Desde segunda-feira (20), a confusão em Moore é tão grande, que as autoridades chegaram a anunciar que havia 91 mortos. O número foi revisado para 24 vítimas. O mês de maio costuma ser marcado pela passagem dos tornados na região central dos Estados Unidos. Saiba como se formam fenômenos como este, que atingiu o estado de Oklahoma:

Vários elementos contribuíram para formação do tornado nos Estados Unidos. Um deles foi o choque de uma massa de ar frio e seco, que veio do Canadá, com uma massa de ar quente e úmido, que chegou do Golfo do México.

Elas se encontraram em uma área de planície, que não tem grandes obstáculos, e que fica entre os estados de Oklahoma, Kansas e Texas.

A região ficou muito instável e os ventos passaram a girar cada vez mais rápido e em diferentes altitudes.

Primeiro na horizontal, depois na vertical, formando um funil. Novos fenômenos como esse ainda podem atingir o meio-oeste americano, porque as condições do tempo vão continuar favoráveis e os Estados Unidos estão em plena temporada de tornados.

Via Portal G1

 

 

TORNADOS: ORIGENS E CARACTERÍSTICAS

Via Meteorópole http://meteoropole.com.br/2011/11/como-se-formam-os-tornados/

Os tornados, assim como outros fenômenos meteorológicos, despertam o interesse, a curiosidade e até a imaginação das pessoas.

Tornados são colunas de ar em altíssima rotação, originadas de nuvens de tempestade tipo Cumulonumbus e que algumas vezes entram em contato com o chão. Os tornados possuem o formato de um funil, diminuindo sua largura quanto mais próximo a superfície.

Tornado ocorrido em 3 de maio de 1999, em Oklahoma. Foto de Daphne Zaras. Wikimedia Commons

A velocidade dos ventos associados aos tornados são de no mínimo 177km/h e eles possuem um diâmetro de aproximadamente 100m. Ou seja, tornados são muito menores do que furacões, já que o  diâmetro dos furacões pode ser maior que 100km !!! Ou seja, um tornado é aproximadamente 100 vezes menor do que um furacão.

Tornados já foram observados em todos os continentes, exceto na Antártica. Os Estados Unidos é o país com a maior incidência de tornados em todo o mundo. Cerca de 70% dos tornados que ocorrem no mundo ocorrem nos EUA. A região deste pais com a maior incidência de tornados chama-se Alameda dos Tornados (ou corredor dos tornados):

Alameda dos Tornados (Tornado Alley): é a região em vermelho no mapa dos EUA. Essa região é onde ocorrem a maior parte dos tornados do mundo. O Estado americano do Kansas, onde nasceu Dorothy Gale (personagem fictícia de O Mágico de Oz) fica na alameda dos tornados. Fonte: Wikimedia Commons

Na alameda dos tornados, o ar frio e seco vindo do Canadá encontra-se com o ar quente e úmido vindo do Golfo do México. O encontro dessas duas massas de ar de características tão diferentes favorece a formação de tornados. Nessa região, a lei prevê que as construções sejam mais reforçadas. Em muitas cidades dessa região, há sistemas de alto-falantes espalhados, para que um alerta sonoro seja ouvido durante uma emergência. Também é investido milhões de dólares em radares meteorológicos e outros sistemas de medição.

Mas, como os tornados se formam?

Tornados costumam se formar sobre a terra (alguns tornados formam-se sobre a água, falaremos deles logo abaixo). Eles iniciam quando uma massa de ar ascendente quente e úmida (que forma as nuvens de tempestade) encontra-se com uma massa de ar fria e seca. O ar seco e frio é então forçado para baixo. Veja as ilustrações abaixo:

Cisalhamento do vento. Fonte: adaptado de UCAR

Como a  coluna de ar do tornado começa a girar ainda não é completamente compreendido pelos cientistas. Entretanto, já foi observado que a rotação começa a ocorrer quando temos cisalhamento do vento. Cisalhamento do vento é quando o vento sopra em diferentes velocidades em diferentes alturas. Por exemplo, o vento a 300m de altura sopra a uma velocidade de 8km/h e o vento a 1500m de altura sopra a uma velocidade de 40km/h, como vemos na ilustração ao lado. 

Formação do funil de nuvem. Fonte: adaptado de UCAR

Se esta coluna de ar com cisalhamento encontrar uma corrente ascendente que forma nuvens (as termas, como vimos aqui), essa corrente ascendente ganha energia e acelera-se.

Fonte:adaptado de UCAR

A chuva e o granizo da tempestade fazem com que o funil atinja a superfície, fazendo com que o tornado atinja a superfície. Quando a nuvem não está carregada o suficiente, o funil do tornado pode não atingir o solo. 

Tornados também podem se formar sobre a superfície de lagos, rios e oceanos. Quando o funil de nuvens em rotação atinge a água, a água é então sugada, formando o que chamam de tromba d’água. As trombas d’água são bem menos destrutivas que os tornados: sua velocidade é da ordem de 80km/h. Como a superfície da terra aquece muito mais do que a superfície da água, as correntes de ar ascendente (termas) que se formam sobre a terra são bem mais intensas.

Tromba d’água no Pará em 11 de junho de 2008. Fonte: Lucas Luz/vc reporter – Terra

De acordo com a NOAA, 69% dos tornados são considerados fracos. Tornados fracos duram menos de 10 minutos e possuem ventos com aproximadamente 177km/h. Já os tornados de intensidade mediana correspondem a 29% do total de tornados, com ventos entre 110km/h e 330km/h, com duração de 10 a 20 minutos. E os tornados intensos correspondem a apenas 2% do total de tornados, com ventos acima de 330km/h e duração de aproximadamente 1h.

Tornados sobre a terra não são fenômenos comuns no Brasil, pois não temos as mesmas condições favoráveis para a formação de tornados que existem nos EUA, por exemplo. Por aqui, eles ocorrem muito isoladamente. O caso documentado mais recente foi um tornado que ocorreu em 25 de maio de 2005, na cidade de Indaiatuba, interior de São Paulo. Este tornado destruiu cerca de 400 imóveis e foi registrado por uma câmera de segurança:

Bibliografia:

– Tornado. Wikipedia, a enciclopédia livre.

– Tornado Alley. Wikipedia, the free enciclopedia.

 Tornadoes in the United States. Wikipedia, the free enciclopedia

– Tornado (inglês). Wikipedia, the free enciclopedia.

– NCDC/NOAA. Tornadoes

– NSSL/ NOAA: Tornado Guide

– Wather.com. Tornados

– UCAR. Tornado 

– UCAR. Tornado 

Jornal Nacional/Rede Globo