Há mais de 40 mil casos de dengue no Brasil. Em algumas cidades do interior de São Paulo, as festas de carnaval foram suspensas por causa da epidemia da doença. Hoje é o dia D de combate ao mosquito que transmite a dengue e também a chikungunya.

Quatro cidades paulistas suspenderam o Carnaval por causa da dengue e cinco decretaram epidemia da doença. A dengue já causou cinco mortes no estado e há mais cinco mortes suspeitas. Pelo menos 2,8 mil pessoas pegaram a doença.

No primeiro mês do ano, foram notificados mais de 40 mil casos de dengue em todo o país.

A Região Sudeste tem o maior número de casos registrados, o Centro-Oeste apresentou mais de 8 mil casos, a Região Norte vem em terceiro lugar com 4 mil notificações, seguida pelo Nordeste e pelo Sul.

O estado com maior incidência é o Acre, que teve em janeiro mais de 338 casos. Em Goiás, foram 97 casos. Depois vem Mato Grosso do Sul, São Paulo e Tocantins.

Em janeiro, o número de casos aumentou de dengue 57% em relação ao mesmo período do ano passado. O governo suspeita que esse crescimento pode estar associado à estiagem. Por causa da falta d’água, tem muita gente fazendo estoque em galões e baldes, mas às vezes de forma inadequada.

“Em qualquer lugar que se acumule água e ela fique parada sem cobertura, sem proteção, sem o devido cuidado, se cria a possibilidade do depósito da larva, do surgimento do mosquito Aedes e, portanto, tanto dengue quanto chikungunya tendem a aumentar se a população não ajudar as autoridades sanitárias, não fizer a lição de casa. E, se precisar acondicionar a água, fazê-lo de forma correta”, alerta Artur Chioro, ministro da Saúde.

Em Itajaí, no litoral de Santa Catarina, os agentes de saúde foram de casa em casa para orientar os moradores sobre a importância da prevenção. 70% dos focos do mosquito são encontrados nas residências.

O ministro da Saúde, Artur Chioro, participou da mobilização em Valparaíso de Goiás (GO). Ele visitou casas para mostrar que é importante fazer uma vistoria rápida, uma vez por semana, em pratos de plantas e vasilhames.

Uma boa notícia sobre a denque é que, segundo o Ministério da Saúde, houve uma redução de 71% nas notificações de casos graves em janeiro deste ano na comparação com janeiro do ano passado.

(Geiza Duarte, Jornal Hoje)