agricultura e meio ambiente

Apesar das críticas, essa forma de cultivo vem ganhando importância não só no Brasil, mas também no mundo. A FAO escolheu 2014 como o Ano Internacional da Agricultura Familiar. “Com o aumento dos preços dos alimentos e as mudanças climáticas, percebemos que o modelo de grandes fazendas, não é um modelo para ser seguido no futuro”, afirma Salcedo.

Para ele, o modelo da agricultura familiar não é importante apenas para a segurança alimentar, mas também para garantir a produção de alimentos com as mudanças climáticas. Em muitas dessas propriedades costumam ser plantados produtos variados, além de serem utilizadas sementes e espécies tradicionais que existem há centenas de anos e são mais resistentes a pragas e mudanças.

Para a bióloga Claúdia Valéria de Assis Dansa, da Universidade de Brasília (UnB), a agricultura familiar tem um grande potencial ecológico. “A agricultura familiar pode ser bem melhor na medida em que ela possibilita um formato, um desenho agrícola, que pode conciliar melhor a agricultura e áreas de preservação e as áreas naturais. Há várias possibilidades que se abrem com agricultura familiar para preservar o meio ambiente, o que com a agricultura comercial é mais difícil.”

Alimentando o mundo

A definição de agricultura familiar varia por país. No Brasil, agricultores familiares são aqueles que possuem um único imóvel, cujo tamanho difere por região. Além disso, a principal mão de obra empregada é a do produtor rural e de seus próprios familiares e sua renda vem exclusivamente desse estabelecimento.

“São aqueles produtores que têm uma pequena propriedade, mas essa pequena propriedade no Brasil varia. Cada estado tem um tamanho de módulo rural, então, no Norte essas propriedades costumam ser bem maiores do que no Sul, e podem variar, por exemplo, de 5 até 100 hectares”, afirma Dansa.

A ONU estima que existam cerca de 500 milhões de pequenas fazendas pelo mundo. Na América Latina e no Caribe elas representam cerca de 80% das propriedades agrícolas e produzem mais de 60% dos alimentos consumidos na região, além de empregar mais de 70% da mão de obra do setor.

A grande concentração de agricultores familiares está na Ásia. Segundo um relatório da Coalizão Internacional da Terra, o continente concentra 87% dos pequenos agricultores do mundo. Somente a China possui 193 milhões, e a Índia, 93 milhões. Na África, a agricultura familiar é responsável pela produção de 80% dos alimentos consumidos no continente.

O projeto que pretende alterar o uso das terras indígenas

Dados do TSE indicam que nove dos 17 deputados federais que assinaram o projeto receberam investimentos de ao menos seis dos maiores grupos empresariais

Renato Santana, de Brasília (DF) – Brasil de Fato

Ao menos seis dos maiores grupos empresariais nacionais e estrangeiros da rede do agronegócio, mineração e da indústria de armamentos investiram R$ 1 milhão 395 mil nas campanhas eleitorais – 2010 – de nove dos 17 deputados federais que assinaram o PLP 227. Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) – confira abaixo a lista completa de doadores das campanhas dos 17 parlamentares autores do PLP 227.

Outras dezenas de empresas e multinacionais de grãos, agrotóxicos, frigoríficos, mineradoras e construtoras estão também figuradas entre as principais doadoras dos parlamentares que assinaram o PLP 227. Em tempos onde integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária denunciam supostos interesses escusos de organizações indigenistas e ONG’s ambientais, sem nunca denominar quais, as cifras demonstram na prática quem tem que se explicar em matéria de interesses.

O PLP 227, em tramitação e gestado no ano passado, pretende criar lei complementar ao artigo 231 da Constituição Federal – “Dos Índios” – apontando exceções ao direito de uso exclusivo dos indígenas das terras tradicionais, em caso de relevante interesse público da União. Dentre as tais exceções, conforme o PLP 227, está a exploração dos territórios indígenas pela rede do agronegócio, empresas de mineração, além da construção de empreendimentos ligados aos interesses das esferas de governo – federal, estadual e municipal.

Sendo assim, a aprovação do PLP 227 interessa diretamente setores empresariais nacionais e internacionais, que vêem nas terras indígenas campo fértil e promissor para a exploração de suas áreas produtivas, atreladas massivamente às commodities. Esses grupos comerciais financiaram parte ou o total das campanhas políticas dos parlamentares que propuseram o PLP 227. Como diz o ditado, quem paga a orquestra diz qual é a música a ser tocada. A prática não prova o contrário, a observar que os 17 deputados federais são conhecidos opositores dos direitos indígenas em suas atividades parlamentares e profissionais.

A multinacional estadunidense Cosan, produtora de biocombustíveis e que mantinha usinas de cana em terras indígenas no Mato Grosso do Sul, investiu R$ 150.000,00 nas campanhas eleitorais de Luiz Carlos Heinze (PP/RS), franco opositor das demarcações de terras indígenas, Giovanni Queiroz (PDT/PA), latifundiário paraense, Roberto Balestra (PP/GO), grande proprietário de terras no centro-oeste, e Moreira Mendes (PSD/RO), relator do PLP 227 e também latifundiário com interesses econômicos voltados ao agronegócio.

Porém, essa é apenas a ponta do iceberg. A multinacional JBS, maior frigorífico do mundo notificado em 2011 pelo Ministério Público Federal (MPF) por comercializar animais criados na Terra Indígena Marãiwatsédé, do povo Xavante, despejou nos cofres das campanhas eleitorais R$ 420.000,00. A Gerdau, cujo proprietário, Jorge Gerdau, ganhou em 2011 um gabinete bem ao lado da sala da presidente Dilma Rousseff para aconselhar o governo, investiu R$ 160.000,00.

Já a Seara, do grupo internacional Marfrig, dos mais destacados na rede do agronegócio, R$ 75.000,00. A Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições doou 230.000,00. A holandesa Bunge, gigante mundial do agronegócio fundada no século XIX e que chegou ao Brasil na segunda década do século XX, depositou nos deputados do setor R$ 360.000,00.

Os reais interessados

Tornou-se comum, no Congresso Nacional, parlamentares ruralistas, ligados às redes do agronegócio e latifúndio, tomarem uso da palavra nas tribunas da Câmara e Senado federais para atacar organizações indigenistas e ONGs ambientais. As acusações são homogêneas e se concentram em supostos interesses escusos, por vezes ligados a grupos internacionais, que ameaçam a soberania nacional e o desenvolvimento do país.

O último a vociferar tais acusações foi o deputado federal Moreira Mendes (PSD/RO), beneficiado com recursos da indústria de armas, Cosan e JBS. O parlamentar se indignou com um dia de combate ao PLP 227 nas redes sociais, afirmando que recebeu mais de 200 mensagens acusando-o de querer o fim do artigo 231 da Constituição. Chamou os manifestantes de “agourentos” e se referiu a organizações indigenistas e ONG’s como detentoras de interesses escusos. Não apontou quais interesses seriam. A senadora Kátia Abreu (PSD/TO) também já adotou tal recurso de oratória, inúmeras vezes, relacionando organizações indigenistas, Funai e Ministério Público Federal (MPF) como símbolos dos batidos interesses ocultos.

Para os mais exaltados, é até mesmo o caso de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o que, ou quem, está por trás das demarcações de terras indígenas. Vale tudo no jogo de interesses, muito longe de ser apenas das empresas financiadoras das campanhas. Paulo César Quartiero (DEM/RR) era um dos rizicultores, os chamados arrozeiros, que detinha área dentro da Terra Indígena Raposa Serra do Sol. O parlamentar chegou a ser preso pela Polícia Federal acusado de comandar um ataque a tiros contra comunidade indígena.

Quem financia os autores do PLP 227/2012?

Homero Pereira

Produtor Rural e Técnico em Agropecuária

PSD/MT

Membro da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 2.934.764,68

Alguns doares de sua campanha: Bedin Agropecuária, Blairo Borges Maggi, Bunge Fertilizantes, Carolina Armazens Gerais Ltda, Agrofrango Ind. e Com de Alimentos Ltda, Construções e Comércio Camargo Correa S/A, Cooperativa Agrícola de Produtos de Cana de Rio Branco Ltda, Coopersucar, Dagranja Agrindustrial Ltda, Fazenda Paiaguás S/A, Fazenda Planorte S/A, Frigorífico Mabella Ltda, MFB Marfrig Frigoríficos Brasil S/A, Nogueira Ind. Com Implementos Agrícolas S/A, O Telhar Agropecuária Ltda, Usina Barralcool S/A, Usina Itamarati S/A.

Reinaldo Azambuja

Agropecuarista

PSDB/MS

Membro da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 3.072.342,95

Alguns doadores de sua campanha: Agrícola Panorama Comércio e Representações Ltda, Agrodinamica Comercio e Representações Ltda, Boa Vista Comércio de Produtos Agropecuários Ltda, CNEC – Engenharia S.A, Coopsema Cooperativa Agrícola Mista Serra de Maracaju, Dinâmica Produtos Agrícolas Ltda, E.M.P. Construtora Ltda, Engevix Engenharia S/A, Fazenda Recreio Agro Pastoril Ltda, Klabin S.A., Sape Agropastoril Ltda.

Carlos Magno

Técnico em Agropecuária

PP/RO

Membro da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 878.603,72

Alguns doadores de sua campanha em 2010: Central Agrícola Ltda – EPP, Rical – Rack Indústria e Comercio de Arroz Ltda.

 

João Carlos Bacelar

Engenheiro Civil

PR/BA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 356.684,00

Alguns doadores de sua campanha em 2010: Itaú Unibanco S/A, Liderança Capitalização S/A.

