Veja as campanhas mais ricas e as mais pobres nos Estados

Pela primeira vez, a Lei Eleitoral (nº 11.300/2006) exige, durante a campanha, a prestação parcial de financiamento dos candidatos. Eles devem informar à Justiça tanto a arrecadação em dinheiro quanto as despesas. Tiveram que fazer isso no dia 6 de agosto e 6 de setembro e, agora, devem fazer a prestação final 30 dias após o pleito.

A lei foi criada para evitar futuras justificativas de enriquecimento ilícito com o chamado “dinheiro não contabilizado” proveniente das campanhas eleitorais, que veio à tona no escândalo do mensalão do PT, em 2005.

De acordo com levantamento feito pelo Poder Online, com base nas duas prestações de contas exigidas por lei, este é o balanço parcial para o eleitor tirar suas conclusões sobre as contas dos principais concorrentes aos governos dos estados e do Distrito Federal:

Maior rombo

Aloizio Mercadante (PT), de São Paulo: R$ 3.589.233,77

Maior sobra de campanha

Jaques Wagner (PT), da Bahia: R$ 5.061.559,38

Maior arrecadação

Antônio Anastasia (PSDB), de Minas Gerais: R$ 15.097.078,58

Menor arrecadação

Tião Bocalom (PSDB), do Acre: R$ 25.000,00

Maior despesa

Geraldo Alckmin (PSDB), de São Paulo: R$ 15.028.394,81

Menor despesa

Angela Amin (PP), de Santa Catarina: R$ 4.073,80

Sem declaração

Carlos Gaguim (PMDB), do Tocantins: R$ 0,00

Clique aqui para conferir as contas dos principais candidatos em todo o país.

(Colaborou Thais Arbex- Portal IG)

Veja quais são os prazos máximos para atendimento por planos de saúde

RIO – A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) realizou pesquisa com operadoras médico-hospitalares, que atendem a 89% dos beneficiários do país, sobre o prazo médico de assistência aos usuários. A partir do resultado, divulgado nesta quinta-feira no Encontro ANS – Edição São Paulo, definiu prazos máximos para o atendimento de alguns procedimentos. Os prazos constarão de uma instrução normativa e caso não sejam atendidos, podem caracterizar a existência de problemas assistenciais nas operadoras.

Confira abaixo os limites:

 Consulta básica (pediatria, clínica médica, cirurgia geral, ginecologia e obstetrícia, cardiologia, ortopedia e traumatologia)- 7 dias

Consultas nas demais especialidades médica- 14 dias

Consulta de fonoaudiologia, nutrição e psicologia -10 dias

Sessão de terapia ocupacional e fisioterapia – 10 dias

Serviços de diagnóstico por laboratório clínico – 3 dias

Serviço de diagnóstico por imagem – 10 dias

Procedimentos de alta complexidade – 21 dias

Internações eletivas – 21 dias

Urgências e Emergências 24 horas – imediato

Consulta odontológica – 7 dias

(O Globo Online)

51 cidades brasileiras podem ser ‘visitadas’ no Google Street View

Após meses de trabalho, o Google Brasil lançou nesta quinta-feira (30) o serviço Street View no país. A novidade permite que os usuários que acessam o Google Maps, o site de mapas da empresa, possam realizar um passeio virtual pelas ruas de cidades dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Além das regiões metropolitanas das capitais, cidades históricas de Minas, como Congonhas, Mariana, Tiradentes, Diamantina e Ouro Preto estão no serviço. No total, 51 municípios foram mapeadas no Brasil, primeiro país da America do Sul a contar com esse serviço, que está disponível nesta quinta-feira.

Inicialmente, o Google havia informado que o Brasil era o primeiro país a receber o serviço na América Latina. Mas, logo depois, a empresa corrigiu a informação, afirmando que o Brasil seria o primeiro país na América do Sul, pois o México já possui o serviço desde 2009.

De acordo com Felix Ximenes, diretor de comunicação do Google Brasil, “todos os municípios da Grande São Paulo, inclusive Jundiaí, estarão presentes neste lançamento do Street View”. O objetivo da empresa é ter coberto 90% das ruas do país nos próximos dois anos.

Para fazer o mapeamento, 150 quilômetros de vias foram percorridos e milhões de imagens foram tratadas e processadas. Agora, é possível fazer um passeio virtual pelas ladeiras e monumentos dessas cidades. O Street View também permite que os usuários possam descobrir pontos de referência que ajudam a chegar ao destino.

O serviço já está disponível para alguns usuários. Entretanto, por se tratar de uma grande quantidade de conteúdo, a empresa espera que apenas na segunda-feira (4), todos poderão ter acesso ao serviço.

Em locais em que o carro do Google não tem acesso, a empresa dá sequência ao passeio virtual utilizando fotos feitas por usuários. Por meio de imagens tratadas, é possível ver o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, por exemplo.

Além disso, o Google trouxe ao Brasil o Trike, uma bicicleta que permmite o mapeamento de ruas de difícil acesso. O veículo já foi usado em outros países como Itália, por exemplo, e será usado para mapear ruas históricas de cidade de Minas Gerais e poderá até andar dentro de parques como o Ibirapuera ou museus.

O Google afirma que o serviço não para. Nos próximos meses, mais cidades que já estão sendo mapeadas estarão disponíveis para visualização. “O objetivo é o Brasil inteiro”, diz Marcelo Quintela, gerente de produtos do Google. “Estão na lista Porto Alegre, Curitiba, Brasília, ou seja, todas as grandes cidades brasileiras”. As favelas da cidade do Rio de Janeiro não foram mapeadas, de acordo com Quintela. “Existe o interesse e estamos trabalhando para viabilizar o Street View das ruas de todas as cidades”.

Início da captura
Desde janeiro, cerca de 30 carros com câmeras especiais acopladas no teto circulam pelo Rio de Janeiro e São Paulo – Belo Horizonte já tinha sido mapeada por ser a sede de tecnologia do Google no país. Quando iniciou a captura de imagens no Brasil, o Google anunciou que o plano era registrar todas as cidades brasileiras escolhidas como sede para a Copa do Mundo de 2014.

Cada carro leva nove câmeras fotográficas, que captam imagens do horizonte e do céu, fornecendo uma captura de 360º na horizontal e 280º na vertical. Ao fotografar as ruas, um GPS marca as imagens para que o computador identifique onde é o local.

“As imagens são tratadas por um software proprietário desenvolvido pelo Google, criando uma espécie de bolhas”, diz o diretor de comunicação. “A sensação é que se trata de uma imagem única que, quando associada a outras capturas, dará uma ilusão de sequência ao se navegar pelo Street View”.

(Correio das Bahia)

Por 8 a 2, STF derruba exigência de dois documentos para votar

O Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou nesta quarta-feira (29), três dias antes da eleição, a exigência de que o eleitor apresente, no momento do voto, o título de eleitor e um documento com foto. Por 8 votos a 2, os ministros entenderam que o cidadão será obrigado a levar apenas um documento oficial que comprove sua identidade.

A determinação de apresentar dois documentos na hora de votar foi fixada pela minirreforma eleitoral, aprovada pelo Congresso Nacional no ano passado. A norma foi questionada pelo PT em Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no STF.

No julgamento, os ministros do Supremo não analisaram o mérito da constitucionalidade da norma; eles concederam medida cautelar para que a exigência passe a ser interpretada de acordo com a orientação do STF.

O julgamento começou nesta quarta-feira (29), mas foi suspenso por causa do pedido de vista do ministro Gilmar Mendes, quando o placar era de 7 a 0.

Antes de começar a votar na sessão desta quinta, Mendes citou reportagem do jornal “Folha de S.Paulo”, publicada nesta quinta, que diz que o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, teria ligado para o ministro antes do julgamento. Ele negou que seu pedido de vista tenha tido motivações político-partidárias.

“Quem me conhece sabe muito bem que jamais me deixei pautar por interesses político-partidários. Estive no TSE por longo período e inclusive fixei uma orientação para que houvesse um critério na aplicação do difícil direito eleitoral muito propenso aos ‘ismos’ de toda a índole inclusive aos casuísmos”, afirmou.

Em seu voto, o ministro negou o pedido de liminar do PT para flexibilizar a exigência e afirmou que uma novidade normativa, a essa altura, pode ser um fator de “desestabilização do processo eleitoral”. Segundo Mendes, haveria ainda “noção de oportunidade política” na ação proposta pelo PT.

O ministro disse ter dúvidas sobre a inconstitucionalidade da lei e citou ainda o gasto de R$ 3,2 milhões do TSE com a campanha publicitária para as eleições deste ano, inclusive com propaganda para informar os eleitores sobre a necessidade de apresentar título de eleitor e documento oficial com foto na hora de votar.

“Todos os índicios levam a um estado de forte dúvida. Pode ser que tenhamos uma lei que apresente inconvenientes, mas que não é inconstitucional. Podemos falar de inconveniência, podemos falar dos atrapalhos que essa exigência ocasiona, não podemos falar em inconstitucionalidade. Se entrássemos nessa seara, estaríamos fazendo mau uso do nosso poder. Não temos o poder de legislar”, disse Mendes.

Julgamento
Votaram contra a exigência os ministros Gilmar Mendes e Cezar Peluso. Na quarta-feira, antes do pedido de vista de Gilmar Mendes, já haviam votado pela derruba da exigência os ministros Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Joaquim Barbosa, Marco Aurélio e Ayres Britto, além da relatora do processo, Ellen Gracie.

Em seu voto, a relatora defendeu a exigência da apresentação de documento de identificação. “Estou convicta de que a norma jurídica contestada estabeleceu, na verdade, a obrigatoriedade de apresentação de um documento oficial de identificação com foto. A presença do título eleitoral, que é praxe, não é tão indispensável quanto a identificação por fotografia”, afirmou a ministra.

O presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, acompanhou o voto da relatora e sugeriu ampliar a proposta para permitir que o eleitor pudesse votar apenas com o título, caso fosse corretamente identificado pelo mesário no momento da votação.

Contestação
Em sua contestação sobre a obrigatoriedade de apresentação de dois documentos para votar, o PT alegava que a dupla identificação seria uma redundância porque, uma vez cadastrado pela Justiça Eleitoral, o cidadão já é eleitor e só precisaria comprovar a própria identidade.

No julgamento, a defesa do PT ainda classificou a norma como um excesso. Segundo os advogados da legenda, o pedido foi feito tão perto da data das eleições por causa da decisão do TSE de ampliar o prazo para retirada da segunda via do documento, interpretada como um indicativo da dificuldade para reimprimir o documento.

Um dos objetivos da adoção da regra era promover maior segurança na identificação do eleitor e evitar episódios em que pessoas votam por outras, valendo-se do fato de o título de eleitor não conter foto.

Os documentos oficiais previstos na norma para comprovação de identidade, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), são carteira de identidade ou documento de valor legal equivalente (identidades funcionais), certificado de reservista, carteira de trabalho e carteira nacional de habilitação, com foto. Certidões de nascimento e de casamento não são aceitas.

Outras possibilidades, como a apresentação de cópias autenticadas de documentos, serão resolvidas caso a caso pelo mesário ou pelo juiz eleitoral.

(Portal G1)

HSBC terá que ressarcir 15 empregados do Ceará

O HSBC deve pagar R$ 30 mil a funcionários por ter descumprido cláusula de norma coletiva que o obrigava a fornecer aos seus funcionários o uniforme exigido para o trabalho. A decisão é da 3ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho, que analisou Recurso de Revista do Sindicato dos Empregados em Estabelecimento Bancário no Estado do Ceará. O sindicato pediu o ressarcimento de gastos efetuados por 15 empregados na aquisição de um kit uniforme.

O recurso analisado pela Turma trata originariamente de ação de cumprimento de norma coletiva, na qual o Sindicato dos Empregados em Estabelecimento Bancário no Estado do Ceará buscou o ressarcimento de gastos efetuados por 15 empregados na aquisição de um kit uniforme denominado “kit moda & estilo”. De acordo com o sindicato, o banco exigiu que os empregados adquirissem o kit com o intuito de “causar uma boa impressão aos seus clientes, por meio de um quadro de funcionários bem vestidos”.

Segundo a cláusula 29 da norma coletiva, “quando exigido ou previamente permitido pelo banco, será por ele fornecido, gratuitamente, o uniforme do empregado”. No caso, segundo os autos, o banco teria firmado acordo com a loja Vila Romana, que concederia descontos aos funcionários que adquirissem o kit moda e estilo, o que foi feito por 15 empregados.

O Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região manteve sentença da Vara do Trabalho, que condenou o banco a restituir os valores gastos com uniforme. O entendimento foi o de que ficou comprovado que o novo uniforme era uma imposição da instituição bancária, e que esta não teria fornecido gratuitamente as roupas.

O HSBC recorreu ao TST. Argumentou que as roupas não tinham características de uniforme, pois não portavam logotipo do banco e que, portanto, poderiam ser usadas fora do ambiente de trabalho. Desta forma, entendeu que não houve descumprimento da cláusula 29 da Convenção Coletiva ao deixar de subsidiar a aquisição do kit. Argumentou, ainda, que a segunda instância deu interpretação divergente à referida cláusula, violando o artigo 7º, inciso XXVI, da Constituição Federal, que garante o reconhecimento das convenções e acordos coletivos de trabalho.

A relatora do acórdão, ministra Rosa Maria Weber Candiota da Rosa, destacou em seu voto que ficou evidenciado, segundo o acórdão regional, o uso obrigatório do uniforme e o não fornecimento gratuito por parte do banco. Assim, ela considerou correto o posicionamento do TRT. Dessa forma, decidiu a 3ª Turma, por unanimidade, pelo não conhecimento do recurso. Com informações da Assessoria de Imprensa do TST.

(Consultor Jurídico)

Cinco bancos concentram 75% dos depósitos no Brasil

BRASÍLIA – Cerca de dois terços de todos os ativos e empréstimos são de responsabilidade, atualmente, de apenas cinco instituições no País: Banco do Brasil, Itaú, Bradesco, Santander e Caixa Econômica Federal. Há dez anos, essas instituições tinham menos da metade do mercado. A concentração no sistema bancário brasileiro aumentou na saída da crise financeira, no ano passado, quando grandes bancos voltaram às compras e foram fechadas grandes fusões e aquisições.

O processo tem motivação econômica: maiores, os bancos têm o chamado ganho de escala, que é a redução proporcional do custo de sua operação. Eles conseguem ainda economizar em operações mais simples, como a de compra de material de escritório, e na montagem dos complexos sistemas de tecnologia da informação.

“Esse processo não é exclusividade dos bancos brasileiros nem do sistema financeiro. Para serem mais competitivos, muitos setores passaram por grande concentração, como telefonia, transporte aéreo, indústria farmacêutica”, enumera o presidente da Austin Rating, Erivelton Rodrigues. “É um ciclo que se autoalimenta. Maiores, os bancos têm mais fôlego para comprar outros ou crescer organicamente”.

A concentração bancária costuma ser observada pelos ativos – que são os créditos, direitos, bens e valores a receber que o banco detém. Por essa característica, a participação dos cinco grandes bancos passou de 45,6% em 2000 para 64,9% em junho de 2010. Em ritmo semelhante, as operações de crédito desse grupo saltaram de 49,2% para 65,5% de todo o sistema financeiro no mesmo período.

Anos 90

O professor de finanças da Escola de Administração da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP), José Pereira da Silva, afirma que essa concentração é resultado de um movimento amplo, iniciado há quase duas décadas. Em meados dos anos 90, após a criação do Plano Real, o governo decidiu reestruturar e fortalecer o sistema financeiro com a ajuda dos recursos públicos para impedir que a economia se contaminasse com eventual debilidade dos bancos. Em meio ao movimento, muitos bancos estaduais foram comprados.

No fim dos anos 90 e início dos anos 2000, a segunda fase da consolidação incluiu os bancos privados, que passaram a comprar casas menores para ganhar força e escala. Mais recentemente, houve outra onda que passou a contar também com aquisições de bancos públicos. “A concentração tem um aspecto positivo, que é de dar mais segurança para os clientes, já que bancos fortes têm menor risco na operação”, diz Silva.

Talvez seja por isso que é exatamente nesse tema que a concentração é mais evidente: atualmente, 75% de todos os depósitos do sistema financeiro estão nos cinco maiores bancos. Há dez anos, essa fatia era de 52,5%. Durante a crise, grandes bancos, em especial os públicos, receberam volumes expressivos de depósitos.

Mas a concentração tem um aspecto negativo para os clientes, que é a diminuição da concorrência. Com menos casas no mercado, a iniciativa de reduzir juros e taxas ou melhorar serviços pode ser menos urgente que em um cenário com muitas instituições. “É mais difícil concorrer quando você tem cinco ou seis bancos grandes. Mas isso não quer dizer não haja nenhuma concorrência”, diz Silva. Nos últimos dois anos, instituições públicas incentivaram a maior concorrência com a oferta de crédito com taxas menores.

(Agência Estado)

Bancos lideram lista de instituições com mais processos na Justiça de SP

Bancos lideram a lista das cem instituições mais citadas em processos em tramitação na Justiça de São Paulo, de acordo com levantamento do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) relativo aos meses de janeiro a setembro de 2010. A publicação está disponível no site do TJ.

O presidente do TJ-SP, Antonio Carlos Viana Santos, encaminhou em 14 de setembro os índices para serem disponibilizados em cumprimento à ação estratégica nº 3 para 2010, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

O TJ-SP se baseou em dois sistemas para fazer a compilação dos dados: o Sistema SAJ e o Sistema Prodesp. Por isso, há diferença entre os números nas duas tabelas. Segundo a assessoria de imprensa do tribunal, “há estudos para que o Poder Judiciário de São Paulo tenha seus dados centralizados em único sistema”.

Na capital e no interior de São Paulo, quem lidera o ranking de litigantes é a Telefonica, com 54.547 processos (723 como autora e 53.824 como ré). No interior, quem lidera a lista é o Banco Nossa Caixa (87.796). Na capital, o Bradesco é o primeiro colocado (19.989). 

Na segunda instância, os três primeiros postos são ocupados pela Fazenda do Estado de São Paulo (255.388), Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) (136.032) e Prefeitura de São Paulo (56.210).

No colégio recursal, instância que corresponde ao 2º grau dos juizados especiais e abrange as unidades Central, Santana, Santo Amaro, Lapa, Penha e Santos, o Banco Itaú toma a dianteira (4.310).

A Fazenda Pública informou que representa o segundo orçamento da União, e que a Procuradoria Geral do Estado (PGE) é o maior escritório de advocacia do Brasil. Segundo o órgão, a PGE tem de recorrer à Justiça toda vez que o erário público estiver sob a mira de alguém e, em São Paulo, todos os números são grandes. O número de processos é proporcional ao tamanho do estado.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) informou, por meio de sua assessoria, que não tem conhecimento da lista e que só irá se manifestar quando tiver acesso a ela. O Bradesco informou em nota que responde de forma responsável aos litígios, mantendo seus procedimentos alinhados com a jurisprudência. O INSS informou por telefone que vai aguardar a publicação da lista antes de se manifestar.

A Telefonica informou em nota que não conhece os detalhes do levantamento citado e, portanto, prefere não comentá-lo neste momento. Também informou que tem feito todos os esforços no sentido de resolver os questionamentos de seus 15 milhões de clientes  no estado de São Paulo  por meio de seus próprios canais de relacionamento.  Ainda de acordo com a empresa, com relação aos processos judiciais existentes, a Telefônica tem incentivado a realização e participado de diversos mutirões junto ao Judiciário paulista – o que tem resultado em significativa redução dos processos existentes.

O G1 procurou as assessorias do Banco do Brasil (Nossa Caixa) e Itaú, que ainda não se manifestaram.

(Portal G1)

BB quer fatia de banco chileno; BMG compra GEM

SÃO PAULO – A internacionalização dos bancos brasileiros está cada vez mais forte. Segundo informações do mercado, o Banco do Brasil está negociando a aquisição do banco chileno CorpBanca. Até o fechamento desta edição, a instituição financeira não havia informado a operação formalmente.

O BB vem construindo a internacionalização com diversas operações no mercado. Primeiro foi a abertura de uma agência nos EUA. Em seguida, a instituição comprou o banco argentino Patagonia. E, por fim, fez uma parceria para a criação de uma holding com a intenção de operar no mercado financeiro africano.

