Realidades distintas afetam jovens bancários da América Latina

paraguaia Fabiola (esquerda) e Rossana, da Guatemala

Crédito: Nicolau Soares/Contraf-CUT

O Seminário de Formação de Jovens – Gestão e Formação Sindical, organizado pela UNI Américas, foi uma oportunidade para conhecer a realidade da juventude bancária em diversos países da América Latina. As histórias de duas trabalhadoras do setor ilustra as diferenças e semelhanças entre as situações.

A primeira é a paraguaia Fabiola Farias, de Ciudad del Este, que, mesmo jovem, tem uma história complicada como funcionária do Banco do Brasil. Da primeira vez que entrou no banco, foi proibida pela diretoria de se sindicalizar. “Eles estavam em um processo de oito anos de negociação do contrato coletivo e não queriam mais gente na discussão”, conta. Acabou saindo por conta da pressão que sofria tanto do banco quanto dos colegas, após dois anos.

Um ano depois, com o acordo coletivo já fechado, a diretoria a procurou para que voltasse ao banco. Ela aceitou voltar e alguns meses depois, já sindicalizada, decidiu ter uma filha.

Pouco depois de engravidar, uma notícia da gerência cai como uma bomba: a matriz brasileira havia decidido fechar a agência de Ciudad del Este e, segundo o gerente que trouxe a novidade, a decisão era irreversível. “Eu estava no começo da gravidez”, conta.

Os trabalhadores ficaram desanimados e começaram a se preparar para procurar um novo emprego. “Mas o pessoal do sindicato se mobilizou, junto com alguns empregados. Eu também participei e procuramos autoridades para tentar modificar a situação”, diz Fabiola. Os bancários conseguiram uma conversa com o prefeito da cidade à época, Javier Zacarias Irun, que procurou o então presidente Nicanor Duarte. O mandatário procurou o presidente brasileiro Lula e a situação mudou: Lula interferiu e a direção do Banco do Brasil manteve a unidade de Ciudad del Este em funcionamento. “Eu estava no começo da gravidez e ia ficar sem emprego e seguro médico. Foi uma alegria muito grande voltar a trabalhar”, conta Fabiola.O fato fez com que a bancária se aproximasse do sindicato. “Antes disso, eu não gostava do sindicato ou mesmo de sindicalistas. Com essa história percebi o erro que havia cometido”, afirma. “Nós éramos 20 ou 30 loucos, fazendo passeatas, reuniões, e tivemos muita força. Nos expusemos muito, mas valeu a pena ver o fruto dessa luta”, comemora.

A exposição de que fala Fabiola fez com que ela passasse a sofrer pressões da diretoria do banco. “Agora, estou no freezer. Se trabalho não importa mais, você se arrebenta de trabalhar e isso não vale nada”, lamenta. Segundo ela, a perseguição ao movimento sindical é algo comum no banco. “Existem os que apóiam a administração e os que apóiam o sindicato. Os trabalhadores novos são pressionados a não aderir ao sindicato. Acho que dedicam mais esforços a essa perseguição do que a fazer negócios”, ironiza.

Além da perseguição, a diretoria do BB comete outros desmandos no Paraguai, como a não renovação do contrato coletivo de trabalho. “O contrato já levou oito anos para ser fechado. Depois disso, deveria ser renovado a cada dois anos. No entanto, está vencido a dois anso e o banco não aceita começar negociações”, diz Fabiola.

Matéria completa: http://www.contrafcut.org.br/noticias.asp?CodNoticia=14407

Postado por Erismar Carvalho, às 14h54.

Anúncios

Diretoria do Banco do Brasil trata com descaso processo de negociação

A diretoria do Banco do Brasil segue oferecendo seguidas demonstrações de seu descaso para com os funcionários do banco e seus representantes. A mais recente prova está nos resultados das primeiras negociações entre os dois maiores bancos públicos federais, BB e Caixa Econômica Federal.

Na reunião com a Contraf/CUT, a Caixa aceitou proposta dos trabalhadores para o estabelecimento de um calendário de negociações, com encontros agendados que se iniciam nesta sexta-feira, dia 12/09. Também foi acertada a prorrogação do Acordo 2007/2008 até 30 de setembro, com previsão de uma nova prorrogação caso seja necessário. Além disso, os bancários apresentaram uma síntese das principais reivindicações para este ano (leia mais aqui).

Enquanto isso, no Banco do Brasil, a reunião limitou-se a um encontro de menos de uma hora, no qual só foi realizada a renovação do Acordo assinado no ano passado. A proposta de calendário, levada pelos trabalhadores, não foi sequer apreciada. Nem a data da próxima reunião ficou acertada, dependendo da disponibilidade do banco.

Outro ponto que diferencia as orientações dos dois bancos foi a bem sucedida discussão sobre o Plano de Cargos e Salários (PCS) realizada na Caixa nos últimos meses. Vindo de uma discussão antiga, o tema retornou com força à pauta na Campanha Nacional dos Bancários do ano passado, resultando em acordos e negociações que culminaram numa proposta que atendeu a maioria das reivindicações e por isso representa um grande avanço para os empregados do banco.

Diretoria autoritária

No Banco do Brasil, entretanto, a direção prefere já há seis anos empurrar a questão com a barriga. Um grupo de trabalho chegou a ser criado em 2003, para discutir a criação de um Plano de Carreira e mudança no Plano de Cargos e Salários, alterado pelo banco em 1997 sem negociação com os trabalhadores. No entanto, o GT foi extinto, suas discussões engavetadas e, segundo declarações da diretoria do BB, o assunto está encerrado: o banco não pretende discutir um PCCS com os trabalhadores.

“São medidas autoritárias como essa que têm feito os funcionários do banco perderem o interesse em continuar na empresa”, analisa William Mendes, secretário de Imprensa da Contraf/CUT e funcionário do BB. “Essa diretoria não tem a capacidade de compreender que o que mantém um profissional por anos em uma empresa é um bom salário – que deveria ser bem maior do que o oferecido nos concursos do banco – e um PCCS que permita aos bancários vislumbrarem o crescimento na empresa de acordo com a competência de cada um. Sem isso, as pessoas vão continuar saindo e o banco perdendo bons profissionais.”

Fonte: http://www.contrafcut.org.br/noticias.asp?CodNoticia=14405

Postado por Erismar Carvalho, às 14h30.

Ceará será sede da Universidade Federal da Integração Luso-Afro-Brasileira

 

O PAPEL DA EDUCAÇÃO NA INTEGRAÇÃO LUSO-AFRO-BRASILEIRA

Está sendo criada uma universidade federal diferente e inovadora em todos os seus aspectos. Desde o objeto temático, a concepção, o público, o espaço e, especialmente, seus modelos acadêmicos originais. Trata-se da Universidade Federal da Integração Luso-Afro-Brasileira (Unilab), que terá sede em Redenção, no estado do Ceará.

A Unilab ministrará ensino superior de qualidade para brasileiros e estrangeiros, desenvolvendo pesquisas nas áreas de conhecimento associadas às temáticas que lhes serão próprias e promovendo a extensão universitária sem fronteiras. Como missão institucional específica, formará profissionais aptos para contribuir com a integração do Brasil com países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e com as demais nações da África.

Os cursos ministrados na Unilab serão tanto de formação inicial como continuada, preferencialmente, em áreas de interesse mútuo dos países da CPLP, com ênfase em temas envolvendo formação de professores, desenvolvimento agrário, gestão, saúde pública e demais áreas consideradas estratégicas para o desenvolvimento e a integração do bloco.

Os professores da Unilab serão selecionados mediante concursos públicos abertos a todos, de forma a estimular a diversidade do corpo docente, e versarão sobre temas e abordagens que garantam concorrência em igualdade de condições entre candidatos da CPLP, sempre conduzidos por banca com composição internacional. Da mesma forma, a Unilab contratará professores visitantes, por período definido, que tenham notória pesquisa ou produção docente afeta à temática dessa integração. Igualmente, a seleção dos estudantes seguirá os mesmos princípios, estimulando uma composição final que contemple a desejável diversidade, ainda que majoritariamente atendendo os brasileiros da região em que está instalada.

A universidade terá como meta 5 mil estudantes nos cursos de graduação, mestrado e doutorado, para o quadro de docentes de 300 professores, sendo constituído de 150 professores permanentes (efetivos) e de 150 professores temporários (visitantes).

A escolha de Redenção, no Ceará, a aproximadamente 60km da capital Fortaleza, não poderia ser mais feliz e apropriada. Com população em torno de 30 mil habitantes, encontra-se no meio de uma microrregião com mais de 100 mil pessoas que compartilham o orgulho comum de ter sido a primeira cidade brasileira a libertar todos os seus escravos. Em 1883, abolicionistas assistiram a libertação dos últimos escravos da região, proclamando a vila com o nome de Redenção, pioneira em libertar escravos no país. Tal história está ainda presente na conservação de importantes monumentos históricos, como senzalas, pelourinhos, igrejas, casas de senhores de engenho e museus.

Matéria completa: http://www.andifes.org.br/

Postado por Erismar Carvalho, às 12h23.

Ensino: UFC é a 35ª no ranking das universidades brasileiras

Depois da Universidade Federal, entre as instituições cearenses, vem a Unifor, em 86º lugar; Uece, em 78º; Urca, em 105º; e UVA, em 140º. Foram avaliadas 173 universidades. Entre as 1.144 faculdades isoladas e integradas e institutos, a FA7 é a melhor avaliada no Estado, em 73º lugar.

O Ministério da Educação (MEC) divulgou ontem a lista das melhores universidades do Brasil, segundo o Índice Geral de Cursos (IGC), que engloba a qualidade dos cursos de graduação, mestrado e doutorado de cada instituição de ensino superior do Brasil. Foram avaliadas 173 universidades. No Estado, a Universidade Federal do Ceará (UFC) teve a melhor colocação e aparece em 35º no País. A Universidade de Fortaleza (Unifor) está em 86º lugar, seguida pela Universidade Estadual do Ceará (Uece), em 78º, a Universidade Regional do Cariri (Urca), em 105º e a Universidade Estadual do Vale do Acaraú (UVA), em 140º.

O MEC também avaliou 131 centros universitários – nenhum cearense – e 1.144 faculdades isoladas e integradas e institutos, tal como a Faculdade Sete de Setembro (FA7), que ficou em 73ª, a melhor colocação entre as cearenses. Seguiram melhores avaliadas a Faculdade Farias Brito, em 146º lugar; a Faculdade Christus em 158º; a Faculdade Integrada do Ceará (FIC), em 164º e a Faculdade Nordeste (Fanor), em 402º, todas de Fortaleza. Neste ranking, a pior avaliação no Ceará foi do Instituto Superior de Educação do Vale do Salgado, de Icó, que ficou na 1.141ª colocação.

O IGC foi divulgado pelo MEC em valores contínuos (que vão de 0 a 500) e em faixas (de 1 a 5). Foram utilizados no cálculo do indicador a média dos Conceitos Preliminares de Curso (CPCs) da instituição – componente relativo à graduação – e o conceito fixado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) para a pós-graduação. A média dos conceitos dos cursos é ponderada, de acordo com o número de matrículas dos alunos entre os diferentes níveis de ensino (graduação, mestrado e doutorado).

Para esta primeira divulgação do IGC, foram utilizados os CPCs referentes às edições do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) no período de 2005 a 2007. O CPC considera, além de resultados de avaliação de desempenho de estudantes, infra-estrutura e instalações, recursos didático-pedagógicos e corpo docente. A nota da Capes é referente à avaliação do triênio de 2004 a 2006.

Do total de 1.837 instituições cadastradas no MEC em 2008, 78,8% têm IGC. As
que ainda não tiveram o seu indicador calculado são instituições novas, que não possuem concluintes em seus cursos e não têm a nota do Enade.

Matéria completa: http://www.opovo.com.br/opovo/brasil/818117.html

Postado por Erismar Carvalho, às 12h19.

Liberdade e autonomia sindical

Representantes de 22 estados fundam o Sindicato dos Professores do Ensino Superior Público Federal na sede nacional da CUT

 “Com a representação de 22 Estados e 595 votos a favor, pela primeira vez na história do movimento docente a nível nacional, teremos um Sindicato que, de fato, vai representar todos os professores do ensino público federal. Esse Sindicato ora formado é na verdade a consolidação de um trabalho de vários anos, que tem sido feito pelo Proifes-Fórum, fundado em outubro de 2004, e que desde então, tem defendido os professores em todas as instâncias em nosso país”, comemorou Gil Vicente Reis de Figueiredo, professor de matemática da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), recém-eleito presidente do Sindicato dos Professores do Ensino Superior Público Federal (Proifes-Sindicato).  

Composta pelas principais lideranças docentes do país, a diretoria eleita é também composta por Eduardo Rolim de Oliveira (UFRGS), vice-presidente; Eliane Leão (UFG), diretora administrativa; Elenize Cristina Oliveira da Silva (UFRR), vice-diretora administrativa; José Maria de Sales Andrade Neves (UFC), diretor administrativo e João Eduardo da Silva Pereira (UFSM), vice-diretor administrativo.

A fundação da nova entidade se dá num momento de completo esvaziamento da Andes (Associação Nacional dos Docentes do Ensino Superior), esgarçada ao limite pela partidarização realizada pelo PSTU/Sem lutas. Como alternativa a esta instrumentalização, foi criado em 2004 o Proifes (Fórum de Professores das Instituições Federais de Ensino Superior) que, desde então, tem encaminhado as reivindicações da categoria e comandado as mobilizações.

