Fortaleza é a quinta cidade mais populosa do Brasil, aponta pesquisa do IBGE

Pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (31) mostrou que Fortaleza é a quinta cidade mais populosa do Brasil, com 2,5 milhões de habitantes. São Paulo, a cidade mais populosa, está com 11,4 milhões de habitantes, seguida do Rio de Janeiro (6,4 milhões), Salvador (2,7 milhões) e Brasília (2,6 milhões).

O número das populações residentes nos 5.565 municípios brasileiros aumentou em 1,6 milhão desde o final de 2010. Segundo o IBGE, o Brasil tem 192.376.496 pessoas residindo nos municípios, o que significam 1.629.697 de pessoas a mais que em 2010.

Os 13 municípios mais populosos somam 40,5 milhões de habitantes – 21% do total de habitantes do país. Da lista dos mais populosos, faz parte uma cidade que não é capital de estado: Guarullhos, em São Paulo, com 1.233.436 habitantes. Os 15 municípios mais populosos que não são capitais somam 11,4 milhões de habitantes (5,9% do total nacional). Além de Guarulhos, destacam-se nessa lista Campinas (SP), com 1,1 milhão; São Gonçalo (RJ), com 1 milhão; Duque de Caxias (RJ), com 861,2 mil; Nova Iguaçu (RJ), com 799 mil; e São Bernardo do Campo (SP), com 770,3 mil.

Com informações da Agência Brasil

Anúncios

Filhos de Gilberto Moita, ex-prefeito de Tianguá são presos durante a Operação Província

A Polícia Federal já cumpriu 12 dos 13 mandados de prisão da Operação Província 2, deflagrada nesta quarta-feira, 31, no município de Ibiapina, na Serra da Ibiapaba. A ação tem como objetivo desarticular um esquema de desvio de verbas públicas – sobretudo do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

Dois dos presos são Gilberto Moita Filho e Victor de Castro Moita, ambos filhos do ex-prefeito de Tianguá, Gilberto Moita. Também foram capturados Carlos Kennedy Fortuna de Araújo, Rodrigo Fortuna de Araújo, Maria Aparecida Ferreira Pinto, Sidney Rodrigues da Silva, Edgley Franklin, Francisco Reginaldo Rodrigues Nunes, Raimundo Aguiar Gomes, Francisco Ferreira Pinto, Antônia Daniele Nunes.

A ação da PF acontece em parceria com a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério Público do Estado do Ceará. Além das prisões, foram expedidos 23 mandados de busca e apreensão no Município.

Ao todo, sete servidores da CGU, seis promotores de Justiça e 77 policiais federais participam da ação. De acordo com as investigações, diversos processos licitatórios realizados pela prefeitura de Ibiapina entre 2009 e 2011 foram fraudados.

Os crimes
Empresas-fantasmas estariam sendo convidadas a participar dos certames de modo a simular competição. A maioria das licitações em que a quadrilha atuava era destinada à locação de veículos – inclusive para o transporte escolar –, a obras e à realização de eventos. O montante dos contratos fiscalizados supera R$ 30 milhões, de acordo com a Polícia Federal.

Além de expedir mandados de prisão e de busca e apreensão em órgãos públicos, residências e empresas, a Justiça determinou o bloqueio de bens das pessoas e de empresas envolvidas, além da quebra de sigilo bancário, fiscal e telefônico dos investigados.

A Operação Província I foi desencadeada em março deste ano com o objetivo de desarticular uma quadrilha especializada no desvio de verbas públicas em vários municípios do Ceará e de órgãos da estrutura administrativa do governo estadual, com a participação de servidores públicos e membros de comissões de licitação.

(O Povo Online)

Um em cada três táxis de São Luís é clandestino

Dados do Sindicato dos Taxistas de São Luís apontam que pelo menos 30% dos taxis que circulam hoje na capital maranhense são clandestinos. Diante desse número, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) de São Luís iniciou uma operação contra a pirataria no setor e aproximadamente 70 veículos foram apreendidos em duas semanas por fazer transporte ilegal de passageiros.

Segundo o Sindicato dos Taxistas, pelo menos 800 veículos realizam transporte remunerado de passageiros de forma ilegal. Hoje, a frota de táxis legalizados em São Luís é de 2 mil veículos. Há cinco anos, o número de taxistas ilegais estimado pelo Sindicato dos Taxistas era de 300 veículos clandestinos. Um crescimento superior a 150% no período.

Entre estes táxis piratas estão pessoas que usam carros particulares com placa cinza para transportar pessoas sem autorização, taxistas que fraudam documentos e taxistas que conseguem se infiltrar ilegalmente nas cooperativas e empresas de táxis da capital maranhense. Alguns simplesmente pintam as placas de veículos com o intuito de burlar a fiscalização, usam carros brancos para confundir os passageiros e outros criam terminais paralelos.

Alguns deles se especializaram em realizar o transporte de passageiros entre o centro da capital maranhense e bairros da zona periférica. No centro da cidade, em um local chamado Anel Viário, vários motoristas oferecem serviços de transporte remunerado de passageiros como se existisse ali um “terminal de passageiros” legalizado. Alguns destes condutores já pediram autorização da prefeitura para trabalhar legalmente, mas o pedido foi negado. “O consumidor é quem perde com isso. Ele pode pegar um táxi ilegal e, se acontecer algo com ele, o cliente não tem como reclamar”, declarou o presidente do Sindicato dos Taxistas, José Antônio Pereira.

Placa no mercado negro

Segundo os taxistas, uma das razões pelas quais os motorista vão para a clandestinidade é a lucratividade do negócio: a demanda pelos serviços é grande e a criação de novas vagas não existe. Há dez anos não são criadas novas concessões para trabalhar com táxi em São Luís. Na fila de espera do Sindicato dos Taxistas existem pelo menos 2,6 mil condutores que esperam a oportunidade de conseguir uma autorização para táxi. Por causa desta demanda por novas licenças da prefeitura, uma “placa de táxi” vale hoje, no mercado negro, até R$ 35 mil. A venda é ilegal.

A prefeitura de São Luís afirma que vem realizando operações sistemáticas para combater a pirataria no setor. Um total de 24 agentes de trânsito, com a ajuda da Polícia Militar e Guarda Municipal, intensificaram as operações desde o início de agosto. Entre a terceira e quarta semanas de agosto, 70 carros foram apreendidos. Porém, como a própria SMTT reconhece, os “piratas” foram trabalhar em outras áreas, mais afastadas do centro.

O condutor que for flagrado realizando transporte irregular de passageiros é passível de multa pelo Código Tributário do Município de São Luís no valor de R$ 2 mil. Além disso, seu veículo é apreendido e somente será liberado após o pagamento desta multa e dos custos com estacionamento e guincho.

(Ultimo Segundo)

Cumbica abre ‘puxadinho’ para 1 mi de passageiros nesta quarta

Sob ameaça de embargo das obras dos novos terminais remotos, o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, inaugura nesta quarta-feira um Módulo Operacional Provisório – o chamado “puxadinho” – que vai ampliar a capacidade do aeroporto em mais 1 milhão de passageiros. Atualmente, Cumbica tem estrutura para 20,5 milhões de pessoas e já recebe 30% mais que isso.

Números da própria Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) mostram que o aeroporto vai fechar o ano com 31 milhões de passageiros. O novo puxadinho tem 1,2 mil metros quadrados e seis portões de embarque remotos – nos quais passageiros pegam ônibus até aviões. A obra custou R$ 2,8 milhões.

As próximas obras de infraestrutura previstas para Cumbica, porém, estão na mira da Justiça Federal. A Procuradoria da República pediu a imediata paralisação das obras dos “puxadões”, os terminais remotos de 24 mil metros quadrados que vão ocupar a antiga área dos galpões de carga da Vasp e da Transbrasil. 

A justificativa é que o contrato da obra foi feito sem licitação pela Infraero, ao preço de R$ 85,75 milhões, com previsão de entrega da primeira parte em dezembro. A Procuradoria quer agora que o contrato com a Delta – construtora escolhida para fazer a obra – seja anulado e a estatal abra um processo de concorrência.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ponte aérea Rio-São Paulo custa mais caro que viajar para Miami

A onda de promoções e tarifas baixas das companhias aéreas não chegou para os passageiros que embarcam na ponte aérea Rio/São Paulo e compram os bilhetes com pouca antecedência. Quem decide (ou precisa) viajar de última hora pode se surpreender ao descobrir que os preços praticados no trecho entre as duas cidades chegam a superar até mesmo os valores cobrados em viagens internacionais para Buenos Aires ou Miami.

É o que demonstra levantamento feito pelo iG, que  acompanhou os preços das passagens aéreas nas duas últimas sextas-feiras para compras feitas no mesmo dia, com retorno no domingo. Na última sexta-feira, quem buscava passagens de última hora para o Rio de Janeiro por volta das 16h encontrava preços que chegavam perto de R$ 2.400, para ida e volta. Ainda que fossem escolhidos os piores horários, o custo da viagem não saía por menos de R$ 1 mil.

Mesmo o argumento de que as passagens são inevitavelmente mais caras se compradas na última hora, em horários de pico como sexta-feira, perde a força quando o valor da ponte aérea é comparado com outros trechos mais distantes. Se em vez de ir para o Rio, o passageiro optasse por passar um final de semana em Bueno Aires, seria possível comprar, na própria sexta-feira, passagens de ida e volta por R$ 1.226.

Não foi um caso isolado. Na semana anterior, no mesmo horário, cada trecho de ida comprado de última hora custava entre R$ 600 a R$ 1142. A volta no domingo oscilava entre $ 379 e os mesmos R$ 1.142 da ida. Comprar uma passagem de última hora de São Paulo para o Rio é mais caro do que passar uma semana em Miami, se o passageiro comprar a passagem com um mês de antecedência. É possível comprar passagens para o fim de setembro por cerca de R$ 1.700 ida e volta, segundo pesquisa de preços feita pelo iG.

O valor da ponte aérea Rio/SP também é mais caro do que trechos similares em países da Europa e nos Estados Unidos. Para se ter uma ideia, quem viaja de Madri a Barcelona – em voo um pouco mais longo, com 1h10 de duração – encontra passagens por US$ 109 (R$ 174,40 o trecho). Já quem vai de Frankfurt a Berlim faz a viagem por US$ 158 (R$ 252). E, de Nova York para Washington, o passageiro voa por US$ 118 (R$ 188).

As passagens aéreas atingiram os valores mais baixos da história neste ano, mas a ponte aérea aparentemente ficou de fora. O preço para o trecho Rio/São Paulo é bem acima do valor médio cobrado pelas companhias para voar cada quilômetro (indicador conhecido como yield, no mercado de aviação).

A TAM cobrou de cada passageiro em média R$ 0,178 por cada quilômetro voado nos voos domésticos do segundo trimestre. O yield médio da Gol, que inclui trechos nacionais e internacionais, foi de R$ 0,182. Assim, o voo Rio/São Paulo deveria custar em torno de R$ 65, se seguisse a média de preços das duas companhias aéreas. As demais empresas brasileiras têm capital fechado e não divulgam detalhes do resultado financeiro.

Mas o que leva as empresas aéreas a cobrar tão caro por um trecho de pouco mais de 360 km, que é percorrido em apenas 45 minutos de voo? Para o especialista em aviação e professor da UFRJ Respicio do Espírito Santo, o tempo de antecedência, de permanência e os demanda pelos destinos são os fatores considerados na composição do preço das passagens. “Se a empresa identificar que necessidade de um passageiro viajar é maior, ela vai cobrar mais”, diz o especialista.

Todas as companhias têm softwares que definem os preços das passagens. Se o passageiro ficar pouco tempo em um destino ou comprar de última hora, o sistema interpreta que há um potencial para cobrar mais, diz o professor da UFRJ.

As empresas aéreas têm adotado estratégias para atingir o passageiro da classe C e o viajante a lazer. Elas entendem que esses clientes são mais sensíveis a preços, ou seja, só viajam se a passagem for barata. E, para eles, oferecem preços baixos, mas em horários menos competitivos. Para os demais, o preço é maior. “O que direciona o preço é a demanda. A companhia trabalha com o conceito de “revenue management” (gestão de receitas), que nos permite encontrar a melhor relação taxa de ocupação/preço”, diz a TAM.

A Gol afirma que há preços promocionais até mesmo na ponte aérea, mas, como a rota é concorrida, é difícil encontrar essas “pechinchas” de última hora. “Os voos ‘de última hora’, em horários competitivos, são muito demandados e, consequentemente, a possibilidade de se encontrar tarifas baixas é menor”, diz a companhia.

Para viajar pagando pouco, a sugestão das próprias empresas aéreas é que os passageiros comprem com antecedência e permaneçam mais tempo na cidade. A Gol diz que é possível obter descontos de até 50% se o passageiro comprar com sete dias de antecedência para um período de 10 dias. A TAM sugere compras com três meses de antecedência e voos no meio do dia (entre 10h e 16h), preferencialmente às terças, quartas e sábados. As empresas dizem que, para pagar menos, os passageiros devem evitar período de alta temporada e os feriados.

Planejar nem sempre é possível

Infelizmente, antecipar a compra não é viável para muitos passageiros, sobretudo para os que viajam a trabalho ou têm compromissos. Um deles é o economista Alexandre Fischer, diretor da consultoria GRC Visão, que faz pelo menos seis viagens por mês na Ponte Aérea a trabalho. Com horários rígidos a cumprir, ele dificilmente consegue comprar os tíquetes com antecedência e, muitas vezes, precisa trocar horários em cima da hora. Não por acaso, o economista avalia que as viagens para São Paulo oneram bastante o orçamento de sua empresa e também o de grandes empresas para as quais presta consultoria.

“Na semana passada, gastei mais de R$ 1,6 mil para ir a São Paulo participar de uma reunião. E, há 20 dias, paguei uma taxa de remarcação de R$ 760 para mudar o horário de um vôo que havia comprado por R$ 400. Esse é um custo muito elevado para uma viagem tão curta”, afirma Fischer, que durante a entrevista recebeu um e-mail com o anúncio de um voo de ida e volta para Berlim por US$ 890 (R$ 1.424). “É complicado gastar mais para ir a São Paulo do que em uma viagem para a Europa”.

O diretor financeiro de uma incorporadora com escritórios no Rio e em São Paulo diz que estabeleceu uma política com o objetivo de reduzir as despesas com os deslocamentos entre as duas cidades. “Temos um limite de R$ 600 por viagem. Para atingir esse valor, criamos duas regras: comprar com antecedência e evitar os horários mais procurados, como início da manhã e final do dia”, afirma o executivo, que prefere não se identificar.

Para seguir a política da empresa e não perder compromissos no início do dia, os executivos muitas vezes precisam viajar na véspera de suas reuniões, o que implica em uma hospedagem que, a princípio, não seria necessária. “Mesmo pagando uma diária de hotel, sai mais barato escolher trechos menos procurados. Não tenho dúvidas de que é um transtorno na vida dos profissionais, que perdem horas preciosas em uma viagem tão simples. Mas a verdade é que a maioria das empresas não pode se dar ao luxo de gastar enormes quantidades de dinheiro com passagens de avião”, diz.

(Ultimo Segundo)

Show Flo Rida em Fortaleza, dia 06/Setembro no Mucuripe Club

:: Data: 06/09/2011 22:00

:: Local: Mucuripe Club

:: Endereço: Travessa Maranguape, 108 | Centro – 60055-020

:: Cidade: Fortaleza – CE

:: Classificação: 18 anos

:: Atrações:

O rapper, cujo nome verdadeiro é Tramar Dillard, já esteve no Brasil este ano para apresentações no Festival Planeta Atlândida, no Rio Grande do Sul e fez show em maio no Rio de Janeiro. Ele se destacou nas paradas americanas com os hits ‘Low’ (parceria com o rapper T-Pain); “Right Round” (dueto com a cantora pop Ke$ha); e, recentemente, com ‘Club Can’t Handle Me’, uma parceria com o Dj e produtor francês David Guetta.

:: Política:

Camarote OPEN BAR – Classificação 18 anos

Ingressos:

http://www.bilheteriavirtual.com.br

Pista R$ 40,00
Camarote Open Bar Feminino R$ 90,00
Camarote Open Bar Masculino R$ 140,00

Drogarias São Paulo e Pacheco anunciam fusão

A Drogaria São Paulo e Drogarias Pacheco anunciaram nesta terça-feira (30) a fusão dos negócios de varejo farmacêutico das duas companhias e a criação da Drogarias DPSP S.A. (DPSP).

