O Itaú Unibanco anunciou nesta segunda-feira uma “aliança estratégica” com a Mastercard Brasil para operação de uma nova rede de pagamentos eletrônicos com bandeira de aceitação nacional e internacional. Segundo comunicado ao mercado, o acordo tem prazo de 20 anos e a nova rede será operada por sociedade controlada pela Mastercard, na qual o Itaú Unibanco terá determinados direitos de veto e de aprovação.

Não foram divulgados detalhes financeiros do negócio, com o Itaú se limitando a prever que a aliança não causará impacto material em seus resultados neste ano. O banco informou que seus objetivos com o acordo são focar na ampliação de seus negócios de emissão e adquirência, ter acesso a novas tecnologias de soluções de pagamento, obter ganhos de escala e eficiência e se beneficiar da expertise da Mastercard na gestão de bandeiras.

A operação ainda precisa passar por avaliação das autoridades regulatórias, informou o Itaú.Atualmente, a Mastercard presta serviços de transações de cartões de crédito e débito que contemplam bandeiras proprietárias do Itaú Unibanco.

“Esta aliança estratégica nos permitirá concentrar no crescimento das operações”, disse Milton Maluhy Filho, diretor executivo do Itaú Unibanco, no comunicado. “Continuaremos trabalhando com outras redes, inclusive cartões comerciais e co-branded para o consumidor”, completou.

“Por ser uma empresa de tecnologia de pagamentos eletrônicos, a MasterCard é a escolha ideal para fornecer as melhores soluções aos seus parceiros de negócios. O Itaú é um parceiro estratégico importante para a MasterCard no Brasil e na América Latina. Há décadas trabalhamos juntos na oferta de cartões de crédito, débito e pré-pagos a consumidores e empresas de todos os portes”, disse João Pedro Paro Neto, presidente da MasterCard Brasil e Cone Sul.

O negócio é anunciado após a companhia de meios de pagamento Cielo e o Banco do Brasil terem concluído em fevereiro formação de parceria estratégica no setor de meios eletrônicos de pagamento, após aprovação pelos órgãos reguladores e o cumprimento de todas as condições contratuais precedentes.

( O Dia)