 

Luis Carlos Heinze

Engenheiro Agrônomo e Produtor Rural

PP/RS

Membro da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 1.557.728,41

Alguns doadores de sua campanha em 2010: AB Comercio de Insumos Ltda, Agrofel Agro Comercial Ltda, Agrogen S/A – Agroindustrial, Agropecuária Pepa Ltda, Agros Assessoria Agronômica Ltda, Associação Nacional ind. Armas e Munições, Bocchi Ind. Com. Transp. Benef. Cereais Ltda, Bsbios Ind. Com. Biodiesel Sul Brasil S/A, Bunge Fertilizantes S/A, Câmera Agroalimentos S/A, Camil Alimentos S/A, Ceolin Agropecuária Ltda, Cmpe Celulose Riograndense Ltda, Coarroz Coop. Agroindustrial Rosariense Ltda, Coop. Crédito Rural dos Plantadores de Cana, Cosan S/A – Ind. Com., Coxilha Ind. Fertilizantes e Corretivos Ltda, Fertilizantes Piratini Ltda, FMW Comércio e Representações de Insumos, Gerdau Comercial de Aços S/A, Grandespe Semente e Agronegócios Ltda, JBS S/A, Klabin S/A, Maquinas Agrícolas Jacto S/A, Marasca Com. Cereais Ltda, Moinho Iguaçu Agroindustrial Ltda, Seara Alimentos S/A, SLC Agrícola S/A, Três Tentos Agroindustrial Ltda, Urbano Agroindustrial Ltda.

 

Giovanni Queiroz

Médico e Agropecuarista

PDT/PA

Membro da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 487.750,00

Alguns doadores de sua campanha em 2010: Agropastoril do Araguaia Ltda, Cosan S/A Açúcar e Álcool, Frigorífico Rio Maria Ltda, Mineração Buritirama S/A.

 

Nilson Leitão

Técnico Contabilidade, Estatística, Economia Doméstica e Administração

PSDB/MT

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 1.368.090,68

Alguns doadores de sua campanha em 2010: Agrimat Engenharia e Empreendimentos Ltda, Galvão Engenharia S/A.

 

Marcos Montes

Médico, Professor de Medicina, Médico do Trabalho

PSD/MG

Membro da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 2.243.153,97

Alguns doadores de sua campanha em 2010: Agroexporte Ltda, Agronelli Ind. e Com. de Insumos Agropecuários Ltda, Agropecuária Uberaba S/A, Associação Nacional de Armas e Munições, Bombril S/A, Bunge Fertilizantes S/A, Celulose Nipo Brasileira S/A, Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração, Coop. Central de Prod. Rurais de Minas Gerais Ltda, Coop. de Credito Rural dos Prod. de Cana de Açúcar da Zona de Guariba, Cooperativa Agropecuária do Alto Paranaíba, Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Varginha – MG, Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupe Ltda, Cosan Indústria e Comércio S/A, Duratex S/A, Gerdau Comercial de Aços S/A, J . F . Citrus Agropecuária Ltda, JBS S/A, Ourofino Saúde Animal Ltda, S/A Usina Coruripe Açúcar e Álcool, Ultrafertil S/A, U.S.A Usina Santo Angelo Ltda, Usiminas Mecânica S/A, Usina Caeté S/A Unidade Delta, Usina Cerradão Ltda, Usina de Laticínios Jussara S/A.

 

Roberto Balestra

Agropecuarista, Técnico em Laticínios, Comerciante, Industrial e Advogado

PP/GO

Membro da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 2.398.288,50

Alguns doadores de sua campanha em 2010: Bom Sucesso Agroindustrial Ltda, Caçu Comércio e Industria de Açúcar e Álcool Ltda, Centroalcool S/A, Coopersucar – Cooperativa de Produtores de Cana de Açúcar e Álcool Est. São Paulo, Cosan Centro Oeste S/A Indústria e Comércio, Gerdau Comercial de Aços S/A, Usina Boa Vista S/A, Usina Goianésia S/A, USJ Açúcar e Álcool S/A, Vale do Verdão S/A Açúcar e Álcool.

 

Valdir Colatto

Engenheiro Agrônomo

PMDB/SC

Membro da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 559.238,22

Alguns doadores de sua campanha em 2010: As. Nacional de Ind. de Armas e Munições, Bunge Fertilizantes S/A, Celulose Nipo Brasileira S/A, Coopersucar de Produtores de Cana de Açúcar Ltda, Fibria Celulose S/A, Implementos Agrícolas Jan S/A, Klabin S/A, Madecal Agro Indl. Ltda, Seara Alimentos S/A, Suzano Papel e Celulose S/A.

 

Domingos Sávio

Médico Veterinário

PSDB/MG

Membro da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 1.673.293,26

Alguns doadores de sua campanha em 2010: Coop. Agropecuária de Divinópolis Ltda, Coop. Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais, Coop. dos Produtores Rurais do Serro Ltda, Gerdau Comercial de Aços S/A, Industria e Comercio Laticínios Maria Madalena de Souza Ltda, JF Citrus Agropecuária Ltda, Laticínio SVR Ltda, Laticínios Porto Alegre Ind. Comercio Ltda, Laticínios Tirolez Ltda, Usiminas Mecânica S/A, Usina Caeté S/A.

 

Paulo Cesar Quartiero

Engenheiro Agrônomo

DEM/RR

Membro da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 154.850,00

Alguns doadores de sua campanha em 2010: Norteagro – Norte Aeroagrícola Ltda, Camil Alimentos S/A.

Prefeito de Pacaraima é preso por ataque a índios:http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDR83563-6009,00.html

Campeão de processos responde por seqüestro:

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/campeao-de-processos-responde-por-sequestro/

 

Josué Bengtson

Pastor Evangélico

PTB/PA

Membro da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 629.011,50

Alguns doadores de sua campanha em 2010: JBS S/A

 

Oziel Oliveira

Administrador, Agricultor

PDT/BA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 186.584,96

Alguns doadores de sua campanha em 2010: Indústrias Reunidas Coringa Ltda.

 

Francisco Araújo

Não está em exercício

PSD/RR

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 34.576,50

 

Jerônimo Goergen

Advogado

PP/RS

Membro da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 793.945,40

Alguns doadores de sua campanha em 2010: A N da Ind de Armas e Munições e Seus Comp., Associação das Revendas de Agrotóxicos de Ijuí, Bocchi Ind. Com Transp. e Beneficiamento de Cereais Ltda, Bsbios Ind. e Com de Biodiesel Sul Brasil S/A, Câmera Agroalimentos S/A, CMPC Celulose do Brasil Ltda, Comercio de Cereais JRB Ltda, Comercio de Cereais Ferlin Ltda, Coxilha Ind. de Fertilizantes e Corretivos Ltda, Frigorífico Silva Ind. e Com Ltda, Gerdau Comercial de Aços S/A, Grandespe Sementes e Agronegócios Ltda, JBS s/a, Laticínios Bom Gosto S/A, Oleoplan S/A – Óleos Vegetais Planalto, Sementes Estrela Com Import. e Expot. Ltda, Três Tento Agroindustrial Ltda, Viera Afrocereais Ltda.

Moreira Mendes

Advogado, Agropecuarista

PSD/RO

Relator do PLP 227/2012 na Comissão de Agricultura

Membro da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA

Total de receitas nas eleições de 2010: R$ 1.136.062,95

Alguns doadores de sua campanha em 2010: Agropecuária Itauna Ltda, Assoc. Nacional da Ind. de Armas e Munições, Big Sal Ind. e Comd. e Suprim. Animal, Bunge Fertilizantes S/A, Cosan S/A Ind. e Com, JBS S/A, Marchesan Impl. Maq. Agric. Tatu S/A, Rical Rack Ind. e Com. de Arroz Ltda.

O domínio do Poder Econômico nos movimentos da sociedade

Cláudio Lembo, Terra Magazine

É ingênuo imaginar que os partidos políticos governam. São meras marionetes de algo que não aparece.  Encontra-se, porém, em todos os espaços da sociedade. Absolutamente insensível.

Todos se voltam contra o aparente. O governante, pertencente às diversas agremiações, leva a culpa de tudo. Não pode, na maioria das vezes, agir. 

Encontra-se manietado por quem tudo pode. Domina os meios de comunicação. Regula os fluxos da vida social. Avança nas consciências. Altera os códigos de conduta. Manipula de acordo com sua vontade.

Quem é este novo leviatã? Este monstro que domina todos os movimentos da sociedade. Envolve todos os atores. Imobiliza as iniciativas individuais. Tolhe as ações coletivas que se coloquem contra seus desígnios.

Todos são – de uma maneira ou de outra – dominados por este novo e único dirigente da sociedade. Não é difícil se captar quem seja este leviatã dos tempos contemporâneos.

Claro, é o Poder Econômico. Em suas fontes centrais ou em sua imensa constelação é sempre ele quem dirige os acontecimentos políticos e sociais. É sempre ele que dá a última palavra.

Os mecanismos de controle do Poder Econômico, aqui e por toda a parte, mostram-se frágeis em mantê-lo em limites éticos e socialmente válidos. São bancos centrais que se submetem aos seus fiscalizados.

Comissões de valores mobiliários que chegam atrasadas no controle das grandes aventuras nas bolsas de valores. As superintendências de seguros mal aparelhadas para examinar os cálculos atuariais.

Um grande emaranhado de instituições que, ao invés, de proteger à cidadania levam caos por toda a parte. São empresas que quebram. Bancos que rompem parâmetros de tarifas.

Inescrupulosos avançam em uma cruzada sem precedentes em busca do mero ganho especulativo. Há situações vexatórias. Estas levam os observadores e vítimas ao desespero. À descrença.

Sempre se ouviu falar do Fundo Monetário Internacional – FMI – como o baluarte da defesa da integridade das moedas. Trincheira da rigidez financeira. Da moralidade. v

Assim é se lhe parece. A realidade que vem à tona, no entanto, é bem diferente. Um diretor-gerente do FMI, já acusado por estupro, é agora indiciado por proxenetismo.

