Bruna Barboza Lino: Aluna da USP que caiu em fosso de elevador é enterrada em SP

Foto: Reprodução/Facebook

O corpo da aluna do 1º ano do curso de Letras da Universidade de São Paulo (USP) Bruna Barboza Lino, de 19 anos, que morreu ao cair de uma altura de cerca de 10 metros – o equivalente a três andares -, dentro do fosso de um elevador em construção foi enterrado nesta segunda-feira (16), às 11h, no Cemitério Vila Pauliceia, em São Bernardo do Campo, cidade onde mora a família da estudante. O acidente aconteceu a madrugada deste domingo (15) no campus da universidade no Butantã, zona oeste de São Paulo.

A obra pertence ao Instituto Butantã e fica ao lado do Paço das Artes, na Avenida da Universidade. Segundo dois colegas de faculdade que moravam com Bruna e estavam com ela no momento do acidente, o grupo foi a uma festa dentro do câmpus e já estava no ponto de ônibus para voltar para casa, quando a estudante disse que precisava ir ao banheiro e se afastou. Em seguida, eles ouviram um grito e encontraram o corpo da universitária no chão. O serviço de resgate foi acionado, mas a equipe constatou a morte no local.

À polícia, as testemunhas disseram que estavam na obra apenas para “passar o tempo”. Guardas do câmpus afirmam que o prédio é constantemente invadido para festas de universitários à noite. O delegado de plantão do 91º Distrito Policial, do Ceagesp, Fernando Antonio Terzidis, afirmou que a obra tem uma fita de contenção no andar em que a jovem sofreu a queda.

Os dois amigos que estudavam Letras com Bruna e moravam no mesmo apartamento no Jaguaré, na zona oeste, afirmam que não havia nenhum tapume no prédio e que a entrada nele era livre. Um deles sofreu arranhões ao tentar resgatar a estudante do fundo do fosso e está em estado de choque, de acordo com familiares.

O corpo de Bruna foi liberado do Instituto Médico-Legal na tarde de domingo (15) reconhecido pela irmã da estudante Barbara Barboza Lino, de 24 anos. “Nós desconfiamos que ela não tenha visto o fosso na escuridão”, afirmou.

Planos

Bruna era uma das filhas do meio entre seis irmãos. Seu pai é aposentado e tem 86 anos. “Ela estava muito feliz no curso que fazia, vivendo a vida de toda jovem. Qualquer pessoa que conhecia a Bruna via que era só alegria”, disse a irmã. Além de estudar, a jovem trabalhava como atendente em uma editora. Ela planejava optar pela ênfase em Francês.

Em nota, a assessoria de imprensa do Instituto Butantã lamentou a morte da estudante e informou que “está à disposição para as investigações”. Segundo o órgão, a obra está cercada por grades, muros e outros materiais, o que impediria a entrada de pessoas.

A reitoria da USP afirmou que a obra estava abandonada, mas o Instituto Butantã não se manifestou sobre o assunto. A assessoria não informou qual a finalidade da construção. Em nota, a USP também lamenta o acidente.<p><p>A polícia apura se foram tomadas todas as medidas para evitar acidentes e isolar o fosso. Também será analisado se o grupo invadiu o prédio. Festas no campus têm de ser autorizadas pela reitoria. O caso será investigado pelo 93º Distrito Policial, do Jaguaré.

(Último Segundo)

 

Ceará tem seis cursos de pós-graduação de nível internacional

Seis cursos de Universidades Públicas do Ceará obtiveram nota 6 na avaliação trienal dos Programas de Pós-Graduação (PPG) desenvolvida pelo Ministério da Educação. Entre os critérios da avaliação estão a infraestrutura, a proposta do programa, análise do corpo docente e discente e produção intelectual. A divulgação do resultado aconteceu na tarde desta terça-feira (10), na sede da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em Brasília.

Para participar da avaliação, os PPG’s realizam um relatório das atividades desenvolvidas do programa durante o ano e, em seguida, as informações são consolidadas pelo corpo técnico da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), para então serem analisadas pelas comissões de área (com 1200 consultores), onde darão notas de 1 a 7. Os resultados das comissões são analisados e ratificados/retificados no Conselho Técnico Científico (CTC) – colegiado das 48 áreas) e finalmente homologados pelo Conselho Nacional de Educação.

Notas
Os programas avaliados receberam conceitos na seguinte escala: 1 e 2, que descredenciam o programa; 3, que significa desempenho regular, atendendo ao padrão mínimo de qualidade; 4 é considerado um bom desempenho, e 5 é a nota máxima para programas com apenas mestrado. Conceitos 6 e 7 indicam desempenho equivalente ao alto padrão internacional. A cada três anos, todos os cursos em funcionamento são reavaliados.

Ceará
Entre as Universidades Públicas, 21 cursos receberam nota 3, 39  foram avaliados com nota 4, 14 com nota cinco e seis cursos com nota seis. Desses seis cursos com nota 6, cinco são da Universidade Federal do Ceará e um da Universidade Estadual do Ceará. Já o Instituto Federal do Ceará obteve nota 3 nos cursos Tecnologia de Alimentos e Tecnologia e gestão ambiental.

> LEIA MAIS

Dos 56 cursos avaliados, a Universidade Federal do Cerá obteve 6 resultados com a nota 6. Para o pró-reitor de pesquisa e pós-graduação da UFC, Gil de Aquino Farias, o resultado é consequência do trabalho que vem realizado desde 2007. Apesar do número de áreas e de professores em pós-graduação ainda ser pouco, o pró-reitor destaca que a vontade da universidade é ampliar e incentivar a pesquisa.

Todo ano a universidade realiza uma avaliação interna para cada vez mais avançar nesses resultados, para isso, instituição, professores e estudantes trabalham em conjunto com o objetivo de crescer internacionalmente: “Acredito que estamos no caminho certo. Agora precisamos manter o padrão e continuar caminhando. Queremos que os cursos avaliados com a nota 5 cresçam para 6 e os de nota 6 cresçam para 7.”

O curso de Medicina Veterinária da Uece, foi o único dos 22 avaliados que obteve nota 6. Dárcio Teixeira, coordenador da pós-graduação, destaca que o curso também foi o único que obteve nota 6 em toda a região Norte e Nordeste e declara: “A Universidade se empenha em obter mais recursos e ampliar o número de bolsas para continuar crescendo e realizar pesquisas em conjunto com outros países.”

A Pós-Graduação do IFCE recebeu nota 3 nos cursos “Tecnologia de Alimentos” e “Tecnologia e Gestão Ambiental”. Divulgação: Site oficial.

Já a Pós-Graduação do IFCE recebeu nota 3 nos cursos “Tecnologia de Alimentos” e “Tecnologia e Gestão Ambiental”. Glendo Guimarães, coordenador de pós-graduação da entidade comenta: “É com muita satisfação que recebemos essa notícia. Nosso objetivo é alcançar a nota 4,  para isso vamos expandir os Programas de Pós-Graduação, inserir novos docentes e incentivar os alunos a aumentarem a produção.”

Histórico – A avaliação da pós-graduação stricto sensu é realizada pela Capes desde o ano de 1976. Ao longo de quase 40 anos, se consolidou como instrumento de grande importância para o Sistema Nacional de Pós-Graduação e para o fomento, tanto por parte das agências brasileiras, vários setores governamentais e não governamentais, bem como dos organismos internacionais.

(Rosana Romão, Tribuna do Ceará)

Santander destina 200 bolsas de estudo para professores e pesquisadores

A Divisão Global Santander Universidades, do Banco Santander, está com as inscrições abertas para a concessão de 200 bolsas de estudo para professores e pesquisadores. O projeto de pesquisa será conduzido em universidades da comunidade ibero-americana, sendo que as inscrições permanecem abertas até o dia 3 de março de 2014. 

Para participar, os interessados devem se inscrever exclusivamente online, enviando todos os documentos necessários. É importante lembrar que os selecionados deverão, ao término da pesquisa, elaborar um resumo da atividade realizada. Esse documento deve ter uma extensão de aproximadamente 5 folhas.

O objetivo do programa é incentivar a colaboração entre as universidades ibero-americanas, bem como a pesquisa realizada por jovens professores e pesquisadores com base na inovação. Para mais informações, acesse o edital da chamada.

(Paraíba Total)

 

USP tem melhor mestrado e doutorado do País

Maior universidade pública do País, a Universidade de São Paulo (USP) manteve o título de instituição com maior concentração de programas de mestrado e doutorado de alta qualidade no Brasil, com quase 22% de todos os conceitos seis e sete registrados na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Ensino Superior (Capes). Mas, este ano, a instituição teve 36 cursos que perderam qualidade entre 2010 e 2013. 

Há cursos que caíram de posição em praticamente todas as áreas, incluindo exatas, saúde, ciências humanas. Em apenas um caso, no entanto, a queda foi significativa: Estudos da Língua e Literatura em Inglês passou de uma avaliação 6, o que é considerado de nível internacional, para 4 – ainda considerado bom, mas fora mesmo do nível de excelência nacional. 

A instituição também teve 35 programas de subiram de conceito, especialmente no topo da avaliação. Nove passaram do conceito seis para a nota máxima, sete, todos na área de ciências da saúde. Outros 12 conseguiram avançar do conceito cinco para o seis, de qualidade internacional. Na ponta de baixo, a evolução foi menor. Apenas dois cursos com conceito três subiram para quatro. As avaliações um e dois, que podem levar ao descredenciamento dos programas, não foram divulgadas ontem, já que ainda cabe recurso por parte das instituições. 

A USP tinha 189 programas avaliados pela Capes em 2010. Este ano, passou para 230. A instituição concentra quase 22% dos programas de pós-graduação brasileiros com conceitos 6 e 7, tratados pelo Ministério da Educação como de qualidade equivalente a instituições internacionais. Este ano, foram 44 doutorados e mestrados com conceito sete, enquanto em 2010 eram 27. No entanto, o número de avaliações três também cresceu, de seis para 15. 

A avaliação divulgada nesta terça mostra que os bons programas de pós-graduação ainda se concentram nas instituições públicas. Apenas 12%, ou 406 cursos no País, são considerados de qualidade internacional pela Capes e, desses, apenas 27 são de instituições privadas. 

Além da USP, as campeãs são as Federais do Rio de Janeiro, com 33 programas, de Minas Gerais, com 31 e do Rio Grande do Sul, com 30. Em São Paulo, a Universidade Estadual de Campinas também possui 33 programas entre aqueles com melhores avaliações. Entre as particulares, a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul é a melhor colocada, com 11. A do Rio de Janeiro vem em segundo, com nove programas. Em São Paulo, a PUC tem dois, em Serviço Social e Psicologia da Educação. 

A maioria dos programas de pós-graduação ainda estão nos níveis três e quatro, de razoável a bom. A avaliação trienal da Capes mostra que, dos 3.337 programas, incluindo 5.082 mestrados, doutorados e mestrados profissionais, 31,6% tiveram conceito três e 36,5%, quatro. 

Sete programas tiveram conceito 1 e 53, conceito 2. Esses já são considerados descredenciados pela Capes, mas não foram divulgados ontem pelo MEC. Ainda cabe recurso por parte das instituições, que terão 30 dias para pedir à Capes a revisão da avaliação. Mas, de acordo com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, “é pouco provável que haja mudanças”. 

(Lissandra Paraguassu, Estadão Online)

Luma Nogueira: Primeira travesti professora universitária do Brasil recebe posse em Redenção

A Universidade de Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), deu posse, na manhã desta segunda-feira (9), à primeira travesti professora universitária de uma instituição federal no Brasil. O ato de posse  a Luma Nogueira de Andrade foi realizado no município de Redenção, a 55 km de Fortaleza.

Luma Nogueira (esquerda) é a única travesti doutora do Brasil Foto: Divulgação

Graduada em Licenciatura em Ciências, pela Universidade Estadual do Ceará (Uece), Luma tem mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente, pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UFRN), e doutorado pela Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Em 2012, quando Luma apresentou o estudo “Travestis na Escola: Asujeitamento e Resistência à Ordem Normativa”, ela se tornou a primeira e única travesti doutora do Brasil”. Na Unilab, Luma vai integrar o Instituto de Humanidades e Letras (IHL).

Antes de ingressar na universidade federal como docente, Luma era professora concursada da rede estadual de ensino e trabalhava como superintendente escolar da Secretaria de Educaçãodo Estado do Ceará, em Russas. A doutora classificou sua titulação como “um momento simbólico de libertação e respeito aos direitos humanos”.

“Busquei na educação formas de superar as dificuldades financeiras, sociais e, principalmente, o preconceito por ser travesti. Hoje é um dia de vitórias, conquistas e superação. É um marco para o movimento LGBT“, completou Luma.

(Diário do Nordeste)

Prefeitura de Fortaleza não pagará mais pela renovação de carteiras para estudantes universitários

A Prefeitura de Fortaleza não pagará mais pela renovação de carteiras estudantis de alunos de universidades públicas localizadas no Município. A informação foi confirmada nesta terça-feira, 10, pela assessoria de imprensa da Prefeitura, que afirma que o benefício será custeado apenas para alunos da rede pública de Fortaleza.

Segundo a gestão, não há “qualquer fundamento jurídico” ou “justificativa lógica” para o Município arcar com despesas de instituições estaduais ou federais. Com a mudança, estudantes de instituições como Universidade Estadual do Ceará (Uece), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) e Universidade Federal do Ceará (UFC) terão que arcar com o custo das carteiras. 

Atualmente, o documento custa R$ 10, mas são previstas uma série de isenções, inclusive para pessoas de baixa renda. Na gestão passada, a Prefeitura de Fortaleza custeava todas as carteiras de estudante confeccionadas no Município. No caso da UFC, parte do dinheiro das carteirinhas era repassado para o Diretório Central de Estudantes (DCE) da universidade – o que era criticado por alguns setores do movimento estudantil. Com a mudança, isso deixará de ocorrer e a gestão espera otimizar os recursos.

O corte foi confirmado após o vereador João Alfredo (Psol) levantar suspeitas sobre reduzido valor destinado pela Prefeitura para confecção de carteiras estudantis no Orçamento para 2014. Para o próximo ano, está previsto gasto de R$ 1,42 milhão para compra e distribuição dos documentos.

(Carlos Mazza, O Povo Online)

IMPARH lança edital de seleção com 500 vagas para Centro de Línguas

Prefeitura de Fortaleza, por meio do Instituto Municipal de Pesquisas, Administração e Recursos Humanos – IMPARH abre inscrições para a seleção do primeiro semestre de 2014 do Centro de Línguas. O edital traz um quadro de 500 vagas para cursos de língua portuguesa, inglesa, francesa, espanhola, alemã e italiana. As inscrições seguem até 22 de dezembro por meio do preenchimento do formulário (no link abaixo).

Metade das vagas são destinadas a estudantes da rede pública de ensino. Vale salientar que só podem participar da seleção os candidatos acima de 14 anos e que estejam cursando, no mínimo, o 9º anos do ensino fundamental. A inscrição só será deferida após o candidato imprimir e pagar o boleto no valor de R$ 50,00. A seleção consistirá em uma prova objetiva com 40 questões  de conhecimentos gerais e língua portuguesa, que será aplicada 12 de janeiro em locais posteriormente divulgados.

Os estudantes da rede pública de ensino devem entregar na Diretoria de Concursos e Seleções – DCS, no IMPARH, de 19 de novembro a 27 de dezembro, uma declaração, juntamente com o comprovante de inscrição, para que possam  concorrer às vagas exclusivas para estudantes da rede pública de ensino. Os candidatos que não entregarem no período, serão remanejados para a ampla concorrência.

