“Nós iremos provar que cinco vereadores receberam R$ 150 mil, cada um, para votar a favor do afastamento do prefeito.”

 O deputado Elmano Freitas (PT) afirmou ter provas do envolvimento de cinco vereadores do município de Canindé numa manobra para afastar o prefeito Celso Crisóstomo (PT) do Executivo Municipal, em pronunciamento na Assembleia Legislativa.

Em sessão realizada na última sexta-feira (05/06), a Câmara de Vereadores decidiu, por 11 votos a quatro, afastar o prefeito por 90 dias. A acusação é de improbidade administrativa, por suposto desvio de receitas da Contribuição de Iluminação Pública. A Justiça já havia decretado, em 27 de maio, a perda da função pública e a indisponibilidade dos bens.

“Nós iremos provar que cinco vereadores receberam R$ 150 mil, cada um, para votar a favor do afastamento do prefeito. E o que mais me impressionou é que o Poder Judiciário colaborou para isso, aliás, o juiz”, informou.

Elmano Freitas explicou que a Prefeitura de Canindé sempre realizou o pagamento da energia pública da cidade e dos prédios públicos na mesma conta.

O parlamentar ressaltou que o juiz da Comarca, quando recebeu a ação civil pública, orientou o prefeito a separar as contas, mas não o afastou do cargo. O Executivo Municipal acatou a sugestão. Porém, quando o magistrado tirou férias, o juiz substituto decidiu julgar esse processo, apesar de o erro já ter sido corrigido.

Via Revista Central