Brasil tem mais de 8 milhões de armas em circulação, diz instituto

Uma pesquisa divulgada pelo Instituto Sou da Paz aponta que pelo menos 8 milhões de armas de fogo continuam nas mãos da população e das forças de segurança em todo o Brasil. O dado considera resultados obtidos pelo Estatuto do Desarmamento nos anos de 2008 e 2009.

Nos últimos dois anos, houve o registro de 22.451 novas armas, segundo os dados da pesquisa. Para o instituto, há uma tendência tanto na queda quanto na compra de novas armas e na emissão de porte. Em 2008, o Distrito Federal foi a região que registrou o maior número de armas novas: 5.913.

O levantamento também indica que, somente em São Paulo, 13 mil pessoas deixaram de ser mortas por armas de fogo entre 2001 e 2007.

Os dados mostram um número elevado de armas de fogo no país, seis anos após a criação do Estatuto do Desarmamento, que iniciou um amplo debate sobre a redução de armamentos.

(band.com.br)

Santander oferecerá bolsas de estudos no exterior para alunos da PUC Minas

O grupo Santander oferecerá, a partir da intensificação de convênios com a PUC Minas, dois programas de bolsas de estudos no exterior para alunos de graduação da Universidade. O anúncio foi feito pelo diretor do Santander Universidades Brasil, Jamil Hannouche, durante solenidade de inauguração do posto do Banco Real/Grupo Santander, ocorrido na última quinta-feira, 29 de abril, no campus Coração Eucarístico.


O primeiro programa é o Top China, cujo objetivo é possibilitar que alunos e professores brasileiros passem três semanas em uma universidade chinesa, como uma possibilidade de troca de conhecimento. De segunda a sexta-feira, os alunos e professores participarão de grupos de estudos, discutindo com alunos locais a respeito de temas pré-definidos, como o meio ambiente, mudanças climáticas e biotecnologia.

Nos finais de semana, o objetivo do Top China é promover um tour pelo país, uma oportunidade de se estudar sobre a História da Arte da China. Quatro alunos e um professor da PUC Minas serão contemplados com as bolsas. Para participar da seleção, os interessados devem preencher alguns requisitos mínimos, como fluência em inglês, bom desempenho acadêmico e boa comunicação interpessoal. O programa será lançado pelo Santander no dia 11 de maio, e as viagens ocorrerão no dia 8 de julho.

O segundo programa anunciado por Hannouche é o Bolsas Fórmula Santander, que será oficialmente lançado no Brasil entre outubro e novembro deste ano. Seu objetivo é possibilitar que os alunos escolham uma das cerca de 830 universidades conveniadas com o Santander no mundo e realizem um intercâmbio de seis meses. Serão oferecidas 300 bolsas de mobilidade internacional, das quais 100 serão destinadas à Inglaterra, 100 à Espanha e outras 100 ao Brasil.

Segundo o diretor do Santander, o anúncio dos dois programas representa um fortalecimento da parceria com a universidade, que, segundo ele, já dura 20 anos. “Hoje, na minha opinião, inauguramos uma nova etapa na construção do relacionamento com a PUC. Esta instituição, agora, passa a fazer parte dessa rede de relacionamento de 830 universidades, que é uma rede poderosa a serviço do ensino superior no mundo”, afirmou.

(Assessoria da PUC MInas)

Banco do Brasil vai indenizar cliente por constrangimento

Roberto dos Santos - Foto: J.F.Pimenta / A Cidade

O Banco do Brasil foi condenado a pagar R$ 7 mil de indenização por danos morais a um representante comercial que foi barrado pela porta giratória da agência da avenida Saudade, nos Campos Elíseos, em Ribeirão Preto.

A sentença do Tribunal de Justiça foi dada no dia 22 de abril e publicada no “Diário Oficial” do Estado nesta quinta-feira (29). O TJ negou a apelação da instituição financeira, que ainda pode recorrer da decisão em instâncias superiores.

“Fiquei feliz com o resultado porque fui muito humilhado. Meu joelho não dobra e eu uso uma meia e uma bengala. Eu pedi para eles me passarem pelo detector de metal e eles queriam que eu deixasse a bengala, mas eu caio se não me apoiar nela”, afirmou o representante comercial Roberto Aparecido dos Santos, de 50 anos.

Ele conta que no ano passado chegou antes das 10h ao banco, para que fosse atendido com rapidez na agência. Ao passar pela porta giratória, o equipamento travou e os seguranças pediram para que ele esperasse todos entrarem para depois tentar o acesso ao local novamente.

“Todos entraram e eu, não. Chamaram uma pessoa que se identificou como gerente e que mandava que eu deixasse a bengala. Fui ficando cada vez mais constrangido e, por isso, entrei com a ação. Não foi pelo dinheiro, mas pela humilhação.”

Segundo a denúncia, testemunhas que presenciaram a cena revelaram que o banco dispõe de entrada lateral para portadores de necessidades especiais, mas que não foi permitido que Santos usasse o acesso porque o detector de metais da porta especial estava inoperante.

Sentença – O Banco do Brasil afirmou na defesa que a porta detectora de metal faz parte da segurança da agência. Porém, os desembargadores não aceitaram a justificativa.

Para eles, é necessário garantir a segurança dos bancos e dos clientes, mas não é correto o constrangimento imposto a pessoas honestas “ao terem o seu acesso ao interior do estabelecimento impedido ou dificultado”.

“A obstinada e injustificável recusa de permitir o acesso do cliente ao interior da agência bancária, exigindo que portador de necessidade especial se despeje da bengala, provoca mais que mero dissabor. Causa profunda e justa revolta, inconformismo com o ato manifestamente abusivo da gerência e segurança da instituição”, diz a sentença.

A assessoria de imprensa do Banco do Brasil não respondeu aos questionamentos da reportagem.

(Jornal A Cidade)

Marca da Petrobras é a mais valiosa do Brasil e a 73ª do mundo. Veja ranking.

RIO – A Petrobras tem a marca mais valiosa do Brasil, com valor de R$ 19,3 bilhões, de acordo com pesquisa realizada este ano pela consultoria BrandAnalytics e pelo instituto Millward Brown.

Veja a lista completa

A Petrobras lidera o ranking brasileiro, que tem também Bradesco (R$ 14,8 bi), Itaú (R$ 13,3 bi), Banco do Brasil (R$ 11 bi), Natura (R$ 6 bi), Skol (R$ 5 bi), Brahma (R$ 2,5), Perdigão (R$ 2 bi), Casas Bahia (R$ 1,8 bi) e Sadia (R$ 1,6 bi).

Na pesquisa internacional, realizada pela Millward Brown Optimor e publicada esta semana pelo jornal Financial Times, a Petrobras aparece em 73º lugar. A segunda marca, o Bradesco, ocupa a 98ª posição. O Google lidera o levantamento, com valor estimado em US$ 114,2 bilhões, seguido da IBM (US$ 86,3 bilhões); Apple (US$ 83,1 bilhões), Microsoft (US$ 76,3 bilhões); e Coca-Cola (US$ 68 bilhões).

A marca da Petrobras também se destacou no ranking das marcas mais fortes do Brasil, ocupando o terceiro lugar na lista, à frente da Coca-Cola e Microsoft. As duas primeiras posições ficaram com Omo e Mc Donald’s.

Metodologia do ranking da mais valiosa

Para chegar ao resultado, a pesquisa passou por quatro etapas. Na primeira, foi mensurada a força da marca no Brasil, com a realização de 12.500 entrevistas em 32 categorias de negócios, com a avaliação de 350 marcas de empresas que atuam no país, em várias cidades. A etapa seguinte avaliou 147 companhias de capital aberto, que reúnem 200 marcas. A terceira etapa da pesquisa levou em consideração os lucros das empresas e analisou a contribuição da marca para os consumidores e os investidores. Também foram entrevistados consultores de investimentos norte-americanos, que apontaram a Petrobras em primeiro lugar no ranking das empresas mundiais de energia com maior potencial para futuras tecnologias (50% de lembrança contra 14% da segunda colocada), maiores reservas de petróleo (42% contra 23%); e boa parceria com governos locais (27% contra a 15%). A Petrobras aparece em destaque também como empresa que se esforça para ser ambientalmente responsável (em segundo lugar, com 6% de lembrança contra 9% da primeira).

(Uol e Folha Online com adaptações)

Brasil ultrapassa Espanha e volta a ser o nº 1 no ranking da Fifa. Veja lista

A seleção brasileira ultrapassou a espanhola e reassumiu a liderança do ranking da Fifa, atualizado mensalmente pela entidade e divulgado nesta quarta-feira, quando restam menos de 50 dias para o início da Copa do Mundo na África do Sul. Esta é a sétima vez que o Brasil, que está com 1.611 pontos, ocupa a liderança da lista, criada em 1993 pela entidade máxima do futebol.

Os atuais campeões da Eurocopa estavam em primeiro lugar do ranking nos últimos cinco meses e agora estão na segunda colocação, com 1.565 pontos. Com a volta do domínio brasileiro, o país completa 143 meses na liderança do ranking da Fifa.

Semifinalista da última Copa do Mundo e adversário do Brasil no Grupo G do Mundial da África do Sul, a seleção de Portugal assumiu a terceira colocação, com 1.249 pontos, ultrapassando a Holanda, que tem 1.221. Elas são seguidas por Itália e Alemanha. Já a Argentina subiu duas posições e agora está em sétimo lugar, enquanto a França caiu duas posições e ocupa a décima colocação.

Outras duas mudanças ocorreram no Top 10 do ranking da Fifa. A Inglaterra perdeu uma posição e está em oitavo lugar. Já a Croácia foi uma das seleções a superar a França e está na nona posição.

Primeiro adversária do Brasil na Copa do Mundo, a Coreia do Norte é a pior seleção entre as que vão jogar na África do Sul. A seleção asiática está apenas em 106º lugar, com 292 pontos. Já a Costa do Marfim, que será o outro rival brasileiro, ocupa a 27ª colocação no ranking da Fifa, com 846 pontos.

As alterações neste mês aconteceram principalmente por conta da desvalorização de resultados de anos anteriores, já que apenas cinco partidas foram contabilizados para o ranking de abril da Fifa.

RANKING DA FIFA
Edição de 28 de abril

1.º –  Brasil, 1.611 pontos
2.º –  Espanha, 1.565
3.º –  Portugal, 1.249
4.º –  Holanda, 1.221
5.º –  Itália, 1.184
6.º – Alemanha, 1.107
7.º –  Argentina, 1.084
8.º –  Inglaterra 1.068
9.º –  Croácia, 1.052
10.º –  França, 1.044
11.º –  Rússia, 1.003
12.º –  Grécia, 968
13.º –  Egito, 967
14.º –  Estados Unidos, 950
15.º –  Chile, 948
16.º –  Sérvia, 944
17.º –  México, 936
18.º –  Uruguai, 902
19.º – Camarões, 887
20.º –  Nigéria e Austrália, 883

(Estadão Online)

Governador do PSDB empregava ex-prefeito foragido da polícia

Investigado pelo assassinato de um deficiente físico e pela prática de atentados contra vereadores da oposição, e desde ontem considerado pela Polícia Civil de Santa Catarina como fugitivo, o dirigente estadual do PSDB e ex-prefeito de Camboriú Edson Olegário estava bem empregado até o início desta semana: era nada menos do que “executivo de gabinete” do vice-governador e atual governador catarinense, Leonel Pavan, o principal cacique tucano no estado.

Prefeito de Balneário Camboriú no período 2005/2008, Edson Olegário é suspeito de participar de uma série de atentados contra vereadores que integravam uma CPI e também da execução de Eneri Antônio Souza, irmão de um vereador. Segundo a polícia, Eneri, deficiente físico de 59 anos de idade, foi assassinado por engano no lugar do irmão.

Edson Olegário pretendia concorrer à reeleição em 2008, mas a Justiça Eleitoral impugnou a candidatura porque ele não votou e nem justificou a ausência no referendo de 2005 sobre a comercialização de armas de fogo. Três semanas depois de concluído o mandato, Olegário foi transformado em “executivo de gabinete” do então vice-governador Leonel Pavan, também ex-prefeito de Camboriú e igualmente suspeito da prática de diversos crimes.

Olegário continuava no cargo de confiança de Pavan na última sexta-feira, quando a Justiça decretou sua prisão temporária. Exonerado por seu padrinho na segunda-feira, Olegário fugiu. Agora é procurado pela Polícia Civil, que conseguiu do Judiciário um mandado de prisão preventiva.

Ontem, agentes da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) realizaram a reconstituição do assassinato de Eneri Souza com a participação de dois suspeitos que já foram detidos. Um deles é cunhado do ex-prefeito tucano e foi secretário de Obras de seu governo.

(Brasilia Confidencial)

Serra: cadê o Paulinho?

Circula na internet uma história inverossímel, mas que ao mesmo tempo revela um pouco da alma do candidato tucano. Há histórias aos borbotões na mídia paulista de jornalistas que ou foram repreendidos diretamente pelo ex-governador ou foram demitidos por seus chefes a pedido do mesmo. Segue a parábola…

Serra foi a uma escola conversar com as criancinhas, acompanhado uma comitiva do Jornal Nacional, da Veja e da Folha de São Paulo.Depois de apresentar todas as maravilhosas propostas para seu governo(se eleito), disse às criancinhas que iria responder perguntas.
Uma das crianças levantou a mão e Serra perguntou:

– Qual é o seu nome, meu filho?*

– Paulinho.*

– E qual é a sua pergunta?

– Eu tenho duas perguntas.

A primeira é “Quanto tempo o senhor vai esperar para sujar a barra da Dilma como fez com a Roseana Sarney??”

A segunda é “Onde sua filha Verônica conseguiu grana para ser dona de 10% do Ebay / Mercado Livre, estudar na Harvard Business School pagando R$ 60.000,00 por mês e ainda por cima “comprar” uma mansão em Trancoso onde o senhor passou o Reveillon???

Serra fica desnorteado, mas neste momento a campainha para o recreio toca e ele aproveita e diz que continuará a responder depois do recreio.

Após o recreio, Serra diz:

-OK, onde estávamos? Acho que eu ia responder perguntas. Quem tem perguntas?

Um outro garotinho levanta a mão e Serra aponta para ele, sorrindo para as cameras da Globo.

-Pode perguntar, meu filho.

-Como é seu nome?

-Joãozinho, e tenho 4 perguntas:

A primeira é “Quanto tempo o senhor vai esperar para sujar a barra da Dilma como fez com a Roseana Sarney??”

A segunda é “Onde sua filha Verônica conseguiu grana para ser dona de 10% do Ebay / Mercado Livre, estudar na Harvard Business School pagando R$ 60.000,00 por mês e ainda por cim a “comprar” uma mansão em Trancoso onde o senhor passou o Reveillon???

E a terceira é “Por que o sino do recreio tocou meia hora mais cedo?”.

A quarta é… “Cadê o Paulinho??”

(http://www.revistaforum.com.br/sitefinal/blog/)

Graeff precisa reagir rápido aos “petralhas” da Time

Marúcia Cabral envia-me a reação que Graeff e os tucanos devem estar planejando, diante da propaganda “petralha” que se espalha por perigosas publicações comunistas, como a “Time”…

A sugestão de capa para “Veja” da próxima semana foi publicada no site “O Esquerdopata” – http://esquerdopata.blogspot.com/

Abaixo, o spam “petralha” que atormenta os brucutus de Graeff…

O texto da Time, que coloca Lula no topo de uma lista de líderes mais influentes do mundo, foi assinado pelo cineasta Michael Moore. Azenha publicou uma tradução aqui – http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/moore-o-sonho-americano-mudou-de-endereco.html.

“O Globo” não esconde a decepção. Tenta relativizar a lista da “Time” (Lula seria “apenas” um entre os mais influentes; e não “o” mais influente; então, tá…).

O problema é que  “O Globo” anda tão mal das pernas que não sabe a diferença entre a “Time” (revista) e o Times (“The New York Times”, jornal). Reparem que o título da matéria diz que Lula está na lista da “Times” (no plural).

P.S.: “petralha” é a forma pela qual blogs do esgoto chamam os petistas; a nomenclatura passou a ser usada por dirigentes tucanos. Para saber mais sobre as peripécias de Graeff (ex-assessor de FHC que – segundo Brizola Neto –  virou líder dos brucutus tucanos na guerra suja da internet) clique aqui – http://www.rodrigovianna.com.br/outras-palavras/ligado-a-fhc-graeff-faz-o-jogo-sujo-diz-brizola-neto

(O Escrevinhador, por Rodrigo Vianna)

Dilma Rousseff e Marina Silva elogiam alta dos juros. José Serra pra variar… critica

RIBEIRÃO PRETO – Os principais pré-candidatos à presidência da República divergiram sobre a alta dos juros básicos do país. A ex-ministra Dilma Rousseff usou a alta da taxa Selic para atacar os tucanos. Em visita à Feira Internacional de Tecnologia Agrícola (Agrishow), feira de equipamentos e máquinas agrícolas de Ribeirão Preto, a pré-candidata do PT à Presidência da República afirmou que a decisão do Copom de elevar a taxa de juros de 8,75% para 9,5% foi uma medida para manter a estabilidade e controlar a inflação e que não considerou o ano eleitoral, o que seria uma contraposição ao que a ex-ministra chamou de “malabarismos” do passado.

– Ninguém vai fazer malabarismos para vencer a eleição, como se fazia no passado. O Brasil está maduro. Diante do momento eleitoral, é preciso agir com coragem e transparência – disse Dilma, sem explicar quais seriam os malabarismos que teriam sido feitos pelos tucanos no passado.

Já o tucano José Serra, pré-candidato do PSDB à presidência da República, criticou a alta dos juros.

– Essa é uma medida (a elevação da taxa de juros determinada ontem pelo Copom) contra a ameaça da inflação, que é real. É uma medida dolorosa para a agricultura. O que eu me pergunto é por que entra governo, sai governo, o Brasil tem a maior taxa de juros do mundo. É uma questão que eu vou me debruçar se for eleito presidente da República. Por que o Brasil tem que ter a mais alta taxa de juros do mundo? Teve no governo passado, tem neste governo e assim por diante mais – disse Serra ao participar da Agrishow, em Ribeirão Preto.

Já a pré-candidata pelo Partido Verde, senadora licenciada Marina Silva, elogiou nesta quinta-feira, em Curitiba, a decisão do Copom de elevar em 0,75% a taxa dos juros.

– A decisão foi correta em função de que está se fazendo um esforço muito grande para o controle da inflação. Obviamente que vamos trabalhar com o tripé que vem até agora dando conta dos desafios econômicos com Brasil: meta de inflação, superávit primário e câmbio flutuante – defendeu Marina.

A declaração da senadora causou desgosto durante encontro com empresários, que entregaram à pré-candidata um manifesto com as principais reivindicações.

A pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff também disse que não será complacente com a inflação.

– Você não pode ter inflação, mas estabilidade de preços. E isso significa que nós não vamos ser complacentes com a inflação em momento nenhum. Esse compromisso é o meu também – afirmou Dilma em entrevista durante na Agrishow, a qual foi reproduzida por seu portal de campanha.

Segundo a ex-ministra, a taxa de juros, que passou para 9,5%, não vai prejudicar o nível de crescimento da economia brasileira.

(O Globo Online)

R$ 200 milhões estão sem dono no FGTS

Cerca de R$ 200 milhões estão “esquecidos” no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) por falta de identificação dos donos das contas. Isso ocorre porque muitas empresas perderam os registros dos trabalhadores e, para não serem punidas pela fiscalização do Ministério do Trabalho, passaram a contribuir sem identificar o beneficiário.

Recentemente, o Conselho Curador do FGTS aprovou a incorporação desses recursos ao patrimônio do fundo. No balanço do FGTS, esse dinheiro aparece como crédito a discriminar. Mas essa alteração contábil só será feita após o dinheiro ficar parado por mais de cinco anos. Para ser ressarcido, o funcionário deve cobrar a atualização de dados da empresa. Caso contrário, o dinheiro ficará definitivamente para o fundo.

Segundo a Caixa Econômica Federal, independentemente da mudança serão mantidos os registros que permitirão identificar os trabalhadores a quem se destinam os recursos, no momento em que o empregador fizer a atualização de dados ou quando o trabalhador se apresentar para atender aos editais de convocação publicados pelas empresas. Ou seja, o trabalhador poderá pedir o ressarcimento por período indeterminado.

Mudança contábil. A devolução automática só ocorre após a empresa atualizar o registro do trabalhador. Segundo um representante do Conselho Curador do FGTS, a incorporação desse dinheiro esquecido é apenas uma mudança contábil e não vai aumentar a capacidade de investimento do fundo em habitação e saneamento básico. Esse recurso já entra no bolo de recursos existentes no FGTS e, por isso, já está sendo utilizado para essas finalidades.

A mudança no tratamento dessa poupança tem como objetivo diminuir as pressões dos órgãos de controle, que entendem que é preciso identificar os trabalhadores que não receberam esse repasse do FGTS por causa de depósito sem identificação das empresas. A Caixa, no entanto, alega que não tem condições de identificar os trabalhadores. Isso só pode ser feito pelos empregadores. Segundo o presidente do Conselho, Paulo Furtado, serão incorporadas ao fundo, pelo menos por enquanto, as contas não identificadas com saldos inferiores a R$ 37,00.

Normalmente, esses valores referem-se a recolhimentos históricos feitos por empregadores, principalmente prefeituras que foram notificadas pela fiscalização em períodos posteriores aos fatos geradores, quando os empregados não mais estão nas empresas. Na maioria das vezes esses empregadores recolhem, mas não sabem para quem individualizar, por causa do tempo decorrido.