“Não causa surpresa a compra do banco chileno. O BB vem se especializando na internacionalização. É preciso acompanhar os bancos nacionais, que estão se tornando internacionais”, diz João Augusto, especialista de bancos da Lopes Filho Consultoria de Investimentos.

O especialista diz ainda que se o Banco do Brasil não fizer sua expansão para o exterior ele perderá espaço para bancos estrangeiros que concorrem com o BB, como por exemplo, o Santander e o HSBC. “A Vale atua na África, por isso o BB foi atuar neste mercado. O crescimento econômico vem trazendo possibilidades de novas empresas ingressarem no mercado externo e os bancos brasileiros precisam acompanhar”, afirma.

De acordo com fontes do mercado, o Banco do Brasil vem estudando também a aquisição de um banco de varejo no mercado norte-americano. A informação ainda não foi confirmada pela instituição financeira, que estuda a possibilidade da nova aquisição.

Novos recursos

O Banco do Brasil fechou na madrugada de ontem uma emissão de US$ 660 milhões em dívida subordinada no mercado internacional. No dia anterior, à noite, a emissão estava sendo fechada em US$ 600 milhões, mas o banco resolveu atender uma demanda extra de investidores asiáticos e vendeu mais US$ 60 milhões, segundo o vice-presidente de Finanças do BB, Ivan Monteiro. A demanda total pelos papéis chegou a US$ 2 bilhões.

O prazo inicial previsto para os papéis era de 10 anos, mas o bônus acabou saindo com prazo maior, de 11 anos. O vencimento é em janeiro de 2021. O yield (retorno) saiu em 5,464%. Segundo Monteiro, o banco tem conseguindo reduzir as taxas pagas aos investidores graças a melhora das condições lá fora e a maior presença da instituição no exterior. Um papel similar ao atual emitido pelo BB em 2007 saiu com yield de 7,95%.

O BB tem ido com frequência ao mercado externo para captar recursos. Nos últimos 12 meses, lançou US$ 3,55 bilhões lá fora. O executivo não descarta voltar ao exterior ainda este ano com uma nova operação. “Vai depender das condições do mercado.” Além de buscar funding no exterior, em julho, a instituição também reforçou o caixa em R$ 7 bilhões com uma oferta de ações.

A emissão dos bônus fechada nesta madrugada foi feita por meio da subsidiária do BB em Grand Cayman. Os bancos coordenadores são: BB Securities, BofA Merrill Lynch, HSBC e Banco Votorantim. Também participam como co-líderes Bradesco BBI e BTG Pactual.

O dinheiro será usado para reforçar o capital “tier 2” do BB e aumentar seu Índice de Basileia, indicador que mede quanto o banco pode emprestar sem comprometer seu capital. O BB tem Basileia de 12,8%, acima dos 11% exigidos pelo Banco Central, mas o menor índice entre os grandes bancos brasileiros. Bradesco e Itaú têm indicador de 15,8%.

Segundo Monteiro, o Banco do Brasil somente vai divulgar o impacto da nova captação no índice Basileia depois da aprovação da emissão pelo BC.

Consolidação

Na onda da consolidação do setor financeiro, porém, no mercado brasileiro, o BMG, líder brasileiro no mercado de crédito consignado, anunciou, ontem, a compra da GE Money no Brasil, que engloba o Banco GE Capital S.A. e a promotora de vendas e prestadora de serviços financeiros – GE Promoções. A venda inclui a totalidade da GE Money Brasil, além de parcerias com varejistas já existentes e as 54 lojas.

De acordo com Ricardo Guimarães, presidente do BMG, a estratégia é ampliar os pontos de atendimento da Instituição pelo Brasil, que já conta com mais de 3.000 pontos-de-venda. “Vamos aproveitar essa estrutura para investir e focar ainda mais no crédito consignado. Além disso, também vamos avaliar a possibilidade de aderir alguns dos produtos já oferecidos”, detalha. Ele explica que a estrutura de TI do BMG está preparada para aumento das operações. Os detalhes financeiros do acordo não foram divulgados.

A conclusão da operação está sujeita à aprovação do Banco Central do Brasil (BC) e das demais autoridades, fato que, uma vez ocorrido, será comunicado ao mercado. A assessoria de imprensa do banco não quis comentar o assunto, alegando que vai esperar a aprovação do BC.

O sistema financeiro deu uma amostra ontem de como o mercado deve se agitar nos próximos meses com movimentos de internacionalização e consolidação no setor bancário. O Banco do Brasil teria fechado a aquisição de 10% do capital do banco chileno CorpBanca. Até o fechamento desta edição, a instituição financeira não havia confirmado a operação.

Para João Augusto, especialista de bancos da Lopes Filho Consultoria de Investimentos, se o Banco do Brasil não fizer sua expansão para o exterior ele perderá espaço para bancos estrangeiros que concorrem com o BB, como, por exemplo, o Santander e o HSBC. “A Vale atua na África, por isso o BB foi atuar nesse mercado. O crescimento econômico vem trazendo possibilidades de novas empresas ingressarem no mercado externo, e os bancos brasileiros precisam acompanhar”, afirma.

O Banco do Brasil fechou na madrugada de ontem uma emissão de US$ 660 milhões em dívida subordinada no mercado internacional. A demanda total pelos papéis chegou a US$ 2 bilhões. O prazo inicial previsto para os papéis era de 10 anos, mas o bônus acabou saindo com prazo maior, de 11 anos.

Na onda da consolidação, o BMG, líder brasileiro no mercado de crédito consignado, anunciou, ontem, a compra da GE Money no Brasil. De acordo com Ricardo Guimarães, presidente do BMG, a estratégia é ampliar pelo Brasil os pontos de atendimento da instituição, que já conta com mais de 3.000 pontos-de-venda.

(DCI)

Helicóptero usado por candidato a governador cai e piloto morre carnonizado

Um helicóptero que foi usado ontem (29) pelo candidato ao governo do Maranhão Jackson Lago (PDT) caiu hoje (30) próximo ao município de Imperatriz, região sul do estado. O piloto da aeronave Luiz Flávio Quinta morreu carbonizado.

Segundo o Corpo de Bombeiros de Imperatriz, o acidente ocorreu próximo ao bairro Nova Vitória, às margens da BR-010. De acordo com a assessoria de Jackson Lago, o candidato usou o helicóptero ontem para fazer campanha em cinco municípios do estado.

Segundo a assessoria, no momento do acidente, o helicóptero se deslocava para buscar um prefeito da região que participaria de um ato de campanha do ex-governador. Hoje pela manhã, Jackson Lago saiu de Imperatriz para o município de Balsas, onde encerra a campanha no interior.

A aeronave, alugada pelos prefeitos Sebastião Madeira (PSDB) e Ildemar Gonçalves (PSDB), foi cedida ao pedetista para o deslocamento a cidades próximas de Imperatriz, informou a coordenação da campanha de Lago. Ontem, ele decidiu não usar mais o helicóptero, porque a aeronave tinha capacidade apenas para quatro passageiros e a partir de hoje a comitiva teria seis pessoas.

Além de Lago, o candidato ao Senado, Roberto Rocha (PSDB), utilizou a aeronave nos últimos dias.

Fonte: Agência Brasil

Sucessor de Lula terá desafios para manter a projeção global do Brasil

LONDRES — O Brasil vai manter o status de potência emergente após as eleições presidenciais, mas terá que investir em infraestrutura e educação, além de assumir responsabilidades maiores a nível internacional, afirmam analistas ouvidos pela AFP em Londres.

Os especialistas não esperam mudanças na direção econômica do país, pelo menos em uma primeira etapa, caso se confirme a vitória, prevista pelas pesquisas, da candidata do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff.

Brasil, um dos quatro BRIC (ao lado da Rússia, Índia e China), apontados como motores da economia mundial e que estão revolucionando a ordem internacional, prevê um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 6,5% em 2010, que será superado apenas por China e Índia (9,9% y 8%, respectivamente).

Mas o novo governo não poderá ficar parado se quiser manter a tendência em longo prazo.

“O país só poderá estabilizar o crescimento aos níveis muito saudáveis que observamos atualmente resolvendo os gargalos de infraestrutura e melhorando a educação pública”, afirma um relatório do banco HSBC.

A necessidade de melhorar uma infraestrutura considerada antiquada será mais patente com a aproximação dos dois eventos que darão maior projeção para o Brasil nos próximos anos, a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro-2016.

“O Brasil continua tendo grandes problemas em áreas como saúde, educação, taxas de criminalidade”, opinou Gian Luca Gardini, professor de Política Latino-Americana na Universidade de Bath (sudoeste da Inglaterra).

Outro obstáculo para o crescimento será demográfico.

Para Jim O’Neill, economista chefe do Goldman Sachs e inventor do acrônimo BRIC em 2001 para designar as economias que crescem mais rapidamente, a demografia do Brasil (193 milhões de habitantes) torna “muito improvável” que o país continue crescendo durante muito tempo aos níveis da China ou Índia (ambos com mais de um bilhão de habitantes).

Em um artigo escrito recentemente para o Financial Times, O’Neill destacou ainda o “comércio internacional muito escasso, o governo muito grande e o nível de corrupção muito elevado” como as três áreas que o Brasil deve melhorar para andar lado a lado com as potências mundiais.

O país considera as recém descobertas reservas de petróleo da camada do pré-sal um trunfo para o futuro, mas os analistas temem que o novo governo fortaleça ainda mais a presença do Estado na exploração em águas profundas, que podem conter o equivalente a até 52 bilhões de barris.

Alguns, inclusive, questionam as enormes expectativas do Brasil no setor.

“É bastante difícil ficar rico sendo um Estado petroleiro”, explica Neil Shearing, da consultoria Capital Economics.

“E acredito que os interesses em longo prazo do Brasil estarão mais bem servidos se o país reforçar o setor manufatureiro”, completa.

A valorização do real – que para Shearing está sobrevalorizado entre 5% e 10% – em consequência do aumento dos preços das matérias-primas e da entrada em massa de capitais, também ameaça a competitividade do país.

“Em curto prazo, a maior esperança do Brasil é uma redução dos preços das matérias-primas”, destaca o economista.

Isto permitiria ao Brasil prosseguir com o fortalecimento da relação com China que, com sua demanda insaciável de matérias-primas, se transformou em um parceiro vital para o desenvolvimento do país tanto em termos de comércio – em 2009 superou os Estados Unidos no total de negócios bilaterais – como de investimentos.

Para melhorar o status internacional, os progressos econômicos do Brasil deverão ser acompanhados de uma crescente dimensão política.

“Um papel mais importante significa responsabilidades crescentes e o histórico do Brasil em Honduras, Haiti, Irã e suas candidaturas a postos internacionais tem sido decepcionante”, opina o professor Gardini.

O programa é amplo para uma mulher ainda pouco conhecida fora do próprio país, e que terá a difícil tarefa de suceder uma figura extremamente carismática que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, já descreveu como “o cara” e “o político mais popular do mundo”.

“Lula era um grande ativo para o papel, a atração e visibilidade do Brasil no mundo”, destaca Gian Luca Gardini.

(AFP)

Greve tem adesão de 21 mil bancários em São Paulo

São Paulo – O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região estima que cerca de 21 mil trabalhadores aderem à greve por aumento de salário na região metropolitana da capital paulista nesta quinta-feira. Segundo a entidade 452 agências bancárias e 14 centros administrativos estão fechados. Está programada uma passeata no centro da cidade durante a tarde, na tentativa de cobrar a retomada das negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).

“Estamos dispostos a negociar. O fim da greve está nas mãos dos banqueiros, basta que apresentem uma proposta à altura do empenho dos bancários, da lucratividade elevada dos bancos e do cenário de crescimento econômico no País e no setor financeiro”, afirmou em nota Juvandia Moreira, presidenta do sindicato, que fará nova assembleia na sexta-feira para definir os rumos da greve. A paralisação começou às 0h de quarta-feira e não tem data determinada para terminar.

Os funcionários de instituições financeiras rejeitaram a proposta que dava reposição da inflação dos últimos 12 meses, de 4,29%, sem aumento real de salários. O Comando Nacional dos Bancários considerou a oferta dos banqueiros insuficiente e tinha dado prazo até a segunda-feira para que a Fenaban apresentasse uma nova proposta para análise da assembleia, o que não aconteceu. Segundo a entidade, o País tem 460 mil bancários, sendo 130 mil na base do sindicato de São Paulo.

Para a Fenaban, a reposição de 4,29%, era uma primeira proposta na busca do porcentual final que corrigiria, com aumento real, salários, pisos, benefícios e participação nos lucros. De acordo com a entidade, os reajustes acertados neste ano seriam aplicados sobre uma convenção coletiva considerada a melhor do País, que assegura uma série de ganhos em termos de remuneração e benefícios, com média salarial de R$ 4.111.

Segundo a entidade, com a aplicação da convenção, seriam corrigidos com o novo acordo os direitos a jornada de trabalho reduzida, de seis horas diárias, participação nos lucros, piso salarial de R$ 1.501,49 para a função de caixa, vale refeição mensal de R$ 371,36, vale alimentação de R$ 289,36 e auxílio creche de R$ 207,95 (por filho).

(O Dia Online)

Iberia vai inaugurar rota ligando Madri a Recife e Fortaleza

Madri, 30 set (EFE).- A empresa aérea espanhola Iberia vai inaugurar em fevereiro de 2011 uma rota ligando a capital Madri às cidades brasileiras de Fortaleza e Recife, com previsão de alcançar 80 mil passageiros no primeiro ano de operação, informou a companhia nesta quinta-feira.

A nova rota terá três frequências semanais (às terças, sextas e domingos) e será operada por aviões Airbus A340/300, com capacidade para 254 passageiros.

Em 2009, a Iberia transportou cerca de 500 mil passageiros entre a Europa e o Brasil, país que, segundo a companhia, se consolida como o destino mais importante da companhia aérea na América Latina e o que tem previsão de maior crescimento para o ano que vem.

Atualmente, a Iberia opera duas frequências diárias entre Madri e São Paulo e um voo diário ao Rio de Janeiro.

(Agência EFE)

Roberto Jefferson no Twitter: Serra “mandou mal e expôs Gilmar Mendes”

Na manhã desta quinta-feira (30), o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, comentou em seu twitter (@blogdojefferson) o episódio noticiado hoje pela Folha de S. Paulo, de que o candidato presidencial do PSDB José Serra, teria feito ontem uma ligação telefônica para o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, antes da sessão do tribunal que começou a decidir sobre a exigência de dois documentos na eleição do próximo domingo (3).

Jefferson abriu os comentários afirmando: “Serra expos o Ministro Gilmar Mendes de publico. Mandou mal”. E, depois, em resposta a dois de seus seguidores, afirmou: “Li agora na Folha. Isso vai ganhar dimensões, hoje, no debate da Globo” e “As vezes penso que o Serra e altista (sic). Só pensa em si próprio. Ruim, expôs o Gilmar Mendes”.

Em seu blog, o ex-deputado também publicou hoje uma nota intitulada “Será que desta vez tem final?”, onde mencionou o fato de Mendes ter pedido vista dos autos, suspendendo a sessão e prometendo retomá-la ainda hoje. Jefferson encerra a nota afirmando: “Se Mendes descumprir a promessa, será mais um julgamento sem final, nem feliz nem triste”.

(Portal Terra)

OAB: suspeita de interferência de Serra no STF é “preocupante”

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, afirmou nesta quinta-feira (30) ser “preocupante” o fato de pairarem suspeitas de que o candidato do PSDB à presidência da República, José Serra, possa ter interferência no Supremo Tribunal Federal (STF) e no voto do ministro Gilmar Mendes. Para Cavalcante, é precipitado falar em crime de responsabilidade e em um eventual impeachment de Mendes, embora seja necessário “atenção e fiscalização” no caso.

Reportagem do jornal Folha de S. Paulo aponta que Mendes e Serra se falaram por telefone por volta das 14h desta quarta, antes da sessão plenária do STF que discutiu a exigência de dois documentos para que o eleitor possa votar. Na mesma tarde, apesar de sete dos atuais dez ministros já terem votado para derrubar a exigência, Gilmar Mendes pediu vista dos autos, paralisando a análise do caso. Mendes e Serra negam o telefonema.

“É uma coisa que demonstra preocupação. Todos conhecemos pessoas, temos amigos, recebemos telefonemas, mas quando se trata de uma suspeita dessa natureza é algo preocupante. Se verdade for, poderia passar a impressão de que as decisões do STF são pautadas por amizades e interesses”, disse Ophir Cavalcante ao Terra. “É precipitado dizer o que seria crime. A Lei Orgânica da Magistratura impede esse tipo de contato, mas já agora determinar as hipóteses de possível enquadramento legal é precipitado”, completou o presidente da OAB.

 (Portal Terra)

Maierovitch e o impeachment de Gilmar Mendes

Reproduzo texto do brilhante jurista Walter Maierovitch, publicado no blog dele, no Terra.

NOS CORREDORES DO SUPREMO, FALA-SE EM IMPEACHMENT DE GILMAR MENDES

por Walter Maierovitch

A matéria apresentada pelo Jornal Folha de S. Paulo é de extrema gravidade. Pelo noticiado, e se verdadeiro, o ministro Gilmar Mendes e o candidato José Serra tentaram, por manobra criminosa, retardar julgamento sobre questão fundamental, referente ao exercício ativo da cidadania: o direito que o cidadão tem de votar.

Atenção: Gilmar e Serra negam ter se falado. Em outras palavras, a matéria da Folha de S.Paulo não seria verdadeira.

Pelo que se infere da matéria, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes interrompeu o julgamento do recurso apresentado pelo PT. Pela ação proposta, considera-se inconstitucional a obrigatoriedade do título eleitoral, acrescido de um documento oficial com fotografia.

O barômetro em Brasília indica alta pressão. Pressão que subiu com o surpreendente pedido de “vista” de Mendes. E que chegou no vermelho do barômetro com a matéria da Folha. Ligado o fato “a” (adiamento) com o “b” (pedido de Serra), pode-se pensar no artigo 319 do Código Penal: crime de prevaricação.

Já se fala entre políticos, operadores do Direito e experientes juristas, caso o fato noticiado na Folha de S.Paulo tenha ocorrido e caracterizado o pedido de Serra para Gilmar “parar” o julgamento, em impeachment do ministro.

O impeachement ecoa na “rádio corredor” do Supremo. E por eles circulam ministros e assessores.

Com efeito. O julgamento da ação proposta pelo PT transcorria sem sobressaltos. Não havia nenhuma dificuldade de ordem técnica-processual. Trocando em miúdos, a matéria sob exame dos ministros não tinha complexidade jurídica. Portanto, nenhuma divergência e com dissensos acomodados e acertados.

Sete ministros já tinham votado pelo acolhimento da pretensão apresentada, ou seja, ao eleitor, sem título eleitoral, bastaria apresentar um documento oficial, com fotografia. A propósito, a ministra Ellen Gracie observou que a exigência da lei “só complica” o exercício do voto.

O que surpreendeu, causou estranheza, foi o pedido de vistas de Gilmar Mendes. Como regra, o pedido de vistas ocorre quando a matéria é de alta complexidade. Ou quando algum ministro apresenta argumento que surpreende, provocando a exigência de novo exame da questão. Isso para que quem pediu vista reflita, mude de posição ou reforce os argumentos em contrário.

Também causou estranheza um pedido de vista de matéria não complexa, quando, pela proximidade das eleições, exigia-se urgência.

Dispensável afirmar que não adianta só a decisão do Supremo. É preciso tempo para a sua repercussão. Quanto antes for divulgado, esclarecido, melhor será.

Terceiro ponto: a votação no plenário do STF se orientava no sentido de que a matéria era de relevância, pois em jogo estava o exercício da cidadania. A meta toda era, como se disse no julgamento,  facilitar e não complicar o exercício da cidadania, que vai ocorrer, pelo voto, no próximo domingo, dia das eleições.

Um pedido de vista, a esta altura, numa questão simples, em que os sete ministros concluíram que a lei sobre a apresentação de dois documentos para votar veio para complicar, na realidade, dificultava esse mencionado exercício de cidadania ativa (votar).

