Dados do Diagnóstico de Homicídos no Brasil lançado nesta quinta-feira (15) pelo Ministério da Justiça revelam que os roubos a instituições financeiras e a veículos servem para aumentar os casos de latrocínio, quando este tipo de crime resulta em morte.

De acordo com o estudo, baseado em informações do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, o Distrito Federal, o Ceará e o Rio Grande do Sul são as unidades da Federação onde os roubos são considerados como fatores de risco que podem levar ao aumento da taxa de homicídios a cada 100 mil habitantes.

No Distrito Federal, para cada 100 mil habitantes foram apontados 145,3 roubos a carros e a bancos, superior ao Rio Grande do Sul (106,5) e ao Ceará (106), três dos Estados com grandes índices deste tipo de crime segundo os dados divulgados pela Justiça.

Dentre os municípios, foram registradas altas taxas de roubo a carros e bancos em São Leopoldo (RS) com 176,9 casos para cada 100 mil habitantes, Curitiba (PR) com 191,5 casos, Canoas (RS) com 193,8 registros, além de Luziânia (GO) com 215,2 casos, Maracanaú (CE) com 246,4 ocorrências e Várzea Grande (MT) com 571 registros de roubos a veículos e a instituições bancárias.

(Brasil – Portal R7)