inseguranca_cortada

O fechamento de agências bancárias explodidas no Interior do Ceará continua sendo uma preocupação séria para funcionários e clientes. Atualmente, existem 31 municípios cearenses com atendimento bancário prejudicado. Existem 18 agências explodidas sem funcionar absolutamente nada; são 13 agências funcionando precariamente sem tesouraria; existem cerca de 200 bancários sem ter lugar fixo de lotação, inclusive pagando pra trabalhar; e 750 mil habitantes prejudicados.

As 31 cidades, com os cerca de 750 mil habitantes com dificuldade nesse tipo de atendimento, tendo que se deslocar para municípios vizinhos, distantes até 60 quilômetros, correndo risco de assaltos, são:

Antonina do Norte;
Assaré;
Nova Olinda;
Saboeiro;
Catunda;
Madalena;
Pedra Branca;
Cedro;
Missão Velha;
Pereiro;
Capistrano;
Milhã;
Redenção;
Senador Pompeu;
Hidrolândia;
Ipueiras;
Tejuçuoca;
Aiuaba;
Araripe;
Carius;
Independência;
Monsenhor Tabosa;
Novo Oriente;
Icapuí;
Jaguaretama;
Jaguaruana;
Barreira;
Chorozinho;
Itapiúna;
São João do Jaguaribe; e
Lavras da Mangabeira.

Uma equipe de diretores do Sindicato esteve visitando esses municípios, conversando com funcionários e a população, e constatou que a situação é crítica.  Os bancários estão trabalhando em unidades em outras cidades, às vezes fazendo deslocamento de até 100 quilômetros. Alguns denunciam que chegam a pagar para trabalhar, pois a ajuda do banco demora a sair.

Quanto à população, ou está totalmente sem atendimento bancário, ou com atendimento sem numerário. No caso de Pedra Branca, por exemplo, as agências do Banco do Brasil e Bradesco estão fechadas. A população recorre aos Correios e agência lotérica.

Encaminhamentos do Sindicato

Essa situação não passa despercebida do Sindicato dos Bancários do Ceará, que já fez vários encaminhamentos visando solucionar o problema causado pelo fechamento das agências no Interior. “Já mantivemos audiência com o governador Camilo Santana, cobrando segurança para a população e bancários. Algumas medidas foram tomadas pelo Governo, como a criação do Cotar, Batalhão de Fronteira, Ciopaer para o Cariri e Sobral, mas infelizmente, os bandidos continuam sitiando as cidades, invadindo quartéis e delegacias, e explodindo agências no Interior”, disse Bosco Mota, diretor do SEEB/CE.

O dirigente sindical informa também, que o Sindicato vai agora pressionar as instituições financeiras e já solicitou audiência com o superintendente do Banco do Brasil, Castro Júnior, que ainda não respondeu. O BB é o banco com maior número de agências fechadas e funcionários envolvidos.

Debate sobre Segurança Bancária no Cariri

O tema segurança bancária também fez parte da pauta do Seminário em Defesa dos bancos Públicos realizado o último dia 26/8, no Cariri, do qual o SEEB/CE participou. Aconteceram debates sobre Previ, com Marcel Barros; Cassi, com Ana Dantas; Funcef e Saúde Caixa, com Áureo Junior; Segurança Bancária, com Bosco Mota; e Reforma Trabalhista e Terceirização, com o advogado Ambrósio, diretor do Sindicato dos Bancários do Cariri.

Novo ataque aumenta estatística da insegurança bancária

No último dia 29/8, mais uma agência bancária foi explodida no Interior do Ceará. Desta vez foi a unidade do Banco do Brasil, na cidade de Lavras da Mangabeira, distante 446 Km de Fortaleza. Segundo informações dos policiais da 3ª Companhia do 10º Batalhão de Iguatu, a quadrilha era composta por cerca de 20 homens fortemente armados.  Este é o 45º ataque a bancos no Ceará, no período de  janeiro a agosto deste ano. A estatística do Sindicato dos Bancários do Ceará tem contabilizado os ataques a bancos no Estado, conforme noticiário da imprensa e relatos dos próprios bancários.

Em Lavras da Mangabeira, de acordo com a Polícia, os assaltantes explodiram o prédio, chegando a comprometer a estrutura da edificação, onde também funciona a sede da Secretaria de Saúde do Município. Não há registro de feridos. A Polícia com batalhões sediados nas cidades de Crato e Juazeiro do Norte está  na captura dos bandidos.

(SEEB/CE)