AVANÇOS E CONQUISTAS

“Em 2005, o Proifes defendeu os professores e conseguiu avanços importantíssimos, como a melhoria do percentual da AGED para os aposentados, aumento do incentivo titulação, reposição de perdas salariais. Em 2007 e 2008 conseguimos muito mais: participamos do Grupo de Trabalho Nacional para definir novas relações do Estado brasileiro com o conjunto dos trabalhadores do setor público, relação essa que passa pela obrigação do Estado de negociar com todos eles”, ressalta Gil Vicente. Para isso, lembra, “trabalhamos juntamente com a bancada sindical, que são quase 20 associações representantes de trabalhadores do setor público de todo o Brasil, produzimos um Projeto de Emenda Constitucional para criar obrigações do Estado – em todas as esferas, federal, estadual e municipal – de negociar com seus trabalhadores, e criamos dois PLs complementares. Além disso, participamos de uma campanha que representou avanços históricos para a nossa categoria e que resultou na imensa melhoria do teto salarial para todos nós, valorizando a nossa carreira, conseguiu que os professores do ensino básico e superior passassem a ter carreiras similares, com rendimentos e remunerações semelhantes pelo mesmo trabalho, o resgate dos aposentados… De maneira que este ato consolida o trabalho de todos nós durante todos esses anos, pois finalmente cria uma instância que nos representará e terá imenso sucesso. Viva o Sindicato dos Professores do Ensino Superior Público Federal”, comemorou Gil Vicente. Em sua intervenção na mesa, Gil fez um “agradecimento especial” à contribuição de Lúcia Reis, diretora nacional da CUT responsável pelo Escritório de Brasília: “é uma companheira que contamos sempre nos principais momentos e embates”.  

Ao fazer uso da palavra, Lúcia fez um breve histórico do processo de construção da nova entidade. “O Proifes ainda quando era Fórum encaminhou importante mobilização e articulação para que a negociação 2007/2008 já servisse para a valorização, para a recuperação dos salários, tratamento isonômico entre ativos e aposentados, aproximação das tabelas dos professores do ensino básico, médio e universitário. O Proifes hoje, com essa assembléia, consagra com a fundação desse Sindicato, um esforço que já vem de algum tempo. A CUT parabeniza todos os professores, foi um prazer participar desse processo e estar aqui. Espero que os professores recuperem a sua capacidade de mobilização e tenham na referência desse novo Sindicato um instrumento importante para a luta não apenas que diz respeito aos professores das universidades públicas federais, mas em defesa da educação pública, que é um instrumento fundamental para as mudanças que a gente tanto sonha para o nosso país”, destacou Lúcia.

Matéria completa: http://www.cut.org.br/

Postado por Erismar Carvalho, às 11h35.

Bancários não abrem mão de aumento real

 

Na manhã de sexta-feira (05), dois grandes jornais do Rio de Janeiro – O Globo e JB – deram destaque ao estudo divulgado pelo Dieese que aponta queda no número de categorias que conquistaram aumento real no primeiro semestre de 2007 em relação aos anos anteriores.Em entrevista publicada pela Folha de São Paulo de 31 de agosto (domingo), Fábio Barbosa, presidente do grupo Santander-Real e da Febraban, fez a costura que anuncia negociações duras quanto às cláusulas econômicas reivindicadas pelos bancários. Repetindo a cantilena da elite, o executivo colocou o aumento da inflação como con-seqüência dos reajustes salariais. “A inflação está mostrando sinais de desaceleração, o que é muito bom. Estamos vivendo agora uma época de reajustes salariais e é importante que eles não contaminem a economia e dificultem esse processo de desaceleração de preços”, declarou Barbosa.

Mas o entendimento do Movimento Sindical e dos economistas pró-trabalhadores

não é este. Nestes segmentos, prevalece a tese de que é preciso dividir o bolo. A economia brasileira vem crescendo, a produção industrial e agrícola bate recordes, e quem produz esta riqueza tem direito a usufruir dela. “Os trabalhadores precisam fazer parte do crescimento econômico. Não adianta só a economia crescer, é importante distribuir renda. E isso se faz com aumento real”, defende Carlos Cordeiro, secretário geral da Contraf/CUT.

Em períodos de crise econômica aguda, a luta dos trabalhadores era pela recomposição do poder de compra. Agora, com o crescimento, a mobilização é necessária para ampliá-lo. No segundo semestre, três categorias com força política e numérica negociam seus reajustes: bancários, petroleiros e metalúrgicos. O recado que os cadernos de economia estão transmitindo é claro: com inflação alta, é mais difícil as empresas concederem aumento real e é bom que os trabalhadores se conformem com reajustes modestos. Mas os dirigentes do Movimento Sindical Bancário não estão dispostos a entregar os pontos.

“A produtividade da economia é maior que a inflação e isso só vai para o capital. Mesmo com o repique da inflação, só vamos fechar acordo com os banqueiros se houver aumento do poder de compra do bancário. O PIB do setor financeiro cresce muito mais que a média nacional. Nós defendemos que se faça distribuição desta riqueza através do aumento real dos salários. E uma conquista deste tamanho não vem sem mobilização. Por isso, é preciso que os bancários estejam preparados para ir à luta e construir uma greve forte”, convoca Carlos Cordeiro.

Fonte: http://www.contrafcut.org.br/noticias.asp?CodNoticia=14400

Postado por Erismar Carvalho, às 11h26.

Energia Eólica no Ceará

DEZ USINAS ENTRAM EM OPERAÇÃO EM DEZEMBRO

A perspectiva é de geração de 325,33 MW, de um total de 500,53 MW contratados através do Proinfa

O Ceará entra definitivamente na rota dos ventos, na geração de uma nova matriz energética renovável. Calendário da Secretaria de Infra-estrutura do Estado (Seinfra), atualizada no último dia 4, sinaliza para até dezembro próximo, a inauguração de dez usinas de energia eólica (UEEs) no Estado, com a perspectiva de geração de 325,33 MW, de um total de 500,53 MW contratados através do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas (Proinfa).

O leque de inaugurações será aberto na próxima quinta-feira, na Praia das Fontes, em Beberibe, onde a EcoEnergy Internacional no Brasil inicia a fase de testes de comissionamento, de aceitação da planta geradora de sua primeira usina de energia eólica, no Estado.

Com potência instalada de 25,2 MW e capacidade anunciada para gerar até 90 MWhora/ano, a nova planta é o primeiro projeto integrante do Proinfa, no Ceará e o terceiro do País. Atualmente, outros dois projetos no âmbito do Proinfa estão operando no Rio Grande do Sul e na Paraíba.

Somados aos 17,2 MW de energia eólica gerados na Praia Mansa, em Fortaleza, a operacionalização da nova usina amplia para 42,2 MW a potência instalada no Estado, o equivalente a 3,5% da demanda total de energia elétrica do Ceará, da ordem de 1,2 GW, em média. Considerados os horários de pico, essa demanda varia de 1,45 a 1,6 GWhora/ano, no Ceará.

Matéria completa: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=570668

Postado por Erismar Carvalho, às 10h58.

Justiça Federal proibe Kassab de terceirizar saúde, sem licitação e controle público

Justiça proíbe prefeitura de SP de terceirizar saúde

SÃO PAULO – A Justiça Federal proibiu a prefeitura da capital paulista de usar recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) no pagamento de entidades privadas, nomeadas “organizações sociais”, para prestar serviço público de saúde. A determinação da juíza federal Maria Lúcia Lencastre Ursaia, da 3ª Vara Cível Federal de São Paulo, foi dada no último dia 26 de agosto, mas só foi divulgada nesta segunda-feira.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), autor da ação, a prefeitura passou a transferir bens e recursos públicos do SUS para entidades privadas mediante contratos de gestão, “terceirizando” dessa forma a prestação dos serviços públicos de saúde, à semelhança do que foi feito com o PAS (de 1995 a 2000, na gestão Paulo Maluf). De acordo com o MPF, essas “organizações sociais” seriam selecionadas sem licitação e receberiam do Poder Público bens e recursos financeiros, além de servidores que seriam objeto de cessão administrativa sem controle da atividade e da aplicação dos recursos públicos geridos pelas organizações.

Para Maria Lúcia Ursaia, não há razão que justifique a celebração de contrato de gestão com as “organizações sociais”, com destinação de recursos orçamentários e de bens públicos móveis e imóveis, sem que haja licitação. – A não observância ao regime de Direito Público, que deve reger as relações contratuais para a prestação do serviço público por parte do Estado, é rejeitada por nosso ordenamento jurídico porque ofende o princípio da igualdade – diz a juíza no despacho.

Fonte: http://blogdofavre.ig.com.br/

Postado por Erismar Carvalho, às 10h48.

Metalúrgico estimula bancário a obter reajuste real elevado

A negociação de data-base dos metalúrgicos, que no fim de semana garantiu à trabalhadores de montadoras do ABC reajuste salarial de 11,01%, sendo 3,6 pontos percentuais de ganho real, trouxe ânimo extra aos bancários, que iniciam na próxima semana as negociações de reajustes para a categoria. “Sem dúvida, a conquista dos metalúrgicos reforça nosso argumento”, diz o presidente da Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e coordenador do comando nacional que negocia os reajustes salariais dos bancários, Vagner Freitas.

A categoria, que iniciou ontem a rodada de negociações de cláusulas sociais com os bancos, reivindica um ganho sobre a inflação de 5 pontos percentuais. A proposta será colocada em debate na reunião marcada para o dia 16. A partir daí, as instituições financeiras terão até a data da plenária nacional dos bancários (marcada para 25 de setembro) para aprovar a proposta ou fazer uma contra-oferta. “Caso não haja acordo, também estamos dispostos a deflagrar greve a partir da data da plenária”, diz Freitas. Para o sindicalista, o momento de negociar ganhos reais é este, em que a economia brasileira se expande e dá sinais de que crescerá de forma sustentada. “Essa crença é o que levou as montadoras a aceitarem o repasse.”

A Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Químicas e Farmacêuticas do Estado de São Paulo (Fequimfar) também trabalha com o objetivo de obter ganhos mais robustos na negociação, que se inicia no dia 19. A categoria, que reúne profissionais das indústrias química, cosmética e de fertilizantes, exige reajuste de 15%, sendo 7% de reposição da inflação, afirmou o presidente da Fequimfar, Danilo Pereira. “As indústrias do setor, como o setor automotivo, tiveram ganhos de produtividade e a idéia é que dividam os ganhos.”

O coordenador da campanha salarial da Federação Única dos Petroleiros (FUP), João Antonio de Moraes, também vai exigir da Petrobras, na primeira rodada de negociações que ocorre no dia 16, aumento real de 5%, apoiando-se nas negociações realizadas por outras categorias ao longo do ano. Para o supervisor do escritório regional do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese), José Silvestre Prado de Oliveira, o reajuste aos metalúrgicos – certamente um dos maiores registrados no ano – reforça o poder de negociação de outras categorias que têm data-base no segundo semestre. “Os metalúrgicos são uma categoria que serve como referência para as negociações de outros grupos”, afirmou.

Mesmo entre os metalúrgicos, a negociação fechada no sábado pelos trabalhadores do ABC serviu de referência para que os trabalhadores da Volkswagen do Paraná endurecessem o discurso. Na semana passada, o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba obteve reajuste de 10,1%, sendo 2,6% de ganho real, mas a proposta foi rejeitada pelos trabalhadores da Volks, que querem o mesmo reajuste obtido pelos metalúrgicos do ABC, abono superior aos R$ 1,45 mil oferecidos pela montadora e pagamento dos dias parados, afirmou Sérgio Butka, presidente do sindicato. Em São Paulo, os metalúrgicos do setor de autopeças, funilaria e forjaria também recusaram a proposta das indústrias (8,8% de reajuste, sendo 1,5% de aumento real) para exigir ganho acima da inflação de 3,6%. (CB)

Fonte: Jornal Valor Econômico

Postado por Erismar Carvalho, às 10h38.

Definido calendário de negociações com a Caixa Federal

Debates sobre questões específicas dos empregados foram iniciados na semana passada em Brasília

São Paulo – O acordo aditivo dos empregados da Caixa, com validade até 31 de agosto deste ano, foi prorrogado pela direção da empresa até 30 de setembro próximo. A reivindicação foi apresentada pelos representantes dos empregados durante a primeira rodada de negociações específicas ocorrida na sexta, dia 5, em Brasília.  
Os dirigentes sindicais apresentaram as prioridades dos empregados para a renovação do acordo coletivo. Os temas, a exemplo das negociações gerais com a federação dos bancos (Fenaban), foram divididos em blocos temários, ficando estabelecido o seguinte calendário para os debates: plano de carreiras e isonomia para todos nesta sexta, dia 12; jornada de seis horas para todos os empregados, contratação de mais empregados e a extensão do auxílio-refeição e cesta-alimentação aos aposentados e pensionistas, dia 19; democratização da gestão e recomposição do poder de compra dos salários, em 26 de setembro.
”Queremos negociações sérias para que não se repitam os episódios do ano passado, quando os empregados tiveram de deflagrar greve para quebrar a intransigência da Caixa”, diz a diretora do SEEB/SP e empregada da Caixa, Jackeline Machado, que participa das negociações. “Caso não tenha a mesma disposição por parte da empresa, a mobilização será ainda maior que em anos anteriores.”
Reg/Replan – Na negociação o Sindicato voltou a criticar a direção da Caixa sobre a perseguição contra os empregados que não aderiram ao saldamento do Reg/Replan do fundo de pensão (Funcef). “A empresa não pode deixar os trabalhadores desamparados. Vamos tomar todas as medidas necessárias para que essas pessoas não sofram retaliações”, acrescenta Jackeline. Fonte: http://www.spbancarios.com.br/

Leia mais sobre o assunto: http://www.contrafcut.org.br/

Postado por Erismar Carvalho, às 10h13.

