melhores-hoteis-a-beira-mar-de-fortaleza
Fortaleza-CE

JOÃO PESSOA – Para quem pensa que a Gol Linhas Aéreas se deu por satisfeita com os diversos anúncios deste ano de voos partindo de seu novo hub, em Fortaleza, para destinos nacionais e internacionais, a companhia fez questão de garantir que não. O gerente comercial corporativo da empresa, Anderson Wolff, revelou durante o segundo dia do JPA Travel Market um pouco dos planos da aérea a partir da capital cearense.

E o sonho é alto: ligar as regiões Nordeste e Norte, por meio de “conexões rápidas em Fortaleza”, ao resto do globo – isso tanto através de voos próprios, para Orlando e Miami e que estreiam em duas semanas (4 de novembro) no período da tarde, quanto os da parceira Air France-KLM, que ligam a cidade às capitais francesa, Paris, e holandesa, Amsterdã, com voos noturnos.

BANCOS DE CONEXÕES

Segundo Anderson Wolff, a ideia principal para isso é simples: alimentar os voos internacionais da Gol e da Air France-KLM saindo de Fortaleza, com as dezenas de voos da aérea que vêm das capitais nordestinas e do Norte, lançados principalmente após a criação do novo hub. Recife, Manaus, Teresina, Natal, Belém, Salvador são alguns dos exemplos de destinos conectados à Fortaleza pela Gol.

“Mas tudo isso tem que ser feito com estratégia bem calculada dos horários”, explica o executivo. Segundo ele, para abastecer de forma eficiente os voos ao Exterior, com escalas rápidas, dois “bancos de conexões” foram criados: um entre 7h e 8h, e outro das 18h às 19h.

O primeiro deles trará os passageiros que farão conexão com os voos para Orlando (8h35) e para Miami (8h35); já a segunda janela de tempo permitirá que brasileiros do Norte e Nordeste façam uma escala rápida para os voos da Air France-KLM para Paris (19h35) e Amsterdam (19h50) saindo de Fortaleza.

“Então essas dezenas de voos entre Norte e Nordeste e nosso hub permitirá que, com conexões curtas e rápidas, qualquer passageiro das duas regiões possam ir aos Estados Unidos ou à Europa em um voo de maior qualidade e menor tempo. A experiência será muito melhor do que eles tem acesso atualmente”, argumenta Anderson Wolff.

Já nos destinos norte-americano e europeus, as parcerias da Gol – além da Air France-KLM, a Delta é sócia da companhia brasileira – seriam as responsáveis por completar a conexão global dos passageiros brasileiros para o resto do mundo.

“Com elas, 700 destinos do globo estão disponíveis, tudo com uma ou duas conexões apenas”, destaca Wolff.

MAIS EUROPA?

E a ideia da Gol não é parar por aqui. Graças às novas aeronaves Max 8, da Boeing, o lançamento de mais voos internacionais operados pela própria aérea são viáveis – Europa e África são citados como possíveis novos destinos da companhia brasileira.

Um período de testes após a inauguração dos destinos Orlando e Miami, em que será avaliado como os horários escolhidos e se a demanda de Norte e Nordeste acompanhará a ampliação da oferta da Gol, definirá os próximos passos da companhia na região.

(https://www.panrotas.com.br)

Anúncios