No nono dia de greve nacional, a maioria das assembleias dos bancários aprovou nesta quarta-feira 26 a nova proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), conforme informações enviadas pelos sindicatos até as 21h para a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). Também foi aceita a proposta para as reivindicações específicas dos funcionários do Banco do Brasil, mas a maioria das assembleias rejeitou a da Caixa Econômica Federal.

Com isso, os bancários de bancos privados e do BB de capitais como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba e Campo Grande e estados como Piauí, Mato Grosso, Acre, Rondônia, Roraima e Alagoas, dentre outros, voltam ao trabalho nesta quinta-feira 27.

Já os empregados da Caixa decidiram permanecer em greve em São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Pará, Ceará, Bahia e Sergipe, dentre outros. “Vamos fortalecer a greve na Caixa, buscando cobrar mais avanços para os trabalhadores”, afirma Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários.

A Contraf-CUT vai encaminhar nesta quinta-feira uma carta para a direção da Caixa, solicitando a retomada das negociações específicas.

Avanços econômicos e sociais

A nova proposta da Fenaban, que foi apresentada ao Comando Nacional no oitavo dia de greve, eleva o reajuste nos salários de 6% para 7,5% (2% de aumento real), contém um acréscimo de 8,5% no piso salarial e nos auxílios-refeição e alimentação (ganho real de 2,95%) e aumenta 10% no valor fixo da regra básica e no limite da parcela adicional da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). 

“Com mobilização e greves, os bancários conquistaram nos últimos nove anos consecutivos aumento real de salário, acumulando 13,22% nos salários e 35,57% no piso, de acordo com o INPC”, destaca Cordeiro.

A Fenaban aceitou a reivindicação de que os salários dos bancários afastados que aguardam perícia médica sejam mantidos pelos bancos até que seja regularizada a situação junto ao INSS. Há inúmeros casos em que o trabalhador recebe a alta programada do INSS, mas acaba sendo considerado inapto no exame de retorno ao trabalho realizado pelos bancos, ficando sem benefício do INSS e sem salário.

“Os bancos aceitaram ainda a proposta do Comando de realizar um novo censo na categoria para verificar questões como gênero e raça, na perspectiva da igualdade de oportunidades, nos moldes do Mapa da Diversidade, feito em 2008”, salienta o dirigente sindical.

Além disso, a Fenaban também assumiu o compromisso com a proposta do Comando de fazer um projeto-piloto para experimentar medidas defendidas pelos bancários e vigilantes para a melhoria da segurança nos bancos, como portas de segurança, biombos entre a fila e os caixas, e divisórias entre os caixas, inclusive os eletrônicos, dentre outras demandas. A Fenaban indicou as cidades de Recife, Olinda e Jaboatão para a realização do projeto-piloto, com participação e acompanhamento dos bancários nas etapas.

Não desconto dos dias parados

Os dias de greve não serão descontados dos bancários. A reivindicação do Comando Nacional era anistia, mas a Fenaban não aceitou e apresentou a mesma regra do ano passado de compensação até 15 de dezembro. Assim, os dias parados serão compensados em, no máximo, duas horas por dia, de segunda a sexta-feira, exceto sábados, domingos e feriados. O que ultrapassar esse período não será considerado.

Resultado das assembleias dos sindicatos até as 22h desta quarta-feira 

Sindicato

Fenaban

Banco do Brasil

Caixa

São Paulo Aprovou Aprovou Rejeitou
Brasília Aprovou Aprovou Rejeitou
Rio de Janeiro Aprovou Aprovou Assembleia amanha
Belo Horizonte Aprovou Aprovou Assembleia amanhã
Curitiba Aprovou Aprovou Aprovou
Alagoas Aprovou Aprovou Aprovou
Porto Alegre Aprovou Transferiu Assembleia Rejeitou
Ceará Rejeitou Rejeitou Rejeitou
Pernambuco Aprovou Rejeitou Aprovou
Sergipe Aprovou Rejeitou Rejeitou
Bahia Aprovou Rejeitou Rejeitou
Paraíba Aprovou   Aprovou
Piauí Aprovou Aprovou Aprovou
Mato Grosso Aprovou Aprovou Aprovou
Pará Aprovou Rejeitou Rejeitou
Amapá Aprovou Aprovou Rejetou
Florianópolis Assembleia amanhã Assembleia amanhã Assembleia amanhã
Campo Grande Aprovou Aprovou Aprovou
Rondônia Aprovou Aprovou Aprovou
Acre Aprovou Aprovou Assembleia amanhã
Roraima Aprovou Aprovou Aprovou
Londrina (PR) Aprovou Aprovou Aprovou
Guarapuava (PR) Aprovou Aprovou Aprovou
Chapecó (SC) Aprovou Assembleia amanhã Assembleia amanhã
Vale do Paranhana (RS) Aprovou Aprovou  
Jundiaí (SP) Aprovou Aprovou Aprovou
Limeira (SP)   Aprovou Aprovou
Criciúma (SC) Aprovou Aprovou Aprovou
Niterói (RJ) Aprovou Aprovou Aprovou
Alegrete (RS) Aprovou Aprovou Assembleia amanhã
Catanduva (SP) Aprovou Aprovou Aprovou
ABC (SP) Aprovou Aprovou Aprovou
Cruz Alta (RS) Aprovou Aprovou Aprovou
Erechim (RS) Aprovou Aprovou Aprovou
Guaporé (RS) Aprovou Assembleia amanhã Assembleia amanhã
Jacobina (BA) Aprovou Rejeitou Rejeitou
Novo Hamburgo (RS) Aprovou Aprovou Aprovou
Pelotas (RS) Rejeitou Rejeitou Rejeitou
Santiago (RS) Rejeitou Assembleia amanhã Aprovou
Piracicaba (SP) Aprovou Aprovou Aprovou

 (CONTRAF/CUT)

Anúncios