Governador do Ceará tem reunião em São Paulo sobre o Hub da Latam

camilo-e-rc-aeroporto-1-625x469
Camilo no dia em que a Fraport arrematou, em São Paulo, o aeroporto de Fortaleza.

O governador Camilo Santana (PT) terá reunião nesta quarta-feira, às 15 horas, em São Paulo, com a presidente dessa empresa no Brasil, Cláudia Sender. Será o primeiro encontro dele com a empresa após a definição da alemã Fraport como nova concessionária do Aeroporto internacional Pinto Martins.

Com Camilo, estará o prefeito Roberto Cláudio (PDT) – que já tomou a rota da Capital paulista, e os secretários Arialdo Pinho (Turismo), César Ribeiro (Desenvolvimento Econômico) e Lúcio Gomes (Infraestrutura).

Camilo quer conversar sobre o hub que a Latam projeta para o Nordeste, o que envolve uma peleja entre Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte. A empresa havia descartado a instalação do hub, mas, após a vitória da Fraport no leilão, o presidente-executivo da Latam, Enrique Cueto, revelou que o tema iria voltar à pauta.

(Blog do Eliomar de Lima)

Anúncios

Aécio Neves, o mega delatado, recebia mesada de R$ 1 mi e R$ 2 mi, afirma delator

ac3a9cio-assustado-300x300
Foto: Gabriela Korossy/ Câmara dos Deputados

Marcelo Odebrecht e outro executivo da empresa contaram que o senador Aécio Neves, presidente nacional do PSDB, recebeu “vantagens indevidas” em troca de apoio a interesses da empreiteira, sobretudo no caso dos projetos das usinas hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau. Segundo o colaborador Henrique Valladares, Aécio, identificado como “Mineirinho”, recebia mesadas que variavam de 1 milhão de reais a 2 milhões de reais.

O teor de outro inquérito envolvendo o senador tucano revela que, em seus acordos de colaboração, Marcelo Odebrecht e Benedicto Júnior apresentaram provas documentais de que, em 2014, efetuaram o pagamento de “vantagens indevidas” em benefício do senador Aécio Neves e de seus aliados políticos. O relato foi confirmado pelo principal executivo da empreiteira em Minas Gerais.

Alvo de cinco inquéritos, Aécio Neves também foi citado por dois delatores, que disseram que a Odebrecht pagou, a pedido do senador, “vantagens indevidas” travestidas de doações eleitorais à campanha ao governo de Minas Gerais do tucano Antonio Anastasia, hoje senador. Um dos repasses foi de cerca de 5,5 milhões de reais. Houve apresentação de prova documental, segundo o Ministério Público.

Confira nota de posicionamento enviada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG): 

“Considero importante o fim do sigilo sobre o conteúdo das delações, iniciativa solicitada por mim ao ministro Edson Fachin na semana passada, e considero que assim será possível desmascarar as mentiras e demonstrar a absoluta correção de minha conduta.”

Confira as acusações feitas pelos delatores nos inquéritos abertos pelo STF e clique em leia mais para saber o que pesa cada um (a lista está sendo atualizada):

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO (PSDB) – governador usava cunhado para receber propina (leia mais)

AÉCIO NEVES, SENADOR (PSDB-MG) – senador teria recebido mesada de até 2 milhões de reais (leia mais)

DILMA ROUSSEFF, EX-PRESIDENTE DA REPÚBLICA (PT) – ex-presidente teria recebido 150 milhões para campanhas (leia mais)

ROMERO JUCÁ, SENADOR (PMDB-RR) – senador recebeu propina para defender interesses da Odebrecht (leia mais)

RENAN CALHEIROS, SENADOR (PMDB-AL) – com Jucá, recebeu R$ 5 milhões para aprovar MP (leia mais)

EDISON LOBÃO, SENADOR (PMDB-MA) – senador levou R$ 5,5 milhões de reais da empreiteira (leia mais)

FERNANDO COLLOR, SENADOR (PTC-AL) – recebeu 800 mil reais na campanha eleitoral de 2010 (leia mais)