Segundo a Caixa, com a automatização do processo de arrecadação do FGTS, no fim da década de 1990, e o uso de aplicativos desenvolvidos pelo banco e disponibilizados gratuitamente aos empregadores, o número de casos em que as empresas contribuem sem identificar o dono da conta diminuiu consideravelmente. As ocorrências existentes se referem a dívidas antigas que as empresas estão pagando, de forma parcelada ou à vista, e para as quais elas não possuem os registros dos empregados que trabalharam para elas à época.
PEGUNTAS & RESPOSTAS
1.
Por que isso acontece?
Empresas fazem depósitos sem identificação porque não tem mais o registro do trabalhador. O objetivo é não ser pego pela fiscalização do Ministério do Trabalho.

2.
Em que situações isso normalmente acontece?
Empresas que resolvem pagar suas dívidas com a previdência e não possuem mais o registro dos funcionários que trabalhavam à época.

Empresas perderam todo o acervo documental por conta de incêndios ou inundações.

Prefeituras são notificadas pela fiscalização e os trabalhadores já não trabalham mais ali.

3.
O trabalhador pode reaver esse dinheiro?
Sim. O trabalhador pode reivindicar o dinheiro a qualquer momento desde que tenha a comprovação da empresa de que os depósitos estavam sendo realizados.

4.
O que é feito com esse dinheiro?
No balanço do FGTS, esse recurso aparece como crédito a descriminar e é aplicado nos financiamentos para casa própria e saneamento básico.

5.
Como verificar se a empresa está fazendo os depósitos do FGTS?
O endereço do trabalhador precisa estar atualizado porque a Caixa envia os comprovantes pelos Correios. O trabalhador pode ainda fazer cadastro no site da Caixa
(www.caixa.gov.br)
para acessar as informações online ou recebê-las por mensagens eletrônicas no celular.

6.
O que fazer se o dinheiro não estiver sendo depositado?
Primeiro, o trabalhador deve procurar a empresa para verificar o que está acontecendo. Caso não consiga resolver o problema, entrar em contato com uma delegacia regional
do trabalho.

(Estadão Economia)

Caixa abre novo concurso e frustra expectativas de aprovados

Os aprovados no concurso público da Caixa realizado em 2008 ainda sonham com a possibilidade de uma convocação. O ideal de um emprego estável, em uma instituição pública de credibilidade, sustentado no funcionalismo público, no entanto, está ameaçado.

De acordo com um grupo de aprovados que procurou a reportagem do Portal Infonet, o banco finalizou o período de inscrições de mais uma seleção para cadastro de reserva em 8 de abril, mesmo quando o prazo de validade do processo anterior expira apenas em 27 de julho.

Até agora, de 1404 aprovados apenas 83 foram chamados. O número está abaixo da média de concursos anteriores, pois, de acordo com Charles Hardman, um dos aprovados (ele passou em 102º lugar) e representante do grupo de quinze pessoas que move uma ação pública contra a instituição financeira, no ano de 2000 a Caixa chamou 130 pessoas; em 2004, foram empossados 228 novos servidores. “Nós sabemos que há demanda, até porque há um grande número de terceirizados exercendo a função para a qual se abriu concurso, o que é proibido por lei”, explica.

Sonho de emprego estável é principal objetivo de quem participa de seleções

A apreensão dos aprovados aumentou após o anúncio do banco, em outubro do ano passado, de que haveria a contratação de cinco mil pessoas em todo o país. Uma demanda que resultaria da abertura de novas agências.

No entanto, em março deste ano a instituição voltou atrás e pouco se sabe, agora, sobre essa possibilidade.  “Quando essa notícia foi divulgada, nós fizemos um levantamento e descobrimos que há demanda em Sergipe. Nós estamos pressionando de forma política”, acrescenta Charles.

A cada duas semanas o grupo se reúne e, a cada trinta dias, o encontro é com o superintendente da Caixa em Sergipe, Luciano Pimentel, a fim de conseguir respostas sobre a situação. A última reunião deveria ocorrer na última terça-feira, 29, na sede do Sindicato dos Bancários, que apóia o grupo. Entretanto, segundo Hardman, a reunião foi cancelada sob a alegação de que não havia nenhuma novidade a ser discutida. “Nosso único interesse é ingressar na Caixa”, confirma.

Fernanda se diz desiludida

Credibilidade

Fernanda Carvalho, aprovada em 176º, reclama também de como é difícil conseguir informações sobre o andamento da lista de convocados. Ela prestou concurso para o banco pela segunda vez e se vê desiludida. Segundo ela, antes só existia uma lista, com o título de ‘Admissional’. Agora são duas: ‘Pré-admissional’ e ‘Admissional’.

Por outro lado, foi apurado que na verdade as listas representam o andamento do processo de contratação: na primeira constam os nomes dos convocados em uma primeira fase, quando se realizam os exames necessários. Ao ser considerado apto, o aprovado recebe uma segunda convocação e seu nome vai para a segunda lista. A partir disso a pessoa passa pela fase de ‘Integração’, quando recebe um treinamento de duas semanas em Salvador e, adiante, há a posse.

Charles Hardman representa grupo que luta por convocação do banco

Fernanda relata que já entrou em contato com diversos setores, inúmeras vezes, e não consegue resposta sobre o andamento das convocações. “A informação que recebi é de que os nomes não são divulgados nem no Diário Oficial, o que é obrigatório. Quem me garante que alguém com a classificação posterior à minha não foi chamado? Tudo é muito obscuro”, protesta.

Assim como muitos, Fernanda investiu pesado nos estudos vislumbrando a possibilidade de ter um emprego estável, com salário mediano e opções de crescimento profissional. Na época em que participou da seleção, ela pagou R$ 300 de mensalidade em um cursinho preparatório. “Fora o que perdemos com o tempo dedicado. Estudei muito, mas parece que o esforço não valeu nada”, lembra. Hoje ela diz não ver muita motivação em participar de novas provas. “Se a Caixa, que é uma instituição de credibilidade nacional, faz isso, o que se pode esperar de outras?”, ressalta.

Terceirizados

O Sindicato dos Bancários de Sergipe protocolou em março e abril deste ano denúncia contra a Caixa nos Ministérios Públicos do Trabalho (MPT) e Federal (MPF). O órgão pede que seja investigada a atuação de 50 terceirizados em funções que seriam de competência de técnicos bancários, cuja convocação é feita por concurso público. No documento há uma lista com o nome e agência de trabalho dessas pessoas, contratadas na condição de telefonistas ou recepcionistas e que recebem salários bem abaixo dos servidores do banco.

“Já existe um TAC [Termo de Ajustamento de Conduta] orientando a retirada desses profissionais para que essas vagas sejam ocupadas por quem é aprovado em concurso. A caixa burla a lei para ter mão-de-obra mais barata. Há pessoas que estão há cinco anos nessa condição”, acusa Charles Hardman, representante do grupo de aprovados. Esse procedimento adotado pela Caixa tem como reflexo o mau atendimento e, principalmente, o descumprimento da Lei Municipal dos 15 Minutos, pela qual a instituição já responde a processos na Justiça Federal.

Outro lado

O superintendente da Caixa não pôde receber o Portal Infonet para rebater as críticas. O assessor Weider Moreira afirmou que a instituição cumpre o TAC estabelecido com o MPT, tanto que alguns terceirizados já foram demitidos para dar lugar àqueles já aprovados em concurso. Não há nenhuma informação sobre novas convocações.

Moreira disse, ainda, que a Assessoria Jurídica do banco não foi comunicada oficialmente sobre a denúncia protocolada no MPT e no MPF e por isso, naturalmente, não há como a caixa se pronunciar.

A reportagem do Portal Infonet esperou por quatro dias uma resposta oficial da CEF.

Por Diógenes de Souza e Raquel Almeida

(http://www.infonet.com.br/)

Grupo armado assalta BB de Novas Russas e Saboeiro e levam R$ 1 milhão

Duas agências do Banco do Brasil (BB) foram assaltadas no Interior do Estado em menos de duas horas. Às 11h30min, uma quadrilha composta por oito homens encapuzados e fortemente armados, com pistolas e fuzis, invadiu a agência de Nova Russas, no Sertão de Crateús, a 303 quilômetros de Fortaleza.

Os bandidos, conforme a Polícia, dispararam vários tiros dentro da agência bancária, deixando algumas portas e vidraças quebradas. Os três vigilantes da agência, armados com revólveres, foram rendidos. Um cliente teria ficado ferido, mas sem gravidade. O tesoureiro do banco foi levado como refém, mas liberado na saída da cidade.

Segundo ainda a Polícia, a quadrilha fugiu em uma camioneta L-200 de cor preta e teria levado do banco a quantia de R$ 850 mil.

Às 13h20min, a agência de Saboeiro, na Região dos Inhamuns, distante 462 quilômetros da Capital, também foi assaltada. De acordo com policiais da 2ª Companhia do 2º Batalhão da PM, em Iguatu, o assalto também foi praticado por homens fortemente armados. Eles fugiram numa camioneta D-20 de cor verde, levando um motorista da Prefeitura Municipal de Saboeiro como refém, libertando-o momentos depois. Ainda não se sabe quanto rendeu o assalto.

A Polícia acredita que a quadrilha que agiu em Saboeiro seja uma ramificação do grupo que atuou na cidade de Nova Russas.

Nova Russas
O veículo modelo L-200, utilizado para a fuga dos oito bandidos que assaltaram a agência de Nova Russas, foi encontrado carbonizado na zona rural do município. Policiais das regiões dos Inhamuns, Centro-Sul, e também do Piauí fizeram um cerco em vários municípios para encontrar os assaltantes. Mas até o início da noite, ninguém havia sido preso ou identificado. Populares lembraram que a agência já havia sofrido outros dois assaltos, mas o último teria registro de 15 anos.

E-MAIS

>Os assaltos a bancos no interior do Estado, segundo a Policia, estão aumentando e tornando-se mais violentos. No dia 11 de janeiro do ano passado, quatro homens tentaram assaltar a agência do Banco do Brasil de Potengi e, na ação, um PM foi baleado na cabeça e morreu. No tiroteio um bandido também morreu.

>Entre 2000 e 2009, 140 bancos foram assaltados no Ceará. Em Pedra Branca, no ano passado, uma quadrilha sitiou a cidade antes de atacar duas agências bancárias, uma lotérica e o posto dos Correios. Vários moradores da cidade foram rendidos.

(O Povo Online)

Veja o que funciona e o que não funciona no Dia do Trabalhador

No feriado do Dia do Trabalhador, que é comemorado amanhã, 1º de maio, supermercados e lojas estarão fechados em Fortaleza, inclusive nos shoppings. Portanto, quem tem compras a fazer nesses estabelecimentos, deve antecipar para hoje. No sábado também ficarão com portas fechadas as agências dos Correios. Já panificadoras e postos de combustíveis terão funcionamento facultativo.

Celebrado mundialmente, em Fortaleza o dia amanhã será comemorado com programações diversas. Pela manhã, a partir das 8 horas, o Serviço Social do Comércio (Sesc), promove o 15º passeio ciclístico Ciclosesc. O evento também ocorre nos municípios de Crato, Juazeiro do Norte, Sobral e Iguatu. As inscrições estão abertas até hoje, 30, no Sesc. Para participar os interessados pagam uma taxa de R$ 5 mais um quilo de alimento não perecível. A inscrição dá direito a camiseta e boné do evento e a concorrer a sorteios de bicicletas. O passeio parte da sede do Sesc, na avenida Duque de Caxias, 1701, no Centro.

Na praça do Ferreira, a partir das 14 horas de amanhã, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e entidades filiadas promovem ato contando com shows da dupla Ítalo e Reno, banda Fulô da Aurora, Batuqueiros da Caravana Cultural, entre outras apresentações. Durante toda programação, estarão expostos à venda produtos da economia solidária.

Também a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil no Ceará (CTB/CE) terá um programa na praça de Messejana, começando a partir das 16 horas. O evento contará com apresentações culturais diversas, além de grupos musicais e show do humorista Hiran Delmar.

O Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat) comemora o Dia Mundial do Trabalhador com uma Copa de futebol soçaite voltada a profissionais do setor. Jogos começam às 8 horas.

O QUE FUNCIONA NO FERIADO

> SUPERMERCADOS
Todos Fecham

>LOJAS –
Ficam fechadas no Centro e nos shoppings

>PANIFICADORAS-
Funcionamento facultativo

> AGÊNCIAS DOS CORREIOS
Todas estarão fechadas

> POSTOS DE COMBUSTÍVEIS
Funcionamento facultativo

>SHOPPINGS
Lojas fechadas. Funcionam apenas os cinemas, lazer e praças
de alimentação.

> ESCOLAS E UNIVERSIDADES
Estarão fechadas tanto públicas quanto as particulares

> CAGECE
Solicitações de atendimento pelo 0800.275 0195

> COELCE
Atendimentos pelo 0800. 2850196 (ligações de telefone fixo) e 0800.2804022 (ligações de telefone celular)

> O 1º de Maio lembra historicamente trabalhadores que em 1886, na cidade de Chicago (EUA),sairam as ruas reivindicando melhores condições de trabalho.

(O Povo Online)

Lula é 1° ou não é? Vamos ajudar O Globo

A notícia da escolha de Lula como o mais influente líder do mundo pela revista Time causou alvoroço no comando das redações da mídia brasileira. Afinal, era a revista que mais admiram  escolhendo “o cara” que mais combatem…

Mas não havia jeito, era preciso dar a notícia, não havia meio de escondê-la… A lista da Time está lá na internet, implacável.

Chego a imaginar a cena…Dedos crispados, dentes rangendo, repórteres mobilizados, ligações para o correspondentes…Nada… Publicaram… Lula era o primeiro da lista…Até o Serra, rapidamente, seguiu o script de seu marqueteiro e, para ser mais lulista que o Lula, foi logo enviando felicitações pelo twitter: “Parabéns ao Presidente Lula, escolhido líder do ano pela revista americana Time. É bom para o Brasil”.

Mas a operação “despeito” continuou. E um subeditor gritou: “conseguimos, conseguimos”!  E contou, como está em O Globo que havia falado com “o setor de relações públicas” da revista que teria dito não haver um ranking.

Mas, e daí se  não foi escolhido o líder mais influente do mundo e sim um dos líderes mais influentes do mundo, numa lista onde – oh! – nunca entrou FHC.

Segundo O Globo, a decisão de colocar Lula como o “número um” se deu por “razões editoriais”.

Se você for ao site da Time para ver os 100 mais influentes de 2010 escolhidos pela revista, verá que o primeiro perfil que aparece é o de Lula. Se você preferir ir ao link da lista completa dos eleitos, verá que o número um é Lula.

Enfim, a Time escolheu um entre os 25 listados, para abrir a lista. A menos que tenham mudado o alfabeto para começar com “L”, não foi ordem alfabética. Foi a importância editorial que a revista lhe deu.

Mas é fácil resolver o problema. É só O Globo reatar a sociedade que teve  com a Time para,  durante a ditadura, implantar a TV Globo no Brasil e mandar o Ali Kamel para lá inverter a lista. Aí o senador por Massachussets Scott Brown, que aparece como 25º colocado passa para 1° e Lula, o 1° passa para 25°. E a mídia dá a seguinte manchete: “Time coloca Lula em último na lista dos líderes”.

Viram, que beleza seria?

(Blog Tijolaco, do Brizola Neto)

Efeito Lula, na “Time”: Massas cheirosas saqueiam estoques de Rivotril

Preparem-se para um grande show de comédia. A revista Time elegeu o presidente Lula a pessoa mais influente do mundo. O texto sobre Lula, assinado pelo cineasta Michael Moore, abre a reportagem de capa. A mídia nacional entrou em pânico. Divulgou o anúncio, mas logo depois deu início a uma improvisada operação de redução de danos. Entraram em contato com o departamento de relações públicas da revista, que avisou que não há ranking. O fato do nome de Lula aparecer ladeado pelo número 1 e o fato do texto sobre Lula abrir a reportagem foram apenas “decisão editorial”.

O candidato Serra, depois de parabenizar Lula, corrigiu a informação logo depois:

Ou seja, Jesus não precisou mandar dessa vez. Os porquinhos decidiram, por si mesmos, se lançar do penhasco. Até onde eu sei, o próprio prêmio da Time é uma decisão editorial. Tudo numa revista é decisão editorial. Se o texto sobre o presidente vem em primeiro lugar e se o seu nome aparece na dianteira, eu creio que, para a grande massa cheirosa que lê essa revista em todo mundo, Lula é o homem mais influente deste planetinha que, à diferença de algumas massas que o habitam, de cheiroso não tem nada (desculpem o mau humor, mas é que lembrei da Resende alagada ontem, e do perfume encantador que emanava das águas).

Ora, o RP da revista foi diplomático. Deve receber consultas semelhantes de pessoas ligadas a personalidades insatisfeitas com o número posto a seu lado. Imagino que se colocassem o presidente Lula em último lugar, ao lado do número 100, sem que houvesse nenhum texto comentando sua participação na lista, a mídia brasileira esbaldar-se-ia sobre a medíocre posição ocupada por Lula e não consultaria a Time para saber se há ranking ou não. Se FHC ou Serra estivessem no lugar de Lula, creio que os porquinhos guinchariam tão alto que perigariam abafar o choro do corinthianos desta quinta-feira.

Os estoques de Rivotril devem estar perto do fim em alguns bairros nobres. Por outro lado, se o presidente é aprovado por quase 90% da população brasileira, um prêmio desse tipo, ainda mais considerando que não é o primeiro (El País, Le Monde, etc, também prestigiaram Lula), é motivo de grande orgulho nacional, um fato salutar num país com notórios problemas de autoestima. Nossa mídia, infelizmente, não parece raciocinar dessa forma.

A ginástica que o Globo se obriga para explicar a seus leitores que, apesar de Lula figurar no topo da lista, ao lado do número 1, e de seu texto abrir a reportagem, o prêmio não é um ranking, apenas explicita sua imagem de pirracento, rancoroso e corroído pela mais ácida inveja.

(Blog Óleo do Diabo, de Miguel do Rosário)

1º de Maio: Dilma vai aos eventos da CUT, Força e UGT; Marina vai a este último; e Serra não vai a nenhum

Do Valor Econômico

As centrais sindicais realizam amanhã três eventos em celebração ao 1º de maio, em São Paulo. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT), irão participar pela primeira vez nos oito anos de governo. Lula e Dilma passarão o dia em maratona nas cerimônias sindicais. O pré-candidato da oposição, José Serra (PSDB), não estará, e Marina Silva (PV) confirmou presença em uma solenidade. As festas, que, ao todo, receberão mais de 1,3 milhão de pessoas, ganharam um tom eleitoral, servindo à candidatos e centrais para manifestações de apoio e reivindicações para além de 2010.

Vitoriosas nos últimos anos, as centrais sindicais se organizam para obter dos candidatos garantia de que seus pleitos serão atendidos a partir do ano que vem. Das seis centrais reconhecidas pelo Ministério do Trabalho, quatro já declaram apoio à Dilma – Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST) e Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB).

A Força Sindical, segunda maior central do país, está dividida. Embora seu presidente, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, deputado federal pelo PDT, já tenha declarado voto na candidata do PT, parte da Força apoia José Serra para presidente. “A Força sempre foi plural, temos dois vice-presidentes filiados ao PSDB”, afirmou Paulinho, em referência à Melquíades Araújo e Antônio Ramalho. “Nunca tivemos um único candidato, a maioria vai apoiar a Dilma, como eu”, diz ele, que fez campanha para o candidato tucano nas eleições presidenciais de 2006, Geraldo Alckmin.

Foto Destaque

A União Geral dos Trabalhadores (UGT), terceira maior central em orçamento, foi a única que não participou do evento realizado no início do mês no sindicato dos metalúrgicos do ABC, no qual Dilma teve seu primeiro encontro público com representantes sindicais. O presidente da UGT, Ricardo Patah, justifica que membros da direção nacional pertencem a partidos de oposição ao governo. É o caso de Sergio Ribeiro Silva, prefeito de Carapicuíba (SP), filiado ao DEM. “Além dele, temos diretores filiados ao PPS e ao PV”, diz Patah, que, ao Valor, disse ser fiel eleitor de Lula.

As centrais, no entanto, defendem pontos comuns. Além da manutenção dos ganhos reais do salário mínimo, pressionam pela redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais. Também querem a aprovação no Congresso da resolução 158 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que prevê que toda demissão deve ser comunicada previamente ao sindicato, numa tentativa de restringir a rotatividade no mercado de trabalho. Essas questões devem ser levadas aos pré-candidatos após assembleia marcada para 1º de junho no Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

A CUT, central mais ligada ao PT, vai além. Na festa do Dia do Trabalhador de amanhã, no Memorial da América Latina, a central lança seu programa para 2010. “Não é uma pauta de reivindicações, mas uma plataforma de governo, um novo modelo de desenvolvimento para o país”, afirma Artur Henrique, presidente da CUT. As propostas vão desde o fortalecimento das negociações coletivas até a criação de mecanismos de participação social na definição do Orçamento da União.

“O grande mérito do governo Lula foi abrir espaço para as centrais e sindicatos, sem distinção. Quem, até bem pouco tempo atrás, poderia imaginar que Meneguelli e Medeiros sentariam juntos?”, afirma Antônio Neto, presidente da CGTB, em referência à Jair Meneguelli e Luiz Antônio Medeiros, rivais históricos do sindicalismo nos anos 1980 e 1990. Meneguelli, petista, foi presidente da CUT, enquanto Medeiros, filiado a PFL (atual DEM) e depois PL (hoje, PR), ascendeu como líder do “sindicalismo de resultados”, que se opunha ao “ideologismo” da CUT e do PT – ele, em 1991, foi fundador e primeiro presidente da Força Sindical.

As disputas sindicais dos anos 80, que se traduziram em pulverização de centrais nos anos 90, continuaram firmes nos primeiros anos do governo Lula. Em junho de 2005, durante a crise do mensalão, um conjunto de confederações de trabalhadores do setor de serviços formou a NCST. Nas eleições presidenciais de 2006, a Força Sindical apoiou o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, no segundo turno. No ano seguinte, quatro novas centrais foram criadas: UGT e CTB, mais ao centro, e Conlutas e Intersindical, de oposição à esquerda do governo. A partir de 2007, no entanto, a relação entre Estado e centrais sindicais começou a mudar. A nomeação de Medeiros como secretário de Relações de Trabalho do Ministério do Trabalho serviu à Força como gesto de aproximação, ao mesmo tempo em que o PDT, ao qual Paulinho é filiado, ingressava na base aliada do governo.