O pedido de vista numa questão que tem repercussão, é urgente e nada complexa, provocou mal-estar.

Os ministros não querem se manifestar sobre a notícia divulgada pela Folha, uma vez que, tanto José Serra quanto Gilmar Mendes negaram. Mas vários deles acham que a apuração do fato, dado como gravíssimo, se for verdadeiro, é muito simples. Basta quebrar o sigilo telefônico.

Pano rápido. Como qualquer toga sabe, a matéria da Folha de S.Paulo é grave porque envolve, caso verdadeira, uma tentiva de manipulação que prejudica o direito de cidadania. Trata-se de um ministro do Supremo, que tem como obrigação a insenção. Serra e Mendes desmentiram. A denúncia precisa ser apurada pelo Ministério Público e, acredita-se, que a dra Cureau não vai deixar de apurar e solicitar, judicialmente, a quebra dos sigilos telefônicos de Serra e Mendes.

A única forma de se cassar um ministro do Supremo, já que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) não tem poder correcional sobre eles, é o impeachment. Ministros do Supremo só perdem o cargo por impeachment.

O único caminho, quando se trata de grave irregularidade, de crime perpetrado — e esse caso, se comprovado, pode ser caracterizado como crime —, é o impeachment.

Na historiografia judiciária brasileira nunca houve impeachment de ministro do STF. Já houve cassação pela ditadura militar, e por motivo ideológico.

Tia dúvidas sobre as Eleições 2010 (perguntas e respostas)

Quando será a eleição deste ano?
O primeiro turno das eleições ocorrerá no dia 3 de outubro, das 8h às 17h, para todos os cargos. O segundo turno, se houver, acontecerá no dia 31 de outubro, também das 8h às 17h (horário de Brasília).

Quem é obrigado a votar?
Todos os brasileiros maiores de 18 e menores de 70 anos são, por lei, obrigados a votar. O voto é facultativo para quem está com idade entre 16 e 18 anos, para os maiores de 70 anos e para as pessoas analfabetas.

Quais os cargos que elegeremos nesta eleição?
Serão escolhidos o novo presidente da República (e seu vice), 27 governadores, 54 senadores (renovação de 2/3 do Senado Federal), 513 deputados federais e 1.069 deputados estaduais/distritais. Caso nenhum candidato a presidente ou a governador alcance a maioria dos votos válidos neste dia, haverá segundo turno no dia 31 de outubro.

Quais documentos preciso levar no dia da votação?
Além do título de eleitor, é necessário apresentar um documento com foto (documento de identidade, carteira de trabalho, carteira de motorista, passaporte ou certificado de reservista).

Qual a ordem de votação na urna eletrônica?
1º voto: Deputado Estadual ou Distrital.
2º voto: Deputado Federal.
3º voto: Senador primeira vaga.
4º voto: Senador segunda vaga.
5º voto: Governador de Estado ou do Distrito Federal.
6º voto: Presidente da República.

Posso levar uma “cola” do meu candidato para votar?
Sim. Os eleitores podem levar anotados os números dos seus candidatos.

Qual a diferença entre voto branco e voto nulo?
Na prática, tanto o voto nulo quanto o voto em branco não são contabilizados nos cálculos eleitorais, por não serem direcionados a nenhum candidato ou partido. São considerados nulos os votos sufragados a candidatos que não obtiveram registro da candidatura (mesmo que seus nomes constem na urna), votos destinados a políticos ou partidos inexistentes ou quando o eleitor escolhe o mesmo postulante para os dois cargos de senador. Já o voto em branco pode ser acionado pela tecla específica na urna eletrônica. Apesar de não interferirem nos cálculos, é importante considerar que quanto maior o número de votos nulos e brancos, menor a necessidade de votos válidos para que um candidato seja eleito.

Não estarei na minha cidade no dia da eleição. O que faço?
Quem estiver fora de seu domicílio eleitoral no dia da eleição terá de justificar sua ausência comparecendo a qualquer seção eleitoral munido do título de eleitor, de um documento com foto e do formulário de justificativa eleitoral (que pode ser obtido no site do TSE ou em qualquer seção, cartório ou posto de atendimento eleitoral). A justificativa também pode ser apresentada nos 60 dias posteriores à eleição. É importante lembrar que primeiro e segundo turnos são eleições independentes, portanto é necessária uma justificativa para cada votação.

Perdi meu título. Ainda posso pedir a segunda via?
O eleitor que perdeu ou teve o título extraviado pode pedir a segunda via do documento até o dia 30 de setembro em qualquer cartório eleitoral.

Onde posso consultar a situação do meu título eleitoral?
A consulta pode ser feita no site do Tribunal Superior Eleitoral.

Quero mudar o meu local de votação. Como devo proceder?
O eleitor que deseja fazer alterações de dados cadastrais, zona ou local de votação só poderá fazê-lo a partir do dia 4 de novembro.

Fui convocado para ser mesário. O que pode acontecer se eu não comparecer?
O cidadão convocado para integrar mesa receptora de votos ou de justificativas que não comparecer ao local no dia e na hora determinados para a realização das eleições estará sujeito à multa (cerca de R$ 35), se não apresentar justificativa ao juiz eleitoral até 30 dias após a eleição. Se o mesário faltoso for servidor público ou autárquico, pode levar suspensão de até 15 dias no trabalho.

Se eu não votar e nem justificar depois, o que pode acontecer?
A multa para o eleitor que não justificar o voto após 60 dias do pleito fica em torno de R$ 3. Se o pagamento não for feito, ele pode ser impedido de inscrever-se em concurso público, participar de concorrências, obter empréstimos em instituições financeiras do governo, receber remuneração de função ou emprego público, obter passaporte ou carteira de identidade, renovar matrícula em estabelecimento público de ensino ou praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou Imposto de Renda. Quem não votar e não justificar a ausência em três eleições consecutivas (considerando que cada turno é uma eleição), pode ter o título cancelado.

Fonte: TSE

Polícia paulista dispara bala de prata em Netinho (PCdoB)

AE – Agência Estado

A Polícia Civil de São Paulo fez uma varredura na casa do candidato ao Senado Netinho de Paula (PC do B), na manhã de ontem, para apurar denúncias de fraude nos bens declarados por ele à Justiça. Netinho se tornou alvo de investigação criminal aberta na Promotoria Eleitoral de Barueri, na Grande São Paulo, após denúncia de que ele não teria declarado a casa onde mora com os filhos no condomínio Alphaville 8.

Dois investigadores e um perito criminal vasculharam e fotografaram a parte externa, a piscina, o campo de futebol e o salão de festas, mas foram impedidos de entrar por um dos filhos de Netinho. O candidato não estava em casa. Segundo o advogado de Netinho, Alexandre Rollo, os policiais não tinham mandado de busca. O procedimento criminal para “apuração ?em tese? da infração do artigo 350 do Código Eleitoral (omissão de bens)” foi aberto pela promotora eleitoral da 386.ª zona, Bárbara Valéria Cury e Cury.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o motivo da visita foi fotografar a casa, objeto da denúncia, um procedimento rotineiro. Mas a coordenação da campanha promete entrar com representação na corregedoria da Polícia Civil contra o delegado Francisco José Alves Cardoso, do 2.º DP de Barueri.

“A ação da polícia é inaceitável. Para averiguar fraude, a primeira providência é sempre chamar o acusado para prestar esclarecimentos, o que não ocorreu. Houve, claramente, desvio de conduta, invasão de domicílio, constrangimento e abuso de autoridade por parte dos policiais”, defende a presidente estadual do partido, Nádia Campeão, que insinuou haver motivação eleitoral por trás das denúncias. Ontem, os vereadores da bancada, liderada pelo PT, protestaram contra a ação da polícia e o posicionamento da Justiça. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

PS: Fiquem de olho para descobrir onde as fotos feitas pela polícia paulista vão aparecer…

(VioMUndo)

Após falar com Serra, Gilmar Mendes para sessão do STF

Moacyr Lopes Junior e Catia Seabra

Após receber uma ligação do candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes interrompeu o julgamento de um recurso do PT contra a obrigatoriedade de apresentação dos dois documentos na hora de votar.

Serra pediu que um assessor telefonasse para Mendes pouco antes das 14h, depois de participar de um encontro com representantes de servidores públicos em São Paulo.

A solicitação foi testemunhada pela Folha.

No fim da tarde, Mendes pediu vista (mais prazo para análise), adiando o julgamento. Sete ministros já haviam votado pela exigência de apresentação de apenas um documento com foto, descartando a necessidade do título de eleitor.

A obrigatoriedade da apresentação de dois documentos é apontada por tucanos como um fator a favor de Serra e contra sua adversária, Dilma Rousseff (PT). A petista tem o dobro da intenção de votos de Serra entre os eleitores com menos escolaridade.

A lei foi aprovada com apoio do PT e depois sancionada por Lula, sem vetos.

Ontem, após pedir que o assessor ligasse para o ministro, Serra recebeu um celular das mãos de um ajudante de ordens, que o informou que Mendes estava na linha.

Ao telefone, Serra cumprimentou o interlocutor como “meu presidente”. Durante a conversa, caminhou pelo auditório. Após desligar, brincou com os jornalistas: “O que estão xeretando?”

Depois, por meio de suas assessorias, Serra e Mendes negaram a existência da conversa.

Para tucanos, a exigência da apresentação de dois documentos pode aumentar a abstenção nas faixas de menor escolaridade.

Temendo o impacto sobre essa fatia do eleitorado, o PT entrou com a ação pedindo a derrubada da exigência.

O resultado do julgamento já está praticamente definido, mas o seu final depende agora de Mendes.

Se o Supremo não julgar a ação a tempo das eleições, no próximo domingo, continuará valendo a exigência.

À Folha, o ministro disse que pretende apresentar seu voto na sessão de hoje.

(Blog do Noblat)

Edir Macedo manifesta apoio à candidata Dilma Rousseff

O líder da Igreja Universal do Reino de Deus, o bispo Edir Macedo, publicou em seu blog pessoal uma carta em defesa da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff.

Líder nas pesquisas, Dilma é alvo de ataques de católicos e evangélicos sob a acusação de que defende o aborto. Em sua carta, Macedo diz que a petista é vítima de mentiras e acusou autores de spam de fazer o jogo do diabo. “Quem pensa que está prestando algum serviço ao Reino de Deus, espalhando uma informação sem ter certeza de sua veracidade, na verdade, está fazendo o jogo do diabo”, criticou.

No final da carta, o líder da Igreja Universal do Reino de Deus orienta os eleitores para que estes observem as propostas dos candidatos para que a igreja não seja prejudicada. “Nestes dias que antecedem as eleições, devemos observar se a plataforma dos candidatos em quem pretendemos votar, não pode vir a prejudicar a Igreja”, diz.

(Portal do Sydnei Rezende)

MPE apresenta denúncia contra Serra por calúnia e difamação

O Ministério Público Eleitoral apresentou uma denúncia encaminhada ao juiz eleitoral da 111ª zona eleitoral de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, contra o candidato à presidência da República pelo PSDB, José Serra, devido a declarações feitas pelo tucano em entrevista na qual acusa o PT de ter ligação com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Além disso, Serra diz que o candidato ao Senado Fernando Pimentel (PT-MG) foi o responsável por quebrar o sigilo do vice-presidente do PSDB Eduardo Jorge.

De acordo com a denúncia, no dia 22 de julho de 2009, o candidato endossou, em entrevista ao jornal Zero Hora, de Porto Alegre, as polêmicas declarações de seu vice, Indio da Costa, sobre a ligação do partido com a guerrilha colombiana. Serra teria dito: “o que ele (Indio) disse é uma coisa antiga, que está mais do que evidenciado, que o PT tem ligação com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que, por sua vez, são uma força do narcotráfico”.

Ainda segundo a representação do MP, na mesma ocasião, Serra teria acusado o candidato ao Senado Fernando Pimentel (PT-MG) “imputando-lhe falsamente fatos definidos como crime, quais sejam, violação de sigilo funcional e formação de quadrilha”.

Transcrevendo trechos da entrevista, a denúncia revela outra fala do tucano, respondendo sobre a quebra de sigilo de Eduardo Jorge, vice-presidente do PSDB: “é a estratégia do PT. Eles tinham montado um grupo de dossiê sujo. Dossiê limpo não é obrigatoriamente algo criminoso. Quando é feito com baixaria, você está comprando depoimento. Isso é jogo sujo, e o PT estava montando isso e foi descoberto. Tudo coordenado por um personagem importante do PT, que é o Fernando Pimentel. Não é Zé Ninguém. Uma delas foi começar a quebrar sigilo usando de funcionários ligados ao PT”, disse o candidato.

A denúncia, assinada pela promotora eleitoral Margarida Teixeira de Moraes, pede sanção baseada nos artigos 324 e 325 do Código Eleitoral os quais ditam que caluniar alguém com fins eleitorais resulta em pena de detenção de seis meses a dois anos e pagamento de multa. Além disso, caluniar alguém com algo que ofenda sua reputação, pode incorrer em pena de detenção de três meses a um ano e pagamento de multa.

 (Portal Terra)

Aumentam as chances de Agnelo Queiroz (PT) ser eleito no DF, diz Datafolha

SÃO PAULO – Agnelo Queiroz (PT) recuperou a vantagem na disputa do governo do Distrito Federal após a desistência do candidato Joaquim Roriz (PSC) e da indicação de sua esposa Weslian Roriz (PSC). Este é o cenário que a pesquisa do Datafolha, que foi divulgada na madrugada desta quinta-feira, 30. 

A pesquisa aponta que Agnelo ganhou dois pontos e de 41% foi para 43%. Roriz perdeu cinco pontos e de 34%, passou para 29; Toninho (PSOL) subiu dois pontos em relação a última pesquisa e agora tem 7% das intenções de voto.

Com os votos válidos, o candidato do PT teria 52% e o candidato do PSC ficaria com 36%. Como a margem de erro do levantamento é de três pontos percentuais para cima ou para baixo, Agnelo varia entre 49% e 55%. Sendo assim, abrindo chance de vitória no 1º turno.

Nas pesquisas espontâneas, Roriz perdeu 16 pontos, de 30% para 14%. Agnelo ganhou três pontos e de 33% tem 36%.

O instituto explica que como Joaquim Roriz indicou a mulher fora do prazo que o Tribunal Regional Eleitoral determina para as trocas de candidatos e de dados na urna eletrônica, a pesquisa foi mantida com o nome do candidato.

Weslian Roriz

Entretanto, o Datafolha fez um outro levantamento sobre a intenção de voto para Weslian Roriz. O resultado aponta que Agnelo Queiroz teria 54% e Weslian Roriz teria 31% dos votos válidos. E 44% a 25% se considerados os votos totais.

Rejeição

Sobre o índice de rejeição, o casal Roriz tem o maior número de rejeição no Distrito Federal. Joaquim Roriz é rejeitado por 36% dos eleitores, enquanto Weslian Roriz é rejeitada por 23% dos entrevistados. Agnelo Queiroz segue com o menor índice 23% dos eleitores não votariam no candidato petista.

O levantamento foi realizado nos dias 28 e 29 de setembro, com 1.087 eleitores. O registro da pesquisa no Tribunal Superior Eleitoral está sob o número 33188/2010. 

(Agência Estado)

Mercadante sobe e chance de segundo turno em SP cresce, segundo Datafolha

Líder nas pesquisas para o governo de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) oscilou negativamente de 51% para 49% na última pesquisa Datafolha, enquanto seu principal adversário, o petista Aloisio Mercadante, cresceu quatro pontos percentuais (de 23% para 27%). Embora o tucano possa definir a eleição já no próximo domingo, aumentam cada vez mais as chances de haver segundo turno no Estado.

“Pode-se dizer que aumentou a chance de segundo turno”, afirmou o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, segundo o jornal “Folha de S. Paulo”. A vantagem de Alckmin para Mercadante caiu seis pontos em uma semana. A margem de erro é de dois pontos.

Se tomados apenas os votos válidos (brancos e nulos são desconsiderados), Alckmin tem 54% (tinha 57%), contra 29% de Mercadante (tinha 26%). Se daqui a três dias o tucano tiver mais de 50% dos votos válidos, ele será eleito no primeiro turno.

Na simulação de eventual segundo turno entre Alckmin e Mercadante, o tucano venceria com 57% a 36%. Na semana passada, sua vantagem era sete pontos maior: 60% a 32%.

Os demais candidatos seguem bem abaixo de ambos: Celso Russomanno (PP) tem 9%, Paulo Skaf (PSB), 4%, e Fabio Feldmann (PV), 1%. Os demais não pontuaram.

A pesquisa foi realizada nos dias 28 e 29 deste mês e foram entrevistados 2.202 eleitores. O número do registro no Tribunal Superior Eleitoral é o 89694/2010.

(Redator: Fábio Mendes – EBand)

Cartão de crédito: Pagamento mínimo será de 20% da fatura

Patrícia Duarte, O Globo

O governo está terminando de elaborar a nova regulamentação do setor de cartões e, entre as medidas, está uma que elevará o pagamento mínimo exigido na fatura do cartão de crédito.

Hoje, o piso mínimo é de 10% e deverá ser ampliado para até 20%. O objetivo é criar uma regra prudencial para evitar que haja estouro no endividamento dos usuários, já que tem crescido muito rapidamente o número de consumidores que usam o dinheiro de plástico.

Só neste ano, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), o país terá quase 630 milhões de unidades emitidas, 11% a mais do que em 2009.

– Não queremos, no limite, criar um subprime neste mercado – afirmou ao GLOBO uma fonte próxima ao assunto, referindo-se às hipotecas de alto risco americanas (créditos concedidos a quem não tinha bom histórico de crédito) que acabaram gerando a crise financeira internacional de 2008.

Os números exatos dessa nova regra ainda não foram sacramentados, mas a ideia na mesa hoje é instituir uma escala que passaria o percentual de 10% para 15% e, finalmente, para 20%. Os intervalos para cada degrau seriam grandes, de um ano por exemplo, para que os consumidores se acostumem aos poucos com os novos pisos de pagamento.

Colégio Marista fecha sua última sede em Fortaleza

As gangorras coloridas dispostas no pátio do Colégio Marista, no bairro Mondubim, em Fortaleza, só são utilizadas nas manhãs de segunda a sexta-feira. Nelas, crianças do ensino infantil à nona série divertem-se no intervalo entre as aulas. A partir de janeiro, não mais. 

Ontem, o escritório central da rede educacional/filantrópica anunciou o fechamento da única sede particular da Capital. A notícia foi dada primeiro a professores e funcionários, numa reunião a portas fechadas. Em seguida, às 19 horas, os pais dos cerca de 300 alunos foram comunicados, numa assembleia realizada na quadra poliesportiva da Escola.

Dois representantes de Brasília informaram que o último dia de atividades será 31 de dezembro. Tudo foi oficializado em carta entregue aos pais. Segundo o documento, os trabalhos vão ser encerrados “para redimensionar a área de atuação” da rede, presente em 16 estados.

O que o material não cita é o prejuízo financeiro acarretado pela unidade há quatro anos, desde a sua criação um ano após a filial do Centro – o colégio Marista Cearense – fechar as portas. “Outras unidades sempre assumiam o déficit desta do Mondubim”, explicou a gerente educacional do grupo, Jaqueline de Jesus. “E, para manter a saúde da rede, as sedes têm de ser autossustentáveis”, acrescentou o analista educacional Paulo de Tarso.

Eles não quantificaram o rombo e descartaram a possibilidade, pelo menos a curto prazo, de uma nova escola ser aberta no Ceará. Duas – públicas – ainda funcionam em Aracati e Iguatu. Com isto, somente a Faculdade Marista continua aberta em Fortaleza.

Parte dos alunos e funcionários devem ir para a Escola Marista de Ensino Fundamental Sagrado Coração, na Maraponga, instituição pública mantida hoje por conta de um convênio entre o grupo e a Prefeitura.

O prédio será mantido em cumprimento à Lei da Filantropia, a qual o Marista é subjugado por ter razão social também de prestação de serviços desta natureza. “O restante (de alunos e funcionários), pedimos que a Diretoria colabore na busca de novos espaços”, disse Tarso.