Segundo comunicado das empresas, a “nova companhia nasce como a maior empresa varejista de produtos farmacêuticos e 7ª maior rede de varejo do país, com receita bruta combinada de R$ 4,4 bilhões nos 12 meses encerrados em junho de 2011, 691 lojas e presença em 5 estados brasileiros”.

A fusão ocorre após a união da Drogasil e da Droga Raia, anunciada no dia 2 de agosto como líder absoluta do varejo farmacêutico brasileiro.

A Drogaria São Paulo e a Pacheco utilizaram o critério faturamento para se definirem como a maior empresa de varejo farmacêutico do Brasil. Em termos de número de lojas, entretanto, a nova companhia fica atrás da Raia Drogasil, que concentra uma rede com 720 drogarias (362 da Droga Raia e 358 da Drogasil) em nove estados e R$ 4,1 bilhões de receita bruta.

“Com a operação, foi criada uma nova companhia, mais forte e competitiva com operações altamente complementares. As marcas “Drogaria São Paulo” – líder no estado de São Paulo – e “Drogarias Pacheco”- líder no estado do Rio de Janeiro serão mantidas”, afirmam a DPSP em comunicado.

A gestão da nova companhia será compartilhada entre o Grupo Carvalho e o Grupo Barata, que terão iguais poderes na definição e implementação das estratégias da companhia. A nova empresa terá como presidente do Conselho de Administração Samuel Barata e será presidida por Gilberto Martins Ferreira.

A empresa não fez comentários a respeito da sobreposição de pontos ou sobre ganhos de sinergia esperados pelo comando

O Pátria Investimentos e o escritório Machado Meyer atuaram como assessores financeiro e legal da Drogaria São Paulo. O Banco Espírito Santo e o escritório Pinheiro Neto trabalharam para a Drogarias Pacheco.

A fusão será agora submetida à apreciação das autoridades brasileiras de defesa da concorrência.

Drogaria São Paulo
Com 68 anos de atuação, a Drogaria São Paulo é hoje a 2ª maior rede de varejo farmacêutico do Brasil, com cerca de 348 unidades em operação nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia, segundo informou a companhia. A rede faturou R$ 2,2 bilhões em 2010 e atende mais de 6 milhões de clientes por mês. No ano passado adquiriu as 72 lojas da rede Drogão.

Drogarias Pacheco
A Drogarias Pacheco é uma empresa com quase 120 anos de atuação que comercializa medicamentos e produtos de higiene e beleza com presença líder em todo o estado do Rio de Janeiro. A companhia tem 343 lojas, nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo. A Drogarias Pacheco informa ter obtido em 2010 faturamento de R$ 1,8 bilhão, com cerca de 7 milhões de clientes atendidos por mês.

(G1)

Salário mínimo vai passar de R$ 545 para R$ 619,21 em 2012

O salário mínimo vai passar de R$ 545 para R$ 619,21 a partir de 2012. A informação é da ministra do Planejamento, Miriam Belchior, que esteve no Congresso Nacional para entregar a previsão de gastos do governo para o ano que vem. Pela previsão anterior, a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias), o valor estimado era de R$ 616,34.

O crescimento será de pouco mais de 13,6% e leva em conta a fórmula aprovada pelo governo para definir a renda do trabalhador.

O reajuste estabelece que o salário seja corrigido pela inflação oficial do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) do ano anterior mais a variação do PIB (Produto Interno Bruto, a soma das riquezas do país) de dois anos atrás.

No caso de 2012, o crescimento do PIB considerado será os 7,5% de 2010. Para este ano, a projeção para o INPC é algo em torno de 6%.

O aumento vai no caminho completamente oposto ao visto neste ano. O mínimo passou de R$ 510 para R$ 545 e o reajuste quase não foi suficiente para repor a inflação. Isso ocorreu porque, pela mesma regra de correção anual, o avanço do PIB de dois anos antes entraria na conta.

Só que o “avanço”, nesse caso, havia sido negativo por conta da crise mundial. Em 2009, o PIB teve queda de 0,2%, e esse percentual negativo entrou na conta do salário mínimo deste ano. Como em 2010 houve uma recuperação forte, os trabalhadores verão seu salário crescer mais em 2012 do que neste ano.

Com o aumento anunciado pela ministra do Planejamento, o impacto nos cofres públicos será de R$ 22,7 bilhões. Isso porque, de acordo com cálculos do governo apresentados na LDO, o governo gasta R$ 306 milhões para cada R$ 1 de aumento dado ao mínimo.

O valor do salário mínimo serve de referência para os salários de 47 milhões de brasileiros. Isso significa dizer que muitas categorias, mesmo recebendo além do mínimo, podem ter reajuste proporcional no ano que vem.

O novo mínimo passará a valer a partir de 1º de janeiro e cairá efetivamente na conta do trabalhador em fevereiro. O valor pode ser revisado pelo governo, ao exemplo do que aconteceu este ano, após negociações com os principais sindicatos de trabalhadores.

Apesar de estar aberto a negociações, o governo federal tem dito que pretende cumprir a fórmula atual de reposição do mínimo.

Em abril, economistas já mostravam que caso o mínimo fosse de R$ 616, isso injetaria cerca de R$ 9 bilhões no consumo das famílias. Seria uma grana que iria direto para gastos de bens e serviços. O novo valor deve colocar ainda mais dinheiro no bolso do trabalhador.A preocupação do governo é de que consumo maior leve a inflação maior. Para este ano, o governo já não vê mais forma de deixar a inflação perto da meta, de 4,5% no IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). Como há uma margem de segurança que vai de 2,5% a 6,5%, a alta de preços pode fechar o ano perto do limite. Para o ano que vem, ainda há a previsão de que esses valores sejam mantidos, por enquanto.

(Portal R7)

Gripe, dengue e até aids: nova droga promete curar praticamente todas as infecções virais

Poucos medicamentos funcionam contra os vírus. Os antivirais têm uma ação mais limitada do que antibióticos e antifúngicos e não agem sobre todos os tipos de infecções. Na maioria das vezes, limitam-se a impedir que os vírus consigam se reproduzir. Mas pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), nos Estados Unidos, acreditam ter dado um passo além: eles criaram uma droga, DRACO (sigla para Double-stranded RNA Activated Caspase Oligomerizers), capaz de identificar as células infectadas e matá-las, dando fim à infecção. A pesquisa, publicada no periódico científico especializado PLoS One, pode representar o fim de doenças como a gripe, dengue, hepatite C e até da aids.

Os pesquisadores testaram a droga em culturas de células de humanos e ratos infestadas por quinze tipos de viroses. A abordagem se mostrou eficaz em todos os casos — incluindo os altamente resistentes rinovírus (responsáveis por resfriados), influenza H1N1, vírus da pólio, vírus da dengue e outros tipos responsáveis por perigosas febres hemorrágicas. A equipe também conduziu testes com camundongos e obteve sucesso. 

 

Glossário


  1. Antibiótico – Antibióticos são medicamentos usados para tratar infecções causadas por bactérias e outros micro-organismos. Originalmente, foram desenvolvidos com base em substâncias produzidas por organismos vivos que conseguiam inibir o crescimento de outros organismos. Atualmente a sua produção é sintética, ou seja, produzida em laboratório para imitar a estrutura bioquímica de antibióticos naturais. Eles atuam corrompendo certas estruturas da bactéria (parede celular, membrana plasmática) ou interferindo em processos fundamentais para o seu funcionamento (produção de proteínas, reprodução) – sem, no entanto, afetar as células do corpo. Mutações no código genético de bactérias podem torná-las resistentes a essas drogas. 
  2. Antiviral – Vírus funcionam de forma muito diferente de outros organismos: para se reproduzirem, dependem do aparato de outros seres, pois são acelulares, constituídos basicamente por uma cápsula proteica e material genético. Parasitas obrigatórios, conseguem se reproduzir apenas invadindo e controlando os processos de uma célula hospedeira. Por essa razão, antivirais atuam sobre as estruturas celulares usadas pelo vírus para se replicar, matando a célula. 
  3. Apoptose – É conhecida como ‘suicídio celular’. Ocorre de uma forma ordenada em todos os organismos para que a renovação celular ocorra, mas também como resposta a uma ameaça – seja uma infecção ou lesão do material genético. Para o corpo, é melhor que uma célula morra do que muitas células sejam corrompidas.
  4. Caspases – Proteínas responsáveis pelo processo de apoptose. Ficam dentro da célula de forma inativa e, ao se ligarem a determinadas enzimas, ativam outras caspases para bloquear mecanismos intracelulares fundamentais ao funcionamento da célula. Diante de uma ameaça, induzem a apoptose. 
  5. RNA – Molécula conhecida como ácido ribonucleico, que consiste em uma longa fita composta  por nucleotídeos. Está envolvida na transmissão do código genético, responsável pela produção de proteínas e manutenção de todos os processos do organismo. Em alguns seres, o DNA (ácido desoxirribonucleico) produz o RNA, que, por sua vez, faz a proteína. Mas muitos vírus, como o influenza e o vírus da hepatite C, são formados apenas por RNA.
  6. dsRNA – Longa fita dupla de RNA, parecido com o DNA. Forma o material genético de alguns vírus, ocupando o lugar do RNA fita simples. Se o vírus já não for formado por esse tipo de material, o dsRNA será feito com ajuda da célula hospedeira. 

 

“Para os primeiros ensaios com animais, desejávamos escolher um vírus comum em humanos que seria letal em camundongos, por isso usamos o influenza H1N1”, explica o cientista Todd Rider, do Laboratório Lincoln, do MIT, responsável pelo trabalho. “Demonstramos que a DRACO pode curar ratos que receberam uma dose letal de influenza e agora estamos testando outras viroses com bons resultados. A DRACO deve também funcionar contra o HIV e o vírus da hepatite, mas estamos fazendo mais testes para demonstrar isso.”

Resistência — Antibióticos agem interferindo em processos que impedem as bactérias de se reproduzirem, mas não matam as células humanas. Em infecções virais, no entanto, essa tarefa é muito difícil: vírus se multiplicam injetando seu material genético dentro das células hospedeiras. A única forma de lutar contra eles é impedir a ação de algumas proteínas que estimulam o processo, na maioria das vezes causando a morte da célula infectada. Nem sempre, no entanto, drogas conseguem ‘localizar’ as células com material genético viral antes que a infecção se espalhe. Além disso, vírus podem sofrer mutações com grande frequência, aumentando sua resistência aos medicamentos. 

“Há poucos medicamentos antivirais no momento, e os que existem geralmente se ligam a uma parte específica do vírus para bloqueá-lo”, diz Rider. O pesquisador explica que, como esses medicamentos existentes são feitos ‘sob medida’, basta que o vírus sofra ligeiras mutações para se tornar resistente à droga.

Alvo — Para superar o problema, a equipe do MIT usou como alvo algo comum a todos os vírus que atacam células humanas: uma fita dupla de RNA (dsRNA — veja o glossário), constituído pelo material genético do agente infeccioso que será copiado em ambiente intracelular para a produção de um novo vírus. “A droga provoca a morte imediata de qualquer célula infectada que contenha o dsRNA viral, então deve ser bem mais difícil para o vírus ganhar resistência à droga”, afirma Rider. 

Geralmente, algumas proteínas do corpo disparam mecanismos de alerta tão logo o processo de replicação viral seja identificado pelo organismo. Isso aciona o sistema imunológico. Contudo, nem sempre a resposta do corpo é ágil o suficiente para matar a célula infectada antes que novos vírus, replicados, infestem outras células. Para tornar o contra-ataque mais eficaz, os pesquisadores combinaram uma proteína que se liga ao dsRNA com outra proteína que induz rapidamente um processo conhecido como apoptose, a autodestruição da célula. Resultado: o código genético viral não é passado adiante. “Isso evita que o vírus se espalhe, causando menos mortes celulares do que a infecção”, diz Rider. (continue lendo a reportagem)

Os experimentos realizados mostraram que a nova droga não é tóxica em onze diferentes tipos de células – incluindo células humanas do coração, rins, pulmão, fígado e coração e de ratos. Não encontrando infecção viral ao penetrar na célula do corpo, o medicamento não age. Entretanto, se encontrar o dsRNA do vírus, imediatamente leva ao “suicídio” da célula infectada. 

Embora promissora, a abordagem ainda passará por inúmeros testes. “São necessários muitos anos para a realização de ensaios animais antes que testes com humanos comecem. Continuamos os experimentos com ratos e esperamos licenciar esta tecnologia com companhias farmacêuticas que possam conduzir ensaios com animais maiores, incluindo macacos. Se a droga for segura e eficaz em todos os animais dos ensaios, empresas farmacêuticas conduzirão testes clínicos com pessoas.” 

Ricardo Diaz, professor associado do Departamento de Infectologia da Escola Paulista de Medicina, é cauteloso ao avaliar a extensão das aplicações da nova droga. “O que esse novo trabalho fez foi desenvolver uma estratégia que detecta e ao mesmo tempo ativa a caspase – que é a enzima responsável por acionar o mecanismo de apoptose, e isso é genial”, diz ele. “Mas em alguns casos, essa abordagem pode ser um pouco mais complicada: por exemplo, muitas células infectadas pelo HIV (vírus da aids) entram em latência, e isso impediria a detecção do vírus por esta estratégia.”

 

 

Entrevista

Todd Rider, pesquisador do MIT
Em entrevista do site de VEJA, Rider explica como funciona a nova droga:


Como a DRACO funciona? A DRACO penetra nas células do corpo. Se não encontra nenhuma infecção viral, não faz nada. Contudo, se encontra dsRNA viral, imediatamente faz com que a célula infectada cometa ‘suicídio’.

Por que usaram o vírus influenza nas experiências? Demonstramos que a DRACO funciona contra todas as quinze viroses testadas em células humanas e animais, incluindo todas provenientes do vírus da gripe comum (rinovírus) e o vírus da dengue hemorrágica. Para os primeiros ensaios com animais, desejávamos escolher um vírus comum em humanos que seria letal em ratos, por isso usamos o influenza H1N1 e demonstramos que a DRACO pode curar ratos que tinham recebido uma dose letal de influenza. Agora estamos testando outras viroses em ratos e tendo bons resultados também.

Esse medicamento tem o potencial de combater qualquer tipo de vírus, incluindo o HIV e vírus da hepatite C? Em princípio, a DRACO deve funcionar contra todas as viroses, e de fato funcionou contra todas as quinze viroses testadas até agora. O medicamento deve também funcionar contra o HIV e o vírus da hepatite, mas estamos fazendo mais testes para demonstrar isso.

Todas as células infectadas por todos os tipos de viroses podem ser detectadas pela DRACO? Até onde eu sei, todas as viroses produzem RNA dupla fita (dsRNA) – e células humanas saudáveis não. A DRACO reconhece células que contenham o dsRNA viral e provoca a morte imediata essas células, pondo fim à infecção. Assim, deve ser eficaz contra todos os vírus.

Os vírus poderiam se tornar resistentes ao medicamento no futuro? Há poucas drogas antivirais no momento, e as que existem geralmente se ligam a uma parte específica do vírus para bloqueá-lo. Porque essas drogas existentes são muito específicas, é fácil para o vírus sofrer mutações e mudar ligeiramente a forma de suas partes de forma que a droga não mais se ligue a eles, fazendo com que esses vírus se tornem resistentes. Já a DRACO provoca a morte imediata de qualquer célula infectada que contenha o dsRNA viral, então deve ser bem mais difícil para os vírus ganhar resistência à DRACO.

Este medicamento poderia ter um impacto negativo no corpo se muitas células estiverem infectadas? A maioria das viroses mata as células hospedeiras infectadas e vai para outra célula. A DRACO mata aquelas inicialmente infectadas para parar a infecção e evitar que o vírus se espalhe para outras células. Por isso deve causar menos morte celular do que a infecção viral. Em nossos experimentos, a DRACO se mostrou não tóxica em onze diferentes tipos de células (incluindo humanas, do coração, pulmão, fígado, rim e outras) e em ratos.

