030418014a537973dcab9001613746e5
Aeroporto Internacional do Recife Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem/arquivo

Amanda Azevedo

O Aeroporto Internacional do Recife – Gilberto Freyre, na Zona Sul da capital pernambucana, assumiu a liderança do ranking de movimentação de passageiros no Nordeste pela primeira vez na história. De acordo com dados de um relatório da Empresa Brasileira de Estrutura Aeroportuária (Infraero), divulgado recentemente, o Aeroporto do Recife superou o de Salvador no fluxo de viajantes de avião durante o ano. Pernambuco chegou à marca de 7.009.895 passageiros até o mês de novembro, enquanto a Bahia recebeu 6.953.015 no mesmo período, uma diferença de mais de 56 mil viajantes.

O crescimento da movimentação de passageiros no Estado representou um aumento de 13,05% em relação ao ano passado, quando o Recife recebeu 6.200.767 pessoas. Outras praças fortes, como Salvador e Fortaleza, obtiveram 1,75% e 4,3% de crescimento, respectivamente.

Segundo dados da Infraero, a malha aérea de Pernambuco teve um aumento de 139% entre 2014 e 2017, saindo de 21 para 43 destinos. O Estado tem voos internacionais diretos para Lisboa (TAP), Montevidéu (Gol), Buenos Aires (Latam e Gol), Cabo Verde (TACV), Frankfurt (Condor), Cidade do Panamá (Copa Airlines), Miami (Latam), Milão (Meridiana), Orlando (Azul), Munique (Condor), Bogotá (Avianca) e Madri (Air Europa – a partir de 20 de dezembro). No próximo ano, Pernambuco contará com ligações para Córdoba (Gol e Azul), Rosário (Azul) e Fort Lauderdale (Azul). No território nacional, com a implantação do hub regional da Azul Linhas Aéreas, Pernambuco ganhou voos diretos para todas as capitais nordestinas e 45 ligações diárias para outros 22 destinos brasileiros.

Para o secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, Felipe Carreras, o aumento de passageiros é resultado do trabalho do governo de Pernambuco, da Prefeitura do Recife e da parceria com a Infraero.“Pernambuco virou uma referência nacional com sua política de conectividade aérea e tem se destacado como nunca antes na captação de voos. As novas rotas têm atraído mais turistas e gerado um impacto econômico significativo.”

Nos dez primeiros meses de 2017, o Estado recebeu 4,8 milhões de turistas, que injetaram R$ 6,4 bilhões na economia.

(Via Jornal do Commercio Online)

Anúncios