A negociação deste processo de transição ainda está em andamento. A expectativa é de que se encerre antes do fim do período letivo, previsto para acabar em dezembro. O destino da sede do Mondubim é indefinido. A diretoria estuda o que deve ser feito com o espaço. 

E-Mais  –  Segundo os representantes do escritório central do grupo Marista,o perfil socioeconômico do Mondubim colaborou para o insucesso da unidade no bairro. 

Como a renda das famílias é pequena, o Colégio disse não ter condições de reajustar as mensalidades, em média orçadas em R$ 275. >Estudos projetavam mais prejuízo, caso a sede fosse mantida aberta por mais um ano letivo. 

A decisão pelo fechamento foi tomada no começo deste mês. A Diretoria recebeu a notícia semana passada. 

Por lei, os pais devem ser comunicados do encerramento dos trabalhos com, pelo menos, 60 dias de antecedência das portas fecharem. 

O Marista é uma congregação religiosa presente em 77 países que prega a evangelização por intermédio da educação.

(O Povo Online)

Greve dos bancários fecha quase 4 mil agências no país e bancos admitem negociar aumento real

A greve nacional dos bancários fechou 3.864 agências em todo o país, segundo balanço da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) divulgado no início da noite de hoje (29). O movimento inciado pela manhã atinge 26 estados e o Distrito Federal e não tem prazo para acabar.

Segundo o presidente da Contraf, Carlos Cordeiro, em nota divulgada pela entidade sindical, a grande adesão à paralisação reflete o descontentamento da categoria com as instituições financeiras. “Essa grande participação na greve mostra a indignação dos trabalhadores com os bancos. Apesar de apresentarem crescimento médio de 32% no lucro líquido do primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano passado, os bancos só ofereceram o índice de inflação de 4,29%, ou seja, zero de aumento real”.

A categoria tem data-base em 1º de setembro e reivindica aumento de 11%, maior participação nos lucros e resultados, medidas de combate ao assédio moral, garantia de emprego e mais contratações entre outras exigências.

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) informou, também em nota, que irá adotar “as medidas legais cabíveis e necessárias para garantir o acesso e o atendimento da população nas agências”. A entidade classificou a greve como “radicalização” e disse que o sindicato abandonou as negociações, apesar de os bancos estarem dispostos a discutir a concessão de aumento real. “A Fenaban aceita discutir reajuste real dos salários e demais benefícios da convenção coletiva, inclusive a participação nos lucros e resultados. Mas não pode aceitar um índice exagerado como o pleiteado pelos sindicatos”, afirmou a entidade. 

Agência Brasil 

Cid Gomes tem 54% e Lúcio Alcântara 19%, diz Vox Populi

Faltando apenas quatro dias para as eleições, o candidato do PSB ao governo do Ceará, Cid Gomes, continua liderando a disputa pelo Palácio Bárbara de Alencar, segundo a nova rodada da pesquisa Vox Populi/iG.

De acordo com o levantamento, o atual governador tem 54% das intenções de voto e é seguido pelo candidato Lúcio Alcântara (PR), que registra 19% da preferência dos eleitores.

O terceiro colocado na disputa cearense é o candidato Marcos Cals (PSDB), que tem 12%.

Apesar da diferença entre Cid Gomes e os adversários ter diminuído quatro pontos percentuais em relação a pesquisa do dia 12 de setembro, o candidato do PSB mantém 23 pontos de diferença entre os principais adversários e seria eleito ainda no primeiro turno, segundo o Vox Populi.

O instituto também registrou que o número de indecisos no Estado caiu de 14% para 11%, enquanto os eleitores que declaram voto branco ou nulo se manteve em 4% em relação à última sondagem.

(Portal Ig)

Vox Populi mostra empate triplo ao Senado no Ceará: Tasso 46%, Eunício 44%, Pimentel 43%

Senado  –  Na corrida pelo Senado a disputa está embolada entre os três principais candidatos. Tasso Jereissati (PSDB) está tecnicamente empatado com o candidato do PMDB, Eunício Oliveira, e o petista José Pimentel.

O candidato tucano tem 46% das intenções de votos, enquanto Oliveira soma 44% da preferência dos eleitores. Colado com os dois está o candidato Pimentel, que tem 43% das menções.

O candidato do PSDB, que liderou a corrida por uma das duas vagas desde o início da eleição, agora vê sua eleição ameaçada pelos adversários, que tiveram forte presença do presidente Lula em sua propaganda eleitoral nos últimos dias.

Como a margem de erro da pesquisa é de 3,5 pontos percentuais, para mais ou para menos, a indefinição sobre a escolha dos dois senadores deve seguir até o fim da apuração dos votos no Ceará.

Na comparação com a pesquisa do dia 10 de setembro, Tasso caiu cinco pontos percentuais e foi alcançado pelos adversários, que cresceram 6 pontos cada um.

Apesar da disputa embolada, 29% dos eleitores do Ceará ainda se dizem indecisos sobre a escolha dos dois representantes do Estado no Senado.

(Portal Ig)

Vox Populi/Band/iG: Dilma mantém 55% dos votos válidos

A candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, mantém a dianteira sobre os adversários na corrida para a sucessão e seria eleita, no próximo domingo, com 55% dos votos válidos (excluídos os votos nulos e em branco), aponta o mais recente tracking Vox Populi/Band/iG.

Na medição do instituto, publicada nesta quarta-feira, ela aparece, pelo quarto dia consecutivo, com 49% das intenções de voto quando é considerada a totalidade dos votos, incluindo brancos e nulos. O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, alcançou, pela primeira vez desde o início da medição, 26% das preferências – há 20 dias, ele tinha 21%, seu pior índice na pesquisa. Marina Silva (PV) segue com 12%, enquanto os outros candidatos, como Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) têm, juntos, 1%.

Com este cenário, Dilma mantém dez pontos de vantagem em relação à soma de todos os adversários. Para vencer no primeiro turno, a candidata precisa obter 50% dos votos mais um. Se considerados apenas os votos válidos, Serra teria hoje 29% e Marina, 13%.

O tracking aponta também que 9% dos eleitores não sabem ou não responderam em quem pretendem votar no próximo domingo. Votos brancos e nulos somam 3%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

O melhor cenário para a candidata petista é o Nordeste, onde ela tem 64% das preferências – contra 18% de Serra e 7% de Marina. No Sudeste, onde Dilma chegava a ter 48% das intenções de voto há dez dias, o índice chega agora a 41%. É o pior desempenho da petista entre todas as regiões. Ela aparece à frente dos adversários, no entanto, em todas as áreas pesquisadas.

Serra tem o melhor cenário no Sul, onde alcança 36% dos votos. No Sudeste, Norte e Centro Oeste a candidata do PV chega a 16% das preferências, sua melhor pontuação entre as regiões.

Na pesquisa espontânea, quando o nome dos candidatos não é apresentado ao eleitor, Dilma tem 42% (um a menos do que na véspera), contra 23% de Serra e 10% de Marina (ambos têm um ponto a mais do que no dia anterior).

O tracking Vox/Band/iG conta com 2.000 entrevistas, sendo que um quarto dessa amostra é renovada diariamente. A pesquisa é registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 27.428/10.

(Portal IG)

