Arquivo da tag: Economia e Negócios

Messejana Shopping: Bairro ganhará um shopping center em 2013

Messejana, o distrito de Fortaleza que mais cresce, terá também o seu grande centro de compras:

Vista noturna da fachada do Messejana Shopping: serão 168 lojas, amplo estacionamento e um bicicletário

É o Messejana Shopping, que já está sendo construído à margem da Avenida Frei Cirilo, nas proximidades do Hospital do Coração.

Ele terá 168 lojas, das quais oito serão âncoras, com Área Bruta de Locação (ABL) de 13 mil metros quadrados.

Terá ainda cinemas, praça de alimentação, boliche e, naturalmente, área para estacionamento de veículos.

A NGLF, pilotada por Paulo Teixeira e Lutianne Dantas, constrói o Messejana Shopping para os empreendedores do Grupo Destak.

(EGÍDIO SERPA – DIÁRIO DO NORDESTE)

Construtores e emporeendedores garantem que o shopping ficará pronto em 2013.

Anúncios

Se fosse um país, cidade de São Paulo seria a 40ª maior economia do mundo

SÃO PAULO – A cidade de São Paulo completa 458 anos nesta quarta-feira (25). Se a capital paulista fosse um país, ela seria a 40ª maior economia do mundo. É o que revelou um levantamento realizado pelaFecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens de Serviços e Turismo do Estado de São Paulo).

A cidade gera um PIB (Produto Interno Bruto) de R$ 389 bilhões ou de US$ 195,29 bilhões. O montante é superior ao PIB de países como Israel, Cingapura, Egito e Chile. Os dados são relativos a 2009.

Futuramente, a colocação de São Paulo no ranking deve aumentar, pois ainda serão divulgados dados de 2010 e 2011. Períodos em que a economia brasileira apresentou taxas de crescimento acima da média global.

América Latina
Na comparação com países da América Latina, São Paulo ocupa a 5ª posição, perdendo apenas para Brasil (US$ 1.624.983), Argentina (US$ 310.351), Venezuela (US$ 325.678) e Colômbia (US$ 234.182). Para ter uma ideia, o PIB paulistano equivale a 62,93% do PIB argentino.

O estudo confrontou também os dados paulistanos com 50 estados dos EUA (Estados Unidos da América). No ranking geral, São Paulo, ficou em 25º lugar, ficando a frente de Kentucky (29ª colocação) e Washington D.C (35ª colocação).

Números impressionantes
Dados oficias da cidade mostram como a cidade de São Paulo é grandiosa. A capital é sede de 38% das 100 maiores empresas privadas de capital nacional, 63% grupos internacionais instalados no Brasil; 17 dos 20 maiores bancos; oito das 10 maiores corretoras de valores; 1.769 estabelecimentos de saúde; 40 hospitais públicos, 61 hospitais particulares, 146 faculdades e 26 universidades.

Em 2010, São Paulo recebeu 1,7 milhão de visitantes em 2010, sendo 10,1 milhões de turistas nacionais e 1,6 milhão de estrangeiros; 56,1% dos turistas vêm a negócios; 22,4% para participar de eventos; 10,9% a lazer; 4% para estudos; 2,6% para visitar parentes e amigos e 2,5% para assuntos relacionados a saúde.

Além disso, a cidade é sinônimo de diversão, com 60 teatros; 110 museus; 260 salas em 55 cinemas; 280 salas de teatro (600 espetáculos teatrais em média por ano); 40 centros culturais; 64 parques e áreas verdes; sete grandes casas de espetáculos; 294 salas para shows e concertos; mil academias de ginástica; sete estádios de futebol.

(PORTAL INFO MONEY)

Brasil, China, Índia e Russia voltam a liderar economia mundial

MADRI – As economias emergentes vão liderar o crescimento global nos próximos anos, com o Bric – grupo formado pelo Brasil, Rússia, Índia e China – correspondendo por dois terços do crescimento mundial neste ano, disse o ministro da Economia do Brasil, Guido Mantega. Segundo o ministro, a economia brasileira deverá apresentar uma expansão entre 5,5% e 6% em 2010.

Em uma conferência sobre a economia do Brasil na Espanha, Mantega disse que a Europa levará mais tempo do que o esperado para se recuperar da recessão econômica, devido à sua atual crise da dívida soberana. O ministro ressaltou, no entanto, que o crescimento econômico brasileiro dificilmente será afetado pela crise na Europa, uma vez que a expansão no país será impulsionada pela demanda interna.

Segundo Mantega, o crescimento econômico no Brasil é sustentável, e o recente aumento da inflação foi apenas devido a chuvas fortes que destruíram plantações e tornaram, temporariamente, alguns produtos alimentícios mais caros. “A previsão é de que a inflação recuará nos próximos meses”, acrescentou o ministro.

Em um movimento para conter a rápida expansão da economia no Brasil e reduzir a aceleração da inflação, o governo anunciou na semana passada que vai cortar R$ 10 bilhões em despesas do setor público planejadas para este ano. O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou na mesma conferência que o governo não pretende “colocar freios” na economia, mas apenas levar o crescimento para um nível mais razoável, o que possibilitará uma expansão de mais de 5% da economia também nos próximos anos. Segundo Bernardo, Mantega queria que os cortes alcançassem a cifra de R$ 20 bilhões.

(Agência Estado)