Brasileiro precisa de R$ 270 mil para voltar ao Brasil

brasileiro

Renato Cordeiro Mecca, professor de educação física de São Carlos, em São Paulo, e morador da Indonésia há seis anos, precisa de R$ 270 mil para custear a viagem em um avião adaptado com UTI móvel e equipamentos de monitoramento, em função de um acidente que sofreu dia 24 de janeiro.

O brasileiro bateu a moto que pilotava na traseira de um caminhão e fraturou a coluna. Ele passou por uma cirurgia para a reconstrução da terceira e quarta vértebras e, apesar de lúcido, respira com a ajuda de aparelhos. Segundo a mãe de Renato, ele só mexe a cabeça e não tem sensibilidade nenhuma no corpo. A equipe médica tentou retirar os aparelhos que o mantêm respirando, mas, sem êxito, tiveram que entubá-lo novamente.

Parentes e amigos do professor vem fazendo campanhas para arrecadar dinheiro. Com o apoio deles e do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, o professor foi transferido de Surabaya para Cingapura, onde o tratamento é mais avançado. O desafio agora é trazê-lo para Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, em São Paulo.

(Portal do Sidney Rezende)

Anúncios

Copa do Mundo incentiva migração de prostitutas para São Paulo em 2014

prostituicao_copa_630

Sede da abertura da Copa do Mundo de 2014, São Paulo deve receber mais de 500 mil pessoas no mês do Mundial. São esperados torcedores, jornalistas, comerciantes, além das próprias seleções que disputarão o torneio. Mas a capital paulista também contará com um fluxo bem maior de profissionais de outro ramo: a prostituição. A expectativa do aumento no turismo sexual durante o evento chamou a atenção de diversas acompanhantes do interior e de fora do Estado, que se preparam para visitar e ter um período lucrativo na capital paulista no ano que vem.

A movimentação para a Copa despertou o interesse de garotas dos mais diversos estilos, sejam acompanhantes de luxo que cobram R$ 800 por programa ou meninas mais simples, que pedem R$ 50 por relação. A capixaba Brenda, por exemplo, é uma das prostitutas que já tem até flat reservado para vir com um grupo de nove garotas de Vitória, somente para o mês do Mundial. Além disso, elas planejam criar um blog em inglês para divulgar seus serviços.

“Vamos alugar três flats e contratar até motorista para buscar os clientes no hotel, se precisarem. O programa por aqui [Vitória] sai por volta de R$ 150, mas podemos cobrar até três vezes mais na Copa. A procura será absurda, mais do que em qualquer outro evento”, destacou a jovem de 20 anos em entrevista por telefone.

A bauruense Juliana é outra profissional do sexo que viajará com um grupo de amigas para São Paulo durante a Copa. Mas ao contrário da capixaba, ela tem ambições bem mais simples e ainda não tem ideia de onde irá trabalhar durante os jogos.  

Juliana cobra R$ 50 reais por programa no interior, mas é obrigada a dividir os lucros com a casa em que trabalha. A acompanhante de 24 anos afirma que não terá nenhuma condição de investir em planos mirabolantes na capital do Estado e que, por isso, não vai nem procurar um local para ficar quando o torneio se aproximar.  

“Vamos chegar e ir para a [rua] Augusta mesmo. Sei que o pessoal todo vai para lá. Só não me pergunte aonde vamos dormir, isso a gente vê quando chegar. Mas já pensou se consigo sair com um jogador? Faço de tudo pra ele casar comigo e me tirar daqui! Já pensou se eu consigo?”, sonhou Juliana.

  • Arquivo Folhapress

Vale lembrar que São Paulo é uma cidade acostumada a receber grandes eventos, como a Fórmula 1 e convenções internacionais. Porém, a expectativa entre as profissionais do turismo sexual é que a Copa do Mundo ultrapasse de longe qualquer um destes acontecimentos graças à maior importância e exposição dos jogos, além de acontecer ao longo de um mês, período maior do que qualquer outro evento deste porte no país.

Estudante de odontologia no Paraná, Karina também visitará São Paulo exclusivamente para a Copa do Mundo. Mas ao contrário das outras duas acompanhantes, ela já fechou um programa fixo de duas semanas com um empresário alemão que estará na cidade para o Mundial.

Experiente em viagens internacionais ao lado dos clientes, a paranaense embolsará nada menos do que R$ 10 mil para dar atendimento exclusivo ao alemão, além de ter todas as suas despesas pagas.

“Ele virá para trabalhar nas duas primeiras semanas da Copa e depois deve viajar para acompanhar a Alemanha. Só fechamos o primeiro período, por enquanto. Se não der certo o resto, ficarei em São Paulo até o fim fazendo programas, já tenho flat disponível para mim”, afirmou Karina.

Mas não são apenas as acompanhantes em si que estão se preparando para a movimentação durante a Copa. Algumas das casas de prostituição mais conhecidas da capital também estão investindo em infraestrutura e buscando a contratação de profissionais que falam inglês e espanhol.

É o caso de uma casa de massagem próxima ao aeroporto de Congonhas, que irá disponibilizar até 50% a mais de garotas para a clientela durante o evento. Além disso, a casa também contará com uma limousine para buscar os interessados nos hotéis no ano que vem.

“O importante é ter uma boa comunicação com os hotéis, pois são eles que nos indicam para os hóspedes. Já temos uma boa experiência pela Fórmula 1 e Indy, mas na Copa tudo deve ser maior. Por isso, vamos selecionar várias garotas de fora de São Paulo para podermos atender a todos”, ponderou o gerente da casa.

(Copa do Mundo Uol)

Pais denunciam escola por proibir criança transgênero de usar banheiro das meninas

Coy Mathis, 6, usa roupas femininas e seus colegas costumavam se referir a ela por pronomes femininos
Coy Mathis, 6, usa roupas femininas e seus colegas costumavam se referir a ela por pronomes femininos

No Estado de Colorado (EUA), uma criança transgênero de seis anos foi proibida pela escola de usar o banheiro feminino. Os pais estão acionando legalmente a escola pela proibição, as informações são do jornal Denver Post.

Coy Mathis, 6, nasceu menino mas se identifica como menina. Ela começou a frequentar a escola em dezembro de 2011, mas foi tirada após o problema, quando os pais Kathryn e Jeremy Mathis optaram pela educação doméstica. 

Coy usa roupas femininas e seus colegas e professores costumavam se referir a ela por pronomes femininos. No entanto, os administradores da unidade decidiram, em dezembro, que a criança deveria usar o banheiro dos meninos, o banheiro dos funcionários ou o da enfermaria.

De acordo com a administração da escola, a decisão foi tomada “não apenas por Coy, mas pelos outros estudantes, seus pais” e o futuro impacto possível de um garoto usar o banheiro de meninas quando for mais velho. 

Para os pais, a decisão da escola estigmatiza sua filha. “Isto a conduzirá a um futuro de assédio e intimidação e criará um ambiente inseguro. A escola tem uma excelente oportunidade para ensinar aos alunos que as diferenças são normais, e devemos abraçar suas diferenças, em vez de ensiná-los a discriminar alguém que é um pouco diferente “, disse a mãe ao jornal Denver Post.

Para mudar a sociedade

Ainda segundo o jornal Denver Post, a mãe conta que Coy insiste ser uma menina, e não um menino, desde o momento em que começou a falar. 

“É importante para nós falar sobre o assunto, pois muitas pessoas têm tido medo de serem verdadeiras com elas mesmas”, disse Kathryn. “Elas sabem desde crianças quem são, mas têm medo de contar. Queremos ajudar a criar uma sociedade em que é normal ser quem você é.”

(Uol Educação)

Desilusão de Tiririca com a política é destaque no jornal Financial Times

tiririca

O humorista e deputado federal  Tiririca (PR-SP) foi destaque em matéria do jornal inglês Financial Times, esta semana. Everaldo Silva, o Tiririca, conta que ainda é alvo do assédio dos fãs que o conhecem dos tempos da televisão e o procuram na Câmara para fazer fotos. Ele falou sobre a sua decepção com a política e comentou as origens simples como palhaço no interior do Ceará.

Tiririca revelou que, em média, 150 pessoas procuram diariamente seu gabinete em Brasília, são na maioria fãs querendo falar com o palhaço e não com o deputado. “Há dias em que temos que chamar o segurança para nos ajudar a sair do escritório”, conta. O Financial Times avalia que a carreira política instantânea de Tiririca diz muito sobre a disfuncionalidade da política no Brasil, e compara a eleição dele com a onda de protestos que quase elegeu o blogueiro e humorista italiano Beppe Grillo. O jornal destaca que o palhaço não é a única celebridade na Casa Legislativa e cita Romário e Popó.

Vote em mim que eu te conto

“Você não sabe o que faz um deputado federal? Pois vote em mim que eu te conto”. O mote de campanha usado por Tiririca parece ter encontrado uma resposta “Você passa dias inteiros aqui sem fazer nada, apenas esperando para votar em alguma coisa enquanto as pessoas discutem e argumentam”, diz ele. “O que faz um deputado federal faz? Ele trabalha muito e produz pouco. Essa é a realidade “.

“Quando eu estava fora, tinha a noção de que chegaria aqui e ia explodir em ação, fazer toneladas de coisas, mas não é assim que funciona”, releva. Tiririca contou que foi orientado pela cúpula do PR a votar sempre alinhado com o governo, mas disse que vota “para o povo” e conta que durante a votação do novo código florestal, no ano passado, ele votou contra o governo, porque ele acreditava que a lei prejudicaria pequenos produtores.

Da piada à referência

Ele afirma que até o momento ninguém tentou suborná-lo, mas diz que a corrupção é uma realidade da instituição. O parlamentar considera que sua maior conquista foi a de defender os direitos dos artistas de circo em um projeto de lei sobre a cultura popular. O humorista passou da piada à referência e ganhou respeito como um dos nove congressistas, entre os 513, que nunca perdeu uma sessão com votação de matéria. Tiririca confidenciou que ele planeja tentar a reeleição.

Novo CD

“Direto de Brasília”, esse é o título do novo álbum de Tiririca. O CD tem 13 músicas de composição própria, entre elas o hit “Estou no Poder”, que fala da chegada dele na Câmara. Na capa do disco, o cantor está dentro de uma Brasília amarela.

(Arimatéia Filho, Jangadeiro Online)

Morre Gerly Albuquerque, diretora do Center Box Supermercados

Facebook de Gerly Albuquerque Alves
Foto: Facebook/Gerly Albuquerque Alves

A diretora do Supermercado Center Box, Gerly Albuquerque Alves, morreu na manhã desta quinta-feira (28), após complicações durante uma cirurgia de redução de estômago.

A executiva era filha de Gerardo Albuquerque e Leda Albuquerque.

Segundo nota de falecimento, nenhuma das nove lojas do Center Box irá funcionar hoje.

O velório ocorrerá na ETHERNUS, localizada na Rua: Pe. Valdevino 1688, Aldeota. A missa será às 15:00h e o sepultamento às 17:00h no Parque da Paz.

(Portal C News)

Morrissey solta o verbo: “Não haveria tantas guerras se mais homens fossem homossexuais”

musico

Em entrevista ao site Pitchfork, publicada nesta terça-feira (26), Morrissey respondeu à pergunta “Que causas políticas eram mais importantes para você na adolescência e ainda o acompanham?”, de forma inesperada. O ex-The Smiths soltou o verbo e culpou a orientação sexual por grandes conflitos. 

“Eu achava que a guerra fosse o aspecto mais negativo da heterossexualidade, prinipalmente nos homens. Se houvesse mais homossexuais, não haveria tantas guerras, porque os homossexuais nunca matariam outros homens, ao passo que os homens heterossexuais adoram matar outros homens. Até recebem medalhas por isso”, afirma. 

O músico explicou sua teoria: “As mulheres não vão para a guerra para matar outras mulheres. As guerras, os exércitos e as armas nucleares são, acima de tudo, hobbies heterossexuais”. Adepto do lifestyle vegano, Morrissey aproveitou a deixa para falar sobre as crueldades cometidas contra os animais. 

“O gesto mais político que você pode fazer é se recusar a comer animais. Assim eu era quando adolescente, e continua sendo até hoje”, completa o cantor, que recentemente se viu obrigado a cancelar vários concertos nos Estados Unidos, devido a problemas de saúde. 

Sobre a música produzida atualmente, Morrissey não deixou de alfinetar estrelas do mundo pop. “As artes minguaram, porque vivemos numa era em que não somos encorajados a pensar. Um grupo como os Sex Pistols nunca poderia aparecer, hoje, e em 2013 não existe um único artista que defina as condições do seu sucesso. Quer seja a Beyoncé ou o Justin Bieber, o que vemos são cantores que não têm absolutamente nada para oferecer a ninguém”, finaliza. 

(Portal Vírgula)

Grupo de evangélicos agride família espírita em Santo André

Desenho meramente ilustrativo
Desenho meramente ilustrativo

O jornal O Diário do Grande ABC noticiou que uma família espírita teve o apartamento invadido por um grupo de evangélicos, pois o proprietário do imóvel do andar de cima se incomodou com o barulho do culto e foi até o síndico reclamar.

O fato aconteceu na cidade de Santo André e envolveu dez evangélicos que não gostaram de saber que o pintor de 41 anos havia denunciado a reunião e inconformados resolveram agredir o homem na frente de suas três filhas e esposa. Ele precisou ser socorrido por ter tido a clavícula deslocada.

A esposa que não quis ser identificada falou com a reportagem do jornal e explicou que o caso é fruto de intolerância religiosa, pois a moradora do prédio onde os cultos estavam sendo realizados, Isolina dos Santos, de 60 anos, sempre manteve uma boa relação com a família do pintor até que descobriu que eles são espíritas.

Desde então a família vem sendo agredida moralmente por esta senhora, tanto que já foram feitos quatro boletins de ocorrência descrevendo até mesmo preconceito racial. “Já chamei ela (Isolina) para conversar aqui na minha casa, mas ela diz que não aceita falar com gente da minha cor e religião”, relata.

A esposa do homem agredido chega a dizer que não pode receber visitas em casa porque Isolina começa a falar que ela vai fazer macumba e que até mesmo recebeu uma equipe da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), responsável pelos conjuntos do bairro, por uma denúncia de que haviam animais sendo sacrificados dentro do apartamento.

A acusada não foi localizada pela equipe do Diário do Grande ABC, mas uma familiar afirmou que a família denunciante precisa mesmo procurar seus direitos, caso se sinta ameaçada pela idosa.

(Portal Gospel Prime)

Escolinha do Santos em Fortaleza abre inscrições para jovens talentos

© Santos.com.br
© Santos.com.br

A primeira escolinha oficial do Santos Futebol Clube em Fortaleza terá inscrições abertas a partir da próxima quinta-feira (28) para garotos de seis até 17 anos que sonham em vestir a camisa do Alvinegro da Vila Belmiro. 

De acordo com Lima, ex-volante do Peixe e companheiro de Pelé no anos 60, qualquer atleta que se destacar por aqui poderá ser chamado para realizar testes no Centro de Treinamento do clube, em Santos.

Quando esteve presente em Fortaleza para conhecer a infra-estrutura da escolinha, o ex-jogador fez questão de frisar que o atacante Neymar surgiu em uma unidade do projeto.

A escolinha “Meninos da Vila” de Fortaleza está localizada no bairro Luciano Cavalcante, conta com quatro campos de futebol society e vai começar as suas atividades a partir da primeira quinzena do mês de março.

Inscrições

O jovem que estiver interessado em se inscrever poder fazê-lo no site oficial do projeto, www.meninosdavolafortaleza.com.br, na secretaria da escolinha que fica na Avenida Norte, número 2263, no bairro Luciano Cavalcante e no escritório que fica no Shopping Aldeota (Avenida Dom Luís, número 500, sala 1316).

No ato da inscrição, são necessários os seguintes documentos: uma cópia da Certidão de Nascimento ou RG do atleta, uma cópia do RG e CPF do responsável, duas fotos 3×4, um comprovante de residência, atestado médico e boletim escolar, já que, para participarem, os garotos precisam estar frequentando a escola regularmente e tendo bom rendimento.

(Caio Costa, Jangadeiro Online)

Apesar de problema estrutural, Fortaleza deve mesmo sediar final do TUF Brasil 2

Panorâmica_Ginásio Paulo Sarasate
Panorâmica_Ginásio Paulo Sarasate

O evento que terá a final do TUF Brasil 2 e o duelo entre os técnicos Rodrigo Minotauro e Fabrício Werdum, marcado para o dia 8 de junho, deve mesmo ser realizado no ginásio Paulo Sarasate, em Fortaleza, conforme o SPORTV.COM já havia revelado. O povo cearense está muito animado para receber pela primeira vez o show, que promete ser sucesso de público, mas o lado negativo é que organização do UFC terá de lidar com um problema estrutural: o local não possui estacionamento próprio.

Representantes do Ultimate vistoriaram o ginásio há cerca de três semanas, e gostaram do que viram. A reportagem apurou que a falta de estacionamento não será empecilho para a realização do evento lá, uma vez que o Mineirinho tinha problema semelhante e, ainda assim, recebeu o UFC 147, em junho do ano passado. Outro lugar vistoriado pela organização foi o Centro de Eventos do Ceará, que é uma opção para o caso de haver algum problema de última hora. O secretário de Esportes de Fortaleza, Márcio Lopes, reforçou o pensamento do UFC:

– O processo histórico da cidade de Fortaleza mostra que a falta de estacionamento nunca foi um problema. Os carros podem ser estacionados nas muitas ruas que existem nos entornos do ginásio. E as pessoas podem ir de táxi ou de ônibus. Nós temos um projeto de uma nova reforma, mas não para agora. O projeto está em andamento e já é pensando em eventos futuros. Nós vamos climatizar o ginásio e construir um estacionamento ao lado – disse ele aoSPORTV.COM, lembrando que o ginásio já recebeu vários shows e lotou no último sábado para o jogo do NBB entre Basquete Cearense e Flamengo, vencido pelo segundo, e tudo correu “perfeitamente bem”, de acordo com o próprio Márcio.

Para o anúncio oficial do UFC em Fortaleza, só falta a assinatura do contrato. O Paulo Sarasate já está devidamente reservado do dia 1º ao dia 12 de junho. A capacidade do ginásio para eventos como o UFC é de cerca de 10 mil pessoas.

(Por Ivan Raupp, Sportv)

Defensoria Pública do Ceará abre inscrições para estágio em Direito

direito

A Defensoria Pública Geral do Estado do Ceará (DPGE) está com inscrições abertas para seleção de estagiários voluntários estudantes do curso de Direito. Os estudantes têm até o dia primeiro de março para realizar as inscrições, que acontece na Unidade de Acompanhamento aos Estagiários (Avenida Pinto Bandeira, 1111 – Luciano Cavalcante), das 08 horas às 12 horas e das 13h30 às 16h30m.

Inscrições  

Para realizar a inscrição junto ao setor de estágio, é necessário a entrega de 1 kg de alimento não perecível, além da apresentação de fotocópia do RG, CPF, comprovante de residência, duas fotos 3X4, antecedentes criminais e histórico acadêmico atualizado.
 
Podem concorrer os acadêmicos do curso de Direito regularmente matriculados e que tenham no mínimo 100 créditos ou 50% da carga horária do currículo pleno da grade do curso, devidamente concluídos, na data da posse. No ato da inscrição, os candidatos deverão apresentar fotocópia da carteira de identidade e CPF, 02 (duas) fotos 3×4, fotocópia do comprovante de endereço, atestado de antecedentes criminais e histórico acadêmico atualizado.
(Portal C News)

Fortaleza Liquida acontece de 28/02 a 10/03; descontos de até 80%

fortaleza

O setor lojista fortalezense espera alavancar as vendas no mês de março, período historicamente conhecido pela queda no faturamento após o desempenho de fim de ano e promoções no início do ano seguinte. Para isso, cerca de três mil lojas, algumas também da Região Metropolitana, participam da quarta edição do Fortaleza Liquida, que acontece entre os dias 28 de fevereiro e 10 de março e promete dar um ânimo no faturamento durante período, com mercadorias até 80% mais baratas.

“Esse evento é justamente para animar o comércio varejista em uma época em que as estatísticas e nossa experiência apontam um esfriamento nos negócios com uma queda acentuada nas vendas. É uma ressaca de fim de ano que vem depois do Carnaval. Nosso propósito é dar um ânimo para o mercado, que deve suportar a expectativa da próxima data comemorativa, que é o Dia das Mães”, explica o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Fortaleza, Freitas Cordeiro.

Grandes lojas aderiram à campanha. Entre elas, está a Casas Bahia, que terá linhas de produtos, entre móveis, eletrodomésticos e eletrônicos com descontos de até 70% em seus seis pontos de vendas de Fortaleza. De acordo com Freitas Cordeiro, as lojas devem ofertar bons produtos. “O consumidor vai encontrar produtos que não são de ponta de estoque. São produtos de promoção de fato”, afirma ele, destacando que nem todos os produtos das lojas precisam estar com preços reduzidos.

R$ 259 mi em vendas

Para este ano, a previsão de faturamento com a liquidação tem incremento de 17,7% em relação à edição de 2011, quando as vendas durante o evento somaram R$ 220 milhões. “Colocando um tiquete médio em torno de R$ 37 e multiplicando pelo numero de cupons, temos uma expectativa de R$ 259 milhões para um período de dez dias”, comemora Freitas Cordeiro.

Sorteio

Além de oferecer mercadorias com preços promocionais, a campanha vai estimular mais ainda o cliente promovendo o sorteio de um automóvel Mercedes Benz e de cinco caminhões com prêmios para mobiliar uma casa completa, segundo Freitas. Para participar, o cliente deverá preencher um cupom que receberá a cada R$ 25 em compras. Consumidores que utilizarem cartões da Redecard para pagamento das compras terão direito ao dobro de cupons. Para este ano, a CDL providenciou sete milhões de cupons.

Consumidor fiscalizador

Conforme o presidente da CDL, o consumidor será um colaborador do Fortaleza Liquida. “Se ele constatar algum produto que esteja simulando uma promoção, deve ligar para a CDL que terá gente de plantão. Nós entraremos em contato com a empresa e vamos constatar a veracidade da denúncia. Se preceder, excluímos o lojista”, alerta Freitas.

Estímulo ao lojista

Os lojistas participantes da campanha poderão parcelar em até três vezes o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). A iniciativa do Governo do Estado do Ceará.

(ANA BEATRIZ SUGETTE, Diário do Nordeste)

Super Saldão Rabelo oferece descontos de até 90%

saldao
A partir desta quarta-feira (27), os depósitos das Lojas Rabelos serão abertos com produtos sendo vendidos com até 90% de desconto. O Saldão Rabelo conta com de 100 mil produtos em oferta. 
 
Além disso, o Saldão dispõe de uma megaestrutura logística e de atendimento para dar todo o conforto e segurança de que os consumidores precisam, como amplo estacionamento, praça de alimentação e mais de 600 vendedores. Os produtos também poderão ser parcelados em até 20 vezes, com ou sem entrada, no cheque, cartão ou carnê. 
 
Depósitos
 
Há 11 anos, o Super Saldão é um orgulho para a Rabelo e para o Ceará. E dessa vez, ele traz uma grande novidade que vai multiplicar todo o seu sucesso: além de acontecer no já conhecido depósito da Francisco Sá, o Saldão será sediado também no depósito de Maracanaú. 
(Portal C News)

Instagram alcança marca de 100 milhões de usuários ativos

São Paulo –  O serviço de fotos Instagram divulgou na última terça-feira (26) que chegou à marca de 100 milhões de usuários ativos. Com isso, o serviço se consolida como um dos mais populares da web, ficando atrás apenas de nomes consolidados, como Facebook, Twitter e Google+.

Símbolo do Instagram: valor de venda ao Facebook é estimada em R$ 1,8 bilhão | Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Para efeito de comparação, o Google+, rede social do fortemente promovida pelo Google, anunciou ter chegado ao mesmo número de usuários há seis meses . O Twitter tem cerca de 200 milhões de usuários ativos e, disparado na frente, oFacebook (que é dono do Instagram) tem mais de 1 bilhão de usuários .

