A oportunidade de aprender novas técnicas pode ser uma oportunidade para um novo empreendimento. Visando contribuir com o desenvolvimento artístico, social e possivelmente econômico do bairro Conjunto Palmeira, em Fortaleza, os alunos de Teatro do Instituto Federal do Ceará (IFCE) Wendel Veneroso e Vitória Mota realizarão oficinas gratuitas de criação de bonecas de pano africanas a partir desta quinta-feira (12).

Ao todo, serão seis oficinas formativas, exposição de imagens, bonecas e histórias e a culminância da ação. As oficinas acontecerão no Cras do Conjunto Palmeiras e no Ilê Axé Omo Tif’é. A iniciativa foi contemplada no edital de Protagonismo Juvenil da Coordenadoria de Juventude de Fortaleza.

Em entrevista ao Tribuna do Ceará, Wendel contou que a ideia do projeto surgiu a partir de uma pesquisa sobre o tema há três anos. “A ideia do projeto nasceu a partir da minha pesquisa com as bonecas. De um ano pra cá, comecei a fazer projetos desse tipo, o primeiro foi no Cuca Barra, quando dei algumas oficinas sobre a criação de bonecas. Com essa experiência, decidi juntar amigos e praticar essas oficinas no bairro onde eu moro”, contou.

Intitulado como ‘Projeto Abayomi de Todos Nós’, a iniciativa proporciona uma imersão no universo de cada um. A partir de suas referências e história de vida, o participante cria a sua boneca tecendo uma rede de oralidades, histórias e afetos.

Bonecas Abayami

Sendo uma tradição da época da escravidão, as bonecas Abayomi costumam serem negras, significando um objeto que traz felicidade ou alegria. Criada para as crianças, jovens, adultos na época da escravidão, elas não possuem costura alguma (sendo feitas apenas nós ou tranças). Além disso, as bonecas não possuem demarcação de olho, nariz nem boca, isso para favorecer o reconhecimento das múltiplas etnias africanas.

As mulheres negras da antiguidade confeccionavam essas belezas com pedaços de suas saias, único pano encontrado nos navios negreiros, para acalmar e trazer alegria para todos. Considerado um amuleto para as crianças e jovens, essas bonecas assim como os vodus haitianos são criação de uma cultura milenar.

Inscrições

Quem pretende participar do projeto deve realizar inscrições no local da oficina. A primeira oficina terá início no dia 12 de janeiro e acontecerá no Cuca Jungurussu também no dia 19. Pessoas a partir dos 10 anos de idade poderão participar.

Nos dias 27 de janeiro e 3 de fevereiro acontecerão as oficinas no Cras Conjunto Palmeiras, e nos dias 4 e 5 de fevereiro no Ilê Axé Omo Tif’é, voltadas à comunidade local. A iniciativa conta com realização do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Prefeitura Municipal de Fortaleza.

SERVIÇO
Projeto Abayomi de Todos Nós
Oficinas: Cuca Jangurussu: 12 e 19/01 – horário 13h às 17h
CRAS Conjunto Palmeiras: 27/01 e 03/02 – horário 13h às 17h
Ilê Axé Omo Tif’é: 04 e 05/02 – horário 13h às 17h

(Tribuna do Ceará)

Anúncios