A paralisação nacional dos bancários do HSBC, nesta terça-feira, dia 9 de junho, surtiu efeito junto à diretoria do banco. A direção chamou o movimento sindical para uma conversa, marcada para esta quarta-feira, 10 de junho, às 17h30, em São Paulo.

O protesto dos trabalhadores coincidiu com o anúncio do grupo inglês de que vai sair do Brasil e, como parte de uma reestruturação global, demitir 50 mil pessoas em todo o mundo. A declaração do encerramento das operações não pegou o Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região de surpresa. Desde novembro do ano passado, o Sindicato vem apontado que havia algo estranho com o banco inglês, que acabou culminando com o anúncio desta terça.

Os dirigentes sindicais querem agora garantir com que o trabalhador do banco, que rendeu lucros ao longo de 18 anos de atividade no Brasil, não seja prejudicado ou saia de mãos abanando. Eles vão levar para a diretoria do HSBC uma pauta para que o bancário seja considerado neste processo que os explora e depois exclui com a demissão, beneficiando apenas os banqueiros.

O Sindicato vem se mobilizando e não pretende parar os trabalhos. Até o momento, já conversaram com representantes do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Banco Central (BC) e com políticos das mais diversas esferas. Tudo isso para salvaguardar os direitos dos trabalhadores.

Autor: Flávio Augusto Laginski

Fonte: Especial HSBC – SEEB Curitiba

Anúncios