Os números do Instagram são ainda mais expressivos quando se leva em conta que o serviço é usado quase que exclusivamente em celulares. O Instagram nasceu como aplicativo exclusivo para iPhone e apenas em abril do ano passado ganhou uma versão para Android. Somente há algumas semanas o serviço estreou uma versão web voltada para notebooks e PCs de mesa.

Polêmica sobre privacidade

Há cerca de dois meses, o Instagram foi alvo de duras críticas após uma mudança nos termos de uso. As alterações davam ao Instagram mais direitos sobre as fotos dos usuários e sugeriam que o serviço poderia usar fotos dos usuários em campanhas publicitárias.

A forte reação dos usuários levou o Instagram a recuar e anular os novos termos de serviço . Alguns usuários chegaram a afirmar que abandonariam o serviço. Essa atitude, porém, parece ter sido restrita a um grupo pequeno de pessoas e não afetou o crescimento do serviço. 

As informações são do iG 

 

Bilionário australiano quer construir novo navio Titanic

Inglaterra –  O biolionário australiano Clive Palmer apresentou na terça-feira o seu projecto de construção  do navio Titanic II, réplica que naufragou em Abril de 1912. Segundo ele, o navio terá mais botes salva-vidas (a quantidade do equipamento se mostrou insuficiente na época) e poderá ser chamado de “o navio de cruzeiro mais seguro no mundo”.

Titanic reloaded: preço de cabines pode chegar até um milhão de dólares!
Titanic reloaded: preço de cabines pode chegar até um milhão de dólares!

Até a indumentária dos passageiros será semelhante à que era usada na década de 1920. Serão fornecidos roupas de época para levá-los. Televisão e internet estão proibidas á bordo.

Em uma viagem, eles poderão fazer a mesma rota original, que não foi completada, já que o navio colidiu com um iceberg que fez a embarcação afundar. Segundo o empresário do ramo da mineração, 40 mil passageiros em potencial se inscreveram para comprar os bilhetes.

(O Dia Online)

Jornalista quebra dentes ao encontrar ‘diamante’ dentro de pote de sorvete

Kátia encontrou a pedrinha brilhante quando tomava um sorvete (Foto: Geisy Negreiros/G1)
Kátia encontrou a pedrinha brilhante quando tomava um sorvete (Foto: Geisy Negreiros/G1)

O que era pra ser um prazer acabou se tornando uma dor de cabeça para a jornalista Kátia Oliveira (43). Na noite da última segunda-feira (25) Kátia quebrou dois dentes ao morder uma pedra no formato de um diamante lapidado que veio dentro de um pote de sorvete Kibon que ela havia comprado.

Kátia conta que no domingo (24) comprou uma embalagem de 2 litros de sorvete de creme para tomar junto com os filhos adolescentes e o neto de cinco anos. Como os garotos não gostaram muito do sabor, a sobremesa ficou guardada no congelador até que a mulher resolveu prová-la.

A jornalista conta que embora tenha estranhado a textura mais dura no sorvete não desconfiou que se tratasse de um objeto estranho. “Eu senti um pedaço mais grosso, mas achei que fosse um pedaço de fruta ou gelo porque o sorvete estava no congelador”, conta.

Ao morder a pedra, foi surpreendida pelo ‘estalo’ nos dentes. “Fui verificar o que era e lá tava aquela pedrinha que não sei o que é. Os meninos até brincaram dizendo que eu tinha encontrado um diamante no sorvete”, diz.

Kátia não sabe se o objeto transparente que tem formato de pedra preciosa tem algum valor, mas pretende levar a pedrinha a um joalheiro para avaliar. “Eu estou curiosa, ainda não tive tempo, mas vou pedir a um joalheiro que analise para mim”, conta.

Ressarcimento
A jornalista conta que mandou um e-mail à Kibon, relatando o fato, mas não obteve resposta. Na terça-feira (26) resolveu ligar para o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) da empresa e disse que foi orientada a ir a um dentista para fazer um orçamento.

Em princípio, Kátia explica que não pretende processar a empresa. “Se eles resolverem o problema não vejo necessidade de processá-los”, afirma.

Para ela, só é preciso que a fábrica tome mais cuidado com a segurança. “Só acho que como é um produto que criança toma eles deveriam ter mais cuidado. Se alguém engole uma pedra que risca um espelho, pode acabar tendo algum órgão perfurado”, conclui.

Procurado pela reportagem do G1, o SAC da Unilever, empresa responsável pela produção do sorvete, confirmou que irá ressarcir os danos sofridos pela consumidora. Segundo a atendente Eliana Fonseca, o produto também será substituído e o material estranho será levado para análise. O resultado será apresentado para Kátia em até 30 dias.

A atendente disse ainda que é estranho o surgimento de corpos estranhos dentro do sorvete já que o processo é todo manufaturado. “Para a gente surpreende bastante um caso assim”, disse.

(G1 Acre)

Campanha ‘Homem de Verdade não Bate em Mulher’

Divulgação/ Marizilda Cruppe
Divulgação/ Marizilda Cruppe

Cauã Reymond, Thiago Fragoso, Gabriel Braga Nunes e Rodrigo Simas são alguns dos nomes que estão entre as 10 personalidades masculinas convidadas para participar da campanha ‘Homem de verdade não bate em mulher’, realizada Banco Mundial no Brasil e que será lançada na próxima sexta-feira, 01 de março.

Diante dos alarmantes dados de violência contra as mulheres no Brasil, a agência, que dá assistência para o desenvolvimento e ajuda cerca 180 países membros, tem como objetivo principal acabar com o estigma de que a Lei Maria da Penha, promulgada em 2006, é uma legislação contra os homens.

Mas não é bem assim. A diretora do Banco Mundial para o Brasil, Deborah L. Wetzel, afirma que a igualdade entre os gêneros é fundamental para o desenvolvimento e a produtividade econômica. “Os homens não perdem nada quando os direitos femininos são promovidos. Ao contrário, estudos indicam que relações equilibradas são boas para mulheres, homens e famílias”, aponta.

E não são apenas os famosos que podem participar da campanha. Quem defende a causa pode tirar uma foto segurando um cartaz com a mensagem: ‘Homem de verdade não bate em mulher’ e postar no Instagram ou no Twitter do @worldbanklac com a hashtag #souhomemdeverdade. Bacana a ideia, não?

Por Paula Perdiz

(Portal Vila Mulher, Terra)

Mendigo recebe R$ 170 mil em doações após devolver anel de diamante

A honestidade virou a vida do mendigo Billy Harris de cabeça para baixo. Ele chamou a atenção dos Estados Unidos ao achar um anel de diamante e devolvê-lo à dona. O anel caiu na canequinha de moedas do pedinte após Sarah Darling fazer uma doação a ele em Missouri (no centro-sul dos EUA)

mendigo devolve anel diamante doações

Por causa da bela atitude do mendigo, a própria Sarah resolveu abrir uma conta para arrecadar fundos para Harris. Desde 14 de fevereiro, as doações já somam US$ 86 mil, cerca de R$ 170 mil, segundo esta matéria do site norte-americano Huffington Post.

“Não sei como você acabou nessa situação, mas ao ver a sua história na TV, caí em lágrimas. Tenho certeza de que você é um homem honesto e de bom coração”, disse Volanda Shields, doadora de mil dólares para a campanha em favor de Harris.

No entanto, o sem-teto diz não entender ainda como o fato de ele ter devolvido algo que não era seu tenha gerado tanta repercussão e dinheiro: “No que o mundo se transformou quando alguém devolve o que não é seu e tudo isso acontece?”, questiona Harris.

Agências

REDE de Marina dispensa ficha-limpa e atrai envolvidos com Cachoeira

A que se deve a aversão da sociedade à política? Numa frase: o povo é incapaz de reconhecer o valor ético-moral dos políticos e estes são incapazes de demostrá-lo. O nível anda tão precário que os partidos tornam-se devedores de explicação antes mesmo de nascer.

Veja-se o que informa abaixo o repórter Vinicius Sassine sobre a Rede, a legenda que Marina Silva tenta erigir. Para obter a certidão de nascimento no TSE, terá de recolher mais de 500 mil assinaturas em pelo menos nove Estados. Demarcou o início do esforço num ato em Brasília, no dia 16 de fevereiro.

rede marina silva PSOL cachoeira

Entre os presentes havia pelo menos dois personagens tóxicos. Ambos do PSOL de Goiás -um vereador, outro presidente local da legenda. A dupla levou para o ato estrelado por Marina a bola de ferro de relações mantidas com ninguém menos do que Carlinhos Cachoeira. Fica a impressão de que partido político limpo é utopia irrealizável. Falta matéria prima.

REDE de Marina atrai nomes do PSOL envolvidos com Cachoeira

Por Vinicius Sassine

Um vereador e um dirigente nacional do PSOL envolvidos no escândalo do bicheiro Carlinhos Cachoeira participaram do ato público que marcou o lançamento da Rede Sustentabilidade (REDE), em Brasília, no último dia 16: o vereador de Goiânia Elias Vaz e o segundo secretário de Relações Internacionais do PSOL, Martiniano Cavalcante. O novo partido da ex-senadora Marina Silva está em fase de coleta de assinaturas.

Elias Vaz aparece em conversas telefônicas gravadas para a Operação Monte Carlo e frequentou a chácara do bicheiro em Anápolis (GO). Martiniano Cavalcante recebeu um depósito de R$ 200 mil de uma das empresas-fantasmas do esquema, a Adécio e Rafael Construções, abastecida pela Delta Construções. O Conselho de Ética do PSOL abriu dois procedimentos para investigar a atuação dos militantes.

Leia também

No lançamento da REDE, que precisa de mais de 500 mil assinaturas para ser criada, Martiniano defendeu a ética, criticou caciques da política nacional que seriam fichas-sujas e comemorou a assinatura do senador Eduardo Suplicy (PT-SP) como sendo a primeira coletada para a criação da legenda. Já Elias Vaz estava acompanhado de outrosfiliados ao PSOL interessados em ingressar na REDE.

O depósito de R$ 200 mil a Martiniano, a partir de uma conta da Adécio e Rafael, foi feito em 20 de dezembro de 2011. Depois da deflagração da Operação Monte Carlo pela Polícia Federal, em 29 de fevereiro de 2012, o dirigente do PSOL — ele é presidente da sigla em Goiás — passou a ser cobrado pela mulher do bicheiro, Andressa Mendonça, que também é investigada pela PF. Um cheque nominal a Andressa, no valor de R$ 220.816,00, foi depositado na conta dela depois da ação da PF.

— É um dinheiro que tomei com agiota e paguei juros. Claro que sabia que era do Cachoeira, mas isso não é crime — disse Martiniano.

O dirigente do PSOL tem uma empresa de construção civil e afirma não ter feito negócio ilícito com Cachoeira. Segundo ele, as explicações foram dadas à CPI do Congresso que terminou em pizza no fim de 2012. Em setembro, a Executiva Nacional do PSOL afastou Martiniano das funções de direção no partido. Depois, reviu a decisão para assegurar o direito de defesa.

— A primeira resolução foi decidida de forma monocrática, imperial, malandra, maldosa. Só não estou à frente do PSOL porque estou saindo. Tenho 40 anos de militância de esquerda — afirma ele.

Já Vaz chegou a ser tratado por um colega vereador, em conversas com Cachoeira, como um “Demóstenes diferenciado”, em referência ao senador cassado Demóstenes Torres, que perdeu o mandato por causa das relações com o bicheiro. Em ligação telefônica, Elias e Cachoeira comemoram decisão da Justiça que paralisou a obra de uma concessionária de veículos. Os dois falam sobre uma reunião com “Martiniano”: “Eu tô com vontade de entrar com ele nisso aí, viu, inclusive a Delta também tem interesse”, diz o bicheiro.

— Conheci o Cachoeira, conversei com ele, mas contrariei interesses dele. Existe é muita conversa de terceiros. As suspeitas foram todas esclarecidas, e eu mesmo pedi para ser investigado pelo Conselho de Ética do PSOL — disse Vaz.

A Comissão Nacional Provisória da Rede Sustentabilidade afirma que as acusações contra Martiniano foram informadas por ele aos fundadores do partido. “Ele apresentou elementos usados em sua defesa que foram considerados comprobatórios de lisura empresarial. Não foi identificada nenhuma contradição entre seus atos e os princípios que norteiam o processo de construção do novo partido político”, cita a nota. Sobre Vaz, a comissão sustenta que ele “não faz parte do grupo fundador da REDE”. A REDE excluiu de seu estatuto o veto à filiação de fichas-sujas ao partido. O objetivo, segundo os fundadores, é permitir a filiação de militantes de movimentos sociais que respondem a processos na Justiça.

Jornal O Globo

A rivalidade entre Carlinhos Brown e Ivete Sangalo

carlinhos

Por Rebecca Nogueira

Não é de hoje que Ivete Sangalo ganha terreno no carnaval da Bahia. Entra ano, sai ano, Ivete ganha força no cenário e fica cada vez mais poderosa…É fato que ela divide atenções com figuras de peso, como a cantora Claudia Leitte, por exemplo. Mas nada tem superado sua presença em todos os lances relativos ao carnaval de Salvador.

Todavia, este ano o caldo teria entornado… Carlinhos Brown estaria muito aborrecido com Ivete por ter ficado de fora do Arrastão da Quarta-feira de Cinzas. Pela primeira vez na história do carnaval, Brown, que é considerado o Cacique do bloco em questão, não estava presente. O cantor explicou que só tinha investimento para um bloco, o Afródromo. Aí, o comando do Arrastão foi para Ivete, que tem patrocinadores de sobra.

Por conta disso, Carlinhos ficou muito chateado e o comentário geral é que ele está com a razão. Bem, na verdade, o artista não estaria digerindo esse “domínio” que Ivete passou a ter sobre o carnaval de Salvador.

“Eles são amigos”

A assessoria de imprensa de Ivete disse que não tem nada a declarar sobre o assunto. Já a assessoria de Brown disse que nada disso procede: “As pessoas devem estar fazendo confusão, pois, recentemente, um dos representantes do Olodum deu uma entrevista pontuando algumas coisas e fazendo referências a Ivete… Mas não tem nada a ver com o Carlinhos. Eles são muito amigos e estão chateados com essa história. Isso tudo não tem veracidade nenhuma”, comentou a assessora, explicando: “A coisa está tão mal compreendida, que o Arrastão não é um bloco… É um fechamento para o carnaval que foi criado pelo Carlinhos. Mas que a cada ano tem uma pessoa no comando… Esse ano, inclusive, ele não foi, porque estava focado nesse novo projeto dele que é o Afródromo.Ele não foi nem no Arrastão, nem no Camarote Andante. Não tem problema com Ivete, nada disso”, finalizou.

Pendengas judiciais

Vira e mexe Ivete é processada por algum músico… O último a recorrer à Justiça foi o baterista Antônio Silva, o Toinho Batera,com quem fez um acordo depois de anos de processo. Agora é a vez do percussionista Fábio Obrian. O músico entrou com uma ação trabalhista na semana passada.Comenta-se que ele não tinha carteira assinada e recebia como pessoa jurídica, sendo que era músico exclusivo há 14 anos da cantora e está com trombose aguda nas mãos, decorrente do trabalho. O processo corre na 31ª Vara Trabalhista de Salvador.

E as brigas judiciais não param por aí… Outro que anunciou publicamente que vai entrar com um processo trabalhista contra Ivete é seu irmão Jesus. Quem não lembra que o mano era seu  empresário, produtor e fiel escudeiro da cantora? Bem, dizem por ai que Jesus vai pedir nada mais nada menos que a bagatela de R$ 20 milhões, o que já aguçou um outro olho… O olho da ReceitaFederal. Com um valor desse calibre, a Receita já está ligada no que pode existir de fortuna não declarada. A assessoria de Ivete não fala sobre o assunto.

Texto de: Luciana Costa Barretto

– See more at: http://contamais.com.br/noticias/nacionais/a-rivalidade-entre-carlinhos-brown-e-ivete-sangalo/12128#sthash.HTBxB7FD.dpuf

IVETE SANGALO É PROCESSADA PELO IRMÃO POR DÍVIDA DE R$ 20 MILHÕES

Ivete e Jesus Sangalo
Ivete e Jesus Sangalo

Bahia 247

A ressaca de carnaval ainda não passou para a musa do axé, a cantora Ivete Sangalo. Depois de enfrentar dois processos de ex-funcionários, ela é acionada na Justiça por seu irmão Jesus Sangalo, um dos diretores da sua produtora, a Caco de Telha.

Em segredo de justiça no Tribunal Regional do Trabalho na Bahia, o processo impetrado por Jesus dá conta de que a cantora lhe deve R$ 20 milhões apenas em salários atrasados e direitos trabalhistas.

O irmão da musa do axé diz ainda que ela baixou seu salário de R$ 350 mil para “apenas” R$ 100 mil mensais, segundo o site Bahia Notícias.

Jesus Sangalo pede ainda indenização por danos morais por ter sido considerado suspeito em um esquema de fraude dentro da Caco de Telha.

Lista das dez melhores escolas públicas do Ceará; confira ranking

pmceara

O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece) divulgou, na manhã desta terça-feira, as dez escolas públicas do Ceará que obtiveram as melhores médias no ano de 2011, comparando com dados de 2009 (veja abaixo). Também foi disponibilizado uma lista (veja clicando aqui) com as 50 melhores escolas.

Nos três primeiros colocados, figuram escolas de Fortaleza. Em primeiro lugar, ficou o Colégio da Policia Militar do Ceará, com média geral de 579.7. Logo depois, vem o Colégio Militar do Corpo de Bombeiro, com média 567.7. Em terceiro, aparece o Colégio Estadual Justiniano de Serpa, com 530.2.

O primeiro colégio fora da Capital vem de Horizonte, Região Metropolitana de Fortaleza. Trata-se da Escola Estadual de Educação Profissional (EEEP) Maria Dolores Alcântara e Silva, com 529.3, que figura em 4º.

EEEPs

As EEEPs são maioria entre as dez melhores colocadas, ocupando da 4ª a 10ª colocação na classificação, localizadas em Fortaleza e municípios do Interior como Itapagé, Russas e Acopiara.

2009

Em relação a 2009, as três primeiras posições continuam com as mesmas escolas. O que mudou foi entre os dois primeiros colocados, que trocaram as posições. Em 2009, a primeira posição era do Colégio Militar do Corpo de Bombeiros do Ceará.

Ranking

No ranking regional, foram consideradas 428 escolas públicas do Ceará e a posição foi medida de acordo com a nota média no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2011.

O Ministério da Educação por meio do Inep organiza e implementa tais exames, disponibilizando dados sobre a avaliação dos estudantes da rede pública de todo o Brasil.

Tabelas de 2011 e 2009, com posição, escola, média geral e cidade, nesta ordem:

2011
1º Colégio da Policia Militar do Ceará – 579.7 – Fortaleza
2º Colégio Militar do Corpo de Bombeiro – 567.7 – Fortaleza
3º Colégio Estadual Justiniano de Serpa – 530.2 – Fortaleza
4º EEEP Maria Dolores Alcântara e Silva – 529.3 – Horizonte
5º EEEP Adriano Nobre – 526.2 – Itapagé
6º EEEP Prof. Walquer Cavalcante Maia – 516.8 – Russas
7º EEEP Alfredo Nunes de Melo – 513.4 – Acopiara
8º EEEP Juarez Távora – 506.8 – Fortaleza
9º EEEP Prof. Onélio Porto – 503.6 – Fortaleza
10º EEEP Mario Alencar – 502.6 – Fortaleza

2009
1º Colégio Militar do Corpo de Bombeiros do Ceará – 553.3 – Fortaleza
2º Colégio da Policia Militar do Ceará – 552.8 – Fortaleza
3º Colégio Estadual Justiniano de Serpa – 505.5 – Fortaleza
4º EEEP Aderson Borges de Carvalho – 498.2 – Juazeiro do Norte
5º EEFM Tabelião Jose Pinto Quezado – 477.0 – Aurora
6º EEFM Santa Tereza – 476.8 – Altaneira
7º EEFM Zélia de Matos Brito – 475.3 – Guaramiranga
8º EEFM Edmilson Pinheiro – 471.9 – Maracanaú
9º EEFM Presidente Geisel – 470.1 – Juazeiro do Norte
10º EEFM Padre Amorim – 467.1 – Missão Velha

(O Povo Online)

Sexualidade na terceira idade deve ser respeitada

terceira idade

Segundo Ana Maria Molinari, diretora de um residencial para idosos, a sexualidade é um dos assuntos que mais desperta interesse na terceira idade. 

A Organização Mundial da Saúde define sexualidade como uma energia que motiva a procura pelo amor, contato, ternura, intimidade, que se integra no modo como se sentem, movem-se, tocam-se e são tocados. É ser sensual e sexual ao mesmo tempo, a sexualidade influência pensamentos, ações e interações e, por isso, age também na saúde física e mental.
 
A definição para a sexualidade dada pela OMS mostra a importância não apenas do ato sexual, mas do contato e da intimidade preservada entre o homem e a mulher. E nesses casos, surge a dificuldade em compreender e desmistificar o conceito da sexualidade, principalmente na terceira idade, quando o idoso permanece em uma perspectiva assexuada e reprimida, uma vez que o amor e o prazer não terminam com o envelhecimento.
 
Para Ana Maria Molinari, diretora técnica do Bellatrix Residencial para Idosos, a visão da sociedade perante a sexualidade do idoso é limitada. “Para muitos a velhice é sinônimo de incapacidade física, mental e improdutiva. A sexualidade entre os idosos está impregnada de tabus e preconceitos, através de uma concepção negativa imposta pela população”, explica.
 
De maneira geral, entre os familiares essa atitude repressora é ainda mais acentuada. “As mudanças que surgem, principalmente pela crescente presença de idosos na sociedade, exigem uma nova postura para desvincular a ideia de que o idoso é apenas avô ou avó, esquecendo os desejos, as vontades e os direitos”, esclarece Ana Maria.
 
De fato, mudanças fisiológicas e hormonais acontecem com o passar nos anos. Porém, o homem é capaz de ter ereção em qualquer idade, assim como a mulher consegue manter a lubrificação vaginal, mesmo que de forma mais lenta e progressiva, assim, a resposta sexual não termina com a velhice. “Os idosos têm buscado a construção de uma nova identidade, ultrapassando o modelo social ideológico e a visão estigmatizada e cheia de preconceitos. Para tanto surge a necessidade de mudança em toda estrutura social, como a esfera familiar, o mercado de trabalho, as políticas públicas, atividades sociais e recreativas. Estudiosos na área apontam que é preciso buscar uma nova compreensão na velhice, que aponte elementos como a valorização da vida. Mesmo diante das limitações, os idosos podem exercer plenamente sua sexualidade e satisfazer-se ao fazê-la”, sugere Ana.
 
Sobre o Bellatrix                                 
 
O Bellatrix Residencial para Idosos é um espaço que oferece cuidados especiais e atendimento integral para seus residentes aliando segurança, conforto e humanização. A Instituição se enquadra nos padrões exigidos por lei na categoria de ILPI – Instituição de Longa Permanência para Idosos.
 
O objetivo do residencial é proporcionar aos residentes uma vida saudável através de acompanhamento médico, enfermagem, atividades de caráter ocupacional, entretenimento e fisioterapia, suporte social e emocional, tudo isso no conforto e segurança de um espaço preparado para melhor atender as mais variadas e específicas necessidades dos moradores.
 
Para isso, dispõe de uma equipe multidisciplinar que trabalha com muito amor e carinho na família Bellatrix.
 
(Portal SEGS)

Genética, hormônios e alimentação ditam a altura das crianças

altura

A cena é recorrente em escolas: os alunos estão brincando, ou organizados em fila, e os pais percebem que seu filho é um pouco mais baixo do que os colegas. Acompanhar regularmente o peso e a altura dos pequenos é essencial para saber se a criança está se desenvolvendo de forma saudável. E também para não ter sobressaltos. Dependendo do caso, é preciso correr para o médico e começar um tratamento.

