A cinco meses do Enem, professores apontam possíveis temas

temas-de-redacao-para-enem

Faltam cinco meses para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016. Diferentemente de anos anteriores quando, neste período, já circulavam no País especulações sobre temas e questões com maior probabilidade de abordagem na prova a discussão fervilha, hoje, sobre o futuro da avaliação. A mudança na gestão educacional do País após o afastamento de Dilma Rousseff (PT) e a chegada de Mendonça Filho (DEM) ao Ministério da Educação (MEC) pode influenciar na estrutura e até mesmo na continuidade do Enem?

Em meio a dúvidas, professores que acompanham o exame projetam perfis para as provas. “Como o tema é elaborado por instituições envolvidas com o Governo (Federal), não acredito que vá ser polêmico”, afirma a professora de Redação dos colégios Master e Antares, Nelândia Teodoro. Segundo ela, a avaliação sempre atravessou conjunturas políticas efervescentes, mas manteve o costume de adotar, na proposta, assuntos atemporais.

 

Apesar da tendência, que não descarta estímulo ao acirramento de ideias, no ano passado os candidatos foram surpreendidos com uma questão na prova de Ciências Humanas que tomou como base texto da escritora francesa Simone de Beauvoir, conhecida como uma das precursoras do movimento feminista. E na prova de Redação foi proposta argumentação sobre violência contra a mulher. Para a nova edição, Nelândia prospecta assunto mais neutro, relacionado ao eixo científico ou ao de comunicações. “Regulação da mídia, meio ambiente”, exemplifica.

Também descartando polêmicas, mas apostando em temáticas sociais “leves”, o professor de Redação do colégio Darwin, Marcos Blaque, acredita que provavelmente, este ano, seja pensado tema com somente uma forma de interpretação. “Diminui notas zero e fortalece o posicionamento crítico”, confia.

Mônica Serafim, professora do Departamento de Língua Portuguesa/Letras Vernáculas da Universidade Federal do Ceará (UFC), defende, ao contrário, que a mudança de gestão do MEC, bem como do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), que elabora o Enem, não deve interferir, politicamente, na avaliação. Tanto que, na contramão dos outros professores, ela arrisca “discussões relacionadas a honestidade. Não amplas, pelo cenário político, mas circunscritas”.

Gestão educacional

O ministro da Educação, Mendonça Filho, já fez críticas tanto ao modelo de avaliação do Enem, quanto ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e ao Programa Universidade para Todos (Prouni).
Mesmo assim, a recém-nomeada secretária-executiva do MEC, Maria Helena Guimarães de Castro (PSDB), afirmou à imprensa, sobre o Enem, que “não terá nenhuma mudança no conteúdo da prova, nem mesmo no edital”. Em coletiva para a imprensa no dia 30 de maio, Mendonça reforçou: “nada será alterado”.

Saiba mais

No fim de abril, quando ainda se votava pela abertura do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff (PT), o pastor Silas Malafaia alertou o então vice-presidente Michel Temer (PMDB) para tomar “cuidado” na escolha do novo ministro da Educação. Na época, Malafaia teria dito a Temer que se preocupa com a “ideologia de gênero”, por exemplo, aliada à educação.
Escolhida para a presidência do Inep, Maria Inês Fini (PSDB) participou da criação e da implementação do Enem tal como era o exame antes de, por meio do ex-ministro da Educação Fernando Haddad (PT), passar a ser principal porta de entrada para a universidade.
A professora de Redação Nelândia Teodoro lembra aos candidatos para o Enem que sempre é possível abordar temas relacionados a quatro eixos: comportamental, social, cultural e científico.

(Luana Severo, O Povo)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s