20160301140725146407i
Com 15 unidades já produzidas, o modelo conta só com opção a gasolina e GNV

Com o desejo de atrair empreendimento, a administração do cidade de São Gonçalo do Amarante prometeu doar um terreno e conceder benefícios fiscais ao designer e ao seu sócio, o físico Paulo Roberto, que já estariam tentando negociar com o município a construção da fábrica para produzir o veículo. A prefeitura da cidade se comprometeu a doar um terreno de 12 hectares, for a do perímetro urbano. Com investimento inicial de cerca de R$ 8 milhões, a fábrica pode ter capacidade de montar até 500 veículos por mês.

A montadora, ainda sem nome oficial, vai ficar próxima ao Porto de Pacém, o que facilitaria a exportação dos veículos. Depois de tudo acertado, o físico afima que a construção da fábrica deve começar em no máximo 60 dias e durar cerca de seis meses

De acordo com Paulo Roberto, até agora já foram fabricados cerca de 15 unidades do carro de forma artesanal, no estado de São Paulo. Esteticamente os modelos têm 1,90 metro de comprimento, na parte interna conta com um motor de 125 cilindradas e podendo chegar até a 80 km/h, com capacidade de transportar duas pessoas, apresentando versões a gasolina ou a gás natural (GNV)

O modelo que seria produzido no Ceará teria versão tanto a gás quanto com motor elétrico, segundo Roberto. “O que deve acabar dominando a produção, pois o custo para o consumidor será menor, e sem nenhuma poluição”. A expectativa do físico é que após regulamentado o modelo custe cerca de R$ 15 mil.

(Débora Eloy, Diário de Pernambuco)

Anúncios