feriados-2018

Vislumbre de descanso para a população comum, os 13 feriados nacionais anunciados para 2018 representam projeção financeira para o setor do turismo, que deve consolidar os bons números registrados em 2017. Fora dois feriados que caem na terça e quinta-feira, podendo emendar, outros três serão em sextas-feiras. Se aprovada como feriado nacional, o Dia da Consciência Negra também será comemorado em uma terça-feira. Além disso, o ano é de Copa do Mundo e eleições no Brasil. Informações há muito transformadas em curva numérica por companhias aeras e agências de viagem.

A explicação é do representante máster da CVC em Mato Grosso, Oiran Gutierrez, que aponta a ascensão de classes, observada há alguns anos, e o aumento no número de viajantes mundo afora como fatores que mantiveram o segmento quase intacto durante a crise. Uma pesquisa divulgada em 2016 pelo Ministério do Turismo (MTur) confirma a tendência: 49,4% da população brasileira viaja pelo menos uma vez por ano. Sendo assim, para o próximo ano as expectativas para o setor não poderiam ser melhores.

No caso do empresário, a perspectiva é repetir os dados de crescimento anual e encerrar 2018 com crescimento de dois dígitos na margem de lucro. “Esses dados são trabalhados estrategicamente com muita antecedência. A empresa, que tem um T.I muito eficiente, já detecta essas curvas. Então, além de eventos pontuais como a Copa, que acontece de quatro em quatro anos, existem projeções de períodos de maior e menor venda e de realização de promoções, por exemplo.”

O levantamento mensal da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) reforça o otimismo. A demanda (em passageiros-quilômetros pagos transportados, RPK) subiu 7,8% em outubro de 2017, no Brasil. Comparada com o mesmo mês de 2016, esta é a oitava alta do indicador após 19 meses em queda. Isso significa que foram transportados 7,8 milhões de passageiros pagos em voos domésticos, representando variação positiva de 7,8% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Soma-se a isso a privatização de uma série de aeroportos Brasil afora, que faz brilhar os olhos do empresariado. A justificativa, para Oiran, é que a iniciativa estimulará a compra de passagens aéreas, já que os terminais deverão ampliar suas conexões. É a expectativa para o Marechal Rondon, de Cuiabá. “Temos uma estrutura que opera com basicamente metade de sua capacidade. Se tivermos a sorte de que uma empresa multinacional a compre haverá um salto, porque eles querem dinheiro e precisarão aumentar o fluxo”, conclui.

Do lado do consumidor, planejamento é a palavra chave para conseguir aproveitar as datas com economia. No total, considerando as comemorações emendadas ao final de semana, serão 36 dias de folga. Dois a mais que em 2017, quando foram 34, e 10 a mais que em 2016, com registro de apenas 26. Se você já está pensando em por em prática a ideia, confira a lista dos feriados nacionais de 2018:

image1

(Olhar Direto)

Anúncios