O fato de a criança ser menor ou maior que os amigos da mesma idade, no entanto, não determina se ela tem alguma disfunção. Pais com uma estatura menor, por exemplo, normalmente têm filhos menores. Além disso, também deve ser considerada a relação entre peso e altura. “A gente tem a tendência de avaliar através do gráfico do IMC (sigla de Índice de Massa Corporal). Ele calcula a proporção do peso e da estatura, e não só a relação com a idade”, explica a presidente do Comitê de Pediatria Ambulatorial da Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro, Eliane Garcez da Fonseca.

Fora dos padrões estipulados “normais”, uma estatura maior ou menor pode ter motivações genéticas, hormonais ou nutricionais. Entre as causas genéticas estão as síndromes de Turner, em meninas, e de Down. Outros fatores que influenciam o crescimento são desnutrição, problemas renais e cardíacos e doenças que provoquem desordem hormonal, como disfunções da tireoide, órgão que libera hormônios que regulam o crescimento, e deficiência do hormônio do crescimento.

Parte desses diagnósticos é controlado com reposição hormonal, que deve ser sempre acompanhada pelo médico. “A supervisão é feita para ver se a criança não está sendo supertratada. Além disso, é necessário realizar exames para avaliar os níveis de colesterol e enzimas pelo menos uma vez por ano, para saber se o hormônio de crescimento está causando algum risco”, alerta a médica Patricia Medici Dualib, integrante da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Em alguns casos, quando a doença de base é tratada, não é necessário fazer a reposição hormonal. “Tratar a causa da doença primária resolve os problemas de hormônio de crescimento”, explica Patricia.

Grande ou baixa, o essencial é que o peso e a altura da criança sejam observados ao longo da infância. “O principal é o acompanhamento do pediatra. Muitas vezes, a criança já está em idade escolar, e a mãe nem sabia que deveria levá-la ao pediatra e percebe na escola que ele é menor que os colegas”, aponta Eliane. O ideal é que a criança vá ao pediatra todos os meses no seu primeiro semestre; e com periodicidade trimestral, quando já não é lactante, e semestral, a partir dos cinco anos.

(Portal Terra Mulher)

As causas do envelhecimento precoce e como combatê-las

envelhecimento

São Paulo – Você parece ter a idade que tem? Dependendo de seus hábitos e comportamentos, sua pele pode denunciar uma idade mais avançada do que a real. De acordo com a médica e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Roseli Andrade, o excesso de exposição ao sol, o hábito de fumar, pouca ingestão de água, má alimentação e dormir pouco são os piores vilões no processo de envelhecimento.

“Esses fatores aumentam a oxidação celular e consequentemente levam à maior degradação de colágeno, desidratação e formação de rugas”, afirma. A maneira mais simples para evitar que os anos passem mais rápido do que deveriam é usar filtro solar todos os dias, passar cremes adequados para cada tipo de pele, adotar uma dieta balanceada (com mais frutas, legumes e verduras, e menos gordura) e ingerir de dois a três litros de água por dia.

Os chamados antioxidantes orais são um aliado poderoso, segundo a médica. Alguns deles são o selênio, presente na castanha-do-Pará, o licopeno existente no tomate, na melancia e na goiaba, a vitamina C, das frutas cítricas, a E, dos óleos vegetais, e a A, do fígado, leite e da cenoura, além dos suplementos com coenzima Q10 e os flavonoides dos chás verde, branco e vermelho. “Eles têm potente ação combatendo a oxidação celular e, portanto, preservam células produtoras de colágeno”, diz Roseli.

Revertendo o quadro

Se a pele já parece mais velha do que é, além de melhorar os hábitos, há também opções de tratamento da pele, que vão desde o uso de cremes ativos que hidratam, definem o contorno do rosto e estimulam a produção do colágeno, até o tratamento de luz pulsada, que trata de manchas e vasos, além de estimular o colágeno.

Segundo a médica, outros tratamentos eficazes para melhorar a firmeza e retomar a elasticidade da pele são a radiofrequência, que aquece a pele para “levantar” o rosto, as injeções de ácido poli-L-lático, com o uso de micro-injeções, o laser de CO2 fracionado, voltado para rugas, cicatrizes de acne e clareamento, e os ácidos usados em peelings.

(Exame Online)

Excesso de vitamina C pode gerar cálculo renal

frutas_ricas_vitamina_C1

São Paulo – A falta de vitamina C pode levar a uma doença conhecida como escorbuto, bem como a alterações do sistema imunológico, favorecendo quadros de infecções respiratórias em qualquer faixa etária. Entretanto, o contrário não é válido, ou seja, o excesso de oferta de vitamina C não protege contra essas infecções e nem contra câncer e doenças cardíacas, como sugeriu Linus Pauling, ganhador de prêmio Nobel de Química (1954) e da Paz (1962 – luta contra armas atômicas).

Sua proposta era de 3.000 mg/dia para esse efeito, muito além dos 1.000 mg (1 gr) proposto em um estudo realizado na Divisão de Epidemiologia Nacional do Instituto Karolinska, na Suécia e publicado no JAMA – Journal of American Medical Association (04/02/2013), que demonstrou que ingestões diárias de vitamina C acima de 1.000 mg podem causar cálculos renais em homens entre 45 e 79 anos (quase 46.000 casos estudados).

Desde 1996, Linus Pauling tomava diariamente uma dose de 18 gramas (18.000 mg) de vitamina C ao dia. Em 1991, descobriu que tinha câncer e faleceu aos 93 anos. Enquanto ele acreditava que a vitamina C havia retardado o aparecimento dessa doença em seu organismo, na época, todos achavam que essas altas doses foram as responsáveis pelo seu adoecimento.

“Nosso organismo utiliza as suas necessidades da vitamina C e o resto é eliminado pela urina de forma que, por suas características, o excesso de vitamina C no organismo aumenta muito os riscos de formação de cálculo renal, conforme comprovado por trabalhos (como esse relatado acima, realizado na Suécia). Vale lembrar que a concentração dos comprimidos efervescentes de vitamina C vão de 500 mg a 1.000 mg. É esperado que uma dose desses comprimidos não vá levar a um quadro de complicações, mas há que se lembrar que cada indivíduo tem sua maior ou menor sensibilidade ao estímulo”, explica o pediatra Moises Chencinski. Assim sendo, muito cuidado no uso de qualquer medicamento sem orientação médica, mesmo uma aparentemente “inocente vitamina C”.

(Exame Online)

Criança terá nomes do pai, da mãe e da madrasta na certidão de nascimento

SÍMBOLOS-DA-JUSTIÇA1

Uma criança de quatro anos vai ter uma certidão de nascimento diferente. Os nomes do pai, da mãe biológica e da madrasta vão estar registrados no documento. Levando em consideração os laços afetivos que surgem das relações humanas, o juiz da 2ª Vara da Infância e Juventude de Pernambuco, Élio Braz Mendes, deferiu o pedido de guarda compartilhada feito pelos três responsáveis pela criança num sistema de adoção poliafetiva. A decisão inédita garantiu que o trio tivesse o direito de registrar e cuidar dela em conjunto.

A madrasta possui a guarda desde o nascimento da criança. Por dificuldades financeiras, a mãe biológica abriu mão da guarda provisoriamente, para que o pai e sua companheira cuidassem do bebê. Desde então, a família vem garantindo os direitos básicos e indispensáveis para o desenvolvimento da criança. Contudo, a mãe biológica manteve o convívio com o menor, estabelecendo assim um vínculo afetivo.

No entendimento do juiz Élio Braz, tanto a genitora, quanto a madrasta, possuem laços filiares com a criança e não se pode afirmar quem melhor desempenha a função materna. “No plano da realidade, ambas, a requerente e a genitora biológica, são responsáveis pela criação do infante, cabendo a elas, em conjunto, a responsabilidade pelo dever de guarda, sustento e educação”, escreveu o magistrado.

Em decisão, o juiz também explica que o Direito de Família tem sido sabiamente conduzido através dos laços de afetividade que nascem a partir das relações humanas. É a afetividade a principal responsável pela constituição da família, seja ela de qual natureza for.

(Última Instância)

Governo Cid Gomes já gastou mais de R$ 86 milhões com festas, afirma Heitor Ferrer

cid

De 2008 até fevereiro de 2013, o Governo do Estado do Ceará gastou mais de R$ 86 milhões em festas comemorativas e de inauguração de obras públicas. A afirmação foi feita nesta terça-feira (26) pelo deputado estadual Heitor Férrer (PDT), no plenário da Assembléia Legislativa do Ceará (AL-CE). Para o deputado, “esse é um gasto inominável, uma farra do boi”. Para tentar coibir esse tipo de despesa, o deputado apresentou um projeto de lei que proíbe a realização de shows em inaugurações de obras públicas. O líder do governo na Assembleia, José Sarto (PSB), defende a realização dos eventos.

Mas a proposta não conquistou muitos apoiadores. Em quase um mês, não foi aprovada em nenhuma das comissões obrigatórias, requisito para que o projeto possa votado em plenário. “Eu não tenho conseguido apoio dentro da Assembleia,  já que a base do governador Cid Gomes não permite que avancemos na fiscalização”. Heitor Férrer disse ainda, que vai encaminhar o levantamento para investigação do Ministério Público do Estado e do Tribunal de Contas do Ceará.

A base do Governo, que hoje conta com 40 dos 44 deputados, apoia a realização dos shows. Para o deputado José Sarto (PSB), líder do Governo na Assembléia, com os shows “você movimenta a economia, vende-se a merenda, o churrasquinho, a cerveja. Chega aqui um fluxo maior de pessoas que, evidentemente, vão deixar divisas”.  O deputado Antônio Carlos de Freitas (PT), diz que é preciso exercer algum controle sobre os gastos dos shows. Para ele, “em período de estiagem declarada por órgão competente (…) não se deve ter alguns tipos de comemorações, porque é um gasto desnecessário”.

De acordo com levantamento feito por Heitor Férrer, em 2008, foram gastos R$ 18,8 milhões; em 2009, R$ 8,3 milhões; em 2010, R$ 25,6 milhões; em 2011,  R$ 12,9 milhões; em 2012, R$ 19,8 milhões; e até fevereiro de 2013, R$ 654.500,00. “São recursos que poderiam ser utilizados em outras áreas, como a saúde, por exemplo. Muitos cearenses não conseguem atendimento médico porque o Governo diz que não tem dinheiro”.

Casa Civil
De acordo com a Casa Civil, os valores gastos com a contratação de artistas somam R$ 38.855.224,45, enquanto os gastos com a estrutura dos eventos somam R$ 73.699.169,09. Esses recursos, segundo a Casa Civil,  incluem a festa de réveillon e as cinco edições do “Festival Férias no Ceará”.

(G1 Ceará)

Marina Silva: onde vou amarrar a Rede?

???????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

Por Marilza de Melo Foucher, Correio do Brasil

Para embalar seus sonhos, Marina precisa de uma rede. Todavia, um partido político se define pelo programa de ações e pela sua filosofia. Uma rede não é um partido e ninguém deita em uma rede sem armadores… Uma rede pode ser tecida por uma só pessoa, por varias pessoas ou por uma máquina. Quando ela é tecida manualmente têm que haver concordância entre as mãos que trabalham. Uma questão: Como Marina vai tecer uma rede com Heloisa Helena conhecida como egocêntrica? Uma das duas pode terminar caindo da rede… E adeus sonhos!

Se a ex-senadora Marina é coerente com sua trajetória política, ela não pode ter a posição de ficar em cima do muro, esta não é uma boa resposta. Em geral, este tipo de não posicionamento se caracteriza como oportunismo político. Ou seja, a pessoa age em função da adesão eleitoreira por tal e tal medida.

A coisa mais nobre numa ação política é de agir em função de suas convicções e não em função de enquetes/estudo de opinião ou pressão mediática. Outro gesto, que engrandece a política é agir em função do interesse coletivo. Ter coragem política de enfrentar as divergências faz parte da vitalidade da democracia.Apesar desses pesares, desejo boa sorte nesta disputa pré-eleitoral para Marina Silva, mulher guerreira que eu conheço de longa data. Se for para trazer contribuições ao aprofundamento do debate político, e soluções concretas para os problemas que ainda afligem a maioria da população brasileira, seja bem-vinda Marina! Aliás, bem-vindos os pré-candidatos à Presidência da Republica.

Nós eleitores somente esperamos que, desta vez, a campanha política possa contar com um alto nível de debates, onde as questões estruturais não sejam abafadas por questões de ordem pessoal ou religiosa. É de conhecimento, que a republica brasileira é laica e respeita todas as religiões, todavia, a prática de qualquer religião deve ficar restrita ao espaço privado e não deve ser amparada em fins politiqueiros.

Esperamos também que os comentaristas de canais de televisão promovam verdadeiros debates e que eles pratiquem um verdadeiro jornalismo, que se possam explorar as contradições de cada um, questionar as falsas afirmações, fazer analises comparativas e que assumam uma postura de imparcialidade diante de todos. Cabe aos leitores, aos telespectadores brasileiros que são inteligentes, fazer suas escolhas em função da coerência política, da experiência de gestão dos candidatos, dos conhecimentos que detêm sobre a realidade do Brasil, sobre questões geopolíticas de um mundo hoje multipolar, sobre o funcionamento das instituições multilaterais. Tendo em vista que, hoje, o Brasil está situado entre o quinto ou sexto lugar entre as potências mundiais. Finalmente, que o programa de governabilidade continue na sua luta contra a exclusão, no combate às injustiças e que favoreçam à juventude com Educação de qualidade, para garantir um futuro melhor.

Voltando à emergência de Marina Silva na cena política, espera-se que ela seja mais combativa. Sua participação no programa roda-viva deixou uma imagem de acomodação política, de uma pessoa de centro, que fica em cima do muro observando para ver de que lado deve pular. O que se espera da Marina é determinação e não hesitação. Ela deve assumir, com garra, a defesa de um projeto de sociedade para o Brasil baseado em uma concepção de desenvolvimento que articule todos os setores em prol de um ordenamento territorial e, que seja compatível com seus ecossistemas e, sócio-diversidade. Marina deu impressão de apreciar a ação de Dilma, daí, ela pode colaborar através de sua rede para pressionar a presidenta nessa ultima etapa de governo. De certo, esta frase terá um significado ainda mais forte:

O ser humano não é só realização prática, mas sonho; não é só cautela racional, mas coragem, invenção e ousadia. E esses são os elementos fundamentais para a afirmação coletiva de nossa Nação”. Espero que Marina reconheça de quem é esta frase.

A presidenta Dilma Rousseff será candidata à reeleição. Ela terá tempo de mudar a concepção desenvolvimentista. Infelizmente, a presidenta parece continuar atrelada ao antigo modelo no qual o econômico prima sobre todos os outros setores. Se eu pudesse, enquanto modesta cidadã brasileira, dar-lhe um conselho, sugiro-lhe que releia os últimos livros e entrevistas de Celso Furtado, para perceber como ele reavaliou sua visão desenvolvimentista. Não podemos falar de desenvolvimento sem lembrar do querido professor que, nos últimos anos, defendia outra concepção de desenvolvimento. Segundo Celso, tínhamos que pensar o desenvolvimento como uma maneira de reencontrar o gênio criativo de nossa cultura, como realização de nossas potencialidades humanas. Isto, talvez, possa parecer simplesmente utópico, entretanto, segundo Celso Furtado a utopia é apenas a percepção das dimensões escondidas da realidade, como o florescimento das energias que ela própria contém. Não será a utopia uma antecipação de poder oferecer outros horizontes e outras oportunidades ao homem? Indagava o grande Celso Furtado.

Quem sabe a presidenta Dilma, que é economista de formação, possa fazer esta virada, tal como Celso? E que ela exija que seus Ministros trabalhem de modo mais articulado, pensando na incidência social, cultural, de cada projeto, avaliando também seu impacto ambiental. Reafirmo que o Brasil tem um potencial enorme para enfrentar a crise econômica que é também planetária.

O Brasil ainda tem sede de inovação e ainda continua a correr atrás da bola sem querer suar a camisa, uso aqui a linguagem adaptada para a próxima Copa do Mundo. Nesse sentido, os governantes terão que suar a camisa e fazer gol de letra contra a pobreza, contra a corrupção, contra a concentração dos meios de comunicação, contra a concentração de terras produtivas, contra os sonegadores de impostos, contra os destruidores de florestas, contra os poluidores dos rios, lagos e lagoas, contra a desumanização de nossas cidades, contra a falta de transportes coletivos, e, principalmente contra os iletrados da política que desonram a Casa do Povo. Este último gol de letra caberá aos eleitores brasileiros.

Quanto à Marina Silva, atrás da aparência frágil existe uma mulher guerreira e ambiciosa. Ele tem um lugar assegurado para exercer um cargo eletivo. Sua sobrevivência política é necessária. O seu Estado (Acre) lhe relegou, de modo injusto, ao terceiro lugar nas ultimas eleições. Todavia, Marina Silva, talvez tenha chances de ser eleita governadora em São Paulo ou no Rio de Janeiro, que lhes deu a maior votação nas ultimas eleições.

Logicamente, já temos uma mulher na Presidência que tem demonstrado sua capacidade de governar um país como o Brasil. Ela não apenas tem tecido rede para um Brasil solidário, mas ela vem realizando ações concretas para garantir para as futuras gerações um Brasil sem miséria. O Brasil tem este privilégio de contar com mulheres guerreiras que tentam conjugar a política também no feminino, e, que estão mudando a cara do Brasil.

Jornalista Luis Nassif ganha direito de resposta na revista Veja

Quero agradecer o escritório Leonardi & Advogados, de jovens e brilhantes advogados, que reiteraram minha confiança na profissão. Em outras ações da Abril, fui abandonado pelo escritório Rodrigues Barbosa, Mac Dowell de Figueiredo, Gasparian, dos meus amigos Marco Antonio, Samuel e Thais.

A sentença não apagará os dissabores pelos quais passei, o sofrimento da minha família, o constrangimento de enfrentar acusações falsas disseminadas através de quase um milhão de exemplares pelo país.

Mas ficam dois frutos.

Primeiro, o fato de essa ação provocar a nova jurisprudência sobre direito de resposta – depois que os procedimentos foram vergonhosamente apagados da legislação pelo ex-Ministro Ayres Britto, do STF.

Segundo, minha convicção de dedicar toda minha energia para ajudar a fixar limites contra abusos da mídia. Fiz isso nos anos 90, em campanhas individuais reunidas no livro “O jornalismo dos anos 90″.

Vítima do que sempre denunciei, senti na pele o que sentiram milhares de pessoas, cuja reputação virou joguete nas mãos de uma mídia que há muito perdeu todos os filtros.

Por Fernanda Pascale

Caro Nassif,

Tenho a satisfação de comunicar que fomos vitoriosos no julgamento da apelação interposta pela Editora Abril contra a sentença que lhe assegurou o direito de resposta contra a Revista Veja, em relação à coluna escrita por Diogo Mainardi.

O advogado da Editora Abril, Dr. Jorge, e eu, Dra. Fernanda, fizemos sustentação oral.

Eu ressaltei para os Desembargadores os principais pontos do caso, reforçando o que já havia constado nos Memoriais apresentados no final da semana passada. Enfatizei, especialmente, a garantia constitucional do direito de resposta e destaquei a relevância do tema após o fim da Lei de Imprensa no Brasil.

Após uma sessão de julgamento de pouco mais de 2 horas, os três Desembargadores, de forma unânime, votaram pelo reconhecimento de seu direito resposta contra a Revista Veja e selecionaram a decisão para constar como jurisprudência do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, dada a importância do precedente.

A Editora Abril ainda pode recorrer aos tribunais superiores em Brasília. Vamos acompanhar o desenrolar dos acontecimentos. Assim que o acórdão estiver disponível, enviaremos cópia.

Atenciosamente,

Fernanda Pascale

(O Povo Online)

O bate-papo que desmascarou a blogueira Yoani Sánchez

Yoani Sánchez é a nova personalidade da oposição cubana. Desde a criação de seu blog, Generación Y, em 2007, obteve inúmeros prêmios internacionais: o prêmio de Jornalismo Ortega y Gasset (2008), o prêmio Bitacoras.com (2008), o prêmio The Bob’s (2008), o prêmio Maria Moors Cabot (2008) da prestigiada universidade norte-americana de Colúmbia. Do mesmo modo, a blogueira foi escolhida como uma das 100 personalidades mais influentes do mundo pela revista Time(2008), em companhia de George W. Bush, Hu Jintao e Dalai Lama.

yoani sánchez brasil jornalista francês

Yoani Sánchez é a dona da semana na mídia brasileira

Seu blog foi incluído na lista dos 25 melhores do mundo do canal CNN e da Time(2008). Em 30 de novembro de 2008, o diário espanhol El País a incluiu na lista das 100 personalidades hispano-americanas mais influentes do ano (lista na qual não apareciam nem Fidel Castro, nem Raúl Castro). A revista Foreign Policy, por sua vez, a considerou um dos 10 intelectuais mais importantes do ano, enquanto a revista mexicana Gato Pardofez o mesmo para 2008.

Esta impressionante avalanche de distinções simultâneas suscitou numerosas interrogações, ainda mais considerando que Yoani Sánchez, segundo suas próprias confissões, é uma total desconhecida em seu próprio país. Como uma pessoa desconhecida por seus vizinhos – segundo a própria blogueira – pode integrar a lista das 100 personalidades mais influentes do ano?

Um diplomata ocidental próximo desta atípica opositora do governo de Havana havia lido uma série de artigos que escrevi sobre Yoani Sánchez e que eram relativamente críticos. Ele os mostrou à blogueira cubana, que quis reunir-se comigo para esclarecer alguns pontos abordados.

O encontro com a jovem dissidente de fama controvertida não ocorreu em algum apartamento escuro, com as janelas fechadas, ou em um lugar isolado e recluso para escapar aos ouvidos indiscretos da “polícia política”. Ao contrário, aconteceu no saguão do Hotel Plaza, no centro de Havana Velha, em uma tarde inundada de sol. O local estava bem movimentado, com numerosos turistas estrangeiros que perambulavam pelo imenso salão do edifício majestoso que abriu suas portas no início do século XX.

Yoani Sánchez vive perto das embaixadas ocidentais. De fato, uma simples chamada de meu contato ao meio-dia permitiu que combinássemos o encontro para três horas depois. Às 15h, a blogueira apareceu sorridente, vestida com uma saia longa e uma camiseta azul. Também usava uma jaqueta esportiva, para amenizar o relativo frescor do inverno havanês.

Foram cerca de duas horas de conversa ao redor de uma mesa do bar do hotel, com a presença de seu marido, Reinaldo Escobar, que a acompanhou durante uns vinte minutos antes de sair para outro encontro. Yoani Sánchez mostrou-se extremamente cordial e afável e exibiu grande tranquilidade. Seu tom de voz era seguro e em nenhum momento ela pareceu incomodada. Acostumada aos meios ocidentais, domina relativamente bem a arte da comunicação.

Esta blogueira, personagem de aparência frágil, inteligente e sagaz, tem consciência de que, embora lhe seja difícil admitir, sua midiatização no Ocidente não é uma causalidade, mas se deve ao fato de ela preconizar a instauração de um “capitalismo sui generis” em Cuba.

O incidente de 6 de novembro de 2009

Salim Lamrani – Comecemos pelo incidente ocorrido em 6 de novembro de 2009 em Havana. Em seu blog, a senhora explicou que foi presa com três amigos por “três robustos desconhecidos” durante uma “tarde carregada de pancadas, gritos e insultos”. A senhora denunciou as violências de que foi vítima por parte das forças da ordem cubanas. Confirma sua versão dos fatos?

Yoani Sánchez – Efetivamente, confirmo que sofri violência. Mantiveram-me sequestrada por 25 minutos. Levei pancadas. Consegui pegar um papel que um deles levava no bolso e o coloquei em minha boca. Um deles pôs o joelho sobre meu peito e o outro, no assento dianteiro, me batia na região dos rins e golpeava minha cabeça para que eu abrisse a boca e soltasse o papel. Por um momento, achei que nunca sairia daquele carro.

