A marca cearense de moda praia Água de Coco comemora 30 anos com uma emocionante homenagem ao Ceará, no segundo dia de São Paulo Fashion Week. A grife que desenvolve estampas exclusivas e desejáveis nos mais badalados balneários do País procura a cada estação um lugar pelo mundo que inspire seus coloridos e desenhos.

Fotos: http://grifina.com.br

Desta vez a viagem com valor de volta ao mundo não saiu do Ceará. A marca encontrou em casa, em localidades como Icapuí, Mundaú, Maranguape e no Crato, nas mãos de Marias, Lourdes, Cíceras e Franciscas os sofisticados pontos de rendas e bordados que transformaram biquínis, vestidos e maiôs em peças de puro luxo.

A estilista da marca, Rebeca Thomaz, filha de Liana Thomaz que assina a direção criativa contou ao O POVO no backstage do desfile que a ideia sempre foi mostrar o que o Ceará tem de mais rico.

A partir do livro Mãos que fazem história, das jornalistas Cristina Pioner e Germana Cabral, a equipe descobriu o trabalho das artesãs de diversas comunidades do Ceará. “O que temos de mais precioso é nosso fazer manual. Essa arte está em extinção, as artesãs que trabalharam com a gente, não encontram nas filhas ou netas interesse em perpetuar a arte”, revela Rebeca.

Na passarela, as peças surgem com extrema criatividade, uma reinvenção contemporânea do tradicional artesanato cearense. A lycra se une à renascença, a trama vira estampa. Uma fotografia aproximada os fios entrelaçados vira estampa e ganha recortes de richilieu.

O bilro sobre o linho é pura ousadia. As paisagens nordestinas também colorem as lycras que servem de fio para trancar detalhes de hot pants, bustiês e maiôs. Difícil falar de qual das combinações soou mais harmonia e surpreendente.

O desfile encerra com um maiô de mangas amplas bordadas. Um luxo pronto para ser consumido pelo mundo com seu devido valor cultural.

(Paula Lima, O Povo)

Anúncios