Exatamente isto. Um dirigente internacional, acima de todos os governos, senhor de nossos destinos, é um vil explorador de lenocínio. Faz da prostituição um seu segundo emprego.

A figura de Strauss-Kahn, agora respondendo pelo crime de proxenetismo, pode – é bem possível – ser erguida como a imagem de determinadas personalidades do segmento econômico-financeiro.

Faltam alguns traços de sobriedade para conviver com os fluxos que mantêm os dutos da sociedade em atividade. São exploradores de seres humanos, tal como os proxenetas.

Estes, também, merecem as críticas dirigidas aos políticos – pecadores por excelência. Não os únicos, porém. É bom abrir os olhos para ver. A realidade é bem mais ampla.

Muitos Strauss-Kahan andam por ai. 

Comando Nacional dos Bancários entrega pauta de reivindicações aos bancos nesta terça

Plenária da 15ª Conferência Nacional aprova a pauta de reivindicações

O Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, entrega nesta terça-feira 30 de julho à Fenaban, às 11h, em São Paulo, a pauta de reivindicações da Campanha 2013, aprovada pela 15ª Conferência Nacional dos Bancários realizada de 19 a 21 de julho. Na sequência, também na sede da Fenaban, o Comando entregará as pautas específicas de reivindicações às direções do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal.

A Campanha Nacional dos Bancários deste ano tem como eixos centrais reajuste de 11,93% (inflação projetada do período mais aumento real de 5%), elevação do piso salarial ao valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 2.860,21), defesa do emprego, fim da terceirização e combate às metas abusivas e ao assédio moral.

“Os bancários não aguentam mais as demissões e as péssimas condições de trabalho. Não podemos admitir que nossa categoria continue adoecendo física e psicologicamente por causa dos bancos. Por isso este ano a luta contra o assédio moral e as metas abusivas terá um peso maior”, alerta Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional.

“Os bancários estão mais mobilizados que na greve do ano passado, inclusive pelo momento em que estamos vivendo. Essa campanha não será apenas por questões corporativas. Vamos lutar contra o PL 4330 da terceirização e por toda a pauta colocada pelas centrais sindicais. Também batalharemos pelas reformas que o país precisa, sobretudo a política e a tributária. E, claro, vamos continuar lutando pela realização da Conferência Nacional do Sistema Financeiro, pois temos de discutir que bancos queremos para o país”, afirma Carlos Cordeiro.

Veja aqui quais são as principais reivindicações da Campanha de 2013

Saiba aqui como ficarão o salário e demais verbas com as reivindicações

Clique aqui e conheça a agenda política dos bancários

conheça aqui o calendário de luta dos bancários e das centrais sindicais

Pautas específicas do BB e da Caixa

Ao término da entrega da pauta geral de reivindicações da categoria à Fenaban, o Comando Nacional entregará, também na sede da Fenaban, as pautas de reivindicações específicas dos trabalhadores para as direções do BB e da Caixa. 

Seguindo o modelo de campanha nacional unificada, as negociações com o BB e a Caixa serão realizadas de forma concomitante com a negociação da categoria com a Fenaban. 

A mesa de negociação com os dois bancos públicos é coordenada pela Comando Nacional, com a assessoria da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB e da Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), ambas integradas por representantes de federações e sindicatos. 

Banco do Brasil

O 24º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil aprovou a pauta específica centrada no combate ao plano de funções comissionadas, ao assédio moral, às práticas antissindicais e às péssimas condições de trabalho.

“Temos propostas que buscam resolver problemas do funcionalismo nas mais diversas áreas, como saúde e previdência, em que reivindicamos a isonomia de tratamento e o direito de todos na Cassi e na Previ”, afirma William Mendes, secretário de Formação da Contraf-CUT e coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB. 

Segundo o dirigente sindical, também foram aprovadas propostas para melhorar as condições de trabalho, combater o fim das metas e o adoecimento que toma conta nos locais de trabalho no banco. 

Caixa

Os empregados da Caixa aprovaram no 29º Congresso Nacional dos Empregados(Conecef) a pauta específica com reivindicações que envolvem Saúde do trabalhador, condições de trabalho e Saúde Caixa, segurança bancária, carreira e condições de funcionamento das agências, papel social da Caixa, contratação, isonomia, Sipon e jornada de trabalho, e questões que tratam da Funcef e aposentados. 

“São demandas dos empregados que precisam ser atendidas pela Caixa. Todas são muito importantes, mas especialmente a melhoria das condições de trabalho, mais contratações, isonomia, plano de saúde e Funcef. Agora o que vale é a mobilização, que começa com a participação nas reuniões em cada local de trabalho para fazer a diferença e garantir novos avanços e conquistas gerais e específicas”, salienta Jair Ferreira, coordenador da CEE/Caixa.

Fonte: Contraf-CUT

Ceará: empresas de comunicação terão de pagar R$ 8 milhões a jornalistas

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará (Sindjorce) venceu processos judiciais movidos contra oito veículos de comunicação de Fortaleza, que violaram os direitos trabalhistas nos últimos dez anos. Ao todo, as empresas terão que ressarcir 221 jornalistas em valores que somam milhões de reais.

Ações trabalhistas tramitam há anos na Justiça (Imagem: Reprodução/Sindjorce)

Veículos como a TV Verdes Mares, TV Diário, TV Jangadeiro, TV Cidade, Rede TV, Rádio Verdes Mares, Jornal O Povo e Rádio O Povo foram condenados por irregularidades trabalhistas, como falta de pagamento de horas extras e diferenças salariais, segundo informações do Sindjorce.

Os jornalistas aguardam a conclusão dos cálculos dos valores a serem recebidos. “Não há mais dúvida sobre a existência do direito. O que ainda pode se discutir são os valores e o prazo de execução das sentenças propriamente dita. No debate sobre os cálculos, ainda é cabível recurso aos tribunais, por ambas as partes, o que pode resultar em certa demora no processo”, explicou o assessor jurídico do Sindjorce, Carlos Chagas.

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) está fazendo os cálculos. De acordo a entidade, as TV e a Rádio Verdes Mares e a TV Diário, do Sistema Verdes Mares de Comunicação, terão que pagar mais de R$ 8 milhões a um grupo de 58 jornalistas, sendo o menor valor de R$ 49.685,54 e o maior de R$ 350.525,08. “Os valores variam por profissional, em função das particularidades de cada um: se recebe apenas o piso, se tem cargo de chefia”, esclareceu o economista Ediran Teixeira. 

(Comunique-se)

As cidades com os piores IDHM do país

 

Marajá do Sena – Maranhão

Cidade com pior renda vive com R$ 96,25 por pessoa

Marajá do Sena (Maranhão) não tem agência bancária. Mas, para seus 8.000 habitantes, esse é o menor dos seus problemas. A cidade tem o pior IDHM Renda do país e por lá circulam apenas R$ 96,25 por pessoa. Uma estrada asfaltada, mais escolas e um hospital fazem falta. Entre as 32 cidades com piores Índices de Desenvolvimento Humano do País, a falta de estrutura é a principal característica.

Melgaço, a pior de todas do ranking, fica a oito horas de barco da capital do Pará, Belém. Chegar à cidade é caro e difícil. Manari, que em 2003 ganhou o título de pior IDHM do Brasil, não é de acesso complicado, mas, assim como Inhapi, em Alagoas, fica no sertão pobre do Nordeste. A característica que une as piores cidades do país é a falta de renda, a economia quase sem saída e a educação em níveis muito baixos. Entre elas, o IDHM Educação mais alto, de Assunção do Piauí, é de apenas 0,382, muito longe do limite para ser considerado apenas baixo.

Na outra ponta, as melhores cidades do país nem sempre têm rendas tão altas – Assis, em São Paulo tem renda per capita de apenas R$ 967 -, mas ainda assim tem uma economia muito mais dinâmica e oferecem serviços sociais muito melhores. Todas elas estão nas regiões Sul e Sudeste e incluem seis capitais. Apesar das dificuldades apontados especialmente nas redes escolares e de saúde de cidades como São Paulo, Porto Alegre e Vitória, a estrutura já estabelecida, o orçamento alto e os recursos que circulam dão a essas cidades uma capacidade muito maior de resolver os problemas dessa população.

GRÁFICOS MOSTRAM A EVOLUÇÃO DO IDH MUNICIPAL

Reprodução

  • As áreas vermelhas do mapa concentram municípios com IDH considerado muito baixo; as áreas verdes são as cidades com IDH considerado “muito alto” (clique na imagem para saber mais) 

(Uol)

Papa Francisco: o nascimento da um estadista

O Rio de Janeiro assistiu o nascimento de um estadista, o Papa Francisco. Foi inesquecível sua atuação na Jornada Mundial da Juventude. Poucas vezes um estadista conseguiu ser tão preciso nos discursos, redesenhando um organismo milenar como a Igreja Católica através da identificação das ideias básicas a nortear o novo rumo.

Não ousou investir contra alguns dogmas, ainda que anacrônicos – como o celibato ou a condenação das relações homossexuais. Mas verbalizou a volta da tolerância ao se indagar: “Se um gay busca Deus, quem sou eu para julgar?”.

***

Mais que isso.

No período em que o mundo conviveu com o maior processo de inclusão da história – das grandes massas miseráveis nos países do terceiro mundo – a Igreja se afastou dos pobres. Na era das quebras de tabu, da condenação a toda forma de preconceito, a Igreja se esmerou na condenação moral para fora e no acobertamento para dentro.

***

O Papa foi preciso ao identificar nas massas pobres e na juventude a seiva do revigoramento da Igreja. E no enclausuramento da Cúria, no Vaticano, seu maior problema.