SL – O relato, em seu blog, é verdadeiramente terrorífico. Cito textualmente: a senhora falou de “golpes e empurrões”, de “golpes nos nós dos dedos”, de “enxurrada de golpes”, do “joelho sobre o [seu] peito”, dos golpes nos “rins e […] na cabeça”, do “cabelo puxado”, de seu “rosto avermelhado pela pressão e o corpo dolorido”, dos “golpes [que] continuavam vindo” e “todas essas marcas roxas”. No entanto, quando a senhora recebeu a imprensa internacional em 9 de novembro, todas as marcas haviam desaparecido. Como explica isso?

YS – São profissionais do espancamento.

SL – Certo, mas por que a senhora não tirou fotos das marcas?

YS – Tenho as fotos. Tenho provas fotográficas.

SL – Tem provas fotográficas?

YS – Tenho as provas fotográficas.

SL – Mas por que não as publicou para desmentir todos os rumores segundo os quais a senhora havia inventado uma agressão para que a imprensa falasse de seu caso?

YS – Por enquanto prefiro guardá-las e não publicá-las. Quero apresentá-las um dia perante um tribunal, para que esses três homens sejam julgados. Lembro-me perfeitamente de seus rostos e tenho fotos de pelo menos dois deles. Quanto ao terceiro, ainda não está identificado, mas, como se tratava do chefe, será fácil de encontrar. Tenho também o papel que tirei de um deles e que tem minha saliva, pois o coloquei na boca. Neste papel estava escrito o nome de uma mulher.

SL – Certo. A senhora publica muitas fotos em seu blog. Para nós é difícil entender por que prefere não mostrar as marcas desta vez.

YS – Como já lhe disse, prefiro guardá-las para a Justiça.

SL – A senhora entende que, com essa atitude, está dando crédito aos que pensam que a agressão foi uma invenção.

YS – É minha escolha.

SL – No entanto, até mesmo os meios ocidentais que lhe são mais favoráveis tomaram precauções oratórias pouco habituais para divulgar seu relato. O correspondente da BBC em Havana, Fernando Ravsberg, por exemplo, escreve que a senhora “não tem hematomas, marcas ou cicatrizes”. A agência France Presseconta a história esclarecendo com muito cuidado que se trata de sua versão, sob o título “Cuba: a blogueira Yoani Sánchez diz ter sido agredida e detida brevemente”. O jornalista afirma, por outro lado, que a senhora “não ficou ferida”.

YS – Não quero avaliar o trabalho deles. Não sou eu quem deve julgá-lo. São profissionais que passam por situações muito complicadas, que não posso avaliar. O certo é que a existência ou não de marcas físicas não é a prova do fato.

SL – Mas a presença de marcas demonstraria que foram cometidas violências. Daí a importância da publicação das fotos.

YS – O senhor deve entender que tratamos de profissionais da intimidação. O fato de três desconhecidos terem me levado até um carro sem me apresentar nenhum documento me dá o direito de me queixar como se tivessem fraturado todos os ossos do corpo. As fotos não são importantes porque a ilegalidade está consumada. A precisão de que “me doeu aqui ou me doeu ali” é minha dor interior.

SL – Sim, mas o problema é que a senhora apresentou isso como uma agressão muito violenta. A senhora falou de “sequestro no pior estilo da Camorra siciliana”.

YS – Sim, é verdade, mas sei que é minha palavra contra a deles. Entrar nesse tipo de detalhes, para saber se tenho marcas ou não, nos afasta do tema verdadeiro, que é o fato de terem me sequestrado durante 25 minutos de maneira ilegal.

SL – Perdoe-me a insistência, mas creio que é importante. Há uma diferença entre um controle de identidade que dura 25 minutos e violências policiais. Minha pergunta é simples. A senhora disse, textualmente: “Durante todo o fim de semana fiquei com a maçã do rosto e o supercílio inflamados.” Como tem as fotos, pode agora mostrar as marcas.

YS – Já lhe disse que prefiro guardá-las para o tribunal.

SL – A senhora entende que, para algumas pessoas, será difícil acreditar em sua versão se a senhora não publicar as fotos.

YS – Penso que, entrando nesse tipo de detalhes, perde-se a essência. A essência é que três bloggers acompanhados por uma amiga dirigiam-se a um ponto da cidade que era a Rua 23, esquina G. Tínhamos ouvido falar que um grupo de jovens convocara uma passeata contra a violência. Pessoas alternativas, cantores de hip hop, de rap, artistas. Eu compareceria como blogueira para tirar fotos e publicá-las em meu blog e fazer entrevistas. No caminho, fomos interceptados por um carro da marca Geely.

SL – Para impedi-los de participar do evento?

YS – A razão, evidentemente, era esta. Eles nunca me disseram formalmente, mas era o objetivo. Disseram-me que entrasse no carro. Perguntei quem eles eram. Um deles me pegou pelo pulso e comecei a ir para trás. Isso aconteceu em uma zona bastante central de Havana, em um ponto de ônibus.

SL – Então havia outras pessoas. Havia testemunhas.

YS – Há testemunhas, mas não querem falar. Têm medo.

SL – Nem mesmo de modo anônimo? Por que a imprensa ocidental não as entrevistou preservando seu anonimato, como faz muitas vezes quando publica reportagens críticas sobre Cuba?

YS – Não posso lhe explicar a reação da imprensa. Posso lhe contar o que aconteceu. Um deles era um homem de uns cinquenta anos, musculoso como se tivesse praticado luta livre em algum momento da vida. Digo-lhe isso porque meu pai praticou esse esporte e tem as mesmas características. Tenho os pulsos muito finos e consegui escapar, e lhe perguntei quem era. Havia três homens além do motorista.

SL – Então havia quatro homens no total, e não três.

YS – Sim, mas não vi o rosto do motorista. Disseram-me: “Yoani, entre no carro, você sabe quem somos.” Respondi: “Não sei quem são os senhores.” O mais baixo me disse: “Escute-me, voce sabe quem sou, você me conhece.” Retruquei: “Não, não sei quem é você. Não o conheço. Quem é você? Mostre-me suas credenciais ou algum documento.” O outro me disse: “Entre, não torne as coisas mais difíceis.” Então comecei a gritar: “Socorro! Sequestradores! ”

SL – A senhora sabia que se tratava de policiais à paisana?

YS – Imaginava, mas eles não me mostraram seus documentos.

SL – Qual era seu objetivo, então?

YS – Queria que as coisas fossem feitas dentro da legalidade, ou seja, que me mostrassem seus documentos e me levassem depois, embora eu suspeitasse que eles representavam a autoridade. Ninguém pode obrigar um cidadão a entrar em um carro particular sem apresentar suas credenciais. Isso é uma ilegalidade e um sequestro.

SL – Como as pessoas no ponto de ônibus reagiram?

YS – As pessoas no ponto ficaram atônitas, pois “sequestro” não é uma palavra que se usa em Cuba, não existe esse fenômeno. Então se perguntaram o que estava acontecendo. Não tínhamos jeito de delinquentes. Alguns se aproximaram, mas um dos policiais lhes gritou: “Não se metam, que são contrarrevolucioná rios!”

Esta foi a confirmação de que se tratava de membros da polícia política, embora eu já imaginasse por causa do carro Geely, que é chinês, de fabricação atual, e não é vendido em nenhuma loja em Cuba. Esses carros pertencem exclusivamente a membros do Ministério das Forças Armadas e do Ministério do Interior.

SL – Então a senhora sabia desde o início, pelo carro, que se tratava de policiais à paisana.

YS – Intuía. Por outro lado, tive a confirmação quando um deles chamou um policial uniformizado. Uma patrulha formada por um homem e uma mulher chegou e levou dois de nós. Deixou-nos nas mãos desses dois desconhecidos.

SL – Mas a senhora já não tinha a menor dúvida sobre quem eles eram.

YS – Não, mas não nos mostraram nenhum documento. Os policiais não nos disseram que representavam a autoridade. Não nos disseram nada.

SL – É difícil entender o interesse das autoridades cubanas em agredi-la fisicamente, sob o risco de provocar um escândalo internacional. A senhora é famosa. Por que teriam feito isso?

YS – Seu objetivo era radicalizar- me, para que eu escrevesse textos violentos contra eles. Mas não conseguirão.

SL – Não se pode dizer que a senhora é branda com o governo cubano.

YS -Nunca recorro à violência verbal nem a ataques pessoais. Nunca uso adjetivos incendiários, como “sangrenta repressão”, por exemplo. Seu objetivo, então, era radicalizar- me.

SL – No entanto, a senhora é muito dura em relação ao governo de Havana. Em seu blog, a senhora diz: “o barco que faz água a ponto de naufragar”. A senhora fala dos “gritos do déspota”, de “seres das sombras, que, como vampiros, se alimentam de nossa alegria humana, nos incutem o medo por meio da agressão, da ameaça, da chantagem”, e afirma que “naufragaram o processo, o sistema, as expectativas, as ilusões. [É um] naufráfio [total]“. São palavras muito fortes.

YS – Talvez, mas o objetivo deles era queimar o fenômeno Yoani Sánchez, demonizar-me. Por isso meu blog permaneceu bloqueado por um bom tempo.

SL – Contudo, é surpreendente que as autoridades cubanas tenham decidido atacá-la fisicamente.

YS – Foi uma torpeza. Não entendo por que me impediram de assistir à passeata, pois não penso como aqueles que reprimem. Não tenho explicação. Talvez eles não quisessem que eu me reunisse com os jovens. Os policiais acreditavam que eu iria provocar um escândalo ou fazer um discurso incendiário.

Voltando ao assunto da detenção, os policiais levaram meus amigos de maneira enérgica e firme, mas sem violência. No momento em que me dei conta de que iriam nos deixar sozinhos com Orlando, com esses três tipos, agarrei-me a uma planta que havia na rua e Claudia agarrou-se a mim pela cintura para impedir a separação, antes de os policiais a levarem.

SL – Para que resistir às forças da ordem uniformizadas e correr o risco de ser acusada disso e cometer um delito? Na França, se resistimos à polícia, corremos o risco de sofrer sanções.

YS – De qualquer modo, eles nos levaram. A policial levou Claudia. As três pessoas nos levaram até o carro e comecei a gritar de novo: “Socorro! Um sequestro!”

SL – Por quê? A senhora sabia que se tratava de policiais à paisana.

YS – Não me mostraram nenhum papel. Então começaram a me bater e me empurraram em direção ao carro. Claudia foi testemunha e relatou isso.

SL – A senhora não acaba de me dizer que a patrulha a havia levado?

YS – Ela viu a cena de longe, enquanto o carro de polícia se afastava. Defendi-me e golpeei como um animal que sente que sua hora chegou. Deram uma volta rápida e tentaram tirar-me o papel da boca.

Agarrei um deles pelos testículos e ele redobrou a violência. Levaram-nos a um bairro bem periférico, La Timba, que fica perto da Praça da Revolução. O homem desceu, abriu a porta e pediu que saíssemos. Eu não quis descer. Eles nos fizeram sair à força com Orlando e foram embora.

Uma senhora chegou e dissemos que havíamos sido sequestrados. Ela nos achou malucos e se foi. O carro voltou, mas não parou. Eles só me jogaram minha bolsa, onde estavam meu celular e minha câmera.

SL – Voltaram para devolver seu celular e sua câmera?

YS – Sim.

SL – Não lhe parece estranho que se preocupassem em voltar? Poderiam ter confiscado seu celular e sua câmera, que são suas ferramentas de trabalho.

YS – Bem, não sei. Tudo durou 25 minutos.

SL – Mas a senhora entende que, enquanto não publicar as fotos, as pessoas duvidarão de sua versão, e isso lançará uma sombra sobre a credibilidade de tudo o que a senhora diz.

YS – Não importa.

A Suíça e o retorno a Cuba

SL – Em 2002, a senhora decidiu emigrar para a Suíça. Dois anos depois, voltou a Cuba. É difícil entender por que a senhora deixou o “paraíso europeu” para regressar ao país que descreve como um inferno. A pergunta é simples: por quê?

YS – É uma ótima pergunta. Primeiro, gosto de nadar contra a corrente. Gosto de organizar minha vida à minha maneira. O absurdo não é ir embora e voltar a Cuba, e sim as leis migratórias cubanas, que estipulam que toda pessoa que passa onze meses no exterior perde seu status de residente permanente.

Em outras condições eu poderia permanecer dois anos no exterior e, com o dinheiro ganho, voltar a Cuba para reformar a casa e fazer outras coisas. Então o surpreendente não é o fato de eu decidir voltar a Cuba, e sim as leis migratórias cubanas.

SL – O mais surpreendente é que, tendo a possibilidade de viver em um dos países mais ricos do mundo, a senhora tenha decidido voltar a seu país, que descreve de modo apocalíptico, apenas dois anos depois de sua saída.

YS – As razões são várias. Primeiro, não pude ir embora com minha família. Somos uma pequena família, mas minha irmã, meus pais e eu somos muito unidos. Meu pai ficou doente em minha ausência e tive medo de que ele morresse sem que eu pudesse vê-lo. Também me sentia culpada por viver melhor do que eles. A cada vez que comprava um par de sapatos, que me conectava à internet, pensava neles. Sentia-me culpada.

SL – Certo, mas, da Suíça, a senhora podia ajudá-los enviando dinheiro.

YS – É verdade, mas há outro motivo. Pensei que, com o que havia aprendido na Suíça, poderia mudar as coisas voltando a Cuba. Há também a saudade das pessoas, dos amigos. Não foi uma decisão pensada, mas não me arrependo.

Tinha vontade de voltar e voltei. É verdade que isso pode parecer pouco comum, mas gosto de fazer coisas incomuns. Criei um blog e as pessoas me perguntaram por que eu fiz isso, mas o blog me satisfaz profissionalmente.

SL – Entendo. No entanto, apesar de todas essas razões, é difícil entender o motivo de seu regresso a Cuba quando no Ocidente se acredita que todos os cubanos querem abandonar o país. É ainda mais surpreendente em seu caso, pois a senhora apresenta seu país, repito, de modo apocalíptico.

YS – Como filóloga, eu discutiria a palavra, pois “apocalíptico” é um termo grandiloquente. Há um aspecto que caracteriza meu blog: a moderação verbal.

SL – Não é sempre assim. A senhora, por exemplo, descreve Cuba como “uma imensa prisão, com muros ideológicos”. Os termos são bastantes fortes.

YS – Nunca escrevi isso.

SL – São as palavras de uma entrevista concedida ao canal francês France 24 em 22 de outubro de 2009.

YS – O senhor leu isso em francês ou em espanhol?

SL – Em francês.

YS – Desconfie das traduções, pois eu nunca disse isso. Com frequência me atribuem coisas que eu não disse. Por exemplo, o jornal espanhol ABC me atribuiu palavras que eu nunca havia pronunciado, e protestei. O artigo foi finalmente retirado do site na internet.

SL – Quais eram essas palavras?

YS – “Nos hospitais cubanos, morre mais gente de fome do que de enfermidades. ” Era uma mentira total. Eu jamais havia dito isso.

SL – Então a imprensa ocidental manipulou o que a senhora disse?

YS – Eu não diria isso.

SL – Se lhe atribuem palavras que a senhora não pronunciou, trata-se de manipulação.

YS – O Granma manipula a realidade mais do que a imprensa ocidental ao afirmar que sou uma criação do grupo midiático Prisa.

SL – Justamente, a senhora não tem a impressão de que a imprensa ocidental a usa porque a senhora preconiza um “capitalismo sui generis” em Cuba?

YS – Não sou responsável pelo que a imprensa faz. Meu blog é uma terapia pessoal, um exorcismo. Tenho a impressão de que sou mais manipulada em meu próprio país do que em outra parte. O senhor sabe que existe uma lei em Cuba, a lei 88, chamada lei da “mordaça”, que põe na cadeia as pessoas que fazem o que estamos fazendo.

SL – O que isso quer dizer?

YS – Que nossa conversa pode ser considerada um delito, que pode ser punido com uma pena de até 15 anos de prisão.

SL – Perdoe-me, o fato de eu entrevistá-la pode levá-la para a cadeia?

YS – É claro!

SL – Não tenho a impressão de que isso a preocupe muito, pois a senhora está me concedendo uma entrevista em plena tarde, no saguão de um hotel no centro de Havana Velha.

YS – Não estou preocupada. Esta lei estipula que toda pessoa que denuncie as violações dos direitos humanos em Cuba colabora com as sanções econômicas, pois Washington justifica a imposição das sanções contra Cuba pela violação dos direitos humanos.

SL – Se não me engano, a lei 88 foi aprovada em 1996 para responder à Lei-Helms Burton e sanciona sobretudo as pessoas que colaboram com a aplicação desta legislação em Cuba, por exemplo fornecendo informações a Washington sobre os investidores estrangeiros no país, para que estes sejam perseguidos pelos tribunais norte-americanos. Que eu saiba, ninguém até agora foi condenado por isso.

Falemos de liberdade de expressão. A senhora goza de certa liberdade de tom em seu blog. Está sendo entrevistada em plena tarde em um hotel. Não vê uma contradição entre o fato de afirmar que não há nenhuma liberdade de expressão em Cuba e a realidade de seus escritos e suas atividades, que provam o contrário?

YS – Sim, mas o blog não pode ser acessado desde Cuba, porque está bloqueado.

SL – Posso lhe assegurar que o consultei esta manhã antes da entrevista, no hotel.

YS – É possível, mas ele permanece bloqueado a maior parte do tempo. De todo modo, hoje em dia, mesmo sendo uma pessoa moderada, não posso ter nenhum espaço na imprensa cubana, nem no rádio, nem na televisão.

SL – Mas pode publicar o que tem vontade em seu blog.

YS – Mas não posso publicar uma única palavra na imprensa cubana.

SL – Na França, que é uma democracia, amplos setores da população não têm nenhum espaço nos meios, já que a maioria pertence a grupos econômicos e financeiros privados.

YS – Sim, mas é diferente.

SL – A senhora recebeu ameaças por suas atividades? Alguma vez a ameaçaram com uma pena de prisão pelo que escreve?

YS – Ameaças diretas de pena de prisão, não, mas não me deixam viajar ao exterior. Fui convidada há pouco para um Congresso sobre a língua espanhola no Chile, fiz todos os trâmites, mas não me deixam sair.

SL – Deram-lhe alguma explicação?

YS – Nenhuma, mas quero dizer uma coisa. Para mim, as sanções dos Estados Unidos contra Cuba são uma atrocidade. Trata-se de uma política que fracassou. Afirmei isso muitas vezes, mas não se publica, pois é incômodo o fato de eu ter esta opinião que rompe com o arquétipo do opositor.

As sanções econômicas

SL – Então a senhora se opõe às sanções econômicas.

YS – Absolutamente, e digo isso em todas as entrevistas. Há algumas semanas, enviei uma carta ao Senado dos Estados Unidos pedindo que os cidadãos norte-americanos tivessem permissão para viajar a Cuba. É uma atrocidade impedir que os cidadãos norte-americanos viajem a Cuba, do mesmo modo que o governo cubano me impede de sair de meu país.

SL – O que acha das esperanças suscitadas pela eleição de Obama, que prometeu uma mudança na política para Cuba, mas decepcionou muita gente?

YS – Ele chegou ao poder sem o apoio do lobby fundamentalista de Miami, que defendeu o outro candidato. De minha parte, já me pronunciei contra as sanções.

SL – Este lobby fundamentalista é contra a suspensão das sanções econômicas.

YS – O senhor pode discutir com eles e lhes expor meus argumentos, mas eu não diria que são inimigos da pátria. Não penso assim.

SL – Uma parte deles participou da invasão de seu próprio país em 1961, sob as ordens da CIA. Vários estão envolvidos em atos de terrorismo contra Cuba.

YS – Os cubanos no exílio têm o direito de pensar e decidir. Sou a favor de que eles tenham direito ao voto. Aqui, estigmatizou- se muito o exílio cubano.

SL – O exílio “histórico” ou os que emigraram depois, por razões econômicas?

YS – Na verdade, oponho-me a todos os extremos. Mas essas pessoas que defendem as sanções econômicas não são anticubanas. Considere que elas defendem Cuba segundo seus próprios critérios.

SL – Talvez, mas as sanções econômicas afetam os setores mais vulneráveis da população cubana, e não os dirigentes. Por isso é difícil ser a favor das sanções e, ao mesmo tempo, querer defender o bem-estar dos cubanos.

YS – É a opinião deles. É assim.

SL – Eles não são ingênuos. Sabem que os cubanos sofrem com as sanções.

YS – São simplesmente diferentes. Acreditam que poderão mudar o regime impondo sanções. Em todo caso, creio que o bloqueio tem sido o argumento perfeito para o governo cubano manter a intolerância, o controle e a repressão interna.

SL – As sanções econômicas têm efeitos. Ou a senhora acha que são apenas uma desculpa para Havana?

YS – São uma desculpa que leva à repressão.

SL – Afetam o país de um ponto de vista econômico, para a senhora? Ou é apenas um efeito marginal?

YS – O verdadeiro problema é a falta de produtividade em Cuba. Se amanhã suspendessem as sanções, duvido muito que víssemos os efeitos.

SL – Neste caso, por que os Estados Unidos não suspendem as sanções, tirando assim a desculpa do governo? Assim perceberíamos que as dificuldades econômicas devem-se apenas às políticas internas. Se Washington insiste tanto nas sanções apesar de seu caráter anacrônico, apesar da oposição da imensa maioria da comunidade internacional, 187 países em 2009, apesar da oposição de uma maioria da opinião pública dos Estados Unidos, apesar da oposição do mundo dos negócios, deve ser por algum motivo, não?

YS – Simplesmente porque Obama não é o ditador dos Estados Unidos e não pode eliminar as sanções.

SL – Ele não pode eliminá-las totalmente porque não há um acordo no Congresso, mas pode aliviá-las consideravelmente, o que não fez até agora, já que, salvo a eliminação das sanções impostas por Bush em 2004, quase nada mudou.

YS – Não, não é verdade, pois ele também permitiu que as empresas de telecomunicaçõ es norte-americanas fizessem transações com Cuba.

Os prêmios internacionais, o blog e Barack Obama

SL – A senhora terá de admitir que é bem pouco, quando se sabe que Obama prometeu um novo enfoque para Cuba. Voltemos a seu caso pessoal. Como explica esta avalanche de prêmios, assim como seu sucesso internacional?

YS – Não tenho muito a dizer, a não ser expressar minha gratidão. Todo prêmio implica uma dose de subjetividade por parte do jurado. Todo prêmio é discutível. Por exemplo, muitos escritores latino-americanos mereciam o Prêmio Nobel de Literatura mais que Gabriel García Márquez.

SL – A senhora afirma isso porque acredita que ele não tem tanto talento ou por sua posição favorável à Revolução cubana? A senhora não nega seu talento de escritor, ou nega?

YS – É minha opinião, mas não direi que ele obteve o prêmio por esse motivo nem vou acusá-lo de ser um agente do governo sueco.

SL – Ele obteve o prêmio por sua obra literária, enquanto a senhora foi recompensada por suas posições políticas contra o governo. É a impressão que temos.

YS – Falemos do prêmio Ortega y Gasset, do jornal El País, que suscita mais polêmica. Venci na categoria “Internet”. Alguns dizem que outros jornalistas não conseguiram, mas sou uma blogueira e sou pioneira neste campo. Considero-me uma personagem da internet. O júri do prêmio Ortega y Gasset é formado por personalidades extremamente prestigiadas e eu não diria que elas se prestaram a uma conspiração contra Cuba.

SL – A senhora não pode negar que o jornal espanhol El Paístem uma linha editorial totalmente hostil a Cuba. E alguns acham que o prêmio, de 15.000 euros, foi uma forma de recompensar seus escritos contra o governo.

YS – As pessoas pensam o que querem. Acredito que meu trabalho foi recompensado. Meu blog tem 10 milhões de visitas por mês. É um furacão.

