São Paulo – O Bradesco foi condenado a pagar 1 milhão de reais por dano moral coletivo por mandar funcionários administrativos transportar dinheiro, ao invés de contratar profissionais legalmente habilitados para a tarefa. 

A decisão é da 10ª Vara do Trabalho de Belém (PA), em resposta à ação pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e foi publicada em nota no site oficial do órgão.

A sentença obriga ainda o banco a contratar policiais militares, sob pena de multa de R$ 50 mil, por causa de um trabalhador encontrado em situação irregular. 

Além disso, o Bradesco terá de divulgar a decisão em todos os seus quadros de aviso, inclusive nas agências, pelo prazo mínimo de um ano, sob pena de multa.

Os casos

De acordo com o MPT, o Bradesco foi processado em maio de 2013 depois que o órgão comprovou que um policial havia sido morto e um empregado do banco baleado de raspão, em uma tentativa de assalto durante o transporte de dinheiro entre os municípios de Abaetetuba e Muaná (PA), em julho de 2011. A denúncia havia sido feita pelo Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários do Estado do Pará e Amapá.

O segundo caso foi em fevereiro deste ano. Um gerente do banco foi interceptado em uma barreira da Polícia Federal enquanto transportava 60 mil reais em uma pasta de plástico. O dinheiro, segundo o MPT, havia saído de uma agência do município de Benevides (PA) com destino a Santa Bárbara (PA). 

À época, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) lavrou um auto de infração pelo episódio. 

Procurado por EXAME.com, o Bradesco informou que não comentará o caso. 

(Exame Online)

Anúncios