:: Mais

Endereço do IMPARH: Avenida João Pessoa, 5609 – Damas

Mais informações: DCS – (85) 3433.2985 | (85) 34332989

:: Links

15.11.2013 – Edital nº 35/2013

15.11.2013 – Inscrição para Ampla Concorrência

15.11.2013 – Inscrição para Estudantes da Rede Pública de Ensino

15.11.2013 – Reimpressão de Boleto

(Imparh)

Ceará tem 1,1% de estudantes ultra inteligentes em Matemática; estado é o 6º do Brasil

Pedro Costa é medalhista de ouro por 5 vezes consecutivas na Olimpíada Brasileira de Matemática

Pedro Henrique Alencar Costa, de 16 anos, é um aluno dedicado. Medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas(Obmep) na categoria 3 (ensino médio), o jovem acorda muito cedo para ir ao Colégio Militar de Fortaleza. Durante a manhã, ele cursa as aulas regulares do 1º ano do Ensino Médio e à tarde continua na instituição para as aulas especializadas, destinadas ao aprofundamento do conhecimento visando os concursos e olimpíadas nacionais.

Ele quase não fica em casa. O colégio é sua 2ª residência. Geralmente as aulas vão até as 20h30. Vez ou outra sai às 16h30. É uma rotina dura. Quando indagado sobre atividades de lazer, Pedro responde: “Lazer? Só no final de semana.”.

A rotina de Pedro Costa é semelhante a dos estudantes cearenses considerados ultra inteligentes pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). No Ceará, 1,1% dos estudantes entrevistados no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa – sigla em inglês) 2012 são considerados top performers. O órgão aplica o Pisa a cada três anos.

No ranking de estados com maior taxa de estudantes ultra inteligentes em Matemática, o Ceará se encontra em 6º, com a mesma pontuação de São Paulo. Chamados de top performers pela OCDE, os alunos que apresentam maior desempenho no Pisa são “capazes de desenvolver e trabalhar com modelos de situações complexas, e trabalhar estrategicamente usando habilidades amplas, bem desenvolvidas de pensamento e raciocínio”.

Para alcançar o topo, é preciso estar entre os níveis 5 e 6 – o último – no Pisa 2012. De acordo com esses níveis, classifica-se o desempenho do aluno em: muito alto (ultra inteligentes – níveis 5 e 6), alto (nível 4), regular (níveis 2 e 3) e baixo (Nível 1 ou abaixo disso) Em casos de empate, venceram os estados com menor percentual de alunos de desempenho baixo.

Desempenho em Matemática

A competência dos alunos cearenses em Matemática foi comprovada durante a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep). A competição é promovida pelos ministérios da Educação e da Ciência e Tecnologia e Inovação, pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) e tem o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). Na relação, o Ceará obteve 12 medalhas de ouro, 30 de prata e 140 de bronze. Entre os medalhistas de outro, 10 eram do Colégio Militar.

Desde a primeira edição da Obmep, em 1995, o Colégio Militar vem alcançando excelentes resultados. Este ano, dos 57 alunos classificados para a segunda fase, 54 foram premiados com medalhas de ouro, prata, bronze, ou, com menção honrosa. Esses resultados são recebidos com muito orgulho por parte do professor e coordenador do ensino em Matemática, Major Klinger: “Em termos de resultado é um dos melhores já alcançados. Realmente é muito satisfatório, mas acreditamos que sempre é possível melhorar.”, explica.

Segundo o professor, O CMF procura oferecer aulas voltadas para essas competições, mas o sucesso nos resultados deve-se tanto pela qualidade do ensino ministrado quanto pela busca dos alunos em aprofundar os conhecimentos adquiridos. Além disso, o apoio da família e da escola é fundamental para incentivar esses alunos a participarem dessas competições.

Pedro Costa é a prova desse sucesso

Aluno do CMF desde 2009, Pedro é medalha de ouro pela 5ª vez consecutiva e já participou dos três níveis da competição: nível 1, para alunos do 6º ao 7º ano, nível 2, para alunos do 8º ao 9º ano, e nível 3, para alunos do ensino médio. Com preparo e determinação, Pedro dedica-se a competições nacionais e internacionais e alcança resultados positivos.

Por conta de seu desempenho na Obmep, Pedro ganhou uma bolsa do Programa de Iniciação Científica (PIC) e outra da Preparação Especial para Competições Internacionais (PECI), que o possibilitou a assistir aulas no Rio de Janeiro destinadas aos 13 alunos de nível mais elevado, e, consequentemente, participou duas vezes daOlimpíada Matemática Rioplatense, que conta com a participação dos melhores alunos da América Latina.

Para Pedro, a experiência nessas competições é muito incentivadora, mas ressalta que é necessário esforço e habilidade: “Além do estudo normal do dia-a-dia, é preciso gostar de participar de olimpíadas. Além disso, eu vejo como uma espécie de dom, pois algumas pessoas tem mais facilidade e outras encontram mais dificuldade para obter um bom resultado.”

(Rosana Romão, Tribuna do Ceará)

Crato e outros 41 municípios são pré-selecionados para ter curso superior de medicina

O Ministério da Educação divulgou nesta terça-feira (3) a relação de 42 municípios pré-selecionados para a implantação de novos cursos de graduação em medicina por instituições particulares de ensino superior. Para ser selecionado, o município deverá atender, obrigatoriamente, aos seguintes critérios: ter no mínimo 70 mil habitantes; não ser uma capital e não ter curso de medicina em seu território. São Paulo é o estado com mais municípios pré-selecionados: 16. A portaria foi publicada no “Diário Oficial da União”.

MUNICÍPIOS PRÉ-SELECIONADOS
Bahia:
 Alagoinhas, Eunápolis, Guanambi, Itabuna, Jacobina e Juazeiro
Ceará: Crato
Espírito Santo: Cachoeiro de Itapemirim
Goiás: Aparecida de Goiânia
Maranhão: Bacabal
Minas Gerais: Muriaé, Passos, Poços de Caldas e Sete Lagoas
Pará: Ananindeua e Tucuruí
Pernambuco: Jaboatão dos Guararapes
Piauí: Picos
Paraná: Campo Mourão, Guarapuava e Umuarama
Rio de Janeiro: Três Rios
Rio Grande do Sul: Erechim, Ijuí, Novo Hamburgo e São Leopoldo
São Paulo: Araçatuba, Araras, Assis, Bauru, Cubatão, Guarujá, Indaiatuba, Jaú, Limeira, Mauá, Osasco, Pindamonhangaba, Piracicaba, Rio Claro, São Bernardo do Campo e São José dos Campos.

De acordo com a portaria, os municípios pré-selecionados receberão visita da comissão de especialista para verificação da estrutura de equipamentos públicos e programas de saúde existentes. Esta será a segunda etapa do processo. A terceira etapa será a análise de projeto de melhoria destes equipamentos.

Os municípios que não foram pré-selecionados têm até o dia 9 para entrar com recurso. O resultado final será divulgado no dia 18 de dezembro, e dois dias depois ocorre a publicação no “Diário Oficial da União”.

A medida ocorre após a presidente Dilma Rousseff sancionar a lei que cria o programa Mais Médicos. A lei também prevê a criação de 11.447 vagas em faculdades de medicina até 2017. O programa tem o objetivo de levar profissionais brasileiros e estrangeiros para atender a população em áreas carentes das periferias de grandes cidades e no interior do país.

(G1 Ceará)

UFC abre inscrição para curso preparatório do Enem em Fortaleza

O programa Pré-Vestibular do Centro de Ciências da Universidade Federal do Ceará (UFC) está com inscrições abertas para o curso preparatório do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do próximo ano. São ofertadas 400 vagas para formação de seis turmas. Podem participar candidatos que concluíram o ensino médio ou que ainda estejam cursando.

As inscrições devem ser feitas no Campus do Pici, que fica na Avenida Mister Hull, s/n, emFortaleza. O horário de inscrição é de 15h às 19h, no bloco 902. É necessário apresentar identidade oficial com foto, cópia do histórico escolar ou certificado de conclusão do ensino médio ou ainda declaração da instituição de ensino que conste que o candidato está cursando o 2º ano ou 3º ano.

A matrícula custa R$ 60,00 mais uma resma de papel tamanho A 4. A mensalidade  é de R$ 75,00. As aulas devem começar no dia 6 de janeiro de 2014 e ocorrem de segunda a sexta-feira, das 18h30 às 22h, e aos sábados, das 8h às 11h30. As inscrições seguem até o preenchimento total das vagas. Mais informações pelo telefone (85) 3366 9780, a partir das 15h.

(G1 Ceará)

Rede Master de Ensino, de Fortaleza, abre unidade em Natal

Nazareno, com sua esposa Herbene, comanda o grupo.

A Rede Master de Ensino, sob comando do professor Nazareno Oliveira, conta agora com uma unidade em Natal (RN). É o Master Natal, que nasce de uma parceria com o Colégio Itaece.

Bom lembrar: O Master tem unidades ainda na Avenida Bezerra de Menezes, Cidade dos Funcionários e Aldeota.

Via Blog do Eliomar

Max Gehringer e Chiavenato realizam palestra gratuita em Fortaleza

Max Gehringer e Chiavenato são as grandes atrações do Universo Estácio (FOTO: Divulgação)

Dos dias 30 de outubro a 03 de novembro, o Centro Universitário Estácio FIC realiza a primeira edição do Universo Estácio, um evento na área de ensino, pesquisa e extensão. Com debates em torno do tema central: “Ética e Ciência Sustentável”, são esperadas cerca de 30 mil pessoas para acompanhar a programação, que irá dispor de palestras, mesa-redonda, fórum, além da Inauguração do Centro Universitário Estácio FIC Parangaba e da III Corrida e Caminhada Estácio.

Para abrir a programação, nesta quarta-feira (30), às 18h, no Centro de Eventos do Ceará, além de solenidade com a presença de autoridades, congressistas e da sociedade em geral, será realizada palestra do administrador e escritor Max Gehringer, que é tido como um dos melhores palestrantes do mundo, segundo o ranking Top of Mind. Na ocasião, ele fará uma grande explanação sobre Motivação e Liderança, duas de suas expertises.

I Congresso de Saúde Estácio

Já no dia seguinte (31), no Marina Park Hotel, serão realizadas as atividades do I Congresso Nacional de Saúde Estácio. Este contará com cerca de 180 simpósios, onde também serão apresentados trabalhos científicos. Dentre os assuntos que serão abordados podemos destacar: Prevenção de Doenças Crônicas, Etiologia da Doença de Chagas, Pesquisas nas Áreas de Medicina e Fisiopatologia, Reeducação Postural Global (RPG) etc. Este, inclusive, será apresentado pelo criador do RPG, o francês Philippe Souchard.

Outros grandes nomes e lideranças na área da saúde também estarão presentes, como o pós-doutor da Unicamp, Dr. Eduardo de Figueiredo; a professora doutora Sônia Tucunduva; o diretor do Centro de Conhecimento de Saúde da Estácio, Dr. Sergio Cabral, que também ocupou nos últimos três anos o cargo de presidente do IPA – International Pediatric Association, entidade com representatividade em 145 países; entre outros. “Teremos neste congresso uma gama de trabalhos científicos a serem apresentados por pesquisadores e cientistas de todos os cantos do País. Tenho certeza que muito do que for apresentado e debatido na programação será de grande valia para avanços na saúde brasileira”, comenta a reitora do Centro Universitário Estácio FIC, Ana Flávia Chaves.

Idalberto Chiavenato

No dia 1º de novembro, às 19h, na Unidade Estácio Via Corpus, o mundo da administração se voltará para o Universo Estácio, isto porque um de seus maiores ícones, o paulista Idalberto Chiavenato, escritor de mais de quarenta livros da área, publicados em diversos países, ministrará palestra sobre “Gestão Eficaz: técnicas inovadoras para resultados revolucionários”.

III Corrida e Caminhada Estácio

No encerramento da primeira edição do Universo Estácio acontecerá a III Corrida e a Caminhada Estácio. A largada está prevista para as 7h, no Aterro da Praia de Iracema, com percurso de 10 km ou 5 km de corrida e 3 km de caminhada e deve contar com cerca de 2,5 mil participantes, entre maratonistas, estudantes e a sociedade em geral. “O evento tem o objetivo de ser, além de uma corrida, um momento de integração entre todos os que farão o Universo Estácio e a população cearense, que será testemunha da gama de contribuições técnicas e científicas que serão deixadas pelo Universo Estácio”, afirma Ana Flávia.

Para mais informações acesse o site do evento.

(Tribuna do Ceará)

Transexuais são humilhadas na hora de prestar o ENEM

Candidatas transexuais passaram por momentos de constrangimento neste final de semana durante as provas do Enem 2013 (Exame Nacional do Ensino Médio). As estudantes relataram ter de passar por rigorosa fiscalização de seus documentos, com mais de um fiscal, e ser obrigadas a usar o banheiro de gênero diferente daquele com o qual se identificam.

“[Eles] se dirigiram a mim no masculino e isso pesa no meio da prova, ser identificado com algo que você não é no meio de todo mundo causa constrangimento”, reclama Helena Brito, 25. “Além de todo o nervosismo de uma prova, ainda tenho que enfrentar isso”, afirma a candidata que prestou o Enem em uma escola da zona oeste de São Paulo.

A fobia social e o temor do preconceito levou a estudante a tomar calmantes antes do exame. “Tive que me medicar para poder fazer uma prova, coisas que outras pessoas não precisam. Eu acredito que meu desempenho foi afetado por causa do calmante já que quase cochilei no meio da prova”, conta.

O mesmo tipo de situação embaraçosa aconteceu em uma faculdade de Sete Lagoas (MG). “Na entrada, tinha uma pessoa que pegava os documentos e mandava para o lugar. Ele pegou meu documento e gritou meu nome civil no meio de todo mundo. Foi bem constrangedor”, contou Beatriz Trindade, 19, que disse ter pedido para que o nome civil não fosse dito alto.

A estudante disse ainda que teve problemas na identificação dentro da sala de prova. “Cheguei para fazer a prova uns 20 minutos antes. Uma das fiscais teve dúvidas e não achou que era eu pela foto. Meu documento passou pela mão de umas três pessoas para me reconhecerem.” Segundo a candidata, todas as pessoas da sala perceberam que ela era transexual por conta do transtorno na identificação.

preconceito transexual enem 2013
A transexual Ana Luiza Cunha (Arquivo pessoal)

“Todos estavam olhando e ainda tinha vários homens na sala. É ruim. Tinha certeza que isso ia acontecer de novo, como foi no Enem do ano passado. É terrível”, lamentou a candidata. “Ninguém tem preparo para atender um transexual”, considera Beatriz.

Retirada da sala

A estudante Ana Luiza Cunha de Silva, de 17 anos, afirmou que já estava sentada na carteira, com seu cartão de respostas do Enem, quando foi retirada da sala em que estava, em Fortaleza, e teve que passar por duas salas até ser liberada para fazer as provas de ciências humanas e ciências da natureza no sábado. Segundo ela, todo o processo durou entre 15 e 30 minutos, mas ela não chegou a perder tempo de prova porque chegou ao local do exame antes mesmo da abertura dos portões.

Ana Luiza, que adotou seu nome social aos 14 anos, conta que primeiramente foi levada à sala de uma subcoordenadora do Enem no seu local de provas. “Ela foi verificar a identidade, e perguntou por que não mudei meus documentos”, explicou. A adolescente explicou que já procurou seu advogado para fazer o trâmite, mas que, segundo ele, no Brasil só é possível iniciar o processo de troca do nome civil após os 18 anos, que ela só vai completar em março de 2014.

