joao-souza
João tinha 19 anos e cursava o primeiro ano de engenharia na Universidade de Binghamton (Foto: Reprodução/Facebook

O estudante brasileiro João Souza, de 19 anos, assassinado a facadas na Universidade de Binghamton, em Nova York, nos Estados Unidos, era filho do diretor de marketing do Banco do Brasil, Alexandre Alves de Souza. A informação foi confirmada ao Correio por meio de outro membro da diretoria do banco. Alexandre assumiu a direção de Comunicação e Marketing do banco em 2016. O jovem foi morto no domingo, (15/4), dentro do dormitório da universidade onde cursava o primeiro ano do curso de engenharia.

Câmeras de segurança flagraram o suspeito, identificado como Michael M. Roque, de 20 anos, deixando o dormitório de João e fugindo do campus. Colegas de quarto de João relataram nas redes sociais terem visto um homem mascarado assassinar o jovem. O brasileiro teria gritado por socorro antes de ser atingido.

Segundo uma nota divulgada pela universidade, a polícia acredita que o crime tenha sido premeditado e que brasileiro era o alvo do suspeito. Michel foi detido e encaminhado para a prisão do condado de Broome. Ele nega participação no crime.

De acordo com o jornal The New York Times, João Souza se formou no ano passado em um colégio de Rye Brooks, também no Estado de Nova York. Após o ataque, o brasileiro foi levado ainda com vida para um hospital, mas não sobreviveu aos ferimentos.

Esse é o segundo caso de homicídio de alunos da Universidade de Binghamton neste ano. Em março, a estudante de enfermagem Haley Anderson, 22 anos, foi encontrada morta em sua residência.

(Correio Brasiliense)

Anúncios