Campanha Salarial: Banqueiros interrompem rodada sobre cláusula de combate ao assédio moral

BANCÁRIOS JÁ AVISARAM QUE QUEREM REVER CALENDÁRIO DE NEGOCIAÇÃO.

São Paulo – A expectativa do Comando Nacional dos Bancários, de definir nesta segunda-feira, dia 8, a cláusula de assédio moral que deverá fazer parte da Convenção Coletiva de Trabalho, foi frustrada pelos banqueiros.

A negociação, que teve início às 14h, foi interrompida quatro horas depois a pedido dos negociadores da federação dos bancos (Fenaban) e será retomada hoje, terça-feira, dia 9.

Os banqueiros admitiram colocar na cláusula que o resultado das denúncias de assédio moral, após os 60 dias de apuração, será enviado também ao Sindicato e não somente ao bancário denunciante. Entretanto, outras pendências permanecem e por isso a negociação será retomada.

“Queremos essa cláusula para prevenir e combater o assédio moral nos bancos, mas ela deve preservar o trabalhador denunciante, caso contrário, não tem sentido existir”, afirma o presidente do SEEB/SP, Luiz Cláudio Marcolino, que faz parte do Comando que negocia com os banqueiros.

Novo calendário – Diante da demora em definir a cláusula do assédio moral, o Comando Nacional dos Bancários já avisou à Fenaban que quer rever o calendário de negociação. A próxima reunião prevista, depois do dia 9, acontecerá no dia 16 para tratar das cláusulas econômicas. Mas questões importantes de saúde, segurança, igualdade de oportunidades e emprego ainda não foram tratadas.

“Queremos negociar durante toda a semana e até no fim de semana, se for necessário, para que no dia 16 todas as demais questões estejam resolvidas e as cláusulas econômicas possam entrar em pauta”, diz Marcolino, que faz um alerta. “O comportamento dos banqueiros, nessas últimas rodadas de negociação anunciam que a campanha será bastante difícil. Para quebrar essa postura, e se prevenir contra o tradicional ‘não para tudo’ dos bancos, os trabalhadores precisam estar preparados para a luta. As plenárias dessa quarta vão preparar as estratégias e contamos com a participação do maior número dos bancários.”

Fonte: http://www.spbancarios.com.br/noticia.asp?c=8802

Postado por Erismar Carvalho, às 10h05.

Fortaleza: Luizianne (PT) confirma vantagem folgada em pesquisas

 

 

 FORTALEZA – Pesquisas do Ibope/TV Verdes Mares e Vox Populi/TV Jangadeiro, divulgadas nesta segunda-feira, confirmaram o crescimento da prefeita e candidata à reeleição em Fortaleza, Luizianne Lins (PT), se distanciando em mais de 20 pontos do segundo colocado.

Na terceira pesquisa do Ibope, Luizianne cresceu 18 pontos percentuais passando de 28% da pesquisa anterior para 46%. Já na quinta pesquisa do Vox Populi, a candidata do PT cresceu 11 pontos, passando de 34% registrados na pesquisa anterior para 45%.

De acordo com o Ibope, Moroni Torgan (DEM) perdeu 11 pontos, caindo de 33% para 22%. A candidata do PDT, Patrícia Saboya, caiu dois pontos e tem hoje 17% das intenções de voto. A soma dos votos dos candidatos, com exceção de Luizianne, totaliza 46%.

Em eventual segundo turno, Luizianne ganha de Moroni por 58% a 35% por cento e de Patrícia por 58% a 34%. Patrícia venceria de Moroni por 44% a 41%.

A pesquisa do Ibope foi feita de 4 a 6 de setembro e ouviu 805 eleitores. A margem de erro é de três pontos para mais ou para menos.

Na consulta sobre a expectativa de vitória, quando é indagado quem o eleitor acredita que vencerá independente do voto dele, 66% acreditam que Luizianne vença, 13% que o vencedor será Moroni e 10%, Patrícia.

Já na quinta pesquisa do Vox Populi, Moroni Torgan tinha 27% das intenções de voto e agora tem 23%. Patrícia Saboya passou de 20% para 17%. A soma dos votos de todos os candidatos, com exceção de Luizianne, totaliza 43%.

O Vox Populi entrevistou 700 pessoas nos dias 5 e 4 de setembro e a margem de erro é de 3,7 pontos percentuais para mais ou para menos.

Fonte: http://oglobo.globo.com/pais/eleicoes2008/

Postado por Erismar Carvalho, às 09h46.

Negociação do BNB garante renovação de nove cláusulas e criação de Conselho de Usuários da Camed

 

 Em negociação realizada dia 5/9, em Fortaleza, a Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT) conquistou, junto à direção do banco, a renovação de nove cláusulas do acordo 2007/2008, das 37 integrantes do bloco de cláusulas sociais constantes da pauta específica de reivindicações. A negociação garantiu, ainda, a inclusão, no acordo 2008/2009, da cláusula que cria o Conselho de Usuários da Camed, destinada a acompanhar, divulgar e sugerir ações de proteção e melhoria da qualidade de vida dos integrantes do Plano de Autogestão.

Da pauta apresentada, a direção do banco destacou sete cláusulas, comprometendo-se a apresentar posicionamento final na próxima negociação, dia 12/9. (Confira as cláusulas no quadro abaixo). A cláusula de democratização da Capef foi negada pelo banco. A CNFBNB/Contraf-CUT não concorda com a negativa e pediu para mantê-lo na próxima reunião de negociação.

Para o coordenador da CNFBNB/Contraf-CUT, Tomaz de Aquino, a negociação ficou dentro do esperado para uma primeira rodada. “Diante do que foi acordado entre as partes, entendemos que a nossa estratégia surtiu efeito. Estamos avançando no que é mais consensual e, com isso, vamos garantir maior celeridade no processo. Acredito que depois da reunião da Fenaban (dia 23/9) já estaremos negociando as cláusulas econômicas”. A próxima rodada de negociação está marcada para o dia 12/9 e tratará das cláusulas sindicais.

Apresentações temáticas – Na manhã da sexta-feira, 5/9, membros das entidades representativas dos funcionários do BNB participaram de apresentações sobre projeto de reorganização da rede de agências, Camed e plano de funções, que ainda está em fase de construção no âmbito da Gestão de Pessoas.

A direção do BNB solicitou remeter para a reunião do dia 12/9 os encaminhamentos sobre ponto eletrônico, sub judice e renegociação das taxas de CDC.

Resultado da Negociação da Pauta Específica do BNB

CLÁUSULAS SOCIAIS RENOVADAS:
20ª Comissão Paritária;
21ª Adicional de insalubridade;
22ª Indenização por morte ou por invalidez permanente em decorrência de assalto;
23ª Horário para amamentação;
24ª Fiscalização de restaurante;
25ª Quadro de avisos, malote, conexão na intranet;
29ª Data de início das férias;
31ª Complementação de auxílio-doença previdenciário e auxílio-doença acidentário;
37ª Indenização por morte em viagem a serviço.

DESTACADAS PELO BANCO:
26ª Ausência no período decorrente de greves;
27ª Ausências legais;
28ª Concursos;
32ª Seguro de vida em grupo;
33ª Função de risco;
34ª Licença-paternidade;
35ª Programa de assistência social.

DESTACADA PELA CNFBNB/CONTRAF-CUT:
30ª Democratização da Capef.

CLÁUSULA NOVA APROVADA:
36ª Criação do Conselho de
Usuários da Camed

Fonte: http://www.bancariosce.org.br/

Postado por Erismar Carvalho, às 10h25.

SEEB/CE: Encontro de Delegados Sindicais

Reunião enfatiza necessidade da união e da mobilização da categoria

O Sindicato dos Bancários do Ceará (SEEB/CE) realizou no último sábado, dia 6/9, o encontro de delegados sindicais do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco do Nordeste do Brasil. O evento contou com a participação de cerca 100 delegados sindicais da Capital e Interior. O presidente interino do Sindicato, Carlos Eduardo, comandou os trabalhos. Foram dados ainda os informes sobre as negociações com a Fenaban e com as direções dos bancos federais.

Os delegados presentes aprovaram um grupo de ações a serem debatidas junto ao Comando Nacional e mesas específicas. Dentre as principais reivindicações estão cesta-alimentação para todos os aposentados e pensionistas; aumento progressivo do valor do auxílio-alimentação, que deve chegar a 100% em 2012; PLR justa e igualitária para todos os empregados do BNB; mesa única dos bancos públicos e assembléias unificadas; criação de um jornal específico para os delegados sindicais; fim do assédio moral e das metas abusivas, entre outras reivindicações. Além disso, os delegados sindicais devem ler e debater a cartilha das pautas de reivindicações nas suas respectivas agências. A Campanha Nacional dos Bancários também deve ser atrelada à campanha extraordinária dos vigilantes.

Os diretores do SEEB/CE enfatizaram a importância do papel do delegado sindical dentro da campanha salarial, como instrumentos fundamentais de mobilização da categoria e de canal de diálogo entre a base e a entidade. “Queremos enfatizar essa necessidade de união e de participação da base para arrancar dos banqueiros o que estamos reivindicando”, convocou o diretor Tomaz de Aquino.

Já o diretor Carlos Rogério destacou a importância da realização de reuniões com os delegados como forma de ampliar e unificar a luta dos bancários. “Agora é fundamental que, ao chegar em suas agências, cada delegado passe os informes que adquiriram aqui e que mobilizem suas unidades para a luta”, afirmou.

O assessor político do Sindicato, Vicente Flávio, ressaltou a responsabilidade das centrais sindicais, sindicatos, diretores e delegados sindicais no processo de construção da campanha. “Temos que ver nossa campanha como uma luta política que tem que ser de ordem nacional”.

“O resultado da campanha nacional está em nossas mãos, pois ela será o fruto da nossa luta, do nosso engajamento, da nossa participação. Só com a movimentação dos trabalhadores conseguiremos conquistar nossas reivindicações e é por isso que temos que manter uma postura de enfrentamento junto aos banqueiros”, concluiu Carlos Eduardo.

Fonte: http://www.bancariosce.org.br/

Postado por Erismar Carvalho, às 10h22.

Lula: Pré-sal é uma ponte direta entre riqueza natural e erradicação da pobreza

O presidente Lula fez pronunciamento em cadeia nacional de televisão ontem, 7 de setembro, com ênfase no futuro promissor que se abre com o pré-sal.

A íntegra do discurso:

Queridas brasileiras e queridos brasileiros,

Feliz é o povo que, no dia de sua Independência, pode olhar com orgulho para o passado e com esperança para o futuro. Principalmente, quando essa esperança está firmada na realidade, e não é apenas um sonho vago e distante.

Neste 7 de setembro, o Brasil não só vive um momento excelente, como está reunindo todas as condições para que as próximas décadas sejam muito melhores.

Eu tive o privilégio de ter um vislumbre deste futuro, em pleno mar aberto, na última terça-feira, na costa do Espírito Santo. Vi com os meus olhos e senti nas minhas mãos, na Plataforma P-34 da nossa querida Petrobras, o petróleo que começou a ser produzido no pré-sal.

O que assisti ali – e faço questão de dividir esta emoção com vocês – foi o início de um dos enlaces mais simbólicos da vida deste País. A abertura de uma ponte direta entre riqueza natural e erradicação da pobreza. E fico muito feliz de explicar esta história para vocês, justamente no dia em que a gente comemora a nossa Independência.

Continue lendo: http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/

Postado por Erismar Carvalho, às 09h11.

Hamilton perde 1º lugar no GP da Bélgica, Massa herda vitória

SPA-FRANCORCHAMPS (Reuters) – O britânico Lewis Hamilton perdeu a vitória que havia conquistado no GP da Bélgica, e o brasileiro Felipe Massa foi declarado o ganhador, segundo a Federação Internacional do Automobilismo (FIA). 

Hamilton recebeu uma punição de 25 segundos depois que os juízes da prova decidiram que o piloto da McLaren cortou uma chicane e ganhou vantagem na reta final da corrida. 

Isto significa que Massa, que estava em segundo lugar, ficou com o primeiro. Nick Heidfeld, da BMW Sauber, subiu ao segundo lugar e Hamilton ficou em terceiro, reduzindo a liderança que tinha sobre Massa no campeonato para apenas dois pontos.

Fonte: http://br.reuters.com/article/topNews/idBRN0727467920080907

Postado por Erismar Carvalho, às 08h48.

Data Folha: LUIZIANNE (PT) lidera com 44% em Fortaleza

FORTALEZA – O instituto Datafolha divulgou, na madrugada desta segunda-feira, sua terceira pesquisa de intenção de voto para prefeito de Fortaleza (CE). O estudo apontou que a candidata do PT à reeleição, Luizianne Lins, abriu nove pontos em relação ao último levantamento, feito no dia 25/08, e alcançou 44% de preferência do eleitorado da capital cearense. Em segundo lugar, com sete pontos a menos se comparado com a amostra anterior, veio Moroni Torgan (DEM), com 22%. Na terceira colocação e tecnicamente empatada com o democrata, a representante do PDT, Patrícia Saboya, com 19%, mesmo índice da pesquisa passada. O Datafolha ouviu 816 pessoas entre os dias 5 e 6 de setembro. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos e o estudo está registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o nº 92292/2008 autos 489.

Renato Roseno (PSOL) manteve seus 2% em todos os levantamentos; Luiz Gastão (PPS) saltou de 0% para 2% das intenções de voto; e Adahil Barreto (PR) permaneceu estável com 1%. Aguiar Jr. (PTC), Sílvio Frota (PAN), Fernandes Filho (PSDC), Pastor Neto (PSC) e Carlinhos (PCB) não foram citados nessa amostragem, que teve 5% de brancos e nulos, e 4% que não souberam responder.