As relações entre centrais e governo se intensificaram em 2008. Naquele ano, o Congresso aprovou a convenção 151 da OIT, que garante aos trabalhadores direito a negociação coletiva. Além disso, o governo abriu mão de metade da fatia da contribuição sindical que recebia, repassando às seis centrais 10% do total arrecado com o imposto cobrado dos trabalhadores formais.

Para receber o dinheiro, as centrais precisavam ter 5% de representatividade, critério do Ministério do Trabalho que leva em conta o número de sindicatos filiados às centrais e o tamanho da base de trabalhadores representada. Centrais menores, como Conlutas, do P-SOL, e Intersindical, do PSTU, ficaram sem receber.

Desde então, as centrais receberam um reforço generoso em seus orçamentos. Em 2008, o governo transferiu R$ 65,7 milhões, e, no ano passado, R$ 80,9 milhões. Reportagem publicada em 05/03 pelo Valor mostrou que o dinheiro chega a representar 80% do orçamento total das entidades. O dinheiro, segundo os sindicalistas, tem sido empregado para aquisição e reforma de sedes e na realização de marchas e eventos, como as festas que ocorrerão amanhã em São Paulo. A Força Sindical, dona do segundo maior repasse do governo, inaugurou mais de seis sedes regionais, além de sua sede nacional, em São Paulo – empreendimento que custou R$ 6 milhões à Força.

“O imposto sindical foi o instrumento de cooptação das centrais que o governo encontrou”, afirma Luis Carlos Prates, o Mancha, membro da direção nacional do Conlutas. O sindicalista avalia que os eventos preparados pelas seis centrais para comemorar o feriado de 1º de maio, são “a forma que as centrais encontraram de retribuir o governo pelo empenho que este teve em fortalecê-las”.

Para Mancha, o fato de o dinheiro transferido pelo governo representar a maior parte dos orçamentos das centrais indica que as entidades não têm independência frente ao Estado. “Dependência econômica leva necessariamente à dependência política”, afirma. Um membro da direção nacional da CTB diz que a central “está fechada com Dilma” e prevê que a pré-candidata do PT vai cumprir a extensa agenda de amanhã, que inclui ainda comemoração no sindicato dos metalúrgicos do ABC, em São Bernardo (SP). “Quem precisa de voto é ela, não eu”.

(Blog do Favre)

STF decide pela manutenção da Lei da Anistia

BRASÍLIA (Reuters) – Por sete votos a dois, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram nesta quinta-feira pela manutenção da Lei da Anistia, julgando improcedente a ação apresentada pela OAB sobre a aplicação da lei aos torturadores do regime militar.

Acompanharam o voto do relator Eros Grau pela manutenção da lei os ministros Cármen Lúcia, Ellen Gracie, Gilmar Mendes, Marco Aurélio, Celso de Mello e Cezar Peluso, presidente do STF.

Já os ministros Ricardo Lewandowski e Ayres Britto interpretaram a ação da Ordem dos Advogados do Brasil parcialmente procedente, defendendo que a Lei da Anistia não se estende a agentes da repressão que cometeram crimes de tortura e homicídios.

“Ao STF não compete legislar (sobre a revisão da lei de anistia)”, disse o relator, considerando que cabe ao Legislativo revê-la.

Dos 11 ministros, dois não participaram da sessão. Joaquim Barbosa está de licença e Dias Toffoli foi declarado impedido, segundo a assessoria de imprensa.

A ação da OAB contestava a validade do artigo 1o da lei, que considera igualmente perdoados os crimes “de qualquer natureza” relacionados aos crimes políticos ou por motivação política.

A entidade pedia uma interpretação mais clara desse trecho, pois entendia que a lei “estende a anistia a classes absolutamente indefinidas de crime”.

Para a OAB, a anistia não devia abranger crimes como homicídio, abuso de autoridade, lesões corporais, desaparecimento forçado, estupro e atentado violento ao pudor contra opositores ao regime político da época.

A Advocacia-Geral da União defende a aplicação da lei em caráter amplo, geral e irrestrito.

Para o advogado-geral da União Luís Inácio Adams não se pode questionar, 30 anos depois, a lei que anistiou não só os crimes políticos, mas também os crimes comuns relacionados a eles. Isso, argumentou, acarretaria “grave ofensa à segurança jurídica que impede que uma leitura mais gravosa da norma atinja situações jurídicas já consolidadas”.

“Alterar essa situação acarretaria violação do princípio da irretroatividade da lei penal mais grave inscrito no artigo 40 da Constituição Federal”, disse.

Na opinião do advogado constitucionalista Ives Gandra Martins, “a lei diz ‘crime de qualquer espécie’. A tortura é um crime como qualquer outro”, avalia.

“Depois a tortura foi considerada crime imprescritível, mas em legislação posterior… Eu tenho impressão que é impossível a retroatividade da lei penal”, afirmou, lembrando que a Lei da Anistia foi incorporada à Constituição promulgada em 1988.

A Lei da Anistia, de agosto de 1979, beneficiou aqueles que teriam cometido crimes políticos ou por motivação política entre setembro de 1961 e agosto de 1979. Entre eles, os que tiveram direitos políticos suspensos e representantes sindicais punidos pela legislação vigente no regime militar, que vigorou no país entre 1964 e 1985.

Por Maria Carolina Marcello; com reportagem de Eduardo Simões

(O Globo Online)

Com doença rara, menina de 9 anos do Ceará parece ter 65

Aos 9 anos, Ana (nome fictício), moradora de Sobral (CE), apresenta sinais de envelhecimento compatíveis aos de uma pessoa de 65 anos. Não tem cabelos e a pele é coberta por rugas e manchas senis. Os dedos tortos evidenciam que sofre de artrite. Ela foi uma das crianças encontradas desde que foi lançada, há seis meses, uma campanha mundial para identificar portadores de uma doença rara que causa o envelhecimento precoce.

A progéria ou síndrome de Hutchinson-Gilford é causada por uma mutação genética que faz com que a pessoa envelheça de cinco a dez vezes mais rápido do que o normal. A Fundação de Pesquisa Progeria (PRF em inglês), entidade americana criada há 11 anos para financiar pesquisas sobre a doença, estima que existam no mundo cerca de 200 casos. Até outubro de 2009, a fundação havia conseguido identificar apenas 52 crianças. Por isso, a campanha adotou o slogan Encontre as Outras 150.

Segundo a diretora executiva da PRF, Audrey Gordon, outros nove casos foram descobertos graças à iniciativa, dois deles no Brasil. “Nosso objetivo é encontrar essas crianças para orientar suas famílias com o que há de mais avançado sobre tratamento”, diz ela. A fundação está desenvolvendo testes clínicos com drogas que buscam retardar os efeitos da doença.

Além de Ana, a paraibana Bianca Pinheiro, de 4 anos, também foi incluída recentemente nas estatísticas da PRF. Ambas poderão fazer o tratamento nos Estados Unidos, financiado pela fundação. Uma terceira criança brasileira, caso conhecido mesmo antes da campanha, já participa dos testes clínicos.

“Os primeiros testes, feitos com apenas uma droga em 28 crianças, foram concluídos no fim de 2009. Os dados ainda estão sendo analisados”, conta Audrey. “Mas já iniciamos uma nova leva, agora com três drogas diferentes e 45 crianças”, conta.

O tratamento existente hoje apenas minimiza os sintomas da doença, como osteoporose, rigidez nas articulações e arteriosclerose. Problemas cardiovasculares, como derrame e enfarte, são o maior fator de risco para os portadores, cuja expectativa de vida é de apenas 13 anos.

A progéria, no entanto, não afeta o desenvolvimento mental nem o comportamento das crianças. “Ana é uma menina carismática e gentil. Possui habilidades normais para a idade e estuda em série regular”, revelou Alexandre Nogueira, membro da equipe de saúde que atende a menina.

(Estadão Online)

Ivo Gomes ataca de novo e diz que Cid nada deve a José Pimentel

O deputado estadual Ivo Gomes (PSB) viveu uma quinta-feira de frases e ações naquela base do vai ou racha. Depois de ter reclamando da propaganda da Prefeitura de Fortaleza que omitiu o apoio do Governo do Estado na conclusão da novela em torno do Novo Beco da Poeira, eis que sobrou agora para o pré-candidato ao Senado pelo PT, deputado federal José Pimentel.

Indagado pelos repórteres que cobrem a Assembleia Legislativa sobre a cobrança de Pimentel, feita neste Blog, lembrando que, quando relator do Orçamento Geral da União 2008, assegurou recursos para os grande projetos estruturantes do Estado, reagiu com ironia:  “Nós não devemos nada ao Pimentel. Nada ao Pimentel. Nada!”

O parlamentar ainda chegou a reforçar suas colocações: “Reconhecimento de quê?! O quê?! Qual é o reconhecimento?” Ele aproveitou para desabafar também sobre a retirada do seu irmão, Ciro Gomes, por parte da cúpula do PSB, do páreo presidencial. Par ele, Ciro levou uma rasteira.

E de onde veio mesmo essa “rasteira”: do PT ou do PSB? Ivo reagiu de novo; “Foi de “ambos e trambos”. O parlamentar informou que já conversou com Ciro após essa decisão seu irmão estava tranquilo. Sobre o palanque em que Ciro estará, evitou falar, mas lembrou que seu irmão já disse que seguirá a orientação partidária.

Ivo aproveitou para dar um recado sobre a disputa no Ceará: o governador Cid Gomes não vai aceitar pressão de possíveis aliados e o PSB estadual vai continuar conversando tanto com PT quanto com PSDB.

(Blog do Eliomar de Lima)

Justiça libera abertura do comércio aos domingos em Fortaleza

O pleno do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) decidiu, nesta quinta-feira, que a abertura do comércio de Fortaleza, aos domingos, não deve ser condicionada pela realização de acordos ou convenções coletivas de trabalho, mas sim pela legislação trabalhista. A decisão teve como relatora a desembargadora Edite Bringel Olinda Alencar.

Segundo ela, “a lei municipal nº 9.452/2009, que estabelece o horário de funcionamento do comércio varejista e atacadista no município de Fortaleza, apresenta eiva de inconstitucionalidade quando exige a celebração de acordos ou convenções coletivas de trabalho, condicionando a abertura do comércio local aos domingos à demonstração desses instrumentos de negociação coletiva entre empregados e empregadores”.

A decisão foi a favor da Federação do Comércio do Ceará (Fecomércio) e do Sindicato do Comércio Varejista e Lojista de Fortaleza (Sindilojas), que ingressaram com ação direta de inconstitucionalidade (ADI). O TJCE julgou parcialmente procedente a ADI, para declarar inconstitucional apenas o parágrafo único do art. 1º da lei nº 9.452/09 que condiciona a abertura do comércio aos domingos a acordo coletivo entre empregados e empregadores. “Ao fazer isso, o Município extrapola o chamado interesse local, adentrando na competência privativa da União para legislar sobre temas de Direito do Trabalho”, destacou Edite Bringel.

(O Povo Online)

DEM(ocratas) tenta assassinar reputação da Time

Líderes da oposição criticaram a escolha da revista “Time”, que elegeu o presidente Luiz Inácio Lula da Silva como um dos 25 líderes mais influentes do mundo em 2010. Integrantes do PSDB e DEM afirmaram ainda nesta quinta-feira que o feito não deve ter nenhum reflexo na campanha presidencial de outubro.

Para o deputado Paulo Bornhausen (SC), líder do DEM na Câmara, ou a revista “ficou louca ou ganhou um patrocínio de uma estatal brasileira”. “Ele não fez nada para merecer, deve ter servido como um prêmio de consolação por sua saída, ou será usado para sua candidatura para um cargo na ONU”, disse.

O líder do PSDB, deputado João Almeida (BA), concorda que Lula não merecia ser escolhido. “Ele apenas capitalizou os feitos que o Brasil vem conquistando faz tempo.” O tucano disse ainda que o prêmio da “Time” não deve se reverter em votos para a candidata Dilma Rousseff (PT). “O eleitor não é bobo, sabe que ela não é o Lula. Ela agora está se apresentando inteira e mostrando o desastre que é. Isso não vai mudar”, afirmou.

Mais cedo, o líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), comemorou a indicação do presidente. O deputado Flávio Dino (PC do B-MA) acha que o prêmio é reflexo de uma política social e de uma política pautada na diplomacia. “É um mérito dele e do Brasil.” Sobre a eleição, Dino disse: “acho que de certa forma o fato pode ser capitalizado pra Dilma, mas isso não vai ser um fator determinante.”

(Folha Online)

Polícia Federal: Operação Cárgula II prende 3 pessoas e investiga 11 municípios no Ceará

A Operação Gárgula II, deflagrada ontem pela Polícia Federal (PF) em parceria com o Controladoria Geral da União (CGU) e o Ministério Público Estadual, prendeu temporariamente três pessoas que supostamente estariam envolvidas em um esquema de desvios de recursos públicos, corrupção ativa e passiva, e lavagem de dinheiro. Foram expedidos ainda mandados de prisão contra outras três pessoas, também acusadas de cometer crimes contra o patrimônio público. Segundo informações da PF, duas delas se apresentariam ainda ontem e outra estava foragida.

Durante entrevista coletiva concedida na Superintendência Estadual da Polícia Federal, os responsáveis pelas investigações informaram que os atos de improbidade administrativa detectados recentemente envolvem 11 municípios. São eles: Maracanaú, Itaitinga, Aracati, Fortim, Cariús, Beberibe, Senador Pompeu, Quixeramobim, Quixeré, Miraíma e Pacujá. Nas prefeituras de cada localidade e em empresas a elas ligadas foram ainda cumpridos 20 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal.

“A operação vai transcorrer durante esse ano e não sei se vai ter um fim, porque a quadrilha é muito grande e envolve aí, a gente calcula que pode chegar a até 50 municípios“, completa o superintendente da Polícia Federal no Ceará, Aldair Rocha.

Segundo o coordenador-geral de operações especiais da CGU, Israel José Reis de Carvalho, verbas repassadas tanto pelo Governo Federal como pelo Estado & além de recursos dos próprios municípios & teriam sido alvo da ação da suposta quadrilha, que envolveria a participação de servidores públicos e empresas fantasmas.

Somente de recursos federais, Aldair Rocha disse que, de 2007 a 2010, foram alocados para esses 11 municípios cerca de R$ 124 milhões. Desse montante, foram liberados R$ 57 milhões. A estimativa, segundo ele, é que de 20% a 30% dos recursos tenham sido desviados por meio de licitações fraudulentas.

Sobre os recursos que ainda estão para ser liberados, Israel Reis afirma que eles ainda não poderão ser bloqueados. “Por enquanto não tem como bloquear. Isso vai ser durante o processo de análise desse material. As providências necessárias dos órgãos repassadores serão tomadas na medida em que forem surgindo as evidências dos fatos“, disse.

Prefeitos –  A força-tarefa montada para desmontar a suposta quadrilha que atuaria em municípios do Interior para desviar recursos públicos não informou quais prefeitos poderiam estar envolvidos com o esquema de corrupção. “Os inquéritos estão sob segredo de Justiça”, disse o superintendente Aldair Rocha.

O promotor de Justiça Luiz Alcântara, da Procuradoria dos Crimes Contra a Administração Pública (Procap), por sua vez, adiantou que alguns dos prefeitos deverão “ser chamados à responsabilidade“.

EMAIS – A Operação Gárgula II surgiu em decorrência do material recolhido nas operações Gárgula, deflagrada em dezembro de 2008, e Província, iniciada no último mês de março. Essas investigações constataram o envolvimento de empresas e escritórios em esquemas de desvio de verbas públicas federais e estaduais repassadas a prefeituras cearenses.

– Nove ministérios podem ter tido recursos desviados pelas 11 prefeituras investigadas pela Operação Gárgula II: Educação, Integração Nacional, Pesca, Saúde, Cidades, Desenvolvimento Social, Desenvolvimento Agrário, Esportes e Turismo.

– O promotor Luiz Alcântara afirmou que publicizou os nomes dos seis presos na operação por conta de uma determinação social. “São pessoas que ocupam cargos públicos e precisam atuar com transparência.”

AS PREFEITURAS E OS PRESOS

PREFEITURAS QUE FORAM ALVO DA OPERAÇÃO GÁRGULA II

1. Maracanaú
2. Itaitinga
3. Aracati
4. Fortim
5. Cariús
6. Beberibe
7. Senador Pompeu
8. Quixeramobim
9. Quixeré
10. Miraíma
11. Pacujá

PESSOAS QUE TIVERAM PRISÃO PREVENTIVA EXIGIDA PELA JUSTIÇA
1.Eduardo Teixeira Soares Lima (engenheiro)
2. Elias Neves Neto (vereador em Acopiara)
3. Antônio Alexandre (engenheiro)
4.José Luiz de Araújo Bica (empresário)
5. Raimundo Rodrigues de Sousa (esposo da prefeita de Pacujá e secretário de Administração e Finanças)
6. Alan Keyne Gaudino Albuquerque (genro do prefeito de Miraíma)

Fonte: OPERAÇÃO GÁRGULA II

PT vai entrar com ação contra Eduardo Graeff, para apurar crime eleitoral em site vinculado ao PSDB

PT vai entrar com ação para apurar crime eleitoral em site vinculado ao PSDB

Publicada em 29/04/2010 às 19h15m

Maria Lima, em O Globo

BRASÍLIA – O presidente do PT, José Eduardo Dutra, disse que o partido vai entrar nesta sexta-feira com representação no Ministério Público Eleitoral para apuração de crime eleitoral contra Eduardo Graeff, ex-secretário-geral da Presidência no governo de Fernando Henrique Cardoso, apontado como responsável pela montagem do site http://www.gentequemente.org.br. O site, abrigado na página do PSDB, segundo Dutra, foi montado para atacar a pré-candidata do PT, Dilma Rousseff, e o presidente Lula.

” A oposição fica entrando com ações para nos caracterizar como a margem da lei, mas por debaixo dos panos cometem esses crimes ”

Apurada a responsabilidade, se for mesmo Graeff, ele disse que ingressarão com ação civil por danos morais contra Graeff.

– O que a gente está vendo é uma tentativa vil de desclassificação, ataques pessoais, tudo aquilo que a gente não gostaria de ver numa campanha. A oposição fica entrando com ações para nos caracterizar como a margem da lei, mas por debaixo dos panos cometem esses crimes – disse Dutra.

A assessoria do PSDB informa que os advogados do partido só vão se manifestar depois que conhecerem o teor da ação.

(www.viomundo.com.br)

“O mundo gosta dos brasileiros e do que eles representam”

Um Ministério do Sol,da revista britânica Monocle, no artigo “A Ascensão de Brasília”

Tradução da leitora Marina Veiga

Uma rede de embaixadas crescendo rapidamente e um uso inteligente de sua cultura significam que o Brasil está fazendo amigos em todo o mundo. É só uma forma de conseguir um  assento no Conselho de Segurança das Nações Unidas ou uma nação emergente tentando mudar a ordem mundial?

Repórter
AndrewTuck, de Brasília

Fotógrafo
André Vieira

Em março, o presidente do Brasil, Luiz Inacio “Lula” da Silva e Celso Amorim, seu ministro de Relações Exteriores há seis anos, embarcaram em um vôo em Brasília destinado a Israel, territórios palestinos e Jordânia. Era a primeira vez que um líder brasileiro visitava a região desde que o imperador do país, Dom Pedro II, viajara até lá em 1876. Em maio, a dupla somará mais milhagens ao visitar o presidente Mahmoud Ahmadinejad do Irã.

Enquanto isso, em Brasília, eles tem demonstrado hospitalidade diante de uma porta giratória de agentes globais como a Secretária de Estado americana Hillary Clinton que, em uma visita de março, falhou na sua tentativa de conseguir o apoio do Brasil para novas sanções contra o Irã e seu programa nuclear. E Ahmadinejad também esteve aqui – sua visita foi vista pela mídia iraniana como “uma derrota séria para os sionistas”.

Está claro que o Brasil se tornou um intrigante agente no palco diplomático mundial, flexionando seus jovens músculos e usando seus cotovelos para gentilmente abrir espaço entre as velhas potências, especialmente os Estados Unidos, quando nescessário. E essa nova confiança é amparada em um boom de novas embaixadas e na expansão do corpo diplomático. Mas o que o Brasil quer de tudo isso?

Para alguns comentaristas ocidentais (e a classe média brasileira), o país está se colocando um pouco perto demais do Irã, Venezuela e China e negligenciando parceiros comerciais importantes (leia-se Estados Unidos e Israel) para, por razões políticas, tenta rearranjar seus canais diplomáticos com as capitais de nações emergentes. Outros pensam que o Brasil está simplesmente buscando o respeito que esta Nação florescente e rica em recursos merece e a promoção de novas alianças como contrapeso ao poder americano. Do que todos estão certos é que o Brasil quer ser ouvido e sua ambição-chave é conseguir um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU. Um diplomata europeu em Brasília disse à Monocle que tudo o que o Brasil faz deve ser visto a partir dessa ótica.

O pessoal que mapeia os novos caminhos diplomáticos tem sua base no Ministério das Relações Exteriores ou Palácio do Itamaraty, como é chamado – ele leva esse nome por causa da sua antiga sede no Rio de Janeiro, quando a cidade ainda era a capital. Desenhado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, agora com 102 anos de idade,  o “novo” palácio é maior que qualquer dos ministérios vizinhos em Brasília, assim como seu poder — todos os outros se curvam aos seus desejos. Os ministérios das Minas e Energia e do Comércio muitas vezes fazem  sua política apenas em nível nacional; assim, quando o Brasil mandou sua comitiva à Conferência sobre Mudanças Climáticas, ela respondeu ao Itamaraty.

