Jornal GGN – A Procuradoria-Geral da República enviou ao Supremo Tribunal Federal um pedido para investigar o presidente nacional do DEM, senador José Agripino Maia, por suspeita de combinar o recebimento de propina com executivos da construtora OAS a partir de obras da Arena das Dunas, estádio no Rio Grande do Norte que sediou quatro jogos da Copa do Mundo de 2014. Segundo a PGR, há índicios de que Agripino tenha praticado crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva. As informações são do Estadão desta terça-feira (6).

Na visão da PGR, o caso de Agripino não tem vinculação com a Lava Jato, que investiga crimes que teriam ocorrido na Petrobras, e, por isso, solicitou que o pedido de investigação seja encaminhado ao presidente do STF, Ricardo Lewandowski, e redistribuído. Segundo o Estadão, os documentos são mantidos sob sigilo no sistema do Tribunal.

“A Arena das Dunas foi colocada à venda em março deste ano pela OAS, responsável pela obra, menos de um ano depois dos jogos. A medida fez parte de um pacote da construtora para evitar prejuízos junto aos credores. Com dívida de R$ 8 bilhões, a companhia enfrenta dificuldades de crédito no mercado desde que foi vinculada ao esquema de corrupção na Petrobras investigado pela Operação Lava Jato. O estádio potiguar custou R$ 423 milhões e foi construído por meio de uma parceira público-privada” envolvendo o BNDES, escreveu o Estadão.

Defensor do impeachment de Dilma Rousseff, Agripino disse que ainda não foi notificado, mas já chamou a acusação de “absurda, inverídica e descabida”. “Se ela existe, eu vou me colocar à disposição do judiciário para prestar as informações necessárias”, afirmou ao jornal Estadão.

O senador também é alvo de um pedido de abertura de inquérito por suspeita de ter cobrado propina na ordem de R$ 1 milhão para permitir um esquema de corrupção no serviço veicular do Rio Grande do Norte. O caso também tramita sob sigilo.

Via http://jornalggn.com.br/noticia/pgr-pede-para-investigar-agripino-por-propina-a-partir-de-obra-da-copa