Há muito tempo a vocação religiosa deixou de atrair os melhores quadros. A maneira de enfrentar a contemporaneidade dos movimentos evangélicos foi estimular os padres-show, atuando na mesma piscina rasa dos pastores. Ao propor a volta do espírito da catequese, em contraposição à banalização da vida moderna e ao consumismo e busca de status que caracterizam os tempos atuais.

***

O Papa fugiu da polarização Teologia da Libertação x conservadores que marcou a Igreja brasileira. Ambas estão debaixo da mesma organização e buscando o mesmo fim: o fortalecimento da Igreja. Criticou tanto os que tentaram subordinar a Igreja ao marxismo como ao neoliberalismo.

E é essa a estratégia: pairar acima das quizilas, das disputas internas, e apresentar o objetivo maior, para o qual toda a organização deverá convergir: os seguidores da Teologia da Libertação atuando junto às regiões pobres; os conservadores preservando o espaço junto a uma elite algo anacrônica; e a Igreja empenhada em conquistar novos territórios junto aos jovens através do chamamento ao jovem.

***

A falta de estadistas na Igreja – e nem se venha considerar João Paulo 2o como tal – produziu lutas intestinas terríveis, especialmente na América Latina.

Grande parte da liderança política atual fez-se sob a inspiração da Igreja: no PT, Lula e os movimentos sociais; no PSDB, os egressos da Ação Popular (AP), que se originou da ação católica, da Juventude Estudantil Católica (JEC), Juventude Universitária Católica (JUC) e Juventude Operária Catolica (JOC). Lula saiu dos movimentos populares, José Serra da AP, Dilma Rousseff do GGN (Grupo Gente Nova), de inspiração católica.

***

Tudo isso se perdeu nas últimas décadas. A Igreja perdeu o encanto para os jovens, para os ativistas e mesmo para os místicos. Manteve-se nos movimentos populares, sob boicote da Cúria. Conservou influência apenas nas zonas rurais e junto aos remanescentes da elite econômica envelhecida.

Figuras símbolos, como o cardeal Arns e os irmãos Lorscheiter, príncipes políticos, como dom Lucas Neves e conservadores influentes, como Eugênio Salles, foram substituídos por burocratas sem visão política nem missionária.

Agora, Francisco tenta repor a Igreja no caminho da reconstrução.

(Luis Nassif)

A imagem de Nossa Senhora em uma tora de madeira

Uma imagem semelhante à de Nossa Senhora Aparecida em uma tora de madeira chamou a atenção dos moradores do município de Jaquirana, cidade de cerca de 4.000 habitantes localizada no Rio Grande do Sul. A tora desembarcou na cidade em um carregamento.

Após notarem a marca que se assemelha à padroeira do Brasil, fiéis colocaram o pedaço de madeira em um altar na igreja São Sebastião, em frente à praça da cidade. A foto acima, feita no dia 23 de julho, foi divulgada nesta segunda-feira (29) 

(Uol)

Papa Francisco deixa dois cheques de R$ 60 mil para hospital e comunidade no Rio

O papa Francisco visita a comunidade de Varginha, no Complexo de Manguinhos, na zona norte do Rio de Janeiro (Tânia Rêgo/ABr)
ALESSANDRO LO-BIANCO , MARIA INEZ MAGALHÃES , MARIA LUISA BARROS E MARCELLO VICTOR

Rio – Não foram só sentimentos bons deixados pelo Santo Padre em sua passagem pelo Rio. Na visita à comunidade da Varginha, na quinta-feira, no Complexo de Manguinhos, o Papa Francisco doou um cheque de 20 mil euros (R$ 60 mil) para a paróquia São Jerônimo Emilliani. A notícia foi dada nesta segunda-feira pelo arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta. 

Além da favela da Zona Norte da cidade, Sua Santidade entregou um segundo cheque no mesmo valor para o Hospital São Francisco da Penitência, na Tijuca, visitado por ele, na quarta-feira passada. 

Segundo a instituição franciscana, o dinheiro será usado para montar uma sala de estabilização para atendimento de pacientes viciados em drogas. A unidade funcionará dentro do Polo de Atenção Integral à Saúde Mental, PAI – Papa Francisco, que será inaugurado até o final de agosto..

A unidade ocupará um prédio de quatro andares no complexo hospitalar e terá capacidade para atender 80 pacientes. Todos os leitos devem ficar prontos em dezembro. Na Varginha, a doação deverá ser usada em melhorias na favela, a serem decididas pelo pároco Márcio Queiroz, junto com os moradores da região.

(O Dia)

‘O Duelo’, com Camila Pitanga, estreia turnê nacional em Fortaleza

Aury Porto, Camila Pitanga e Sergio Siviero em ensaio de “O Duelo” no interior do Ceará (Foto: Renato Mangolin)

Depois de seis semanas vivendo no interior do Ceará, a Mundana Companhia, de São Paulo, estreia a turnê nacional do espetáculo “O Duelo” em 2 de agosto em Fortaleza. Depois, a peça será encenada em Serra da Capivara (PI), João Pessoa (PB), Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Ribeirão Preto (SP), São Carlos (SP) e Campinas (SP).

As apresentações de “O Duelo” em Fortaleza acontecem de 2 a 11 de agosto, quintas e sextas, às 20h, e sábados e domingos, 19h. Ao todo, 72 apresentações estão agendadas em nove cidades no país.

As experiências nas cidades de Arneiroz, Lavras da Mangabeira e Iracema, interior do Ceará, ajudaram na construção do espetáculo e poderão ser vistas no palco do Theatro do José Alencar.  O projeto foi idealizado pelo ator e produtor Aury Porto. Na produção e atuação, também está Camila Pitanga.

“O Duelo” é inspirada na novela do escritor e dramaturgo russo Anton Tchetkhov, de 1891. Esta é a quarta encenação da Mundana Companhia a partir de um autor russo e encerra, assim, a tetralogia que se iniciou com O Idiota, de Fiódor Dostoiévski. Pouco dias antes da estreia em Fortaleza, a companhia realiza um ensaio aberto na capital nesta quarta-feira (31), às 19h, no Theatro José de Alencar, com entrega de senhas para 200 pessoas.

Intercâmbio
Nas três cidades cearenses, entre junho e julho, a equipe formada por 20 pessoas promoveu um intercâmbio cultural com ensaios abertos e oficinas artísticas com grupos locais. “O espetáculo chega a Fortaleza com os elementos resultantes do intercâmbio com o povo e os artistas de cada uma dessas cidades de diferentes regiões do Ceará. O objetivo é extrair o máximo da experiência artística e pessoal de cada cidade e transformá-la em algo único, próprio deste espetáculo”, afirma Aury Porto, que é natural de Lavras da Mangabeira e é radicado em São Paulo há 25 anos, onde foi um dos fundadores da companhia teatral.

A narrativa se passa no litoral do Mar Negro e aborda a desavença entre duas hombridades e duas ideologias em meio às supostas civilização e barbárie. Ivan Laiévski é um funcionário público médio da Rússia ksarista de meados do século XIX que fugiu com amante Nadiejda, nome que em russo significa “esperança”, para Cáucaso, onde a história se desenvolve e o personagem vive conflitos.

“Desde a primeira leitura dessa novela fiquei interessado na forma inusitada e irônica como a situação duelar, tão característica da sociedade humana, é superada. E o que me fez idealizar este projeto foi a possiblidade de superação do duelo, no qual necessariamente um homem tem que exterminar o outro para seguir vivo. Essa história nos mostra que podemos superar o duelo em nome da vida”, diz Aury Porto.

O produtor e ator explica que as cidades cearenses foram escolhidas para fazer parte da construção do espetáculo por critérios técnicos e de direção do projeto. “Em Arneiroz, eu já tinha conhecimento de grupos com experiência em teatro e é uma cidade com cerca de cinco mil habitantes, onde todos se conhecem assim como na novela de Tchékhov. Em Lavras, minha cidade natal, um pouco maior, mas com essa mesma proximidade entre todos. EIracema é uma cidade que já conviveu muito com o drama do duelo por meio da prática da pistolagem”.

Além de Aury Porto e Camila Pitanga, o elenco de “O Duelo” tem Carol Badra, Fredy Allan, Guilherme Calzzavara, Paschoal da Conceição, Sergio Siviero e Vanderlei Bernardino. A direção é  de Georgette Fadel. Para ela, a história vivida na novela é semelhante ao que foi vivido nas semanas no interior cearense.

“Os personagens da peça saem de um grande centro para viver em cidades muito parecidas com as que visitamos aqui no Ceará. De certa forma, vivenciamos isso. Ao sairmos de São Paulo e do Rio de Janeiro, passamos a ver, com o estranhamento de quem chega a um local diferente, a dificuldade e a descoberta de habitar um espaço com características distintas do local de origem, o que foi muito rico”, conclui Fadel.

Serviço:
O Duelo, da Mundana Companhia/SP
Datas: 2 a 11 de agosto, quintas, sextas e sábados, às 19h, e domingos, 19h
Local: Theatro José de Alencar
Ingressos a partir do dia 30 de julho, às 14h / R$20 inteira e R$10 meia
Rua Liberato Barroso, 525 – Praça José de Alencar, Fortaleza – (85) 31012583
Classificação: 12 anos / lotação: 200 pessoas

Ensaio aberto
31 de julho, às 19h, no Theatro José de Alencar
Entrega de senhas para 200 pessoas.

(G1 Ceará)

Isabela Severo da Silva: Menina de 3 anos morre após rompimento de adutora no Rio

Uma criança morreu na manhã desta terça-feira depois do rompimento da adutora da Companhia Estadual de Água e Esgoto do Rio de Janeiro (Cedae), na zona Oeste da capital fluminense, que ocorreu ainda na madrugada. A menina Isabela Severo da Silva, de 3 anos, engoliu muita água e chegou a receber massagem cardíaca dos bombeiros. Ela foi encaminhada para o Hospital Rocha Faria, no mesmo bairro, mas não resistiu.