Ela foi então encaminhada a outra fiscal do Enem, que, depois de conversar com ela, a fez preencher o formulário usado para identificar os candidatos que não estão com os documentos oficiais. “Ele me perguntou informações, o telefone fixo, o nome dos meus pais, e tive que assinar três vezes.”

A situação, segundo Ana Luiza, não se repetiu no segundo dia de provas. “Hoje [domingo] eles inclusive me pediram desculpa por terem feito perder um pouco de tempo. As moças hoje todas foram super educadas comigo. O jeito que me trataram foi bem melhor. Acho que foi surpresa [para as fiscais] porque a foto estava muito diferente. Me trataram como se a identidade não fosse minha. Não vi nenhum tipo de defeito, mas acho que estavam de certa forma desprepados.”

Banheiro

Além da identificação dentro da sala de aula, Helena queixa-se do constrangimento na hora de usar o banheiro no sábado. Segundo ela, a fiscal a levou diretamente para o banheiro masculino e explicou-se.

Após toda a situação embaraçosa enfrentada no sábado, Helena decidiu, “em protesto”, se vestir de maneira ainda mais feminina para a prova de domingo. Foi para o exame de saia, meia-calça e sapatilha. Na hora de ir ao banheiro durante o segundo dia de prova, Helena foi diretamente ao banheiro feminino para evitar que a fiscal a conduzisse ao masculino.

As candidatas reclamam da invisibilidade dos transexuais na sociedade reafirmada pelo MEC (Ministério da Educação), por não poderem usar seu nome social.

“Os sabatistas são respeitados, quem está no hospital também, pessoas que estão em reclusão também, mas as pessoas transexuais não são. Se você está em uma situação de vulnerabilidade e o nome pode causar constrangimento na hora da prova, isso tem que ser respeitado para que nós possamos estar em situação de igualdade no exame”, protesta Helena.

Para elas, a inscrição no site do Enem já deveria contem um espaço com o nome social, além do nome civil. O nome social também deveria ser usado no tratamento durante as provas para evitar constrangimentos públicos.

MEC não tem relatos

Durante a coletiva de fechamento do Enem 2013, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse que o ministério não recebeu relatos de problemas com candidatos transexuais este ano. Mas que se casos forem relatados posteriormente, o ministério estudará mudanças para próximas edições.

SAIBA AS DIFERENÇAS

Transexual

Pessoa que possui uma identidade de gênero diferente do sexo designado no nascimento. Homens e mulheres transexuais podem manifestar o desejo de se submeterem a intervenções médico-cirúrgicas para realizarem a adequação dos seus atributos físicos de nascença (inclusive genitais) a sua identidade de gênero constituída.

Travesti

Pessoa que nasce do sexo masculino ou feminino, mas que tem sua identidade de gênero oposta ao seu sexo biológico, assumindo papéis de gênero diferentes daquele imposto pela sociedade. Utiliza-se o artigo definido feminino “A” para falar da Travesti (aquela que possui seios, corpo, vestimentas, cabelos, e formas femininas).

Homossexual

É a pessoa que se sente atraída sexual, emocional ou afetivamente por pessoas do mesmo sexo/gênero.

Drag Queen

Homem que se veste com roupas femininas de forma satírica e extravagante para o exercício da profissão em shows e outros eventos. Uma drag queen não deixa de ser um tipo de “transformista”, pois o uso das roupas está ligado a questões artísticas – a diferença é que a produção necessariamente focaliza o humor, o exagero.

Transformista

Indivíduo que se veste com roupas do gênero oposto movido por questões artísticas.

Transgênero

Terminologia utilizada para descrever pessoas que transitam entre os gêneros. São pessoas cuja identidade de gênero transcende as definições convencionais de sexualidade.

Cristiane Capuchinho, UOL. Fonte: Manual de Comunicação LGBT da Associação Brasileiras de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Transgêneros.

Faculdade Católica do Ceará fecha as portas no fim do ano


Todos os funcionários da Faculdade Católica do Ceará serão demitidos com o fechamento da instituição

Após 10 anos de funcionamento, a Faculdade Católica do Ceará vai encerrar as atividades no final do ano. O anúncio foi feito na noite desta quinta-feira (17), na sede da faculdade, no Centro.

Com a decisão, 835 estudantes terão que continuar o ensino superior em outra instituição. Isac do Carmo, estudante do último semestre de Design de Moda, reclamou que a informação foi divulgada de forma tardia pela instituição. “Eles podiam ter avisado no começo do semestre, para eu me programar. Sabíamos de boatos, mas, mesmo assim, ninguém da faculdade confirmava”, disse. Os estudantes alegaram que as desconfianças aumentaram quando a faculdade decidiu não organizar o vestibular para o atual semestre letivo.

Em nota, a União Norte Brasileira de Educação e Cultura (UBEC), mantenedora da faculdade, justificou o fechamento devido a um “desejo de reposicionamento no exercício da missão”. Segundo José de Assis, vice-presidente da UBEC, o fechamento vinha sendo estudado desde o ano passado. “Nós estamos agindo dentro de todos os prazos, junto ao Ministério da Educação (MEC). Não negamos informações aos alunos. O momento do anúncio foi muito bem planejado”, explicou José de Assis.

Segundo alguns estudantes, os diretores foram vaiados e não houve espaço para diálogo durante o anúncio do fechamento. “Muitos professores choraram na nossa frente”, disse um dos alunos, que não quis se identificar. Todos os trabalhadores da faculdade serão dispensadosno final de dezembro. De acordo com o vice-presidente da UBEC, a instituição firmou parceria com o Centro Universitário Estácio do Ceará (Estácio/FIC) para absorver alunos e, se houver necessidade, alguns ex-funcionários.

prédio centenário onde funciona a Faculdade Católica, ocupado anteriormente pelo extinto Colégio Cearense, será desativado. A UBEC informou que ainda não há planos para o imóvel. A faculdade comunicou que, a partir de desta sexta (18), a secretaria da instituição estará disponível para solucionar dúvidas dos estudantes.

Fortaleza é a cidade que mais aprovou no ITA nos últimos 10 anos

Na turma de Ronaldo Chaves, há cearenses na cadeira da esquerda, da direita, da frente e de trás. O característico sotaque arrastado, presente nas salas e corredores, passa a ideia de estar na terra natal, mas ele mora a 2,3 mil quilômetros de distância. Em São José dos Campos (SP), onde estuda no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Na faculdade, que forma a elite da engenharia no país, a invasão do Ceará chama a atenção de quem chega. Mas os números comprovam que isso não é só impressão.

Levantamento do Tribuna do Ceará indica que Fortaleza aprovou 23,5% dos novos alunos na última década(veja quadro abaixo). Líder nacional nesse quesito, essa foi a cidade onde estudavam 305 dos 1.296 aprovadosentre 2004 e 2013. Quem chega mais perto é São José dos Campos, sede de vários cursos preparatórios para a faculdade, com 291 (22,5%). Abaixo, os outros 54% são pulverizados entre duas dezenas de cidades, nenhuma com índice tão significativo. “Nossos colegas perguntam o que colocam na nossa farinha”, ri Ronaldo.

Não existem dados consolidados sobre a naturalidade dos “iteanos”, como são chamados os estudantes da faculdade. Se houvesse, o domínio cearense ficaria ainda mais evidente. “Dos 43 aprovados de Fortaleza em 2013, a maioria é de cearenses, talvez um ou outro piauiense que estuda na cidade. Enquanto isso, dos 41 de São José dos Campos, três ou quatro são daqui”, constata Luiz Carlos Rossato, que coordena o vestibular do ITA há 25 anos.

Esse fenômeno, sem paralelo no país, despertou o interesse da universidade. Especialmente de Rossato, que já fez algumas visitas a Fortaleza para entender os motivos dessa disparidade. “Os alunos cearenses são os mais bem preparados do país”, assegura o professor. Não à toa, eles quase sempre formam toda a seleção brasileira em olimpíadas internacionais de matemática, física e química – disciplinas essenciais dos cursos de engenharia oferecidos pelo ITA.

“Os alunos cearenses são os mais bem preparados do país”. (Luiz Carlos Rossato, coordenador do vestibular do ITA desde 1988)

A receita desse sucesso foi maturada nas últimas três décadas, num trabalho de base aperfeiçoado que nem o de potências do esporte. Começou com o extinto colégio GEO Studio, que criou as primeiras “turmas olímpicas” na década de 1980. Quando a escola passou a aprovar em massa no ITA e no Instituto Militar de Engenharia (IME), do Rio de Janeiro, suas técnicas de aulas voltadas para o vestibular ganharam força no ensino privado de Fortaleza.

Passada uma geração, quatro escolas da cidade se sobressaem em grandes vestibulares do país: Ari de Sá, Farias Brito, 7 de Setembro e Christus. Juntos, os colégios concentram 35 mil alunos, 15% do ensino privado em Fortaleza. É desse universo onde uma seleção realizada ainda no último ano do ensino fundamental pinça as mentes brilhantes com potencial elevado em disciplinas exatas. Esses jovens são tratados como estrelas nos três anos seguintes.

“Antes eram dadas bolsas de estudo para atletas. Hoje a gente premia os alunos que recebem boas notas”, explicou Tales de Sá Cavalcante, diretor superintendente do Farias Brito, ao programa Câmera 12, da TV Jangadeiro/Band, que abordou o tema em março passado. O professor é um dos entusiastas desse modelo de ensino, marcado por anúncios publicitários em jornais e TVs locais com o rosto dos aprovados em grandes universidades ao fim de cada semestre. “Formamos jovens altamente capacitados para o mercado”.

Essa indústria, que levou ao quadro atual de domínio no vestibular mais difícil do Brasil, está baseada num tripé que combina, além de estudantes de alto nível, professores muito bem remunerados, material didático específico e aulas em tempo integral(confira quadro abaixo). Esses fatores, segredo cearense para o ITA, serão destrinchados a seguir.

Estudar é a alma do negócio

Jonab Fernandes chega ao colégio às 6h45, diariamente. Dois dias na semana, tem aulas também à tarde. Independente disso, de segunda a sexta ele fica na escola até 21h, revisando as aulas passadas ou preparando as seguintes. No sábado é a vez dos testes simulados, e aos domingos a maratona é em casa. “Em três anos, a gente vive para estudar”, reconhece o estudante do 3º ano de turma ITA do Ari de Sá.

A política do tempo integral é o principal fator da formação de alunos de alto desempenho. Nos grandes colégios cearenses, os estudantes são distribuídos em três grupos: os de turmas ITA, olímpicas (com potencial para grandes vestibulares) e tradicionais. Nas duas primeiras, a carga horária ganha duas horas a mais que o normal e três a mais que no ensino público. “A divisão adequa os diferentes níveis de conhecimento”, explica Leonardo Bruno, coordenador das turmas ITA do Ari de Sá.

Leonardo foi um ex-aluno do Ari de Sá que concluiu Engenharia da Computação no ITA, em 2010, e voltou no ano seguinte para formar futuros iteanos no colégio onde estudou. Ser aprovado na faculdade é difícil porque o exame exige um alto grau de acerto de questões complexas em 4 horas, além de resistência para os quatro dias de testes. “Nos dois primeiros anos do ensino médio, o aluno aprende com profundidade. No último, ele desenvolve soluções rápidas para problemas complicados”, detalha Leonardo.

10 motivos para o sucesso dos cearenses no ita

Assim como o professor, uma geração de ex-alunos geniais voltou para os colégios depois de terminar a faculdade. Em 1991, Silvio Mota e mais seis cearenses eram os componentes do Brasil na Olimpíada de Matemática do Cone-Sul, no Chile. Uma equipe toda local. “Essas competições são ótimas para treinar alunos de alto desempenho”, avalia Silvio, hoje supervisor do Pré-Vestibular do 7 de Setembro.

Para otimizar o tempo dos alunos, as disciplinas de humanas – biologia, história e geografia – foram deixadas em segundo plano nas turmas ITA. O foco são as disciplinas de exatas – matemática, física e química –, além de português e inglês. Nas três primeiras, a prova apresenta 30 questões cada, sendo uma disciplina para cada dia de exame, enquanto no quarto dia é a vez de 20 questões nas duas outras matérias, além do teste de redação.

Com o tempo, ITA virou sinônimo de vestibular complicado. “É o teste mais difícil do Brasil”, atesta Onofre Campos, professor de turmas ITA do 7 de Setembro, Christus e Master. Para selecionar apenas 120 estudantes em uma média de 7 mil inscritos altamente capacitados, a prova precisa ser muito complexa. Por isso, não é raro alunos mais bem preparados para o teste que os próprios professores dos colégios.

Estudar no ITA é sonho

Tarcisio Lima Verde Neto chegou a São José dos Campos aos 16 anos. Na turma do colégio Ari de Sá, havia colegas de 23 anos (idade limite de ingresso no ITA) que colecionavam sucessivas aprovações em cursos de engenharia das melhores universidades do país, inclusive do IME, mas recusavam a chamada em nome do sonho. “Eles não desistiam do ITA. Achava aquilo magnífico”, relembra o jovem de 24 anos, que concluiu Mecânica Aeronáutica em 2010.

Tanta luta tem seus motivos. Atualmente, o ITA conta com cerca de 600 estudantes em seis cursos: Engenharias Aeronáutica, Eletrônica, Mecânica Aeronáutica, Civil Aeronáutica, Aeroespacial e da Computação. “Daqui sai a elite da engenharia no país”, aponta o coordenador do vestibular do ITA, Luiz Carlos Rossato.

Bancada pela Aeronáutica, a escola foi fundada em 1950, pelo cearense Casimiro Montenegro. O orçamento é de R$ 100 milhões por ano, usado para manter a estrutura de 12 km² projetada por Oscar Niemeyer, situada dentro do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial, em São José.

Os alunos não pagam mensalidade. Para custear alojamento, alimentação e assistência médica, é cobrada taxa de R$ 50 por mês. Um investimento irrisório diante dos benefícios que o diploma iteano garante ao futuro.

Entre os cearenses que estudam no ITA e os que buscam chegar lá, Igor de Sousa Almeida, ex-aluno do Ari de Sá, é uma inspiração. Formado em Engenharia da Computação, ele foi contratado pelo Google. Mora nos Estados Unidos e recebe salário anual de US$ 200 mil.

Para chegar a esse nível, é cobrado do aluno uma postura de honestidade. É um código de conduta chamado de Disciplina Consciente. “Morávamos em alojamentos, e era comum deixarmos os quartos destrancados, com notebooks e objetos de valor. E as provas, muito difíceis, podiam ser feitas no quarto, e ninguém burlava as regras”, conta Tarcisio. Para o ITA, esse valor é essencial. Mais até que a capacidade intelectual de suas mentes brilhantes.

Fortaleza é a cidade que aprovou mais alunos no ITA nos últimos 10 anos

 

Leia artigo de Wanderley Filho (Blog do Wanfil) sobre o tema, onde ele cobra uma política de retorno dos cearenses formados no ITA.

Câmera 12, da TV Jangadeiro/Band, já mostrou realidade dos cearenses no ITA:

 

(Tribuna do Ceará)

Professor que assumiu homossexualidade é apedrejado até a morte em Palmas

Foi encontrado morto no começo da manhã desta sexta-feira, 11, no fundo da Escola de Tempo Integral (ETI) Eurídice de Melo, no Jardim Aureny III, em Palmas, o professor Arione Pereira Leite, de 56 anos. Ele foi apedrejado na cabeça, sofreu afundamento craniano e morreu no local.

