Novatos em mandatos eletivos e veteranos que agora assumem funções em outras casas já têm elencados os temas que deverão nortear suas atuações na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados, cujos plenários começarão a frequentar em fevereiro.

 

Deputado estadual mais votado no Ceará em 2014, o ex-vereador Capitão Wagner (PR) diz que “logicamente a segurança será tema de destaque” na sua atuação na Assembleia. Dentre os projetos de lei que pretende apresentar, Wagner cita um pelo qual presos trabalhariam nas cadeias para, com seus salários, ajudar as próprias famílias e as daqueles prejudicados pelos crimes que cometeram.

 

Os detalhes da proposta em questão, segundo Wagner, seriam discutidos até amanhã com o secretário estadual da Justiça, Hélio Leitão. “A ideia é que não seja um projeto de governo de governo, e sim de Estado”, disse o deputado.

 

Candidato a prefeito em 2012, Elmano de Freitas (PT) já comunicou aos futuros colegas de Assembleia a intenção de presidir a comissão da educação. “Fui secretário da Educação em Fortaleza (na gestão Luizianne Lins), tenho experiência com educação popular, acho que posso colaborar”.

 

Além de dedicar-se a temas como reforma agrária e desenvolvimento econômico, Elmano diz querer usar o mandato de deputado para fortalecer a militância petista. “Farei um esforço grande para ajudar meu partido a se reaproximar com os movimentos sociais”.

 

Outro prestes a iniciar o primeiro mandato eletivo, Renato Roseno (Psol) promete fazer na Assembleia não o debate de temas em separado, mas a crítica ideológica de conjunto, anticapitalista.

 

“Nosso mandato será de oposição, de luta. Não será propriamente especializado. Estará a serviço das lutas sociais”, afirma Roseno.

 

Em Brasília

Ex-vereadora, ex-deputada estadual e ex-prefeita, Luizianne Lins (PT) assumirá mandato de deputada federal priorizando, segundo nota, a “democratização da comunicação, a defesa do consumidor e a afirmação dos direitos humanos, sobretudo nas pautas voltadas para as mulheres, a juventude e o público LGBT”.

 

Cabo Sabino (PR), colega de chapa e de corporação de Capitão Wagner, também vai se guiar especialmente pelas questões de segurança pública. Ele diz ter “quase pronto” para apresentar um projeto que torna crime hediondo o cometido contra profissionais de segurança pública em serviço.

 

Serviço

 

Posse dos deputados federais e senadores eleitos em 2014

Quando: 1º de fevereiro de 2015

Onde: Congresso Nacional, Brasília

 

Entre novatos e veteranos que retornam

 

Caras novas na Assembleia Legislativa

Capitão Wagner (PR)

Cara nem tão nova na Assembleia (como suplente, exerceu mandato por quatro meses entre 2011 e 2012), Wagner volta como eleito, priorizando assuntos relativos à segurança pública, saúde e abastecimento de água.

 

Elmano de Freitas (PT)

Candidato a prefeito em 2012, derrotado por Roberto Cláudio (Pros), Elmano quer dedicar-se especialmente à educação, desenvolvimento econômico, política agrária e ao fortalecimento da militância petista no Estado.

 

Renato Roseno (Psol)

Depois de receber expressiva votação para deputado estadual e concorrer a prefeito de Fortaleza, o socialista promete ser a voz do confronto ideológico na Assembleia Legislativa. Deverá ser pautados ainda pelas demandas dos movimentos sociais.

 

Carlos Matos (PSDB)

O PSDB, maior partido do Estado na época do governador Tasso Jereissati, perdeu seus últimos deputados durante o governo Cid Gomes (Pros). Caberá a Matos representar os tucanos na Assembleia.

 

Políticos veteranos e de primeiro mandato na Câmara dos Deputados

 

Luizianne Lins (PT)

A ex-vereadora, ex-deputada estadual e ex-prefeita acrescenta ao currículo o mandato de deputada federal conquistado no ano passado, depois de se opôr à maioria do seu partido em relação à candidatura de Camilo Santana (PT) ao governo. Mandato deverá ser pautado pela defesa dos direitos humanos.

 

Moroni Torgan (DEM)

Adversário de Luizianne nas eleições para a Prefeitura de Fortaleza em 2004 e 2008, será colega dela na bancada federal cearense. Já exerceu mandatos na Câmara, apoiado sobretudo no discurso da segurança pública. Também já foi secretário da Segurança no segundo Governo Tasso Jereissati.

 

Cabo Sabino (PR)
Beneficiado pela votação do colega de chapa e de corporação Capitão Wagner, promete se dedicar a projetos relacionados a segurança pública, valorização profissional dos policiais e questões trabalhistas em geral.

 

Odorico Monteiro (PT)

Ex-secretário de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde, vai priorizar este tema, incluindo a defesa da criação de imposto específico para o financiamento da saúde. Odorico também foi secretário de Saúde em Sobral, quando o hoje ministro Cid Gomes era prefeito, e em Fortaleza, na gestão Luizianne Lins.

 

Saiba mais

 

Eleito por partido de oposição a Camilo Santana (PT), o deputado federal Cabo Sabino (PR) afirma que pretende usar o mandato parlamentar para ajudar o governador cearense, em assuntos como incentivos fiscais, por exemplo.

 

“O governador Camilo Santana tem se mostrado de fácil acesso. Isso facilita muito, porque tem muita emenda que a gente vai precisar que o governo avalie, e em muitas coisas ele vai precisar da bancada na Câmara”, disse Sabino.

 

Sabino disse que um de seus objetivos na Câmara é trabalhar pela aprovação de uma lei orgânica das polícias militares, que regulamente itens como escala de trabalho, promoções e número de policiais por habitantes.

 

Odorico Monteiro (PT) afirma que, como deputado federal, vai apoiar a criação de imposto específico para a Saúde. “A contribuição social para a saúde não pode ser uma Robin Hood às avessas. Tem que ser dos ricos para os pobres”, afirma o parlamentar.


Primeiro deputado estadual eleito pelo Psol no Ceará, Renato Roseno tem feito uma série de visitas ao interior do estado desde a vitória nas urnas, participando de assembleias com eleitores. “O mandato tem o desafio de estar a serviço dessas lutas”.

(Bruno Pontes, O Povo)