Numa pesquisa espontânea (quando nenhuma lista com o nome dos candidatos é apresentada ao eleitor), Luizianne Lins cresceu 12% se comparada com a anterior. Com base nos dados de hoje, ela somou 34%, enquanto que Moroni Torgan caiu 2% e ficou com 16%. Patrícia Saboya, que antes tinha 11%, subiu um ponto percentual nesse novo estudo. Luiz Gastão, antes sem pontuação, ficou com 1%, mesmo índice de Renato Roseno, que se manteve estável. Aguiar Jr. não alcançou 1%, e Carlinhos e Pastor Neto não foram citados. Votariam em branco ou nulo foram 5% e os que não souberam, 25%, número 14 pontos menor que a amostra anterior e 31% abaixo da primeira, realizada no dia 29/07.

Continue lendo: http://jbonline.terra.com.br/extra/2008/09/08/e080910653.html

Postado por Erismar Carvalho, às 08h32.

Hoje tem nova rodada de negociação com a Fenaban

O Comando Nacional dos Bancários realizam nesta segunda-feira 8 a terceira rodada de negociação da campanha salarial 2008 com a Fenaban. O primeiro item da pauta é a conclusão da discussão sobre assédio moral/violência organizacional, que avançou na rodada anterior, dia 2, quando os bancários e a Fenaban chegaram a um entendimento de que é preciso implantar uma política permanente de combate a essa prática dentro dos bancos e que as boas práticas de relações interpessoais devem constar como critério para a promoção profissional.

As negociações continuam na terça-feira 9. Depois do assédio moral, segundo o calendário acertado na primeira rodada, dia 2, bancários e banqueiros vão discutir os outros pontos de saúde e condições de trabalho, segurança bancária e igualdade de oportunidades.

Fonte: http://www.contrafcut.org.br/noticias.asp?CodNoticia=14392

Postado por Erismar Carvalho, às 08h21.

Ministra Dilma Rousseff impede José Serra de privatizar a CESP

Ministra aceita prorrogar concessão de usinas em troca de compromisso de governador de não vender controle da empresa de energia. Também houve acordo sobre o trecho sul do ferroanel em SP e sobre trem que ligará o aeroporto de Guarulhos à estação da Luz do metrô

 A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) e o governador José Serra (PSDB) chegaram a um acordo na última quinta-feira a respeito do futuro da Cesp (Companhia Energética de São Paulo). O presidente Luiz Inácio Lula da Silva avalizou a negociação. Pelo acordo, Serra não privatizará mais a companhia, mas venderá ações até o limite em que ela se mantenha sob controle estatal. Em troca, Dilma prometeu que o governo federal prorrogará as concessões de duas usinas hidrelétricas da Cesp, Jupiá e Ilha Solteira, responsáveis pela maior parte da receita da estatal.Segundo a Folha apurou, o acordo deverá ser tornado público em breve. O acerto contempla o desejo do governo federal de que a Cesp não seja privatizada. Ao mesmo tempo, a prorrogação das concessões valorizará a empresa, o que interessa a Serra.

Ainda houve entendimento sobre outros assuntos administrativos de interesses federal e estadual. Foi acertada a realização do trecho sul do ferroanel da capital paulista -o objetivo é evitar que cargas para o porto de Santos que venham de outros Estados, como Minas Gerais e Mato Grosso, tenham de passar antes pela cidade. Essa obra está estimada em cerca de R$ 150 milhões. Sobre o trecho norte do ferroanel, há três opções em debate pelos governos federal e paulista.Houve acordo também sobre o trem expresso que o governo paulista fará do aeroporto de Guarulhos até a estação de metrô da Luz. A obra deve chegar a R$ 1,5 bilhão.

O governo paulista dará a exploração do serviço à iniciativa privada sob a forma de concessão -mecanismo similar ao que o governo federal estuda para os aeroportos administrados pela Infraero.Serra ouviu ainda os planos do governo federal para criar um trem-bala entre o Rio e São Paulo até 2014. O trem sairia de Campinas -exatamente do aeroporto de Viracopos. Seguiria para o centro da capital paulista, passaria por São José dos Campos e chegaria ao centro do Rio. O trecho Campinas-São José é estimado em R$ 7 bilhões. O custo total do trem-bala Rio-São Paulo gira em torno dos R$ 20 bilhões. O governo paulista negocia ainda com o federal a venda da Nossa Caixa ao Banco do Brasil.

Matéria completa: http://desabafopais.blogspot.com/

Postado por Erismar Carvalho, às 15h17.

A força de LULA nas eleições do Brasil afora

Integrantes da base aliada e da oposição têm travado disputas, na Justiça e nos bastidores, para se vincular à imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta campanha eleitoral. Isso tem uma razão: em 20 das 26 capitais em que há eleição, candidatos que apóiam o Palácio do Planalto aparecem mais bem colocados que oposicionistas em pesquisas de opinião.

Em 2004, no segundo ano do seu primeiro mandato, apenas 11 aliados de Lula saíram vencedores no pleito municipal. Este ano, com o aumento da avaliação positiva do governo e também dos partidos que integram a base aliada no Congresso, há pelo menos 15 casos de embates para ter ou, pelo menos, evitar o apoio explícito de Lula na propaganda eleitoral. O deputado federal Sarney Filho (PV-MA) atuou nos últimos 15 dias para convencer Lula a não ir à Natal, onde, até agora, Micarla Souza (PV) aparece na frente de Fátima Bezerra (PT), segundo pesquisa do Ibope divulgada em 29 de agosto. Apesar de contar com o apoio do líder oposicionista no Senado, José Agripino (DEM-RN), Micarla gosta de lembrar que é candidata da base de Lula. “Ela não quer confronto entre o governo e a oposição.

No Nordeste, qualquer candidatura contrária a Lula leva desvantagem”, afirmou Agripino. Prováveis adversários de Agripino em 2010, a governadora Wilma Faria (PSB) e o atual presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB), apelaram para Lula ir à Natal tentar levantar a candidatura de Fátima. “Foi difícil, mas conseguimos fechar uma data no dia 19″, diz Garibaldi. Em Aracaju, o senador Almeida Lima (PMDB-SE) trabalha contra a ida de Lula à capital, onde ele disputa a prefeitura contra Edvaldo Nogueira (PC do B-PT). “Lula sabe que, no Senado, ele conta com 20 senadores do PMDB enquanto o PC do B só tem um”, disse Almeida Lima. 

 Oposição — Até mesmo candidatos de oposição buscam se vincular à imagem de Lula. Líder nas pesquisas em Cuiabá, o atual prefeito Wilson Santos (PSDB) escalou uma irmã do presidente para pedir votos para ele. “Wilson e Lula são trabalhadores que pensam e trabalham para o povo. Então é 45 na cabeça”, disse Ledinalva da Silva dos Santos no programa tucano. Questionado, o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra (PE), não desaprovou a estratégia. “Não vejo problema algum. Bom para ele [Santos’]”, disse. Guerra, porém, prefere não supervalorizar a força do presidente Lula. “Tem caso que influencia e tem caso que não faz diferença”, disse.

Prioridade — O PT comemora, mas prefere que o presidente dê prioridade aos candidatos do partido, e não da base como um todo. “Por conta dos bons resultados do governo, tem muito candidato querendo aparecer do lado do presidente Lula”, disse Gleber Naime, secretário de Comunicação do PT. Outro tucano que usou a imagem de Lula em campanha foi o atual prefeito de Teresina, Silvio Mendes, que tenta a reeleição. Nesse caso, porém, o PT, cujo candidato é o deputado Nazareno Fonteles, resolveu acionar a campanha do tucano na Justiça Eleitoral. No Rio de Janeiro, Marcelo Crivela (PRB) também foi contestado judicialmente por usar imagem de Lula. O candidato petista à prefeitura, Alessandro Molon, ganhou o direito exclusivo de explorar o presidente em seu programa eleitoral. Candidata pelo PDT em Fortaleza, a senadora Patrícia Saboya apareceu no seu primeiro programa ao lado de Lula e de seu ex-marido, o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE). A atual prefeita, Luizianne Lins (PT), de cuja coligação o PSB faz parte, também ingressou na Justiça para impedi-la de usar as imagens de Lula e Ciro.

Fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/

Postado por Erismar Carvalho, às 15h09.

Base de Lula lidera em 20 das 26 capitais

Integrantes da base aliada e da oposição têm travado disputas, na Justiça e nos bastidores, para se vincular à imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta campanha eleitoral.

Isso tem uma razão: em 20 das 26 capitais em que há eleição, candidatos que apóiam o Palácio do Planalto aparecem mais bem colocados que oposicionistas em pesquisas de opinião.

Em 2004, no segundo ano do seu primeiro mandato, apenas 11 aliados de Lula saíram vencedores no pleito municipal. Este ano, com o aumento da avaliação positiva do governo e também dos partidos que integram a base aliada no Congresso, há pelo menos 15 casos de embates para ter ou, pelo menos, evitar o apoio explícito de Lula na propaganda eleitoral.

O deputado federal Sarney Filho (PV-MA) atuou nos últimos 15 dias para convencer Lula a não ir à Natal, onde, até agora, Micarla Souza (PV) aparece na frente de Fátima Bezerra (PT), segundo pesquisa do Ibope divulgada em 29 de agosto.

Apesar de contar com o apoio do líder oposicionista no Senado, José Agripino (DEM-RN), Micarla gosta de lembrar que é candidata da base de Lula. “Ela não quer confronto entre o governo e a oposição. No Nordeste, qualquer candidatura contrária a Lula leva desvantagem”, afirmou Agripino.

Prováveis adversários de Agripino em 2010, a governadora Wilma Faria (PSB) e o atual presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB), apelaram para Lula ir à Natal tentar levantar a candidatura de Fátima. “Foi difícil, mas conseguimos fechar uma data no dia 19”, diz Garibaldi.

Em Aracaju, o senador Almeida Lima (PMDB-SE) trabalha contra a ida de Lula à capital, onde ele disputa a prefeitura contra Edvaldo Nogueira (PC do B-PT).

“Lula sabe que, no Senado, ele conta com 20 senadores do PMDB enquanto o PC do B só tem um”, disse Almeida Lima.

Oposição

Até mesmo candidatos de oposição buscam se vincular à imagem de Lula. Líder nas pesquisas em Cuiabá, o atual prefeito Wilson Santos (PSDB) escalou uma irmã do presidente para pedir votos para ele. “Wilson e Lula são trabalhadores que pensam e trabalham para o povo. Então é 45 na cabeça”, disse Ledinalva da Silva dos Santos no programa tucano.

Questionado, o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra (PE), não desaprovou a estratégia. “Não vejo problema algum. Bom para ele [Santos]”, disse. Guerra, porém, prefere não supervalorizar a força do presidente Lula. “Tem caso que influencia e tem caso que não faz diferença”, disse.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/

Postado por Erismar Carvalho, às 14h49.

PSDB quer privatizar BB e Caixa

Proleto de lei de deputado tucano tramita em Brasília equer acabar com bancos federais

São Paulo – Enquanto os bancários de São Paulo lutam para manter o último banco público do estado, a Nossa Caixa, que foi colocada à venda pelo governador José Serra (PSDB), em Brasília, projeto de lei de um deputado federal também tucano prevê a privatização do Banco do Brasil, Banco do Nordeste do Brasil, Banco da Amazônia e Caixa Econômica Federal.

O PL do parlamentar Feu Rosa (PSDB/ES) quer modificar os artigos 2º e 3º da Lei 9.491/1997, que trata do Programa Nacional de Desestatização criado por Fernando Henrique Cardoso. Esse programa levou à privatização de várias estatais, a exemplo do Banespa, em São Paulo, mas mantinha como exceção os bancos que agora são ameaçados por Feu Rosa, que em seu projeto de lei diz considerar prioritária a desestatização das instituições financeiras federais.

“É incrível a sanha tucana contra o papel do Estado brasileiro”, diz o presidente do Sindicato, Luiz Cláudio Marcolino. “Em São Paulo, acabaram com o Banespa e agora investem contra a Nossa Caixa. Não bastasse isso, agora partem para cima, na surdina, com um projeto de lei contra os bancos federais que são os principais responsáveis pelo investimento em produção no Brasil”, revolta-se o presidente do Sindicato. “Estamos em contato com os parlamentares que são parceiros dos bancários na Câmara e no Senado para tentar barrar esse absurdo. Vamos fazer um grande movimento contra essas privatizações. O Brasil precisa de bancos públicos e fortes como o BB e a Caixa”, completa o dirigente.

O PL já passou pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio, pela Comissão de Finanças e Tributação, e está na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara. No dia 21 de agosto encerrou-se o prazo para apresentação de emendas.

Fonte: http://www.spbancarios.com.br/noticia.asp?c=8779

Postado por Erismar Carvalho, às 14h44.

Comando Nacional e Caixa acertam calendário de negociação específica

Na sexta-feira 5 foi realizada em Brasília a primeira rodada de negociação específica da campanha salarial entre o Comando Nacional dos Bancários, assessorado pela Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Contraf/CUT, e a Caixa Econômica Federal. O debate teve início com um apelo feito pelos trabalhadores para que o processo de negociação deste ano seja menos turbulento que o do ano anterior, em que a empresa mostrou-se intransigente na mesa, culminando com a greve dos empregados sob a ameaça de ajuizamento de dissídio no TST.

