Dia Nacional de Luta dirá não ao desmonte da Caixa

bancarios-do-ceara-defendem-manutencao-da-caixa-100-publica_77fc92b6867528fef5c6c43df848e934
Uma luta dos funcionários da Caixa e do povo brasileiro – Foto: SINTRAFI-CE

Plano que o banco chama de reestruturação começou por Brasília. Foi anunciado ainda o enxugamento do quadro de pessoal

A Comissão Executiva dos Empregados (CEE), a Contraf-CUT, federações e sindicatos vão organizar ações destinadas a barrar o processo de desmonte e enxugamento do quadro de pessoal planejado pela diretoria do banco. “A primeira atividade deverá ocorrer em 25 de fevereiro, nas redes sociais. E, no dia 2 março, será realizado um Dia Nacional de Luta, com protestos em todo o país”, adiantou o diretor da Federação dos Trabalhadores no Ramo Financeiro do RJ/ES (Fetraf) Ricardo Maggi.

O desmonte foi admitido pela primeira vez no dia 28 de janeiro, em Brasília, na retomada das negociações permanentes da qual participaram dirigentes da CEE, Contraf e outras entidades sindicais. O projeto, chamado pelos representantes do banco de reestruturação, já está sendo posto em prática em Brasília, através de um plano piloto. Os executivos da Caixa negaram-se a dar mais informações “no momento”, por se tratar de um plano piloto.

“Se seguir a mesma linha do Banco do Brasil, este ataque significará a centralização de áreas-meio, desativação de setores inteiros e perda de funções comissionadas. Trata-se, também, de uma enorme contradição com os propósitos do governo Dilma de investir pesadamente através da Caixa na recuperação da economia, aumentando a demanda por serviços, e, ao mesmo tempo, deixando de repor as vagas abertas com a saída de centenas de empregados”, criticou o vice-presidente do Sindicato, Paulo Matileti.

Durante a negociação a CEE enfatizou que as medidas da atual gestão são contrárias à importância do banco para o país. Para os representantes dos empregados, é preciso fortalecer a empresa e assegurar melhorias nas condições de trabalho. Os dirigentes cobraram, ainda, o cumprimento de três cláusulas do acordo específico 2014/2015, a saber: novas contratações, investimento do superávit do Saúde Caixa em melhorias e promoção por mérito.

(Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s