Por Crisneive Silveira

Um dos maiores blocos do Pré-Carnaval de Fortaleza, o Glitter, que carrega a bandeira da diversidade e da luta LGBT, pode ter chegado ao fim, segundo texto publicado pela organização do evento no Facebook. Relatos de assédio, insegurança e falta de estrutura no primeiro evento de 2018, no último sábado (6), fizeram com que a organização do Glitter decidisse acabar com o bloco, que se concentra no Mercado dos Pinhões.

A organização reclama a falta de estrutura, como banheiros químicos, lixeiras e suporte de um modo geral, além de seguranças. Aspectos que são de responsabilidade da Prefeitura de Fortaleza. Além disso, diversos relatos na página do evento falam em tentativa de estupro, assédio e roubos.

“Para o bloco existir precisamos de apoio, que é o que não temos! Não dão verba, nem estrutura! Nada. Aconteceu porque a gente quis que acontecesse! O pré-carnaval da cidade de Fortaleza é responsabilidade da cidade. Não tivemos suporte, lixo, segurança, posto de saúde, banheiros químicos, etc”, disse a organização do evento na publicação.

Diversas pessoas estão começando uma campanha para que o bloco volte, e indo à página do perfil do Prefeito Roberto Cláudio para pedir patrocínio. Mas, de acordo com a assessoria da Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secult-FOR), o Glitter faz parte da programação oficial do Carnaval e Pré-Carnaval de Fortaleza, com início somente na próxima sexta-feira (12), que contempla toda a estrutura necessária para a realização do evento. A Secultfor ainda esclarece que as festas realizadas foram de instituições independentes.

Tribuna do Ceará tentou contato com o autor da postagem por meio das redes sociais e telefone, mas não obteve retorno.

(Tribuna do Ceará)

Anúncios