LINDBERGH FARIAS, SENADOR (PT-RJ) – recebeu 4,5 milhões de reais em propinas nas eleições de 2008 e 2010 (leia mais)

CIRO NOGUEIRA, SENADOR (PP-PI) – recebeu 1,6 milhão de reais nas eleições de 2010 e 2014 (leia mais)

EDUARDO CUNHA, EX-DEPUTADO (PMDB-RJ) – ex-deputado teria arquitetado plano para sepultar a Lava Jato (leia mais)

BLAIRO MAGGI, MINISTRO DA AGRICULTURA (PP-MT) – ministro recebeu R$ 12 mi para ajudar a liberar crédito da empresa (leia mais)

VICENTE CÂNDIDO, DEPUTADO (PT-SP) – deputado federal recebeu 50 mil reais para viabilizar Itaquerão (leia mais)

JORGE PICCIANI, DEPUTADO ESTADUAL (PMDB-RJ) – recebeu caixa dois da Odebrecht nos anos de 2010 e 2012 (leia mais)

PAULO HARTUNG, GOVERNADOR DO ESPÍRITO SANTO (PMDB) – recebeu 1 milhão de reais nas eleições de 2010 e 2012 (leia mais)

HÉLDER BARBALHO, MINISTRO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL (PMDB-PA) – recebeu 1,5 milhão  de reais  em três parcelas (leia mais)

RICARDO FERRAÇO, SENADOR (PSDB-ES)  executivos dizem que repassaram a ele 400.000 reais via caixa dois (leia mais)

ALDEMIR BENDINE, EX-PRESIDENTE DA PETROBRAS – ex-presidente do BB e da Petrobras, recebeu dinheiro para ajudar a Odebrecht (leia mais)

ALFREDO NASCIMENTO, DEPUTADO (PR-AM) – ex-ministro de Lula e Dilma, recebeu 200 mil reais via caixa 2 (leia mais)

JOÃO BACELAR FILHO, DEPUTADO (PR-BA) – recebeu 250 mil reais da Odebrecht para ajudar em MP (leia mais)

CELSO RUSSOMANNO, DEPUTADO (PRB-SP) – deputado federal recebeu 50 mil reais na campanha de 2010 (leia mais)

ZECA DIRCEU, DEPUTADO (PT-PR) – filho de José Dirceu teria recebido 250 mil reais para campanha (leia mais)

CARLOS ZARATTINI, DEPUTADO (PT-SP) – líder do partido recebeu propina para atuar em favor de MPs (leia mais)

PAULINHO DA FORÇA, DEPUTADO (SD-SP) – presidente da Força Sindical recebeu 200 mil para campanha de 2010 (leia mais)

ANTÔNIO ANASTASIA, SENADOR (PSDB-MG)

MILTON MONTI, DEPUTADO (PR-SP)

ALOYSIO NUNES, SENADOR (PSDB-SP)

ARLINDO CHINAGLIA, DEPUTADO (PT-SP)

ARTHUR MAIA, DEPUTADO (PPS-BA)

BRUNO ARAÚJO, MINISTRO DAS CIDADES (PSDB-PE)

CÂNDIDO VACCAREZZA, DEPUTADO (EX-PT-SP)

GUIDO MANTEGA, EX-MINISTRO DA FAZENDA (PT)

EDUARDO BRAGA, SENADOR (PMDB-AM)

OMAR AZIZ, SENADOR (PSD-AM)

CACÁ LEÃO, DEPUTADO (PP-BA)

CÁSSIO CUNHA LIMA, SENADOR (PSDB-PB)

DALÍRIO BEBER, SENADOR (PSDB-SC)

NAPOLEÃO BERNARDES, PREFEITO DE BLUMENAU (PSDB-SC)

DANIEL VILELA, DEPUTADO (PMDB-GO)

MAGUITO VILELA, EX-GOVERNADOR DE GOIÁS (PMDB)

