Na manhã desta terça-feira, 15, ocorreu, em Brasília, a solenidade que premiou a Escola Estadual de Ensino Profissional Joaquim Nogueira, da Parquelândia, em Fortaleza, na categoria Mérito Institucional do 28º Prêmio Jovem Cientista.
Presente à solenidade no Palácio do Planalto, o governador Camilo Santana (PT) entregou o prêmio ao professor Walker Cavalcante, coordenador dos 32 projetos da instituição enviados ao prêmio. “O caminho é esse: é inovar, apostar nos jovens”, afirmou Camilo.
A escola receberá R$ 40 mil para investimento em recursos de apoio à pesquisa. Conforme o professor Walker, 518 alunos da EEEP participam dos projetos e têm acesso ao mesmo conhecimento. O objetivo, ressalta, é despertar o interesse do estudante pela pesquisa científica, com apoio de todos os professores.
“Para nós esse prêmio é motivo de grande alegria. E saber que os 32 trabalhos enviados foram qualificados é uma incentivo para prosseguirmos”, disse o professor.
“Faço questão de destacar o Ceará porque nós temos um projeto de inclusão muito grande no Nordeste. Nosso País tem capacidade criativa e, quanto estamos juntos, somos capazes de sair das dificuldades com criatividade”, disse a presidente Dilma Rousseff, também presente à solenidade.

O concurso é uma iniciativa do Governo Federal em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Projetos do Ceará, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo foram vencedores desta edição. Foram analisadas 1.920 pesquisas, sendo 341 da categoria mestre e doutor, 274 do ensino superior e 1.305 do ensino médio.

Veja os projetos da EEEP Joaquim Nogueira qualificados pelo CNPq:
1. SeedDefenser: biofilme protetor para sementes;
2. O uso de defensivos naturais no controle de formigas encontradas na horta orgânica da EEEP Joaquim Nogueira;
3. A influência dos programas sociais na dieta do brasileiro;
4. Plantas medicinais populares do nordeste;
5. Segurança alimentar em enlatados: determinação de pH e crescimento microbiano;
6. Comparação quantitativa entre a eficácia da técnica sódis – desinfecção de água com a luz solar (solar water disinfection) e a fervura, utilizada na desinfecção da água;
7. Análise da refeição funcional estudantil;
8. O sushi na química;
9. Selo de segurança;
10. Criando hábitos de segurança alimentar;
11. Auxílio da alimentação na prevenção do câncer;
12. Estudo comparativo microbiológico do leite “in natura” e fervido;
13. A pasteurização como técnica de controle do crescimento de micro-organismos em laticínios;
14. A importância da panela de pressão para segurança alimentar;
15. Aplicação da energia nuclear na agricultura;
16. O que comem os astronautas: nutrição no espaço e suas particularidades;
17. Estudo comparativo do uso do vinagre e do hipoclorito de sódio na higienização de frutas e verduras;
18. Análise do consumo exagerado da Coca-Cola;
19. Os perigos dos aditivos químicos;
20. Projeto “Contando Calorias”: incentivando a atividade física e uma melhor alimentação;
21. Forno micro-ondas: verdades e mitos sobre um ícone da cozinha moderna;
22. Irradiação de alimentos: faz bem ou mal;
23. Efeitos dos recursos naturais no meio orgânico;
24. O controle da ansiedade através de práticas corporais para a adequação do peso corporal;
25. Conservantes: heróis ou vilões?;
26. Cestas básicas: aspectos nutricionais e sociais;
27. “Bacillus Thuringiensis”: uma alternativa de controle biológico aos agrotóxicos não prejudiciais à saúde;
28. A diferença entre alimentos orgânicos e não orgânicos para a saúde do consumidor e a sustentabilidade do solo;
29. A importância do sódio nos alimentos – benefícios e malefícios;
30. Cuidados ao administrar sal nos alimentos;
31. Agricultura orgânica e segurança alimentar;
32. Conscientização alimentar na escola.
Redação O POVO Online