Há planos de realizar testes com humanos? Muitos anos são necessários para a realização de ensaios animais antes que testes com humanos comecem. Continuamos os experimentos com ratos e esperamos licenciar esta tecnologia com companhias farmacêuticas que possam conduzir ensaios com animais maiores, incluindo macacos. Se a DRACO for segura e eficaz em todos os animais dos ensaios, empresas farmacêuticas conduzirão testes clínicos com pessoas.

(Veja Online)

Religiões Afro: Salvador atrás de Porto Alegre

Fonte: FGV

Salvador perde para cidades do Sul e Sudeste em número de praticantes de religiões afro-brasileiras Nessa cidade nem todo mundo é d’Oxum. Embora seja considerada como a metrópole de maior representatividade da cultura africana, Salvador é apenas a quarta em adeptos de religiões afrobrasileiras.

A capital baiana ficou atrás de Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo, respectivamente, de acordo com pesquisa divulgada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), nesta terça-feira (23). Apenas 0,33% dos soteropolitanos entrevistados se disseram praticantes de credos de origem africana.

O antropólogo Roberto Albergaria e o historiador e presidente da Fundação Pedro Calmon (FPC), Ubiratan Castro, divergem na interpretação do resultado. “O IBGE já havia feito uma pesquisa há 10 anos em que Salvador só aparece em 13º lugar em número de candomblés. No fundo, a história desses credos passou a representar para a gente um item não religioso, mas cultural. É a questão da baianidade que também foi ancorada neste mito da africanidade. ‘A maior cidade negra fora da África’. Mentira. Salvador é a maior cidade mulata do Brasil”, declarou Albergaria. Já Ubiratan destaca que há um número considerável de pessoas que não se assumem quanto à religião. “Lá [Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo] já existe uma quantidade maior de terreiros, e outra coisa: essas cidades possuem uma população que assume mais a religião. Aqui a grande maioria não quer nem saber. Não dá importância, não assume sua religiosidade”, opinou.

7 de Setembro: escravos do próprio sistema

No dia 7 de setembro de 1822, o príncipe regente D. Pedro declarou oficialmente a separação política entre Portugal e o Brasil colônia. Logo depois, em 12 de outubro de 1822, D. Pedro foi aclamado Imperador, sendo coroado no Rio de Janeiro em 01 de dezembro, com o título de D. Pedro I. Desde então, comemoramos esta data como o fim do domínio português e a conquista da autonomia política, ou seja, nossa independência.

É costume nesta data haver desfiles e paradas militares, onde diversos órgãos de segurança marcham em filas ostentando com orgulho suas conquistas. Também as escolas participam, com seus alunos marchando ao som de suas fanfarras. É uma festa cívica. É uma festa com o objetivo de lembrar a data em que o povo brasileiro conquistou a liberdade e ficou livre da opressão de Portugal.

Os anos se passaram, o Brasil experimentou várias formas de governo, passou por períodos duros sem nenhuma liberdade de expressão, e chegou a uma democracia onde, através do voto, o povo escolhe seus representantes. Os desfiles cresceram, e atualmente outros segmentos da sociedade participam desta grande festa, que em algumas cidades chega a durar horas e reunir milhares de pessoas. Volto a pensar no objetivo. Povo liberto, povo sem amarras políticas, povo independente e soberano. Pena que existam algumas nódoas que tiram o brilho desta data. Uma delas é a corrupção em todos os cantos, tanto no poder público quanto no privado.

Vemos diariamente na mídia notícias sobre Ministérios envoltos até o pescoço em escândalos de todos os tipos, empresas prestadoras de serviços faturando quantias escandalosas em todos os segmentos, desde obras de infraestrutura como estradas, pontes, passando por escolas, estádios de futebol, enfim são desvios de dinheiro público em todos os cantos deste Brasil. O Tribunal de Contas da União faz sorteios das cidades e obras a serem checadas, pois é impossível controlar tudo e na esmagadora maioria descobre irregularidades. Após esta constatação, entram na fila das averiguações, e no emaranhado jurídico de um sistema feito para não dar em nada. Em seguida, aparece outro escândalo maior e o anterior cai no esquecimento.

Assim vamos seguindo e o Brasil vai crescendo aos olhos do mundo. É um crescimento muito desigual, muito maquiado, como um grande desfile de 7 de setembro. Muitos morrem nas portas dos hospitais, milhares nas mãos de bandidos que tomaram conta das grandes cidades, onde existem arrastões até em restaurantes, mas o desfile não pode parar. Fico imaginando um desfile diferente, onde mostrassem os problemas que afligem a nossa cidadania, não só as belezas dos aviões fazendo malabarismos, soldados e estudantes com novos uniformes, em formação, marchando ao som de bandas afinadas.

Gostaria de ver um pelotão representando a corrupção, outro a falta de segurança, mais um mostrando a situação das escolas e hospitais e, por fim, um grande batalhão de verdadeiros brasileiros como eu gritando por justiça, educação, segurança e mudanças que nos dê motivos para sentir orgulho de nosso país. Talvez, assistindo a este desfile, lá no alto dos palanques, possa estar entre os políticos e autoridades, um grande brasileiro ou brasileira que se lembre do real sentido desta comemoração, se sensibilize pela demonstração de amor à pátria destes homens do povo e tome a decisão de dar um basta nesta situação.

Célio Pezza é escritor (www.celiopezza.com), com formação acadêmica em Química e Administração de Empresas.

Porto Velho vive epidemia de prostituição infanto-juvenil

O descompasso entre a implantação de grandes obras estruturantes, como é o caso do Complexo Madeira em Porto Velho, e a implementação dos programas de mitigação – que só são implantados depois do início dos trabalhos – potencializa os problemas sociais provocados pela chegada de grandes contingentes de trabalhadores, com o agravante de que estas obras são construídas em locais distantes de grandes centros econômicos, onde já há uma grande demanda por serviços básicos como saúde, educação e segurança, sendo que os moradores locais não possuem qualificação profissional para trabalhar nos empreendimentos. A soma de todos estes fatores provoca uma grande desagregação social, que atinge em cheio os segmentos mais vulneráveis da sociedade: as crianças e os adolescentes.

O tema acima está sendo discutido em Porto Velho durante o encontro nacional “O Impacto das Grandes Obras e a Violação de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes – Desafios para Prevenção da Violência Sexual”, iniciado nesta segunda-feira (22/8) na auditório de SENAC, na Capital, com a participação da ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário Nunes, e a secretária executiva do Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual de Crianças e Adolescentes, Karina Figueiredo.

“Queremos firmar um pacto, fazer com que  autoridades federais, estaduais e municipais se comprometam em defesa da infância e da juventude no nosso município”, afirma Denise Campos, do Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual, que está promovendo o evento.

De acordo com o relatório da Plataforma Dhesca Brasil, em decorrência das obras das UHE de Santo Antônio e Jirau, em Porto Velho o  número de crianças e adolescentes vítimas de abuso ou exploração sexual, no período de 2007 a 2010, cresceu 18%, o percentual  de estupros subiu para 208% e houve um aumento de 44% no número de homicídios dolosos.

Segundo, ainda, o estudo do Dhesca Brasil, “apesar de não haver indicadores específicos sobre a exploração sexual de crianças e adolescentes nessa região, as comunidades percebem o aumento da prostituição, sendo que em dias em que ocorre o pagamento dos funcionários a ocorrência de prostituição, inclusive infantil, é ostensiva. Em Jirau, por exemplo, um dos prostíbulos, denominado Copo Sujo, tem acesso quase que direto ao canteiro de obras”.

“A concentração de 22 mil homens nos canteiros de obras provoca grandes tensões, que precisam ser canalizadas de alguma forma”, ressaltou o coordenador da ONG Childood Brasil, Itamar Batista, durante o encontro.

Os relacionamentos sexuais destes trabalhadores com crianças, adolescentes e mulheres adultas deixam os chamados filhos das obras – centenas de crianças que ficam para trás, quando os pais vão embora ao fim do empreendimento.

Epidemia

De acordo com o conselheiro e secretário do Conselho Municipal de Defesa da Criança e do Adolescente de Porto Velho, Marto Oliveira, “a exploração sexual de crianças e adolescentes na Capital já se tornou uma epidemia e a situação deverá ficar pior com a realização da Copa do Mundo em 2014, com jogos programados para Cuiabá, no Mato Grosso, e Manaus, no Amazonas. Pesquisa do Ministério da Justiça informa que Porto Velho e Guajará-Mirim são rotas do tráfico de mulheres e homens – crianças e adultos – para fins sexuais e este grande evento certamente vai intensificar a prática”, alerta.

Em contrapartida, lamenta Marto Oliveira, “os órgãos públicos não estão preparados para enfrentar esta situação, que exige medidas urgentes. Falta infraestrutura administrativa e formulação de políticas públicas para a contenção destes agravos e não há perspectivas de que sejam providenciados os investimentos necessários. Infelizmente, crianças e adolescentes nunca foram  prioridades no Brasil”.

Pós-usina

O sociólogo e professor da Universidade Federal de Rondônia (Unir), Luís Novoa, considera que a situação social em Porto Velho poderá se agravar com o término antecipado das duas usinas, “cujas construtoras estão correndo contra o tempo para colocar as turbinas em funcionamento e terem direito a um bônus no preço da energia ofertada, sendo que nem 30% das condicionantes acertadas para a liberação da licença de instalação das obras foram plenamente atingidas, de acordo com  o último relatório publicado pelo Ibama, em 2009. Se as Licenças de Operação necessárias para a venda de energia forem liberadas antes do cumprimento das condicionantes, a sociedade não terá mais como cobrar a aplicação dos recursos previstos para mitigar os impactos sociais e ambientais das usinas”, alerta o sociólogo.

Novoa ressalta que há necessidade de rever os critérios de licenciamento de obras estruturantes que fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).  “O rio Madeira está sendo utilizado como uma linha de montagem de grandes projetos de infraestrutura programados para a Amazônia, a exemplo da UHE de Belo Monte. Estes empreendimentos atendem a interesses de segmentos econômicos – fábricas de celulose, alumínio e metalúrgica – que precisam de energia barata para competir no mercado internacional, mas que não são grandes geradores de empregos. Já as obras previstas no PAC só geram emprego e renda por um período determinado”.

Sobre os aspectos positivos trazidos pelos grandes empreendimentos – que servem de alavancas para as economias locais,  Novoa acredita que os bônus dos mesmos, no chamado período pós-usina, vai depender da habilidade dos futuros administradores públicos para utilizar os fatores de potencialidade da economia que serão deixados pelas obras.

Serviço

A programação do encontro nacional “O Impacto das Grandes Obras e a Violação de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes – Desafios para Prevenção da Violência Sexual” terá continuidade nos dias 23 e 24 de agosto no Aquárius Selva Hotel, com Assembleia Geral  do Comitê Nacional de Enfrentamento a Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes.

(Portal Amazônia da Gente – por Ana Aranda)

HIV positivo! Teste suspende indústria pornográfica e produção de filmes

Um teste realizado a um ator de filmes pornográficos, em Los Angeles, resultou positivo para sida e provocou o caos na indústria pornográfica. A produção ficou suspensa nos EUA e o protagonista deste caso será examinado de novo. A discussão à volta do uso do preservativo nesta indústria ganha força.

Gera milhões, mas foi obrigada a parar. A indústria pornográfica está em suspenso, devido a um exame de rotina. Esse teste acusou positivo, o que deixou alguns atores parados e em sobressalto.

Novas análises poderão confirmar ou desmentir o teste, além de que diversos outros protagonistas vão também ser alvo de um exame de HIV. Até lá, param luzes, câmara e não há ação.

A propagação do vírus, a suceder, seria um tremendo problema de saúde e um rude golpe para a indústria. Em Los Angeles, este tipo de filmes tem grande relevância e é o local onde se geram maiores lucros, considerando todos os centros de produção dos EUA.

Este caso (mais um) vem dar relevância a uma discussão que se abriu, no passado recente, sobre a obrigatoriedade do uso do preservativo por parte dos atores.

Quando em 2010 foi diagnosticado o vírus num ator, diversos ex-atores e até organizações (como a Aids Healthcare Foundation) apelaram à proteção durante as filmagens.

A Aids Healthcare Foundation está a desenvolver numa recolha de assinaturas, tendo em vista um referendo sobre o uso do preservativos na indústria de filmes pornográficos.

Se conseguir angariar mais de 41 mil, conseguirá que, nas eleições presidenciais do próximo ano, os americanos se pronunciem sobre esta matéria.

Este caso de HIV veio contribuir para a causa, ainda que ninguém pretendesse que essa causa ganhasse mediatismo com um caso real.

(Por Joana Teles – PT Jornal)

Vila das Artes inscreve para cursos de arte, audiovisual e dança em Fortaleza

A Vila das Artes, em Fortaleza, ainda está com inscrições abertas para cursos nas áreas de artes visuais, audiovisual e dança. O curso de Assistente de Figurino e Metodologia de Camarim tem 25 vagas e as inscrições vão até o dia 2 de setembro. As outras capacitações são Pontes de Corte, Formação Básica em Dança, Cinefotografaia Digitação, Laborátorio de Linguagens Visuais e Programa de Pesquisa em Artes Visuais. O período de inscrição e o número de vagas variam de acordo com o curso.

Confira os prazos finais de inscrição dos cursos e quantas vagas são disponibilizadas para cada um deles:

Inscrições até dia 2 de setembro:
Assistente de Figurino e Metodologia de Camarim – 25 vagas

Inscrições até dia 6 de setembro:
Pontos de Corte – 44 vagas
Formação Básica em Dança – 60 vagas

Inscrições até dia 9 de setembro:
Cinefotografia Digital – 15 vagas
Laboratório de Linguagens Visuais – 12 vagas
Programa de Pesquisa em Artes Visuais – 12 vagas

Site da Vila das Artes  traz os editais dos cursos e os critérios de seleção. Mais informações no telefone (85) 3252-1444.

(G1 Ceará)

Mulher é presa e será enquadrada na Lei Maria da Penha no Ceará

Uma mulher de 31 anos foi presa na noite desta terça-feira (30) suspeita de ameaçar de morte a namorada e deve ser enquadrada na Lei Maria da Penha, no município de Canindé, a 83 quilômetros de Fortaleza, segundo a delegada Cláudia Oliveira. A namorada denunciou a suposta agressora ainda por invasão de domicílio.

Segundo a delegada, a Lei Maria da Penha protege a mulher em situação de violência doméstica, independente de orientação sexual. “Desde que a mulher seja vítima”. Cláudia Oliveira informa que já foi feito pedido ao juiz da comarca de Canindé para que seja realizado procedimento de medidas de protetivas para a vítima, como proibir a aproximação da suposta agressora.

A delegada informa que em até dez dias vai concluir o inquérito e que a suspeita, além de ser enquadrada na Maria da Penha, deve responder pelo artigo 147 do Código Penal, que versa sobre ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal injusto e grave. A pena para este tipo de crime é de um a seis meses de detenção, ou multa.

Cláudia Oliveira explicou ainda que a vítima não quis fazer exame de corpo de delito e não confirmou se chegou a haver violência física entre as duas, mas denunciou por ameaça. A delegada informa que já pediu a transferência da suspeita para a delegacia de capturas em Fortaleza.

Romance iniciou na internet
De acordo com a delegada, as duas mulheres se conheceram na internet e iniciaram um envolvimento amoroso. Há cerca de 15 dias, a suposta agressora, que reside em Goiânia (GO), foi à Canindé visitar a então namorada virtual e se hospedou em uma pousada na cidade.

“Pelo depoimento da autora, estava indo tudo bem, até elas terem um desentendimento por causa de dinheiro”, afirma a delegada. A suposta agressora disse em depoimento que havia realizado alguns depósitos na conta da vítima, que negou ter recebido a quantia. A suspeita afirma que ao chegar a Canindé perdeu documentos e cartão do banco e que, por esta razão pediu que o patrão utilizasse a conta da namorada.

“Dinheiro foi motivo de agressão”
Ainda segundo Cláudia Oliveira, o patrão da suposta agressora foi contatado e confirmou ter realizado uma transferência de R$ 1.200 para a conta da própria suspeita. Mas disse à Polícia Civil de Canindé também que realizou dois depósitos de cerca de R$ 150 cada para a conta da mulher, que alega que o dinheiro foi gasto durante a estadia no município cearense.

