Rejeição à união gay cai em Fortaleza

lgbt1

Num intervalo de seis anos, a reprovação à união legal entre pessoas do mesmo sexo diminuiu 11 pontos percentuais em Fortaleza. No mesmo período, a aceitação do reconhecimento legal destas uniões aumentou seis pontos. É o que revela a mais recente pesquisa O POVO/ Datafolha, que investigou temas sociais e culturais na capital cearense.

De acordo com este levantamento, que Cena G publica com exclusividade, 41% dos entrevistados são a favor da legalização da união de pares homoafetivos e 40% se declaram contrários – uma proporção quase idêntica. Os que se dizem indiferentes à questão totalizam 17%, já aqueles que não sabem responder chegam a 2%.

Estes números atuais são expressivos, mas eles ganham nova dimensão e significado quando comparados com pesquisa anterior doO POVO / Datafolha sobre o mesmo tema. Realizado em agosto de 2010, o levantamento revelou que apenas 35% dos fortalezenses diziam ser a favor da legalização destas uniões, enquanto 51% afirmavam sem contra.

À época, menos pessoas eram indiferentes ao assunto (12%) e também era menor (somente 1%) o número de quem não sabia o que dizer a respeito.

A pesquisa anterior, não custa lembrar, foi realizada quase nove meses antes da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que reconheceu a união estável entre pessoas do mesmo sexo, e quase três anos antes da decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que obrigou todos os cartórios a registrar casamentos gays.

Voltando à pesquisa atual, ela mostra que quanto mais jovem é o entrevistado, maior é a aceitação às uniões legais homoafetivas. O índice de aprovação chega a 55% entre aqueles que têm entre 16 e 24 anos, em compensação cai a 16% entre os que têm 60 anos ou mais.

Da mesma forma, quanto maior a escolaridade e a renda familiar mensal do pesquisado, maior é o nível de aceitação. Quando o parâmetro é religioso, os católicos são favoráveis em maior número (46%), só perdendo para os que se declaram sem religião (60%).

Por fim, no quesito “Região onde mora”, os residentes da Regional IV, (Benfica, Fátima, Gentilândia etc) apresentaram o maior números de opiniões a favor do casamento gay (48%). As demais regionais ficam em torno de 40%. O menor índice de apoio às uniões legais entre pessoas do mesmo sexo registrado em Fortaleza foi o dos moradores da Regional III (Antônio Bezerra, Pici, Henrique Jorge e afins), com apenas 38%.

SOBRE A PESQUISA

Foi realizada em 20 e 21 de outubro deste ano e ouviu 864 pessoas, acima de 16 anos. O nível de confiança é de 95%. A margem de erro é de 3 pontos percentuais.

(Émerson Maranhão, O Povo)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s