Ataques israelenses destruíram a sede do governo do Hamas neste sábado. O edifício foi visitado horas antes pelo premiê egípcio Hisham Qandil, que está na região para negociar a paz.

“Atacamos esta noite a sede de Ismail Haniyeh no norte da Faixa de Gaza”, confirmou à Agência Efe um porta-voz militar israelense.

Outro alvo foi uma delegacia da Polícia do Hamas, informou a agência de notícias palestina Ma”an, que elevou a 31 o número de palestinos mortos e a 280 o balanço de feridos desde o início da operação militar, na última quarta-feira.

Em Gaza foi possível ouvir um intenso bombardeio entre 4h e 5h (horário local). Segundo a Ma”an, 30 civis foram feridos em ataques contra o campo de refugiados de Bureij, onde a Força Aérea israelense bombardeou uma mesquita e a casa de um miliciano do Hamas.

Durante a noite, as milícias palestinas seguiram lançando foguetes contra o território israelense, um dos quais matou na terça-feira três civis israelenses.

Dois projéteis caíram sobre a região do Conselho de Ashkelon, um na área de Sderot e outro na de Shaar Negev, sem deixar vítimas, informou a versão digital do diário israelense “Yedioth Ahronoth”.

O gabinete de Israel sinalizou a possibilidade de invadir a Faixa de Gaza por terra após autorizar, nesta sexta-feira, a mobilização de até 75 mil reservistas, depois que militantes palestinos atacaram pela primeira vez em décadas os arredores de Jerusalém com um foguete e dispararam contra Tel Aviv pelo segundo dia.

(Portal Terra)