Na tarde desta terça-feira (30), acrescenta a delegada, a goiana invadiu a casa da cearense e os familiares da vítima acionaram o programa de policiamento Ronda do Quarteirão, da Polícia Militar. A suposta agressora foi levada para a delegacia e assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), segundo Cláudia Oliveira. “Ela assinou um compromisso e retornou à casa da vítima, onde ficou esperando com uma faca na mão”, explica a delegada.

O Ronda do Quarteirão foi novamente acionado, após um vizinho ver a suposta agressora entrar na casa da namorada e avisar à família. Presa em flagrante, por volta das 18 horas, a delegada disse que a mulher confessou que pretendia matara vítima.
A Lei Maria da Penha
Pela Lei 11.340, de 7 de agosto de 2006, mais conhecida como Lei Maria da Penha, configura violência doméstica e familiar contra a mulher qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial.

(G1 Ceará)

Cientistas descobrem causa da mais mortal das epidemias

Imagem da bactéria causadora da peste bubônica obtida de um paciente nos EUA

Entre os anos de 1347 e 1351, um terço dos moradores da Europa morreu devido à chamada peste negra. Estima-se que entre 30 milhões e 50 milhões de europeus sucumbiram à doença. Mas os cientistas nunca tinham entendido qual foi o causador exato da doença. Agora, pesquisadores das universidades McMaster (Canadá) e de Tubingen (Alemanha) afirmam ter confirmado através de um novo método de análise de DNA a hipótese de que o causador foi a bactéria Yersinia pestis (causadora da peste bubônica moderna), mais exatamente uma variedade extinta.

Segundo as duas universidades, os cientistas que não acreditavam na Yersinia pestis como causadora da peste negra afirmavam que os testes de DNA usados estavam contaminados. Além disso, a versão moderna da bactéria, que ainda é extremamente mortal, espalha-se de maneira muito mais lenta do que ocorreu durante a epidemia medieval.

Hendrik Poinar, pesquisador da instituição canadense, afirma em nota que o patógeno da peste negra deve ser uma variante que agora está extinta, conforme indicam dados preliminares. Ele diz que a bactéria atuava em genes que facilitavam a transmissão – que era causada por pulgas, o que estimulava a proliferação dos micro-organismos no sistema respiratório.

Os cientistas estudaram 109 corpos encontrados em um sítio arqueológico próximo a Londres e outros 10 no sítio de St. Nicholas Shambles (este anterior à epidemia), também no Reino Unido, utilizando um novo método de análise de DNA. No primeiro local, os pesquisadores conseguiram distinguir os genes presentes da Yersinia pestis.

“O próximo passo é sequenciar o DNA inteiro e eu estou confiante de que esta nova técnica vai nos levar a respostas que mudarão nosso entendimento da história da praga e nosso conceito de doenças emergentes e reemergentes”, diz Poinar.

Os cientistas acreditam que a peste negra já foi responsável por duas outras grandes epidemias – em 541 d.C. (a “praga de Justiniano”) e no século XX, também na Europa. A variedade moderna da bactéria é extremamente mortal – cerca de 2 mil pessoas morrem por ano por causa da peste bubônica, afirmam as duas universidades.

O artigo que descreve o estudo está disponível gratuitamente para download (em inglês) pela revista especializada Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas) no endereço http://www.pnas.org/content/early/2011/08/24/1105107108.

(Portal Terra)

Câmara arquiva cassação do mandato de Jaqueline Roriz

BRASÍLIA – O plenário da Câmara acaba de absolver a deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF), por 265 votos contra 166 e 20 abstenções, no processo de cassação por quebra de decoro do mandato da parlamentar do Distrito Federal (DF).
O processo baseia-se em uma gravação em vídeo, onde Jaqueline Roriz, na época candidata à deputada distrital, aparece recebendo dinheiro do operador do esquema de propina no governo do DF, Durval Barbosa. A fita com as imagens só foi divulgada este ano, levando o PSOL a pedir ao Conselho de Ética da Câmara a abertura de processo de cassação.
O relator do processo no Conselho de Ética, deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), fez um parecer, que foi aprovado, favorável à cassação do mandato de Jaqueline Roriz. Sampaio usou como argumento que as imagens mostradas este ano mancharam a imagem da Câmara e, portanto, a deputada ferira o decoro parlamentar.

O advogado José Eduardo Alckmin adotou como tese da defesa que fatos anteriores ao mandato não caracterizam quebra de decoro.
(Portal DCI)

Primeiro casal gay do Ceará a oficializar união tem pedido negado pela justiça

Quando assinaram o contrato de união homoafetiva estável três meses e meio atrás, os auxiliares administrativos Leonardo de Carvalho Praxedes, 36, e José Irapuã Mendes Brandão, 35, pensavam estar próximos de alcançar o status de casados. Ledo engano.

Ao tentar converter a relação para um registro civil, o casal teve o pedido negado pela Justiça. A decisão desfavorável aos primeiros gays beneficiados pelo reconhecimento do Supremo Tribunal Federal (STF) das uniões entre pessoas do mesmo sexo foi tomada na última segunda-feira, 29.

A ideia de solicitar isso ao Fórum Clóvis Beviláqua surgiu depois de Irapuã tentar incluir Leonardo como dependente no plano de saúde e ter a solicitação negada. Ele foi informado de que a decisão do STF era nova demais e nenhuma norma da Agência Nacional de Saúde Complementar (ANS) previa o ato. “Se tivéssemos um registro civil, seriam obrigados a me incluir, porque teria valor de casamento”, explica Leonardo.

Instância superior

Os dois vão levar a conversão ao Tribunal de Justiça. A petição será protocolada hoje à tarde, no mesmo momento em que 25 casais irão oficializar suas relações homoafetivas num mutirão realizado na Cidade da Criança.

Se for recusada, o STF pode ser acionado. “A juíza se baseou numa questão de gênero. Disse que casamento é união de homem e mulher. Mas, na visão do STF, esse entendimento está ultrapassado. Se existe o contrato de união homoafetiva, a conversão em registro civil é natural”, pontua o advogado Paulo Petrola. Segundo ele, conversões já aconteceram em de Brasília (DF) e Mato Grosso do Sul (MS).

O coordenador das varas de cíveis, família e sucessões do Fórum, Sérgio Parente, contudo, pondera a inexistência de legislação que regulamente o casamento gay no Brasil. “À falta de legislação específica os juízes são conduzidos por princípios constitucionais. Alguns entendem que o STF não somente interpretou a legislação, mas praticamente a reescreveu quando reconheceu a união homossexual como entidade familiar”, pontua.

Parente avalia que uma forma de consolidar as conquistas do movimento LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis) seria criar uma expressão que, juridicamente, evoluísse a um estado civil e garantisse os direitos do casal. “Os ministros do STF não criaram limite para a aplicação da decisão. Por isso muitos defendem que casais do mesmo sexo adotem ou possam casar. Em tese, é possível que outro magistrado, até mesmo do interior do Estado, decida de forma diferente. A bem ver, passou da hora de o legislador regulamentar a questão”, frisa.

ENTENDA A NOTÍCIA

Caso o Tribunal de Justiça de Ceará também rejeite o pedido de conversão do contrato em registro civil de Leonardo e Irapuã, eles podem levar o pedido à instância máxima do Judiciário brasileiro: o STF.

Bruno de Castro

Índia brasileira da tribo Kaxinawá com 121 anos é a pessoa mais velha do mundo

A organização Survival International afirmou nesta terça-feira ter localizado no Brasil uma indígena brasileira que, prestes a completar 121 anos, seria a pessoa mais velha do mundo.

Maria Lucimar Pereira pertence à tribo dos Kaxinawá, que habitam a Amazônia ocidental, na fronteira com o Peru. Sua certidão de nascimento, aprovada pelo registro civil brasileiro em 1985, mostra que ela nasceu no dia 3 de setembro de 1890.

Segundo o Grupo de Pesquisa Gerontológica de Los Angeles (Califórnia, EUA), no entanto, a mulher mais velha do mundo é atualmente uma americana, Betty Cooper, que no dia 26 de agosto completou 115 anos.

(AFP)

Livraria Leitura inaugura unidade em Fortaleza

Com a proposta de variar a oferta de produtos, a livraria Leitura, de Minas Gerais, vai abrir unidade em Fortaleza. O empreendimento deve ser inaugurado no início de novembro. O local escolhido é o shopping Del Paseo e, de acordo com o sócio diretor da livraria, Marcus Teles, haverá um investimento de R$ 1 milhão ao longo de 12 meses.

Ao público, será disponibilizada uma carta de 40 a 50 mil itens incluindo livros, games, CD’s, produtos de informática e outras opções, acrescenta Teles. Ele diz que atualmente a rede está com 30 lojas em funcionamento no Brasil e esse ano a prioridade é a região Nordeste.

“Inicialmente estamos abrindo uma em Salvador, agora em Fortaleza e teremos outra em Maceió. Quanto a Fortaleza, conhecemos bem, é uma das cidades que mais cresceu no Brasil. Tem muito potencial, a gente vê que esse formato megastore é novo na cidade”, afirma Marcus Teles. Segundo informações dele, a loja de Fortaleza terá uma área total de em média 520 metros quadrados, enquanto o tamanho máximo do padrão Leitura é 2000 metros quadrados. Conforme Teles, o Shopping acertou diretamente com a loja a instalação e toda a parte mobiliária será nova com um novo projeto.

ENTENDA A NOTÍCIA

Muitos usam a livraria como espaço de convivência, compra ou diversão. Para outros é sinônimo de calmaria e bem -estar. Seja qual for o motivo para entrar em uma, a experiência já vale, são vários mundos para encontrar.

(Natalie Caratti – O Povo Online)

Acidente em Sobral deixa duas estudantes mortas e 30 pessoas feridas

Duas universitárias morreram e pelo menos 30 pessoas ficaram feridas em um acidente, ontem, por volta das 18h20min, envolvendo um ônibus que transportava 40 estudantes e um caminhão baú. O acidente aconteceu na CE-178, estrada que liga Santana do Acaraú a Sobral.

Segundo o comandante do 3º Batalhão de Sobral, coronel Gilvandro Oliveira, o motorista do ônibus, que vinha de Santana do Acaraú com destino a Sobral, tentou ultrapassar o caminhão, que seguia no mesmo sentido. Como o condutor do coletivo não conseguiu realizar a ultrapassagem, por conta de uma motocicleta que vinha no sentido contrário, ele puxou o veículo para o lado e acabou batendo no caminhão. Os dois caíram numa ribanceira.

Os cerca de 40 universitários fazem, todo dia, o mesmo percurso. Pegam o transporte em Santana do Acaraú e seguem até Sobral, onde estudam nas instituições de ensino superior. O comandante Gilvandro informou que as vítimas foram identificadas como Maria Vanessa Gomes Pereira, 23, e uma outra apenas como Silvana.

De acordo com informações da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), a ultrapassagem foi realizada em área com faixa contínua, onde é proibida a manobra. A assessoria de imprensa da Santa Casa de Sobral informou que pelo menos 30 pessoas tinham sido levadas para o hospital. Até o fechamento desta edição, a assessoria repassou que a maioria dos pacientes havia sofrido escoriações leves e eram estáveis.

(O Povo Online)

Lucas Zanetti é preso pela polícia por suspeita de assassinato de Murilo Rezende e Eugênio Bozolla

Foto: Andre Marques / Futura Press

A polícia de Sertãozinho prendeu na manhã desta segunda-feira Lucas Cintra Zannetti Rosseti, 21 anos, suspeito de matar o analista de sistemas Eugênio Bozola e o modelo Murilo Rezende da Silva com diversas facadas. Os dois foram encontrados mortos pela faxineira na manhã da última terça-feira (23), dentro do apartamento de Bozola na Rua Oscar Freire, em Pinheiros, bairro da zona oeste de São Paulo.

Rosseti estava escondido na casa de uma amiga na rua Terezinha Duque Borborema, bairro de Vila Áurea Gimenes, na cidade do interior de São Paulo. Os policiais chegaram até ele depois de investigações iniciadas domingo (28) depois que o carro de Bozola, um Honda Civic, usado pelo suspeito para fugir, foi encontrado. Ele foi detido por volta das 12h30, após uma denúncia anônima, e foi levado para a Divisão de Investigações Gerais (DIG) da cidade, em companhia de seu advogado e dessa amiga.

Rosseti continua na delegacia de Sertãozinho, mas deve ser trazido para a capital ainda hoje para prestar depoimento ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investiga o assassinato.

De acordo com a polícia, o suspeito estava hospedado na casa de Bozola desde o Dia dos Pais e matou o analista de sistemas e o modelo depois de um desentendimento por não querer voltar para sua cidade, Igarapava. A equipe do DHPP responsável pela investigação acredita que antes de cometer o crime, Rosseti dopou as vítimas que eram mais fortes do que ele.

(Ultimo Segundo)

Deficientes lidam com dificuldade de locomoção e preconceito

Inúmeros desafios. Quem sofre alguma deficência física se desdobra para se locomover por ruas e avenidas na maioria das cidades brasileiras. Em Piracicaba, a situação não é diferente. Na semana em que a cidade realizou a  6ª edição da Semana da Acessibilidade e Inclusão, o EP Piracicaba mostra a realidade da cadeirante Silvana Montebelli, de 45 anos, que exemplifica a dificuldade de boa parte dos deficientes. Calçadas esburacadas, falta de guias rebaixadas e locais que não possuem sinalização adequada são alguns dos problemas enfrentados diariamente. 

Na cidade, foram localizadas até o momento pelo menos 2.087 pessoas com deficiência, inseridas no cadastro único e usuários do Benefício de Prestação Continuada (BPC). É o que aponta a 1ª etapa do Cadastramento Municipal das Pessoas com Deficiência (Camped), realizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes) em parceria com o Centro de Reabilitação (CRP). O início da 2ª etapa do cadastramento está previsto para o próximo mês.

“As calçadas são esburacadas e muitos locais não possuem guias rebaixadas. É completamente impossível para um cadeirante descer por um local que não tenha guia rebaixada. Mesmo os locais que têm, muitas vezes são mal feitos e dificultam bastante que se passe”, comenta Silvana, que apesar da dificuldade – nasceu com paralisia cerebral – trabalha diariamente com a venda de cosméticos. O maior obstáculo, no entanto, não está nas ruas ou no transporte público: o preconceito é o que mais incomoda a cadeirante.

“Quando comecei a trabalhar com a venda desses produtos, eu não tinha cliente algum. Tive que ir de porta em porta me apresentando para saber se as pessoas queriam comprar. Certo dia eu toquei a campanhia, uma mulher atendeu e disse que não tinha esmola pra me dar, sem me perguntar nada antes. Só aí eu disse que era vendedora”, conta.

Transporte
Quando quer sair e ir a algum local, Silvana conta com a ajuda de um taxista de confiança, que já aprendeu a lidar com os problemas e a ajuda.”E quem não pode pagar um taxista como eu posso? Depender dos ônibus é complicado”. Piracicaba conta com o Projeto Elevar, que disponibiliza dez veículos para o transporte de pessoas com necessidades especiais.”O problema do Elevar é que há muita gente pra pouco veículo, o tempo de espera é muito grande”, conta.

De acordo com o secretário municipal de Trânsito e Transportes, Paulo Prates, 50 dos 225 ônibus do transporte público de Piracicaba possuem elevador para atender pessoas com necessidades especiais. Prates disse que, segundo a lei federal n° 10.098. até 2014, 100% da frota terá que ser adaptada com elevador ou plataforma. “Estamos trabalhando para isso ser cumprido até antes desse prazo”.

Muito o que fazer
O vereador André Bandeira (PSDB), presidente do Fórum Permanente da Pessoa com Deficiência, disse que Piracicaba já melhorou rezoavelmente na questão da acessibilidade, mas reconhece que ainda há muito a ser feito.Bandeira, diferentemente de Silvana, não é cadeirante desde a infância. Ele perdeu os movimentos após um acidente de carro, há 15 anos. A realidade é completamente diferente e o tempo para se adequar é duro.

“Quando você nasce assim, é difícil, mas não há uma outra experiência. No meu caso, foi complicado para se acostumar. Perde-se a vontade de viver por um momento. Mas aí o tempo passa e a gente vê que é possível sonhar de novo, basta ir atrás disso”, falou.  