SL – Como a senhora faz para pagar os gastos com a administração de semelhante tráfego?

YS – Um amigo na Alemanha se encarregava disso, pois o site estava hospedado na Alemanha. Há mais de um ano está hospedado na Espanha, e consegui 18 meses gratuitos graças ao prêmio The Bob’s.

SL – E a tradução para 18 línguas?

YS – São amigos e admiradores que o fazem voluntária e gratuitamente.

SL – Muitas pessoas acham difícil acreditar nisso, pois nenhum outro site do mundo, nem mesmo os das mais importantes instituições internacionais, como as Nações Unidas, o Banco Mundial, o Fundo Monetário Internacional, a OCDE, a União Europeia, dispõe de tantas versões de idioma. Nem o site do Departamento de Estado dos EUA, nem o da CIA contam com semelhante variedade.

YS – Digo-lhe a verdade.

SL – O presidente Obama inclusive respondeu a uma entrevista que a senhora fez. Como explica isso?

YS – Em primeiro lugar, quero dizer que não eram perguntas complacentes.

SL – Tampouco podemos afirmar que a senhora foi crítica, já que não pediu que ele suspendesse as sanções econômicas, sobre as quais a senhora diz que “são usadas como justificativa tanto para o descalabro produtivo quanto para reprimir os que pensam diferente”. É exatamente o que diz Washington sobre o tema.

O momento de maior atrevimento foi quando a senhora perguntou se ele pensava em invadir Cuba. Como a senhora explica que o presidente Obama tenha dedicado tempo a lhe responder apesar de sua agenda extremamente carregada, com uma crise econômica sem precedentes, a reforma do sistema de saúde, o Iraque, o Afeganistão, as bases militares na Colômbia, o golpe de Estado em Honduras e centenas de pedidos de entrevista dos mais importantes meios do mundo à espera?

YS – Tenho sorte. Quero lhe dizer que também enviei perguntas ao presidente Raúl Castro e ele não me respondeu. Não perco a esperança. Além disso, ele agora tem a vantagem de contar com as respostas de Obama.

SL – Como a senhora chegou até Obama?

YS – Transmiti as perguntas a várias pessoas que vinham me visitar e poderiam ter um contato com ele.

SL – Em sua opinião, Obama respondeu porque a senhora é uma blogueira cubana ou porque se opõe ao governo?

YS – Não creio. Obama respondeu porque fala com os cidadãos.

SL – Ele recebe milhões de solicitações a cada dia. Por que lhe respondeu, se a senhora é uma simples blogueira?

YS – Obama é próximo de minha geração, de meu modo de pensar.

SL – Mas por que a senhora? Existem milhões de blogueiros no mundo. Não acha que foi usada na guerra midiática de Washington contra Havana?

YS – Em minha opinião, ele talvez quisesse responder a alguns pontos, como a invasão de Cuba. Talvez eu tenha lhe dado a oportunidade de se manifestar sobre um tema que ele queria abordar havia muito tempo. A propaganda política nos fala constantemente de uma possível invasão de Cuba.

SL – Mas ocorreu uma, não?

YS – Quando?

SL – Em 1961. E, em 2003, Roger Noriega, subsecretário de Estado para Assuntos Interamericanos, disse que qualquer onda migratória cubana em direção aos Estados Unidos seria considerada uma ameaça à segurança nacional e exigiria uma resposta militar.

YS – É outro assunto. Voltando ao tema da entrevista, creio que ela permitiu esclarecer alguns pontos. Tenho a impressão de que há uma intenção de ambos os lados de não normalizar as relações, de não se entender. Perguntei-lhe quando encontraríamos uma solução.

SL – A seu ver, quem é responsável por este conflito entre os dois países?

YS – É difícil apontar um culpado.

SL – Neste caso específico, são os Estados Unidos que impõem sanções unilaterais a Cuba, e não o contrário.

YS – Sim, mas Cuba confiscou propriedades dos Estados Unidos.

SL – Tenho a impressão de que a senhora faz o papel de advogada de Washington.

YS – Os confiscos ocorreram.

SL – É verdade, mas foram realizados conforme o direito internacional. Cuba também confiscou propriedades da França, Espanha, Itália, Bélgica, Reino Unido, e indenizou estas nações. O único país que recusou as indenizações foram os Estados Unidos.

YS – Cuba também permitiu a instalação de bases militares em seu território e de mísseis de um império distante…

SL – …Como os Estados Unidos instalaram bases nucleares contra a URSS na Itália e na Turquia.

YS – Os mísseis nucleares podiam alcançar os Estados Unidos.

SL – Assim como os mísseis nucleares norte-americanos podiam alcançar Cuba ou a URSS.

YS – É verdade, mas creio que houve uma escalada no confronto por parte de ambos os países.

Os cinco presos políticos cubanos e a dissidência

SL – Abordemos outro tema. Fala-se muito dos cinco presos políticos cubanos nos Estados Unidos, condenados à prisão perpétua por infiltrar grupelhos de extrema direita na Flórida envolvidos no terrorismo contra Cuba.

YS – Não é um tema que interesse à população. É propaganda política.

SL – Mas qual é seu ponto de vista a respeito?

YS – Tentarei ser o mais neutra possível. São agentes do Ministério do Interior que se infiltraram nos Estados Unidos para coletar informações. O governo de Cuba disse que eles não desempenhavam atividades de espionagem, mas sim que haviam infiltrado grupos cubanos para evitar atos terroristas. Mas o governo cubano sempre afirmou que esses grupos estavam ligados a Washington.

SL – Então os grupos radicais de exilados têm laços com o governo dos Estados Unidos.

YS – É o que diz a propaganda política.

SL – Então não é verdade.

YS – Se é verdade, significa que os cinco realizavam atividades de espionagem.

SL – Neste caso, os Estados Unidos têm de reconhecer que os grupos violentos fazem parte do governo.

YS – É verdade.

SL – A senhora acha que os Cinco devem ser libertados ou merecem a punição?

YS – Creio que valeria a pena revisar os casos, mas em um contexto político mais apaziguado. Não acho que o uso político deste caso seja bom para eles. O governo cubano midiatiza demais este assunto.

SL – Talvez por ser um assunto totalmente censurado pela imprensa ocidental.

YS – Creio que seria bom salvar essas pessoas, que são seres humanos, têm uma família, filhos. Por outro lado, contudo, também há vítimas.

SL – Mas os cinco não cometeram crimes.

YS – Não, mas forneceram informações que causaram a morte de várias pessoas.

SL – A senhora se refere aos acontecimentos de 24 de fevereiro de 1996, quando dois aviões da organização radical Brothers to the Rescue foram derrubados depois de violar várias vezes o espaço aéreo cubano e lançar convocações à rebelião.

YS – Sim.

SL – No entanto, o promotor reconheceu que era impossível provar a culpa de Gerardo Hernández neste caso.

YS – É verdade. Penso que, quando a política se intromete em assuntos de justiça, chegamos a isso.

SL – A senhora acha que se trata de um caso político?

YS – Para o governo cubano, é um caso político.

SL – E para os Estados Unidos?

YS – Penso que existe uma separação dos poderes no país, mas é possível que o ambiente político tenha influenciado os juízes e jurados. Não creio, no entanto, que se trate de um caso político dirigido por Washigton. É difícil ter uma imagem clara deste caso, pois jamais obtivemos uma informação completa a respeito. Mas a prioridade para os cubanos é a libertação dos presos políticos.

O financiamento

SL – Wayne S. Smith, último embaixador dos Estados Unidos em Cuba, declarou que era “ilegal e imprudente enviar dinheiro aos dissidentes cubanos”. Acrescentou que “ninguém deveria dar dinheiro aos dissidentes, muito menos com o objetivo de derrubar o governo cubano”.

Ele explica: “Quando os Estados Unidos declaram que seu objetivo é derrubar o governo cubano e depois afirmam que um dos meios para conseguir isso é oferecer fundos aos dissidentes cubanos, estes se encontram de fato na posição de agentes pagos por uma potência estrangeira para derrubar seu próprio governo”.

YS – Creio que o financiamento da oposição pelos Estados Unidos tem sido apresentado como uma realidade, o que não é o caso. Conheço vários membros do grupo dos 75 dissidentes presos em 2003 e duvido muito dessa versão. Não tenho provas de que os 75 tenham sido presos por isso. Não acredito nas provas apresentadas nos tribunais cubanos.

SL – Não creio que seja possível ignorar esta realidade.

YS – Por quê?

SL – O próprio governo dos Estados Unidos afirma que financia a oposição interna desde 1959. Basta consultar, além dos arquivos liberados ao público, a seção 1.705 da lei Torricelli, de 1992, a seção 109 da lei Helms-Burton, de 1996, e os dois informes da Comissão de Assistência para uma Cuba Livre, de maio de 2004 e julho de 2006. Todos esses documentos revelam que o presidente dos Estados Unidos financia a oposição interna em Cuba com o objetivo de derrubar o governo de Havana.

YS: Não sei, mas…

SL – Se me permite, vou citar as leis em questão. A seção 1.705 da lei Torricelli estipula que “os Estados Unidos proporcionarã o assistência às organizações não-governamentais adequadas para apoiar indivíduos e organizações que promovem uma mudança democrática não violenta em Cuba.”

A seção 109 da lei Helms-Burton também é muito clara: “O presidente [dos Estados Unidos] está autorizado a proporcionar assistência e oferecer todo tipo de apoio a indivíduos e organizações não-governamentais independentes para unir os esforços a fim de construir uma democracia em Cuba”.

O primeiro informe da Comissão de Assistência para uma Cuba Livre prevê a elaboração de um “sólido programa de apoio que favoreça a sociedade civil cubana”. Entre as medidas previstas há um financiamento de 36 milhões de dólares para o “apoio à oposição democrática e ao fortalecimento da sociedade civil emergente”.

O segundo informe da Comissão de Assistência para uma Cuba Livre prevê um orçamento de 31 milhões de dólares para financiar ainda mais a oposição interna. Além disso, está previsto para os anos seguintes um financiamento anual de pelo menos 20 milhões de dólares, com o mesmo objetivo, “até que a ditadura deixe de existir”.

YS – Quem lhe disse que esse dinheiro chegou às mãos dos dissidentes?

SL – A Seção de Interesses Norte-americanos afirmou em um comunicado: “A política norte-americana, faz muito tempo, é proporcionar assistência humanitária ao povo cubano, especificamente a famílias de presos políticos. Também permitimos que as organizações privadas o façam.”

YS – Bem…

SL – Inclusive a Anistia Internacional, que lembra a existência de 58 presos políticos em Cuba, reconhece que eles estão detidos “por ter recebido fundos ou materiais do governo norte-americano para realizar atividades que as autoridades consideram subversivas e prejudiciais para Cuba”.

YS – Não sei se…

SL – Por outro lado, os próprios dissidentes admitem receber dinheiro dos Estados Unidos. Laura Pollán, das Damas de Branco, declarou: “Aceitamos a ajuda, o apoio, da ultradireita à esquerda, sem condições”. O opositor Vladimiro Roca também confessou que a dissidência cubana é subvencionada por Washington, alegando que a ajuda financeira recebida era “total e completamente lícita”. Para o dissidente René Gómez, o apoio econômico por parte dos Estados Unidos “não é algo a esconder ou de que precisemos nos envergonhar” .

Inclusive a imprensa ocidental reconhece. A agência France Presse informa que “os dissidentes, por sua parte, reivindicaram e assumiram essas ajudas econômicas”. A agência espanhola EFEmenciona os “opositores financiados pelos Estados Unidos”. Quanto à agência de notícias britânica Reuters, “o governo norte-americano fornece abertamente um apoio financeiro federal às atividades dos dissidentes, o que Cuba considera um ato ilegal”. E eu poderia multiplicar os exemplos.

YS – Tudo isso é culpa do governo cubano, que impede a prosperidade econômica de seus cidadãos, que impõe um racionamento à população. É preciso fazer fila para conseguir produtos. É necessário julgar antes o governo cubano, que levou milhares de pessoas a aceitar a ajuda estrangeira.

SL – O problema é que os dissidentes cometem um delito que a lei cubana e todos os códigos penais do mundo sancionam severamente. Ser financiado por uma potência estrangeira é um grave delito na Franca e no restante do mundo.

YS – Podemos admitir que o financiamento de uma oposição é uma prova de ingerência, mas…

SL – Mas, neste caso, as pessoas que a senhora qualifica de presos políticos não são presos políticos, pois cometeram um delito ao aceitar dinheiro dos Estados Unidos, e a justiça cubana as condenou com base nisso.

YS – Creio que este governo se intrometeu muitas vezes nos assuntos internos de outros países, financiando movimentos rebeldes e a guerrilha. Interveio em Angola e…

SL – Sim, mas se tratava de ajudar os movimentos independentistas contra o colonialismo português e o regime segregacionista da África do Sul. Quando a África do Sul invadiu a Namíbia, Cuba interveio para defender a independência deste país. Nelson Mandela agradeceu publicamente a Cuba e esta foi a razão pela qual fez sua primeira viagem a Havana, e não a Washington ou Paris.

YS – Mas muitos cubanos morreram por isso, longe de sua terra.

SL – Sim, mas foi por uma causa nobre, seja em Angola, no Congo ou na Namíbia. A batalha de Cuito Cuanavale, em 1988, permitiu que se pusesse fim ao apartheid na África do Sul. É o que diz Mandela! Não se sente orgulhosa disso?

YS – Concordo, mas, no fim das contas, incomoda-me mais a ingerência de meu país no exterior. O que faz falta é despenalizar a prosperidade.

SL – Inclusive o fato de se receber dinheiro de uma potência estrangeira?

YS – As pessoas têm de ser economicamente autônomas.

SL – Se entendo bem, a senhora preconiza a privatização de certos setores da economia.

YS – Não gosto do termo “privatizar” , pois tem uma conotação pejorativa, mas colocar em mãos privadas, sim.

Conquistas sociais em Cuba?

SL – É uma questão semântica, então. Quais são, para a senhora, as conquistas sociais deste país?

YS – Cada conquista teve um custo enorme. Todas as coisas que podem parecer positivas tiveram um custo em termos de liberdade. Meu filho recebe uma educação muito doutrinária e contam-lhe uma história de Cuba que em nada corresponde à realidade. Preferiria uma educação menos ideológica para meu filho. Por outro lado, ninguém quer ser professor neste país, pois os salários são muito baixos.

SL – Concordo, mas isso não impede que Cuba seja o país com o maior número de professores por habitante do mundo, com salas de 20 alunos no máximo, o que não ocorre na França, por exemplo.

YS – Sim, mas houve um custo, e por isso a educação e a saúde não são verdadeiras conquistas para mim.

SL – Não podemos negar algo reconhecido por todas as instituições internacionais. Em relação à educação, o índice de analfabetismo é de 11,7% na América Latina e 0,2% em Cuba. O índice de escolaridade no ensino primário é de 92% na América Latina e 100% em Cuba, e no ensino secundário é de 52% e 99,7%, respectivamente. São cifras do Departamento de Educação da Unesco.

YS – Certo, mas, em 1959, embora Cuba vivesse em condições difíceis, a situação não era tão ruim. Havia uma vida intelectual florescente, um pensamento político vivo. Na verdade, a maioria das supostas conquistas atuais, apresentadas como resultados do sistema, eram inerentes a nossa idiossincrasia. Essas conquistas existiam antes.

SL – Não é verdade. Vou citar uma fonte acima de qualquer suspeita: um informe do Banco Mundial. É uma citação bastante longa, mas vale a pena.

“Cuba é internacionalmente reconhecida por seus êxitos no campo da educação e da saúde, com um serviço social que supera o da maior parte dos países em desenvolvimento e, em certos setores, comparável ao dos países desenvolvidos. Desde a Revolução cubana de 1959 e do estabelecimento de um governo comunista com partido único, o país criou um sistema de serviços sociais que garante o acesso universal à educação e à saúde, proporcionado pelo Estado. Este modelo permitiu que Cuba alcançasse uma alfabetização universal, a erradicação de certas enfermidades, o acesso geral à água potável e a salubridade pública de base, uma das taxas de mortalidade infantil mais baixas da região e uma das maiores expectativas de vida. Uma revisão dos indicadores sociais de Cuba revela uma melhora quase contínua desde 1960 até 1980. Vários índices importantes, como a expectativa de vida e a taxa de mortalidade infantil, continuaram melhorando durante a crise econômica do país nos anos 90… Atualmente, o serviço social de Cuba é um dos melhores do mundo em desenvolvimento, como documentam numerosas fontes internacionais, entre elas a Organização Mundial de Saúde, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e outras agências da ONU, e o Banco Mundial. Segundo os índices de desenvolvimento do mundo em 2002, Cuba supera amplamente a América Latina e o Caribe e outros países com renda média nos mais importantes indicadores de educação, saúde e salubridade pública.”

Além disso, os números comprovam. Em 1959, a taxa de mortalidade infantil era de 60 por mil. Em 2009, era de 4,8. Trata-se da taxa mais baixa do continente americano do Terceiro Mundo; inclusive mais baixa que a dos Estados Unidos.

YS – Bom, mas…

SL – A expectativa de vida era de 58 anos antes da Revolução. Agora é de quase 80 anos, similar à de muitos países desenvolvidos. Cuba tem hoje 67.000 médicos frente aos 6.000 de 1959. Segundo o diário ingles The Guardian, Cuba tem duas vezes mais médicos que a Inglaterra para uma população quatro vezes menor.

YS – Certo, mas, em termos de liberdade de expressão, houve um recuo em relação ao governo de Batista. O regime era uma ditadura, mas havia uma liberdade de imprensa plural e aberta, programas de rádio de todas as tendências políticas.

SL – Não é verdade. A censura da imprensa também existia. Entre dezembro de 1956 e janeiro de 1959, durante a guerra contra o regime de Batista, a censura foi imposta em 630 de 759 dias. E aos opositores reservava-se um triste destino.

YS – É verdade que havia censura, intimidações e mortos ao final.

SL – Então a senhora não pode dizer que a situação era melhor com Batista, já que os opositores eram assassinados. Já não é o caso hoje. A senhora acha que a data de 1º de janeiro é uma tragédia para a história de Cuba?

YS – Não, de modo algum. Foi um processo que motivou muita esperança, mas traiu a maioria dos cubanos. Fui um momento luminosos para boa parte da população, mas puseram fim a uma ditadura e instauraram outra. Mas não sou tão negativa como alguns.

Luis Posada Carriles, a lei de Ajuste Cubano e a emigração

SL – O que acha de Luis Posada Carriles, ex-agente da CIA responsável por numerosos crimes em Cuba e a quem os Estados Unidos recusam-se a julgar?

YS – É um tema político que não interessa às pessoas. É uma cortina de fumaça.

SL – Interessa, pelo menos, aos parentes das vítimas. Qual é seu ponto de vista a respeito?

YS – Não gosto de ações violentas.

SL – Condena seus atos terroristas?

YS – Condeno todo ato de terrorismo, inclusive os cometidos atualmente no Iraque por uma suposta resistência iraquiana que mata os iraquianos.

SL – Quem mata os iraquianos? Os ataques da resistência ou os bombardeios dos Estados Unidos?

YS – Não sei.

SL – Uma palavra sobre a lei de Ajuste Cubano, que determina que todo cubano que emigra legal o ilegalmente para os Estados Unidos obtém automaticamente o status de residente permanente.

YS – É uma vantagem que os demais países não têm. Mas o fato de os cubanos emigrarem para os Estados Unidos deve-se à situação difícil aqui.

SL – Além disso, os Estados Unidos são o país mais rico do mundo. Muitos europeus também emigram para lá. A senhora reconhece que a lei de Ajuste Cubano é uma formidável ferramenta de incitação à emigração legal e ilegal?

YS – É, efetivamente, um fator de incitação.

SL – A senhora não vê isso como uma ferramenta para desestabilizar a sociedade e o governo?

YS – Neste caso, também podemos dizer que a concessão da cidadania espanhola aos descendentes de espanhóis nascidos em Cuba é um fator de desestabilizaçã o.

SL – Não tem nada a ver, pois existem razões históricas e, além disso, a Espanha aplica esta lei a todos os países da América Latina e não só a Cuba, enquanto a lei de Ajuste Cubano é única no mundo.

YS – Mas existem fortes relações. Joga-se beisebol em Cuba como nos Estados Unidos.

SL – Na República Dominicana também, mas não existe uma lei de ajuste dominicano.

YS – Existe, no entanto, uma tradição de aproximação.

SL – Então por que esta lei não foi aprovada antes da Revolução?

YS – Por que os cubanos não queriam deixar seu país. Na época, Cuba era um país de imigração, não de emigração.

SL – É absolutamente falso, já que, nos anos 50, Cuba ocupava o segundo lugar entre os países americanos em termos de emigração rumo aos Estados Unidos, imediatamente atrás do México. Cuba mandava mais emigrantes para os Estados Unidos que toda a América Central e toda a América do Sul juntas, enquanto que atualmente Cuba só ocupa o décimo lugar apesar da lei de Ajuste Cubano e das sanções econômicas.

YS – Talvez, mas não havia essa obsessão de abandonar o país.

SL – As cifras demonstram o contrário. Atualmente, repito, Cuba só ocupa o décimo lugar no continente americano em termos de fluxo migratório para os Estados Unidos. Então a obsessão da qual você me fala é mais forte en nove países do continente pelo menos.

YS – Sim, mas naquela época os cubanos iam e regressavam.

SL- É a mesma coisa hoje, já que a cada ano os cubanos do exterior voltam nas férias. Além disso, antes de 2004 e das restrições impostas pelo presidente Bush limitando as viagens dos cubanos dos EUA a 14 dias a cada três anos, os cubanos constituíam a minoria dos EUA que viajava com mais frequência a seu país de origem, muito mais que os mexicanos, por exemplo, o que demonstra que os cubanos dos EUA são, na imensa maioria, emigrados econômicos e não exilados políticos, já que voltam a seu país em visita, algo que um exilado político não faria.

YS- Sim, mas pergunte-lhes se querem voltar a viver aqui.

SL- Mas é o que a senhora fez, não? Além disso, em seu blog, a senhora escreveu em julho de 2007 que seu caso não era isolado. Cito: “Há três anos […] em Zurique, decidir voltar e permanecer em meu país. Meus amigos acharam que era uma piada, minha mãe negou-se a aceitar que sua filha já não vivia na Suíça do leite e do chocolate”. Em 12 de agosto de 2004, a senhora se apresentou no escritório de imigração provincial de Havana para explicar seu caso. A senhora escreveu: “Tremenda surpresa quando me disseram para procurar o último da fila dos ‘que regressam’. […] E logo encontrei outros ‘loucos’ como eu, cada um com sua cruel história de retorno”. Então existe esse fenômeno de regresso ao país.

YS- Sim, mas é gente que regressa por razões pessoais. Há alguns que têm dívidas no exterior, outros que não suportam a vida lá fora. Enfim, uma multidão de razões.

SL- Então, apesar das dificuldades e das vicissitudes cotidianas, a vida não é tão terrível aqui, já que alguns regressam. A senhora acha que os cubanos têm uma visão idílica demais da vida no exterior?

YS- Isto se deve à propaganda do regime, que apresenta de uma maneira negativa demais a vida lá fora, com um resultado oposto para as pessoas, que idealizam demais o modo de vida ocidental. O problema é que, em Cuba, a emigração de mais de onze meses é definitiva. As pessoas não podem viver dois anos fora, voltar por um tempo e ir embora de novo etc.

SL- Então, se compreendo bem, o problema em Cuba é mais de ordem econômica, já que as pessoas querem abandonar o país só para melhorar seu nível de vida.

YS- Muitos gostariam de viajar ao exterior e poder voltar logo, mas as leis migratórias não permitem. Tenho certeza de que, se fosse possível, muita gente emigraria por dois anos e voltaria logo para ir embora de novo e regressar, etc.

SL- Em seu blog, houve comentários interessantes a respeito. Vários emigrados falaram de suas desilusões com o modo de vida ocidental.