O corpo estava próximo ao carro da vítima, na Rua 26. Uma das três filhas de Arione foi até o local e fez a identificação do cadáver, uma vez que não foram encontrados documentos pessoais com o professor. De acordo com a Polícia Militar (PM), a pedra usada no crime tinha cerca de 15 cm de diâmetro.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e após a confirmação da morte do professor, o corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) da capital. A lideração deve ocorrer nas próximas horas.

Natural da cidade de Novo Acordo, Arione morava na quadra 1.104 sul e dava aulas de português na Escola Municipal Aurélio Buarque, onde trabalhava há 5 anos. Segundo amigos, ele havia assumido a homossexualidade recentemente. A hipótese de crime homofóbico está sendo investigada pela Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

Abalada, Bethânya Gabrielle, que era aluna da vítima, contou, em entrevista à REDE TO, que Arione era uma pessoa divertida que amava o que fazia. “Ontem durante a aula, ele estava tão alegre; falou que iria viajar, é inacreditável”, disse.

professor homossexual apedrejado tocatins
Professor que havia assumido a homossexualidade recentemente é apedrejado até a morte (Foto: Dermival Pereira, Rede TO)

O presidente do Grupo Ipê Amarelo pela Livre Orientação Sexual, Henrique Ávila, afirmou que só este ano, foram três homicídios motivados por razões homofóbicas na capital tocantinense. “Estamos entristecidos com a notícia e isso só reforça a necessidade do governo em criar medidas emergenciais para o fim da homofobia em nosso estado, pois os crimes de ódio só estão aumentando e o governo não toma uma postura diante de tudo”, afirmou.

com Maria da Penha Neles, via Pragmatismo Político

IccaAbav dará curso de Marketing Digital e Midias Sociais em Fortaleza

O Instituto de Capacitação e Certificação da Associação Brasileira de Agências de Viagens-ICCABAV promoverá nos dias 5 e 6 de novembro, em Fortaleza, das 8 às 12 horas, o curso de Marketing Digital e Mídias Sociais para agências de turismo.

 O local do curso será na sede da ABAV-Ceará (fone 3261.6464), na rua República do Líbano, 980, onde estão abertas as inscrições.

Para as agências associadas a ABAV-Ceará, a inscrição custa R$30; não sócias R$30 e estudantes de Turismo R$30.

O curso será ministrado pela economista Marta Borges, formada pela Unesp, especialista em Planejamento e Marketing Turístico pela Universidade de São Paulo, pelo Senac e mestre em Turismo pela USP. 

Via Diário do Nordeste

Transexuais e travestis podem usar nome social em registros na UFC

Imagem mostra a identidade antiga de um travesti e a nova, já com o nome feminino Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

Estudantes e servidores travestis ou transexuais da Universidade Federal do Ceará (UFC), podem ser identificados pelo nome social em registros funcionais e acadêmicos. Com a medida, esses cidadãos serão reconhecidos em qualquer situação acadêmica pelo nome com o qual se identificam, evitando qualquer constrangimento. O nome social é aquele pelo qual transgêneros se identificam e desejam ser reconhecidos e denominados pela sociedade.

A decisão foi aprovada na última sexta-feira (4) pelo Conselho Universitário (Consuni) e estabelece que o nome social deverá ser registrado em todos documentos de uso interno da UFC. Este é o caso das listas de chamada, carteira de estudantil, endereço de e-mail, por exemplo. Entretanto, ela não inclui documentos como os diplomas, declarações, certificados e atas de colação de grau. Estes devem conter apenas o nome civil para o reconhecimento. Durante as cerimônias de colação de grau, será considerado o nome social.

A UFC diz que a inserção do nome social é um instrumento que visa combater o preconceito e a intolerância na Instituição. Segundo o Reitor da UFC, Prof. Jesualdo Pereira Farias, “a Universidade vem buscando sempre compreender e adotar medidas para todo tipo de inclusão e não deve admitir nenhuma forma de discriminação”.

A Diretora do Centro de Humanidades, a Profª Vládia Maria Cabral Borges, elogiou a  iniciativa. Ela contou que presenciou vários casos de constrangimento entre alunos transgêneros da Instituição em suas atividades mais rotineiras, como a resposta à chamada de aula. “Vejo alunos que sofrem cotidianamente por terem um nome que não condiz com sua identidade e fico feliz por ver essa resolução aprovada”, disse.

Procedimentos

Para inclusão do nome social, as pessoas interessadas precisam solicitar o requerimento na instância apropriada na Universidade. Alunos de graduação e pós-graduação devem procurar, respectivamente, a Pró-Reitoria de Graduação e a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. No caso de servidores docentes e técnico-administrativos, o requerimento é feito na Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progep). Para os menores de 18 anos, o requerimento deve ser acompanhado de termo de autorização por escrito dos pais ou responsáveis legais, reconhecido em cartório.

Com informações da UFC, via Tribuna do Ceará

DILMA ANUNCIA R$ 14 BI PARA O PRONATEC ATÉ O FIM DE 2014

Thais Leitão
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Com a meta de matricular 8 milhões de alunos até o final de 2014, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) vai receber, até lá, investimento de R$ 14 bilhões. O programa foi criado em outubro de 2011 e mais de 4,6 milhões de alunos estão matriculados em algum curso ou já se formaram. O balanço foi feito hoje (7) pela presidenta Dilma Rousseff, durante o Café com a Presidenta, ao destacar os dois anos do Pronatec.

Ela lembrou que o Pronatec atua em três eixos: com ensino técnico para quem está cursando o ensino médio; na qualificação profissional para o jovem ou o adulto e cursos para as pessoas que estão no programa Brasil sem Miséria, de forma a contribuir para que consigam um trabalho mais bem remunerado.

“Estamos formando profissionais para encarar o mercado de trabalho que exige cada vez mais qualificação. E estamos formando pessoas que querem abrir ou ampliar o pequeno negócio. Um país só se desenvolve quando seus trabalhadores são capazes de ter um trabalho qualificado”, disse ela, ao ressaltar que quase 70% dos alunos do Pronatec são jovens até 29 anos; 60% deles são mulheres; e um terço é do Nordeste.

A presidenta destacou que todos os cursos são gratuitos e os alunos recebem os livros, o uniforme e o material para usar nas aulas práticas, além de um auxílio para alimentação e transporte. Por meio de parcerias estratégicas com o Sistema S, são oferecidos cursos no Senai, na área da indústria; no Senac, na área do comércio; no Senar, na área da agricultura e no Senat, na área do transporte. Os cursos também são ministrados pelas universidades federais, pelos institutos tecnológicos federais e pelas escolas técnicas estaduais.

Entre os técnicos, de maior duração, os mais procurados são o de mecânica, eletrônica, eletrotécnica, técnico agrícola, movimentação de cargas e técnico em segurança do trabalho. Eles totalizaram 1,5 milhão de inscrições em dois anos. Já entre os de qualificação, a procura maior é pelas aulas de operador de computador, eletricista, instalador predial, costureiro, pintor, pedreiro e mecânico. Nessa modalidade, o Pronatec contabiliza 3,1 milhões de matrículas desde outubro de 2011.

A presidenta Dilma também enfatizou que o Pronatec reserva 1 milhão de vagas para os beneficiários do Brasil sem Miséria. Até agora, mais de 750 mil pessoas do programa se inscreveram nos cursos do Pronatec. Ao todo, cerca de 3,2 mil municípios contam com os cursos técnicos e de qualificação oferecidos por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego.

Edição: Talita Cavalcante

Sindicato dos Bancários do Ceará seleciona estagiários de Direito

O Departamento Jurídico do Sindicato dos Bancários do Ceará vai selecionar dois estudantes de Direito para seu quadro de estagiários. As inscrições iniciaram nesta terça-feira, 24/09, e vão até o dia 04/10/2013, das 9:00 às 15:00h, na sede da entidade (Rua 24 de Maio, 1289 – Centro).

Poderão inscrever-se estudantes regularmente matriculados no curso de Direito que tenham concluído no mínimo 80 e no máximo 150 créditos. A jornada de trabalho é de 30 horas semanais (6 horas diárias) e o valor da bolsa é de R$ 856,00 mais auxílio-transporte no valor de R$ 48,40.

No ato da inscrição os interessados devem apresentar histórico escolar, curriculum vitae, cópia da carteira de identidade e declaração da Universidade com a quantidade de créditos cursados. O processo seletivo será conduzido por uma comissão mista formada por profissionais de Direito e diretores da entidade e constará de duas fases – uma prova escrita e uma entrevista com os aprovados na 1ª fase.

A prova escrita será aplicada no dia 08/10/2013, às 9:00h, na sede do SEEB-CE e o resultado será divulgado no dia 12/10/2013, às 14:00h.. A entrevista com os aprovados será realizada no dia 15/10/2013, às 9:00h, na sede do SEEB-CE. A divulgação do resultado final será dia 14/10 e o início do estágio no dia 21/10/2013.

Mais informações através do telefone (85) 3252 4266, falar com Daniela, no Departamento de RH.

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

Ônibus universitários de Ipu e Viçosa sofrem acidente na BR-222 em Sobral

Os ônibus que transportam universitários de Ipu e Viçosa do Ceará para Universidades de Sobral sofrem acidente na BR-222 em Sobral, após colidirem um na traseira do outro. 

Segundo relatos de alunos que vinham no ônibus da empresa Transpec, que presta serviço a Prefeitura de Ipu no transporte de universitários para a cidade de Sobral, o choque entre os dois ônibus se deu devido a um terceiro ônibus, também de universitários, que teria feito uma ultrapassagem perigosa fazendo com que o veiculo de Viçosa freasse bruscamente, onde o ônibus do Ipu acabou batendo na parte lateral da traseira do dele.

 

O motorista do ônibus do Ipu ainda tentou evitar o impacto, o que poderia ter ocasionado uma tragédia maior, jogando o ônibus para o acostamento da rodovia. Felizmente nenhum aluno se feriu gravemente apenas arranhões e uma aluna se queixaram de dores nas costas. 

 

De acordo com informações próximo ao local uma Carreta que transportava ração tombou na BR-222, o que poderia ter sido o motivo dos ônibus terem que diminuir as velocidades bruscamente, ocasionando assim a colisão.

 

* Fotos Diego Farias / Ipu Baladas

Ipu Notícias

Uece abre inscrição para vestibular de 2014

A Universidade Estadual do Ceará (UECE) iniciou nesta segunda (16) as inscrições do primeiro vestibular de 2014 para cursos de graduação. As inscrições serão realizadas até o dia 29 de setembro, exclusivamente no site da instituição para os candidatos pagantes integral e com isenção de 50%.

Ao todo são ofertadas 2.276 vagas, sendo 1.226 para os cursos da Capital e 1.050 para as unidades do interior. A taxa é de R$ 100, paga com boleto bancário que deve ser emitido via internet até às 23h59 do dia 29 de setembro.

O processo seletivo é realizado em duas fases. A primeira será Conhecimentos Gerais, realizada no dia 10 de novembro, com questões múltipla-escolha. A segunda fase é composta por quatro provas, uma de Redação e as outras três de Conhecimento Específico, que varia de acordo com o curso escolhido pelo candidato.

No formulário de inscrição, o candidato deve informar o curso e a língua estrangeira (Inglês, Francês ou Espanhol) de sua escolha.

Confira o Manual do Candidato e o Formulário de Inscrição.

(Tribuna do Ceará)

 

IFCE anuncia novos polos de ensino na Grande Fortaleza e no interior

A Pró-reitoria de Ensino, por meio da Diretoria de Educação a Distância do IFCE, anunciou a abertura de um novo polo da Universidade Aberta do Brasil (UAB) e dez polos da Escola Técnica Aberta do Brasil (e-Tec), em Fortaleza, na Região Metropolitana e no interior do Ceará.

Segundo o instituto, está sendo implantado o curso de Tecnologia em Hotelaria no município de Beberibe, ofertado pela UAB, e os cursos do e-Tec de Alimentação Escolar, Infraestrutura Escolar, Secretaria Escolar, Segurança do Trabalho, Redes, Edificações e Eletrotécnica, distribuídos entre as cidades de Campos SalesPacajusRussasMauriti eFortaleza, sendo sete polos na capital.

Os polos contam com estrutura recomendada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), como salas de aulas, biblioteca, prédio com acessibilidade e funcionários cedidos pela prefeitura. Segundo a Diretora de Educação a Distância do IFCE, Cassandra Ribeiro, outros prefeitos de cidades do interior também já buscam pela implantação de polos de EaD.

(G1 Ceará)

UFC oferece 45 vagas em curso de português para estrangeiros

A Universidade Federal do Ceará (UFC) oferece 45 vagas em curso de português para estrangeiros. O curso é destinado para quem fala espanhol, italiano, francês e línguas não latinas. São 60 horas/aula.

O curso vai ser ministrado por estudantes de letras, com certificado de conclusão de curso. As inscrições vão até o dia 20 de setembro.

Serviço
Mais informações pelo telefone (85) 3366.7624

(G1 Ceará)

A primeira paralisação estudantil da história do ITA

Na última terça-feira (27) os alunos do ITA (Instituto de Tecnologia da Aeronáutica) fizeram a primeira paralisação da história do instituto. A iniciativa, previamente determinada para se estender por apenas 24 horas, tem como reivindicações mudanças no sistema pedagógico e de avaliação, além de maior representação discente e combate a casos de abusos cometidos por professores por parte das instâncias superiores do instituto.

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica é considerado um centro de excelência na formação de engenheiros no Brasil (Foto: Divulgação)

A paralisação foi aprovada em assembleia por cerca de 300 alunos, 70% do corpo discente. Em nota, o Casd (Centro Acadêmico Santos Dumont) relacionou todas as reivindicações dos estudantes: abertura de sindicâncias para casos de abusos evidentes por parte de docentes; afastamento do professor da disciplina se solicitado por 100% dos alunos; garantia de ampla defesa ao aluno em situação de desligamento; aproveitamento dos créditos já realizados no semestre anterior por alunos com o curso trancado.

Além destas reivindicações, o Casd enumera outras consideradas urgentes e que precisam ser atendidas pela reitoria de imediato como a transparência na distribuição de pesos nas questões de avaliações; esclarecimento dos critérios de correção; definição das regras do sistema de avaliação de cada disciplina no início do semestre; criação de um mecanismo que permita aos alunos invalidar uma avaliação incoerente com o conteúdo ministrado em sala de aula; cópia de avaliações antes da correção para evitar que, no caso de uma reavaliação, o segundo corretor não se sinta constrangido em alterar a nota de um colega docente; e que a atividade de docência tenha mais peso na progressão de carreira do professor e que a avaliação dos alunos sobre o mesmo seja considerada neste processo.

“Decidimos paralisar as atividades pedindo mudanças tanto no sistema pedagógico quanto no processo avaliativo. Próximo à paralisação, o reitor pediu para chamar os professores para debater os problemas junto a eles. A reunião foi muito positiva. Muitos professores não tinham ideia do quão desmotivados os alunos estavam. Já tínhamos tratado dessas reivindicações antes, mas sem um resposta mais efetiva e um prazo da direção. Com a paralisação, tivemos a palavra do reitor de que haveria a formação de um grupo de trabalho para dar encaminhamento a 90% dessas reivindicações”, disse em entrevista ao jornal O Globo, Marcus Gualberto Ganter, presidente do Casd.

Carlos Américo Pacheco, reitor do ITA, afirmou que a maioria das reivindicações dos alunos convergem com os planos da instituição e serão atendidas. Pacheco afirmou ainda que o instituto está em processo de reformulação e implantação de uma parceria com o MIT (Massachusetts Institute of Technology) e que, portanto, uma reforma no sistema pedagógico já era prevista, mas que este processo leva tempo.