O Ministério também tem certa liberdade em relação à máquina política, seus empregados são diplomatas civis de carreira, inclusive Amorim (no entanto, todos acreditam que, por sua proximidade de Lula, Amorim vai embora quando terminar o mandato do presidente em janeiro).

O jovial embaixador Gilberto Fonseca Guimarães de Moura (um embaixador continua com o título mesmo quando retorna à base em Brasília) é o diretor de Mecanismos Interregionais, o que o coloca na liderança das relações em tudo, de Ciência a Assuntos Sociais, com uma longa lista de siglas e abreviaturas. Talvez as mais importantes sejam as ligações entre o Brasil e a parte RIC dos BRICs (Rússia, Índia e China), IBAS (Índia, Brasil, África do Sul) e ASPA (países Sulamericanos e Árabes).

Em seu organizado escritório no ministério, ele fala com orgulho de seu trabalho e dos numerosos eventos, conferências e grupos de trabalho em que está envolvido. “É um novo mundo e estamos construindo uma coisa nova. Não estamos mudando relações bilaterais importantes, mas criando uma nova  diplomacia interregional”, diz Moura.

Seu departamento também está envolvido em promover a herança árabe brasileira – o país conta com 12 milhões de pessoas com raízes árabes: 10 milhões do Libano, 2 milhões da Síria. (Gilberto também diz que o país tem 150 mil judeus e que os dois grupos se dão bem). O departamento ajudou a montar recentemente a comemoração pelos 130 anos da chegada dos árabes ao Brasil. “Os portugueses e espanhóis não poderiam ter chegado aqui sem a tecnologia árabe de navegação”, ele me diz.

Essa atitude deve agradar aos amigos do Brasil no Oriente Médio (no seu tour por lá, Lula falou que era hora de conversar com o Hamas, que o programa de assentamentos de Israel estava apagando “a chama da esperança” e que procuraria um tratado de livre comércio com a Autoridade Nacional Palestina). Mas Moura parece mais entusiasmado com assuntos mais práticos, de projetos ambientais a maneiras de conseguir usinas de dessalinização. “Nos sentimos muito à vontade no mundo”, ele diz.

Também fica claro que novos laços estão sendo forjados quando eu me espremo dentro do escritório forrado de livros de Antonio Augusto Martins César, o cabeça da divisão África I, e aproveito bem os cafés adocicados que ele me serviu. Em um mapa atrás de sua mesa, César aponta para sua área de interesse, que começa no Congo-Brazzaville e vai até o norte ao Marrocos, tomando toda a África ocidental. Antes um deserto para as missões brasileiras, sob Lula esta região viu seu número de embaixadas ter um boom – Bamako, Malabo e Lomé sao agora o lar de diplomatas brasileiros (em Brasília, ajuda ter um atlas ao alcance das mãos quando você é informado sobre os detalhes de seu novo posto diplomático). Serra Leoa pode ser o próximo.

César fala que os novos laços diplomáticos foram primeiramente estreitados com aquelas nações com as quais o Brasil tinha laços culturais (incluindo os paises lusófonos como Angola, que abriga 30 mil brasileiros), mas que o Brasil é recebido de braços abertos em todo o mundo pois “as pessoas olham para nós como um país que passou por situações e problemas semelhantes, mas que conseguiu superá-los”. Mas os céticos acreditam que essas novas embaixadas são apenas uma forma de angariar novos votos para se um dia aquele assento na ONU ficar disponível (muitos países ocidentais também dariam apoio para que o Brasil, junto com outros membros do G4 – Alemanha, Índia e Japão – se tornassem membros permanentes do Conselho de Seguranca). Mas, como a grande maioria das pessoas que conhecemos no ministério, Cesar parece simplesmente interessado em fazer novas conexões, não política cotidiana (apesar de dizer que essas conexões melhorariam se as companhias aéreas estabelecessem alguns outros vôos entre o Brasil e a África).

A chique Mariana Moscardo de Souza está ocupada com ligações do chefe quando vamos descobrir como a Nação está usando seu poder suave. “Só diplomatas são movidos a acordos comerciais”, brinca Souza, que dirige a divisão de promoção da cultura brasileira. Ela tem razão. Ao contrário do que acontece com debates econômicos, fazer o público se engajar com a cultura brasileira não é uma tarefa difícil – da música ao futebol, o mundo está aberto a esse lado do Brasil. Colocando simplesmente, o mundo gosta dos brasileiros e do que  eles representam. “Eu comecei trabalhando no setor cultural no momento em que isso se tornou um assunto importante para o ministério, começou a ter peso e agora ocupa uma parte especial da agenda política”, disse ela.

Souza trabalha com embaixadas e consulados brasileiros, ajudando-os a formar os seus calendários culturais em tudo, de música a arquitetura. Uma das jogadas de maior sucesso do ministério foi a Amrik, uma exposição de fotografias celebrando a cultura árabe na América do Sul, que já visitou a Argélia,o Egito, a Jordânia, a Síria e o Líbano. O Brasil se tornou hábil em usar sua cultura rica para fazer amigos.

Alguns dias mais tarde, no Rio de Janeiro, eu encontrei Raul Juste Lores na Livraria da Travessa em Ipanema. Fica na cidade por alguns dias antes de começar seu novo trabalho como editor de economia e negócios do jornal mais importante do Brasil, Folha de S. Paulo. Foi correspondente por dois anos em Pequim, vivendo realmente o laço com o briC. Mas está tão intrigado quanto cético com essas novas ligações, especialmente com o BRIC, termo cunhado pelo economista da Goldman Sachs Jim O’Neill, mas que tem agora vida própria.

“O BRIC se tornou realidade mesmo sendo um conceito muito raso. Mas foi ajudado pela crise global, que empurrou para adiante esses países, enquanto o poder dos Estados Unidos, Europa e Japão encolheu. Eu vi isso acontecer quando estava na China. No começo, ninguém do alto escalão do Partido Comunista queria ser entrevistado por mim – eu poderia muito bem estar a serviço de um jornal boliviano – mas dois anos depois, eles me ofereciam toda a sorte de entrevistas, pois queriam acesso ao Brasil”, disse ele.

Sobre o papel que o Brasil tem, Lores fala que Lula empurrou a economia para a direita e a política externa para a esquerda. Ele nota um desejo real de “redesenhar o mundo” e vê um sentimento antiamericano em jogo. E, insiste Lores, isto mostra-se eficiente num país em que muita gente tem uma duradoura e profunda desconfiança em relação aos Estados Unidos. “Na Segunda Guerra Mundial, o Brasil mandou milhares de tropas, mas no pós-guerra foi totalmente negligenciado pelos Estados Unidos, enquanto os outros aliados foram ajudados economicamente. Depois, os Estados Unidos apoiaram a ditadura militar. O povo se lembra disso”.

Porém, mesmo que o Itamaraty tenha jogado suas cartas com finesse, Lores acredita que Lula deu vexames, como quando sugeriu que os confrontos nas ruas de Teerã depois da contestada eleição presidencial pareciam uma briga de torcidas, quando comparou os dissidentes cubanos a criminosos comuns e disse que a greve de fome não deveria servir de pretexto para sair da prisão (um diplomata no ministério diz que as pessoas, especialmente fora do Brasil, esquecem que Fidel Castro foi um verdadeiro herói para muitos brasileiros durante os anos da ditadura milirar, e mesmo que saibam que ele agora não é bom, nunca o atacariam).

“Lula não é nem de longe um especialista em assuntos internacionais. Ele é apenas incrivelmente carismático e inteligente. Às vezes acaba dizendo a coisa errada – o que disse sobre Cuba foi pornográfico – mas as pessoas perdoam seus erros”, diz Lores. Pós-Lula, nos perguntamos se alguém conseguiria escapar ileso com tais declarações.

Por telefone, de Washington, Michael Shifter, o presidente do Programa Andino do Diálogo Interamericano e um comentarista sobre assuntos da América Latina, nos dá a sua impressão sobre a nova diplomacia brasileira. “É a expressão de uma busca mais profunda por um papel maior no palco mundial. Um assento no Conselho de Segurança é um objetivo muito claro, mas há também uma intenção de se estabelecer como uma potência global. Para mostrar que chegaram lá”.

Mas ele vê obstáculos à frente. O que pode acontecer depois que Lula sair do poder, o fato de que o Itamaraty só pode brigar apoiado em uma economia forte e, interessante, o alerta de diversos países latinoamericanos em relação ao Brasil. “Eles tem medo que os Estados Unidos se retirem e deixem o Brasil comandar a política externa. Eles querem multiplicar suas opções, não querem ficar sob a vontade do Brasil”.

Alethea Pennati Migita lida com um lado divertido do novo lugar do Brasil no mundo. É secretária de Protocolo no Itamaraty, outro papel que teve um repaginamento total sob Lula. O presidente não gosta de jantares à francesa, prefere almoços à americana. Isso está dentro do escopo de Migita, pois o Itamaraty é o anfitrião em todas as visitas de chefes de Estado – o presidente vem de seu palácio. E como Brasília vem se tornando uma capital cada vez mais importante para os líderes mundiais, os eventos são cada vez mais frequentes.

“Teremos dez chefes de Estado por aqui no próximo mês”, diz Migita. E, aparentemente, presidentes e monarcas se viram muito bem ao receber um prato e a informação de que devem se servir sozinhos ( pelo menos uma vez podem comer o que quiserem). E, como Migita nos diz, “casa muito bem com o jeito do presidente”. Cabe também como metáfora para a nova diplomacia do palácio: talvez um pouco problemática para os  tradicionalistas, estranhamente nova para outros, certamente quebrando algumas regras. Mas tudo feito com charme brasileiro, o que no final das contas deveria deixar poucos se sentindo ameaçados.

(http://www.viomundo.com.br/)

Chico Buarque declara voto em Dilma Rousseff

O cantor e compositor Chico Buarque de Holanda declarou seu voto na pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. “Eu confesso, vou votar na Dilma porque é a candidata do Lula e eu gosto do Lula”, afirmou Chico em entrevista à revista “Brazuka”, segundo o blog do Fernando Rodrigues.

Chico Buarque falou sobre o seu voto quando respondeu pergunta sobre declaração do cantor e compositor Caetano Veloso. No ano passado, Caetano afirmou que preferia a pré-candidata do PV, senadora Marina Silva (PV), porque ela não é “analfabeta nem grosseira como o presidente”. O cantor foi repreendido pela mãe, Dona Canô Veloso, 102 anos, que pediu desculpa ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Para a “Brazuka”, que é editada na França, Chico Buarque afirmou que sua mãe –Maria Amélia, de 100 anos– e a de Caetano são eleitoras de Lula.

“Nossas mães são muito mais lulistas que nós mesmos. Mas não sou do PT, nunca fui ligado ao PT. Ligado de certa forma, sim, pois conheço o Lula mesmo antes de existir o PT, na época do movimento metalúrgico, das primeiras greves. Naquela época nós tínhamos uma participação política muito mais firme e necessária do que hoje”, afirmou o cantor.

A revista perguntou a Chico Buarque se a imprensa trata o governo Lula injustamente. “Nem sempre é injusto, não há uma caça às bruxas. Mas há uma má vontade com o governo Lula que não existia no governo anterior”, disse.

(Folha Online)

Prostituta “menor de idade” é pivô de escândalo sexual envolvendo jogadores da seleção francesa

Zahia afirma que jogadores não conheciam a sua verdadeira idade

PARIS — Zahia Dehar, a mulher no centro de um escândalo de prostituição envolvendo vários jogadores da seleção francesa de futebol, assegurou esta quinta-feira à revista Paris Match que os homens com quem foi para cama ignoravam que ela era menor de idade.

“O primeiro foi Karim Benzema (atacante do Real Madrid), mas confirmou que nunca soube minha idade”, disse Dehar, agora com 18 anos. A jovem também contou ter viajado a Munique, na Alemanha, para se encontrar com Franck Ribéry, atacante do Bayern de Munique.

“Foi para seu aniversário, quando fez 26 anos, em 7 de abril de 2009. Tinha reservado um hotel de luxo em Munique, tivemos relações sexuais e ele me pagou (…) Franck Ribéry não sabia a minha idade”, continuou a mulher.

Dehar asseguou à revista francesa ter contado tudo aos investigadores que a interrogaram em três ocasiões.

“Os policiais fizeram escutas e os nomes de alguns jogadores de futebol e o meu foram pronunciados (…) Estava claro, não podia negar”, justificou.

A jovem disse que não gostava de ser identificada como “prostituta” porque, segundo ela, trabalha por conta própria, sem pertencer a qualquer rede ou cafetão.

Ribéry teve que depor como testemunha à polícia francesa. A condenação por solicitar relações sexuais com uma prostituta menor de idade pode chegar a três anos de prisão e multa de 45.000 euros.

Segundo fontes judiciais, Karim Benzema também terá que depor como testemunha.

A secretaria de Estado para o Esporte francesa, Rama Yade, disse que este não é “um caso agradável” e mostrou-se contrária a que um jogador de futebol que tenha sido formalmente acusado de um delito – algo que ainda não aconteceu nesta situação – possa vestir a camisa da seleção francesa.

“A camiseta da França é sagrada e não pode ser usada por um acusado”, destacou.

(AFP)

Tasso Jereissati cada vez mais longe da reeleição

Com o título “Tasso cada vez mais longe da reeleição”, o vice-presidente regional do PT, Antõnio Carlos de Freitas avalia que o senador tucano corre sérios riscos a partir da saída do jogo sucessório do seu amigo Ciro Gomes. Confira:

Considero totalmente equivocada a pretensa relação que alguns setores da mídia vêm tentando demonstrar entre a decisão do PSB de não lançar candidatura própria à Presidência e uma possível alteração na composição política no bloco progressista anti-neoliberal (PT, PSB, PCdoB, PMDB e demais partidos) no Ceará.

Os últimos acontecimentos envolvendo decisões do PSB Nacional não mudam nem alteram coisa alguma no âmbito local. Ou melhor, altera sim: faz crescer o isolamento do senador tucano Tasso Jereissati.
A decisão do PSB só corrobora com a tese de que a base progressista de sustentação do governo Lula deve ter, sim, dois candidatos viáveis ao Senado Federal. Não sei em que ponto isso facilita a reeleição de Tasso/PSDB ou, ainda, uma aliança das forças progressistas e de esquerda com o PSDB no Ceará.

Sem Ciro Gomes (PSB) candidato, o que ocorre é o inverso. As possibilidades de derrota para Tasso aumentam. Sem a força de um palanque nacional que crie confusão sobre sua relação histórica com o PSDB e o neoliberalismo, o senador tucano-neoliberal terá ainda mais dificuldades de reeleição, pois terá que se contentar com o palanque do Serra, candidato de Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente que “quebrou” por duas vezes o País e que tem baixíssima aceitação do povo cearense.

Outra leitura equivocada dos fatos é de que o PT, por conta da questão nacional aprofundada com o fato do PSB não ter candidato ao Planalto, estaria agora condicionado a “aceitar’ apenas uma das posições na chapa majoritária. Como afirmei anteriormente, o palanque nacional que poderia ligar a candidatura da base progressista do governador Cid Gomes/PSB ao senador tucano (contradição sem precedentes e que acredito não passar pela cabeça do PSB) foi desfeito. Em minha opinião, Tasso acaba de perder mais uma batalha. Paciência é sempre uma boa conselheira nesses momentos.

Os motivos são muito simples. Primeiro: é o PT que está, pela segunda vez, abrindo mão de ter uma candidatura majoritária ao governo do Estado. Algo correto no objetivo nacional de consolidar o projeto democrático e popular aliado a superação do neoliberalismo e o fim da “era Tasso” nas terras patativenses.

O PT tem o presidente da República e terá a primeira presidenta desse País. Não será tarefa fácil, a elite brasileira jogará baixo para retomar o espaço perdido, mas não terá êxito em sua empreitada. Além disso, o PT governa 15 importantes cidades no Ceará. Dentre elas, a capital Fortaleza, Juazeiro, Barbalha, Cascavel e Acaraú. O partido está enraizado nos movimentos sociais, sindicais e populares. É, portanto, decisivo em qualquer processo político e, mais ainda, em uma eleição como a que vivenciaremos no outubro vindouro. Não é razoável para uma força com esse peso não ter a legitimidade de lançar um candidato ao senado e reivindicar a vaga de vice.

Outra questão: se não tivermos no bloco já citado dois candidatos para o senado (pra valer, não apenas por demarcação) só elegeremos um, facilitando a reeleição do anti-Lula e neoliberal Tasso Jereissati. Essa não é uma conta difícil de ser feita. E além de matemática, ela é política. Não acredito que Lula, PT, PSB, PCdoB, PMDB e as forças políticas e sociais que estão mudando o Brasil verdadeiramente irão cometer um erro histórico desses. Venho percebendo que algumas matérias na nossa mídia estão, reiteradas vezes, levantando essa tese sem que ninguém tenha defendido tamanho equívoco.

O PT Já ratificou o seu nome viável para o Senado e com amplas chances de vitória, o do ex-ministro José Pimentel, para colaborar com o governo Dilma. Além disso, ratificou também o compromisso de eleger um outro (Eunício-PMDB) aliado do governo Lula nesse bloco anti-neoliberalismo.

Um “laranja” nesse caso, sem força e sem viabilidade para compor a chapa ou lançar apenas um nome, entregando a eleição para o maior inimigo do governo Lula do PT/PSB e PCdoB seria, volto a repetir, um erro histórico. Não acredito que tem gente se iludindo com essa possibilidade, pois significa acreditar que a esquerda cearense jogaria sua história no ralo.

Antonio Carlos de Freitas
Vice-presidente do PT-Ce
ará.

(Blog do Eliomar de Lima)

Grupo armado assalta Banco do Brasil de Nova Russas

O veículo modelo L-200 utilizado para a fuga de oito bandidos que assaltaram a agência do Banco do Brasil do município de Nova Russas, por volta do meio-dia desta quinta-feira, 29, foi encontrado carbonizado. Policiais do Sertão dos Inhamuns e do Piauí fazem o cerco na Região para encontrar os assaltantes. O clima é de tensão.

O assalto –  Oito homens fortemente armados e encapuzados invadiram a agência do Banco do Brasil do município de Nova Russas, no início da tarde desta quinta-feira, 29.

Os bandidos dispararam vários tiros dentro da agência, deixando algumas portas quebradas. As primeiras informações dão conta de que os ladrões levaram cerca de R$ 850 mil da agência bancária.

Os assaltantes fugiram em uma L-200 de cor preta, levando um funcionário do banco como refém. Ele já foi libertado na zona rural de Nova Russas, sem nenhum ferimento. De acordo com reportagem da TV Dário, os bandidos atiraram várias vezes após sair da agência, quando passaram em frente ao Fórum do município e ao parar em um sinal de trânsito.

Segundo testemunhas, havia quatro assaltantes na carroceria do veículo e quatro dentro da cabine. É grande o movimento de policiais e de curiosos em frente à agencia assaltada.

(O Povo Online)

Michael Moore usa “o cara” para dar uma força a Obama

O artigo de Michael Moore que apresenta Lula como o líder mais influente do mundo é – e não se podia esperar diferente de alguém tão ligado em apontar as contradições dos EUA aos próprios americanos – uma “forcinha” a Barack Obama, que ficou em quarto lugar na escolha da revista.


Moore usa o texto para defender a reforma da saúde americana, vejam só:

Quando, pela primeira vez os brasileiros elegeram Luiz Inácio Lula da Silva presidente em 2002, os barões ladrões do país nervosamente verificaram os medidores de combustível de seus jatos particulares. Eles  transformaram o Brasil em um dos lugares mais desiguais do planeta, e agora parecia que chegara a hora desta conta ser cobrada. Lula, 64 anos, era um verdadeiro filho da classe trabalhadora da América Latina – na verdade, um membro fundador do Partido dos Trabalhadores – e já tinha sido preso uma por liderar greve.

No momento em que Lula, finalmente, conquistou a presidência, após três tentativas fracassadas, ele já se tornara uma figura familiar na vida  brasileira. Mas o que o levou para a  política para começar? Foi seu conhecimento pessoal do quão duramente muitos brasileiros têm de trabalhar para sobreviver? Ser forçado a abandonar a escola depois da quinta série para sustentar sua família? Trabalhar como engraxate? Perder parte de um dedo em um acidente de trabalho?
Não. Foi quando, aos 25 anos, viu sua esposa Maria morrer durante o oitavo mês de gravidez, junto com seu filho, porque não podiam pagar por cuidados médicos.

Há uma lição aqui para bilionários do mundo: deixe as pessoas terem bons cuidados de saúde, e eles causarão muito menos problemas para vocês.

E aqui está uma lição para o resto de nós: a grande ironia da presidência de Lula – ele foi eleito para um segundo mandato em 2006 e que terminará este ano – é que, mesmo enquanto ele tenta impulsionar o Brasil ao Primeiro Mundo com programas sociais do governo como o Fome Zero, que visa acabar com a fome, e com planos de melhorar a educação oferecida aos membros da classe trabalhadora do Brasil, os EUA se parecem mais com o antigo Terceiro Mundo a cada dia.

O que Lula quer para o Brasil é o que costumamos chamar o sonho americano. Nós, os EUA, onde os 1% mais ricos possuem agora mais riqueza do que os 95% mais pobres somados, estamos vivendo em uma sociedade que está rapidamente se tornando mais parecida com o Brasil.”

Se eu pudesse dizer algo a Moore, diria que os jatinhos estão lá, que ninguém foi embora, que continuam barões e ladrões. E que, apesar de conservarem todos os seus privilégios, odeiam tanto o nosso povo que farão tudo para que o Brasil voltar a ficar cada vez mais parecido com aquele Brasil que era (e ainda é) um dos lugares mais desiguais do planeta.

Nossa elite não é apenas gananciosa e incompetente. É má.

(Blog Tijolaço, do Brizola Neto)

Os artistas mais influentes do mundo segundo a “Time”

A cantora Lady Gaga aparece em primeiro lugar na lista dos artistas mais influentes do mundo publicada pela revista norte-americana “Time” nesta quinta-feira.