YS- É muito humano. Você se apaixona por uma mulher e, três meses depois, perde suas ilusões. Compra um par de sapatos e, depois de dois dias, não gosta deles. As desilusões são parte da condição humana. O pior é que as pessoas não podem voltar.

SL- Mas as pessoas voltam.

YS- Sim, mas só de férias.

SL- Mas têm o direito de ficar todo o tempo que quiserem, vários anos inclusive, salvo o fato de perderem algumas vantagens vinculadas à condição de residente permanente, como os cupons de racionamento, a prioridade para a moradia etc.

YS- Sim, mas as pessoas não podem ficar aqui por vários meses, pois têm sua vida lá fora, seu trabalho etc.

SL- Isso é outra coisa, e é igual para todos os emigrados do mundo inteiro. Em todo caso, as pessoas podem perfeitamente voltar a Cuba quando quiserem e permanecer no país o tempo que quiserem. O único problema é que, se ficam mais de onze meses fora do país, perdem algumas vantagens. Por outro lado, custa-me compreender por que, se a realidade é tão terrível aqui, alguém que tem a oportunidade de viver fora, em um país desenvolvido, desejaria voltar para viver novamente em Cuba.

YS- Por múltiplas razões, por seus laços familiares etc.

SL- Então a realidade não é tão dramática.

YS- Não diria isso, mas alguns têm melhores condições de vida que outros.

SL- Quais são, para a senhora, os objetivos do governo dos EUA em relação a Cuba?

YS- Os EUA querem uma mudança de governo em Cuba, mas isso é o que quero também.

SL- Então a senhora compartilha um objetivo com os EUA.

YS- Como muitos cubanos.

SL- Não estou convencido disso. Mas por quê? Porque é uma ditadura? O que Washington quer de Cuba?

YS- Creio que se trata de um questão geopolítica. Há também a vontade dos exilados cubanos, que são levados em conta, e querem uma nova Cuba, o bem-estar dos cubanos.

SL- Com a imposição de sanções econômicas?

YS- Tudo depende de quem é a referência. Quanto aos EUA, creio que querem impedir a explosão da bomba migratória.

SL- Ah, é? Com a lei de Ajuste Cubano, que incita os cubanos a abandonar o país? Não é sério. Por que não anulam essa lei, então?

YS- Creio que o verdadeiro objetivo dos EUA é acabar com o governo de Cuba para dispor de um espaço mais estável. Muito se fala de Davi contra Golias para descrever o conflito. Mas o único Golias, para mim, é o governo cubano, que impõe um controle, a ilegalidade, os baixos salários, a repressão, as limitações.

SL- A senhora não acha que a hostilidade dos EUA contribuiu para isso?

YS- Não apenas acho que contribuiu, mas também que se transformou no principal argumento para se afirmar que vivemos em uma fortaleza assediada e que toda dissidência é traição. Acredito que, na verdade, o governo cubano teme que este confronto desapareça. O governo cubano quer a manutenção das sanções econômicas.

SL- Verdade? Porque é exatamente o que diz Washington, de um modo um pouco contraditório, pois, se fosse o caso, deveria suspender as sanções e assim deixar o governo cubano diante de suas próprias responsabilidades. Já não existiria a desculpa das sanções para justificar os problemas de Cuba.

YS- Cada vez que os EUA tentaram melhorar a situação, o governo cubano teve uma atitude contraproducente.

SL- Em que momento os EUA tentaram melhorar a situação? Desde 1960 só se reforçaram as sanções, à exceção da era Carter. Por isso é difícil manter esse discurso. Em 1992, os EUA votaram a lei Torricelli, com caráter extraterritorial; em 1996, a lei Helms-Burton, extraterritorial e retroativa; em 2004, Bush adotou novas sanções, e as ampliou em 2006. Não podemos dizer que os Estados Unidos tentaram melhorar a situação. Os fatos provam o contrário. Além disso, se as sanções são favoráveis ao governo cubano e servem apenas de desculpa, por que não eliminá-las? Não são os dirigentes que sofrem com as sanções, e sim o povo.

YS- Obama deu um passo nesse sentido – insuficiente, talvez, mas interessante.

SL- Ele apenas eliminou as restrições que Bush impôs aos cubanos e lhes impedia de viajar a seu país por mais de 14 dias a cada três anos, na melhor das hipóteses, e contanto que tivessem um membro direto de sua família em Cuba. Bush inclusive redefiniu o conceito de família. Um cubano da Flórida com apenas um tio em Cuba não podia viajar a seu país, porque o tio não era considerado membro “direto” da família. Obama não eliminou todas as sanções impostas por Bush, e nem sequer voltamos à situação que havia com Clinton.

YS-Creio que as duas partes deveriam, sobretudo, baixar o tom, e Obama o fez. Mas Obama não pode eliminar as sanções, pois falta um acordo no Congresso.

SL- Mas pode aliviá-las consideravelmente assinando simples ordens executivas, o que por enquanto ele se recusa a fazer. Está ocupado com outros temas, como o desemprego e a reforma da saúde.No entanto, teve tempo de responder à sua entrevista.

YS- Sou uma pessoa de sorte.

SL- A posição do governo cubano é a seguinte: não temos de dar nenhum passo em direção aos EUA, pois não impomos sanções aos EUA.

YS- Sim, e o governo diz também que os EUA não devem pedir mudanças internas, pois isso é ingerência.

SL- É o caso, não?

YS- Então, seu eu pedir uma mudança, também é ingerência?

SL- Não, porque a senhora é cubana e, por isso, tem direito de decidir o futuro de seu país.

YS- O problema não é quem pede as mudanças, e sim quais são as mudanças em questão.

SL- Não estou certo disso, porque, como francês, não gostaria que o governo belga ou o governo alemão se intrometessem nos assuntos internos da França. Como cubana, a senhora aceita que o governo dos EUA lhe diga como deve governar seu país?

YS- Se o objetivo é agredir o país, é evidentemente inaceitável.

SL- A senhora considera as sanções econômicas uma agressão?

YS- Sim, as considero uma agressão que não teve resultados e é uma múmia da guerra fria que não faz nenhum sentido, atinge o povo e tem fortalecido o governo. Mas repito que o governo cubano é responsável por 80% da crise econômica atual, enquanto 20% resultam das sanções.

SL- Volto a repetir: é exatamente a posição do governo dos EUA, e os números provam o contrário. Se fosse o caso, não creio que 187 países do mundo se preocupassem em votar uma resolução contra as sanções. É a 18ª vez consecutiva que uma imensa maioria dos países da ONU se pronuncia contra esse castigo econômico. Se fosse marginal, não creio que eles se incomodassem.

YS- Mas não sou uma especialista em economia, é minha impressão pessoal.

SL- O que a senhora aconselha para Cuba?

YS- É preciso liberalizar a economia. É claro que isso não pode ser feito de um dia para o outro, pois provocaria uma ruptura e disparidades que afetariam os mais vulneráveis. Mas é preciso fazê-lo gradualmente e o governo cubano tem a possibilidade de fazê-lo.

SL- Um capitalismo “sui generis”, com a senhora diz.

YS-Cuba é uma ilha sui generis. Podemos criar um capitalismo sui generis.

SL- Yoani Sánchez, obrigado por seu tempo e disponibilidade.

YS- Eu que agradeço

*Salim Lamrani é graduado pela Universidade de Sorbonne, professor encarregado de cursos na Universidade Paris-Descartes e na Universidade París-Est Marne-la-Vallée e especialista nas relações entre Cuba e Estados Unidos.

(Via Pragmatismo Político)

Aluna espancada na UnB foi vítima de homofobia: “lésbica nojenta”

Uma estudante do 5º semestre de agronomia da Universidade de Brasília (UnB) foi à polícia nesta segunda-feira (18) e afirmou ter sido vítima de agressão corporal motivada por homofobia.

homofobia unb estudante agredida

A mãe da jovem, Sílvia Rodrigues, afirma que a filha, que prefere não ser identificada, andava em direção ao carro no estacionamento do ICC Sul, por volta das 17h desta segunda, quando foi derrubada por um homem, aparentemente com idade entre 18 e 22 anos. O agressor teria desferido socos e chutes contra a estudante enquanto gritava “lésbica nojenta”. Sílvia Rodrigues diz que, após algum tempo, a filha conseguiu empurrar o homem, que fugiu.

De acordo com a família da estudante, ela precisou de atendimento médico e teve a perna esquerda e o braço direito enfaixados. À noite, ela registrou ocorrência na 2ª delegacia de polícia, na Asa Norte.

A mãe da jovem diz não saber o que fazer. “Estou indignada e revoltada. A que ponto chega a homofobia? Qual o limite de uma pessoa que faz isso?” Sílvia Rodrigues afirma que a filha está com medo de voltar às aulas na universidade. “Ela está com medo de sofrer uma agressão de novo, pois parece que a pessoa já a conhecia.”

A Polícia Civil disse que, por enquanto, não se pronunciará sobre o caso. A UnB afirmou que não fará declarações por falta de conhecimento do ocorrido.

Os estudantes do CA (Centro Acadêmico) do curso de direito da UnB (Universidade de Brasília) se surpreenderam ao encontrar pichações de conteúdo homofóbico na porta de sua sede.

Na sede do centro acadêmico, na Faculdade de Direito, foram pichadas as frases: “Ñ aos gays” e “Quem gosta de dar, gosta de apanhar”.

O CA de direito divulgou em sua página no Facebook uma nota na qual condena o ocorrido. A iniciativa recebeu diversas manifestações de apoio.

Segundo o diretor da Faculdade de Direito da UnB, George Galindo, foi aberta uma sindicância no âmbito da unidade para apurar o caso. Galindo afirmou ainda que tanto a Faculdade de Direito como a reitoria repudiam veementemente o fato e vão fazer todo o possível para esclarecer os fatos e que, se preciso, seriam acionadas a Polícia Civil e Federal.

Para o estudante Hugo Fonseca, membro do CA, o fato é apenas “mera reprodução do que acontece diariamente”, mas que, segundo ele, as manifestações homofóbicas estão cada vez mais explícitas.

Luta contra homofobia

A universidade possui um histórico contraditório sobre o tema. Por um lado, já foi palco de várias ações contra a homofobia, como a campanha “UnB fora do armário”, cuja última (edição em maio de 2012) contou com um “Beijaço”.

No entanto, não é a primeira vez que sofre manifestações de preconceito: No ano de 2007, alojamentos de alunos africanos que residiam na Casa do Estudante foram incendiados. A própria faculdade de Direito já foi alvo de uma outra pichação, que fazia referências homofóbicas aos estudantes de Relações Internacionais. Na época os dois cursos dividiam o mesmo prédio.

Agência UnB e R7

Adolescente Guarani-Kaiowá foi torturado e morto enquanto pescava

No domingo (17), o indígena Guarani-Kaiowá Denilson Quevedo Barbosa, de 15 anos, foi torturado e assassinado com três tiros na cabeça enquanto pescava na reserva de Caarapó. Outros dois indígenas que conseguiram escapar do ataque confirmaram que o crime foi cometido pelo filho do fazendeiro Aladino e seus jagunços.

O corpo da vítima foi encontrado em outra fazenda, porém Valdelice Verón, liderança indígena e filha do cacique assassinado Marcos Verón, relata: “Os assassinos judiaram, espancaram, amarraram o menino pelos pés e o arrastaram numa camionete. Depois atiraram na cabeça dele e jogaram em outra fazenda para fingir que não foram eles.”

guarani kaiowá índio assassinado

A perícia criminal da Polícia Civil indicou que o corpo da vítima foi encontrado com um tiro abaixo do ouvido e, apesar de ter iniciado as investigações, a força policial não quis dar mais detalhes sobre o caso.

Segundo Valdelice Verón: “A polícia foi até o local somente para resolver a questão dos fazendeiros. Não falaram que o menino foi assassinado. É como se fosse um cachorro morto e não se sabe quem matou”, reclama.

Retorno

Após o enterro realizado no local onde foi assassinado o adolescente, na fazenda Sardinha, arrendada para a criação de gado e o monocultivo de soja, cerca de 500 indígenas acampam nessa área para reivindicar justiça e a demarcação e homologação do seu tekoha (terra indígena), uma dívida do Estado brasileiro que já leva mais de duas décadas.

O comunicado do Conselho de Aty Guasu, que reúne as lideranças das aldeias Guarani-Kaiowá, advertiu que o protesto passivo dos indígenas tem aumentado a tensão com a presença dos agentes da Polícia Federal (PF) e Fundação Nacional do Índio (Funai).

Ironicamente, as forças de segurança federais que se acercam ao local no protesto dos Guarani-Kaiowá, não respondem aos pedidos de uma presença permanente nas aldeias, feitos pelos indígenas para evitar novos assassinatos na comunidade.

Estado de Violência

Para Valdelice Verón a violência está diretamente vinculada à indiferença do Estado brasileiro: “A estrada dos fazendeiros Vieira e Aladino passa no meio da aldeia indígena. Quando os Guarani-Kaiowá querem pescar na propriedade das fazendas eles atiram sem perguntar.”

E faz referência à presidente Dilma Roussef: “Ela mentiu porque falaram que não devíamos fazer retomadas de terra até abril. Uma mentira dela para mostrar para os norte-americanos que todas as etnias estão bem no Brasil e o governo não vai ter problemas para a Copa do Mundo.”

Valdelice Verón também lembra: “O líder de Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso do Sul) prometeu no dia 25 de novembro de 2012, diante da presidente da Funai e do Ministério Público que não iam ocorrer mais mortes até abril. Então para que contratam a empresa de segurança Sepriva e os pistoleiros?”

Somente em janeiro de 2013 a aldeia Taquara teve dois incêndios suspeitos; o cacique Ladio Verón, da mesma aldeia, foi ameaçado de morte; e o cacique Valdemir Salina da Aldeia Remanso Gwasu foi ferido por um disparo de arma de fogo. Em 9 anos foram assassinadas mais de 273 lideranças Guaraní-Kaiowá.

ATUALIZAÇÃO: Fazendeiro admite ter atirado em adolescente guarani-kaiowá de 15 anos

O fazendeiro Orlandino Carneiro Gonçalves, 61, confessou ter atirado no adolescente guarani-kaiowá de 15 anos, Denílson Barbosa. O corpo do jovem morador da aldeia tey´ikue, localizada na área indígena Caarapó, em Caarapó (MS), a cerca de 50 quilômetros de Dourados (MS), foi encontrado no último domingo (17) em uma estrada vicinal que separa a aldeia de algumas fazendas.

Segundo o delegado regional de Dourados, Antonio Carlos Videira, o proprietário da fazenda Sardinha se apresentou ontem (19) à noite na delegacia de Caarapó e confessou a participação no crime. Em seu depoimento o fazendeiro informou que estava só na propriedade quando ouviu os latidos dos cachorros, que correram para a área do criadouro de peixes. Ao perceber o movimento, Gonçalves disse ter disparado dois tiros.

De acordo com o delegado, Gonçalves estava acompanhado de sua advogada, prestou depoimento e foi liberado em seguida.

A delegada responsável pelo inquérito policial instaurado para apurar o caso, Magali Leite Cordeiro, esteve na manhã de hoje (20) na reserva, acompanhada por investigadores da Polícia Civil e representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai) e apreendeu uma arma de propriedade do fazendeiro.

Conforme o coordenador substituto do escritório da Funai em Dourados, Vander Aparecido Nishijima, informou ontem (19) QUE as primeiras notícias davam conta de que Denílson Barbosa saiu para pescar com o irmão mais novo, de 11 anos, e outro índio, no sábado (16) à tarde. Aparentemente, os três pretendiam ir a um córrego cuja nascente fica no interior da terra indígena e que cruza algumas fazendas próximas.

Segundo o testemunho dos dois índios que acompanhavam Barbosa, os três foram abordados por homens armados quando passavam próximo a um criadouro de peixes. Os dois índios disseram também que os três homens atiraram. Na fuga, Denilson teria ficado preso em uma cerca de arame farpado, foi alcançado pelos pistoleiros e agredido. Ontem (19), Nishijima esteve na área acompanhado por líderes indígenas e ouviu a versão do irmão de Denilson. Na língua guarani ele reforçou o que já havia dito na aldeia, logo depois do incidente, identificando três homens por apelidos.

Revoltados, parentes do adolescente e moradores da aldeia ocuparam a fazenda onde o crime teria ocorrido e enterraram o corpo de Denilson. Os índios já reivindicavam a área onde, hoje, o fazendeiro cria gado e planta soja, como sendo território tradicional indígena, parte do antigo tekoha (território sagrado) Pindoty, ocupado pelos kaiowás muito antes da expulsão de comunidades indígenas, ao longo do século 20.

De acordo com o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), a propriedade estava deserta quando os índios chegaram ao local. Depois de enterrarem o corpo do adolescente, cerca de 300 índios permaneceram no interior da fazenda. O grupo planeja fazer uma série de protestos para chamar a atenção para o assassinato e para os conflitos por terras entre índios e fazendeiros. O Cimi informou também que a comunidade reivindica a presença permanente da Força Nacional na área como forma de garantir a proteção das famílias indígenas.

Cerca de 5 mil índios vivem na Terra Indígena de Caarapó, que mede cerca de 3,5 mil hectares (1 hectare corresponde a 10 mil metros quadrados, aproximadamente as medidas de um campo de futebol oficial). De acordo com o Cimi, desde a criação do território indígena, em 1924, os índios são obrigados a pescar fora de sua reserva, já que não há peixes nas nascentes dos córregos existentes no interior da reserva. Segundo o Cimi, isso tem provocado problemas e conflitos recorrentes.

Ignacio Lemus, Caros Amigos

10 casos em que seus direitos estão sendo violados (e você não sabia)

SÍMBOLOS-DA-JUSTIÇA1

Seja em um pagamento de uma dívida ou para solicitar o cancelamento de uma compra pela internet, muitos consumidores sentem que estão sendo desrespeitado e não sabem como agir. Muitos casos, inclusive, são facilmente solucionados, sem precisar necessariamente da ajuda de terceiros, como órgãos de defesa do consumidor ou a Justiça.

Os advogados Marco Antônio Araujo Junior e Brunno Giancoli listaram algumas situações que podem indicar violações aos direitos do consumidor. Veja a seguir:

1. O nome do consumidor deve ser limpo até cinco dias após o pagamento da dívida

direitos consumidor cidadão

De acordo com a decisão da STJ (Superior Tribunal de Justiça), quando o consumidor paga uma dívida atrasada, seu nome deve ser retirado em até cinco dias dos órgãos de proteção ao crédito.

2. A construtora deve pagar indenização por atraso em obra

Quando ocorre algum atraso na entrega do imóvel, a construtora deve indenizar o consumidor. De acordo com o Ministério Público de São Paulo, os atrasos superiores há 180 dias, a construtora deve pagar uma multa equivalente a 2% do valor desembolsado pelo consumidor, mais 0,5% ao mês.

3. Os bancos devem oferecer serviços gratuitos

Os consumidores não são obrigados a contratarem um determinado pacote de serviços do banco, pois ele que deve oferecer gratuitamente uma quantidade mínima de serviços.

Alguns exemplos de serviços gratuitos são: fornecer o cartão de débito, a realização sem custo quatro saques e duas transferências por mês e também até dois extratos e dez folhas de cheque por mês.

4. Não existe valor mínimo para comprar com cartão

Apesar de muitas lojas estabelecerem limite, nenhuma pode exigir um valor mínimo para se pagar a compra com cartão. Conforme o Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) e o Procon (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor), se a loja tem a opção de pagamento com o cartão, ela está obrigada a aceitá-lo para compras de qualquer valor, desde que seja à vista.

5. O consumidor pode desistir de compras feitas pela internet

O consumidor que faz compras pela internet ou por telefone tem a opção de desistir da compra, sem custo adicional, desde que seja feito em sete dias após a compra. O Procon-SP diz que a contagem do prazo inicia-se a partir do posterior à contratação ou recebimento do produto. Conforme está no artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor, a contagem não é interrompida nos finais de semana ou feriados.

6. O consumidor pode suspender serviços sem custo

Uma vez por ano, o consumidor tem direito de suspender serviços de telefone fixo e celular, de TV a cabo, água e luz sem custo adicional. No caso da TV e telefone, o prazo máximo de suspensão é de até 120 dias. Já no caso da água e da luz, não existe um prazo máximo, mas para religar o serviço, o consumidor precisará pagar.

7. A cobrança indevida deve ser devolvida em dobro

Qualquer pessoa que for vítima de alguma cobrança indevida pode exigir que o valor pago devolvido seja em dobro e corrigido. Conforme consta do artigo 42 do Código de Defesa do Consumidor, se a conta de telefone foi de R$ 150, por exemplo, mas o cliente percebeu que o correto seria R$ 100, ele tem direito de receber de volta não só os R$ 50 pagos a mais, e sim R$ 100 (o dobro) corrigidos.

8. O consumidor não precisa contratar seguro de cartão de crédito

As administradoras de cartão de crédito sempre oferecem aos clientes um seguro que protege o consumidor contra perda e roubo. Órgãos de defesa do consumidor entendem que, caso o cartão seja furtado e o cliente realizar o bloqueio, toda compra feita a partir deste momento será de responsabilidade da administradora, independente que ele tenha ou não o seguro.

9. Quem compra imóvel não precisa contratar assessoria

Quando o comprador adquire um imóvel ainda na planta, ele tende ser cobrado pelo Sati (Serviço de Assessoria Técnica Imobiliária), que se trata de uma assistência por advogados indicados pela imobiliária. Mas esta cobrança não é obrigatória. O contrato pode ser fechado sem a contratação da assessoria.

10. Passagens de ônibus têm validade de um ano

As passagens de ônibus com data e horário marcados têm validade de um ano, conforme a Lei nº 11.975, de 7/6/2009. Se o consumidor não conseguir fazer a viagem na data da passagem, deve comunicar a empresa com antecedência de até três horas. Depois, o consumidor pode usar o bilhete para outra viagem, sem nenhum custo adicional (mesmo ocorrendo aumento de tarifa).

InfoMoney

“Sou rica e influente. No Brasil, só pobre e favelado ficam presos”

“Neste país, só pobre ou favelado fica preso. Eu sou rica e influente”. Essas foram as palavras ditas pela comerciante Christiane Ferraz Magarinos, de 42 anos, após furar uma blitz da Operação Lei Seca, no Largo do Machado, e ser surpreendida pelos agentes na porta de casa, no Flamengo, na Zona Sul. Entretanto, o poder aquisitivo da comerciante – usado, inclusive, para tentar subornar os policiais que participavam da ação – não foi suficiente para livrá-la de seis acusações.

christiane blitz lei seca pobre favelado

Os agentes realizavam a operação na Praça José de Alencar, na Rua Senador Vergueiro, quando Christiane passou em alta velocidade com seu Ford Edge e não obedeceu à ordem de parar. Os policiais a perseguiram por dois quilômetros e conseguiram abordá-la na garagem do seu prédio, na Rua Oswaldo Cruz.

No endereço, segundo os policiais, Christiane se desfez de uma lata e de uma garrafa de cerveja. Ao ser aconselhada a seguir para a base da operação para realizar o teste do bafômetro, ela entrou no carro e acelerou. Um dos PMs contou que teve que sair da frente para não ser atropelado. Em seguida, a comerciante argumentou que os policiais ganhavam mal e perguntou quanto seria necessário para ser liberada. Após receber voz de prisão, ela xingou o PM e o agrediu com um chute.

Christiane Ferraz Magarinos blitz

Encaminhada para a 13ª DP (Copacabana), a acusada teve que ser algemada devido ao seu estado alterado. Na delegacia, a comerciante continuou a proferir palavras de baixo calão. De acordo com a delegada Verônica Oliveira, Christiane contou em depoimento que sofre de depressão, está em tratamento e toma medicamentos de uso controlado. Durante exame no Instituto Médico-Legal (IML), ela contou que havia bebido cerveja.

Christiane foi autuada por corrupção ativa, coação no curso do processo, resistência à prisão, desacato a autoridade e desobediência. Os dois primeiros crimes são inafiançáveis.