Silvana finaliza reclamando da falta de estrutura das lojas da cidade para receber os portadores de necessidades especiais. De acordo com ela, poucos são os estabelecimentos que possuem sedes adequadas para receber os consumidores.

“Eles têm que entender que nós também somos consumidores. Por que não podemos ir adequadamente até esse lugares? É muito ruim isso. Quando eu quero comprar alguma roupa, eu preciso chamar a vendedora para vir em casa. Chega a ser humilhante, de certa forma”.

(EPTV)

Carlos Alberto Oliveira: Morre aos 69 anos, o presidente da Federação Pernambucana de Futebol

Morreu, na manhã desta segunda-feira, vítima de um infarto fulminante, o Presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Carlos Alberto Oliveira, 69 anos. O mandatário comandava a entidade máxima do futebol estadual há 16 anos. O velório vai acontecer na sede da FPF, a pedido da família, a partir das 18h. O enterro foi confirmado para esta quarta-feira pela manhã, no cemitério de Santo Amaro.

A notícia da morte de Carlos Alberto Oliveira foi confirmada pelo vice-presidente da FPF, Evandro Barros Carvalho. “Foi uma notícia que surpreendeu a todos e deixa a gente e de luto. É uma referência como pessoa e como administrador que primava pelo bem do nosso futebol. Me recordo que na semana passada ele me pediu para que eu diminuisse as viagens por ele estava muito feliz com a novidade de poder chefiar a delegação da Seleção Brasileira e queria que eu ficasse mais tempo na FPF”, detalhou Evandro Barros.

Ainda muito abalado pela morte do amigo e companheiro de trabalho na FPF, desde 1995, o secretário geral da FPF, João Caixero, afirmou que chegou a falar com Carlos Alberto cerca de 10 minutos antes do falecimento do mandatário.

“Ele estava feliz, queria que eu chegasse impreterivelmente às 14h na Federação para resolvermos a questão da viagem dele com a CBF. Cinco minutos depois que desliguei o telefone, a esposa dele já me ligava avisando que estava o socorrendo. Não houve tempo, foi tudo muito rapido”, disse Caixero, que confirmou o velório do mandatário na Alepe. “Só ainda estamos resolvendo com a família o local e o horário do velório, que deverá ser amanhã, no Parque das Flores”, pontuou.

Na semana passada, o presidente da FPF anunciou a pré-candidatura à Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes pelo PSD. Também na última semana, Carlos Alberto Oliveira havia sido nomeado como o chefe da CBF, em Londres, onde a Seleção Brasileira jogará contra a seleção de Gana, no próximo dia 5 de setembro.

O mandato de Carlos Alberto Oliveira foi o segundo maior de um dirigente na presidência da federação, com 16 anos, abaixo apenas de Rubem Moreira, com 27 anos, entre 1955 e 1982.

(Super Esportes)

VI Parada pela Diversidade Sexual de Maracanaú leva centenas de pessoas às ruas

O fim de semana terminou mais colorido em Maracanaú, Região Metropolitana de Fortaleza. Lantejoulas, saltos altos e muita animação tomaram conta da cidade durante a VI Parada pela Diversidade Sexual. Centenas de pessoas que apoiam o amor sem gênero se reuniram para desfilar os figurinos e dançar.

Para “mostrar que todo mundo é igual”, o cabeleireiro Ângelo Rainer, 30, levou o filho Levy Lucas, 3, à parada. Homossexual, o pai aproveitou a ocasião para mostrar ao filho a diversidade. “Ele precisa saber que há a diferença”, defende Ângelo, puxado pelo filho ansioso para passear entre os personagens da festa. E o estilo dos participantes chamava a atenção. Eram caubóis descamisados, rainhas em vestidos glamourosos, paquitas rebolando ao som de clássicos da Xuxa…

A costureira Fátima Freitas, 35, divertiu-se com as músicas infantis. Com o marido Oscar, 47, e as filhas Rosa Tamires, 13, Jennifer, 11, e Victória, de um ano, Fátima aproveitou a festa a céu aberto para lembrar que “ninguém deve ter preconceito”. “Todos devem se respeitar”, defende.

De cima de um dos trios elétricos, a madrinha da festa, Elke Maravilha, defendeu que desrespeitar a orientação sexual do outro é “burrice”. “Homossexualismo é algo da mãe natureza. Se não existissem os gays, teríamos uma superpopulação”, comentou.

A luta contra a homofobia foi mote do evento deste ano. “Fazemos um convite à cultura de paz”, ressalta Samilla Marques, vice-presidente do Grupo de Amor e Prevenção pela Vida (GAP-Vida), organizador da parada. A Musa Gay, Samylla Matarazzo, 26, defende que o respeito ao homossexualismo deve começar dentro de casa.
ENTENDA A NOTÍCIA
Os homossexuais comemoraram a lei sancionada em Maracanaú que pune estabelecimentos que cometem homofobia. Eles seguem lutando e pedindo mais respeito e a criminalização do preconceito motivado pela sexualidade.

(Mariana Lazari – O Povo Online)

Metalúrgicos do ABC fecham acordo por dois anos com 5% de aumento real

Valor Econômico
Stella Fontes

Os metalúrgicos do ABC paulista aprovaram por unanimidade, na manhã de ontem, um acordo salarial que tem validade por dois anos. Essa é a segunda vez, nos 52 anos de história do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, que se conquista uma negociação com prazo superior a um ano. O acerto que valerá até 2012 garante 5% de aumento real, além de abono de R$ 2,5 mil.

“Foi uma conquista difícil e importante para a categoria. Com esse acordo, conseguimos garantir previsibilidade e nos calçar contra possíveis impactos da crise internacional em 2012”, afirma em nota o presidente da entidade, Sérgio Nobre. Conforme o sindicato, o agravamento da crise econômica nas economias maduras e o avanço dos importados no mercado brasileiro justificam esse acerto de médio prazo entre metalúrgicos e montadoras.

O acordo aprovado na assembleia que reuniu cerca de 10 mil trabalhadores, em São Bernardo do Campo, prevê que, no próximo mês, os empregados das cinco montadoras da base – Volkswagen, Ford, Mercedes-Benz, Scania e Toyota – recebam 10% de reajuste, relativo à inflação acumulada no período, mais 2,55% de ganho real. O acerto garantiu ainda licença-maternidade de 180 dias.

Aos participantes da assembleia, Nobre destacou que esse acordo de dois anos garante o planejamento da vida financeira dos trabalhadores, bem como dos investimentos das montadoras, diante de um cenário de incerteza sobre os impactos da crise econômica entre 2011 e 2012.

O presidente do sindicato afirmou ainda na assembleia que o acerto, que torna desnecessária a campanha salarial de 2012, libera tempo para que o movimento sindical direcione sua atenção ao que é hoje considerado o maior problema da categoria, “o risco da desindustrialização provocado pelo crescimento das importações de veículos”. “Temos de valorizar a produção nacional para garantir empregos de qualidade no Brasil.”

Conforme ele, ao defender o acordo de dois anos nas negociações, a Federação dos Sindicatos Metalúrgicos da CUT (FEM-CUT) levou em conta ainda perspectivas para o segmento de caminhões. No próximo ano, a produção desses veículos no país poderá registrar queda, uma vez que, a partir de janeiro, torna-se obrigatória a adoção do motor Euro 5 (norma de controle de emissões), com reflexo de 15% nos preços dos caminhões. Diante disso, a indústria já verificou antecipação nas compras, o que deverá resultar em encolhimento das vendas no início de 2012. “O acordo de dois anos também protege a categoria, se isso ocorrer”, explica o presidente do sindicato na nota.

De acordo com o sindicato, o acerto beneficiará 35,9 mil trabalhadores. A intenção é chegar aos mesmos termos nas negociações encampadas por outras categorias da região, como a de autopeças, o que envolve mais de 100 mil trabalhadores no total. “Nos demais grupos, prosseguem as negociações e a luta para garantir a mesma conquista”, informa a entidade.

O sindicato informa ainda que, pelo acordo fechado ontem, os trabalhadores das montadoras terão reajuste salarial de 10% em 2011. O percentual corresponde a 7,26% de recomposição da inflação (medida pelo INPC), além dos 2,55% de aumento real. “Para o ano que vem, o reajuste será composto pela inflação do período mais a diferença dos 5%, que é 2,39%”, acrescenta. O abono de R$ 2,5 mil será reajustado pelo INPC mais o aumento real.

Os bastidores da queda de Fábio Barbosa no Santander

A ascensão de Marcial Portela coroa os erros em série do banco espanhol no Brasil, que trocou a “sustentabilidade” pelo lucro a qualquer preço

Dias atrás, o executivo Fabio Barbosa, até então presidente do Conselho de Administração do Santander, comentou com um amigo – a quem ajuda a traçar um plano de governo para a cidade de São Paulo – como estava o clima interno no banco Santander. – Não adianta encaminhar nada lá dentro, o ambiente está muito ruim.

Na condição de presidente do Conselho, Barbosa vinha tendo seu espaço minado pelo novo presidente, o espanhol Marcial Portela – e por isso começava a se dedicar a outras atividades, como a elaboração de um projeto político para São Paulo. Insatisfeito com a gestão de Portela, Fabio Barbosa buscou alternativas no mercado e está se recolocando como presidente-executivo do grupo Abril, que edita algumas das maiores revistas do Brasil, como Veja e Exame.

Com sua saída do Santander, o clima no banco é o pior possível.

Desconhecido no Brasil e com pouca habilidade política, Portela desembarcou com uma missão: aumentar os resultados e ampliar a transferência de lucros para a Espanha, que vive uma das maiores crises econômicas de sua história. Lá, por sinal, existe a ameaça de que o banco seja rebaixado pelas agências de classificação de risco – o que pode ocorrer também como o país ibérico. Para piorar, o controlador do banco, Emilio Botín, vem sendo investigado por fraudes fiscais e tributárias.

Marcial Portela, o presidente que substituiu Fábio Barbosa, é cria de Botín. E, curiosamente, chegou ao comando, no momento em que se discute uma multa de R$ 4 bilhões imposta pela Receita Federal ao banco espanhol, em função da contabilização do ágio na compra do Banespa – o Santander chegou a contratar os serviços da consultoria do ex-ministro Antonio Palocci, mas o problema não foi resolvido.

De certa maneira, a estratégia de gerar resultados a qualquer preço, implantada por Portela, rendeu frutos – ainda que de curto prazo. Os resultados gerados no Brasil já representam mais de 25% do ganho global do Santander no mundo. Mas a imagem do banco, sob a sua gestão, piorou muito. No dia 27 de julho deste ano, quando divulgou seu balanço semestral, o espanhol afirmou que os investidores teriam que ter paciência – e que, para quem não tivesse, o melhor seria investir em outra instituição. Só naquele dia, as ações do banco caíram 6%.

Desde que Portela assumiu o comando do banco, o desempenho das ações tem sido medíocre. No início do ano, as ações eram negociadas a quase R$ 22,00. No pregão desta terça-feira (23), fecharam a R$ 13,91. A queda em 12 meses é de 35,49% – duas vezes maior do que a do Ibovespa.

Erros em série

Esse estilo de gestão coroa uma série de erros do Santander no Brasil, que é o banco com o maior índice de reclamações de consumidores no Procon.

Fruto da aquisição de uma série de bancos, como o Noroeste, o Banespa e o Real, o Santander teve a chance de mudar sua imagem com Fábio Barbosa no comando.

Egresso do Real, Barbosa desenvolveu um discurso de responsabilidade social e sustentabilidade. Criou também uma campanha publicitária, com o mote “Vamos fazer juntos?”, e patrocinou iniciativas importantes, como as ações do Afroreggae, uma ONG que previne a violência, no Rio de Janeiro.

O primeiro grande erro do banco espanhol no Brasil foi abandonar a marca “Real”, que era apreciada pelos brasileiros, e substituí-la pela do Santander, que carrega os atributos negativos ligados à herança colonial ibérica.

Depois disso, o processo de integração tecnológica entre as agências do Real e do Santander foi um fiasco, tendo gerado inúmeras críticas de clientes.

Há dois anos, o banco também iludiu investidores no Brasil, ao fazer um IPO – um lançamento de ações – prometendo alocar os recursos no crescimento da operação no Brasil.

Hoje, sabe-se que o IPO foi feito no Brasil para aproveitar uma janela de oportunidade. Como havia muita liquidez financeira no Brasil, ao contrário do que ocorria na Europa, o IPO serviu apenas para captar recursos aqui e transferi-los à Espanha.

Fabio Barbosa estava descontente com a condução do banco. E, ao contrário do que dizem os comunicados formais do banco e da Abril, sua saída não foi fruto de uma escolha pessoal, mas dos erros em série cometidos pelo Santander no Brasil.

Fonte: Agência Estado

Dia dos Bancários resgata luta e prepara início das negociações com Fenaban

Neste domingo, 28 de agosto, a categoria bancária comemora o seu dia. A data, definida há 59 anos para recordar uma das mais importantes greves da categoria, é uma referência histórica dos bancários e serve de exemplo para a mobilização da Campanha Nacional 2011, que já está nas ruas de todo o país, com foco no emprego decente.

Neste ano, a data ocorre no final de semana antes da primeira rodada de negociações do Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, com a Fenaban, que acontece nesta terça e quarta-feira, dias 30 e 31 de agosto, com foco no tema emprego e reivindicações sociais. A segunda rodada, com o tema saúde e condições de trabalho, será realizada nos dias 5 e 6 de setembro; e a terceira, sobre remuneração, no dia 13 de setembro.

Em 28 de agosto de 1951, começou uma das mais longas e vitoriosas campanhas salariais dos bancários. A categoria reivindicava um reajuste de 40%, salário mínimo profissional e adicional por tempo de serviço. A contraproposta dos patrões, de 20% de aumento, foi considerada insuficiente e os bancários decidiram entrar em greve. Foram 69 dias de paralisação, até que, em 5 de novembro, a Justiça concedesse um reajuste de 31%, pondo fim à paralisação.

O presidente da Contraf-CUT, Carlos Cordeiro, ressalta que as conquistas trazidas com a greve histórica de 1951 devem ser resgatadas para lembrar aos bancários que não existem ganhos sem luta. Nenhum direito foi concedido pela generosidade dos bancos. “Nossa luta é por emprego decente com aumento real, proteção contra demissões imotivadas, fim das metas abusivas e do assédio moral, segurança contra assaltos, igualdade de oportunidades e aposentadoria digna”, reivindica.

Cordeiro faz um chamamento aos bancários de todo o país. “Vamos combinar mobilização e negociação, a fim de mostrar aos bancos a importância de atender as reivindicações da categoria. A história mostra que as negociações só avançam com mobilização. Vamos intensificar a campanha nas ruas”.

Os bancários reivindicam este ano reajuste salarial de 12,8% (aumento real de 5% mais reposição da inflação projetada em 7,5%), PLR de três salários mais R$ 4.500, piso do Dieese (R$ 2.297,51 em junho), plano de cargos e salários para todos, mais contratações, fim da rotatividade, reversão das terceirizações e banco para todos, sem exclusão e sem precarização.

História

A greve de 1951 foi a primeira contra o Decreto 9.070 da ditadura do Estado Novo, que proibia greves e amordaçava o movimento sindical dos trabalhadores. Foi um movimento pela liberdade sindical, em favor da democracia, contra os “atestados de ideologia” exigidos pelo Ministério do Trabalho dos candidatos a cargos sindicais, pela participação dos sindicatos na fiscalização das condições de trabalho e emprego, pela eleição de representantes dos bancários para a direção dos antigos Institutos de Aposentadorias e Pensões (o atual INSS) e pela participação dos sindicatos na fiscalização e elaboração das leis trabalhistas.

A data começou a ser comemorada já no ano seguinte, em 1952, por decisão do IV Congresso Nacional dos Bancários, realizado em Curitiba. Em 1957, a Assembleia Legislativa oficializou a data no Estado de São Paulo e, em 1959, o Congresso Nacional estendeu a data para todo o Brasil ao aprovar projeto do deputado federal bancário Salvador Romano Lossaco.

