Em alusão ao Dia do Trabalho, comemorado no dia 01 de maio, o Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem Urbano) realiza nesta quinta-feira (30), às 18h, a palestra “Formação para o Trabalho: história, crítica e possibilidades das políticas públicas para a juventude”. O encontro, que é aberto ao público, acontece no hotel Magna Praia, localizado à Av. Histórico Raimundo Girão, nº 1002, no Meireles.

 

Durante o evento, haverá o lançamento do livro “Os cem anos do CEFET: desenvolvimento tecnológico, compromisso social e aproximação com o mercado”, escrito pelo professor José Deribaldo Santos. A palestra também conta com a presença do deputado Eudes Xavier (PT), do secretário Municipal de Juventude, Afonso Tiago Nunes, e da coordenadora da Qualificação Profissional do Projovem, Carolina Adriano.

 

 O que é o Projovem Urbano? O Projovem Urbano oferece aos jovens, de 18 e 29 anos, a oportunidade de concluir o Ensino Fundamental, ter qualificação profissional e participar de atividades sociais na sua comunidade. O programa é executado pela Prefeitura Municipal de Fortaleza, em parceria com o Governo Federal.

 

Durante o Projovem, os jovens participam de cursos na área de Alimentação, Construção e Reparos, Metalmecânica, Telemática e Turismo, desenvolvidos em convênio com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFET) e em parceria com o curso de Economia Doméstica da Universidade Federal do Ceará (UFC).

 

 Pesquisa Retratos da Fortaleza Jovem – De acordo com o Censo, realizado em 2000 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Fortaleza possui 636.435 jovens com idade entre 15 e 29 anos, representando 29,72% do total da população. Uma das principais demandas exigidas nessa faixa etária é a questão do trabalho. A pesquisa Retratos da Fortaleza Jovem, desenvolvida em 2006, revela que 31,4% dos jovens nunca trabalharam e 24,4% estão à procura de emprego.

 

A pesquisa também mostra que 21% dos entrevistados, com idade entre 15 e 29 anos, acham que a pior coisa de ser jovem é a falta de trabalho e renda. A pesquisa também apresenta que 31,1% dos jovens afirmam que o emprego é o problema que mais os preocupam. Sobre o perfil sócio econômico e a condição familiar, 32,6% dos entrevistados possuem renda familiar de até um salário mínimo e 34,3% dos entrevistados vivem em família com renda máxima de dois salários. A pesquisa informa que 54,4% dos jovens que possuem renda ajudam nas despesas de casa com o salário que ganham.

 

Fonte: Antônio Viana Online