Nomes e números dos candidatos a Deputado, Senado e Governo do Ceará

NOMES E NÚMEROS DOS CANDIDATOS A DEPUTADO ESTADUAL PELO CEARÁ – ELEIÇÕES 2014
PARTIDO NOME DO CANDIDATO NÚMERO COLIGAÇÃO
PC DO B ACACI 65400 PC DO B
PRTB ACCIOLY MAIA 28555 PEN / PRTB / PPL
PRTB ACÉLIO FREITAS 28222 PEN / PRTB / PPL
PPS ADAILTON BRANDÃO 23323 PTN / PPS / PSDC
SD ADERLANIA NORONHA 77777 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PEN ADRIANA RODRIGGUES 51700 PEN / PRTB / PPL
PTC ADRIANA RODRIGUES 36295 PTC
PTC AGENOR MENDES 36296 PTC
PMDB AGENOR NETO 15888 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSDC AGENOR RIBEIRO 27013 PTN / PPS / PSDC
PSOL AGLAIR LUCENA 50800 PSTU / PCB / PSOL
PSDC AGRIPINO MAGALHÃES 27700 PTN / PPS / PSDC
PDT AIRTON FEITOSA 12365 PDT
PSDC ALCYMAR MONTEIRO 27222 PTN / PPS / PSDC
PSOL ALDECIO 50111 PSTU / PCB / PSOL
PP ALEMÃO 11611 PT DO B / PMN / PP
PTN ALEXANDRA SA 19881 PTN / PPS / PSDC
PT ALISIO MEIRA 13000 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSC ALMIR CARNEIRO 20301 PSC
PSDB ALMIR GUILHERME 45001 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PRP ALOISIO TEIXEIRA 44777 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PTC ALRI NOGUEIRA 36917 PTC
PR ALYNNE SENA 22286 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PP AMÁLIA 11555 PT DO B / PMN / PP
PT DO B ANA LUIZA 70070 PT DO B / PMN / PP
PT ANA MARIA CUNHA 13444 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PC DO B ANA PAULA BRANDÃO 65789 PC DO B
PPL ANCHIETA RODRIGUES 54000 PEN / PRTB / PPL
PSDC ANDERSON PALACIO 27027 PTN / PPS / PSDC
PTN ANDREA PEREIRA 19444 PTN / PPS / PSDC
PRTB ANDRÉ BARRETO 28888 PEN / PRTB / PPL
PRB ANGELITA MARTINS 10444 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PT ANTONIO CARLOS 13131 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PROS ANTONIO GRANJA 90000 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PR ARLINDO MOTA 22777 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSDB ARNALDO FORTE 45678 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PC DO B ARRUDA BASTOS 65655 PC DO B
PT ARTUR BRUNO 13222 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
DEM ASSIS 25678 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PC DO B ASSIS ARAÚJO 65999 PC DO B
PTC ASSIS CANDIDO 36953 PTC
PC DO B AUCELIO COUTINHO 65175 PC DO B
PMDB AUDIC MOTA 15610 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PC DO B AUGUSTA BRITO 65700 PC DO B
PTN AURELIO JARDIM 19234 PTN / PPS / PSDC
PMDB AURELIO OLIVEIRA 15000 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PMDB AURINETE FELIX 15255 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PTC BAHIA 36350 PTC
PDT BALACÓ 12369 PDT
PMDB BANDEIRA JR 15444 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSC BELINHA 20911 PSC
PTC BENEVIDES O GENEROSO 36574 PTC
PRP BETHROSE 44789 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PT DO B BETIM DA PRIMEIRA OPÇÃO 70111 PT DO B / PMN / PP
PEN BETO PONTES 51333 PEN / PRTB / PPL
PEN BILIONARIO 51334 PEN / PRTB / PPL
PSC BOB SIGHT 20027 PSC
PPS BOI 23100 PTN / PPS / PSDC
PEN BOSCO MELO 51111 PEN / PRTB / PPL
PEN BRASIL 51028 PEN / PRTB / PPL
PSC BRENDA VIEIRA 20044 PSC
PSC BRENNA MAIA 20010 PSC
PEN BRUNA FEITOSA 51085 PEN / PRTB / PPL
PSB BRUNO DE SEU GINO 40222 PSB
PSC BRUNO PEDROSA 20222 PSC
PTC CABEÇA 36133 PTC
PDT CAIO LOUREIRO 12332 PDT
PSC CAMILO BARBOSA 20001 PSC
PC DO B CAPITÃO SERPA 65190 PC DO B
PR CAPITÃO SILVA 22192 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PR CAPITÃO WÁGNER 22190 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSDC CARLA ANDRADE 27534 PTN / PPS / PSDC
DEM CARLINHOS 25028 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PMDB CARLOMANO MARQUES 15150 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PC DO B CARLOS FELIPE 65100 PC DO B
PP CARLOS HENRIQUE 11223 PT DO B / PMN / PP
PEN CARLOS LARANJEIRA 51855 PEN / PRTB / PPL
PEN CARLOS MAGNO 51357 PEN / PRTB / PPL
PSDB CARLOS MATOS 45655 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PR CARLOS WINDSON 22333 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PMN CARLÃO 33444 PT DO B / PMN / PP
PTN CARLÃO SIQUEIRA 19580 PTN / PPS / PSDC
PPL CAROLINE MILANÊZ 54333 PEN / PRTB / PPL
PEN CEL AMARILIO MELO 51999 PEN / PRTB / PPL
PTC CELIA A LOURA 36366 PTC
PPS CELIA ALVES 23462 PTN / PPS / PSDC
PTC CESAR HOLANDA 36999 PTC
PDT CHACON 12122 PDT
PEN CHARLES BROWN 51192 PEN / PRTB / PPL
PSOL CHARLYS MENEZES 50000 PSTU / PCB / PSOL
PSC CHIQUINHO CONTADOR 20358 PSC
PPL CHIQUINHO MORAES 54040 PEN / PRTB / PPL
PC DO B CHRISTIAM LOBATCHEVSKY 65337 PC DO B
PC DO B CIDA ALBUQUERQUE 65065 PC DO B
PEN CIDA JACINTO 51110 PEN / PRTB / PPL
PRTB CIÊR MARQUES 28150 PEN / PRTB / PPL
PEN CLAUDIA MARTINS 51698 PEN / PRTB / PPL
PTC CLAUDIO GOMES PICI 36136 PTC
PEN CLAUDIO LIMA 51024 PEN / PRTB / PPL
PP CLEIDE BEZERRA 11777 PT DO B / PMN / PP
PR CLEIDIA FREIRES 22211 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PEN CLIBERTO PINHEIRO 51500 PEN / PRTB / PPL
PSOL CONCEIÇÃO SANTOS 50021 PSTU / PCB / PSOL
PROS CORONEL BEZERRA 90090 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PT DO B CRISTHINA BRASIL 70654 PT DO B / PMN / PP
PC DO B CRISTIANE COLARES 65132 PC DO B
PT DO B CRISTIANE SILVA 70007 PT DO B / PMN / PP
PC DO B CRUZ LANDIM 65151 PC DO B
PCB CYNARA PESSOA 21010 PSTU / PCB / PSOL
PV CÍCERO LEANDRO 43234 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PMN DANIELE PEREIRA 33167 PT DO B / PMN / PP
PTB DANIELLE AGUIAR 14888 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTC DANILO MIRANDA 36341 PTC
PMDB DANNIEL OLIVEIRA 15333 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PR DARCY LIRA 22745 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
DEM DAVI DUARTE 25123 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PEN DAVI LIBERATO 51193 PEN / PRTB / PPL
PMDB DAVI MACEDO 15123 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PRB DAVID DURAND 10000 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PP DAVIDSON SARAIVA 11999 PT DO B / PMN / PP
PT DEDÉ TEIXEIRA 13200 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSC DELANINHA RAULINO 20040 PSC
PDT DELEGADO CAVALCANTE 12555 PDT
PPS DELEGADO DANTAS 23190 PTN / PPS / PSDC
PSC DEMONTIER 20345 PSC
PSOL DEMONTIEUX FERNANDES 50222 PSTU / PCB / PSOL
PSC DENILSON TEIXEIRA 20533 PSC
PP DENIS VIGILANTE 11444 PT DO B / PMN / PP
PROS DEPUTADO ROQUE 90222 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTC DI NEIA 36831 PTC
PTC DIDI MARAVILHA 36190 PTC
SD DILMAR 77110 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSDC DILTA DE SOUZA 27889 PTN / PPS / PSDC
PSDC DIMARÃES NUNES 27190 PTN / PPS / PSDC
PSDC DIMAS MATIAS 27800 PTN / PPS / PSDC
PSC DOMINGO SAVIO 20252 PSC
PTC DONA BERNADETE 36428 PTC
PSC DOUTOR MARCOS 20888 PSC
PEN DR BRUNO GONCALVES 51515 PEN / PRTB / PPL
SD DR HUGO 77678 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTC DR. AUGUSTO NETO 36117 PTC
PROS DR. CHICO RODRIGUES 90363 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSDC DR. EUGÊNIO 27666 PTN / PPS / PSDC
PPS DR. EXPEDITO JUNIOR 23023 PTN / PPS / PSDC
PROS DR. JOAO BATISTA 90190 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSD DR. LEONARDO PINHEIRO 55123 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PEN DR. LEÔNIDAS 51555 PEN / PRTB / PPL
PTC DR. LOPES 36234 PTC
PT DR. LUCIANTONIO 13144 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
SD DR. LUCÍLVIO GIRÃO 77123 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSDB DR. MARCOS 45147 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PTC DR. MAURICIO BEZERRA 36140 PTC
PT DR. SANTANA 13111 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PROS DR. SARTO 90789 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PMDB DRA JOCELIA 15051 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PMDB DRA ZUILA 15321 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PT DRA. MARIA DO CARMO BEZERRA 13500 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PRB DRA. PAULA 10999 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTB DRA. QUITERIA 14222 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PMDB DRA. SILVANA 15777 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PEN DRA. VERONICA GURGEL 51888 PEN / PRTB / PPL
PROS DUQUINHA 90124 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PROS EDISIO PACHECO 90600 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
DEM EDUARDO CHAVES 25666 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PPL EDUARDO NETO 54054 PEN / PRTB / PPL
PRP EDUARDO PESSOA 44123 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PTN EDUARDO RABELO 19990 PTN / PPS / PSDC
PSC EDULIA ROCHA 20444 PSC
PPS EDVALDO ARAÚJO 23444 PTN / PPS / PSDC
PV ELETICE 43123 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PMN ELIANE DO ESCRITÓRIO 33111 PT DO B / PMN / PP
PR ELIANE GALVÃO 22159 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PROS ELIENE BRASILEIRO 90900 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PT ELMANO 13123 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSC ELPIDIO MACEDO 20250 PSC
PTC ELVIS PRESLEY 36348 PTC
PSDC ELY AGUIAR 27022 PTN / PPS / PSDC
PSOL EMERSON PARENTE 50555 PSTU / PCB / PSOL
PR ERASMO GOMES 22888 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSC ERIBERTO 20777 PSC
PTN ESTHER NOGUEIRA 19900 PTN / PPS / PSDC
PSC ESTRELA BARROS 20355 PSC
PT DO B ESTRELA QUE BRILHA 70800 PT DO B / PMN / PP
PTC EUDINE 36561 PTC
PSL EUGENIA BRICIO 17206 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSC EULOGIO NETO 20111 PSC
PRB EVALDO COSTA 10190 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PDT EVANDRO LEITÃO 12000 PDT
PR EVANIA XAVIER 22843 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PP EVÂNIO 11190 PT DO B / PMN / PP
PDT FABÍOLA 12456 PDT
PTC FAN CUNHA 36222 PTC
PPS FATIMA UCHOA 23500 PTN / PPS / PSDC
PPS FELIPE MOTA 23999 PTN / PPS / PSDC
PEN FERNANDA KARLA 51222 PEN / PRTB / PPL
PSDC FERNANDA MATOS 27330 PTN / PPS / PSDC
PR FERNANDA PESSOA 22000 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PDT FERREIRA ARAGÃO 12999 PDT
PSC FLAVIANO 20321 PSC
PSOL FRANCIMAR CANDIDO 50444 PSTU / PCB / PSOL
PR FRANCINEIDE DA SANTA RITA 22234 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PMDB FRANCISCA DE JESUS 15225 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSOL FRANCISCA DUARTE 50001 PSTU / PCB / PSOL
PV FRANCISCO NUNES 43111 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSDC FRANZE BRITO 27333 PTN / PPS / PSDC
PC DO B FRANZÉ REPÓRTER 65131 PC DO B
PRB FRANÇUÁ MACIEL 10888 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PT DO B FÁBIO SILVA 70190 PT DO B / PMN / PP
PSL GABRIELA BEZERRA 17171 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSTU GABRYELLA 16161 PSTU / PCB / PSOL
PRB GELSON FERRAZ 10123 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PV GELVA CONTABILIDADE 43777 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
DEM GENARIO CAMPOS 25222 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PTN GENESIO 19333 PTN / PPS / PSDC
PSTU GEORGE BEZERRA 16222 PSTU / PCB / PSOL
PDT GEORGE MACÁRIO 12250 PDT
PMDB GEORGE MARCONI 15233 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PC DO B GEORGE VALENTIM 65333 PC DO B
PDT GERALDINHO AZEVEDO 12789 PDT
PSC GERARDO 20468 PSC
PSD GERMANA SALES 55678 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSDB GILMARA GIRÃO 45555 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PMDB GISELE BRAGA 15666 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSOL GLEIDIANO GOMES 50550 PSTU / PCB / PSOL
PPS GOMES FARIAS 23456 PTN / PPS / PSDC
PSD GONY ARRUDA 55455 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PEN GREG DONINNI 51777 PEN / PRTB / PPL
PC DO B GUIDA MAIA ROCHA 65234 PC DO B
PT GUILHERME 13234 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTC HAGALHER 36508 PTC
PDT HEITOR FERRER 12350 PDT
PC DO B HELENA FERNANDES 65456 PC DO B
PR HELENICE 22700 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PTC HELTON FERREIRA 36498 PTC
PPS HERBENE PEREIRA 23069 PTN / PPS / PSDC
PSC HERMANN RABELO 20333 PSC
PSOL HERON MOREIRA 50144 PSTU / PCB / PSOL
PTC HILZA FREITAS 36748 PTC
PT DO B HOLANDA DO POVÃO 70999 PT DO B / PMN / PP
PTN HOMEM CAJU 19777 PTN / PPS / PSDC
DEM IDEMAR CITÓ 25300 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PMDB IEDA MAIA 15555 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSL ILANICE 17254 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PMDB INÊS ARRUDA 15999 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSDB INÊS ROMERO 45006 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PTN IR AGAMENON HOMEM DA CADEIRA 19888 PTN / PPS / PSDC
PTC IRACEMA ALVES 36372 PTC
PDT IRAGUASSU TEIXEIRA 12345 PDT
PTN IRANILDO GUERRA 19000 PTN / PPS / PSDC
PEN IRMÃO MARCELO 51510 PEN / PRTB / PPL
PSC IRMÃO MOISES 20640 PSC
PRP IRMÃO REGINALDO LINS 44100 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PTB IVAN DO TITO 14123 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PDT IVAN MOURA 12111 PDT
DEM IVANIR FERREIRA 25677 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PP IVERSON SAMPAIO 11222 PT DO B / PMN / PP
PROS IVO GOMES 90111 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSOL IZAURA NETA 50022 PSTU / PCB / PSOL
PSL IZIDÓRIO NOBRE 17111 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSOL JACI MARQUES 50420 PSTU / PCB / PSOL
PMDB JACQUES ALBUQUERQUE 15155 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSOL JAMYLLE MARTINS 50069 PSTU / PCB / PSOL
PC DO B JARBAS BEZERRA 65040 PC DO B
PC DO B JARILSON 65000 PC DO B
PSDC JARINA MOURA 27987 PTN / PPS / PSDC
PROS JEOVA MOTA 90444 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSOL JERONIMO ARAGAO 50030 PSTU / PCB / PSOL
PT DO B JERÔNIMO JJ 70369 PT DO B / PMN / PP
PTC JM LOPES 36780 PTC
PSDC JOANA DARC 27899 PTN / PPS / PSDC
PTB JOAO PAULO MENEZES 14444 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PP JOAQUIM NORONHA 11333 PT DO B / PMN / PP
PSOL JOAQUIM PAIVA 50888 PSTU / PCB / PSOL
PC DO B JONAS FREITAS 65220 PC DO B
PT DO B JONH MONTEIRO 70789 PT DO B / PMN / PP
PPL JOSIVAL GIRÃO 54345 PEN / PRTB / PPL
PTC JOSÉ ALBERTO 36580 PTC
DEM JOSÉ DE DEUS 25250 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSC JOSÉ MARIA DE CARVALHO 20656 PSC
PSOL JOÃO ALFREDO 50050 PSTU / PCB / PSOL
PSB JOÃO BATISTA 40500 PSB
PC DO B JOÃO BOSCO 65777 PC DO B
DEM JOÃO JAIME 25000 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSDB JOÃO MOTA 45123 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSOL JOÃO PAULO 50644 PSTU / PCB / PSOL
PDT JULIO BRIZZI 12344 PDT
PTN JULIO CESAR 19789 PTN / PPS / PSDC
PSOL JULÇARA CRUZ 50002 PSTU / PCB / PSOL
PPL JUNINHO RAMOS 54169 PEN / PRTB / PPL
PSDB JUNIOR BRASIL 45144 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PRP JUNIOR COELHO 44140 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PDT JÚLIO CESAR O JUDOCA 12900 PDT
PTC KAMILA 36396 PTC
PTC KATIROBA 36025 PTC
PSC KLEYLSON QUEIROZ 20999 PSC
PROS LAIS NUNES 90555 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PMDB LARA PINHEIRO 15007 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PROS LARISSA GASPAR 90777 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSC LEA 20002 PSC
PTN LEILA JUNQUEIRA 19133 PTN / PPS / PSDC
PP LEILIA CARNEIRO 11168 PT DO B / PMN / PP
PSB LENIR – ROSA 40100 PSB
PSC LENIRA DANTAS 20920 PSC
PMDB LEONARDO ARAÚJO 15151 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSOL LEONARDO CARNEIRO 50010 PSTU / PCB / PSOL
PSC LEONIZA RIBEIRO 20811 PSC
PDT LEONTINA 12117 PDT
PSB LETICE 40123 PSB
PT DO B LIMA SABOIA 70777 PT DO B / PMN / PP
PV LINDÃO 43444 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTB LIVIA ARRUDA 14999 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PPL LIZIANE VIANA 54444 PEN / PRTB / PPL
PV LORA DO ESPETINHO 43112 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSDC LOURO DA ALDEIA 27111 PTN / PPS / PSDC
PDT LUCEILDE (LU) 12333 PDT
PC DO B LUCIA BENICIO 65650 PC DO B
PSL LUCIANO MELO 17123 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PP LUCIANO ROSA 11456 PT DO B / PMN / PP
PTC LUCIMAR 36000 PTC
PSDB LUIZ FILHO 45222 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PC DO B LUIZ GARCIA 65678 PC DO B
PSC LUIZ GONZAGA 20400 PSC
PEN LUIZ OCELO 51121 PEN / PRTB / PPL
PSDC LUIZ SERGIO 27777 PTN / PPS / PSDC
PSOL LUIZ WASHINGTON LOPES 50456 PSTU / PCB / PSOL
PC DO B LUIZA TOMÉ 65124 PC DO B
PSOL LUIZA VERAS 50162 PSTU / PCB / PSOL
PC DO B LULA MORAIS 65654 PC DO B
PPL LÉO ARAÚJO 54111 PEN / PRTB / PPL
PC DO B LÍVIA MENESES 65123 PC DO B
PC DO B LÚCIA COSTA 65455 PC DO B
PV MAGNO 43333 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTN MAGNO LEMOS 19456 PTN / PPS / PSDC
PTC MAIA GARÇOM 36012 PTC
PEN MAIZENA 51001 PEN / PRTB / PPL
PMDB MANINHO CUNHA 15511 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PPS MANOEL DE CASTRO 23333 PTN / PPS / PSDC
PTN MANOEL VERAS 19222 PTN / PPS / PSDC
PTC MARCELINO PENA 36890 PTC
DEM MARCELO FACÓ 25025 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PMN MARCELO REIS 33088 PT DO B / PMN / PP
PDT MARCELO VASCONCELLOS 12321 PDT
PSC MARCELO WAGNER 20120 PSC
PTC MARCILIO GOMES 36777 PTC
PMDB MARCO FEITOZA 15300 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSOL MARCONDES FEITOSA 50061 PSTU / PCB / PSOL
PC DO B MARCONI DE GOES SALES 65191 PC DO B
PSDB MARCOS BARBOSA 45369 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSDB MARCOS COELHO 45111 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSC MARCOS COSTA 20190 PSC
PSDB MARCOS ESTACIO 45000 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSDC MARCOS VENILSON 27223 PTN / PPS / PSDC
PPS MARCUS REBOUÇAS 23222 PTN / PPS / PSDC
PEN MARIA DE JESUS 51007 PEN / PRTB / PPL
PTN MARIA DO CARMO 19192 PTN / PPS / PSDC
PMN MARIA ESTRELA 33789 PT DO B / PMN / PP
PSC MARIA FONTENELE 20180 PSC
PMN MARIA NILDA 33000 PT DO B / PMN / PP
PSL MARIA PEREZ 17456 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PP MARIA SALETE 11380 PT DO B / PMN / PP
PDT MARISTELA MENESCAL 12788 PDT
PSC MARLUCE VIEIRA 20820 PSC
PSOL MARYANE 50419 PSTU / PCB / PSOL
PSOL MAURICIO LIMA 50700 PSTU / PCB / PSOL
PPL MAURILIO FILHO 54222 PEN / PRTB / PPL
PSC ME AJUDA AI 20155 PSC
PDT MEME 12072 PDT
PC DO B MESTRE LULA 65245 PC DO B
PEN MILTON ALVES 51000 PEN / PRTB / PPL
DEM MIRIAM 25111 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSDB MIRIAN MARINHEIRO PAIVA 45445 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PROS MIRIAN SOBREIRA 90333 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSC MISSIONARIA CRISTIANE ELEUTERI 20077 PSC
PT MOISES BRAZ 13333 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSDC MOTORISTA OLIVEIRA 27007 PTN / PPS / PSDC
PSOL MURILO BRAGA 50234 PSTU / PCB / PSOL
PSOL MÁCIO ALVES 50200 PSTU / PCB / PSOL
PC DO B MÁRCIA SINDICALISTA 65121 PC DO B
PMN MÁRIO HÉLIO 33133 PT DO B / PMN / PP
PDT MÔNICA 12123 PDT
PSL NAUMI AMORIM 17000 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTC NECI COSTA 36213 PTC
PSTU NESTOR BEZERRA 16123 PSTU / PCB / PSOL
PDT NIAGARA DINIZ 12888 PDT
PTN NILDO SOBRAL 19999 PTN / PPS / PSDC
PTC NILSON MOREIRA 36323 PTC
PSDC NIZO COSTA 27000 PTN / PPS / PSDC
PEN NUCIA MONTEIRO 51115 PEN / PRTB / PPL
PSDB NÓBREGA 45045 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PROS ODILON AGUIAR 90123 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
SD ODÉCIO 77793 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSC OGERLANIA FREITAS 20030 PSC
PP OMAN CARNEIRO 11010 PT DO B / PMN / PP
PTN ONEIDA PINHEIRO 19194 PTN / PPS / PSDC
PT DO B ORIEL MOTA FILHO 70000 PT DO B / PMN / PP
PC DO B ORLEANS AGUIAR CARNEIRO 65369 PC DO B
PCB OSCAR GOMES 21021 PSTU / PCB / PSOL
PSD OSMAR BAQUIT 55555 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTN OTAVIA 19231 PTN / PPS / PSDC
PTC PACIFICO 36789 PTC
PMN PAPAI NOEL 33025 PT DO B / PMN / PP
PRTB PASTOR ALEXANDRE JOCA 28123 PEN / PRTB / PPL
PSC PASTOR ANTONIO OLIVEIRA 20100 PSC
PSC PASTOR BENEDITO 20303 PSC
PT DO B PASTOR EDSON 70700 PT DO B / PMN / PP
PSC PASTOR FRANCISCO REIS 20145 PSC
PSC PASTOR GOMES TEIXEIRA 20800 PSC
PSC PASTOR IVAN LOPES 20456 PSC
PTC PASTOR JORGE SILVA 36111 PTC
PSC PASTOR NETO 20300 PSC
PRTB PASTOR SOUZA 28007 PEN / PRTB / PPL
PEN PATRICIA GALVÃO 51667 PEN / PRTB / PPL
PSC PATRICIA SANTOS 20678 PSC
PT DO B PAULO GALEGO 70100 PT DO B / PMN / PP
PSOL PAULO GIOVANI 50333 PSTU / PCB / PSOL
PDT PAULO GUERRA 12012 PDT
PTC PAULO SANTA CRUZ 36123 PTC
PSOL PAULO SÉRGIO 50020 PSTU / PCB / PSOL
PC DO B PAULO SÉRGIO CORDEIRO 65656 PC DO B
PTN PEDRO COELHO 19331 PTN / PPS / PSDC
PSDB PEDROSA NAGAURA 45777 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PRB PIMENTEL 10456 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSOL POETA HILDEGARDES 50300 PSTU / PCB / PSOL
PTC PR. PEDRO BESERRA 36676 PTC
PV PRETO RAP 43043 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSC PROF DENIO MARQUES 20662 PSC
PDT PROF ROGÉRIO FROTA 12021 PDT
PSC PROF TULIO HOLANDA 20789 PSC
PSDB PROF. ELIAS 45455 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PC DO B PROF. JOÃO 65236 PC DO B
PTC PROF. MARCELO BRAGA 36600 PTC
PDT PROF. REGIS MONTEIRO 12315 PDT
PR PROFESSOR ANTERO 22124 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PMDB PROFESSOR ARLINDO 15650 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PRTB PROFESSOR CARLOS CÉSAR 28000 PEN / PRTB / PPL
PEN PROFESSOR CAVALCANTE 51051 PEN / PRTB / PPL
PDT PROFESSOR FELIPE BRAGA 12444 PDT
PEN PROFESSOR GEORGE FEIJÃO 51177 PEN / PRTB / PPL
PSC PROFESSOR INALDO 20208 PSC
PSOL PROFESSOR LUIZ 50666 PSTU / PCB / PSOL
PSB PROFESSOR PETRONIO 40300 PSB
PT PROFESSOR PINHEIRO 13125 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PPL PROFESSOR RENATO LIMA 54190 PEN / PRTB / PPL
PC DO B PROFESSOR RONALDO 65432 PC DO B
PSC PROFESSOR ROSENDO 20555 PSC
PSC PROFESSOR SERGIO ANGELO 20500 PSC
PDT PROFESSOR SULA 12222 PDT
PSD PROFESSOR TEODORO 55055 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PEN PROFESSOR VASCONCELOS 51313 PEN / PRTB / PPL
DEM PROFESSORA CÁSSIA GOMES 25777 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PTN PROFESSORA KATIA 19111 PTN / PPS / PSDC
PC DO B PROFESSORA LIDUINA 65222 PC DO B
PC DO B PROFESSORA MIRIAM 65444 PC DO B
PTN PROFESSORA VERA 19199 PTN / PPS / PSDC
PT RACHEL MARQUES 13456 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSL RAIMUNDINHO CORDEIRO 17777 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PC DO B RAIMUNDINHO CUNHA 65111 PC DO B
PPS RAIMUNDO BEZERRA FILHO 23000 PTN / PPS / PSDC
PPL RAIMUNDO DA TOPIC 54123 PEN / PRTB / PPL
PSC RAQUEL MATOS 20720 PSC
PEN REGGIÊ CAMPOS 51300 PEN / PRTB / PPL
PP REGINALDO CASTRO 11101 PT DO B / PMN / PP
PSDC REGISLENE COSTA 27069 PTN / PPS / PSDC
PP RENALDO TORRES 11011 PT DO B / PMN / PP
PDT RENATO PERITO 12013 PDT
PSOL RENATO ROSENO 50500 PSTU / PCB / PSOL
PMDB RICARDO ALMEIDA 15111 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PTN RICARDO QUEIROZ 19064 PTN / PPS / PSDC
PDT RICARDO VALENTIM 12400 PDT
PEN RIVANIA SANTOS 51015 PEN / PRTB / PPL
PTC RIVELINO CAUCAIA 36342 PTC
PROS ROBERIO MONTEIRO 90456 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTC ROBERT 36888 PTC
PSD ROBERTO AQUINO 55550 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTC ROBERTO FEITOSA 36555 PTC
PTC ROBERTO GADELHA 36300 PTC
PSC ROBERTO GOMES 20014 PSC
PTB ROBERTO MACENA 14789 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PC DO B ROBERTO MENDES 65555 PC DO B
PV ROBERTO MESQUITA 43789 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSOL ROBERTO SOUSA 50400 PSTU / PCB / PSOL
PRB ROBSON MONTEIRO 10111 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTB ROCHINHA 14623 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTC ROGÉRIO MORAIS 36544 PTC
PTC RONALDO LIMA 36197 PTC
PEN ROQUE NOGUEIRA 51151 PEN / PRTB / PPL
PDT ROSA 12221 PDT
PTC ROSA ARAUJO 36832 PTC
PTC ROSILEIDE ALVES 36444 PTC
PSOL RUTH MOTA 50777 PSTU / PCB / PSOL
PP SALETE TEIXEIRA 11140 PT DO B / PMN / PP
PSC SANDRA FREITAS 20050 PSC
PT DO B SAPATEIRO LOPES 70622 PT DO B / PMN / PP
PPL SAULO SILVA 54321 PEN / PRTB / PPL
PR SAZINHO SÁ 22013 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PPS SCARCELA 23021 PTN / PPS / PSDC
PC DO B SCHUSTER BARROS 65113 PC DO B
PROS SERGIO AGUIAR 90888 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PR SERGIO ALVES 22111 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSDC SILVESTRE DA SILVA 27147 PTN / PPS / PSDC
PC DO B SILVIA CAVALLEIRE 65651 PC DO B
PR TADEU FONTES 22444 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PTC TAILSON PINHEIRO 36810 PTC
PSD TALES MACEDO 55321 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PMDB TALITA XIMENES 15554 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PTC TAMIRES 36709 PTC
PSC TATI SABINO 20211 PSC
PTC TEIXEIRA DA PUBLICIDADE 36007 PTC
PTN TENENTE GEORGE 19765 PTN / PPS / PSDC
DEM TEO MENEZES 25333 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PEN TEODORICO PINHEIRO 51234 PEN / PRTB / PPL
PSDC TERESINHA MARQUES 27456 PTN / PPS / PSDC
SD THIAGO CAMPELO 77000 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PV THIAGO COSTA 43113 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PPS TIA FRANCISCA 23223 PTN / PPS / PSDC
PMN TIA HILDA 33225 PT DO B / PMN / PP
PTN TIA MARCIA 19001 PTN / PPS / PSDC
PHS TIN GOMES 31234 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTN TINA 19807 PTN / PPS / PSDC
PR TIO BIBI 22100 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSC TITICA 20422 PSC
PSDC TOINHO PAIVA 27123 PTN / PPS / PSDC
PSDB TOMAS FIGUEIREDO 45145 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PPS TOMAZ HOLANDA 23123 PTN / PPS / PSDC
PEN VALDA 51116 PEN / PRTB / PPL
PTB VALDEK VASCONCELOS 14333 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PTN VALDIM GONÇALVES 19120 PTN / PPS / PSDC
PP VALDIVINO LOPES 11111 PT DO B / PMN / PP
PT VALERIA MENDONÇA 13300 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PHS VALERIA MOREIRA 31618 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PR VALMIR DOMINGOS 22345 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PR VASQUES LANDIM 22555 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
DEM VAVA 25234 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PSL VERANEIDE VASCONCELOS 17222 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSC VIGILANTE FABIO RIPARDO 20115 PSC
PPS VILANI 23432 PTN / PPS / PSDC
PTC VÂNIA LÚCIA 36070 PTC
PDT VÂNIA MARIA 12006 PDT
PSOL VÂNIA VASCONCELOS 50999 PSTU / PCB / PSOL
PTC WALBER DOS ANJOS 36014 PTC
PTN WALFRIDO MONTEIRO 19380 PTN / PPS / PSDC
PMDB WALTER CAVALCANTE 15640 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB
PHS WALTINHO DE BANABUIU 31456 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PT DO B WANDER ALENCAR 70123 PT DO B / PMN / PP
PSC WASHINGTON 20234 PSC
PTC WELA BASTOS 36002 PTC
PROS WELINGTON LANDIM 90114 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PSC WELLINGTON SABOIA 20000 PSC
PC DO B WILLIAMS SARMENTO 65013 PC DO B
PSC XAVIER JUNIOR 20090 PSC
PMN YURI GUERRA 33333 PT DO B / PMN / PP
PRB ZETTY RODRIGUES 10777 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PROS ZEZINHO ALBUQUERQUE 90999 PRB / PT / PTB / PSL / PHS / PV / PSD / SD / PROS
PP ZÉ AILTON BRASIL 11234 PT DO B / PMN / PP
PTN ZÉ MACEDO – ACORDA CEDO 19555 PTN / PPS / PSDC
PMN ZÉ MARIA 33123 PT DO B / PMN / PP
PTN ZÉ VYTAL 19123 PTN / PPS / PSDC
PMDB ÊNIO 15615 PMDB / PR / DEM / PRP / PSDB