DANIEL ALMEIDA, DEPUTADO (PCDOB-BA)

DÉCIO LIMA, DEPUTADO (PT-SC)

ANA PAULA LIMA, DEPUTADA ESTADUAL (PT-SC)

ELISEU PADILHA, MINISTRO-CHEFE DA CASA CIVIL (PMDB-RS)

MOREIRA FRANCO, SECRETÁRIO-GERAL DA PRESIDÊNCIA (PMDB-RJ)

FÁBIO FARIA, DEPUTADO (PSD-RN)

ROBINSON FARIA, GOVERNADOR DO RIO GRANDE DO NORTE (PSD)

ROSALBA CIARLINI, PREFEITA DE MOSSORÓ (PP-RN)

FERNANDO BEZERRA, SENADOR (PSB-PE)

GILBERTO KASSAB, MINISTRO DAS COMUNICAÇÕES (PSD-SP)

BETINHO GOMES, DEPUTADO (PSDB-PE)

JOSÉ FELICIANO, ADVOGADO

VADO DA FARMÁCIA, EX-PREFEITO DE CABO DO SANTO AGOSTINHO (PTB-PE)

PAULO ROCHA, SENADOR (PT-PA)

HERÁCLITO FORTES, DEPUTADO (PSB-PI)

HUMBERTO COSTA, SENADOR (PT-PE)

IVO CASSOL, SENADOR (PP-RO)

JOÃO CARLOS RIBEIRO, EX-SECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO DE RONDÔNIA

JOÃO CARLOS BACELAR, DEPUTADO (PR-BA)

JORGE VIANA, SENADOR (PT-AC)

TIÃO VIANA, GOVERNADOR DO ACRE (PT)

JOSÉ CARLOS ALELUIA, DEPUTADO (DEM-BA)

ZECA DIRCEU, DEPUTADO (PT-PR)

JOSÉ DIRCEU, EX-MINISTRO-CHEFE DA CASA CIVIL

ZECA DO PT, DEPUTADO (PT-MS)

JOSÉ REINALDO TAVARES, DEPUTADO (PSB-MA)

ULISSES CÉSAR MARTINS, EX-PROCURADOR-GERAL DO ESTADO DO MARANHÃO

RENAN FILHO, GOVERNADOR DO ALAGOAS (PMDB)

JÚLIO LOPES, DEPUTADO (PP-RJ)

JUTAHY MAGALHÃES JÚNIOR, DEPUTADO (PSDB-BA)

KÁTIA ABREU, SENADORA (PMDB-TO)

MOISÉS PINTO GOMES, MARIDO DA SENADORA KÁTIA ABREU

LÍDICE DA MATA, SENADORA (PSB-PE)

MARCO MAIA, DEPUTADO (PT-RS)

HUMBERTO KASPER, EX-PRESIDENTE DA TRENSURB

MARCO PRATES DA CUNHA, EX-PRESIDENTE DA TRENSURB

PAULO BERNARDO, EX-MINISTRO DO PLANEJAMENTO (PT)

MARCOS PEREIRA, MINISTRO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO E SERVIÇOS (PRB-ES)

MARIA DO ROSÁRIO, DEPUTADA (PT-RS)

MÁRIO NEGROMONTE JÚNIOR, DEPUTADO (PP-BA)

VALDEMAR DA COSTA NETO, EX-DEPUTADO (PR-SP)

NELSON PELLEGRINO, DEPUTADO (PT-BA)

ÔNIX LORENZONI , DEPUTADO (DEM-BA)

PAULO HENRIQUE LUSTOSTA, DEPUTADO (PP-CE)

PEDRO PAULO, DEPUTADO (PMDB-RJ)

EDUARDO PAES, EX-PREFEITO DO RIO DE JANEIRO (PMDB)

RICARDO FERRAÇO, SENADOR (PSDB-ES)

RODRIGO MAIA, DEPUTADO (DEM-RJ)

CÉSAR MAIA, EX-PREFEITO DO RIO DE JANEIRO (DEM)

