image

Ainda distante dos grandes centros comerciais e tecnológicos do País, Fortaleza foi apontada como uma das cidades mais promissoras para o desenvolvimento de startups, conforme apontou novo levantamento da Associação Brasileira de Startups (ABStartups).

Ainda de acordo com o estudo, a Capital cearense é a cidade com o maior número de empresas abertas dentro dessa categoria, ficando à frente de Belém, Cuiabá, Caxias do Sul, e Salvador, por exemplo.

Ao todo, de acordo com o estudo, existem 118 startups em Fortaleza. A cidade mais próxima é Salvador, com 93 iniciativas. O principal setor de atividade das startups cearenses é o de negócios de serviços realizados por software, conhecido como “SaaS”, acumulando 42,86% das empresas locais. O comércio eletrônico e o setor de marketplace vem logo em seguida, mas bem abaixo, ambos com 17,46%.

O grande foco de negócios em Fortaleza, segundo a ABStartups, é desenvolvido com serviços de empresas para empresas, modelo conhecido como “B2B” (Business to business). Mais da metade, ou 51,43%, do mercado é movimentado por essa segmentação.

Serviços estruturados de empresas para consumidores somaram 27,14% do total.

Para Vasco Furtado, professor e diretor de pesquisa e inovação de Universidade de Fortaleza (Unifor) e da TEC Unifor, três fatores foram fundamentais para o desenvolvimento do ambiente de startups na Capital. Segundo Furtado, o apoio governamental das gestões estadual e municipal, aliado ao esforço das universidades locais e da instalação do hub de telecomunicações no Estado foram determinantes para a evolução do setor em Fortaleza.

“Há uma convergência de fatores, como o apoio governamental tanto da Prefeitura quanto do Governo do Estado, exemplificado pela ampliação do fundo de inovação, mas também há questões estruturais, como a chegada de novos cabos de conexão e do trabalho que as universidades vem fazendo. As incubadoras como a TEC Unifor são fundamentais para que os alunos possam desenvolver ideias”, analisou Furtado.

Visibilidade

Segundo Rafael Ribeiro, diretor executivo da ABStartups, o mapeamento tem a intenção de dar visibilidade a regiões afastadas dos grandes centros e de conectar a comunidade. “Queríamos mostrar que há um ambiente em Fortaleza de sucesso e uma cultura latente, com cases de startups de sucesso”, disse Ribeiro.

(Diário do Nordeste)

Anúncios