 

NOMES E NÚMEROS DOS CANDIDATOS A DEPUTADO FEDERAL PELO CEARÁ – ELEIÇÕES 2014
PARTIDO NOME DO CANDIDATO NÚMERO COLIGAÇÃO
PT ACRISIO SENA 1314 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PHS ADAIL CARNEIRO 3131 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PSOL ADELITA MONTEIRO 5000 PSTU / PCB / PSOL
PSB ADRIANO DO VALE-VAQUEIRO IOIO 4001 PSB
PR AGENTE MARCIO BATISTA 2244 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PT ALBA CRISTINA 1351 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PEN ALDENOR XAVIER 5115 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PTC ALEX LINHARES 3617 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PEN ALEXANDRE MAFRA 5151 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSDB ALMINO MENEZES 4599 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSB ALMIR SOUSA 4050 PSB
PSD ALMIRCY PINTO 5555 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
DEM ANA PAULA 2567 DEM / PPS / PSDC / PTN
PDT ANDRÉ FIGUEIREDO 1234 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PPL ANDRÉ RAMOS 5454 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSB ANGELO ALMEIDA 4033 PSB
PMDB ANIBAL 1500 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PV ANTONIO CARLOS RIBEIRO 4320 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PROS ARIOSTO HOLANDA 9011 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PTB ARNON BEZERRA 1451 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PTC ASSIS SILVA 3650 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSC AURELIO MORAIS 2019 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PROS BALMAN 9000 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PTC BATISTA DO APITO 3660 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
DEM BENJAMIM 2590 DEM / PPS / PSDC / PTN
PSDC BIDONGA 2711 DEM / PPS / PSDC / PTN
PSDB BONAPARTE 4512 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PR CABO LOBO 2291 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PR CABO SABINO 2290 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSDC CAPITAO ABRAAO 2727 DEM / PPS / PSDC / PTN
PSDC CAPITÃO AMILTON 2700 DEM / PPS / PSDC / PTN
PMDB CARLONE 1510 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSB CARLOS SÁ 4044 PSB
PSOL CECILIA FEITOZA 5001 PSTU / PCB / PSOL
PT CELIA ROMERO 1310 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PEN CELINA MOTTA 5118 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PTN CELIO GOMES 1919 DEM / PPS / PSDC / PTN
PV CELIO STUDART 4321 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PP CHAGAS MACEDO 1111 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PR CHICLETE 2202 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PT CHICO DO POSTO 1300 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PC DO B CHICO LOPES 6565 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PTC CHICO PONTES 3636 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSOL CHIQUINHO DO TURURU 5090 PSTU / PCB / PSOL
PMN CICERA 3311 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PTC CLAUDIO ROCHA 3678 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PTB CONCEICAO FRANKLIN 1414 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PTN CRISTINA GOMES 1991 DEM / PPS / PSDC / PTN
PTN CRISTINA POETA 1961 DEM / PPS / PSDC / PTN
PMDB DADINHA ROBERTO 1515 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PMDB DANILO FORTE 1513 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSDB DARLAN ABRANTES 4574 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PT DEODATO RAMALHO 1321 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PSB DOMINGOS GONÇALVES 4004 PSB
PROS DOMINGOS NETO 9090 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PTN DR AMERICO 1989 DEM / PPS / PSDC / PTN
PV DR. GUIMARÃES 4333 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PMDB DR. JAZIEL 1577 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSB DR. PAULO 4011 PSB
PSDB DR. PAULO SERGIO 4501 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PRP DUTE 4455 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSB EDGARD NOVAIS 4012 PSB
PROS EDSON SILVA 9013 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PSTU EDSON XAVIER 1622 PSTU / PCB / PSOL
PSB ELIANE QUEIROZ 4007 PSB
PSDB ELIETE SAMPAIO 4565 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PTN ELISANGELA PICANÇO 1944 DEM / PPS / PSDC / PTN
PSB ELIZABETE ABREU 4078 PSB
PSB ERIK PINHEIRO 4003 PSB
PSB ERNESTO HUMORISTA VEIA CÔMICA 4017 PSB
PSOL ERNESTO SALES – SAL 5013 PSTU / PCB / PSOL
PT EUDES XAVIER 1312 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PP EUGENIO RABELO 1113 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PSTU EVERARDO 1620 PSTU / PCB / PSOL
PSB FATIMA PAIVA 4070 PSB
PSTU FAUSTO 1611 PSTU / PCB / PSOL
DEM FERNANDES FILHO 2580 DEM / PPS / PSDC / PTN
PSTU FERNANDO SARAIVA 1610 PSTU / PCB / PSOL
PRTB FERREIRINHA DE AQUIRAZ 2828 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSB FLAVIO FRANÇA 4020 PSB
PTC FRANCIJANE COSTA 3643 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSOL FRANCILENE CÂNDIDO 5012 PSTU / PCB / PSOL
PP FRANCISCA FROTA 1188 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PRTB FÁBIO DA TOPIC 2888 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
SD GENECIAS NORONHA 7777 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PEN GERALDO DA AGUA 5111 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSB GISA PAZ 4005 PSB
PRTB GLEIDE MARQUES 2815 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSOL GOMES MORORÓ 5050 PSTU / PCB / PSOL
PSTU GONZAGA 1616 PSTU / PCB / PSOL
PR GORETE PEREIRA 2233 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSB GRACIA LAFAYETE 4060 PSB
PTC HAROLDO POVO 3622 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSTU HENRIQUE 1630 PSTU / PCB / PSOL
PSB HERLITO 4010 PSB
PTN IBERNON MONTEIRO 1914 DEM / PPS / PSDC / PTN
PC DO B INÁCIO ARRUDA 6510 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PR IRMÃ FATIMA RIBEIRO 2225 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSB JADSON SARTO 4040 PSB
PSC JESSICA FREITAS 2020 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PT DO B JESUS MIGUEL 7070 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PR JORGE RIBEIRO 2277 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PTN JORNALISTA GILVAN LUIZ 1969 DEM / PPS / PSDC / PTN
PT JOSÉ AIRTON 1333 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PT JOSÉ GUIMARÃES 1322 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
DEM JOÃO ARTHUR PESSOA 2500 DEM / PPS / PSDC / PTN
PDT JUNIOR REGO 1222 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PRTB LAILTINHO BREGA 2800 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSB LEDA MARIA 4014 PSB
PT DO B LEONELZINHO ALENCAR 7011 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PROS LEONIDAS CRISTINO 9099 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PSOL LUCIANO MUNIZ 5010 PSTU / PCB / PSOL
PTN LUIS LEÃO 1965 DEM / PPS / PSDC / PTN
PSOL LUISA GONÇALVES 5005 PSTU / PCB / PSOL
PT LUIZIANNE LINS 1313 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PSB LURDINHA 4015 PSB
PHS MACACO TIAO MAGALHAES 3171 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PSL MACEDO 1777 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PSTU MAGELA 1600 PSTU / PCB / PSOL
PSC MAGNO LIMA 2000 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PTN MAJOR DULCILDO 1901 DEM / PPS / PSDC / PTN
PPS MAJOR EVANDRO 2345 DEM / PPS / PSDC / PTN
PEN MAJOR ROCHA 5190 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSB MARAISA 4084 PSB
PV MARCELO SILVA 4343 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSC MARCELO THELA 2014 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
SD MARCÃO 7778 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PRP MARLIM DO ARATURÍ 4478 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PMDB MAURO BENEVIDES 1555 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PMDB MAURO MACEDO 1522 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSDB MAYRA PINHEIRO 4510 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PTN MEIRE MORAIS 1902 DEM / PPS / PSDC / PTN
DEM MORONI 2525 DEM / PPS / PSDC / PTN
PPS MOSES RODRIGUES 2323 DEM / PPS / PSDC / PTN
PMDB MÁRIO FEITOZA 1530 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSOL NAGEL CUNHA 5044 PSTU / PCB / PSOL
PT DO B NAYARA QUEIROZ 7000 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PPS NEIDE PIANCO 2300 DEM / PPS / PSDC / PTN
PROS NENEM DO CAZUZA 9044 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PTN NETE 1998 DEM / PPS / PSDC / PTN
PEN NIL GUERRA 5113 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PMN NILDA DA RECICLAGEM 3345 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PRB NINA CARVALHO 1090 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PSTU NIVÂNIA 1699 PSTU / PCB / PSOL
PSL NORMANDO 1717 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PT ODORICO 1331 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PSTU PAMELA 1601 PSTU / PCB / PSOL
PSB PAULO AYRTON 4013 PSB
PSB PAULO BERNARDO 4090 PSB
PT DO B PAULO FACÓ 7010 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PP PAULO HENRIQUE LUSTOSA 1133 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PRB PAULO TEIXEIRA 1011 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PSOL PAULO VIANA 5004 PSTU / PCB / PSOL
PTC PEDRO MOREIRA 3633 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSOL PEDRO WILSON 5078 PSTU / PCB / PSOL
PV PERERECA DO ALUMIM 4322 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PR PROF. ENILSON 2226 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSOL PROFESSOR EDILSON 5033 PSTU / PCB / PSOL
PROS PROFESSORA LAUDECY FERREIRA 9033 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PV PROFESSORA LEIDE 4300 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSB QUERIDINHA 4043 PSB
PSD RADIALISTA VALMIR SANTOS 5556 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PTC RAFAELLA SILVA 3610 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSDB RAIMUNDO MATOS 4511 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PPS RAYLLANE OLIVEIRA 2399 DEM / PPS / PSDC / PTN
PMN REGINALDO MOREIRA 3333 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PTN RIBAMAR DO HOSPITAL 1978 DEM / PPS / PSDC / PTN
PROS RITA GOMES 9022 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PCB ROBERTO SANTOS 2123 PSTU / PCB / PSOL
PTC RODRIGUES DO POVÃO 3640 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PRB RONALDO MARTINS 1010 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
DEM SAMARA 2587 DEM / PPS / PSDC / PTN
PEN SAMUEL BRAGA 5123 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PP SANDRA NOGUEIRA 1140 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PSC SANDRO SILVA 2080 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSTU SANTANA 1617 PSTU / PCB / PSOL
PV SILVANIA TEIXEIRA 4377 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PEN SOLISMAR LOPES 5100 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSOL SORAYA TUPINAMBA 5030 PSTU / PCB / PSOL
PMDB SUELY NOGUEIRA 1529 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PRP SÉRGIO FERNANDES 4412 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSC TERESINHA 2057 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PV TIA DIDI 4399 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PC DO B TIBINHA 6513 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PSDC VAIDON OLIVEIRA 2722 DEM / PPS / PSDC / PTN
PMN VALDECI BARROS 3390 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PSOL VALDIR MEDEIROS 5022 PSTU / PCB / PSOL
PMDB VALSELENA 1509 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PROS VICENTE ARRUDA 9055 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PMDB VITOR VALIM 1590 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSDB VIVIANNE CERQUEIRA 4567 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
PSB WELLINGTON BRITTO IVO 4077 PSB
PSL YASMIN SANTOS 1722 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL / PHS / PSD / PC DO B / SD / PROS
PV ZÉ DE BIA 4334 PTC / PEN / PT DO B / PRTB / PMN / PPL / PV
PMDB ZÉ GERARDO 1599 PMDB / PSC / PR / PRP / PSDB
NOMES E NÚMEROS DOS CANDIDATOS AO SENADO PELO CEARÁ – ELEIÇÕES 2014
PARTIDO NOME DO CANDIDATO NÚMERO COLIGAÇÃO
PSB GEOVANA CARTAXO 400 PSB
PROS MAURO FILHO 900 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL/ PRTB /PHS / PMN / PTC / PV /PEN / PPL / PSD/ PC DO B / PT DO B / SD / PROS
PSTU RAQUEL DIAS 161 PSTU / PCB / PSOL
PSDB TASSO JEREISSATI 456 PMDB / PSC / DEM / PSDC /PRP / PSDB/ PR / PTN / PPS

 

 

NOMES E NÚMEROS DOS CANDIDATOS AO GOVERNO DO CEARÁ – ELEIÇÕES 2014
PARTIDO NOME DO CANDIDATO NÚMERO COLIGAÇÃO
PSOL AILTON LOPES 50 PSTU / PCB / PSOL
PT CAMILO 13 PRB / PP / PDT / PT / PTB / PSL/ PRTB /PHS / PMN / PTC / PV /PEN / PPL / PSD/ PC DO B / PT DO B / SD / PROS
PSB ELIANE NOVAIS 40 PSB
PMDB EUNÍCIO 15 PMDB / PSC / DEM / PSDC /PRP / PSDB/ PR / PTN / PPS

Greve fecha 350 agências bancárias em São Paulo

SÃO PAULO. Pelo menos 350 agências bancárias permaneceram fechadas na manhã desta quarta-feira, primeiro dia de greve dos trabalhadores. Também não houve expediente em oito centros administrativos. O Sindicado dos Bancários de São Paulo estima que 16 mil pessoas aderiram à greve no estado. A paralisação por tempo indeterminado foi aprovada em assembleia na noite de ontem. Os bancários rejeitaram a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de reposição de 4,29% da inflação pelo INPC. Os trabalhadores reivindicam aumento de 11%, Participação nos Lucros e Resultados (PLR), vale-refeição, vale-alimentação, auxílio-creche e pisos maiores, além de auxílio-educação para todos e melhores condições de saúde.

– Os banqueiros levaram os trabalhadores à greve já que após cinco rodadas de negociações não apresentaram proposta com aumento real de salários – disse Juvandia Moreira, presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.

– O fim da greve está nas mãos dos banqueiros, que têm condições para apresentar uma proposta à altura das reivindicações dos trabalhadores e dos resultados dos bancos – acrescentou.

Uma nova assembleia foi marcada para a próxima sexta-feira, 1º de outubro, a partir das 16h. A categoria tem data-base em 1º de setembro. Os bancários são uma das poucas categorias no país que possui Contrato Coletivo de Trabalho (CCT) com validade nacional. Segundo o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), Carlos Cordeiro, a greve atinge todos os estados brasileiros.

– Isso demonstra a indignação dos bancários com a postura dos bancos. Nós advertimos na mesa de negociações que eles estavam empurrando a categoria para a greve ao propor apenas 4,29% e rejeitar todas as demais reivindicações, mesmo apresentando lucro de 32% no primeiro semestre – disse Cordeiro.

(O Globo Online)

Ciro troca insultos com Roberto Pessoa e debate quase termina em agressão no CE

O debate entre os candidatos ao governo do Ceará na TV Verdes Mares, afiliada da Rede Globo no estado, quase terminou em agressão física na madrugada desta quarta-feira (29).

Após o término do programa, o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), coordenador da campanha à reeleição de seu irmão, Cid Gomes (PSB), trocou xingamentos com Roberto Pessoa (PR), coordenador da campanha de Lúcio Alcântara (PR) ao governo e prefeito do município de Maracanaú.

O atrito se deu quando Cid foi questionado pela imprensa, logo após sair do estúdio, sobre o vídeo em que aparece com a família em viagem à Nova York. Na filmagem, divulgada semana passada, Cid aparece ao lado do irmão Ciro Gomes numa limusine e num jatinho em passeio pela cidade americana. O vídeo vem sendo amplamente explorado na televisão pela oposição, que aponta suposto uso de verba pública para custear o passeio.

“Sempre que viajei de férias, quem pagou minhas despesas fui eu. Sempre que viajei a trabalho, quem pagou foi, naturalmente, o Estado. Se o senhor tem alguma acusação, faça na justiça”, afirmou o governador para Alcântara durante o debate. No confronto anterior, em debate promovido pela Folha e pela Rede TV!, a mesma pergunta foi motivo de pesadas acusações entre os adversários.

Enquanto Cid negava mais uma vez a acusação, assessores das duas candidaturas começaram a trocar xingamentos. Ciro chamou Roberto de “vagabundo” e “bandido” e foi acusado de “ladrão” e “mentiroso” pelo coordenador da campanha adversária. Houve empurra-empurra e assessores de ambas as candidaturas agiram para evitar um confronto físico.

Aos berros, assessores da campanha adversária perguntaram para Cid sobre o “aviãozinho” do passeio, em alusão à paródia de forró usada como trilha sonora de parte da filmagem. “Aviãozinho é a casa do caralho”, xingou Ciro Gomes.

“Ouvi falar de uma baixaria enorme aqui fora”, afirmou o candidato ao governo Marcos Cals (PSDB), que estava no estúdio no momento da confusão. Lúcio Alcântara, que também não presenciou o embate, saiu em defesa do coordenador de sua campanha.

“Eu não conheço o teor da confusão, mas o coordenador da minha campanha é um homem sério, é uma pessoa correta, é um homem que tem uma vida pública no estado e não aceita desaforo”, disse o ex-governador.

(Folha Online)

SP, RJ, SC e BA não terão a “Lei Seca” no dia da votação

O Estado de São Paulo não terá a chamada “lei seca” eleitoral –proibição de venda e consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos– no próximo dia 3.

A Secretaria de Segurança prometeu, porém, reforçar o policiamento no dia do pleito. Em 2008, a medida também não vigorou.

Outros quatro Estados (RJ, RS, SC e BA), também abandonaram a “lei seca”.

Já em nove unidades da federação ela vale: DF, MG, ES, CE, PE, RN, MS, AC e RR.

No TO, em MT e em RO, a definição está a cargo de juízes eleitorais em cada município.

Os outros Estados não informaram ou ainda não decidiram se terão a “lei seca”.

Os horários de vigência da proibição variam em cada local. As portarias, em geral, não impedem que o eleitor beba em casa.

(Folha Online)

Presidente do TSE é contra obrigatoriedade de 2 documentos no dia de votação

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Ricardo Lewandowski, disse nesta quarta-feira que o Supremo Tribunal Federal deverá relativizar a necessidade de apresentar dois documentos na hora da votação.

Para o Lewandowski, o pedido do PT, de declarar inconstitucional a legislação que obriga a apresentação de documentos “é cabível, sem dúvida nenhuma” e o Supremo poderá “temperar o rigor da lei”.

“O que vai se discutir é, em primeiro lugar, o direito fundamental garantido na Constituição de se votar. A discussão será saber se é possível impedir o eleitor de votar pela falta de um desses dois documentos”, afirmou.

“Cito dois estados em que a situação é preocupante, por exemplo, Alagoas e Pernambuco, onde várias cidades foram destruídas pelas inundações e nós temos cerca de 300 mil eleitores que estavam até recentemente sem documentos”, afirmou.

“Talvez [o STF] dê o entendimento temperando um pouquinho o rigor desta lei, eu não posso adiantar nada. Os dois documentos são exigidos pela lei, e nós como juízes temos que cumprir a lei. É claro que existirão situações excepcionais que serão decididas pelo mesário com o auxílio dos juízes eleitorais”, concluiu.

RORIZ

Ricardo Lewandowski também afirmou que o recurso do ex-candidato ao governo do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC) contra a Lei da Ficha Limpa deverá ser arquivada.

“Como houve desistência do recurso, muito provavelmente o recurso tenha perdido o objeto. Mas vamos discutir todas as consequências no plenário”, avaliou.

Ele foi a uma escola pública em Brasília na manhã desta quarta-feira, onde distribuiu uma cartilha informativa aos estudantes. Também respondeu a perguntas de alunos da 5ª série do ensino fundamental.

Uma das crianças, o aluno João Pedro Silva, perguntou ao presidente do TSE se não existiria prazo para troca de candidatura na véspera da eleição, referindo-se ao fato de Roriz ter colocado a mulher, Weslian, em seu lugar. Lewandowski então respondeu que a prática “causa estranheza, mas é previsto em lei”.

“É claro que a gente tem que evitar os popularmente chamados de laranjas. Mas temos que ver se essa troca é legítima ou se foi feito para burlar a lei”, respondeu.