Pelo menos sete pessoas ficaram feridas. Três foram encaminhadas pelo Corpo de Bombeiros a hospitais e outras quatro foram socorridas no local. A água chegou a atingir dois metros de altura, deixando ao menos dez casas destruídas e ruas alagadas. A Cedae ainda não sabe o que ocasionou o vazamento.

O registro da tubulação já foi fechado e, segundo a distribuidora, o abastecimento não será interrompido porque a água foi desviada para outras tubulações. As ruas da região ficaram alagadas. Por isso, os bombeiros estão trabalhando com botes no local. A distribuidora Light interrompeu o fornecimento de energia elétrica na área, por segurança.

Incidente

Na madrugada desta terça-feira, uma tubulação da Cedae rompeu na Estrada do Mendanha, no bairro de Campo Grande. O impacto da água destruiu casas, carros e alagou diversas ruas. O local onde ocorreu o vazamento é bem próximo à Avenida Brasil, principal ligação entre as zonas oeste e norte da capital fluminense.

Via http://portallw.correiodopovo.com.br/

Adutora se rompe, alaga bairro e mata criança de três anos no Rio de Janeiro

Casa ficou destruída com a força da água (Foto: Reprodução/TV Globo)

Uma criança morreu e sete pessoas ficaram feridas após o rompimento de uma adutora da Companhia Estadual de Águas e Esgoto (Cedae), ocorrido por volta de 4h30 da manhã desta terça-feira, 30, nas imediações da Estrada do Mendanha, na altura do número 4.500 do bairro de Campo Grande, na zona oeste do Rio. Isabela Severo da Silva, de 3 anos, foi resgatada desacordada e colocada num bote, onde os bombeiros tentaram reanimá-la. Ela deu entrada no Hospital Estadual Rocha Faria com parada cardiorrespiratória e não resistiu.

Bombeiros que chegaram ao local logo depois do acidente contaram que o jato de água atingiu uma altura de 20 metros. Carros e casas foram destruídos e a área, localizada em uma baixada, ficou alagada.

Quatro feridos leves foram atendidos no local e liberados. Outras três pessoas foram encaminhadas ao hospital com escoriações. São elas: Daniel de Oliveira, de 29 anos; Ana Paula dos Santos Oliveira, de 32; e sua filha, Lavínia dos Santos Moura, de 8. Marido de Ana Paula, o mecânico Agilson da Silva Serpa, de 42 anos, contou que a família estava dormindo no segundo andar de casa quando, por volta das 6 horas, ouviu um forte barulho.

“Era um barulho de água batendo na telha. Pensei que fosse uma chuva forte, mas a força da água começou a arrancar as telhas de casa e a derrubar as paredes da frente. Corremos para os fundos, até que um jato forte nos arrastou para a rua, do segundo andar. Por sorte, a rua já estava inundada, o que amorteceu a queda”, explicou o mecânico, que mora na Rua Projetada A, transversal à Estrada do Mendanha. Além dele, da esposa e da enteada, o cunhado também estava em casa e sofreu ferimentos leves.

De acordo com Serpa, a tubulação da Cedae estourou num trecho que passa num terreno onde havia um matagal, por onde recentemente foram feitos trabalhos com uma retroescavadeira. “Parece que vão construir uma firma no local, mas não tenho certeza”. A Cedae já interrompeu totalmente o fornecimento de água para a região; porém, um trecho da Estrada do Mendanha e ruas transversais permanecem inundadas. A Light também interrompeu o fornecimento de energia elétrica na região. Bombeiros utilizam barcos e ambulâncias no socorro às vítimas. Um helicóptero dá apoio à operação.

De acordo com o diretor de operações da Cedae, Jorge Briard, a companhia “assumirá integralmente todos os danos que precisarem ser reparados”. Ele garantiu que os desalojados serão abrigados em hotéis, com todos os custos pagos, até que suas casas sejam reparadas. “Nosso principal foco é atender as pessoas na verificação de suas perdas materiais”, afirmou em entrevista à Globonews.

Ele informou que um equipe já está no local fazendo o mapeamento dos danos e reconstruindo a adutora. A água, segundo ele, já foi distribuída para outras tubulações e a previsão é que o abastecimento na região seja normalizado entre a noite desta terça-feira e a manhã desta quarta.

Briard afirmou que não tem informações de outros acidentes da mesma magnitude na área. “Não é recorrente. Essa tubulação em especial não tem histórico de vazamento de grande porte. Mas é uma tubulação que trabalha sobre pressão”, explicou. “Pela experiência e pelo que eu vi, foi um acontecimento pontual.”

COLABOROU FELIPE TAU, o Estado de SP

 

Rio Grande do Norte e Ceará possuem o melhor IDHM do Nordeste, aponta PNUD

O Distrito Federal e São Paulo têm os melhores Índices de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) entre as unidades da federação – 0,824 e 0,783, respectivamente, segundo o Atlas de 2013 do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) divulgado nesta segunda-feira (29).

Os índices são superiores ao do IDHM Brasil (0,727). O IDHM visa medir a qualidade de vida nos municípios. Os índices medidos nos estados e no Brasil não são calculados como a média dos índices municipais – levam em consideração o conjunto da população de cada território.

O IDHM é um índice composto por três das mais importantes áreas do desenvolvimento humano: vida longa e saudável (longevidade), acesso ao conhecimento (educação) e padrão de vida (renda). Mas, neste ano, a metodologia mudou (saiba mais sobre a nova metodologia).

Os dados utilizados para 2013 são do Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010.  O IDHM vai de 0 a 1: quanto mais próximo de zero, pior o desenvolvimento humano, quanto mais próximo de um, melhor.

O Distrito Federal, que tem um único município (Brasília), foi a única unidade da federação que teve IDHM considerado muito alto (acima de 0,800). Também registra o maior IDHM Renda, 0,863, e o maior IDHM Educação, 0,742. Todas as localidades da região administrativa do Distrito Federal são consideradas partes do município de Brasília, segundo os critérios do IBGE.

De acordo com dados do Atlas de 2003 e 1998, Distrito Federal e São Paulo já ocupavam o primeiro e o segundo lugares, mas com índices um pouco menores.

Santa Catarina, que teve o terceiro melhor IDHM 2013 do país (0,774) é o estado com maior expectativa de vida ao atingir 0,860 no IDHM longevidade.

O Rio de Janeiro, com 0,761, ficou na quarta posição neste ano entre as unidades da federação com melhor desenvolvimento humano.

Alagoas teve o pior IDHM do país (0,631) considerado de médio desenvolvimento humano. O Maranhão teve o segundo pior IDHM (0,639).

Pelos dados de toda a população do estado, nenhuma undidade da federação tem desenvolvimento humano baixo ou muito baixo.

Regiões do país
Conforme as informações divulgadas nesta segunda-feira, 65% dos municípios da região Sul e 52% dos municípios da região Sudeste têm IDHM considerado de alto desenvolvimento.

Nas regiões Centro-Oeste e Norte, 57% e 50% dos municípios, respectivamente, estão na faixa de médio desenvolvimento. No Nordeste e no Norte, 61% e 40% dos municípios, respectivamente, têm índice considerado baixo.

O IDHM 2013 NAS UNIDADES DA FEDERAÇÃO

Posição

Unidade da Federação

IDHM

Distrito Federal[1]

0,824

São Paulo

0,783

Santa Catarina

0,774

Rio de Janeiro

0,761

Paraná

0,749

Rio Grande do Sul

0,746

Espírito Santo

0,740

Goiás

0,735

Minas Gerais

0,731

10º

Mato Grosso do Sul

0,729

11º

Mato Grosso

0,725

12º

Amapá

0,708

13º

Roraima

0,707

14º

Tocantins

0,699

15º

Rondônia

0,690

16º

Rio Grande do Norte

0,684

17º

Ceará

0,682

18º

Amazonas

0,674

19º

Pernambuco

0,673

20º

Sergipe

0,665

21º

Acre

0,663

22º

Bahia

0,660

23º

Paraíba

0,658

24º

Piauí

0,646

24º

Pará

0,646

26º

Maranhão

0,639

27º

Alagoas

0,631

Fonte: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud)

No Brasil, a maioria dos municípios tem índice médio (40,1%) e alto (33,9%).

Clique abaixo para conferir o IDHM do seu município:

References

  1. ^Distrito Federal (g1.globo.com)

Leia Mais http://g1.globo.com/brasil/noticia/2013/07/df-e-sp-sao-unidades-da-federacao-de-melhor-desenvolvimento-humano.html

 

 

Instituto do Câncer do Ceará (ICC) realiza a 9ª edição da Feira Solidária

O Instituto do Câncer do Ceará (ICC) realiza a 9ª edição da Feira Solidária, a partir de sábado (27), no galpão da instituição, no Bairro Rodolfo Teófilo, em Fortaleza. Os produtos que serão vendidos foram doados pela Receita Federal e variam de brinquedos a equipamentos eletrônicos.

A entrada para a feira solidária custa R$ 5, o valor arrecadado será destinado para a Casa Vida, instituição mantida pelo ICC e que abriga pessoas maiores de 18 anos que vêm do interior do Ceará e de estados vizinhos para realizar tratamento no Hospital Haroldo Juaçaba por meio do Sistema Único de Saúde (Sus). A feira solidária do ICC segue até o final da venda dos produtos.

Instituto do Câncer do Ceará
O ICC é referência nacional no diagnóstico, tratamento e pesquisa em cancerologia e ações de responsabilidade social. Com 69 anos, destaca-se pela capacidade de oferecer diversas especialidades e tratamentos com uma equipe médica multidisciplinar voltada exclusivamente para atender as necessidades dos pacientes em tratamento oncológico. A instituição realiza aproximadamente 20 mil atendimentos mensais, sendo 70% para pacientes provenientes do Sus.