Ainda de acordo com a delegada, um inquérito para atestar a embriaguez ao volante será instaurado. Imagens feitas durante a operação de câmeras de vigilância de prédios da Avenida Oswaldo Cruz serão solicitadas.

A comerciante deve ser transferida ainda nesta quinta-feira para uma carceragem feminina da Polícia Civil. Os advogados dela ainda podem recorrer a um pedido de liberdade provisória.

Esse é o segundo caso em menos de uma semana

No último dia 14, um caso semelhante ocorreu durante uma Operação Lei Seca, em Ipanema, também na Zona Sul. Cristiane Santos Magalhães, de 42 anos, foi presa após furar uma blitz que estava sendo montada na Avenida Vieira Souto. Ela atropelou o gari Clailton Lopes da Silva, de 40 anos, e feriu a mão do sargento Eduardo José, do 23º BPM (Leblon), que dava apoio à ação. Ela não prestou socorro e foi detida após tentar fugir. O gari sofreu uma luxação no joelho. A motorista foi autuada por lesão corporal e liberada após pagar fiança de R$ 1.200.

Agência ODia

Renúncia de Bento XVI teria relação com ‘lobby gay’ na Igreja, diz jornal

Itália –  A revelação sobre casos de prostituição de seminaristas e homossexualidade entre integrantes da Igreja Católica chocou Bento 16 a ponto de ele se decidir pela renúncia. A informação foi publicada pelo jornal italiano ‘La Repubblica’, nesta quinta-feira.

De acordo com a reportagem, os detalhes sobre episódios de sexo, disputas de poder e mau uso de dinheiro estavam no documento de 300 páginas recebido por Bento 16 em dezembro. O jornal afirma que ele teria dito, ao ler a papelada produzida por investigadores do escândalo conhecido como Vatileaks, que o documento teria de ser entregue a um novo Papa, “mais forte, jovem e santo para poder enfrentar o trabalho”.  

Foto: EFE

Bento XVI decidiu demitir-se, afirmando que “este relatório deve ser entregue ao próximo Papa, que deverá ser bastante forte, jovem e santo para poder enfrentar o trabalho que o espera” | Foto: EFE

Em escutas telefônicas que buscavam provas de casos de corrupção, os investigadores acabaram chegando a um nigeriano chamado Chinedu Thiomas Eheim, integrante do coro da Reverenda Capela Musical da Basílica de São Pedro no Vaticano. Ele atuava como cafetão, oferecendo serviços sexuais com jovens estudantes. “Tem dois metros de altura, pesa 97 quilos, tem 33 anos e é completamente ativo”, disse Eheim numa das gravações.

ENCONTROS SEXUAIS

Os encontros sexuais, segundo informa o ‘La Repubblica’ com base na investigação, aconteceram num centro estético dentro do Vaticano, num vilarejo fora de Roma, numa sauna e num alojamento universitário.

Segundo a publicação italiana, pela primeira vez a palavra ‘homossexualidade’ teria sido pronunciada na residência do Papa, quando ele recebeu o documento produzido pelos investigadores do escândalo do Vatileaks.  

(O Dia Online)

 

Radialista Mafaldo Bezerra é assassinado a caminho do trabalho em Jaguaribe

bala-de-revolver

Um radialista foi assassinado no início da manhã desta sexta-feira (22), em Jaguaribe, a 291 quilômetros de Fortaleza. O crime ocorreu por volta das 8h30. Mafaldo Bezerra Góis trabalhava na rádio FM Rio Jaguaribe.

De acordo com a Delegacia do município, ele estava indo para o trabalho a pé, na BR-116, próximo à Travessa Sinobilino Pinheiro, quando foi surpreendido por dois homens armados. “Foram constatadas cinco perfurações, sendo duas na cabeça”, afirma o policial civil Adolfo Rodrigues de Serpa Neto.

Segundo a polícia, a vítima era conhecida na região e, constantemente, recebia ameaças por telefone. Os acusados fugiram e ainda não foram presos.

(Roberta Tavares, Jangadeiro Online)

Ginásio Paulo Sarasate será reinaugurado neste sábado (23/02) com jogo Flamengo X Sky Basquete Cearense

Fortaleza

No ginásio Paulo Sarasate, está quase tudo pronto. Novo piso, cobertura renovada e sem goteiras. A partir do próximo sábado, o ginásio passa a ser a casa do SKY/Basquete Cearense nos jogos do Novo Basquete Brasil 2012/2013. E a estreia vai ser em grande estilo. Isto porque a equipe cearense enfrenta no sábado o líder do torneio nacional. Nada menos que o Flamengo (RJ), às 16 horas.

Um dos fatos que geram muita expectativa na comissão técnica do Basquete Cearense em poder jogar no Paulo Sarasate é a maior capacidade do ginásio. “Jogar com o apoio de oito mil pessoas é uma vitória para uma equipe como a nossa, que tem apenas alguns meses de vida. Espero que consigamos encher a casa logo de cara. E temos um sentimento de orgulho muito grande somente por termos conseguido um ginásio desse porte já nessa fase de vida do time”, destacou o treinador Alberto Bial. 

Reforma

De acordo com o secretário de Esporte e Lazer da Prefeitura de Fortaleza, Márcio Lopes, o ginásio recebeu algumas melhorias exigidas pela Liga Nacional de Basquete, a fim de receber as partidas do torneio. “Fizemos a impermeabilização da cúpula do ginásio que estava muito desgastada, reforma dos banheiros e vestiários de atletas e árbitros, reforma da iluminação e do som, colocação do piso flutuante, aquisição de duas novas tabelas de basquete, wi-fi (internet sem fio) para o ginásio e revisão dos equipamentos de segurança”, destacou Márcio Lopes.

Amanhã, o SKY/Basquete Cearense faz seu último jogo do NBB no ginásio da Unifor contra o Tijuca. A partida terá início às 20 horas. O time do técnico Alberto Bial vem de uma derrota fora de casa para o Bauru por 95 a 84. Na sexta-feira, os atletas do Basquete Cearense já devem treinar no Paulo Sarasate.

(Rogério Gomes, O Povo Online)

Queremos Deus 2013 acontece neste domingo, dia 24/02

quremosdeus350

Sessenta mil pessoas são esperadas no Queremos Deus 2013, que será realizado no Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU), no próximo dia 24. A estimativa foi feita pelo coordenador da festa religiosa, Paulo Mindello. A Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC), a Defesa Civil do Ceará, a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) e o Corpo de Bombeiros irão montar esquema para garantir a logística do evento.

A edição deste ano abordará temáticas voltadas para a juventude. “Como este ano temos a Jornada Mundial da Juventude que acontecerá no Brasil e como a Campanha da Fraternidade fala dos jovens, resolvemos dar nossa contribuição para o tema”, explica Paulo Mindello. “Vamos debater o assunto em comunhão com a Igreja e mostrar que vemos a juventude como protagonista dos acontecimentos sociais”.

Além das orações, a programação terá apresentações musicais. A dupla Ítalo e Renno e o cantor e escritor catarinense Diego Fernandes são atrações do evento. No encerramento, haverá missa celebrada pelo arcebispo de Fortaleza dom José Antônio Tosi. Ingressos já podem ser comprados nos postos de venda. O preço é R$ 1 e mais um quilo de alimento não perecível que deve ser entregue na entrada do evento. Os alimentos doados serão distribuídos nos municípios atingidos pela seca no Interior.

Nas edições anteriores, o acesso ao local do evento ocorria pela avenida Alberto Craveiro, mas a avenida está em obras. O acesso ao CEU será pela avenida Dedé Brasil. Na altura do Banco do Nordeste, quem for para o Queremos Deus entrará na rua Antônio Ferreira e seguirá por toda a extensão da via que leva a uma entrada lateral do CEU. A AMC montou uma operação que entrará em funcionamento a partir do meio dia. “Serão 64 agentes orientando os motoristas para amenizar qualquer transtorno no trânsito”, garante o gerente de operações da AMC, Disraeli Brasil.

O Corpo de Bombeiros também terá um esquema para garantir a segurança de quem for ao Queremos Deus. Serão pelo menos 15 bombeiros, inclusive paramédicos e socorristas, uma viatura de combate a incêndio e duas ambulâncias.

ENTENDA A NOTÍCIA

Abordando temáticas voltadas para a juventude, o Queremos Deus espera colocar o jovem como protagonista da sociedade. O tema deste ano é “Que ninguém te menospreze por seres jovem, sede exemplo de fé”.

Serviço

Queremos Deus

Onde: CEU (avenida Alberto Craveiro, 2.222, Castelão)

Horário: 13h30min

Vendas de ingresso: Livraria Paulus, Paulinas, Lojas Beth Set e Livraria Canção Nova

Linhas de ônibus que passam próximo ao local do evento: Antonio Bezerra/Lagoa/Unifor- 024; Parangaba/Oliveira Paiva/Papicu- 041; Castelão/ Parangaba- 311; Dias Macedo/ Parangaba- 312; Jardim União/ Parangaba- 321; Passaré/ Parangaba- 391; Jardim União/ Centro- 603; Conj. Pref. José Walter/ BR 116/ Av L- 605; Conj. Pref. José Walter/ BR 116/ Av N- 606; Passaré/ Centro- 633

39 ônibus extras foram distribuídos nos sete terminais da Capital. Eles farão o deslocamento direto para o CEU.

(Aflaudisio Dantas, O Povo Online)

12 linhas de ônibus e vans de Fortaleza terão itinerários alterados para obras

via-metro-6

A Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) vai alterar os itinerários de 12 linhas de ônibus e uma de transporte complementar (vans) que passam pelo Bairro Castelão a partir de sábado (23). As mudanças se devem as obras de construção de um túnel no entorno da Arena Castelão, que repercutirá na interdição da rotatória.

Os transportes urbanos que circulam no sentido Dedé Brasil/Paulino Rocha devem realizar os desvios pela Avenida Heróis do Acre, Avenida Prudente Brasil, Rua Eldorado, Avenida Juscelino Kubitscheck, Rua Moreira de Sousa e Avenida Pompílio Gomes. No sentido inverso, o trajeto será pela Rua Parnamirim, Rua José Silveira, Avenida Juscelino Kubitschek, Rua Eldorado, Avenida Prudente Brasil e Avenida Heróis do Acre.

As opções de desvios para as linhas que trafegam no sentido Juscelino Kubitschek/Alberto Craveiro serão pela Rua Moreira de Sousa, Avenida Pompílio Gomes, Avenida Dep. Paulino Rocha, Rua Manoel de Aguiar Pontes, Rua Adélia Feijó, Rua José Messias Matos e Rua Joana Moreira. Já no sentido Alberto Craveiro/Juscelino Kubitschek, os motoristas terão que seguir pela Avenida do Contorno, Avenida Dep. Paulino Rocha, Avenida Pompílio Gomes e R. José Silveira.

Além da alteração provisória nos percursos, conforme a Etufor, os pontos de parada situados na Rua José Silveira e Avenida do Contorno serão realocados para o outro lado das vias.  A Etufor também acrescentará um ponto de parada nas Ruas Moreira de Sousa e Manuel de Aguiar Pontes para facilitar o deslocamento dos usuários. Um efetivo de 20 agentes vai auxiliar os pedestres e motoristas nos locais entre 6h e 17h.

Confira detalhadamente todos os desvios:

– Linhas (705) Canindezinho/Iguatemi, (024) Antônio Bezerra/Lagoa/Unifor, (034) Av. Paranjana I (Corujão) e (041) Parangaba/Oliveira Paiva/Papicu

Sentido Dedé Brasil/Paulino Rocha: Av. Dedé Brasil, Av. Heróis do Acre, Av. Prudente Brasil, R. Eldorado, Av. Juscelino Kubitschek, Rua Moreira de Sousa, Av. Pompílio Gomes, Av. Dep. Paulino Rocha e segue o itinerário vigente.

– Linhas (705) Canindezinho/Iguatemi, (024) Antônio Bezerra/Lagoa/Unifor, (035) Av. Paranjana  II (Corujão) e (041) Parangaba/Oliveira Paiva/Papicu

Sentido Paulino Rocha/Dedé Brasil: Av. Dep.Paulino Rocha, Rua Parnamirim, Rua José Silveira, Av. Juscelino Kubitschek, R. Eldorado, Av. Prudente Brasil, Av. Heróis do Acre, Av. Dedé Brasil e segue o itinerário vigente.

– Linhas (603) Jardim União/Centro, (605) Cj. José Walter/Br 116/Av. I e (606) Cj. José Walter/Br 116/Av. N

Sentido Juscelino Kubitschek/Alberto Craveiro: Av. Juscelino Kubitschek, Rua Moreira de Sousa, Av. Pompílio Gomes, Av. Dep. Paulino Rocha, Rua Manoel de Aguiar Pontes, Rua Adélia Feijó, Rua José Messias Matos, Rua Joana Moreira, Av. Alberto Craveiro e segue o itinerário vigente.

Sentido Alberto Craveiro/Juscelino Kubitschek: Av. Alberto Craveiro, Av. do Contorno, Av. Dep. Paulino Rocha, Av. Pompílio Gomes, Rua José Silveira, Av. Juscelino Kubitschek e segue o itinerário vigente.

– Linha (321) Jardim União/Parangaba

Sentido Bairro/Terminal: R. Eldorado, Av. Prudente Brasil, Av. Heróis do Acre, Av. Dedé Brasil e segue o itinerário vigente.

Sentido Terminal/Bairro: Av. Dedé Brasil, Av. Heróis do Acre, Av. Prudente Brasil, R. Eldorado e segue o itinerário vigente.

– Linha (311) Castelão/Parangaba

Sentido Bairro/Terminal: Rua Um (Jardim Castelão), Rua Nove, Rua Dois, Rua Dez, Rua Eldorado, Av. Prudente Brasil, Av. Heróis do Acre, Av. Dedé Brasil e segue o itinerário vigente.

Sentido Terminal/Bairro: Av. Dedé Brasil, Av. Heróis do Acre, Av. Prudente Brasil, Rua Eldorado, Av. Juscelino Kubitschek, Rua Marinho e Silva e segue o itinerário vigente.

– Linha (633) Passaré/Centro

Sentido Bairro/Centro: Av. Dedé Brasil, Av. Heróis do Acre, Av. Prudente Brasil, Rua Eldorado, Av. Juscelino Kubitschek, Rua Moreira de Sousa, Av. Pompílio Gomes, Av. Dep. Paulino Rocha, Rua Manoel de Aguiar Pontes, Rua Adélia Feijó, Rua José Messias Matos, Rua Joana Moreira, Av. Alberto Craveiro e segue o itinerário vigente.

Sentido Centro/Bairro: Av. Alberto Craveiro, Av. do Contorno, Av. Dep. Paulino Rocha, Av. Pompílio Gomes, Rua José Silveira, Av. Juscelino Kubitschek, Rua Eldorado e segue o itinerário vigente.

– Linha (666) Jardim Castelão

Sentido Bairro/Centro: Rua Belos Portos, Rua Moreira de Sousa, Av. Pompílio Gomes, Av. Dep. Paulino Rocha, Rua Manoel de Aguiar Pontes, Rua N, Rua José da França Távora, Rua Adélia Feijó, Rua José Messias Matos, Rua Joana Moreira e segue o itinerário vigente.

Sentido Centro/Bairro: Av. Alberto Craveiro, Av. do Contorno, Av. Dep. Paulino Rocha, Av. Pompílio Gomes, Rua Prof. José Silveira, Rua Regina de Fátima e segue o itinerário vigente.

– Linha (660) Cj. Palmeiras/Centro/Expresso

Sentido Centro/Bairro: Av. Dep. Paulino Rocha, Rua Parnamirim, Rua José Silveira, Av. Pompílio Gomes e segue o itinerário vigente.

(G1 CE)

Depois da Nike, Oakley rompe contrato de patrocínio com Oscar Pistorius

oscar

A marca de material esportivo Nike e o fabricante de óculos Oakley anunciaram nesta terça-feira que romperam seus vínculos com o atleta paralímpico Oscar Pistorius, que é acusado de ter assassinado sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp.

“A Nike não tem planos para Oscar Pistorius em futuras campanhas”, confirmou um porta-voz da marca. Já a Oakley anunciou num comunicado que “suspedia seu contrato dom Pisturius com efeito imediato”.

“Os nossos corações estão com as famílias durante estes tempos difíceis e vamos continuar a acompanhar este caso trágico”, completou a marca de óculos.

O duplo-amputado de 26 anos entrou para a história do atletismo mundial nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, ao se tornar o primeiro campeão paralímpico a disputar provas ao lado de atletas sem deficiência.

(Terra Esportes)

Embalagens da Coca-Cola zero terão nomes de destinos turísticos

Latas de Coca-Cola zero trazem o nome de 100 destinos turísticos (Foto: Divulgação/Coca-Cola)
Latas de Coca-Cola zero trazem o nome de 100 destinos turísticos (Foto: Divulgação/Coca-Cola)

A nova campanha da Coca-Cola zero traz o conceito “Quanto Mais Viagens Melhor” nas embalagens do refrigerante. De acordo com a empresa, foram escolhidos os 100 destinos mais desejados pelos brasileiros, sendo 80 nacionais e 20 internacionais, como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Floripa, Milagres, Torres, Maraú, Jalapão, Londres e Dubai.

Na campanha anterior, as embalagens do refrigerante estampavam os nomes mais comuns entre jovens adultos. “Foram feitas diversas ações com o consumidor e a campanha teve amplo engajamento nas redes sociais. Somente no aplicativo da marca, foram mais de 7 milhões de latas virtuais criadas”, disse a companhia.

As novas embalagens já estão sendo produzidas, e a previsão, segundo a empresa, é que até o final do mês o comércio da maioria das regiões do país já tenha o refrigerante dessa campanha à venda.

(G1 Marketing)

Guaraná Antarctica, Skol e Coca-Cola são as maiores fanpages no Facebook

guarana antartica

Rio de Janeiro – Guaraná Antarctica, Skol e Coca-Cola são as marcas com as maiores fanpages do Brasil. A página do guaraná possui 10,2 milhões de fãs. A segunda e a terceria colocadas possuem 9,2 milhões e 7,4 milhões de seguidores.

Os números são do relatório de janeiro da SocialBakers e apontam também as empresas que conquistaram o maior engajamento do público: ClickDoe, Adote um Gatinho e Glabin ocupam as três primeiras colocações.

Entre as companhias mais ágeis em responder aos questionamentos dos consumidores, Sky, Net e Tam ocupam as primeiras colocações. Veja o ranking com as 10 empresas com o maior número de seguidores no Facebook:

Marca Seguidores
1 Guaraná Antarctica 10.230.948
2 Skol 9.366.212
3 Coca-Cola 7.467.733
4 L’Oréal Paris Brasil 5.706.586
5 Hotel Urbano 5.557.027
6 Lacta Oficial 5.499.395
7 Bis 4.310.798
8 Cerveja Bohemia 4.210.337
9 Trident 4.150.859
10 Itaú 4.110.982

(Exame Online)

Quem é a Amway, a empresa que fez a Avon comer poeira

avon

São Paulo – Mirar o cobiçado mercado de vendas diretas e não se espelhar na Avon seria considerado um disparate para qualquer empresa há alguns anos. Afinal, a gigante americana de higiene e beleza fez escola no comércio porta a porta, construindo um império com faturamento bilionário e presença em mais de 100 países. Mas os tempos mudaram, e o reinado foi perdido. Em 2012, a também americana Amway ultrapassou a Avon e se tornou a maior companhia de vendas diretas do mundo.

A mudança joga luz sobre dois movimentos distintos: o fulgurante crescimento da Amway, mais conhecida por seus suplementos alimentares, e a derrocada da Avon nos últimos anos sob a polêmica gestão de sua última CEO, a canadense Andrea Jung.

No comando da Avon desde 1999, a executiva renunciou ao cargo no fim do ano passado, sob forte pressão por resultados. É verdade que seus primeiros anos à frente da companhia foram resplandecentes. Entre 2000 e 2004, as vendas da Avon subiram mais de 30%, alcançando 7,7 bilhões de dólares. Os lucros, por sua vez, quase triplicaram, chegando a 850 milhões de dólares.

A partir de 2005, no entanto, a Avon começou sua via crucis. As receitas deixaram de crescer no mesmo ritmo e o lucro ficou estagnado. Outros abacaxis parariam na mão de Andrea. Suspeita de suborno na China e de repassar informações privilegiadas a corretores americanos, a Avon foi investigada pela SEC, autoridade equivalente à CVM no Brasil. Apenas no caso de corrupção, a companhia gastou mais de 300 milhões de dólares em despesas legais.

Cortejada pela Coty no ano passado, a companhia também recusou a proposta de ser comprada por 10,7 bilhões de dólares, considerando a oferta baixa demais. Na bolsa, no entanto, a companhia já vale menos do que isso. Seu valor caiu de 21 bilhões de dólares em 2004 para atuais 8,8 bilhões.

Enquanto isso, a Amway apertou o passo. Suas vendas em 2012 somaram 11,3 bilhões de dólares, no sétimo ano de crescimento consecutivo em seus dez principais mercados, incluindo China, Índia, Coreia e Japão. Do outro lado do ringue, a Avon viu seu faturamento anual diminuir 5% para 10,7 bilhões de dólares.

Velha de guerra

Embora não seja tão familiar para os brasileiros, a Amway tem uma história antiga. Batizada com a abreviação de American Way, a empresa começou suas atividades em 1959. Fundada por Jay Van Andel e Richard DeVos, a companhia sempre apostou na venda de itens voltados para a casa, além de itens de beleza e bem estar, ampliando seu portfólio com o passar dos anos. Sua linha mais importante foi adquirida em 1970: a Nutrilite, de suplementos alimentares.

Segundo Steve Van Andel, presidente do conselho da empresa e filho mais velho do cofundador da Amway, a companhia quase dobrou de tamanho desde o lançamento do seu programa Growth Through Innovation (Crescimento pela Inovação), implementado há seis anos.

Para 2013, a Amway já anunciou a intenção de investir mais de 335 milhões de dólares pesquisa e desenvolvimento e na construção de outras instalações. Serão quatro novos endereços nos Estados Unidos, um na Índia e outros dois na China e Vietnã.

Forte no mundo, tímida no Brasil

A presença em diferentes países, aliás, foi uma das principais armas da Amway para crescer. Na China, por exemplo, a empresa deve vender 500 milhões de dólares com apenas um produto – e em seu primeiro ano de lançamento. Trata-se do sistema de tratamento de água eSprings, outro bestseller da companhia. A marca de beleza Artistry fecha o time de marcas mais importantes para o grupo.

Mas se a Amway desbancou a Avon no restante do mundo, por aqui ela continua bem atrás da rival. Afinal, a Avon tem o Brasil como principal mercado – e vem lutando para não perder seu poder de fogo. Enquanto as vendas globais da Avon caíram 1% no último trimestre, por aqui elas avançaram 10%, ancoradas sobretudo no aumento de representantes.

O retrato da operação brasileira da Amway é outro. No país desde 1991, a empresa viveu uma escalada no número de revendedores – chamados pela companhia de empresários – nos seus primeiros anos de operação. Tudo assentado na promessa de enriquecimento: a empresa adotava a chamada remuneração multinível, em que um revendedor recruta outros e ganha uma porcentagem sobre as vendas dos “afilhados”.

O canto da sereia envolvia um retorno de 45% sobre os produtos, além de um percentual de 3% a 21% sobre as vendas da rede formada. Não por acaso, a Amway angariou um time de 200.000 revendedores apenas quatro anos depois da sua chegada no país.

Mas o foco na equipe de vendas e não nos produtos fez o negócio desandar, já que o pagamento em pirâmide precisa garantir uma entrada contínua e volumosa de mais gente para continuar beneficiando quem está no topo (a Herbalife, aliás, está sendo questionada nos EUA pelo uso da mesma estratégia de vendas).

