Rapaz, viu que chique? Nosso prefeito, dr. Roberto Cláudio, arrasando em New York City! A Big Apple reconhecendo o talento de nosso bravo alcaide. A administração municipal de Fortaleza recebida de braços abertos e aplaudida pelos maiores governantes do planeta. Sic gloria transit mundi. Foi montada uma verdadeira operação de guerra. Dessa feita o governo municipal elaborou um esquema mais soberbo. Não mais uma comitiva de assessores palacianos a lhe aplaudir e incensar, como em precedente viagem à Europa, mas, excelentes jornalistas escolhidos a dedo, das principais redações locais, para registrar os passos do homem.

Devo estar sendo mesquinho. Nossa cidade será engrandecida. Os números exitosos que ele apresenta, em suas exposições, deixam administradores municipais – de todo mundo – perplexos com a eficácia das medidas empreendidas aqui em pleno Nordeste do Brasil. Ninguém deve ser contra, ora bolas!… Nós agora vamos de HUB. Já, já! (Para quem ainda não sabe: trata-se de uma nova invenção – tipo refinaria – para engabelar os mais ingênuos.) Caramuru! Caramuru!
Mas, voltando à viagem ao Manhattan: de minha parte, prefiro entender que o bravo alcaide, está completamente deslumbrado com o cargo que ocupa. Parece isolado em uma bolha. Nada lhe chega aos olhos e aos ouvidos… Ignora a situação da saúde, da segurança pública, da educação em seu município. Do mato, do lixo. Das contradições desesperadoras do fosso Fortaleza: maioria dos pobres x Ilha distante de ricos.
Não considero condenável a iniciativa, apenas acho inconveniente, despropositada, inoportuna. Imagino que temos outras prioridades e outros fóruns a participar. As avaliações sobre a atual administração mostram resultados pouco consistentes. O que podemos mostrar ao mundo de inovador e modelo? Chega. Não estamos precisando de glamour e paetês!
Vejam. O homem participou de duas mesas redondas, distribuindo experiência e êxito gerencial. Na primeira, falando sobre “Transporte e Mobilidade”, com os prefeitos de Roma e Pittsburg (USA) e, numa segunda intervenção, sobre “Melhores Práticas de Inclusão Social na América Latina”. Aqui para nós, seus governados, vocês acham que ele tem – concretamente – o que relatar sobre estes dois problemas?


Antonio Mourão Cavalcante – Médico e antropólogo. Professor universitário

(O Povo Online)