Na reunião foi informada a mudança de coordenador da CEE/Caixa, assumindo Jair Ferreira, representante da Fetec/Centro-Norte, em lugar de Plínio Pavão, da Contraf/CUT.

No início da reunião foi entregue à Caixa a solicitação de prorrogação do Acordo 2007/2008 até a conclusão das negociações atuais. A Caixa concordou em prorrogá-lo até 30 de setembro, e caso seja necessário haverá uma nova prorrogação.

Foram apresentados os eixos específicos aprovados no 24.º Conecef (Congresso dos Empregados da Caixa), que sintetizam a pauta de reivindicações, e uma proposta de calendário, aceita pela Caixa, para o debate de cada um deles, conforme segue:
 
– 12/09 – plano de cargos e carreiras e isonomia para todos;
– 19/09 – auxílio e cesta-alimentação para todos aposentados e pensionistas, jornada de seis horas pra todos e contratação de pessoal;
– 26/09 – democratização da gestão e recomposição do poder de compra dos salários.

Matéria completa: http://www.contrafcut.org.br/noticias.asp?CodNoticia=14391

Postado por Erismar Carvalho, às 14h38.

Coletivo de Mulheres do SEEB/CE participa de Seminário Internacional

O Coletivo de Mulheres do SEEB/CE participou do VIII Seminário Internacional Fazendo Gênero, acontecido no período de 25 a 28 de agosto, na  Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis.

 

O evento faz parte do calendário nacional do movimento de mulheres do país e reúne pesquisadores, estudantes e profissionais de diversas áreas do conhecimento, proporcionando intensas e instigantes reflexões sobre o lugar da mulher na sociedade, sua auto-percepção como sujeito de direitos, bem como a redefinição dos papéis familiares e das relações de gênero.  

 

 

 

As diretoras Carmem Amélia e Laidy Paz, juntamente com a assessora de formação Victoria Régia Arrais participaram do evento, o qual reuniu mais de 2.500 pessoas de vários países do mundo em torno do tema Corpo, Violência e Poder, o qual foi tratado nas diversas formas de comunicação, desde exposições fotográficas, vídeos-debates, oficinas, mini-cursos, palestras e conferências. Os anais do evento foram distribuídos em meio digital (CD’s) e estão à disposição de quem interessar, na Secretaria de Formação.

 

Escrito por Victoria Régia Arrais.

 

Postado por Erismar Carvalho, às 13h50.

 

E a Veja? Chega de embromação. Ocultar a fonte pode. Ocultar o criminoso e o crime não pode.

No PIG, já estão mudando o foco de assunto para a mala “sobrenatural” cujos circuitos fabricados não intercepta, mas resolve interceptar sozinha.

Até agora, quem poderia mais ajudar a esclarecer tudo, está fugindo e se omitindo irresponsavelmente.

A revista Veja tem obrigação cívica, moral e legal de colaborar com as autoridade e dar pistas consistentes.

A Veja afirma que quem denunciou foi servidor da ABIN com documentos da ABIN.

Então se a Veja não estivesse mentindo, a fonte não seria quem grampeou, e sim seria denunciante de quem grampeou.

Não precisa revelar a fonte, mas precisa revelar os FATOS CRIMINOSOS que sabe, sobre quem grampeou, que tipos de documentos e de que setor teve acesso, a mando de quem esses documentos foram produzidos, de onde vieram esses documentos, ou as informações que deram origem à eles. Tudo isso tem jeito de ser repassado e publicado, sem comprometer a identidade da fonte.

Ocultar tudo isso, é ocultar crime.

Se a Veja não colabora, é cúmplice do crime.

Para aumentar as suspeitas, Gilmar Mendes sumiu quando a polícia baixou. E DEMóstenes Torres, um dos mais aguerridos “CPI-zeiros”, está fugindo da raia da CPI.

Fonte: http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/

Postado por Erismar carvalho, às 11h53.

Biodiesel cearense na mira dos americanos

Empresários do Estado de Nebraska/EUA, já estiveram no Ceará três vezes negociando parceria com empresa local do setor

Os americanos, que durante muito tempo estiveram fechados para a possibilidade de comprar o biodiesel brasileiro, agora, sinalizam interesse em estabelecer parceria com empresa cearense do setor. ´Ainda estão no processo de negociação. Um representante do Governo do Estado de Nebraska esteve uma vez aqui no Estado em 2007 e em outras duas oportunidades neste ano´, informou a coordenadora de Promoção de Negócios do Centro Internacional de Negócios (CIN), Beatriz Bezerra.

Cearenses vão a Nebraska

Uma missão cearense estará entre 10 e 13 de setembro no Estado de Nebraska. Segundo a representante do CIN, os empresários americanos estão querendo atrair as empresas do Ceará para conhecerem as suas potencialidades e, como estão localizados estrategicamente no centro geográfico do País (o que acaba facilitando a distribuição de mercadorias mais rapidamente e a custos menores), acreditam ser este um forte diferencial para despertar o interesse na prospecção de negócios. ´Eles tem interesse nos bens de consumo produzidos aqui, desde alimentos e sucos tropicais a granito´, diz Beatriz. Integrando o Grupo que irá aos Estados Unidos está uma comitiva de 12 pessoas, dentre empresários e membros do Governo cearense. Em Nebraska, participarão do Fórum de Liderança da Indústria Logística, evento que também reunirá pernambucanos e capixabas. O fórum liga setores-chave de negócio e logística da indústria do Brasil com líderes da indústria global com sede em Nebraska. Outro compromisso agendado é um encontro com o governador Dave Heineman.

Situado no Centro-Oeste dos Estados Unidos, Nebraska possui um PIB de US$ 68 bilhões e uma renda per capita que alcança US$ 31,33. O Estado tem um forte setor agrícola, sendo líder nacional na produção de carne bovina e suína, milho e soja. Outros setores importantes são: transporte de mercadorias, telecomunicações, tecnologia e seguros.  

Fonte: http://diariodonordeste.globo.com/

Postado por Erismar Carvalho, às 11h39.

Luizianne Lins: uma candidata multicolorida

Na noite de segunda-feira (25.08), o Partido dos Trabalhadores (PT) mostrou seu total apoio a causa homossexual de Fortaleza com a sua Plenária LGBTT. O evento trouxe à cidade a relatora do projeto de lei (PLC – 122), Fátima Cleide (PT/RO), lei que se aprovada criminalizará todo e qualquer ato que se caracterize como homofobia. Durante as duas horas de evento, o que se via nos olhos de cada militante da causa LGBTT era a alegria de uma “talvez” contemplação com leis que melhorem a sua vida.

Entre militantes, gays, lésbicas, simpatizantes, tudo parecia ser uma grande festa, em que a liberdade era a grande palavra de ordem. Liberdade essa que foi falada inúmeras vezes pela Prefeita e candidata a reeleição Luizianne Lins (PT). “Fortaleza hoje é uma cidade mais humanizada, e consegue conviver de forma harmoniosa com as diferenças. O meu próximo mandato será baseado no amor ao próximo“, declarou a emocionada candidata.

Com uma festa digna dos gays, Luizianne dançou, levantou a bandeira do arco-íris, ouviu as reinvidicações, e mais: mostrou alegria de participar daquele ato, elegendo a causa das minorias como um dos principais focos de seu trabalho.

Leia a matéria completa: http://www.zonamix.com.br/blogdaredacao/?p=1515

Postado por Erismar Carvalho, às 11h18.

Sindicato dos Bancários do Ceará ajuíza ação contra a Caixa

Os trabalhadores da CEF remanescentes do Plano de Benefício REG/REPLAN vêm sofrendo uma pressão abjeta da empresa, que quer obrigá-los a migrarem para o novo plano de benefício e, somente daí, terem acesso ao novo PCS. A Caixa acena com o fim do patrocínio e o aumento da contribuição.

O Sindicato dos Bancários do Ceará denuncia essa atitude da CEF e toma uma ação concreta de entrar na justiça para coibir a vinculação e os abusos recorrentes contra o seu quadro de funcionários. Esperamos obter mais essa vitória na Justiça, haja vista a competência e a serenidade do nosso quadro jurídico.

Fonte: http://www.bancariosce.org.br/

Postado por Erismar Carvalho, às 11h10.

BNB: Nova rodada de negociação da Campanha Salarial acontece hoje

Acontece nesta sexta-feira, 05/09, no Passaré, nova rodada de negociação entre a Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT) e a Superintendência de Desenvolvimento Humano do banco.

Na ocasião, serão discutidos plano de funções, reestruturação, GT Camed, em reunião que deve acontecer pela manhã e, à tarde, o tema abordado será a pauta específica entregue ao banco no último dia 22/8.

“Esperamos que as negociações dessa campanha salarial ocorram de forma célere para que possamos fechar nosso acordo coletivo juntamente com as negociações da campanha nacional”, afirmou o coordenador da CNFBNB/Contraf-CUT, Tomaz de Aquino.

Campanha Salarial – Os diretores do SEEB/CE e funcionários do BNB estão visitando as agências do banco para discutir as reivindicações da categoria na campanha salarial 2008 e os desafios dos bancários do BNB. Já foram realizados encontros nas agências da Bezerra de Menezes, do Centro e da Aldeota. As outras unidades devem ser visitadas nos próximos dias.

Na sexta-feira, 29/8, a reunião aconteceu na agência Aldeota e contou com a presença dos diretores Carmen Araújo, Tomaz de Aquino e Océlio Silveira. Durante o evento, o diretor Tomaz de Aquino destacou a importância do engajamento dos funcionários do BNB no processo de negociação com os banqueiros. Ele citou também o interesse da direção do banco em cumprir o acordo da Fenaban.

Fonte: http://www.bancariosce.org.br/

Postado por Erismar Carvalho, às 10h48.

14º Grito dos Excluídos – Vida em primeiro lugar

 

CEB’S, Pastorais, Movimentos sociais e populares de Fortaleza realiza no dia 7 de setembro (Domingo) o 14° Grito dos Excluídos as manifestações tem por finalidade dar visibilidade às lutas dos excluídos e excluídas do nosso país, justamente no “Dia da Independência”. O Grito dos Excluídos, acontece sempre no dia 7 de setembro, desde 1994.

Em Fortaleza, esse ano, as comunidades se concentrarão num gesto de defesa e solidariedade ao bairro do Genibaú que sofre sérios problemas estruturais e ambientais.

As comunidades dessa região enfrentam diariamente problemas ambientais relativos à poluição do Rio Maranguapinho, promovendo, há vários anos, uma luta pela revitalização daquele curso d’água com participação do povo, na busca de condições dignas de vida.

A caminhada saírá de três pontos diferentes da comunidade. O primeiro ponto será a Ponte do Genibaú, na Avenida Fernandes Távora; o segundo ponto, a Igreja de Dom Bosco, na Rua Genibaú, bairro Henrique Jorge; e o terceiro, o Campo Beira Rio (igreja São Francisco), na Avenida I, Conjunto Ceará.

Com faixas e palavras de ordem, as caminhadas seguirão até a Vila Olímpica, localizada na Avenida 30 de Maio, s/n, onde ocorrerão momentos de animação e ato de encerramento com momento celebrativo, este espaço é dedicado às ações em que o Grito anima, apóia e articula estas lutas.

Fonte: http://www.cutceara.org.br/

Postado por Erismar Carvalho, às 10h36.

Empregados da Caixa iniciam negociações específicas

São Paulo – Os empregados da Caixa Federal iniciam hoje, sexta-feira, 05/09, as negociações dentro da Campanha Nacional 2008 para a renovação do acordo aditivo com as questões específicas do banco federal.

Dentre as reivindicações, destacam-se a avaliação do andamento da negociação sobre os critérios de promoção do novo Plano de Cargos e Salários (PCS) e pendências da mesa permanente de negociações. Na pauta, há ainda cláusulas referentes à Funcef/Prevhab, aposentados, segurança bancária, Saúde Caixa, saúde e condições de trabalho, carreira (mudança no PCC), jornada de trabalho, isonomia entre novos e antigos empregados, contratação de pessoal e representação dos empregados na gestão.

Gerais – As negociações gerais da categoria com a federação dos bancos, a Fenaban, já teve duas rodadas, sendo que o assunto principal debatido em ambas é o combate ao assédio moral. A próxima mesa, ainda do primeiro bloco, está marcada para segunda, dia 8.

Fonte: http://www.spbancarios.com.br/bcaixa.asp?c=8772

Postado por Erismar Carvalho, às 10h13.

Negociação sobre superávit da Previ adquire novo ritmo

Na tarde desta quarta-feira, dia 3 de setembro, ocorreu mais uma negociação sobre a utilização do superávit da Previ (Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil). Da negociação realizada na Gepes São Paulo participaram os representantes do BB, comandados pela diretora Izabela Alcântara, e a Comissão de Negociação formada pelos dirigentes eleitos da Previ e representantes da Comissão de Empresa/Contraf-CUT, Anabb e associações de aposentados: AAFBB, AFABB-SP e da Federação das Associações de Aposentados (FAABB).

Os representantes dos associados reafirmaram toda a pauta de reivindicação apresentada ao banco desde fevereiro deste ano e os pontos prioritários identificados em pesquisa realizada por Anabb e associações de aposentados. Os representantes dos associados realçaram que, para atender às demandas dos associados, é fundamental utilizar o superávit para contemplar melhorias de benefícios universais.

Com base nesse fundamento, apresentaram como pontos prioritários:

* Negociação de um reajuste extraordinário para todos os aposentados e pensionistas, incorporando este índice para as futuras aposentadorias, com patamar mínimo de R$ 500;
* Aumento no percentual das pensões;
* Aumento do teto de benefícios para 100% da média salarial da ativa.

