SÃO PAULO – A Central Única dos Trabalhadores (CUT) quer o fim do fator previdenciário e não aceita em troca o estabelecimento de idade mínima para a aposentadoria. Esta posição será defendida em reunião com o ministro da Previdência, José Pimentel, na próxima quinta, dia 4, em Brasília. A audiência ocorrerá um dia após a V Marcha da Classe Trabalhadora, que tem entre suas bandeiras o fim do fator previdenciário.

– Não é possível aceitar idade mínima porque precisamos considerar que no Brasil a maioria das pessoas começa a trabalhar ainda adolescente, diferente do que acontece em outros países”, disse Artur Henrique, presidente da CUT. Segundo ele, se alguém que começa a trabalhar aos 16 anos e consegue contribuir para a Previdência sem nenhuma interrupção até que complete 65 anos de idade, terá 49 anos de contribuição.

– Seria um absurdo. Se levarmos em conta a rotatividade do mercado de trabalho, e que a maioria não consegue manter-se empregado ininterruptamente, é claro que não podemos aceitar a proposta de idade mínima – completa Artur.

Fonte: O Globo

Anúncios