Serviço
Data: a partir de 27 de julho
Horário: de 9h às 16h (segunda a sexta-feira) e 9h às 12h (domingo)
Local: Rua Papi Júnior, S/N – Bairro Rodolfo Teófilo
Entrada: R$ 5

(G1 Ceará)

Em Fortaleza, o ritmo frenético da construção chega à periferia

SÃO PAULO – Quarto maior município do Brasil, com 2,4 milhões de habitantes, Fortaleza viu o preço médio do metro quadrado dos imóveis triplicar entre 2006 e 2010. As vendas quintuplicaram. Normalmente, os grandes edifícios se multiplicam em áreas centrais ou, no caso de cidades litorâneas, nas faixas rentes à praia. Mas, na capital cearense, o ritmo frenético da construção civil alcançou as periferias. Duas, três, até dez ou mais torres numa mesma gleba de terra.

Às vezes, emergem bairros inteiros, como o apropriadamente chamado Bairro Novo, um conjunto de 12 condomínios com 5.436 unidades, lançado em 2008. Segundo o IBGE, o número de apartamentos na cidade passou de 77.613 para 126.133 entre 2000 e 2010.

O preço empurra prédios para a periferia. À beira-mar, turistas supervalorizaram os preços. Fortaleza foi sugerida a investidores como “destino imobiliário”, atraente pelos preços baixos e pela cotação do real frente a moedas estrangeiras. Em 2006, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Ceará vendia a cidade “como se fosse liquidação, uma loja de R$ 1,99”. Resultado: na praia, 70% das unidades foram vendidas a estrangeiros, a preços de R$ 4 mil a R$ 8 mil, o metro quadrado.

— Primeiro, a produção se concentrou na oferta de apartamentos para os mais ricos. Depois, se disseminou por toda a cidade — diz a arquiteta Maria Beatriz Rufino, que analisou a produção de espaço em Fortaleza em sua tese de doutorado na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

A aposta das incorporadoras em Fortaleza não difere do que ocorreu na maioria das outras cidades de Norte e Nordeste: a quantidade de áreas era grande e o preço dos terrenos, baixo. No mercado imobiliário, o preço costuma ser a primeira coisa a ser definida. Só depois de saber quanto o consumidor pode pagar é que as empresas “desenham” os edifícios, o que, em parte, explica o tamanho cada vez menor das unidades. Em 2010, segundo o estudo, 70% dos apartamentos de dois dormitórios em Fortaleza tinham menos de 55 metros quadrados de área.

Legalização com Lei municipal

A arquiteta afirma que boa parte dos condomínios gigantes são aprovados por leis municipais ilegais. Ela cita a lei federal 6.766, de 1979, que prevê que qualquer gleba acima de dez mil metros quadrados deve ser parcelada. Na prática, essa lei não é aplicada. Os megacondomínios acabam sendo classificados como loteamentos fechados, privatizando as vias que os conectam ao restante da cidade. E assinala que o setor imobiliário avança, apesar do discurso sobre as deficiências no planejamento urbano.

(Cleide Carvalho – O Globo)

 

Grandes metrópoles do mundo representadas em cartazes minimalistas cheios de cor

Via http://www.ibahia.com

Se você já visitou uma destas cidades ao redor do mundo retratadas nos cartazes intitulados “Shapes of Cities” do designer e ilustrador Yoni Alter, sem dúvida, vai reconhecer a silhueta das principais e mais famosas obras arquitetônicas em cada um deles. Como eu tenho tanta certeza disso? O designer se deu ao trabalho de ilustrar todas elas respeitando as proporções da sua escala real em um estudo incrivelmente minucioso. Além deste cuidado ele fez questão de listar em seu site o nome de cada construção ilustrada para quem quiser conferir. Uma oportunidade para testar se a sua memória está em dia e suas viagens também.

Visto AQUI.

Ceará é a bola da vez no mercado imobiliário

Fortaleza-CE

Ceará, Rio Grande do Norte e Sergipe são destaques em venda de imóveis no país. Os dados foram apresentados na Convenção Nacional da Re/Max Brasil, que aconteceu, recentemente, na Bahia. Das mais de 200 empresas franqueadas, as imobiliárias nordestinas da rede americana ficaram entre as três primeiras colocadas. O Ceará ficou em primeiro lugar no Brasil.

Segundo Pedro Viriato, sócio da Master Franquia Ceará, as belas paisagens, clima agradável o ano todo, – aliados a projetos do governo e à realização da Copa do Mundo em 2014, o aumento do crédito concedido pelos bancos e o otimismo dos brasileiros em meio ao cenário favorável, além do investimento em infraestrutura local, incentivam a comercialização de imóveis na região.

“Nos últimos anos, o Ceará tem crescido mais do que a média brasileira a nível do PIB, e o mercado imobiliário vem acompanhando esse crescimento. Fortaleza, é uma das cidades mais bem estruturadas a nível urbanístico do Nordeste, permitindo um desenvolvimento imobiliário muito dinâmico”, acrescenta Viriato.

De acordo com o Instituto de Pesquisa e Estatística do Ceará (Inpes), do Sindicato da Habitação (Secovi), este ano o número de lançamentos em Fortaleza deve aumentar 106%, em relação ao ano passado. Os lançamentos são idealizados com foco nas diversas faixas de renda.

Em destaque

Um advogado, uma administradora de empresas e um publicitário. A união destes três profissionais e o foco no trabalho transformaram a Re/Max Atitude em uma das imobiliárias que mais vendem no Brasil.

A Empresa, que está há pouco mais de dois anos no mercado, ficou com a primeira colocação de comissão e faturamento entre as mais de 200 franqueadas da marca no Brasil. Nos últimos meses a Re/Max Atitude fez mais de 34 milhões em VGV (Valor Geral de Vendas).

O prêmio , segundo o sócio Renato Borges, é fruto de um trabalho de muita qualidade, com respeito ao cliente e também ao corretor de imóveis. “Porque hoje o corretor é muito despreparado e deixa a desejar, e a empresa tem um papel muito importante de qualificar o corretor, não só na área de vendas, mas também nas áreas de arquitetura, engenharia e direito, e isto contribui para um trabalho de maior qualificação e repercute na satisfação do cliente”, analisa Borges.

De olho na Copa

Aproveitando a credibilidade da marca criada há quarenta anos nos Estados Unidos, e presente em 95 países com 6.300 franqueadas, a Máster Franquia, no Ceará, está de olho na copa do mundo para atrair cada vez mais clientela.

“Um cliente na Itália  que quer alugar ou comprar uma casa para a copa aqui no Brasil ou no Ceará, vai procurar imediatamente a Re/Max, porque ele já conhece a marca no seu país e sabe da credibilidade que ela tem”, exemplifica o português, Pedro Viriato.

E a sinalização de que o evento trará bons ventos para o nosso estado tem sido à procura de estrangeiros em imóveis no nosso estado. A clientela tem sido tanto de pessoas que querem assistir os jogos aqui no Ceará como de pessoas que estão se instalando no estado já de olho nos investimentos que a Copa do Mundo trará para os seus negócios.

Instalada em fevereiro de 2011, a Re/Max Ceará tem hoje seis empresas franqueadas e estima chegar em 2016 com 30 imobiliárias usando a bandeira da rede.  A expectativa da empresa em nível de Brasil é passar de 200 para 1.000 empresas franqueadas e saltar de um VGV de R$ 1,8 bilhões para R$ 25 bilhões até 2016.

Mulheres no mercado

Correspondendo a quase 30% do mercado imobiliário brasileiro, as mulheres, estão cada vez mais atuantes. A administradora de empresas, do Ceará, Rejane Bandeira está entre os três melhores corretores da marca no Brasil. Contabilizando este ano mais de cem unidades vendidas, com preços variando de trezentos a seiscentos mil reais, ela desbancou mais de mil corretores de todas as regiões do país.

“Como é que o mercado está em baixa se aqui no Ceará obtivemos o primeiro lugar em vendas?” Indaga a corretora, que enfatiza a estabilidade do mercado.

Edal Costa, diretora do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-Ce), também concorda que o mercado, nos últimos dois anos, esteve em efervescência, agora passa por uma acomodação. “E vamos ganhar com esta acomodação”, afirma Edal, com a autoridade e o entusiasmo de quem já está há 30 anos no mercado imobiliário cearense.

Via http://www.oestadoce.com.br

Turismo no Rio de Janeiro bate recorde com a JMJ 2013

A movimentação de turistas no Rio de Janeiro, com a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), está sendo a maior já registrada numa única cidade brasileira. A informação foi divulgada pelo Ministério do Turismo com base em pesquisa encomendada à Coppe/UFRJ. Apesar de todos os problemas que os peregrinos enfrentaram, cerca de 93% dos estrangeiros entrevistados disseram que pretendem voltar ao Rio e desse total, 72,7% estão no Brasil pela primeira vez.

Mais da metade (58,5%) declarou que o fato de a jornada acontecer na cidade do Rio influenciou na decisão de comparecer ao evento. E a maioria dos turistas dessa amostra preliminar (95,7%) respondeu que pretende voltar ao Rio. A pesquisa mostrou ainda que o tempo médio de permanência dos estrangeiros no país é de 12 dias e 53,6% deles afirmaram que querem voltar ao Brasil em até um ano e 12,7% pretende fazer isso no prazo de um a seis meses.

“Estamos estruturando uma política para o turismo religioso dando ênfase a nossa política de priorizar o turismo interno. O mercado interno é o nosso olhar, mas é claro que queremos atrair cada vez mais estrangeiros para o Brasil. O ministério precisa ajudar na divulgação do turismo religioso e transformar isso em um negócio com retorno econômico”, disse o ministro do Turismo, Gastão Vieira.