“A agenda dos alunos é bastante pragmática, de coisas menores. A reforma é mais ampla, de tentar mudar a abordagem do ensino da engenharia. Boa parte das reivindicações dos alunos é fácil de atender no curto prazo. O ITA tem um regime muito duro de avaliação. É muito difícil entrar na escola. O questionamento maior é de poucos casos, um em cada curso, em que há uma sobrecarga de trabalho ou critérios de avaliação pontuais. Eles reclamam do regime muito duro no conjunto: carga e pressão muito grandes. Boa parte do que foi conversado vamos ver como operacionalizar ainda este semestre”, disse o reitor.

Por fim, Ganter afirma que o Casd irá trabalhar para que a palavra do reitor seja, de fato, cumprida. Segundo o presidente do entidade estudantil, as reivindicações precisam ser transformadas em moções que posteriormente, tem de ser aprovadas pela Congregação do instituto.

Revista Fórum, com O Globo

Prefeitura de Fortaleza abre 389 vagas de estágio

A Prefeitura de Fortaleza realiza seleção unificada para contratação de 389 estagiários 33 cursos diferentes. Os estudantes serão alocados em todos os órgãos do Município, segundo a demanda apresentada por cada um deles. A seleção também gera um cadastro de reservas com validade de um ano renovável por mais um ano, podendo atender a outras demandas que venham a ser identificadas.

Podem participar estudantes dos cursos de Administração, Arquitetura e Urbanismo, Biblioteconomia, Biologia, Ciências atuariais, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Ciências Sociais, Comunicação Social/Jornalismo, Comunicação Social/Publicidade e Propaganda, Direito, Educação Física, Enfermagem, Engenharia ambiental, Engenharia Civil, Engenharia de Alimentos, Engenharia Elétrica, Farmácia, Fisioterapia, Geografia, História, Filosofia, Física, Ciências da computação, Informática, Análise e desenvolvimento de sistema, Rede de computadores e Sistemas de informação, Letras, Licenciatura em teatro, Matemática, Nutrição, Odontologia, Pedagogia, Psicologia, Química, Secretariado Executivo, Serviço Social, Turismo, Estatística, Agronomia e Terapia Ocupacional.

O processo será realizado pelo Instituto Municipal de Pesquisas, Administração e Recursos Humanos (IMPARH) sob a coordenação da Coordenadoria de Gestão de Pessoas da Sepog e terá três etapas: uma prova objetiva, análise curricular e entrevista.

A primeira etapa está marcada para 29 de Setembro, as entrevistas serão realizadas entre 17 e 30 de Outubro e o resultado final será divulgado no dia 1º de Novembro de 2013. As inscrições vão até 11 de Setembro. A taxa de inscrição é de R$ 20.

Clique para conferir edital | Veja formulário de inscrição | Imprima o boleto

(Blog Vaga Certa, Diário do Nordeste)

Estudante da UFC é vítima de homofobia na reitoria da instituição

A estudante de jornalismo da UFC, Eduarda Talicy, foi vítima de homofobia na concha acústica da reitoria da Universidade nesta tarde.  Eduarda conversava com sua namorada e foi convidada a se retirar do local por um segurança.

– O segurança pediu que saíssemos alegando que não podíamos estar namorando no local, diz a estudante.

Eduarda o questionou sobre o motivo e se a orientação também era dada a casais heterossexuais, ao que respondeu que achava que não.  Na semana passada, segundo o guarda, um outro casal homossexual fora abordado e, sem questionar, teria deixado o ambiente.

– É melhor vocês ficarem em um lugar mais reservado, teria dito o guarda.

A estudante de jornalismo, então, questionou de onde teria partido tal orientação.  O segurança informou que teria sido do responsável pela portaria de nome Paulo.  Segundo o segurança que fez a abordagem, o motivo da orientação poderia ser a presença do prefeito Roberto Claudio (PSB) na reitoria na tarde de hoje.

Eduarda e sua companheira foram falar com o segurança Paulo, que afirmou que a orientação viria da administração, negando, no entanto, que dissesse respeito apenas a casais homossexuais.

Note, no entanto, que o primeiro vigilante que fez a abordagem informou às duas meninas que já havia solicitado a retirada de um casal homossexual na semana anterior no mesmo espaço – numa data em que Roberto Claudio não esteve na reitoria.

Segundo Paulo, alguém viu as duas meninas na concha acústica e lhe pediu que solicitasse a sua saída.

Eduarda e sua companheira apresentaram denúncia à ouvidoria da UFC.

Um assessor da instituição, no meio da movimentação, disse ao casal que aquilo não representava a opinião da UFC, tendo sido fruto da falta de preparo da equipe de segurança.

– Eu acho que, por mais que ele tenha dito que não é o pensamento da UFC, os guardas atribuíram a orientação a pessoas da administração, que supostamente representam a própria universidade, disse Eduarda.

(Daniel Dantas, via http://nominuto.com)

Presidenta Dilma assina contrato de número 1 milhão do Fies

Dilma cumprimentou estudantes beneficiados pelo Fies durante solenidade em São Paulo Foto: Roberto Stuckert Filho/PR / Divulgação

Bruno Bocchini
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – A presidenta da República, Dilma Rousseff, assinou hoje (22), simbolicamente, o milionésimo contrato firmado entre estudantes e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) desde 2010. O programa oferece cobertura de até 100% do valor da mensalidade de universidades particulares, e pode ser pago após o aluno concluir o ensino superior.

“Aquela frustração de muitas pessoas que era cursar uma universidade, essa frustração está sendo superada. As pessoas estão conseguindo, com isso, uma situação melhor no mercado de trabalho. Mas não é só no emprego, é a realização quando olhamos para as nossas vidas”, disse a presidenta no evento de assinatura, em São Paulo.

Engenharia e direito são os cursos com maior número de contratos firmados (179 mil cada), seguidos de enfermagem (76 mil), pedagogia (47 mil), medicina (26 mil); arquitetura (24 mil), odontologia (22 mil) e farmácia (22 mil). Segundo o Ministério da Educação, o Fies soma hoje 1.029.170 contratos firmados.

“Pouco tempo atrás, esse sonho [de cursar o ensino superior] era difícil. Hoje, nós demos passos significativos ao aumentar a soma de oportunidades, ao aumentar o acesso a educação. O ProUni [Programa Universidade para Todos] e o Fies são as duas faces da mesma moeda, completam todo o esforço de aumentar o número de universidades e leva-as a todas regiões do país”, destacou a presidenta.

A presidenta Dilma disse estar satisfeita com a aprovação, na semana passada, pelo Congresso Nacional, da lei que obriga a aplicação de 75% dos royalties do petróleo para investimentos em educação. “É uma vitória que vai durar em torno de 50 anos. Só com as partes do royalties, sem contar com o Fundo Social, vamos ter 2 bilhões [de reais] a mais para educação ano que vem. Em 2015, serão 3 bilhões, em 2016 serão 6; em 2020, 20 bilhões de reais”, ressaltou.

O Fies concede financiamento a estudantes regularmente matriculados em cursos superiores privados, com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação. O programa oferece cobertura até 100% do valor da mensalidade com juros de 3,4% ao ano. O contratante só começa a quitar o financiamento 18 meses depois de formado.

Apenas alunos com renda familiar mensal de, no máximo, 20 salários mínimos podem pedir o financiamento. A cobertura de 50% ou 100% dos encargos do curso é calculada de acordo com a renda familiar mensal bruta e do comprometimento da renda com os custos da mensalidade. Os pedidos de financiamento podem ser apresentados em qualquer período do ano.

(Agência Brasil)

 

Ex-moradora de rua vence barreiras e se torna professora universitária

Marta Batista de Souza foi moradora de rua e construiu carreira de sucesso (Foto: Marina Fontenele/G1)

Mudança é uma palavra que não assusta Marta Batista, ex-moradora de rua e hoje professora universitária em Aracaju. Com capricho e dedicação ela coleciona diplomas de psicóloga e assistente social, além da busca pela conclusão do mestrado. Os méritos alcançados tiveram como direção a superação diária de seus limites.

Antes de completar três anos de idade ela foi encontrada por Miguel José de Souza, de 17 anos, no Mercado Municipal de Aracaju. “Era véspera de São João. Eu estava com a minha mãe e irmão pedindo às pessoas algo para comer. Quando ele apareceu e passou a me observar enquanto eu brincava na lama com uma varinha de pau. Ele acabou comprando um sorvete para mim”, lembra.

“Ao permanecer mais tempo comigo se deu conta que minha mãe estava gelada e havia falecido. E resolveu me levar para sua casa. Mesmo não aceitando a nova surpresa do filho a mãe dele cuidou dos meus ferimentos. Eu estava com bicho de porco nos pés e nas mãos, além de ferimentos em todas as partes do corpo. Era tão sério que foi necessário pedir ajuda na farmácia”.

Depois de resgatada das ruas ela permaneceu por pouco tempo na casa de Miguel, enquanto a mãe do rapaz arrumava um outro destino para ela. “Uma vizinha por piedade da situação aceitou ficar comigo, mas foi por pouco tempo, já que duas semanas depois ela se mudou para o Rio de Janeiro e me colocou num orfanato onde passei a ter nome em documento de Maria Batista”.

No novo endereço Maria conviveu com 25 crianças, e dessa fase uma das lembranças mais presentes era a falta de visitas e a necessidade de carinho. “Toda vez que os pais visitavam os filhos eu ficava afastada calculando o momento exato para pular no colo de algum deles e conseguir carinho. Os meus amigos já sabiam disso e falavam: Marta não pula no colo da minha mãe não, com ciúmes”, revela entre risos.

“Eu era a única que ninguém visitava. A senhora que me registrou e colocou no orfanato fez a primeira visita quando eu já tinha 12 anos. Antes disso, descobri o telefone dela e passei a ligar, quando era possível”, completa.

Quem me visitou no orfanato, quando retornou do exército, foi o Miguel. “Eu não me lembrava dele. Quando ele contou toda essa história, eu disse que ele mentia e que eu tinha mãe Depois disso, ele foi embora”.

Reviravolta 
O orfanato também trouxe esperança e alegria. O apoio que ela recebeu no orfanato onde permaneceu até os 18 anos foi fundamental para o seu crescimento pessoal. Foi lá que ela concluiu o ensino fundamental e médio, além de cursar o técnico de enfermagem. “Agradeço cada momento lá dentro. Tive o necessário e a lição mais clara de igualdade. Os pais só podiam levar presentes se tivessem condições de comprar para todas as crianças”, detalha.

Nesse período ela também desenvolveu o excesso de dedicação aos estudos e rendeu títulos a Marta. “Eu não tive as mesmas oportunidades de estudo da maioria das pessoas da faculdade. Mas via nisso o combustível para devorar livros e alcançar o nível desejado”, ressalta.

Com o curso técnico, ela conseguiu emprego e pagou a primeira faculdade. Não sobrava tempo para tantas atividades. “Era o estágio, trabalho e faculdade. Nunca fiquei sem ocupação. Até hoje divido o meu tempo entre a família, o meu consultório e a sala de aula, onde sou professora universitária”, revela.

Reencontro

Marta se casou aos 26 anos e depois de tantas superações ela resolveu reencontrar quem lhe privou das ruas. “Há oito anos localizei o Miguel”, que hoje representa o seu pai e sua família.

“No primeiro dia das crianças que passamos juntos ele me deu um envelope com um papel. Antes de abrir, pensei que fosse qualquer coisa menos a minha certidão de nascimento com o sobrenome dele. Aos 32 anos eu passei a ser Marta Batista de Souza e descobri que tinha uma família com quatro irmãos”, conta emocionada.

Seguindo o exemplo do pai de coração, ela também deseja adotar uma criança. “Estou na lista de espera há três anos para adoção. É uma pena que tudo seja tão burocrático e demorado”, lamenta, sem pensar em desistir.

“Me tornei forte para enfrentar a vida. Da maneira que ela é. E tenho a certeza que ela é difícil para qualquer um. Não acho que sou uma heroína com essa história. Eu só tentei. E tenho certeza que existem várias dessas histórias por aí. Só falta divulgação”, finaliza Marta Batista de Souza.

(G1 Sergipe)

Professor cria projeto contra preconceito a partir de apelidos racistas

Mais de 125 anos depois da Lei Áurea, o racismo entre alunos do ensino fundamental chamou a atenção de Luiz Henrique Rosa, professor de biologia da Escola Municipal Herbert Moses, no Jardim América, Zona Norte do Rio. Assustado com a agressividade das crianças, Rosa pediu que todos colassem no papel os apelidos já ouvidos na escola. O resultado? Das mais de 400 terminologias catalogadas, cerca de 360 continham conteúdo racista, como “macaco”, “galinha de macumba” e “asfalto”.

No mesmo período dessa pesquisa, Rosa, entusiasta da história dos negros no Brasil, ficou impressionado com a falta de curiosidade pelo aniversário da Revolta de Vassouras, rebelião escrava ocorrida em 1838. Pressionado pelo racismo em sala de aula, de um lado, e o desconhecimento da cultura negra, de outro, o professor resolveu agir. Assim nasceu, no fim de 2009, o projeto “Qual é a Graça?”.

No quintal então abandonado da escola, Rosa pediu para que seus alunos escrevessem e colassem no muro os quase 200 nomes de escravos que participaram da revolta. O objetivo era que cada um “apadrinhasse” um cativo, estimulando o sentido de responsabilidade. Cada estudante contribuiu com R$ 6 pelo pedaço de mármore.

É possível encontrar nomes cristãos como “Concórdia”, “José” e “Cesário”, dados aos cativos assim que chegavam ao Brasil. Já as pedras com os dizeres “Deus Sabe seu Nome” representam os escravos não identificados, fazendo uma analogia com o “Soldado Desconhecido”, no monumento em homenagem aos combatentes da Segunda Guerra Mundial.

Da canela ao café, uma aula de história

Depois, no mesmo espaço, Rosa fez os alunos cultivarem plantas e espécies ligadas à História do Brasil. O cultivo das plantas começa por especiarias como canela e noz-moscada. Em uma viagem no tempo, passa-se pelo pau-brasil, cana-de-açúcar e café. Para incutir nos estudantes o tempo de viagem entre Moçambique e o Brasil a bordo de um navio negreiro, o professor Luiz Henrique Rosa pediu para que eles plantassem e acompanhassem o ciclo da couve e da alface por 90 dias — o período em que um escravo sofria nos porões da embarcação. Para a viagem entre Brasil e Angola, pepinos e mostardas, que têm ciclos de 60 dias.

— Meus alunos olham para a planta e perguntam: “Ele ainda tá amarrado, professor?”, referindo-se ao escravo. Desse jeito consigo trabalhar com eles a dureza da escravidão e o desenvolvimento dos vegetais — explicou Rosa.

Nascido para combater o racismo, o projeto “Qual é a Graça?” ganhou contornos pedagógicos e agora é transdisciplinar, afirmou. Para ele, é impossível separar os conteúdos no jardim:

— Por que eu planto essa berinjela? Na biologia, para mostrar como as plantas nascem e se reproduzem. Já o professor de português pode botar uma plaquinha com o nome dela e lembrar que “berinjela” se escreve com “j”, não com “g”. O aluno nunca mais vai errar.

Sem apoio financeiro

Os trabalhos no jardim de Rosa não contam para a nota final do aluno, mas todos são incentivados a participar. E dá resultados. Aos 12 anos, a estudante Aretha Barra Mansa Nascimento era chamada na escola de “petróleo”. Hoje, com 14, ela diz que a iniciativa do professor ajudou a amenizar o clima entre as crianças, e agora atender apenas por Aretha no colégio.