Fim do voto de Minerva

Essas prioridades foram levantadas pela Contraf/CUT desde fevereiro e foram confirmadas pelos associados na pesquisa encaminhada pela Anabb. Os representantes dos associados reivindicaram, ainda, o fim do voto de Minerva no Conselho Deliberativo, a volta das prerrogativas do Corpo Social, a volta da eleição para a Diretoria de Participações e o cumprimento do acordo realizado em 2007 sobre a aposentadoria antecipada para as mulheres.

Os representantes do banco concordaram com a tese de que é preciso negociar melhorias que sejam universais. E afirmaram que o BB somente aceita acordo de melhoria de benefícios se for resolvido o custeio dos benefícios de associados que conquistaram demandas na Justiça e cujo pagamento é de responsabilidade exclusiva do banco: o chamado Plano Informal.

Associados e banco ficaram de estudar as propostas levantadas pela outra parte e agendaram reunião para a próxima quinta-feira, dia 11, para dar continuidade às negociações. Nesse período, a Previ dará continuidade aos cálculos que vem realizando sobre o impacto de cada uma das propostas apresentadas.

Comissão de negociação única

As entidades representativas dos associados se uniram em uma única Comissão de Negociação, composta por dirigentes eleitos da Previ, Contraf/CUT, Anabb, Contec, AAFBB, AFABB-SP e FAABB. “A grande representatividade dessa comissão deverá levar a um acordo que contemple os interesses do funcionalismo”, afirma Marcel Barros, coordenador nacional da Comissão de Empresa dos Funcionários, da Contraf/CUT.

Fonte: http://www.contrafcut.org.br/noticias.asp?CodNoticia=14371

Postado por Erismar Carvalho, às 10h01.

Este ano, 86% das categorias repuseram inflação ou tiveram aumento real

Levantamento efetuado pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese) mostra que, de 309 acordos salariais fechados pelas categorias de trabalhadores de todo o país que têm data-base no primeiro semestre do ano, 85,8% recuperaram o poder de compra ou tiveram aumento real de salário. O estudo foi divulgado pelo Dieese em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira 4 na sede da Contraf/CUT, em São Paulo. A divulgação foi acompanhada por todas as centrais sindicais.

Apenas 14,2% das categorias tiveram reajuste abaixo do INPC-IBGE, segundo
O Sistema de Acompanhamento de Salários do Dieese. O percentual de reajustes igual ou superior à inflação é menor que o verificado nos dois últimos anos – que neste período ficou na casa de 96% -, mas é superior aos registrados entre 1996 e 2005.

“O aumento da inflação nos primeiros meses do ano, embora não significativo, repercutiram nos resultados dos acordos salariais”, ponderou o economista José Silvestre Prado de Oliveira, coordenador de relações sindicais do Dieese, que apresentou o estudo.

Para o secretário-geral da Contraf/CUT, Carlos Cordeiro, que representou a CUT na apresentação do Dieese, “os números mostram que os trabalhadores brasileiros estão se mobilizando e lutando por aumento real de salário. E é isso mesmo que os sindicatos têm que fazer: lutar para que os trabalhadores incorporem aos salários parte do aumento do produto interno nacional”.

Leia a matéria completa: http://www.contrafcut.org.br/noticias.asp?CodNoticia=14374

Postado por Erismar Carvalho, às 09h51.

CAMPANHA SALARIAL: PRORROGADO ACORDO DO BB

 

NESTA SEXTA-FEIRA TEM NEGOCIAÇÃO COM A CAIXA.

Na primeira rodada das negociações específicas do Banco do Brasil, realizada nesta quinta-feira 4 em São Paulo, o Comando Nacional e a direção do BB prorrogaram até 30 de setembro o acordo coletivo vigente. Nesta sexta-feira 5, assessorado pela Comissão Executiva dos Empregados, o Comando começa a negociar as reivindicações específicas da Caixa Federal, em Brasília.

“Entregamos a pauta específica ao BB no dia 13 de agosto e, mesmo com esse tempo todo, o banco não respondeu às nossas reivindicações e sequer se dispôs a fechar um calendário de negociações”, critica Marcel Barros, coordenador nacional da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, da Contraf/CUT, que assessora o Comando Nacional.

Os dirigentes sindicais bancários também cobraram do BB a realização de uma reunião específica para discutir as incorporações dos bancos estaduais (Besc, BRB, Nossa Caixa e BEP). Ficou acertado que a discussão será feita na próxima semana, em dia ainda a ser definido.

Negociação com a FENABAN segunda e terça

As negociações da Campanha Nacional dos Bancários serão retomadas com a Fenaban na próxima segunda-feira, estendendo-se até terça. O primeiro item da pauta é a conclusão da discussão sobre assédio moral/violência organizacional.

Na segunda rodada de negociação, realizada na terça-feira 2, houve avanços em pontos importantes do tema. O Comando Nacional e a Fenaban chegaram a um entendimento de que é preciso implantar uma política permanente de combate ao assédio moral e à violência organizacional e que as boas práticas de relações interpessoais devem constar como critério para a promoção profissional.

Além do assédio moral, na segunda-feira e terça-feira serão discutidos os outros pontos de saúde e condições de trabalho, de segurança bancária e de igualdade de oportunidades. No calendário definido na semana passada, estava prevista rodada de negociação apenas na terça-feira, mas foi antecipada para segunda, para que houvesse mais tempo para discussões.

“Foi um dia muito produtivo de discussões porque estamos conseguindo aprofundar e avançar no debate sobre assédio moral, que é de extrema importância para a categoria bancária”, avalia Vagner Freitas, presidente da Contraf/CUT e coordenador do Comando Nacional. 

Fonte: http://www.contrafcut.org.br/noticias.asp?CodNoticia=14372

Postado por Erismar carvalho, às 15h09.

Entrevista: O Movimento Sindical no Ciberespaço

Uma entidade que não busca se conectar no ciberespaço com seus associados está completamente fora de sintonia com o cenário comunicacional em que vivemos”. Essa é a opinião do professor da pós-graduação da Faculdade Cásper Líbero, Sérgio Amadeu da Silveira – sociólogo, Doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo e autor de publicações como: “Exclusão Digital: a miséria na era da informação”. Em entrevista exclusiva ao Portal da CONTEE, ele fala sobre a criminalização dos movimentos sociais pela grande imprensa, o papel da comunicação digital e sua importância no movimento sindical e a falta de democracia advinda da proibição do uso de instrumentos da internet nas campanhas eleitorais de 2008.

Apesar dos graves problemas de inclusão digital existentes no Brasil, a internet pode ser considerada o meio de comunicação mais democrático da atualidade?

Sergio Amadeu: A penetração da Internet já supera a tiragem dos jornais diários no Brasil. Os tele-centros, as “lan-houses” e os programas de financiamento de computadores aliados a políticas municipais de abertura de sinais wireless (sem fio) gratuitos, certamente estão permitindo que a Internet avance em direção à maioria da população excluída. Do ponto de vista democrático, ela reduziu os custos de alguém se tornar um “falante” no espaço público. Além disso, a possibilidade de criar sites, blogs e comunidades de interesse garante uma maior diversidade de opiniões inexistente no mundo dominado pelos “mass media” (mídia de massa).

Qual a verdadeira penetração dos veículos de comunicação digitais alternativos na formação da opinião pública? Isso tende a aumentar?

Sergio Amadeu: No ciberespaço, expressão “veículo alternativo” tem menos sentido que no mundo analógico. Se você observar a soma da audiência de alguns blogs individuais, verá que ela já ultrapassa a visita em sites de grandes jornais tradicionais. Por isso, os grandes portais agregam os blogs ao lado de veículos tradicionais. O que está acontecendo é a mutação do conceito de notícia. Atualmente, a produção da notícia foi democratizada. Eu me informo sobre a campanha do Barack Obama diretamente no Twitter (rede social) dele. Se quero acompanhar o que esta acontecendo no mundo da tecnologia da informação, tenho que assinar um RSS (tecnologia que avisa o usuário sobre atualizações em uma página da internet) no Slashdot (site de notícias interativo). Quem é alternativo em cobertura da chamada TI (Tecnologia da Informação), o Slashdot ou a CNN? Os intermediários estão perdendo espaço no mundo das redes. 

A internet tornou-se o principal instrumento de exercício do contraditório?

Sergio Amadeu: Não tenho a menor dúvida. O que a imprensa tradicional tenta esconder a rede permite disseminar. A credibilidade da rede vem da reputação dos sites e blogs e pessoas. A economia das reputações na rede é muito mais eficiente e severa.

Os movimentos sociais e sindicais acusam a grande imprensa de criminalizar suas ações políticas. Você concorda com isso? A falta de uma boa estratégia de comunicação nas entidades pode contribuir com isso?

Sergio Amadeu: A criminalização da questão social é antiga no Brasil. Nos princípios do século XX, o então Presidente Washington Luis já dizia “questão social é caso de Polícia”. Revistas como a Veja são boletins de agremiações com interesses materiais concretos. Agem violentamente contra tudo que pode atrapalhar a reprodução do capital de seus arranjos econômicos, principalmente contra os movimentos sociais. Eu nunca vi a Veja atacar a Operadora de Telefonia no Brasil e o modelo de privatização do PSDB, em que o consumidor de banda larga paga por 1 Mega de conexão e só recebe 10% do contratado. (Para eles), isso não é crime. Acredito que a estratégia seja usar claramente os espaços democráticos do ciberespaço e organizar clusters, conjuntos de blogs e redes de informação que perpasse também pelas redes sociais. Não acredito em convencer o editor da Veja. Ele não pode ser convencido ele é a voz dos grupos que a revista defende.

Você considera importante uma entidade sindical ter uma página na internet? Por quê?

Sergio Amadeu: Uma entidade que não busca se conectar no ciberespaço com seus associados está completamente fora de sintonia com o cenário comunicacional em que vivemos. Recentemente, a alta corte do Reino Unido, a Câmara dos Lordes, abriu um canal de TV permanente no Youtube (www.youtube.com/ukparliament). Imagine que ainda tem dirigente sindical com medo de abrir um blog e ter que responder as críticas da base. Pode esquecer. A comunicação caminha para uma fase participativa. É óbvio que a participação será assimétrica, que uns participam mais do que outros, mas todos caminham para superar a passividade comunicativa. A rede viabiliza isto.

Especialmente em função das eleições deste ano temos acompanhado diversas tentativas de “censura” ou “regulamentação” (dependendo do interlocutor) em relação ao conteúdo publicado na internet. Quais os riscos e conseqüências destas intervenções? De quem deve ser o papel de supervisionar abusos e ilegalidades na rede?

Sergio Amadeu: Os abusos na rede são repelidos pela própria rede. Precisamos construir uma cidadania no cenário digital e ela pode requerer uma série de regulamentos que se tornem leis nacionais. Mas a rede é transnacional e descentralizada. Ela requer mais governança que governo, mais participação da sociedade civil do que ação burocrática. No caso das eleições, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) errou ao querer impedir o uso das redes sociais, do Orkut, do Youtube, Twitter, Facebook, listas de discussão etc., na campanha eleitoral. Tal proibição beneficia o poder econômico, pois retira todas as vantagens equalizadoras da rede. Além de ser de difícil aplicação, serve, portanto, aos usos arbitrários e acaba protegendo os candidatos que temem a interatividade mais do que tudo. As redes digitais exigem interação, elas têm horror ao palanque e à proteção do demagogo.

Fonte: http://www.contee.org.br/noticias/msin/nmsin374.asp

Postado por Erismar Carvalho, às 14h11.

MULHERES EM LUTA POR SOBERANIA ALIMENTAR E ENERGÉTICA

Declaração Final do Encontro Mulheres em Luta por Soberania Alimentar e Energética

 

Nós, mulheres do campo e da cidade reunidas em Belo Horizonte, de 28 a 31 de Agosto de 2008, expressamos nossa visão sobre desafios e alternativas para a construção de Soberania Alimentar e Energética. 

Somos mulheres organizadas, protagonistas de lutas de resistência em defesa de uma sociedade igualitária, onde a organização da economia tenha como centralidade a sustentabilidade da vida humana e não o mercado e o lucro. 

O modelo atual de desenvolvimento se apropria do racismo e do sexismo. Fundamenta-se em uma visão de economia que considera o econômico apenas as atividades mercantis e desconsidera a reprodução e invisibiliza o trabalho das mulheres. Esse modelo se pauta por uma concepção de desenvolvimento baseada na idéia de crescimento econômico ilimitado, onde o mercado e o lucro privado são priorizados em detrimento do interesse público e dos direitos humanos fundamentais, onde a política econômica se orienta pela opção exportadora, apoiada fortemente pelo Estado, no agronegócio empresarial e no setor minero-metalúrgico-energético e em uma demanda energética insustentável. 

Para manter esse modelo, grandes projetos energéticos e de infra-estrutura são construídos, distantes das lógicas produtivas e culturais que organizam os territórios, provocando a expulsão do campesinato e de populações tradicionais das suas terras, a contaminação dos trabalhadores e trabalhadoras e o aprofundamento da crise ambiental e das mudanças climáticas. Ao mesmo tempo, são desconsiderados os caminhos alternativos e modos de desenvolvimento voltados para a igualdade social e a justiça ambiental que nossos movimentos têm proposto a partir de suas práticas concretas nos territórios que se pautam pela construção de Soberania Alimentar e Energética. 

 

Em contraposição a este modelo afirmamos nossa luta feminista e socialista por uma nova economia e sociedade baseada na justiça social e ambiental, na igualdade, na solidariedade entre os povos, assentada em valores éticos coerentes com a sustentabilidade de todas as formas de vida e a soberania de todos os povos e comunidades tradicionais sobre seus territórios. 