RODRIGO GARCIA, DEPUTADO (DEM-SP)

ROMERO JUCÁ, SENADOR (PMDB-RR)

EUNICIO OLIVEIRA, SENADOR (PMDB-CE)

LÚCIO VIEIRA LIMA, DEPUTADO (PMDB-BA)

RODRIGO JUCÁ, ADVOGADO E FILHO DE ROMERO JUCÁ (PSD-RR)

VALDIR RAUPP, SENADOR (PMDB-RO)

VANDER LOUBET, DEPUTADO (PT-MS)

VANESSA GRAZZIOTIN, SENADORA (PCDOB-AM)

ERON BEZERRA, MARIDO DA SENADORA VANESSA GRAZZIOTIN

VICENTINHO, DEPUTADO (PT-SP)

VITAL DO RÊGO FILHO, MINISTRO DO TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO (TCU)

YEDA CRUSIUS, DEPUTADA (PSDB-RS)

Fora do STF

Dezenas de outros inquéritos foram enviados por Fachin a outros tribunais porque os envolvidos não têm direito a foro no Supremo Tribunal Federal, como os governadores de estado, que têm de ser julgados pelo Superior Tribunal de Justiça.

Nesta lista estão, entre outros, os governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), e do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

Na lista também está o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), que precisam ser julgados na primeira instância, ou seja, pela Justiça Federal de São Paulo.

(Daniel Pereira, Veja Online)

Fortaleza ganha empresa que produzirá biometano

biometano

A partir de agosto, o gás produzido por meio de resíduos sólidos que têm como destino final o aterro sanitário municipal oeste de Caucaia (ASMOC), será captado e tratado pela Gás Natural Renovável (GNR Fortaleza) Fortaleza, empresa que nasce da sociedade entre a Ecometano e o Grupo Marquise, através da Ecofor. A expectativa é de que sejam produzidas até 150 mil metros cúbicos (m³) de biometano por dia. A usina será a segunda maior do País, adequando-se à Política Nacional de Resíduos Sólidos, aprovada e sancionada em 2010.

A Companhia de Gás do Ceará (Cegás) é responsável pela construção do gasoduto de 24 quilômetros de extensão, que deve ser concluído entre setembro e outubro de 2017, e pela posterior distribuição do biogás, que já tem como primeiro cliente a empresa Cerbras. Além da geração de energia, com a Gás Natural Renovável Fortaleza também será possível evitar que mais de 610 toneladas de CO² sejam lançadas na atmosfera anualmente, equivalentes à retirada diária de mais de 150 mil litros de diesel do setor de transportes.

O gerente de implantação de projetos da Ecometano, Thales Motta, apresentou o projeto na última semana, durante reunião do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema). Thales lembrou que a iniciativa está em consonância com a proposta apresentada pelo Brasil durante a 21ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP21), em 2015, de se comprometer com a redução de emissões de gases de efeito estufa para conter o aquecimento global.

O gestor apresentou um estudo recente, elaborado pela Companhia de Gás de São Paulo (Comgás) entre 2015 e 2016, que comprova que o biometano é seguro para os consumidores. A pesquisa demonstrou também que a mistura de gás natural e biometano minimizaria a concentração de compostos perigosos presentes.

 (Blog do Eliomar de Lima)

Buggy cearense vende o mesmo que Mercedes e Porsche

 

Você conhece o buggy Asa Cauype? O modelo, oferecido no Brasil por uma empresa sediada no Ceará, é o terceiro veículo mais vendido no Brasil entre os “esportivos”, segundo classificação da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores). Sim, parece estranho, mas ele aparece no mesmo ranking de Mercedes-Benz SLC, o primeiro colocado, e Chevrolet Camaro, o segundo. O Cauype teve 10 unidades emplacadas em março, empatando com Mercedes-AMG GTS e Porsche Cayman.

iCarros tentou contato por telefone com a empresa, mas sem sucesso. No site, aparecem dois modelos do buggy: o Cauype Classic de R$ 38.000 e o Cauype Sport R$ 42.000. Fabricado pela Cia. do Buggy, o Classic tem motor Volkswagen 1.6 refrigerado a ar, enquanto o Sport conta com um Volkswagen AP 1.6 ou 1.8.