— No começo os alunos mais velhos vinham aqui no jardim e destruíam as plantas, mas agora todos participam. Fora que é muito melhor aprender as matérias da aula na prática do que em um livro, dentro de sala — contou ela.

Em seus dois anos e meio de existência, o projeto nunca recebeu incentivos financeiros da Secretaria municipal de Educação. Segundo o diretor da escola, Renato Borges Giagio, um grupo de professores chegou a levar uma coleção de fotos e um relatório ao órgão para convencer os gestores, sem sucesso. Rosa calcula que o “Qual é a Graça?” já consumiu mais de R$ 6 mil da comunidade, entre professores, pais e alunos.

— Estamos fazendo a nossa parte, mas cadê a deles? A educação vai além da sala de aula, e quando se coloca amor, o resultado é isso aí — disse Giagio.

Situada próxima às comunidades de Vigário Geral e Parada de Lucas, em 2011 a Herbert Moses teve nota 4.1 no Ideb, contra 4.7 da média nacional.

Leonardo Vieira, O Globo

Selma Barbosa: Funcionária da UFBA é assassinada durante assalto em Salvador

Foto: Facebook

A funcionária da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia Selma Barbosa Alves foi morta em um assalto na madrugada desta segunda-feira (12/8), no bairro do Costa Azul, em Salvador.

Selma estava em frente ao supermercado GBarbosa quando teve seu carro roubado por dois bandidos. Apesar de não ter reagido, os criminosos balearam Selma na cabeça e fugiram com o veículo, um modelo Fiat Punto.

Os bandidos ainda abandonaram o carro em que estavam antes do assalto, um modelo Celta. Ainda não há informações sobre a identidade dos criminosos.

A Facom suspendeu as aulas na manhã desta segunda-feira. Nascida em Natal, no Rio Grande do Norte, Selma trabalhava no laboratório de vídeo da faculdade e era funcionária há 20 anos.

Em nota, a faculdade lamentou a morte da funcionária. “É com grande pesar que a Faculdade de Comunicação informa sobre o falecimento da estimada servidora Selma Barbosa Alves, mais uma vítima da violência que assola a cidade de Salvador. Em nome da Faculdade de Comunicação da UFBA, apresentamos as nossas sinceras condolências aos amigos e familiares.”

Assista ao vídeo do momento do assalto:

Retrato falado

O retrato falado dos dois assaltantes que assassinaram a funcionária da Ufba deverá ser confeccionado, nas próximas horas, pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT), com base na descrição feita pelo correntista de uma agência do Bradesco, em Itapuã, atacado pela dupla duas horas e meia antes do latrocínio de Selma, no Costa Azul. O depoimento da vítima de assalto também poderá auxiliar a polícia na elucidação do crime.

A delegada titular já requisitou ao Bradesco as imagens das câmeras de segurança da agência, em Itapuã, onde houve o ataque ao cliente, por volta de 22 horas.  Já ouvido no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o correntista informou ter sido abordado por um dos ladrões, que levou o relógio, as chaves do carro e outros pertences. O segundo assaltante aguardava o comparsa em frente ao banco. Ambos fugiram com o Celta de placa NYT-5784, de cor preta, pertencente à vítima.

Com o veículo roubado em Itapuã, os dois criminosos interceptaram Selma Barbosa em frente ao Edifício Vila do Mar, à Rua Arthur de Azevedo Machado, por volta de meia noite e meia. Atiraram em sua cabeça, depois de ela ter sido retirada do Fiat Punto, de cor bege, placa NZY-4231, com o qual fugiram, abandonando o Celta no local do crime.

A amiga de Selma, deixada por ela na portaria do edifício, ainda será ouvida pela polícia. Rogéria Araújo já dispõe das imagens captadas pela câmara de segurança do prédio, que registrou a ação criminosa. “Uma equipe da 9ª DT está refazendo o trajeto feito pela vítima e provavelmente pelos criminosos, no Costa Azul, buscando identificar testemunhas e câmeras de outros prédios da região, que possam contribuir com as investigações”, informou a delegada.

(Tribuna da Bahia)

Governo quer capacitar 1,3 milhão de técnicos empreendedores

Rio de Janeiro, 30 jul (EFE).- A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta terça-feira uma grande ampliação do programa Pronatec Empreendedor, que deve capacitar 1,3 milhão de estudantes em 2014, em comparação aos mais de 181 mil deste ano.

Em sua coluna semanal “Conversa com a Presidenta” Dilma informou que o Pronatec Empreendedor prevê a inclusão de conteúdos sobre empreendedorismo nos cursos que já são ofertados pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Esses conteúdos, sobre como identificar os diversos tipos de empreendedorismo, desenvolver atitudes empreendedoras e elaborar um plano de vida e de carreira, serão incorporados inicialmente a 15 cursos do Pronatec, e terão carga horária de 24 a 52 horas, explicou a presidente.

“Para 2014, (…) a previsão é de que 1,3 milhão de estudantes sejam capacitados, bem como 5 mil professores”, acrescentou.

Dilma afirmou ainda que, desde 2010, o governo aumentou o número de escolas em tempo integral “de 10 mil para 49.300”, e que a iniciativa já mostra resultados, como a Escola Municipal Beatriz Rodrigues da Silva, em Palmas (TO), “que aumentou sua nota no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 4,7, em 2007, para 8, em 2011”.

Os interessados no Pronatec Empreendedor devem se inscrever em um dos 15 cursos que receberão os novos conteúdos, como eletricista; montador e reparador de computadores; técnico em informática; motorista de transporte escolar; cabeleireiro; cuidador de idoso e manicure e pedicure, entre outros.

(EFE)

 

As cidades com os piores IDHM do país

 

Marajá do Sena – Maranhão

Cidade com pior renda vive com R$ 96,25 por pessoa

Marajá do Sena (Maranhão) não tem agência bancária. Mas, para seus 8.000 habitantes, esse é o menor dos seus problemas. A cidade tem o pior IDHM Renda do país e por lá circulam apenas R$ 96,25 por pessoa. Uma estrada asfaltada, mais escolas e um hospital fazem falta. Entre as 32 cidades com piores Índices de Desenvolvimento Humano do País, a falta de estrutura é a principal característica.

Melgaço, a pior de todas do ranking, fica a oito horas de barco da capital do Pará, Belém. Chegar à cidade é caro e difícil. Manari, que em 2003 ganhou o título de pior IDHM do Brasil, não é de acesso complicado, mas, assim como Inhapi, em Alagoas, fica no sertão pobre do Nordeste. A característica que une as piores cidades do país é a falta de renda, a economia quase sem saída e a educação em níveis muito baixos. Entre elas, o IDHM Educação mais alto, de Assunção do Piauí, é de apenas 0,382, muito longe do limite para ser considerado apenas baixo.

Na outra ponta, as melhores cidades do país nem sempre têm rendas tão altas – Assis, em São Paulo tem renda per capita de apenas R$ 967 -, mas ainda assim tem uma economia muito mais dinâmica e oferecem serviços sociais muito melhores. Todas elas estão nas regiões Sul e Sudeste e incluem seis capitais. Apesar das dificuldades apontados especialmente nas redes escolares e de saúde de cidades como São Paulo, Porto Alegre e Vitória, a estrutura já estabelecida, o orçamento alto e os recursos que circulam dão a essas cidades uma capacidade muito maior de resolver os problemas dessa população.

GRÁFICOS MOSTRAM A EVOLUÇÃO DO IDH MUNICIPAL

Reprodução

  • As áreas vermelhas do mapa concentram municípios com IDH considerado muito baixo; as áreas verdes são as cidades com IDH considerado “muito alto” (clique na imagem para saber mais) 

(Uol)

UFC abre seleção para professores em Fortaleza e Cariri

A Universidade Federal do Ceará (UFC) está com inscrições abertas para o cargo de professor assistente e adjunto. As oportunidades são para os campus Cariri e Fortaleza. Os prazos de inscrições para ambos os concursos encerram-se em 13 de agosto.

Para o campus Cariri, estão sendo ofertadas 5 vagas e os selecionados irão atuar nos seguintes cursos e setores de estudos: Administração Pública – Gestão de Políticas Públicas (2) e Gestão Social (1); Design de Produto – Ciências e Expressões Gráficas (1); Engenharia de Materiais – Materiais Metálicos (1).

A remuneração será de R$ 5.466,55 para Professor Assistente e R$ 8.049,77 para Adjunto. O regime de trabalho será de 40 horas semanais. Os interessados poderão se inscrever até 13 de agosto na Secretaria do Curso ao qual pertence à vaga, das 8h às 11h e das 14h às 17h (Administração Pública e Engenharia de Materiais) e das 14h às 20h (Design de Produto).

A taxa de inscrição varia de R$ 136,00 a R$ 201,00, de acordo com a área de atuação. Os candidatos serão selecionados por meio de prova escrita subjetiva, prova didática, prova prático-oral (Ciências e Expressões Gráficas), defesa de projeto de extensão (Gestão de Políticas Públicas e Gestão Social) e avaliação de títulos.

Fortaleza
Já para o campus Fortaleza, estão sendo ofertadas três vagas para professor, sendo duas para assistente e uma para adjunto, classe A. O Instituto de Cultura e Artes abrigará duas das oportunidades, onde os selecionados atuarão junto aos Setores de Teatro e Educação: Metodologias de Ensino do Teatro na Escola, Jornalismo Multimídia e Convergência Midiática. Para o Laboratório de Ciências do Mar (Labomar) o professor atuará na área de gerenciamento ambiental.

As taxas de inscrição, que seguem até 13 de agosto, serão de R$ 136,00 e de R$ 201,00. A jornada de trabalho será de 40 horas semanais e a remuneração será de R$ 5.466,55 no caso de profissionais com mestrado e de R$ 8.049,77 para Docentes com doutorado.

Todos os concorrentes farão prova escrita subjetiva, prova didática e avaliação de títulos. Haverá também um prova prática destinada apenas para os setores de Teatro e Educação – Metodologias de Ensino do Teatro na Escola; Jornalismo Multimídia e Convergência Midiática.

(O Povo)

Suassuna para ouvir, apreciar e assistir em Fortaleza

Ariano Suassuna esteve pela segunda vez no Flipoços (Foto: Jéssica Balbino/ G1)

O escritor paraibano Ariano Suassuna vai debater sobre os rumos da cultura brasileira em uma aula-espetáculo nesta quinta-feira (18), a partir das 20 horas, no anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Suassuna defende uma arte livre de pressões econômicas, valorizando a arte de caráter passional e vocacional. A entrada é gratuita, com distribuição de ingressos a partir das 19 horas.

A aula-espetáculo faz parte do projeto “Ariano Suassuna – Arte como Missão”, com um ciclo de atividades em homenagem ao romancista, dramaturgo, ensaísta, poeta e principal teórico do Movimento Armorial. Além da aula-espetáculo, mostras fotográfica e cinematográfica serão realizadas na Caixa Cultural Fortaleza.

Na exposição fotográfica, o artista plástico e fotógrafo Alexandre Nóbrega assina as 30 imagens que ficarão expostas a partir do dia 19 de julho, às 19 horas. A visitação será aberta ao público diariamente, sempre das 10 horas às 20 horas, até o dia 28 de julho. Alexandre captou registros inusitados e descontraídos do autor durante suas viagens Brasil afora nos últimos 10 anos. De um Ariano deitado no chão de um saguão de aeroporto à espera de um vôo atrasado, até às divertidas visitas ao sertão nordestino.

Na mostra audiovisual, oito títulos entre obras adaptadas e documentários vão estar em cartaz nos dias 19, 20 e 21 de julho, em duas sessões diárias (17h30 e 19h30). Entre os títulos, estão O Auto da Compadecida, de Guel Arraes; O Sertãomundo de Suassuna, de Douglas Machado; A Pedra do Reino; A Farsa da Boa Preguiça e O Santo e a Porca.

Aula-espetáculo com Ariano Suassuna
Data: quinta-feira (18)
Local: anfiteatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
Horário: 20 horas
Entrada: gratuita, com distribuição de ingressos a partir das 19 horas
Exposição fotográfica: abertura dia 19 de julho, às 19 horas | visitação: de 20 a 28 de julho, das 10h às 20h, Caixa Cultural Fortaleza (Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema).
Ciclo de filmes: dias 19, 20 e 21 de julho; às 17h30 e 19h30, na Caixa Cultural Fortaleza (Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema).

(G1 Ceará)

Universidade Estadual do Ceará é acusada de racismo por estudantes

A Universidade Estadual do Ceará (Uece) está sendo acusada de racismo pelos estudantes. A reação foi provocada devido a perguntas sobre cotas raciais do questionário do Censo Discente 2013, que contém pesquisa da Procuradoria Educacional Institucional para levantar o perfil socioeconômico e cultural dos 18 mil alunos da Uece.

Os estudantes consideraram as perguntas racistas. Uma das perguntas, por exemplo, questiona se os estudantes concordam que a qualidade dos cursos será prejudicada com a entrada de alunos negros. A UECE informou, por meio de nota, que “as questões 26 a 33, referentes às opiniões quanto ao sistema de cotas raciais e sociais na universidade, têm o propósito de captar a compreensão dos aluno/as da Uece quanto aos argumentos que norteiam sua opinião eventualmente favorável ou desfavorável ao sistema de cotas nas universidades”.

A universidade descartou o tom racista denunciado pelos alunos através de manifestações nas mídias sociais. Segundo a instituição, a metodologia adotada na construção desse instrumento levou em consideração a importância de expressar diferentes opiniões, mesmo que polêmicas, sobre temas que ainda não têm unanimidade na realidade brasileira, como o sistema de cotas no ensino superior.

A Uece anfatizou que questões dessa natureza estão presentes nos instrumentos de pesquisa de muitas universidades. “Perguntas como essas, por exemplo, fazem parte da pesquisa de atenção aos alunos da Universidade Estadual de Londrina (UEL)”, rebateu a nota.

“Para que seja garantida uma universidade socialmente referenciada e inclusiva, o mapa das resistências e das aceitações, quanto ao sistema de cotas, sobretudo as étnicas, precisa ser feito. As questões, sob a forma de inventário, para resposta sim ou não, devem ser instigantes, para que as posições sejam percebidas com clareza, sem que, a priori, haja julgamento de valor. As várias posições precisam aparecer no questionário, pois assim modularemos as formas de implantação, sem perda do objetivo de construirmos uma Uece democrática e justa. A Uece acredita que todas as ideias necessitam da luz do debate”, diz o comunicado.

A nota é assinada pelos pró-reitor de Políticas Estudantis, Antônio de Pádua Santiago de Freitas, pela coordenadora da Célula de Ação Afirmativa, Maria Zelma de Araújo Madeira, e pela pesquisadora educacional, Fátima Maria Leitão Araújo. 

Estudantes
Os alunos da Uece manifestaram-se no Facebook contra às perguntas polêmicas. “Racismo é crime!!! Isso foi racismo”, escreveu Tiago Régis. Outros estudantes postaram: “Isso é um absurdo! A universidade deve pertencer ao povo”; “Sinceramente, é cada coisa que a gente vê e lê em pleno século 21. Mente conservadora, colonial, elitista e segregacionista”. Até o meio-dia desta quarta-feira os comentários foram compartilhados mais de 200 vezes.
A assessoria da Uece informou que “não ficou bem entendida a pergunta para os alunos”. “Ninguém teve intenção de afetar ninguém com os questionamentos. Inclusive, uma das pessoas que elaborou a pergunta é professora doutora e negra”, afirmou.
A professora citada, Zelma Madeira, é coordenadora de Célula de Ação Afirmativa da Uece. “Sou do movimento negro, sou negra e favorável às cotas. Estamos tranquilos com o teor da pesquisa”, disse ela. “Queríamos saber os argumentos dos alunos, se são favoráveis ou não às cotas. A intenção foi a de captar as opiniões deles e entender o que os 18 mil alunos compreendem sobre o sistema”, afirmou. 