(Folha Online)

Greve dos bancários fecha 235 agências em Curitiba e região

Mais de 14 mil bancários de Curitiba e Região Metropolitana aderiram à greve da categoria, que teve início na manhã desta quarta-feira (29). A greve foi deflagrada porque a categoria não aceitou a proposta oferecida pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Durante a paralisação, os funcionários vão permanecer em frente às agências, mas será permitida a entrada de clientes para os serviços de autoatendimento.

Segundo o Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região, são 235 agências bancárias fechadas, sendo 109 de bancos públicos e 126 de privados e 12 centros administrativos. Ao todo, 80% dos funcionários aderiram à paralisação. Uma nova assembléia, às 19 horas da próxima sexta-feira (1º), vai definir os rumos da greve.

As principais reivindicações da categoria incluem reajuste salarial de 11% e piso salarial de R$ 2.157,88, além de participação nos lucros e resultados (PLR), vale-refeição, vale-alimentação e auxílio creche. A última proposta da Fenabam foi de aumento salarial de 4,29% – correspondente à reposição da inflação.

(Paraná Online)

Veja como pagar as contas durante a greve dos bancários

De São Paulo

Os clientes que tiverem dificuldades em pagar contas nas agências devido à greve dos bancários iniciada nesta quarta-feira podem recorrer aos canais de atendimento remoto, como os caixas eletrônicos e os correspondentes não bancários como casas lotéricas, farmácias, agências dos Correios, redes de supermercados e outros estabelecimentos comerciais credenciados.

Para quem tem acesso, os bancos ainda oferecem o serviço na internet.

Para localizar uma agência ou posto de atendimento bancário em qualquer ponto do país, a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) disponibiliza em seu site na internet uma ferramenta de busca e localização de endereços.

Nem a Contraf (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), ligada à CUT, nem a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) divulgaram um balanço sobre a extensão da paralisação.

Em nota divulgada nesta manhã, a Fenaban informou que “a entidade e os bancos manifestam sua firme intenção de adotar todas as medidas legais cabíveis e necessárias para garantir o acesso e o atendimento da população nas agências e postos bancários”. A federação destaca ainda que, no início do mês, os bancos têm um maior fluxo de público devido ao pagamento dos aposentados e pensionistas do INSS.

(Folha Online)

Greve dos bancários atinge os 26 Estados e o Distrito Federal

SÃO PAULO – A greve nacional dos bancários iniciada nesta quarta-feira, 29, é realizada nos 26 Estados e no Distrito Federal, segundo informou a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT).

Durante assembleias realizadas ontem à noite em todo o país, a categoria rejeitou a proposta de 4,29% de reajuste – que repõe a inflação acumulada em 12 meses até agosto – oferecida pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e decidiu que a greve será por tempo indeterminado.

Os bancários reivindicam reajuste de 11%, valorização dos pisos salariais, maior Participação nos Lucros e Resultados (PLR), medidas de prevenção da saúde com foco no combate ao assédio moral e às metas abusivas, proteção ao emprego, mais contratações, igualdade de oportunidades, segurança contra assaltos e sequestros e fim da precarização via correspondentes bancários, entre outros pontos.

Este é o sétimo ano consecutivo que os bancários fazem greve por aumento de salários. Em 2009, eles ficaram de braços cruzados durante 15 dias. São 460 mil bancários no Brasil, dos quais 130 mil na base de São Paulo, Osasco e Região.

(Agência Estado)

Lei proíbe uso de celulares em bancos de Salvador

A lei que proíbe o uso de telefones celulares, rádios amadores e congêneres no interior das agências bancárias de Salvador (BA) começa a valer nesta quarta-feira (29/9). A nova legislação tem como objetivo evitar que os telefones sejam usados para passar informações sobre clientes no crime conhecido como “saidinha de banco”. As informações são do portal UOL.

O decreto de regulamentação da lei afirma que as agências de Salvador devem afixar placas ou cartazes em locais de ampla visibilidade informando sobre a proibição. Quem descumprir a lei pode ser multado em cem salários mínimos (R$ 51 mil, em valores atuais). Em caso de reincidência, a multa será dobrada e, em uma terceira infração pela mesma agência, a prefeitura cassará o alvará de funcionamento do banco.

Os bancos terão 30 dias para instalar um dispositivo que corta a comunicação por celular dentro das agências, incluindo as áreas de autoatendimento. A fiscalização será realizada pela Secretaria Municipal de Serviços Públicos e Combate à Violência. Segundo informação do Sindicato dos Bancários da Bahia veiculada pelo UOL, existem 251 agências em funcionamento na capital baiana, de um total de 760 em todo o Estado.

A nova legislação foi sancionada há quatro meses, motivada pela morte do operário da construção civil Danilo Carvalho. Em abril, ele passava por uma das mais movimentadas avenidas da cidade quando dois assaltantes abordaram uma dupla que tinha sacado R$ 14 mil em uma agência do Itaú. Houve troca de tiros, pois uma das vítimas era policial militar, e Carvalho foi atingido.

Outros municípios
O UOL publicou levantamento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que aponta que São Paulo é o estado com o maior número de cidades com legislações do tipo: Franca, Jandira, Louveira, Nova Odessa, Ourinhos, São José do Rio Preto, São Vicente, Taubaté e São Roque. A regra também existe nas cidades de Divinópolis (MG), Curitiba (PR), Piçarras (SC), Manaus (AM) e Canguçu (RS).

No Rio, a Assembleia Legislativa adiou a votação do projeto que prevê a proibição dos aparelhos celulares em bancos de todo o estado. O texto tramita em regime de urgência e precisa apenas de uma votação para ser aprovado e encaminhado para sanção do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB).

A Febraban recomenda aos bancos que “toda legislação seja cumprida, uma vez sancionada e publicada”, porém, ressalta que os bancos “não têm poder de polícia para proibir o uso dos celulares nas agências” e que, “por restringir direitos individuais, poderá causar transtornos e desconforto às pessoas que estiverem nos ambientes em questão”. A entidade estuda a possibilidade de contestação judicial das leis que estão sendo aprovadas proibindo o uso de celulares nos bancos.

(Conjur)

Dez informações que o eleitor deve saber para o dia da votação

RIO – Depois de mais de dois meses de campanha, horas intermináveis de propaganda na TV e milhões de santinhos distribuídos nos quatro cantos do país, finalmente se aproxima o ponto alto do processo eleitoral: o dia da votação. Pensando nisso, o Portal GLOBO preparou dez tópicos que os eleitores devem saber para o dia do primeiro turno. Confira!

1 – Horário: O primeiro turno acontece no dia 3 de outubro, das 8h às 17h (horário local). Por conta das diferenças de fuso horário, os resultados da votação para Presidência começam a ser divulgados somente quando o último estado encerrar o pleito. O eleitor vota na seguinte ordem: deputado estadual (cinco dígitos), deputado federal (quatro dígitos), senador 1 (três dígitos), senador 2 (três dígitos), governador (dois dígitos) e presidente (dois dígitos). Neste ano, o eleitor pode votar em dois candidatos ao Senado, mas não pode escolher duas vezes a mesma pessoa porque o segundo voto será anulado. No caso dos candidatos ao Senado, também não é possível votar na legenda.

( Monte e imprima sua cola para levar no dia da votação )

2 – Local de votação: O Portal GLOBO disponibilizou no site um link onde é possível fazer a consulta dos locais de votação . Confirme se o lugar onde você vota permanece o mesmo. Assim, não terá surpresas no dia da votação.

3 – Exigência de dois documentos para votar: Ao contrário das outras vezes, o eleitor é obrigado na eleição deste ano a levar o título e também um documento oficial com foto para votar. Portanto, são válidos a identidade, a carteira de trabalho, a carteira de motorista, passaporte, carteiras profissionais e o certificado de reservista.

4 – Justificativa do voto: O eleitor que estiver fora de seu domicílio eleitoral no dia da votação deve justificar a ausência. O TSE disponibilizou em seu site o Requerimento de Justificativa Eleitoral , que pode ser impresso ou preenchido pela internet. Após preencher o formulário, o eleitor deverá assiná-lo na presença de um mesário, em qualquer local destinado ao recebimento de justificativa eleitoral no dia da votação.

Além do requerimento devidamente preenchido, o eleitor terá de apresentar o título e um documento com foto, conforme foi explicado no tópico anterior. Caso o eleitor não faça a justificativa no dia da votação, terá de fazê-lo até 60 dias após o pleito para entregar o requerimento em qualquer cartório ou posto de atendimento eleitoral.

5 – Proibição de celular na cabine de votação: A Justiça Eleitoral proíbe que os votantes entrem na cabine onde está a urna eletrônica com celular, máquinas fotográficas, câmeras de vídeo ou qualquer objeto que possa ser usado pelo eleitor para comprovar que votou em determinado candidato, comprometendo, assim, o sigilo do voto. Os eleitores que portam alguns destes aparelhos devem entregá-los à mesa enquanto se encaminha à cabine de votação.

6 – Preferências no dia da votação: Idosos, gestantes, mulheres com crianças de colo ou amamentando, portadores de necessidades especiais, candidatos e pessoas que trabalham na Justiça Eleitoral têm preferência no momento de votar.

7 – O que vestir – O eleitor pode vestir até bermuda, short e sandália. Mas, caso esteja usando biquíni, sunga ou maiô, será impedido de votar. Este ano, estão proibidas as camisetas padronizadas de candidatos. É possível demonstrar a preferência por candidato, desde que seja feito de maneira silenciosa. Assim, o eleitor pode usar adesivo, bandeiras e broches. Até o término do horário de votação, pessoas com vestuário padronizado ou com os objetos descritos acima não podem se aglomerar, de modo a caracterizar uma manifestação coletiva, com ou sem utilização de veículos. ( Veja mais informações no Manual do Eleitor )

8 – O que é permitido e proibido no dia – Fica proibida a distribuição de santinhos após as 22h do dia que antecede a eleição e no dia do pleito. Comícios e reuniões públicas de candidatos são proibidos faltando 48 horas para as eleições e até 24 horas depois do pleito. ( Confira o que pode e o que não pode na campanha e no dia da eleição )

9 – Lei Seca – Cada Tribunal Regional Eleitoral decide junto à Secretaria estadual de Segurança se haverá ou não Lei Seca. No caso do Rio, está liberado o consumo de bebidas alcoólicas no dia das eleições. No entanto, pessoas embriagadas podem ser retiradas da seção eleitoral.

10 – Voto em trânsito – Novidade nas eleições deste ano, o voto em trânsito permite que o eleitor vote em seu candidato à Presidência, desde que o eleitor esteja em uma das capitais dos estados. É usado por aqueles que estiverem ausentes do próprio domicílio eleitoral no dia da eleição e se encontram em deslocamento ou de passagem em uma capital de estado. O período de cadastramento para o voto em trânsito se encerrou no dia 15 de agosto. Quem optou pelo voto em trânsito pode saber no site do TSE o local de votação .

(O Globo Online)

(O Globo Online)

Coimbra, do Vox Populi: Nem onda verde, nem queda de Dilma

por Luiz Carlos Azenha

Marcos Coimbra, em entrevista por escrito ao Poder Online:

“Para ter segundo turno, Dilma teria de perder 8 milhões de votos em seis dias”

Uma pequena entrevista por email, do presidente do Instituto Vox Populi, Marcos Coimbra, ao Poder Online, do IG:

Marina Silva está crescendo sobre votos de Dilma Rousseff?

– Não dá para dizer. Dilma cresceu tanto após o início do horário gratuito da propaganda eleitoral que roubou votos dos outros dois. Agora, esses votos estão, ao que parece, voltando para eles.

Quantos votos, de fato, Dilma precisa perder para que haja segundo turno?

– Nos dados de nosso tracking (corroborados por vários outros que temos de pesquisas desenvolvidas em paralelo), a vantagem dela para a soma dos outros estava em 12 pontos percentuais ontem. Se 6 pontos passassem dela para os outros, a eleição empataria e o prognóstico de vitória no primeiro turno seria impossível.  Como cada ponto equivale a mais ou menos 1,35 milhão de eleitores, isso seria igual a 8 milhoes de eleitores (sem raciocinar com abstenções).

Marina Silva pode ultrapassar José Serra?

– É muito pouco provável, no conjunto do país. Possível em alguns lugares, como a região Norte e o DF. Talvez se consolide no Rio, onde ela já está na frente.

Qual o quadro que o senhor acha mais provável?

Vitória de Dilma no primeiro turno.

*****

Em outras conversas, ao longo do dia, Coimbra disse o mesmo a mais de um interlocutor: não há sinais de onda verde, nem de queda de Dilma Rousseff.

O próprio tracking do Vox Populi de hoje registra Dilma com 49%, Serra com 25% (subiu 1) e Marina com 12% (caiu 1).

Ou seja, faltando quatro dias para as eleições continua valendo a entrevista que Coimbra deu ao Viomundo, que está aqui. Serra e Dilma estão abaixo das previsões que Coimbra fez em texto para a CartaCapital (56% a 33%).

Bancários do Ceará deflagram greve por tempo indeterminado a partir desta quarta, 29

Mais de 500 bancários reunidos em assembleia nesta terça-feira, dia 28/9, na sede do Sindicato dos Bancários do Ceará, rejeitaram a proposta da Fenaban e aprovaram a deflagração de greve desta quarta-feira, dia 29/9. A decisão é uma resposta à intransigência dos banqueiros, que negaram todas as reivindicações dos bancários e apresentaram como proposta de reajuste apenas a reposição da inflação de 4,29%, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Os bancários participaram de forma expressiva da assembleia desta terça-feira , 28/9 para deflagrar a greve por tempo indeterminado, ratificando assim, a decisão de cruzar os braços dos trabalhadores do resto do País, que lutam pelas suas reivindicações.

“É inadmissível que os bancos, que tanto lucram às custas dos bancários, dos clientes e dos usuários, insistam em dizer que não têm condições de atender as reivindicações dos trabalhadores”, disse Tomaz de Aquino, diretor do Sindicato.

“Depois de 30 dias de negociações, dizer não a todas as reivindicações sobre saúde, melhores condições de trabalho, garantia de emprego e aumento real é um insulto aos bancários, que tanto contribuem para os resultados estratosféricos das instituições financeiras”, completou.

Não há nenhuma razão para os banqueiros rejeitarem as demandas da categoria. Somente os cinco maiores bancos tiveram R$ 21,3 bilhões de lucro líquido no primeiro semestre. É um crescimento de 32% na média em relação ao ano passado e uma rentabilidade sobre o patrimônio de 25%, graças entre outras coisas ao aumento da produtividade dos trabalhadores.

O que os bancários reivindicam

11% de reajuste salarial.

Piso salarial de R$ 1.510 para portaria, R$ 2.157 para escriturário (salário mínimo do Dieese), R$ 2.913 para caixas, R$ 3.641 para primeiro comissionado e R$ 4.855 para primeiro gerente.

PLR de três salários mais R$ 4 mil fixos.

Aumento para um salário mínimo (R$ 510) dos valores do auxílio-refeição, cesta-alimentação, 13ª cesta-alimentação e auxílio-creche/babá.

Previdência complementar em todos os bancos.

Proteção à saúde do trabalhador, que inclua o combate às metas abusivas, ao assédio moral e à falta de segurança.

Medidas para proteger o emprego, como garantias contra demissões imotivadas, reversão das terceirizações e fim da precarização dos correspondentes bancários.

Mais contratações para amenizar a sobrecarga de trabalho, acabar com as filas e melhorar o atendimento ao público.
Planos de Carreiras, Cargos e Salários (PCCS) em todos os bancos.

(SEEB/CE)

Eleições do Brasil serão acompanhadas por mais de 150 observadores internacionais

“As eleições de domingo (3) serão acompanhadas por mais de 150 observadores internacionais, entre representantes governamentais e não governamentais. O número supera em mais de sete vezes a média registrada desde 2002, de 20 observadores por eleição. Neste ano, o número de países representados pelos observadores também é mais expressivo que a soma de todas as nações registradas desde 2002 – 36 em 2010 contra 35 na soma de 2002, 2004, 2006 e 2008. As maiores delegações são da Argentina e do México.

Para Ricardo Caldas, cientista político da Universidade de Brasília (UnB), um dos motivos do interesse é o resultado positivo da gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Lula deixa o governo com uma gestão excelente, de ótimos índices econômicos e indicadores sociais brilhantes”.

O especialista também acredita que o interesse internacional se deve ao fato de o presidente Lula ser um “socialista bem-sucedido”. Segundo Caldas, o contexto internacional indica um fracasso recente dos socialistas, como a renúncia de Gordon Brown, do Partido Trabalhista da Inglaterra, em maio deste ano, e a eleição da conservadora Angela Merkel no lugar de Gerhard Schröder, do Partido Social-Democrata da Alemanha, em 2005.

“Lula definiu novos caminhos para a social-democracia. Começou nas eleições de 2002 com um discurso marxista e depois fez uma gestão bastante pragmática, com alto impacto social”, diz Caldas.

O cientista político Humberto Dantas, da Universidade de São Paulo (USP), também acredita que o impacto da gestão Lula é um dos motivos do interesse internacional. “O mundo quer saber: o que será do Brasil após o Lula?”, sintetiza Dantas. Para o cientista, a imagem que fica para a comunidade internacional em relação ao atual presidente é “extremamente positiva”.

O cientista também acredita que o país está cada vez mais em evidência, o que causa receio quanto aos rumos que tomará no futuro. “Temos que nos acostumar com o fato de que cada vez mais pessoas tenham esse questionamento”, afirma. Segundo Dantas, o protagonismo do país está chamando atenção ainda para o próprio processo eleitoral e para o sistema de votação com urnas eletrônicas, adotado desde 1996.”

(Agência Brasil)

Os mágicos cinco pontos que decidem a eleição presidencial

Feitas as contas do mais recente tracking Vox/Band/iG, a candidata do PT, Dilma Rousseff, teria 55% das intenções de votos válidos, ou seja, cinco pontos de folga para levar a eleição no primeiro turno. Desde que o brasileiro reconquistou o direito de votar para presidente, a eleição se decide pela falta ou excesso desses mágicos cinco pontos.

Em 1989, Fernando Collor ficou com 53% dos votos válidos no segundo turno. Fernando Henrique Cardoso ganhou em 1994 com 55% e foi reeleito com 53%. Lula ficou a menos de quatro pontos de ganhar no primeiro turno de 2002 e a menos de dois pontos percentuais da reeleição no primeiro turno de 2006. Agora, os mágicos cinco pontos vão decidir a vitória de Dilma Rousseff em 3 de outubro. Ou vão lhe dar uma passagem para o segundo turno em 31 de outubro contra o adversário do PSDB, José Serra — a menos que haja uma reviravolta nunca vista em relação às tendências de opinião e Marina Silva, do PV, surpreenda todo mundo.

A primeira vista, está aí um país coerentemente dividido, oscilando entre governo e oposição, entre PT e PSDB e sobretudo entre Lula e anti-Lula desde a redemocratização. De fato, nada regeu mais essas duas décadas de política do que a presença de Luiz Inácio Lula da Silva.

A coesão das forças anti-Lula foi elemento estabilizador de dois críticos anos da redemocratização: do processo de impeachment de Collor em setembro de 1992 ao lançamento do Plano Real, em julho de 1994, passando pelo plebiscito, que poderia mudar tanto a República quanto o presidencialismo, e o instável governo Itamar Franco. Se não houve espaço para aventuras golpistas é porque do outro lado havia Lula e seu capital de mais de 40% de votos válidos. Se o Plano Real foi o primeiro a dar certo depois de cinco tentativas anteriores de estabilização, é porque, entre outros motivos, a coesão política e empresarial se fazia necessária para evitar os riscos de uma vitória de Lula naquele ano.

Mas então chegou 2002 e os mágicos cinco pontos mudaram de lado e assim permanecem nessa eleição, sugerindo o mesmo e coerente corte. No anti-lulismo de 2002 e, sobretudo em 2006, houve quem traçasse um país separado entre Norte e Sul (especialmente Nordeste e São Paulo), pobres e ricos, periferia e centro, povo e elite, Bolsa-Família e carteira assinada. Nada mais ilusório.