Veja as principais reivindicações dos bancários na Campanha Nacional 2011:

Reajuste Salarial
12,8% (5% de aumento real mais a inflação projetada de 7,5%)

PLR – Três salários mais R$ 4.500

Pisos
Portaria – R$ 1.608,26
Escritório – R$ 2.297,51
Caixa – R$ 3.101,64
1º Comissionado – R$ 3.905,77
1º Gerente – R$ 5.169,40

Vales Alimentação e Refeição e auxílio-creche/babá – R$ 545 cada

PCCS – Plano de Cargos, Carreiras e Salários

Auxílio-educação – pagamento para graduação e pós

Emprego
Ampliação das contratações
Fim da rotatividade
Combate às terceirizações
Garantia contra dispensas imotivadas (Convenção 158 da OIT)
Banco para todos, sem precarização

Outras prioridades
Cumprimento da jornada de 6 horas
Fim das metas abusivas
Combate ao assédio moral e à violência organizacional
Segurança contra assaltos e adicional de 30% de risco de morte
Previdência complementar para todos os trabalhadores
Contratação da remuneração total
Igualdade de oportunidades

Fonte: Contraf-CUT

Três pessoas sofrem sequestro relâmpago neste domingo em Fortaleza

Três pessoas sofreram sequestro relâmpago na noite de domingo (28), em Fortaleza, segundo o 2º Distrito Policial (DP). Os dois suspeitos de praticar o crime foram presos em flagrante quando estavam com o terceiro sequestrado da noite. Houve troca de tiros, um dos supeitos foi atingido na perna e levado para o hospital, o outro está detido no 2º DP.

Os homens atacaram primeiro um casal na Rua João Cordeiro, no Bairro Aldeota. De acordo com a polícia, os suspeitos foram violentos e atingiram o homem com uma coronhada na cabeça. Eles libertaram o casal alguns quarteirões depois e levaram alguns objetos dos dois.

Segundo as informações do 2º DP, um outro homem foi abordado pelos sequestradores alguns minutos depois. Ele estava do lado de fora do carro, mas foi obrigado a entrar no veículo e sair com os dois homens. Quando chegavam ao cruzamento das Avenidas Abolição e Via Expressa, no Bairro Mucuripe, policiais em um carro os avistaram, acharam a atitude do motorista suspeita e decidiram para-los.

Ao serem abordados pela polícia, os suspeitos dispararam e os soldados revidaram. Os dois  foram presos. As três pessoas que sofreram os sequestros relâmpago prestaram depoimento ainda na noite de domingo e foram liberadas.

(G1 Ceará)

Ricardo Gomes, técnico do Vasco, passa por neurocirurgia e segue em estado grave

O quadro de saúde de Ricardo Gomes, técnico do Vasco, permanece grave, porém estável, nesta segunda-feira. Gomes foi submetido no final da noite de domingo a uma cirurgia para reduzir a pressão intracraniana provocada pelo acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico sofrido durante o confronto Vasco e Flamengo, válido pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. O treinador será reavaliado por uma junta médica nesta manhã. De acordo com informações do hospital, não houve qualquer intercorrência durante a madrugada.

Gomes está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Pasteur, na Zona Norte do Rio de Janeiro, e segue em coma induzido. Ele respira com o auxílio de aparelhos. “O coágulo foi drenado. O quadro é favorável e as próximas 72 horas serão decisivas para avaliar e consolidar a situação. Isso quer dizer se provavelmente haverá sequelas ou não”, declarou Clóvis Munhoz, médico do Vasco que acompanha o caso.

Ricardo Gomes começou a passar mal a cerca de 20 minutos do segundo tempo do clássico carioca, no Engenhão. Ele se sentou no banco de reservas e levou a mão à boca. O médico da seleção e do Flamengo, José Luiz Runco, também auxiliou no atendimento inicial. Em fevereiro do ano passado, quando dirigia o São Paulo, Gomes sofreu um princípio de AVC. Antes da divulgação do diagnóstico, o médico vascaíno Clovis Munhoz disse que o novo problema não tem relação com o antigo susto, que teria sido apenas uma forte dor de cabeça.

(Veja Online)

Justiça condena Ciro por chamar Collor de ‘playboy cheirador’‎

A Justiça de São Paulo condenou o ex-governador do Ceará e ex-ministro da Fazenda Ciro Gomes (PSB-CE) a pagar R$ 100 mil de indenização por danos morais ao senado Fernando Collor (PTB-AL). O processo se refere a uma entrevista concedida por Ciro em 1999, na qual ele afirma que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deveria ter chamado Collor de “playboy safado” e “cheirador de cocaína” durante a campanha eleitoral de 1989.

A decisão foi tomada no dia 8 de agosto pelo juiz Marcos Roberto de Souza Bernicchi, da 5ª Vara Cível de São Paulo. Ciro ainda pode recorrer ao Tribunal de Justiça (TJ-SP).

“Não existe qualquer dúvida de que tais expressões tenham sido proferidas com intenção clara de ofender o autor (Collor), mesmo porque escapam plenamente a qualquer campo do debate político e ingressam em seara pessoal que jamais deve ser exposta. O autor foi ferido em sua honra objetiva e subjetiva, atingido social e individualmente”, diz o juiz na sentença.

“A ideia de chamar o autor de cheirador de cocaína e safado partiu do réu (Ciro), ainda que tenha ele externado apenas o que seria seu pensamento em eventual defesa, caso estivesse no lugar de Luiz Inácio da Silva. Mas não estava e, como ausente que era, caberia ter reservado sua opinião”, conclui o magistrado.

(Portal Terra)

Tony Tan é eleito presidente em Cingapura

O ex-vice-primeiro-ministro Tony Tan foi eleito neste sábado como vencedor das eleições à Presidência de Cingapura, após uma apertada disputa com Tan Cheng Bock, também ligado ao partido governista.

A Comissão Eleitoral chegou a anunciar uma segunda apuração dos votos depois que a primeira deu uma vantagem de 8 mil cédulas a Tony Tan sobre o segundo candidato com maior número de votos, o médico e presidente da companhia Chuan Hop Holding, Tan Chen Bock.

Tony Tan, um matemático, banqueiro e político de 71 anos, era o candidato favorito por seus estreitos laços com Partido da Ação do Povo (PAP), no poder desde 1959, e por seus contatos no mundo financeiro.

Em seus discursos de campanha, Tony Tan se apresentou como a pessoa certa para enfrentar os tempos de crise financeira internacional que Cingapura enfrenta, apesar de ser a economia mais dinâmica do Sudeste Asiático.

Para poder apresentar sua candidatura, Tony Tan renunciou há um mês de seu posto de executivo na poderosa companhia estatal de investimentos Temasek e ao cargo de presidente do mais influente grupo de mídia do país, Singapore Press Holding, que ocupava desde 2005.

(Agência EFE)

Atiya Abd al-Rahman: Braço direito de líder da Al Qaeda morre no Paquistão, diz EUA

WASHINGTON – O segundo homem no comando da al-Qaeda, Atiya Abd al-Rahman, foi morto segunda-feira passada no Paquistão, informou neste sábado um alto funcionário do governo americano. O líbio que assumiu o posto de líder operacional do grupo terrorista assumiu o segundo posto na al-Qaeda depois que os Estados Unidos mataram Osama bin Laden, em maio passado, durante ataque ao complexo onde ele vivia no Paquistão.

O secretário de Defesa, Leon Panetta, afirmou mês passado que os Estados Unidos conseguiriam derrotar a al-Qaeda se organizassem uma série de ataques bem-sucedidos contra a enfraquecida liderança do grupo.

– Depois de Bin Laden, este é o momento para jogar pressão máxima sobre eles, porque acho que, se continuarmos com esse esforço, podemos impedir que a al-Qaeda continue sendo uma ameaça importante – disse Panetta.

O sucessor de Bin Laden é Ayman al-Zawahiri, considerado um líder polêmico, pois não tem o mesmo carisma do fundador nem a capacidade de unir as diferentes facções da rede terrorista.

A morte de al-Rahman foi divulgada por um funcionário, sob a condição de guardar anonimato. Para o governo americano, agora será mais difícil para al-Zawahiri supervisionar a organização.

– Ele contava com a experiência de al-Rahman e com seus contatos para dirigir a al-Qaeda – acrescentou o funcionário.

Al-Rahman foi morto na anárquica região tribal paquistanesa de Waziristão, segundo outro alto funcionário que também insistiu em guardar anonimato, alegando questões de inteligência.

Ninguém explicou como o terrorista morreu, mas o fato ocorreu no mesmo dia em que foi registrado o ataque de um avião não tripulado da CIA no Waziristão. Tais ataques são a arma preferida de Washington para eliminar terroristas nessa zona montanhosa e de difícil acesso que margeia a fronteira com o Afeganistão.

Al-Rahman tinha cerca de 35 anos, era um colaborador próximo de Bin Laden e chegou a ser enviado pelo antigo chefe ao Irã, onde tinha livre circulação. Atuava há algum tempo baseado no Waziristão.

Ele se uniu a Bin Laden quando era adolescente no Afeganistão, para combater as forças invasoras da União Soviética. Depois da morte de Bin Laden, foram descobertas provas do papel desempenhado por al-Rahman como chefe de operações, disseram as autoridades americanas.

Em outras ocasiões, houve rumores sobre a morte de al-Rahman. Ano passado foi divulgado que ele tinha sido morto num ataque lançado por uma avião não tripulado, mas nem os EUA nem a al-Qaeda confirmaram sua morte.

(O Globo Online)

Brasil contabiliza 144 mortes por homofobia em 2011

Somente neste ano, 12 pessoas foram assassinadas na Paraíba em crimes cometidos por motivação homofóbica, segundo dados do Grupo Gay da Bahia (GGB). A entidade já contabilizou 144 mortes em todo Brasil este ano.

Em 2010, foram 260 homicídios no país, sendo 11 deles na Paraíba. 43% dos crimes cometidos no ano passado aconteceram somente no Nordeste.

O levantamento coloca a Paraíba em segundo lugar no ranking de assassinatos ligados à homofobia cometidos este ano na região Nordeste, perdendo apenas para Pernambuco, com 15 mortes.

No ranking preliminar deste ano do Grupo Gay da Bahia o Estado de Pernambuco aparece em primeiro lugar com 15 mortes motivadas por homofobia. A Paraíba aparece em segundo (12 mortes) e a Bahia, em terceiro (11). Em seguida estão os Estados de Alagoas (9), Ceará (6), Maranhão e Rio Grande do Norte (4), Sergipe (3) e Piauí com duas mortes. Se levado em conta todo o país, o estado de São Paulo é o que tem o maior número de mortes por homofobia, com 17 neste ano.

Comparando os dados de 2010 com os que já foram contabilizados nos oito meses deste ano, é possível observar um aumento de 64,83% nos homicídios com motivação homofóbica na Paraíba. Caso os crimes se mantenham neste ritmo, no fim do ano o Estado terá uma saldo de 18 mortes.

No Brasil ainda não existe um levantamento oficial sobre os crime desta natureza. As entidades e movimentos interessados neste estudo colhem os dados que são divulgados na imprensa e repassam para o Grupo Gay da Bahia que se encarrega de realizar todos os anos o Relatório de Assassinato de Homossexuais.

 

(Correio do Brasil)

UFC: Pelo fim do preconceito nesta modalidade esportiva

Um dos lutadores brasileiros participantes do card principal do UFC Rio, marcado para este sábado na Arena HSBC, na Barra da Tijuca, Maurício Shogun não tem dúvida: o preconceito contra o MMA (artes marciais mistas, na sigla em inglês) está perto de acabar.

“O evento deste sábado vai mudar a maneira como o país vê o nosso esporte, porque só tem alguma restrição quem nunca assistiu a uma luta do UFC”, argumentou. “Depois do UFC Rio tudo vai ser diferente aqui no Brasil. O povo brasileiro vai poder ver que o esporte é sério e que o evento é um verdadeiro espetáculo.”

Shogun vai enfrenta neste sábado o americano Forrest Griffin e se diz pronto para o combate. Confiança não lhe falta. “Fiquei três meses em Los Angeles, EUA, e estou muito feliz de estar lutando no Brasil. É um sonho realizado.”

O competidor sabe que, se vencer, vai dar um passo importante para a disputa do cinturão dos meio pesados. “Depois da luta, vejo o que eu faço, não penso em cinturão ainda.” No momento, o que mais lhe interessa é o duelo com o norte-americano.

MINOTAURO
Um dos maiores pesos pesados de todos os tempos, o baiano Minotauro, de 35 anos, pode se despedir do UFC se for mal no duelo contra o americano Brendan Schaub, no sábado, na Arena HSBC.

O presidente da franquia, Dana White, deu entender que a luta vai ser decisiva para o brasileiro. Depois do combate, o dirigente vai definir se Minotauro vai continuar disputando a competição.

 “Isso depende de como vai rolar a luta. Depois eu também preciso conversar com ele. Temos que ver como vai rolar para ver o que vai acontecer”, disse Dana White.

Embora esteja em baixa no UFC e há um ano não sobe no octógono, como o ringue é chamado, por causa de uma série de contusões, Minotauro não jogou a toalha e disse que “ainda tem muita lenha para queimar”.

“A aposentadoria é uma decisão que cabe a mim. Sei o tempo de parar. Tenho crédito no MMA (artes marciais mistas, na sigla em inglês)”, argumentou, demonstrando irritação com o assunto.

Apesar da necessidade de ir bem contra Brendan Schaub, Minotauro fez questão de minimizar essa pressão. Afirmou estar pronto para o combate e ressaltou estar feliz por lutar no País pela primeira vez na carreira.

“Vou competir na frente da minha filha, do meu pai e todo o pessoal vai me ver. Vou encarar essa pressão  como um apoio a mais”.

 (Jornal do Povo – Três Lagoas)

Anderson Silva: qual será o de hoje?

O lutador brasileiro Anderson Silva é o “cara”, “estrela da festa”, campeão absoluto e o “ponta de lança” do UFC para conquistar o Brasil e difundir ainda mais o evento, que é sucesso nos Estados Unidos. A luta de hoje será transmitida para 400 milhões de lares em todo o planeta. É muita gente.

Mas qual será o Anderson Silva desta versão Rio de Janeiro? O da máscara que provocou Vitor Belfort? Aquele Anderson que desdenhou do seu adversário e foi advertido por Dana White, um dos sócios do UFC? Ou teremos um Anderson Silva mais humano, mais humilde? Logo saberemos.

Ele disse ao repórter Andrea Dip: “Isto faz parte do show para as pessoas ficarem com mais vontade de assistir às lutas. Tudo tem que ter limite para que você não falte com respeito ao outro atleta”.

Por que das dúvidas? É que agora Anderson é o menino prodígio dos donos do negócio e é assessorado no campo pessoal pela empresa de Ronaldo “Fenômeno”, um super-ídolo do futebol e que conseguiu dar a volta por cima depois de flagrado com 3 travestis numa noite infernal. Ronaldo sabe encantar as massas.

E tem outro fator. Se a jogada é ligar os nomes dos lutadores aos clubes de futebol, e transformar o “espetáculo” em alta, ainda mais popular por estas bandas, nada melhor do que Anderson Silva ser um pouco mais que “O Aranha”, afinal, o seu patrocinador agora é o Corinthians. Ele tem que ficar mais “Fiel” e menos marrento. Será?

(Portal do Sidney Rezende)

Após 13 anos, UFC volta ao Brasil como superprodução

Quando o UFC fez sua estreia no Brasil, em 1998, Anderson Silva tinha 23 anos e não sonhava que poderia ser um dos melhores lutadores do maior torneio de artes marciais mistas (MMA) do mundo. Sem muita projeção, o UFC 17,5 – ficou conhecido assim por ser entre as versões 17 e 18 -, aconteceu dia 16 de outubro no ginásio da Portuguesa, em São Paulo, com poucos espectadores. Depois de 13 anos, o UFC volta ao Brasil, mas dessa vez como um megaevento. Com transmissão ao vivo na televisão aberta (RedeTV!), vinte e quatro lutadores, 14 deles brasileiros, farão um espetáculo na noite deste sábado na Arena HSBC que será visto por milhões de pessoas pelo planeta.