Leia matéria completa: http://sapatariadf.wordpress.com/2008/09/04/mulheres-em-luta-por-soberania-alimentar-e-energetica/ 

Postado por Erismar Carvalho, às 13h39. 

 

 

Opa! Quem grampeou Gilmar foi o patrão dele, Dantas – E agora?

Daniel Dantas é um dos senhores da telefonia privatizada no Brasil. Seus tentáculos se estendem a Brasília. À época do processo de privatização um dos argumentos contrários foi o da segurança inclusive a nacional. O controle do setor por empresas estrangeiras. Dantas é elite e elites são apátridas. É sócio de empresas estrangeiras, tanto quanto o grupo Jereissati, do qual faz parte o tucano Tasso. Pelo fio e pelos grampos sabem de tudo o que se passa em cada canto do País. Espionaram Lula, familiares do presidente, ministros e lógico, controlavam os “empregados” do grupo, dos grupos cai melhor, explica mais, na Câmara, no Senado e no judiciário, no caso específico o presidente do suposto stf, gilmar mendes.

A revista VEJA, onde cada página mostra o que Dantas deixa ser mostrado, ou determina que seja publicado, denunciou o grampo de uma conversa de um senador do DEM com o tal presidente do stf que teria sido gravado pela ABIN (Agência Brasileira de Informações). O esquema era simples. Tirar gilmar mendes da condição de acuado e coloca-lo como vítima de esquemas para desmoralizar o judiciário.Só que, como não há crime perfeito, o grampo foi feito pelos serviços de Polícia Legislativa do Senado Federal. O tiro começa a sair pela culatra. Esperto come esperto.

No afã de se mostrar senhor absoluto de deputados, senadores, ministros do stf, no delírio de senhor supremo de tudo e todos Dantas exagerou na dose.

E agora, como é que fica?

O presidente do Senado, Garibaldi Alves (a família está na política desde a chegada de Cabral) deu um prazo de 30 dias para que o assunto seja investigado e um relatório seja entregue explicando tudo direitinho, tim tim por tim tim. Pressionado por senadores que não estão no esquema de Dantas diminuiu o prazo e quer uma resposta imediata.

Quem é culpado agora? Um pobre coitado funcionário do Senado que assim por distração resolveu gravar conversas alheias, quem sabe para fazer fofoca? Tem Pastinha para todos os lados. É uma espécie de rota vírus, aparece donde menos se espera.Como é que vão explicar que Daniel Dantas estava espionando o governo e mantendo sob controle seus funcionários nos poderes (poderes?) legislativo e judiciário? Cuidando do gado. Não tem um ditado que diz que o olho do dono é que engorda?Esse trem está falido. Chamam de Estado, enchem a boca para falar de instituições, mas onde?

Esse poder fantástico de Daniel Dantas resulta do governo Fernando Henrique e todo o processo de entrega de setores estratégicos, no caso a telefonia. É a modernidade, o tal progresso.O perigo disso é o general Augusto Heleno num acesso de patriotismo (aquele definido como “último refúgio dos canalhas” por Samuel Johnson) descer com suas tropas e cismar de restaurar a moralidade transformando a Amazônia numa grande plantação de cana, fazendo fronteira com outra de eucalipto e vastos pastos para gado, em terras griladas, dizendo que é preciso que os índios sejam presos e declarados culpados por todo esse estado de coisas.

Aí, ao invés de orçamentos vamos ter balanços anuais da VALE, da ARACRUZ, do grupo DANTAS, toda essa engrenagem corrupta e devastadora que o capitalismo gera, que é intrínseca ao modelo e termina numa tacada onde os brasileiros são jogados dentro de uma caçapa/camisa de força, na ilusão do progresso e do tudo é normal, só existe a verdade deles.Tem até novela com plantação de eucalipto. Nada é de graça companheiro. Se a GLOBO espirrar tem um trem qualquer, não se iluda achando que é gripe. É, no mínimo, espirro remunerado.

E agora? Será que num assomo de dignidade gilmar vai pedir demissão das empresas Dantas, ou vai sentar em cima e pedir desculpas pelos transtornos causados?Mais um golpe que falha. O jeito é chamar o delegado Protógenes de volta e mandar seguir em frente com a operação, qualquer que seja, desmonta quadrilhas. Com direito a algemas. Sugiro Operação Pastinha-Pasta-Pastão.

Postado por Erismar Carvalho, às 11h18.

Em outubro, tudo passa

Imagine você meu querido leitor. Se a coisa está assim, só por que Marta Suplicy, concorrendo com demo e tucano, lidera as pesquisas em São Paulo, imagine você quando chegar 2010 e Dilma for a líder nas pesquisas…

Você já percebeu que, em toda eleição onde um petista tem chances de ganhar aparece um fato para ocupar as páginas de jornais, com clara intenção de prejudicar o candidato? O roteiro é sempre o mesmo: sai na “Veja”, vai para o “Jornal Nacional” e depois ganha as manchetes de todos os jornais nos dias seguintes.

Em seis anos de governo Lula, quantas “crises” a imprensa já criou para desgastar o Presidente Lula? Saberia o leitor me dizer, e quais foram elas?.

Segunda pergunta: Quantas crises a imprensa criou para desgastar o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso?

Como ocorre em todo o período pré-eleitoral, a oposição golpista se assanha para evitar desastres nas urnas – ainda mais porque a popularidade do presidente Lula bate recorde, inclusive na antes inexpugnável São Paulo.

A marola desta vez se dá em torno das denúncias, não comprovadas, do grampo da Agência Brasileira de Informações (Abin ) nos telefonemas do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Gilmar Mendes. Para conter a sangria, o governo afasta, temporariamente, o comando da agência. A atitude, porém, não deve intimidar a sanha golpista da direita. O seu alvo não é a direção da Abin , mas sim o próprio presidente Lula.

Fonte: http://www.osamigosdopresidentelula.blogspot.com/

Postado por Erismar Carvalho, às 11h09.

Governo anuncia 227,6 mil vagas nas universidades federais em 2009

RIO – O ministro da Educação, Fernando Haddad anunciou nesta quarta-feira, em cerimônia no Palácio do Planalto, que as universidades federais vão oferecer 227,6 mil vagas em 2009. O aumento da oferta é resultado do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni).

Segundo o ministro, as oportunidades dobraram em relação a 2003, quando foram oferecidas 113.983 – isso inclui vagas nos cursos presenciais e do ensino à distância. As regiões que apresentam maior crescimento na oferta de vagas das universidades federais são Nordeste, com aumento de 122% e Sul, com 107%.

Para garantir esse crescimento, o ministro da Educação, Fernando Haddad, assinou nesta quarta-feira, duas portarias que permitem a realização de concurso para contratação de mil docentes e a distribuição de 900 cargos de direção e 2,4 mil funções gratificadas para as instituições. O Ministério do Planejamento, por sua vez, autorizou a contratação de 10.992 docentes e 8.239 técnicos administrativos para as universidades.

Haddad informou ainda que os projetos de mais quatro universidades tramitam no Congresso Nacional, totalizando 59 universidades federais espalhadas por todo o país. De acordo com o ministro, até 2012 a meta de investimento previsto para o Reuni é de R$ 2 bilhões. 

As universidades federais também são responsáveis por mais de 1.400 cursos de pós-graduação, sendo que mais da metade deles é de doutorado. Mestrados e doutorados atendem hoje mais de 70 mil estudantes. O Reuni permitirá expandir em número e qualidade os programas existentes, com a contratação de professores doutores e com o aumento do número de bolsas de mestrado e doutorado em ritmo superior aos dos últimos anos.

Fonte: http://oglobo.globo.com/educacao/

Postado por Erismar Carvalho, às 10h51.

Governo Lula: Universidades Federais terão mais 10.992 professores

BRASÍLIA – O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, autorizou o Ministério da Educação a contratar, de forma escalonada, 10.992 professores e 8.239 técnicos-administrativos para universidades federais. O anúncio foi feito na quarta, na solenidade de divulgação sobre aumento do número de vagas para alunos de 2003 até hoje. Segundo o governo, no início do primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva foram oferecidas de 113 mil vagas por vestibular nas federais. Este ano chegou a 227 mil. Estiveram presentes no Palácio do Planalto reitores de todo o país.

O presidente Lula defendeu as contratações e criticou os que consideram que a máquina pública está inchando:

– Eu queria que alguém me dissesse como a gente vai transformar este país num país de alta competência educacional se não contratar professores, técnicos, se não fizer mais universidades.

Lula aproveitou para fazer propaganda de seu governo, afirmando que nos outros, apesar de alguns ministros da Educação já terem sido reitores, nunca o Palácio do Planalto recebeu todos de uma só vez.

Fonte: http://oglobo.globo.com/educacao/

Postado por Erismar Carvalho, às 10h30.

Itapipoca e Iguatu ganham Faculdade de Tecnologia

O governador do Ceará, Cid Gomes, decidiu instalar duas Faculdades de Tecnologia (Fatec) no interior do Estado — uma na cidade de Itapipoca, no litoral Norte do Estado, outra na de Iguatu, na região Centro-Sul. Na implantação de cada uma delas, serão investidos R$ 5 milhões.

Para dar início ao processo de instalação das duas faculdades, o secretário de Ciência e Tecnologia, René Barreira, promoveu, na semana passada, uma audiência pública em Itapipoca. A sociedade local, ao contrário do que se imaginou, impôs uma condição: que a Fatec de lá tenha, entre os seus cursos, um que se destine à graduação de técnicos e tecnólogos em agronegócio. Essa decisão revela que o povo é sábio, pois o que Itapipoca e os municípios do seu entorno necessitam mesmo é de uma escola superior que forme e oriente sua juventude para as necessidades do mercado de trabalho. O agronegócio é um setor da atividade econômica que cresce no Ceará, exigindo mão-de-obra cada vez mais qualificada. Esperamos que a sociedade de Iguatu, quando se reunir para debater sobre a implantação de sua Faculdade de Tecnologia, tome também uma posição adequada às necessidades de sua vocação econômica. 

Fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/

Postado por Erismar Carvalho, às 10h11.

Segurança Bancária: Bancos são multados em R$ 2,5 milhões por não cumprirem lei de segurança

Alguns dos principais bancos do país foram multados nesta terça-feira, dia 2, em R$ 2,525 milhões por descumprirem normas de segurança. Algumas instituições chegaram a ter agências interditadas.

As punições foram determinadas durante a 76ª reunião da Comissão Consultiva para Assuntos da Segurança Privada (CCASP), da Polícia Federal (PF), em Brasília. A CCASP, integrada por representantes dos bancos, bancários, empresas de segurança, vigilantes e Exército, dentre outros, julga os processos abertos em fiscalizações da PF.

O Banrisul foi o campeão, recebendo multas de R$ 1,670 milhão. O Banco do Brasil ficou em segundo lugar, com condenações no valor de R$ 345,5 mil. Além disso, foram interditadas sete agências e dois postos de atendimento do Banco do Estado do Pará (Banpará), Itaú e Nossa Caixa.

“Os banqueiros, apesar de seus lucros astronômicos, continuam descumprindo a lei federal nº 7102/83 e as portarias da Polícia Federal, uma vez que várias unidades funcionam com plano de segurança vencido, alarme inoperante e ausência de vigilante no auto-atendimento, dentre outras irregularidades”, afirma Gutemberg Oliveira, diretor da Fetec-SP e representante da Contraf/CUT.

Por falta de tempo, 121 processos contra bancos não foram apreciados e voltarão à pauta na próxima reunião. Também foram multadas diversas empresas de vigilância pelo descumprimento de normas de segurança.

Na parte da tarde, os membros da CCASP assistiram a uma exposição da Polícia Federal sobre o projeto de estatuto da segurança privada, a ser enviado ao Congresso Nacional, para atualização da lei nº 7.102/83.

Campanha Nacional 2008

O tema da segurança será tratado na próxima negociação entre o Comando Nacional dos Bancários e a Fenaban, agendada para os próximos dias 8 e 9. “Essas multas são a prova de que as agências precisam de melhores condições de segurança. Essa é uma responsabilidade dos bancos e vamos cobrá-los na mesa de negociação”, afirma Carlos Cordeiro, sercretário-geral da Contraf/CUT.

Veja os bancos multados e os respectivos valores:

– Banrisul: R$ 1.670.000,00
– Banco do Brasil: R$ 345.500,00
– Unibanco: R$ 120.000,00
– Itaú: R$ 110.000,00
– Real: R$ 100.000,00
– Bradesco: R$ 40.000,00
– HSBC: R$ 40.000,00
– Banco da Amazônia: R$ 40.000,00
– Nossa Caixa: R$ 20.000,00
– Caixa Econômica Federal: R$ 20.000,00
– Banif: R$ 20.000,00

Fonte: http://www.contrafcut.org.br/

Postado por Erismar Carvalho, às 09h46.

Bancos Federais: Negociação específica com o BB começa nesta quinta; com a Caixa, na sexta

O Comando Nacional dos Bancários, assessorado pela Comissão de Empresa dos Funcionários, inicia nesta quinta-feira 4 as negociações das questões específicas com o Banco do Brasil. A reunião com a direção do BB será às 14h, na sede da superintendência do banco em São Paulo. As discussões específicas dos empregados da Caixa Federal começam na sexta-feira 5, em Brasília.

“Entregamos a pauta de reivindicações específicas no dia 13 de agosto. O banco teve muito tempo para discutir e esperamos uma manifestação acerca da nossa pauta”, afirma Marcel Barros, coordenador nacional da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB. “Vamos cobrar também a prorrogação do acordo do ano passado enquanto negociamos as questões específicas deste ano.”