O texto dos artistas mais influentes do ano foi escrito pela cantora Cindy Lauper, ícone pop da década de 90. Para ela, “a arte de Lady Gaga retrata o período que vivemos agora”.

A lista traz ainda nomes como a diretora de “Guerra ao Terror” e vencedora do Oscar Kathryn Bigelow, a apresentadora Oprah Winfrey, os atores Robert Pattinson e Ashton Kutcher e a cantora country Taylor Swift.

Veja abaixo outros artistas que integram a lista da “Time”.

Jeff Bridges (ator)
James Cameron (diretor de cinema)
Sandra Bullock (atriz)
Dave Eggers (escritor)
Beyoncé (cantora)
Conan O’Brien (apresentador de TV)
Neil Patrick Harris (ator)
Mo’Nique (atriz)
Kathryn Bigelow (diretora de cinema)
Oprah Winfrey (apresentadora de TV)
Taylor Swift (cantora)
Alec Baldwin (ator)
Ellen DeGeneres (atriz e apresentadora de TV)
Jay Leno (apresentador de TV)
Criadores de “Lost” (Jeffrey Lieber, J. J. Abrams e Damon Lindelof)

(Folha Online)

Lula é eleito pela ‘Time’ o homem mais influente do mundo

Nova York, 29 abr (EFE).- O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito a pessoa mais influente do mundo, segundo a revista “Time”, que publicou nesta quinta-feira a lista que inclui também o ex-líder americano Bill Clinton e a cantora Lady Gaga.

O ranking da Time é dividido em alguns tópicos e Lula lidera na categoria Líderes.

Lula, Bill Clinton e a modelo Liya Kebede

A sétima lista anual da publicação das 100 pessoas mais influentes do mundo, divulgada no site da revista que chega às bancas nesta sexta-feira, coloca o presidente Lula, de 64 anos, no topo dos líderes mundiais.

“Lula é um autêntico filho da classe trabalhadora latino-americana, que esteve preso uma vez por liderar uma greve”, afirma o cineasta Michael Moore, que se encarregou de elaborar um perfil do presidente para a revista em que destaca as conquistas de Lula para levar o seu país “ao Primeiro Mundo”.

Depois do governante, vem o presidente da empresa de computadores pessoais Acer, J.T. Wang, e o chefe do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, o almirante Mike Mullen, o presidente americano, Barack Obama (que ocupa o quarto lugar) e a presidente da Câmara de Representantes dos EUA, Nancy Pelosi.

Entre os líderes em destaque também estão a ex- governadora do Alasca e ex-candidata republicana à Vice-Presidência, Sarah Palin; o diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn; os primeiros-ministros japonês e palestino, Yukio Hatoyama e Salam Fayyad, e o chefe do Governo da Turquia, Recep Tayyip Erdogan.

A “Time” escolheu o ex-presidente Clinton, de 63 anos, como líder da seção da lista dedicada aos “heróis” por seu trabalho como enviado das Nações Unidas ao Haiti, como lembra o cantor irlandês da banda U2, Bono Vox, no perfil que escreveu sobre o ex-governante para a revista e onde assegura que “sem ele, o universo não seria tão amigável para os humanos”.

Nessa seção também estão a sul-coreana Kim Yu-na, que este ano conseguiu o primeiro ouro em patinação artística para seu país em Vancouver; o opositor iraniano Mir Hussein Musavi, e o ator Ben Stiller por seu trabalho na reconstrução de escolas no Haiti, assim como os desportistas Didier Drogba e Serena Williams, entre outros.

Entre os artistas e celebridades a revista destaca o domínio da nova-iorquina Lady Gaga, que aos 24 anos conseguiu inúmeros sucessos mundiais com seu primeiro trabalho e com uma aparições surpreendentes.

“O trabalho de um artista é retratar – seja através de palavras ou sons, letras ou música- como é estar vivo em seu tempo. A arte de Lady Gaga captura o período que vivemos”, afirma a cantora Cindy Lauper para a Time no artigo em que destaca a “admiração” que sente pela jovem artista.

Abaixo dela, a Time colocou o humorista televisivo Conan O’Brien, que voltará em breve à televisão após abandonar a “NBC”, a cineasta Kathryn Bigelow, que se tornou a primeira mulher a ganhar um Oscar de melhor direção por seu filme “Guerra ao Terror”.

Oprah Winfrey também está entre os escolhidos deste ano, assim como o diretor de “Avatar”, James Cameron, a atriz Sandra Bullock, os britânicos Ricky Gervais e Robert Pattinson, os cantores Elton John e Prince e o costureiro Marc Jacobs, diretor criativo da empresa francesa Louis Vuitton.

Além disso também aparecem a cantora Taylor Swift, os atores Ashton Kutcher e Neil Patrick Harris, assim como o produtor e popular juiz do programa de talentos “American Idol”, Simon Cowell.

Também fazem parte da lista da revista “Time”, já na categoria “pensadores”, a prestigiosa arquiteta anglo-iraquiana Zaha Hadid, o executivo-chefe da Apple, Steve Jobs e o ex-presidente do Federal Reserve e agora assessor presidencial em matéria econômica, Paul Volcker, entre outros.

Fecha essa categoria a juíza americana de origem porto-riquenha Sonia Sotomayor, de 55 anos, que foi escolhida por Obama no ano passado para ocupar um posto na Suprema Corte se transformando assim na primeira mulher hispana a chegar o tribunal.

A revista “Time” também inclui uma análise de quem de sua lista são os mais influentes na internet, através de uma análise do número de seguidores e de conexões que essas pessoas acumulam nas redes sociais Facebook e Twitter.

Segundo essa análise, Barack Obama e Lady Gaga, seguidos do ator Ashton Kutcher, da cantora Taylor Swift e da apresentadora Oprah Winfrey dominam o manejo dessas ferramentas eletrônicas.

(EFE)

Vem aí o VI Feirão da Casa Própria em Fortaleza e Cariri. Prepare-se!

Ainda em fase de levantamento com as construtoras, a Caixa Econômica Federal se prepara para realizar dois eventos que vão impulsionar ainda mais o financiamento imobiliário no Ceará. A sexta edição do Feirão da Casa Própria, em Fortaleza, ocorrerá de 14 a 16 de maio no Centro de Negócios do Sebrae. Já a III Feira de Imóveis do Cariri está agendada para os dias 5 e 6 de junho, no Cariri Shopping, em Juazeiro do Norte. Embora ainda não disponha do número de imóveis que serão comercializados em cada evento, a expectativa da instituição é positiva em função dos recordes alcançados no ano passado.

Os feirões da Casa Própria da Caixa serão realizados em Fortaleza, de 14 a 16 de maio no Centro de Negócios do Sebrae e, no Cariri, nos dias 5 e 6 de junho, no Cariri Shopping, em Juazeiro

Em 2009 a Caixa encerrou o ano com a maior contratação habitacional de sua história. No Ceará, o montante destinado aos financiamentos habitacionais cresceu 100,7%, passando de R$ 322,5 milhões, em 2008, para R$ 647,5 milhões, beneficiando mais de 14 mil famílias no Estado. No 5º Feirão da Caixa, em junho do ano passado, foram movimentados R$ 387,4 milhões no Ceará, contabilizando 5.271 negócios – um incremento de 119,85% face a edição do ano anterior.

Este ano, a projeção inicial para o mesmo evento é de pelo menos 20% de crescimento face a edição anterior. Em 2010 o mercado permanece aquecido. Somente no primeiro trimestre deste ano (2010), a Caixa já concedeu no Ceará o montante de R$ 146,7 milhões em crédito imobiliário. Nos dias 14, 15 e 16 de maio mais de 90 estandes de construtoras e imobiliárias estarão diariamente, de 10 às 20 horas (sexta e sábado) e até às 19 horas no domingo, trabalhando para bater as metas alcançadas em 2009.

Cerca de 300 funcionários estarão atendendo durante a Feira, que contará com duas ilhas de atendimento Caixa para simulações e atendimento geral.

Imóveis no Cariri –  Nos dias 05 e 06 de junho será a vez de Juazeiro do Norte alavancar a aquisição de moradias na região do Cariri.

No sábado, de 10 às 20 horas, e no domingo, entre 10 e 18 horas, o Cariri Shopping contará com a estrutura 25 estandes de construtoras e ilha de atendimento Caixa com 45 empregados nos dois dias de Feira.

Os financiamentos podem chegar a 100% do valor dos imóveis, com prazo de até 30 anos para pagar, direcionado a todas as faixas de renda familiar. Do mesmo modo que no 6º Feirão da Caixa, em Fortaleza, o total de imóveis que serão oferecidos ainda está sendo fechado com as construtoras.

Brasil – Em todo o País, mais de 450 mil imóveis estarão à venda em 13 cidades na sexta edição do Feirão da Casa Própria da Caixa. De olho na demanda aquecida, o evento deste ano ainda será complementado por 41 feiras de menor porte.

Esta edição terá 200 mil moradias que se enquadram nas regras do Minha Casa, Minha Vida. O banco ainda não contabilizou quantas unidades novas – além das que estão dentro do programa – serão oferecidas, mas o vice-presidente da instituição, Jorge Hereda, estima que chegue à metade.

A previsão é de que os negócios realizados ou encaminhados totalizem R$ 3,5 bilhões. A vantagem para quem está procurando um imóvel é encontrar, num só local, todos os agentes da cadeia, como construtoras, corretores, cartórios e técnicos do banco responsáveis por liberar os financiamentos.

Atenção – O coordenador do Centro de Estudos em Finanças da FGV, William Eid Júnior, alerta, porém, para as armadilhas de um evento desse porte para quem não fizer as contas antes de se comprometer por um prazo que pode chegar a 30 anos.

“O mercado está desregulado, com imóveis com valores elevados”, afirma, aconselhando os futuros mutuários a avaliarem com calma as condições do empréstimo e não apenas se a parcela caberá no orçamento.

Além disso, ressalta, é preciso conferir, antes da compra, a estrutura do imóvel e do seu entorno, o que inclui transporte, segurança e até conversar com potenciais vizinhos para não se arrepender depois do negócio fechado.

(Diário do Nordeste)

Travestis: Lançamento da I Campanha Nacional de Promoção de Direitos Humanos e Prevenção à AIDS

A Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SID/MinC) participou nesta quarta-feira, dia 28 de abril, em Brasília, do lançamento da I Campanha Nacional de Promoção de Direitos Humanos e Prevenção à AIDS, idealizada pelas travestis da todo o país e que tem como título Sou travesti. Tenho direito de ser quem sou. O lançamento da campanha foi feito durante o I Seminário Nacional de Gestores e Trabalhadores no Combate à Homofobia que acontece de 27 a 30 de abril, no Hotel St. Peter, e contou com a presença de Thaís Werneck, da Coordenação de Promoção da Diversidade, Difusão e Intercâmbio Cultural (SID).

A Campanha é uma iniciativa do Ministério da Saúde e da Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República e tem como objetivo sensibilizar a sociedade contra o preconceito e a discriminação, além de informar as travestis sobre as formas de prevenção da doença. Todo o material publicitário da campanha, como cartazes e folders, telas de descanso e toques de celular, além de vídeos, foram produzidos pelas próprias travestis durante uma oficina de criatividade realizada de 16 a 18 de janeiro, em Brasília, que contou com a participação de 16 representantes do segmento de todo o país.

Elas utilizaram as peças publicitárias para mostrarem que são pessoas comuns, que trabalham, estudam e possuem famílias. Com o slogan Olhe, olhe de novo, e veja além do preconceito, os vídeos da campanha mostram, por exemplo, quais os fatores que influenciam na escolha do nome social das travestis.

Para Jovana Baby, presidente da Articulação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), “o governo brasileiro entendeu que o segmento, mais deixado à margem da sociedade, tem qualidade para produzir material que ajude a sociedade a entender melhor o objetivo da campanha”. Ainda segundo ela, o movimento organizado do segmento, que protagoniza pela primeira vez a campanha, foi o principal responsável por essa aproximação com o governo. “A nossa participação é fundamental até na capacitação de gestores públicos para lidar com situações de saúde vividas, no dia a dia, pelas travestis”, assegura ela.

Esta é a segunda campanha realizada pelo Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde voltado especificamente para o segmento. A primeira, “Travesti e Respeito”, foi lançada em 29 de janeiro de 2004. Nesta data, consagrada como o Dia da Visibilidade das Travestis, 27 delas fizeram o lançamento da campanha no Congresso Nacional.

A campanha visa também a promoção da inserção social e a imagem positiva das travestis, além de disseminar o conhecimento sobre as formas de prevenção às  DST/AIDS, além do combate à violência e à discriminação. “Na vida real, elas não são vistas, não são ouvidas. Ao produzir esse material elas passam a ser as protagonistas de sua própria história”, justifica Mariângela Simão, diretora do Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde.

Confira o material da campanha no site www.aids.gov.br/travestis.

(Heli Espíndola – Comunicação/SID)

(http://www.cultura.gov.br/site/2010/04/28/diversidade-sexual-4/)

Vacinação contra gripe suína imunizou 40 milhões de brasileiros

BRASÍLIA – A campanha de vacinação contra a influenza A (H1N1), também conhecida como gripe suína, já imunizou 40 milhões de brasileiros. Em nota, o Ministério da Saúde afirma que o número equivale a 64% do público-alvo das etapas convocadas até o momento. Até o final da campanha, no dia 21 de maio, a meta é imunizar pelo menos 72,8 milhões de pessoas, o que corresponde a 80% da população convocada para a vacinação.

Até o momento, já foram vacinados 64,3% dos doentes crônicos e 61% dos jovens de 20 a 29 anos. A cobertura das grávidas chegou a 68%. Os índices mais altos de cobertura estão nos grupos das crianças de seis meses a menores de dois anos (96,5%) e dos profissionais de saúde envolvidos com o atendimento a casos suspeitos da doença (100%).

Segundo o ministério, gestantes podem se vacinar até o final da campanha. Para crianças entre seis meses e menores de dois anos, portadores de doenças crônicas e pessoas de 20 a 29 anos, o prazo para a vacinação foi prorrogado até o dia 7 de maio. A última etapa, para a população de adultos entre 30 e 39 anos, terá início em 10 de maio.

A vacinação contra a gripe suína para idosos com doenças crônicas de todo o país começou no último sábado. Para as regiões Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste, no entanto, o ministério recomenda que os idosos com doenças crônicas esperem o início da Campanha de Vacinação do Idoso contra a gripe comum, que começa no dia 8 de maio, para ir uma só vez ao posto de saúde. Nas regiões Sul e Norte, a vacinação para idosos contra a gripe comum foi iniciada no dia 24 deste mês.

(Agência Brasil)

Indústria brasileira cresce em todos os setores

BRASÍLIA. A volta ao crescimento econômico já se espalhou por toda a atividade industrial.

Segundo sondagem divulgada ontem pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), os níveis de emprego, produção e utilização da capacidade instalada aumentaram no primeiro trimestre de 2010, em relação ao mesmo período no ano passado.

A pesquisa mostra que o indicador de emprego na indústria alcançou 55,5 pontos no primeiro trimestre — maior valor desde o terceiro trimestre de 2004. Valores acima de 50 pontos indicam expansão. Já o índice de produção alcançou 62,9 pontos no mesmo período.

“A produção aumentou de forma intensa e disseminada em março. A indústria alimenta um ciclo virtuoso: o crescimento da atividade aumenta o emprego industrial, que dá impulso à evolução do consumo das famílias, que estimula a atividade”, afirma a sondagem da CNI.

— A gente está encerrando o primeiro trimestre quase que totalmente superando os efeitos da crise financeira internacional — disse o gerente-executivo da CNI, Renato da Fonseca.

Segundo o documento, o uso da capacidade instalada das empresas fechou o primeiro trimestre em 74%. Já no mesmo período de 2009 — quando a economia estava sob o impacto da crise e desaquecida — esse valor era de 68%. A alta desse indicador é um dos fatores levados em consideração pelo Banco Central (BC) na hora de decidir sobre o comportamento das taxas de juros.

A preocupação da autoridade monetária é que o forte aumento da utilização da capacidade instalada em função da demanda acabe levando a um aumento dos preços e gerando inflação.

No entanto, segundo a CNI, é possível observar que o indicador de 2010 está próximo ao registrado nos três primeiros meses de 2008, que era de 75% sem pressionar os preços.

As projeções também são positivas.

O índice de expectativa de demanda relativo a abril ficou em 65,7 pontos, superando em 17,4 pontos o valor observado em abril de 2009. Mas ainda há preocupação com relação ao acesso ao crédito. Esse indicador ficou em 45,3 pontos no primeiro trimestre.

(O Globo)

MPE vai apurar exclusividade do BB em 59 cidades mineiras

Depois de pressionar o Estado a desistir de oferecer condições diferenciadas para o Banco do Brasil conceder crédito consignado, agora o Ministério Público Estadual (MPE) vai apertar o cerco às prefeituras que só aceitam que o servidor pegue empréstimo com desconto em folha nessa instituição. Segundo levantamento da reportagem, o BB firmou convênios de exclusividade para folha de pagamento e consignado com 59 cidades mineiras. “Pedimos esclarecimentos ao banco, que já está em contato conosco. Em Betim, isso cai ainda nesta semana. Mas devemos nos reunir até a próxima segunda-feira com o banco, pois queremos resolver a situação em todas essas cidades de uma só vez”, destacou o promotor de Defesa do Consumidor do MPE, José Antônio Baêta.

O MPE começou a investigar a prática depois da matéria “BB fere a livre concorrência”, publicada pelo O TEMPO no dia 22 de março, denunciando a insatisfação de servidores de Betim, que só podiam fazer o consignado no BB. De acordo com o diretor do departamento de direito civil do escritório Décio Freire, Gustavo Soares, a prática fere o artigo 170 da Constituição, que prevê a livre concorrência. “Essa prática é contra a liberdade de escolha do consumidor e é ilegal, pois não se pode permitir qualquer regra que restrinja o acesso do consumidor ao crédito”, afirmou o promotor.

Segundo Baêta, se ficar comprovado que a prática da exclusividade está trazendo prejuízos ao consumidor, o MPE poderá atuar na área cível, com inquérito administrativo, e na área criminal. “A punição para crime contra a ordem econômica é multa estipulada pelo juiz e reclusão de dois a cinco anos para quem assinou esse contrato, no caso, os prefeitos podem ser presos”, destacou o promotor.

Por meio de nota, o BB afirma que a exclusividade no consignado não atenta contra a livre concorrência bancária e que o banco segue a legislação do Banco Central. “Vale ressaltar que a exclusividade no consignado faz parte de um pacote de benefícios que o BB negocia com o empregador, o qual inclui apoio à gestão pública, ao comércio e à economia regional”, diz a nota.

Não pode
“Quando uma prefeitura diz que o servidor só pode pegar empréstimo em um determinado banco, é a mesma coisa que dizer que ele só pode almoçar no restaurante X, comprar carro na concessionária X ou fazer ligações pela operadora tal”.
José Antônio Baêta
Promotor de Defesa do Consumidor do MPE

Imposição
“Quando é permitido pegar consignado em vários bancos, nós podemos levar as taxas aos concorrentes e negociar juros menores, mas se há monopólio, qual o interesse da instituição em melhorar os serviços prestados?”
Carlos Alberto Santos
Servidor municipal de Betim e diretor da Unsp


Betim

Limitação acaba amanhã – A vigência do contrato de exclusividade na oferta de crédito consignado entre a Prefeitura de Betim e o Banco do Brasil termina amanhã. Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Fazenda informou que a partir de maio o servidor público terá três novas opções de bancos para pegar empréstimo com desconto em folha, mas ainda não divulgou quais serão.

De acordo com a prefeitura, o contrato já previa duração de seis meses, encerrados no dia 30 de abril. Mesmo assim, os servidores temem uma prorrogação. “Com a proximidade do fim dessa exclusividade, vamos procurar a prefeitura para garantir que ela não seja renovada. Quem tem que escolher o banco onde quer pegar empréstimo é o servidor, e não a prefeitura”, ressaltou o coordenador de base de Betim da União Nacional dos Servidores Públicos (Unsp), Evandro Firmino da Fonseca.

A insatisfação dos servidores em relação ao fato de só poderem pegar consignado no BB foi denunciada pelo O TEMPO, no dia 22 de março. Faixas com protestos contra a prática foram espalhadas pela cidade. “Não há perdas para os servidores e existe o compromisso contratual sobre a oferta de taxas competitivas”, esclareceu o banco, em nota da assessoria de imprensa, enviada na ocasião da reportagem. (QA)

O que diz o BB
Posição do banco. A exclusividade no consignado faz parte de um acordo mais amplo com o município, feito na negociação da compra da folha de pagamento, que abarcou um pacote de produtos e serviços.

Restrição em Valadares é parcial – Em Governador Valadares, a exclusividade do Banco do Brasil só existe para empréstimos com prazos superiores a 36 meses – a mesma fórmula que seria adotada para os servidores estaduais mineiros. O secretário do Sindicato dos Servidores Municipais (Sinsem-GV), Charles Germano, conta que os valadarenses já eram vítimas da exclusividade quando a folha era do Itaú. “Em 2005, o sindicato ajuizou uma ação, que ainda está tramitando. Se sair alguma decisão a nosso favor, vamos tentar usar contra a exclusividade do BB”, destacou Germano.

(otempo.com.br)

A covardia da Folha de São Paulo contra Norma Bengell

A quarta-feira amanheceu alegremente ansiosa no Rio. Só se fala no clássico Flamengo e Corinthias. O aspecto positivo de trabalhar em Lan House é que a gente ouve as piadas ao redor. Ouço que a torcida do Flamengou contratou dez travestis para assistir ao jogo no Maracanã e atazanar Ronaldo. “Como ele vai perder o jogo, ao menos tem garantido uma noite de amor”, diz um dos gerentes da Lan.