O alto custo das diárias, que aumentaram em até 30%, teve reflexo negativo para os hotéis que receberam menos de 7% dos jovens peregrinos. A maior parte dos viajantes, cerca de 55%, se hospedou em paróquias, colégios e residências de fiéis que colaboram com a organização do evento. Outros 20% ficaram em casas de amigos e parentes.

(Jornal do Brasil)

Joaquim Barbosa poderia ser destituído por uso indevido de apartamento funcional

Matéria publicada no jornal eletrônico GGN:

São Paulo – O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa), descumpriu o Decreto nº 980/1993 (que regula a cessão de uso dos imóveis residenciais de propriedade da União, situados no Distrito Federal) ao utilizar a moradia funcional para abrir a Assas JB Corp, OffShore utilizada para a aquisição de um apartamento em Miami, EUA (Estados Unidos).

O Jornal GGN enviou questões à CGU (Controladoria Geral da União) em relação ao caso Joaquim Barbosa, indagando sobre o parecer do órgão em relação a funcionários públicos que utilizassem apartamento funcional como sede de empresa atuando fora do país.

GGN – Conforme conversamos por telefone gostaria de saber se existe alguma ilegalidade no uso de um apartamento funcional como sede de uma empresa fora do país.

CGU – O Decreto nº 980/1993 (que regula a cessão de uso dos imóveis residenciais de propriedade da União, situados no Distrito Federal) não prevê o uso de imóvel funcional para outros fins, que não o de moradia. De acordo com o texto da norma, o permissionário tem, entre seus deveres, o de destinar o imóvel a fins exclusivamente residenciais; e o de não transferir, integral ou parcialmente, os direitos de uso do imóvel.

Vale frisar ainda, apenas a título de cautela, que aos servidores públicos federal regidos pela Lei nº 8.112 (inciso X do art. 117), de 1990, é proibido “participar de gerência ou administração de sociedade privada, personificada ou não personificada, exercer o comércio, exceto na qualidade de acionista, cotista ou comanditário”.

GGN – Caso seja considerado ilegal, qual seriam as punições previstas para esse tipo de utilização?

As penas podem ser de advertência, suspensão ou demissão/destituição, conforme previsto na Lei nº 8.112/1990, a depender da apuração.

GGN – Já houve algum caso anterior similar?

No âmbito da CGU, não foi apurado nenhum caso similar.

Barbosa não terá benefícios fiscais com imóvel em Miami

Outro artigo da mesma lei permite, como medida cautelar e para evitar que o servidor não influa na apuração da irregularidade, determinar o afastamento do exercício do cargo, pelo prazo de até 60 (sessenta) dias, sem prejuízo da remuneração.

Como Barbosa é Ministro do STF, qualquer ação visando responsabilizá-lo terá que passar pela Procuradoria Geral da República e pelo STF. Ou seja, pares julgando pares.

Entenda o caso

Conforme foi revelado pelo jornal Folha de S. Paulo, o presidente do Supremo Tribunal Federal, JoaquimBarbosa, abriu a OffShore Assas JB Corp para obter benefícios fiscais na compra de um pequeno apartamento de alto padrão em Miami.

A advogada de Joaquim Barbosa em Miami, Diane Nobile, confirmou à reportagem que a empresa foi aberta quatro dias antes da compra do imóvel. Segundo Diane esse tipo de operação é frequente na compra de imóveis por parte de estrangeiros nos EUA, pois reduz a carga tributária que incide sobre uma futura herança.

Outro ponto confirmado por Diane, é que a Assas JB Corp tem como sede um endereço em Brasília, o que é permitido pela legislação local.

Documento de criação da Assas JB Corp.

A reportagem do Jornal GGN comprovou que o endereço utilizado por Joaquim Barbosa para a criação da OffShore é uma moradia funcional, cedida pela Secretaria de Patrimônio da União ao STF, cujo uso deve ser exclusivamente residencial.

Questionado sobre o caso, o STF respondeu que “os esclarecimentos sobre o tema foram feitos pelo presidente do Tribunal, que não tem nada a acrescentar ao que já foi dito”.

Cabem agora algumas explicações:

Por que o presidente do Supremo Tribunal Federal utilizou a moradia funcional para estabelecer sua empresa em Miami?

O Ministério Público Federal abrirá uma investigação sobre o uso do apartamento funcional cedido aJoaquim Barbosa?

Fábio Nunes Frazão: Vocalista de banda de rock é asassinado a facadas em São Paulo; pai é suspeito

Reprodução/Facebook Fábio Nunes Frazão, vocalista da banda Pray for Mercy, foi morto na sexta-feira (26)

O vocalista da banda de death metal Pray for Mercy, Fábio Nunes Frazão, 25 anos, foi morto nesta sexta-feira (26) em São Paulo, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública. O pai do músico é suspeito de tê-lo esfaqueado.

De acordo com a SSP, a Polícia Militar foi acionada na noite de sexta-feira para uma ocorrência no Jardim Amália, zona sul da cidade. Nunes estava ferido na barriga e deitado no chão da cozinha, ainda com vida.

Sua irmã, de 30 anos, disse aos policiais que o músico tinha sido esfaqueado pelo pai, Reinado Lopes Frazão, 56 anos, que depois teria fugido.

O jovem foi socorrido e levado ao hospital, mas morreu minutos depois de chegar ao local. O corpo foi enterrado neste domingo (28) na região sul da cidade.

Via IG

Divulgadores entram com ação na Justiça contra a Telexfree

A Ympactus Comercial Ltda, empresa de marketing multinível Telexfree, está sendo processada na Justiça do Acre por divulgadores. Entre os dias 4 e 18 de julho, foram registrados pelo menos seis processos no Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJ-AC). Entre outras situações, reivindicam rescisão de contrato, devolução de dinheiro e antecipação de tutela. Os valores das ações, somadas, chegam a R$ 257.764,41.

Um dos processos, que tinha como valor da ação R$ 10 mil, já foi julgado pelo TJ-AC e teve a petição inicial indeferida ‘sem análise do mérito’, de acordo com informações dispostas no portal eletrônico do TJ-AC.

A Telexfree já é alvo de uma ação civil pública movida pelo Ministério Público do Estado do Acre (MPE-AC), que resultou, no dia 18 de junho deste ano, na decisão da Justiça acreana de bloquear os pagamentos e a adesão de novos contratos ao empreendimento até o julgamento final da ação principal, sob pena de multa diária de R$ 500 mil.

De acordo com a assessoria do TJ-AC, as datas para julgamento das ações em andamento ainda não estão confirmadas.

Procurado para falar sobre o assunto, um dos advogados da Telexfree no Acre, Alexandro Teixeira, afirma que a empresa ainda não foi citada para manifestar-se sobre os processos.

“A empresa ainda não me deixou ciente de nenhuma ação neste sentido. Mas, logicamente, vai se manifestar assim que for notificada sobre as ações. Inclusive, por uma questão de revelia, a empresa tem que comparecer e mostrar sua defesa. Mas, sabendo que não há intenção de passar calote em ninguém”, garante o defensor.

Via http://cenariomt.com.br/

Luiz Fernando Demario: Universitário desaparecido na PUC Curitiba é encontrado em São Paulo

Foi encontrado na noite deste sábado em São Paulo o estudante de Engenharia Civil Luiz Fernando Souza Demario, de 17 anos. Ele estava desaparecido desde a última terça-feira (23), quando foi deixado pelo pai em frente à universidade PUC, no bairro Prado Velho, em Curitiba. Luiz foi encontrado na rodoviária da capital paulista. Familiares do estudante entraram em contato na manhã de hoje (28) com a BandNews FM Curitiba para comunicar que o rapaz está na casa de um parente e passa bem. Por enquanto eles preferem não dar mais detalhes sobre o caso.

Desespero

Em entrevista à reportagem da BandNews, Antônio Demario, pai de Luiz, pediu a ajuda para encontrar o filho e disse que o rapaz sempre foi calmo e não tinha motivos para fugir de casa. Hoje, familiares agradeceram o trabalho da imprensa e de quem divulgou o pedido.

Via http://bandnewsfmcuritiba.com

Fabíola Reipert e Record estão proibidos de mencionar vida pessoal de atriz da Globo

Na última quarta-feira (24/7), a Justiça proibiu a jornalista Fabíola Reipert e a TV Record de divulgarem qualquer notícia sobre a vida pessoal da atriz Paolla Oliveira, da Rede Globo. A decisão é da juíza Flávia de Almeida Viveiros de Castro, da 6ª Vara Cível da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio.

Crédito:Divulgação/ TV Globo
 
Record e colunistas não poderão falar da vida da atriz (foto)

A atriz acusa a colunista do R7 e a Record de divulgarem notícias falsas, causando transtornos em sua vida. Principalmente, informações sobre seu colega de trabalho, o ator Juliano Cazarré, que é casado e atua como seu par na novela “Amor à Vida”.

 

Segundo informações do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro, caso as rés descumpram a liminar, serão multadas em R$ 10 mil. 

 

“O Estado Juiz não pode permitir que a pretexto de divulgar fatos – este é sempre o jargão – possa qualquer um,  mesmo o profissional de mídia, fazer uso de elucubrações desvinculadas dos acontecimentos reais, que permitam a exposição da pessoa objeto da notícia ou nota, que fica fragilizada perante a opinião pública, tendo seu direito à intimidade violado”, considerou a juíza.

 

Para a magistrada, “as pessoas públicas também merecem a tutela do Estado para proteção de sua vida privada”.