Os mágicos cinco pontos não têm dono. Eles oscilam, em primeiro lugar, ao sabor de uma onda nacional capitaneada pelo discurso do que representa o novo. Em 1994, o novo era a estabilidade econômica trazida pelo Real. Em 1998, novo era o medo de perdê-la. Em 2002, o novo era a necessidade de redistribuir renda e provar o avanço institucional. A Carta ao Povo Brasileiro foi o símbolo dessa mudança e a clássica frase de Lula, de que “a esperança venceu o medo”, talvez seu diagnóstico.

Cinco pontos mágicos, que representam 10% do eleitorado porque o que soma para um é tirado do outro, são compostos também por pequenas circunstâncias locais. Em 1994, FHC se elegeu perdendo em dois Estados (um deles o Rio Grande do Sul que depois ficaria com Geraldo Alckmin e contra Lula no segundo turno de 2006). Quatro anos depois, a derrota se ampliou para 11 Estados, alguns de eleitorado grande, como Rio de Janeiro e Ceará. Sempre por causas diversas, como a quantidade de aposentados no Rio, após uma reforma previdenciária que taxou aposentadorias e pensões, ou a presença de Ciro Gomes na disputa, levando 34% do Ceará.

Vencendo em todos os Estados, menos em Alagoas, Lula fez 61,2% dos votos válidos do segundo turno contra José Serra em 2002. E perdendo em sete estados, incluindo São Paulo, fez 60,8% dos votos contra Geraldo Alckmin em 2006. A maior vantagem proporcional de Alckmin se deu em Roraima, onde o governo sofria o desgaste de apoiar a Reserva Raposa do Sol, que não dá votos.

A onipresença de Lula (com o seu oposto, o anti-Lula), a instituição do segundo turno e, depois, da reeleição, além da força dos dois principais partidos, PT e PSDB, deram ao Brasil essa face polarizada. Vista de longe, as duas metades são semelhantes como na sobreposição de imagens de gêmeos: social democrata, moderna, urbana, tolerante, democrática. E isso explica em grande parte o avanço institucional dos últimos anos.

Mas vista de perto, no detalhe do que motiva esses 10% do eleitorado a oscilar entre um ou outro lado, ela é mais complexa, dependente de fatores regionais, de lideranças locais, da capacidade de mobilização e convencimento de cada campanha ou candidato. Se houvesse uma regra geral para entender esse eleitorado flutuante, ela não estaria nos candidatos nem nos partidos. Mas no discurso desse “novo” que sempre vence. O Collor de 1989 era o novo da direita, contra nomes como Paulo Maluf ou Aureliano Chaves. E seu discurso representava isso pela proposta de abertura econômica e reforma do Estado. O Lula de 1989 era o novo da esquerda, contra nomes como Leonel Brizola ou partidos como o PCB. E o eleitor dessa velha esquerda foi às urnas na mesma semana em que o Muro de Berlim caiu.

O Brasil colhe agora a maior safra de notícias positivas vividas por uma geração que cresceu ou nasceu na chamada década perdida. O fato de que a eleição de 2010 ainda não esteja totalmente decidida mostra apenas a incerteza do que efetivamente representa o novo a partir do pós-Lula.

(Colunistas IG)

Metade dos eleitores cearenses ainda não definiu voto para deputado

No próximo fim de semana, a auxiliar de dentista Luiza Freire, 52, sairá de Fortaleza, onde mora, para Morada Nova, onde nasceu, para votar. Só então, ela decidirá em quem votar para representá-la na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados. “Quando eu chegar lá, a família ajuda a decidir”, diz. Luiza não é caso isolado no Ceará. A pesquisa O POVO/Datafolha mostra que 46% dos cearenses ainda não definiram em quem votar para deputado federal. A dúvida sobre o estadual atinge a 43%.

Para o parlamento federal, 46% já definiram voto e 8% dizem não saber. Os mais indecisos são os eleitores da Região Metropolitana de Fortaleza: 51% não definiram voto para a Câmara dos Deputados, contra 41% já decididos. No Interior, o percentual dos que não definiram voto para federal é de 43%, enquanto 48% já tomaram a decisão.

Para deputado estadual, 48% dos eleitores cearenses já sabem em quem votar. E também para a Assembleia Legislativa, os mais indecisos estão na Região Metropolitana, onde 51% ainda estão indecisos e 39% têm candidato. No Interior, 39% não definiram voto para estadual, enquanto 53% já sabem como votar.

 Segmentos   –    Os dados também mostram que o nível de indecisão diminui na medida em que a faixa etária, o nível de escolaridade e a renda familiar aumentam. Quanto à faixa etária, por exemplo, a pesquisa aponta os mais velhos como os mais decididos sobre deputado estadual e federal. Entre os eleitores de 16 a 24 anos, 52% ainda não definiram voto para federal e 49% não escolheram representante estadual. De 45 a 59 anos, são 37% de indecisos sobre a Câmara Federal e 40% sobre o legislativo estadual.

Entre os indecisos, 61% só escolherão o deputado federal perto do dia das eleições. Outros 28% não sabem e 11% escolherão “nos próximos dias”. Já para deputado estadual, o número de eleitores que só decidirá na última hora também é de 61%. Outros 15% disseram que escolheriam nos próximos dias, enquanto 24% disseram não saber.

A pesquisa O POVO/Datafolha entrevistou, em 23 e 24 de setembro, 985 eleitores de 44 municípios. Está registrada no TRE-CE (nº 57467/10) e no TSE (nº 32025/10).

(O Povo Online)

Mulher de 60 anos dá à luz própria neta

Uma mulher de 60 anos deu à luz sua própria neta hoje após ter oferecido seu útero para a gestação do embrião que sua filha não poderia conceber, informaram fontes médicas.

A criança, gestada a partir de inseminação artificial, nasceu com 2,3 quilos e 45 centímetros após uma cesárea na Maternidade Sinhá Junqueira de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, disseram porta-vozes do centro médico.

A recém-nascida, que será batizada como Alicia, foi gestada no útero de Eunice Guerra, de 60 anos, mas é filha biológica de Talita Andrade, de 32 anos, e de seu marido, o vendedor de seguros italiano Guido Damiano.

A avó decidiu se oferecer como “mãe de aluguel” devido ao fato de que Talita, por ter passado por uma cirurgia na qual teve o útero retirado, não podia realizar o sonho de ser mãe.

O embrião foi concebido em laboratório a partir de um óvulo da filha e do sêmen do genro e implantado no útero da avó.

Alicia nasceu após um tratamento de dois anos no qual Eunice foi submetida a três tentativas de implantação do embrião em seu útero.

A primeira tentativa não teve êxito e na segunda foram gestados gêmeos, que não resistiram.

O bebê nasceu 15 dias antes da data prevista, após 36 semanas de gestação, por um pedido da “mãe de aluguel”, que marcou a cesárea para evitar as complicações de um parto de risco.

Os pais biológicos, que vivem na Itália, acompanharam as primeiras 33 semanas de gravidez pela internet e chegaram ao Brasil há um mês para esperar o nascimento da menina.

“Até agora não acredito. Em meu país não tinha escutado nada parecido”, disse Damiano.

“Só uma mãe se sacrifica assim por alguém. Ela me deu a vida duas vezes”, emocionou-se Talita.

O caso não é inédito no Brasil, já que em maio de 2004 uma mulher de 53 anos deu à luz ao seu próprio neto após gestar o embrião concebido por seu filho e sua nora.

O primeiro caso foi assistido por médicos do Hospital Vila da Serra, em Belo Horizonte, e na época, por problemas legais, o bebê teve que ser registrado como filho da avó.

Os pais de Alicia, por sua vez, disseram ter feito todos os procedimentos para poderem ser registrados legalmente como os progenitores.

(Portal Terra)

Por que as pesquisas divergem tanto? E na disputa pelo Senado: até tu, Tasso!III

Pela segunda vez, nessa campanha, os números das pesquisas para presidente apresentam diferenças inexplicáveis por razões puramente técnicas.

O primeiro momento foi em junho/julho, quando Dilma ultrapassou Serra no Sensus, no Vox Populi e até no Ibope. O DataFolha segurou um empate técnico entre os dois, de forma muito estranha. Depois, rendeu-se. Sem explicação, “corrigiu” a pesquisa – que passou a mostrar Dilma bem à frente.

Nessa reta final, o DataFolha traz pesquisa que aponta Marina em alta (14%), Dilma em baixa (46%), e Serra praticamente estacionado (28%). Pelos números da “Folha”, crescem as chances de segundo turno.

O Vox Populi, em seu tracking diário, detectou – já há alguns dias –  leve alta de Marina (chegou a 13%; mas hoje recuou para 12%), e queda de Dilma (que já andou na casa dos 55% e hoje teria 49%). Serra ficou nos 25% hoje, segundo os números do Vox que acabam de ser divulgados nessa terça-feira. Segundo o Vox Populi, as chances de segundo turno são bem menores.

Reparem: os dois institutos concordam na tendência: leve alta de Marina, queda tênue de Dilma (no caso do DataFolha, nem tão tênue assim). Mas os números são discrepantes o suficiente para determinar se vai haver ou não segundo turno.

Muita gente acredita que o “DataFolha” ajuda Serra. Eu também acho possível. Mas insisto: mesmo no Vox, a margem se estreitou.

O curioso é que essa leve queda de Dilma (depois de imenso bombardeio midiático e de intenso terrorismo religioso conservador) é contraditória com o quadro nos Estados, francamente favorável ao lulismo.

Qual a lógica?

Aparentemente, o bombardeio teve força para frear Dilma, mas não para conter o lulismo.

Reparem que na disputa para o Senado – além das quedas já registradas de Cesar Maia (DEM-RJ), Marco Maciel (DEM-PE), Artur Vrgilio (PSDB-AM), Heráclito Fortes (DEM-PI) – também correm risco, segundo as pesquisas divulgadas agora na reta final:  Mão Santa (PSC-PI) e Tasso Jereisatti (PSDB-CE) .

Até tu, Tasso? Sim, Eunicio (PMDB) e Pimentel (PT) se aproximam do “galeguim dos óio azul” na disputa travada no Ceará.

“O núcleo duro da oposição pode ser arrasado.

Em São Paulo, a esquerda pode ficar com as 3 cadeiras (Suplicy, que já está lá, mais Marta e Netinho). No Paraná, deve eleger dois senadores agora (Requião e Geisi).

Na disputa para o governo do Paraná e de São Paulo, crescem as chances de candidatos lulistas (Mercadante e Osmar Dias).

Portanto, há muitos indicativos de que a onda lulista se mantém – apesar de todo bombardeio.

O que indica que, mesmo que enfrente segundo turno, Dilma terá um favoritismo avassalador.

Só não pode ficar tocando a bola na entrada da área, esperando  tempo passar. Precisa partir pra cima, e definir logo o jogo. Se não o time de pernas de pau dá um chutão e, numa bola espirrada, acaba fazendo gol.

(Rodrigo Vianna – O Escrevinhador)

Souza Júnior: Datafolha indica possível derrota de Tasso Jereissati

A nova pesquisa do Datafolha/O Povo, realizada nos dias 23 e 24/9, somente publicada hoje (28/9), confirma a tendência de queda e ascensão, respectivamente, de Tasso e da dupla de candidatos apoiada por Lula, Dilma e Cid, na forma que analisamos em nosso artigo anterior, isto é, a curva descendente de Tasso é cada vez mais acentuada, na mesma medida em que crescem as intenções de voto em Eunício e Pimentel, apontando para uma derrota do tucano no próximo dia 3.

Analisando-se os novos dados pesquisados e comparando-os com as três pesquisas anteriores, podemos projetar o seguinte resultado para o próximo dia 3: não contando os votos dos indecisos, Tasso, que segundo o Datafolha estava com 44% na última medição, realizada nos dias 23 e 24/9, deverá chegar no dia 3 com no máximo 41% (vide quadro abaixo).

Eunício, seguindo-se o mesmo critério, deverá alcançar, no mínimo, 46%, crescendo mais 5 pontos percentuais, enquanto Pimentel, que segundo o Datafolha tem tido o crescimento mais constante, deverá chegar a, no mínimo, 42%. São previsões realistas e conservadoras, pois outros fatores poderão influir ainda mais positivamente no resultado final da eleição, como a migração da maior parte dos indecisos para os dois candidatos governistas e a tendência, também apontada por essa nova pesquisa do Datafolha, tanto do voto casado Eunício e Pimentel como a do segundo voto dos eleitores de Tasso ir para o Eunício ou para o Pimentel. Esta tendência é resultado direto da propaganda eleitoral conjunta de Cid e Lula em favor do voto casado e da intensa mobilização individual dos dois candidatos (as ondas verde e vermelha).

Mais forte ainda é o fato, já detectado pelo Datafolha na sua segunda pesquisa, realizada nos dias 24 e 25/8, de que 61% dos eleitores de Tasso votam na Dilma. Em um quadro onde a Dilma continua mantendo 65% das intenções de voto no Ceará, segundo a pesquisa mais recente do Datafolha (23 e 24/9), este fato certamente irá influenciar, ou melhor, já está influenciando na mudança de voto de boa parte dos eleitores de Tasso.

Conclui-se, portanto, que a eleição para o Senado no Ceará apresenta-se não apenas embolada entre os três candidatos, conforme empate técnico medido pelo Datafolha, mas projeta-se, por diversas razões, para a derrota do ex-governador e atual senador tucano, Tasso Jereissati, encerrando definitivamente seu ciclo de poder no Estado do Ceará.

Souza Júnior é publicitário e assessor sindical

(Portal Vermelho)

Ibope e VoxPopuli: Vem aí mais duas pesquisas de intenção de voto no Ceará

Na última sexta-feira (24) foram registradas no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), duas pesquisas de intenção de voto  -VoxPopuli e Ibope. Ambas vão coletar a opinião do eleitorado cearense para os cargos de Presidente, Governador e Senador.

A pesquisa VoxPopuli foi realizada dos dias 24 à 26 de setembro e foi contratada pelo Internet Group do Brasil S.A.Foram entrevistadas 800 pessoas, mas o número de municípios entrevistados não foi divulgado.

Já a pesquisa Ibope teve início da coleta nesta segunda-feira (27) e segue com os questionários até a próxima quinta-feira (30). A pesquisa foi contradada pela TV Verdes Mares e serão entrevistados 1610 pessoas.

(Jangadeiro Online)

A decisão no silêncio da urna

A nova rodada de pesquisas O POVO-Datafolha mostra que a eleição para a escolha dos dois senadores que vão representar o Ceará se mantém completamente aberta. Tasso 44%, Eunício 41% e Pimentel 36%. Pelos números coletados pelo instituto, qualquer prognóstico sobre o resultado final passa a ser um exercício de adivinhação. Há dois pontos novos na pesquisa. Primeiro, o índice dos eleitores que afirmam não saber em quem votar para uma das vagas e também para as duas vagas disponíveis. Os números da indecisão continuam altos, fator que empurra a decisão para até a hora do voto. Nada mais, nada menos que 35% afirmam que não sabem em quem votar “para uma das vagas” e 22% dizem que não sabem em que votar “para as duas vagas”. Como a diferença entre os candidatos é muito pequena, pode-se afirmar que o jogo vai ser decidido, digamos, na boca da urna. Outra novidade da pesquisa: dessa vez, em quadro separado, o Datafolha levou em conta a forma de cálculo da Justiça Eleitoral. Ou seja, descartam-se os votos brancos, nulos e indecisos e leva-se em conta apenas os votos válidos com um universo de 100%. O resultado: Tasso 33%, Eunício 31% e Pimentel 27%. Atentem que a pesquisa foi finalizada no dia 24 passado. Portanto, já se foram quatro dias. De lá para cá, certamente já ocorreram novas variações. O processo deverá se manter dinâmico até a hora em que o eleitor irá digitar seu voto na urna eletrônica. 

ENTRE OS VOLÚVEIS E INDECISOS

A situação não é confortável para nenhum dos candidatos. O resultado final pode acolher qualquer cruzamento de candidaturas. Pode dar Tasso e Eunício. Pode ser Pimentel e Tasso. Pode dar Eunício e Pimentel. O problema maior do tucano é a tendência até aqui ininterrupta de queda. O senador começou com 59% das intenções de voto no Datafolha finalizado em 15 de julho passado. Dois meses e dez dias depois, o tucano passou para 44%. São 15 pontos percentuais a menos. No mesmo período, Eunício Oliveira (PMDB) saiu de 24% para 41%, subindo 17 pontos. Pimentel passou de 24% para 36%, crescendo 12 pontos. Ou seja, uma queda gradual do tucano e, numa proporção aproximada, uma subida gradual de seus dois concorrentes diretos. Pelo quadro, pode-se afirmar que a sorte dos candidatos está nas mãos dos indecisos e dos eleitores que mantêm seu voto volúvel. E eles são muitos. Segundo o Datafolha, 17% dos eleitores (aqui, contados em dobro porque cada um tem direito a dois votos) ainda declaram que podem mudar de escolha. Portanto, a semana será decisiva. Cada ato dos candidatos será atentamente observado pelos eleitores. As redes de apoios dos candidatos ganharam um peso muito importante no final da campanha.

 DE OLHO NOS GRÁFICOS

O que talvez ajude Tasso Jereissati na disputa de senador é a curva descendente da candidatura de Cid Gomes verificada na pesquisa O POVO-Datafolha. Como se sabe, o voto de senador costuma se concretizar muito colado ao voto de governador. Não foi à toa que a campanha do PSDB começou a usar ostensivamente a denúncia da revista Veja. Então, atingindo Cid os tucanos buscam atingir também as candidaturas dos senadores da aliança do governador. Mesmo com um indicativo ainda folgado a favor de Cid Gomes (52%), a última semana de campanha passou a ser decisiva. Atentem: foram duas semanas de intervalo entre as duas pesquisas. 14 dias. Na consulta anterior, realizada entre os dias 09 e 10 passados, a oposição totalizava 25% das intenções de votos. Naquele momento, 14% dos eleitores afirmavam ainda não saber em quem votar. Na nova pesquisa, a oposição somada passou a deter 32% das intenções de voto. Agora, 12% se dizem indecisos. A diferença entre Cid e seus opositores era de 33 pontos percentuais. Agora, a diferença diminuiu para 20 pontos. Trocando em miúdos, Cid Gomes começou a cair e a oposição a subir. Mantida tal tendência até o dia da eleição, em tese, o fato pode ajudar a estabilizar a curva negativa de Tasso.

 (Fábio Campos – O Povo Online)

Tasso sofre queda acentuada em Fortaleza e Região Metropolitana, aponta Datafolha

Na primeira rodada de pesquisa O POVO/Datafolha, em julho, dois dados causaram surpresa: os índices de intenção de voto de Tasso Jereissati (PSDB) eram melhores entre os mais jovens e, na Capital e Região Metropolitana, seus números eram tão bons quanto no Interior. Dois setores nos quais o PSDB cearense costumava sofrer resistências.

Ao longo da série de pesquisas, porém, o histórico de dificuldades de Tasso nesses segmentos acabou se confirmando. Primeiro entre os jovens. Depois de começar com 65% entre o grupo de eleitores que tem de 16 a 24 anos, ele já havia caído para 45% na pesquisa realizada na segunda semana de setembro. Agora, tem 37%, seu pior percentual entre todas as faixas de idade.

Já em Fortaleza e Região Metropolitana, depois de ter alcançado, na pesquisa anterior, 13 pontos a mais que no Interior (56% contra 43%), agora os índices estão tecnicamente empatados: 42% na Capital e municípios próximos, contra 45% no resto do Estado. 

EMAIS –   Se Tasso Jereissati (PSDB) perdeu a vantagem que tinha entre os eleitores de Fortaleza e Região Metropolitana e também entre os mais jovens, ele se sai muito bem entre outro segmento historicamente considerado hostil a ele: os eleitores com nível superior.

Tasso alcança 48% nesse grupo, ficando tecnicamente empatado com Eunício Oliveira (PMDB), que tem 46%. José Pimentel tem 40%. É ainda nesse segmento que Alexandre Pereira (PPS) tem seu melhor desempenho entre todos os segmentos: 10%

(O Povo Online)