Deixemos o futebol, porém, para mais tarde, e nos concentremos na agenda política. O Tijolaço levantou o escândalo do dia. Aquele que Nassif chama, sarcasticamente, de ex-Eduardo Graeff, um tucano da alta cúpula do PSDB, tesoureiro do partido, estrategista da campanha de Serra, foi pego em flagrante.

Brizola Neto, autor do Tijolaço, apurou que o mencionado bicudo não apenas “comanda os brucutus”, mas que “é o próprio Brucutu”. A figura aparece como responsável por sites cujo próprio endereço físico é uma baixaria, como o “petralha.com.br”.

O post de Brizola caiu na rede e foi reproduzido em toda a parte, gerando uma enorme onda de indignação. Lembremos que Serra afirmou que não patrocinaria “baixarias” em campanha.

Ontem à noite, o deputado havia descoberto outra baixaria do PSDB. No próprio site do partido, em destaque, figura o link para o blog Gente que Mente, dedicado a denegrir a imagem de quadros do PT e da esquerda em geral.

Como o próprio Brizola, como todo mundo aliás, eu também me pergunto qual seria a reação da grande mídia, incluindo sua miríada de colunistas eternamente indignados por qualquer ninharia da campanha dilmista (vide o escarcéu que fizeram por causa da foto da Norma Bengell), se descobrissem que o site oficial do PT dá link, em destaque, a um blog semelhante, ou se um petista graduado fosse responsável por blogs de baixaria.

Tudo que eu disse até agora não é novidade. Repeti aqui apenas para enfiar o prego mais fundo na consciência das pessoas. José Serra patrocina o baixo nível na campanha presidencial. E a mídia não só lhe dá guarida, como rivaliza com ele em baixaria.

Não quero deixar de citar, como parte da mesma estratégia de baixaria, a decisão do deputado José Carlos Aleluia, de publicar um texto apócrifo, falsamente atribuído à apresentadora Marília Gabriela, denegrindo Dilma Rousseff. A jornalista já avisou que vai mesmo processar Aleluia. Bem feito.

E agora eu tiro da manga uma carta que a blogosfera ainda não tinha visto. Antes, uma breve lembrança das circunstâncias do caso.

O blog oficial da Dilma publicou foto da passeata dos Cem Mil de 1968. Trata-se de uma foto imensamente conhecida, em que Normal Bengell, de minissaia, aparece em destaque. Os detratores de Dilma criaram um escândalo em torno disso, acusando o site de pretender passar à impressão de que Norma Bengell era Dilma Rousseff.

Colunistas sérios como Jânio de Freitas, Elio Gaspari e Ruy Castro entraram na onda. Fez-se um ataque de ordem moral. Ampliou-se o caso como se tratasse de um escândalo ético de proporções bíblicas.

Qualquer um que encare a questão com um mínimo de bom senso veria que não houve intenção maliciosa. Norma não tem nada a ver com Dilma. Foi um erro bobo, do tipo que é impossível evitar, dos diagramadores do site. Querer desviar a campanha para discussões pueris como essa é outra baixaria, que pelo visto é encampada por muitos jornalistas que se acham o suprassumo da seriedade e da ética.

Daí que foram entrevistar a atriz Normal Bengell, a qual, surpreendentemente, afirmou que “não via nada demais no caso” e passou a fazer elogios a Dilma, culminando com uma enfática declaração de voto: “tomara que ela ganhe”.

Mais uma vez, bem feito. Caso encerrado, certo? Não.

Os jornais de hoje continuam insistindo no caso. José Nêumanne Pinto, colunista do Estadão e comentarista do SBT, publica um artigo fortemente ofensivo à Dilma. O próprio título é mau educado, chamando a ministra e candidata à Presidência da República, de “dona Dilma”. Mas Neumanne é um tolo. Lembro que por ocasião do estardalhaço oportunista e reacionário com o lançamento do último programa de direitos humanos, Nêumanne foi para a TV pregar um golpe: “E os militares, onde estão os militares?”, vociferava o conservador que, de súbito, mostrou-se um carbonário radical da ultradireita.

O mais absurdo, o mais nojento, o mais assustador, no entanto, partiu, como de praxe, da Folha de São Paulo. O pasquim serrista publicou, na sua edição impressa desta quarta-feira 28 de abril, uma cartinha de um leitor do Canadá contendo uma séria acusação à Norma Bengell.

Com isso, o jornal cumpre vários objetivos: vinga-se de Bengell, que ousou defender Dilma  e torcer por sua vitória; desmerece a sua opinião e a possível influência que esta pode ter eleitoralmente entre os leitores da Folha; e manda um recadinho terrorista bem claro: defendeu Dilma ou PT, leva tiro.

A covardia é explícita. Ataca uma atriz já idosa, sem recursos financeiros ou psicológicos para se defender à altura. Bota a acusação na boca de um leitor, e ainda mais do Canadá. Pratica um verdadeiro homicído de reputação. Ataca a honra de uma artista que muito contribuiu para a cultura brasileira.

As peles de cordeiro, pelo jeito, não estão mais cabendo nos lobos.

(http://oleododiabo.blogspot.com/)

PSDB é coautor do assassinato de reputações na internet

por Conceição Lemes

O jogo sujo na rede contra Dilma Rousseff, candidata do PT à presidência da República, e o seu  partido, está aumentando em quantidade e intensidade.

Na madrugada de 12 de abril, o site do PT foi invadido. Ficou um dia inteiro fora do ar. Ao acessá-lo, muitos usuários tiveram seus computadores infectados por vírus.

Em 14 de abril, nova invasão (veja aqui e aqui). Além de os crackers terem pichado a capa com dizeres favoráveis a José Serra, candidato do PSDB,  redirecionavam o usuário para um blog apoiador do tucano.

Em 18 de abril, a TV Globo colocou no ar o jingle do aniversário dos 45 anos da TV Globo. Embutia, de forma disfarçada, propaganda favorável a  Serra, como alertou prontamente pelo twitter Marcelo Branco, o responsável pela campanha de Dilma Rousseff na internet.

Ontem, 27 de abril, o deputado federal José Carlos Alelulia (DEM-BA) embarcou na demonização de Dilma, mas se deu mal.

A outra investida suja  foi no site oficial do PSDB, que dá link para um outro – também registrado em nome do partido – intitulado “Gente que mente”, dedicado a atacar pessoalmente Dilma e os petistas.

“Ao dar espaço no seu site para um blog que ataca de forma virulenta a Dilma, tentando estigmatizá-la, o PSDB assina oficialmente a baixaria”, denuncia o deputado federal André Vargas (PT-PR). “Já pedimos ao nosso departamento jurídico o estudo de medidas judiciais cabíveis. O PSDB é coautor desses crimes de assassinato de reputações.”

“Os ataques na internet e o episódio do jingle dos 45 anos da Globo já mostraram que os adversários estão dispostos a tudo”, prossegue  Vargas, que é Secretário Nacional de Comunicação do PT . “Se agem assim em abril, já imaginou a baixaria que adotarão em agosto, setembro, outubro?  Temos de estar atentos o tempo inteiro e reagir rápido.”

Comunicação é considerada por muitos o calcanhar-de-aquiles tanto do PT quanto do governo federal. Por isso, resolvemos aprofundar esta entrevista, abordando algumas questões já levantadas pelos próprios leitores do Viomundo.

Viomundo –  O PT está há 7 anos no poder. A mídia corporativa esconde as realizações federais, distorce ou mente sobre elas. Ao mesmo tempo, basta ligar TV, rádio, abrir jornais e revistas, para encontrarmos montes de anúncios do governo federal, Petrobrás, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal. É masoquismo?

André Vargas – Todos os meios de comunicação já existiam à época da ditadura. E se constituiu consenso de que é preciso anunciar na mídia independentemente do posicionamento político. Se você pega o governo do Fernando Henrique Cardoso (PSDB), havia sintonia entre o projeto neoliberal do ex-presidente e aquilo que o setor privado desejava.  O nosso governo não é neoliberal, também não podemos dizer que é socialista. É um governo social-democrata preocupado com o bem-estar social, com a soberania e que entende o papel do estado na realização do projeto nacional de desenvolvimento.

Boa parte do setor privado, mesmo ganhando muito dinheiro, mantém na cabeça ideias, como “o mercado resolve”, “estado mínimo”. Concorda com a crítica do Serra de que “nós estamos fazendo o Estado crescer muito”, “não tem sentido o governo criar novas universidades federais”.  Isso repercute nas linhas editoriais, dois anunciantes de peso na mesma linha. Na verdade, os meios de comunicação ainda têm o coração lastreado nos princípios do governo anterior.

Nesse contexto, como o governo federal não vai anunciar? Seria muito incompreendido no Brasil de hoje. Mas o governo está fazendo uma inversão na distribuição das verbas publicitárias. Na semana passada O Estado de S. Paulo disse que os gastos do governo Lula com publicidade cresceram 40% em seis anos. Mas “esqueceram” de dizer que são apenas 10% maiores que o maior gasto do governo FHC. Temos dissintonia de visão do setor público e privado e ao mesmo tempo distribuição mais democrática.  Isso contraria interesses.

Viomundo – Como é a distribuição das verbas publicitárias?

André Vargas – No período FHC eram divididas entre 260/270 veículos de comunicação. Hoje, entre aproximadamente 2.500. Proporcionalmente os investimentos na chamada grande imprensa diminuíram.  Está-se investindo em veículos pequenos no interior do país, que, antes, não recebiam nada. A internet também teve algum investimento. Ainda é pequeno, mas já cresceu. A ideia de democratizar fere os interesses dos grandes meios de comunicação. Na prática, o “bolo” é quase do mesmo tamanho da época do Fernando. Só que, agora, é dividido em 2.500 pedaços, antes, em menos de 300. É um critério técnico. É a democratização dos anúncios do governo.

Viomundo – Como senhor explica o fato de PT e o governo raramente reagirem com firmeza quando atacados? É medo, contemporização ou resignação?

André Vargas – O PT apanhou bastante ao longo da sua história, mas os episódios de 2005 deixaram o pessoal aturdido. Nunca se viu uma mobilização midiática tão grande contra um governo, contra um partido, estigmatizando-os. Isso não quer dizer que os erros do PT não têm de ser analisados pela mídia. Devem, sim. Mas o que reivindicamos é isonomia: tratamento idêntico para problemas idênticos.  É só observar a cobertura da enchente em São Paulo para ver a discrepância. Quando a Marta estava no governo, era a maior ripa todo dia. Nas enchentes de dezembro de 2009 e começo de 2010, parecia que não tinha governador. O Serra sumiu do noticiário. A população acabou sendo a culpada.

Viomundo – Publicar informação correta não é favor; é obrigação de toda a mídia. Ao deixar de responder à altura, vocês não estariam contribuindo para desinformar a sociedade e, ao mesmo tempo, estimular a oposição a bater à vontade, já que ela conta com o apoio da mídia corporativa?

André Vargas – Uma coisa é o governo. Outra coisa, o partido político. No Brasil, a área de comunicação é uma das que mais resistem à democratização. Veja a reação dos grandes veículos à Conferência Nacional de Comunicação (Confecom). As emissoras de televisão e de rádio não se vêem como concessão pública. Mas, realmente, o governo e o partido poderiam ter entrado mais nesse debate. Precisamos usar todas as alternativas democráticas de comunicação. No próprio PT, muita gente ainda não se deu conta do papel que a internet terá nesta eleição. O cidadão vai poder interagir com a informação no momento em que ela está sendo construída e não só depois de pronta, no final do dia, após os telejornais. Reconheço que a sociedade está mais esclarecida sobre o que estamos fazendo por ação da internet. Graças à internet, aliás, muitos factoides foram desmascarados. Se dependêssemos da grande imprensa, estaríamos fuzilados.

Viomundo – A eleição deste ano promete muito golpe abaixo da cintura, e a mídia tradicional terá papel central. O que os senhores pretendem fazer?

André Vargas – Nós sabemos disso e estamos nos preparando para acompanhar, juridicamente, todas as possibilidades que os meios de comunicação têm de manipular as informações. Assim como nós estamos acompanhando a questão das pesquisas. Nós temos de estar muito vigilantes nestes meses agora – abril, maio, junho e julho – que não temos horário político. E como o Serra é o candidato bem tratado  pela  mídia, será favorecido em termos de espaço e/ou melhor exposição. Depois, vem o horário político e os tempos e espaços terão de ser iguais. Daí o desespero por parte dos aliados do José Serra de abrir larga vantagem agora. Aí, tentam construir uma imagem irreal dele e desconstruir a nossa candidatura. A tática da oposição será inclusive tirar o presidente Lula da eleição.

Viomundo – De que forma?

André Vargas – A nossa força é a relação do Lula com a população. Então, vão dizer que é abuso de poder político, que o Lula é o presidente, que ele não pode dar declaração… Essa é a estratégia da oposição capitaneada pela mídia. Como o presidente Lula já disse que fará campanha nos finais de semana, vão questionar: “Como ele vai separar o que é a presidência e o que é campanha?”

O episódio do jingle dos 45 anos da Globo mostrou que estamos atentos. Reclamaram, mas nós fizemos o que achávamos certo. E vai ser assim. Tem de ser assim. Vigilância total. E com rapidez. Na hora.

Viomundo – Como foi?

André Vargas – O Marcelo Branco, responsável pela campanha da Dilma na internet, enviou um twitter, avisando que o tal jingle embutia, de forma disfarçada, propaganda favorável a José Serra. No ato, apoiei o que ele fez e retwitei.  O episódio do jingle mostrou que os adversários estão dispostos a tudo. Portanto, temos de estar atentos o tempo inteiro e reagir rápido. Entre a noite de domingo e a manhã de segunda-feira, a mensagem do Marcelo foi retwitada para mais de 100 mil internautas. À noite, por várias razões, inclusive a reação na rede, o anúncio foi tirado do ar.

O Marcelo Branco não foi criticado pelo PT, ao contrário da Folha noticiou. A campanha tem uma direção, mas é nosso dever reagir também. Na terça-feira, dia 19, nós tivemos uma reunião da Executiva Nacional do PT e todas as falas sobre o assunto foram positivas.

Viomundo – O senhor achaa que a blogosfera fará a diferença nesta eleição?

André Vargas – Não tenho a menor dúvida. Não interessa ao Brasil uma eleição judicializada, mas pode interessar à oposição. A oposição, aliás, já está judicializando o processo. É um caminho mais tortuoso, pois depende da cabeça de cada juiz.  A oposição prefere a judicialização, pois não quer o debate, não quer a movimentação, não quer que o presidente Lula expresse a sua oposição.

Viomundo – O PT não fará nada contra a judicialização?

André Vargas – O PT de São Paulo já moveu uma ação e estamos nos preparando para essa batalha jurídica.  Uma coisa é certa: não vamos entrar em baixarias.

Viomundo – E a militância? Muitos reclamam que o PT se afastou das bases, da rua…

André Vargas – A mobilização física é importante. Mas a mobilização pela internet talvez vá ser muito mais importante. E ela vai muito mais visível daqui em diante porque o PT e a esquerda têm conteúdo político, temos organizações sociais que atuam nas várias questões cruciais: gênero, meio ambiente, raciais, cotas, saúde, trabalhador…

Viomundo – Nós temos informação de que a oposição está preocupada com a blogosfera independente, que defende a informação correta, adequada, ética e verdadeira, os movimentos sociais, a democratização dos meios de comunicação. Fala-se que a oposição e seus aliados teriam como estratégia o  sufocamento, o cerceamento e a intimidação desses blogues e sites progressistas. O que  acha disso?

André Vargas – Nós temos de continuar garantindo à internet a liberdade de expressão, para que as informações verdadeiras cheguem à sociedade. Pelo Congresso Nacional, tentativas de restrição não passam. Não há ambiente propício a isso. Talvez tentem pelo Judiciário, mas acredito que não consigam seus objetivos. Mas temos, de novo, de ficar atentos. Caso tentem sufocar esses blogues e sites, nós teremos de ter uma reação dura da cidadania. Por isso, a gente de tem de estar mobilizado. A nossa força é a nossa mobilização. Se nós nos apropriarmos da internet, como  aconteceu nos EUA, vamos ter condições de manter governos mais ousados, avançar mais nas conquistas sociais e insistir mais na liberdade de imprensa verdadeira.

(http://www.viomundo.com.br/)

As profissões do futuro

Nanomédicos, cirurgiões que ampliam a memória, policiais do clima e guias turísticos espaciais estão entre as 107 profissões que estarão em alta no futuro, de acordo com o estudo “The shape of jobs to come” (“Os tipos de trabalhos que virão”), realizado pela consultoria de tendências britânica FastFuture.

Para o estudo, que faz uma análise prevendo o período de hoje a 2030, a empresa ouviu mais de 486 especialistas de 58 países, em cinco continentes.

Levando em conta fatores econômicos, políticos, sociais, demográficos, ambientais e científicos, foi elaborada uma lista que se dividia em “profissões ainda inexistentes”, como policial do clima, e as que existem mas cuja demanda deve aumentar, como nanomédico.

Abaixo, dez profissões entre as consideradas mais importantes em um mundo que, segundo a pesquisa, terá que lidar diariamente com as mudanças climáticas, e onde a escassez de água e alimentos será um dos maiores problemas que a comunidade internacional terá que resolver.

O crescimento e o envelhecimento da população devem ser levados em conta. Segundo o estudo, as Nações Unidas prevêem que a população chegue a 9,1 bilhões até 2050. O envelhecimento da população vai pressionar governos, empresas e famílias. E os avanços da ciência e tecnologia vão ter um espaço maior na sociedade. As 20 profissões mais importantes, segundo o estudo, indicam uma tendência de combinar qualificações e habilidades de disciplinas diferentes.

* Policial do clima. As ações de um país podem ter impacto no clima de outro, e serão necessários profissionais que salvaguardem internacionalmente a quantidade de emissões de carvão lançada na atmosfera.

* Fabricantes de partes do corpo. A medicina regenerativa já está dando os primeiros passos. No futuro, serão necessários profissionais que combinem as qualificações médicas com conhecimentos de robótica e de engenharia.

* Nanomédicos. Avanços na nanotecnologia oferecem o potencial de uma gama de artefatos de nível sub-atômico e permitirão uma medicina muito mais personalizada, onde os remédios serão administrados no local exato onde a doença se desenvolveu.

* Farmagranjeiros. Esta profissão envolve conhecimentos farmacêuticos que permitam modificar geneticamente as plantas, de forma que possa ser produzida uma quantidade maior de alimentos, com um maior potencial proteico e terapêutico. Entre as possibilidades do futuro estão tomates que sirvam como “vacinas” ou leite “com propriedades terapêuticas”.

* Geriatras. Os médicos especializados no atendimento de pacientes da terceira idade no prolongamento de uma vida ativa têm futuro garantido. E eles deverão cuidar não só do estado físico do paciente, como também de sua saúde mental.

* Cirurgiões para o aumento da memória. É possível que, no futuro, seja possível a implantação de um chip que funcione como um disco rígido para a mente humana e seja possível armazenar nele os fatos que o ser humano não seja capaz de se lembrar. Serão necessários cirurgiões que saibam como realizar essa operação.

* Especialista em ética científica. À medida que a tecnologia e a ciência se integram mais no dia a dia por meio da nanotecnologia, do estudo das proteínas do organismo e da genética, surgirá mais polêmica sobre o possível uso maléfico de tecnologias e seu impacto social. Serão necessários profissionais com amplo conhecimento de ciência. No futuro, a pergunta a ser respondida não será apenas “É possível fazer isso?”, mas também “É correto que se faça?”

* Especialista em reversão de mudanças climáticas. Haverá cada vez mais uma demanda por profissionais capazes de reverter os efeitos devastadores do fenômeno: pessoas com capacidade para aplicar soluções multidisciplinares como a construção de guarda-sóis gigantes para desviar os raios do sol.

* Destruidor de dados pessoais. No futuro, especialistas vão se dedicar a destruir os dados pessoais e informações sensíveis de indivíduos. Elas devem ser apagadas de forma segura e definitiva para evitar serem alvo de ataques de hackers.

* Organizadores de vidas eletrônicas. A quantidade de informações disponíveis será tão grande que serão necessários profissionais especializados em organizar a vida eletrônica dos indivíduos. Entre as tarefas estarão ler e arquivar correspondência eletrônica, e garantir que um emaranhado de dados existentes esteja organizado de forma coerente.

(http://www.bbc.co.uk/)

Viagra: como funciona e o impacto do Viagra genérico

COMO FUNCIONA O VIAGRA – O Viagra chegou ao mercado brasileiro em 1998 e trouxe consigo o alívio – ainda que momentâneo – de um dos maiores medos masculinos, a impotência sexual.

Na época as pílulas azuis invadiram as farmácias do planeta em meio a uma campanha publicitária milionária, com a promessa de tratar a disfunção erétil, um problema que atinge 30% dos brasileiros sexualmente ativos e para o qual ainda não havia tratamento eficiente. O “milagre” de uma ereção mais duradoura para quem vivia o drama da impotência sexual tem um nome: de citrato de sildenafila.

O estímulo sexual faz com que os nervos no pênis produzam óxido nítrico, que ativa a produção de uma substância chamada GMPc. Ela relaxa os vasos sanguíneos permitindo que eles se expandam e supram o pênis com mais sangue. É esse mecanismo que gera a ereção. Em alguns casos, logo após a produção de GMPc, uma outra enzima chamada PDE-5 entra em ação para anulá-la, acabando com a ereção prematuramente. O citrato de sildenafila atua inibindo a ação da PDE-5 e garantindo a ereção por mais tempo.

O mecanismo de ação do Viagra abriu caminho para que outras empresas explorassem o mesmo filão. Ainda assim, o primeiro concorrente do remédio só entrou no mercado em 2003. Hoje, a fabricante Pfizer, corre o risco de ver seu medicamento vedete na prateleira dos genéricos.