Um dos responsáveis em trazer o evento para o Brasil há 13 anos foi o árbitro Mario Yamasaki, faixa preta em judô e jiu-jitsu e dono de academias nos Estados Unidos. Ele explica que entrou em contato com os organizadores do UFC para pedir um pôster para seus alunos, e recebeu um cartão com telefone. Alguns meses depois ligou e descobriu que o número era de Bob Meyrowitz, ex-dono do evento. “Perguntei se eles não queriam vir para São Paulo e ele confirmou que estava pensando no Brasil.”
O torneio no ginásio da Portuguesa teve oito lutas, as principais  entre Vitor Belfort, um ‘fenômeno’ de 21 anos, e o estreante Wanderlei Silva, que depois se tornou campeão do Pride (outro evento de MMA); e Pedro Rizzo e o americano Tank Abbott. No primeiro desafio, Belfort precisou de apenas 44 segundos e uma saraivada de socos para nocautear Wanderlei. Também estreando no evento, Rizzo encerrou a luta em pouco mais de oito minutos. “Os organizadores estavam com medo de que o  Rizzo perdesse e o público invadisse o octógono”, conta Yamasaki.

 
Crescimento – Alguns anos depois do torneio no Brasil, em 2001, os irmãos Lorenzo e Frank Fertitta, donos de cassinos em Las Vegas, compraram o evento por 1 milhão de dólares (1,6 milhão de reais) e nomearam Dana White, ex-lutador amador de boxe como presidente. Os novos donos decidiram que para conseguir transformar as lutas em esporte era preciso criar regras reconhecidas pela comissão de arbitragem dos Estados Unidos. A marca hoje vale cerca de 1 bilhão de dólares (1,6 bilhão de reais), e deve muito ao marketing feito por Dana White. “O UFC se transformou em uma empresa graças ao marketing. Dana White é um cara que entende muito de lutas e usou uma estratégia agressiva para divulgar o evento. As pessoas foram educadas ao esporte”, diz Rodrigo Minotauro, que fará uma das lutas principais da noite deste sábado, contra o sociólogo Brendan Schaub.
 
Volta ao Brasil – A prefeitura do Rio de Janeiro desembolsou ‘apenas’ 950.000 reais para trazer o UFC de volta ao Brasil. E o investimento teve efeito positivo: a ocupação dos hotéis na cidade é de 80%, e 96% no bairro em que as lutas acontecem. Os cerca de 15.000 ingressos esgotaram em menos de duas horas, e os cambistas aproveitam para vender as últimas unidades por até 4.000 reais. Para quem não garantiu a entrada, a rede de cinemas UCI exibirá o torneio em seis capitais: Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Recife e Fortaleza – mas São Paulo e Rio de Janeiro já estão com os ingressos esgotados. Há também aqueles que irão assistir em bares temáticos ou festas excluvisas para curtir o UFC Rio.
 
Pressionado por lutar em casa, Anderson Silva fará a principal luta da noite contra o japonês Yushin Okami –  vários jornalistas do Japão estão no Rio. De acordo com a organização do UFC, foram credenciados cerca de 300 profissionais de vários países, como Estados Unidos, México e Peru. Para Mario Yamasaki, que está escalado para arbitrar na noite deste sábado, essa audiência comprova o sucesso do evento. “Vai ser como uma reabertura do UFC. Essa volta ao Brasil demonstra a explosão do MMA”. 
 
(Veja Online)
 
 
 

Homens encapuzados matam seis jovens da mesma família em chacina no Pará

Seis pessoas de uma mesma família foram assassinadas por volta das 4h30 da manhã deste sábado, 27, no bairro Novo Horizonte, em Santa Isabel do Pará, na região nordeste do Pará. Uma adolescente ficou ferida e foi hospitalizada, e outras três pessoas – entre elas, uma criança – foram poupadas.

De acordo com testemunhas, cinco homens encapuzados teriam invadido a casa onde estavam as vítimas pelos fundos e começado a atirar. A Polícia Civil acredita que se trata de uma execução, já que nada foi roubado do local.

Ana Maria Moraes, 28 anos, Francisco Moraes, 20 anos, Emerson Moraes, 18 anos, uma adolescente de 16 anos e o companheiro dela, de 18 anos, e um adolescente de 17 anos são as vítimas fatais. Nildene Cristiane Moraes, 18 anos, conseguiu escapar, mas foi hospitalizada com ferimentos. Os sobreviventes da chacina prestavam depoimento à delegada Silvia Tavares, da Divisão de Homicídios da Polícia Civil.

(Agência Estado)

Mil pessoas vão às ruas de Fortaleza em manifestação contra bullying

Cerca de mil pessoas, segundo os organizadores, realizaram neste sábado (27) em Fortaleza uma passeata para chamar atenção para o problema do bullying. O termo, de origem inglesa, refere-se a atos violentos entre crianças e adolescentes. Chamada de “Quebrando o Silêncio”, a manifestação foi realizada em todas as capitais do Brasil e em oito países da América do Sul.

Em Fortaleza, estudantes, pais e professores percorreram as principais ruas do centro da cidade com faixas e cartazes, pedindo o fim do bullying. Entre os participantes da passeata, estava o grupo de desbravadores mirins. “As nossas crianças são orientadas a terem respeito e camaradismo de um para com o outro, evitando xingamento, evitando que trate mal o seu amigo. Assim, desde sempre, vão aprendendo o princípio de amizade, de colaboração”, afirma a diretora do grupo, Angélica Ramos.

A coordenadora da pesseata, Ruth Fontes, orienta as pessoas que sabem de casos ou que sofrem violência a buscarem auxílio. Mas também alega que, de alguma forma, é preciso trazer esses jovens agressores para a sociedade a fim de ajudá-los a se integrarem. “O objetivo de quebrar o silêncio é mostrar para essas pessoas que aqui no Brasil e nos países da América do Sul existe solução”.

Vencer o preconceito
A dona de casa, Socorro Rodrigues, que tem um filho com paralisia cerebral, optou por matriculá-lo em uma escola normal, para vencer o preconceito. “Nós temos que fazer nossa parte e mostrar para todo mundo que  eles (crianças com necessidades especiais) também podem. Isso é acabar com o bullying”, diz, em relação à tolerância com as diferenças.

O pastor Herbert Cléber, que participou da manifestação, explica que o ato está servindo para levar a sociedade a se mobilizar contra o bullying. “Dizer à sociedade que nós somos contra essa violência de crianças contra crianças , de adolescentes contra adolescentes dentro de sala de aula ou em qualquer área da vida. Em casa, na família ou nas atividades recreativas”, afirma.

(G1 Ceará)

Caso Patrícia Acioli: PM é principal suspeito de assassinato

Um oficial do 7º BPM (São Gonçalo) é o principal suspeito de ter assassinado a juíza Patrícia Acioli. No dia, ele estava nas imediações do Fórum de São Gonçalo, momentos antes do crime, informação adquirida a partir da quebra de seu sigilo telefônico, autorizada pela Justiça.

O PM falou ao telefone com sua advogada, que havia encontrado com Patrícia no fórum. Na conversa, a mulher informou que a juíza havia decretado, naquele dia, a prisão preventiva desse oficial e de outros sete PMs, também do batalhão de São Gonçalo, por homicídio.

Juíza estava em “lista negra de criminosos”

A juíza Patrícia Lourival Acioli, da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, foi assassinada a tiros dentro de seu carro, por volta das 23h30 do dia 11 de agosto, na porta de sua residência em Piratininga, Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro. Segundo testemunhas, ela foi atacada por homens em duas motos e dois carros. Foram disparados mais de 20 tiros de pistolas calibres 40 e 45, sendo oito diretamente no vidro do motorista.

Patrícia, 47 anos, foi a responsável pela prisão de quatro cabos da PM e uma mulher, em setembro de 2010, acusados de integrar um grupo de extermínio de São Gonçalo. Ela estava em uma “lista negra” com 12 nomes possivelmente marcados para a morte, encontrada com Wanderson Silva Tavares, o Gordinho, preso em janeiro de 2011 em Guarapari (ES) e considerado o chefe da quadrilha. 

Familiares relataram que Patrícia já havia sofrido ameaças e teve seu carro metralhado quando era defensora pública. 

 (Jornal do Brasil)

Heloisa Borba Gonçalves a ‘Viúva-Negra’ é condenada a 18 anos de prisão

Conhecida como viúva-negra, a advogada gaúcha Heloísa Borba Gonçalves, de 61 anos, foi condenada, na noite desta sexta-feira, no 2º Tribunal do Júri do Rio, a 18 anos de prisão, após julgamento que curou cerca de oito horas.

A advogada é acusada pela morte do coronel Jorge Ribeiro, morto a marretadas, em fevereiro de 1992, numa sala comercial em Copacabana, na zona sul do Rio. O processo correu na 1ª Vara Criminal do Tribunal do Justiça. O Ministério Público, durante a sessão de julgamento, alegou que a advogada queria ficar com os bens da vítima.

O advogado de Heloísa tentou impedir o julgamento com o argumento de que o crime cometido pela cliente foi anterior à vigência da Lei da Cadeira Vazia, que permite a sessão em casos de seguidas faltas do réu. A advogada continua foragida e já enterrou três maridos e dois namorados entre 1971 e 1992.

(agência estado)

 

Miguel Peixoto, gerente do BB de Quixadá é executado com quatro tiros

A morte do gerente da agência do Banco do Brasil do município de Quixadá, a 158 quilômetros de Fortaleza, ainda é um mistério a ser desvendado pela Polícia.

Segundo a titular da Delegacia Municipal de Banabuiú, Raquel Queiroz Moreira, o crime será investigado pelo delegado regional de Quixadá. “Até o momento ainda não temos uma linha de investigação. Ouvimos algumas pessoas da família, que dizem desconhecer que ele teria algum inimigo”, esclarece a delegada.

Miguel Peixoto, 57 anos, foi executado com pelo menos quatro tiros, quando chegava em casa, na noite da última sexta-feira, 26. Conforme informações preliminares da Polícia, há cerca de dois anos, bandidos teriam atirado na frente da casa do gerente. No entanto, ele não teria procurado a Polícia para denunciar o atentado. A delegada informou que na quinta-feira, da semana passada, homens tentaram atear fogo em um dos veículos de Miguel, que ficava guardado num posto de combustíveis da cidade. Até o fechamento desta edição, não havia suspeitas sobre a autoria do crime.

(O Povo Online)

Empregado de processamentos de dados é enquadrado como bancário, decide TST

A SDI-I (Subseção I Especializada em Dissídios Individuais) do TST (Tribunal Superior do Trabalho) não acolheu recurso do Banco Santander e manteve o enquadramento como bancário de empregado de prestadora de serviço de processamento de dados integrante de empresa do grupo.

O entendimento foi de que, embora a empresa de informática também prestasse serviço para instituições não bancárias, o que poderia desconfigurar o vínculo empregatício (Súmula 239 do TST), essa prestação de serviço era apenas eventual, não configurando a sua atividade principal.

A decisão da Subseção manteve o julgamento da 7ª Turma do TST assim como oa, como o TRT-4 (Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região), entenderam que, no caso, os serviços de processamento de dados tinham como atividade primordial atender o serviço do banco.

“Apenas eventual, prestava-se serviços a outras empresas do mesmo grupo econômico e a terceiros, sem identificar se as primeiras eram ou não empresas bancárias, não há como se reconhecer contrariedade à Súmula 239 desta Corte”.

De acordo com a Súmula 239, o enquadramento de bancário empregado de prestadora de serviço de processamento de dados do mesmo grupo econômico só não ocorre “quando a empresa de processamento de dados presta serviços a banco e a empresas não bancárias do mesmo grupo econômico ou a terceiros”.

Ao analisar o recurso de revista do banco, a ministra Delaíde Miranda Arantes, relatora, ressaltou que a jurisprudência do TST “já definiu que a prestação ínfima ou inexpressiva de serviços a outras empresas não bancárias do mesmo grupo econômico ou a terceiros não descaracteriza a condição de bancário do empregado”.

(Ultima Instância)

ONG internacional homenageará Dilma por dedicação ao serviço público

Luciana Lima – Agẽncia Brasil

A presidenta Dilma Rousseff confirmou presença no jantar que a organização não governamental (ONG) Woodrow Wilson International Center for Scholars promoverá em Nova York, no dia 20 de setembro. Dilma será homenageada pela ONG com o Prêmio Woodrow Wilson de Serviço Público.

“A história da presidenta Dilma Rousseff inspira milhões de mulheres em todo o mundo a buscar posições de liderança em variados campos”, disse a presidenta do Woodrow Wilson Center, Jane Harman. “Estamos felizes por poder honrar a dedicação da presidenta do Brasil ao serviço público e à liderança, que tão bem traduzem o legado de Woodrow Wilson.” Vigésimo oitavo presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson foi eleito duas vezes para o cargo, que ocupou de 1913 a 1921.

O prêmio é destinado a personalidades que se destacam por serviços prestados à democracia. Entre os brasileiros, já foram homenageados o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2009, a médica Zilda Arns, em 2007, fundadora da Pastoral da Criança, que morreu no terremoto de janeiro de 2010 no Haiti, e o jornalista Ruy Mesquita, em 2006. Na modalidade Cidadania Corporativa, foram homenageados os empresários Maurício Botelho, em 2006, e Jorge Gerdau Johannpeter, em 2007.

O jantar em que a presidenta Dilma Rousseff receberá o prêmio ocorrerá na véspera da abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Dilma será a primeira mulher a abrir o debate anual da ONU.

(Jornal do Brasil)

 

Vogue Itália é acusada de racismo ao descrever brincos como “de escrava”

A Vogue Itália publicou um editorial de moda em seu site que causou bastante alvoroço e ganhou repercussão nas redes sociais por conter alegadas alusões racistas.  Com o título “Slave Earrings” (Brincos de escrava) apresentada em sua seção Trend, o artigo, a respeito de brincos de argola, foram descritos como uma influência do vestuário das mulheres africanas levadas a força para o sul dos EUA durante o período escravista.

Slave earrings - Vogue Itália

“Jóias sempre flertaram com formas circulares, especialmente para a fabricação de brincos. Os modelos mais clássicos são o modelo escravo e o crioulo feitos em aros de ouro. Se o nome traz à mente as tradições decorativas das mulheres de cor que foram trazidos para o sul Estados Unidos durante o tráfico de escravos, a última interpretação é pura liberdade. Pedras coloridas, pingentes simbólica e múltiplas esferas. E a evolução continua”, disse a publicação.

O site da revista foi bombardeado com comentários de leitores enfurecidos que protestavam contra o suposto racismo e contra a “glamurização da escravidão”. O resultado disso tudo foi que a revista precisou mudar o título do texto para “Ethnic Earrings” (brincos étnicos).

A editora-chefe da Vogue Italia, Franca Sozzani, tentou amenizar a situação colocando a culpa em uma tradução ruim: “Pedimos desculpas pela inconveniência. Foi uma questão de uma tradução muito ruim do italiano para o inglês”.

Como o assunto continuou a ser debatido mesmo depois da declaração da editora chefe, a Vogue se viu obrigada a se desculpar oficialmente para tentar conter os danos:

“Nós decidimos remover o artigo do site para provar a nossa boa fé e para mostrar que não foi nossa intenção insultar ninguém”.

Agora basta saber se eles se darão ao trabalho de contratar um tradutor mais eficiente para que “equívocos” como este não voltem a acontecer, não é mesmo?

(Portal Vírgula)

Banco do Brasil vai doar 60 mil computadores para inclusão digital

O Banco do Brasil vai doar mais 60 mil computadores para programas de inclusão digital através de convênios mantidos com diversas entidades e por projetos próprios. A instituição financeira possui, hoje, 1.582 espaços comunitários ativos; 1.248 telecentros, 334 salas montadas em locais como presídios, para ajudar condenados a se profissionalizarem e reduzirem o tempo de pena.

Ao todo são 1,5 milhões de usuários /mês distribuídos em 867 municípios brasileiros, segundo informou José Doralvino Sena, coordenador do Programa de Inclusão Digital do Banco do Brasil, ao proferir palestra sobre o tema no Fórum Brasil TI, promovido pela Netwaork Eventos, em Brasília.

Para este ano, o BB tem a estratégia de substituir o seu parque computacional. Com isso irá liberar mais 60 mil computadores para o seu programa de inclusão digital. As máquinas, obsoletas para os padrões do banco, serão redistribuídas para diversos projetos de inclusão digital que o BB mantém com instituições públicas e não governamentais.