O modelo possui chassi tubular com suspensão independente e carroceria em fibra de vidro, medindo 3,4 m de comprimento na versão Classic e 3,6 m na Sport. A largura é de 1,67 m e a altura é de 1,52 m, com entre-eixos de 1,99 m. Ele pesa 680kg e tem tanque de combustível para 40 litros. Os pneus dianteiros têm medida 185/65 R14 e os traseiro são 11L15 com aro de 15 polegadas.

Via http://www.icarros.com.br

Refinarias premium do Nordeste, inviáveis para a Petrobras, agora são viáveis para o capital estrangeiro

55bd1b4f43a04c6c3fc776a978675902_xl

Brasil 247

Em 22 de abril de 2015, na divulgação do balanço do quarto trimestre de 2014, a Petrobras anunciou a paralisação das refinarias premium do Maranhão e do Ceará, por considera-las economicamente inviáveis.

Com isto a empresa registrou um prejuízo de R$ 2,11 bilhões com a baixa contábil (impairment) da refinaria do Maranhão e R$ 596 milhões com a baixa da refinaria do Ceara.

Só este fato seria motivo de indignação de qualquer pessoa com um mínimo de bom senso. A decisão de novos investimentos é antecedida por muitos estudos e passa por diversos órgãos na estrutura da empresa. Como um projeto pode ser definido como inviável somente depois de já terem sido gastos R$ 2,7 bilhões na obra ? Quem são os responsáveis por este verdadeiro escândalo ? Eles foram punidos ?

Até hoje estas perguntas não foram respondidas. E não se fala mais nisto. Ficou no passado. Talvez o Brasil seja muito grande para se deter em pequenos detalhes ( apenas R$ 2,7 bilhões) .

Mais surpreendente ainda foi, um ano depois, em 11 de fevereiro de 2016, ler o artigo do jornalista Leonardo Goy : “O Irã tem interesse em investir nas refinarias premium do Maranhão e do Ceará, cujos projetos foram abandonados pela Petrobras no ano passado após longa busca por investidores, disse a Reuters uma fonte do governo brasileiro que acompanha o assunto.”

De acordo com o artigo “O Ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga, esteve reunido com a Presidente Dilma Roussef e um grupo de ministros, entre eles o da fazenda Nelson Barbosa, para discutir possíveis parcerias comerciais com o Irã”.

Neste ponto a curiosidade era querer saber o que poderia motivar o governo do Irã a investir no Brasil, num projeto que já havia sido taxado de inviável. Logo o Irã, um país distante do nosso, com o qual o Brasil tem poucas relações comerciais.Tudo muito estranho. Não podia ser verdade.
Passado mais um ano, em 22 de janeiro último, o jornalista Lucas Hadade, do jornal “O Imparcial” de São Luiz, MA, publicou artigo dizendo : “Refinaria de Bacabeira é sonho possível” (…) “A nova refinaria, pelo perfil atual da negociação é uma parceria público privada, entre o banco indiano Eximbank, que dará o dinheiro para a construção, o governo do Irã que fará exploração do refino e pagará o investimento com petróleo e o Brasil que cederá o terreno para o empreendimento” (…) “A área utilizada será a mesma da premium, com a terraplanagem já concluída e atualmente abandonada. O governo do Maranhão, que solicitou e obteve de volta o terreno após cancelamento da obra, já se comprometeu a cedê-lo para a nova refinaria”.

Segundo o artigo o investimento previsto é de US$ 10 bilhões. Ora , num ambiente de incerteza política como o brasileiro este é um negócio de altíssimo risco para iranianos e indianos. No mundo dos negócios, quanto maior o risco, maior deve ser o prêmio.
Para os indianos o prêmio está no fato de que eles vão fornecer a engenharia e os equipamentos, gerando muitos empregos e impostos na India. Não vai haver fornecimento brasileiro, e eles não terão dificuldades para receber os recursos aplicados, que serão pagos em petróleo, que eles necessitam, pelo Irã.