Redação O POVO Online com agências

Dilma Rousseff participa de formatura do Pronatec Brasil Sem Miséria em Fortaleza

A presidenta Dilma Rousseff e a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, participam nesta quinta-feira (18), em Fortaleza, da formatura de 3,2 mil alunos em cursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), voltados ao público do Plano Brasil Sem Miséria. A solenidade será às 14h, no Centro de Eventos do Ceará.

O evento reunirá formandos e alunos de 10 municípios cearenses – Fortaleza, Caucaia, Aquiraz, Maracanaú, Maranguape, Eusébio, Horizonte, Cascavel, Pacajus e São Gonçalo do Amarante. O Pronatec Brasil Sem Miséria oferece cursos de formação inicial continuada e de qualificação profissional para pessoas inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, em especial as beneficiárias do Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

SERVIÇO:
Formatura de alunos do Pronatec Brasil Sem Miséria
Quando: Quinta-feira (18), às 14h
Onde: Centro de Eventos do Ceará – Avenida Washington Soares, 1141, Fortaleza (CE)

Ascom/MDS

Prefeitura de Fortaleza oferece disponibiliza 547 vagas em cursos gratuitos

A Prefeitura de Fortaleza está com inscrições abertas para cursos profissionalizantes do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). São oferecidas vagas nas áreas de auxiliar administrativo, promotor de vendas, figurinista, salgadeiro, recepcionista em meios de hospedagem, pedreiro de alvenaria, armador de ferragem, costureiro industrial do vestiário, entre outras, totalizando 547 vagas disponíveis.

 

 

As pessoas interessadas devem ter idade a partir dos 16 anos e estar cadastrado ou em processo de cadastramento no CadÚnico (Cadastro Único), mesmo que o candidato não seja beneficiário do Programa Bolsa Família ou do Benefício de Prestação Continuada (BPC). As inscrições podem ser feitas num dos 23 Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) existentes em Fortaleza. No ato da inscrição, os candidatos deverão apresentar declaração com o Número de Inscrição Social (NIS), RG, CPF e comprovante de residência.

 

 

As inscrições podem ser feitas até dez dias antes do início das aulas da turma ou enquanto houver vagas disponíveis, conforme tabela. Os cursos gratuitos são de formação inicial e continuada voltados para a inserção no mercado de trabalho, com duração minima de 160 horas. Os alunos participantes recebem material didático e auxílio para transporte e alimentação.

 

 

(Portal CNews)

Ariano Suassuna dará aula-espetáculo em Fortaleza

Na próxima quinta-feira, a partir das 20 horas, o mestre Ariano Suassuna estará em Fortaleza dando uma aula-espetáculo. Será no anfiteatro do Centro Dragão do Mar.

Além da aula-espetáculo, haverá mostras fotográfica e cinematográfica na Caixa Cultural Fortaleza (Avenida Pessoa Anta, 287 – Praia de Iracema) que completarão as ações do projeto “Ariano Suassuna – Arte como Missão” que já esteve em Brasília e passará, ainda, por Salvador, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba.

Suassuna, considerado um dos maiores defensores da cultura e identidade nacionais, versará, em sua aula-espetáculo, sobre importantes questões acerca do atual momento vivido pela cultura e seus representantes.

SERVIÇO

* A entrada é gratuita, com distribuição de ingressos a partir das 19 horas.

* A classificação etária é de 12 anos.

(Blog do Eliomar)

Curso pré-vestibular da UECE está com inscrições abertas até 26 de julho

O Curso pré-vestibular (UECEVest) da Universidade Estadual do Ceará (UECE) está com inscrição aberta até o dia 26 de julho. Os interessados devem ir até a coordenação do Cursinho, que funciona no Campus do Itaperi, no horário das 8h às 11h30 e das 13h às 17h.

Além de oferecer laboratório de redação e específicas dos diversos cursos, no período entre a primeira e segunda fase do Vestibular da UECE, com provas simuladas, teste vocacional e minicursos temáticos. O UECEVest prepara também o candidato para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

O aluno do curso tem direito a camisa, apostilas e a carteira de estudante. Esta última, mediante pagamento de taxa estipulada pelo Diretório Central dos Estudantes e Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza DCE/ETUFOR.

Pagamento de taxa

O aluno que optar pelos turnos da manhã, tarde ou noite pagará cinco parcelas de R$ 100 e realizando o pagamento até o dia 5 de cada mês terá desconto de 10%. O valor da taxa de matrícula é de R$ 100, que deve ser depositado na Agência 0008-6 conta nº 26166-1, do Banco do Brasil. O aluno de escola pública terá isenção de 100% na última parcela.

Documentos

No ato da matrícula são exigidos os seguintes documentos: Cópia da Identidade, do CPF, do Certificado de Conclusão do Ensino Médio ou outro documento comprobatório, duas fotos 3×4 e comprovante de endereço.

Aulas

De acordo com o calendário do cursinho, as aulas terão início no dia 1º de agosto. O UECEVest Intensivo tem duração de seis meses. Segundo o coordenador geral, professor Eddie William de Pinho Santana, o UECEVest, ao longo de treze anos de funcionamento, já beneficiou mais de 12.000 jovens e continua atendendo à comunidade local. Para mais informações ligue (85) 3101.9658.

(Tribuna do Ceará)

Bertha Koiffmann Becker deixa legado para a geografia nacional

RODRIGO BERTOLUCCI

RIO — A geógrafa, professora, pesquisadora e o maior nome da geografia internacional em estudos sobre a Amazônia, Bertha Koiffmann Becker, de 82 anos, morreu no sábado, às 16h30m, por complicações decorrentes de um câncer de pulmão, após quatro anos lutando contra a doença. Além de familiares e amigos, autoridades fizeram as últimas homenagens a pesquisadora, em uma cerimônia na Chevra Kadisha. Seu corpo foi enterrado no Cemitério de Vilar dos Teles, em Belford Roxo.

Becker iniciou a carreira na década de 1950, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde deu aulas por 40 anos, tornando-se professora emérita. No Instituto Rio Branco, lecionou por quase 20 anos. Acumulou títulos de prestígio, como doutora honoris causa pela Universidade de Lyon III, na França, e era integrante da Academia Brasileira de Ciências (ABC).

— Ela representa inteligência e muita afetividade, além de sua contribuição para o Brasil em sua área de estudo — comenta seu filho, Paulo Becker, médico psicanalista.

Por mais de 40 anos, Bertha se aprofundou nos estudos sobre os conflitos fundiários nas regiões Centro-Oeste e Norte do Brasil, com foco na Amazônia. Ao longo desse período, estudou e pesquisou in loco a geografia humana e política da região, tornando-se uma autoridade internacional no assunto. Por isso, era sempre requisitada por órgãos do governo, como o Itamaraty e a Secretaria de Assuntos Estratégicos, além de dar conferências nas principais associações internacionais. Sua contribuição foi essencial para o desenvolvimento do plano estratégico da Amazônia, hoje em implantação no Brasil.

Para a companheira de pesquisa e amiga, a geógrafa Ima Vieira, Bertha deixará um legado enorme.

— O que ela fez é muito importante e teve repercussão internacional. Participou de reuniões científicas que deram origem a importantes ações políticas para o Brasil como, por exemplo, a Rio Mais 20 e ECO 92 — diz Ima, pesquisadora do Museu Goeldi, em Belém.

A geógrafa publicou diversos livros, sendo o mais recente “A urbe amazônica – A floresta e a cidade”, finalizado há alguns meses.

— Minha irmã deixou uma obra de geografia que a torna, de uma certa maneira, imortal — diz a a também geógrafa, Fany Davidovich.

A geógrafa deixa três filhos, Beatriz, Paulo e Lídia, e oito netos.

— Ela era uma avó convencional. Não fazia tricô nem o almoço de domingo, mas era uma pessoa fascinante, inteligente, alegre e muito trabalhadora. Pensar sobre as grandes questões do meio ambiente e do desenvolvimento era, para ela, fundamental e transmitiu isso com grande paixão para os filhos e netos — diz a neta Nina Becker, cantora da Orquestra Imperial.

Via O Globo

Morre Bertha Becker, a cientista da Amazônia

Faleceu neste sábado (13 de Julho) em seu apartamento de Copacabana, no Rio de Janeiro, aos 83 anos, a geógrafa Bertha Koiffmann Becker, uma das mais destacadas cientistas brasileiras. Membro da Academia Brasileira de Ciência, professora emérita da Universidade Federal de Rio de Janeiro e agraciada com doutorado honoris causa e outras homenagens em muitos dos principais centros acadêmicos do mundo, Bertha Becker é referência por seus aprofundados estudos sobre Amazônia, com inúmeros livros e publicações.

A geógrafa estudou a fronteira móvel da agropecuária no Brasil desde a década de 60. Começou com o crescimento da pecuária no Rio de Janeiro e São Paulo, depois em Goiás na década de 70 e, a partir daí desenvolveu suas pesquisas de campo principalmente na Amazônia. “As pessoas pensam que isso é novo, mas não é, a expansão das fronteiras da pecuária na direção da Amazônia tem 50 anos – declarou recentemente.

Bertha Becker era, desde os anos 90, membro do conselho diretor da OSCIP Amigos da Terra – Amazônia Brasileira, da qual era também associada emérita. “Sua dedicação para a instituição era total, profunda, como tudo o que ela fazia – comentou o diretor de políticas da instituição e amigo pessoal da cientista, Roberto Smeraldi – Bertha foi uma cidadã 24×7, além de uma das pessoas mais inteligentes que já conheci na vida. Uma inteligência que a levava sempre a farejar as mudanças antes que elas se revelassem. A sociedade brasileira recebe uma herança ímpar e um desafio para décadas: decifrar e desdobrar o patrimônio de sabedoria que ela construiu.”

via Site Amazônia.org

Curso CPA-20 Anbima: SEEB/CE prorroga inscrições até dia 12/07

Foi prorrogado o prazo de inscrição para o curso preparatório para o Exame CPA-20 (ANBIMA). Bancários sindicalizados devem fazer a pré-inscrição na Secretaria de Formação do Sindicato dos Bancários do Ceará, através do telefone (85) 3252 4297 ou 3253 3589 – falar com Erismar Carvalho – até o dia 12/7, no horário das 10h às 16h. Enfatizando que são apenas 60 vagas, somente para sindicalizados – com prioridade para aqueles que ainda não foram contemplados com nenhum outro curso oferecido pela entidade.

O curso é uma ação conjunta da Secretaria de Formação e do Instituto de Formação dos Bancários e tem o objetivo de atender uma demanda permanente da categoria bancária, além de contribuir para sua qualificação profissional e ascensão no mercado do trabalho.

As aulas serão ministradas pelo professor João Henrique Lemos e serão realizadas às terças, quartas e quintas, com início no dia 16/7 e encerramento no dia 6/8, das 19h às 22h, na sede do Sindicato (total de 30h/aula). O investimento será de R$ 330,00. Salientamos que o valor de mercado varia entre R$ 500,00 e R$ 800,00.

CPA-20 – A certificação CPA-20 se destina a qualificar profissionais que desempenham atividades de comercialização e distribuição de produtos de investimento diretamente junto a investidores qualificados, bem como para os segmentos private, corporate e investidores institucionais, que atendam em agências bancárias ou Plataformas de Atendimento.

No conteúdo programático, princípios básicos de economia, finanças e estatística; fundos e demais produtos de investimento; tributação; órgãos de regulação, autorregulação, fiscalização e participantes do Mercado; compliance legal, ética e análise do investidor; mensuração, gestão de performance e risco, entre outros temas.

(Sindicato dos Bancários do Ceará)

Curso de Medicina passará de 6 para 8 anos em 2015; serviço público será obrigatório

O curso de Medicina passará de 6 para 8 anosa partir de 2015. A mudança integra um pacote de medidas anunciado nesta segunda-feira (8) pela presidente Dilma Rousseff para ampliar a oferta de médicos no País e melhorar a formação dos profissionais.

Definida numa Medida Provisória, a ampliação deverá ser regulamentada pelo Conselho Nacional de Educação, em um prazo de 180 dias.

O programa, batizado de Mais Médicos, inclui ainda o recrutamento de profissionais estrangeiros para trabalhar em áreas prioritárias, a abertura de 11.447 novas vagas para graduação e outros 12.376 postos de especialização em áreas consideradas prioritárias até 2017. O novo formato do curso de Medicina é inspirado no modelo existente em países como Inglaterra e Suécia, diz o Ministério da Saúde.

Estudantes passarão por um segundo ciclo

Concluído o curso de seis anos, o estudante passa para um segundo ciclo, de dois anos, onde terá de atuar em serviços públicos de saúde. A exigência do segundo ciclo será universal: tanto para estudantes de instituições da rede pública quanto privada de ensino.

No período em que trabalharem nos serviços públicos de saúde, estudantes receberão uma bolsa, financiada pelo Ministério da Saúde. Os valores ainda não foram definidos. O governo calcula, no entanto, que ela ficará entre o que é concedido para as residências médicas (R$ 2,9 mil mensais) e o que é pago para profissionais inscritos no Provab (R$ 8 mil).

No primeiro ano, estudantes vão atuar na rede de atenção básica. No segundo ano, o trabalho será feito nos serviços de urgência e emergência. Os alunos continuarão vinculados à instituição de ensino onde foi feita a graduação e, assim como ocorre com a residência, serão avaliados. A carga horária ainda não foi definida.

Pela proposta, o segundo ciclo poderá ser aproveitado para abater um ano de curso de residência em especialidades básicas, como medicina de família, ginecologia, obstetrícia, pediatria e cirurgia geral. Há também a possibilidade de o período ser incluído na contagem para cursos de mestrado. A forma como isso será feito também está nas mãos do Conselho Nacional de Educação.

O formato de oito anos poderá ser revisto em um curto prazo. Há a possibilidade de o primeiro ciclo, atualmente de seis anos, ser reduzido para cinco. O assunto, no entanto, ainda terá de ser debatido pelo Conselho Nacional de Educação. A intenção é se aproximar do modelo inglês, onde a duração do primeiro ciclo varia entre 4 a 6 anos, treinamento supervisionado dura outros dois anos e a especialidade médica, 3 a 8 anos.

Para atuar no segundo ciclo, os alunos receberão um registro provisório. A instituição de ensino deverá estar ligada a uma rede de serviços públicos de saúde, onde seus alunos vão desempenhar as atividades. Caberá à instituição definir o local de trabalho do estudante.

A ideia é que o aluno seja supervisionado por professores. A forma como isso será feito também será definida pelo Conselho Nacional de Educação. Também não está acertado como será feito o reembolso das instituições de ensino pelo trabalho de supervisão.

Diploma após oito anos de formação

O aluno receberá o diploma somente depois de completar os oito anos de formação. Só aí receberá a inscrição permanente. De acordo com o Ministério da Saúde, o modelo proposto prevê que o profissional com registro provisório, mesmo sem diploma, responderá caso cometa uma infração ética ou erro no atendimento do paciente.

A criação do segundo ciclo não vai dispensar o internato, realizado atualmente no quinto e sexto ano. Nesta etapa, o estudante não tem autonomia. Durante o treinamento da segunda etapa, o estudante aos poucos ganha mais autonomia.

