air-france-klm-release
Foto: crédito http://www.aeroin.net

Os preços das passagens entre Fortaleza e Paris (França) e Amsterdã (Holanda) operados pela Air France-KLM são em média 35% mais baratos do que os bilhetes para os voos com saídas do Rio de Janeiro e São Paulo.

 

“Por conta da distância entre Fortaleza e a Europa e da viagem mais curta, o preço das tarifas em comparação a Rio e São Paulo é mais baixo. Quando se avalia em média nos quatro primeiros meses de operações do grupo na capital, hoje custa menos do que era antigamente, antes do lançamento do hub”, afirma Jean Marc Pouchol, diretor geral do Grupo Air France-KLM para a América do Sul, durante o “Encontros à Francesa”, realizado em Fortaleza até 26 de setembro.

 

Na simulação de São Paulo para Paris, entre os dias 5 e 12 de março do próximo ano, observou-se preços de R$ 3.501,48 (ida e volta com taxas de embarque). Partindo do Rio para Paris, nas mesmas datas, os valores chegam a R$ 3.887,37. Já de Fortaleza, a pesquisa mostrou bilhetes de R$ 3.237,03, cerca de 17% mais barato em relação à capital fluminense.

 

Além disso, Pouchol reafirma que as ocupações dos voos de Fortaleza para a Europa estão acima de 90%. “É uma ocupação sustentável. Nós temos a mesma taxa de ocupação do que temos hoje no Rio e em São Paulo. Ainda é um pouco mais alto aqui porque julho e agosto são mais movimentados para este tipo de rota”, diz.

 

Atualmente, Fortaleza conta com cinco voos semanais do Grupo (dois para Paris e três para Amsterdã). A partir de abril de 2019 serão sete frequências por semana, sendo quatro para a capital holandesa e outras três para Paris.

Encontro

Fortaleza sedia nesta semana, pela primeira vez, o Encontros à Francesa. A 4ª edição do evento reúne 37 expositores franceses e mais de 90 profissionais brasileiros, principalmente do Nordeste, e três internacionais vindos da Argentina, Chile e Uruguai.

De acordo com Caroline Putnoki, diretora do Atout France na América Latina, cerca de 20% dos viajantes brasileiros para França são do Nordeste, com a perspectiva de aumentar este número a partir das operações do grupo franco-holandês.

“É uma proporção muito grande que temos que trabalhar. Em termos de resultados de clientes eu não posso dizer ainda, vamos esperar mais um pouco. Temos que esperar até o fim do ano para ver como ficou esse resultado. Mas é claro que a chegada da Air France-KLM vai mudar esse cenário e vai ajudar a encorajar os clientes daqui a irem para a França”, explica.

(G1 Ceará)