Clique aqui para conhecer as reivindicações específicas dos funcionários do BB .

E veja aqui as principais reivindicações específicas dos empregados da Caixa Federal .

Fonte: http://www.contrafcut.org.br/noticias.asp?CodNoticia=14363

Postado por Erismar Carvalho, às 09h43.

Democratas, rebaixado para a quinta divisão

 O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), está otimista. O partido corre o risco de perder as duas capitais que governa graças aos ainda fracos desempenhos de Solange Amaral (Rio) e Gilberto Kassab (São Paulo). Além disso, patina em Belo Horizonte (Gustavo Valadares, com 1%, segundo o último Ibope), Porto Alegre (Onyx Lorenzoni, 5%) e São Luís (Raimundo Cutrim, 5%). Mesmo assim, Rodrigo Maia aposta que o DEM vai pelo menos para o segundo turno em todas as 12 capitais em que disputa. As maiores chances são os empates técnicos que sustenta em Salvador, Fortaleza e Belém. Rodrigo Maia, morre de medo que seu partido repita no nível municipal o fiasco de 2006, quando elegeu apenas um governador e viu minguar sua bancada na Câmara. Tem mais aqui. É com essa “popularidade” que Rodrigo Maia, ameaçou no domingo, pedir o impeachment do Presidente Lula.

Relembremos a pesquisa publicada aqui no blog, aqui no site do Movimento de Combate à Corrupção, ou aqui no Estadão de 04/10/2007. O Democratas é o campeão dos políticos cassados por compra de votos ou corrupção, com 69 casos. No total, foram cassados quatro governadores e vice-governadores, seis senadores e suplentes, oito deputados federais, 13 estaduais e 58 vereadores..A verdade é que quando fala-se em casos de corrupção, o partido mais corrupto do Brasil é o DEM,. É bom lembrar que, até hoje a pesquisa não foi contestada por nenhum parlamentar do PFL/DEM.

Fonte: http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/

Postado por Erismar Carvalho, às 15h17.

Outra crise do fim do mundo e os números do Brasil real

Meu colega Fernando Rodrigues, da “Folha”, depois de passar uma temporada nos Estados Unidos, até estranhou as boas notícias que encontrou por aqui na semana passada e notou, surpreso, que não havia nenhuma grande crise em andamento.

Épocas eleitorais, como sabemos, são sempre propícias a denúncias bombásticas que possam mudar o rumo dos acontecimentos. 

No dia seguinte, estourou mais uma crise do fim do mundo, a dos grampos. O roteiro é sempre o mesmo: sai na “Veja”, vai para o “Jornal Nacional” e depois ganha as manchetes de todos os jornais nos dias seguintes. 

A denúncia: alguém grampeou os telefones dos presidentes do STF e do Senado. Fato gravíssimo, sem dúvida, mas ninguém até agora respondeu a esta singela questão: alguém quem?

Segundo a revista, que os demais órgãos de imprensa rapidamente incorporaram como verdade, sem apurar mais nada que confirmasse a tese, foram agentes da Abin, quer dizer, do governo. Daí para mais uma crise do fim do mundo é um pulo.

Só neste ano, já tivemos três: a pandemia de dengue que assolava o País, o iminente apagão energético e o estouro da inflação. Contrariando as previsões da imprensa, no entanto, como aconteceu com o furacão Gustav, o mundo não acabou, nenhuma dessas desgraças assolou o Brasil. 

Na noite de segunda-feira, após passar o dia em tensas reuniões no Planalto com as maiores autoridades da República, o presidente Lula decidiu afastar a direção da Abin e determinou investigações da Polícia Federal, fez o que lhe cabia. Mas, até agora, não se avançou um milímetro naquilo que a “Veja” publicou no fim de semana baseada num informante anônimo, segundo ela, da própria Abin.

A “Folha” desta terça, que dedica manchete e várias páginas ao assunto, mobilizando repórteres e seus principais colunistas, elenca dez perguntas sem resposta sobre o caso. Abre a lista exatamente com esta: “Quem ordenou o grampo?”.

Deixo o jornal sobre a mesa do café, sem encontrar resposta, saio meio desanimado com o que acabei de ler, abro o computador na página do iG e parece que entrei em outro País.

Manchete da home do portal: “Produção industrial cresce 8,5% em julho”. Diz a nota que, “segundo o IBGE, a produção industrial completa uma seqüência de 25 meses de aumentos”. 

Logo abaixo, a segunda notícia mais importante do dia: “Porto Alegre, Recife e Salvador têm deflação em agosto, mostra FGV”. Ou seja, não só a inflação não explodiu na crise do fim do mundo anunciada poucas semanas atrás pelos nossos mais badalados comentaristas econômicos, pois é, e ainda por cima, agora, temos deflação. 

O leitor pode escolher com qual País ficar: o dos gabinetes oficiais, com sua interminável crise política, sempre esgueirando o fim do mundo, ou o do Brasil real, que a cada dia apresenta novos números de produção e consumo capazes de impressionar a imprensa do mundo todo, menos a daqui. 

Escrito por Ricardo Kotscho.

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br/ricardo_kotscho/

Postado por Erismar Carvalho, às 12h57.

Tudo é possível

Todos os jornalões repetiram a mesma manchete do Jornal Nacional, de que o general Jorge Félix admitiu ser possível que agentes da ABIN tenham feito o suposto grampo como iniciativa individual.

Essa síndrome da manchete do JN é antiga. O pessoal que fecha a primeira página, em geral, costuma esperar o JN para escolher a manchete. Mas, desta vez, exageraram. O depoimento do general foi acompanhado por milhares de pessoas pela Internet. Para todo mundo que assistiu, ficou claro que o general falava sobre uma hipótese, não avalizava nada.

Ele responderia positivamente a qualquer das perguntas abaixo:

– O senhor acha possível que o Ministro Gilmar Mendes tivesse montado o grampo?

– Possível, sempre é. Provável, claro que não.

– O senhor acha possível que o Ali Kamel tivesse feito uma armação, a exemplo daquele episódio da espionagem do Marco Aurélio Garcia?

– É possível, sim. Mas muito improvável.

– É possível que o senador Demóstenes Torres tenha montado o grampo para incriminar a ABIN?

– É possível, mas não temos nenhuma evidência de que possa ter ocorrido.

Ou seja, na pergunta encaixa-se qualquer coisa. Por isso, a pergunta – e a manipulação da resposta – é muitissimo mais informativa do que a resposta em si.

O general Golbery tinha uma definição lapidar sobre verdades e mentiras. As verdades são sem-graça, são elas, revelam apenas o que dizem. Já a mentira, não, esta é riquíssima pois revela muitas intenções do mentiroso.

Fonte: http://www.projetobr.com.br/web/blog/5

Postado por Erismar Carvalho, às 11h55.

Presidente Lula cortou o mal pela raiz

Pelo noticiário de terça-feira, o “escândalo dos grampos” terá vida curta. Lula agiu rápido e foi certeiro no gatilho ao afastar a cúpula da Abin: até a oposição está elogiando a medida.

Agora virá uma longa investigação e lá por dezembro, quando o ano estiver acabando, sairá o relatório final do inquérito. Até lá, nem a anti-lulista Veja conseguirá manter o assunto na ordem do dia…

Fonte: http://www.blogentrelinhas.blogspot.com/

Postado por Erismar Carvalho, às 11h48.

Região Metropolitana de Fortaleza é a 3ª em geração de emprego no País

Foram criadas 5.990 ocupações formais, em julho, em Fortaleza e Região Metropolitana, segundo o Caged.

A Capital do Ceará e os municípios do seu entorno criaram 5.990 postos formais de trabalho em julho deste ano. O resultado, baseado nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, colocaram a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) em terceiro lugar no Ranking do Emprego entre as áreas metropolitanas do País. A RMF desbancou Belo Horizonte e Curitiba, que tradicionalmente ocupam essa posição.

O desempenho da Grande Fortaleza, conforme o Caged, foi motivado por fortes contratações com carteira assinada nas áreas de Indústria de Transformação (1.704 vagas em julho; + 1,29%), com destaque para indústria têxtil e de calçados (1.190); e serviços (1.624; +0,69%). A construção civil não foi a que mais empregou em termos absolutos, mas apresentou taxa de crescimento em relação ao estoque do mês anterior de 2,51%.

 

RANKING

As áreas metropolitanas de São Paulo e Rio de Janeiro seguem nas duas primeiras colocações do ranking, com 31.392 e 13.938 novas vagas em julho passado, respectivamente. Belo Horizonte e entorno ficaram com a quarta colocação (5.775), seguida por Curitiba, que gerou 5.195 postos de trabalho. No ranking de janeiro a julho deste ano, a Região Metropolitana de Fortaleza cai para a 6ª posição, com a criação de 20.623 vagas com carteira assinada. A variação da RMF no saldo de empregos celetistas é de 4,06%, no período.

O topo da lista segue com as regiões metropolitanas de São Paulo (248.468) e Rio de Janeiro (70.834).

Belo Horizonte e entorno ficaram com a terceira colocação ao gerar 62.883 vagas celetistas e apresenta a maior taxa de crescimento entre as nove áreas analisadas, com 5,34%.

Em seguida, vêm as áreas de Curitiba e Porto Alegre, com 40.095 e 32.382 vagas, respectivamente.

Vale ressaltar que o desempenho da RMF, tanto para o mês de julho quanto para o acumulado de 2008, é o melhor entre as áreas metropolitanas do Nordeste. Em julho, Recife fica na 7ª posição, com 2.943 postos, e Salvador, em 9ª, com apenas 96 empregos. Entre janeiro e julho, a região pernambucana cai para a 8ª colocação, ao passo em que a baiana e entorno sobem para o 7º lugar no ranking, com 19.601 e 10.314 vagas, respectivamente.

Fonte: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=569024

Postado por Erismar Carvalho, às 11h26.

 

Fortaleza lidera taxa de ocupação jovem no Nordeste

Avanços em educação, emprego e renda elevam confiança do jovem brasileiro, que se revela o mais otimista do mundo.

Embora não seja uma das capitais mais jovens do País, Fortaleza registra alguns avanços em relação à educação e, principalmente, trabalho. É Capital nordestina com maior índice de ocupação (63,15%) no mercado, considerando a população de 22 a 29 anos. No País, a posição de Fortaleza neste ranking é a 14ª. O desemprego nessa faixa etária(13,98%) é o menor verificado na região Nordeste. As constatações fazem parte da pesquisa do Ibre/FGV (Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getúlio Vargas), divulgada ontem.

Outra revelação do estudo sobre o Mercado de Trabalho dos Jovens no Brasil é que o índice trabalhista entre a população de 15 a 29 anos de Fortaleza é 0,17. Isso coloca a Capital cearense na 13ª posição, entre as 27 capitais pesquisadas, e na quarta posição regional, atrás de Natal (RN), Recife (PE) e Aracaju (SE). O ranking é liderado por Vitória (ES), com um índice de 0,47. Esse dado é um dos que compõem o Ijet (Índice de Juventude, Educação e Trabalho), um dos três eixos das decomposições trabalhistas analisados na pesquisa.

Conforme o estudo, trata-se de ´uma espécie de metodologia Lego — o brinquedo de montar — explicando os pedaços das mudanças de renda do jovem brasileiro´. Segundo microdados do Censo, do IBGE, a Capital cearense não é uma das cidades mais jovens do País: ocupa o 17º lugar entre as 27 pesquisadas em proporção de jovens, cerca de 29,72%. A liderança é de Palmas (TO), onde as pessoas de 15 a 29 anos de idade representam 34,91% da população. Apenas Natal (TO) e Recife (PE) ficam atrás de Fortaleza em proporção de jovens, se considerada a região Nordeste, com 29,41% e 28,87%, respectivamente.

EMPREGABILIDADE JUVENIL
Capital possui 4º melhor índice do NE

De cada cem jovens de Fortaleza, 3,59 conseguiram emprego com carteira assinada nos últimos quatro anos. É o 14º melhor índice do País e o quarto entre os estados do Nordeste. O maior índice de empregabilidade jovem foi verificado em Vitória (ES), onde 11,20% da população nessa faixa etária se empregou entre os anos de 2004 e 2008.

A renda dos jovens também melhorou no Ceará: passou da faixa de R$ 150 a R$ 250, em 1992, para R$ 250 a R$ 350, em 2006. Mas ainda é baixa, como todo o Nordeste, em relação a estados do Sul e Sudeste, onde a renda, com exceção de Minas Gerais e Santa Catarina, é de R$ 450 a R$ 533.

Na população entre 15 e 29 anos, a renda de todas as fontes chega, em média, a R$ 186,79 (de acordo com dados de 2006), bem abaixo da média nacional, de R$ 324,74. Se considerada apenas a Região Metropolitana de Fortaleza, é maior: R$ 241,99. O Índice de Desenvolvimento Educacional também é baixo, mostrando, segundo Marcelo Neri, a estreita relação entre anos de estudo e rendimentos.

Embora tenha passado de 0,44 para 0,56, de 2005 para 2007 (uma variação de 26,92%, a 12ª maior), é o sétimo mais baixo do País. ´É baixo, acompanha os demais [estados] do Nordeste, mas tem melhorado´, diz Neri. Apenas São Luís (MA) e João Pessoa (PB) aparecem melhor posicionadas que Fortaleza.

Dos jovens entre 15 e 29 anos, 42,48% freqüentam a escola na capital cearense (17ª do levantamento). Os anos de estudo chegam a 7,82 — 20ª da lista, com 1,64 ano a menos do que a líder, Santa Catarina.

Matéria completa: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=569007

Postado por Erismar Carvalho, às 11h15.

Você sempre bem informado(a)