Para o iranianos o prêmio está no fato de que o projeto prevê o consumo de 650 mil barris/dia de petróleo que virá todo do Irã. Portanto não haverá consumo de petróleo brasileiro nesta refinaria. Por outro lado, todo o derivado produzido será vendido no Brasil, ocupando mercado que atualmente é da Petrobras. Isto transformará o Brasil num mercado cativo para o petróleo iraniano. Evidentemente o contrato prevê pesadas multas em caso de rescisão por parte do governo brasileiro.

ex-governador e atual deputado federal pelo Maranhão, José Reinaldo Tavares, já se reuniu com os ministros Fernando Coelho, Serra, Padilha e com o presidente da Petrobras Pedro Parente e obteve sinal verde para o projeto.

Por outro lado, em 25 de janeiro p.p., o jornal Diario do Nordeste, de Fotaleza, CE, destacava : “Em busca de trazer uma refinaria para o Ceará, o secretário de assuntos internacionais do governo do estado do Ceará, Antonio Balhmann, reuniu-se na última segunda-feira , na China, com o corpo técnico montado pela empresa Guangdong Zherong Energy Co.(GDZR). Na ocasião, segundo informou a assessoria do secretário, foram iniciados os trabalhos de formatação para implantação de uma refinaria no Estado do Ceará. Após a assinatura do memorando de entendimento entre o governador Camilo Santana e a empresa chinesa em novembro/2016, Balhmann esteve em Guangzhou, para a primeira reunião com o grupo que , designado pela empresa chinesa, irá encabeçar o esforço técnico para implantação da refinaria”.

O projeto já tem acertado a tecnologia e expertise da chinesa GDZR, o fornecedor de óleo , a iraniana National Iranian Oil Company (NIOC), e o financiador, o fundo do acordo Brasil-China no qual o projeto está inserido. O fundo deve começar a operar em março/2017 com US$ 20 bilhões para financiar projetos de infraestrutura e energia.

“Agora vamos trabalhar o projeto tecnicopara apresentar ao fundo , e com a aprovação devemos iniciar a implantação da refinaria em 2018” completou Balhmann em entrevista ao Diario do Nordeste em 30 de março.

O projeto da refinaria cearense vai consumir US$ 4 bilhões e 300 mil barris/dia de petróleo.

As duas refinarias, do Maranhão e do Ceará, estão sendo desenvolvidas na surdina, sem nenhuma divulgação por parte da grande mídia. A indústria nacional vai perder investimentos de US$ 14 bilhões (R$ 45 bilhões). O Brasil perde milhares de empregos, desenvolvimento de tecnologias, treinamento de pessoal especializado e grande volume de impostos para os asiáticos. Vamos nos transformar em mercado cativo de 950 mil barris/dia do petróleo iraniano.

Do lado brasileiro, o que posso imaginar é que a premissa é de que no futuro não teremos petróleo, pois todo o pre-sal será entregue para as petroleiras estrangeiras e o regime de partilha revogado.

O Brasil hoje é administrado por colonizadores que só pensam em explorar o país e seu povo.

Cláudio da Costa Oliveira
Economista aposentado da Petrobras.

Brasil quer duplicar turistas em cinco anos

turismo

O Brasil quer receber 12 milhões de turistas em 2022, ou seja, quase o dobro dos 6,5 milhões que visitaram o país o ano passado. Essa é a meta apontada pelo Governo de Temer, que quer recuperar turistas e aproveitar a promoção conseguida com os grandes eventos mundiais: Jornada Mundial da Juventude, Campeonato do Mundo e Jogos Olímpicos.

“O turismo representa cerca de 9-10% do PIB brasileiro e arrasta consigo 52 actividades”, sublinha, em entrevista à Renascença, o vice-presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur).

