Três projetos de lei apresentados por Wagner na AL foram aprovados na defesa dos servidores da Segurança. Na TV, ele chamou de inoperante a gestão do prefeito de Fortaleza 

Apontado nos bastidores da política local como virtual candidato à prefeito de Fortaleza no próximo ano, o deputado estadual Capitão Wagner (PR), vem atuando em três frentes em suas atividades como homem público e profissional. Na Assembleia Legislativa, tem buscado a defesa dos interesses dos profissionais da Segurança Pública. Na Imprensa, virou comentarista de TV e vem alfinetando a gestão do prefeito da Capital, Roberto Cláudio. E no terceiro campo de atividades, vem proferindo “aulões” no Interior do Estado para milhares de jovens que vão concorrer no próximo concurso do Ronda do Quarteirão.

Como comentarista do programa “Cidade Alerta”, exibido pela TV Cidade de segunda a sexta-feira no começo da noite, o Capitão Wagner tem aproveitado o espaço para tecer críticas ao atual prefeito de Fortaleza.

Nesta quinta-feira (2), por exemplo, o deputado fez severas críticas à gestão municipal por conta dos atrasos nas obras de construção do novo Mercado dos Peixes, na Avenida Beira-Mar, no Mucuripe. Segundo ele, a Prefeitura promete entregar o equipamento aos fortalezenses até fim deste mês. No entanto, conforme o deputado, informações por ele obtidas junto à empreiteira responsável pelas obras, o mercado só poderá estar pronto daqui a 90 dias, e isto, se as obras voltarem e a acontecer em ritmo normal.

“Esse atraso tem trazido sérios prejuízos à população, ao turismo e, principalmente, aos pequenos comerciantes que ali trabalham e tiram da venda de peixes e crustáceos o sustento de suas famílias”. E emnedou: “Isso acontece pela inoperância e falta de gestão do prefeito”, disse o parlamentar na televisão.

Já na Assembleia, o deputado conseguiu a aprovação de, pelo menos, três projetos de lei que têm como objetivo oferecer garantias e melhores condições de vida e trabalho para os profissionais da Segurança Pública, especialmente, neste caso, policiais civis e militares, bombeiros militares e peritos forenses.

Projetos

O projeto de lei número 21/2015 garante o direito à aposentadoria especial para os policiais militares aos 25 anos de contribuição com a Previdência Estadual. Além disso, as mulheres militares poderão ter o tempo de sua aposentadoria reduzido para 25 anos de serviço e 20 de contribuição ao Sistema Único de Previdência do Estado do Ceará (Suspec).

(Blog do Fernando Ribeiro)