O Banco do Brasil vai doar mais 60 mil computadores para programas de inclusão digital através de convênios mantidos com diversas entidades e por projetos próprios. A instituição financeira possui, hoje, 1.582 espaços comunitários ativos; 1.248 telecentros, 334 salas montadas em locais como presídios, para ajudar condenados a se profissionalizarem e reduzirem o tempo de pena.

Ao todo são 1,5 milhões de usuários /mês distribuídos em 867 municípios brasileiros, segundo informou José Doralvino Sena, coordenador do Programa de Inclusão Digital do Banco do Brasil, ao proferir palestra sobre o tema no Fórum Brasil TI, promovido pela Netwaork Eventos, em Brasília.

Para este ano, o BB tem a estratégia de substituir o seu parque computacional. Com isso irá liberar mais 60 mil computadores para o seu programa de inclusão digital. As máquinas, obsoletas para os padrões do banco, serão redistribuídas para diversos projetos de inclusão digital que o BB mantém com instituições públicas e não governamentais.

O coordenador do projeto se ressente de não poder fazer mais, sobretudo no interior do país, por duas razões distintas: Falta rede de telecomunicações nas localidades mais distantes e pela carência de mão-de-obra capacitada para a função nessas localidades. Assista a participação do coordenador do BB no Forum TI, através da CDTV, do portal Convergência Digital.

(Convergência Digital)