Tufi Michreff admite que, por vezes, há coisas que não correm tão bem e há dificuldades. Como a insegurança ou a instabilidade social registada nas grandes metrópoles como o Rio de Janeiro ou São Paulo. Mas também faz questão de frisar que “há regiões do Brasil bem mais seguras que certos países da Europa”. Ainda assim, “o governo vai adoptar diversas medidas de apoio e incentivo à actividade turística, em que se inclui o reforço da segurança para os turistas, designadamente no Rio de Janeiro”.

“Brasil Junino” para captar turistas portugueses e europeus

Depois do Carnaval, as Festas Juninas são as manifestações culturais populares de maior impacto no Brasil, em quase todas as regiões, mas sobretudo no Nordeste. E é com elas que, este ano, a Embratur e o Instituto Brasileiro de Integração – Cultura, Turismo e Cidadania querem captar turistas portugueses e de outros países da Europa do Sul.

É por isso que decorre em Lisboa, desde o dia 7 e até ao Domingo de Páscoa (16 de Abril), uma mostra do “Brasil Junino” que inclui muita música popular, danças e gastronomia. Das 10h00 às 20h00 há muito para ver, ouvir, provar e viver no pavilhão de Portugal, no Parque das Nações. Festas de todo o país mas em que cada região tem a sua especificidade.

“Com esta promoção, o Brasil mostra assim a sua grande diversidade”, diz Tufi Michreff, com destaque para as festas de sete regiões: Campina Grande, na Paraíba; Caruaru, em Pernambuco; São Luís no Maranhão; Mossoró, no Rio Grande do Norte; Aracaju, em Sergipe; Ceilândia, em Brasília e o São João da Bahia.

O objectivo desta campanha é mostrar que o Brasil não é só sol e praia, refere Michreff à Renascença. Estas festas decorrem de Junho até Agosto – época baixa no Brasil – e os turistas europeus podem aproveitar para conhecer também um pouco mais da cultura popular do país.

Depois de Lisboa, a comitiva brasileira fará a apresentação em Madrid, Roma e termina, a 28 de Maio, em Paris. Dez dias em cada capital europeia.

No próximo ano a promoção da Embratur vai centrar-se no turismo religioso, que tem um grande impacto para o Brasil. O Santuário de Nossa Senhora Aparecida é o que recebe mais peregrinos mas há muitos outros pontos de interesse para os turistas de fé.

Sol e praia (ainda) é o que motiva viagens dos portugueses

Portugal, Itália, França e Espanha são os quatro maiores países emissores de turistas para o Brasil e cujos visitantes mais tempo lá permanecem.

O Brasil chegou a receber quase meio milhão de portugueses por ano mas em 2015 foram apenas 160 mil, que geraram 184 milhões de dólares de receita.

Mas, segundo as estatísticas do Ministério do Turismo, mais de metade dos portugueses que viaja para o Brasil fica em casa de familiares ou amigos e só um terço vai para hotéis, pousadas ou resorts.

O sol e praia continuam a ser a motivação mais forte (65%) para os turistas portugueses que viajam para o país. Os restantes apostam, quase igualmente, entre a cultura e o turismo de natureza.

Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Fortaleza são os destinos mais procurados e a quase totalidade dos turistas manifesta desejo de voltar a terras de Vera Cruz.

Via http://rr.sapo.pt/noticia/80961/brasil_quer_duplicar_turistas_em_cinco_anos

Fortaleza ganhará dois voos semanais vindos da cidade do Panamá

voo

Por Yanna Guimarães

O secretário do Turismo, Arialdo Pinho, irá se reunir no próximo dia 27 de abril com a Copa Airlines para fechar dois voos semanais entre Fortaleza e a Cidade do Panamá. A reunião definirá os detalhes dos voos, como data de início e os horários de chegada e partida. Por meio dos voos, turistas de 31 países e 74 cidades chegarão mais facilmente ao Ceará.