 

Agência do Bradesco em Piripiri-PI é arrombada neste domingo

A agência de Piripiri do Banco Bradesco foi alvo da ação de arrombadores durante a madrugada deste domingo (28). A agência está localizada na Av. 4 de Julho, no centro da cidade, a poucos metros da Lotérica Piripiri, que sofrera o mesmo tipo de crime a menos de 24h. Os elementos entraram por trás da agência, quebrando a parede e entrando. O valor levado não foi revelado. A polícia criminalística é aguardada para que haja mais detalhes da ação dos criminosos.

Acredita-se que os comparsas arrombaram o carro ao tomarem conhecimento da prisão do colega e levaram o produto do crime e as ferramentas usadas.

Durante a madrugada deste domingo uma guarnição da PM prendeu um elemento acusado de estar envolvido. Um carro(de placa de Teresina) também foi apreendido. O veiculo estava na Rua Santos Dumont, próximo à sede do STTR, com o vidro quebrado. Com o suspeito, um saco de moedas (identificando a quantia de R$ 50) foi encontrado. 

Muitos acreditam que sejam os mesmos elementos que praticaram o arrombamento à Lotérica Piripiri, no dia anterior. O veículo assemelha-se bastante com o que foi visto por câmeras de segurança.

Fonte: piripirireporter.com

Bandidos explodem cofres do Banco do Brasil e Bradesco em Francinópolis-PI

Madrugada bastante movimentada em Francinópolis,por volta das 2h40 da madrugada deste domingo(28/07/2013), bandidos agiram na calada da noite e praticaram de uma só vez dois arrombamentos seguido de explosões contra cofres das agências do Banco do Brasil e Bradesco , levando uma certa quantia em dinheiro, cujo valor ainda não foi revelado.

 

As fotos a seguir foram registradas pelo Portal Francinópolis News

 

 

 A polícia já esteve no local e constatou um verdadeiro rastro de destruição deixado pelos bandidos, que antes de consumar a ação cortaram a fiação da operadora TIM na cidade, tendo em vista evitar qualquer contato de denunciantes com a polícia,no entanto, até o momento, nenhum suspeito foi preso.

 Postado por: 

INCÊNDIO DESTRÓI AGÊNCIA DO BB DE TUPÃ-SP; CAUSAS AINDA SÃO DESCONHECIDAS

Bombeiros que estavam de folga foram convocados para auxiliar no combate ao incêndio. (Foto: Ricardo Costa)

O Corpo de Bombeiros de Tupã levou horas para conseguir apagar o fogo que consumiu totalmente o prédio da agência do Banco do Brasil, antiga Nossa Caixa, localizada na Av. Aimorés, em Tupã. O fogo que começou por volta das 21h30 só foi controlado e apagado depois de uma hora e meia. 

Bombeiros que estavam de folga foram convocados para auxiliar no combate ao incêndio. Caminhões pipas da Prefeitura de Tupã e da Sabesp auxiliaram o trabalho dos bombeiros. A agência foi totalmente consumida pelo fogo. A ação dos bombeiros impediu que as chamas afetassem mais prédios do quarteirão. Não houve vítimas. Nesse momento os bombeiros fazem o trabalho de rescaldo. 

As causas do incêndio ainda são desconhecidas. Mais fotos e informações em breve. 

Confira o vídeo feito por um cinegrafista amador. 

Redação Tupacity.com/Fotos Redes Sociais

Cid Gomes e seu intricado jogo de alianças para 2014

Carlos Cavalcanti | Blog do Magno

Nas eleições de 2014, poucos estados terão a política local tão influenciada pelas negociações nacionais quanto o Ceará. Comandante do terceiro maior eleitorado do Nordeste, o governador Cid Gomes (PSB) tem reiterado o seu desejo de apoiar a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), apesar de o presidente de seu partido, o governador Eduardo Campos (PSB), estar se preparando para a disputa nacional.

As declarações, no entanto, também têm outra face. De acordo com pesquisa Ibope/CNI divulgada na última semana, Dilma e o ex-presidente Lula (PT) são os políticos com mais capacidade de influenciar o voto dos cearenses. Como Cid pretende uma tacada de risco para eleger seu sucessor – ele não tem ainda um candidato que figure entre os favoritos -, o apoio dos petistas é fundamental.

Isso, no entanto, bate de frente com as pretensões do senador Eunício Oliveira (PMDB), que, desde 2006, integra, ao lado do PT, a aliança que elegeu Cid duas vezes. Eunício é o segundo colocado nas pesquisas, atrás apenas do ex-governador Tasso Jereissatti (PSDB), que assegura que não será candidato.

Em conversas reservadas, Eunício tem dito que não desistirá da disputa, mesmo que tenha de romper com o PT e com Cid, inclusive em nível federal. O senador, no entanto, evita falar publicamente sobre a possibilidade de racha. “Meu desejo é de preservação da aliança PT, PMDB e PSB, e não tomarei nenhuma decisão antes de conversar com meus aliados. O PMDB aceitará sentar-se à mesa.”
No meio da guerra está o líder do PT na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE), que luta para ser candidato ao Senado.

Tasso Jereissatti, três vezes governador e nome mais popular da oposição no Ceará, trabalha para montar um palanque forte para Aécio Neves no estado. Tasso tem sido incentivado por Aécio a tentar voltar ao Senado, numa chapa que poderia tanto ter um novato ao governo como apoiar o único nome forte da oposição a Cid, o deputado estadual Heitor Férrer (PDT). Ou até mesmo apoiar Eunício, caso ele rompa com o PT.

“Nós estamos em um esforço pela candidatura do Aécio. Para isso, podemos tanto lançar um nome próprio quanto apoiar alguém que apoie a candidatura dele à Presidência [da República]”, diz Tasso.

Governo Cid Gomes é sem futuro, afirma editorial do Diário do Nordeste

Governo sem futuro – Em 36/07/2013

O Ceará volta a ser mergulhado na velha e abusada cantilena da perua: de mal a pior. Isto porque o governador Cid Gomes se rende às pressões políticas locais, enquanto é esvaziado no plano nacional, onde os governos subnacionais se projetam e se consolidam na medida da eficiência de seus administradores.

 

O dirigente político quando se deixa levar pela política paroquial, baixando o nível de seu governo, termina por nivelar-se à atmosfera de seus áulicos. Deixa, portanto, o proscênio para descer aos assistentes de fundo de palco. A administração do Estado está enfrentando essa situação. As consequências se desenham nos fracassos de várias políticas públicas consideradas prioritárias.

 

Estado carente de recursos, o Ceará, nos últimos tempos, vislumbrava duas saídas para garantir o financiamento dos projetos governamentais imprescindíveis à retomada do processo de desenvolvimento: a dependência do governo federal ou o endividamento externo. As duas opções foram albergadas, diante da falta de inventiva para mudar a matriz indutora do crescimento. Mas nem assim essas alternativas vêm realizando o saldo esperado. O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) exibe, de forma adequada, essa incapacidade política de vencer barreiras numa conjuntura em que a expressividade política do gestor é fundamental. A partir de 2011, quando surgiu o carro-chefe dos investimentos nacionais, o Ceará foi contemplado com 1.989 empreendimentos absorvido pelo PAC 2.

 

Essa inclusão não significa passe livre para sua viabilidade, nem a esboçada manifestação de apoio aos escalões superiores da República corresponde à certeza de sua concretização. No Brasil político, nem sempre o apoio confessado publicamente traduz a solidariedade garantida, principalmente quando os que proclamam fidelidade não costumam honrar os compromissos assumidos.

 

Pois bem. Como papel comporta tudo, dos supostos 1.989 projetos governamentais de interesse do Ceará, apenas 267 foram finalizados. Isto representa apenas 13,3% de todas as promessas feitas. Outro detalhe intrigante: do total das ações prometidas, 749, ou seja, 37,6%, sequer tiveram suas obras iniciadas. Dentre elas, a mais expressiva, a Refinaria Premium II, vem se transformando numa comédia de tipo pastelão, de tantas atrapalhadas. Os remanescentes da tribo dos índios Anacés têm força política para inviabilizar o empreendimento. A gestão do governo estadual acumula elenco de fracassos, a começar pela segurança pública.

 

O Ronda do Quarteirão, carro-chefe de sua eleição, é reconhecido pelo epíteto atribuído pela massa popular de Belo Antônio, em razão da beleza da frota motorizada, de primeira linha, mas ineficaz, sem resolução.

 

A violência no Estado começa a afetar a atividade empresarial. A recente concorrência para a exploração do Estoril, na Praia de Iracema, não despertou interesse em nenhum concorrente pela gravidade gerada por falta de policiamento inteligente no bairro. O trânsito, engarrafado e sem controle, provoca 29 pessoas acidentadas em moto por dia, além de causar a morte de um jovem por dia.

 

Fortaleza se destaca, também, como a sexta cidade mais violenta do País, com a maior ocorrência de crimes atingindo jovens entre 15 e 24 anos. Os escândalos dos empréstimos consignados e dos banheiros públicos foram enfim abafados.

 

Por um momento, até parecia que o Ceará teria um futuro auspicioso. Mas as pressões políticas funcionam e o governador não sabe se opor a elas. 

 

Editorial

Diário do Nordeste

Entrega de UPAs em Fortaleza está atrasada

A entrega da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas do bairro Conjunto Ceará foi adiada. Em fevereiro, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) afirmou que a inauguração da unidade seria em abril. Porém, foi adiada para junho, depois para julho e agora, de acordo com a Sesa, só será entregue no final de agosto. 

A secretaria afirma que a UPA do Conjunto Ceará ainda não foi entregue porque a seleção dos profissionais que irão trabalhar no local ainda não foi concluída. Mas o processo seletivo já está sendo feito, garante a Sesa. 

Outras três UPAs estão atrasadas. As unidades dos bairros Itapery, Vila Velha e Jangurussu são de responsabilidade da Prefeitura de Fortaleza. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) a instalação não tem data certa para começar, mas os trabalhos devem começar até o fim do ano.

(CNews)