Desde a polêmica nos anos 90, a Amway já investiu em diferentes frentes para alavancar o negócio brasileiro, incluindo a contratação de Ronaldinho Gaúcho como rosto para a Nutrilite em 2008. Segundo dados da Euromonitor, entretanto, a empresa seguiu caminhando de lado nas vendas diretas: sua participação no cobiçado mercado foi de apenas 0,1% em 2010, ano em que as vendas diretas movimentaram 37 bilhões de dólares no Brasil (hoje, são mais de 43 bilhões de dólares).

Prova da sua tímida participação é seu número de atual representantes no país: são cerca de 50.000, contra um exército de 1,5 milhão da Avon. Se a Amway fez a concorrente comer poeira no restante do mundo, por aqui ela ainda parece ter um longo caminho para competir de igual para igual com a companhia. 

(Exame Online)

Ceará tem, em média, um médico para cada mil habitantes

médico

O Ceará tem apenas 1,16 médico para cada mil habitantes, ocupando a 7ª pior colocação no ranking nacional, conforme pesquisa Demografia Médica no Brasil, divulgada nesta segunda-feira (18). São 10.826 médicos para 2.648.532 habitantes. Dessa forma, o estado fica abaixo da média do Nordeste (relação é de 1,23) e do Brasil (relação de 2,00).

A população de Fortaleza, com 2.476.58 habitantes, tem 7.821 médicos; mostrando situação um pouco melhor que a do estado, relação de 3,16 médicos registrados para cada mil habitantes. Com os números, Fortaleza ocupa a 18ª posição entre as capitais brasileiras, mas a 2ª pior colocação na Região Nordeste, estando atrás apenas de São Luís.

Especialistas no estado

Pediatras e Clínicos-médicos são os especialistas mais encontrados no estado, com 1.144 e 1.017, respectivamente. As especialidades mais ausentes no Ceará são genética-médica e radioterapia, com 10 e 11 médicos registrados, respectivamente.

Melhores e piores índices

Conforme o estudo, o Distrito Federal (DF), com 10.826 médicos registrados para 2.648.532 habitante, está em 1º lugar no ranking, representando 4,09 médicos. O Maranhão aparece na última posição, com 4.750 médicos para 6.714.314 habitantes, relação de 0,71 médicos por mil habitantes.

Concentração de médicos em grandes centros

O estudo mostra a concentração dos serviços médicos dos grandes centros. Fatores como a ausência de políticas públicas nas áreas de ensino e trabalho e os baixos investimentos têm contribuído para que profissionais de saúde permaneçam mal distribuídos pelo território nacional e com baixa adesão ao Sistema Único de Saúde (SUS), sobretudo em áreas de difícil provimento.

“O principal fator de fixação do médico não é o local de graduação, mas os grandes centros, onde estão as oportunidades de emprego, de especialização e de qualidade de vida”, informa a pesquisa. O estudo Demografia Médica no Brasil: Cenários e Indicadores de Distribuição foi desenvolvido em parceria com o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp).

(Roberta Tavares, Jangadeiro Online)

Modelos do Ceará vão para o exterior sem visto de trabalho, diz sindicato

Modelos cearenses são levadas por agências para trabalhar no exterior com visto de turista e sem garantias trabalhistas. A denúncia foi confirmada pelo Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado (Sated). Uma modelo afirmou ao G1 ter pago U$ 10 mil do próprio bolso em despesas hospitalares. Outra disse ter devolvido à agência US$ 7.896 de despesas com alimentação e transporte anteriormente pagas pela agência.

A modelo cearense Camila Bezerra, encontrada morta na China em 1º de janeiro, trabalhava no país estrangeiro com visto de turista e contrato verbal, de acordo com Igor Bezerra, irmão da modelo. Com visto de turista, ela e outras modelos cearenses são obrigadas a devolver à agência contratante todo o valor referente a gastos durante o período de trabalho, além de arcar com a passagem aérea.

Goreth Bezerra, mãe de Camila, afirmou nosepultamento da filha que em nenhum momento a agência de modelos entrou em contato com a família para fornecer explicações. Diante da falta de cuidados, a mãe alertou sobre o perigo de confiar em empresas assim. “Prestem atenção às suas filhas lá fora”, disse. “Os modelos não precisam ir para fora, se matar de trabalhar. Aqui [no Brasil] tem um pólo”, afirmou a mãe.

Uma modelo de Fortaleza, que não quer ser identificada, afirma ter pago US$ 10 mil em despesas hospitalares após sofrer uma infecção urinária durante uma viagem a trabalho para a China. A jovem conta ter permanecido no país entre junho a novembro de 2011. Poucos dias antes de terminar o contrato de trabalho, ela se sentiu mal. “Pedi para ir ao hospital, disse que não estava bem. Aí a moça da agência disse que era melhor eu não ir para o hospital, que ia perder trabalho e me deu um remedinho”, disse ela.
 

Camila Bezerra trabalhava desde os 12 anos como modelo. Ela tinha retorno agendado para agosto de 2013. (Foto: Família/Arquivo Pessoal)
Camila Bezerra trabalhava há quatro meses na China
(Foto: Família/Arquivo Pessoal)

Ela teve de ser internada, passou três dias no hospital e a família arcou com todas as despesas. E não foi o único gasto da modelo. A modelo conta que, enquanto esteve na China, recebia uma quantia semanal para pagar transporte e alimentação. “Quando a gente volta, tudo isso é descontado no cachê. Então, fica 50% para a agência e 50% para mim, mas essas despesas foram descontadas na minha parte. Eu também paguei pelo seguro saúde, eu mesma procurei”, diz a modelo, que pagou ainda R$ 3 mil pela passagem aérea para a China.

Também entre junho e novembro de 2011, Camila Bezerra realizava a segunda viagem a trabalho para a China sob contrato de uma agência brasileira. Assim como a colega que não quis se identificar, Camila teve de devolver o valor referente a todas as despesas da viagem para a agência, conforme informações do irmão dela, Igor Bezerra. Ele explicou ainda que, na terceira viagem, Camila não teve contrato assinado no Brasil ou na China. “Ela fez um acordo porque ela estava com visto de turista e poderia ter complicações legais”, conta Igor.

“Essa situação com essas meninas aconteceu porque elas aceitaram trabalhar com visto de turista. Nesses casos, os contratos não passam pelo Ministério do Trabalho e nem pelo sindicato”, diz o presidente Oscar Roney. De acordo com ele, muitas modelos aceitam essas condições por sonhar em se tornar grandes nomes da moda, porque os trabalhos internacionais ajudam a aumentar o cachê ou simplesmente por falta de orientação.
 

Jane já trabalhou em Singapura, Tailândia, Coréia do Sul e China. Modelo sempre exige contratos previamente assinados. (Foto: Jane Aquino/Arquivo Pessoal)Jane já trabalhou em Singapura, Tailândia, Coréia do Sul e China. Modelo sempre exige contratos previamente assinados. (Foto: Jane Aquino/Arquivo Pessoal)

A estilista Jane Aquino, de 24 anos, relata que trabalha como modelo há três anos e afirma ter aceitado o mesmo acordo de trabalho. “Eu também tive de devolver tudo, foram U$ 7.896, até o [dinheiro] da passagem aérea”, disse. Ela viajou com contrato assinado e conta que a rotina na China era “pesada”. Como pagam por hora de trabalho, tinha sempre de fazer o trabalho muito rápido. “Eles não pensam muito no emocional, só no trabalho. Fazíamos às vezes 11 castings por dia, saíamos de manhã e voltávamos à noite, muitas vezes, eles não queriam parar para comer”, disse.

Antes de trabalhar como modelo, Jane cursou faculdade de estilismo. “O trabalho como modelo aceitei para conhecer outros países e o mercado da moda. Mas sei que é difícil, principalmente aqui [ no Ceará]”, destaca a jovem. Segundo o especialista em Direito Trabalhista e Sindical, Tiago Pinheiro, as agências que permitem que jovens modelos viajem com visto de turista estão “ludibriando” as modelos . “É totalmente fraudulenta a postura da empresa, ela tem de ser denunciada ao MTE e cabe ação criminal”, disse o advogado.

“Ao trabalharem no exterior, elas são submetidas às leis trabalhistas do país vigente [conforme súmula 207, do Tribunal Superior do Trabalho – TST]”, explica Pinheiro. Sem o visto de trabalho, a situação irregular no país em questão pode ocasionar transtornos. Além disso, ao realizar um contrato sem orientar as profissionais neste sentido e não oferecer auxílios, como seguro saúde, as agências tentam se eximir das próprias responsabilidades. “Elas podem entrar com uma ação de indenização contra as agências por danos moral e material”, afirma.

Sindicato oferece palestras mensais sobre direitos e deveres na profissão de modelo e manequim (Foto: Oscar Roney/Arquivo Pessoal)
Sindicato oferece palestras mensais sobre direitos e
deveres na profissão de modelo e manequim
(Foto: Oscar Roney/Arquivo Pessoal)

Profissão regularizada
Segundo o presidente do Sated (CE), Oscar Roney, a profissão de modelo e manequim é regularizada no Brasil por meio da Lei 6533 de 1988, ou seja, toda modelo e manequim, com Registro Profissional, tem de ser contratada com todos os direitos trabalhistas garantidos, além de receber dentro do prazo contratual. Em caso de viagem ao exterior, o sindicato sempre atua exigindo o visto de trabalho e que todas as despesas sejam pagas pela agência contratante.

No caso das três modelos citadas nesta reportagem, elas não sabiam das garantias trabalhistas do visto de trabalho e, desde o início, acreditavam se tratar de um acordo “normal”. Ainda conforme Roney, o trâmite para conseguir o visto para trabalhar no exterior é mais burocrático, por isso muitas agências ignoram. O percentual médio cobrado pelas agências que atuam de forma regular e com a documentação fica em torno de 20%, mas segundo ele, a profissional não terá problemas com despesas.

Gilson Tenório, diretor do departamento de moda do Sated, atuou durante 20 anos como modelo e realizou diversas campanhas no exterior. Segundo ele, a escolha da agência é importante, pois é ela quem vai garantir os direitos dos profissionais e orientá-los. Mas se tem boas referências não há motivos de preocupação, “tem que ter cuidado é com quem você se mistura lá fora. Tem que ter cautela”, afirma.

Aos 46 anos, Tenório conta que parou de trabalhar como modelo há 10 anos, mas que o trabalho compensou. “Pra mim compensou, agora, eu sempre tive uma cabeça centrada no que eu queria. Esta é uma profissão muito difícil, glamour tem muito, mas tem de ter cautela para não deixar subir à cabeça”, destaca.

Dificuldades no mercado cearense
Segundo o presidente do Sated (CE), Oscar Roney, há ainda um outro motivo que fazem os modelos cearenses buscarem o mercado internacional: o mercado restrito no Ceará que, apesar de estar em pleno crescimento, ainda tem muito a melhorar. De acordo com o sindicalista, por ser mais barato ou para ajudar a amiga que deseja ser modelo, muitas pessoas que precisam de campanhas no Ceará ainda preferem não contratar profissionais qualificados.

“Já tivemos casos onde garotos e garotas dividiam o mesmo camarim. Os books [portfólio fotográfico] eram feitos de forma caseira. Casos com adolescentes em fotos sensuais, o Estatuto da Criança e do Adolescente condena esse tipo de procedimento, isso é caso de Polícia Federal”, conta o presidente do Sated, Oscar Roney.

Segundo Roney, alguns pais chegam a oferecer dinheiro a agenciadores para que os filhos apareçam em campanhas publicitárias, quando deveria ser o contrário. “Poucos pais são responsáveis neste acompanhamento dos filhos”, destaca. Entre crianças, adolescentes e profissionais já adultos, o Sated disse ter cadastro de 400 profissionais regularizados, ou seja, com Registro Profissional (RP) e sindicalizados no Ceará. Entretanto, sabe que o número de pessoas atuando na área é bem maior.

Em crescimento
Segundo o Sated (CE), apesar de todos os problemas, o mercado cearense está crescendo e já existem cursos que preparam modelos e manequins para o mercado de trabalho e que os encaminham para realização do Registro Profissional (RP). O sindicato ressalta ainda que algumas agências em Fortaleza procuram atuar de forma correta e exigem o RP para contratação em campanhas publicitárias.

Eventos como o Dragão Fashion também são boas referências do mercado de moda do Ceará, conforme o sindicato. “Essa referências são importantes. Não temos nem como dizer que agências são irregulares porque elas não têm endereço fixo, estão sempre mudando. Algumas delas fazem seleções em hotéis, alugam espaços e quem aluga tenta eximir da responsabilidade, não pode, é preciso sempre ter referências”, afirma o Oscar Roney, presidente do Sated.

(G1 Ceará)

Reneé Forte promete exterminar adversários nos leves do UFC

Renée Forte
Renée Forte

Atleta do Team Nogueira, Renée Forte conseguiu no último sábado (16) sua primeira vitória no UFC ao vencer o britânico Terry Etim, no UFC on Fuel TV 7, realizado em Londres, Inglaterra. O combate foi o primeiro do cearense na categoria dos leves (até 70kg), já que sua estreia, contra Serginho Moraes, aconteceu entre os meio-médios (até 77kg) no UFC Rio III, em outubro do ano passado.

O lutador, um dos participantes da primeira edição do The Ultimate Fighter Brasil, comemorou sua vitória homenageando Lampião, um dos maiores personagens da cultura nordestina e brasileira. Renée Forte aproveitou para mandar um recado para os seus futuros adversários.

“Fiz uma homenagem a todo o povo nordestino, que trabalha muito para conquistar as coisas. Queria mostrar que estava entrando com o espírito de um grande guerreiro. O Lampião é matador, daqui para frente vou entrar sempre para exterminar os adversários”, afirmou.

Apesar de ter perdido cerca de 23kg para o duelo contra Terry Etim, Renée garante não ter sentido muito a mudança de pesoEle enfatizou a importância dos treinamentos que realizou na França antes de seu embarque para o duelo.

“Descer de categoria era um plano antigo que eu tinha, acho que me portei muito bem durante a luta. Fiquei muito feliz com a o meu desempenho. Esse período de treinamentos na França me ajudou muito, principalmente na adaptação com frio. Tudo saiu conforme o planejado, foi perfeito”.

O cearense destacou a qualidade de seu dia a dia no Team Nogueira, onde treina com lutadores de primeiro nível no cenário mundial. Sobre seu futuro dentro do UFC, Renée preferiu não fazer projeções, mas garantiu que seguirá trabalhando ainda mais para evoluir e se consolidar no evento.

 “Treinar com grandes nomes do cenário mundial de MMA ajuda na melhora de qualquer lutador. Meu foco no momento é treinar ainda mais e seguir evoluindo. Não quero atropelar as coisas, quero fazer tudo com calma. Deixo meu futuro nas mãos do UFC”, concluiu o atleta, que permanecerá na França até março para participar de seminários de jiu-jitsu.

por Assessoria Team Nogueira
Foto: Divulgação UFC 

Nenhuma boate ou casa de show, de Fortaleza, está totalmente regular, afirma Prefeitura

inteditado

A Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) divulgou, nesta terça-feira (19), o balanço parcial da primeira fase das vistorias em boates e casas de shows, de Fortaleza. De acordo com a Secretária Águeda Muniza, “todos os 147 estabelecimentos visitados foram notificados por alguma irregularidade encontrada”.  O balanço é resultado de um reforço na fiscalização em boates, casas de shows, bares e buffets da capital, realizada pela Seuma em 11 dias consecutivos, em parceria com equipes das Secretarias Regionais e do Corpo de Bombeiros.

De acordo com o coordenador de fiscalização da Seuma, Alan Arraes, dos 147 estabelecimentos vistoriados, 88 não apresentaram alvará de funcionamento, apenas 44 tinham autorização sonora e seis apresentaram licença ambiental. Em relação ao termo de conformidade do Corpo de Bombeiros, 126 estabelecimentos não apresentaram o documento. Segundo o tenente-coronel Leandro Nogueira,  “a ausência do termo de conformidade é a maior irregularidade encontrada pelo Corpo de Bombeiros, além de validade vencida de extintores contra incêndio e inadequações nas portas de entrada e saída de emergência”.

Alan Arrais disse, ainda, que a operação de fiscalização deve continuar. “Vamos revisitar os estabelecimentos notificados, bem como os equipamentos que ainda não foram fiscalizados”, garantiu o coordenador. Segundo o coordenador,  reuniões serão realizadas com as regionais, Corpo de Bombeiros e órgãos envolvidos na fiscalização para delimitar áreas e uma agenda para a retomada das visitas a casas de shows, boates, bares e buffets de Fortaleza.

(G1 Ceará)

Prefeitura de Fortaleza proíbe venda de alimentos em vans na Praia de Iracema

lanche

Como parte do reordenamento da orla de Fortaleza, a Prefeitura tem intensificado a fiscalização e coibido a ação de ambulantes sem cadastro no calçadão da avenida Beira Mar. O problema é que sete desses comerciantes dizem ter autorização concedida pela gestão anterior. Eles vendem alimentos em vans estacionadas nas vagas para veículos ao longo da Praia de Iracema. A Prefeitura, porém, não reconhece a legitimidade do documento e diz que os “lanches-móveis”, sem alvará de funcionamento, não podem comercializar.

Neste fim de semana, quatro fiscais e 30 auxiliares de fiscalização da Secretaria Executiva Regional II (SER II), além de agentes sanitaristas e da Guarda Municipal se distribuíram no calçadão da Praia de Iracema (trecho da Beira Mar entre as ruas João Cordeiro e Ildefonso Albano) para impedir o comércio de alimentos feito em vans, inclusive das que tinham o termo de permissão.

“Ontem (sábado), me ameaçaram dizendo que iam apreender a mercadoria caso eu vendesse. Tenho cadastro. Se agora ficou proibido, teriam que me dar pelo menos uma notificação antes”, argumenta o ambulante Luís Alberto Araya, que estava no mesmo ponto no domingo, 16, mas não chegou a abrir a venda.

Segundo um dos líderes da Associação do Lanche Móvel de Fortaleza, José Neto, as permissões foram concedidas quase no fim da gestão passada: duas no dia 24 de dezembro e as outras cinco, no dia 28 do mesmo mês. O POVO conferiu os documentos. Eles são autenticados e têm a assinatura da então titular da Regional II. “Foram doze anos de luta pela legalização do lanche-móvel. Foi dada a autorização de forma legal. Se passaram por cima de lei, não temos culpa”, afirma José Neto.

De acordo com a SER II, o citado termo de permissão não funciona como alvará de funcionamento. Este sim é o documento que exige a Lei nº5.530/1981, que dispõe sobre o Código de Obras e Posturas do Município. Ele acrescenta ainda que a Prefeitura já tinha acordado com esses ambulantes que eles poderiam comercializar até o último dia 31 de janeiro. Depois disso, a fiscalização impediria a ocupação irregular. Uma reunião está agendada para a manhã de hoje, 18. “Vamos levar uma proposta. Sugerimos colocar as vans no espaço de areia perto do espigão novo”, informa José Neto. (Luar Maria Brandão)

ENTENDA A NOTÍCIA

Sete ambulantes que comercializam alimentos em vans na Praia de Iracema reclamam direito de continuar na região com base em termo de permissão concedido ao final do mandato da ex-prefeita Luizianne Lins.

Saiba mais

Fiscal municipal da Secretaria Executiva Regional (SER) II desde a gestão anterior, Paulo Roberto Tavares afirma que, desde 2009, a Prefeitura tem notificado os ambulantes de lanche-móvel. “Já teve até ordem judicial. A gestão passada acabou liberando, mas a atual está fazendo valer a lei. Não pode atuar sem alvará de funcionamento. Esse termo não funciona como alvará”, diz.

Desde 1999, existe a Lei Municipal nº 8.263 ou a Lei do Lanche Móvel. A legislação prevê que o serviço seja administrado pelo Município e deve funcionar em locais determinados e com autorização da Secretaria Executiva Regional de cada área de atuação. A lei, no entanto, nunca foi regulamentada, dificultando a luta desses ambulantes pelas vias legais.

Para entender

No dia 9 de novembro de 2012, a Justiça proibiu que os ambulantes de lanche móvel estacionassem as vans nas vagas para veículos.

Na ação, movida pelo Condomínio Iracema Praia Park I, reclamou-se que vans e comerciantes que vendem comida e não têm autorização para tal ocupam as vagas de estacionamento para carros de passeio, do lado direito da avenida.

Na decisão, em caráter liminar, foi dado prazo de cinco dias (a partir da publicação da decisão, no dia 6 de novembro) para que o Município cumprisse o determinado. O juiz fixou multa diária de R$ 5 mil.

A Prefeitura, então, colocou os ambulantes na mão esquerda da via, onde não há estacionamento. Para isso, voltou a permitir que os carros estacionassem no referido lado da rua, o que havia sido proibido em junho de 2012.

(Tatiana Soares, O Povo)

Ceará e Fortaleza jogam semifinais na Arena Castelão

leaovovo

Ceará e Fortaleza disputarão as semifinais da Copa do Nordeste no Castelão. Na manhã desta segunda-feira (18), reunião entre representantes dos clubes e administração do estádio definiu que a arena receberá as partidas decisivas dos clubes cearenses. A decisão foi divulgada pelo site oficial da Secretaria Especial da Copa 2014 (Secopa).

O secretário Especial da Copa 2014, Ferruccio Feitosa, o secretário executivo da Secopa, Gabrielle Cavalcanti, o presidente do Fortaleza, Osmar Baquit, o diretor financeiro do Ceará Sérgio Costa, entre outros estiveram presentes no encontro, realizado na sede da Secopa.

Para o titular da secretaria, Vovô e Leão deram um passo muito importante para esta fase decisiva da competição regional. Segundo Ferruccio, não há melhor momento para que as agremiações voltem a mandar jogos na reformada Arena Castelão, que, dentro de meses, será palco de confrontos da Copa das Confederações 2013.

“Os torcedores merecem assistir a essas partidas no principal palco do futebol no nosso estado. E temos certeza que o Castelão vai trazer sorte ao Ceará e ao Fortaleza para, quem sabe, assistirmos também uma final com um Clássico-Rei na Arena”, afirmou Ferruccio.

Clubes e administração do estádio

Sem receber jogos desde a rodada dupla, realizada no dia 27 de janeiro, a Arena Castelão apresentou proposta satisfatória aos olhos dos clubes. Segundo o vice-presidente do Fortaleza, Daniel Frota, os novos valores propostos pelo consórcio – para reta final do Nordestão – condiz com a realidade financeira das agremiações.

“Nos reunimos e está tudo definido. Conversamos com a Secopa e o pessoal da Arena. Eles fizeram um redirecionamento dos custos do quadro móvel. Este teto nos satisfaz. Ainda mais porque que esperamos um grande público, visto a virada emocionante e histórica que o clube conquistou no último domingo”, disse. Mesmo assim, o dirigente confessou que ainda há o desejo das diretorias em chegar a um custo inferior ao acertado nesta segunda-feira. 

A diretoria do Ceará garante que é preciso, agora, agilizar detalhe por detalhe a realização da partida em casa. O anuncio foi dado, mas calma nesta hora nunca é deamis. Pelo menos é o que garante o vice-presidente Robinson de Castro.

“É positivo este acerto para as semifinais. Mas ainda precisamos viabilizar algumas questões através de reuniões internas. Nosso jogo em casa será apenas no próximo domingo. Isto nos dá mais tempo para planejar a logística que envolverá a realização da partida”, explicou o dirigente alvinegro.

Jogos no Castelão 

O Ceará enfrentará o ASA de Arapiraca, após bater o Vitória por 4 a 1. Já o Fortaleza passou pelo Santa Cruz, com vitória por 2 a 1, e vai encarar o Campinense pelas semifinais. Alvinegro de Porangabuçu edita a primeira partida contra o time alagoano fora de casa, próximo domingo (24), no estádio Fumeirão. Horários ainda não foram divulgados. O Tricolor do Pici enfrenta a Raposa na Arena Castelão. Partida pode ocorrer no sábado ou domingo, ainda a definir. Assim, o Leão tem a primeira partida em casa, enquanto o Vovô decidirá seu futuro no Nordestão na casa maior do futebol cearense.

(Antônio Victor Rodrigues, O Povo Esportes)