“A cidade do Panamá concentra um hub que permite que tenhamos acesso imediato a mais de 30 países das Américas do Norte, do Sul e Central, além do Caribe. Esses voos são importantíssimos para ampliar o número de visitantes estrangeiros ao Ceará como também para facilitar a ida do cearense a países como Estados Unidos, México e Canadá, por exemplo”, afirma o secretário Arialdo Pinho.

Conforme dados da Secretaria do Turismo do Ceará (Setur), cerca de 10% do total de turistas que vêm ao Ceará são estrangeiros. Os principais mercados são Itália, Portugal, França e Argentina. Hoje, Fortaleza tem oito voos internacionais: Lisboa (TAP), Buenos Aires (Gol), Miami (Tam), Frankfurt (Condor), Milão (Meridiana), Caeina (Azul), Praia (Tacv) e Bogotá (Avianca).

(Governo do Estado do Ceará)

Procon Fortaleza divulga pesquisa de produtos da Semana Santa

pacoa-perini-2

Na lista, estão peixes comuns para o período como o bacalhau, serra e sirigado; e ainda vários tipos de camarão. A maior variação foi encontrada no preço do quilo pão de coco, que pode sair até 198,07% mais caro. Em seguida, os vinhos aparecem com as maiores diferenças entre os locais pesquisados. Entre os peixes, o filé de pescada amarelo foi encontrado por até 86,42% de diferença entre o estabelecimento mais caro e o mais barato.

A maior diferença foi encontrada no preço do quilo do pão de coco, indo de R$ 5,70 a R$ 16,99, o que confere 198,07% de variação. O vinho (750ml), muito comum neste período de Semana Santa, pode sair por até 150,40% de diferença entre os locais pesquisados, sendo encontrado de R$ 9,98 a R$ 24,99. No caso do vinho, o consumidor compraria quase três garrafas, se optar pela compra no supermercado mais barato.

A pesquisa do Procon Fortaleza leva em consideração as mesmas marcas e a quantidade exata no peso do produto, o que proporciona a análise confiável e precisa da tabela de preços.

Todos os preços

Entre os peixes, as maiores variações ocorreram nos preços do quilo do filé de pescada amarela, que pode ser encontrado de R$ 29,98 a R$ 55,89, ou seja, 86,42% de diferença; e ainda no quilo do filé de panga, que pode custar de R$ 13,90 a R$ 24,50, uma variação de 76,26%.

Para a diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, a pesquisa possibilita ao consumidor uma forma de economizar na hora de fazer as compras de produtos da Semana Santa. A diretora alerta para alguns cuidados e direitos. “O consumidor deve pesquisar e exigir o cumprimento da oferta anunciada em encartes publicitários. Caso encontre divergência no preço do produto ofertado com o valor apresentado no caixa, é direito do consumidor pagar sempre o menor preço”, orientou.

Ovos de Páscoa

O Procon Fortaleza divulgou no dia 29/3, a pesquisa com preços dos ovos de chocolate nos supermercados da Capital. A diferença no preço no ovo de chocolate da mesma marca e com o mesmo peso chegou a 107,44% entre o estabelecimento mais caro e o mais barato.

Dicas

O consumidor deve ficar atento às informações detalhadas sobre data de validade do produto, peso e composição. A embalagem deve estar em boas condições de armazenamento, sem amassados ou furos que possam contaminar o produto.

Pesquise preços e a qualidade dos produtos, pois o barato pode sair caro. Por exemplo, ovos de páscoa caseiros sempre são mais baratos, entretanto, temos que saber de sua procedência.

Para os peixes frescos, o cuidado deve ser a conservação, pois devem estar bem armazenados e em gelo. Verifique sua aparência observando se os olhos estão brilhantes e as escamam bem presas ao corpo.

Procure conhecer a procedência do bacalhau e cuidado para não comprar peixe salgado no lugar de bacalhau. Uma boa dica é verificar se, na embalagem, há informações se o produto é tipo Bacalhau e qual a espécie do peixe.

Fonte: Prefeitura de Fortaleza