Pollyane Marques

Uma comitiva do Conselho Nacional LGBT, que representa lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros, está no município de Itatira, no Ceará. O município, de cerca de 20 mil habitantes, tem registrado, desde o início do ano, casos de apedrejamento a casas de homossexuais e travestis, de violência psicológica e ameaças de agressão física a esta população. Os casos foram encaminhados à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e agora serão acompanhados mais de perto. 

Nesta quinta-feira (9), representantes do Conselho se reuniram com o prefeito, vereadores e ministério público na cidade. Em nota, o conselho afirma que após análise, dará os devidos encaminhamentos para coibir os casos. A equipe permanece na cidade até esta sexta-feira. 

Até que as ações propostas pela Secretaria de Direitos Humanos sejam implementadas, outras medidas já estão sendo adotadas. Uma delas é um projeto de lei que institui o Dia Municipal de Combate à Homofobia, em tramitação na Câmara de Vereadores. O autor do projeto, vereador Paulo Ruberto, afirma que é dever dos representantes da população defender as minorias. 

Sonora 

A ativista LGBT Alice Oliveira, que acompanhou de perto as situações de violência em Itatira, fala da importância de denunciar estes tipos de agressão. 

Sonora 

As denúncias de homofobia e qualquer outra violação aos direitos humanos podem ser feitos pelo Disque 100. O serviço é gratuito e funciona sete dias por semana, 24 horas por dia, incluindo domingos e feriados.

Via http://radioagencianacional.ebc.com.br