O IMPACTO DO VIAGRA GENÉRICO – O medicamento que curou a disfunção sexual também expôs a insegurança masculina na hora do sexo, aproximou a aids de quem parecia ter “aposentado” a vida sexual e ainda deixou os cardiologistas em alerta nos pronto-socorros do País.

O viagra agora está próximo de virar genérico e com a quebra da patente – ela dá ao fabricante o direito de exclusividade na fabricação do remédio – a conhecida pílula azul usada contra impotência sexual pode ficar mais acessível ao bolso dos brasileiros. Com isso, especialistas de diferentes áreas alertam: será preciso ampliar a divulgação dos “efeitos colaterais” do medicamento, que podem ser desde comportamentais até fisiológicos.

Confira como um cardiologista, um infectologista e um terapeuta sexual analisaram os impactos desta novidade na área farmacêutica.

“Viagra não trata insegurança

Jorge José Serapião, ginecologista, psicólogo e membro da Sociedade Brasileira de Sexualidade Humana, não acredita em revolução pós Viagra. “A consequência (da pílula azul) foi muito diferente do que a trazida pela pílula anticoncepcional para as mulheres, essa sim libertadora e revolucionária” diz. “O Viagra denunciou a insegurança masculina. Mostrou que um bom número de homens usa não por ter uma disfunção erétil propriamente dita, mas como uma bengala para inseguranças emocionais”, completa.

O que comprova seu ponto de vista, acredita o psicólogo, são as estatísticas de uso do Viagra, muito mais altas do que as dos que sofrem de impotência. Para ele, a possível entrada de genéricos do medicamento tem consequências ainda incálculáveis.

“O fato de ter um medicamento efetivo e mais barato é muito bom. Nas classes econômicas mais favorecidas, o único lado ruim do Viagra é que o remédio funcionou como um placebo para esconder insegurança. Cuidou da ereção e fez com que os homens deixassem de tratar a origem do problema. Pode ser que em outras faixas sócioeconômicas o efeito seja diferente. Teremos de esperar para ver.”

“Será preciso mais atenção às DST na terceira idade”

Há 12 anos, quando o Viagra chegou ao mercado brasileiro, os idosos foram convidados a rever a vida sexual. Os bailes da saudade “pegaram fogo” e o incentivo ao namoro entre os mais velhos “esqueceu” de falar de camisinha. O resultado é que a participação de pessoas com mais de 60 anos nas estatísticas de HIV aumentou.

Entre as mulheres desta faixa etária os dados do Ministério da Saúde indicam que em 2000 elas eram 8% dos casos novos. Hoje são 15%. Estudo do Instituto de Infectologia Emílio Ribas mostra que 80% contraíram o vírus dos parceiros, muitos “movidos” a medicamentos para ereção.

Apenas no ano passado os “grisalhos” foram eleitos como “garotos propaganda” de Campanha nacional antiaids, com o slogan “idade não traz imunidade”. O infectologista Ésper Kállas, infectologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e pesquisador de aids da Universidade de São Paulo (USP) avalia que a possibilidade de um genérico do medicamento mais famoso para disfunção erétil reafirma a necessidade de mais campanhas de prevenção.

“Todo mundo deveria ser instruído sobre as formas de transmissão de todas as DST (doenças sexualmente transmissíveis) e também da aids. Os mais velhos têm mais resistência em usar o preservativo. A possibilidade (de um genérico do Viagra) reforça a importância da manutenção de programas preventivos. Quem faz prevenção, não precisa de ação corretiva.”

“Cuidado com o uso corretivo e recreativo”

Não há risco cardíaco em usar Viagra, afirma o cardiologista Rui Ramos, da Sociedade Paulista de Cardiologia e médico responsável do Instituto de Cardiologia Dante Pazzanese. “O perigo é usar e esconder isso do cardiologista” define o médico. Segundo a experiência do cardiologista, o uso “envergonhado” é recorrente nos prontos-socorros. O grande problema do Viagra na cardiologia, explica Ramos, é a associação do medicamento contra a disfunção ao nitrato (substância presente em drogas usadas para tratar várias doenças coronárias).

“Os pacientes que chegam ao pronto-socorro com dor no peito, têm obrigação de responder a verdade para o médico quando perguntado se usaram remédio para disfunção nas últimas 48 horas. Isso porque, a medicação praxe para tratar dor no peito tem nitrato e a associação das duas substâncias é fatal. O homem entra em choque e a reversão (do quadro) é praticamente impossível”, alerta.

Além do uso “envergonhado”, avalia Rui Ramos, o uso “recreativo” também pode aumentar com a redução do preço do medicamento. “O Brasil tem um problema sério. Há um consumo enorme de pessoas que não necessitam do remédio, mas fazem uso por automedicação. Muitos jovens, por exemplo, utilizam sem indicação, antes de festas, como se fosse garantia para o desempenho ou para o aumento da libido. Isso é muito perigoso”, diz.

(Ultimo Segundo)

STJ derruba patente do Viagra e liberação de princípio ativo será em junho

Os laboratórios farmacêuticos no Brasil poderão produzir genéricos do medicamento Viagra a partir de junho. Por 5 votos a 1, os ministros da 2ª Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) definiram que a validade da patente para a produção do mais famoso remédio contra disfunção erétil do mundo vence em 10 de junho deste ano, e não em 2011 — como desejava a Pfizer, multinacional que desenvolveu o medicamento. A decisão pôs fim a uma longa batalha jurídica travada entre a fabricante e o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi), que teve como aliados a União e a Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (PróGenéricos). A sentença foi comemorada pelo segmento de drogas genéricas porque abre precedentes, por exemplo, para processos da mesma natureza, que tramitam em diferentes instâncias, envolvendo outros 30 remédios.

“Ficamos muito satisfeitos com a decisão do STJ, não somente pelo Viagra, mas pela consolidação de um entendimento dos ministros que nos permite vislumbrar um barateamento de outras drogas em um futuro próximo. O laboratório ainda pode recorrer, mas, sinceramente, não acredito que a decisão vá ser revertida”, ressaltou Jorge Ávila, presidente do Inpi. “Temos os casos do Liptor, remédio para colesterol da própria Pfizer, e do Diovan, fabricado pela Novartis e usado para ajudar no controle da hipertensão; alguns desses casos deverão ser julgados em breve”, completou.

Em comunicado oficial, a Pfizer declarou que ainda aguarda mais informações sobre a sentença, mas que continua a defender o prazo de validade da patente. “É uma forma de garantir o retorno do investimento realizado para o desenvolvimento do produto em questão e de outros em estudo, que culminam em novos medicamentos no futuro. Essa garantia de retorno ao investimento feito na pesquisa e no desenvolvimento de novos medicamentos é o que possibilita a inovação contínua”, argumentou.

Divergências –  No julgamento iniciado em março, a procuradora Indira Quaresma, que representou o Inpi no processo, afirmou que o fim da patente vai representar a diminuição de 35% a 50% no preço do remédio. De acordo com números de 2007 da PróGenéricos, 7 milhões de comprimidos foram vendidos no país naquele ano, movimentando mais de R$ 200 milhões.

Em discussão, estava a data em que o pedido de patente foi homologado. Se em 20 de junho de 1990, quando a multinacional Pfizer fez o depósito da patente na Grã-Bretanha, ou se em 7 de junho de 1991, data em que o laboratório fez o pedido de registro no Escritório Europeu de Patentes e também registrou a patente no Brasil. A multinacional alega que “abandonou” o primeiro pedido e, assim, sustentou que o prazo de 20 anos de exclusividade para a produção da droga só venceria em 2011.

O argumento, porém, não convenceu a maior parte dos ministros, que seguiram o voto do relator, João Otávio Noronha.

(Correio Brasiliense)

No PSB, apenas Ciro entendeu o PT

O fim da candidatura de Ciro Gomes à Presidência pelo PSB mostra mais do que uma simples opção da direção do partido socialista pela candidatura da petista Dilma Rousseff. É também a confirmação da hegemonia do PT sobre a esquerda do espectro partidário. Esse fato vai além de um ato de vontade do partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ou de uma opção das pequenas agremiações de esquerda que orbitam a sua volta. É um dado histórico, contra o qual o simples proselitismo é inócuo. Para ameaçar a posição do PT no quadro partidário, é preciso ação orgânica e transformação efetiva dos partidos que hoje são satélites do PT em organizações de massa. É andar muito chão e comer muita grama.

A hegemonia petista é produto de uma combinação de contingências históricas e decisões políticas. Fundado em 1980 por integrantes do “novo sindicalismo”, que jamais pegou em armas, e facções egressas da luta armada contra a ditadura, o partido, mais por contingência do que por decisão dos seus atores políticos, fez da síntese do conflito o seu tecido orgânico. O partido formou-se como uma frente de esquerda – e, tomadas as tentativas anteriores nesse sentido, cujo palco foram os jornais alternativos da década de 1970, o PT seria uma aposta no desastre. Não foi. Há duas explicações centrais para isso.

Em primeiro lugar, as facções, ao ingressarem no PT, já haviam feito a inflexão da opção pela luta armada – até porque o inimigo central e comum, a ditadura, se encontrava nos estertores e, antes de sucumbir, havia desmantelado as suas organizações. A queda do Muro de Berlim, em 1989, e o declínio do socialismo real, iniciaram um processo de “hegemonização” interna da opção pelo socialismo democrático – a democracia não mais como um instrumento de chegada ao poder e imposição da “ditadura do proletariado”, mas como objetivo. Não mais um meio, mas um fim.

Em segundo lugar, porque os sindicalistas que fazia parte da experiência de fundação de um partido de esquerda de massas não se incorporaram como coadjuvantes do processo. Aliás, a experiência de mobilização dos setores tradicionalmente representados pela esquerda do espectro partidário, os trabalhadores do setor industrial em especial, dava protagonismo a esses atores políticos mais forjados na prática do que em grandes debates teóricos.

A dinâmica interna do PT incorporou esses dois setores em igualdade de condições. Essa era a condição para que um líder como Lula não fosse engolido pelo processo, ou que um líder como Lula engolisse os grupos políticos que dependiam da habilidade do metalúrgico para mobilizar grandes massas.

Praticamente toda a primeira década do partido foi marcada por uma dinâmica interna de luta pelo poder que tendeu à radicalização. Isso manteve o partido isolado, o que seria mortal para uma organização política em início de carreira, mas o isolamento teve outro efeito, o de fixar no eleitor a identidade do partido. A estratégia camicaze de lançar candidatos para perder serviu ao seu propósito. E uma identidade forte de um líder carismático ajudou esse processo, num país sem tradição de partidos ideológicos. No final da primeira década, o PT era a opção obrigatória para alianças com os pequenos partidos de esquerda. Uma coesão parlamentar contraditoriamente fundada na divisão interna – a obrigação de defesa das posições da maioria – tornou o partido também o centro do bloco da esquerda parlamentar, para desespero da esquerda tradicional.

A primeira eleição de Lula, em 2002, foi a confirmação de uma liderança sobre os demais partidos de esquerda que já era exercida na prática. A grave crise interna de 2005, decorrente do chamado Mensalão do PT, foi um momento de declínio dessa liderança – por alguns meses, durante o período mais agressivo de CPIs e denúncias, a combinação de organicidade tecida na luta interna e liderança que fazia a conversa ideológica com setores de baixa renda ruiu e teria levado junto a hegemonia do PT, se houvesse algum partido de esquerda com condições de assumir o seu lugar. O PPS, principal adversário do “hegemonismo” petista, aproximou-se tanto do PSDB que tornou impossível a diferenciação entre um e outro. PSB e PCdoB tomaram a decisão tática de alinhamento com o PT contra a ofensiva de setores conservadores, mas não tinham nem lideranças tão grandes quanto Lula, nem massas, para assumirem uma posição privilegiada nessa aliança. O P-SOL se desprendeu do PT e tentou voo solo. O recente racha na minúscula legenda, em torno de uma candidatura presidencial, mostra que ainda está longe de ser um partido.

O PSB cresce no vácuo, como opção à polarização PT/PSDB, e tem se aproveitado disso, nos moldes de um partido de formação tradicional. Ciro Gomes foi o integrante do partido que mais entendeu que isso não bastava. A insistência do deputado de formular um projeto para o Brasil utilizando o partido – foi um trabalho quase solitário, mas articulado com as direções estaduais – é um reconhecimento de que a legenda, para ter vida própria, precisa de alguma organicidade ideológica, além de líderes com potencial inegável, como o próprio Ciro e o presidente do partido, Eduardo Campos. Ciro não prima pela habilidade, é certo, mas conseguiu, por algum tempo, colocar a disputa pela hegemonia do campo de esquerda dentro do foco programático. O parlamentar tentou colocar na agenda o debate sobre o alto preço exigido pelo presidencialismo de coalizão brasileiro e quebrar o falso consenso em torno de uma política monetária que foi descolada do debate político pela adesão aos ditames do neoliberalismo, nos governos FHC, e pelas pressões intensas do mercado financeiro sobre o PT (e sobre ele próprio, que era candidato do PPS) nas eleições de 2002. Não conseguiu romper o impasse entre afrontar a hegemonia do PT ou garantir ao PSB o apoio do partido hegemônico do bloco de esquerda para crescer como os partidos tradicionais. O PSB fez a segunda opção.

Por Maria Inês Nassif – repórter especial de Política.

Grupo Votorantim anuncia nova fábrica no Ceará

Tendo recentemente investido R$ 50 milhões na construção de uma unidade de moagem no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp), a Votorantim Cimentos já anunciou ontem que instalará uma nova fábrica no Ceará.

Esta será a terceira do grupo no Estado, que também possui uma cimenteira em Sobral. O novo projeto faz parte de um plano de expansão da empresa no País, no qual investirá R$ 2,5 bilhões até 2013. Ao todo, serão oito novas fábricas, gerando cerca de sete mil empregos no País. Além do Ceará, receberão unidades os estados de Maranhão, Bahia, Mato Grosso, Goiás, Paraná e Pará, este último recebendo duas fábricas.

Este investimento fará com que a Votorantim Cimentos coloque no mercado mais de 10 milhões de toneladas produzidas, elevando a capacidade produtiva total da companhia a 42 milhões de toneladas.

No Ceará, com o novo aporte, será acrescentada uma capacidade de produção de 750 mil toneladas/ano. A previsão é de que o novo empreendimento entre em operação em 2012.

A assessoria de imprensa da Votorantim afirmou ao Diário do Nordeste, entretanto, que ainda não pode adiantar quanto será investido no Ceará, assim como onde poderá se localizar a nova unidade.

Antecipação à demanda

O objetivo da empresa é se antecipar à crescente demanda por materiais básicos de construção no País, que se intensifica com as obras a serem realizadas em várias cidades por conta da Copa do Mundo de 2014, no Brasil, e com obras federais como as incluídas no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), além do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida (MCMV). “Estamos antecipando investimentos para reforçar nosso compromisso em abastecer o mercado nacional da construção. Vamos operar com o que chamamos de ociosidade estratégica, crescer em mercados potenciais e ampliar nossa configuração industrial e logística para melhorar o nível de serviços aos nossos clientes”, ressalta Walter Schalka, presidente da Votorantim Cimentos.

Segundo a empresa, as “regiões estudadas para a construção de novas plantas levam em consideração uma tendência de crescimento, regionalização e descentralização do consumo de cimento no Brasil”.

Com o anúncio de ontem, a Votorantim Cimentos fecha R$ 5 bilhões em investimentos em 22 unidades fabris, entre os anos de 2007 e 2013. Destas, nove estão em operação e cinco em construção. A do Pecém iniciou suas operações em julho de 2008, mas somente em fase de testes, chegando à sua capacidade total somente no fim do ano passado. A unidade é uma moagem com capacidade para produzir 220 mil toneladas/ano de cimento e 120 mil toneladas anuais de argamassa, produção que é destinada ao mercado da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

Já a cimenteira de Sobral, que antes atendia esse mercado, hoje fica seus negócios no interior cearense e nos estados do Maranhão e Piauí. A unidade, maior, tem capacidade para produzir 1,5 milhão de toneladas de cimento anuais. Ambas, as fábricas geram mais de 800 empregos no Estado.

Quatro ainda neste ano –  Ainda este ano, o Ceará terá instaladas em seu território quatro cimenteiras, configurando-se como o Estado com o maior número deste tipo de indústrias entre as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Isso ocorrerá quando, em outubro, a cimenteira Apodi iniciar suas operações no Cipp. A fábrica é possui 50% de seu capital pertencente ao Grupo M. Dias Branco, 25% ao Grupo Cedro, de Goiânia, e os outros 25% à Cooperativa da Construção Civil do Ceará (Coopercon/CE). Serão produzidos, nela, 30 mil toneladas mensais de cimento. De acordo com dados de 2008 do Sindicato Nacional da Indústria de Cimento (Snic), operam atualmente no Brasil 68 fábricas, pertencentes a 10 grupos industriais nacionais e estrangeiros, com capacidade instalada da ordem de 63 milhões toneladas/ano. Destes, 18,6 milhões de toneladas seriam da Votorantim.

A Votorantim, que é uma das 10 maiores empresas de cimento do mundo, registrou receita líquida de R$ 7,4 bilhões no ano passado, e emprega hoje 11.700 funcionários.

(Diário do Nordeste)

No plenário da câmara, a denúncia da sujeira tucana na web

Deputado Brizola Neto discusando no plenário da câmara

Por Brizola Neto

Embora eu não tenha ficado satisfeito com meu próprio desempenho, acho que cumpri meu papel hoje, ao falar na tribuna da Câmara, da verdadeira fábrica de manipulação,  calúnias e difamação que a direção do PSDB está promovendo na internet e que eu denunciei, com documentos incontestáveis, aquiaqui.Entreguei os documentos aos líderes do PT. De agora em diante, a decisão de levar à Justiça é deles, não me cabe. e

Vou reproduzir  abaixo as notas da taquigrafia com o que disse – daqui a pouco posto em vídeo, inclusive a discussão que tive com o líder tucano, Antonio Carlos Pannunzio, que, sem ter o que responder, foi questionar meu direito de falar ao plenário, usando, como sempre, a tática de censurar quem diz a verdade. Fui à tribuna, como fica claro, como líder do PDT, pois sou, até junho, o 1° vice-líder e, na ausência do líder, tenho tal franquia. Registro também que o deputado Dagoberto, o atual líder do PDT, ausentou-se para que eu pudesse assumir e falar, solidário à importância do que eu tinha a dizer e cedendo-me, com a gentileza de sempre, o espaço.

Levou a resposta merecida, porque nada mais honra Leonel Brizola do que enfrentar, de peito aberto, os manipuladores da mídia, a direita e os vendilhões do Brasil.

O SR. PRESIDENTE (Antonio Carlos Magalhães Neto) – Concedo a palavra ao nobre Deputado Brizola Neto, para uma Comunicação de Liderança, pelo PDT.
O SR. BRIZOLA NETO (PDT. Como Líder. Sem revisão do orador.) – Obrigado, Presidente ACM. Cumprimento os nossos pares Parlamentares. Vou usar o tempo de Liderança do PDT para fazer uma denúncia grave do que tem ocorrido no processo eleitoral brasileiro.
Sabemos que o processo eleitoral nem começou oficialmente mas já temos uma mostra de que esta campanha vai ser uma das com nível mais baixo desde a redemocratização do nosso País.
Digo isso, Sras. e Srs. Parlamentares, porque essas iniciativas que vemos muitas vezes, principalmente na internet, são de quem não tem proposta para o Brasil, de quem não sabe fazer discussão do campo político e parte para as agressões, para os ataques baixos, para a calúnia e a difamação.
Sabemos que quando isso ocorre, muitas vezes na rede, Deputado José Genoíno, partindo de militantes, às vezes partindo até de redes sociais, mas quando esses ataques caluniosos, que buscam somente difamar a história e a honra do Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva e de sua candidata, Dilma Rousseff, ficamos espantados quando parte oficialmente do PSDB. Está aqui, Deputado Genoíno, depois irei entregar a V.Exa. e à Liderança do PT. Conseguimos verificar que existe um site, que não é ponto com, é ponto org, o que caracteriza justamente o registro das direções partidárias. O site do PSDB, psdb.org, tinha um link para um site que dizia gentequemente.org.
Sr. Presidente, para concluir, fomos verificar, e esse site, simplesmente difamador, que dá golpes abaixo da cintura, está registrado oficialmente pelo PSDB. Esse é o pessoal que diz que pode mais. Realmente podem mais baixaria, calúnia, porque não têm a capacidade de fazer o debate.
Ontem mesmo tivemos um episódio, promovido por um Deputado desta Casa, que divulgou uma carta falsa da jornalista Marília Gabriela, em seu site. Logo em seguida, foi desmentido e teve a ameaça de ser processado por essa jornalista pela falsa carta de Marília Gabriela sobre sua opinião da candidata Dilma Rousseff.
(há uma pequena interrupção das notas taquigráficas do final da fala)

Aí Pannunzio questiona minha presença na tribuna e recebe a informação de que a ocupei legitimamente. E fala que “de qualquer forma, quero dizer que o Deputado Brizola Neto devia ponderar um pouco mais, até para ficar à altura do legado do avô dele, para não ficar numa política mais baixa.”. É muita cara de pau, vir falar em política baixa justamente  o líder do partido que faz este tipo de imundície na internet. E eu reagi.

