O ícone da ficção científica Leonard Nimoy, que se tornou uma lenda por seu papel como Sr. Spock em “Star Trek”, faleceu nesta sexta-feira aos 83 anos de idade em Los Angeles.

“Como vocês sabem, o meu avô faleceu esta manhã às 8h40 (1h40 de Brasília) … Obrigado pelas calorosas mensagens de pêsames. Que todos vocês experimentem uma vida longa e próspera”, escreveu Dani, a neta de Leonard Nimoy, retomando a famosa saudação de Sr. Spock.

A esposa de Nimoy, Susan Bay, também confirmou a morte do marido devido à doença pulmonar obstrutiva crônica, resultado de toda uma vida de fumante.

Ilustrando o enorme papel que o personagem e a série de TV que o fez famoso tiveram para milhões de fãs e profissionais da exploração espacial, a Nasa foi uma das primeiras a prestar homenagem ao falecido.

“RIP Leonard Nimoy. Muitos de nós na Nasa formos inspirados por Star Trek. Audaciosamente indo”, escreveu a a agência em seu Twitter.

A Nasa utiliza a frase “boldly go”, que é parte do texto “Audaciosamente indo onde nenhum homem jamais esteve” da abertura da série.

O ator William Shatner, mais conhecido como o capitão James Kirk, também lamentou a morte do companheiro de elenco e amigo pessoal.

“Eu o amava como a um irmão. Vamos sentir falta de seu humor, de seu talento, e de sua capacidade de amar”, declarou Shatner à imprensa americana.

Já o ator Zachary Quinto, que enfrentou o desafio de viver Spock quando jovem e teve a aprovação de Nimoy nesta tarefa, declarou estar com o “coração partido”.

“Eu te amo profundamente, meu querido amigo. E vou sentir sua falta todos os dias. Que os anjos te acompanhem para teu descanso”, escreveu.

Com o queixo quadrado e feições duras, Leonard Nimoy, nascido em Boston em 26 de marco de 1931, conquistou seu espaço ao representar todos os tipos, desde cowboy a advogado, antes de vestir em 1966 a pele de Spock, um extraterrestre de orelhas pontudas do planeta Vulcano.

O personagem, criado pelo roteirista Gene Roddenberry, fez dele uma lenda da ficção científica para a televisão e cinema.

Sua missão em “Star Trek” era a de “explorar novos mundos, novas civilizações, audaciosamente indo aonde nenhum homem jamais esteve” a bordo da nave espacial USS Enterprise.

Spock encarna o contrapeso frio e racional ao impulsivo capitão James T. Kirk, interpretado por Shatner, e do médico altamente emocional Leonard “Magro” McCoy, interpretado por DeForest Kelley.

O personagem de Spock marcou o imaginário coletivo, especialmente com suas citações que se tornaram lendárias para os “trekkers”, uma enorme legião de fãs apaixonados que se cumprimentam com um gesto de mão facilmente reconhecível pronunciando a frase “Vida longa e próspera”.

Entre as falas marcantes encontramos “Fascinante”, pronunciada por Spock quando aprende algo novo, ou “é altamente ilógico”, acompanhado por uma sobrancelha levantada.

“Eu sou Spock”

Nos anos 1970 e 1980, após o fim da série, o personagem reapareceu em seis filmes de longa-metragem, incluindo dois dirigidos pelo próprio ator.

Com “Star Trek IV: a volta para casa”, recebeu elogios da crítica.

Em outro domínio, dirigiu em 1987 a adaptação americana de “Três Solteirões e um Bebê”, estrelado por Tom Selleck.

Leonard Nimoy, como outros de “Star Trek”, teve, no entanto, dificuldade para se livrar desse papel. Em uma tentativa desesperada de se distinguir do estrangeiro, ele assinou em 1975 um ensaio, “Eu não sou Spock”. Acabou por abdicar em 1995 ao publicar “Eu sou Spock”. O papel se colou a sua pele.

Na realidade, esta popularidade global alimentou o resto de sua carreira: emprestou sua voz para documentários, videogame e séries de televisão.

Vendeu uma quantidade astronômica de produtos derivados e apresentou-se regularmente em convenções de “Star Trek”.

Em 2009 e 2013, fez um retorno à nova franquia “Star Trek”, adaptada por JJ Abrams.

Até o fim da vida, Leonard Nimoy permaneceu muito ativo, publicando livros de fotografia e poesia.

De 2008 a 2013, participou da série de ficção científica “Fringe”, também produzida por Abrams, e fez uma pequena participação na elogiada sitcom “The Big Bang Theory”, que elogia a cultura nerde e geek.

Nimoy teve dois filhos e ainda era casado com sua segunda esposa desde 1989.

Por Por SARA PUIG, avec Jean-Michel Poirier à Washington | AFP