A expansão da duração do curso de medicina, de acordo com o governo, não tem como objetivo principal a ampliação da oferta de médicos. A meta, de acordo com ministérios da Saúde e da Educação, é ampliar a formação do profissional e driblar um problema que o governo julga enfrentar atualmente, que é a especialização precoce. Na avaliação do governo, a partir do 4º ano, estudantes concentram suas atenção nas áreas com que têm mais afinidade, deixando de lado pontos considerados essenciais para o atendimento do paciente.

Embora detalhes ainda não estejam definidos, o governo já decidiu que durante o ciclo de dois anos, o estudante terá permissão para atuar apenas nos locais indicados pela instituição de ensino a que ele está ligado. Não será permitida a realização de plantões ou atuação em outros serviços.

(Diário do Nordeste)

Garoto de 16 anos cursa ensino médio e mestrado em matemática

Daniel Santana Rocha tem 16 anos e cursa mestrado em matemática pura no Impa (Foto: Vanessa Fajardo/ G1)

Quando tinha 11 anos, Daniel Santana Rocha foi acompanhar o pai em um curso de matemática para professores e surpreendeu a sala de aula ao resolver um exercício que parecia indecifrável por todos. Foi para lousa e mostrou a resolução para orgulho do pai, que também não tinha conseguido chegar na resposta do problema. Hoje aos 16, a presença de Daniel no curso de mestrado em matemática pura no Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (Impa), instituição que reúne a excelência em matemática do país no Rio de Janeiro, não causa mais espanto.

De manhã, Daniel vai para o mestrado. À noite segue para a escola estadual Engenheiro Bernardo Sayão, em Jacarepaguá, onde cursa o segundo ano do ensino médio. Como ainda não é graduado, não vai conseguir pegar o diploma da pós quando o curso terminar no fim deste ano. Situação que pretende resolver assim que concluir a educação básica, quando pretende conciliar a graduação e o doutorado. Também já tem planos para o pós-doutorado: “penso em fazer na França. Quero trabalhar como pesquisador.”

O gosto pela matemática Daniel pegou do pai, o professor Fernando Batista da Rocha, de 51 anos. Inclusive é ele quem dá aulas para Daniel no ensino médio. Fernando garante que o garoto não tem uma rotina sobrecarregada. “Estudar não é carregar peso, o mestrado é prazer para ele. Ele ama estudar, nunca gostou de futebol, por exemplo. O meio dele é o acadêmico, e vida se tornou mais prazerosa e mais feliz depois do Impa. Ele tem facilidade em pesquisa, por isso o estudo é natural.”

Celeiro de talentos matemáticos
Depois do episódio em que resolveu o exercício durante o curso no Impa, Daniel foi convidado a frequentar algumas aulas como se fossem cursos livres e participar de olimpíadas de matemática. Estudou análise de retas, álgebra e equações informalmente, e em março deste ano se tornou aluno oficial do mestrado. Como já havia cursado algumas disciplinas, conseguiu reduzir a grade e termina o curso ainda neste ano, aos 16 anos.

Segundo o pai de Daniel, os docentes do Impa não veem mais o filho como criança. “Eles já esqueceram isso, já se habituaram.” Daniel não foi o único aluno a entrar no Impa sem ao menos ter completado do ensino médio. Quem puxou a fila foi o professor Carlos Gustavo Tamm de Araujo Moreira, o Gugu, que fez doutorado e leciona na instituição, mas ingressou em março de 1988 quando tinha 15 anos. Aos 17 já tinha concluído a graduação e o mestrado.

Fundado em 1952, o Impa reúne 260 alunos de mestrado, doutorado e iniciação científica. Quatro pesquisadores do instituto foram convidados para palestrar no próximo Congresso Internacional de Matemática, na Coreia do Sul em 2014, o mais importante da área. Também pode ser de lá o primeiro brasileiro a receber a Medalha Fields, espécie de Nobel da matemática restrito a talentos com menos de 40 anos. Dois pesquisadores do Impa figuram como possíveis candidatos, Fernando Codá Marques e Artur Ávila, de 33 anos. 

“Demoraram para me aceitar porque tinham medo de o mestrado atrapalhar minhas aulas [no ensino médio], mas eu não preciso estudar exatas e não custa muito tempo estudar no ensino regular, não é difícil”, diz Daniel, em entrevista ao G1, durante treinamento que ele participou em São Paulo. O adolescente conta que convive bem com os amigos mais velhos e não tem dificuldade de acompanhar as matérias.

Daniel Santana Rocha tem 16 anos e cursa mestrado em matemática pura no Impa (Foto: Vanessa Fajardo/ G1)
                                                        Daniel Santana Rocha fez treinamento em SP
                                                               (Foto: Vanessa Fajardo/ G1)

 

‘Matemática divertida’
Daniel também disputa olimpíadas desde o ensino fundamental. Por muito pouco não passou na seletiva para compor a equipe que vai disputar a internacional na Colômbia. No histórico acumula pelo menos 20 medalhas em competições nacional e internacionais.

Para dar conta de tudo, estuda até dez horas por dia, tem as melhores notas em matemática, física e química na escola, mas mantém o bom desempenho em ciências humanas. No Impa, nunca tirou menos do que ‘B’, porém a cobrança é sempre pelo ‘A’, segundo ele. Diz que considera a matemática “muito divertida”, que “quanto mais difícil mais legal”, e por isso não se cansa. Estuda aos fins de semana, mas às vezes para se distrair gosta de caminhar e ir até o shopping.

“Meu pai sempre me ensinou mais matemática do que o colégio. Aos 12, já sabia toda a matéria do ensino médio, mas não sou gênio, todo mundo pode aprender. Acontece que o jeito que ensinam no ensino médio você não aprende o que é de verdade”, afirma.

Fernando conta que o filho estuda mais do que ele, que ainda não conseguiu fazer um mestrado. “Quando tenho dúvidas em matemática, ligo para ele. Outros professores também fazem isso. Ele é bom para ensinar. Eu também dou aulas particulares, nunca levo o Daniel junto porque se eu faço isso, perco o aluno.”

(G1 RJ)

Senadores aprovam corte de 53% dos royalties que iam para educação

O projeto de lei sobre a destinação dos royalties do petróleo para a educação aprovado pelo Senado na noite de terça-feira (02/07), derrubou pela metade o montante que havia sido votado pelos deputados. Com isso, o repasse cai 53,43% – de R$ 209,31 bilhões para R$ 97,48 bilhões. O cálculo é da Consultoria Legislativa de Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos da Câmara, com dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

É um retrocesso ao clamor popular, avaliam especialistas ouvidos pela reportagem. O projeto da Câmara, votado na semana passada em meio ao furor das manifestações que pediam 10% do PIB brasileiro para a educação, não chegava a alcançar esse porcentual, mas previa um acréscimo de 1,1% do PIB para o setor até 2022, alcançando 7% – hoje são 5,8%.

“A redução feita pelo Senado derrubou o porcentual de 1,1% para apenas 0,4% do PIB. Foi o anticlímax. Existia um ganho que não era o ideal, mas melhorava bem. Agora voltamos quase ao zero”, diz o professor Luiz Araújo, especialista em financiamento e políticas públicas. O relator do projeto é o líder do governo na Casa, senador Eduardo Braga (PMDB-AM), e as alterações, segundo os bastidores no Congresso, são resultado de um acordo entre governo e líderes partidários.

Alterações

Entre as mudanças propostas pelo Senado, duas delas explicam bem a redução do investimento. A primeira é em relação aos contratos já assinados. Assim como a Câmara, o texto aprovado pelo Senado mantém que royalties obtidos com a produção atual de petróleo, em contratos assinados desde 3 de dezembro de 2012, já sejam destinados ao setor. A diferença é que, pelo substitutivo, a regra valerá somente para os royalties que cabem à União: Estados e municípios ficam isentos da obrigatoriedade.

A outra alteração que interfere no montante de verbas é a questão do Fundo Social. O projeto do Senado destina 50% dos rendimentos dos recursos recebidos pelo Fundo Social, em vez do total. Isso significa que o excedente em óleo referente aos contratos de partilha de produção não será destinado às áreas de educação e saúde, a não ser pelos rendimentos.

“A nossa luta não é para gerar pressão sobre a base econômica brasileira. O que pedimos para a educação não vai quebrar o país. Mudar tudo isso é chamar o povo de idiota. O país não pode abrir mão dessa conquista”, afirma o coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara.

Um estudo do professor Nelson Cardoso Amaral, especialista em financiamento da Universidade Federal de Goiás (UFG), mostra que, para chegar ao valor que os Estados Unidos investem por ano em cada estudante, o Brasil teria de empenhar 10% do PIB de hoje até 2040.

Um documento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) apresenta outras possibilidades para atender à necessidade de aumentar os recursos, como a ampliação de impostos e a vinculação de parte das contribuições para o setor até ações consideradas chave, como melhorar a gestão e o controle social dos gastos públicos.

Empenho

Em nota, a assessoria do senador Eduardo Braga (PMDB-AM), relator do projeto, disse que o valor estimado com base no projeto aprovado na Câmara era equivocado por basear-se em premissas não fundamentadas e que as alterações introduzidas no Senado buscaram aprimorar o texto, “minimizando o risco de judicialização e evitando o uso indevido do Fundo Social”.

De acordo com a nota, “utilizar no País as receitas do Fundo Social contraria todos os princípios para os quais ele foi criado, especialmente a estabilidade econômica e a capacidade de competição”. Ao fim, o texto divulgado salienta que a iniciativa de vincular os 100% dos royalties do petróleo para a educação foi uma iniciativa do governo. “Portanto, o governo e o Parlamento brasileiro têm o maior interesse em aumentar as verbas, mas de maneira responsável e segura juridicamente”.

Por conta das alterações realizadas, a matéria volta a ser discutida na Câmara. A Casa deve votar, na próxima semana, se aceita as modificações no texto ou se mantém o que havia sido aprovado anteriormente. Após essa decisão, o projeto segue para a presidente, que decidirá pelo sanção ou veto.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Abril Educação adquire centro educacional Sigma por R$ 130 milhões

A Abril Educação anunciou nesta quinta-feira (4) a aquisição do Centro Educacional Sigma, escola de Brasília, no Distrito Federal, por R$ 130 milhões. Consequentemente, a companhia passa a ser detentora das três unidades do colégio, que atuam desde a educação infantil até o ensino médio na capital do País.

A operação, anuncia a empresa, em nota, tem como objetivo diversificar a receita. A Abril Educação aposta em colégios com tradição no mercado.

Com a  aquisição, ganha presença na região Centro-Oeste, onde planeja expandir a marca Sigma para outras escolas da região.

Após a compra, a Abril Educação passará a atender diretamente mais de 5 mil alunos do Sigma. As unidades do centro educacional estão instaladas na capital brasiliense desde 1984.

Todos os projetos em andamento e as atividades das equipes de atendimento, assessoria pedagógica, comercial, operacional, tecnológica e de marketing, bem como a diretoria do Centro Educacional Sigma, não sofrerão mudanças, anuncia a empresa.

(IG São Paulo)

Universidade Vale do Acaraú (UVA) divulga resultado do vestibular 2013/2

A Universidade Estadual do Vale do Acaraú (UVA), no Ceará, disponibilizou nesta quinta-feira, 04 de julho, o resultado final do Vestibular 2013/2. O processo seletivo ofereceu 905 vagas para os cursos ministrados na cidade de Sobral.

Acesse aqui o resultado

O curso mais concorrido do vestibular foi Direito, com 26,7 candidatos por vaga, seguido por Engenharia Civil (18,35), Enfermagem (15,85), Ciências Contábeis (12,65) e Administração (10,8). A concorrência completa pode ser acessada aqui.

As provas foram realizadas no dia 02 de junho, em dois períodos. Pela manhã, os candidatos responderam 60 questões objetivas de conhecimentos gerais. À tarde, o caderno de provas continha uma proposta de redação e 20 questões objetivas de duas disciplinas específicas ao curso escolhido. Baixe o gabarito.

Matrícula

Os classificados deverão efetuar matrícula nos dias 15 e 16 de julho, das 8h às 12h e das 14h às 18h, na Pró-Reitoria de Graduação (Prograd), no Campus Betânia. Para a matrícula serão exigidos os originais e fotocópias da Identidade, Certificado de Conclusão do Ensino Médio, comprovante de quitação eleitoral e Certificado Militar (para homens).

No dia 17 de julho, a UVA irá divulgar as vagas que sobraram após matrícula dos classificados. A chamada dos classificáveis será no dia 18 seguinte, para todos os cursos, na Prograd, às 08h. Perderão o direito à vaga os candidatos que chegarem fora do horário determinado.

Outras informações podem ser consultadas neste Edital ou pelos telefones (88) 3677-4210/ 4271.

Por Adriano Lesme

Via http://vestibular.brasilescola.com/noticias/resultado-vestibular-2013-2-uva-ce-publicado/323417.html

Biblioteca Pública Menezes Pimentel está entregue às baratas

Via Blog do Eliomar de Lima

Do jornalista e poeta Barros Alves, recebemos nota, em tom de protesto, sobre as condições da Biblioteca Pública Menezes Pimentel. Confira:

Caro Eliomar de Lima,

Estive ontem na Biblioteca Pública Governador Menezes Pimentel, subordinada à Secretaria de Cultura do Estado e constatei que está entregue às baratas.

Devido as condições totalmente insalubres não consegui fazer a pesquisa a que me propunha.

– Há mais de dois anos não funciona o sistema de ar condicionado, em consequência o calor é insuportável e o grau de insalubridade dos servidores é elevado.

– Várias pessoas já adoeceram em razão do calor excessivo.

– Não há um sistema de climatização adequado para a conservação do acervo bibliográfico.

– Não há manutenção física do prédio que está cheio de goteiras e rachaduras.

– Não há condições de infraestrutura para o trabalho da equipe de restauradores de livros e jornais.

– Há grandes deficiências no sistema de microfilmagem.

– O setor de Língua Inglesa é um verdadeiro forno.

– O acervo que já é velho e sem a devida climatização está se deteriorando a cada dia.

– Só a dedicação e o profissionalismo dos servidores mantém a Biblioteca aberta.

Sem mais,

* Barros Alves. 

VAMOS NÓS – Cadê o projeto de reforma dessa biblioteca, secretário Francisco Pinheiro? Cadê também o projeto de reforma do Dragão do Mar? Cadê o senhor secretário?

USP aprova bônus para negros, pardos e indígenas oriundos de escola pública

Bruno Bocchini
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – O Conselho Universitário da Universidade de São Paulo (USP) aprovou hoje (2) a criação de um bônus que pode elevar a nota em até 5% – a depender do resultado obtido na prova – dos vestibulandos que se declararem pretos, pardos ou indígenas e tenham cursado integralmente o ensino básico em escolas públicas. Até agora, o grupo não tinha bônus para ingresso na universidade.

A decisão já vale para o próximo vestibular.

O conselho também aumentou de 8% para 12% a bonificação na nota dos alunos que tenham cursado o ensino médio em escola pública; elevou de 8% para 15% a bonificação dos candidatos que fizeram o ensino fundamental e integralmente o ensino médio na rede pública. Além disso, aumentou de 15% para 20% o bônus para o aluno que cursou integralmente o ensino fundamental na rede pública e o segundo e terceiro anos do ensino médio em escolas públicas.

Assim, o aluno preto, pardo ou indígena que tiver cursado integralmente o ensino fundamental na rede pública e o segundo e terceiro anos do ensino médio em escolas públicas pode chegar a ter até 25% de sua nota do vestibular aumentada pelos bônus recebidos.

Edição: Nádia Franco