O SR. BRIZOLA NETO – Presidente, assim não contribui com o debate.
O SR. PRESIDENTE (Antonio Carlos Magalhães Neto) – Deputado Brizola.
O SR. BRIZOLA NETO (PDT-RJ. Sem revisão do orador.) – Aí eu vou pedir uma questão de ordem, até porque eu fui citado.
O SR. PRESIDENTE (Antonio Carlos Magalhães Neto) – Eu peço que nós possamos manter a ordem.
O SR. BRIZOLA NETO (PDT-RJ. Sem revisão do orador.) – Eu fui citado.
O SR. PRESIDENTE (Antonio Carlos Magalhães Neto) – Não, Deputado Brizola Neto. Não houve citação, a Mesa respondeu, houve um questionamento.
O SR. BRIZOLA NETO (PDT-RJ. Sem revisão do orador.) – Sr. Presidente, nós respeitamos os horários dos inscritos, buscamos justamente pegar o horário da Liderança do PDT para respeitar a ordem de inscrição. Aí vem o Deputado Antonio Carlos Pannunzio furar a fila para contestar afirmações que foi o próprio partido dele que colocou na rede.
O SR. PRESIDENTE (Antonio Carlos Magalhães Neto) – S.Exa. não furou, S.Exa. fez um questionamento de natureza regimental.
O SR. BRIZOLA NETO (PDT-RJ. Sem revisão do orador.) – Está aqui o registro, está aqui o registro, Sr. Presidente
O SR. PRESIDENTE (Antonio Carlos Magalhães Neto) – Deputado Brizola Neto, eu assegurei a palavra a V.Exa. Eu peço que V.Exa. entenda que houve um questionamento que já foi respondido pela Mesa. V.Exa. está amparado pelo Regimento
O SR. BRIZOLA NETO (PDT-RJ. Sem revisão do orador.) – Eu só quero dizer ao Deputado Antonio Carlos Pannunzio que eu honro a história de Leonel Brizola, denunciando o fascismo que promove o PSDB na política.

(Blog Tijolaço, do Brizola Neto)

Carlos Aleluia, ex-anão, é como Arruda: adora um escândalo

Aleluia (camisa rosa, calvo) gosta de andar próximo de baixinhos como ACM Neto

José Carlos Aleluia, o deputado do DEM que espalhou um texto falso com “denúncias” contra Dilma, é um parlamentar com longos serviços prestados à nação.

Primeiro, frequentou os relatórios da CPI dos Anões do Orçamento. Foi em 93. O DEM naquela época chamava-se PFL. Mas o Aleluia já era o Aleluia.  Ele foi denunciado por José Carlos Alves dos Santos (funcionário do Congresso, e pivô do escândalo) como um dos deputados a desviar recursos do Orçamento.

Acabou inocentado. Leia aqui o que a revista “Istoé” contou sobre o caso – http://www.istoe.com.br/reportagens/25780_MANTIDOS+OS+SEGREDOS+DOS+ANOES?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage:

Os deputados Sérgio Guerra (PSDB-PE) e José Carlos Aleluia (PFL-BA) estão entre os parlamentares citados por José Carlos Alves como integrantes do esquema da corrupção do Orçamento e que foram inocentados pela CPI, aberta diante da gravidade das denúncias. Mas o fato de o relator, deputado Roberto Magalhães (PFL-PE), tê-los inocentado gerou suspeitas na época. Falava-se em uma troca.

Magalhães teria aceitado livrar o correligionário Aleluia se em troca seu partido aceitasse liberar o conterrâneo Sérgio Guerra, que à época era filiado ao PSB.”

Ou seja: Aleluia escapou por pouco em 93. Mas não aprendeu nada. Como o correligionário Arruda: afastado do Senado por fraude, Arruda chorou. Perdoado, elegeu-se governador. Foi em cana. E agora está deprimido.

Aleluia também é reincidente em escândalos. Treze anos depois do caso dos anões, lá estava Aleluia de novo, no escândalo das ambulâncias em 2006 – http://bahiadefato.blogspot.com/2006/08/documento-liga-jos-carlos-aleluia-mfia.html.

Aleluia acha que é malandro. Agora, partiu pra cima da Dilma. Com um texto falso.

Aleluia é um homem alto. Mas, politicamente, tem o mesmo tamanho que já exibia em 93: é um anão!

Vejam o que ele andou aprontando agora – http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/terra-magazine-aleluia-embarca-na-demonizacao-de-dilma-se-deu-mal.html

Corrente marinha descoberta na Antártica equivale a 40 Rio Amazonas e influencia o clima no planeta

RIO – Uma corrente oceânica rápida e profunda, com um volume de água 40 vezes maior que o do Rio Amazonas, foi descoberta por cientistas australianos e japoneses na Antártica. Segundo os pesquisadores, a corrente vai ajudá-los a monitorar os impactos das mudanças climáticas em todos os oceanos.

No estudo, publicado na edição de domingo da revista “Nature Geoscience”, a corrente foi definida como crucial para os padrões globais de circulação dos oceanos, que ajudam a controlar o clima. Já havia suspeitas sobre sua existência, mas nenhuma delas fora comprovada até então.

– Ainda não sabíamos qual era o seu papel, mas agora ficou muito claro o quanto esta corrente é importante – explicou Steve Rintoul, um dos autores do artigo.

Pesquisador do Centro de Pesquisas do Clima e de Ecossistemas da Antártica, Rintoul ressaltou que esta é a corrente oceânica mais rápida já encontrada, com uma velocidade média de 20cm por segundo. Neste mesmo período, 12 milhões de metros cúbicos de água são carregados.

– Nessa profundidade, abaixo de três quilômetros da superfície, essas são as maiores velocidades já registradas até hoje – destacou Rintoul.

A água densa, fria, salgada e abundante em oxigênio é carregada da Antártica ao platô submerso de Kerguelen, no Oceano Índico, onde a corrente se ramifica. Ela integra uma rede muito maior que se espalha pelos oceanos, agindo como um cinto gigante distribuidor de calor para todo o globo.

Os oceanos são, também, um grande armazém de dióxido de carbono, o principal gás-estufa emitido pelo homem, o que é feito especialmente pela queima de combustíveis fósseis. A Corrente do Golfo, por exemplo, leva temperaturas altas às águas do Atlântico do Norte, deixando o norte europeu com um clima relativamente suave. Falhas neste transporte, como já ocorreram no passado, transformariam a Europa em uma geladeira.

– As correntes profundas próximas ao Platô de Kerguelen são parte de um sistema global de correntes oceânicas, que determina quanto calor e carbono o oceano pode absorver – disse Rintoul.

Um mistério ainda sem pistas

A equipe ancorou medidores no fundo do mar, em profundidades que ultrapassam os 4,5 quilômetros, para registrar a velocidade, a temperatura e a salinidade das correntes por dois anos.

– As medições contínuas com os equipamentos nos permitem, pela primeira vez, determinar quanta água é carregada pela corrente para o norte – diz Rintoul.

Uma questão fundamental para a previsão do clima permanece sem resposta, segundo cientistas: a circulação das correntes oceânicas observada manterá a força atual ou será sensível às mudanças climáticas? Eventuais transformações implicariam em novos métodos para medir a sua velocidade e o volume de água fria e salgada produzida próximo à Antártica.

(O Globo Online)

Vinho e Coração: Uma relação de amor e…paz

Desde a antiguidade que o homem conhecia que o vinho era remédio para o coração, se não para as enfermidades cardíacas, com certeza para as dores d´alma, e isto está expresso em um sem número de poemas registrado na literatura. Omar Khayyam, poeta persa que morreu em 1123, ( e que provavelmente é o autor do maior número de poemas relativos ao vinho feitos por um homem só ) em um dos seus mais famosos  poemas  diz :

“Vinho! Eis o remédio que carece o meu coração doente.
Vinho com perfume almiscarado! Vinho cor-de-rosa!

No entanto a relação entre vinho e coração, na verdade, só começou a assumir importância quando em 17 de novembro de 1991, o programa de Marley Safer,“ 60 Minutes” da rede de televisão americana CBS, o de maior audiência do país, abordou em detalhes o “ paradoxo francês ”. Na realidade o que foi reportado naquela ocasião foram estudos médicos realizados na Europa e Estados Unidos, através dos quais se evidenciava inconsistência entre o estilo de vida e a incidência de doenças cardiovasculares na França.Em outras palavras, apesar de praticarem uma dieta rica em alimentos como manteiga, queijos, ovos, e com uma estimativa de 15% das calorias obtidas a partir de gorduras saturadas, tudo isso  aliada a pouca prática de exercícios, os franceses apresentavam  uma incidência de doenças cardíacas 40% menor do que os americanos. O paradoxo, ou seja, a incompatibilidade existente entre uma dieta rica em gorduras e o baixo índice de doenças cardíacas, foi sugerido dever-se ao hábito dos franceses em ingerir vinho tinto diariamente durante as refeições, o que aparentemente estaria relacionado com a proteção contra problemas cardiovasculares. O fato é que a partir do célebre  “paradoxo francês ”, mais de 13 mil trabalhos foram publicados na literatura científica mostrando que o vinho tem as mais variadas virtudes terapêuticas.No que se refere ao coração, a seqüência de estudos estabeleceu quais as ações e os elementos do vinho que agem na prevenção das doenças cardiovasculares, notadamente na doença coronariana.

Na atualidade o que se aceita como verdadeiro é que os componentes fenólicos, polifenóis e flavonóides, que contribuem ativamente nas propriedades sensoriais do vinho, atuam de forma marcante nos efeitos benéficos do vinho a saúde. Mais especificamente, o efeito cardioprotetor do vinho seria dado principalmente  pelo Resveratrol, que promoveria um aumento do  Colesterol HDL ( bom colesterol ), através do aumento de suas sub-frações HDL2, HDL3 e das apolipoproteínas A-1 e apo A-2 e por uma ação antioxidante levaria a diminuição do Colesterol LDL ( mal colesterol – responsável pela lesões ateroscleróticas das artérias  ). A ingesta moderada de vinho (uma a duas doses) promove elevação de aproximadamente 12% nos níveis de HDL colesterol, semelhante à encontrada com a prática de exercícios. No sistema de coagulação, o vinho atua inibindo a agregação plaquetária, elevando o ativador de plasminogênio e reduzindo as concentrações de fibrinogênio.

Como que a dar veracidade às descobertas científicas, um estudo publicado na revista Circulation ( 2001; 104:151), que avaliou pacientes que sofreram infarto do miocárdio, evidenciou que beber duas taças de vinho diariamente diminui a possibilidade de sofrer um segundo infarto do miocárdio ou outro tipo de complicação cardiovascular.

Os pesquisadores, da Universidade Joseph Fourier de Grenoble,  autores do estudo, também observaram que a propensão a um segundo infarto do miocárdio em pessoas que bebiam  pelo menos duas taças de vinho  diariamente era menor quando comparada com aquelas que não bebiam vinho. Mais recentemente, Roger Corder, do Instituto de Pesquisa William Harvey, em St Bartholomew, e da Universidade de Londres, descobriu que os polifenóis existentes no vinho inibem a produção de um peptídeo, chamada endotelina, responsável pela contração dos vasos sanguíneos coronarianos e por consegüinte diminui a possibilidade de infarto do miocárdio.

Muito embora cantado em prosa, por escritores como Alberto Vieira (Obras Clásicas Sobre Literatura Del Vino )  e em verso por poetas como Pablo Neruda, ( Estatuto del Vino , El Vino, Oda al Vino e El Vino ), Omar Khayyam ( Rubayat ) e Nicanor Parra (Coplas del vino ), entre outros, a relação entre vinho e coração ainda continua controversa entre estudiosos, notadamente entre cardiologistas. Há, no entanto, uma tendência à sua recomendação como prevenção, (ao lado de outras medidas como atividade física, boa alimentação, etc ) das doenças cardíacas.

Os preservadores da moral e da ordem de plantão, vão se apressar em ressaltar a importância da moderação para evitar os riscos do alcoolismo, esquecendo-se que os que fizeram a escolha pelo vinho em seu cotidiano, optaram não apenas pela moderação, mas também pela sensibilidade e pelo bom gosto. E para aqueles que, por desconhecimento ou convicção, optaram não poder contar com este delicioso e eficaz recurso terapêutico, tanto do corpo como na alma, só resta esperar. Os céus saberão perdoá-los.

(Tribuna do Norte)

Indústria fonográfica mundial em crise ascendente encolheu 7% em 2009

LONDRES – O faturamento global da indústria fonográfica em 2009 foi de US$ 17 bilhões, uma queda de 7% em relação a 2008, puxada por EUA e Japão, os dois maiores mercados mundiais, disse nesta quarta-feira a IFPI, entidade que reúne empresas do setor.

Depois da queda de 8% em 2008, os dados do ano passado mostram alguns indicadores positivos – crescimento em 13 países e um forte aumento nas vendas de música digital -, embora a pirataria desenfreada continue corroendo os lucros.

A britânica Susan Boyle, que ficou famosa em um programa de calouros, teve o álbum mais vendido do ano, “I dreamed a dream”, com 8,3 milhões de cópias.

O álbum mais vendido em 2009

Outros grandes sucessos do ano foram Black Eyed Peas, Michael Jackson, Taylor Swift e Lady Gaga. Cinco dos dez maiores vendedores são contratados da gravadora Universal, do grupo Vivendi, e os demais estão entre Sony e Warner.

“O negócio global da música continua lutando por seus interesses, investindo em talentos e desenvolvendo novos modelos de negócios, apesar dos problemas de um mercado distorcido pela pirataria”, disse em nota John Kennedy, presidente e executivo-chefe da IFPI.

“As empresas musicais estão investindo mais de US$ 5 bilhões por ano em desenvolver e comercializar artistas, em licenciar centenas de serviços e em adaptar seus canais de distribuição para atender à mutante demanda do consumidor”, acrescentou.

EUA e Japão respondem por 80% do declínio geral do mercado, disse a IFPI. Descontados esses dois mercados, a queda global no faturamento foi de apenas 3,2%.

A venda de música “física” (como CDs) caiu 12,7% em nível global, enquanto o comércio de faixas digitais de música subiu 9,2%, chegando a US$ 4,3 bilhões.

Para além da indústria fonográfica, o setor musical como um todo – o que inclui publicidade em rádio e realização de shows, por exemplo – teve uma queda de 8%, com um faturamento estimado em US$ 140 bilhões.

O crescimento da renda com a música ao vivo foi de 4%. Essa cifra tem caído significativamente nos últimos três anos.

(O Globo Online)

Casais homossexuais podem adotar filhos, decide STJ

Em uma decisão inédita, a 4.ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) reconheceu ontem por unanimidade a legalidade da adoção de crianças por um casal homossexual de Bagé (RS). O Tribunal de Justiça gaúcho havia considerado a união homoafetiva como uma família e autorizado que as duas crianças adotadas fossem registradas com os nomes das duas mães. O MP do Estado, porém, recorreu, levando o caso ao STJ, em 2006.

“Não se pode supor que o fato de os adotantes serem duas mulheres possa causar algum dano (à formação das crianças). Dano ao menor seria a não adoção”, disse o ministro João Otávio de Noronha, presidente da 4.ª Turma. Ao criticar o MP, ele afirmou que a entidade devia ter considerado o interesse dos adotados.

O centro da decisão é permitir que as crianças tenham os sobrenomes das duas mães adotivas e, com isso, usufruam de todos os direitos patrimoniais e de segurança familiar que a lei lhes garante. Antes da sentença, se a mãe adotiva original falecesse, os irmãos, se menores, seriam retirados da “segunda” mãe e internados em um orfanato estadual.

Noronha destacou o fato de esta ser a primeira vez que o STJ julga um recurso sobre adoção por casal homossexual. “Há de se entender que o interesse é sempre do menor, e o interesse dos menores (…) é a adoção.” Na opinião do ministro Luis Felipe Salomão, relator do processo, o julgamento foi muito importante para “dar dignidade ao ser humano, ao casal e às crianças”. O voto dele foi seguido pelos outros três ministros da 4.ª Turma.

As duas crianças foram adotadas ainda bebês por uma das mulheres. A outra companheira queria participar da adoção por ter melhor condição de vida, o que possibilitaria a inclusão dos menores em planos de saúde e pensão, caso houvesse separação ou falecimento. A assistente social que acompanha as crianças de Bagé foi consultada pelo STJ. Informou que as mulheres permaneciam juntas e tentavam agora adotar outra criança.

No julgamento, o ministro Salomão citou estudos internacionais que mostram não haver inconveniência para que crianças sejam adotadas por homossexuais, sendo fundamental o afeto no ambiente familiar, independentemente da orientação sexual dos responsáveis.

Legislação. A lei permite a adoção por maiores de 18 anos. No caso da adoção conjunta, “é indispensável que os adotantes sejam casados civilmente ou mantenham união estável, comprovada a estabilidade da família”. O MP gaúcho havia sustentado que a situação só seria permitida para pessoas de sexos distintos. Alegou que a união entre as duas mulheres não configuraria uma entidade familiar. O MP do RS ainda pode recorrer da decisão.

(Estadão Online)

Os 50 maiores salários de jogadores de futebol 2009/2010

Em ano de recuperação após a grave crise económica mundial que afectou a maioria dos clubes, a indústria do futebol dá sinais de recuperação. Pelo 3º ano consecutivo a equipa do Futebol Finance renova e actualiza a lista com os maiores salários de jogadores de futebol.


Cristiano Ronaldo: o jogador mais bem pago do planeta

Zlatan Ibrahimovic: Segundo no ranking

Lionel Messi: terceiro no ranking

Com importantes alterações em relação à temporada de 08/09, os maiores destaques vão para a criação de uma nova equipa galáctica por parte do Real Madrid e para os novos milionários do Manchester City, que seguindo a linha do Chelsea nos anos anteriores inflacionou consideravelmente os salários pagos a jogadores da Premier League.

Por outro lado as contratações recorde de Ibrahimovic por parte do Barcelona, Cristiano Ronaldo e Kaká por parte do Real Madrid, colocaram o centro do futebol em Espanha, com o natural aumento da remunerações nos dois clubes, impulsionados pela contestada lei de impostos “Beckham”.

Salários dos jogadores de futebol 2009/2010

# Jogador Clube Mensal Anual
1 Cristiano Ronaldo Real Madrid CF 1.083.000 € 13.000.000 €
2 Zlatan Ibrahimovic FC Barcelona 1.000.000 € 12.000.000 €
3 Lionel Messi FC Barcelona 875.000 € 10.500.000 €
4 Samuel Eto´o Internazionale 875.000 € 10.500.000 €
5 Ricardo Kaká Real Madrid CF 833.000 € 10.000.000 €
6 Emmanuel Adebayor Manchester City 708.000 € 8.500.000 €
7 Karim Benzema Real Madrid CF 708.000 € 8.500.000 €
8 Carlos Tevez Manchester City 666.000 € 8.000.000 €
9 John Terry Chelsea FC 625.000 € 7.500.000 €
10 Frank Lampard Chelsea FC 625.000 € 7.500.000 €
11 Thierry Henry FC Barcelona 625.000 € 7.500.000 €
12 Xavi FC Barcelona 625.000 € 7.500.000 €
13 Ronaldinho Gaúcho AC Milan 625.000 € 7.500.000 €
14 Steven Gerrard Liverpool FC 625.000 € 7.500.000 €
15 Daniel Alves FC Barcelona 583.000 € 7.000.000 €
16 Michael Ballack Chelsea FC 541.000 € 6.500.000 €
17 Raúl Gonzalez Real Madrid CF 541.000 € 6.500.000 €
18 Rio Ferdinand Manchester United 541.000 € 6.500.000 €
19 Kolo Touré Manchester City 541.000 € 6.500.000 €
20 Wayne Rooney Manchester United 500.000 € 6.000.000 €
21 Robinho Manchester City 500.000 € 6.000.000 €
22 Iker Casillas Real Madrid CF 500.000 € 6.000.000 €
23 Victor Valdéz FC Barcelona 500.000 € 6.000.000 €
24 Frederic Kanouté Sevilha FC 500.000 € 6.000.000 €
25 Deco Chelsea FC 500.000 € 6.000.000 €
26 Didier Drogba Chelsea FC 458.000 € 5.500.000 €
27 Gianluigi Buffon Juventus 458.000 € 5.500.000 €
28 Francesco Totti AS Roma 458.000 € 5.500.000 €
29 Luca Toni AS Roma (emp) 458.000 € 5.500.000 €
30 David Villa Valência 458.000 € 5.500.000 €
31 Arjen Robben Bayern Munique 458.000 € 5.500.000 €
32 Bastian Schweinsteiger Bayern Munique 458.000 € 5.500.000 €
33 Ashley Cole Chelsea FC 458.000 € 5.500.000 €
34 Fernando Torres Liverpool FC 458.000 € 5.500.000 €
35 Gareth Barry Manchester City 458.000 € 5.500.000 €
36 Patrick Vieira Internazionale 458.000 € 5.500.000 €
37 Charles Puyol FC Barcelona 416.000 € 5.000.000 €
38 Andres Iniesta FC Barcelona 416.000 € 5.000.000 €
39 Sergio Aguero Atletico Madrid 416.000 € 5.000.000 €
40 Andreas Pirlo AC Milan 416.000 € 5.000.000 €
41 Joe Cole Chelsea FC 416.000 € 5.000.000 €
42 Frank Ribery Bayern Munique 416.000 € 5.000.000 €
43 David Bechkam AC Milan 416.000 € 5.000.000 €
44 Wayne Bridge Manchester City 416.000 € 5.000.000 €
45 Lassana Diarra Real Madrid CF 416.000 € 5.000.000 €
46 Dimitar Berbatov Manchester United 400.000 € 4.800.000 €
47 Andrei Arshavin Arsenal FC 400.000 € 4.800.000 €
48 Nicolas Anelka Chelsea FC 400.000 € 4.800.000 €
49 Ryan Giggs Manchester United 400.000 € 4.800.000 €
50 Alessandro Del Piero Juventus 400.000 € 4.800.000 €

Notas:
(1) Os valores apresentados são resultado de pesquisa efectuadas em mais de 30 publicações mundiais especializadas em futebol. Entre os quais, os maiores jornais e revistas online das maiores ligas mundiais.
(2) Os valores são oficiosos e aproximados, estando dependentes de novas contratações, ou renovações de cada contrato.
(3) Os valores dizem respeito aos salários brutos dos jogadores (antes de impostos), que naturalmente não incluem contratos de publicidade, prémios de jogo, prémios de assinatura, ou outros tipos de remunerações extra.
(4) Podem existir ao longo do tempo diferenças em relação aos valores apresentados, devido a variações cambiais, em relação a jogadores não auferem os seus salários em Euros.

(Futebol Finance)