O coordenador do projeto se ressente de não poder fazer mais, sobretudo no interior do país, por duas razões distintas: Falta rede de telecomunicações nas localidades mais distantes e pela carência de mão-de-obra capacitada para a função nessas localidades. Assista a participação do coordenador do BB no Forum TI, através da CDTV, do portal Convergência Digital.

(Convergência Digital)

Lucas Zanetti confessa ter assassinado o analista Eugênio Bozola e o modelo Murilo Rezende

Lucas Zanetti

Lucas Cintra Zanetti Rosseti, 21 anos, nasceu em Igarapava, a 459 quilômetros da capital. Ele gosta de rock e sonhava em morar na metrópole paulistana. Filho de um fazendeiro, conheceu o analista de sistemas Eugênio Bozola, de 52, seu conterrâneo. Tiveram um breve romance e o jovem foi convidado a passar uma semana no apartamento que o analista dividia com o modelo Murilo Rezende da Silva, de 21 anos, na Rua Oscar Freire, nos Jardins, Zona Oeste. Segundo a polícia, Lucas dormiu sob o mesmo teto que o modelo e o analista durante uma semana e os esfaqueou na noite de segunda-feira.

O DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) esclareceu o duplo homicídio em menos de 48 horas. A motivação do crime ainda não está clara, mas a polícia acredita que Lucas não queria voltar para sua cidade natal. “Ele ficou deslumbrado com São Paulo”, disse o delegado Mauro Dias. O retorno do jovem estava programado para segunda-feira, mas ele se recusou a voltar e discutiu com o analista.

Os atritos com Murilo também teriam contribuído para que Bozola forçasse o rapaz a voltar para Igarapava. O modelo desabafou para a namorada Janaína Sampaio que estava incomodado com a presença do novo hóspede e  eles haviam tido “problemas”. A informação foi confirmada por testemunhas que contaram à polícia que Murilo reclamou do sumiço de um perfume. Pela internet, Janaína pediu para o namorado cuidar de suas coisas. O assassino levou computadores, celulares e máquinas fotográficas do apartamento.

Para o delegado Dias, o crime não foi premeditado porque Lucas deixou roupas sujas de sangue no apartamento e fugiu com o carro da vítima. O veículo passou por um pedágio no município de São Simão e a polícia acredita que o jovem esteja escondido naquela região.

DOPADOS/ A investigação aponta que as mortes ocorreram depois das 22h. Várias pessoas estiveram em uma festa que acontecia no apartamento naquela noite, mas Rosseti teria agido sozinho.

Pela dinâmica traçada pelos investigadores, as vítimas foram dopadas e Murilo foi o primeiro a ser morto. A polícia apreendeu caixas de um antidepressivo. Segundo  o fabricante, a superdosagem causa torpor e perda dos sentidos – sintomas relatados por Murilo em mensagem à namorada horas antes de ser assassinado.

Com o sangue da dupla, Lucas escreveu “CV” (Comando Vermelho) e “viado” nas paredes. Segundo a polícia, a intenção era induzir  um crime com  motivação homofóbica. A polícia pediu a prisão temporária de Lucas, que está foragido.

(Agência Bom Dia)

Brasil, país sedia a maior parada gay do mundo é também o líder no assassinato de homossexuais

Carlos Albuquerque, BBC

Segundo o antropólogo Luiz Mott, fundador da mais antiga associação de defesa dos direitos humanos dos homossexuais no Brasil – o Grupo Gay da Bahia (GGB) – e um dos mais respeitados ativistas gays brasileiros, o Brasil é um país contraditório no que se refere à questão dos gays, lésbicas e transgêneros.

“Ao mesmo tempo que temos um lado cor-de-rosa, representado pela maior parada gay do mundo, que se realiza em São Paulo com mais de 3 milhões de pessoas, e temos mais de 200 grupos gays funcionando no país, temos um lado vermelho-sangue representado pelos assassinatos, pelas agressões contra os homossexuais no país”, afirma.

Segundo relatório do Grupo Gay da Bahia, 260 homossexuais e travestis foram assassinados no ano passado em todo o país. O Brasil é assim o país com maior número de assassinatos de gays, lésbicas e travestis. Segundo o relatório do GGB, um homossexual é morto a cada 36 horas e esse tipo de crime aumentou 113% nos últimos cinco anos. Este ano, até o momento, foram registrados 144 mortes de gays, lésbicas e travestis, disse Mott à Deutsche Welle.

Além do maior índice mundial de assassinatos de gays, lésbicas e travestis, acontecimentos recentes envolvendo a situação do grupo LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, travestis e transgêneros) no Brasil podem levar a crer que uma onda de homofobia se instalou recentemente no país.

Escola sem homofobia

Em maio último, a presidente Dilma Rousseff determinou a suspensão da produção e distribuição do kit “Escola sem homofobia”, que estava em planejamento no Ministério da Educação e deveria ser distribuído em milhares de escolas públicas brasileiras. O assim chamado kit anti-homofobia vetado por Dilma continha cartilha, cartazes, folders e vídeos educativos. O kit gerou polêmica e agora está sendo revisado, após reações de setores conservadores da política e da sociedade brasileiras.

Segundo Mott, esse foi “um material planejado com muito cuidado, onde se gastou mais de 2 milhões de reais e que teve a participação da Unesco, do Conselho Federal de Psicologia e de outras entidades, e que foi vetado por influência, por pressão do que existe de pior na política brasileira, que são deputados evangélicos conservadores e intolerantes”.

Ao vetar o kit anti-homofobia, que deveria chegar a mais de 6 milhões de adolescentes e mais de 300 mil professores, o fundador do Grupo Gay da Bahia disse que a presidente Dilma Rousseff deu um mau exemplo em meio a um aumento extremamente preocupante da intolerância gerada pela homofobia.

Image
Foto: Manifestação contra a homofobia no Brasil. (Picture Alliance/dpa)

Violência mais visível

Para Márcio Marins, presidente da organização Dom da Terra, ONG direcionada a gays afrodescendentes e adeptos de religiões de matriz africana, a “onda de homofobia, lesbofobia, transfobia no Brasil não aumentou, ela simplesmente está mais visível que em outros tempos”.

Marins diz crer que, com os avanços de algumas políticas para esse segmento da população – lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais –, os setores conservadores têm levantado mais a voz e procurado dar mais visibilidade às suas posições, que incluem “negar os direitos LGBTs”.

Marins disse não acreditar que o índice de violência tenha aumentado no Brasil. “O que aumentou foi o número de denúncias”, afirmou o ativista à Deutsche Welle.

Triste título

Outra grande polêmica em torno da situação dos homossexuais no Brasil é a não aprovação de um projeto de lei que criminalize a homofobia no Brasil. O projeto precisa ser votado no Senado Federal, mas enfrenta oposição de setores conservadores no Senado e de segmentos de fundamentalistas religiosos.

Segundo levantamento do GGB, nos últimos anos o Brasil tem sido o campeão mundial de assassinatos de homossexuais. São mais de 3.500 assassinatos nos últimos 30 anos, atingindo, em 2010, 260 homicídios. Desses, aproximadamente 70% eram gays, 25% eram travestis e 5%, lésbicas.

O segundo país mais violento é o México, com uma média de 35 assassinatos anuais. Em terceiro lugar estão os Estados Unidos, com 25. “O Brasil tem 100 milhões de habitantes a menos do que os EUA, mas registra 10 vezes mais assassinatos de gays e travestis por ano”, disse Mott, acrescendo que menos de 10% desses assassinatos são esclarecidos pela polícia e vão a julgamento na Justiça. “Essa impunidade, com certeza, estimula novos assassinatos, o que torna a situação, a vida dos homossexuais no Brasil muito perigosa, muito arriscada.”

Mott apontou que o “que é interessante e chocante” é que o número de prostitutas é muito maior no Brasil, mas as travestis são muito mais frequentemente assassinadas do que as prostitutas, o que revela que por trás desses crimes está de fato a homofobia, na medida em que as pessoas consideram que a travesti é um homossexual. “Tais pessoas são levadas à violência por causa da homofobia cultural que domina no Brasil”, afirma o antropólogo.

Forças conservadoras

Mott lembra que tanto deputados quanto senadores dependem do voto dos eleitores para serem eleitos. “Para não ofender eleitores mais conservadores, católicos ou evangélicos, os parlamentares evitam apoiar projetos polêmicos, como a questão do aborto e a questão da equiparação da homofobia ao racismo”, argumenta.

Para o antropólogo, seria lógico que a discriminação racial e a discriminação sexual fossem punidas com o mesmo rigor e com as mesmas penas. “Mas infelizmente existe no Brasil uma hipersensibilidade em relação à questão racial e uma indiferença em relação à violência, à discriminação contra os homossexuais. Nós não queremos privilégios, queremos direitos iguais, nem menos nem mais, e que a discriminação por homofobia tenha o mesmo tratamento que os crimes de racismo”, afirma.

Para Marins, considerando que o racismo é muito presente no Brasil e “que a homofobia tem matado da maneira que tem matado, nós não demoramos a concluir que lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, se forem negros e se forem de religião de matriz africana, vão sofrer ainda mais preconceito do que um gay branco de classe média, bem posicionado profissionalmente.”

Dia do Orgulho Hétero

Naquilo que pode ser entendido como uma reação de forças conservadoras às conquistas homossexuais, no início de agosto a Câmara Municipal de São Paulo aprovou o projeto que cria o Dia do Orgulho Heterossexual. Dos 50 vereadores presentes, somente 19 se manifestaram contra.

No entanto, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, anunciou que irá vetar o projeto do Dia do Orgulho Hétero aprovado pela Câmara Municipal, alegando que o heterossexual, por não ser minoria, não sofre preconceito e ameaças e “não precisa de dia para se afirmar”.

Também a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou nota afirmando que a data é desnecessária. O projeto é de autoria do vereador Carlos Apolinario, membro da igreja evangélica Assembleia de Deus.

Luz no fim do túnel

Marins diz ter muito cuidado ao falar sobre quem são os religiosos fundamentalistas que lutam contra os direitos dos homossexuais e travestis no Brasil. “Não posso generalizar que são cristãos, até porque há tanta igreja cristã – protestante ou católica –, há tantas lideranças que trabalham muito bem conosco, respeitando os nossos direitos.”

O presidente da ONG Dom da Terra explica que se trata de algumas lideranças, baseadas em dogmas religiosos, que têm influência direta no Congresso Nacional, sobre um grande número de deputados e senadores. E com a justificativa da garantia do direito da família, vêm tirando os direitos LGBTs, “como se os LGBTs também não fossem filhos de uma família e não formassem também novas constituições familiares”.

“Nós formamos famílias”, conclui Marins. E, nesse contexto, em meio às notícias negativas sobre a situação dos homossexuais no Brasil, a aprovação unânime pelo Supremo Tribunal Federal de Brasília da equiparação da união estável homoafetiva à união heterossexual, em maio último, pode ser vista como uma contrapartida e demonstra, segundo Mott, que o Poder Judiciário no Brasil é o mais moderno, o mais afinado com os direitos humanos de grupos minoritários, entre eles os homossexuais.

Vincular islamismo a terrorismo é como ligar catolicismo a pedofilia

Para estudiosos de teologia, após os atentados de 11 de setembro as autoridades islâmicas se posicionaram fortemente contra o terrorismo, mas motivações políticas nortearam um esforço do Ocidente de vincular injustamente a religião a atos de extrema violência. “Acho que a gente poderia fazer uma má comparação dizendo que o catolicismo é pedófilo, como se a gente passasse a tratar algo que acontece dentro do catolicismo como alguma coisa caracterizadora”, sugere a professora de pós-graduação de Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) Maria José Rosado Nunes.

“No meu ponto de vista, há um problema do Ocidente nessa identificação de terrorismo e islamismo. Isso é uma questão política, que deveria ser trabalhada e discutida. Não é justo para o islamismo esse vínculo de terrorismo. O islã não é terrorista”, diz a professora.

Para o professor de Ciência da Religião da (PUC-SP) Frank Usarski, especialista na religião islâmica, as autoridades religiosas se posicionam contra o terrorismo, mas a cultura islâmica, e suas sutilezas, como os motivos para o uso do véu, ainda são interpretadas de forma errada por culturas ocidentais. “A rejeição do terrorismo como algo anti-islâmico abrange geralmente alusões ao caráter pacifico do Islã, um aspecto já implícita na nomenclatura da religião cujas raízes etimológicas (= ‘s-l-m’) apontam para um campo semântico que inclui também a palavra como salam = ‘paz'”, explica.

Segundo ele, diferente do que se pensa, o Corão não obriga as mulheres a vestirem a burqa – obrigatória em países mais ortodoxos -, mas cita apenas vestimenta que deve cobrir as partes do corpo da mulher. Os versículos que abordam a questão, no entanto, são vagos, e a interpretação é influenciada conforme os costumes regionais anteriores a chegada do islã. Segundo ele, a vestimenta era um sinal de status social e seu uso só foi sancionado pelo livro sagrado do islã, posteriormente.

A disposição de imigrantes em adotar símbolos da cultura islâmica em solo estrangeiro, conforme apontam estudos, pode ser explicada, segundo o professor, como uma tentativa de se integrar a um grupo. “A mesquita da minoria islâmica local atrai, pois lá podem ser encontrados outros indivíduos na mesma situação”. Nesse contexto, o uso da burqa, afirma, pode ser interpretado de três formas distintas: como compromisso da retomada com uma vida religiosa mais rigorosa; sinal de pertencer a uma comunidade minoritária e fonte de identidade individual para a mulher geralmente excluída do processo de produção.

Violência no Corão
Usarski diz que existem três passagens no Corão sobre o uso da violência para fins religiosos: favorável, contrária e demarcada. “É importante ressaltar que todos estes versículos apontam para situações concretas na época de Maomé na busca de realização de seu projeto religioso contra a oposição de politeístas, cristãs e judeus da península arábica. Quem abstrai dessa contextualização e lê esses e ouros versículos literalmente encontra diversas justificativas potenciais para a violência contra não-muçulmanos”.

A primeira passagem à violência é considerada inferior à virtudes como paciência e firmeza passiva. “Nesse sentido, a surata capítulo 5,2 diz, por exemplo: ‘E que o ódio para com um povo, por haver-vos afastado da Mesquita Sagrada, não vos induza a agredir. E ajudai-vos, mutuamente, na bondade e na piedade. E não vos ajudais no pecado e na agressão'”, cita.

A segunda passagem prega o contrário, o apelo à violência contra injustiça e descrença, diz Usarski ao citar trecho sobre o “combate aos que são combatidos, porque sofreram injustiça”. “Algo semelhante encontra-se na 9ª surata, cujo versículo 25 diz: ‘Com efeito, Allah socorreu-vos, em muitos campos de batalha’; e o versículo 29 acrescenta: ‘Dentre aqueles, aos quais fora concedido o Livro, combatei os que não crêem em Allah nem o Derradeiro Dia, e não proíbem o que Allah e Seu Mensageiro proibiram, e não professam a verdadeira religião; combatei-os até que paguem al jizah (imposto para não-muçulmanos), com as próprias mãos, enquanto humilhados'”.

Já a terceira passagem fala sobre a demarcação da violência para apenas em momentos de combate, explica Usarski. “E combatei, no caminho de Allah, os que vos combatem, e não cometais agressão. Por certo, Allah não ama os agressores. (2:190)”, cita o professor.

(Por Daniel Favero – Portal Terra)

Saiba o que é a sharia, o código de leis do islamismo

Sharia é o código de leis do islamismo. Em várias sociedades islâmicas atuais, ao contrário da maioria dos países ocidentais, não há uma separação clara entre a religião e o Estado ou entre a religião e a justiça. Todas as leis, ou a maioria delas, são religiosas e têm como base o Alcorão e as opiniões dos líderes religiosos. Existe, porém, uma imensa diferença na interpretação e implementação da lei islâmica nas sociedades muçulmanas.

Sharia é o código de leis do islamismo. Em várias sociedades islâmicas atuais, ao contrário da maioria dos países ocidentais, não há uma separação clara entre a religião e o Estado ou entre a religião e a justiça. Todas as leis, ou a maioria delas, são religiosas e têm como base o Alcorão e as opiniões dos líderes religiosos. Existe, porém, uma imensa diferença na interpretação e implementação da lei islâmica nas sociedades muçulmanas.

(Ultimo Segundo)